Você está na página 1de 24

Mecânica

Descomplicada

MÓDULO 3
Sumário
Unidade 7 | Sistema de Freios 3

1. Sistema de Freios 5

2. Comando Hidráulico 7

3. Freios a Disco 8

4. O ABS como Item de Segurança 8

Glossário 10

Atividades 11

Referências 12

Unidade 8 | Luzes Indicadoras e Instrumentos do Painel 13

1. Painel de Instrumentos 15

2. Motor, Freios, Bateria, Temperatura e Óleo 16

3. Lâmpadas, Faróis, Lanternas e Pisca-alerta 17

4. Alertas de Funcionamento dos Equipamentos Básicos 18

5. Limpadores e Desembaçadores 19

6. Itens Opcionais 19

Glossário 21

Atividades 22

Referências 23

2
UNIDADE 7 | SISTEMA DE FREIOS

3
Unidade 7 | Sistema de Freios

Fonte: www.shutterstock.com

ff
Como funciona o sistema de freios? Qual a maneira correta
de acionar os freios? Já ouvir falar dos freios ABS? Como eles
funcionam?

Todos sabem da importância dos freios na condução de veículos. Situações inesperadas,


sinal fechado, curvas, cruzamentos, diversas situações no dia a dia nos obrigam a acionar
os freios. Para isso, precisamos entender como eles funcionam e como devem ser mantidos,
garantindo seu perfeito funcionamento.

4
1. Sistema de Freios

Os freios são os elementos mais importantes e mais lembrados quando se fala em


condução segura. Eles são projetados de maneira que ofereçam ao veículo uma
capacidade de desaceleração muitas vezes maior do que sua capacidade de aceleração
natural. Ainda assim, mesmo que tenha freios regulados e com elevada capacidade de
desaceleração quando precisa frear, o veículo ainda percorre certa distância antes de
conseguir parar por completo.

Durante o período de tempo em que o motorista reage ao estímulo – cerca de dois


terços de segundo na maioria dos casos–, o automóvel percorre uma determinada
distância chamada distância de reação. As principais causas são:

a) o motorista não freia o carro no mesmo instante em que vê o perigo. Mesmo que
seja mínimo, sua reação leva algum tempo;

b) como o carro está se deslocando em velocidade, mesmo depois de aplicado o


freio, ele precisa se deslocar até parar.

Quando ocorre a frenagem, uma parte do peso do veículo é transferida para frente
e acrescentada à carga a que estão sujeitas as rodas da frente, reduzindo-se assim a
carga sobre as de trás. Quando se aplicam os freios a fundo, a transferência de peso
é maior, tendendo as rodas de trás a bloquear-se, o que, frequentemente, provoca
derrapagem lateral da parte de trás do automóvel.

VELOCIDADE CONSTANTE SITUAÇÃO DE FRENAGEM

Em velocidade constante, o peso do Quando os freios são acionados, o peso é


veículo se distribui de maneira uniforme deslocado para a parte dianteira. Quanto
entre a parte traseira e a parte dianteira. mais brusca a frenagem, maior o efeito.

5
Em praticamente todos os veículos atuais, o pedal do freio aciona hidraulicamente
os freios. A ligação mecânica por meio de tirantes ou cabos ou por meio de ambos
está reservada para o sistema de freio de mão, normalmente utilizado apenas após a
parada do automóvel. O sistema hidráulico de freios apresenta várias vantagens sobre
um sistema acionado mecanicamente: é silencioso, flexível, autolubrificado e assegura
a aplicação de forças de frenagem automaticamente igualadas em ambos os lados do
automóvel.

As rodas dianteiras exigem pressão maior para serem imobilizadas (lembre-se de que o
peso do veículo se desloca para a parte dianteira quando ocorre a frenagem). Nas rodas
dianteiras, o atrito se dá entre as pastilhas de freio e os discos que se movimentam
junto com as rodas. Nas rodas traseiras, a fricção ocorre entre as lonas de freios e os
tambores. Por serem peças muito importantes para o funcionamento adequado dos
freios, se alguma delas estiver desgastada, troque-a por uma nova imediatamente.

