Você está na página 1de 20

II CAPITULO – OS DOCUMENTOS COMERCIAIS

2.1 – CONCEITO E CLASSIFICAÇÃO DOS DOCUMENTOS COMERCIAIS

Os Documentos Comerciais são comprovativos das transacções comerciais


que servem de base para os registos contabilísticos. Exemplo: Uma Venda a
Dinheiro que comprova que houve uma venda ou compra a pronto
pagamento e, que, a contabilidade vai poder analisar, classificar e efectuar
o respectivo registo.

Estes classificam – se em Internos – os que justificam apenas transacções


que tem interesse exclusivo para o grupo do pessoal envolvido diariamente
nas actividades laborais da empresa. Exemplo: Requisição de matérias
primas do armazém para a fabrica, a requisição de material de um sector
para o outro, etc... e, Externos - os que justificam transacções dentro e
fora da empresa. Exemplo: Uma Factura, um recibo, uma nota de débito,
etc...

2.2 – O ARQUIVO

O estudante poderá indgnar-se o porque de se falar do arquivo numa


disciplina que apenas interessa – lhe , falar de Lançamentos, debito,
credito, a conta entre outras situações. É importante, referirmo-nos a este
sub tema uma vez que não são todos os profissionais de contabilidade que
encontram a sua progressão profissional em grandes empresas. Sendo assim,
se tiverem que trabalhar numa pequena empresa ou no negocio próprio
devera certamente ter o minimo de conhecimentos sobre o arquivo.

Nos escritórios modernos, está cada vez mais presente um centro de


produção de informações e não apenas um registo de transações. Deve-se
registar não só os factos históricos, mas também deve se recorrer a novas
formas de gestão que servirão de base para as decisões a serem tomadas
pelos gestores das empresas.

O Arquivo é a secção indispensavel na empresa sobre a qual devem incidir


todas as atenções, é o lugar onde são ordenados, conservados e consultados
todos os documentos, de forma a obter informações para uma boa gestão
da empresa. Para assegurar um bom funcionamento do arquivo é necessário
executar as tarefas com regularidade, tendo sempre em conta as regras de
ordenamento e classificação de documentos. Para que estes objectivos
sejam atingidos é necessario que:

o O elemento humano possua as qualidades pessoais e profissionais


necessárias para um funcionamento regular de acordo com as
normas;

o O Arquivo deve ser instalado em locais apropriados com material


adequado, tendo sempre em conta os principios basicos de
Ergonomia(estudo técnico das regras de adaptação entre o
trabalhador e o equipamento de trabalho);

Texto de Apoio Contabilidade Geral - 2012


II CAPITULO – OS DOCUMENTOS COMERCIAIS

o Devem ser utilizadas as classificações de documentos consideradas


racionais;

o Deve funcionar sob responsabilidade de um individuo especializado


nesta matéria que se designa por arquivista.

Existem porem, varias funções que são indispensaveis no Arquivo:

o A Recolha dos factos;


o A Classificação dos factos uteis para a gestão;
o A Conservação ordenada dos factos recolhidos e classificados;
o A Procura dos factos conservados para a consulta.

Para facilitar a consulta, normalmente os documentos são arquivados em


pastas de acordo com a sua natureza e por ordem de data, mês e ano,
ficando os mais recentes mais proximo, pois, estes são os mais consultados.

De acordo com o Plano Geral de Contabilidade nas suas paginas 5 e 6 os


comprovativos das operações registadas nos livros de contabilidade devem
ser arquivados por um periodo de Dez(10) anos.

Conclusão: O Arquivo – é o lugar onde se recolhe e guarda-se documentos,


informações de interesse. Com o objectivo de conservar e assegurar
resposta a todos os pedidos de consulta provenientes dos vários sectores de
actividades das Instituições Economicas.

2.3 – O CONTRATO

Entende-se por contrato um acordo entre duas ou mais entidades em que


nesse acordo existe um objecto ou seja algo que une as duas ou mais
entidades. Onde uma delas vai se comprometer a entregar um determinado
bem ou prestar um determinado serviço, enquanto que a outra vai se
comprometer a pagar o valor correspondente ao bem a ser entregue ou ao
serviço a ser prestado.

Existem porém,vários tipos de contratos onde se destacam os seguintes:


o O Contrato Mercantil – Artigo nº 458 do Codigo Comercial;
o Contrato de Adesão – Artigo nº 474 do Codigo Comercial;
o Compra e venda mercantil- Artigo nº 477 do Codigo Comercial;
o Contrato de Reporte – Artigo nº 487 do Codigo Comercial;
o Contrato de Fornecimento – Argtigo nº 497 do Codigo Comercil;
o Contrato de Prestação de Serviços – Artigo nº 509 do Codigo
Comercial;
o Contrato de Agência – Artigo nº 522 do Codigo Comercial;
o Contrato de Transporte – Artigo nº 557 do Codigo Comercial;

Texto de Apoio Contabilidade Geral - 2012


II CAPITULO – OS DOCUMENTOS COMERCIAIS

o Contrato de Associação em Participação – Artigo nº 600 do Codigo


Comercial;
o Contrato de Consorcio – Artigo nº 613 do Codigo Comercial.

O estudante pode observar que existe uma vasta gama de tipos de


contratos. Em Particular, na disciplina de Contabilidade Geral vamos nós
singir apenas ao Contrato de Compra e Venda de mercadorias – Onde um
dos contraentes designado por vendedor se compromete a entregar uma
determinada mercadoria e o outro contraente designado por comprador
aceita pagar o preço dessa mercadoria. Importa referir que ambas as partes
assume este compromisso depois de haver concordancia com relação a
mercadoria a ser entregue assim como o valor a ser desembolsado por essa
mercadoria(o preço).

