Você está na página 1de 8

Caderno

Este Caderno é parte integrante do Jornal Expresso das Ilhas nº 889 e não pode ser vendido separadamente.

Ministério da Justiça | Direcção Geral da Política de Justiça


Direcção Geral dos Registos, Notariado e Identificação

Lançamento do SIRC e Apresentação Pública


dos Anteprojetos dos Códigos do Registo
Comercial e do Registo Automóvel

Praia, 3 de Dezembro de 2018

Os serviços de registo, no-


tariado e identificação estão
a passar por uma reforma
profunda, tanto em matéria
legislativa como tecnológi-
ca. Uma reforma realizada
no quadro da modernização
da Administração Pública,
que o governo assumiu como
compromisso e que visa es-
se pretendem simplificar e
tornar mais seguros.
A nível das TIC, levou-se a
cabo o “Projecto de Informa-
tização do Registo Comercial
e Automóvel”, que contempla
dois sistemas: o Sistema de
Informação do Registo Auto-
móvel (SIRA) e o Sistema de
Informação do Registo Co-
Janine Lélis, e contou com a
presença da embaixadora da
União Europeia, Sofia Morei-
ra de Sousa, e da Embaixado-
ra de Portugal, Helena Paiva.
Tendo como objectivos (e
slogan) celeridade, segurança
e transparência aos proces-
sos, o impacto deste sistema
na melhoria da qualidade da

“Estamos a
trabalhar para
que haja mais
celeridade e maior
facilitação pra o
utente, estamos
está em curso uma reforma
legal, que passa pela reforma
completa dos códigos de re-
gisto comercial e de registo
automóvel.
Assim, alinhada com o
lançamento do SIRC, foi rea-
lizada no dia 3 de Dezembro
a apresentação pública dos
anteprojectos desses diplo-
sencialmente “torná-la mais mercial (SIRC), este último prestação de serviços e do a reformar para mas, que visam dotar o país
acessível aos cidadãos e mais lançado no passado dia 3 de ambiente de negócios em de uma legislação sofisticada
adequada às necessidades Dezembro. Cabo Verde foi um aspecto
melhor servir Cabo e contemporânea, que dê col-
das empresas”. O acto de lançamento do destacado em todos os dis- Verde”, Ministra mate as deficiências verifica-
Nesse âmbito, surgem SIRC, que representa o cul- cursos. da Justiça e do das ao nível destes registos e,
também mudanças alargadas minar do projecto neste do- A par com o desenvolvi- em particular, dê resposta às
a nível dos serviços de registo mínio, foi presidido pela Mi- mento de soluções tecnológi-
Trabalho, necessidades das empresas
comercial e automóvel, que nistra da Justiça e Trabalho, cas e plataformas de gestão, Janine Lélis comerciais.
2\\ Nº 889 • 12 de Dezembro de 2018

LANÇAMENTO DO SIRC

SIRC

Celeridade, segurança e transparência


no processo de registo
O Sistema de Informação do Registo Comercial (SIRC), lançado no passado
dia 3 de Dezembro é um elemento basilar da reforma em curso nos registos,
que vem facilitar os procedimentos administrativos, e nesse sentido melhorar
o serviço prestado às empresas e cidadãos em geral.

Conservatórias do Registo Co-


mercial”, destacou a ministra.
Essa desterritorialização vai
permitir que qualquer empre-
sa (não abrangida pelo siste-

“ “
ma da Empresa no dia), bem
como qualquer utente, possa
“solicitar qualquer registo
junto de qualquer Conserva-
tória de Registo Comercial”.
Estas características e van-
tagens foram também directa
ou indirectamente apontadas
“Ciente de que é ainda “Este projecto incluiu
pelas embaixadoras, da União
prematuro avançar várias etapas: o Europeia e de Portugal, pre-
com um balanço desenvolvimento de sentes no âmbito do apoio fi-
nanceiro e técnico prestado ao
deste projecto, creio soluções tecnológicas e
projecto.
ser indubitável a plataformas de gestão, “Com a informatização do
relevância do projecto e uma importante registo comercial através da
integração das diferentes fases
Nacional de Cabo reforma legal, que só
do ciclo de vida das empresas,
O SIRC irá “facilitar mente. Com o SIRC, todos as Verde no contexto da foi possível através desde o nascimento, ao cresci-
a vida dos cabo- informações referentes às em- agenda de governação de um trabalho de mento e encerramento é pos-
presas comerciais passam a sível aumentar a transparên-
verdianos e das digital  e modernização parceria e colaboração
estar centralizadas uma base cia na criação de empresas e
empresas cabo- electrónica de dados única administrativa oficializado no âmbito facilitar os procedimentos ad-
verdianas, aumentar a e nacional, o que vem trazer definida pelo governo do protocolo de ministrativos”, resumiu a em-
mais Celeridade, segurança e baixadora de União Europeia
segurança jurídica, e Cabo-verdiano” cooperação assinado
transparência no processo de em Cabo Verde, Sofia Moreira
a repor a coerência do registo. Embaixadora de há exatamente de Sousa.
sistema, colocando os O SIRC vem então, como Portugal, Helena Paiva. dois anos, em Também a embaixadora de
frisou a ministra da Justi- Portugal, Helena Paiva, frisou
serviços dos registos Dezembro de 2016”.
ça, no acto de lançamento do que este “projecto de parti-
no centro da dinâmica sistema, “reforçar a transpa- Embaixadora da UE, cular complexidade”, visa,
do desenvolvimento rência da governança empre- não abrangidas pelo Regime Sofia Moreira de Sousa “através da integração das di-
sarial” e “fazer a integração de empresa do dia possam ferentes fases do ciclo de vida
económico do país”, das diferentes fases do ciclo ser constituídas em três dias, das empresas e do reforço da
ministra da Justiça, de vida das empresas, desde sendo que o sistema vai ain- tivo com aquilo que é a vida transparência da governança
Janine Lélis. a sua constituição, seu funcio- da facilitar os procedimentos das empresas” e portanto, da empresarial, contribuir para
namento e sua extinção, tudo administrativos, “pela via da dinâmica económica do país” a aproximação dos serviços
através da informatização de prestação de serviços online e resumiu Janine Lélis, aos jor- públicos aos cidadãos, melho-
todos os actos e factos sujeitos pela integração” com o cartão nalistas. rar a qualidade da prestação
Cabo Verde caminha, para ao registo comercial relativos nacional de identificação. Um outro aspecto funda- de serviço, reduzir os custos e
o fim dos documentos físicos a comerciantes”. “Isto vai, no fundo, facilitar mental é que com “o SIRC desta forma contribuir para a
e desagregados e do serviço Com essa informatização todo o processo de procedi- vai-se eliminar o princípio da melhoria do ambiente de ne-
de registo realizado manual- prevê-se que as empresas mento e com impacto posi- competência territorial das gócios de Cabo Verde”.
Nº 889 • 12 de Dezembro de 2018
//3
LANÇAMENTO DO SIRC