Os freios funcionam por meio de um sistema de mangueiras

ee
flexíveis e de pequenos tubos de metal por onde circula o
fluido de freios. Esse líquido, que apresenta alta resistência ao
calor, transmite a pressão exercida no pedal de freios até as
rodas, gerando atrito necessário para pará-las.

O pedal de freio está ligado ao cilindro mestre por uma haste curta. Quando o
motorista pressiona o pedal, a haste faz mover o pistão no interior do cilindro mestre,
empurrando o fluido hidráulico para os cilindros do freio nas rodas, que acionam os
freios. Uma válvula de retenção existente na extremidade de saída do cilindro mestre
mantém uma ligeira pressão constante no circuito dos freios, impedindo a entrada do
ar. Assim que o condutor retira o pé do freio, o cilindro se comunica com um depósito,
de onde o fluido de freios sai. Por esse motivo, é importante sempre verificar o nível
do fluido de freios.

6
2. Comando Hidráulico

Normalmente, o pedal do freio está


ligado às quatro rodas, enquanto
o freio de mão bloqueia apenas as
rodas traseiras. No entanto, alguns
veículos possuem circuitos hidráulicos
independentes para as rodas da frente
e para as de trás, tendo cada um dos
circuitos o seu cilindro mestre. Assim,
se ocorrer alguma falha de pressão em
um dos circuitos, o outro continuará
funcionando.

Para compreender o funcionamento


dos freios modernos, é preciso que se
entenda o funcionamento do comando
hidráulico. Com esse sistema, uma Fonte: www.shutterstock.com

pessoa consegue frear o veículo,


mesmo sendo pesado. O funcionamento do comando hidráulico se baseia no fato de
que, quando se comprime um fluido (usa-se óleo na maioria das vezes), a sua pressão
se estende a todos os lugares onde ele se encontra.

O sistema permite uma multiplicação da força aplicada pelo condutor, que passa a ser
grande o suficiente para frear o veículo.

Quando se baixa o pistão pequeno, o óleo fica sob pressão e, como a pressão se
propaga por todo o óleo, ele chega até o pistão grande e o empurra para cima. O pistão
pequeno precisa descer bastante para que uma quantidade de óleo suficiente seja
empurrada para o cilindro grande. Em consequência, o pistão grande será empurrado
para cima. Porém, ele pouco se desloca, pois o volume de óleo que foi empurrado do
cilindro pequeno para o grande ficará distribuído ao longo de um pistão bem maior e,
portanto, a sua ação de deslocamento será pequena.

7
3. Freios a Disco

Um dos maiores problemas com o uso dos freios


era o calor que o acionamento produzia, sendo
frequentes os casos de sobreaquecimento e até
incêndios nas lonas de freios. Para resolver esses
problemas, os fabricantes passaram a buscar
materiais e soluções que permitissem menor
aquecimento e um resfriamento mais rápido dos
freios. Surgiram assim os freios a disco.

O freio a disco apresenta um par de placas de atrito,


sendo que as pastilhas atuam sobre duas faces de
Fonte: www.shutterstock.com
um disco metálico que gira em conjunto com a roda.
Eles estão mais expostos ao ar e dissipam o calor
mais rapidamente do que os freios convencionais, sendo mais eficazes em caso de
sobreaquecimento ou acionamento prolongado.

Normalmente, os freios a disco são utilizados somente nas rodas dianteiras, por serem
estas as mais solicitadas e por suportarem maior peso durante a frenagem.

bb
Assista ao vídeo e veja como funcionam os freios:

http://tinyurl.com/z5jhj2r.

4. O ABS como Item de Segurança

A derrapagem é uma das maiores causas ou dos maiores agravantes de acidentes. Para
melhorar as condições de dirigibilidade em situações inesperadas ou de risco, foram
criados os freios ABS, que evitam o descontrole do veículo, permitindo que o condutor
desvie de obstáculos durante a frenagem.

8
O freio ABS (em inglês, Anti-lock Braking System) é um sistema
de frenagem que impede que a roda se trave quando o pedal
de freio é pisado fortemente, evitando que o veículo entre em
derrapagem por falta de aderência à pista.