2.3.1 – Condições do Contrato de Compra e Venda

Antes de se proceder a qualquer encomenda, é preciso questionar o


seguinte:
o O que Comprar ? – Que tipo de mercadoria deve-se comprar. Arroz,
farinha, Milho, etc..; Em que quantidades – uma tonelada, um
kilograma, cinco litros,etc..; Que qualidade de mercadoria – se for
Arroz – Xirico, Mama Africa, Ngonhama, etc...

o Em que condições? - Quantas unidades monetárias a serem


desembolsadas nesta compra/venda. 10,00Mts, USD15,00, ZAR20,00,
etc...; Quais as formas de pagamento- A pronto Pagamento, a
Credito, total ou parcial, etc...; Qual é o local de entrega da
mercadoria – na mesma praça ou em praças diferentes; Descontos e
Abatimentos – redução do preço de venda da mercadoria ou redução
do valor da divida; O prazo de entrega da mercadoria – Imediato ou
diferido.

Para eliminar as duvidas de quem paga as despesas de transporte, seguros e


a responsabilização na conservação da mercadoria, a Câmara Intrenacional
do Comércio, públicou definições que ficaram conhecidas por INCOTERMS –
Termos Internacionais do Comercio, que inclui as abreviaturas a seguir
indicadas:

o FOT (Free on Track /Livre sobre o camião) – Este termo preconiza que
a responsabilidade do vendedor é de colocar a mercadoria dentro do
camião. Podendo ser no local de expedição(partida) ou local de
destino(chegada) tendo em conta o acordo estabelecido entre as
partes e, todas as despesas até a colocação da mercadoria no camião
são da responsabilidade do vendedor. Devendo este inclui-las na
factura;

o FOR (Free on Rail/Livre sobre o vagão) – Com base neste termo, a


responsabilidade do vendedor é de colocar a mercadoria dentro do

Texto de Apoio Contabilidade Geral - 2012


II CAPITULO – OS DOCUMENTOS COMERCIAIS

vagão, podendo ser no local de expedição ou no local de destino


tendo em conta o acordo pre-estabelecido entre as partes envolvidas
no negocio e, todas as despesas suportadas pelo vendedor far-se-ao
constar na factura;

o FAS (Free Along Chip/Livre ao lado do navio) – a responsabilidade do


vendedor é de colocar a mercadoria ao lado do navio, podendo ser de
acordo com as partes, o local de Embargue ou Desembargue e, como
regra todas as despesas até a colocação da mercadoria ao lado do
navio, serem suportadas pelo vendedor para depois faze-las constar
na factura;

o FOB (Free On Board/Livre à Bordo) – A responsabilidade do vendedor


conforme este termo é de colocar a mercadoria dentro do navio no
porto de embargue(apenas local de expedição) e, todas as despesas
são por conta deste, devendo as fazer constar na factura.

o CIF (Cost, Insurance and Freight/Custo, Seguro e Frete – Livre no porto


de destino). A semelhança dos outros termos as despesas suportadas
pelo vendedor são incluidas na factura. Importa ainda realçar que
este termo admite a possibilidade de a entregue ser feita no
Armazém do comprador, nas Alfandegas, nos Armazéns Gerais ou
ainda na Entreposto.

2.3.2 – O Preço

Na fixação do preço há dois aspectos fundamentais a considerar:

o Que Moeda a Utilizar? - Se os contraentes são do mesmo pais, a


moeda a utilizar devera ser a local(a do País dos dois); Se Forem de
países diferentes, em regra deve se considerar a moada que mais
estabilidade e segurança oferece. E, caso não haja acordo mutúo
para que prevaleça a moeda mais forte entre os dois, devera se
escolher uma outra mais forte que a dos dois intervenientes.

o Que Quantidade de Moedas? – Podera ser por acordo dos contraentes;


Por Lei, quando os preços são fixados pelo governo com objectivo de
evitar especulação e garantir o consumo de certos produtos às
pessoas com menor poder de compra; Por Concurso Público - quando
é anunciado a necessidade de compra através dos orgão de
comunicação social(Televisão, Jornal Impresso e Electronico assim
como pela Radio); Por Cotação na Bolsa – Està se perante as Bolsas de
Valores ou mercados de capitais, onde os preços de aquisição de um
determinado bem é determinado na bolsa de valores(Bolsa de
Londres, Tokyo,etc...); Por Leião .- Quando os bens são lolocados em
asta-pública. Estabelece-se o preço base e o último que pagar melhor
é lhe conferido o direito de compra.

Texto de Apoio Contabilidade Geral - 2012


II CAPITULO – OS DOCUMENTOS COMERCIAIS

2.3.3 – Descontos e Abatimentos

Com o objectivo de incrementar as vendas, é corrente os vendedores,


mediante certas condições, concederem aos seus clientes descontos de
natureza comercial e ou financeiro.
Os Descontos Comerciais – são os que tem em vista á redução do preço das
mercadorias, podendo ser de Revenda - Concedidos ao revendedor para
permitir que tenha uma margem de comercialização considerável; de
Qualidade – Concedidos aos compradores quando a qualidade não
corresponde a combinada; de Quantidade – Concedidos aos compradores
que adquirirem bens acima de determinadas quantidades pré estabelecidas;
Bom Peso – que corresponde a quantidades de mercadorias não facturadas,
remetidas pelo fornecedor ao seu cliente com o objectivo de fazer face a
possíveis quebras.

Os Descontos Financeiros – são os que visam a redução do valor da divida.


Podendo ser de Pronto Pagamento – concedido ao comprador sempre que o
pagamento se efectuar no acto da entrega das mercadorias: de Antecipação
de Pagamento – concedido ao comprador quando paga antes do prazo pré
estabelecido.

