Você está na página 1de 11

A história do Gabriel

Gabriel iniciou o curso, mas sente dificuldade em realizar as atividades. Nos questionários
auto avaliativos, as respostas que marca quase sempre estão erradas, não sabe por onde
começar nas questões abertas, se expressa pouco no fórum e não interage com o Tutor e
colegas.

O índice de evasão nos cursos a distância é considerável e as intervenções dos tutores são
decisivas para mudança deste quadro.

No caso de Gabriel, ele começa a acreditar que foi um erro fazer o curso a distância.
Como ajudá-lo?

O Tutor poderá mudar o desfecho desta história!

Boa tarde, estimados colegas!

Sobre o considerável índice de evasão nos cursos a distância, segundo Maria de Lourdes
Coelho (2002) podemos levantar algumas suposições, tais como: a falta da tradicional
relação face-a-face entre professor e alunos; insuficiente domínio dos meios tecnológicos;
dificuldade em expor ideias numa comunicação escrita a distância. Outros fatores podem
estar ligados à falta de tempo do aluno, más condições de estudo no trabalho e em casa,
dentre diversos outros motivos ligados ao curso, ao desempenho do tutor e ao aluno.

Feito essa breve introdução, vamos para o estudo do caso:

1. Qual é o incidente crítico?

O que parece é que, Gabriel sente dificuldade em se adaptar a metodologia de ensino


proposta na educação a distância. Essas dificuldades podem ser desde falta de domínio
dos meios tecnológicos, dificuldade com a estrutura como as informações são
posicionadas ou mesmo falta de motivação para a resolução das atividades.

2. O que você, como tutor, faria para auxiliá-lo? / 3. E ainda, como esta ação poderá
resolver a situação do aluno? (Considerando que as respostas estão interligadas)

Como tutor, o primeiro passo seria entrar em contato com o Gabriel para tentar identificar
qual a real dificuldade quanto ao curso, e assim poder ter mais “proximidade” com o
aluno a fim de evitar a sua desistência. Pois, no ensino a distância, a interação entre tutor
e aluno é fundamento para o sucesso do curso.

Identificando a real dificuldade do Gabriel, fica mais fácil tomar as medidas cabíveis para
resgatar o aluno ao curso. Se a dificuldade for quanto aos meios tecnológicos, uma
orientação mais detalhada, com instruções que facilite o seu acesso aos principais locais
de interação no ambiente virtual, pode ser a chave para melhorar o seu desempenho. Se a
dificuldade estiver ligada a timidez e consequente desmotivação, buscar métodos para
incentivar o aluno a interagir com o grupo e que possa lhe passar segurança. Essas
atitudes, creio eu, tende a fazer com que Gabriel se sinta incluído no curso, parte de um
grupo maior, motivando o continuar o curso e melhorar o seu desempenho.
_______________________

Se o tutor interage mais com o aluno e buscar entender suas dificuldades e preocupações,
este aluno tende a se sentir mais incluído no curso, no grupo e se sentir motivado a
continuar. Muitas vezes, quando o aluno tem dificuldades, sente-se envergonhado de
procurar a ajuda do tutor, por isso o tutor precisa se antecipar e buscar incluir o aluno ao
curso, oferecendo materiais de apoio, palavras de incentivo e disponibilidade para ajudar!

1. Qual é o incidente crítico?

É notório que incidente crítico apresentado por Gabriel está extremamente relacionado
a sua dificuldade com a ambientação com o sistema EaD. Essa inexperiência colaborou
para que ele se encontrasse distante de ideais possíveis de serem alcançadas por ele ,
bastando para isso alguém que lhe indique o caminho a ser seguido.

2. O que você, como tutor, faria para auxiliá-lo?

Buscaria uma aproximação maior com o aluno , mostrando as vantagens da realização


de um curso EaD , incentivando-o na participação dos fóruns de discussão , sanando as
dúvidas e estreitando laços para que a naturalidade em se comunicar com os outros
alunos pudesse se tornar cada vez mais natural.

3. E ainda, como esta ação pode resolver o problema do aluno?

A aproximação com o tutor e com os alunos do fórum traria ao aluno uma maior
confiança e naturalidade fazendo com que as tarefas a serem cumpridas fossem melhor
desempenhadas.

Permalink | Mostrar principal | Responder

Re: Estudo de caso 02. Mudando a história do Gabriel


por Francielle Sousa Barbosa - quarta, 24 Out 2018, 23:43

Bom dia!

