Você está na página 1de 26

Apostila

Materiais Metálicos
03 Introdução
04 Tipos de Materiais
05 Materiais Metálicos
06 Classificação dos Materiais
Metálicos
10 Sistema de Classificação
de Aços
11 Tratamento Térmico
13 Tabela de Tipos de Aços
19 Metais Ferrosos
21 Materiais não Metálicos
22 Recomendações Primarias de
Grãos Abrasivos por tipo de
material
24 Grãos Abrasivos
Introdução
Os materiais estão inseridos na vida do ser humano desde o início
das civilizações, cujas primeiras civilizações foram nomeadas de acordo
com a evolução da utilização dos materiais, como: Idade da Pedra, Idade
do Bronze e Idade do Ferro. Atualmente, observamos as várias aplicações
em nosso dia a dia, no ambiente industrial e também o desenvolvimento de
novos materiais em grandes centros de pesquisa e tecnologia.

O objetivo da criação de um novo material é atender as


necessidades em suas diversas aplicações com alguns fatores que buscam
ser compreendidos como otimização nos processos de produção, redução
de custos, facilidade de manuseio, qualidade e eficiência em suas
utilizações, maior desempenho, atender quesitos de segurança, etc.

Para utilizar o material de maneira correta, é preciso ter conhecimento


sobre sua aplicação em atividades como estruturas, peças automotivas,
embalagens, fabricação de moveis, entre outras aplicações.

O carro é um exemplo simples da aplicação dos diferentes materiais,


pois utiliza aço, vidro, plástico, alumínio, cada componente foi projetado
observando a melhor relação entre microestrutura, propriedade e
processamento do material com melhor desempenho para determinada
aplicação.

No setor de abrasivos conhecer o material e onde vai ser utilizado o


abrasivo é imprescindível, para se obter resultados como melhor
performance do abrasivo, boa durabilidade do abrasivo, acabamento
desejado da peça, segurança na utilização do abrasivo, etc.

3
Tipos de Materiais
Denominação genérica de tudo que faça ou possa vir a fazer parte
de um fornecimento: matéria-prima, peça, componente, subconjunto,
conjunto, sistema, máquina, instrumento, equipamento, acessório,
sobressalente ou qualquer outro item ou produto a ser fornecido,
mediante um pedido ou contrato.

Abaixo temos um organograma com os principais tipos de materiais:

Tipos de Materiais

Materiais não
Materiais Metálicos
Metálicos

Metais Ferrosos Metais não Ferrosos Plástico

Ferro Fundido Platina Vidro

Aços Alumínio Madeira

Cobre Cerâmica

Ouro

Bronze

Zamak

Titânio

4
Materiais Metálicos
O metal é um elemento, substância ou liga metálica caracterizado
pela sua boa condutibilidade* elétrica e de calor, maleabilidade*,
ductilidade*, brilho*, geralmente apresentado por uma cor prateada ou
amarelada, com um alto ponto de fusão e de ebulição e uma elevada
dureza*.

Os metais não são obtidos da natureza, na forma que os utilizamos.


Os metais são obtidos a partir de minérios que constituem as minas e os
depósitos naturais.

Metais como o ferro, o estanho ou o zinco são obtidos através de


reações químicas, onde ocorre a redução do metal. O Ferro é obtido a
partir dos seus minérios, onde os principais são - hematita (Fe2O3),
magnetita (Fe3O4), a limonita FeO(OH) e a siderita (FeCO3). O alumínio é
obtido da bauxita (Al2O3).

Alguns metais apresentam a propriedade de formar uma liga


metálica, onde não existe apenas um metal, mas uma mistura de metais,
como por exemplo o bronze - Estanho (Sn) e Cobre (Cu), ou o latão - Cobre
e Zinco (Zn) O aço, p.ex., é uma liga formada por Ferro e Carbono, sendo
muito utilizado em várias aplicações, como construção civil para
estruturas de um prédio até aços especiais para componentes de aviação.

*Condutibilidade: Propriedade que os corpos apresentam de permitir a passagem do calor


e da eletricidade.
*Maleabilidade: Qualidade do que é maleável, flexível. Propriedade de ser redutível a
lâminas finas.
*Ductilidade: Qualidade ou propriedade do que é dúctil, ou seja, do que é flexível, elástico,
maleável,que se pode comprimir ou reduzir a fios sem se quebrar. Que se pode distender
sem romper.
*Brilho: Luz que um corpo irradia ou reflete.
*Dureza: Resistência que o material oferece à penetração de um corpo duro.