Descontos Sucessivos – as que envolvem mais de que uma taxa. Por


exemplo (5% + 3%). São sucessivos porque a segunda taxa depende da
primeira ou seja para se determinar o valor da segunda taxa, é necessário
que primeiro se determina a da primeira e só depois de ter sido deduzido o
seu valor pode se determinar o valor da segunda. E, estes descontos tanto
podem ser comerciais e ou financeiros.

2.4 – FASES TRADICIONAIS E DOCUMENTOS DE COMPRA E VENDA

C 1ª FASE: ENCOMENDA – Nota de Encomenda V


O E
M 2ª FASE: ENTREGA - Guia de Remessa N
P Talão de Recepção D
R E
A 3ª FASE: LIQUIDACAO – Factura D
D Nota de Debito O
Nota de Credito
O R
R 4ª FASE: PAGAMENTO – Recibo

Texto de Apoio Contabilidade Geral - 2012


II CAPITULO – OS DOCUMENTOS COMERCIAIS

2.4.1 – 1ª Fase da Encomenda - O comprador comunica ao vendedor a


quantidade e a qualidade das mercadorias que deseja adquirir e entram em
acordo sobre as condições de entrega e de pagamento.

O documento principal nesta fase é a Nota de Ecomenda – que é um


documento onde o comprador manifesta o seu interesse em adquirir os
bens, especificando a quantidade e a qualidade das mercadorias
pretendidas.

Para além da nota de encomenda, pode-se encontrar nesta fase a Nota de


Venda, a Requisção e a Ordem de Compra;

2.4.2 - 2ª Fase – Entrega – O vendedor envia as mercadorias, dando assim a


execução da encomenda feita pelo comprador. O Documento usudo nesta
fase é a Guia de Remessa – que acompanha as mercadorias e serve para o
comprador proceder à conferência dos artigos recebidos e O Talão de
Recepção – documento que serve para o comprador certificar em que
estado recebeu as mercadorias e depois o devolve ao vendedor.

2.4.3 – 3ª Fase – Liquidação – Nesta fase determina-se o montande


envolvido na operação incluindo os impostos a serem pagos, os descontos
comerciais concedidos/obtidos e as despesas adicionais, o documento
principal é a Factura – Este é o comprovante da compra/venda e é o
documento oficial mais importante. A factura pode ser emitida até ao 5º dia
após realização da operação, por isso pode ou não acompanhar as
mercadorias.

As Facturas classificam –se em:


o Factura de Praça - Quando o vendedor e o comprador estão na mesma
praça(por exemplo ambos são de Maputo);
o Factura de Expedição – O vendedor e o comprador são de praças
diferentes.(por exemplo um esta em Maputo e o outro noutro ponto
do País);
o Factura Provisória – Quando o vendedor envia as mercadorias à
condição. Substituindo esta pela definitiva logo que o comprador
confirme as mercadorias do seu interesse;
o Factura Pró-Forma – geralmente esta é utlizada no comercio
internacional, visa essencialmente dar a conhecer ao comprador as
condições que o vendedor lhe oferece na intenção de adquirir uma
determinada mercadoria e, não tem nenhum efeito juridico legal.

Para além da factura encontramos outros documentos que visam rectificar


este em caso de alguma omição ou falha que são: A Nota de Débito – que é
um documento rectificativo da factura em beneficio do vendedor ou seja
tem em vista o aumento do valor da factura e, A Nota de Credito – que é
um documento rectificativo da factura em beneficio do comprador ou seja
visa à redução do valor da factura.

Texto de Apoio Contabilidade Geral - 2012


II CAPITULO – OS DOCUMENTOS COMERCIAIS

2.4.4 – 4ª Fase – Pagamento – Com o pagamento encerra-se o contrato de


compra e venda e, consiste na entrega pelo comprador do valor em divida
ao vendedor. O pagamento pode ser: Imediato – quando se realiza em
simultaneo com o fornecimento dos bens e serviços; Diferido – Quando se
procede o pagamento num momento direfernte ao da data da compra; Total
– quando se entrega ao vendedor todo o valor da operação, e Parcial –
Quando o pagamento é feito parcelas e em momentos diferentes.

FICHA DE TRABALHO Nº 2

1. A Sociedade MIPATO COMERCIAL, LDA, com sede na Avenida dos


vendedores nº 6070 – Maputo, NUIT 400008957, dedica-se a importação e
venda a grosso de diversos produtos, Recebeu em 02 de Fevereiro de 2009, o
documento nº 007/09, da Sociedade XHAVANI TRADING, LDA sita na
Avenida dos compradores nº 5007 – SOFALA, NUIT 600008756, que solicitava
as seguintes mercadorias:
1.800 Embalagens de Sabonete “DETTOL” @ 240,00
1.500 Embalagens de sabonete “PALMOLIVE” @ 180,00
 750 Caixas de Pasta Dentífrica “MENTADENT” @ 115,00
2.000 Unidades de Vaselina “Aloe Vera” @ 62,50
3.000 Unidades de Escovas de Dentes “Perfeito” @ 20,00

No dia 05 envia-se a mercadoria através do documento n. 008/09,


conferida a mercadoria enviada, constatou-se que a Vaselina e a pasta
dentífrica enviada foi “Monalisa” e “Aquafresh” respectivamente
(documento nº 002/09 do dia 07). Após negociações com a empresa
fornecedora, fixou-se relativamente a estes produtos um desconto de
qualidade de 4% para a Vaselina e 5% para a pasta dentífrica.