1- Incidente Crítico : Seria possível elencar alguns incidentes críticos mas acredito que
os mais relevantes são, a falta de familiaridade de Gabriel com o ambiente virtual e a
dificuldade de interação com tutores e colegas na busca por sanar suas dúvidas.

2 -O que faria como tutora para auxiliá-lo:


 Como tutora, entraria em contato com Gabriel e me colocaria a disposição para
ajudá-lo;
 Orientaria no sentindo de não ficar constrangido em me procurar para tirar todas
as dúvidas por mais simples que fossem, procurando deixar claro que ele não
deve desistir e que boa parte dos alunos também tem dificuldades similares as
dele no início do curso;
 Também iria informá-lo sobre a importância de entrar no box de cada disciplina,
para ler todas as informações disponíveis;
 Enfatizaria sobre a importância da interação comigo e com colegas.

3- Como estas ações poderiam resolver a situação do aluno: Acredito que me colocando
a disposição e mostrando minha disponibilidade em ajudá-lo, Gabriel passaria a ter mais
confiança para tirar suas dúvidas e consequentemente mais tranquilidade para enfrentar
qualquer dificuldade que viesse a ocorrer na execução das atividades.

Permalink | Mostrar principal | Responder

Re: Estudo de caso 02. Mudando a história do Gabriel


por Fernando De Paula Dias - quarta, 24 Out 2018, 23:15

Boa noite!

A evasão é um problema recorrente, tanto no ensino presencial, quanto no ensino a


distância. Muitos discentes escolhem o EaD por conta da disponibilidade de tempo e
pela dificuldade de acesso ao ensino presencial.

Em relação ao caso do Gabriel, percebe-se que ele tem dificuldade na ambientação ao


sistema, não tem conhecimento de como funciona o ensino a distância e talvez não
tenha contato com o seu tutor, provocando a sua evasão.

O que fazer para auxiliá-lo? Primeiramente, tentar interagir com o aluno, para que ele
relate suas dificuldades, dando condições para solucionar seus problemas. Orientar em
suas dificuldades e incentivá-lo para que não desista de seu estudo.

Ao perceber que tem um tutor que irá acompanhá-lo e auxiliá-lo, o aluno


consequentemente ficará mais a vontade no sistema, mais confiante de que poderá
alcançar o êxito. O aluno estando confiante e sabendo do papel do tutor, caminhará com
mais facilidade em seu estudo. Mas o tutor deve continuar acompanhando o
desenvolvimento do aluno, mesmo que não seja solicitado.

Permalink | Mostrar principal | Responder


Re: Estudo de caso 02. Mudando a história do Gabriel
por Francielle Sousa Barbosa - quarta, 24 Out 2018, 23:11

Boa noite!

Acredito que são vários incidentes críticosO incidente crítico é a falta de familiaridade
de Gabriel com o ambiente, dificuldade em solicitar orientação;

Atvidade O03- Relatório Francielle Sousa Barbosa.pdf


Permalink | Mostrar principal | Responder

Re: Estudo de caso 02. Mudando a história do Gabriel


por Paulo Cesar de Rezende - quarta, 24 Out 2018, 10:37

O contato direto entre tutor e aluno será fundamental para transmitir segurança a
Gabriel e identificar os pontos de maior dificuldade. A partir daí, com uma melhoria no
desempenho, o aluno sentirá segurança e obterá êxito no prosseguimento do curso

Permalink | Mostrar principal | Responder

Re: Estudo de caso 02. Mudando a história do Gabriel


por Paulo Cesar de Rezende - quarta, 24 Out 2018, 10:33

1. Qual é o incidente crítico?

Gabriel não está conseguindo êxito nas questões objetivas nem nas discursivas e não é
participativo, o que aumenta sua dificuldade, está disperso e desmotivado.

2. O que você, como tutor, faria para auxiliá-lo?


Para auxiliá-lo, inicialmente ia conversar com ele em particular, via email ou whatsapp
para identificarmos quais as maiores dificuldades, estimularia a leitura e o encorajaria a
postar suas dúvidas nos fóruns num segundo momento, pois as dificuldades deles
podem ser sanadas com ajuda e/ou dicas dos colegas

3. E ainda, como esta ação poderá resolver a situação do aluno?

Através de um contato direto com o aluno é possível identificar onde está mais difícil o
entendimento e ao transmitir segurança e dar liberdade para o aluno expor suas dúvidas
e dificuldades, que ao serem combatidas darão suporte ao aluno no sentido de melhorar
seu entendimento e assim prosseguir no curso e atingir resultados melhores.

