Você está na página 1de 8

COBRAMSEG 2010: ENGENHARIA GEOTÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE. © 2010 ABMS.

Simulação Numérica e Estudo do Comportamento de Estruturas


de Contenção no Distrito Federal – Estudo de Caso
Alexandre Gil Batista Medeiros
Universidade de Brasília, Brasília, Brasil, eng.alexandregil@gmail.com

Rafaela Andrade Cobucci


Iesplan, Brasília, Brasil, rafaela@wrj.eng.br

Renato Pinto da Cunha


Universidade de Brasília, Brasília, Brasil, rpcunha@unb.br

Renato Sales Cortopassi


WRJ Engenharia, Brasília, Brasil, renato@wrj.eng.br

John Eloi Bezerra


Universidade de Brasília, Brasília, Brasil, johneloi@gmail.com

Carlos Medeiros Silva


EMBRE, Brasília, Brasil, carlos@embre.com.br

RESUMO: O Brasil é um país que está em constante crescimento, a população vem aumentando,
com isso tem-se mais edificações e mais automóveis nas ruas, esse desenvolvimento gera diversas
necessidades da população, uma delas é aumentar o número de vagas de estacionamentos. A
solução mais viável encontrada é a de garagens subterrâneas, para isso tem-se as estruturas de
contenção de solos. Existem diversos tipos de contenção, como estacas escavadas, parede
diafragma, solo grampeado, cortina atirantada, muros de arrimo, entre outros. A técnica que está
sendo utilizada no Setor de Edifícios Públicos Sul, em Brasília/DF é a de estacas escavadas com
grampos (ancoragens passivas), a estrutura de contenção foi dividida em 4 trechos com estacas
justapostas com espaçamentos, comprimentos e diâmetros variados, e com trechos de até duas
linhas de grampos variando-se também o espaçamento e o comprimento de acordo com a
solicitação de cada trecho. Para esse dimensionamento foram utilizados dois programas: Sheeting
check e o Cypecad – módulo cortinas e confrontados com os resultados obtidos em campo e em
laboratório. As deformações da contenção foram acompanhadas por topografia, foram medidos os
deslocamentos no topo da contenção. Foram realizados ensaios de caracterização e resistência do
solo, onde foram coletadas duas amostras indeformadas. Os resultados dos ensaios de laboratório
foram lançados como parâmetros de entrada de dados nos programas e comparados com os
resultados de saída, tais como deslocamentos e medida das forças nos grampos. Para um estudo do
comportamento dos grampos, foram realizados ensaios de arrancamento de 4 grampos, obtendo-se
valores de adesão da ordem de 40 kPa e comparados com as cargas atuantes, calculando-se assim o
coeficiente de segurança dos grampos. Esse estudo do comportamente é de fundamental
importância na otimização de projetos de contenção.

PALAVRAS-CHAVE: Grampos, Ensaios de Arrancamento, Instrumentação, Simulação Numérica.

1 INTRODUÇÃO registradas eram muros de alvenaria de argila


contendo aterros na região sul da Mesopotâmia
As primeiras estruturas de contenções (Iraque) construídos por sumerianos entre 3.200

1
COBRAMSEG 2010: ENGENHARIA GEOTÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE. © 2010 ABMS.

e 2.800 a.C. Obras construídas seguindo utilizados elementos de ancoragem.


