Você está na página 1de 10

Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe

Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe

O documento a seguir foi juntado aos autos do processo de número 0601004-91.2018.6.25.0000


em 11/12/2018 16:20:06 por WALKELINE FRAGA DIAS
Documento assinado por:

- WALKELINE FRAGA DIAS

Consulte este documento em:


https://pje.tre-se.jus.br:8443/pje-web/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam
usando o código: 18121116194774300000000707009
ID do documento: 711068
JUSTIÇA ELEITORAL
PRESTAÇÃO DE CONTAS - ELEIÇÕES 2018

PROCESSO Nº: 06010049120186250000


ASSUNTO: PRESTAÇÃO DE CONTAS RELATIVA À ARRECADAÇÃO E APLICAÇÃO DE RECURSOS
FINANCEIROS NA CAMPANHA ELEITORAL DE 2018.
PRESTADOR : JOÃO BOSCO DA COSTA - 2233 - DEPUTADO FEDERAL - SERGIPE
CNPJ : 31.233.972/0001-50 Nº CONTROLE: 022330600000SE0498042
DATA ENTREGA: 06/12/2018 às 14:18:59 DATA GERAÇÃO: 07/12/2018 às 17:31:22
PARTIDO POLÍTICO: PR TIPO: FINAL - RETIFICADORA

PARECER TÉCNICO CONCLUSIVO

Submete-se à apreciação superior novo relatório dos exames efetuados sobre a prestação
de contas em epígrafe, relativas às eleições de 2018, abrangendo a arrecadação e aplicação de recursos
utilizados na campanha, à luz das regras estabelecidas pela Lei n.º 9.504, de 30 de setembro de 1997, e
pela Resolução TSE n.º 23.553/2017, em razão de determinação do Excelentíssimo Juiz Relator (ID
668518) e da juntada de documentos realizada por meio da Prestação de Contas Retificadora
022330600000SE0498042 (ID’s 651668, 651718, 651768, 651818 e 651868).

Os documentos acima referidos destinam-se ao esclarecimento das inconsistências que


serviram de fundamento para a manifestação de desaprovação consignada no Parecer ID 519068.
Registramos, a seguir, a conclusão do exame realizado:

I – DAS INCONSISTÊNCIAS CONSIDERADAS NO PARECER CONCLUSIVO (ID


519068)

OCORRÊNCIA 1 – FORMALIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS

ITEM 1.1.1 - Descumprimento de prazo de entrega de relatórios financeiros (art. 50, I, da Resolução
TSE nº 23.553/2017).

MANIFESTAÇÃO DO PRESTADOR APÓS PARECER CONCLUSIVO: Não há.

EXAME/CONCLUSÃO: O descumprimento de prazo configura falha insanável. Assim sendo, resta mantida
a conclusão do Parecer ID 519068.

CONCLUSÃO: A ocorrência apontada caracteriza falha que compromete a regularidade


plena da prestação de contas do candidato, em virtude de descumprimento ao disposto no
art. 50, I, da Resolução TSE 23.553/2017.

ITEM 1.2.1 Ausência de peças obrigatórias

MANIFESTAÇÃO DO PRESTADOR APÓS PARECER CONCLUSIVO: Por meio dos documentos de IDs
651668, 651718, 651768 e 651818 foram apresentadas as seguintes peças:
a) Demonstrativo de Receitas/Despesas assinado pelo prestador de contas e pelo profissional de
contabilidade (ID 651818)1.

b) Extrato da conta bancária destinada à movimentação de recursos do Fundo Partidário (conta bancária
nº 300004186-2, agência 59-0, banco 104) referente ao período de 20/9/18 a 30/10/18. Registra
movimentação financeira.

c) Extrato da conta bancária destinada à movimentação de recursos do Fundo Especial de Financiamento


de Campanha – FEFC (conta bancária nº 300004185-4, agência 59-0, banco 104) referente ao período de
23/8/18 a 26/10/18. Registra movimentação financeira.

d) Extrato da conta bancária destinada à movimentação de Outros Recursos (conta bancária nº


300004187-0, agência 59-0, banco 104), referente apenas ao período de 1/10/18 a 1/11/18. Não registra
movimentação de recursos no período.

e) Documentos referentes a diversos gastos eleitorais realizados com recursos do Fundo Partidário e do
Fundo Especial de Financiamento de Campanha (ID 651718).