Denísia da Graça,
conservadora do registo
comercial da Praia,
apresentou o SIRC, no acto
de Lançamento do Sistema,
tendo destacado o seguinte:
“Penso que [o SIRC] será um marco para o e-governance em Cabo Verde”,
Luís Maximiano, da NOSi, que liderou o projecto a nível técnico.

Objectivos do SIRC
1. Integrar as diferentes O SIRC foi desenvolvido pelo NOSi, em estreita cooperação
fases de vida das em- com a Direcção Geral de Registos, Notariado e Identificação
presas; (DGRNI) e outros parceiros públicos e privados, e é resultado do
2. Reforçar a transparên- Projecto de Informatização do Registo Comercial e Automóvel, de-
cia da gestão empre- finido por Cabo Verde no quadro do Projecto de apoio à melhoria
sarial; da qualidade e da proximidade dos serviços públicos nos PALOP
3. Facilitar o ambiente de e Timor-Leste (PASP/PALOP-TL). Este projecto foi co-financiado
negócio e o acesso à pela União Europeia, no valor de 45 mil contos.
informação pelos cida- A par com o SIRC, o Projecto contempla o Sistema de Informa-
Digitalização concluída em todas dãos e pelas empresas.  ção do Registo Automóvel (SIRA), que deverá ser brevemente lan-
çado e que prevê a realização dos actos de registos num único dia.
as conservatórias Princípios do SIRC
“O SIRC foi desenvolvido e
Esta reforma está, neste momento, a ser materializada em três
conservatórias-piloto (na conservatória de registo comercial de
implementado com base nos
seguintes princípios”: Integração de Sistemas
Praia, na de São Vicente e no Sal), sendo que deverá estender-se, - Ciclo de vida do cidadão
da empresa O SIRC criou uma plataforma informática única que
ao longo do próximo ano, a todas as conservatórias do país. centraliza e armazena toda a informação respeitante aos
Entretanto, e de acordo com Denísia Graça, conservadora do “através registo de todos os
factos sujeitos a registo rela- comerciantes e todos os dados, incluindo solicitações de
Registo comercial da Praia, a digitalização do acervo em papel do sucursais.
Registo Comercial foi concluída em todas as Conservatórias do tivamente aos comerciantes”.
Com base neste princípio, ge- Esta plataforma permite ainda um mecanismo de in-
país. Feita essa digitalização, o passo seguinte é a extratação dos tegração entre os vários sistemas de  informação nomea-
dados, ou seja, transitar para o Sistema todo os actos sujeitos a ra-se aquando da constituição,
de forma automática de um damente o RNI  – Registos Notariado e Identificação,
registo relativamente aos comerciantes. Isso também já foi feito o  SNIAC  – Sistema Nacional de Identificação e Auten-
nas conservatórias do registo comercial da Praia, São Domingos, número que vem subsistir as
matrículas e que é um número ticação Civil e o CAF – Estrutura Comum de Avaliação.
Ribeira Grande de Santiago, Maio, Fogo, Brava, São Nicolau, São Isto vem evitar a necessidade de o utente ter de entregar
Vicente e Sal - Espargos e Santa Maria, estando em curso nas único de identificação do co-
merciante desde a criação da determinados documentos, que já constam nesses outros
outras conservatórias. sistemas.
Quanto às conservatórias já informatizadas, ou seja, onde já é empresa à sua extinção.
possível efectuar toda a tramitação do registo comercial a nível - One-Stop-Shop
informático, são sete: Praia, São Vicente, Sal (Espargos e Santa Pretende-se que o processo
de registo seja feito em apenas
Sem barreiras territoriais
Maria), São Domingos, Ribeira Grande de Santiago e Maio. No
início de 2019, deverão estar todas aptas efectuar qualquer acto uma deslocação (para entregar Na linha da desterritorialização dos serviços preconizada
de registo no sistema, referiu a conservadora na apresentação do o pedido de registo). Todo o nesta reforma, que se plasma na eliminação o princípio da com-
SIRC. processo pode depois ser se- petência territorial das Conservatórias do Registo Comercial, o
A nível dos resultados já alcançados há a assinalar que foram guido por via electrónica, atra- SIRC cria também um diário único nacional onde são apresenta-
digitalizados cerca de 21000 arquivos dos registos e extratados vés de um endereço electróni- dos todos os pedidos de registo e “todas as informações relativas
15 mil. Cinquenta pessoas tiveram também on-the job training no co. “Até mesmo a entrega final aos comerciantes e constantes deste livro único, até mesmo as
Sistema. da certidão de registo”, frisou informações relativas às empresas criados no âmbito do regime
a conservadora. empresa no dia podem ser acedidas por qualquer conservatória
- Vários canais a nível nacional”. A qualificação do pedido e processamento ad-
Possibilidade de serviço (Computadores, telemó-
veis; sistemas Windows, an-
ministrativo pode ser feito qualquer conservador ou oficial de
registo, a nível nacional.
100% online droid, etc…)