5
Classificação dos Materiais Metálicos
Existem duas classificações de materiais metálicos, são elas: Metais
ferrosos e metais não ferrosos.

Materiais Ferrosos
São classificados como metais ferrosos, quando o ferro é o
elemento principal na liga. Os principais Metais ferrosos são: Ferro
Fundido, Aço e suas ligas.

Ferro fundido (FoFo): O ferro fundido é


uma liga de ferro em mistura química com
elementos à base de carbono e silício. A
fundição de peças em ferro fundido é um
processo amplamente utilizado em
d i ve r s o s s e t o r e s i n d u s t r i a i s c o m o
automobilístico, agrícola, máquinas e
equipamentos, construção civil, siderurgia,
entre outros.
Isso porque o processo de fundição em ferro fundido possibilita a
fabricação de peças técnicas de geometria complexa, com alta resistência
mecânica e custo bastante acessível, tanto do produto em si como do
ferramental utilizado em sua fabricação.

Ferro Fundido Branco: Menos comum Ferro Fundido Nodular: O ferro


que o ferro fundido cinzento, o fundido nodular é uma classe de ferro
branco é utilizado em peças em que fundido onde o carbono (grafite)
se necessite elevada resistência à permanece livre na matriz metálica,
abrasão. Este tipo de ferro fundido porém em forma esferoidal. Este
não possui grafita livre em sua formato do grafite faz com que a
microestrutura. Neste caso o carbono ductilidade seja superior, conferindo
encontra-se combinado com o ferro, aos materiais características que o
resultando em elevada dureza e aproximam do aço. A presença das
e l eva d a re s i st ê n c i a a a b ra s ã o. esferas ou nódulos de grafite mantém
Praticamente não pode ser usinado. A as características de boa usinabilidade
peça deve ser fundida diretamente e razoável estabilidade dimensional.
em suas formas finais ou muito Seu custo é ligeiramente maior quando
próximo delas, a fim de que possa ser comparado ao ferro fundido cinzento,
usinada por processos de abrasão devido às estreitas faixas de
com pouca remoção de material. composição químicas utilizadas para
Utilizado na fabricação de suportes este material. Utilizado na fabricação
de molas, caixas de direção, cubos de de tampas de cilindro, válvulas
roda, conexões para tubulações hidráulicas, engrenagens, porcas,
hidráulicas e industriais, suportes de eixos, cabeçotes, rolos para leito de
barras de torção, copos de mancais, resfriamento
flanges para tubos de escapamento,
etc.

6
Ferro Fundido Maleável: Ferro Fundido Austemperado:
Propriedades mecânicas dos Propriedades mecânicas dos
maleáveis: alta resistência mecânica, austemperados são, alta tenacidade e
baixa ductilidade e resiliência, boa resistência mecânica à tração duas
resistência à compressão, fluidez no v e z e s s u p e r i o r a o n o d u l a r, e
estado liquido o que permite a ductilidade igual aos nodulares, fácil
produção de peças complexas e finas. usinabilidade. Utilizado na fabricação
Utilizado na fabricação de conexões de artes do setor ferroviário (buchas,
para tubulações hidráulicas, rodas para carrinhos, sapatos, etc.),
conexões para linhas de transmissão Indústria automóvel partes
elétrica, corrente, suporte de molas, (suspensão), fabricação de
caixas de direção, caixas de engrenagens, etc.
diferencial, cubos de rodas, caixas de
engrenagem, etc.

Aço Carbono: O aço é uma liga metálica


formada essencialmente por ferro e
carbono, com percentagens deste último
variando entre 0,008 e 2,11%. Distingue-se
do ferro fundido, que também é uma liga
de ferro e carbono, mas com teor de
carbono acima de 2,11%.

Aço Inoxidável: O aço inoxidável é uma liga


de ferro e crômio, podendo conter também
níquel, molibdénio e outros elementos, que
apresenta propriedades físico-químicas
superiores aos aços comuns, sendo a alta
resistência à oxidação atmosférica a sua
principal característica. As principais
famílias de aços inoxidáveis, classificados
segundo a sua microestrutura, são:
ferríticos, austeníticos, martensíticos, entre
outros.

