Você está na página 1de 61

Metodologia da Educação à

Distância
EDITORA DOWBIS

Título
METODOLOGIA DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Copyright © 2017 by Júlio Martins

O direito moral do autor foi assegurado.

Todos os direitos reservados.


Nenhuma parte desta obra pode ser reproduzida, ou transmitida por qualquer forma ou meio
Eletrônico ou mecânico, inclusive fotocópia, gravação ou sistema de armazenagem
e recuperação de informação, sem a permissão escrita do autor.
A reprodução sem a devida autorização constitui pirataria.
APRESENTAÇÃO
As instituições de ensino superior são a ponte para que o indivíduo consiga melhor se quali-
ficar para o mercado de trabalho e, consequentemente, ter a ascensão social tão desejada e
difundida pelo sistema capitalista.
Para que o indivíduo possa desenvolver as suas habilidades, torna-se necessário dar conti-
nuidade aos estudos, frequentando um curso de nível superior nas diversas áreas existentes.
Ao optar pelo curso de sua preferência é necessário que o aluno tenha em mente que estará
entrando para um universo diferente da educação recebida no Ensino Básico e que seu es-
forço pessoal é indispensável para o seu sucesso, principalmente nos cursos à distância e
semipresenciais.

Esse processo envolve realizar todas as atividades solicitadas no seu curso, a capacidade de
ser autodidata e de buscar outras fontes de conhecimento. O objetivo maior deste esforço é
melhorar as suas habilidades e, assim, o desempenho para o mercado de trabalho. Sabemos
que esporadicamente esse mercado é afetado pelas crises econômicas, políticas e sociais
e quem possui o maior grau de conhecimento específico e generalizado consegue suportar
melhor essas variações.

Como esse processo não é apenas econômico e político, mas principalmente social, cabe a
cada um de nós fazer a sua parte através da dedicação à profissão, à educação continuada,
ao desenvolvimento da ética e da cidadania em nosso dia a dia, entre outras ações. Segundo
Voltaire, “a Educação é uma descoberta progressiva de nossa própria ignorância”, assim ao
dar a nossa contribuição para o nosso próprio desenvolvimento, estamos levando adiante um
anseio antigo, o de criar um país mais justo e menos desigual. Felicitamos a todas as pesso-
as que dão continuidade aos estudos ou que tem a iniciativa de voltar aos mesmos, fonte de
desenvolvimento pessoal e profissional

Júlio Martins
UMÁRI
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO.................................................................................................................. 5

UNIDADE I - HISTORICIDADE DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA (EAD) NO BRASIL E NO MUNDO ............. 6


1.1. EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA EAD. ........................................................................... 6
1.1.1. Surgimento da EAD no Brasil ................................................................................... 6
1.1.2. A EAD no mundo ...................................................................................................... 7
1.2. EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA COMO UM MOVIMENTO GLOBAL............................................... 11
TESTE DE CONHECIMENTOS – UNIDADE I ................................................................................ 13

UNIDADE II - CONCEITOS E PRINCÍPIOS BÁSICOS - TERMINOLOGIA ......................... 16


2.1. Diferença entre EAD e a Educação Tradicional .............................................................. 16
2.2. Diferença entre EAD e o Ensino Aberto ........................................................................ 18
2.3. Papel do professor-tutor na EAD .................................................................................. 18
2.4. Perfil do aluno de EAD ................................................................................................. 20
TESTE DE CONHECIMENTOS – UNIDADE II ................................................................................ 22

UNIDADE III – MÍDIAS INTERATIVAS E AMBIENTES VIRTUAIS...................................26


TESTE DE CONHECIMENTOS – UNIDADE III ............................................................................... 31

UNIDADE IV - METODOLOGIA DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA......................................35


TESTE DE CONHECIMENTOS – UNIDADE IV............................................................................... 41

UNIDADE V - AVALIAÇÃO EM EAD ................................................................................45


TESTE DE CONHECIMENTOS – UNIDADE V ................................................................................ 50

UNIDADE VI - PERSPECTIVAS ATUAIS DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA ....................... 55


6.1. Cenário Global ............................................................................................................. 57
6.2. Divisão Digital .............................................................................................................. 58
6.3. Perspectivas futuras ..................................................................................................... 59
TESTE DE CONHECIMENTOS – UNIDADE VI ............................................................................... 62

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS .................................................................................66

GABARITOS DAS UNIDADES ........................................................................................ 71


INTRODUÇÃO

Ao sefalaremEducaçãoà Distância(EAD),pensa-seem uminstrumentode edu-


caçãorecente,poisparaamaioriadaspessoaselaestáassociadaàtecnologiaatu-
al. Mas é importante lembrarmos que a sua trajetória é longae coma existência de
alguns momentos de estagnação gerados pela ausência de políticas públicas para o
setor.

É importante ter compreensão acerca da evolução da EAD, saber que ela foi se
modificandoaolongodotempoequeemcadapaís,enonossopaísespecialmente,
elafoise revestindo de novascaracterísticasapartirdas tecnologias que foramem-
pregadas em cada momentohistórico.

A Associação Brasileira de Educação à Distância (ABED) indica que, em 2007,


mais de dois milhões de brasileiros fizeram algum curso à distância nas mais
diversas áreas do conhecimento. A educação à distância é praticada em todas as
partes do mundo e nos últimos anos o seu âmbito se desenvolveu enormemente e
rapidamente. Tornou-se uma parte intrínseca de muitos sistemas de ensino
nacionais e uma disciplina acadêmica em seu próprio direito. A investigação sobre a
área produziu um corpusqueagoraestásendousadoparamelhorarasuaprática.

EstaapostilasobreTeoriae Prática da EAD foielaboradacomaintenção de expli-


carcomoessapráticamudoueexaminarpesquisasrecentesnocampo.Estemate-
rial fornece uma pesquisa abrangente acerca da educação à distância, olhando para
ela em nível mundial e discutindo as diferentes linhas de pensamento e modelos
utilizados.

4 Todos os direitos autorais desta apostila forma cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE I

HISTORICIDADE DA
EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
NO BRASIL E NOMUNDO
UNIDADE I: HISTORICIDADE DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA NO BRASIL E NO MUNDO

O que é a Educação a distância - EAD? importantes para uma época em que se conso-
AEAD é o processo de ensino-aprendizagem lidava a República, o marco de referência oficial
em que o aluno e o professor não estão no é a instalação das Escolas Internacionais, em
mesmo ambiente e nem ao mesmo tempo, 1904. A unidade de ensino, estruturada formal-
sendo que a interação de ensino ocorre à mente, era filial de uma organização norte-ameri-
distância. Essainteração atualmente ocorre com cana, existenteaté os diasatuais, compresença
maior frequência por meio da Internete pelouso em alguns países (MERCADO, 2006).
dasnovastecnologias. Oscursosoferecidoseramtodosvoltadospara
as pessoas que buscavamempregos, especial-
mente no comércioe no setor de serviços. O en-
1.1. EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA EAD. sino era por correspondência, com remessa de
É notável o quanto a EAD evoluiu, sendo pos- materiais didáticos pelos correios, que usavam
síveldiferenciargeraçõesconforme os recursos principalmente as ferrovias para o transporte. Nos
tecnológicosutilizados. AEAD não é tão recente vinte primeiros anos tivemos, portanto, apenas
comomuitagenteimagina,hárelatosdamodali- uma única modalidade, a exemplo, por sinal, de
dadedeeducaçãoàdistânciadatadosdoséculo todos os outros países (MERCADO, 2006).
XIX. No entanto, passou a fazer parte das aten-
ções 1.1.2. AEAD no mundo.
da necessidade do preparo profis- sionale Nemtodapessoaviveperto de umainstituição
cultural de pedagógicas apenas nas últimas deensinosuperiorenemsempreécapazouestá
décadas. disposta a se mudar a fim de perseguir seus ob-
A EAD surgiu milhões de pessoas que, por jetivoseducacionais.Comoa Interneté umfenô-
vários motivos, não podiam frequentar um esta- meno relativamente recente, fica fácil supor que a
belecimentodeensinopresenciale vemevoluin- história da educação à distância é algobastante
do com as tecnologias disponíveis, que influen- recente.Noentanto,tudoquetemoshojeemter-
ciam diretamente o ambienteeducativo. mos de EAG é apenas um dos desenvolvimentos
mais recentes de uma história que começouem
1.1.1. Surgimento da EAD no Brasil. torno de 1700.
Pesquisas realizadas pelo Instituto de Pesqui- Nos primeiros dias de educação à distância, a
sas Avançadas em Educação (2007) apontam carta escrita era a tecnologia mais acessível ao
que pouco antes de 1900 já havia anúncios em grande público. Em 1728, o primeiro exemplo bem
jornaisdecirculaçãono Riode Janeirooferecen- documentado de um curso por correspondência
do profissionalização por correspondência. Trata- ocorreu como um anúncio no Diário de Boston,
va-se de um curso de datilografia fornecido por
uma professora particular.
Nãoobstanteessasaçõesisoladas,queforam

6 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE I: HISTORICIDADE DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA NO BRASIL E NO MUNDO

emqueumhomemchamadoCaliPhillipsseofe- fosse uma tecnologia há muito estabelecida, a


receu para ensinar taquigrafia para estudantes Universidade de Wisconsin/EUA, em 1965, ini-
em qualquer lugar do país por meio da troca de ciouumprogramaeducacionalemtodoo estado
cartas (ALTBACH,2009). para os médicos, usando um formato baseado
Quase 150 anos depois, em 1873, a primeira em telefone (ALTBACH, 2009).
escola de correspondência nos Estados Unidos Em 1968,podia-seobterumdiplomadeescola
foi fundadae chamada Tem Society to Encoura- credenciadaviaeducaçãoàdistânciada Univer-
ge Studies at Home (A Sociedade para Incentivar sidade de Estudo Independente da High School
os Estudos em Casa). Pouco tempo depois, em de LincolnemNebraska/USA.Já em 1976,a pri-
1892, a Universidade de Chicago começou a ofe- meira faculdade virtual sem campus físico estava
recer cursos por correspondência, tornando-se a em operação. Estecolégiovirtual, chamado Co-
primeira instituição de ensino tradicional dosEUA astline Community College em Fountain Valley-
a fazê-lo. Em 1906, as escolas primárias, como Califórnia/USA, possuía uma ampla variedade de
a EscolaCalvertemBaltimore,começarama se- telecourses. O fato de esta instituição ter oferecido
guir o exemplo (ALTBACH,2009). uma experiência educacional remota representou
AolongodaprimeirametadedoséculoXX,inú- uma enorme evolução no domínio da educação à
merasnovastecnologiasvieramàtona, levando distância (BATES 2011).
a inovações consideráveis em educação à distân- Em 1969, foram criadas as bases da internet,
cia.Duranteesteperíodode tempo,foioferecida mas foi apenas na década de 1980 que essa
aeducaçãoàdistânciaemumaamplavariedade tecnologia começou a revolucionar a educação
de formatos para uma ampla variedade de fins àdistância,tornando-seo principalcanalatravés
educacionais. Em 1922, a tecnologia de transmis- do qual seriam oferecidos cursos àdistância.
são de rádio tornou-se um meio viável de trans- Nos Estados Unidos, em meados da década
missão de informação e a Pennsylvania State de 1980, mais de 300.000 alunos foram matri-
College/USA aproveitou-se disto para transmitir culados em cursosuniversitários de educaçãoà
cursos por meio do rádio. Logo depois, em distância. No Canadá, cerca de 20 universidades
1925, a Universidade Estadual de Iowa/USA convencionais estavam ativas em educação à
começou a oferecer crédito de curso para cinco distânciae na Austrália, a iniciativa foi da Univer-
cursos de transmissão de rádio (ALTBACH, sidade de Queensland em fins de década de 60,
2009). acrescentando ao seu corpo discente cerca de
Em 1953, a televisão foi se tornando mais pre- 3.000 novos alunos (BATES, 2011).
valente, o que levoua Universidade de Houston/ Em meados da década de 1980, cerca de 40
EUA a oferecer aulas da faculdade televisionadas instituições já tinham matrícula de alunos exter-
para obtenção de créditos. Embora o telefone

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional. 7
UNIDADE I: HISTORICIDADE DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA NO BRASIL E NO MUNDO

nos, equivalente a aproximadamente 12% dos completamente on-line. Já em 1997,váriasinsti-


seus estudantes do ensino superior. Na União So- tuições norte-americanas e européias adotaram
viética, onde o ensino à distância foi adotado no o Learning Network Interactive, um sistema de
final de 1920, todas as 61 universidadeseventu- e-learning (ensino eletrônico) que usou um banco
almente ofereciam educação por correspondên- de dados relacional como sua fundação (BATES,
cia e, ainda, é relatado que na antiga República 2011).
Democrática Alemã aproximadamente um quarto Os anos 2000 levaram a uma explosão no de-
dos licenciados universitários e técnicos alcançou senvolvimento e utilização das tecnologias em
sua qualificação por meio da educação à dis- linha para fornecer conteúdo educacional. O
tância. Apesar dessa participação relativamente acesso à Internet tornou-se,cada vez mais, am-
significativa em um setor substancial do ensino plamente disponível e novas plataformas foram
superior, a educação à distância se desenvolveu, desenvolvidas. Como resultado já esperado, o
a princípio, em muitos poucos países (CURRAN, número de universidades de educaçãoàdistân-
1997). cia cresceu, assim como o número de universi-
Nemtodos os centros de aprendizagembase- dades tradicionais que passaram a fazer uso de
ados em computadores estavam fazendo uso da tecnologia on-line .
tecnologia da Internet. Porexemplo, em 1982, o A educação à distância é antes de tudo um
Centro de Aprendizagem Assistida por Compu- movimento que não buscou desafiar ou mudar
tador em New Hampshire/EUA funcionava como aestruturadoensinosuperior,mas simestender
uma unidade off-line (não conectado a rede mun- a universidadetradicional, superando os proble-
dial)de educaçãode adultos.Noentanto, ao lon- mas inerentes de escasseze exclusividade. Em
go da década de 1990, muitosprogramas-piloto segundolugar,aeducaçãoàdistânciafoidesen-
diferentes foram desenvolvidos e empresas inde- volvida como uma resposta política criativa para a
pendentes trabalharam para desenvolver mode- falta de capacidade de crescimento da estrutura
los prontos para a entrega on-line de conteúdos universitária tradicional (HALL,1995).
de cursos, o que fomentou ainda maiso uso da
EAD. 1.2. EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA COMO
Em 1994, consolidava-se a Universidade Aber- UM MOVIMENTO GLOBAL.
ta(OpenUniversity) ,oferecendo,inclusive,uma
experimentação da Escola de Verão Virtual (Vir- Na Europae em outrospaísesocidentais, uma
tualSummerSchool).Tambémem1994,a CAL- preocupaçãoglobal estavacomeçandoa emer-
Campus /USA ofereceu educação em tempo real gir,adetornaraeducaçãoàdistânciaumaforma
4Em 1981, a Escola de Gestão e Estudos Estratégicos do Instituto de Ciências Comportamentais do Western - Cleveland/EUA - iniciou um programa on-line (ALTBACH, 2009).
-Em 1985, a New Southeastern University – Flórida/USA - estava oferecendo graus de pós-graduação credenciados através de cursos online (ALTBACH, 2009).
-Em1989,ocampuson-linedauniversidadedePhoenix/USAfoilançado.Pelaprimeiravez,umauniversidadeprivadaofereceutodoocurrículodebachareladoemestradoon-line,tornandoa
educação acessível às massas (CURRAN, 1997).
-Em 1992, a Universidade Estadual de Michigan/EUA desenvolveu a Abordagem Personalizada Assistida por Computador (Computer Assisted Personalized Approach) (CURRAN, 1997).