A reforma em curso vai per- será possível através inter- Resultados esperados SIRA será lançado em breve
mitir o processamento elec- ligação da base de dados do - Tempo de criação de em-
trónico de todos os documen- Cartão Nacional de Identifi- presas reduzido para três dias O SIRA traz, tal como o SIRC, a questão da desterritorializa-
tos do registo comercial, e tem cação (CNI), que no próximo - Arquivos em papel dos re- ção da competência das conservatórias do registo comercial,
como um dos seus princípios ano já terá cobertura total no gistos comercial e automóvel permitindo que o registo seja feito em qualquer conservatória, ao
a acessibilidade electrónica. território. Ao mesmo tempo, a digitalizados contrário do que acontece actualmente (só é realizado na Praia,
Assim, a informatização dos assinatura digital, “funciona- - Segurança jurídica dos ac- Sal e São Vicente). Além disso, com a implementação do SIRA o
serviços vai também permi- lidade” tecnológica permitida tos sujeitos a registo comercial número de matrícula vai dar lugar à certidão do registo automóvel
tir, posteriormente, que todo pelo CNI, que deve acompa- - Capacidade institucional na qual constará todas as informações necessárias para identifi-
e qualquer acto de registo seja nhar os pedidos de registo on- melhorada a nível das TIC car o veículo automóvel. Será também criado o Documento Único
feito online. Essa modalidade, line, deverá estar operacional Automóvel (DUA) que substituirá o actual livrete e o atual título de
na qual se pretende apostar, também em 2019. registo de propriedade dos veículos automóveis.
4\\ Nº 889 • 12 de Dezembro de 2018

WORKSHOP SOBRE OS CÓDIGOS DE REGISTO COMERCIAL E DE REGISTO AUTOMÓVEL

Anteprojectos em discussão
Os anteprojectos dos códigos, elaborados após ampla discussão
A par com a reforma com os parceiros e operadores, foram apresentados pela equipa
de consultores responsável pela alteração dos diplomas. A ideia
tecnológica, está foi “avaliar as opções legislativas desenhadas” e “afiná-las”, por
também em curso forma a ter códigos que, “garantindo a segurança jurídica”, mantêm
em perspectiva o essencial para a boa dinâmica das sociedades e
uma reforma legal, empresas comerciais”, referiu a Ministra da Justiça e do Trabalho,
com novos códigos à margem da sessão de abertura do evento.
Para esta discussão pública dos projetos foram convidados todos
para o Registo os intervenientes, com vista a proceder, então, a essa recolha de
Comercial e para o subsídios para a revisão dos códigos.
Assim, à apresentação das principais opções legislativas tomadas,
Registo Automóvel. que esteve a cargo do consultor João Tiago Silveira, seguiu-se neste
Os anteprojectos workshop, o levantamento feito pela equipa de consultores, dos
aspectos a debater e uma discussão aberta e “muito positiva” e
dos mesmos foram participada, na avaliação do Director Geral de Política da Justiça
apresentado para e Gestor do Projeto, Benvindo Oliveira, que presidiu esta parte do
duplo evento.
discussão pública, As intervenções mostraram que os participantes estavam bastante
no evento duplo de bem informados sobre os anteprojectos e houve um amplo espaço
para esclarecimentos, prestados pelos consultores relativamente a
3 de Dezembro. vários pontos levantados por diversos intervenientes.

O apoio dado pela UE “está inserido na relação bilateral UE-CV e, neste caso concreto, visou-se apoiar a reforma legal, uma vez que esta tem de avançar de mãos dadas com a
solução tecnológica”, contextualizou a Embaixadora da UE, Sofia Moreira de Sousa.

