Você está na página 1de 28

14/05/2013

Psicologia da Personalidade II

MAJZampieri

Representante

Frederick Perls
(1897-1967)

• Antecedentes
• Perls
• Gestal-terapia

1
14/05/2013

Gestalt-terapia

• final do século XIX - análise atomística

• Tentava compreender a experiência da pessoa


• elementos da experiência reduzidos aos
componentes mais simples,
• cada componente analisado separadamente
dos outros,
• Experiência total é a soma dos componentes.

Gestalt-terapia
protesto contra a análise atomística

• surge - início da década de 50


• EUA - reflexões de Friederich Perls e o grupo
dos 7 – desenvolvimento da Gestal-terapia

Frederick Perls
Fritz
• Judeu alemão
• principal criador da Gestalt-terapia,
• discussões e produções do “grupo dos sete”
– intelectuais não conformistas
– questionavam os códigos sociais vigentes na
sociedade americana do pós-guerra e
– buscavam um estilo de vida e de expressão mais
autênticos.

2
14/05/2013

Representante

Frederick Perls
(1897-1967)

Gestalt-terapia
protesto contra a análise atomística

• Perls - psicanalista
• nascido em Berlim em 1893,
• década de 40 - África do Sul
• Estados Unidos da América - grupo dos 7

Gestalt Therapy
• 1951 lançamento do livro “Gestalt Therapy:
Excitement and Growth in the Human
Personality”,
• Frederick Perls, Ralph Hefferline e Paul Goodman.
• 2 volumes:
• Conceitos teóricos (apenas esse no Brasil - 1997)
• Experimentos e aplicações práticas

3
14/05/2013

http://www.youtube.com/user/Institutocarioca

Crescimento Psicológico
Saúde e a maturidade psicológicas

• Capacidade de emergir do apoio e da


regulação ambientais
• para um auto-apoio e uma auto-regulação.

Processo terapêutico
• Esforço na direção desta emergência.

4
14/05/2013

Crescimento Psicológico
Proposições básicas da teoria da Gestalt
Equilíbrio
• Elemento crucial no auto-apoio e na auto-regulação.
• Todo organismo possui capacidade de realizar um
equilíbrio ótimo:
• consigo
• com seu meio
• As condições para equilíbrio –
• conscientização clara da hierarquia de necessidades.

Crescimento Psicológico
Proposições básicas da teoria da Gestalt
Equilíbrio – HN (coordenação da HN)
• csc da hierarquia de necessidades
• Apreciação da hierarquia de necessidades - através
da csc de todo organismo,
• Coordenação da HN
• Ritmo de contato/fuga com o meio ambiente -
componente principal do equilíbrio do organismo.

Crescimento Psicológico
imaturidade e a neurose

• Percepção imprópria do ritmo


• ou uma incapacidade de regular seu equilíbrio.

5
14/05/2013

Crescimento Psicológico
maturidade - saúde
• Δ auto-apoiados e auto-regulados:
– Livre fluir e delineamento claro
• da formação figura-fundo (definição de sentido) nas expressões
de suas necessidades de contato e retraimento.
– Reconhecem sua própria capacidade de escolher os meios
de satisfazer necessidades que emergem
– Csc das fronteiras - eles mesmos e os outros
– Estão csc da distinção:
• fantasias (sobre os outros ou o ambiente) e
• o que experienciam por contato direto.

Psicologia da Gestalt
• Gestalt - palavra alemã - disposição ou
configuração de uma organização específica
das partes que constituiria um todo particular.

Psicologia da Gestalt
Princípio fundamental
• A análise das partes nunca pode proporcionar
uma compreensão do todo, pois o todo será
definido pelas interações e interdependências
das partes.
• As partes de uma gestalt não mantêm sua
identidade quando estão separadas de sua
função e lugar no todo.

6
14/05/2013

Psicologia da Gestalt
Desenvolvimento da Teoria
• Esboço - final do século XIX - Alemanha e Áustria.

• 1912 – (Max Wertheimer) publicou experimento


c/ fundamento da escola gestáltica:
– Explorar aspectos da percepção do movimento.
– Sala escura, rápida sucessão dois pontos de luz
próximos um do outro, variando os intervalos de
tempo entre os clarões.

Psicologia da Gestalt
Resultados do experimento
• Se intervalo entre os clarões –
• < 3/100 s – clarões pareciam simultâneos.
• = 6/100 s – via o clarão mover-se do primeiro ponto
ao segundo.
• >=20/100 s - pontos de luz como de fato, ou seja,
dois clarões de luz separados.

Psicologia da Gestalt
Conclusões do experimento
• Percepção de movimento quando clarões separados
por ± 6/100 de segundo.
• O movimento aparente não é função dos estímulos
isoladamente,
• Depende das características relacionadas à
organização neural e perceptiva do campo.