Tipos de Aço Inoxidável


Austenítico (não magnéticos, resistente à corrosão): Os aços inoxidáveis
austeníticos são os que apresentam a mais elevada resistência à corrosão,
em termos gerais, dentre as famílias de aços inoxidáveis. Portanto, quando
a resistência à corrosão é o principal fator a ser considerado, os
Austeníticos são os mais aconselháveis.
Ÿ Equipamentos para indústria química e petroquímica;
Ÿ Equipamentos para indústria alimentícia (cutelaria) e farmacêutica;
Ÿ Construção Civil;
Ÿ Baixela (conjunto de utensílios próprios para o serviço de mesa) e utensílios
domésticos.

7
Ferrítico (magnéticos, resistente à corrosão, mais barato por não conter
níquel): Os aços inoxidáveis ferríticos são essencialmente ligas Fe-Cr, de
baixo C(Carbono). As últimas versões receberam adições de Ti (Titânio) e
Nb (Nióbio), para estabilização. Possuem elevada resistência à corrosão e
boa estampabilidade*, mais importante para produtos planos. Mas, os
inoxidáveis ferríticos também encontram aplicações em barras, como em
válvulas solenoides*.

Ÿ Eletrodomésticos (fogões, geladeiras, Ÿ Talheres


etc.); Ÿ Sinalização
Ÿ Frigoríficos; Ÿ Placas de sinalização e fachadas
Ÿ Moedas
Ÿ Industria automobilista;

Martensítico (magnéticos, dureza elevada, menor resistência à corrosão):


Os aços inoxidáveis martensíticos são aqueles que possuem a menor
resistência à corrosão quando comparados aos outros grupos de aços
inoxidáveis, mas que consegue oferecer alta resistência mecânica e
também alta resistência ao desgaste, ainda sim uma boa resistência à
corrosão.

Ÿ Instrumentos cirúrgicos como bisturis e pinças;


Ÿ Pinças de corte;
Ÿ Discos de freios especiais.

Duplex (Alta resistência mecânica, alta resistência à corrosão e a sua


resistência mecânica superior à dos aços inoxidáveis comuns): É um tipo
de aço inoxidável composto pela combinação de dois tipos de
microestrutura: Ferrítica e austenítica. Sua principal característica é a
excelente resistência à corrosão em meios agressivos devido à sua
habilidade em se passivar, ou seja, acionar a camada superficial que é
responsável pela proteção do aço em meios agressivos, estes aços
apresentam resistência mecânica superior aos aços inoxidáveis
austeníticos e ferríticos.

Ÿ Indústria petroquímica (em unidades de dessalinização, dessulfuração e


equipamentos para destilação);
Ÿ Papel e celulose (em digestores, plantas de sulfito e sulfato e sistemas de
branqueamento);
Ÿ Tanques de condução e armazenamento de material corrosivo.

*Estampabilidade: é a capacidade que a chapa metálica tem de adquirir à forma de uma


matriz, pelo processo de estampagem sem se romper ou apresentar qualquer outro tipo de
defeito de superfície ou de forma.
*Válvulas Solenoides: Uma válvula solenoide é uma válvula eletromecânica acionada a fim
de controlar o fluxo de líquidos e gases.

8
Principais atributos presentes em todas as famílias de Aço Inox são:
Ÿ Alta resistência à corrosão;
Ÿ Aparência higiênica;
Ÿ Facilidade de limpeza;
Ÿ Mantém suas propriedades mesmo quando submetido a elevadas ou
baixas temperaturas;
Ÿ Resistência a variações bruscas de temperatura;
Ÿ Acabamentos superficiais e formas variadas;
Ÿ Forte apelo visual (modernidade, leveza e prestígio);
Ÿ Relação custo/benefício favorável;
Ÿ Baixo custo de manutenção;
Ÿ Baixa rugosidade superficial;
Ÿ Material reciclável.

Aço-Liga: Chamado também de aço especial, é uma liga de ferro-carbono


com elementos de adição (níquel, cromo, manganês, tungstênio,
molibdênio, vanádio, silício, cobalto e alumínio) para conferir a esse aço
características especiais, tais como: resistência à tração e à corrosão,
elasticidade e dureza, entre outras, tornando-os melhores do que os aços-
carbono comuns.
A adição de elementos de liga tem o objetivo de promover
mudanças micro estruturais que, por sua vez, promovem mudanças nas
propriedades físicas e mecânicas, permitindo que ao material
desempenhar funções específicas.
Os aços-liga costumam ser designados de acordo com os elementos
predominantes, como, por exemplo, aço-níquel, aço-cromo e aço-cromo-
vanádio. Seguem a mesma classificação dos aços-carbono, dividindo-se
também em graus, tipos e classes. Os sistemas de classificação também
são os mesmos, destacando-se os sistemas SAE, AISI, ASTM e UNS.