preceitos de engenharia moderna começaram a Os grampos são uma opção de elementos de
surgir apenas no inicio do século XVIII, frutos ancoragem que podem estar presentes nas
de trabalhos de engenheiros franceses. cortinas de estacas justapostas, são elementos
A engenharia moderna de obras de estruturais de ancoragem passiva que agem
contenção iniciou-se com o trabalho de resistindo à tração e ao cisalhamento do solo.
Coulomb publicado em 1776, causando grande Os ensaios de arrancamento, as
impacto na concepção destas estruturas. O instrumentações nas estruturas de contenção e
desenvolvimento desta ciência, naquela época, os ensaios de solo são ferramentas importantes
fora motivado pela expansão colonizadora para analisar e dimensionar uma contenção em
européia, iniciada no século XVI, que requereu estacas justapostas com ancoragens passivas.
a construção de diversas estruturas de defesa e Este trabalho buscou essas informações e
fortificações militares, em locais e terreno os realizou análises numéricas de uma estrutura de
mais variados possíveis, em quase todos os contenção típica em solos do Distrito Federal.
continentes da Terra. Diante da realidade vivida em Brasília, a
No Brasil estes tipos de estruturas, fortes falta de espaço para estacionamentos, e
costeiros, iniciaram no século XVII e locomoção incentivou o aumento de obras
expandiram no sécuro XVIII, com a vinda da subterrâneas, necessitando para a realização
Corte portuguesa, principalmente nos estados delas de estruturas de contenções de solos. Este
da Bahia e do Rio de Janeiro. A difusão deste trabalho consiste em analisar a contenção
tipo de estrutura no Brasil só ocorreu no século utilizada em uma obra do Distrito Federal, em
XIX, com a expansão das obras ferroviárias estacas justapostas grampeadas.
particulares (Imperial Estrada de Ferro de A estrutura de contenção em balanço tipo
Petrópolis, 1854) e estatais. estacas justapostas grampeadas está sendo
Atualmente utilizamos as estruturas de bastante utilizada em Brasília devido a
contenções em diversos casos, contudo as agilidade, economia e eficiência e praticidade.
contenções dos edifícios com subsolos Este tipo de estrutura de contenção pode ser
despertam interesse especial, pois almejando estudado em diversos aspectos, como o
aproveitar o maior espaço possível do terreno a deslocamento do topo das estacas, a capacidade
grande maioria destas edificações possui os de carga dos grampos e a caracterização do
limites dos subsolos encostados na divisa, solo. O resultado desta análise será de grande
inviabilizando uma pré-escavação em talude importância aos engenheiros civis geotécnicos,
para execução das contenções e posterior aos projetistas principalmente, proporcionando
reaterro. Dessa forma, torna-se necessária a dados para um dimensionamento otimizado
implantação de uma pré-contenção para ser (Medeiros, 2005).
viável a escavação a prumo junto à divisa da
obra, sem que haja abalo das edificações
vizinhas. O mesmo conceito é aplicado em 2 ESTUDO DE CASO
qualquer tipo de escavação em que o limite da
cava coincida com os limites da obra. 2.1 Localização
Nestas situações tem se utilizado as
estruturas de contenção em balanço do tipo A obra estudada localiza-se em Brasília – DF
estacas justapostas por se tratar de uma (Figura 1), no endereço SEPS 702/902 Bloco
contenção econômica, e eficiente. Ela é “C” no bairro da Asa Sul. Neste endereço,
utilizada para pequenas escavações, e em casos funcionava a sede social do Clube do
de médias e grandes escavações, a partir de 4 Congresso que foi inaugurado na década de
metros, a sua utilização torna-se inviável pela 1960 e demolido recentemente para a
necessidade de aumentar significativamente a construção de um complexo comercial, com
ficha das estacas encarecendo a obra. Assim previsão de inauguração para 2010, terá 6
acompanhada a este tipo de contenção são pavimentos e 2 subsolos.

2
COBRAMSEG 2010: ENGENHARIA GEOTÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE. © 2010 ABMS.

C 0,50 10,0 3,5 1,5


D 0,50 10,5 3,5 1,3
E 0,70 13,5 4,5 1,3

Tabela 2. Resumo das características dos grampos.


