Você está na página 1de 12

O QUE A BÍBLIA FALA SOBRE DOUTRINA E USOS E COSTUMES

INTRODUÇÃO

O presente estudo tem por objetivo analisar brevemente algumas


regras de comportamento estabelecidas por igrejas evangélicas
brasileiras. Tais “usos e costumes” são muitas vezes postos de modo
abrupto, sem explicação bíblica, mesmo sabendo-se que o
embasamento bíblico é indispensável à conduta do cristão. Isto está
explicito no 2º artigo do credo das Assembléias de Deus no Brasil:
“Cremos... na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível
de fé normativa para a vida e o caráter cristão” (2ª Timóteo 3.14-17).

Esta declaração afirma categoricamente que o membro da AD


não deveria ter regras que não fossem das Escrituras. Entretanto, a
conduta do fiel muitas vezes é regulada pelos “usos e costumes”
estabelecidos pela tradição denominacional e não pela Bíblia.

Peço-vos que não tenham medo de abrir as Escrituras. Não


rejeitem nem aceitem o que será apresentado sem conferir na Bíblia as
referências citadas. Com a Bíblia fechada, abraçar uma idéia é cegueira,
rejeita-la é orgulho. A ordem bíblica é observar tudo e reter o que é bom.
(1ª Tessalonicenses 5.21)

Muitas igrejas têm feito todo tipo de proibições para com as


mulheres nas questões de maquiagem e adornos. Com o argumento de
que as irmãs devem ser simples como as pombas (Mateus 10.16), estas
denominações proíbem e disciplinam qualquer vestígio de enfeites feitos
pelas mulheres.

É comum escutarmos alguns irmãos falarem “minha igreja tem


doutrina, lá mulher não usa maquiagem, brincos, pulseiras, etc.”. E falam
isso com orgulho de pertencer a uma igreja que tem “doutrina”. O que há
nessas afirmações é uma confusão entre as palavras “doutrina” e
“costume”.

As vezes pessoas são disciplinadas em certas igrejas por usar ou


praticar coisas que aquela igreja julga que é proibido nas Escrituras,
quando na verdade é apenas um costume local.

Mas, você pode perguntar: existem passagens que mostram


como os homens e mulheres da Bíblia se vestiam e o que usavam? Será
que é correto hoje usar tudo o que eles usavam? A Bíblia aponta um
padrão para a vestimenta e adornos cristãos? Podem os irmãos e as
irmãs se adornarem ou é isso pecado? E aqueles versículos que estas
pessoas citam para proibir o uso de enfeites o que querem dizer?
Neste capitulo vamos estudar sobre este assunto com detalhes.
I - COSTUME E DOUTRINA

1a - Já foi dito aqui que muita gente faz confusão entre “costume” e
“doutrina”, a primeira coisa que devemos fazer é definir estes termos,
pois existe diferença:

COSTUMES. Estão ligados a usos, a uma prática habitual


particular, se baseiam na cultura e na moda vigente naquele tempo e
lugar.

DOUTRINA. No Novo Testamento, a palavra mais usada


para doutrina é DIDACHÊ e significa: ensino, instrução, tratado. Para
uma idéia ser doutrina cristã, é preciso que ela esteja exposta por todo o
texto sagrado, e seja válida para todos os cristãos, ou seja, não é apenas
algo local ou circunstancial, mas universal.

Observe a diferenças entre doutrina e costume:

- Quanto à origem: A DOUTRINA é divina. O COSTUME em si é humano.


- Quanto ao alcance: A DOUTRINA é geral. O COSTUME em si é local
- Quanto ao tempo: A DOUTRINA é imutável. O COSTUME em si é temporário.

1b - A doutrina bíblica gera bons costumes, mas bons costumes não


geram doutrina bíblica. Igrejas há que têm um somatório imenso de bons
costumes, mas quase nada de doutrina. Isso é muito perigoso. Seus
membros naufragam com facilidade por não terem a base espiritual da
Palavra de Deus, se confiam nas próprias obras e acham que estão mais
perto de Deus por não fazer ou não usar isso ou aquilo.