7
14/05/2013

Psicologia da Gestalt
Impactos do experimento
• Reformulações fundamentais - estudo da percepção
• Durante os anos 20, 30 e 40 -teoria da Gestalt –
• aplicada ao estudo da aprendizagem,
• resolução de problemas,
• motivação,
• psicologia social e, até certo ponto,
• à teoria da personalidade.
• A escola gestáltica - enorme impacto em toda a ψ.
• Abordagem gestática - intrínseca à corrente central da
Psicologia.

Psicologia da Gestalt
Anos 50 – contribuições da Gestalt
• Como as partes constituem e estão relacionadas com
um todo.
• Como os organismos se adaptam para alcançar sua
organização e equilíbrio ótimos.
• Adaptação - como organismo torna suas percepções
significativas, como distingue figura do fundo.
• Como organismo seleciona o que é ou não é de seu
interesse num dado momento.

Psicologia da Gestalt
Anos 50 – contribuições da Gestalt

• A percepção adapta-se à necessidade, capacitando-


nos a satisfazer nossas necessidades.

• Mudança fig/fundo conforme as mudanças nos


interesses e necessidades dominantes.

8
14/05/2013

Psicologia da Gestalt

• 1940 - teoria da Gestalt já aplicada em muitas áreas


da Psicologia, porém
– Ignorada no exame da dinâmica da estrutura da
personalidade e do crescimento pessoal.
– Não havia nenhuma formulação de princípios da Gestalt
específicos para psicoterapia.
• Fritz Perls –
– TGestalt na psicoterapia e
– teoria de mudança psicológica.

Psicologia da Gestalt
• “O todo é diferente da soma das partes“:
• Todo fenômeno psíquico é visto como um todo, em
suas relações e dinamismos.
• Explora a situação, impacto e significado naquele
momento.
• Considera o homem como um ser em relação, seu
organismo é um sistema em equilíbrio, ou em
constante busca de equilíbrio e auto-regulação em
sua relação com o meio.

Psicologia da Gestalt
Terapeuta gestáltico

• É atento à forma como se expressa o cliente:


– linguagem gestual, corporal, motora.

• Perls mostra que a agressividade também


desempenha um papel construtivo na maneira
como a pessoa se relaciona com o mundo e consigo
mesma.

9
14/05/2013

Conceitos fundamentais da Gestalt


• Holismo - O organismo como um todo

• Ênfase no aqui e agora

• Preponderância do Como sobre o Porquê

HOLISMO - O ORGANISMO COMO


UM TODO

O Organismo como um Todo


holismo orgânico
• Conceito fundamental – organismo é visto
como um todo
– tanto em relação ao funcionamento orgânico
– quanto à participação do organismo em seu meio
para criar um campo único de atividades.
• Funcionamento intra-orgânico
– os seres H são organismos unificados
– não há ≠ entre o tipo de atividade física e mental.

10
14/05/2013

O Organismo como um Todo


níveis de atividades
• Atividade mental – atividade que se
desenvolve num nível mais baixo de energia
que a atividade física.
• Qualquer aspecto do comportamento pode
ser considerado como uma manifestação do
todo, do ser total da pessoa.
• Na terapia- o que Δ faz ou como ele se
movimenta, fala e assim por diante, fornece
tanta informação a seu respeito quanto o que
ele pensa ou diz.

O Organismo como um Todo


Δ: o organismo e seu meio

holismo ao holismo ao
nível nível
orgânico ambiente

indivíduo - parte de um campo


Não há divisão corpo-mente mais amplo, que inclui o
organismo e seu meio.

Não há divisão interno-


externo

O Organismo como um Todo


Δ: o organismo e seu meio
limite de contato entre o indivíduo e seu meio

holismo ao holismo ao
nível nível
orgânico ambiente

os efeitos causais de um são inseparáveis


dos efeitos causais do outro

11
14/05/2013

O Organismo como um Todo


Δ: o organismo e seu meio
limite de contato entre o indivíduo e seu meio

holismo ao holismo ao
nível nível
orgânico ambiente

Contatar:
formação de uma
gestalt
Afastar-se:
fechamento da G

Δ saudável - limite é fluido, sempre permitindo


contato e depois afastamento do meio.

O Organismo como um Todo


Δ: o organismo e seu meio
limite de contato entre o indivíduo e seu meio

holismo ao holismo ao
nível nível
orgânico ambiente

Δ frente a um
aglomerado de G
Inacabadas ou
•Nem plenam/
formadas
•Nem plenam/
fechadas
Δ neurótico - funções de contato e
afastamento perturbadas

O Organismo como um Todo


Δ: o organismo e seu meio
• As pistas para este ritmo de contato e
afastamento são ditadas por uma hierarquia
de necessidades.
• As necessidades dominantes emergem como
ou figura contra o fundo da personalidade
total.
• A ação efetiva é dirigida para a satisfação de
uma necessidade dominante.