Permalink | Mostrar principal | Responder

Re: Estudo de caso 02. Mudando a história do Gabriel


por Adao Gomes De Souza - quarta, 24 Out 2018, 09:22

De acordo com o que foi exposto do caso do aluno Gabriel, pode-se perceber que a
maior dificuldade dele é a falta de conhecimento na ambientação do curso.

Assim como o aluno Gabriel, muitas pessoas escolhem cursos em EaD pela
disponibilidade de tempo, a facilidade de poder ser realizado as atividades em casa,
entre outros, porém, muitos não conseguem se identificar com o ambiente EaD, por não
entenderem muito de informática e muitas vezes acabam por desistir do
curso. Possivelmente, pelas dificuldades em se adaptar nessa nova modalidade de
aprendizado. Gabriel não consegue realizar as atividades propostas e até mesmo não
consegue pedir ajuda ao seu tutor. Ele precisa se inteirar mais com o sistema e ter o
conhecimento de que apenas a leitura não é o suficiente, a prática também é.

Gabriel, como muitos alunos de plataformas EaD, não conseguem se identificar com o
sistema, por mais que haja material de apoio, apenas a leitura não é o bastante. A prática
é indispensável.

Como tutor, eu iria entrar em contato com Gabriel pelo Chat e tentar entender as suas
angustias e dificuldades para que eu pudesse entender se seu problema seria apenas a
sua falta de prática no ambiente, se o conteúdo do material não está de acordo com o
que procurava, ou o que realmente lhe aflinge.

Logo que eu consiga saber qual o real problema do Gabriel, poderia auxiliá-lo de forma
mais direta. Iria mostrar a ele que é necessário ter uma rotina de estudo. Mostraria a ele
que o EaD exige muita leitura e que ele tem espaço para tirar as dúvidas com o tutor no
momento que julgar necessário.
A partir do momento que Gabriel se sinta confiante e perceba que as atividades em EaD
não são tão difíceis como ele imagina, o mesmo passaria a ter uma nova visão sobre
essa modalidade de ensino a distância e o seu desejo de desistir do curso acabaria e se
sentirá mais autoconfiante, logo o mesmo estaria mais seguro a prosseguir com o curso .

Caso, depois do contato entre tutor e cursista, ainda haja dúvidas, procuraria algum
conteúdo complementar e uma metodologia diferenciada para atender as necessidades
do aluno.

Permalink | Mostrar principal | Responder

Re: Estudo de caso 02. Mudando a história do Gabriel


por Kamila Do Nascimento Silva - terça, 23 Out 2018, 22:49

Gabriel tem dificuldade em focar nas atividades, por falta de disciplina, inexperiência e
ambientação com ensino EaD, deste modo sucede a evasão.

Como tutor iria incentiva-lo diariamente, e sugerir metodologias diferentes e planejando


horários fixos para estudo de acordo com a disponibilidade, estimularia, inseriria dicas
construtivas para lidar com a plataforma e que interagisse com frequências assim
manteria o foco, com essas opções poderá melhorar seu rendimento, pois perceberia que
o tutor estava dando suporte necessário para evoluir.

Permalink | Mostrar principal | Responder

Re: Estudo de caso 02. Mudando a história do Gabriel


por VANIA LUCIA OLIVEIRA BASTOS - terça, 23 Out 2018, 20:30

1. qual o incidente crítico?

é notável que o Gabriel tem bastante dificuldade, pode ser a primeira vez que ele faz um
curso EAD, talvez o tempo hábil de realização das atividades requer mais tempo, e pode
ser também achar que deveria ter o tutor ao lado, isso faz com que desista do curso até
mesmo por sentir dificuldade de manuseio da ferramenta.

2.O que você como tutor, faria para auxilia-lo?


Primeiramente procuraria verificar qual a dificuldade que o mesmo tá sentindo, em
seguida faria uma proposta para que ele programe suas horas para ler e sanar as
dificuldades, iria provar que o ensino a distância não tem tanta diferença do presencial,
a distância exige que ele ler com mais frequência, quando entende do conteúdo fica
mais facil de sanar todas as dúvidas.

3. E ainda, como esta ação pode resolver a problema do aluno?

Quando descobrimos que o conteúdo não é tão dificil, acreditamos em nós mesmo,
sabemos que somos capazes de aprender a qualquer coisa, saber que tem uma pessoa ali
por perto para auxiliar se tem mais confiança no que estamos fazendo. Isso do ser
humano primeiro acreditar em si mesmo, para dar a oportunidade de alguém nos
ensinar.