Trecho L 1ª linha Esp. 1ª L 2ª linha Esp. 2ª
(m) linha (m) linha
(m) (m)

A 9,2 2,4 11,2 2,4


B 10,2 3,0 10,2 3,0
C 11,2 3,0 - -
D 11,2 2,6 - -
E 11,2 2,6 10,2 2,6

Figura 1. Vista de Brasília-DF, localização da Obra 2.3 Processo Executivo


analisada. Fonte: Google Earth - 2009.
A execução da estrutura de contenção da obra
2.2 Características da Estrutura de Contenção analisada pode ser separada em fases. Neste
item foi detalhado o processo executivo em 9
A estrutura de contenção em balanço da obra é etapas (Cobucci, 2009). A Figura 2 ilustra um
composta de estacas justapostas e de estrutura corte esquemático de um trecho com duas
de ancoragem passiva intercaladas, os grampos. linhas de grampos.
Possui cinco trechos distintos, onde se variou à 1ª etapa: Locação das estacas. A locação das
distância entre as estacas, o diâmetro delas, e o estacas foram feitas com uma pré-escavação do
comprimento. Quanto aos grampos variou o diâmetro da estaca e com 15 a 20 cm de
espaçamento entre eles e o seu comprimento. profundidade e coberto com areia, evitando erro
Os solos de Brasília apresentam do operador da perfuratriz.
características geotécnicas próprias. As 2ª etapa: Escavação das estacas. As estacas
camadas superficiais são geralmente porosas, foram escavadas de forma intercalada, à medida
apresentando elevado índice de vazios e sofrem que as estacas foram sendo concretadas, foram
deformações bruscas quando saturadas e, escavadas as estacas restantes e concretadas.
simultaneamente, carregadas. Também podem
ocorrer deformações bruscas sob condições de
carregamento elevado mesmo quando o solo
não estiver saturado (Blanco, 1995).
Com a sondagem é possível determinar de
uma forma mais precisa os parâmetros do solo
utilizados para determinar a metodologia
adotada para a contenção em questão.
A Tabela 1 apresenta o resumo das
características das estacas do Estudo de Caso,
assim a Tabela 2 apresenta o resumo das
caracterísitcas dos grampos, vale salientar que
todos os grampos tiveram o diâmetro de
escavação de 10 cm.

Tabela 1. Resumo das caracteríisticas das estacas. Figura 2. Corte esquemático de um trecho com duas
Trecho Diâmetro L L espaçamento linhas de grampos.
(m) estacas ficha entre estacas
(m) (m) (m) 3ª etapa: Escavação. Após a concretagem de
A 0,50 13,5 4,5 1,2
todas as estacas começou a escavação do solo
B 0,50 12,0 4,0 1,5 até a cota um pouco abaixo da primeira linha de

