Você está na página 1de 12

1

FACULDADE PITÁGORAS
CURSO DE FARMÁCIA

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM FARMÁCIA HOSPITALAR

BACABAL-MA
2018
2

ANDRÉ PHILIPE ALVES NEVES


ERIDIOSON SILVA DE VASCONCELOS
JOYCE AZEVEDO MARTINS
KASSIANE TRABULSI DA COSTA
THALIA DINIZ DA SILVA

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM FARMÁCIA HOSPITALAR

Relatório apresentado para demonstrar as


atividades de Estágio Curricular obrigatório,
desenvolvido no 8º período do curso de Farmácia
como requisito para obtenção de nota.

BACABAL-MA
2018
3

RESUMO
A farmácia hospitalar é um órgão de abrangência assistencial, técnico-científica e
administrativa, modo pelo qual nela se desenvolvem atividades ligadas a produção,
dispensação, controle e distribuição de medicamentos e correlatos para unidades hospitalares
(GOMES, M. et al 2006). A valorização do farmacêutico se dá quando a Política de
Medicamentos enfatiza o processo educativo dos usuários e consumidores relativo à adesão do
tratamento e aos riscos de automedicação, valorizando as atividades ao subscritor
(dispensador), sobretudo, no estabelecimento de saúde. Em síntese, o Estágio Curricular
Supervisionado deve: proporcionar uma significativa base conceitual, favorecendo a reflexão
sobre como se dá o processo de ensinar a aprender, aprender a aprender e aprender a ensinar,
além de oportunizar vivências na realidade. A compra de medicamentos é realizada pelo
farmacêutico, e para ser efetuada é necessário que o estoque esteja de acordo com a média de
produtos utilizados nos últimos meses. Estando tudo certo, a compra é realizada para suprir a
necessidade do mês que irá iniciar. O estágio em farmácia hospitalar é um artifício muito
importante para o nosso aprendizado e formação, nos mostrando o exercício do profissional
farmacêutico em um de seus campos de trabalho

PALAVRAS-CHAVES: Estágio, farmácia, hospitalar, farmacêutico


4

Sumário

1. INTRODUÇÃO ............................................................................................................ 5
2. JUSTIFICATIVA ......................................................................................................... 6
3. CARACTERIZAÇÃO DOS CAMPOS DE ESTÁGIO ............................................ 7
3.1 Identificações do campo de estágio .......................................................................... 7

4. OBJETIVOS ................................................................................................................. 8
4.1 Objetivos gerais ....................................................................................................... 8

4.2 Objetivos específicos ................................................................................................ 8


5. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS............................................................................ 9
6. CONSIDERAÇÕES FINAIS ..................................................................................... 11
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ..................................................................... 12
5

1. INTRODUÇÃO
A farmácia hospitalar é um órgão de abrangência assistencial, técnico-científica e
administrativa, modo pelo qual nela se desenvolvem atividades ligadas a produção,
dispensação, controle e distribuição de medicamentos e correlatos para unidades hospitalares
(GOMES, M. et al 2006). É também responsável pela orientação de pacientes internos e
ambulatoriais, visando sempre a eficácia da terapêutica, racionalização dos custos, voltando-se
também para o ensino e a pesquisa, propiciando assim um vasto campo de aprimoramento
profissional.
A legislação que regulamenta o exercício profissional da Farmácia em Unidade
Hospitalar é a Resolução nº. 300, de 30 de janeiro de 1997. Segundo esta resolução “Farmácia
Hospitalar é uma unidade técnico-administrativa dirigida por um profissional farmacêutico,
ligada funcional e hierarquicamente a todas as atividades hospitalares”.
A farmácia é um setor do hospital que necessita de elevados valores orçamentários e o
farmacêutico hospitalar deve estar habilitado a assumir atividades clínico-assistenciais, através
de participação efetiva na equipe de saúde, contribuindo para a racionalização administrativa
com consequente redução de custos. Tem como principal função garantir a qualidade da
assistência prestada ao paciente, por meio do uso seguro e racional de medicamentos e materiais
médicos hospitalares, adequando sua aplicação à saúde individual e coletiva, nos planos
assistencial, preventivo, docente e investigativo.
As funções do farmacêutico hospitalar no Brasil foram definidas a partir da Resolução
208, do Conselho Federal de Farmácia, em 19 de junho de 1990, embasadas em publicação
espanhola que regulamenta o exercício em Farmácia de Unidade Hospitalar, sendo depois
atualizada através da resolução 300 no ano de 1997. A partir dos anos 90 a Farmácia Hospitalar
brasileira passa a ser essencialmente assistencial e com um enfoque logístico muito importante.
A Portaria do Ministério da Saúde 3916/98 criou a Política Nacional de Medicamentos,
a Política Nacional de Saúde definiu as premissas e diretrizes, e ambas estabeleceram a
reorientação da Assistência Farmacêutica voltando-se, fundamentalmente, à promoção do uso
racional, otimizando e efetivando os sistemas de acesso e dispensação.
A valorização do farmacêutico se dá quando a Política de Medicamentos enfatiza o
processo educativo dos usuários e consumidores relativo à adesão do tratamento e aos riscos de
automedicação, valorizando as atividades ao subscritor (dispensador), sobretudo, no
estabelecimento de saúde.
6

