Você está na página 1de 5

Dupla hélice de DNA(ácido desoxirribonucléico) = constituída por nucleotídeos

(unidade básica) q são formados por: base nitrogenada(A,T,C,G)


+pentose+grupamento fosfato. Suas fitas são antiparalelas.
RNA (ácido ribonucléico) = presença de uracila, ribose. Possui fita simples.
Tipos: RNA m – tem a ordem de montagem dos aminoácidos “carrega” a msg
hereditária contida no DNA ate os ribossomos; RNA t – transporta aminoácidos; RNA r
– componente estrutural dos ribossomos.
Os ribossomos são 40% proteína e 60% RNA.
ESTRUTURA DO RIBOSSOMO EUCARIÓTICO - Sitio E – catalisa a ação peptídica;
SITIOS DE LIGAÇÃO DE RNA: sitio aminoacil (A); sitio peptidil (P). AGU – codon de
iniciação da tradução, o ribosso desliza de 3 em 3 bases encontrando cada um com
seu anticódon. UAA – códon de parada/termino da tradução. A formação da ligação
peptídica move o ponto de ligação do sítio P para o sítio A. Neste processo, a carboxila do
aminoácido do sítio P é transferida do tRNA para o aminogrupo do aminoácido do sítio A; O
novo tRNA terminal move-se, então, do sítio A para o sítio P. Ao mesmo tempo, o molde de
mRNA move-se para colocar o códon n+l na posição ocupada anteriormente pelo códon n; a
molécula de tRNA que liberou seu aminoácido para a formação da ligação peptídica, é
ejetado do sítio P, O sítio A fica, então, livre para aceitar um novo aminoacil-tRNA, cujo
especificidade é determinada pelo pareamento correto de bases entre o anticódon e o códon
do mRNA.
Eletroforese - técnica de análise de DNA, consiste no fracionamento de DNA por
tamanho/ técnica de separação de moléculas que envolve a migração de partículas
em um determinado gel durante a aplicação de uma diferença de potencial. As
moléculas são separadas de acordo com o seu tamanho, pois as de menor massa
irão migrar mais rapidamente que as de maior massa. Em alguns casos, o formato da
molécula também influi, pois algumas terão maior facilidade para migrar pelo gel. A
eletroforese normalmente é utilizada para separar proteínas e moléculas de DNA e
RNA.
Expressão (síntese de proteínas) gênica – processo pelo qual a informação
hereditária contida num gene, tal com a seqüência de DNA, é processada em um
produto gênico funcional, tal como proteínas ou RNA.
Transcrição é o processo de formação do RNA a partir do DNA. Esse RNA formado é
o RNAm (RNA mensageiro), que tem como função "informar" ao RNAt (RNA
transportador) a ordem correta dos aminoácidos a serem sintetizados em proteínas.
O processo é catalisado pela enzima RNA-polimerase.
Expressão gênica diferencial – sequencia promotora- sequencia de DNA q antece
os genes e modulam a transcrição. Sequencia q modla a expressão gênica.
MÉTODOS DE TRANSFORMAÇÃO DE PLANTAS
• Transformação por agrobacterium: BAIXO NUMERO DE COPIAS, POREM
FUNCIONA MELHOR. - uso de uma bactéria de solo capaz de promover
naturalmente a transferência de genes exógenos para o genoma da plnata. as
agrobact. São microorg. Tipicamente d solo,forma de bacilo e apresentam
flagelos.A infecçao inicia-se pela penetração da bact. No tecido vegetal através
da lesão sofrida pela planta, por tratos culturais, geadas, insetos.A lesão exuda
moléculas (açúcar, amioacido) responsáveis por ativar genes responsáveis pela
transferência de parte do plasmideo de virulência destas bact, conhecido como
plasmideo Ti, para o genoma da planta. T-DNA ao os genes presentes no Ti, q
serão expressos em células vegetais, produzeindo enzimas sintetizantes de
hormônio e opina. Assim as células q recebem o T-DNA proliferam
desordenadamente, devido a síntese de hormônios, levando a
formação de tumores.(doença galhada-coroa).Não há relação com tumor
vegetal e animal. Isso td resume num método de transferência de genes de
interesse para a planta. As linhagens agrobac q perderam todo /parte T-DNA,
são denominados desarmadas(incapazes de produzirs tumores nas plantas
hospedeiras).Para transformar plantas utilizando linhagens desarmadas de
agrobac utilizam-se explantes com potencial regenerativo, como segmentos de
folhas jovens como discos foliares, embriões zigoticos..O explante é colocado
na presença de meio liquido contendo as bactérias desarmadas com o vetor de
transformação que contem o gene de interesse, em um processo chamado co-
cultura.Durante este contato, as bactérias infectam o tecido vegetal e iniciam o
processo de transferência do cassete de transformação para o genoma da
planta. Depois o tecido é cultivado em um meio de regeneração com presença
de antibiótico para eliminação da agrobac, e de um agente seletivo para a
seleção das células transformadas. as plantas transformadas são regeneradas
in vitro e transferidas para ambientes de aclimatação.
• Transf. Por eletroporação de protoplastos: gera poros na membrana de
protoplastos por pulsos elétricos permitindo que o gene exógeno penetre no
interior da célula e integre-se ao genoma.
protoplastos são células vegetais individuais e desprovidas de paredes celulares que
foram eliminadas com o auxilio de enzimas pectoceluloliticas. Os protoplastos podem
reconstruir suas paredes celulares, regenerando um novo tecido que pode dar
origem a uma planta. A eletroporação de protoplastos consiste na indução de poros
na membrana celular de protoplastos por meio de pulsos elétricos de alta voltagem.
Estes poros permitem a entrada do vetor de transformação contendo o gene de
interesse para o interior da célula, depois eles fecham após a aplicação do pulso
elétrico, os protoplastos contendo o valor de transformação podem regenera-se em
novas plantas. Este método é feito em células individuais, evitando a forma de
quimeras.
• Transf. Por biobalistica:baseia-se na transferência de genes para as células
vegatais por intermédio de microprojeteis disparados diretamente para o
interior da célula. microparticulas revestidas com vetor de transformação
(cassetes com o gene de interesse) são aceleradas em alta velocidade contra o
tecido no qual se quer transferir o gene. Onda de choque. O DNA fica absorvido
(ressecado) nos projeteis.
Auxinas (promove alongamento celular) citoninas (divisão celular), hormônios
vegetais.
Opinas – aminoácidos modificados utilizados no metabolismo da bactéria.
Genes vir – codifica proteínas que associam a T-DNA. Apresentam o endereçamento
nuclear.
Plasmídeo ti = contem substâncias capazes de estimular a divisão celular no sítio de
infecção
TOTZPOTENCIA – uma célula é capaz de gerar um organismo interio.
Biodiversidade – conjunto de todos os seres vivos em um ecossistema, região em
td a terra, valor das espécies como matéria-prima.
CULTIVO DE PLANTAS “IN VITRO” - Organogenese (formação de órgãos) - DIRETA (o
fragmento de tecido é colocado em cultura e forma planta), INDIRETA (passa pelo
estagio de calo – massa celular- então formando a planta).
Aplicação da cultura de tecidos de plantas – MICROPROPAGAÇÃO PARA LIMPEZA
CLONAL – mutação induzida pela cultura de tecido; MUTAÇÃO INDUZIDA – coloca-se
uma planta em cultura junto a um agente mutagênico (colcichina) e um fator de
seleção (toxina fungica) tendo como objetivo obter linhagens resistentes à fungo;
ISOLAMENTO E FUSÃO DE PROTOPLASTOS (célula vegetal sem parede) – a célula
vegetal é tratada com enzimas pectinases e celulases obetendo assim os
protoplastos, pois estam rompem as paredes. Depois coloquem em meio de cultura e
submetem-as à um campo elétrico com corrente alternada e continua, polarizando
as células, ficando mais fácil de serem fusionadas/fundidas. A intenção é produzir
uma planta em q em sua parte aérea seja tomates e embaixo batatas, por exemplo.
Existe esta probabilidade pq são da msm família.
PETROLEO – bactérias pseudômonas degradam. Estas são sulfactantes, criam ponte
entre hidrofílicos e hidrofólicos. BIOSSENSORES: Operon lux – genes estruturais e
indutores para enzima luciferase – luz. Usadas para tratamento de esgoto na Coréia,
encontrados no leite. Photobacterium – detector de poluentes, Inglaterra.