Qualquer tentativa de merecer a salvação por meio de nossas obras


não é apenas fútil – é impossível! “Pois qualquer que guarda toda a lei,
mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos” (Tiago 2.10). E,
ainda pior, tentar merecer a salvação é uma negação da infinita
penalidade imposta por Deus, uma rejeição do “dom inefável” de
Deus, e um repúdio ao que Cristo realizou por nós.

A palavra “doutrina” significa ensino normativo, como regra de fé e


prática.
O apóstolo Paulo aponta a importância da doutrina dizendo: “Tem
cuidado de ti mesmo e da doutrina. Persevera nestas coisas; porque,
fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem” (I
Timóteo 4.16).
“Tu, porém, fala o que convém à sã doutrina”. (Tito 2.1).
A Bíblia apresenta três formas de doutrinas:

– DOUTRINA DE DEUS: “Não defraudando, antes mostrando


toda a boa lealdade, para que em tudo sejam ornamento da doutrina de
Deus, nosso Salvador” (Tito 2.10). Outros vers. (Provérbios 4.2; Mateus
7.28; Lucas 4.32; João 7.16; Atos 2.41,42; Atos 13.12; Tito 2.1,10)

– DOUTRINA DE HOMENS: “Mas, em vão me adoram,


ensinando doutrinas que são preceitos dos homens” (Mateus 15.9).
Outros vers. (Mateus 15.9;16.12; Colossenses 2.22; Tito 1.14).

– DOUTRINA DE DEMÔNIOS: “Mas o Espírito expressamente


diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ou ouvidos a
espíritos enganadores, e doutrina de demônios” (1ª Timóteo 4.1).

A primeira – DOUTRINA DE DEUS – é necessária, mas devemos


rejeitar as duas últimas, que são perniciosas e nocivas.

II - O QUE É VAIDADE

No dicionário Aurélio de língua portuguesa, temos a seguinte definição


para a palavra vaidade:

1. Qualidade do que é vão, inútil, sem solidez nem duração.


2. Futilidade

2a - Temos que definir também esta palavra e observar como ela


aparece nas Escrituras Sagradas. É importante a gente se dar conta de
que o termo “vaidade”, em português, não significa uma preocupação
com a estética, como as pessoas pensam e usam a palavra dizendo: “ah,
ela é cheia de vaidades!” O termo “vaidade” em português provém do
latim vanitas, o sentido básico desta palavra é: “em vão”.

Vamos analisar na BÍBLIA:

1 - VAIDADE NO A. T.

a) No AT temos algumas palavras sendo usadas para vaidade. A


expressão hebel (vaidade) usada no livro do Eclesiastes 1.2; 2.11,
indica: brevidade e ausência de substância, vazio (Jó 7.16); coisa vã, que
não produz efeito (Jó 9.29); engano (Jeremias 16.19; Zacarias 10.2). A
The International Standard Bible Encyclopedia nos ajuda aqui com
esta palavra e diz que as palavras “vão”, “vaidade”, “vaidades” são
freqüentes na Bíblia. A idéia destas palavras é quase que
exclusivamente de algo “vazio” e também “falsidade”.
1ª. A palavra mais traduzida por "vaidades", ou "vaidade" no AT é
hebel, que significa um "sopro de ar, ou da boca", muitas vezes é
aplicada a:

- Idolatria (Deuteronômio 32. 21; 1ª Reis 16.13; Salmos 31.6; Jeremias


8.19); aos

- Dias do homem e ao próprio homem (Jó 7.16; Salmos 39.5,11),e


também aos

- Pensamentos do homem (Salmos 94.11); e a

- Riquezas e tesouros (Provérbios 13.11).