Apoios e consultoria Um Processo participativo


O projeto de alteração dos Códigos de Registo A apresentação Pública dos Anteprojectos dos Códigos do Registo Comercial e do Re-
Comercial e de Automóvel conta com o apoio da União gisto Automóvel é o último passo, antes da entrega dos projectos finais ao governo. Este
Europeia, no quadro do “Projeto de Facilidade de foi também mais um momento, de entre muitos que o precederam, onde vários diversos
Cooperação Técnica e Apoio ao Serviço do Ordenador parceiros públicos e privados foram convidados a dar o seu subsídio por forma a en-
Nacional do FEDFCT”. contrar a melhor resposta legislativa para os serviços de registo comercial e automóvel.
É “um apoio que está inserido na relação bilateral O consultor João Tiago Silveira descreve as etapas que levaram a estes anteprojectos: “A preparação
UE-CV e, neste caso concreto, visou-se apoiar a “para adoptar as principais opções foram ouvidas dezenas de personalidades e entida-
reforma legal, uma vez que esta tem de avançar de des em reuniões presenciais. Em seguida foram preparadas e apresentadas as principais dos anteprojetos
mãos dadas com a solução tecnológica”, contextualizou opções para a elaboração dos códigos através de um documento que já apresentava me- de código de
a Embaixadora da UE em Cabo Verde, Sofia Moreira de didas detalhadas. Essas opções foram então discutidas num workshop muito participa-
Sousa. do e útil que se realizou na Cidade da Praia.” registo comercial
Na implementação destas reformas, Cabo Verde O referido workshop, que aconteceu no dia 28 de Outubro, contou com cerca de 70 e do automóvel
conta ainda o apoio cooperação Portuguesa através participantes, detalhou Benvindo de Oliveira, Director Geral da Política de Justiça.
do Camões- instituto de cooperação e da Língua, que Após esse workshop foi elaborado um relatório, entretanto publicado, e no prazo de
tem seguido uma
integrou este projecto numa parceria importante com 30 dias foram apresentados os anteprojectos que tiveram em conta as opiniões e suges- metodologia
a UE. tões apresentadas e que também divulgados publicamente
“De realçar que todo este percurso tem sido marcado por muitas interações com as
que privilegia
“Trabalhamos em conjunto com o Instituto Camões,
e com um grupo de consultores que foram contratados entidades públicas Cabo-verdianas para discussão de soluções e por um acompanha- a publicidade,
e que estiveram envolvidos na unidade de gestão deste mento muito próximo pelo Ministério da Justiça e do Trabalho, nomeadamente pela
Direção-Geral da Política de Justiça”, salientou por seu lado o consultor João Tiago Sil-
a participação
projecto e que vieram trabalhar as questões legais, os
diplomas nacionais que têm de ser adaptados, para que veira. e a audição de
No dia 3 de Dezembro realizou-se pois mais uma discussão, e tendo em consideração
possa ser implementado o que o NOSi já tem vindo a entidades e
trabalhar, que é o sistema de governação electrónica os contributos recolhidos preceder-se-á à elaboração dos projectos finais, que serão en-
nestas áreas tao importantes”, acrescentou Sofia tão entregues ao governo. personalidades
Moreira de Sousa., à margem do evento. “As leis estão quase prontas, em termos de diploma. Agora [os consultores] têm 15 de todos
Os anteprojectos foram elaborados por uma equipa de dias para apresentarem o projecto final, com a nota justificativa e com a declaração de
especialistas da sociedade de advogados Morais Leitão, motivos e depois entra-se no processo legislativo interno”, explicou Benvindo Oliveira, os setores
Galvão Teles, Soares da Silva & Associados, composta no final do evento. interessados”,
por João Tiago Silveira, Ana Robin de Andrade e Patrícia Após essa entrega ao governo, segue-se pois o trâmite normal: o diploma vai ao Con-
Melo Gomes, após sua seleccção em concurso. selho de Ministros e depois será levado ao Parlamento, uma vez que pelas suas caracte- consultor João
rísticas é legislação que necessita da aprovação da Assembleia Nacional. Tiago Silveira
Nº 889 • 12 de Dezembro de 2018
//5
WORKSHOP SOBRE OS CÓDIGOS DE REGISTO COMERCIAL E DE REGISTO AUTOMÓVEL

Objectivos principais
Os anteprojetos do código de registo comercial e do código de
registo automóvel têm cinco objetivos principais:

1 – Segurança, fiabilidade e credibilidade


“Pretende-se criar um sistema de registos mais seguro e fiá-
vel, pois isso é fundamental para criar um melhor ambiente de
negócios e fomentar o desenvolvimento económico em Cabo Ver-
de. Com um registo comercial mais seguro, é possível conhecer
melhor os agentes económicos, criando mais confiança. Com um
registo automóvel confiável e atualizado, há mais condições para
conceder crédito pelas instituições financiadoras”, explica o con-
Simplicidade e soluções
sultor João Tiago Silveira. inovadoras