8 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE I: HISTORICIDADE DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA NO BRASIL E NO MUNDO

de acessibilidade à educação profissional eà su- desde os anos 50, mais que dobrou, passando
perior para as classes sociais menos favorecidas. paraaproximadamentecinco(5)bilhõesdepes-
Os doze membros da Associação Européia de soas, a maioria buscando ser alfabetizada e ter
Universidades de Ensino à Distânciahaviam pro- maiores oportunidades educacionais para si e
posto,em1992,umaUniversidadeAbertaEuro- seus filhos. A maior parte dessa população em
péia. No relatório dessa Instituição, artigosde au- expansão está na Ásia, onde existem enormes
toresdenovepaíseseuropeusdescrevemouso problemascomo,porexemplo, pobreza,analfa-
de mídia e tecnologia no ensino superior na Eu- betismo e doenças. Na maioria dos países em
ropa e refletem sobre a necessidade de propor- desenvolvimento, como Bangladesh, a educação
cionaracessoàeducaçãounificadasobaforma à distância oferece um sistema de distribuição de
deumaUniversidadeAbertaEuropéiaparauma informação, sendo que através dele novas idéias
população culturalmente diversificada,ou seja, e atitudes começaram a infiltrar-se entre as ca-
utilizarasredesdetelecomunicaçãoaoredordo madas sociais menos favorecidas (SHAH, 1989).
mundo, ligando pessoas de muitas nações de Baseando-se no conhecido modelo da Open
maneiras novas e emocionantes (BATES, 2011). University Britânica, países como Paquistão, Índia
À medida que as fronteiras de nossa comunida- e China combinaram métodos modernos de ensi-
de global continuam a encolher, buscamos novas no com tecnologias emergentes a fim de forne-
maneiras de melhorar a comunicação, propor- cerinstruçãodebaixocustoparaaalfabetização
cionandomaioracessoà informaçãoem escala básica e capacitação para o trabalho. A Turquia
internacional. Tecnologias de comunicação emer- juntou-se recentemente às nações envolvidas
gentes e telecomunicações em particular forne- naeducaçãoà distânciae emlargaescala.Com
cemsoluçõesaltamenteeficazes em termos de apenasdoze(12) anos de existência, o seupro-
custosparaosproblemasdapartilhadeinforma- grama de educação à distância tem milhões de
ção e promovem a compreensão mundial entre estudantesinscritose é o sextomaiorprograma
as pessoas. Na época em que vivemos, com mu- de educaçãoàdistância do mundo(DEMIRAY&
danças intensas natecnologia, prevê-se que a MCLSAAC, 1993).
quantidadedeinformaçãoproduzidairáaumen- Por causa das economias e problemas de dis-
tar exponencialmente a cada ano. tribuição de renda, tanto países industrializados
A população dos países em desenvolvimento, como países em desenvolvimento deram início
5-Em 1996, a Universidade Internacional Jones/EUA se tornou a primeira universidade credenciada totalmente baseada na web.
-A empresa Blackboard Incorporation, sediada nos EUA e fundada em 1997, desenvolveu uma plataforma padronizada para gerenciamento e entrega de cursos que permitiu que muito mais
instituições entrasse no mercado on-line (HALL, 1995).

6-Em 2000, o CourseNotes.com foi lançado na Universidade do Texas em Austin/USA, oferecendo muitos dos mesmos recursos que a Blackboard havia oferecido (CURRAN, 1997).
-Em 2003, WebCT (Ferramentas do curso Web), outro sistema de gerenciamento de conteúdo, tinha mais de 6 milhões de usuários em mais de 1.300 instituições em 55 países (HALL, 1995).
-Em 2005, o YouTube lançou o YouTube EDU, oferecendo milhares de palestras on-line gratuitamente (CURRAN, 1997).
-Em 2006, o iTunes University/USA começou a oferecer palestras para download (HALL).
-Em 2012, a instituição com fins lucrativos Udacity/USA começou a oferecer cursos abertos on-line (MOOCs). MIT/USA e Harvard/USA seguiram com a plataforma Mooc EDX (CURRAN, 1997).
-Em 2013, a primeira universidade pública on-line nos Estados Unidos, UF-line, foi anunciada para lançamento em 2014 (HALL, 1995).

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional. 9
UNIDADE I: HISTORICIDADE DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA NO BRASIL E NO MUNDO

a programas de educação à distância. No início TESTE DE CONHECIMENTO


de 1980, um número recorde de estudantes em UNIDADE I:
países em desenvolvimento passou a ter aces-
so ao ensinosuperior por meio de programas de 1. Complete a sentença: A Educação à distân-
educação à distância (Rumble & Harry, 1982). ciaéo processo de
Em muitoscasos, especialistaslocais não estão em que o alunoe o professor não estão no mes-
disponíveis paradesenvolver programas originais mo (a) e nem ao mesmo
(a)
baseados na língua e na cultura do povo. Por , sendo quea (o) de
esta razão, a maioria dos programas educacio- ensino ocorre à distância. Essa interação atual-
nais possuia mesmaformatação do país de ori- menteocorrecommaiorfrequência por meio da
gem ou é superficialmente traduzida, com poucas (o) e pelo uso das novas
adaptaçõesàculturalocal.Quandoistoéfeito,os .
resultados são frequentemente mal sucedidos. a) Ensino-educação, lugar, tempo, interação, te-
Outrofatorrecorrenteéqueosvaloresculturais levisão, modalidades.
do criador do programa tornam-se dominantes, b) Prático-teórico, tempo, ambiente, interação,
desejáveisnopaísdeorigeme usadoscomopa- internet e tecnologias.
drão. Há muitos exemplos de programas da Amé- c) Prático-teórico, ambiente, tempo, interação,
rica do Norte, Austrália, Grã-Bretanha e Europa tecnologias, mídias.
que foram comprados, mas nunca utilizados na d) Ensino-aprendizagem, ambiente, tempo, in-
África e na Ásia porque o material não era rele- teração, Internet, tecnologias.
vante nesses países. Aquestão “quem projeta e) Ensino-práticas, local, hora, relação, televi-
o que e para quem” é fundamental em qualquer são, mídias.
discussão sobre os perigos econômicos, políticos
e culturais que enfrentam os educadores à dis- 2. Em relação à Educação à Distância, mar-
tância quando utilizam tecnologias de informação que a opçãocorreta.
(Mclsaac,1993).Temhavidoumasériedeesfor- a) Surgiu na década de 80, adequando a edu-
çosparaidentificarfundamentosteóricosparao cação às novas tecnologias.
estudo da educaçãoàdistância, porém,até ago- b) Apenas a geração atual teve acesso à edu-
ra,temhavidopoucoconsensosobrequaisprin- cação à distância.
cípiosteóricossãocomunsparaocampoecomo c) Surgiu da necessidade dos indivíduos de se
proceder na realização de pesquisas programáti- prepararemparaomercado de trabalhoe de ob-
cas,o queéaindamaiscomplexo. terummaiornívelcultural.
d) A educação à distância é consequência do

10 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE I: HISTORICIDADE DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA NO BRASIL E NO MUNDO

surgimento da internet. ton/EUAa ofereceraulas da faculdadetelevisio-


e) A educação à distância sem as tecnologia nadas para obtenção de créditos.
mais recentes é inviável. V - A Universidade de Wisconsin/EUA, em 1965,
iniciou um programa educacional em todo o esta-
3. Emrelaçãoà Educaçãoà DistâncianoBra- do para os médicos, usando um formato baseado
sil, marque a opçãocorreta. em telefone.
a) Pouco antes de 1900 já havia anúncios em a) V,V,V,F,V.
jornaisdecirculaçãono Riode Janeirooferecen- b) V,F,F,F,V.
do profissionalização por correspondência. c) V,V,F,F,V.
b) O marco de referência oficial da Educação d) F,F,V,V,F.
à Distância no Brasil é a instalação das Escolas e) F,V,V,V,F.
Internacionais, em 1904.
c) Os cursos oferecidos eram todosvoltados 5. Em relaçãoao desenvolvimento da educa-
para as pessoas que buscavam empregos, es- çãoà distância no mundo, marquea opçãoerra-
pecialmente no comércio e no setor de serviços. da.
d) O ensino era por correspondência, com re- a) Nos Estados Unidos, em meados da déca-
messade materiaisdidáticospeloscorreios,que da de 1980, mais de 300.000 alunos foram ma-
usavamprincipalmenteasferroviasparao trans- triculados em cursosuniversitários de educação
porte. à distância.
e) Todas as opções anteriores estãocorretas. b) No Canadá cerca de 20 universidades con-
vencionais estavam ativas em educação à distân-
4. Em relação às datas de ocorrência dos fa- cia.
tos, marque V se a afirmativa for verdadeira e F, c) Na Austrália, a iniciativa foi da Universidade
se falsa. de Queensland em fins de década de 60, acres-
I - Ahistóriadaeducaçãoàdistâncianomundo centando ao seu corpo discente cerca de 3.000
começou por volta de 1800. novos alunos.
II - Em 1992, a Universidade de Chicago/USA d) No início dos anos 80, todos os centros de
começou a oferecer cursospor correspondência. aprendizagem baseados em computadores es-
III - Em 1962, a tecnologia de transmissão de tavamfazendouso da tecnologia da Internet, ou
rádio tornou-se um meio viável de transmissão de seja, atuando on-line.
informação, favorecendo a educação à distância. e) Nametadedadécadade80,cercade40ins-
IV - Em 1973, a televisão foi se tornando mais tituições mundiais já tinham matrícula de alunos
prevalente,o quelevoua UniversidadedeHous- externos, equivalente a aproximadamente 12%

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional. 11
UNIDADE I: HISTORICIDADE DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA NO BRASIL E NO MUNDO

dos seus estudantes do ensino superior.

6. A partir do ano 2000 houve uma explosão


no desenvolvimentoeutilização das tecnologias
para o fornecimento de conteúdos educacionais.
Todas as alternativas abaixo são causas dessa
explosão, exceto:
a) A educação on-line,a princípio, foi utilizada
unicamentepelapopulaçãodebaixopoderaqui-
sitivo, que é numerosa.
b) O acesso à Internet tornou-se,cada vez mais,
amplamente disponível.
c) Aumentou significativamente número de uni-
versidades tradicionais que passaram a fazer uso
de tecnologiaon-line.
d) Novas plataformas foram desenvolvidas para
facilitar a educação à distância.
e) Onúmerodeuniversidadesquepassarama
oferecer educação à distância cresceubastante.

7OtermocorretoéEducaçãoàdistânciaouEnsinoàDistância? SegundoLandim(1987,p.4)“Ensinoéinstrução,transmissãodeconhecimentoseinformações,adestramento,treinamento;e

Educaçãoéapráticaeducativa,processodeensinoeaprendizagemquelevaoindivíduoaaprenderaaprender,asaberpensar,criar,inovar,construirconhecimentos,participarativamentede
seuprópriocrescimento.Éumprocessode humanizaçãoquealcançaopessoale oestrutural,partindodasituaçãoconcretaemquesedáa açãoeducativanumarelaçãodialógica”.Assim,o
corretoéEducaçãoàDistânciaenãoEnsinoàDistância,porémboapartedaspessoaseatédosprofissionaisusamosdoistermosindiscriminadamente.

12 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE II

CONCEITOS E
PRINCÍPIOS BÁSICOS –
TERMINOLOGIA
UNIDADE II: CONCEITOS E PRINCÍPIOS BÁSICOS – TERMINOLOGIA

A educação à distância é caracterizada pelo en- de aprendizagem (distingue-se da convencional


sino e aprendizagem ofertados através dos meios educação presencial);
de comunicação, sendo que, a princípio, os alu- II. A influência de uma organização educacio-
nos e seus professores não se encontram pes- nal, tanto no planejamento e na preparação de
soalmente. Um ou mais meios são usados para materiais de aprendizagem, quanto na prestação
a interação e a comunicação, sendo que nesse deapoioaoaluno(estadistinguedoestudopriva-
sentido nos referimoscomoensinoe aprendiza- do e programas do tipo Aprenda Você Mesmo);
gem mediados. III. Autilização de meiostécnicos– impressão,
A educação à distância é baseada na comuni- áudio, vídeo ou computador – para unir professor
caçãonãocontíguaentreo estudanteeaorgani- ealunoelevaroconteúdodocurso;
zação.Estacomunicaçãoé de,pelomenos,dois IV. A prestação de comunicação de duas vias
tipos: de um lado, há o tráfego de aprendizagem para que o alunopossa se beneficiar ou mesmo
sob a forma de materiais pré-produzidos envia- iniciarodiálogo(oqueadiferenciadeoutrosusos
dos pela organização de apoio aos estudantes;do da tecnologia na educação); e,
outrolado,háotráfegonosdoissentidos,ouseja, V. A ausência quase permanente do grupo de
a interação entre os alunos e a organização de aprendizagemao longo daduraçãodoprocesso
apoio.Hojeem diaé, também,possíveleampla- de aprendizagem, em que pessoas geralmente
mente praticada a interação aluno-aluno. são ensinadas como indivíduos e não em gru-
pos, com a possibilidade de encontros ocasionais
tanto para fins didáticos quanto de socialização
DIFERENÇA ENTRE EDUCA- ÇÃO À (Keegan, 1990, p. 44). Ainda para essa carac-
DISTÂNCIA E A EDUCAÇÃO terística, deve ser adicionada a possibilidade de
TRADICIONAL: trabalhonãocontíguoemgrupo,pormeiodatec-
nologia moderna.
As linhas de demarcação da educação à dis- Normalmente,os alunosàdistânciaestudamo
tânciatêmcausadomuitadiscussão.Adefinição material do curso especialmente preparado para
mais lúcida e analítica foi fornecida por Keegan eles, o qual é dividido em unidadesque se con-
(1990 e 1998), que identifica cinco características sidera ser de tamanho adequado e contendo o
ediferençasentreaeducaçãoeaprendizagemà gabarito dos exercícios. Depois de concluiro es-
distância e aeducação tradicional, ou seja: tudo de uma unidade curricular é dada uma tarefa
ao aluno, que será posteriormente submetida à
I. A separação quase permanente deprofes- organização de apoio, que a corrige, comenta e
sore alunodurante todaa duração do processo devolveparaoestudante.Essainteraçãonãoéa

14 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE II: CONCEITOS E PRINCÍPIOS BÁSICOS – TERMINOLOGIA

única, podendoocorreroutrostipos de interação a Distância (hoje Conselho Internacional de Edu-


entreestudanteeuniversidade. O que é notável caçãoAbertaeà Distância). Na América do Nor-
é que a educação à distância pode trazer te, a designação estudo independente era ampla-
relações um-para-um, com cada aluno mente usada para a educação universitária por
interagindo pessoalmente com o seu tutor, sendo correspondência. No entanto, muitoseducadores
algo considerado excepcional na educação, e instituições que ofertavam cursos àdistância
principalmente nos tradicionais tutoriais de não consideravam o termo adequado(WEDE-
Oxford e Cambridge. MEYER, 1981).

DIFERENÇA ENTRE EAD E O PAPEL DO PROFESSOR-TUTOR NO


ENSINO ABERTO. EAD.
A educação à distância é, muitas vezes, errada- O professor que trabalha com EAD é chama-
mente identificada como ensino aberto. Enquan- do de tutor e para atuar nessa função tem de ter
toa EADrepresentaumamodalidadedeensino- nível superior e experiência mínima de um ano
-aprendizagem que permite ao aluno não estar nomagistériodoensinobásicoousuperiorouter
fisicamente presente em um ambiente formal, ou estar cursando alguma pós-graduação (FER-
havendoaindaa separaçãotemporale espacial NANDES, 2013).
entre professor e aluno, cuja interação ocorre Esse profissional possui o papel de orientador
por meio de tecnologias como, por exemplo, a emediador,devendoacompanharodesenvolvi-
internet, CD-ROM, vídeos, correio, rádio, televi- mento dos alunos ao longo do curso. Portanto, é
são, celular, telefones, entre outros; a educação de sua responsabilidade orientar os alunos nos
aberta permiteà pessoarealizaratividadessem estudos, explicarquestõesrelativas aos conteú-
restrições, tendoliberdadeparadefinirinícioe fi- dos abordados, sanar as dúvidas e avaliar o de-
nal de suaaprendizageme os conteúdos de seu sempenhodosalunosnodecorrerdocurso(MA-
interesse,podendorealizarseucursoviaeduca- CHADO, 2004). Além disso, devem estarciente
çãoà distância ou presencial(TEIXEIRA, 2009). das diferentes formações educacionais de seus
Portanto, os dois tipos de educação são distintos, alunos, das dificuldades, pessoais e profissionais,
mas podem ocorrer simultaneamente. de cada um deles, da distância existenteentre
O termo educação à distância começou a ser eles, entre outras barreiras ao plenoaproveita-
usado na décadade 1970e foioficialmenteado- mento do curso.
tado em 1982, quandoo Conselho Internacional Para que o professor-tutor possa desempe-
de Educação por Correspondência mudou seu nhara função tem deter conhecimentos sobre as
nome para Conselho Internacional de Educação

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional. 15
UNIDADE II: CONCEITOS E PRINCÍPIOS BÁSICOS – TERMINOLOGIA

tecnologiasadotadas na EAG e estarcientedas II. Oeloentreoalunoeainstituição;


mudanças queessetipode ensinotrouxeparao III. Umprofissionalquetrabalhedeacordocom
seuperfilenquantoprofissional,poisalémdoco- os valoresmoraise éticos, repassando ao aluno
nhecimento técnicobásico, torna-se necessário a importância dessa postura como indivíduo e
queeleseja(ARRIADAetal,2005): membro da sociedade.
I. Um professor que motive, estimule e incentive O Quadro I faz uma comparação entre as fun-
os alunos e, ao mesmo tempo, demonstre conhe- ções do professor e do tutor, através das carac-
cimento, credibilidade e empatia, criando uma re- terísticas dos tipos de educação, presencial e à
lação de troca saudável eharmoniosa; distância.