No livro do Eclesiastes, onde a palavra ocorre muitas vezes, é


aplicada a tudo: "Vaidade das vaidades, tudo é vaidade" (Eclesiastes 1.2;
12.8).

2ª. awen, que significa também “sopro”, é também traduzida por


"vaidade", mas em conexão com “iniqüidade” (Isaias 58.9);

3ª. Shaw é outra palavra freqüente, é traduzida por vaidade e tem


também a idéia de “falsidade, maldade” (Êxodo 20.7, Deuteronômio 5.11;
Salmos 31.6).

2 – VAIDADE NO N. T

A palavra “vaidade” não ocorre freqüentemente no NT, mas em


Atos 14.15 temos a palavra grega mataios, “vazio”, traduzida como
“vaidades” (de ídolos); encontra-se também mataiotês, como
“transitoriedade” (Romanos 8.20): “A criação ficou sujeita à vaidade”
(fragilidade, transitoriedade).

É traduzida também como: “vazio ou loucura” (Efésios 4.17; 2


Pedro 2.18).
Observe que nenhuma vez estas palavras estão sendo aplicadas a
questões de se maquiar ou usar certos adereços como brincos,
pulseiras, etc.
III - O QUE OS HOMENS E AS MULHERES DA BÍBLIA
USAVAM?

Os homens e as mulheres da Bíblia se enfeitavam e não era


pouco. Eles usavam muitos adornos em várias partes do corpo.
A seguir listamos alguns:
3a – OS HOMENS USAVAM:

· ANÉIS E COLARES (Gênesis 41.42; Êxodo 35.22; Ester 8.2;


Daniel 5. 29; Lucas 15.22);

· BRINCOS (Êxodo 32:2,3);

· BRACELETES (Êxodo 35.22; 2 Samuel 1.10);

3b – AS MULHERES USAVAM:

. PENDENTES, PULSEIRAS (Gênesis 24.22,47);

. BRACELETES, COLARES (Ezequiel 16.11);

. BRINCOS, COROA NA CABEÇA (Ezequiel 16.12);

. ANÉIS NO TORNOZELO (Isaías 3.18);

. CADEIAS PARA OS PASSOS (Isaías 3.20).

3c – Observe com atenção que as mulheres e os homens da Bíblia


usavam muitos enfeites, não havia a concepção de pecado para tal
prática. Todos podiam usar os seus adornos, se vestir bem e se enfeitar
para o dia a dia. Nas Escrituras isto nunca foi proibido.
A relação de Deus e do povo de Deus com as jóias na Bíblia é muito
interessante, preste atenção nessas passagens a seguir:

- ÊXODO 3.21,22: Deus diz que quando os israelitas saíssem da


escravidão no Egito pedissem aos egípcios jóias e roupas para seus
filhos usarem. Isso não aconteceria se os israelitas não usassem jóias e
se Deus fosse contra as mesmas.

- ÊXODO 35.4,5, 20-22, 30-35; 36.3: Veja que os objetos do Santuário


que Deus mandou Moisés construir para ser sua casa de adoração,
foram feitos com as jóias do povo.
Se jóias fossem algo pecaminoso Deus as usaria na Sua casa?
- NÚMEROS 31.50: Aqui encontramos as jóias do povo sendo usadas
como oferta expiatória para Deus. Deus aceitaria como oferta algo
pecaminoso?

- JÓ 42.11: Como presente dos seus amigos após sua restauração Jó o


homem justo e temente a Deus (Jó 1.1), recebe um monte de anéis. Para
que isso se ele não usasse?

- PROVÉRBIOS 1.8,9: O escritor de provérbios compara o ensino dos


pais que é uma coisa muito boa, com diademas e colares, ou seja,
compara com adornos, enfeites. Isto mostra que para ele os enfeites
eram coisas importantes e boas. E não podemos esquecer que ele
escrevia inspirado pelo Espírito Santo.

