Você está na página 1de 4

RITO

1) Oração Inicial:
C: Aqui estamos como filhas e filhos de Deus, irmãos e irmãs, em Cristo. A
cruz é o sinal dos cristãos, remidos na Páscoa de Jesus. Como memória do
nosso batismo, que nos mergulhou na comunhão da Trindade Santa, iniciamos
o nosso encontro:
T: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém!
C: Amados irmãos, filhos e filhas do Deus da Luz, acolhamos a graça de
vivermos o tempo do Advento, exultando de alegria pela imensa bondade de
Deus em nos salvar em Cristo, infundindo em nós a sua luz verdadeira.
T: Senhor Jesus, com os olhos da fé, o coração repleto de alegria e com a
transformação das nossas mentalidades, queremos nos preparar para
revivermos o mistério do vosso Natal. Com a graça de uma vida
transfigurada pelo Batismo, assumiremos com alegria nossa missão de
discípulos e missionários.
C: A vossa Mãe, discípula perfeita, por ser cheia de graça, nos proteja na
missão e interceda ao seu Filho amado por estes momentos fortes de oração.
T: Ave Maria, cheia de graça...

2) Acolhida (própria do dia)


3) Oração (própria do dia)
4) Meditação (própria do dia)
5) Súplica (própria do dia)
6) Preces (própria do dia)
7) Ladainha de Nossa Senhora (última folha)
8) Oração final
C: Com gratidão, louvemos a Deus pelas bênçãos deste nosso encontro feliz e
fraterno.
T: Senhor Jesus, o nosso coração exulta de alegria porque vemos brilhar
sempre nos nossos dias as maravilhas da salvação presentes na trama
dos acontecimentos de nossa história. Admiramo-nos com a fidelidade de
Pai, que nos amou tanto, que nos enviou a vós, Filho amado, para nos
salvar eternamente, pelo mistério de vossa morte e ressurreição. No
Batismo, fomos gerados pela fé e pela graça para a vida nova que nos
comunicastes. Que a festa do vosso nascimento nos renove na alegria de
sermos vossos discípulos missionários. Amém!
( Pai Nosso, Ave Maria e Glória ao Pai)
PRÓPRIO DO DIA:
13 de Dezembro

2) Acolhida
3) Oração
R: Na alegria da espera, o vosso povo caminha para vós.
4) Meditação

Deus nos deu seu Filho Unigênito por Salvador


Eu te constitui em luz para os gentios, para que minha salvação chegue até os
confins da terra. (Is. 49, 6)
Consideremos como o Pai eterno disse ao Menino Jesus no instante de sua
concepção
estas palavras: Filho, eu te dei ao mundo como luz e vida das gentes, para que
busques sua salvação, que estimo tanto como se fosse a minha. É necessário,
pois, que te empenhes completamente em benefício dos homens. "Dado
completamente aos homens, e inteiramente entregue as suas necessidades". É
necessário que ao nascer padeças extrema pobreza, para que o homem se
enriqueça; é necessário que sejas vendido como escravo, para que o homem
seja livre; é necessário que, como escravo, sejas açoitado e crucificado, para
pagar à minha justiça a pena devida pelos homens; é necessário que sacrifiques
sangue e vida, para livrar o homem da morte eterna. Fica sabendo, enfim, que
já não és teu, mas do homem. Pois um filho lhes nasceu, e um
menino lhes foi dado. Assim amado Filho meu, o homem voltará a amar-me a
ser meu, vendo que te dou inteiramente a ele, meu Filho Unigênito, e que já não
me resta mais o que lhe possa dar.
Assim amou Deus - oh, amor infinito, digno somente de um Deus infinito - assim
amou Deus o mundo de tal forma, que lhe entregou seu Filho Unigênito. O
Menino Jesus não se entristeceu com esta proposta, mas, ao contrário,
comprazeu-se nela e a aceitou com amor e alegria: "como um esposo
procedente de seu tálamo, exultou como gigante a percorrer seu caminho" (Ps.
18,6). E desde o primeiro momento de sua encarnação se entregou por completo
ao homem e abraçou com gosto todas as dores e ignomínias que havia de sofrer
na terra por amor dos homens.

