Você está na página 1de 43

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS

CENTRO DE TECNOLOGIA

Gestão de Resíduos Sólidos (ECIV 066)


Resíduos Sólidos (EAMB 049)

Ivete Vasconcelos Lopes Ferreira


Dezembro/2012
Fotógrafo capta carcaça de albatroz 'recheado' de objetos
plásticos no atol de Midway, no Pacífico

http://noticias.br.msn.com/fotos/galeria-bbc.aspx?cp-documentid=26372244&page=5
Acesso em 16.11.2010
RECICLAGEM DE PLÁSTICO

Plástico: material de alto peso molecular, em geral de natureza orgânica, que


pode ser modelado mediante aplicação de calor, pressão ou ambos,
simultaneamente.

Do grego plastikós, significa adequado à moldagem.

É fabricado a partir de resinas (polímeros), geralmente sintéticas e


derivadas do petróleo.
RECICLAGEM DE PLÁSTICO

Representam apenas 4 a 7 % em massa, mas ocupam de 15 a 20 % do


volume do lixo (baixa densidade), o que contribui para o aumento dos
custos de coleta, transporte e disposição final.

Principais problemas em lixões e aterros:

•liberação de gases tóxicos durante a queima indevida e sem


controle.
Ex. PVC  cloro (que origina ác. clorídrico  corrosivo) e dioxinas
(tóxicas e cancerígenas);

•ocupam grande volume, dificultam a compactação;

•formam uma camada impermeável dificultando a troca de líquidos e


gases gerados na biodegradação de matéria orgânica.
Problemas em lixões e aterros
VAZADOURO MACEIÓ (2006)
RECICLAGEM DE PLÁSTICO

São divididos em duas categorias:

Termofixos: uma vez moldados não podem ser fundidos e moldados


novamente, portanto não oferecem condições para reciclagem.
Representam 20% do total consumido no país.
Ex. baquelite (interruptores), poliuretano (PU) e (poli)acetato de etileno
vinil (EVA), poliésteres, peças utilizadas na mecânica em geral e
especificamente na indústria automobilística. etc

Termoplásticos: podem ser moldados várias vezes. Quando


aquecidos a temperaturas adequadas, amolecem, fundem e podem ser
novamente moldados. Não sofrem alterações em sua estrutura química
durante o aquecimento.
Ex. PEBD, PEAD, PVC, PS, PP, PET, poliamidas (nylon), etc.

90 % do consumo
SIMBOLOGIA

A simbologia mais
utilizada para plástico
segue a Norma NBR 13230
da ABNT (Simbologia
indicativa de reciclabilidade
e identificação de materiais
plásticos).

 É importante para
orientar os programas de
coleta seletiva,
especialmente catadores e
sucateiros.
CARACTERÍSTICAS DOS DIFERENTES TIPOS DE PLÁSTICO
POLITEREFTALATO DE ETILENO
•Alta densidade (afunda na água);
•Muito resistente;
•Amolece à baixa temperatura (80°C);
•Utilizado no Brasil em embalagens de refrigerantes
gasosos, óleos vegetais, água mineral, etc.

POLIETILENOS DE BAIXA E DE ALTA DENSIDADE


•Baixa densidade (flutuam na água);
•Amolecem à baixa temperatura (PEBD = 85°C e PEAD =
120°C);
•Queimam como vela, liberando cheiro de parafina;
•Superfície lisa e "cerosa".
•Ex.: PEAD – embalagem de amaciante, shampoo.
PEBD – sacos de leite, de adubo.
CARACTERÍSTICAS DOS DIFERENTES TIPOS DE PLÁSTICO

POLICLORETO DE VINILA
•Alta densidade (afunda na água);
•Amolece à baixa temperatura (80°C);
•Queima com grande dificuldade, liberando um cheiro
acre de cloro;
•É solubilizado com solventes (cetonas). Ex. tubos e
conexões

POLIPROPILENO
•Baixa densidade (flutua na água);
•Amolece à baixa temperatura (150°C);
•Queima como vela, liberando cheiro de parafina;
•Filmes, quando apertados nas mãos, fazem barulho
semelhante ao celofane.
•Ex. potes de margarina, embalagens de massas e
biscoitos (filme).
CARACTERÍSTICAS DOS DIFERENTES TIPOS DE
PLÁSTICO
POLIESTIRENO
•Alta densidade (afunda na água);
•Quebradiço;
•Amolece à baixa temperatura (80 a 100°C);
•Queima relativamente fácil, liberando fumaça preta
com cheiro de “estireno”;
•É afetado por muitos solventes.
•Ex. copos descartáveis e caixas de CD’s /fitas
cassetes, gabinetes de aparelhos de som e TV.