3
COBRAMSEG 2010: ENGENHARIA GEOTÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE. © 2010 ABMS.

grampos. Cada trecho tem uma altura de viga solos através de ensaios de laboratório,
diferente. A escavação de cada trecho foi obtenção de parâmetros dos grampos através de
correspondente a 90 cm abaixo da cota da viga, ensaios de arrancamento dos grampos e
assim a máquina de perfuração circulava na obtenção dos deslocamentos do topo da
altura ideal para fazer as perfurações. contenção através de medidas topográficas.
4ª etapa: Execução dos grampos. Perfuração O Laboratório de Geotecnia do
e injeção dos grampos da primeira linha, para Departamento de Engenharia Civil e Ambiental
que a argamassa injetada incorpore todo corpo da Universidade de Brasília realizou ensaios de
do grampo foram colocados espaçadores, 3 laboratório com intuito de obter parâmetros
ferros foram soldados a cada 2 m no corpo do para a análise da obra.
grampo, evitando assim a corrosão da armação Para a realização dos ensaios foram retirados
e centralizando a mesma. 2 blocos cúbicos (30 cm x 30 cm) de amostras
5ª etapa: Execução da Viga. Após a indeformadas, que se localizavam no meio de
execução da primeira linha de grampos, foi cada camada de solo e duas amostras
montada a forma da viga, colocada a armação, e deformadas, retiradas das mesmas
concretada. profundidades.
6ª etapa: Segunda escavação. Após o As amostras foram retiradas pelo método de
endurecimento do concreto da viga (mínimo de escavação mecânica com a abertura de um poço
7 dias), foi tirado o escoramento e realizada a de 1 m de diâmetro. Foram retiradas duas
uma nova escavação. Para os trechos que amostras, a 1ª amostra foi retirada a uma
possuem 1 linha de grampo a escavação foi até profundidade de 2,5 m e a 2ª amostra foi
a cota do subsolo, e para os trechos que retirada a uma profundidade de 9,5 m.
possuem 2 linhas de escoramento a escavação A retirada das amostras foi realizada por dois
foi até 90 cm abaixo da cota dos grampos. técnicos de laboratório e por dois poceiros.
7ª etapa: Execução dos grampos. Foram Na preparação dos blocos, primeiramente foi
feitos os grampos da segunda linha, conforme feita a moldagem, os blocos foram parafinados
processo executivo da 4ª etapa. e revestidos com tecido, parafinados novamente
8ª etapa: Execução da segunda linha de viga, e recobertos com filme plástico para evitar a
conforme a 5ª etapa. perda de umidade e danos à estrutura.
9ª Etapa: Escavação final. Escavação dos A partir das amostras indeformadas foram
trechos que possuem duas linhas de grampo até realizados os ensaios de determinação do peso
a cota do subsolo. específico aparente e cisalhamento direto.
Na figura 3 apresenta a imagem da fachada Com a finalidade de classificar de forma
oeste após a execução da cortina. adequada os materiais utilizados nos ensaios de
cisalhamento, foram realizados ensaios de
caracterização das amostras, como
granulometria, índice de plasticidade e
densidade real dos grãos.
Durante a retirada dos blocos foram
coletadas também amostras deformadas, para
Figura 3. Vista da fachada dos trechos “A”, “B” e uma ensaios de granulometria, massa específica real
parte do trecho “C”. dos grãos e teor de umidade natural.
Em relação aos ensaios de arrancamento, o
objetivo principal dos ensaios de arrancamento
3 METODOLOGIA é determinar a resistência ao arrancamento solo-
qs (kpa).
A metodologia utilizada para obtenção dos O ensaio de arrancamento foi realizado em 4
parâmetros para a simulação numérica para o grampos na obra em estudo. O equivalente a
estudo do comportamento de estruturas de 3,5% dos grampos, da obra em estudo. Eles
contenção foi baseada em 3 etapas: obtenção de estão localizados na segunda linha de grampos,
parâmetros de resistência e caracterização dos

4
COBRAMSEG 2010: ENGENHARIA GEOTÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE. © 2010 ABMS.

na região do trecho “A” (Figura 4). direto. Os resultados obtidos estão nas Tabelas 3.

Tabela 3. Resultados dos ensaios para peso específico


aparente e peso específico aparente seco das amostras.
Poço 1 γnat γd
(kN/m3) (kN/m3)
Amostra 1 11,93 8,65
Amostra 2 15,51 11,53

A Tabela 4 apresenta um resumo das


estimativas de ângulo de atrito e coesão para as
amostras 1 e 2 obtidas nos resultados.
Figura 4. Esquema do ensaio de arrancamento, grampo
Uma percepção clara que se pode ter dos
montado.
resultados apresentados na Tabela 4 é que quando
uma amostra de solo é levada à saturação, a
Foram aplicadas cargas de tração por meio
coesão entre as partículas sólidas diminuem
de macaco hidráulico, à barra de aço ancorada
podendo chegar até a 0, como foi o caso da
no terreno. Para cada carga aplicada, foi amostra 1. Quanto ao ângulo de atrito, este é um
registrado o deslocamento de arrancamento da aspecto que não há alterações significantes com a
cabeça do grampo por dois extensômetros. saturação.
A topografia é um instrumento fundamental
para a implantação e acompanhamento de Tabela 4. Resultado do ângulo de atrito e da coesão das
obras, por meio dela é que se consegue a amostras.
locação exata dos elementos de contenção como Poço 1 Natual Saturada'
no caso da pesquisa em questão. (kPa) (kPa)
Amostra c=7 c´ = 0
Foram escolhidas 9 estacas para as aferições
1 φ = 35º φ´= 33º
das medidas dos topos das estacas, afim de se
verificar a movimentação da cortina. Amostra c = 35 c´ = 18
As medidas foram aferidas com o Teodolito. 2 φ = 36º φ' = 36º
Os pontos utilizados para a realização das
medições foram pontos externos a obra, onde
não teria qualquer intervenção do deslocamento Com as amostras deformadas, retiradas
da cortina. também a 2,5 m de profundidade (amostra 1) e a
9,5 m de profundidade (amostra 2), foram obtidos
alguns parâmetros por meio dos ensaios
4 ANÁLISES E RESULTADOS realizados no laboratório, conforme Tabela 5.