QUADRO 1: PARALELO ENTRE AS FUNÇÕES DO PROFESSOR E DO TUTOR


EDUCAÇÃO PRESENCIAL EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
Conduzida pelo Professor Acompanhada pelo tutor
Atendimento ao aluno, em consultas individualiza-
Predomínio de exposições o tempo inteiro das ou em grupo, em situações em que o tutor
maisouvedo quefala
Processo centrado no professor Processo centrado no aluno
Diversificadas fontes de informações (material im-
Processo como fonte central de informação
presso e multimeios)
Interatividade entre aluno e tutor, sob outras for-
Convivência, em um mesmo ambiente físico, de
mas, não descartadaa ocasiãopara os momen-
professores e alunos, o tempo inteiro
tos presenciais
Ritmo determinado pelo aluno dentro de seus pró-
Ritmo de processo ditado pelo professor
prios parâmetros
Múltiplasformas de contato,incluídaaocasional
Contato face aface entre professor ealuno
face aface
Elaboração, controle e correção das avaliações Avaliação de acordo com parâmetros definidos,
pelo professor emcomumacordo,pelotutorepeloaluno
Atendimento, pelo professor, nos rígidos horá- Atendimentopelotutor,comflexíveishorários,lu-
riosde orientaçãoesalade aula gares distintos e meios diversos
Fonte: SÁ, Iranita. Educação a Distância: Processo Contínuo de Inclusão Social. Fortaleza: CEC, 1998, p. 47.

PERFIL DO ALUNO DE EAD da educaçãoà distância, sendo em sua maioria


Existem diferentes tipos de alunos que fazem uso adultos. Entre estes, o estudante típico é um in-

16 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE II: CONCEITOS E PRINCÍPIOS BÁSICOS – TERMINOLOGIA

divíduo que está na EADa fim de adquirircom- fessores devidamente treinados nas disciplinas
petência para pode ter acesso à universidade, a serem estudadas. Assim, por razões
para ter um curso de licenciatura ou bacharela- evidentes, este tipo de EAD é mais comum na
do,aumentar a sua empregabilidade, buscaruma África, por exemplo, do que na Europa. Há
melhor colocação no mercado de trabalho, ter as- ainda a EAD uti- lizada em treinamentos de
censão hierárquica na empresa, aprender habi- pessoal e em vários tipos de aprendizagem em
lidades específicas (contabilidade, língua estran- grupo e sob a supervisão de um tutor
geiraetc.),entreoutras.Existemtambémalguns especialista em dada área (tra- balhista,
estudantesquequeremaprenderporumaques- administrativa, custo, processamento de dados,
tão de desenvolvimento pessoal e educacional, entre outras).
por si só, sem qualquer finalidade prática. Além I. Um professor que motive, estimule e incentive
disso, muitosestudantes de universidadestradi- os alunos e, ao mesmo tempo, demonstre conhe-
cionais fazem uma ou mais disciplinas em cursos cimento, credibilidade e empatia, criando uma re-
de EAD, buscando enriquecer seu currículo ou lação de troca saudável eharmoniosa;
mesmo diminuindo o tempo necessário para a II. Oeloentreoalunoeainstituição;
sua formação, antecipando matérias. III. Umprofissionalquetrabalhedeacordocom
Outra categoria de estudantes da EAD são aque- os valoresmoraise éticos, repassando ao aluno
les que estudam em grupos ou classes, intera- a importância dessa postura como indivíduo e
gindo um como outro e com um tutor on-line, no membro da sociedade.
entanto, essa forma ainda não é tão usual, pre- O Quadro I faz uma comparação entre as fun-
valecendo o ensino individualizado, onde o alu- ções do professor e do tutor, através das carac-
no distribuiseutempoda maneira que lheémais terísticas dos tipos de educação, presencial e à
conveniente. distância.
Ainda há a categoriados estudantes que apren-
dem soba supervisão de outrapessoa. Éocaso
de criançase jovens que sãoapoiados por adul- TESTE DE CONHECIMENTO
tos tutores, que podem não seracademicamente UNIDADE II:
competentes para ensinar, mas que funcionam
como organizadores e consultores em escolas 1. Em relação à educação à distância, marque
ou classes em que cadaalunorecebecursosde a opção errada:
educaçãoàdistância.É um tipo de escolaridade
que ocorre em áreas pouco habitadas ou em lo- a) É caracterizada pelo ensino e aprendizagem
cais onde não há um número suficiente de pro- ofertados através dos meios de comunicação.
b) Umoumaismeiossãousadosparaainte-

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional. 17
UNIDADE II: CONCEITOS E PRINCÍPIOS BÁSICOS – TERMINOLOGIA

ração e a comunicação entre aluno e instituição, indiscriminadamente.


sendo que nesse sentido nos referimos como c) Ensino, Educação, Ensino,Educação, in-
ensino e aprendizagem mediados. discriminadamente.
c) Naeducaçãoa distâncianãohápossibi- d) Educação, Educação, Educação,Ensi-
lidade de encontros presenciais. no, raramente.
d) É baseada na comunicação nãocontí- e) Ensino, Educação, Educação, Educa-
guaentreoestudanteeaorganização. ção,indiscriminadamente.
e) Na educaçãoà distância o aprendizado
sedáatravésdemateriaispré-produzidoseen- 3. As características da educação à distân-
viados pela organização ao estudante e, tam- ciaquea distingue daeducação tradicionalsão
bém, através da interação, viameios de comu- as citadas, exceto:
nicação, entre os alunos e a organização. a) Aseparaçãoquasepermanente de pro-
fessor e aluno durante toda a duração do pro-
2. Leiaa afirmativa:SegundoLandim(1987, cesso de aprendizagem.
p. 4) “ é instrução, trans- b) Autilização de meiostécnicos– impres-
missão de conhecimentos e informações, ades- são, áudio, vídeo ou computador– para unir
tramento, treinamento; e professorealunoelevaroconteúdodocurso.
é a prática educativa, processo de ensino e c) Aspessoas geralmente são ensinadas
aprendizagem que levao indivíduo a aprender como indivíduos e não emgrupos.
a aprender, a saber pensar, criar, inovar, cons- d) A prestação de comunicação de duas
truir conhecimentos, participar ativamente de viaspara que o aluno possa se beneficiarou
seuprópriocrescimento.É umprocessodehu- mesmo iniciar o diálogo.
manização que alcança o pessoal e o estrutural, e) A realização de trabalho contíguo em
partindo da situação concreta em que se dá a grupo.
ação educativa numa relação dialógica”. Assim,
o corretoé a Distância e 4. O processo de ensino-aprendizagem
não a Distância, porém boa básico na educação àdistância ocorre em uma
partedaspessoaseatédosprofissionaisusam dada sequência. Enumere essa sequência:
osdoistermos . I – O alunorecebeo material do cursoe o es-
Marque a opção correta: tuda.
a) Educação, Ensino, Educação, Ensino, rara- II – Atarefacomentadaédevolvidaparao es-
mente. tudante.
b) Ensino, Educação, Educação, Ensino, III -Oprofessor-tutordáamatériaon-line.

18 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE II: CONCEITOS E PRINCÍPIOS BÁSICOS – TERMINOLOGIA

IV – Depoisderealizadaa tarefa,estaésub- ções.


metida à organização de apoio, que a corrige e d) Explicar questões relativas aos conteúdos
comenta. abordados e sanar as dúvidas.
V- Ainstituição envia omaterial para oaluno. e) Avaliarodesempenho dos alunos no decor-
VI – O aluno estudao materialem grupo e tira rerdocurso.
as dúvidas com o professor.
VII - Aoconcluiro estudode umaunidadecurri- 7. Para que possa desempenhar bem sua fun-
cularé dadaumatarefaaoaluno. ção, o professor-tutor deve:
Marque a sequência correta: a) Estar ciente das diferentes formações educa-
a) V,I,VII,IV,II. cionaisdeseusalunose dasdificuldadespesso-
b) I, VI, III, VII, IV. aiseprofissionaisdecadaumdeles.
c) IV, III, VI, VII, II. b) Ter conhecimentos sobre as tecnologias ado-
d) IV, III, VII, II, VII. tadas na EAG.
e) V,I,VI,VII,II. c) Estarciente das mudanças que essetipo de
ensino trouxe para o seu perfil enquanto profis-
5. Qualéacaracterísticaquedistinguea edu- sional.
cação à distância do ensino aberto? d) Motivar, estimular e incentivar os alunos e, ao
a) Permite ao aluno não estarfisicamentepre- mesmo tempo, demonstrar conhecimento, credi-
sente em um ambienteformal. bilidadeeempatia,criandoumarelaçãode troca
b) O material pode serfornecido por meio de saudável e harmoniosa.
CD-ROM, vídeos, internet, entre outros. e) Todas as características/habilidades citadas
c) Separação temporal e espacial entre profes- são necessárias ao profissional de EAD.
sorealuno.
d) Liberdadeparadefinirinícioefinal desua 8. Preencha a segunda coluna de acordo com
aprendizagem e os conteúdos de seuinteresse. a primeira.
e) Ainteraçãoocorre por meio de diversastec-
nologias. I –Educação presencial. II–
Educação àdistância.
6. Todasasalternativascitadassãopapéisdo
professor-tutor, exceto: ( ) Processo centrado no professor.
a) Papel de orientador e mediador. ( ) Ritmo determinado pelo alunodentro de
b) Orientar os alunos nosestudos. seus próprios parâmetros.
c) Professor-tutor é fonte central de informa- ( )Atendimento ao aluno, em consultas indivi-

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional. 19
UNIDADE II: CONCEITOS E PRINCÍPIOS BÁSICOS – TERMINOLOGIA

dualizadasouemgrupo,emsituaçõesemqueo 10. Todas as alternativas abaixo são vantagens


tutor mais ouve do que fala. da EAD, exceto:
( ) Predomíniodeexposiçõeso tempointei- a) Menorcustoparaoaluno.
ro. b) Ritmo do estudoédeterminadopeloprofes-
( ) Elaboração, controle ecorreção das ava- sor.
liações pelo professor. c) OalunopossuimaiorautonomianaEAD.
d) Acesso ao Ambiente Virtual de Aprendiza-
( ) Processo centrado noaluno. gemaqualquertempoelugar.
( )Avaliação de acordo com parâmetros defi- e) Materiais didáticos impressos incluso na
nidos, em comum acordo. mensalidade.
( ) Convivência, em ummesmo ambiente
físico,deprofessoresealunos,otempointeiro.
( )Interatividadeentrealunoetutor,sob
outras formas, não descartada a ocasião para os
momentos presenciais.
( ) Ritmo de processo ditado pelo professor.

9. Em relação ao perfil do aluno de EAD,


marque a opção errada.
a) Em suamaioriasãoadultosetemfacilidade
para desenvolver estudos individuais.
b) A maioria busca adquirir competência para
melhorar a sua empregabilidade e/ou uma me-
lhor colocação no mercado de trabalho.
c) Parte dos alunos busca o aprendizado para
ter um melhor desenvolvimento pessoal e educa-
cional.
d) A maioria dos alunos tem dificuldades para
estudar em grupo.
e) Parte dos alunos busca desenvolver habilida-
des para atuar em áreasespecíficas.

20 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE III

MÍDIAS INTERATIVAS
E AMBIENTES VIRTUAIS
UNIDADE III: MÍDIAS INTERATIVAS E AMBIENTES VIRTUAIS

Desde que a EAD começou a se multiplicar na como a London School of Economics, uma das
web, muitas discussões sobre a sua estrutura, primeiras no Reino Unidoaofereceraeducação
eficiência e abertura foram aparecendo, surgindo à distância (BATES, 2001).
as maisvariadasopiniõesecríticasarespeitode No entanto, esta primeira geração aindaestava
suautilidadee eficiência. Entre os críticosestão, longe de atingir um número maciço de estudan-
principalmente, os estudantes, professores, es- tescomoa EADestáfazendohoje. Oestudopor
pecialistas eme-learning (ensino eletrônico), aca- correspondência só predominou até a chegada
dêmicoseamídia. dos meios de comunicação eletrônicos, que leva-
Ao conhecer a história da EAD entendemos por ramàpopularizaçãodorádioedatelevisãocomo
quetantasuniversidadesestãocriandoessetipo ferramentas educacionais no século 20, levando
de ensino e um enorme número de estudantes professoresealunos de todas as partes do mun-
está se juntando a elas. A evolução da tecnolo- do a tirarem proveito da nova tecnologia. Aqueles
gia e as novas experiências de aprendizagem que não tinham acesso à aprendizagem formal
sempre estiveram intimamente relacionadas. Os poderiam assistir ou ouvir aulas de graça, onde
especialistas em ensinoàdistânciaafirmamque quer que estivessem. O conteúdo foi adaptado
o campo da relação distância-aprendizagem teve para alcançar diferentes tipos de público e, até
três gerações principais: mesmo, estudantes em áreas remotas poderiam
I. Estudo por correspondência; ter conhecimentos em disciplinas acadêmicas
II. Multimídia; (MASON, 1988).
III. Mediada por computador. Mas um fator pedagógico principal ainda falta-
va, os estudantes quase não tinham interação
O primeiro desses modelos de educação à com professores e outros estudantes. Fitas de
distância cresceu exponencialmente na Europa videocassete foram usadas por muitas iniciativas
e nos Estados Unidos após a Revolução Indus- de ensino à distância, mas foram criticadas por
trial, especialmente porque era necessário formar causa de suapassividade.Ageraçãomultimídia
uma força de trabalho mais qualificada para as tinhapopularizadoa educaçãoàdistânciae per-
fábricas que estavam surgindo. Além disso,os mitiu novas possibilidades, mas só os computa-
serviços postais foram se tornando mais rápidos, doreseawebpoderiamunirforçasparafornecer
mais baratos e mais confiáveis, facilitando o inter- uma nova infraestrutura de ensino, construída
câmbio entre instituições e alunos. Um exemplo principalmente em cima de redes e comunidades
dessa interação são os estudantes australianos on-line (DEMIRAY & MCLSAAC,1993).
que,jánoséculo19,estavamfazendocursospor Uma influência para muitas outras idéias no
correspondência em universidades de prestígio futuro, a educaçãoà distância revitalizada com-

22 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE III: MÍDIAS INTERATIVAS E AMBIENTES VIRTUAIS

binou instrução por correspondência, difusão e quemudouaformacomonosrelacionamoscom


publicaçãocomplementar, cursos de curtadura- oscomputadores,poisé defácilmanuseio.Mes-
çãoresidenciaise serviços de apoioa nívellocal mo as pedagogias regulares – livros didáticos
e regional. Seus fundadores acreditavam que tec- formais e trabalhos escritos – foram influenciadas
nologias decomunicaçãopoderiamserexplora- pelas tecnologias digitais como a plataforma Bla-
dasparaproporcionargrausdealtaqualidadeno ckboard, levandosalas de aulafísicasparainte-
ensino. grarconhecimentoscominterfaces dehardware
Enquanto isso, outra iniciativa surgiu no Reino esoftware (DEMIRAY&MCLSAAC,1993).
Unido em 1969 – a Open University (universida- Umexemplodessaintegraçãoé autilizaçãoda
de aberta), já abordada anteriormente. E o plataforma EDX . O professor Eric Landen de Har-
mais importante é que essa universidade vard/USA,famoso por seu trabalho pioneiro sobre
adotou uma política aberta para permitir que o projeto genoma humano, faz uso da plataforma
mais alunos ti- vessem acesso ao EDXemsuasaulasdeIntroduçãoà Biologia.Ele
conhecimento acadêmico. Hoje em dia, essas decidiugravarsuaclasse do ensinoregulare, no
instituições também oferecem cursos on-line e decorrer das mesmas, ele não se dirige apenas
tem uma forte comunidade de estudantes em aos alunos que estão na sala física,mantendo
muitos países, pois adotou a filo- sofia Massive contatoeabordando os alunos de graduaçãodo
Open Online Course (Mooc) , por ser baseada Instituto de Tecnologiade Massachusetts(MIT)/
em uma abordagem especial para o ensino USAe, de vez em quando, eleolhaparaacâme-
superior: a conectividade das ra e fala diretamente aos estudantes de todo o
redessociais, o conhecimento de um especia- mundo através de seus computadores. Claro que
lista em determinada área e a coleção de recur- não podemos levantar as mãos e fazer pergun-
sos on-line abertos (BATES, 2001). tas,mas a EAD vai oferecer muitas ferramentas
Como se pode imaginar, a geração de educa- para esse tipo de interação, tais como fóruns e
ção à distância mediada por computador só se grupos de estudo em redessociais.
tornará completa quando todos os indivíduos ti- O primeiro curso à distância foi lançado em
verem acesso à tecnologia por meio de computa- 2008, sendo chamado de “conectivismo e conhe-
dores pessoais conectados à Internet. Na década cimento conjuntivo” (CCK8).Cerca de 2.200 pes-
de 90, os educadores rapidamente aproveitaram soas se inscreveram para participar do CCK8 e
das melhorias digitais para fins de ensinocomo, 170 deles criaram seus próprios blogs. O curso
por exemplo,o Compact Disc - Read Only Memory foi gratuito e aberto, o que significava que qual-
(CD-ROM),que pode armazenar maisinforma- quer um poderia participar, modificar ou remixar o
çõesqueosdisquetes,eosoftwareuser-friendly
5SegundoMattae Figueiredo(2013,p.1)“apopularizaçãodo computadore dainternetabriua possibilidadedosaprendizesseremautônomosna buscadeconhecimento.Nestesentido,
desenvolveram-sediversosmodelosdecursos,dentreestes,oMassiveOpenOnlineCourse(MOOC).Estemodelointegraostrêselementoscitadosnotexto.Nãosóesteselementossãoim-
portantes,mastambémonúmerodeinscritosnocurso.Nestesentido,suaprincipalcaracterísticaéofatodepermitirumengajamentoativodedezenasoucentenasdemilharesdeestudantes que
auto-organizam sua participação de acordo com suas metas, conhecimentos prévios, habilidades e interesse comum”. Disponível em: http://www.ead.unb.br/arquivos/artigos/mooc_artigo.

