Você está na página 1de 19

Gestão do Design

AULA 2
Profª Msc. Ana Paula Freitas
Gestão de Design = Design
Management
• Uma das principais autoras sobre o tema,
Brigitte Borja de Mozota (2003), assume
que a gestão de design tem dois
propósitos bem definidos e, que de
certa forma, são complementares:
• 1º A busca da capacitação de gestores e
designers sobre as áreas de administração
e design;

• 2º O desenvolvimento de métodos de
integração do design no ambiente
corporativo.
NÍVEIS DA GESTÃO DO
DESIGN NA EMPRESA
• Nível estratégico da Gestão do Design
Design estratégico é uma forma de atuação direcionada para a
Gestão de Design nas empresas, integrando produtos e
imagem na estratégia da organização, utilizando-o como
processo catalisador, sintetizador e materializador de
conhecimentos e informações em produtos e serviços.

• Nível Operacional da Gestão do Design


O Design Operacional, significa ações voltadas para o processo
do design, classificado como um trabalho de “dentro para
fora” tanto em estilo de concepção intelectual e simplicidade
funcional como para o que serve a venda e propaganda. Não
se integra com outras áreas e a forma segue a função (com
ênfase nas funções prático-operacionais.
• O Design é Estratégico
...faz parte da estrutura de decisões da empresa

• O Design é Tático
...atua de forma segmentada, políticas
setorizadas para produtos e/ou serviços.

• O Design é Operacional
...execução de projetos específicos.
Design management é um processo didaticamente
dividido em três momentos: a gestão da estratégia de
design, do processo de design e de sua
implementação.

Gestão estratégica do design: identificar e criar condições para os


quais os projetos de design possam ser desenvolvidos é a
premissa.

Gestão do processo de design: o foco está na capacidade de


representação da estratégia organizacional a partir do design e
nas competências de liderança sobre esse processo.

Implementação: o foco está no processo e na execução dos


projetos, como o estabelecimento de diretrizes que auxiliarão
o desenvolvimento de projetos futuros.
• Gestão envolve planejamento, execução, controle e
ações corretivas, direcionando pessoas para que se
obtenha resultados.

• Enquanto o Design Management propõe formas de


gerenciar o design nas organizações o Design
Estratégico se ocupa de pensar maneiras de
colocar o design como participante importante
da construção de estratégias organizacionais.

• Tratam-se de “olhares cruzados” sobre o mesmo tema:


o papel do design nas instituições, tanto públicas como
privadas.
• O design estratégico, alem de rever aspectos
metodológicos no processo de projetação,
contribui para o fomento da cultura de design
dentro das empresas.

• Entretanto, o papel do design management


adquire importância estratégica não apenas no
desenvolvimento e na difusão das estratégias
organizacionais, mas em servir como elo de
ligação entre dois modelos mentais
extremamente diferentes: o gestor e o
designer.
Qual a função do gestor de
design?
• GESTOR DE DESIGN NA EMPRESA
• Nas organizações de grande porte, esse gestor deve supervisionar as equipes envolvidas em
cada projeto, tendo uma visão sobre a abrangência do negócio e integrando as unidades
operacionais no contexto da estratégia global da empresa.

• Já nas empresas de pequeno porte, o gestor de design deve agir de forma a conduzir o
processo de projetos de maneira integrada com os objetivos da empresa.

• Para GIMENO (2000, p. 326), “a melhor forma de gerir o design é fazer com que este

• Para Avendaño (2002), a função do gestor de design em uma empresa é a implantação de


políticas e estratégias de design, tornando competitivos seus produtos e sua imagem
perante o mercado funcione e que impregne a vida da empresa”.

• [...] a função de gestor de design possui responsabilidades e atribuições diferentes da


função de gestor de produto, pois implica em atividade decisória e técnica diferenciada de
acordo com a importância estratégica dada ao Design na empresa.
• Chaves e Pibernat (1989) colocam que os gerentes de
empresas podem se habilitar para a gestão do Design
através de uma recapacitação que pressupõe uma
orientação a atividades inovadoras, sensibilidade e
interesse por aspectos culturais, simbólicos e estéticos
da atividade organizacional.

• [...] os designers também podem ser gerentes de


Design se buscarem atender para além dos aspectos
técnico-criativos, também aos aspectos comerciais e de
processos produtivos. Devem centrar-se em minimizar
riscos, familiarizando-se com a gestão em geral e com
os processos comerciais, econômicos, financeiros e
operacionais da empresa.
• COMPETÊNCIAS DO GESTOR DE
DESIGN
• Primeiro ponto:
• Qualquer atividade na área de Design exige
certa flexibilização e adaptação do
profissional ao contexto do trabalho, já que a
formação universitária não tem como
abranger o vasto universo das possibilidades
e especificidades da atuação profissional.
• Segundo ponto:
• A formação acadêmica na área é quase que
inexistente.
• (enquanto não houver a formação acadêmica
especializada em Gestão do Design, gerentes
e designers necessitam de reciclagens
específicas, com ênfase em bases práticas e
processos concretos já observados no meio
empresarial e profissional).
• Terceiro ponto:
• Para Lombardi (1998), três elementos são
críticos para o design manager:
habilidades de Design, conhecimento da
dinâmica humana e prática básica em
negócios
• COMPETÊNCIA TÉCNICA DO GESTOR DE DESIGN
• O designer ou gerente que assume a tarefa da Gestão de Design precisa
desenvolver habilidades e capacidades específicas, próximas a de um
empreendedor, como a capacidade de assumir riscos, o sentido de
oportunidade, a liderança e o carisma, a flexibilidade, a visão sistêmica, o
conhecimento do mercado, a organização e o método, a criatividade, a
motivação e disposição, a visão de futuro.

• Gorb (1987) caracteriza a atuação na área de Gestão do Design por três


princípios que podem ser sintetizados nos termos: paixão, escolha e
caminhada.

• [...] é necessário estar apaixonado pelo Design, pelos novos produtos, além
de habituar-se a selecionar uma entre muitas possibilidades, e caminhar
passo a passo até alcançar o resultado final, isto é, tomando as pequenas
decisões que fazem avançar diariamente em direção ao objetivo.
• Um gerente de Design competente deve ter:
• Boas habilidades comunicativas, tanto verbais
quanto escritas;
• Deve saber conduzir o trabalho em equipe;
• Necessita ter conhecimento básico de negócios;
• Habilidade para pensar estrategicamente.
• Ele deve agir como um intérprete ou facilitador
entre os campos da gestão e do Design, articulando
os benefícios e desafios de cada área, em função
dos objetivos propostos.
• As tarefas em Gestão do Design exigem
trabalho de equipes interdisciplinares e
interdepartamentais, e se agrupam em seis
tipos principais:
• (a) diagnóstico de necessidades da empresa;
• (b) programação de atuações no campo do design;
• (c) localização e seleção de fornecedores
adequados de serviços de Design;
• (d) formulação de encargos;
• (e) direção e administração de projetos;
• (f) avaliação das experiências realizadas.
• FUNÇÃO GERENTE DE DESIGN
• Uma boa gestão deve basear-se em um tripé:
• Primeiro pé: uma capacidade técnica para dotar o
grupo de instrumentos e organização para melhorar a
capacidade operacional do grupo.
• O segundo pé: uma liderança baseada na capacidade
de comunicação, visão, atitude, lealdade e respeito ao
grupo.
• O terceiro pé: a capacidade de conduzir os trabalhos
na direção desejada, além da persistência para que os
objetivos sejam alcançados.
• (PHILLIPS, 2004, p. 109).