A título de exemplo o especialista aponta o facto destes antepro-
jectos acolherem o registo da prestação de contas das empresas A elaboração dos códigos de registo comercial e do automóvel
por meios eletrónicos e automáticos, “o que permite aos agentes são pois uma necessidade e vêm trazer vantagens muito signifi-
económicos conhecer através da Internet a solidez das empresas cativas para os cidadãos e para as empresas. 
com quem se está a lidar. Outro exemplo é a criação de um pro- Em primeiro lugar os cidadãos e as empresas poderão benefi-
cedimento especial para atualizar os registos da propriedade dos ciar de registos mais rápidos e simples.
automóveis.” “O código que “Outra vantagem consiste na redução dos custos de contex-
to, pois estão previstas soluções imaginativas para melhorar o
2 – Desmaterialização e utilização de novas tecnologias agora temos é de ambiente de negócios. Por exemplo, prevê-se que projetos com-
Existe já um trabalho de base que está a ser feito em Cabo Ver- 1959. Não é nosso, plexos ou importantes para a economia sejam tratados de forma
de que é a informatização dos registos e extratação para o SIRC. concentrada e especializada por uma única entidade. É o que se
Torna-se pois necessário adaptar a legislação para a utilização das não está adaptado propõe para projetos na área do turismo e das energias renová-
novas tecnologias no registo comercial e do automóvel. à nossa realidade veis, entre outros”, destaca o consultor João Tiago Silveira.
Prevê-se, por exemplo, “que as conservatórias passem a pra- O acesso aos registos também ficará mais facilitado, com a
ticar os seus atos obrigatoriamente por via eletrónica, que os pe-
social, nem à possibilidade de realização de registos on-line e obtenção de
didos de registo se possam fazer através da Internet e o acesso a nossa realidade certidões por via eletrónica. Além disso, prevê-se que exista
certidões on-line permanentemente atualizadas. É importante ter jurídica, nem a obrigatoriamente serviços de registo automóvel em todas as
em conta que se utilizam meios para incentivar a utilização dos ilhas habitadas de Cabo Verde, o que deverá facilitar a vida de
meios eletrónicos através de uma proposta de redução de 20% no toda a actividade muitos cidadãos.
valor dos emolumentos”, ilustra o consultor, neste objectivo. comercial que Há nos dois anteprojectos um foco nos procedimentos, por
forma a diminuir a parte burocrática. “Os processos estão mais
3 – Simplificação de actos e processos
é exercida automatizados, mas nunca se esquecendo o que temos que é a
Pretende-se simplificar actos e processos para reduzir a buro- actualmente nossa segurança jurídica”, sublinhou, por seu lado a conserva-
cracia para os cidadãos e empresas, eliminando custos de contexto e, claro, está dora do Código de registo comercial da Praia, Denísia da Graça.
e prestando melhores serviços de registo.
Exemplo: “Elimina-se a competência territorial das conservató- completamente
rias, por forma a permitir que qualquer pessoa possa praticar atos
em qualquer conservatória, independentemente da sede da socieda-
desactualizado. Registos actualizados
de comercial ou do local onde se fez o registo inicial da propriedade Por causa disto
do automóvel. Além disso, foram simplificados vários processos. há muitos factos Um dos problemas com que os registos em Cabo Verde se
Por exemplo, na dissolução de uma sociedade deixa de ser neces- deparam é a desatualização dos registos. Para colmatar essa
sário pedir de forma avulsa o cancelamento da firma. E obriga-se as
que estão sujeitos deficiência estão previstas medidas que vêm então garantir
conservatórias a corrigir deficiências dos pedidos de registo com a registo e que a atualização dos registos, por forma a que estes sejam mais
base nos documentos e informações de que disponham”. fiáveis e credíveis.
não estavam Em termos de Registo Automóvel, prevê-se, por exem-
4 – Melhoria do acesso à informação dos registos; neste código” - plo, “um regime transitório que durará seis meses após a
entrada em vigor do Código do Registo Automóvel e que
“É importante melhorar o acesso à informação dos registos, Denísia da Graça,
para que um sistema mais fiável e robusto possa efetivamente incentiva os proprietários a registar o automóvel em seu
contribuir para o desenvolvimento económico. Adoptam-se várias
Conservadora do nome. Este registo poderá ser feito com base numa mera
medidas para esse efeito como, por exemplo, a possibilidade de Registo Comercial declaração e será gratuito. Também se propõe a isenção de
acesso a uma certidão on-line dos registos comercial e do automó- pagamento do imposto de circulação por dois anos para
e Automóvel da quem o utilize. Portanto, prevê-se um forte incentivo à
vel através de um código, que fica permanentemente atualizada. A
entrega desse código dispensa a entrega de qualquer certidão em Praia atualização do registo dos proprietários de automóveis”,
papel”, aponta o consultor. ilustra o consultor JTS.
Por sua vez, no Registo Comercial “prevê-se que os pro-
5 – Interconexões com outros serviços cessos de dissolução e liquidação de sociedades comerciais
Considera-se, ainda, fundamental que os vários serviços da possam ser desencadeado oficiosamente por entidades da
Administração Pública possam dialogar e cooperar no resultado Administração Fiscal e dos registos, com base em indicado-
final para o cidadão, por exemplo na emissão do Documento Único res de inatividade. Pretende-se, assim, eliminar do registo
de Automóvel (DUA), mas também a nível de todo o ciclo de vida comercial as empresas que já não tenham atividade efetiva
das empresas. mas que continuem registadas.”, destaca.
6\\ Nº 889 • 12 de Dezembro de 2018

WORKSHOP SOBRE OS CÓDIGOS DE REGISTO COMERCIAL E DE REGISTO AUTOMÓVEL

Debate e subsídios Prazos


Os anteprojecto dos CRC e CRA prevêem que os registos
devem ser efetuados em 5 dias e, se os prazos não forem cum-
pridos, o emolumento pago deve ser devolvido.
De acordo com a conservadora Denísia da Graça, na Praia,
5 dias é já o prazo médio actual, sendo que às vezes em 2 dias
esse processo já está completo, “desde que a documentação
esteja toda correcta”.
Assim, embora haja que precaver constrangimentos que
possam ditar alguns atrasos, parece ser consensual – a jul-
gar pelo debate ocorrido na apresentação dos ante-projectos
- que se pode e deve ser bastante mais ambicioso em termos

Legislação e tecnologia
de prazo. Aliás, a ideia é que os actos de registos passem a ser
realizados, no futuro, no dia.
Também o consultor do SIRC /SIRA, Simão Monteiro, no
debate do workshop final, apontou essa questão, referido que