No dia 10, foi emitido o documento nº 0056/09, para liquidação da divida


que inclui o seguinte:
- Desconto de revenda de 6% + 4%.
- Desconto de quantidade p/ encomendas a partir de 1.000 unidades 5%
- Seguro marítimo................................................ 2.250,00
- Frete marítimo.................................................. 3.000,00
- Estiva portuário em Maputo.................................. 5.000,00
- IVA 17%
- Contrato FOB.

No dia 14 a empresa compradora recebeu o documento nº 020/09,


mencionando 300 caixas metálicas @ 75,00 não retornáveis onde as
mercadorias foram acondicionadas.

No dia 20 emite-se o documento nº 386597/BCI, para o pagamento de 75%


da divida, tendo em seguida sido emitido o documento º 050/09, que

Texto de Apoio Contabilidade Geral - 2012


II CAPITULO – OS DOCUMENTOS COMERCIAIS

confirma o respectivo pagamento e, o documento nº 0068/09, relativo ao


desconto de 7,5% por antecipação de pagamento.

Pretende- se:
a) Identificação de todos os documentos sublinhados.
b) Preenchimento de todos os documentos identificados. Sabendo
que todos os produtos são tributaveis.

2. A empresa NPFUNANI TRADING LDA, sediada na rua dos Coqueiros nº


765, NUIT 400025025 - Inhambane, dedica-se a venda a grosso de diversos
consumiveis, recebeu do Comerciante MAXAKA COMERCIAL,LDA, sita na
Avenida Mahanguene nº 526, NUIT 400035488 - Nacala, o documento nº
358/09 de 05 de Janeiro corrente a solicitar as mercadorias abaixo
descriminadas:
 1.200 Embalagens de Arroz “MAMA GOLD”(10Kgs) @ 220,00
 2.500 Sacos da Farinha de Milho “MPUPU” (12,5kgs) @ 75,00
 1.000 Embalagens de Açucar “CRISTAL”(20Kgs) @ 287,50
 2.000 Caixas de Sabão “MAEVA” @ 165,00

O comprador confirmou no dia 09 de Janeiro através do documento nº


076/09 , a recepção da mercadoria enviada através do documento nº
058/09, em boas condições.

No dia 11 de Janeiro foi emitido o documento nº 072/09, para a


determinação do montante do débito e, sabe-se ainda da existência das
seguintes condições:
- Desconto de revenda de 5%
- Desconto de quantidade para enc. acima de 1.100 unid. de 4% + 2%
- Seguro marítimo........................... 4.250,00
- Estiva Portuaria em Inhambane.........2.600,00
- Estiva Portuaria em Nacala.............. 2.800,00
- Trafego portuário em Nacala............1.700,00
- Tráfego portuário em Inhambane...... 2.400,00
- IVA a taxa de 17%
- O contrato CIF

No dia 13 de Janeiro o vendedor constatou não ter incluído no documento


nº 072/09 as despesas de transporte dos produtos do Armazém até ao Porto
no valor de 2.250,00, e ainda o preço da Farinha de Milho “MPUPU” que é de
95,00 e não 75,00, tendo se emitido o documento nº 028/09 para a
correcção do mesmo.

No dia 18 de Janeiro o comprador reclamou a não inclusão do desconto de


qualidade de 5%, da Fatinha de milho “MPUPU”. Tendo – se emitido o
documento nº 058/09.

No dia 22 de Janeiro, envia-se o documento nº 11005682/Mbim, para a


liquidação de 65% da divida, tendo sido emitido o documento nº 073/09,

Texto de Apoio Contabilidade Geral - 2012


II CAPITULO – OS DOCUMENTOS COMERCIAIS

confirmando o respectivo pagamento. Na mesma data, emite-se o


documento nº 023/09 relativo ao desconto de antecipação de pagamento
de 10%.

Pretende-se:
a) A Identificação de todos os documentos sublinhados.
b)O Preenchimento dos mesmos. Consulte a Lei 32/2007 quanto a
tributação ou não destes produtos no seu Artigo nº 9.

3. A SOCOMER LDA, sita na Avenida 04 de Outubro nº 575 – Maputo, NUIT


400000879, expediu conforme o documento º 272/08, de 01 de Junho de
2008, por via Rodoviária, as mercadorias constantes no documento nº
115/08, da SOMANJAR LDA, sita na Avenida Madacuane nº 3565 – Nampula,
NUIT 60004563, constituído pelas seguintes mercadorias:
• 950 Sacos de Arroz “DONA ANA” @ 265,00
• 450 Sacos de Açúcar “TSOMBELANE” @ 310,00
• 600 Caixas de sabão em pó “SURF” @ 150,00
• 500 Litros do Detergente “SUNLIHGT” @ 47,50

Em 08 de Junho, determina-se o débito, tendo sido emitido o documento nº


0321/08, que inclui:
- Desconto de qualidade para açúcar de 5.5%
- Desconto de quantidade para encomendas acima de 200 unidades 6% +
5%
- Despesas de aluguer do transporte 7,5% sobre o valor das mercadorias
- Seguro contra acidentes de 10% sobre o valor das mercadorias
- Contrato CIF
- IVA 17%

Em 12 de Junho, o fornecedor envia o documento nº 0101/08, relativo as


despesas de manuseamento das mercadorias do seu armazém para o
transporte, não incluídas no documento nº 0321/08 no valor de 3.350,00

No dia 20 de Junho, envio do documento nº 0087676/SB, para liquidação


de toda a divida, confirmado pelo documento nº 0045/08.

Pretende-se:
a) Identificação dos documentos sublinhados
b)Preenchimento dos mesmos. Os Dois ultimos produtos são tributaveis e
os dois primeiros consulte a Lei.