9
Sistema de Classificação de Aços
Os aços, em geral, são classificados em grau, tipo e classe. O grau
normalmente identifica a faixa de composição química do aço. O tipo
identifica o processo de desoxidação utilizado, e a classe é utilizada para
descrever outros atributos, como nível de resistência e acabamento
superficial.

A designação de grau, tipo e classe utiliza letra, número, símbolo ou


nome. Existem várias associações técnicas especializadas em designação
dos aços, como a SAE (Society of Automotive Engineers), a AISI
(American Iron and Steel Institute), a ASTM (American Society of Testing
and Materials), ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), etc.

Nesse sistema, as letras XX ou XXX correspondem a cifras


indicadoras dos teores de carbono. Assim, por exemplo, nas designações
AISI-SAE, a classe 1023 significa aço-carbono com 0,23% de carbono em
média e na designação UNS, a classe G10230, significa o mesmo teor de
carbono.

Uma das designações mais utilizadas é o sistema AISI e que,


inclusive, serviu de base para o sistema adotado no Brasil, que considera a
composição química dos aços, visto que é determinante para as suas
características mecânicas.

Exemplo sistema AISI / SAE / UNS

Para aços comuns os dois primeiros são 10xx. Dois últimos dígitos
designam o teor de carbono, 1040 = 0,4% de carbono.

Outras combinações de dois dígitos designam aços liga, 13xx, 40xx


51xx, etc.

10
Tratamento Térmico
Tratamento Térmico é um ciclo de aquecimento e resfriamento
realizado nos metais com o objetivo de alterar as suas propriedades físicas
e mecânicas, sem mudar a forma do produto.

O benefício trazido pelos tratamentos térmicos aos aços é muito


grande, pois esses materiais respondem muito bem aos diferentes ciclos
de tratamento utilizados. Num mesmo aço, dependendo do tratamento
térmico, podem-se obter níveis de resistência mecânica, dureza,
ductilidade e tenacidade muito variadas, permitindo, por exemplo,
amolecer o material para usinagem e posteriormente endurecê-lo para
obter alta resistência. Essa é uma das razões pelas quais a utilização
comercial do aço é muito maior que a de outros materiais.

O tratamento térmico tem como objetivo realizar as seguintes


características:
Ÿ Remoção de tensões internas; Ÿ Melhora da resistência ao
Ÿ Aumento ou diminuição da desgaste ;
dureza; Ÿ Melhora da resistência à corrosão;
Ÿ Aumento da resistência Ÿ Melhora da resistência ao calor;
mecânica; Ÿ Melhora das propriedades
Ÿ Melhora da ductilidade ; elétricas e magnéticas .
Ÿ Melhora da usinabilidade.

Existem vários tipos de tratamentos térmicos de modo geral os mais


comuns são:

AUSTEMPERA: Tratamento térmico composto de aquecimento até a


temperatura e austenitização, permanência nesta temperatura até
completa equalização, resfriamento rápido até a faixa de formação da
bainita, permanência nesta temperatura até completa transformação.
Utiliza-se para peças que necessitam de alta tenacidade (efeito-mola).

CEMENTAÇÃO: Tratamento térmico em que se promove enriquecimento


com carbono da superfície de um aço de baixo carbono. O objetivo é que a
dureza após a têmpera e revenimento, esta camada apresente uma dureza
mais elevada do que a do núcleo.

ESFEROIDIZAÇÃO/COALESCIMENTO: Tratamento térmico de


recozimento com a finalidade de se obterem os carbonetos sob forma
esferoidal. Usualmente é caracterizado por permanência em temperatura
ligeiramente superior ou inferior ao ponto A1 ou oscilação em torno de A1 e
resfriamento lento. Também denominado esferoidização. Utiliza-se para
produtos que necessitam de dureza baixíssima para poderem ser
deformadas plasticamente.