EXAME/CONCLUSÃO: O exame dos documentos registrados e enviados através da PC retificadora nº


022330600000SE0498042 revelou que não foram apresentadas as seguintes peças que devem integrar a
prestação de contas segundo o disposto no art. 56 da Resolução TSE 23.553/2017:

a) Comprovante de recolhimento à respectiva direção partidária das sobras financeiras de campanha


relativas aos recursos do Fundo Partidário (art. 56, inciso II, alínea b, da Resolução TSE 23.553/17).
• Importa registrar que a prestação de contas registra que a sobra de campanha referente a este
recurso totaliza R$ 356,78 (trezentos e cinquenta e seis reais e setenta e oito centavos).

b) Comprovante de recolhimento ao Tesouro Nacional dos recursos do FEFC não utilizados (art. 56, inciso
II, alínea b, da Resolução TSE 23.553/17).
• Importa registrar que a prestação de contas registra que a sobra de campanha referente a este
recurso totaliza R$ 833,88 (oitocentos e trinta e três reais e oitenta e oito centavos).

c) Não foram apresentados todos os documentos referentes aos gastos eleitorais realizados com recursos
do Fundo Partidário e do FEFC (art. 56, inciso II, alínea c, da Resolução TSE 23.553/17). O exame
evidenciou que restaram sem a devida comprovação as despesas efetuadas no montante de R$ 317.645,00
(trezentos e dezessete mil, seiscentos e quarenta e cinco reais), que representam 17,96% do total de
despesas contratadas e pagas pelo candidato (R$ 1.768.809,34), conforme detalhado no Anexo I deste
Parecer.

Observa-se que a ausência dos referidos documentos/informações é relevante e compromete a


regularidade das contas, pois em relação aos gastos eleitorais identificados no Anexo I deste Parecer não
há elementos que comprovem que a aplicação dos recursos disponibilizados para a campanha do candidato
se deu em conformidade com as regras previstas na Resolução TSE 23.553/2017.

Ante o exposto, tendo em vista que a ocorrência apontada compromete o exercício da fiscalização pela
Justiça Eleitoral, resta configurada irregularidade grave que enseja a desaprovação das contas, em razão
da ausência de informações/documentos essenciais ao exame, nos termos do art. 77, §§1º e 3º, Res. TSE
23.553/2017.

OCORRÊNCIA 2 - OMISSÃO DE RECEITAS E GASTOS ELEITORAIS

ITEM 2.1 - Doações recebidas de outros candidatos com informações divergentes nas prestações de
contas dos doadores, revelando inconsistência nas informações declaradas na prestação de contas
em exame (art. 31, § 3º da Res. TSE 23.553/2017.)

1 O demonstrativo de ID 651818 supre a ausência do Extrato da prestação de contas visto que possuem informações/dados
semelhantes.
MANIFESTAÇÃO DO PRESTADOR APÓS PARECER CONCLUSIVO: Não há.

EXAME/CONCLUSÃO: A PC retificadora nº 022330600000SE0498042 não apresenta alterações de


dados/informações relacionadas à ocorrência citada. Desta forma, resta mantida a conclusão do Parecer ID
519068:

CONCLUSÃO: A ocorrência apontada caracteriza falha que compromete a regularidade


plena da prestação de contas do candidato, pois denota a ausência de consistência e
confiabilidade nas informações relativas a doações efetuadas pelo candidato.

ITEM 2.2 - Dados constantes da prestação de contas (identificação de fornecedores) divergentes da


base de dados da Receita Federal.

MANIFESTAÇÃO DO PRESTADOR APÓS PARECER CONCLUSIVO: Não há.

EXAME/CONCLUSÃO: A PC retificadora nº 022330600000SE0498042 não apresenta alterações de


dados/informações relacionadas à ocorrência citada. Desta forma, resta mantida a conclusão do Parecer ID
519068:

CONCLUSÃO: A ocorrência apontada configura inconsistência grave, geradora de


potencial desaprovação, que denota a ausência de consistência e confiabilidade nas
contas prestadas, uma vez que as informações registradas dos fornecedores não foram
validadas pela base de dados da Receita Federal, resultando na ausência de
fidedignidade dos dados apresentados na prestação de contas.