Tabela 5. Resultados dos ensaios de massa específica real


Serão apresentados os resultados obtidos por dos grãos e teores de umidade natural.
meio dos ensaios de laboratório, de Poço 1 ρg Wnat
arrancamento dos grampos e das medidas de (g/cm3) (%)
deslocamentos das estacas. A partir dos Amostra 1 2,79 38
Amostra 2 2,81 34,5
parâmetros obtidos nos ensaios de laboratório
foi dimensionado o trecho da obras em dois
Baseado nos resultados de massa especifica
programas: Shetting Check – GEOFINE 4 e
dos grãos, teor de umidade e peso específico
CypeCAD.
aparente seco, determinou-se os valores dos
índices de vazios e grau de saturação de cada
4.1 Ensaios de Laboratório amostra do solo. Os resultados obtidos estão
apresentados na Tabela 6.
Com os materiais indeformados coletados,
(amostra 1 a 2,50 m de profundidade e a amostra Tabela 6. Indíce de vazios, porosidade e grau de
2 a 9,50 m de profundidade), foi realizado ensaio saturação das amostras.
de peso específico aparente e de cisalhamento

5
COBRAMSEG 2010: ENGENHARIA GEOTÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE. © 2010 ABMS.

Poço 1 e n Gr Umidade para


(%) atingir Tabela 7. Resultado dos ensaios de arrancamento dos
saturação (%) grampos.
Amostra 1 1,85 0,6 48,83 51,17 Trecho “A”
Amostra 2 1,39 0,5 69,90 30,10 Grampo G1 G2 G3 G4
qs (kPa) 44,98 55,36 41,21 36,95
Os índices de vazios foram significativamente Carga
altos, principalmente o da amostra 1 que o volume de
13 16 14,5 13
de vazios é aproximadamente o dobro do volume Ruptura
(ton)
de sólidos. Este resultado significa que trata-se de
um solo muito poroso. O valor da porosidade
Os grampos da obra foram executados com um
revela que as partículas possuem poucas ligações
estágio de injeção. Como o objetivo do ensaio era
cimentíceas e predominância de vazios. Essa é
obter os dados de acordo com a realidade, os
uma característica da argila porosa do Distrito
grampos ensaiados também tiveram um estágio de
Federal.
injeção.
Os ensaios de arrancamento foram realizados
4.2 Ensaios de Arrancamento
no solo mais profundo onde foi encontrado um
solo mais resistente. O espaçamento adotado é de
Os ensaios de arrancamento foram realizados em
2,40 m, referente ao espaçamento de duas estacas.
4 grampos. Suas características quanto a
Usa-se esse valor devido existir as estacas para
inclinação, perfuração, introdução no furo e
dar uma maior rigidez ao conjunto de estacas e
injeção são as mesmas dos grampos executados
grampos. Os grampos só são solicitados quando
naquele local da obra, conforme recomendado por
ocorre a escavação, sendo considerados
Clouterre (1991).
ancoragens passivas. A Figura 6 apresenta um
Os grampos ensaiados possuem 11,20 m de
perfil de sondagem SPT realizado no local.
comprimento. Com os resultados obtidos formou-
se o gráfico carregamento versus alongamento
onde a trajetória formada descreve o
deslocamento sofrido pela ponta do grampo
parando na carga de ruptura (Figura 5).

Figura 5. – Resultados obtidos no ensaio de arrancamento


realizado no grampo G1 (Força x Deslocamento).