OUTROS
RECICLAGEM DE PLÁSTICOS

RECICLÁVEL NÃO RECICLÁVEL

•potes de todos os tipos,


•sacos de supermercados,
•cabos de panela,
•embalagens para alimentos,
•Plásticos Filme •botões de rádio,
•vasilhas, •tomadas,
•Mistura de papel, plástico e •canetas,
metais •bijuterias,
•Peças de brinquedos •espuma,
•recipientes e artigos domésticos, •adesivos,
•tubulações e garrafas de PET, •celofanes
que convertida em grânulos é •embalagens a vácuo,
usada para a fabricação de
cordas, fios de costura, cerdas de
vasouras e escovas.
RECICLAGEM DE PLÁSTICO NO BRASIL

• Cerca de 19 % dos plásticos foram reciclados no Brasil


em 2010, representando aproximadamente 953 mil
toneladas por ano.

•Em 2010 o Brasil foi colocadao na nona posição


mundial na reciclagem dos plásticos, atrás da Alemanha
(34%), Suécia (33,2%), Bélgica (29,2%), Itália (23%).
Composição gravimétrica da Coleta Seletiva no Brasil (CEMPRE, 2012)
TIPOS DE RECICLAGEM DO PLÁSTICO
1. Reciclagem primária ou pré-consumo: É feita com os materiais
termoplásticos provenientes da própria indústria geradora dos resíduos
(artefatos defeituosos, aparas) ou por outros transformadores.
Praticamente 100% desses resíduos são reciclados e a qualidade dos
produtos é quase sempre a mesma daquela obtida com uso de resinas
virgens.
2. Reciclagem secundária ou pós-consumo: É feita a partir do plástico
proveniente da coleta seletiva, lixões, sucatas, etc. Exige uma boa
separação pela diversidade de materiais e resinas. A coleta seletiva
evita a contaminação do material.
3. Reciclagem terciária: É a conversão de resíduos plásticos em produtos
químicos e combustíveis por processos termoquímicos (pirólise). Por
esse processo, os materiais plásticos são convertidos em matéria-
primas que podem originar novamente as resinas virgens ou outras
substâncias de interesse para a indústria como óleos e combustíveis.
Ainda não é utilizada em alta escala devido ao alto custo.
PROCESSOS DE RECICLAGEM DO PLÁSTICO
1. Com a separação dos plásticos por tipo de resina
Separação  separação em uma esteira dos diferentes tipos de
plásticos, (PEAD, PEBD, PVC, PP, PS, PET, outros) de acordo com a
identificação ou com o aspecto visual. Nesta etapa são separados
também rótulos de diferentes materiais, tampas de garrafas e produtos
compostos por mais de um tipo de plástico, embalagens metalizadas,
grampos, etc.

Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias -


INPEV
Trituração Após separados os diferentes tipos de plásticos,
estes são moídos e fragmentados em pequenas partes.

Lavagem e secagem  Após triturado, o plástico passa por


uma etapa de lavagem com água para a retirada dos
contaminantes. Depois é seco.
PROCESSOS DE RECICLAGEM DO PLÁSTICO

Aglutinação  Cesto rotativo. O atrito dos fragmentos contra a


parede do equipamento rotativo provoca elevação da temperatura,
levando à formação de uma massa plástica. O aglutinador também
é utilizado para incorporação de aditivos, pigmentos e lubrificantes.

Extrusão  A extrusora funde e torna a massa plástica


homogênea. Na saída da extrusora, encontra-se o cabeçote, do qual
sai um "espaguete" contínuo, que é resfriado com água. Em seguida,
o "espaguete" é picotado em um granulador e transformando em
pellet (grãos plásticos)  granulação

Transformação  transformação em novo artefato.


Extrusora

Resfriamento com água


INPEV
granulação

pellet
PRODUTOS DA RECICLAGEM

Corda de PET Corda PEAD

Caixa para fiação elétrica Conduítes


FLUXOGRAMA DE RECICLAGEM DO PLÁSTICO

Processos de Reciclagem de Plástico


PROCESSOS DE RECICLAGEM DO PLÁSTICO

2. Sem separação das resinas: reaproveitamento de misturas de


plásticos. Esta alternativa exige alto investimento em equipamentos
especiais para a obtenção de produtos de boa qualidade.

Trituração  lavagem  secagem  aglutinação  Extrusão /


Injeção / Prensagem.

molde
BENEFÍCIOS DA RECICLAGEM DE PLÁSTICO

1. Redução do volume de lixo coletado  aumento da vida útil do aterro


sanitário.
2. Economia de energia e de matéria-prima (petróleo). A maioria dos
plásticos é derivada do petróleo: 1 kg de plástico = 1 kg de petróleo.
3. Geração de empregos (catadores, sucateiros, operários das
recicladoras, etc).
4. Menor preço para o consumidor. Artefatos produzidos com plástico
reciclado são 30% mais baratos do que com matéria prima virgem.
5. Melhoria no processo de decomposição de matéria orgânica nos
aterros sanitários. Melhor circulação de líquidos e gases pela não
existência de camada impermeável formada por materiais plásticos.
(mostrar foto)
DIFICULDADES NA RECICLAGEM DO PLÁSTICO

