Você está na página 1de 27

ODONTOGÊNESE

Prof. Dra. Ingrid Schweter Ganda


INTRODUÇÃO
• Odontogênese é o processo de desenvolvimento do dente

• O desenvolvimento é semelhante nos diferentes tipos morfológicos (incisivos,


caninos, pré-molares e molares)

• O desenvolvimento apresenta as seguintes


fases: botão, capuz, campânula, coroa e raiz

• Dentinogênese (dentina), amelogênese


(esmalte), cementogênese (cemento) e
osteogênese (osso).
EVENTOS INICIAIS DO
DESENVOLVIMENTO
• 2ª semana do desenvolvimento – estabelecimento das duas extremidades do
tudo digestivo (boca e ânus)

• 3ª semana do desenvolvimento –
formação da linha primitiva, da
notocorda e do 3º folheto embrionário

• 4ª semana do desenvolvimento –
formação do sistema nervoso central
(sulco neural/tubo neural)
NEURULAÇÃO – Placa neural e tubo neural

• Inicia-se com o espessamento do ectoderma acima da notocorda


• Cresce longitudinalmente acompanhando a notocorda, porém
segue se alargando
• Dia 18, invaginação da
placa neural forma o
sulco neural com pregas
proeminentes (principalmente
na extremidade cefálica)
• Ao fim da 3ª semana,
as pregas convertem-se
em tubo neural e separam-se do
ectoderma
EVENTOS INICIAIS DO
DESENVOLVIMENTO
• 4ª semana - migração das células da crista neural
para diversas regiões do corpo (ectomesênquima)
formando a face, pescoço, gânglios nervosos,
células pigmentares e medula da glândula
suprarrenal

• Dobramento crânio-caudal do embrião


evidenciando a extremidade cefálica (extremidade
do tubo neural)
LÂMINA DENTÁRIA E VESTIBULAR

• Estomodeo revestido por ectoderma (2-3 camadas de células)

• 22º - 27º dia – formação e rompimento da


membrana bucofaríngea

• Formação do ectomesênquima no tecido


subjacente à partir das células migratórias das
cristas neurais

• 5ª semana - Forma-se a banda epitelial primária


à partir da interação do epitélio oral com
o ectomesênquima
LÂMINA DENTÁRIA E VESTIBULAR

• A banda epitelial primária subdivide-se em


duas lâminas paralelas: vestibular e dentária

• A lâmina mais externa sofrerá


degeneração formando o sulco vestibular

• A lâmina mais interna formará o arco


dentário

• A proliferação de células invade


o ectomesênquima
LÂMINA DENTÁRIA E VESTIBULAR
FASE DE BOTÃO

• Inicia-se com alta atividade mitótica


diferenciada em locais da lâmina dentária

• 8ª semana – surgem 10 esférulas em cada arco,


precursores dos germes dos dentes decíduos

• O ectomesênquima forma uma condensação


de células na base da esférula
FASE DE CAPUZ

• O botão continua crescendo e forma-se uma


concavidade na base epitelial (esférula)
devido a proliferação das células
ectomesenquimais

• Forma de boné ou capuz

• A condensação de células ectomesenquimais


será a papila dentária, que dará origem à
dentina e a polpa

• Órgão do esmalte - porção epitelial do germe


dentário
FASE DE CAPUZ

• Órgão interno e externo do esmalte - células da concavidade do capuz e da


camada externa do órgão do esmalte

• Retículo estrelado - células da região central que afastam-se, mas mantêm


prolongamentos conectados por desmossomos

• Folículo dentário - ectomesênquima ao redor do órgão do esmalte e da papila


dentária

• Uma cápsula delimita o folículo


dentário e formará o periodonto de
inserção do dente: cemento,
ligamento periodontal e o osso alveolar
FASE DE CAPUZ

• Capilares penetram
o folículo dentário
até a região
adjacente ao órgão
do esmalte
FASE DE CAMPÂNULA

• O órgão do esmalte reduz seu

crescimento e apresenta aspecto

de sino

• Fase de morfo e histodiferenciação

• O retículo estrelado cresce com um

maior afastamento entre as células.