4. A empresa KHENSANI LDA, sita na Av. 25 de Setembro nº 1575 – Maputo,


NUIT 400098979 expediu conforme solicitação de 03 de Novembro de 2008
por via marítima, as mercadorias constantes no documento nº 119/08, do

Texto de Apoio Contabilidade Geral - 2012


II CAPITULO – OS DOCUMENTOS COMERCIAIS

COMERCIANTE TSAKANI TRADING, LDA, Rua das Flores nº 23 – Nacala, NUIT


60004563, constituídas por:
• 800 Sacos de Amendoim “PFUNA GHOPFU” @ 400,00MTN
• 600 Sacos de Arroz “SASSEKA” @ 350,00MTN
• 325 Bidões de Óleo “ GIRASSOL” (20 litros) @ 675,00

No dia 07 de Novembro, envio das mercadorias solicitadas conforme


documento nº 278/08, em que evidenciava, em relação aos produtos
solicitados, o facto de só ter-se enviado 500 sacos de Amendoim “ PFUNA
GHOPHU” por rotura de stock.

No dia 09 de Novembro o comprador confirma através do documento nº


278/08, a recepção das mercadorias enviadas em boas condições, tendo
compreendido a situação do seu fornecedor.

Em 15 de Novembro, envio do documento nº 282/08, para liquidação da


divida, tendo – se estabelecido as seguintes condições:
- Desconto de revenda de 3% + 2%
- Desconto de quantidade para encomendas a partir de 300 unidades 4%
- Despesas de transporte até ao porto de Maputo...... 3.050,00
- Seguro Marítimo............................................ 6.000,00
- Estiva portuária em Maputo...............................2.700,00
- Frete Marítimo.............................................. 3.500,00
- Estiva portuária em Nacala............................... 7.500,00
- Transporte do armazém até ao porto de Nacala.... 4.500,00
- IVA 17%
- Contrato FOB

No dia 18 de Novembro, o comprador, recebeu o documento nº 288/08,


mencionando 180 caixas metálicas @ 85,00, não retornáveis, onde as
mercadorias foram acondicionadas.

No dia 22 de Novembro, emite-se o documento nº 358/08 pela devolução


de 150 sacos de arroz por se encontrarem em más condições para o
consumo.

No dia 26 de Novembro, emite-se o documento nº 336689/FNB, para a


amortização de 2/3 da divida e o restante aceita-se o documento nº 017/08
pagável a 60 dias de data, nas seguintes condições:
- Juros à taxa de 12,5% (ano comercial)
- Comissão 2.5%
- Portes........ 100,00, tendo sido emitido o documento 423/08 para a
confirmação da liquidação da divida.

O documento 017/08 foi aceite 5 dias depois e avalizada na mesma data


pelo Ganhane. Quando faltavam 10 dias para o seu vencimento, o sacador
resolveu transferir o referido documento para o seu fornecedor Bem e Bom,
Lda.

Texto de Apoio Contabilidade Geral - 2012


II CAPITULO – OS DOCUMENTOS COMERCIAIS

Pretende-se:
a) Identificação de todos os documentos sublinhados.
b) Preenchimento dos documentos nº 282, 288, 358, 336689, 017,
423 . O amendoim é Tributavel e o restante dos produtos consulte a
Lei

NB:
- O Aceite, o aval e o endosso são completos

5. A empresa POMAR TRADING LDA, sita na Av. Do Gurue nº 1575 –


Zambézia, NUIT 4009997 expediu conforme o documento nº 127/09, de 17
de Janeiro de 2009 por via marítima, as mercadorias constantes no
documento nº 111/09, da empresa NHAMBANE TRADING, LDA, Rua dos
Fortes nº 23 – Inhambane, NUIT 40007867, constituído por:
 1.000 Caixas de óleo “BOA GENTE” @ 125,00
 2.000 Sacos de palma de coco “ MATXITXI” @ 85,00
 1.500 Sacos de arroz “SUMBI” @ 225,00
 800 Sacos de Farinha Tapioca “RHALE” @ 35,00

No dia 20 de Janeiro, a empresa compradora acusou a recepção da


mercadoria através do documento nº 0067/09, tendo reclamado a
qualidade da palma do coco pois foi enviada a “JANGAMO” e não
“MATXITXI” conforme sua solicitação.

No dia 25 de Janeiro, a empresa vendedora envia o documento nº 088/09,


para liquidação da divida, tendo se estabelecido as seguintes condições:
- Desconto de revenda de 7% + 3% para Óleo “BOA GENTE” e arroz
“SUMBI”
- Desconto de quantidade para encomendas a acima de 1.000 unidades
6%
- Desconto de qualidade conforme reclamação do comprador de 8%
- Despesas de transporte até ao porto na Zambézia...... 2.825,00
- Seguro Marítimo............................................... 6.350,00
- Estiva Portuária em Inhambane............................ 1.750,00
- Frete Marítimo................................................ 7.500,00
- Estiva Portuária na Zambézia.............................. 4.200,00
- Transporte do Porto até ao Armazém em Inhambane. 6.500,00
- IVA 17%
- Contrato CIF

No dia 28 de Janeiro, o comprador recebeu o documento nº 048/09,


mencionando 275 embalagens consideradas não retornáveis @ 65,00 onde as
mercadorias foram acondicionadas, e o preço de farinha Tapioca “RHALE”
que é de 55,00 e não 35,00 conforme documento nº 088/09.

Texto de Apoio Contabilidade Geral - 2012


II CAPITULO – OS DOCUMENTOS COMERCIAIS

No dia 02 de Fevereiro, emitiu-se o documento nº 058/09, pela devolução


de 300 sacos de palma de coco por se encontrarem em más condições para o
consumo.