1. Elevado custo da coleta seletiva


2. Escassez de empresas interessadas em comprar o material
separado
3. Grandes distâncias entre o município e o mercado comprador
4. Dificuldade em separar corretamente os diversos tipos de plástico
5. Dificuldade em garantir o fornecimento contínuo de matéria-prima
de boa qualidade aos compradores.
COMERCIALIZAÇÃO DO PLÁSTICO RECICLADO

1. Plástico misturado: os plásticos separados dos outros materiais


que compõem o lixo pela triagem (catação) manual na esteira de
catação. Após separação, o material é embalado em sacos
plásticos, prensados, amarrados e rotulados.
2. Plástico separado por tipo de resina, durante a triagem
(catação) manual. No processo, cada operário é responsável pela
retirada de apenas 1 ou 2 tipos de plástico. Após separados por
tipo de resina, os plásticos são prensados, enfardados,
amarrados e identificados.
3. Plástico triturado: depois da separação por tipo de resina os
plásticos são triturados em moinhos de facas, numa
granulometria adequada, ensacados e identificados.
4. Plástico aglutinado. Após trituração os plásticos são lavados
com água, secos em um “batedor” com “sopradores” de ar e
adensados em um aglutinador (cesto rotativo que ao girar aquece
o plástico por atrito). Depois é resfriado ao ar, ensacado e
identificado.
COMERCIALIZAÇÃO DO PLÁSTICO RECICLADO

5. Plástico granulado ou peletizado: Após aglutinado o material passa


pela extrusora onde é fundido, homogeneizado e obrigado a passar por
uma matriz com diversos orifícios dos quais sairão os fios de plástico
(espaguetes). Os fios são resfriados em água fria, e cortados em pedaços
de 2 a 3 mm em um granulador. O material granulado (pellets) é
ensacado e identificado.

NÃO DEVEM SER MANUFATURADOS COM PLÁSTICO RECICLÁVEL:


•Embalagens de alimentos;
•Produtos farmacêuticos e hospitalares;
•Alguns tipos de brinquedos.
unesp
UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA
CAMPUS DE GUARATINGUETÁ
FACULDADE DE ENGENHARIA

MADEIRA PLÁSTICA (Nascimento e Cesar)

Produto cuja composição principal é plástico reciclado e se destina a


usos tradicionais da madeira, podendo ter ou não uma separação dos
tipos de plásticos previamente e recebendo ou não limpeza no
processamento; pode ser fabricado tanto em moldagem por prensagem,
injeção ou extrusão.

Usada na construção civil como escoras, formas de concreto,


tábuas e sarrafos, bancos de jardim, mourões de cerca, etc.

Vantagens: não apodrece, não apresenta nós nem farpas, é resistente a


água salgada e imune ao ataque de cupins e outros insetos. Sendo assim,
apresenta qualidades superiores à madeira comum beneficiando a
construção civil
Resíduos Plásticos
MADEIRA PLÁSTICA

Moinho Aglutinador

Misturador
Fluxograma de produção de
madeira plástica
Injetora

Modelagem
MADEIRA PLÁSTICA

Plástico moído
Plástico pré-moído

Aglutinador: Possibilita aglomerar o


material, reduzindo seu volume. A
aglutinação ocorre pelo atrito das facas
no material e por atrito entre os
materiais;
MADEIRA PLÁSTICA

Injetora: tem a função de Modelagem: tem a função de


aquecer e injetar o modelar o plástico injetado
material plástico nos conforme o molde, o produto que
moldes se deseja.
MADEIRA PLÁSTICA

Bancos, mesas, cadeiras de


madeira plástica
MADEIRA PLÁSTICA

Arquibancada construída com Madeira Plástica


MADEIRA PLÁSTICA
www.ecoblock.ind.com.br
Deck

Pallets
Banco

http://globotv.globo.com/globo-news/cidades-e-solucoes/v/plasticos-
descartaveis-sao-transformados-em-madeira-plastica/2254586/
Propriedades Mecânicas
Na Tabela pode-se comparar os resultados de algumas propriedades
mecânicas do aço 1020, da Madeira Plástica, da Madeira Jatobá e do
Cedro Amargo.
Prorpiedades Ferro Maderia Jatobá Cedro
Fundido Plástica Amargo
Mecânicas
ASTM A-
48

Densidade [kg/m³] 7200 1061 1074 504


Resistência à Tração
(paralela às fibras) [MPa] 170,00 10,82 157,5 58,1
Resistência à Tração
(normal às fibras) [MPa] 170,00 10,82 3,2 3,0
Resistência à compressão
(paralela às fibras) [MPa] 650,00 19,87 93,3 39,0
Módulo de Elasticidade
(longitudinal em Tração) 70,00 1,29 23,61 9,84
[GPa]
Preços comparativos de Madeira Plástica e madeira comercial

Preços (R$)
Dimensões
Perfil Madeira Cedro
(cm) Cedrinho
Plástica Rosa
20x4 30,00 65,00 24,00

9x7 25,00 51,00 19,00

Diam. 4 7,00 10,00 4,00

Diam. 6 13,00 22,00 12,00


www.ecoblock.ind.com.br

Você também pode gostar