os sistemas foram “preparados para trazer celeridade, em que
O processo para aprovação registo comercial, “há uma o registo é one-stop-shop e em regra, pondo como meta - que
da legislação e entrada em vi- compaginação que é feita e há sei ainda não ser possível atingir - os registos são para ser da-
gor ainda é longo, sendo que essa perspectiva. O sistema é dos no dia”, disse. 
o SIRC já está a ser usado, feito e é montado tendo em Assim, de acordo com o jurista, o texto dos códigos deveria
prevendo-se a sua aplicação atenção aquilo que temos nes- assinalar que “os registos são para ser no dia, excepcional-
em todo o país já no próximo te momento e, naturalmente, mente no prazo máximo de X”.
ano. Ao mesmo tempo, está-se perspectivando as alterações “Os códigos
também a trabalhar no SIRA, do código. Será simplesmente permitem a
que será lançado em breve e feita uma nova parametriza-
apresentação de Taxas e procedimentos uniformizados
deverá entrar em funciona- ção em termos de opções in-
mento em todo o país, tam- formáticas para se poder vali- registos on-line, Há actos que não estão previstos no actual código e que não têm
bém em 2019. dar as opções”, explicou a mi- uma tabelação concertada, podendo originar divergências a nível,
Quanto ao desfasamento nistra da Justiça Janine Lélis.
a constituição
nomeadamente das taxas. “O valor dos actos agora está parametri-
entre a entrada em vigor do Na verdade, ao contrário de empresas zado no sistema. Ou seja, conforme for o acto a escolher, o sistema
SIRC e do Código que rege o do que acontece em outros através da já traz o valor”, aponta a conservadora Denísia da Graça.
países, em Cabo Verde, como Mas a uniformização vai muito além das taxas. Como há muitos
vimos, a reforma nas TIC an- Internet, o acesso factos que não estão previstos no actual código, os procedimentos
tecedeu a reforma legislativa. a certidões on- também não o estavam. Então, as conservatórias eram obrigadas a
Assim, por um lado a legisla- “criar” os seus próprios procedimentos geralmente adaptados da
line, o registo


ção teve já uma base concep- legislação portuguesa. Agora, a contemplação desses factos não
tual importante sobre a qual da prestação de previstos, bem como a melhoria de outros, virá uniformizar estes
trabalhar, mas tal não signi-
contas por via mesmos procedimentos. “Assim não haverá uma conservatória a ter
fica que se possa considerar o um entendimento e a fazer de uma forma e outras de outra”, antevê
trabalho com o sistema esteja exclusivamente a conservadora.
encerrado. Essa inter-relação eletrónica e que
entre tecnologia e legislação
“O projectos não foi aliás, um dos tópicos de- as conservatórias 100% sem papel
tem só a ambição batidos no workshop de 3 de pratiquem os
Dezembro. Na linha dos objectivos de “Desmaterialização e utilização
de responder Simão Monteiro, consultor
seus actos e de novas tecnologias” de “Melhoria do acesso à informação
aquilo que o dos sistemas de informação tramitem os dos registos”, anova lei também prevê toda a tramitação seja
do RC e RA, chamou a atenção processos por pois, não só electrónica, como também online. Assim, todo o
sistema [SIRC/ para a necessidade de os Có- processo pode ser efectuado sem qualquer entrega de mate-
SIRA] já permite, digos respeitarem e servirem via eletrónica”, riais físicos, nomeadamente de documentos “originais”. Para
o trabalho já realizado pelos consultor João colmatar isso estipula-se então a entrega de uma declaração
mas de dar técnicos do NOSi e equipas electrónica que garanta que os documentos são autênticos, e a
passo adicionais. responsáveis pelos sistemas, Tiago Silveira validação através de assinatura digital.
nas suas diferentes fases. Em Caso se venha a verificar que os documentos digitais são
Há novos
resposta a essa advertência, o alterados e houve falsas declarações, incorre-se em crime pu-
avanços que consultor dos Códigos, João nível pela lei.
será necessário Tiago Silveira, apontou que Para Benvindo de Oliveira deve também ficar claro nestes
se previu nos anteprojectos ção de registo online, através códigos, que reúnem também vária legislação avulsa, que es-
concretizar”, aquilo que já está a ser feito da internet, a possibilidade tes diplomas se sobrepõe a outros em questões legais onde
consultor João na prática com os sistemas de constituição de sociedades possa haver diferentes regras. Por exemplo, a nível da assina-
informáticos adoptados, mas comerciais online, por exem- tura diz o código notarial que “o reconhecimento tem de ser
Tiago Silveira advertiu que será necessário plo, é um dos desenvolvimen- presencial”, daí que seja importante que a lei diga claramente
concretizar outras respostas. tos informáticos necessários”, que relativamente a determinadas questões, se aplicam estes
“A possibilidade de  produ- exemplificou. códigos.
Nº 889 • 12 de Dezembro de 2018
//7
WORKSHOP SOBRE OS CÓDIGOS DE REGISTO COMERCIAL E DE REGISTO AUTOMÓVEL

CRC e a Empresa no Dia


Tendo como espinha dorsal em regra, a poder ser criadas ficação da documentação ou os
a simplificação dos processos com utilização deste proce- requisitos para a constituição.
do registo, um dos aspectos dimento”, refere o consultor A única diferença é que na casa
contemplados nestes projec- João Tiago Silveira. do cidadão foi criado um proce-
tos de código tem a ver com a Os procedimentos “no dia” dimento especial que diminuía
“consagração de um processo inspiraram também a criação o prazo”. De fora tinham fica-
simplificado de dissolução e de sucursais, que passa a con- do também alguns requisitos,
liquidação de sociedades co- tar com um processo simplifi- para poder constituir a empre-
merciais, estendendo essa cado. Trata-se, no entender do sa, pois na Casa do Cidadão
solução às empresas criadas especialista, de uma impor- trabalha-se o regime especial,
pelo método tradicional quan- tante medida para incentivar enquanto a conservatória tra-
do antes apenas beneficiava as o investimento estrangeiro. “ balha o regime comum.
“Na maior parte das vezes a Empresa
“empresas no dia”. Para melhor enquadramen- Prevê-se que no futuro, a no dia não serve os nossos objectivos,
Assim, na verdade, o ante- to, sobre as principais as dife- própria conservatória possa porque é um estatuto fechado, se
projeto de código de registo renças em relação à “empresa dar respostas no dia. Mas isto
comercial melhora os procedi- no dia” explicita a responsável não significa que se termi- quiser introduzir uma cláusula tenho
mentos “no dia”, alargando-os da Conservatória do Regis- ne com o regime especial da de ir alterar os estatutos, ou contrato
a casos onde não era possível to Comercial e Automóvel da empresa no dia, diz a conser-
a sua utilização. Praia, Denísia da Graça, que, vadora. “Vai funcionar para-
social, que tem de passar pela conservatória.
“É o que sucede, por exem- desde sempre, “os dados e  ele- lelamente, a única coisa é que “Empresa no dia”, só em casos de muita urgência ,
plo, na constituição de socie- mentos que vem para o registo estamos a prever mesmo uma mas eu prefiro registar o processo directamente na
dades comerciais com entra- têm de ser todos iguais, bem integração com essas duas ba-
das em espécie que passam, como os procedimentos, a veri- ses de dados”, acrescenta. conservatória”, – Lídia Sanches, advogada