QUESTIONÁRIO

1) COMO O PROCESSO DE MELHORAMENTO CLASSICO DE PLANTAS PODE


CONTRIBUIR PARA A PERDA DA BIODIVERSIDADE EM GERAL E DA
VARIABLILDADE GENETICA DAS PLANTAS CULTIVDADAS?

Melhoramento clássico consiste na determinação por genes de características


fenotípicas de interesse através de cruzamentos, porém este reduz a
variabilidade genética, ligação gênica, mutações espontâneas, além do longo
tempo para se transferir características desejáveis para genótipos já
melhorados.

2) VC CONCORDA COM A AFIRMAÇÃO: A TRANGENIA REPRESENTOU UM


GRANDE AVANÇO NO MELHORAMENTO DE PLANTAS?

Sim, pois ela permite aumentar a produtividade agrícola, beneficiar o meio


ambiente e melhorar a qualidade dos alimentos e saúde humana. Criando, por
exemplo, plantas mais resistentes a insetos com menos/ sem inseticidas, frutos
com amadurecimento controlado, melhor ocnservação e qualidade dos
alimentos, sementes com valor nutricional e etc.

3) O PROCESSO DE TRANGENIA É CAPAZ DE SUBSTITUIR O


MELHORAMENTO CLASSICO DE PLANTAS?

Não, pois ele apenas auxilia na resolução de algumas limitações, o qual


consiste na introdução controlada de um gene no genoma de uma planta e sua
posterior expressão, conferindo a planta uma nova característica.