ITEM 2.3 - Transferências de recursos realizadas pelo candidato a outros candidatos com
informações divergentes nas prestações de contas dos beneficiários

MANIFESTAÇÃO DO PRESTADOR APÓS PARECER CONCLUSIVO: Não há.

EXAME/CONCLUSÃO: A PC retificadora nº 022330600000SE0498042 não apresenta alterações de


dados/informações relacionadas à ocorrência citada. Desta forma, resta mantida a conclusão do Parecer ID
519068:

CONCLUSÃO: Inconsistência grave envolvendo a transferência de recursos financeiros


oriundos do FEFC para outros candidatos que enseja a desaprovação das contas, pois
denota a ausência de consistência e confiabilidade nas contas prestadas, uma vez que
submetidas a outros elementos de controle, hábeis a validar/confirmar as informações
prestadas, resultaram na impossibilidade de atestar sua fidedignidade.

ITEM 2.4. Declaradas, por outros candidatos, transferências recebidas do prestador de contas em
exame, mas não registradas na sua prestação de contas (art. 31, § 3º c/c art. 34, § 1º,II)

MANIFESTAÇÃO DO PRESTADOR APÓS PARECER CONCLUSIVO: Não há.

EXAME/CONCLUSÃO: A PC retificadora nº 022330600000SE0498042 não apresenta alterações de


dados/informações relacionadas à ocorrência citada. Desta forma, resta mantida a conclusão do Parecer ID
519068:

CONCLUSÃO: A ocorrência apontada caracteriza falha que compromete a regularidade


plena da prestação de contas do candidato, pois denota a ausência de consistência e
confiabilidade nas informações relativas a doações de recursos estimáveis em dinheiro
para outros candidatos.
ITEM 2.5 - Omissões e divergências relativas às despesas constantes da prestação de contas em
exame e aquelas constantes da base de dados da Justiça Eleitoral, obtidas mediante confronto com
notas fiscais eletrônicas de gastos eleitorais (art. 56, I, g, da Resolução TSE 23.553/2017)

MANIFESTAÇÃO DO PRESTADOR APÓS PARECER CONCLUSIVO: Não há.

EXAME/CONCLUSÃO: O exame de documentos registrados na PC retificadora nº


022330600000SE0498042 e de informações extraídas do módulo FISCALIZA JE/SPCE evidenciou que não
houve omissões de despesas, mas apenas registros/lançamentos equivocados na prestação de contas
apresentada. Desta forma, resta elidida a falha apontada no Parecer ID 519068.

OCORRÊNCIA 3 – AUSÊNCIA DE DOCUMENTOS COMPROBATÓRIOS DE DESPESAS EFETUADAS E


PAGAS COM RECURSOS DO FUNDO PARTIDÁRIO (art 56, II, alíneas ‘a’ e ‘c’, DA RESOLUÇÃO TSE
N° 23.553/2017)

MANIFESTAÇÃO DO PRESTADOR APÓS PARECER CONCLUSIVO: Documentos comprobatórios de


despesas efetuadas com recursos do Fundo Partidário anexados ao documento de ID 651718.

EXAME: A documentação apresentada não abrange todas as despesas efetuadas e pagas com recursos do
Fundo Partidário. O exame evidenciou que restaram sem a devida comprovação os gastos eleitorais
referentes a 87 (oitenta e sete) despesas, no montante de R$ 259.645,00 (duzentos e cinquenta e nove mil,
seiscentos e quarenta e cinco reais), que representa 14,68% do total de despesas contratadas e pagas pelo
candidato (R$ 1.768.809,34), conforme detalhado no Anexo I deste Parecer.

CONCLUSÃO: A falha referente a ausência de documentos comprobatórios de despesas efetuadas e


pagas com recursos do Fundo Partidário é relevante e compromete a regularidade das contas, pois não há
elementos que comprovem que a aplicação de parte dos recursos públicos disponibilizados para a
campanha do candidato se deu em conformidade com as regras previstas na Resolução TSE 23.553/2017.