Esses foram, segundo São Bernardo, as colinas e vales que com tanta pressa
devia atravessar Jesus Cristo, segundo o Cântico dos Cânticos, para salvar os
homens. Ei-Lo que vem saltando pelas montanhas, brincando pelas colinas.
Reflitamos aqui como o Pai, enviando-nos seu Filho para ser nosso Redentor e
para selar a paz entre Ele e os homens, obrigou-se de certo modo a perdoar-nos
e a amar-nos, em razão do pacto que fez de receber-nos em sua graça, posto
que o Filho satisfaz por nós a justiça divina.
Por sua vez, o Verbo divino, tendo aceitado a missão que lhe foi dada pelo Pai,
o qual, enviando-o para redimir-nos no-lo deu, obrigou-se também a amar-nos,
não por nossos méritos, mas para cumprir a piedosa vontade de seu Pai.
5) Súplica

Oração: Amado Jesus, se é verdade, como diz a lei, que o domínio se


adquire com a doação, Vós sois nosso, por vos ter vosso Pai entregue a
nós. Por isso podemos com razão exclamar: Deus meu e meu tudo. E já
que sois nosso, nossas são vossas coisas, como nos afirma o Apóstolo:
"Como não nos dará, juntamente com seu Filho todas as coisas?" Nosso é
vosso sangue, nossos vossos méritos, nossa a vossa graça, nosso vosso
paraíso. E, se sois nosso, quem jamais poderá separarmos de Vós?
Ninguém poderá tirar-me Deus, exclamava jubiloso Santo Antônio Abade.

Assim queremos exclamar daqui em diante. Apenas por nossas culpas


podemos perder-vos e separar-nos de Vós, mas, Jesus, se no passado vos
deixamos e perdemos, agora nos arrependemos com toda a alma e nos
resolvemos a perder tudo, mesmo a vida, antes que vos perder, bem infinito
e único amor de nossas almas.
Damos-vos graças, Padre eterno, por nos terdes dado vosso Filho, e em
troca de o terdes dado por completo a nós, entregamo-nos inteiramente a
Vós. Por amor desse mesmo Filho, aceitai-nos e apertai-nos com laços de
amor a nosso Redentor, de modo que possamos exclamar: "Quem nos
apartará do amor de Cristo?". Salvador nosso, já que sois todo nosso,
tomai-nos todos para Vós; disponde de nós e de nossas coisas como vos
agrade. Como poderemos negar alguma coisa ao Deus que não nos negou
nada, nem seu sangue nem sua vida?

Maria, nossa Mãe, guardai-nos com vossa proteção. Não queremos


pertencer-nos mais, mas inteiramente a Nosso Senhor. Lembrai-vos de
fazer-nos fiéis. Em vós confiamos.

6) Preces:
R: Ó Senhor, tornai firme nossa fé e nossa esperança nas vossas
promessas.

7) Ladainha de Nossa Senhora (última folha)

8) Oração final (página inicial)


Ladainha de Nossa Senhora
Senhor, tende piedade de nós. Estrela da manhã,
Jesus Cristo, tende piedade de nós. Saúde dos enfermos,
Senhor, tende piedade de nós. Refúgio dos pecadores,
Jesus Cristo, ouvi-nos. Consoladora dos aflitos,
Jesus Cristo, atendei-nos. Auxílio dos cristãos,
Pai celeste que sois Deus, Rainha dos anjos,
tende piedade de nós. Rainha dos patriarcas,
Filho, Redentor do mundo, que sois Rainha dos profetas,
Deus, Rainha dos apóstolos,
tende piedade de nós. Rainha dos mártires,
Espírito Santo, que sois Deus, Rainha dos confessores,
tende piedade de nós. Rainha das virgens,
Santíssima Trindade, que sois um só Rainha de todos os santos,
Deus, Rainha concebida sem pecado original,
tende piedade de nós. Rainha elevada ao céu,
Rainha do sacratíssimo Rosário,
Santa Maria, rogai por nós. Rainha da paz,
Santa Mãe de Deus,
Santa Virgem das Virgens, Cordeiro de Deus, que tirais os pecados
Mãe de Jesus Cristo, do mundo,
Mãe da divina graça, perdoai-nos Senhor.
Mãe puríssima, Cordeiro de Deus, que tirais os pecados
Mãe castíssima, do mundo,
Mãe imaculada, ouvi-nos Senhor.
Mãe intacta, Cordeiro de Deus, que tirais os pecados
Mãe amável, do mundo,
Mãe admirável, tende piedade de nós.
Mãe do bom conselho,
Mãe do Criador, V. Rogai por nós, Santa Mãe de Deus,
Mãe do Salvador, R. Para que sejamos dignos das
Virgem prudentíssima, promessas de Cristo.
Virgem venerável,
Virgem louvável, Oremos.
Virgem poderosa, Senhor Deus, nós Vos suplicamos que
Virgem clemente, concedais aos vossos servos perpétua
Virgem fiel, saúde de alma e de corpo; e que, pela
Espelho de justiça, gloriosa intercessão da bem-aventurada
Sede de sabedoria, sempre Virgem Maria, sejamos livres da
Causa da nossa alegria, presente tristeza e gozemos da eterna
Vaso espiritual, alegria.
Vaso honorífico, Por Cristo Nosso Senhor.
Vaso insígne de devoção, Rosa mística, Amém.
Torre de David,
Torre de marfim,
Casa de ouro,
Arca da aliança,
Porta do céu,