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional. 23
UNIDADE III: MÍDIAS INTERATIVAS E AMBIENTES VIRTUAIS

conteúdo sem pagar nada, embora a opção paga formas de EAD podem ter objetivos diferentes,
para obtenção de certificado tenha sido oferecida maso que elastêm em comumé a ligaçãoentre
(MASON,1998). alunos e professores (MASON, 1998).
Em 2012, outro experimento chamou a atenção Nesse contexto, percebemos que, cada vez
dos acadêmicos. Dois professores de Stanford/ mais,oconhecimentoeainformaçãopodemser
USA, Sebastian Thrun e Peter Norvig, decidi- facilmente transformado em código binário e rapi-
ram oferecer “Introdução à Inteligência Artificial” damente transmitido para qualquer lugar do mun-
gratuitamente e on-line, sendo que o projeto as- do,aqualquerum,bastandoparaissoumclique.
semelhava-se às experiências de sala de aula
reais e oferecia aulas de alta qualidade para to-
dos.Mais de 160 mil alunos, em 190 países, se TESTE DE CONHECIMENTO
inscreveram, o que ultrapassou todas as expec- UNIDADE III:
tativas em termos de inscritos. Isto levou esses
dois professores a construir um novomodelo de 1. Os especialistas em ensinoàdistânciaafir-
negócios para o conhecimento on-line, a platafor- mamqueo campoda relaçãodistância-aprendi-
ma Udacity, primeira a oferecer cursos gratuitos zagem teve três gerações principais, quesão:
de universidades renomadas. Não demorou mui- a) Estudo por correspondência, multitécnicae
to até que outros professores adaptassem suas mediada pela internet.
idéias usandorecursos próprios e,dentro de um b) Estudo por correspondência, multimídia e
ano, surgiu aplataforma Coursera. Essa platafor- mediado por computador.
ma, de origem norte-americana, se tornou uma c) Estudo formal, tradicional e pormultimídia.
das mais importantes plataformas de cursos on-li- d) Estudo por correspondência, via correios e
ne gratuitos (DEMIRAY & MCLSAAC,1993). multimídia.
Em 2013, a Universidade Aberta construiu a sua e) Estudotradicional,viacorreioemediadopor
própria plataforma EAD, a Futurelearn, que conta multimeios.
com várias universidades do Reino Unido. Há ain-
damuitasoutrasiniciativasde EADindependen- 2. Complete a sentença: Oestudo por
tes como, por exemplo, a plataforma Open2Study , primeiro modelo de
naAustráliae IversitynaAlemanha.Essasplata- educaçãoà cresceu
ex-
9 O CD-ROM: podem armazenar qualquer tipo de conteúdo, desde dados genéricos, vídeo,áudio ou mesmo conteúdo misto. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/CD-ROM. Acessado em:
06 jul. 2015.
10 Software user-friendly: é um sistema operacional que se deixa operar e comandar facilmente.Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/CD-ROM. Acessado em: 06 jul. 2015.
11PlataformaBlackboardLearn:ajudaoindivíduoareuniroconjuntodeferramentasadequadoparaoferecerumaexperiênciadeaprendizagemmaiseficaz.Atingecadaparticipanteemseus

dispositivospreferidoseemqualquerlugar.Ampliaoacessoàtecnologiaeremovebarreirasdeacesso,demodoquevocêpossaconcentrar-senaquiloqueéfundamental,gerenciandoresulta-
dos e melhorando o desempenho em tempo real.Disponível em: blackboard.grupoa.com.br /. Acessado em: 05 jul. 2015.
12 Hardwareesoftware:oprimeiroéapartefísicado computador,ouseja,oconjuntodeaparatoseletrônicos,peçaseequipamentosquefazemocomputadorfuncionar.Osegundoéaparte

lógica do computador, ou seja, a manipulação, instrução de execução, redirecionamento e execução das atividades lógicas das máquinas. Disponível em: www.mundoeducacao.com/informatica/
hardware-software.htm. Acessado em: 13 jul.2015.
13 PlataformaEDX: plataforma on-line criada pela Universidade de Harvard e pelo MIT para oferecer cursos livres e gratuitos para milhares de alunos. Disponível em: porvir.org/wiki/edx. Acessado

em 06 jul. 2015.

24 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE III: MÍDIAS INTERATIVAS E AMBIENTES VIRTUAIS

ponencialmente na Europa e nos Estados Unidos b) Acomunicaçãoentrealunoe instituiçãoera


após a , bem mais difícil.
especialmente porque era necessário formar uma c) Ainteraçãoentreprofessoreestudantequa-
força de mais qualificada se não existia,
para as (os) que d) O conteúdo das fitas de videocassete era pa-
estavam dronizado, o que dificultava a sua integração às
surgindo. diversas culturas.
a) Correspondência, distância, Revolução In- e) Popularizou o ensinoà distância, mas na
dustrial, trabalho, fábricas. época não conseguiu avançar devido ao alto cus-
b) Computador, distância, Revolução comercial, to para as empresas.
mão de obra, serviços.
c) Correspondência, distância, Revolução co- 5. Emrelaçãoà universidadeaberta,marque
mercial, trabalho, fábricas. a opção errada:
d) Computador, distância, Revolução comercial, a) Atualmente oferece cursos on-line e tem uma
trabalho, empresas. forte comunidade de estudantes em muitos paí-
e) Correspondência, distância, Revolução In- ses.
dustrial, mão de obra, empresas. b) Adotou a Massive Open Online Course
(MOOC).
3. O estudo por correspondência predominou c) Adotou uma metodologia que conjugaa co-
até a popularização do: nectividade das redes sociais, o conhecimento de
a) Telefone e rádio. um especialista em determinada área e a coleção
b) Telefone e computador. de recursos on-line abertos.
c) Rádio e televisão. d) Combinou instrução por correspondência,
d) Televisão e computador. difusão e publicação complementar, cursos de
e) Rádio e computador. curtaduração residenciaise serviços de apoio a
nível local e regional.
4. Os recursos multimídia popularizaram a e) Adotouumapolíticaabertaparapermitirque
educação à distância e permitiu novas possibili- mais alunos tivessem acesso ao conhecimento
dades para esse ramo do ensino. No entanto, a acadêmico.
sua utilização apresentava diversas dificuldades,
exceto: 6. Na década de 90, os educadores rapidamen-
a)Asfitasdevideocasseteforammuitousadas teaproveitaramdasmelhoriasdigitaisparafinsde
no ensino à distância, mas foram criticadas pela ensino. Entre essas melhorias, pode-secitar:
sua passividade.

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional. 25
UNIDADE III: MÍDIAS INTERATIVAS E AMBIENTES VIRTUAIS

a) CD-ROM. 8. Como se pode imaginar, a geração de


b) A plataforma EDX. educação à distância mediada por computador
c) Software user-friendly. só se tornará completa quando todos os indivídu-
d) A plataforma Blackboard. os tiverem:
e) Todas alternativas acima. a) Interesse em participar.
b) Oportunidade de participar.
7. Complete a sentença: Segundo Motta e c) Acesso à tecnologia por meio de computado-
Figueiredo (2013, p. 1) “a popularização do (a) res pessoais conectados à Internet.
e do (a) d) Acesso à internet.
abriua possibi- e) Disseminação de lan-house por todo opaís.
lidadedos aprendizesserem
na buscade . Nestesenti- 9. APlataforma EDX é umaplataformacriada
do,desenvolveram-sediversos modelos de cur- pela Universidade de Harvard/USA e pelo Insti-
sos, dentre eles o Massive Open Online Course tuto de Tecnologia de Massachusetts (MIT/USA)
(MOOC),quetemcomosuaprincipalcaracterís- para oferecer:
tica o fato de permitir um engajamento ativo de a) Cursos on-line de curta duração para seus
dezenas ou centenas de milhares de estudantes graduandos.
que auto-organizamsuaparticipação de acordo b) Cursosoff-lineparatodoequalquerinteres-
comsuas , sado.
conhecimen- tos prévios, e c) Cursos on-line para seusdiscentes.
comum”. d) Cursos on-line livres e gratuitos para milhares
de alunos.
a) Computador, softwares, hardwares, habilida- e) Cursos off-line para seusprofessores.
des, metas, performance, vontade.
b) Computador, internet, autônomos, conheci- 10. AplataformaEDXfoiumainovaçãoporper-
mento, metas, habilidades, interesses. mitir que o professor:
c) Educação à distância, internet, independen- a) Transmitasuasaulas,aovivo,paraomundo
tes, performance, objetivos, metas,habilidades, todo.
vontades. b) Converse on-line com seusalunos.
d) Ensino à distância, software, autônomo, inde- c) Grave suas aulas.
pendentes, desenvolvimento, noção, interesse. d) Transmita suas aulas gravadas on-line.
e) Computador, hardware, dependente, habili- e) Converse on-line com alunos de escolas
dades, objetivos,vontade, desejo. conveniadas.

26 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE IV

METODOLOGIA DO
ENSINO À DISTÂNCIA
UNIDADE IV: METODOLOGIA DO ENSINO À DISTÂNCIA

As contínuas inovações socioculturais impul- álogo com o professor;


sionadaspelaevoluçãotecnológicavêmexigin- VI. Tem encontros ocasionais presenciais com
do práticaseducacionaismais condizentescom objetivos didáticos e de socialização.
omundoatual, onde as informaçõesacontecem
em tempo real, vinculadas através de tecnologias Aregulamentaçãoda Educaçãoà Distânciano
mais eficientes e acessíveis. O sistema Brasil acompanhou a Lei de Diretrizes e Bases
educacional precisa tornar-se flexível e estar (LDBEN), nº 9.394/96. Essa regulamentação
aberto para que possa cumprir a sua função se deu, inicialmente, através dos Decretos nº
social que é a de ensinar, adaptando-se ao 2.494/1998 e do nº 2.561/1998. A regulamenta-
tempo presente e à pluralidade dos alunos e çãodaEducaçãoà Distânciadefinidanotextodo
regiões. Decreto nº 2.494/1996 era:
O EAD é uma forma efetiva de propagação do [...] uma formade ensinoque possibilita a au-
conhecimento que possibilita o rompimento das toaprendizagem, com a mediação de recursos
didáticos sistematicamente organizados, apre-
distâncias espaciais, viabiliza a interatividadee sentados em diferentes suportes de informação
que deve se efetivar buscando a qualidade do utilizada isoladamente ou combinada, e vin-
culada pelos diversos meios de comunicação
ensino. Na EAD, o processo de ensino- (Art.1º).
aprendiza- gem se dá através de meios
tecnológicos, do livro didático,do professor web, Em 2005, o Ministério da Educação e Cultura
do professor conferencista, do tutor à distância e (MEC) revê o decreto nº 2.494/1998 e a portaria nº
do presencial, alémde atividades que suprem a 301/1998,assinapartirdodecretonº5.622/2005
ausência física do professor em tempo integral. define a caracterização da Educação à Distância:
As características apontadas por Keegan (1996)
Caracteriza-se a Educação a Distânciacomo
paraadefiniçãodeEADsão: modalidade educacional na qual a mediação
I. A separação física entre professor e aluno du- didático/pedagógica nos processos de ensino e
aprendizagem ocorre com a utilização de meios
rante quase todo o processo educativo; e tecnologias de informação e comunicação,
II. Aseparaçãodoalunodeumgrupodeapren- com estudantes e professores desenvolvendo
atividades educativas em lugares ou tempos
dizado; diversos (Art. 1º).
III. A participação de uma organização educa-
cional, contendo planejamento, sistematização, Apesar de ser considerada de alto custo, a im-
plano, projeto e organizaçãodirigida; plantação do EAD tem como principais vanta-
IV. O uso de váriastecnologiase mídiasparaa gens a permanência do aluno em seu ambiente
distribuição do conteúdo do curso; profissional e/ou familiar, o respeito ao seu ritmo
V. A comunicação é de “mão dupla”, ou seja, individual, maiorfacilidade de acesso em níveis
permitequeo alunotambémpossainiciarum di-

28 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE IV: METODOLOGIA DO ENSINO À DISTÂNCIA

deestudoereduçãodecustosparaoestudante. seu conhecimento, o aluno precisa elaborar, refle-


No Brasil, existe uma imensa diversidade socio- tire reelaboraroconteúdoestudadocomaajuda
culturaleumagrandeparcela dapopulaçãonão do material impresso e das tecnologias interati-
temacesso às tecnologias de informação,oque vas. Segundo Aretio (1996) são funções da EAD:
faz com que a educaçãoà distânciatenhaabor- I. A democratização do acesso à educação;
dagens diferenciadas. Na EAD mesmo estando o II. A fomentação de uma educação permanente
alunoeoprofessorseparadosnotempoe noes- e aperfeiçoamento profissional;
paço, as novas tecnologiasviabilizamo suporte III. A possibilidade de uma aprendizagem autô-
necessário à aprendizagem. noma, ligada à experiência;
A disponibilização de tecnologias de informação iv. Implantação de educação de qualidade.
e comunicação não é o bastante para assegu-
rar uma aprendizagem de qualidade. Para uma A EAD é um sistema aberto exercido por inter-
Educação à Distância eficiente faz-se necessário disciplinaridade, comparticipaçãoe controlefle-
uma infraestrutura apropriada e recursos tecno- xível e a elaboração dos ambientes depende do
lógicos para o planejamento de cursos e desen- envolvimento de educadores, programadores,
volvimento de conteúdos. O ambiente desenvolvedores de ambientes computacionais,
educativo deve favorecer uma aprendizagem dentre outros. A Internet e suas ferramentas (vi-
significativa e os estudantes da EAD precisam deoconferência e softwares de reunião eletrôni-
do mesmo su- porte e condições que têm ca) abrem uma nova dimensãoeducacional.
aqueles do sistema presencial. Os ambientesvirtuais de aprendizagemdispo-
Dessa forma, através das tecnologias de in- nibilizam informações, possibilitam a interativida-
formação e de comunicação os conhecimentos de e potencializam a aprendizagem sendo que
históricos e atuais são apresentados de forma os recursos dessa tecnologia (softwares, hardwa-
significativa, as dúvidas dos alunossãoesclare- re, groupware) permitemgrandeinteratividadee
cidas, os conhecimentos tecnológicos são viven- possibilita a criação de redes de comunicação,
ciados,acontecemtrocasdeideiasedeinforma- sintonizando a educação com as grandes mu-
ções, as barreiras geográficas e temporais são danças sociais.
vencidas, aliando-se virtualidade e interatividade. Uma ação pedagógica de qualidade promo-
Paulo Freire (1989, p. 23) afirma que “ensinar ve ações de intercâmbio e uma eficiente inte-
não é transferirconhecimento, mas criarcon- ração entre os participantes, trabalho coletivo,
dições para que ele ocorra” e a EAD possibilita discussão em grupo, cooperação, contribui-
condições para aconstrução de conhecimento ção e parcerias. Desta forma, as universida-
de forma dinâmica e eficaz. Para a construção do des que oferecerem uma prática pedagógica

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional. 29
UNIDADE IV: METODOLOGIA DO ENSINO À DISTÂNCIA

que propicie a conquista dessa nova propo- Mason (1998) desenvolveu um estudo sobre
sição na modalidade à distância, estarão na modelos de cursos on-line que apresenta as-
vanguarda quanto à aprendizagem dos seus pectos que serve de guia para as instituições
alunos para o mundo do trabalho e da vida que ofertam esse tipo de curso, demonstrado
(BEHRENS, 2002, p.76). no Quadro 2.