Ante o exposto, tendo em vista que a ocorrência apontada compromete o exercício da fiscalização pela
Justiça Eleitoral, resta configurada irregularidade grave que enseja a desaprovação das contas, em razão
da ausência de informações/documentos essenciais ao exame, nos termos do art. 77, §§1º e 3º, Res. TSE
23.553/2017.

Além disso, a ausência de comprovação da utilização dos recursos do Fundo Partidário impõe a devolução
do valor correspondente ao Tesouro Nacional - R$ 259.645,00 (duzentos e cinquenta e nove mil, seiscentos
e quarenta e cinco reais) - conforme procedimento previsto no art. 82, § 1º da Resolução TSE 23.553/2017.

OCORRÊNCIA 4 – AUSÊNCIA DE DOCUMENTOS COMPROBATÓRIOS DE DESPESAS EFETUADAS E


PAGAS COM RECURSOS DO FUNDO ESPECIAL DE FINANCIAMENTO DE CAMPANHA - FEFC (art 56,
II, alíneas ‘a’ e ‘c’, DA RESOLUÇÃO TSE N° 23.553/2017)

MANIFESTAÇÃO DO PRESTADOR APÓS PARECER CONCLUSIVO: Documentos comprobatórios de


despesas efetuadas com recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) anexados ao
documento de ID 651718.

EXAME: A documentação apresentada não abrange todas as despesas efetuadas e pagas com recursos do
Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC). O exame evidenciou que restaram sem a devida
comprovação os gastos eleitorais referentes a 29 (vinte e nove) despesas, no montante de R$ 58.000,00
(cinquenta e oito mil reais), que representa 3,28% do total de despesas contratadas e pagas pelo candidato
(R$ 1.768.809,34), conforme detalhado no Anexo I deste Parecer.

CONCLUSÃO: Conforme já assinalado, a falha referente a ausência de documentos comprobatórios de


despesas efetuadas e pagas com recursos do FEFC é relevante e compromete a regularidade das contas,
pois não há elementos que comprovem que a aplicação de parte dos recursos públicos disponibilizados
para a campanha do candidato se deu em conformidade com as regras previstas na Resolução TSE
23.553/2017.

Ante o exposto, tendo em vista que a ocorrência apontada compromete o exercício da fiscalização pela
Justiça Eleitoral, resta configurada irregularidade grave que enseja a desaprovação das contas, em razão
da ausência de informações/documentos essenciais ao exame, nos termos do art. 77, §§1º e 3º, Res. TSE
23.553/2017.

Além disso, a ausência de comprovação da utilização dos recursos do Fundo Partidário impõe a devolução
do valor correspondente ao Tesouro Nacional - R$ 58.000,00 (cinquenta e oito mil reais) - conforme
procedimento previsto no art. 82, § 1º da Resolução TSE 23.553/2017.

OCORRÊNCIA 5 - EXTRAPOLAÇÃO DO LIMITE DE GASTOS REFERENTE AO ALUGUEL DE


VEÍCULOS AUTOMOTORES (art. 45, da Resolução TSE 23.553/2017)

MANIFESTAÇÃO DO PRESTADOR APÓS PARECER CONCLUSIVO: Não há.

EXAME/CONCLUSÃO: Conforme já mencionado desde o Relatório Preliminar (ID 335418), as despesas


com aluguel de veículos automotores, num total de R$ 485.350,00 (quatrocentos e oitenta cinco mil,
trezentos e cinquenta reais), extrapolaram o limite de 20% do total dos gastos de campanha, num total de
R$ 2.098.809,34, em R$ 65.588,13 (sessenta e cinco mil quinhentos e oitenta e oito reais e treze centavos).