2. JUSTIFICATIVA
Cumprindo o estabelecido no regulamento de estágios do curso de farmácia, pretende-
se estabelecer o desenvolvimento de trabalho pelos estagiários, nas diversas atividades dentro
do âmbito hospitalar supervisionado. É relevante considerar que a pratica de ensinos é
fundamental na integração do currículo de formação do Farmacêutico.
O estágio supervisionado é uma disciplina que é desenvolvida em dois ambientes e em
duas lacunas de tempo – Um tempo na faculdade e outro no hospital, a aquisição de
conhecimentos teóricos sobre esse âmbito, e seguidamente o desenvolvimento e aplicações
teóricas na pratica das atividades hospitalares, trazendo a realidade as problemáticas
desenvolvidas na sala de aula.
O estágio supervisionado carrega uma oportunidade para que se observe a realidade das
aulas teóricas, realizando uma observação participativa com procedimentos adequados,
vivenciando uma prática Técnica, ao mesmo tempo em que retoma a teoria para refletir, discutir
e pesquisar, retornando à faculdade para tentar inová-la.
Em síntese, o Estágio Curricular Supervisionado deve: proporcionar uma significativa
base conceitual, favorecendo a reflexão sobre como se dá o processo de ensinar a aprender,
aprender a aprender e aprender a ensinar, além de oportunizar vivências na realidade.
7

3. CARACTERIZAÇÃO DO CAMPO DE ESTÁGIO


3.1 Identificação do campo de estágio
O Hospital Regional Laura Vasconcelos, localiza-se na cidade de Bacabal–MA, mais
especificamente na Rua Maranhão Sobrinho, 189-335, com o horário de funcionamento é de
segunda a domingo, 24 horas por dia. O hospital está localizado próximo a área de maior
movimentação da cidade, onde se encontram as maiores redes de lojas e farmácias da cidade.
Trata-se de uma unidade hospitalar de urgência e emergência, com uma equipe médica
de plantão formada por clínico geral, cirurgião geral, infectologista, radiologista, ortopedista,
intensivista, cardiologista e anestesiologista. Também trabalham no hospital 297 profissionais
aprovados em processo seletivo, entre psicólogos, nutricionistas, enfermeiros, farmacêuticos,
assistente social, fisioterapeutas e funcionários da área administrativa.
A estrutura do hospital, instalada em uma área total construída de 5.525,72 metros
quadrados, possui consultórios, laboratório, centro cirúrgico, farmácia, enfermarias, 46 leitos
de internação em clínica médica, cirúrgica e ortopédica, dez leitos de UTI adulto, e salas de
medicação e exames como ultrassonografia e tomografia. Além dos espaços considerados
essenciais para funcionamento de um hospital regional, a unidade de saúde conta com ampla
recepção climatizada, áreas de vivência, vestiários, refeitório e salas de estar e repouso para os
plantonistas. A área total do terreno é de 16.200 metros quadrados.
A farmácia é o local onde são distribuídos os medicamentos para todo o hospital. O
farmacêutico hospitalar deve estar habilitado a ser o responsável por todo fluxo logístico de
medicamentos e materiais médico-hospitalares, além do exercício da Assistência Farmacêutica.
8

4. OBJETIVOS
4.1 Objetivos gerais
 Propiciar ao aluno a oportunidade de vivenciar experiências relacionadas ao cotidiano
do farmacêutico.
 Acompanhar a atuação do farmacêutico na atenção farmacêutica prestada em
uma Farmácia Hospitalar.
4.2 Objetivos específico
 Proporcionar ao estudante oportunidade de desenvolver suas habilidades, analisar
situações e propor mudanças no ambiente organizacional e societário;
 Complementar o processo ensino-aprendizagem, através da conscientização das
deficiências individuais e incentivar a busca do aprimoramento pessoal e profissional;
 Atenuar o impacto da passagem da vida de estudante para a vida profissional, abrindo
aos estagiários mais oportunidades de conhecimentos da filosofia, diretrizes, organização e
funcionamento das organizações e da comunidade.
9