QUADRO2: ASPECTOS QUE NORTEIAM OS MODELOS DE CURSOS ON-LINE


ASPECTOS DE CURSOS ON-LINE COMENTÁRIOS
Mensagens assíncronas para grupos e indivíduos, acesso aos materiais
Estrutura básica de cursos on-line
do curso e eventos interativos em tempo real.
Estrutura planejada. Pequenosgrupos (menos de 10), tarefas específicas
Discussões e cronograma. Discussõesabertasnão são adequadasparacursos, mas
continuamcrescendo na áreasocial.
Construir página com os trabalhos dos grupos.Solução de problemas, si-
Atividades colaborativas mulações ou experimentos on-line e comparação das soluções. Comen-
táriosdos colegas.Atividadesintegradasno cursoe avaliação.
Softwaresfacilitama criação de testes de múltiplaescolha, sistemade
Avaliação on-line entregade trabalhos,organizaçãodosconceitose armazenagemdos
trabalhos.
Tecnologia permite a preparação de cursos flexíveis e customizados,
usando vídeo, áudio, texto e oportunidades de interação significativa, mas
Preparação de cursos
o custo geralmente é proibitivo. Tecnologia raramente é o problema, e ra-
ramente asolução.
Aprendera aprender- pesquisar, selecionare sintetizar informações, des-
Aprendizado just-in-time e learner centered cobrir como e onde localizar respostas e soluções.Entender, transformar
eapresentar idéias.
Fonte: MASON, R. Models of Online Courses. ALN Magazine. Vol. 2, N. 2 - Outubro de 1998.

As formas de educação se explicitam em teo- sua vez, se preocupa em diferenciar os tipos


rias educacionais e são essas teorias que fun- de modelos de cursos à distância, descreven-
damentam os procedimentos metodológicos e do os fatores-chave que os diferencia. Sua
as práticas avaliativas.Rodrigues (2000), por análise está sintetizada no Quadro 3.

QUAQUADRO 3: MODELOS DE CURSO À DISTÂNCIA


MODELO DESCRIÇÃO
Refere-se a cursos elaborados por equipes específicas de profissionais,
Conteúdo+Suporte separadosdaquelesqueirãointeragircom os alunos,quenão gastam
mais do que 20% em interações.
Modeloquepermitea criação de cursossobremateriais já existentes, pro-
curando incentivar mais os alunos a realizarem atividades de pesquisa e
Wrap Around
aprofundamento e considerando um tempo para discussões em torno de
50% em relação ao total do curso.
Esta alternativa utiliza material impresso e outras mídias para que o aluno
Integrado possa estudar no seu próprio ritmo, consorciado com encontros presen-
ciais ou usando mídiasinterativas com o professore colegas.
Fonte: Rodrigues, Rosângela S. Modelos de Educação à Distância, 2000.

30 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE IV: METODOLOGIA DO ENSINO À DISTÂNCIA

Na ação Pedagógica da EAD, o estudante do e quantificado os recursos e meios neces-


deve contar com um efetivo apoio técnico e sários aesse processo.
pedagógico para o desenvolvimento de suas Os tipos de atividades de aprendizagem
atividades acadêmicas, sendo importante podem ser de aulas (formal, com recursos
para isso a figura do tutor, pessoa experiente visuais, com discussão, interativas, etc.), de
na área de formação, que faz o acompanha- explanação (pergunta e resposta, tutoria, se-
mento e a orientação sistemática de grupos minários, projeto orientado, etc.), de experiên-
de alunos. Faz-se necessário o acompanha- cia extraclasse (excursões, cooperação com
mento pedagógico por professores doutores, indústria, monitoria, projeto em grupo, entre
mestres e especialistas eaadoção deestraté- outros) e de laboratório (experiências em clas-
gias que estimulem aparticipação autônoma, se, em grupo, treinamento, simulações, jogos,
interativa e colaborativa dos alunos. Os grupo de pesquisa, trabalho em campo, etc.).
professores têm como principal objetivo Neste contexto, faz-se necessário uma es-
possibilitar o aprendizado do assunto em trutura docente preparada para assessorar o
pauta, buscando despertar e/ou aumentar o aluno em cada etapa do curso, o que já vem
interesse dos alunos, valendo-se de acontecendo deforma interativa, significativa,
recursos da Internet em geral, como flexível e eficiente em muitas instituições com
correio eletrônico, bate-papos, bancos de EAD.Os cursos analisados de EAD têm obti-
dados, conferências, fóruns e mui- tos do bons resultados, tanto os que se utilizam
outros. denovas tecnologias quanto os baseados em
Autilização da tecnologia da informação em métodos mais tradicionais. Isto mostra que
ambientes virtuais de aprendizagem modifica estesistemapodeseraplicadocomêxito,des-
a relação ensino-aprendizagem existente en- de que se desenvolva uma metodologia apro-
tre alunos e professores. As metodologias que priada ea capacitação deseus profissionais.
são eficientes no ensino presencial são tam-
bém adequadas para a EAD, o que diferencia
éaforma de comunicação, pois ainternet pos-
sibilita aintegração das diversas mídias. TESTE DE CONHECIMENTO
Segundo Azevedo (2002), a metodologia UNIDADE IV:
engloba três componentes, a metodologia
propriamente dita, o processo a percorrer e o 1. Analise as afirmativas abaixo:
desenvolver do curso. Este último, além I - As contínuas inovações socioculturais im-
das atividades necessárias para atingir os pulsionadas pela evolução tecnológica vêm
objetivos, necessita também que estejam
qualifica-

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional. 31
UNIDADE IV: METODOLOGIA DO ENSINO À DISTÂNCIA

exigindo práticas educacionais mais condizen- aluno e não do aluno para o professor.
tes com o mundo atual, onde as informações C) Tem encontros ocasionais presenciais
acontecem em tempo real, vinculadas através com objetivos didáticos e de socialização.
de tecnologias mais eficientes e acessíveis. D) A participação de uma organização edu-
II - O sistema educacional precisa tornar-se cacional, contendo planejamento, sistematiza-
flexível e estar aberto para que possa cumprir ção, plano, projeto e organização dirigida.
a sua função social que é a de ensinar, adap- E) Ouso devárias tecnologias e mídias para
tando-se ao tempo presente e à pluralidade a distribuição doconteúdo do curso.
dosalunos eregiões. 3. A regulamentação da Educação à Dis-
III - O EAD é uma forma efetiva de propa- tância no Brasil é feita:
gação do conhecimento que possibilita orom- A) Pela Lei de Diretrizes e Bases Nacionais
pimento das distâncias espaciais, viabiliza a para a Educação - nº 9.394/96, e pelos Decre-
interatividade e que deve se efetivar buscando tos nº 2.494/1998 e nº 2.561/1998.
a qualidade do ensino. b) Apenas pelos Decretos nº. 2.494/98 e nº
IV - Na EAD, o processo de ensino-aprendi- 2.561/98.
zagem se dá através de meios tecnológicos, C) Pela Lei de Diretrizes e Bases Nacionais
do livro didático, do professor web, do profes- para a Educação - nº 9.394/96 e pelo decreto
sorconferencista, dotutor àdistância e do pre- nº 5.622/2005.
sencial, além de atividades que suprem a au- D) Apenas pelo Decreto nº 2.494/1996.
sência física do professor emtempo integral. E) Apenas pela LDB - nº 9.394/96.
As afirmativas corretas são:
4. A implantação da EAD tem como princi-
A) II e IV. pais vantagens, exceto:
B) I, III e IV. A) Redução dos custos de implantação para
C) II, III e IV. a empresa.
D) I, II, III e IV B) A permanência do aluno em seu ambiente
E) III e IV. profissional e/ou familiar.
C) O respeito aoseu ritmo individual.
2. As características apontadas por Keegan D) Maior facilidade de acesso em níveis de
(1996) para a definição de EAD são: estudo.
A) A separação física entre professor e aluno E) Redução decustos para o estudante.
durante quase todo o processo educativo.
B) Ainteração acontece doprofessor para o 5. A disponibilização de tecnologias de in-

32 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE IV: METODOLOGIA DO ENSINO À DISTÂNCIA

formação e comunicação não é o bastante ambientes computacionais, dentre outros.


para assegurar uma aprendizagem de quali- D) Um sistema onde a Internetesuasferra-
dade. Para uma Educação à Distância eficien- mentas abrem uma nova dimensão educacional.
te faz-se necessário que: E) Um sistema onde os ambientes virtuais
A) Ainstituição deensino tenhauma infraes- de aprendizagem disponibilizam informações,
trutura apropriada. possibilitam a interatividade e potencializam a
B) O ambiente educativo favoreça a aprendizagem.
uma aprendizagem significativa.
C) As dúvidas dos alunos sejam esclarecidas. 8. Segundo Behrens (2002), para que uma
D) As barreiras geográficas e temporais se- instituição de EADtenha uma ação pedagógi-
jam vencidas. cade qualidade eesteja na vanguarda quanto
e) Todas as alternativas acima se fazem ne- à aprendizagem dos seus alunos para o mun-
cessárias paraa eficiência da EAD. do do trabalho e da vida é necessário que:
A) Promova ações de intercâmbio.
6. SegundoAretio (1996) são funções da EAD: B) Utilize a comunicação on-line.
A) A fomentação de uma educação perma- C) Tenha uma interação eficiente entre os
nente e aperfeiçoamento profissional. participantes.
B) A possibilidade de uma aprendizagem au- D) Tenha trabalho coletivo e discussão em
tônoma, ligada à experiência. grupo.
C) Implantação de educação de qualidade. E) Desenvolva trabalhos de forma cooperati-
D) Aexistência deinfraestrutura apropriada vaeemparcerias.
na empresa.
E) A democratização do acesso à educação. 9. Rodrigues (2000) analisa ostipos demo-
delos de cursos à distância, descrevendo os
7. AEducação à Distância é: fatores-chave que os diferencia.
A) Um sistema onde os recursos tecnológi- I – Modelo Conteúdo+Suporte.
cos tem permitido grande interatividade, mas II - Wrap Around.
nãochegaram aafetar as relações sociais. III – Modelo Integrado.
B) Um sistema aberto exercido por interdisci-
plinaridade, com participação e controle flexível. (III) Esta alternativa utiliza material impresso
C) Um sistema onde a elaboração dos am- e outras mídias para que o aluno possa es-
bientes depende do envolvimento de educa- tudar no seu próprio ritmo, consorciado com
dores, programadores, desenvolvedores de encontros presenciais ou usando mídias inte-

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional. 33
UNIDADE IV: METODOLOGIA DO ENSINO À DISTÂNCIA

rativas com o professor e colegas.


(II) Modelo que permite a criação de cursos
sobre materiais já existentes, procurando in-
centivar mais os alunos a realizarem ativida-
des de pesquisa e aprofundamento e conside-
rando um tempo para discussões em torno de
50% em relação ao total do curso.
(I) Refere-se a cursos elaborados por equi-
pes específicas de profissionais, separados
daqueles queirão interagircomos alunos,que
nãogastam mais do que 20% eminterações.

Marque a opção correta:


A) III, I, II. B) I, II, III. C) III, II, I
D) II,III, I. E) I, III, II.

10. Naação Pedagógica da EAD, o estudan-


te deve contar com:
A) Apoio técnico e pedagógico para o desen-
volvimento de suas atividades acadêmicas.
B) A figura do tutor, pessoa experiente na
área de formação, que faz o acompanhamen-
toeaorientação sistemática de grupos de alu-
nos.
C) O acompanhamento pedagógico por pro-
fessores doutores, mestres e especialistas.
d) A adoção de estratégias que estimulem a
participação autônoma, interativa e colaborati-
vados alunos.
E) Todas as alternativas anteriores.

34 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE V

AVALIAÇÃO
EM EAD
UNIDADE V: AVALIAÇÃO EM EAD

Diversos estudiosos têm analisado os mecanis- revitalizá-la no dinamismo que encerra a ação, re-
mos, processos e especificidades da avaliação. flexão, ação,ou seja, concebê-la como indissoci-
Seus estudos demonstram que é necessário ável da educação, observadora e investigativa no
compreender a avaliação a partir doentendimen- sentidode favorecereampliaras possibilidades
to dos vários elementos que a constituem como próprias do educando (HOFFMANN, 2000, p.32).
aconcepçãodeeducação,deconhecimento,de Esteban (2008) afirma que o sistema educa-
ensino/aprendizagem, de currículo e de socieda- cional está profundamente marcado pela neces-
de. sidade de criação de uma nova cultura sobre
Saviani(2000)afirmaqueocaminhodoconhe- avaliação que ultrapasse os limites da técnica e
cimento é: incorporeem suadinâmicaadimensãoética. Já
“[...]perguntardentroda cotidianidadedo aluno
Luckesi(2006) afirma que:
e na sua cultura; mais que ensinar e aprender
O processo avaliativo está relacionado ao con-
um conhecimento, é preciso concretizá-lo no
texto mundial educacional da época: (...) não
cotidiano, questionando, respondendo, avalian-
se dá nem se dará num vazio conceitual, mas
do, numtrabalhodesenvolvido por grupose in-
sim dimensionada por ummodelo teórico de
divíduosqueconstroemoseumundoeofazem
mundo e, consequentemente de educação,
porsimesmos”(2000,p.46).
que possaser traduzidoem práticapedagógi-
ca(2006,p. 28).
Abramovicz (1994), destacando a dimensão
política da avaliação, ressaltando a necessidade Ao logo da história percebem-se três bases
da avaliação ser um importante referencial, não epistemológicas da avaliação:
apenas para a tomada de decisões acerca de I. O objetivismo: determina que o conheci-
um projeto de curso, mas acerca da possibilidade mento científico é construído por meio da se-
dessastomadas de decisõessubsidiarempolíti- paração entre sujeito e objeto. Essa visão de
cas públicas em educação. conhecimento científico advém do século XVII
Segundo Saviani(2000), a avaliação do proces- que considerava que “medida” seria o meio
so ensino/aprendizagem vai além da aplicação para a construção dos seus instrumentos de
de testes, de levantar medidas, selecionar e clas- coleta e análise de dados, sendo que a par-
sificar alunos. As mudanças na educação exigem tir dessa concepção é conferido à avaliação
umamudançadeconcepções,rompendocoma um maior valor ao aspecto formal. A avalia-
cultura da classificação, seleção, memorização e ção conta, então, com instrumentos capazes
exclusão presentes no sistema de ensino. Faz-se de proporcionar a mensuração neutra, justa e
necessário ressignificar crenças, experiências, correta. O impacto desse modelo fez aumen-
valores,formasdepensare agir.Paraserecons- tar a preocupação com o desenvolvimento de
truirosignificadodaaçãoavaliativaénecessário técnicas de avaliação (exames, provas, sim-