- PROVÉRBIOS 25.12: Uma pessoa sábia é comparada com jóias e


brincos de ouro.

- ISAÍAS 61.10: Jerusalém é representada como se fosse uma mulher,


que está recebendo as bênçãos de Deus, e estas bênçãos são
comparadas com enfeites, com as jóias de uma noiva.

- EZEQUIEL 16.1-14: Este texto é maravilhoso e esclarecedor. Deus


compara Jerusalém com uma mulher, e como se Ele fosse um esposo
que está feliz com sua mulher, lhe dá todo tipo de jóias, e ainda diz que
ela enfeitada está com a gloria dele refletida.

- APOCALIPSE 21.1,2: A Nova Jerusalém, que é um símbolo da Igreja


glorificada, é comparada a uma noiva quando se enfeitava para o
casamento.

3d – Será que se as jóias fossem algo que Deus abomina e que os


cristãos não deveriam usar o Senhor faria as comparações que
acabamos de ler em sua Palavra, e daria e receberia as mesmas de seu
povo? É óbvio que não. Todas estas passagens mostram que nas
Escrituras nada existe de proibições com respeito as jóias, e que o povo
da Bíblia as usava normalmente.

IV - E AQUELE TEXTO?

Existem alguns textos que são muito usados por algumas pessoas
para condenar o uso de jóias pelos cristãos, a pergunta é: o que estes
textos querem dizer? Vamos analisá-los.

4a – ISAÍAS 3.16-26: As vezes alguns mais desavisados também usam


estes versículos para manter suas proibições. É um uso mal feito, pois se
esse texto estivesse proibindo as jóias para as mulheres, estaria
proibindo também:

· VÉUS (19);
· CINTOS (20);
· ANÉIS (21);
· ROUPAS CARAS, CAPAS E BOLSAS (22);
· ESPELHOS, ROUPAS DE LINHO, XALES (23);
· PERFUMES, PENTEADOS, ROUPAS CARAS (24).

Mas, logo se vê que as pessoas que usam esta passagem para


proibir as jóias, não proíbem as outras coisas. Usam de dois pesos e
duas medidas.

O que este texto que dizer então?

4b – É o seguinte: o profeta Isaias está dando uma sentença contra as


mulheres de Jerusalém (vers.16), dizendo que Deus iria tirar tudo aquilo
que cita delas, não porque aquilo fosse pecado, mas porque elas
estavam cometendo outro pecado, o pecado da arrogância e do orgulho
(vers.16).

A retirada de todos estes objetos delas seria uma forma de castigo,


tudo seria parte do julgamento de Deus sobre Jerusalém da qual fala
todo este capítulo 3.

Temos aqui um fato circunstancial, referente a situação das


mulheres de Jerusalém, um fato descritivo (descreve um acontecimento),
e não prescritivo (não prescreve, nem ordena uma doutrina).

Compare esta passagem com Ezequiel 16.1-14, onde Deus feliz


com Jerusalém lhe dá jóias de todos os tipos e roupas finas como
bênção. Tirar os ornamentos para o povo de Israel era sinal de tristeza
(Êxodo 33.1-6); receber ornamentos era sinal de bênçãos (Isaías 61.10;
Apocalipse 21.1-2).

4c – 1ª TIMÓTEO 2.9,10; 1ª PEDRO. 3.1-4: Estas duas passagens


também têm sido usadas por alguns para proibir os adornos femininos,
mas não é isso o que está escrito nelas. Vamos analisar:

1ª: No primeiro texto (1ª TIMÓTEO 2.9,10) o apóstolo Paulo não


está proibindo o uso de jóias, nem os penteados para as mulheres, ele
está fazendo um contraste entre dois tipos de beleza, a interior e a
exterior.