11
MARTÊMPERA: É um tipo de tratamento térmico indicado para aços
ligados por que reduz o risco de empenamento das peças, visando a
obtenção da martensita. Ela consiste em aquecer o aço até a temperatura
de austenitização, e então resfriar rapidamente (sem atingir a curva TTT
do aço), chegando assim a temperatura de formação da martensita, é
deixado isotérmico por um certo tempo, então resfriado em banho de
sal.MARTÊMPERA: É um tipo de tratamento térmico indicado para aços
ligados por que reduz o risco de empenamento das peças, visando a
obtenção da martensita. Ela consiste em aquecer o aço até a temperatura
de austenitização, e então resfriar rapidamente(sem atingir a curva TTT do
aço), chegando assim a temperatura de formação da martensita, é deixado
isotérmico por um certo tempo, então resfriado em banho de sal.

NORMALIZAÇÂO: Tratamento térmico, caracterizado pelo aquecimento


acima da zona crítica e por equalização nesta temperatura seguida de
resfriamento uniforme ao ar, sem restringi-lo ou acelerá-lo, até a
temperatura ambiente. Utiliza-se para peças que necessitam ser usinadas,
com remoção de cavacos, para evitar o “empastamento” das ferramentas
de usinagem.

RECOZIMENTO: Termo genérico que indica um tratamento térmico


composto de aquecimento controlado até uma determinada temperatura,
permanência nessa temperatura durante um certo intervalo de tempo e
resfriamento regulado para a finalidade em vista. Utiliza-se para peças de
ferro fundido que necessitam de menor dureza do que a obtida após a
fundição.

REVENIMENTO: Tratamento térmico de uma peça temperada ou


normalizada, caracterizado por reaquecimento abaixo da zona crítica e
resfriamento adequado, visando a ajustar as propriedades mecânicas.
Utiliza-se para peças recém-temperadas, com a finalidade de reduzirem-
se as tensões produzidas durante a têmpera.

SOLUBILIZAÇÂO: Comumente aplicado aos metais que necessitam


mudar ou fortalecer alguma de suas características para alcançar os
resultados esperados, seja a ductibilidade, resistência mecânica,
tenacidade, resistência ao desgaste, diminuição das tensões, aumento da
dureza etc. O tratamento térmico solubilização é associado a outro tipo de
tratamento, que é o endurecimento por precipitação, conhecido também
como endurecimento por envelhecimento.

TÊMPERA: Endurecimento por têmpera é um processo mecânico pelo qual


ligas de aço e ferro fundido têm sua dureza aumentada. Isso é feito
aquecendo-se o material até certa temperatura, a qual depende do
material, e resfriando-o em seguida.

12
Tipos de Aço

13
Tipos de Aço

15
Tipos de Aço

14
Tipos de Aço

17
Tipos de Aço

16
Tipos de Aço

18
Materiais não Ferrosos
São classificados como metais não ferrosos, quando outro elemento
metálico que não seja ferro é o elemento principal na liga.
EX: Ouro; Prata; Platina; Alumínio; etc.

Alumínio:Elemento metálico mais


abundante da crosta terrestre. Sua leveza,
condutividade elétrica, resistência à
corrosão e baixo ponto de fusão lhe
conferem uma multiplicidade de aplicações,
especialmente nas soluções de engenharia
aeronáutica. Sua densidade é
aproximadamente de um terço do aço ou
cobre.
É muito maleável, muito dúctil, apto para a mecanização e fundição, além
de ter uma excelente resistência à corrosão e durabilidade devido à
camada protetora de óxido. É o segundo metal mais maleável, sendo o
primeiro o ouro, e o sexto mais dúctil.
Utilizado na fabricação de panelas, latinhas de refrigerante, portas,
janelas, talheres, etc.

Zamac: Ligas metálicas cujo elemento


principal é o zinco. Os principais elementos
que são adicionados ao zinco para produção
destas ligas são o alumínio, o cobre e o
magnésio. Os teores destes elementos afetam
diretamente as propriedades mecânicas das
peças fundidas nestas ligas de zinco. Utilizado
na fabricação de fechaduras, dobradiças,
puxadores, válvulas de botijão de gás, troféus,
cintos de segurança, estrutura de motores, etc.

Bronze:O bronze é uma liga metálica que


apresenta em sua composição básica os
elementos cobre e estanho. As principais
características e propriedades do bronze são:
Coloração dourada, maleável, bom condutor de
calor e eletricidade, alto ponto de fusão (900º C e
1000º), derrete com facilidade, grande resistência
mecânica resistente à corrosão
ductilidade.Utilizado na fabricação de parafusos,
ferramentas, equipamentos para usinas, aparelhos
elétricos, conexões hidráulicas, revestimento de motores, em
engrenagens em função de sua resistência ao atrito e manter o engraxe,
etc.