36 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE V: AVALIAÇÃO EM EAD

bologias e quantificações), baseadas na psi- autoritária e conservadora, a avaliação tem a


cologia experimental; tarefa de ser diagnóstica, ou seja, deverá ser o
II. O subjetivismo: estrutura-se a partir da instrumento dialético do avanço, terá de ser o
concepção anterior tendo a preocupação vol- instrumento da identificação de novos rumos”.
tada para a apreensão das habilidades já ad- Enfatiza também que a avaliação deverá ve-
quiridas ou em desenvolvimento, nem sempre rificar a aprendizagem, não só a partir dos
refletidas ou demonstráveis. A autoavaliação mínimos possíveis, mas a partir dos mínimos
e os impactos dos aspectos afetivos e emo- necessários. Avaliar exige o estabelecimento
cionais na aprendizagem passam aserconsi- de critérios para que sejam escolhidos os pro-
derados pela pedagogia. Maia e Costa cedimentos, comparados e postos em cheque
(2001) consideram que as avaliações com ocontexto e aforma em que foram pro-
subjetivistas mostraram-se insuficientes na duzidos.
explicação da realidade educacional por Houve muitos avanços no campo teórico da
serem análises abstratas (centradas nos avaliação, mas na prática ainda são conside-
indivíduos e em seus vínculos intimistas); rados, de forma prioritária ou exclusiva, os
III. A dialética: essa concepção entende resultados obtidos pelos alunos. Perrenoud
que precisa haver interação entre o sujeito e (1999) destaca que, desde os primórdios da
o objeto do conhecimento, resultando daí a existência da escola, os pedagogos insistem
capa- cidade do sujeito em se transformar que a avaliação deva estar mais a serviço do
e transformar também o objeto de aluno do que do sistema, porém essas refle-
conhecimento. A intenção da avaliação xões não são acompanhadas de mudanças no
centraliza-se na observação da cotidiano escolar, fazendo com que as gera-
quantificação do conhecimento ad- quirido e ções sigam sempre os mesmos caminhos e
nas análises abstratas dos sujeitos. Por sofram as mesmas desilusões.
meio dessa abordagem, torna-se pos- Os diversos sujeitos envolvidos no processo
sível entender que a avaliação pode e deve avaliativo compactuam de concepções bastan-
fazer uso de meios quantitativos e qualitati- te enraizadas sobre a avaliação, suas
vos, entendidos não como somatórios, mas funções e instrumentos. Muitos dos
integradores. Para isso é necessário o uso de problemas de com- preensão do que
instrumentos e procedimentos de avaliação acontece nas escolas não se devem tanto às
adequados (LIBÂNEO, 1994, p.204). dificuldades reais, mas mais aos hábitos e
A função primordial da avaliação é ajudar o costumes acumulados de uma tradição
aluno a aprender e ao professor, ensinar. Lu- escolar, cuja função básica foi seletiva e
ckesi (1999, p. 32) afirma que “para não ser propedêutica (ZABALA, 1998, p.196). Os

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional. 37
UNIDADE V: AVALIAÇÃO EM EAD

professores e os alunos reduzem o processo De acordo com Decreto 5.622/2005, a edu-


avaliativo à aprovação ou à reprovação. Se- cação à distância organiza-se segundo meto-
gundo Luckesi(2008): dologia, gestão e avaliação peculiares, para as
quaisdeverá estar prevista a obrigatoriedade de
Os estudantes estão sempre na expectativa
de virem a ser aprovados ou reprovados (...). momentos presenciais. Os momentos presen-
Os professores utilizam as provas como instru- ciaisobrigatóriosdevemestarclaramentedefini-
mentosdeameaçaetorturapréviadosalunos,
protestando ser um elemento motivador da dos,bemcomoosestágiosobrigatóriosea defe-
aprendizagem (...). O nosso exercício pedagó- sa de trabalhos de conclusão de curso, quando
gico escolar é atravessado mais por uma pe-
dagogiado exame que por umapedagogia do previstos na legislação pertinente, e atividades
ensino/aprendizagem (2008, p.19). relacionadasa laboratório de ensino, quandofor
o caso.
Aavaliação não éneutra, ela tem um caráter AavaliaçãoemEducaçãoàDistâncianãodeve
político e politizador. Por isso, Luckesi (1990 apud se restringir apenas a aspectos cognitivos (proje-
MAIA; COSTA,2001) aponta a necessidade de to final, prova), mas englobar também aspectos
contextualizar a avaliação a partir de uma visão comportamentais. Envolve, além das teorias pe-
de homem e de sociedade. Nessa contextualiza- dagógicas e das questões tecnológicas, avaliar e
ção o professor revela sua postura (política) e é acompanhar o aprendizado do aluno. A
esta que determina os objetivos e instrumentos avaliação em EAD é um processo contínuo,
a avaliação, que pode ser reprodutora ou trans- onde aspectos como cooperação, participação
formadora. O estabelecimento de metodologias e interesse nas atividades propostas são
de avaliação que envolvam todo o processo de extremamente importantes.
ensino-aprendizagem de forma sistemática, con- As plataformas disponibilizam ferramentas que
tínua e abrangente representa um dos maiores possibilitam ao professor acompanhar o aluno
desafios, tanto na educação presencial quanto na durante a realização do curso, considerando as
EAD. suas interações com o ambiente de ensino. O
Woodbine (1997) entende que a avaliaçãoem número de acessos e o tempo de permanência
ambientes colaborativos acompanha a tendência no Ambiente Virtual de Aprendizagemfornecem
de avaliar não somente o produto, mas todo o con- informaçõesrepresentativassobreointeressee
junto. Nestecontexto, é precisodefiniro método a participação do aluno.
de avaliação (o que será avaliado), os objetivos A avaliação deve ser um processo contínuo e
instrucionais(o queo alunoprecisaapreender)e processual. Para Mercado (2008), a avaliação on-
a melhorforma de acompanhamentodessealu- -line possibilita o controle periódico do
no (tutoria). processo acadêmico, propiciando essa
avaliação. O pro-

38 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE V: AVALIAÇÃO EM EAD

cessoé mediadoeacompanhadopelotutor que II - avaliação ser um importante referencial, não


recebe as orientações do professor da disciplina, apenas para a tomada de decisões acerca de um
esclarecendo a ele como deve ser o acompanha- projeto de curso, masacerca da possibilidadedessas
mento do aluno. Esse processo contínuo estimu- tomadas de decisões subsidiarem políticas públicas
la os estudantes a construírem seu conhecimento em educação.
econtribuipara quesejammais participativos no III – Asmudançasnaeducaçãoexigemumamu-
seu processo de aprendizagem. dança de concepções, tendo por basea culturada
classificação, seleção e memorização presentes no
sistemadeensino.
TESTE DE CONHECIMENTO IV – Aavaliaçãoé um conjuntodeaçõescujoob-
UNIDADE V: jetivoéoajusteeaorientaçãodaintervençãopeda-
gógica.
1. Estudos demonstram que é necessário V - A avaliação do processo ensino/aprendizagem
compreender a avaliação a partir do entendimen- vaialémda aplicaçãode provase testesdissertativos,
to dosvárioselementosquea constituem.Esses requerendotambémas devidasavaliaçõesorais.
elementos são:
A) A concepção de educação, da cultura, da lin- São corretas as opções:
guagem e da sociedade. A) III, IV e V. B) I, IVe V.
B) A concepção de educação, conhecimento do C) II, III, IV e V. D) I, II,eIV.
processo ensino-aprendizagem, do currículo e da E) I, II e IV.
sociedade.
C) A concepção do conhecimento do professor, 3. O professor, ao selecionar os instrumentos de
da sua forma de avaliar e de ensinar. avaliação, deve considerar os seguintes aspectos,
D) Aconcepção do conhecimento que oaluno exceto:
traz, da formação do professor e da linguagem. A) A quantidade de alunos existentes na turma.
E) Aconcepção de educação, da formação do B) O tempo disponível que o aluno terá para fazer
professor, do processo de aprendizagem e da so- a avaliação.
ciedade. C) O tempo disponível que ele terá para preparar
a prova.
2. Analiseasafirmativasabaixoeclassifique- D) Os procedimentos utilizados no ensino e as si-
-as como verdadeiras ou falsas. tuações de aprendizagem.
I –Aavaliaçãoé um processocontínuoesiste- E) Anaturezadocomponentecurricularouárea
mático. de estudo.

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional. 39
UNIDADE V: AVALIAÇÃO EM EAD

4. Segundo Saviani(2000), aavaliação do pro- III - Dialética


cessoensino-aprendizagemvaialém da aplica-
ção de testes, de levantarmedidas, selecionare ( )Aautoavaliaçãoe os impactosdosaspectos
classificar alunos. Nesse processo é necessário, afetivos e emocionais na aprendizagem passam
exceto: a ser considerados pela pedagogia, porém consi-
A) Revitalizar a ação avaliativa no dinamismo deram que as essas avaliações mostraram-se in-
queencerraaação,reflexãoeação. suficientes na explicação da realidade educacio-
B) Uma mudança de concepções, rompendo nal por seremanálisescentradas nos indivíduos
com a cultura da classificação, seleção, memo- e em seus vínculosintimistas;
rização e exclusão presentes no sistema de en- ( ) Essaconcepçãoentendequeprecisaha-
sino. verinteraçãoentreo sujeitoe o objeto do conhe-
C) Dar um novo significado a crenças, experiên-cimento, resultando daí a capacidade do sujeito
cias,valores,formasdepensareagir. em se transformar e transformar também o objeto
D) Criação de uma nova cultura sobre avaliação de conhecimento. Por meio dessa abordagem,
baseando-se na técnica, métodos e instrumentos torna-sepossívelentenderqueaavaliaçãopode
formais. e deve fazer uso de meios quantitativos e qua-
E) Conceber a avaliação como indissociável da litativos, entendidos não como somatórios, mas
educação, observadora e investigativa no sentido integradores.
de favorecer e ampliar as possibilidades próprias ( ) Determina que o conhecimento científicoé
do educando. construídopormeioda separaçãoentresujeitoe
objeto e que “medida” seria o meio para a cons-
5. A aplicação de instrumentos formais de ava- truçãodos seusinstrumentos decoletae análise
liação é feita através da realização: de dados, sendo que apartirdessaconcepçãoé
A) Entrevistas. conferidoà avaliação um maiorvalor ao aspecto
B) Provas e testes. formal.
C) De relatórios. A) II, III e I. B) I, IIe III.
D) Exercícios. C) II, I e II. D) III,I e II.
E) Dever de casa. E) III, II eI.

6. Analise as afirmativasdadas em elaçãoàs 7. Afunçãoprimordial da avaliaçãoé ajudaro


bases epistemológicas da avaliação: aluno a aprender e ao professor, ensinar.Median-
I – Objetivismo. teumresultadoruim,emalgumaavaliação,éne-
II – Subjetivismo. cessário que o professor repense na sua maneira

40 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE V: AVALIAÇÃO EM EAD

de trabalhar e tente melhorar, pois esse resultado se for verdadeira e F, se falsa.


também reflete a forma como o professortraba- A) ( ) Aavaliaçãodevelevar em consideração
lha, ou seja, é um meio de avaliaro trabalhorea- todos os aspectos do educando, suas reais possi-
lizado pelo professor. Essa afirmativa diz respeito bilidadesetodaasuaproduçãoescolar.
a: B) ( ) O processoeducativo da escola se torna
A) Identificar os alunos. claroatravés do planejamento, execuçãoe ava-
B) Verificar se os objetivospropostosforam al- liação.
cançados. C) ( ) Oeducando ao seravaliadopeloseu de-
C) Promover o aluno. sempenho, torna-se consciente do seu aproveita-
D) Melhorar o processo de ensino-aprendiza- mentonos estudos,em relaçãoàs suaspróprias
gem. possibilidadese em relação ao grupo a que ele
E) Detectar as dificuldades de aprendizagem. pertence.
D) ( ) A avaliação do aluno é composta unica-
8. Luckesi(1999, p. 32) afirma que “para não menteporprovaescrita, dissertativaeobjetiva,e
ser autoritária e conservadora, a avaliação tem a prova oral.
tarefa de ser diagnóstica [...]”. Todas as alterna- E) ( ) A avaliação da aprendizagem expõe um
tivas citadasdizemrespeitoà avaliaçãoescolar aspecto fundamental do processo educacional e
sob esta visão, exceto: merecetodaatençãoporpartedo professoreda
A) É um ato diário do professor que acompa- instituição.
nha o processo de ensino e aprendizagem.
B) Utiliza a prova como instrumento único e su- 10. Complete a sentença: O estabelecimen-
ficienteparaatribuirnotaaosalunos. to de metodologiasde que
C) Através dela que se faz uma comparação envolva todo o processo de ensino-apren-
entre os resultados obtidos e os objetivos pro- dizagem de forma ,
postos, verificando se houve sucesso ou fracas- e repre-
so. senta um dos maioresdesafios, tanto na educa-
D) Éinstrumentoquepermitea reflexãosobre ção quanto naeducação à
a qualidade do trabalho escolar, tanto por parte .
do professor quanto do aluno. A) Ensino, contínua, persistente, presencial,tra-
E) Temfunções pedagógicas e didáticas, dis- dicional, distância.
ponibilizandoinstrumentosetécnicasparaveri- B) Avaliação, flexível, substancial, metodológi-
ficar o rendimento escolar. ca, presencial,distância.
9. Em relação às afirmativas abaixo, marque V C) Avaliação, sistemática, contínua, abrangen-

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional. 41
UNIDADE V: AVALIAÇÃO EM EAD

te, presencial, distância. nuo, onde aspectos como cooperação, partici-


D) Ensino, sistemática, persistente, metodológi- pação e interesse nas atividades propostas são
ca, tradicional,distância. extremamente importantes.
E) Ensino, contínua, substantiva, tradicional, lo- D) O número de acessose o tempo de perma-
cal, distância. nência no Ambiente Virtual de Aprendizagem for-
necem informações representativas sobre o inte-
11. DeacordocomDecreto5.622/2005,a edu- resseeaparticipaçãodoaluno.
caçãoàdistânciaorganiza-sesegundo metodo- O processo é mediado e acompanhado pelo
logia, gestãoe avaliaçãopeculiares. Para issoé tutor que recebe as orientações do professor da
necessário: disciplina, esclarecendo a ele como deve ser o
A) Definir o método de avaliação (o que será acompanhamento do aluno.
avaliado).
B) Definir os objetivos instrucionais (o que o alu-
no precisa apreender).
C) Definir a melhor forma de acompanhamento
do aluno(tutoria).
D) Avaliar não somente o produto, mas todo o
conjunto.
E) Todas as afirmativas acima são necessárias
à EAD.

12. A avaliação em Educação à Distância não


deve se restringirapenasa aspectoscognitivos,
masenglobartambémaspectoscomportamen-
tais.
A) O processo contínuo estimula os tutores a
construírem seu conhecimento e contribui para
que sejam mais participativos no seu processo
de ensino.
B) Envolve, além das teorias pedagógicas e das
questões tecnológicas, avaliar e acompanhar o
aprendizado do aluno.
C) A avaliação em EAD é um processo contí-

42 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE V I

PERSPECTIVAS ATUAIS
DA EDUCAÇÃO
À DISTÂNCIA
UNIDADE VI: PERSPECTIVAS ATUAIS DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

Oensinoàdistânciaemníveluniversitárioéfor- 1999, 2010).


necido hoje por meio de uma grande variedade Pormais de 150 anos, a distinçãoentreeduca-
de instituições de ensino superior. Cerca de ção tradicional no campus e educação à distância
17 milhões de alunos estudam atualmente em era clara, mas pela sua natureza o ensino à dis-
dife- rentes tipos de instituições de ensino tânciadenívelsuperioreramuitodiferentedoen-
aberto e à distância em todo o mundo (GURI- sino em instituições tradicionais. Em vez de reunir
ROSENBLIT, 2010). As universidades que os alunos a partir de destinos dispersos em um
oferecem estudos por meio de métodos de campus,as instituições de ensinoàdistânciaes-
ensino à distância variam enormemente em tenderamamãoparaestudantes onde quer que
relação à forma como os métodos são estejam ou desejemestudar.Acriação da Open
adotados, os grupos-alvo que pretendem servir, University do Reino Unido, em 1969, e a funda-
como são financiadas e os tipos de programas ção das universidades de ensino à distância em
que oferecem. larga escala e em muitas jurisdições nacionais
Os modelos básicos de instituições de ensino marcaramoiníciode umanovaeranaeducação
à distância são as universidades de ensino de à distância.
modo único à distância (ensinamexclusivamente Muitos anunciaram as novas universidades
à distância), as universidades de modo duplo (que de ensino à distância de grande escala como o
ensinavam seus alunos simultaneamente dentro desenvolvimento mais visível dos sistemas de
eforadocampus),e asextensõesuniversitárias, ensino superior nas últimas décadas, inclusive
sendo que cada um desses modelos pode ser como um desafio radical para o conceito de uni-
dividido em subgruposadicionais. Algumas fun- versidade e como um novo tipo de universidade
cionamcomograndesuniversidadesnacionais, (GARCIA-GARRIDO, 1988; KEEGAN & RUMB-
enquantooutrasforaminiciadasemnívelprovin- LE,1982;PETERS,1992). Oprincipalpapeldas
cial ;algumas adotaram uma política de admissão universidades de ensino à distância autônomas
aberta,enquantoamaioriamanteveosmesmos temsidoampliaro acesso ao ensinosuperior,
requisitos convencionais de entrada;algumas buscando oferecer educação de alta qualidade a
são de grandeporte, commais de um milhão de um custo menor.
estudantes , enquanto outras ensinam poucos As novas tecnologias digitais permitem que
milhares de alunos;algumas operam como uni- qualquer universidade chegue aos estudantes
versidades on-line , enquanto muitas outrassão além de seucampus, oferecendocursos on-line
baseadas em materiaisimpressos, transmissão tanto para fora do campus, quanto para alunos
por satélite ou por televisão (GURI-ROSENBLIT,
14 Como o UK Open University no Reino Unido, a UNED na Espanha e a Indira Gandhi National Open University na Índia(GURI-ROSENBLIT, 1999, 2010).