No dia 05 de Fevereiro, emite-se o documento nº 0078765/SB, para


amortização de ½ da divida e o restante aceita-se o documento nº 015/09
pagável a 45 dias de data, nas seguintes condições:
- Juros a taxa de 12,5% (ano civil)
- Comissão 4%
- Portes...... 300,00, tendo sido emitido o documento nº 022/09 para
confirmação da liquidação da divida.

O documento nº 015/09 foi aceite 15 dias depois e avalizada no dia seguinte


pelo PARIHANGU LDA. Quando faltavam 5 dias para o seu vencimento o
sacador resolveu transferir os seus direitos para o seu fornecedor TSOMBA &
TSOMBA LDA.

Pretende-se:
a) Identificação de todos os documentos sublinhados
b)Preenchimento dos documentos nºs 088, 048, 058, 0078765, 015 e
022. Hipoteticamente a palma de coco e a farinha tapioca liquidam
o IVA.

NB:
- O aceite e o endosso são incompletos, o aval é completo

6. A empresa TSAKA MADALA, LDA, sita na Avenida de Nicuadala nº 025 –


Zambézia, NUIT 50006876, vendeu à empresa NHOXA MUNGANU, LDA, sita
na Av. Madender nº 89 – Gaza, as seguintes mercadorias conforme factura nº
099/08 de 27 de Julho.
 800 sacos de Feijão Manteiga “FEIJOADA” @ 220,00
 700 caixas de Sabão “LIMPA BEM” @ 120,00
 350 sacos de Farinha de Milho “BABITA” @ 75,00
 200 caixas de Sabonetes “SOFT” @ 50,00

Outras Informações:
 Embalagens não devolvíeis ................. 5.000,00
 Frete marítimo ................................ 7.500,00
 Seguro marítimo .............................. 2.000,00
 Estiva Portuária na Zambézia .............. 1.000,00
 Estiva Portuária em Gaza ................... 1.500,00
 Desconto de Revenda 8% + 2%
 Desconto de quantidade para encomendas a partir de 400
unidades 6%
 IVA 17%
 Contrato FOB

Texto de Apoio Contabilidade Geral - 2012


II CAPITULO – OS DOCUMENTOS COMERCIAIS

No dia 30 de Julho envio do Cheque nº 0088867/BCI para liquidação de 50%


do valor da Factura, tendo se emitido o recibo nº 088/08.

No dia 15 de Agosto o comprador aceitou uma letra (saque nº 6) a favor de


MUTHIANA ORERA & WAMPULA LDA, sacada a 05 dias com vencimento a 90
dias de vista, tendo em conta o desconto de 15% por antecipação de
pagamento, conforme nota de crédito nº 25/08 de 05 de Agosto. No dia 20
de Agosto, a letra foi avalizada pela empresa NHIWOMO & MAKHUERU LDA,
(aval e aceite completos).

Pretende-se:
a)Preenchimento da Letra. Sabendo que a taxa de Desconto é de 09% ano
comercial, comissão 1,5% e Portes de 250,00
b)Preenchimento do Cheque.

7. A empresa TSOMBA & KURULA LDA, sita na Av. Mufumo wa Hombe nº 879
– Maxixe, NUIT 300008979, vendeu a empresa TSOMBELA & NANDZIYA LDA,
sita na AV. Lhahisseka nº 0088 – Nampula, NUIT 60001786, as seguintes
mercadorias conforme factura nº 199/08 de 01 de Setembro de 2008.
- 500 sacos de Açúcar “GA TSOMBELA” @ 350,00MTN
- 1.000 sacos de amendoim “TIMANGA” @ 235,00MTN
- 400 caixas de sabão “GA BASSISSA” @ 125,00MTN

Outras Informações:
- Embalagens não retornáveis ................. 8.500,00
- Seguro marítimo 5% sobre o valor das mercadorias
- Desconto de quantidade para encomendas acima de 500 unidades 3%
- Contrato CIF
- IVA 17%

No dia 09 de Setembro, amortizou-se 45% do valor da divida por meio do


Cheque nº 0089675/FNB, tendo- se emitido o recibo nº 089/08.

No dia 15 de Setembro, o comprador aceitou a letra nº 07 a favor da


Empresa NATAS & MACHEl, LDA, sacada a 05 dias no valor em divida, tendo
em conta o desconto de 12,5% por antecipação de pagamento, contido na
Nota de Credito nº 99/08 de 11 de Setembro, com vencimento a 60 dias de
data. O aval é de NGUILA & MAVILA, LDA. No dia 20 de Setembro a letra foi
enbossada a empresa CHISSIBULA TRADING, LDA . (o aval, aceite e o endosso
são completos).

Pretende-se:
a) Preenchimento do cheque
b)Preenchimento da Letra. Sabendo que a taxa de desconto é de 10,5%
ano Comercial, comissão 2% e Portes 175,00

Texto de Apoio Contabilidade Geral - 2012


II CAPITULO – OS DOCUMENTOS COMERCIAIS

8. A empresa PASSAR & SABER LDA, sita na AV. Instituto Comercial nº 45 –


Maputo, NUIT 40008567, vendeu à empresa BONS ALUNOS & MELHORES
PROFISSIONAIS LDA, sita na AV. ETUGC nº 1000 – BEIRA, NUIT 30000751, as
seguintes mercadorias conforme factura nº 76/08 de 16 de Dezembro de
2008.
- 500 Caixas de sabão em pó “SURF” @ 220,00
- 700 Caixas de sabão liquido “SUNLIFE” @ 210,00
- 350 Caixas de Javel “LIMPA TUDO” @ 195,5
- 400 Caixas de sabonetes “LUX” @ 175,00

Outras informações:
- Embalagens não retornáveis................................. 1.750,00
- Frete marítimo ............................................... 2.500,00
- Seguro marítimo .............................................. 3.000,00
- Estiva Portuária em Maputo ..................................1.200,00
- Estiva Portuária na Beira .......................................1.600,00MTN
- Transporte do Armazém até ao Porto de Maputo ... 1.000,00
- Desconto de revenda 3% + 3%
- Desconto de quantidade para encomendas a partir de 400 unidades 5%
- IVA 17%
- Contrato FOB

No dia 20 de Dezembro, envio do documento nº 77785778/SOCREMO para


liquidação de 75% da factura, recibo nº 057/08.