Ele diz que a verdadeira beleza não deve está por fora, nas jóias e
ornamentos que as mulheres usavam, mas por dentro, na espiritualidade,
na santidade. A mulher não deveria pensar em se enfeitar e se esquecer
da parte espiritual, deve fazer uma, mas faça principalmente a outra. Ele
reflete sobre as prioridades do cristão, como em 1ª TIMÓTEO 4.8:
“Porque o exercício corporal para pouco aproveita, mas a piedade para
tudo é proveitosa, tendo a promessa da vida presente e da que há de
vir”.

É claro que Paulo não desaconselha o exercício físico, mas


mostra que a pessoa deve se exercitar na santidade antes de tudo. Toda
leitura de um texto assim deve ser feita com cuidado, levando em conta
seu contexto, se não for assim iríamos da mesma forma, achar que o
apóstolo estaria proibindo o casamento em 1ª CORÍNTIOS 7.27: “Estás
ligado à mulher? não busques separar-te. Estás livre de mulher? não
busques mulher”. Mas, não é isso que ele faz.

2ª: Na segunda passagem (1ª PEDRO 3.1-4), se Pedro estivesse


lançando uma proibição contra o uso de jóias pelas mulheres, porque ele
usa como exemplo de santidade as mulheres do AT (vers. 5,6)? Pois
como já vimos, elas usavam muitas jóias.
Ora, se Pedro tivesse aqui sendo contra o uso de jóias pelas
mulheres, não usaria como exemplo quem as usava!

Ele não está proibindo as jóias, mas dizendo que o que deve
ser notado é a beleza interior (vers.4). É como se hoje disséssemos a
uma noiva bem vestida: “Que a sua pureza e beleza esteja no seu
coração e não na brancura e adornos de seu vestido”.
Isso não significa que ela não deva vestir-se de noiva! O
curioso é que o texto também fala de “frisado de cabelo” e “vestimentas
belas”. Porque será que aqueles que proíbem as jóias não proíbem de
pentear os cabelos e de usarem roupas bonitas?

Como entender o texto então? O que temos aqui são


expressões idiomáticas (HEBRAÍSMOS) como as seguintes:

· “Assim não fostes vós que me enviastes para cá, senão Deus, que me
tem posto por pai de Faraó, e por senhor de toda a sua casa, e como
regente em toda a terra do Egito”. (GÊNESIS 45.8). Veja no verso 4 que
foram os irmãos de José mesmo que o venderam.

· “Pois não desejas sacrifícios, senão eu os daria; tu não te deleitas em


holocausto. Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um
coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus”. (SALMOS
51.16,17). Mas veja o verso 19, e também ÊXODO 29; LEVÍTICO 22.17-
33, onde o próprio Deus é quem estabelece os sacrifícios.

· “Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que
permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; porque
a este o Pai, Deus, o selou” (JOÃO 6.27). Estaria Jesus proibindo o
trabalho? É claro que não.
Quando os autores bíblicos escrevem assim, eles estão querendo
colocar ênfase em certos detalhes que não podem ser esquecidos em
certas práticas, mas não estão negando nada. Por exemplo:

- Em GÊNESIS 45.8, José não estava dizendo que os seus irmãos eram
inocentes de sua ida ao Egito como escravo, mas sim afirmando que
ANTES dos irmãos dele fazerem o plano, Deus já havia feito.

- Em SALMO 51.16,17, Davi não está dizendo que Deus não aceitava
sacrifícios, pois o AT está cheio de ordenanças a este respeito
(LEVÍTICO 1-7), mas está dizendo que ANTES de sacrifícios Deus
queria o coração contrito.

- Em JOÃO 6.27, João não está dizendo que pessoas não devem
trabalhar pela comida material, ANTES que se preocupe com a comida
espiritual em primeiro lugar.

Portanto, nas duas passagens analisadas não há proibição do


uso de ornamentos pelas mulheres, mas que ANTES elas saibam que a
sua beleza deve está no interior, na vida espiritual dedicada, e não
apenas no exterior, no que elas usam.