O sistema permite que se aplique o máximo de força sobre o pedal de freio, mesmo
que o veículo esteja em alta velocidade, executando uma curva ou trafegando em pista
molhada ou escorregadia.

aa
A maior vantagem do ABS é o seu princípio de funcionamento,
ou seja, o antitravamento das rodas nas frenagens de
emergência.

Nas situações em que precisar frear bruscamente, o condutor poderá pisar fundo no
freio, com a máxima força, sem que haja o travamento das rodas. Além de aumentar a
segurança e a dirigibilidade durante as situações de frenagem, o ABS prolonga a vida
útil dos pneus, pois eles não serão arrastados ou friccionados sobre o solo.

Os sensores de rotação nas rodas informam à unidade de comando dos freios se haverá
travamento das rodas durante a frenagem. Quando isso ocorre, a unidade de comando
impede o bloqueio, enviando sinais ao comando hidráulico, que regulará a pressão do
óleo de freio individualmente, em cada roda.

9
Resumindo

O sistema de freios funciona obedecendo aos conceitos da física. Os freios


transmitem a força aos pneus usando o atrito, e os pneus, por sua vez,
transmitem essa força à pista usando também o atrito.

O sistema de freios só irá funcionar corretamente se todas as peças


estiverem em boas condições.

Não esqueça: a manutenção dos freios inclui a troca de óleo dos freios, que
regula a pressão que os pés do condutor exercem sobre o pedal. Verifique
sempre os prazos corretos para troca no manual do proprietário.

Glossário

Dirigibilidade: que se pode dirigir.

10
Atividades

1 - O tempo que o veículo leva para parar completamente assim

dd
que são acionados os freios depende:

( ) da velocidade com que o veículo se desloca.

( ) da capacidade de frenagem dos freios.

( ) do tempo de reação do motorista.

( ) das condições de visibilidade na pista.

2 - Coloque V (verdadeiro) ou F (falso):

( ) Nos veículos mais atuais, o pedal do freio aciona


hidraulicamente os freios.

( ) A vantagem do ABS é o sistema de travamento imediato das


rodas.

( ) Normalmente, o freio de mão bloqueia apenas as rodas


traseiras.

( ) O sistema hidráulico de freios tem a desvantagem de ser


muito ruidoso.

3 - Os freios a disco ficam mais expostos ao ar do que os antigos


freios a lona. Por esse motivo, eles permitem:

( ) maior troca de calor com o ar.

( ) menor dissipação do calor.

( ) maior economia de calor.

( ) menor resistência e durabilidade.

4 - De forma simplificada, podemos dizer que, em velocidade


constante ou em frenagens bruscas, o peso do veículo se distribui
igualmente entre a parte traseira e a parte dianteira.

( ) Certo ( ) Errado

11
Referências

AUTOMATIK. Guia para as luzes espia no painel. Portal da internet, 2013. Disponível
em: <http://automatik.com.br/2013/04/luzes-espia/>. Acesso em: 5 maio 2016.

BELLAGUARDA, G. M. Reparadoras de veículos e oficina mecânica. Porto Alegre:


SEBRAE/RS, 2006.

COSTA, P. G. A bíblia do carro. 2001 – 2002. Disponível em: <https://www.rastrum.


com.br/dir_smb/manuais/automotivos/Mecanica%20Automotiva.PDF>. Acesso em: 3
nov. 2016.

HSW. How Stuff Works – Como Tudo Funciona. Portal da internet, 2016. Disponível
em: <http://www.hsw.uol.com.br>. Acesso em: 3 nov. 2016.

KARDEC, A; NASCIF, J. Manutenção: função estratégica. Rio de Janeiro: Qualitymark,


1998.

LIMA, I. M.; REIS, N. G. Gestão de Empresas de Transportes. IDAQ/CNT: Brasília, 1997.

MARÇAL, R. F. Gestão da Manutenção. Ponta Grossa: Programa de Pós-Graduação em


Engenharia da Produção (PPGEP). Ponta grossa, 2004.

REVISTA MECÂNICA ONLINE. Curso básico de mecânica gratuito. Portal da


internet, 2016. Disponível em: <https://www.iped.com.br/cotidiano/curso/mecanica-
automotiva>. Acesso em: 3 nov. 2016.