Quadro 1 – Valor da despesa com aluguel de veículos automotores


Valor declarado de despesas com aluguel de veículos R$ 287.950,00
automotores pagas com FP
Valor declarado de despesas com aluguel de veículos R$ 197.400,00
automotores pagas com FEFC
FONTE: Relatório de Despesas Efetuadas

A PC retificadora nº 022330600000SE0498042 não apresenta alterações de dados/informações


relacionadas à ocorrência citada. Desta forma, resta mantida a conclusão do Parecer ID 519068:

CONCLUSÃO: A extrapolação do limite com locação de veículos automotores se


configura como falha grave. Com efeito, não obstante o valor excedente represente
apenas cerca de 3% em relação ao total dos gastos de campanha contratados, importa
ressaltar que o montante de R$ 65.558,13 (sessenta e cinco mil quinhentos e oitenta e
oito reais e treze centavos) não é inexpressivo e que para o pagamento de tais gastos
eleitorais foram utilizados recursos públicos (Fundo Partidário e FEFC). Ante o exposto, a
irregularidade apontada enseja a desaprovação das contas, bem como a utilização
indevida do referido montante sujeita o candidato à devolução do valor correspondente
ao Tesouro Nacional (art. 82, § 1º da Resolução TSE 23.553/2017).

OCORRÊNCIA 6 – AUSÊNCIA DE EXTRATOS BANCÁRIOS DAS CONTAS ABERTAS PARA A


MOVIMENTAÇÃO DE RECURSOS ARRECADADOS/APLICADOS NA CAMPANHA

MANIFESTAÇÃO DO PRESTADOR APÓS PARECER CONCLUSIVO: Extratos bancários anexados ao


documento de ID 651768.

EXAME/CONCLUSÃO: Os extratos bancários das contas abertas para movimentação dos recursos
oriundos do Fundo Partidário (Banco 104, Ag. 59-0, nº 300004186-2) e do FEFC (Banco 104, Ag. 59-0, nº
300004185-4) foram apresentados em sua forma definitiva e abrangem todo o período da campanha
eleitoral, em conformidade com o disposto no art. 56, II, alínea "a", da Resolução TSE nº 23.553/2017.
Entretanto, cumpre assinalar que o extrato da conta bancária aberta para a movimentação de Outros
Recursos (Banco 104, Ag. 59-0, nº 300004187-0) não abrange todo o período da campanha eleitoral, pois
se refere apenas ao período de 1/10/18 a 1/11/18. Cabe registrar, entretanto, que o extrato bancário
incompleto não prejudicou o exame das contas, pois o extrato eletrônico da referida conta bancária oriundo
do SPCE aponta que não houve movimentação financeira no período da campanha eleitoral.

Não obstante esta conclusão, cabe consignar que a ocorrência apontada caracteriza falha que compromete
a regularidade plena da prestação de contas do candidato, em virtude de descumprimento ao disposto no
art 56, Inciso II, alínea a, da Resolução TSE 23.553/17.

OCORRÊNCIA 7 – AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO DO RECOLHIMENTO DAS SOBRAS DE


CAMPANHA

MANIFESTAÇÃO DO PRESTADOR APÓS PARECER CONCLUSIVO: Não há.

EXAME/CONCLUSÃO: Consta da prestação de contas a informação de que houve sobras financeiras de


campanha no valor de R$ 1.190,66 (um mil cento e noventa reais e sessenta e seis centavos), originárias de
recursos do Fundo Partidário e do FEFC, conforme discriminado no Quadro 2.

Quadro 2 – Resumo das sobras de campanha declaradas


Origem - Fundo partidário R$ 356,78
Origem - FEFC R$ 833,88

Registre-se que não consta da documentação apresentada na PC retificadora nº 022330600000SE0498042


os comprovantes referentes ao recolhimento das sobras de campanha declaradas pelo candidato. Desta
forma, resta mantida a conclusão do Parecer ID 519068:

CONCLUSÃO: 1) A não comprovação da transferência do saldo de FEFC ao Tesouro


Nacional configura irregularidade grave geradora de potencial desaprovação, uma vez
que a ausência de recolhimento pode revelar a apropriação indevida dos recursos pelo
prestador de contas (art. 53, § 5º da Resolução TSE 23.553/2017); e
2) A Não comprovação da transferência das sobras não financeiras de
campanha à respectiva direção partidária configura irregularidade grave, geradora de
potencial desaprovação, uma vez que a ausência de recolhimento pode revelar a
apropriação indevida dos recursos pelo prestador de contas (art. 56, II, ‘a’ da Resolução
TSE 23.553/2017).