19
Cobre: O elemento de transição cobre
é um metal de coloração vermelha
discretamente amarelada, com um
brilho levemente opaco de aspecto
a g ra d á ve l , é u m m e t a l m a c i o,
maleável e dúctil. Utilizado na
fabricação de tubulações, fios,
panelas, etc. Platina; Alumínio; etc.

Ouro: É um metal de transição brilhante,


amarelo, denso, maleável, dúctil que não
reage com a maioria dos produtos químicos,
mas é sensível ao cloro e ao bromo. À
temperatura ambiente, apresenta-se no
estado sólido. Este metal encontra-se
normalmente em estado puro, em forma de
pepitas e depósitos aluviais. É tão facilmente
manuseável e maleável que, com apenas um
grama de ouro, é possível obter um fio de 3
quilômetros de extensão e 0,005 milímetros
de diâmetro. Utilizado na confecção de jóias
(anéis, relógios, colares), moedas, etc.

Platina: A Platina, muito conhecida por ser


utilizado em confecções de implantes
dentários, é um metal de transição de alto
potencial redutivo (metal nobre), ou seja, é
muito difícil de oxidar. É sólido, apresenta
coloração branca acinzentada e opaca nas
condições ambiente. É pouco dúctil
(dificilmente toma a forma de tubos), mas
maleável (pode ser disposto em folhas
metálicas). Utilizado na fabricação de
conversores catalíticos, nos contatos elétricos e nos eletrodos, nas termo
resistências, indústria de joias, etc.

Titânio: Não é oxidável, ou seja, possui


resistência à corrosão. O Titânio não é um
bom condutor térmico, mas possui uma alta
condutividade elétrica. No estado puro, este
metal é dúctil e, por isso, fica fácil de ser
trabalhado. A maior vantagem do Titânio é
que é tão forte quanto o aço, mas 45% mais
leve. Utilizado na fabricação de armações de
óculos, próteses ortopédicas, rodas para
carros, reatores nucleares, indústrias
aeronáuticas e aeroespaciais, sendo aplicada na fabricação de peças para
motores e turbinas, fuselagem de aviões e foguetes.

20
Materiais não Metálicos

Plástico: Compostos por resinas,


proteínas e outras substâncias.

Madeira: Tecido lenhoso das


árvores

Cerâmicas: Materiais inorgânicos, não


metálicos, obtidos geralmente após
tratamento térmico em temperaturas
elevadas.

Vidro: material de grande


dureza, mas que, ao mesmo
tempo, é bastante frágil. É
inorgânico, carece de estrutura
cristalina e permitir a
passagem da luz, cujo
elemento básico é a sílica
(dióxido de silício), carbonato
de sódio e carbonato de cálcio.

21
Recomendações Primarias de
Grãos Abrasivos por tipo de material.

Tipos de Materiais

Materiais Metálicos

Metais Ferrosos Metais não Ferrosos

Ferro Fundido Nodular


Platina
AlO; Cerâmicos;
SIC; Diamante, etc.
NorZon - Zirconado, etc.

Alumínio
Ferro Fundido Cinzento SIC; Diamante, etc.

SIC; Diamante, etc. Cobre

SIC; Diamante, etc.

Ouro
Aços
SIC; Diamante, etc.
Cerâmicos; CBN;
NorZon - Zirconado. Bronze

SIC; Diamante, etc.

Zamak

SIC; Diamante, etc.

Titânio

SIC; Diamante, etc.

22
Recomendações Primarias de
Grãos Abrasivos por tipo de material.

Tipos de Materiais

Materiais não
Metálicos

Plástico

SIC, etc.

Vidro
Diamante, etc.

Madeira

SIC, AIO, etc.

Cerâmica

AIO, Diamante, etc.

23
Grãos Abrasivos
Abrasivos são substâncias naturais ou sintéticas empregadas para
desgastar, polir, ou limpar outros materiais. Alguns ocorrem em veios na
crosta terrestre, outros são os próprios minerais formadores das rochas.
De acordo com sua origem, podem exibir diferentes graus de
consolidação, com propriedades físicas e químicas diversas. O diamante é
o abrasivo natural de maior dureza que se conhece. Quando imperfeitos e
pequenos, os diamantes são triturados e reduzidos a pó, para operações
de polimento e esmerilhamento.