SAE BRASIL – Sociedade de Engenheiros para a Mobilidade. Página oficial. Portal da


internet, 2016. Disponível em: <http://www.saebrasil.org.br>. Acesso em: 3 nov. 2016.

SINDIREPA – Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios do Estado


de São Paulo. Página oficial. Portal da internet, 2016. Disponível em: <http://
portaldareparacao.com.br/>. Acesso em: 3 nov. 2016.

VALENTE, A. M.; PASSAGLIA, E.; NOVAES, A. G. Gerenciamento de transporte e frotas.


São Paulo: Pioneira, 1997.

12
UNIDADE 8 | LUZES
INDICADORAS E
INSTRUMENTOS DO PAINEL

13
Unidade 8 | Luzes Indicadoras e Instrumentos do
Painel

Fonte: www.shutterstock.com

ff
Você sabe o que significa cada luz do painel? Quais as luzes
indicadoras que representam situações de emergência?
Quando devemos parar imediatamente o veículo?

Para finalizar o Curso de Mecânica, vamos conhecer as luzes de advertência presentes no


painel do veículo. Essas luzes têm como função principal diagnosticar e informar o estado
dos sistemas do veículo ao condutor, garantindo a ele máxima segurança e conforto.

14
1. Painel de Instrumentos

No painel do veículo, localizado à frente do motorista, encontram-se diversos


instrumentos que permitem verificar as condições de operação do veículo durante seu
funcionamento. O maior e mais conhecido instrumento é o velocímetro, que indica ao
condutor a velocidade com que se desloca. Junto ao velocímetro está o odômetro, que
indica a distância percorrida. Essas duas informações se relacionam e podem fornecer
ao condutor dados a respeito da velocidade média de deslocamento.

Quando o condutor dá a partida, as luzes no painel se acendem e logo depois se


apagam. Esse processo corresponde a uma verificação automática que o veículo faz
para checar se os equipamentos e sensores estão funcionando corretamente.

aa
Se as luzes do painel não se apagarem poucos segundos depois
de dar a partida no motor, isso representa um alerta para o
motorista.

Quando uma luz permanece acesa significa que algo no veículo apresenta falha ou
problema. Após a partida, apenas a luz de freio deve permanecer acesa, até que o
motorista solte o freio de mão.

Apesar de não ser comum, se alguma luz não se acende quando

ee
o condutor liga o veículo, então há alguma lâmpada queimada
no painel que precisa ser imediatamente substituída, para que
o condutor receba informações precisas sobre o estado do
veículo.

15
2. Motor, Freios, Bateria, Temperatura e Óleo

A maioria dos veículos brasileiros sai de fábrica equipada com um conjunto de pelo
menos cinco luzes de alerta: motor, freios, bateria, temperatura e óleo.

SÍMBOLO MENSAGEM
Check de motor ou luz de injeção

Essa luz se acende para avisar que há algum problema com o sistema
de injeção. O condutor não precisa parar o carro, mas deve levá-lo
assim que possível para manutenção.
Luz de aviso dos freios

Indica que o freio de mão está acionado ou que há problemas com o


sistema de freios. Primeiro, verifique o freio de mão. Caso a luz não
se apague, pode haver problemas com a pressão hidráulica. Dirija
com cuidado e com velocidade reduzida e leve o veículo para
manutenção.
Luz do fluido de freios

Indica que há problema com o fluido de freio, ou seja, que seu nível
está baixo. Complete imediatamente o fluido no nível indicado.
Luz de aviso da bateria

Indica problemas no alternador e significa que a bateria não está


recebendo carga. O carro continua funcionando, mas toda a parte
elétrica pode ficar comprometida e a bateria se descarregará
rapidamente. O condutor deve levar o veículo o mais rápido possível
para manutenção.
Luz indicativa de temperatura

Indica problema grave no sistema de arrefecimento, como uma


mangueira do radiador furada, por exemplo. O condutor deve parar
o veículo imediatamente, pois o superaquecimento pode causar
incêndio. Não abra o radiador, pois a água e os vapores podem
causar queimaduras graves.
Luz da pressão do óleo

Indica problema grave no sistema de lubrificação. Pode acender


quando o nível de óleo está baixo ou quando a bomba de óleo
apresenta defeito. Esse problema pode causar sérios prejuízos,
incluindo danificar peças como os pistões ou até mesmo fazer o
motor fundir. Pare o carro e chame socorro.