OCORRÊNCIA 8 - AUSÊNCIA DE INFORMAÇÕES RELATIVAS A DOAÇÕES RECEBIDAS (RECURSOS


ESTIMÁVEIS) NA PRESTAÇÃO DE CONTAS PARCIAL

MANIFESTAÇÃO DO PRESTADOR APÓS PARECER CONCLUSIVO: Não há.

EXAME/CONCLUSÃO: A ausência de informações relativas a doações recebidas (inclusive recursos


estimáveis) na prestação de contas parcial configura falha insanável. Desta forma, resta mantida a
conclusão do Parecer ID 519068:

CONCLUSÃO: A ausência de informações relacionadas ao recebimento de doações de


recursos estimáveis em dinheiro, oriundas de outros candidatos, nas prestações de
contas parciais caracteriza falha que compromete a regularidade plena da prestação de
contas do candidato.
OCORRÊNCIA 9 - AUSÊNCIA DE INFORMAÇÕES REFERENTES A GASTOS ELEITORAIS NA
PRESTAÇÃO DE CONTAS PARCIAL

MANIFESTAÇÃO DO PRESTADOR APÓS PARECER CONCLUSIVO: Não há.

EXAME/CONCLUSÃO: A ausência de informações relativas a gastos eleitorais na prestação de contas


parcial configura falha insanável. Desta forma, resta mantida a conclusão do Parecer ID 519068:

CONCLUSÃO: Considerando que a omissão dos referidos gastos eleitorais na


prestação de contas parcial totaliza R$ 369.700,00 (trezentos e sessenta e nove mil e
setecentos reais) - representando 17,61% do total das despesas contratadas pelo
candidato – resta configurada irregularidade grave, geradora de potencial desaprovação
das contas.

II – DO EXAME DOS GASTOS ELEITORAIS COM BASE NOS DOCUMENTOS


APRESENTADOS E DO EXAME DA MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA REGISTRADA
NOS EXTRATOS ELETRÔNICOS.
A prestação de contas registra que o valor de recursos utilizados na campanha totalizou R$ 2.129.439,34
(dois milhões, cento e vinte e nove mil quatrocentos e trinta e nove reais e trinta e quatro centavos),
distribuído entre os gastos eleitorais discriminados no Quadro 3.

Quadro 3 – Resumo dos gastos eleitorais declarados


Espécie de Valor das despesas Valor das despesas Valor total dos %
despesa pagas com recursos do pagas com recursos gastos
Fundo Partidário (R$) do FEFC (R$) eleitorais (R$)
Cessão ou locação 287.950,00 197.400,00 485.350,00 22,79%
de veículos 2
Publicidade por 4.978,00 424.620,00 429.598,00 20,17%
adesivos
Serviços prestados 6.000,00 346.000,00 352.000,00 16,53%
por terceiros
Doações financeiras 80.000,00 250.000,00 330.000,00 15,50%
a outros candidatos/
partidos
Despesas com 202.500,00 85.000,00 287.500,00 13,50%
pessoal
Combustíveis e 53.100,22 10.996,12 64.096,34 3,01%
lubrificantes
Encargos sociais 31.295,00 - 31.295,00 1,47%
Publicidade por 17.100,00 13.390,00 30.490,00 1,43%
carros de som
Diversas a 720,00 27.300,00 28.020,00 1,32%
especificar
Locação/cessão de - 17.500,00 17.500,00 0,82%
bens móveis (exceto
veículos)
Comícios 6.000,00 10.080,00 16.080,00 0,76%
Produção de jingles, 12.450,00 12.450,00 0,58%
vinhetas e slogans
Pesquisas ou testes 10.000,00 - 10.000,00 0,47%
eleitorais
Publicidade por - 4.430,00 4.430,00 0,21%
materiais impressos
Quadro 3 – Resumo dos gastos eleitorais declarados
Espécie de Valor das despesas Valor das despesas Valor total dos %
despesa pagas com recursos do pagas com recursos gastos
Fundo Partidário (R$) do FEFC (R$) eleitorais (R$)
Recursos de outros - - 29.301,00 1,38%
candidatos -
Publicidade por
adesivos
Recursos de outros - - 1.129,00 0,05%
candidatos -
Publicidade por
materiais impressos
Recursos de outros - - 200,00 0,01%
candidatos -
Diversas a
especificar
Valor da despesa R$ 699.643,22 R$ 1.399.166,12 R$ 2.098.809,34 98,56% 1
contratada/paga
Valor dos recursos estimáveis em dinheiro oriundos de doações de R$ 30.630,00 1,44% 1
outros candidatos
Valor total dos recursos utilizados na campanha R$ 2.129.439,34
¹ Representatividade da variação encontrada em relação ao valor total dos gastos eleitorais
2
Os gastos com Cessão ou locação de veículos compreendem 73 itens de despesas. Constam dos autos documentos referentes a
40 itens de referidas despesas. Dentre os 40 itens foi verificado que 36 contratações firmadas incluem veículos com
condutor/motorista.