15 FernUnivesität noNorte de Vestefália na Alemanha e da Universidade de Athabasca em Alberta/Canadá (GURI-ROSENBLIT, 1999, 2010).
16 Como a UK Open University no Reino Unido, a Universidade Aberta da Holanda, a Universidade Aberta de Israel (GURI-ROSENBLIT, 1999, 2010).

17 como a Universidade Aberta da China, Indira Ghandi University na Índia, Universidade Anadolu na Turquia
18ComoaUniversitatObertadeCatalunyaemBarcelonanaEspanha. UniversidadeJaponesadoAr,daUniversidadeAbertadaCoreia,daUniversidadeNacionaldeTecnologianosEUA(GU-

RI-ROSENBLIT, 1999, 2010).

44 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE VI: PERSPECTIVAS ATUAIS DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

presenciais. Essas tecnologias levaram muitas tornando-se ameaças adicionais para o funciona-
instituiçõesdeensinosuperiora entrarno“negó- mento das instituições de ensino aberto e à dis-
cio de educaçãoà distância” em váriosníveisde tância(BATES& SANGRA, 2011;DOUGLASS,
experimentaçãoeaplicação,colocandoàdispo- KING & FELLER, 2009). No entanto, não são
sição,principalmente,omodeloduplodeensino. apenas esses problemas que prejudicam o de-
Assim,muitas universidades convencionais deci- senvolvimento da educação aberta e à distância,
diram adotar as tecnologias digitais para chegar existindooutrosdesafiosaseremsuperados, os
aos alunos fora dos limites do campus (BATES, quais serão expostos nos tópicos aseguir.
2005; BATES & SANGRA, 2011;GURI-RO-
SENBLIT, 2010). 6.1. CENÁRIO GLOBAL.
A adoção de alianças entre universidades que A globalização é percebida como uma realida-
oferecem educação on-line é outro modelo de en- de fundamental no século 21, influenciandopro-
sino que tem se desenvolvido nos últimos anos. fundamente o ensino superior (ALTBACH, REIS-
Um grande número de universidades uniu suas BERG & RUMBLEY, 2009), sendo que muitos
forças, quer no âmbito dos sistemas nacionais de estudiosos desse fenômeno afirmam que esse
ensino superior ou como uma empresa internacio- processo “é uma força mais poderosa do que a
nal, tendo por objetivooferecerumamaiorvarie- industrialização, a urbanização e a secularização
dade de programas de ensinoà distância. Estes combinados” (DOUGLASS, KING & FELLER,
novosmodosdeensinoàdistânciatêmcontribu- 2009, p. 7). As universidades têm operado por
ído para diminuir as fronteiras entre a educação centenas de anos, principalmente em contextos
convencional e à distância. Muitas universidades nacionais, e hojesão desafiadas a estaratentas
com campus de base convencional hoje em dia para as necessidades e oportunidades locais e
oferecem programas profissionais e acadêmicos globais. Muitas universidades e faculdadeses-
on-line. tãohojedivididasentreacrescentepressãopara
A indefinição de fronteiras entre campus e operar no mercado de ensino superior global, a
universidades baseadas na distância criou pro- fim de diversificarasuabasede financiamentoe
blemas para muitas universidades de ensinoà manterseupapeltradicionaldeserviràspriorida-
distância em larga escala (muitos cursos e atu- des nacionais.
am em grandesregiões, ou em nívelnacionalou Nas últimas décadas, a maioria das grandes uni-
internacional) devido, principalmente, aos cortes versidades de ensino à distância foi criada, princi-
no orçamento, à globalização,às tendências de palmente, pelos governos nacionais paraatender
privatização do ensino superior, ao surgimento de às necessidades dos alunos em contextosnacio-
muitos provedores on-line privados, entre outros, nais ou locais. As tendências de globalização e

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional. 45
UNIDADE VI: PERSPECTIVAS ATUAIS DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

internacionalização têm empurrado muitos forne- 6.2. DIVISÃO DIGITAL.


cedores de educação à distância a expandir suas Hoje, um grande desafio para a implantação e
operaçõesparaalém das fronteirasnacionais, o aperfeiçoamento do processo de educação on-li-
que não éobjetivo das instituiçõesgovernamen- ne, principalmente nos países em desenvolvidos,
tais (GURI-ROSENBLIT, 2011), impedindo suas éconseguiraintegraçãoadequada das tecnolo-
instituiçõesdeensinoàdistânciadeseguirofluxo gias digitais nos sistemas e instituições de ensino
do mercado. e garantir que as novas tecnologias se tornem
Ampliar a operação para além das fronteiras agentes de ampliação do acesso e equidade e
nacionais acarreta vantagens e promessas, mas aumentem as oportunidadeseducacionaispara
também encontra obstáculos e problemas inevitá- todos,nãoapenasparaosricoseostecnologica-
veis. Quanto mais ampla a operação de qualquer mente privilegiados.
universidade, mais difícil é garantir a qualidade As tecnologias digitais são de grande impor-
dos estudos, particularmente se os estudantes in- tânciapara o ensinosuperior nos países em de-
ternacionais não são fluentes na língua da institui- senvolvimento, pois têm o potencial de ampliar
çãode EADe sea culturaacadêmica dospaíses oacessoe de melhoraraqualidade do ensino
de origemdosestudantesdiferiremsignificativa- e da aprendizagem em todos os níveis,poden-
mente da instituição de EAD. do ampliar largamente o acesso à informação e
Adecisãodequalqueruniversidadeà distância auxiliar na formação profissional. No entanto, a
ou campusuniversitário de ampliarsuaatuação maioria dos países em desenvolvimento ainda
emmercadosinternacionaistemumenormeim- hoje não possui a infraestrutura adequada para
pactosobreacomposiçãode suapopulaçãoes- utilizar todo o potencial que as tecnologias digitais
tudantil,oseuâmbitode currículos, o papelde possuem, ou seja, boa parte da sua população
seu corpo docente acadêmico, a natureza dos não conhecem sistemas digitais mais avançados,
sistemasdeapoioqueestejaemcondiçõespara não possuem recursos financeiros para adquirir
fornecer o seu orçamento global, a língua de o maquinário necessário ao acesso à EAD, não
instrução e a definição de mecanismos de ga- entendem a linguagem utilizada nos equipamen-
rantia da qualidade apropriados. Naturalmente, tos, não falam outro idioma, não possuem nível
cada universidade deve projetar asestratégias educacional compatível com as necessidades
apropriadas para operar em diversos mercados das instituições internacionais (o que impede os
internacionais, traduzindo materiais de estudo, alunos de acompanhar os cursos on-line), entre
encontrandopessoaldocenteadequadoe esta- outras barreiras(ALTBACH et al, 2009).
belecendo redes de apoio apropriadas. Nesse contexto, destaca-se que os organismos
internacionais e provedores de educação à dis-

46 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE VI: PERSPECTIVAS ATUAIS DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

tância devem ser os primeiros a desempenhar cio, muitas universidades de ensino à distância
umpapeldedestaquenoplanejamentodeestra- têm buscado atingir grupos profissionais como
tégias para diminuir as lacunas existentes entre professores, enfermeiros, engenheiros, técnicos,
asnovastecnologiaseseuusoefetivo. funcionários públicos, projetando uma variedade
de programas voltados para a atualização profis-
sional. Várias universidades de ensino aberto e
6.3. PERSPECTIVAS FUTURAS. à distância têm redefinido ao longo dos anos as
Apesardos imensosdesafiosenfrentadosatu- suasprioridadesiniciais, afim de atenderas mu-
almente pelas universidades de ensino aberto e à danças nos mercados de trabalho e as necessi-
distância, elasdetêm um enorme potencialpara dades sociais.
acomodar um número crescente de estudantes Em muitosaspectos, os provedores de educa-
no futuro, podendo se expandir amplamente e ser ção à distância estão na vanguarda do mundo
mais flexíveis. Essa flexibilidade pode se manifes- acadêmico ao lançar empreendimentos de co-
tar de diversasformase aspectoscomoestudar laboração e ao criar ligações com o comércio e
a qualquer hora e em qualquer lugar, adotando a indústria nas áreas de formação e atualização
o ensino com admissão aberta, usando calendá- profissional, sendo que esta tendência deverá
rios acadêmicos flexíveis, criando programas es- crescer ainda mais no futuro. Universidades de
peciais para a aprendizagem ao longo da vida, ensinoà distânciatêmo potencial de oferecer
concedendograusbaseados em testes de com- programas de graduação eeducação continuada
petência, entre outras. adaptados às necessidades especiais de deter-
Aprendizagem ao longo da vida constitui a pedra minadasprofissõese às necessidadesespecífi-
angular da ideia de uma sociedade de aprendiza- cas de empresas.
gem que incentiva os seus cidadãos a estudarem Outro fator a serdestacadaé que os prestado-
emumabasecontínua,oquedeveresultar,entre resdeensinoàdistânciatêmcontribuídogrande-
outras coisas, no enriquecimento do tecidosocial menteparaoaumentodaequidadesocialno en-
e em um bem-estar coletivo de qualquer socie- sinosuperior. Pormeio de políticas de admissão
dade.Aeducaçãoadistânciaéa maisadequada abertas ou requisitos de entradaflexíveis,as uni-
paraaprestaçãodeumricolequedeoportunida- versidadesdeensinoàdistânciaemlargaescala
desdeaprendizagemaolongodavida. têmsignificativamentealargadooacesso ao en-
Instituições de ensinoaberto e à distânciasão, sinosuperiorparaumaamplagamadeestudan-
pelasuapróprianatureza, inclinadasacriaruma tesquedeoutraformanãoteriaqualquerchance
interface mais estreita com os mercados de tra- de seradmitidoem umainstituiçãode ensino su-
balho e com o mundo corporativo. Desde o iní- perior. Elas têm feito isso sem baixar as normas

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional. 47
UNIDADE VI: PERSPECTIVAS ATUAIS DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

acadêmicas, fornecendo uma grande variedade naisconstituirão no futuro um componentecres-


de sistemas de apoio sociale acadêmico. O pa- cente do corpo discente de provedores de educa-
pelsocialdasuniversidadesdeensinoabertoe à ção à distância. Seus formuladores de políticas
distânciavaiaumentarnofuturo,maisparticular- terãodeprestarmaisatençãoàsformasdeaces-
mente nos países em desenvolvimento. so e adaptaçãoa diversosmercadosinternacio-
Outra informação que tem circulado a respei- nais, traduzindo materiais de estudo eencontran-
to dos prestadores de educação à distância é a do pessoal adequado para executar programas
necessidade de se prepararem para acomodar especiais destinados a alunos transnacionais.
um número crescente de futuros estudantes, pois Sem dúvida, as universidades abertas e à distân-
esse tipo de ensino permite que estudantes do cia vão se tornar mais visíveis no futuro entre as
ensino médio realizem também estudos acadê- principais universidades que promovem a globa-
micos em matérias específicas como meio de lização, as redes internacionais e os projetos de
reforçar seus estudos básicos ou buscando a colaboração no ensino superior.
profissionalização. Outro grupo de interesse na
EADseriao deestudantes maisvelhos,os quais
formariam, pelomenos, trêsgruposdistintos, ou
seja, os adultos que buscam tardiamente uma for- TESTE DE CONHECIMENTO
mação, trabalhadores profissionais eos que bus- UNIDADE VI:
cam ampliar sua formação e tornarem-se mais
familiarizados com os novos campos de conhe- 1. As universidades que oferecem estudos por
cimento. Estes três grupos exibem preferências e meiodemétodosdeensinoà distânciapossuem
hábitos de estudo altamente distintos, sendo que diferenças em relação a alguns fatores. Esses fa-
cada um requer um tratamentomuitodiferentee tores são,exceto:
uma ampla gama de cursos e oportunidades de A) A forma como os métodos são adotados.
estudo. B) Os baixos custos de implantação.
Dessaforma,asinstituiçõesdeensinoàdistân- C) Os grupos-alvo que pretendem servir.
ciavãoterquesermaisatentas no futuropara D) A forma como sãofinanciadas.
ajustar seu planejamento curricular para atender E) Os tipos de programas queoferecem.
a diversidade de seus diferentes círculos de estu-
dantes. Muitos de seus alunos buscaram no futu- 2. As instituições de ensino superiorpodem
ro por cursos de educação continuada ao invés adotarváriosmodelosdeensino.Entreosmode-
de obter um grau acadêmicoexclusivo. loscitados,quaispodemseradotadosporessas
Inquestionavelmente, os estudantes internacio- instituições.

48 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE VI: PERSPECTIVAS ATUAIS DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

A) Modo único à distância. A) I, III e V. B) I, II,IIIeIV.


B) Modo duplo. C) II, IV e V. D) I, IIeIV.
C) Extensões universitárias. E)III, IVeV.
D) Mixentreos modelosnasletrasbe c.
E) Todas as alternativas acima.
4. Completeasentença:As
3. Analise as afirmativas abaixo: novas
I - Pormais de 150 anos, a distinçãoentre edu- permitemque qualquer chegue
cação tradicional no campus e educação à dis- aos estudantes além de seu ,
tânciaeraclara, maspelasuanaturezao ensino oferecendo cursos
à distância de nível superior era muito diferente tanto para fora do campus, quanto para alunos
do ensino em instituições tradicionais. ,oquelevoumuitasuni-
II - Em vez de reunir os alunosa partir de desti- versidades convencionais a adotar essas tecnolo-
nos dispersos em um campus, as instituições de giaseampliarseucorpo .
ensinoà distânciaestenderama mãoparaestu- A) Tecnologias, universidade, campus, on-line,
dantes onde quer que estejam ou desejemestu- presenciais, discente.
dar. B) Metodologias, escola, espaço, on-line, au-
III - Acriação da universidadeabertaeafunda- sentes, docente.
ção das universidades de ensino à distância em C) Metodologias, ensino, campus, on-line, pre-
larga escala e em muitas jurisdições nacionais sentes, docente.
marcaramoiníciodeumanovaeranaeducação D) Tecnologias, universidade, espaço, off-line,
tradicional. presenciais, discente.
IV - O principalpapel das universidades de en- E) Tecnologias, ensino, campus, on-line, pre-
sinoàdistânciaautônomastemsidoodeampliar sentes, discente.
o acesso ao ensinosuperior, buscandooferecer
educaçãodealtaqualidadeaumcustomenor. 5. Um grande número de universidades uniu
V – As novastecnologiaslevarammuitasinsti- suasforças, quer no âmbito dos sistemasnacio-
tuições de ensino superior a entrar no “negócio de nais de ensino superior ou como uma empresa
educaçãoà distância” em váriosníveis de expe- internacional. O objetivo principal dessa união é:
rimentação e aplicação, colocando à disposição, A) Diminuir os custos de implantação dos cursos.
principalmente, o modelo único de ensino. B) Oferecer pacotes de cursospadronizados.
C) Oferecer uma maior variedade de cursos.
São verdadeiras as afirmativas: D) Construir uma infraestrutura sólida.

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional. 49
UNIDADE VI: PERSPECTIVAS ATUAIS DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

E) Tornar-se uma multinacional. A) Os estudantes internacionais, normalmente,


nãosãofluentesnalínguadainstituiçãodeEAD.
6. Afaltadeumadefiniçãonítidaentreoensino B) A cultura acadêmica do país de origem do
no Campus e o ensino à distância criou muitos estudante pode diferir significativamente da cultu-
problemaspara as universidades que atuamem ra instituição de EAD.
largaescala(muitoscursoseatuamemgrandes C) A necessidade de ter um sistema de apoio
regiões, ou em nível nacional ou internacional). eficiente.
Todos os fatores citados criaram problemas para D) Existir tecnologia que permita acesso aos
umamaiordisseminação da educaçãoa distân- alunos nos mais distantes pontos do planeta.
cia, exceto: E) Montar um currículomínimopara um curso
A) Corte no orçamento. que atenda a alunos de diversas origens.
B) A legislação internacional.
C) Aglobalizaçãoeacompetitividade emnível 9. A decisão de qualquer universidade à dis-
internacional. tância ou campus universitário de ampliar sua
D) As tendências deprivatizaçãono ensinosu- atuação em mercados internacionais causa sé-
perior. rios impactos na sua estrutura. Esses impactos
E) O surgimento de muitosprovedores on-line afetam:
privados. A) Asuametaemissão.
B) Acomposição de sua população estudantil.
7. Aeducaçãoabertaeàdistânciapossuivá- C) O seu âmbito de currículos.
rios desafios para efetivar seu processo de de- D) O papel de seu corpo docente acadêmico.
senvolvimento. Esses desafios são: E) O orçamento da instituição.
A) A divisão digital existente entre as popula-
ções dos países. 10. MarqueV sea afirmativaforverdadeirae F,
B) O cenário global. se falsa.
C) A necessidade de diversificar sua fonte de A) ( ) Quanto maisampla a operação de qual-
financiamento. quer universidade, mais difícil é garantir a qualida-
D) Garantir a qualidade do estudo. de dos estudos.
E) Todas as alternativas acima estão corretas. B) ( ) A decisão de qualquer universidadeà
distânciaoucampusuniversitáriodeampliarsua
8. A qualidade da educação à distância em lar- atuação em mercados internacionais tem sempre
ga escala é difícil de ser garantida pelos seguin- um enormeimpactosobrea composição de sua
tes fatores,exceto: organização jurídica.