16
3. Lâmpadas, Faróis, Lanternas e Pisca-alerta

Algumas luzes no painel indicam o funcionamento de lâmpadas internas e externas


(faróis, lanternas e pisca-alertas).

SÍMBOLO MENSAGEM

Luz indicativa de faróis

Indica que os faróis estão acesos.

Luz do pisca-alerta

Indica que um dos pisca-alertas está aceso. Normalmente, ela


se desliga quando o veículo realiza uma conversão ou curva.
Caso ela permaneça ligada, desligue-a, pois poderá causar
perturbações aos demais condutores.
Luz de alerta

Significa que ambos os pisca-alertas estão ativados. Utilizada


para alertar os demais condutores de que o veículo está parado
em situação de emergência ou quando está trafegando em
condições especiais.
Luz de farol de neblina

Utilizada para melhorar a visualização de um veículo para os


demais condutores. Utilize-a apenas em caso de neblina.

Indicador de luz interna

Indica que há uma lâmpada acesa dentro do veículo, chamada


luz interna.

17
4. Alertas de Funcionamento dos Equipamentos Básicos

Algumas luzes de advertência indicam o estado e as condições básicas de funcionamento


do veículo.

SÍMBOLO MENSAGEM

Indicadores de portas abertas

Mostram que alguma porta do veículo não foi fechada corretamente


e poderá abrir com o carro em movimento, podendo provocar
acidentes.

Luz das travas de segurança das portas traseiras

Quando acesa, indica que as portas traseiras não podem ser abertas
pelo lado de dentro. Função mais indicada para o transporte de
crianças.
Luz de nível de combustível

Indica que o tanque de combustível está vazio e o motor passou a


utilizar o tanque reserva. Em alguns veículos flex, pode indicar falta
de gasolina no reservatório de partida a frio.
Luz de advertência no módulo eletrônico

Alguns carros automáticos possuem um módulo que gerencia tanto


a transmissão automática quanto a injeção eletrônica. A luz acesa
indica que existe algum problema na transmissão ou injeção
eletrônica.
Luz de advertência no circuito elétrico

Indica que há algum problema elétrico. Leve o veículo para análise e


verificação da parte elétrica.

Aviso do cinto de segurança aberto

Indica que algum passageiro não colocou corretamente o cinto de


segurança.

18
5. Limpadores e Desembaçadores

No painel, alguns indicadores mostram o estado de funcionamento de limpadores e


desembaçadores. Vamos conhecê-los.

SÍMBOLO MENSAGEM
Desembaçador do para-brisa

Indica que o desembaçador do para-brisa está ligado.


Desembaçador traseiro

A lâmpada se acende quando o desembaçador do vidro traseiro


está ligado.
Luz do esguicho e acionamento do para-brisa

Indica que os limpadores estão funcionando. Para garantir os jatos


de água, mantenha o reservatório cheio.

6. Itens Opcionais

Por fim, vamos conhecer os indicadores de itens opcionais que não são comuns à maior
parte dos veículos, sendo itens opcionais em veículos de versão luxo.

SÍMBOLO MENSAGEM
Luz do ABS

Ao girar a chave, a lâmpada se acende, desligando-se rapidamente após a partida.


Caso a lâmpada permaneça ligada, ela indica que há algo errado com o sistema
ABS, que precisa ser checado.

Air bag do painel frontal

Indica que o air bag frontal apresenta algum problema e pode não abrir em caso
de emergência.

19
Air bag lateral

Indica que o air bag lateral apresenta algum problema e pode não abrir em caso de
emergência.

Luz de aviso da cadeirinha do bebê

Alguns veículos possuem uma luz de advertência que avisa ao condutor caso a
cadeirinha de bebê não esteja bem instalada.

Luz da tração integral (AWD - All Wheel Drive, em inglês)

Indica que a tração nas 4 rodas está acionada. Utilize essa função em terrenos mais
irregulares ou subidas íngremes.