V - QUAL O CRITÉRIO DO CRISTÃO AO SE VESTIR E SE


ADORNAR?

Depois de tudo o que foi dito fica a pergunta então; devemos


fazer tudo o que os homens e mulheres da Bíblia faziam; usar tudo o que
usavam? Para responder a mesma temos que prestar atenção ao
seguinte:

5a – A Bíblia foi escrita em um determinado contexto e cultura onde


havia muitos costumes diferentes dos nossos, assim nem tudo o que
está na Bíblia é para fazer.

Observe:

1 – GÊNESIS 16 – Sara a esposa de Abraão, por ser estéril, dá


empregada para que seu marido se deite com ela e gere um filho;

2 – ÊXODO 21.7 – O pai podia vender a filha;

3 – ÊXODO 21.16,17; LEVÍTICO 20.9 – Amaldiçoar ou ferir os pais era


passível de pena de morte;
4 – LEVÍTICO 23 – Era obrigado celebrar as festas da Páscoa, Primícias,
e o Dia da Expiação;

5 – DEUTERONÔMIO 21.15-17 – Homens podiam ter mais de uma


esposa;

6 – DEUTERONÔMIO 21.18- 21 – Filhos desobedientes deveriam ser


mortos;

7 – DEUTERONÔMIO 22.13-21 – Mulher que casasse e ficasse provado


que não era mais virgem deveria ser apedrejada até a morte;

8 – DEUTERONÔMIO 25,5-10 – Se um homem casado morria sem ter


deixado filhos, o seu irmão casava com sua esposa, era a lei do Levirato;

9 – DEUTERONÔMIO 26.12-15- Quem dava o dízimo deveria fazer uma


oração prescrita para todos.

Estes eram costumes do povo e da Lei de Israel, mas não são


nossos. Ali eram aceitáveis, mas não são aceitáveis hoje, pois como já
vimos costumes mudam de povo para povo e de época para época.

Assim, devemos ao ler a Bíblia saber diferenciar o que é um


costume local, que dentro daquela sociedade era permitido e aceitável, e
o que não é aceitável em nossa sociedade.

5 b – Observe este fato interessante:

– 1ª CORÍNTIOS 11.4-16: Em Corinto, era proibido às mulheres


cortarem o cabelo, e os homens de terem os cabelos crescidos. Mas, em
Israel era normal aos homens terem longos cabelos (JUÍZES 13.1-5; 2
SAMUEL14.26);

– 1ª CORÍNTIOS 11.5: Aqui em Corinto as mulheres podiam


profetizar e orar nos cultos, e profetizar também era ensinar (1ª
CORÍNTIOS 14.31), mas em Éfeso onde Timóteo estava, elas não
podiam fazer nada disso (1ª TIMÓTEO 2.11,12).
Acontecia assim porque estas duas cidades tinham costumes diferentes.

5 c – Todo cristão deve saber que deve respeitar a cultura na qual está
inserido, se ela não fere a doutrina bíblica (1ª CORÍNTIOS 10.32). Assim,
no caso de usos e costumes devemos saber se tal costume no país em
que vivemos é aceito ou não.
Como a sociedade olha quem pratica tal coisa? Olha como cristão?
Sendo práticos: homens de brincos no Brasil são vistos como cristãos
pela sociedade? Mulheres com brincos pendurados no nariz são vistas
como cristãs?
Agora todos nós sabemos que a sociedade não vê nada de errado em
uma mulher cristã se adornar com seu brinco na orelha, ou seu colar ao
pescoço.

5d – Existem algumas coisas que devem ser observadas pelo cristão


quando for se vestir e se adornar com seus enfeites. Não se deve usar
tudo que a moda oferece, quando se for usar algo se deve fazer algumas
perguntas:

– Isto que estou usando serve para a glória de Deus (1ª CORÍNTIOS
10.31)?