A partir da carga de ruptura dos grampos e das


características quanto ao comprimento e diâmetro
de cada elemento de ancoragem se obteve o atrito
unitário (qs).
Os grampos foram levados a ruptura e segundo
Clouterre (1991), o ensaio deve ser considerado
finalizado quando a força de tração atingir o valor
máximo ou se estabilizar. O ensaio foi finalizado
com a ruptura dos grampos, obtendo as Figura 6. Perfil de Sondagem SPT
resistências apresentadas na Tabela 7.

6
COBRAMSEG 2010: ENGENHARIA GEOTÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE. © 2010 ABMS.

4.3 Topografia Empuxo


Atuante - 1,8 1,67
A topografia fornece os métodos e os (tf/m2)
instrumentos que permitem o conhecimento do
terreno e asseguram uma correta implantação da A medida de deformação do topo das estacas
obra ou serviço. realizada pela topografia apresentou uma
De acordo com as medidas topográficas, os deformação máxima de 9 mm no trecho analisado.
deslocamentos sofridos pelas estacas foram da O CypeCad apresentou uma deformação mais
ordem de 6 a 19 mm. próxima da constatada. O Sheeting Check
Estruturalmente todos os deslocamentos estão apresentou uma deformação inferior da realidade.
de acordo com a NBR 6118/2007 que admite um Os dados reais da obra correspondentes aos
deslocamento neste caso de até 3,60 cm. cálculos estruturais não foram possíveis de
calcular.
4.4 Análises Numéricas Os ensaios de arrancamento foram realizados
na segunda linha de grampo levando a ancoragem
Os parâmetros do solo obtidos pelos ensaios de à ruptura, o único dado real é a força máxima
laboratório foram lançados nos programas atuante no grampo de 16 tf (o valor máximo
CypeCad e Sheeting Check para cada camada de obtido no ensaio de arrancamento).
solo correspondente, assim como os dados da O cálculo da ferragem dos grampos está
estrutura da contenção do trecho “A”. adequado com os dois programas.
O cálculo dos diagramas de momento fletor,
cortante, empuxo e deformações são realizados
com auxílio de programas especializados. Adiante 5 CONCLUSÃO
estão apresentados os resultados obtidos dos
esforços estruturais nos dois programas. O peso específico aparente natural obtido pelo
ensaio de laboratório foi de 11,93 kN/m³ para a
4.4.1 Resultados do CypeCad – Módulo Cortinas amostra extraída a 2,5 m de profundidade e de
15,51 kN/m³ para a amostra extraída a 9,5 m de
Os resultados obtidos pelo CypeCad Módulo profundidade. Esses valores mostram a elevada
Cortinas apresentou um deslocamento de 10,5 porosidade da argila superficial do Distrito
mm. Causado pelo empuxo ativo do solo Federal. Para esses argilo-minerais em outras
adjacente a estaca. regiões, valores típicos de peso específico
aparente natural seria em torno de 16 kN/m³. O
4.4.2 Resultados do Sheeting Check valor da amostra 2 encontra-se próximo a esse
valor mas o da amostra 1, que é a mais superficial
Os resultados dos cálculos estruturais do Sheeting apresenta valores bem inferiores comprovando a
Check apresentaram uma deformação máxima de elevada porosidade.
5,2 mm. O ângulo de atrito e a coesão obtidos pelo
ensaio de cisalhamento direto foi de 7,3 kPa e 35º
4.4.3 Análise Comparativa dos Resultados para a amostra 1 e de 34,7 kPa e 36º para a
amostra 2. A amostra 1, mais superficial apresenta
A Tabela 8 apresenta comparação entre os valores uma coesão muito baixa e um ângulo de atrito
estruturais obtidos nos programas abordados nesta como se fosse uma areia pouco argilosa. Já a
pesquisa e os dados reais possuídos. amostra 2 apresenta parâmetros de resistência de
uma argila de consistência média.
Tabela 8. Comparação dos resultados obtidos x medidos. Com base nos resultados dos ensaios de solo
Real CypeCAD Shetting check realizados em laboratório, pode-se concluir que o
perfil do solo analisado é constituído por uma
Desl. da argila arenosa semi-permeável a permeável,
Estrutura 9 10,5 5,2 confirmados pela sondagem SPT. Trata-se de um
(mm) solo poroso, pouco resistente e com baixa coesão
Qmax (tf) - 1,35 1,35
superficialmente
Mmax (tf.m) - 14,6 9,6
O ensaio de granulometria por sedimentação