Permalink | Mostrar principal | Responder

Re: Estudo de caso 02. Mudando a história do Gabriel


por Lorena Santana Ribeiro - terça, 23 Out 2018, 19:59

1. Qual é o incidente crítico?

O incidente crítico, está dentre outros, na falta de ambientação do aluno com a


plataforma EaD. Pode ser a primeira vez que faz um curso à distância e por isso se
perde no tempo ágil em realizar as atividades e também na disciplina que um curso EaD
exige. Desta forma, se sente desmotivado e sozinho, por achar também que não existe
um tutor para auxilia-lo.

2. O que você, como tutor, faria para auxiliá-lo?

Aconselharia a programar diariamente seus estudos a partir do seu tempo. Explicaria


como surgiu e as vantagens de fazer um cursos EaD, proporcionando assim o interesse
dele em continuar. Conversaria com ele pelo chat/e-mail deixando aberto para tirar
qualquer dúvida, assim com o contato mais direto o aluno se sinta mais auxiliado.

3. E ainda, como esta ação pode resolver o problema do aluno?

O aluno sabendo que tem uma pessoa para auxiliá-lo sentirá mais seguro e confiante
para seguir com a proposta do curso. Neste caso, o tutor precisa sempre ficar de olho
para caso o aluno se perca novamente.
Permalink | Mostrar principal | Responder

Re: Estudo de caso 02. Mudando a história do Gabriel


por Tatiana Silva De Oliveira - terça, 23 Out 2018, 17:14

1. Qual é o incidente crítico?

Percebe-se que Gabriel não está acostumado com esse tipo de estudo (EAD), não
interage no forum, não chama seu tutor, talvez ele nem saiba que existe um tutor para
auxiliá-lo e toda essa falta de comunicação acarreta o baixo desenvolvimento dele.

2. O que você, como tutor, faria para auxiliá-lo?

Observando que esse aluno está abaixo da média da turma, é necessário que o tutor
entre em contato pelo chat e/ou email para verificar qual a dificuldade do aluno, que
pode ser com a informatica, timidez para se expressar no forum ou esteja totalmente
perdido no ambiente virtual. Através desse contato pode fazer uma ambientação com o
aluno, fazer um passo a passo para ajudá-lo, sanar todas as suas dúvidas e deixar a
disposição para eventuais dúvidas futuras.

3. E ainda, como esta ação poderá resolver a situação do aluno?

Sabendo que existe uma pessoa para auxiliá-lo, o aluno ficará mais confiante e vai
seguir as dicas passada pelo tutor. É importante manter o acompanhamento com o
aluno,afim de verificar se o seu desenvolvimento melhorou.

Permalink | Mostrar principal | Responder

Re: Estudo de caso 02. Mudando a história do Gabriel


por Joao Ricardo Ferrer - terça, 23 Out 2018, 16:12

Boa tarde

1. Qual é o incidente crítico?


O aluno tem dificuldade em realizar as atividades, por causa da inexperiência com
ensino EaD, como consequência pode ocorrer a evasão.

2. O que você, como tutor, faria para auxiliá-lo?

Como tutor eu iria propor soluções e sugestões para que o aluno não abandonasse o
curso, verificando o nível de aprendizado do aluno, se existe alguma experiência dele no
ensino EaD, que tipo de formação e qual o grau de conhecimento em informática,
verificar se ele interage com os outros colegas e como acessa o sistema.

3. E ainda, como esta ação poderá resolver a situação do aluno?

Com a verificação do estado da aprendizagem e demonstrando quais são os caminhos e


soluções para que o mesmo tenha aproveitamento, tenho certeza que existirá um
excelente rendimento e que o mesmo estará apto para realizar as suas atividades.

Permalink | Mostrar principal | Responder

Re: Estudo de caso 02. Mudando a história do Gabriel


por Herine Canedo Barbosa - terça, 23 Out 2018, 15:27

Muitos alunos, assim como o Gabriel, optam pelo EaD pelos fatores de tempo,
distância, disponibilidade. Porém, nem todos conseguem ambientar com a plataforma
ou simplesmente por sentir falta da aula presencial acabam desistindo. Provavelmente,
pela dificuldade em agir dentro dessa nova forma de aprendizado, ele não consiga
realizar as atividades propostas e até mesmo pedir ajuda ao tutor.