4) O Q É FLUXO GÊNICO? QUAIS OS FATORES RELACIONADOS COM A


DISPERSÃO DE UM GENE?
Transferência de genes de uma população para outra. Vantagem competitiva
do gene, fluxo gênico, integração do gene exótico no genoma hospedeiro e
etc.

5) Q ESTRATEGIAS PODEM SER UTILIZADAS PARA MINIMIZAR O ESCAPE


DE UM GENE?

Zoneamento ou restrição geográfica, visando a redução da probabilidade de


ocorres cruzamentos via polinização (poluição genética); controle molecular,
construindo plantas geneticamente modificadas com machos estereis;
monitoramento de fluxo gênico em tempo real, utilizando uma proteína
fluorescente para marcar a transgene assim sabendo o seu movimento e
expressão.

6) Q PONTOS DEVEM SER AVALIADOS DURANTE O DESENVOLVILMENTO


DE UMA PLANTA TRANGÊNICA?

7) QUAIS OS OBJETIVOS DA LEI DE BIOSSEGURANÇA?

Regular o uso (produção e comercialização) de transgenicos no país e


pesquisas relacionadas a célula-tronco.

8) QUAIS PROCEDIMENTOS SÃO REQUERIDOS PARA A LIBERAÇÃO DE UM


OGM NO MEIO AMBIENTE?

O gene específico, assim como seu produto, a espécie transformadora,


o tipo de reprodução, a presença de outros genes na construção, tais
como os de seleção para resistência a antibióticos.

9) O QUE É CNTBIO E QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS FUNÇÕES DESTA


ENTIDADE?

Comissão técnica nacional de biossegurança.

10) COM RELAÇÃO AO RISCO AO AMBIENTE E AO HOMEM, COMO SÃO


CLASSIFICADOS OS VEGETAIS GENETICAMENTE MODIFICADOS?
Ogm ou transgenicos??

AVII
1) FAÇA UMA ANALISE SOBRE O RISCO QUE AS PLANTAÇÕES
TRANSGENICAS DE SOJA NO BRASIL E MILHO NO MEXICO, PODEM
EXERCER PARA A FLORA SILVESTRE DESSES PAÍSES?

A possível geração de novas pragas e plantas daninhas, o aumento do efeito


das pragas já existentes por meio da recombinação de genética entre a manta
transgênica e espécies filogenicamente relacionadas, os danos as espécies
não-alvos, a alteração drástica na dinâmica das comunidades bióticas, levando
a perda de recursos genéticos valiosos seguido da contaminação gênica de
espécies naturais que introduziria nestas características originadas de parentes
distantes ou até de espécies não relacionadas, os efeitos adversos em
processos ecológicos nos ecossistemas, e perda da biodiversidade.

2) EXPLIQUE PQ O PROCESSO DE TRANSFORMAÇÃO GENETICA DE


PLANTAS É DEPENDENTE DE MELHORAMENTO CLASSICO?
Porque a partir do melhoramento clássico, definem-se como esses genes serão
expressos em resposta ao estresse, estando mais aptos a desenhar uma estratégia de
introdução de um conjunto de genes no genoma da planta visando torná-lo mais
resistente a diferentes formas de estresse ambiental

3) AO SE REALIZAR UM ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EM UMA


PLANTAÇÃO TRANSGENICA, Q PONTOS DEVEM SER AVALIADOS?

A análise de risco avalia os perigos potenciais associados ao gene escolhido, ao


organismo doador e aos possíveis efeitos no receptor. Por isso é importante
que haja uma avaliação da segurança do organismo que deu origem ao gene;
descrição do organismo transformado e da estabilidade da transformação;
descrição das técnicas utilizadas e caracterização molecular da modificação
genética ocorrida; caracterização dos novos produtos decorrentes da
expressão do gene introduzido; composição química do produto, relativa a
macro e micronutrientes, e a outras substancias, para a identificação de efeitos
não intencionais; ensaios nutricionais ou toxicológicos com animais; estudos de
possível alergenicidade com base nas características estruturais da proteína
expressa, envolvendo ensaios in vitro e in vivo.

4) VARIOS PESQUISADORE AFIRMAM Q A BIOTECNOLOGIA PODE SER


USADA A FAVOR DO MEIO AMBIENTE. SENSO ASSIM, EXPLIQUE A
UTILIZAÇÃO DAS PLANTAS TRANSGENICAS E COMO PODEM PROTEGER
A BIODIVERSIDADE.

A transformação genética permite a troca de genes entre organismos


filogeneticamente distantes e que não cruzam entre si, ampliando de forma
espantosa a variabilidade genética disponível para os programas de
melhoramento.

5) EXPLIQUE
PQ A CULTURA DE TECIDO PODE SER APLICADA EM
PROGRAMA DE MELHORAMENTO VEGETAL.

A cultura de tecidos é uma ferramenta que oferece soluções originais para p


programa de melhoramento vegetal, soluções essas que podem resultar na
otimização do tempo e na qualidade das cultivares a serem lançadas por esse
programa, aumentando/melhorando a variabilidade genética, por exemplo.