Você está na página 1de 3

Quatro pregos, e três cordas.

Eram suficientes para atar a mão e os


pés de um homem banal de aproximadamente trinta e três anos. A sua
feição serena tão pouco expressava o seu coração e o que estivera sentindo
ao longo desses anos.
- Foram trinta ou mais extensos anos. – pensou.
Balbuciava para si mesmo algumas palavras. Sua cabeça erguida aos
céus e teu olhar ao alto , embora não estivesse a admirar a lua, mostrava
que estava consigo mesmo e isolado do estar. As pessoas não
compreendiam ao certo a fé desse homem, mas ela parecia tão verdadeira
que tais, ao longo do tempo, apenas aceitavam e persignavam a cada
oração repetida. E por muito tempo assim se é.
A dor já parecia não chegar mais de tanto que foi sofrida,com tais
pensamentos, quem passara a sofrer era a dor que era forçada a machucar
um ser. As horas passavam lentamente para quem estava de fora, alguns
estavam lá apenas para assistir ao espetáculo. Mas dentro dele, as horas se
passavam rápidamente e se perdia entre tantos pensamentos. Já tinham se
passado onze horas desde que fora estendido e posto naquele lugar.
Quando finalmente pusera sua cabeça abaixo pôde observar que sua
vida era posta a cada pingo que escorria dos seus abismos cravados com
pregos.
- Somos todos, incluindo eu, pessoas em processo de evolução. Não
sou um santo, não sou perfeito, sou um nada. Sou uma pessoa que estás a
procura de te ajudar. Não existe verdade absoluta.- era um pensamento.
Quisera ter dito isso para cada um de seus discípulos mas agora já era
tarde, toda sua energia já encerrara .Este fora seu maior arrependimento.
Já não olhava mais para sua poça, a tal estivera olhando ele. Tivera
se formado com cada gota do sangue de um homem comum, que estivera a
um passo de mudar o mundo. Suas últimas palavras não foram escutadas.
Um momento de silêncio ocorreu, quebrado por um grito e baixas
lamúrias que podiam ser escutadas de duas mulheres, com lenços sobre a
cabeça, e doze homens. Cada um deles permaneceram ali por todo tempo-
sofrimento que tivera se encerrado... agora.
De sua venturas e aventuras, fora criado uma coleção de livros
pequenos e tal frase fora reduzido em um pequeno vocábulo: “Bíblia”. Dela
se tomou o começo e o final e se foi tomado como a verdade. Mas dela não
se fora escutada as últimas palavras daquele homem.
“Não existe verdade absoluta.”
E assim se foi o homem mais perfeito e imperfeito daquele tempo e
por um bom tempo. Mas não do tempo que está por vir. Outros viram, e as
últimas palavras serão pronunciadas. Então se haverá um grito que
quebrará todo esse silêncio que ocorreu até agora e pessoas escutaram as
últimas palavras. E então se ouvirá as outras Leis!
Amor é a lei, amor sob vontade

Todo homem e toda mulher é uma estrela.

Faze o que tu queres há ser toda a Lei.

Um momento de silêncio ocorreu, quebrado por um grito e baixas


lamúrias que podiam ser escutadas de duas mulheres, com lenços sobre a
cabeça, e doze homens. Cada um deles permaneceram ali por todo tempo-
sofrimento que tivera se encerrado... agora.

De sua venturas e aventuras, fora criado uma coleção de livros


pequenos e tal frase fora reduzido em um pequeno vocábulo: “Bíblia”. Dela
se tomou o começo e o final e se foi tomado como a verdade. Mas dela não
se fora escutada as últimas palavras daquele homem.

<p align="center">“Não existe verdade absoluta.”</p>

E assim se foi o homem mais perfeito e imperfeito daquele tempo e


por um bom tempo. Mas não do tempo que está por vir. Outros viram, e as
últimas palavras serão pronunciadas. Então se haverá um grito que
quebrará todo esse silêncio que ocorreu até agora e pessoas escutaram as
últimas palavras. E então se ouvirá as outras Leis.

<p align="center">Amor é a lei, amor sob vontade


Todo homem e toda mulher é uma estrela.

Faze o que tu queres há ser toda a Lei.</p>