Você está na página 1de 2

No Brasil, as relações educacionais no republicanismo como também vários outros aspectos

sociais e políticos estavam sob a égide do laicato. Os anos 1930 surgiram como arena de atuação
do então cardeal Sebastião Leme e do líder do laicato Alceu Amoroso Lima, articulador dos
interesses católicos perante o regime de Getúlio Vargas, além de vários outros agentes que
estabeleceram relação com as causas educacionais católica. No entanto, para delimitar a pesquisa,
as investigações irão focar na atuação do cardeal além de Alceu e membros do governo Vargas.
Alceu contou com um aliado importante na retomada de espaço do catolicismo do âmbito
educacional, a nomeação de Gustavo Capanema para Ministro da Educação e Saúde do governo
Vargas.
O objeto de investigação tange na atuação dos católicos para reestabelecerem um campo de
atuação desarticulado pelo laicismo, a educação. Os objetivos serão buscar perceber os mecanismos
utilizados para que a educação, mesmo que de forma privada, retornasse ao campo de atuação
religioso, ou mesmo observar qual o real impacto da separação entre Estado e Igreja na atuação
religiosa no âmbito educacional. Utilizando da História Política e Social a pesquisa pretende
estabelecer uma investigação quanto a atuação católica e as políticas educacionais no Brasil. As
principais obras consultadas:

BEOZZO, José Oscar. Cristãos na universidade e na política. Petrópolis: Vozes, 1984.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Trad. Fernando Tomaz. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil,
1989.

CALDEIRA, Rodrigo Coppe; RODRIGUES, Cândido; ZANOTTO, Gizele (coordenadores).


Manifestações do Pensamento Católico na América do Sul. São Paulo: Fonte Editorial, 2015.

SALEM, Tânia. Do Centro Dom Vital à Universidade Católica. In. SCHWARTZMAN, Simon
(org.). Universidades e Instituições Científicas no Rio de Janeiro. Brasil: CNPQ, 1982

SCHWARTZMAN, Simon; BOMENY, Helena Maria Bousquet; COSTA, Vanda Maria Ribeiro
Costa. Tempos de Capanema. 1. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; Paz e
Terra, 1984.
A educação católica nos anos 1930, impressões.
Alexandre Luis de Oliveira1
SIMPÓSIO TEMÁTICO 07: Religião, religiosidades, cultura e política: séculos XIX e XX

O campo educacional sempre foi um dos pontos de atuação do catolicismo nos mais
variados países onde a instituição se fixou e atuou de forma efetiva. Ter acesso irrestrito as várias
etapas da aprendizagem e estar presente como formadora do intelecto de uma nação era algo que o
catolicismo lutava para restabelecer ou, ao menos, ter algum tipo de inserção. O catolicismo no
Brasil havia perdido influência na educação pública com a instauração da República. Não é
objetivo desta presente análise realizar um panorama aprofundado sobre as relações educacionais
desenvolvidas no Brasil no período do republicanismo e o ensino laico. Entretanto, será
estabelecido uma visão geral sobre as questões da educação católica brasileira nos anos 1930,
buscando observar o cenário que proporcionou a criação de uma Universidade Católica no Brasil.

1
Doutor em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS. Bolsista CAPES com
estágio PDSE no Centro de Estudo de História Religiosa – CEHR da Universidade Católica Portuguesa.