Desterritorialização e Advogados satisfeitos


Distribuição nacional Livrete e registo num só documento
de processos Os princípios que se aplicam ao Registo Comercial são semelhantes e
Esta consensualmente necessária refor-
ma é também louvada pelos advogados da
traduzem-se em vantagens também similares. Uma das grandes novidades área. Lídia Sanches, que tem participado
Os novos códigos, alinhados com o SIRC e SIRA, é o DUA - Documento Único Automóvel que junta num só documento o na recolha de subsídios para a elaboração
preveem a desterritorialização e fim da competência livrete e o registo de propriedade do veículo. dos projectos, salienta entre as vantagens a
territorial das conservatórias. Passa assim a funcio- “É um processo muito mais célere, traz mais segurança jurídica e trans- questão da segurança proporcionada pela
nar um só registo central, e a partir do mesmo é pos- parência ao próprio processo”, considera Dina Andrade, DGTR. Isso evita informatização, bem como a condensação
sível fazer uma distribuição dos processos de registo. que o utente tenha de se deslocar a dois locais: a conservatória (onde é feito da toda a legislação dispersa e normas avul-
A opção apresentada nos anteprojectos contempla o registo de propriedade e que trata dos dados dos proprietários) e à DGTR, sas num só diploma.
que essa distribuição seja feira pelo director-geral que trata do livrete (ou seja, de todas as questões técnicas do veículo). O Bem-vinda é também toda a simplifica-
dos Registo, Notariado e Identificação. SIRA permite que o sistema a conexão destas duas entidades, e o DUA ção dos processos, nomeadamente o pro-
Contudo, a nível do debate no workshop, o juris- consubtancia essa ligação. cesso de liquidação e dissolução que, por
ta e consultor na criação do SIRCA Simão Monteiro Entretanto, o SIRA ainda não está em funcionamento mas já está a ser norma são morosos. A interconexão entre
apontou a possibilidade que o sistema permite, de feita a transação dos processos, que estão “já, quase todos, digitalizados”. os vários serviços, nomeadamente o Fisco,
que essa distribuição possa ser feita automaticamen- Outra novidade é que o registo automóvel passa a ser possível em todas é outro aspecto realçado. “Neste momento,
te, sem envolvimento do responsável superior hie- as ilhas, ou seja passa a ser realizado a nível nacional, e não apenas no Sal, por vezes, uma questão que se poe é o regis-
rárquico. Praia e São Vicente como até agora. to das contas das sociedades, que está pre-
O consultor João Tiago Silveira, por seu lado, visto na lei, mas ninguém faz porque tam-
justificou que se pretendeu, com esta medida de dis- bém ninguém controla esse procedimento.


tribuição dos processos, atribuir instrumentos de Com essa interconexão, esse processo tor-
gestão ao DGRNI, para melhor gerir o serviço das na-se mais simplificado”, aponta.
conservatórias. No entanto, a hipótese da distribui- A advogada elogia ainda a promoção
ção ser feita por algoritmo será algo a ter em conta, trazida a nível de registos e procedimentos
havendo essas condições a nível informático. “Acho online. “Somos um país arquipelágico e de
que podemos assumir a proposta de fazer a distri- cada vez que tenho de fazer um registo em
buição por meios automáticos”, considerou.  São Vicente ou no Sal eu tenho de procu-
“Numa plataforma electrónica o mundo é plano, A Direcção Geral dos Transportes Rodoviários é rar um procurador para dar entrada desse
uma coisa que é feita em São Nicolau aparece no de opinião que este código vem colmatar algumas processo, porque não me aceitam cópias
mesmo plano de uma coisa que é feita no Tarrafal de documentos, nem documentos digitali-
de Santiago. A questão que se levanta é como é que
lacunas actualmente e acima de tudo trazer zados. Têm de ser todos originais e tenho
o conservador tem acesso aos processos. Qualquer celeridade na emissão da primeira matrícula, mais de mandar esses processos para outra ilha”,
solução será boa, pois vai permitir que qualquer exemplifica, ilustrando as vantagens do on-
conservador possa trabalhar processos de qualquer
concretamente no Documento Único Automóvel”, line. Na mesma linha, a desterritorialização
parte do país”, destacou também o DGPJ, Benvindo Dina Andrade, DG dos Transportes Rodoviários. vem derrubar imensos constrangimento,
Oliveira. aponta-se.
8\\ Nº 889 • 12 de Dezembro de 2018

WORKSHOP SOBRE OS CÓDIGOS DE REGISTO COMERCIAL E DE REGISTO AUTOMÓVEL

Interconexão
com o Fisco
A interconexão entre o Registo Comercial e o Fisco,
mais concretamente a Direcção Nacional de Receitas
do Estado, é, possivelmente, uma das mais importan-
tes integração de sistemas previstas. Tal integração
vai permitir a troca imediata e automática de in-
formações entre os serviços, que hoje só podem ser
obtidas pontualmente, mediante contactos e pedidos
de informação a posteriori. Trata-se muitas vezes, de
informação relevante para a tomada de decisões, por


exemplo, a nível do encerramento de empresas, que “Os preços devem ser apresentados em função do que o
muitas vezes impede que o acto seja imediato. Isto, particular pretenda e não do número de actos de registo”,
porque é necessário, por exemplo, conferir se há dí-
vidas, penhoras ou afins, antes do encerramento. O
João Silveira, consultor
mesmo se aplica a outros actos e factos.