FASE DE CAMPÂNULA

• O epitélio externo torna-se


pavimentoso e o epitélio interno
torna-se cilíndrico

• No ponto de encontro entre o epitélio


interno e externo forma-se um ângulo
agudo, a alça cervical

• Dobras o epitélio interno determinam


a forma da coroa do dente.
FASE DE CAMPÂNULA

• As células centrais da papila estão indiferenciadas

• Chegada dos capilares provenientes dos folículos


dentários

• O folículo dentário toma forma mais evidente


rodeando completamente o germe dentário

• Comunicação entre o epitélio bucal e o órgão do


esmalte se desintegra.

• O osso alveolar em formação rodeia o folículo


dentário, constituindo a cripta óssea
FASE DE CAMPÂNULA

• Inicia-se o processo de
dentinogênese e amelogênese

• Diferenciação de algumas
células da papila dentária em
odontoblastos

• Diferenciação de células do
epitélio interno do órgão do
esmalte em pré-ameloblastos ao sofrerem a inversão de polaridade (núcleo em
posição oposta à papila dentária)
FASE DE CAMPÂNULA

Indução recíproca para a formação dos odontoblastos e ameloblastos.

• Os odontoblastos são estimulados pelo epitélio interno e a lamina basal

• O epitélio interno forma os pré-ameloblastos (inversão de polaridade)

• Deposição da 1ª camada de dentina estimula a diferenciação dos ameloblastos

O contato entre odontoblastos e pré-ameloblastos desencadeia o término da


diferenciação em ameloblastos e o inicio da amelogênese

• Esses eventos se iniciam nas cúspides e progridem pelas vertentes até a região da
alça
https://www.youtube.com/watch?v=
qlnbjhguhsu
FASE DE COROA

• Fase de deposição de dentina e esmalte na coroa


do futuro dente

• Os eventos de diferenciação podem ser observados


gradualmente da cúspide à alça

• Estágios mais avançados perto da cúspide e na alça


cervical as células não polarizadas do epitélio interno

• A formação do esmalte é centrífuga (dentro para fora)

• A da dentina é centrípeta (em direção à polpa)

• Fim da fase - a diferenciação chega a alça cervical


FASE DE RAIZ
• A fase de raiz ocorre enquanto o dente
erupciona (inicia-se a formação da porção
radicular)

• Formação da dentina na porção radicular


(sem órgão do esmalte)

• Durante a diferenciação da região da alça


cervical, os epitélios internos e externos do
órgão do esmalte proliferam formando o
diafragma epitelial - induzirá a formação da
raiz do dente
FASE DE RAIZ

• A proliferação continua para formar a bainha


de Hertwig

• A bainha induz as células ectomesenquimais da


papila dentária a se tornarem odontoblastos

• Após o inicio da formação da dentina na


região mais apical, apenas as células da
bainha adjacentes ao diafragma epitelial
continuam proliferando

• Essa defasagem leva à fragmentação da


bainha e a formação dos restos epiteliais de
Malassez
FASE DE RAIZ

• O processo de odontogênese
conclui-se com a formação da
dentina radicular até o
fechamento do ápice

• O periodonto de inserção é
formado durante esta fase

• O contato da dentina radicular


com o folículo dentário induz
células ectomesenq. a se tornarem
cementoblastos - cemento
FASE DE RAIZ

• No lado externo do folículo,


surgem os osteoblastos (osso
alveolar)

• As células da região central


tornam-se fibroblastos e formam
o ligamento periodontal

• As fibras de colágeno ficarão


inseridas no cemento e osso
alveolar quando se
mineralizarem
FASE DE RAIZ

• A odontogênese ocorre da mesma forma


em dentes decíduos e permanentes

• Os permanentes com decíduos


predecessores se desenvolvem à partir da
proliferação epitelial do germe do decíduo,
denominado broto permanente

• Os molares permanentes desenvolvem-se


diretamente da lamina dentária original
HTTPS://WWW.YOUTUBE.COM
/WATCH?V=5MI4AX50LO0