O valor das despesas pagas após a eleição totalizou R$ 47.295,00 (quarenta e sete mil, duzentos e
noventa e cinco reais), representando 2,67% do valor total das despesas contratadas (R$ 1.768.809,34),
conforme registrado no Demonstrativo das Despesas Pagas Após a Eleição.

A avaliação das despesas de campanha registradas nos demonstrativos de ID 651668 da PC retificadora foi
efetuada com base na documentação constante dos documentos de ID 651718 e 651768 e dos extratos
eletrônicos disponibilizados pelo SPCE-WEB. Após o exame dos referidos documentos foram identificadas
as irregularidades abaixo relacionadas:

1) O exame dos extratos eletrônicos (em anexo) evidencia que os pagamentos das despesas indicadas nos
Anexos II (no total de R$ 202.850,00) e III (no total de R$ 50.450,00) não estão devidamente identificados.
Com efeito, verifica-se que os cheques apresentados à instituição financeira não estão identificados na
CONTRAPARTE com os CPFs/CNPJs/NOMES dos fornecedores. Observa-se que nos campos destinados
ao registro da CONTRAPARTE - de todos os 132 (cento e trinta e dois) pagamentos registrados nos
Anexos II e III – constam os dados de terceiros.

A medida de identificação do CPF/CNPJ do fornecedor está prevista no art. 14, inciso II da Res. TSE
23.553/17 como requisito obrigatório para as instituições bancárias e é extremamente relevante pois permite
o controle/fiscalização dos recursos financeiros arrecadados na campanha através da identificação exata
dos beneficiários dos pagamentos efetuados pelos candidatos.

A falta de identificação dos fornecedores nos extratos eletrônicos caracteriza falha grave, pois impossibilita
a confirmação/validação de que os fornecedores indicados nos Anexos II e III foram os beneficiários dos
pagamentos declarados na prestação de contas e que totalizam R$ 253.300,00 (duzentos e cinquenta e
três mil, trezentos reais), ensejando a desaprovação das contas.

2) O responsável pelos cheques emitidos das contas bancárias 30004186-2 e 30004185-4 (MARIA
RIVANDETE ANDRADE) não está identificado na Ficha de Qualificação como responsável pela
administração dos recursos de campanha, contrariando o disposto no art. 56, inciso I, alínea a, da
Resolução TSE 23.553/17.
III - CONCLUSÃO DO REEXAME DA PRESTAÇÃO DE CONTAS

Ao final, considerando o resultado dos exames técnicos empreendidos na prestação de contas, além de
terem sido constatadas as impropriedades apontadas nos ITENS 1.1.1, 2.1 e 2.4 e OCORRÊNCIAS 6 e 8,
geradoras de ressalvas, verificou-se que o conjunto das falhas indicadas nos ITENS 2.2 e OCORRÊNCIA
9, bem como a existência das irregularidades graves registradas nos ITENS 1.2.1 e 2.3 e OCORRÊNCIAS
3, 4, 5 e 7 e no TÓPICO II ensejam a DESAPROVAÇÃO DAS CONTAS.

Aracaju(SE), 11 de dezembro de 2018.

Walkeline Fraga Dias


Comissão de Análise de Contas Eleitorais

Supervisão.

Veroni Júnior Caetano de Oliveira


Chefe da Seção de Exame de Contas Eleitorais e Partidárias

Ana Maria Rabelo de Carvalho Dantas


Coordenadora de Controle Interno e Auditoria