5. ATIVIDADES DESENVOLVIDA

A farmácia do Hospital Regional Laura Vasconcelos encontra-se localizada é


administrada por uma equipe de farmacêuticos e auxiliares. O espaço físico destinado à
farmácia contém uma área destinada a dispensação dos medicamentos, com dois guichês onde
são realizados os atendimentos à solicitação de medicamentos pelo sistema de distribuição
individualizado e uma área de fracionamento.
No HRLV atualmente há somente uma farmácia que abastece todo o hospital (leitos,
Pronto Socorro (PS), Estabilização, Medicação, UTI e Centro cirúrgico).
O hospital possui uma lista de medicamentos padrão estabelecida por uma equipe
multidisciplinar, esses medicamentos ficam em prateleiras dispostos em ordem alfabética e
guardados em gavetas. Essas prateleiras estão posicionadas afastadas da parede, de acordo com
a Agência da Vigilância Sanitária. Os medicamentos que precisam estar refrigerados, ficam em
geladeira exclusiva á temperatura de 2º C. exemplo: Albumina e Insulina.
Os medicamentos controlados ficam em armários devidamente separados, e sempre que
dispensados é realizado registro no livro de controle de controlados.
Os medicamentos de administração via oral (VO) são fracionados de acordo com a
prescrição médica, e enviados para o paciente no seu devido setor de acordo com os horários
de consumo obedecendo o padrão de distribuição individualizado.
Todos os objetos descartáveis exemplo: seringas, agulhas, lancetas e lanceadores de uso
do paciente, são liberados pela farmácia.
Os medicamentos que não são fracionados são mantidos nas prateleiras em suas
embalagens originais, observados os prazos de validade, e dispensados obedecendo o padrão
de sistema de distribuição individualizado.
No HRLV também existe uma farmácia satélite onde os medicamentos e outras
especialidades farmacêuticas são armazenados em kits, que são enviados ao centro cirúrgico.
Toda a farmácia é informatizada e todos os medicamentos tem código de barras e os materiais
medico hospitalar do almoxarifado também seguem o mesmo padrão, toda entrada e saída é
devidamente registrada.
Os horários são estabelecidos de 12 em 12 horas (10 e 22 horas), de 8 em 8 horas (22,
06 e 14 horas), de 6 em 6 horas (22, 04, 10 e 16 horas) e todas as prescrições são dispensadas
lacradas, como medida preventiva de erro desde a prescrição até a dispensação.
O sistema de distribuição individualizado é um sistema considerado altamente seguro,
e utilizado em muitos hospitais, pois reduz consideravelmente os riscos de erros oriundos das
10

dispensações, tendo como principal objetivo, dispensar o medicamento certo, na hora correta e
para o paciente correto.
Esse sistema possibilita ao profissional farmacêutico verificar se as doses
individualizadas preparadas estão de acordo com as segundas vias das prescrições médicas,
supervisionar o controle de estoque e registrar as receitas de psicotrópicos ou entorpecentes,
antibióticos de acordo com a legislação vigente, analisar o perfil farmacoterapêutico do paciente
e supervisionar a reposição dos medicamentos utilizados nas urgências, para cada paciente em
internação.
O quotidiano dos funcionários da farmácia hospitalar do HIFA é repor os kits, conferir
e repor o estoque, etiquetar medicamentos, dar entrada e saída em todos os medicamentos do
sistema, fazer as tiras das prescrições médicas, selar e dispensar os medicamentos e
especialidades farmacêuticas aos técnicos de enfermagem.
A compra de medicamentos é realizada pelo farmacêutico, e para ser efetuada é
necessário que o estoque esteja de acordo com a média de produtos utilizados nos últimos
meses. Estando tudo certo, a compra é realizada para suprir a necessidade do mês que irá iniciar.
11

6. CONSIDERAÇÕES FINAIS
O estágio em farmácia hospitalar é um artifício muito importante para o nosso
aprendizado e formação, nos mostrando o exercício do profissional farmacêutico em um de seus
campos de trabalho. Esse estágio nos proporcionou um maior conhecimento em relação ao
funcionamento de um hospital, juntamente com as dificuldades enfrentadas diariamente.
Aprendemos as noções de administração hospitalar, interpretação de prescrições médicas, como
se relacionar com diversos setores da área hospitalar dentre outros assuntos além de vivenciar
o ambiente profissional e vivenciar os momentos de um farmacêutico, sua atuação nas
diferentes áreas do ambiente hospitalar e como a profissão farmacêutica possui um amplo
campo de atuação.
12

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

GOMES, Carlos Alberto Pereira. Assistência Farmacêutica no Brasil: Análise e


Perspectivas. Disponível em: http://www.cgee.org.br/arquivos/rhf_p1_af_carlos_gomes.pdf>
Acesso em 24 out. 2018.
CARTILHA da Comissão Assessora de Farmácia Hospitalar.Publicação do Conselho Regional
de Farmácia do Estado de São Paulo. Abril, 2007. Disponível em:
<http://www.crfsp.org.br/joomla/index.php?option=com_content&view=article&id=343%3A
um-roteiro-geral-do-ambito-farmaceutico&catid=92%3Ageral&Itemid=62> Acesso em 23
out. 2018.
GOMES, Maria José Vasconcelos Magalhães, Ciencias Farmaceuticas: Uma abordagem em
farmácia Hospitalar. Editora Atheneu. Rio de Janeiro, 2006.
GOVERNO investe em instalações confortáveis e tratamento humanizado no Hospital Regional
de Bacabal. 2016. Disponível em: <https://www.ma.gov.br/governo-investe-em-instalacoes-
confortaveis-e-tratamento-humanizado-no-hospital-regional-de-bacabal/>. Acesso em: 30 out.
2018.
HOSPITAL Regional de Bacabal cria novas oportunidades de emprego para região. 2016.
Disponível em: <https://www.ma.gov.br/hospital-regional-de-bacabal-cria-novas-
oportunidades-de-emprego-para-regiao/>. Acesso em: 19 out. 2018.

Você também pode gostar