Óxido de Alumínio - Al2O3: Este grão é extremamente robusto e sua


forma de cunha permite penetração rápida em materiais duros sem
fraturar-se ou desgastar-se excessivamente. É usado em materiais como
aço carbono, ligas de aço, bronze duro ou madeiras duras.

Oxido de Alumínio Branco Oxido de Alumínio Marrom


Características Características
Ÿ Dureza média; Ÿ Durabilidade
Ÿ Corte frio; Ÿ Tratamento em alta temperatura;
Ÿ Durabilidade. Ÿ Mais duro entre óxidos de alumínio.
Aplicações Aplicações
Ÿ Madeira; Ÿ Metais ferrosos e madeira dura;
Ÿ Couro. Ÿ Alumínio.

Óxido de Alumínio Cerâmico: É produzido por processo químico e


cerâmico que resulta em material denso, duro e robusto. O processo de
fabricação produz um grão de óxido de alumínio de excepcional pureza
que fornece um abrasivo afiado micro-cristalino o qual produz resultados
superiores em uma grande gama de aços carbono, ligas aeroespaciais,
ligas a base de níquel, madeiras duras, aglomerados, compensados e
alguns aços inoxidáveis.

Oxido de Alumínio Aplicações


Cerâmico Ÿ Ferro e metais não
Características ferrosos;
Ÿ Micro estruturado; Ÿ Aço carbono e ligas
Ÿ Resistente a fragmentação especiais;
sob pressão; Ÿ Madeira dura,
Ÿ Extrema durabilidade. compensados e
aglomerados;

24
Óxido de Alumínio Zirconado - NorZon (Norton): Este grão tem
característica única de alto afiação que fornece vida longa em operações
de grande remoção de material. Portanto, o óxido de alumínio zirconado é
recomendado em operações de desbaste pesado em metais e madeiras,
porque ao fraturar-se este grão produz novas pontas abrasivas cortantes.

Oxido de Alumínio Zirconado


Características
Ÿ Extremamente duro com alto índice de
remoção e fragmentação;
Ÿ Capacidade de formar novas arestas
cortantes.
Aplicações
Ÿ Altas taxas de remoção em metais
ferrosos e não ferrosos;
Ÿ Aço inoxidável e madeira plana;
Ÿ Compensados e aglomerados;
Ÿ Fibra de vidro, borracha e plástico.

Carbeto de Silício - SiC: É o mais duro e o mais afiado dos materiais


usados em abrasivos revestidos. Sua dureza e afiabilidade tornam este
abrasivo ideal para acabamento em materiais não ferrosos como alumínio,
latão, magnésio, titânio, borracha, vidro, plásticos, madeiras fibrosas,
esmaltados e outros materiais moles. O Carbeto de silício é superior a
qualquer outro abrasivo em relação a penetração e corte rápido sob
pressões leves.

Carbeto de Silício
Características
Ÿ Frágil;
Ÿ Extremamente friável.
Aplicações
Ÿ Vidro, mármore e granito; Borracha e
plástico;
Ÿ Titânio, latão, bronze e alumínio;
Ÿ Madeira e aglomerado;
Ÿ Aço inoxidável e acabamento de ferro
fundido.

25
Bornitrid (CBN - nitrito de boro
cristalino cúbico): O bornitrid
(CBN) é empregado em materiais
ferrosos, "que possuem carbono",
como aços temperados e ferro.
Embora não possua a mesma
dureza que o diamante, o bornitrid
não apresenta o fenômeno de
grafitização, que ocorre em altas
temperaturas do ponto de contato
no trabalho em aços, onde o
diamante muda sua estrutura
química, perdendo a dureza e fazendo com que o grão se solte
prematuramente da liga aglomerante.

Diamante: O emprego dos


diamantes sintéticos na indústria
proporcionou um avanço muito
grande nos processos de usinagem,
pois a uniformidade do grão
abrasivo faz com que as
f e r ra m e n t a s n ã o a p re s e n t e m
grandes variações nas operações de
retificação. O diamante é utilizado
em operações onde normalmente
seria utilizado o carbureto de silício,
ou seja, em materiais duros, frágeis,
cavacos curtos, como: metal duro,
vidro, cerâmica, quartzo, ferrite, grafite, fibra de vidro, pedras preciosas,
semipreciosas e outros.

26