No dia 22 de Dezembro o comprador aceitou uma letra(saque nº 3) a favor


do sacador com vencimento em 22 de Março de 2009, tendo em conta o
desconto de 10% por antecipação de pagamento, contido na nota de credito
nº 57/08 de 21 de Dezembro. No dia seguinte(23 de Dezembro) a letra foi
avalizada pelo Comerciante J & B, L.da ( Aceite e aval completos).

Pretende-se:
a) Preenchimento do cheque
b)Preenchimento da Letra. Sabendo que a taxa de Desconto é de 9,5%
ano Comercial, comissão 1,5% e Portes 250,00

9. Discuta os vários tipos de contratos apresentados no texto de apoio.

Texto de Apoio Contabilidade Geral - 2012


II CAPITULO – OS DOCUMENTOS COMERCIAIS

2.5 TÍTULOS DE CRÉDITO

São documentos representativos de credito que uma pessoa(credor) tem


sobre uma outra (devedor). Os títulos de credito são passiveis de serem
transmitidos de um credor para o outro, em muitos casos com menos
formalidades e, noutros com mais formalidades.

Nestes termos, o direito que os títulos de credito representam e,


consubstanciam, não pode ser exercido sem a posse do mesmo. Quer dizer,
se nós formos legítimos possuidores de um cheque por exemplo, e se por
eventualdade o inutilizarmos, não podemos usufruir da importância dele
constante, porque não o apresentamos ao banco sacado.

A Posse do título em si, é, pois, condição indispensavel para se exigir os


direitos nele exarados no. E é atentendo a esta caracteristica fundamental
para além de outras que os títulos tem se definidos como documentos
necessarios para se exercer o diteito literal que nele se menciona.

2.5.1 CARACTERISTICAS

Literalidade – Significa que o título só é valido por que nele estiver exarado
ou seja a validade do título só se resume no que nele estiver escrito;

Autonomia – significando que o portador do título tem um direito próprio


independentimente de quaisquer obrigações entre o primitivo credor e o
devedor.

Transmissibilidade – significa que os títulos de credito são transmissiveis de


uma entidade para outra, o que permite em alguns casos, o recebimento do
seu valor antes da data do seu vencimento.

2.5.2 CLASSIFICAÇÃO

o Quanto à especie de bens que representam

Texto de Apoio Contabilidade Geral - 2012


II CAPITULO – OS DOCUMENTOS COMERCIAIS

- TÍtulos representativos de moeda – Artigo nº 648 do Código


Comercial:

- Títulos representativos de mercadorias – Artigo nº 650 do Código


Comercial;

- Títulos representativos de participação de capital – São títulos que


conferem direitos e poderes especiais aos seus portadores. Um
exemplo típico as acções de uma determinada unidade económica,
conferem ao seu portador o direito de ser co-proprietário da mesma;

- Títulos representativos de serviços – conferindo aos seus


portadores o direito de lhes serem prestado um determinado serviço.
Exemplo bilhete de cinema ou teatro.

o Quanto à natureza dos intervenientes

- Públicos – emitidos pelas entidades públicas. Por exemplo o Estado


através da emissão de obrigações do tesouro;

- Privados - os que são emitidos pelas entidades privadas. As letras,


os cheques entre outros.

o Quanto à forma de transmissão

- Títulos nominativos – Artigo nº 697 do Código Comercial;

- Títulos à Ordem – Artigo nº 673 do Código Comercial;

- Títulos ao Portador – Artigo nº 663 do Código Comercial.

o Quanto ao Vencimento

- À Vista – pagos no momento em que são apresentados aos


respectivos devedores.

- À Prazo – pagos num prazo previamente estabelecido.

2.5.2 – TIPOS DE TÍTULOS DE CREDITOS

I. A LETRA – A analise deste título resume-se nos Artigos nº 704 a 777 do


Código comercial. Sendo vasta esta analise, importa realçar que é um
Título à Ordem sujeito a certas
_____1_____, formalidades,
___de____ pelo qual uma pessoa
2___de 20___
designada por sacador, ordena a uma outra designada por sacado, para
que lhe pague a 4si,
A_____ ou Pagara_____
______ a outra pessoa(tomador),
5____Por esta______determinada
5_____
importancia em determinada data.
Ùnica via de letra _______6____________7__________
________________________________________________

Texto de Apoio Contabilidade Geral 8


Valor_______________ ___________________________
- 2012
________________________________________________
A_____________9_________________________________
__________________
_________10______ _______11_______
II CAPITULO – OS DOCUMENTOS COMERCIAIS

MZM 3

Legenda:
1. Local de emissão da letra
2. Data de emissão da letra
3. Valor nominal da letra por algarismos
4. Vencimento da letra
5. Ordem de pagamento
6. O beneficiario da letra
7. Valor nominal da letra por extenso
8. Origem da letra
9. Nome e endereço do sacado
10.Local de pagamento da letra
11.Assinatura do Sacador

I.1 – Os Intervenientes da Letra


o O Sacador – A pessoa que dá ordem de pagamento, sacando a
letra;
o O Aceitante – A pessoa a quem é data a ordem de pagamento
da letra e, torna-se Sacado depois de aceitar a letra;
o O Tomador ou beneficiario – A pessoa a quem lhe é conferido
os direitos emergentes da letra. Esta pessoa pode ser o proprio
sacador ou uma outra pessoa indicada por este;
o O Portador – A Pessoa que apresenta a letra para o seu
pagamento.
o O Avalista – A pessoa que garante o pagamento da letra em
caso do incumprimento do sacado;
o O Endossado – A pessoa a quem o actual beneficiario lhe
transmite todos os direitos da letra.