Piloto automático

Indica que o piloto automático está ativado. O veículo trafegará em velocidade


constante, sem que o condutor precise pisar no acelerador.

Resumindo

No painel de instrumentos do veículo existem diversas luzes que indicam


se o automóvel está em boas ou más condições para trafegar. As luzes
de aviso (ou advertência) são um conjunto de indicadores que auxiliam o
motorista na condução e na tomada das decisões mais corretas quando se
está dirigindo.

Uma luz se acende quando alguma avaria ou funcionamento inadequado


de algum componente é detectado, e essa falha deve ser corrigida.

Ao conhecer as luzes e seus significados, o bom condutor zela pela sua


segurança e pelo bem-estar dos demais. Isso garantirá o máximo conforto
e comodidade das suas viagens.

20
Glossário

Diagnosticar: busca para um motivo ou razão.

21
Atividades

1 - A luz de __________________ se acende para avisar que há algum

dd
problema com o sistema de injeção. O condutor não precisa parar
o carro, mas deve levá-lo assim que possível para manutenção.

( ) check de motor.

( ) freio de mão puxado.

( ) advertência no circuito elétrico.

( ) nível de combustível.

2 - Se o condutor perceber que a luz da pressão do óleo se acende


enquanto ele está dirigindo, ele deve:

( ) verificar se a luz se apaga em até 30 minutos.

( ) escolher um local seguro e parar imediatamente o veículo.

( ) telefonar para um mecânico e levar o carro até a oficina.

( ) levar o carro para casa e esperar que ele esfrie.

3 - Coloque V (verdadeiro) ou F (falso):

( ) Ao dar a partida, as luzes no painel se acendem e logo depois


se apagam.

( ) A luz do fluido de freios acesa indica que seu nível está baixo.

( ) A luz de travas de segurança acesa indica que as portas estão


com defeito.

( ) A luz AWD! indica que a tração nas 4 rodas está acionada.

4 - Quando o condutor dá a partida, o veículo realiza


automaticamente uma verificação de seus componentes e
sistemas. As luzes no painel se acendem e logo depois se apagam.

( ) Certo ( ) Errado

22
Referências

AUTOMATIK. Guia para as luzes espia no painel. Portal da internet, 2013. Disponível
em: <http://automatik.com.br/2013/04/luzes-espia/>. Acesso em: 5 maio 2016.

BELLAGUARDA, G. M. Reparadoras de veículos e oficina mecânica. Porto Alegre:


SEBRAE/RS, 2006.

COSTA, P. G. A bíblia do carro. 2001 – 2002. Disponível em: <https://www.rastrum.


com.br/dir_smb/manuais/automotivos/Mecanica%20Automotiva.PDF>. Acesso em: 3
nov. 2016.

HSW. How Stuff Works – Como Tudo Funciona. Portal da internet, 2016. Disponível
em: <http://www.hsw.uol.com.br>. Acesso em: 3 nov. 2016.

KARDEC, A; NASCIF, J. Manutenção: função estratégica. Rio de Janeiro: Qualitymark,


1998.

LIMA, I. M.; REIS, N. G. Gestão de Empresas de Transportes. IDAQ/CNT: Brasília, 1997.

MARÇAL, R. F. Gestão da Manutenção. Ponta Grossa: Programa de Pós-Graduação em


Engenharia da Produção (PPGEP). Ponta grossa, 2004.

REVISTA MECÂNICA ONLINE. Curso básico de mecânica gratuito. Portal da


internet, 2016. Disponível em: <https://www.iped.com.br/cotidiano/curso/mecanica-
automotiva>. Acesso em: 3 nov. 2016.

SAE BRASIL – Sociedade de Engenheiros para a Mobilidade. Página oficial. Portal da


internet, 2016. Disponível em: <http://www.saebrasil.org.br>. Acesso em: 3 nov. 2016.

SINDIREPA – Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios do Estado


de São Paulo. Página oficial. Portal da internet, 2016. Disponível em: <http://
portaldareparacao.com.br/>. Acesso em: 3 nov. 2016.

VALENTE, A. M.; PASSAGLIA, E.; NOVAES, A. G. Gerenciamento de transporte e frotas.


São Paulo: Pioneira, 1997.

23