– Isto que estou usando me faz ser causa de escândalo para crentes ou
descrentes (ROMANOS 14.13-16,21; 1ª CORÍNTIOS 10.32)? Muitas
coisas podem não ser pecado, mas para evitar o escândalo não
devemos fazer (1ª CORÍNTIOS 10.23-31);

– Isto que estou usando mostra que sou santo (1ª PEDRO 1.14,15)?

– Isto que estou usando Jesus usaria (1ª JOÃO 2.6)?

– Isto que estou usando mostra que meu corpo é templo do Espírito
Santo (1ª CORÍNTIOS 6.18-20)?

O cristão deve adotar a modéstia em todo o seu procedimento, se


não adota o comedimento saiba que peca. O bom senso deve ser
praticado pelos crentes no que usam como trajes ou adornos, sob pena
de fazer do templo de Deus que é o seu corpo, um templo profano. Ao
usar uma roupa ou adorno pense sempre no outro, e se aquilo está
escandalizando o nome de cristão ou não. Que tipo de templo você é?

EXPLICANDO OUTROS TEXTOS:

A. DEUTERONÔMIO 22.5 – Igrejas têm usado esta passagem


para condenar o uso de calças compridas por mulheres.
A explicação que dão é que calças são roupas de homem, e, portanto,
são proibidas aqui para as mulheres. O que estas pessoas não dizem é
que na época em que este texto foi escrito as roupas eram semelhantes
para homens e mulheres. Os judeus todos usavam vestidos e túnicas,
homens e mulheres, a distinção dos sexos não estava no tipo de roupa,
pois todos usavam vestidos, mas estava nos tamanhos e cores.
B. A palavra hebraica no texto que é traduzida por roupa é o
hebraico “simlâh”, a mesma palavra que é traduzida por “capa’ em
Gênesis 9.23. Esta palavra significa: capa, manto, envoltório, vestuário,
de homem ou de mulher; especialmente uma grande roupa exterior.

Assim, o texto não se refere a calças, mas a estilos de capas,


vestimentas que distinguiam-se por tamanho, cores e detalhes; e não por
tipo.

Portanto, não se proíbe aqui o uso de calças por mulheres, pois


se ela usa uma calça de modelo feminino não há problema, assim como
na Bíblia os homens usavam vestido, mas de modelo masculino. O texto
proíbe o travestismo, homem como mulher e mulher como homem.

C. MATEUS 10.16 – Este texto não fala nada sobre usos e


costumes. Fala dos problemas que os apóstolos enviados por Jesus iam
passar, e Jesus está mostrando como eles deveriam enfrentar estes
problemas. É só ler todo o capitulo 10 de Mateus. Portanto quem usa
este texto para tentar falar de usos e costumes na igreja está falsificando
as Escrituras.

CONCLUSÃO

a) As Escrituras estão fartas de textos que provam que os


adornos usados pelo povo de Deus, não eram proibidos. Alguns tentam
usar a Bíblia erradamente para tentar proibi-los, alegando que tudo isso é
vaidade. É bom notar que na bíblia a palavra vaidade nunca esteve
ligada ao uso de adornos pelas pessoas.

b) Os cristãos estão livres para se adornarem, mas observando o


principio da modéstia. Devem saber que são diferentes, que devem ser
santos. Se o que usam os transforma em motivo de escândalo ou de
descrédito para com sua vida espiritual, estão em erro. Glorificar a Deus
com seu corpo; este é o critério básico para o comportamento cristão.

__________________________________________________________

SE DESEJAR MAIS ESTUDOS ENTRE EM CONTATO COM NOSSO MINISTÉRIO

E-MAIL: pr.huperetes@hotmail.com

(47) 9 9664-1485 (WHATSAPP)

MARANATA!
MINISTÉRIO HUPERETES
PALAVRA, FOGO E PODER!
Pr. GELSON L. H. DA ROSA

Você também pode gostar