I. 2 - Formas do Vencimento da Letra – Analisar o Artigo nº 736 do Código


Comercial.

I.3 – Requisitos da Letra – Analisar os Artigos nºs 704 e 705 do Código


Comercial.

I.4 – Operações com a Letra


o Saque – É uma ordem de pagamento dada pelo sacador ao sacado, para
que pague a si ou a uma outra pessoa indicada por este;

Texto de Apoio Contabilidade Geral - 2012


II CAPITULO – OS DOCUMENTOS COMERCIAIS

o Aceite – É o acto pelo qual o sacado se obriga a pagar a letra na data


do seu vencimento. Para mais desenvolvimentos sobre o aceite
analisar os Artigos nºs 724 a 732 do Código Comercial;

O Aceite pode ser completo quando para além da assinatura,


mencionar-se a palavra “aceite” e, é incompleto ou em branco quando
apenas tiver a assinatura.

o Endosso – acto de transmitir os direitos emergentes da letra do actual


beneficiário para uma outra pessoa ou entidade. Para mais detalhes
consultar os Artigos nºs 714 a 723 do Código Comercial;

O endosso pode ser completo quando para além da assinatura constar a


expressão “Pague-se ao Sr. Ou a Ordem de….” E, será incompleto ou em
branco quando apenas constar a assinatura.

o Aval – É uma garantia dada por um terceiro no pagamento da letra


parcialmente ou na sua totalidade caso o sacado não pague a mesma.
Analisar os Artigos nºs 733 a 735 do Código Comercial;

O aval pode ser completo quando para além da assinatura constar a


expressão “Bom para Aval” e ou outras (Dou o meu Aval, Por aval, por
garantia, dou a minha garantia…etc.) e, será incompleto ou em
branco se apenas constar a assinatura;

o Protesto – É o acto pelo qual o portador da letra intenta uma acção a


entidade competente por falta de aceite e ou por falta de pagamento
da letra. Para mais desenvolvimentos analisar os Artigos nºs 746 a 757
do Código Comercial;

Para além das operações acima descritas temos ainda o Desconto Bancário,
a Cobrança Bancária, e a Reforma de letras, matéria que será abordada com
profundidade no acto do estudo sumario das contas - contas de terceiros.

II. O CHEQUE – É um título a ordem, sujeito a certas formalidades, pelo


qual uma pessoa, que tem qualquer importância disponível numa
Instituição bancária dispõe dela total ou parcialmente. É um título a
ordem uma vez que encontramos sacador (depositário) a dar ordem ao
sacado (depositante) para que lhe pague a si ou a uma outra pessoa
indicada por este.

Logo tipo Nº da Conta do Sacador AGENCIA DO SACADO


do Nº do Cheque
Sacado
Nome do sacador
NIB: Pague por este Cheque

Texto de Apoio Contabilidade Geral - 2012


II CAPITULO – OS DOCUMENTOS COMERCIAIS

Assinaturas Local de Emissão

Data
____/________/____
A ordem de………………………………………………………………………………………………………………….
A quantia de……………………………………………………………………………………………………………….

II.1 - Requisitos Formais do Cheque – Analisar os Artigos nºs 782 e 783,


do Código Comercial;

II.2 – Modalidades de Pagamento por Cheque – Analisar o Artigos nº 786,


do Código Comercial;

II.3 – Modalidades do Cheque – Analisar o Artigo nº 787, do Código


Comercial;

II.4 - Formas de Emissão do Cheque – Analisar o Artigo nº 795, do


Código Comercial;

II.5 - Endossos e suas nulidades – Analisar os Artigos nºs 796 a 805, do


Código Comercial;

II.6 – Cheques Cruzados e Cheques a levar em conta – Analisar os


Artigos nºs 818 a 820 do Código Comercial;

II.7 - Acção por falta de pagamento – Analisar os Artigos nºs 821 a 824;

III. LIVRANÇA – É um titulo à ordem, sujeito a certas formalidades, pelo


qual uma pessoa se compromete para com outra pagar-lhe uma certa
importência em determinada data.

III.1 – Requisitos de Livrança – Analisar os nºs 778 e 779 do Código


Comercial;

III.2 – Disposições aplicáveis às livranças – Artigo nº 780 do Código


Comercial;

III.3 - Responsabilidade do subscritor da livrança - Analisar o Artigo nº


781 do Código Comercial;

IV. ACÇÃO – È um titulo representativo de fracção de participação de


capital nas Sociedades anónimas(Sociedades de Capitais).

O desenvolvimento sobre as acções deve ser analisado nos Artigos nºs 348
a 385 do Código Comercial;
Texto de Apoio Contabilidade Geral - 2012
II CAPITULO – OS DOCUMENTOS COMERCIAIS

V. OBRIGAÇÃO – A obrigação é um titulo de credito que corresponde a


uma fracção de um emprestimo.

Para mais desenvolvimentos sobre as obrigações analisar os Artigos nºs


386 a 409 do Código Comercial.

Texto de Apoio Contabilidade Geral - 2012