7
COBRAMSEG 2010: ENGENHARIA GEOTÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE. © 2010 ABMS.

sem defloculante explica o comportamento da Agrademos a WRJ, CONBRAL e CNPq pelo


amostra 1, que foi caracterizada como areia apoio técnico e financeiro para o
(89%). Isso confirma o aspecto poroso da argila desenvolvimento desta pesquisa.
superficial do DF que possui argilominerais
ligados entre si formando grãos maiores, como se
fosse um solo arenoso. REFERÊNCIAS
Os ensaios de arrancamento mostraram
grampos com baixíssima rigidez axial, ou seja, BLANCO S.B., Aspectos de geologia de engenharia da
deformam muito para as cargas solicitantes. escavação do Metrô de Brasília – Trecho Asa Sul,
Deve-se atentar para esse fato no Dissertação de Mestrado em Geotecnia, Universidade
dimensionamento de contenções desse tipo, já que de Brasília, 1995.
o grampo entra como um apoio muito deformável, CLOUTERRE. Recommandations Clouterre, Project
National Clouterre, Presses de l’ENPC, Paris 1991.
gerando elevadas deformações da contenção.
COBUCCI, R. A. Projeto Final de Graduação,
A execução do tirante passivo com circulação Publicação EnC. PGF. 218/09, Departamento de
d’água, bem como sua injeção sem aplicação de Engenharia Civil, Instituto de Ensino Superior
pressão, são fatores que podem causar essa baixa Planalto. Brasília, DF. 2009, 141 p.
rigidez axial dos grampos. MEDEIROS, A. G. B. Dissertação de Mestrado em
A partir da simulação numérica foram Geotecnia , Análise Numérica de Estruturas de
realizadas as seguintes conclusões: Contenção em Balanço e Grampeadas do Tipo
“Estacas Justaposta” assentes em Solo Poroso do DF .
1) O programa CypeCad apresentou um
Brasília: UnB, 2005
deslocamento da estrutura da ordem de 10,5 mm MULTIPLUS. Moduos CYPE/ Muros Cortinas com
muito próximo da deformação detectada pelas Empuxo, disponível em
medições topográficas, de 9 mm; O programa http://cypecad.multiplus.com/Modulos_CYPE/Muros
Sheeting Check apresentou uma deformação de _cortinas_com_empuxo.htm consultado em 25 de
5,2 mm. out.2009.
2) O programa Sheeting Check obteve uma NBR 6118 (2007) - Projeto de Estruturas de Concreto –
Procedimentos
carga no grampo de aproximadamente 1,5 tf. O
Cypecad apresentou cargas no grampo de
aproximadamente 1 tf. Os dois programas
apresentaram valores próximos, o
dimensionamento dos grampos foi adequado
utilizando os dados dos 2 programas.
3) Os esforços nas estacas apresentados pelos
programas foram muito próximos, tanto o
diagrama de momento como de cortante. As
estacas estão adequadamente dimensionadas para
os esforços do Cypecad, e do Sheeting Check.
4) A partir das análises apresentadas, conclui-
se que os dois programas apresentaram resultados
coerentes com a realidade da obra.
5) Essas conclusões evidenciam parâmetros de
grande importância e a necessidade de realização
de todos esses os ensaios para todas as obras de
contenções. O ideal é a realização dos ensaios de
solo (sondagem e ensaios de laboratório) antes do
início da obra, efetuar ensaios de arrancamento no
decorrer da execução dos grampos e fazer a
instrumentação do topo das estacas
acompanhando todas as fases de escavação.

AGRADECIMENTOS

Interesses relacionados