50 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
UNIDADE VI: PERSPECTIVAS ATUAIS DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

C) ( ) Um grande desafio, principalmente nos REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


países em desenvolvidos, é garantir que as no-
vas tecnologias se tornem agentes de ampliação ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini. Educa-
do acessoe equidadee aumentem as oportuni- ção à distância no Brasil: diretrizespolíticas,
dades educacionais para todos. fundamentos e práticas. Departamento de Ci-
D) ( ) A maioria dos países em desenvolvi- ências da Computação. PUC/SP, 2003. Dispo-
mento hoje já possui a infraestrutura adequada nível em: www.ufrgs.br/musicalidade/midiateca/
para utilizar todo o potencial que as tecnologias musica...e-ead/ead-no-brasil/.../file. Acessado
digitais possuem. em:02jul.2015.
E) ( ) Osorganismosinternacionaise prove-
dores de educaçãoàdistânciadevemser os pri- ALONSO, Kátia M. A avaliação e a avaliação
meiros a desempenhar um papel de destaque naEducaçãoa Distância.In:PRETI,O.Educa-
no planejamento de estratégiasparadiminuiras ção a Distância:sobre discursos epráticas. Brasí-
lacunas existentes entre as novas tecnologias e lia: Liberlivro, 2005. p. 91-106.
seu uso efetivo.
F) ( ) A EAD deve possuir flexibilidade, que ALTBACH, P. G; REISBERG, L; RUMBLEY, L.
deve se manifestar de diversas formas e aspec- E.Trendsinglobalhighereducation:Tracking
toscomoestudaraqualquerhorae em qualquer an academic revolution. Chestnut Hill, MA: Center
lugar, adotando o ensino com admissão aberta, for International Higher Education, Boston Colle-
usando calendários acadêmicos flexíveis, crian- ge, 2009.
do programas especiais para a aprendizagem ao
longo da vida, concedendo graus baseados em ARETIO, Lorenzo Garcia. Para uma defini-
testes de competência, entre outrasações. çãodeeducaçãoàdistância.IN:LOBONETO,
G) ( ) Váriasuniversidadesdeensinoaberto Francisco José da Silveira (Org.). Educação à
e à distância têm redefinido ao longo dos anos distância: referências e trajetórias.Rio de Janeiro:
as suas prioridades iniciais, a fim de atender as Associação Brasileira de Tecnologia Educacional;
mudanças nos mercados de trabalho e as neces- Brasília: Plano Editora, 2001.
sidades sociais.
H) ( ) O papel social dasuniversidadesde en- ARRIADA, M. C; KIST, T; LANZARINI, J; RIZ-
sino aberto e à distância vai aumentar no futuro, ZATO, E. P.Vivendo e ensinando EAD: a impor-
mais particularmente nos países desenvolvidos. tância da vivência na qualificação da formação.
Colabor@ - Revista Digital da CVA, v. 3, n. 10,
2005.

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional. 51
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ATTEWELL, J. Mobile technologies and lear- 2 ed. Campinas: Autores Associados, 2001. (Co-
ning: A technology update and M-learning project leção educação contemporânea)
summary. London: Learning and Skills Develop-
ment Agency, 2005. BELLONI, Maria Luiza. Educação a Distância.
Campinas/SP: Autores Associados, 1999.
AZEVEDO. T.C.A.M; BITTENCOURT, R.M. Re-
flexões sobre o Planejamento Pedagógico de um BRASIL. Conselho Federal de Educação, Lei
curso deextensãouniversitária na modalidadeà nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Leidas
distância. In: Módulo 3.Curso de Capacitação diretrizesebasesdaeducaçãonacional.(Ba-
de EAD, Pró-reitora de Extensão da UNESP: charelado e/ou Licenciatura Plena). Diário Oficial,
São Paulo, 2002. Brasília,DF,22Jun,1987.

BAGGALEY, B. & BELAWATI, T. (Eds.). Distan- BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câ-
ce education technology in Asia. Lahore: Virtu- mara de Educação Básica. Diretrizes Nacionais
al University of Pakistan, 2007. para a Educação a Distância no âmbito da
Educação Básica. Relatores: Gouveia, S F. & Bi-
BATES, A. W. & SANGRA, A. Managing Te- zzo, N. M. V.CNE/MEC,2002.
chnology inHigher Education: Strategies for BRASIL. Ministério da Ciência e Tecnologia.
Transforming Teaching and Learning. San Fran- Programa SociedadedaInformação– SocIn-
cisco/USA: Jossey-Bass, 2011. fo.Brasília/DF, 2000. http://www.mct.gov.br. Aces-
so em 10.06.2015
BATES, A. W. Technology, e-learning and dis- BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de
tance education. 2 ed. London/Inglaterra: Rout- Educação à Distância. Referenciais de qualida-
ledgeFalmer, 2005. de paraeducaçãosuperioràdistância.Brasí-
lia/DF, 2007.
BEHRENS, Marilda Aparecida. Projetos de
aprendizagem colaborativa num paradigma CHAVES, Eduardo. Tecnologia na educação:
emergente. In: MORAN, José Manuel; MASET- conceitos básicos. Disponível em: <www.educ-
TO, Marcos T. Novas tecnologias e mediação net.com.br/Tecnologia%20e%20Educação/ed-
pedagógica. 5. ed. Campinas/SP: Papirus, 2002. conc.htm>. Acesso em: 08Mai 2002.
(Coleção Papirus Educação).
DEMO, Pedro. Questões para a Teleducação.
BELLONI, Maria Luiza. Educação à distância. Petrópolis/RJ: Vozes, 1998.

52 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

FERNANDES, Patrícia Cunha. O papel do tutor IMMIG, Henrique. Avaliação da aprendizagem


na educação à distância. PORTAL EDUCAÇÃO, emambientesdeEducaçãoà distância.Novo
2013. Disponível em: http://www.portaleducacao. Hamburgo/RS, 2002.
com.br/educacao/artigos/44228. Acessado em:
05jul.2015. KEEGAN, D. & RUMBLE, G (1982). Distance
teaching at universitylevel. In: G. Rumble& K.
FREIRE, Paulo. A IMPORTÂNCIA DO ATO DE Harry (Eds). The distance teaching universities.
LER:em três artigos que se completam. Coleção London: Croom Helm, 1982. p.15-31.
Polêmicas do Nosso Tempo. São Paulo: Cortez
Editora, 1989. LANDIM, Claudia Maria Ferreira. Educaçãoà
distância: algumas considerações. Rio de Ja-
GURI-ROSENBLIT, Sarah. Distance Edu- neiro: s/n, 1997.
cation Systems and Institutions in the Onli-
ne Era: An Identity Crisis, in T.Anderson & O. LIBÂNEO, J.C. Didática. 15. ed. São Paulo:
Zawacki-Richter (Eds.), Online Distance Edu- Cortez, 1999.
cation- Towards a Research Agenda. Athabas-
ca University Press, 2014. Disponível em: http:// LITWIN, Edith (org). Educação à Distância:
www.openu.ac.il/Personal_sites/sarah-guri-ro- Temas para Debate de uma Nova Agenda Edu-
senblit/#a11-5. Acessado em: 10 jul. 2015. cativa. Porto Alegre: Artmed, 2001.

HADJI, C. Avaliação desmistificada. Porto LOBONETO,FranciscoJoséda Silveira.Edu-


Alegre: Artes Médicas, 2001. cação à distância: referências e trajetórias. Rio
de Janeiro: Associação Brasileira de Tecnologia
HAGUENAUER, Cristina. Metodologias e Es- Educacional; Brasília: Plano Editora, 2001.
tratégias na Educação a Distância. Ministério
da Educação. Secretaria de Educaçãoa Distân- LUCKESI. C.C. Avaliação da aprendizagem
cia. Referenciais de qualidade para educação su- escolar. 9. ed. São Paulo: Cortez,1999.
perior à distância. 2007.
MACHADO, L. D; MACHADO, E. C. O papel da
HAYDT, Regina Cazux. Avaliação do proces- tutoria em ambientes de EAD. 2004. Disponível
so Ensino-Aprendizagem. 6. ed. São Paulo Edi- em http://www.abed.org.br/congresso2004/por/
tora Ática, 2000. htm/022-tc-a2.htm.Acesso em: 05 jul. 2015.
MAIA, Carmem. Guia Brasileiro de Educação a

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional. 53
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Distância.São Paulo: Esfera, 2002. MERCADO, Luís Paulo L. (org.). Vivênciascom


aprendizagem na Internet. Maceió-Al: EDUFAL,
MASON, R. Models of Online Courses. ALN 2005. Disponível em: http://books.google.com.br/
Magazine. Vol.2, N. 2 - Outubro de 1998.Dis- books?id=c21XfpbzgSwC&pg=PA179&dq=edu-
ponível em: www. aln.org/publications/magazine/ fal&lr=#v=onepage&q=edufal&f=false. Acessado
v2n2 /mason. Acesso em: 06 jul. 2015. em:02jul.2015.

MATTA, Cláudia Eliane da; FIGUEREDO,Ana MERCADO, Luís Paulo L. Ferramentasde


Paula Silva.MOOC: TRANSFORMAÇÃO DAS Avaliação na Educação Online. Inep/Edufal,
PRÁTICAS DE APRENDIZAGEM.X Congresso 2005.Disponível em: http://books.google.com.br/
Brasileiro de Ensino Superior à Distância – ESUD books?id=c21XfpbzgSwC&pg=PA179&dq=edu-
-UNIREDE.Belém/PA,11– 13dejunhode2013 fal&lr=#v=onepage&q=edufal&f=false. Acessado
–. Disponível em: http://www.ead.unb.br/arquivos/ em:02jul.2015.
artigos/mooc_artigo_esud2013.pdf. Acessado
em:06jul.2015. MERCADO, Luís Paulo L. Formação conti-
nuada de professores e novas tecnologias.
MERCADO, Luís P. (org). Experiências com Maceió: Inep/Edufal, 1999. Disponível em: http://
tecnologias da informação e comunicação books.google.com.br/books?id=vC6it3eseN-
na educação.Maceió:Edufal,2006.Disponível 8C&pg=PA2&dq=edufal&lr=#v=onepage&q=e-
em: http://books.google.com.br/books?id=5hyT- dufal&f=false. Acessado em: 02 jul. 2015.
1VAUEnAC&pg=PA87&dq=edufal&lr=#v=onepa-
ge&q=edufal&f=false. Acessado em: 02 jul. 2015. MORAN, J. M.Como utilizar a Internet na edu-
cação. Disponível em: http://www.abed.org.br.
MERCADO, Luís P.(org). Novastecnologias Acessado em: 16 jun. 2015.
na educação: reflexões sobre a prática. Maceió:
INEP/Edufal, 2002. Disponível em: http://books. MORAN, J.M. O que é um bom curso a dis-
google.com.br/books?id=bi7OpaxCJT8C&p- tância? Disponível em: http://www.abed.org.br.
g=PA189&dq=edufal&lr=#v=onepage&q=e- Acessado em: 16 jun. 2015.
dufal&f=false. Acessado em: 02 jul. 2015.
NISKIER, Arnaldo. Educação a Distância: A
MERCADO, Luis P.Fundamentos e práticas Tecnologia da Esperança. São Paulo: Loyola,
na educação àdistância. Maceió: Edufal, 2009. 1999.

54 Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

OLIVEIRA, Bruno Antônio de; OLIVEIRA, Yuri Aberto. Brasília, ano 16, n. 70, p. 16-27, abr./jun.
Cravo Fernandes Rodrigues de. Metodologias 1996.
Utilizadas na Educação a Distância no Brasil. SOUZA, Paulo Nathanael Pereira de. Como
v. 1, n. 1, Anais do Congresso Nacional Univer- mudaraeducaçãocomousodetecnologias.
sidade, EAD e Software Livre. Belo horizonte/ Instituto de Pesquisas Avançadas em Educa-
MG, UFMG. 2010. Disponível em: www.periodi- ção.PublicaçãoIPEA.Nov./Dez.2007. Disponí-
cos.letras.ufmg.br/index.php/ueadsl/article. Aces- vel em: http://www.ipae.com.br/siie/ae.htm. Aces-
sadoem:02Jul.2015. sadoem:02jul.2015.
PALLOFF, Rena; PRATT, Keith. Construindo
Comunidades de Aprendizagem no Ciberes- TEIXEIRA, Daísa (Resp.).A Diferença entre
paço. Porto Alegre: Artmed, 2002. Educação a Distância e Educação Aberta.
PERRENOUD, P. Avaliação: da excelência Blog Linguagens e tecnologias educacionais.
à regulaçãodasaprendizagens. PortoAlegre: Vitória/ES: UFES, 2009. Disponível em: http://pe-
Artmed, 1999. dagogastic.blogspot.com.br/2009/06/diferenca-
PERRENOUD, Philippe. “Construindo Com- -entre-educacao-distancia. Acessado em: 05 jul.
petências”. In Revista Fala Mestre! Setembro de 2015.
2000.
PETERS, Otto. A educação à distânciaem VITORINO, Elizete Vieira. Metodologia de En-
transição. Tendências e desafios. Trad. Leila sino à Distância baseada na percepção dos
Ferreira de Souza Mendes. RS: Unisinos,2003. alunos.Universidade Federal de Santa Catarina
(UFSC), Florianópolis/SC, 2003. Disponívelem:
RODRIGUES, Rosângela Schwartz. Modelos www.abed.org.br/congresso2004/por/htm/145-T- C-
de Educação à Distância. In: PRETTI, Oreste. D2.htm. Acessado em: 02 jul. 2015.
Organizaçãoa Distância: Construindo Significa-
dos. Cuiabá. NEAD/IE-UFMT. Brasília: Plano Edi-
tora, 2000. p. 155-179.
SÁ, Iranita M. A. Educação a Distância: Pro-
cesso Contínuo de Inclusão Social. Fortaleza,
C.E.C. , 1998.
SAVIANI, D. Saber escolar, currículo edidáti-
ca. 3ª.ed. Campinas: AutoresAssociados, 2000.
SOUSA, Eda Coutinho M Machado de. Pano-
ramainternacionaldaeducação adistância.Em

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional. 55
GABARITO

GABARITO DO TESTE DE CONHECIMENTOS – UNIDADE I


QUESTÃO/RESPOSTA QUESTÃO/RESPOST A
01- D 04- B
02- C 05- D
03 - E 06-A

GABARITO DO TESTE DE CONHECIMENTOS – UNIDADE II


QUESTÃO/RESPOSTA QUESTÃO/RESPOSTA
01- C 06- C
02- B 07 - E
03 - E 08 - I, II, II, I, I, II, II, I, II, I
04-A 09- D
05- D 10- B

GABARITO DO TESTE DE CONHECIMENTOS – UNIDADE III


QUESTÃO/RESPOSTA QUESTÃO/RESPOSTA
01- B 06 - E
02-A 07- B
03- C 08- C
04 - E 09- D
05- D 10-A

GABARITO DO TESTE DE CONHECIMENTOS – UNIDADE IV


QUESTÃO/RESPOSTA QUESTÃO/RESPOSTA
01- D 06- D
02- B 07-A
03- C 08- B
04-A 09- C
05 - E 10 - E

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.
GABARITO

GABARITO DO TESTE DE CONHECIMENTOS – UNIDADE V


QUESTÃO/RESPOSTA QUESTÃO/RESPOSTA
01- B 07- D
02 - E 08- B
03- C 09- D
04- D 10- C
05- B 11 - E
06-A 12-A

GABARITO DO TESTE DE CONHECIMENTOS – UNIDADE VI


QUESTÃO/RESPOSTA QUESTÃO/RESPOSTA
01- B 06- B
02 - E 07 - E
03- D 08- D
04-A 09-A
05- C 10 - V, F, V, F, V, V, V, F

Todos os direitos autorais desta apostila foram cedidos ao Júlio Martins e registrado na Biblioteca Nacional.