Ambiente de negócios
Assim, um dos grandes ganhos do sistema, aponta
a Directora Nacional de Receitas do Estado, Lisa Vaz,
Todos os países estão a fazer
é precisamente a possibilidade de acesso “a informa-
ção relevante a nível de todas as alterações societá- reformas, de modo a tornar
rias com impacto no regime fiscal, nomeadamente Num olhar mais aprofundado contribui decisivamente para que se a forma de fazer negócios
em sede de inspecção. Estou a falar essencialmente sobre o impacto positivo que esta possa conhecer melhor os agentes
cada vez mais fácil e mais
nos casos abusivos em que, de facto, muitas vezes há revisão legislativa que terá no am- económicos, por exemplo para efei-
biente de a negócios de Cabo Verde tos de concessão de crédito”, explica célere. Vamos ter de acelerar
uma utilização abusiva em restruturar empresas para
fugir a determinadas obrigações fiscais, que já estão – imapcto destacado pelos entre- o consultor. o passo para conseguirmos
identificadas, ou pagamento, ou cumprimento de vistados e intervenientes do proces- Um sistema mais transparente apanhá-los. Quanto mais
garantias, etc. O cruzamento da informação na hora so - há a frisar que o impulso con- gera mais confiança nos investi-
creto que nesse sentido será dado dores. “A esta luz, é importante a fácil for o negócio, melhor o
vai possibilitar aos serviços fiscais actuar, em tempo
pela concepção de procedimentos adopção de um sistema de emo- nosso ambiente de negócios,
certo, intervindo adequadamente para impedir estes
mais simples e ágeis lumentos/preços que identifique mais atrativo é o país e
actos abusivos, ou então garantir o seu crédito fiscal
Estes “reduzem custos de con- o custo unificado da operação que
que pode estar em risco”.  maior Investimento directo
texto e permitem que os cidadãos se pretende realizar (por exemplo,
Além da fiscalização, a interconexão de sistema e os empresários poupem tempo e uma fusão) independentemente estrangeiro vamos atrair. E,
pode ser vista a um outro nível que é o de prestação recursos, concentrando-se nas suas do número de actos de registo que havendo condições para os
de contas. “Esta segunda vertente vai facilitar o cum- atividades”, refere o consultor João seja necessário efetuar. Ou seja, os
primento da parte societária, porque as empresas já privados cabo-verdianos
Tiago Silveira. preços devem ser apresentados em
estão obrigadas a transmitir toda a informação conta- A possibilidade de realizar actos função do que o particular preten- pode-se conjugar investimento
bilística e financeira por via electrónica. Portanto, já on-line, por exemplo, “irá poupar da e não do número de actos de re- externo com investimento
o fazem para a administração fiscal e não faz sentido tempo e deslocações, com vanta- gisto”. nacional, pode-se aproveitar
que dupliquem esse cumprimento para os registos. gens para os cidadãos e as empre- O consultor sublinha ainda que
Então, aqui a questão é que, através da conexão de sas”, salienta. “um sistema de registos mais ro- as oportunidades que os
sistemas, o sistema dos registos venha beber na ad- Por outro lado, “um melhor aces- busto facilita a concessão de crédi- grandes investimentos geram.
ministração fiscal”, observa Lisa Vaz. so a informação registada atualiza- to e o financiamento, pois os bens Quando surgem grandes
Assim, no cômputo geral a reforma em curso é po- da sobre as empresas gera confiança registados podem ser dados como
para os investidores, pois conhecem garantia” e dá o exemplo do registo projectos há sempre negócios
sitiva, sendo que a nível da instituição fiscal e adua-
neira, aqui destacada, “vai então permitir transpa- melhor as entidades com as quais automóvel, onde ter “os actuais pro- conexos mais pequenos
rência e a transmissão de informação atempada que se relacionam. O facto de se passar prietários registados permite mais dirigidos principalmente as
é extremamente relevante e necessária para exercer- a conhecer as contas das empresas facilmente poder conceder crédito
micro pequenas e médias
mos a nossa função de forma adequada“. através de uma certidão on-line com base em hipoteca”.
empresas. Pedro Barros,
Proempresa.
“O cruzamento da Multilingue
informação na hora vai,
Os novos códigos trazem uma novidade a nível de
por exemplo, possibilitar línguas, ao permitirem a aceitação de documentos em “Um sistema mais claro e com registos
aos serviços fiscais actuar, inglês e francês. Essa possibilidade aqui aberta sur- mais fiáveis contribui para a melhoria das
ge no âmbito do objectivo de melhorar o ambiente de condições económicas através de uma
em tempo certo, intervindo negócios.“Aceitar documentos em língua estrangeira maior facilidade na concessão de crédito e
adequadamente para impedir actos abusivos, sem necessidade de traduções e legalizações que acar- de um maior grau de confiança nos agentes
retam custos contribuindo para um melhor ambiente de económicos”, JTS, consultor.
ou então garantir o seu crédito fiscal que negócios, com mais facilidade na realização de investi-
pode estar em risco”, Lisa Vaz, DNRE mentos”, explica o consultor João Tiago Silveira.