Conversaria com o aluno para saber o motivo do desânimo e quais dificuldades ele tem.
Às vezes, é só uma questão de ensinar como fazer. Faria um tour pela plataforma
explicando, passo a passo, onde encontrar os textos, atividades e os fóruns. Sugeriria
também que ele reservasse alguns minutos do dia para entrar e refazer todo o passo a
passo, bem como iniciar as leituras.

Fazendo isso, deixo evidente para o aluno que o estou ali para auxiliá-lo da mesma
forma que o professor na aula presencial e a qualquer momento ele pode me solicitar
para sanar dúvidas e/ou dificuldades.

Permalink | Mostrar principal | Responder


Re: Estudo de caso 02. Mudando a história do Gabriel
por Cristiane Donizeti Martins - segunda, 22 Out 2018, 20:13

Boa noite a todos!

A evasão em cursos superiores ou técnicos é algo realmente alarmante, por diversos


motivos, dentre eles, o autoconhecimento, muitos indivíduos se matriculam em cursos
por oportunidade, e no decorrer, descobrem que não há identificação com o mesmo. No
caso de Gabriel, devido às baixas notas, pode-se considerar essa possibilidade, em
cursos EAD, o aluno precisa realmente se identificar com o curso, pois terá que ler
muito, estudar por longos períodos, o que em cursos presenciais poderia ser amenizado,
pois sempre há trabalhos e avaliações em grupo, o que de certa forma camufla alunos
que têm a mesma dificuldade citada acima.

Como tutora, tentaria compreender o perfil do aluno, se é incompatibilidade curso-aluno


ou apenas dificuldade ao modelo EAD, já que requer disciplina e foco, poderia propor
uma rotina de estudos a ele, com horários cabíveis à sua demanda diária, auxiliar com o
uso de algumas ferramentas da plataforma. Dessa forma, ele se sentirá amparado e
seguro ao realizar todas as atividades propostas e certamente terá uma melhor
performance nos estudos.

Permalink | Mostrar principal | Responder

Re: Estudo de caso 02. Mudando a história do Gabriel


por THIAGO RODRIGUES MOREIRA - segunda, 22 Out 2018, 15:11

Nobres Colegas,

A evasão é um fenômeno que ocorre em todos os cursos e vários fatores podem ser
caracterizados a este abandono: seja problemas financeiros, tempo disponível, qualidade
do curso, adaptação e etc.

Ocorre que no caso em tela, temos a evasão no Cursos em Sistema de EAD, o que foi
contextualizado pela falta de acesso ao sistema e não realização das atividades pelo
estudante. Quando este deixa de atuar num curso, a primeira forma de trazer assiduidade
do mesmo é entrar com contato com ele para verificar o que está ocorrendo, ou seja, é
necessário individualizar o atendimento para o estudante compreender que faz parte do
sistema.

Ao identificar o problema, que no caso em tela, possivelmente a problemática do aluno


é relativa ao uso do sistema e disciplina do tempo, devemos informar novamente como
deve ser feito o uso do sistema, auxiliando-o com uma construção de horário para
acesso e feitura das atividades, e supervisionar esse acesso por meio de e-mail para dar
feedback ao aluno.

Penso que se o tutor agir rapidamente, o aluno irá se animar e voltará a realizar o curso.

att.

Permalink | Mostrar principal | Responder

O tutor é fundamental para criação do vínculo entre aluno e instituição, sendo que o
estreitamento dos laços, principalmente no início do curso, colabore para o bom
desenvolvimento, quando há relacionamento interpessoal, o acadêmico se sente a
vontade para falar sobre suas frustrações e assim identificar a causa da possível evasão e
contorná-la. Um ambiente interativo, retém melhor a atenção do aluno.

Pelo exposto, a impressão é de que o Gabriel não está ambientado à plataforma do curso
e a falta de segurança no manuseio das ferramentas e até do próprio layout da
plataforma reflete numa timidez em participar e interagir com os demais.

Na qualidade de tutor, buscaria saber qual é a verdadeira razão para a baixa


produtividade do Gabriel e me dispor a ajudá-lo, indicando a forma correta de usar as
ferramentas da plataforma e solicitando que interaja mais com os demais participantes.
Lhe diria que esse dificuldade inicial é normal mas com o tempo ele estará totalmente
ambientado a essa forma de aprendizado.

Caso o Gabriel siga as orientações além de passar a utilizar as ferramentas da


plataforma EAD com mais segurança, ele estará muito mais motivado para quebrar as
barreiras iniciais desse novo modo de aprendizado que, realmente é muito diferente do
ensino convencional e, de certa forma cobra mais do aluno, cobra mas proatividade do
mesmo.