12
14/05/2013

O Organismo como um Todo


Neuróticos
• Incapazes de distinguir necessidades dominantes
ou definir sua relação com o meio, p/ satisfazer as
necessidades.
• Assim,
• Acarreta alterações nos processos funcionais de
contato e afastamento,
• Causando uma distorção na existência do Δ
enquanto organismo unificado.

ÊNFASE NO AQUI E AGORA

Ênfase no Aqui e Agora


• Importância da auto-percepção presente: Δ/meio.

• Neuróticos - incapazes de viver no presente.


-incapazes de viver com sucesso.
• Carregam gestalten incompletas do passado.
• Que absorvem atenção - Δ sem csc e energia p/
lidar plenamente c/ presente.

13
14/05/2013

Ênfase no Aqui e Agora


Neuróticos - Terapia
• Não busca passado: traumas ou situações inacabadas
• Convida Δ a se concentrar para tornar-se csc da
experiência presente - pressupõe que fragmentos de
situações inacabadas e problemas não resolvidos do
passado emergirão como parte da exp/ presente.
• Conforme surgem - pede-se ao paciente que as
represente e experimente de novo, a fim de
completá-las e assimilá-las no presente.

Ênfase no Aqui e Agora


Ansiedade
• A lacuna, a "tensão entre o agora e o depois".
• Inabilidade p/ tolerar tensão, leva a preencher a
lacuna com planejamentos, ensaios e tentativas de
tornar o futuro seguro.
• Desvia a energia e a atenção do presente, criando
situações inacabadas perpetuamente.
• Impede abertura para o futuro, decorrente do
crescimento e da espontaneidade.

Ênfase no Aqui e Agora

• Tb de Perls é apologia de viver com a atenção voltada


para o presente, ao invés do passado ou futuro, como
algo bom que leva ao crescimento psicológico.
• Pressupõe - a experiência presente do Δ, num dado
momento,
– é a única experiência presente possível e
– que a condição para se sentir satisfeito e realizado a cada
momento da vida é a simples aceitação sincera desta
experiência presente.

14
14/05/2013

PREPONDERÂNCIA DO COMO
SOBRE O PORQUÊ

A preponderância do Como sobre o Porquê

• Orientação fenomenológica de Perls:


– abordagem holística
– ênfase na importância da compreensão da experiência de
uma maneira descritiva e não causal.

• Estrutura e função são idênticas – se Δ compreende


como faz, compreende a ação em si.

• O determinante causal - o porquê da ação, é


irrelevante p/ qualquer compreensão plena da mesma.

A preponderância do Como sobre o Porquê

• Toda ação tem causas múltiplas,

• Toda causa tem causas múltiplas,

• As explicações de tais causas nos distanciam mais e


mais da compreensão do ato em si.

15
14/05/2013

A preponderância do Como sobre o Porquê

• Todo elemento da existência de alguém só pode ser


compreendido como parte de uma das várias
gestalten
• Uma relação causal não pode existir entre elementos
que formam um todo;
• Todo elemento causa e é causado por outros.
• Assim, na Gestalt-terapia, a ênfase está em:
– Ampliar constantemente a csc sobre como a pessoa se
comporta,
– E não p/ analisar a razão do cpto da Δ

Conscientização
ponto central de sua abordagem terapêutica

três principais conceitos:

• Holismo - O organismo como um todo


• Ênfase no aqui e agora
• Preponderância do Como sobre o Porquê

O processo de crescimento é um processo de


expansão das áreas de autoconsciência

Fator principal que inibe o crescimento ψ é a fuga


da conscientização.

Conscientização
sabedoria do organismo
• Δ maduro e saudável: auto-apoiado e auto-regulado.
• Autoconscientização - dirigida p/ reconhecimento da
natureza auto-reguladora do organismo humano.
• Princípio da hierarquia e necessidades está sempre
operando:
– A necessidade mais urgente,
– a situação inacabada mais importante,
– sempre emerge se a pessoa estiver csc da experiência de
si mesma a todo momento.

16
14/05/2013

Conscientização
continuum de consciência

• A maioria Δs interrompe o continuum quase de


imediato - pela csc de algo desagradável:
– Fuga em relação a pensamentos, expectativas,
recordações e associações de uma experiência à outra.
(flashes sucessivos) – sem assimilação do material.
– O Δ deixa a conscientização desagradável inicial tão fora
do contexto quanto o resto do material.

Conscientização
continuum de consciência

• A fuga da csctização contínua (auto-interrupção)


impede Δ encarar e tb com a csctização desagradável.
– Estar csc é prestar atenção às figuras emergentes da
própria percepção.
– Evitar a tomada de csc é enrijecer o livre fluir natural do
delineamento figura e fundo.

Conscientização
3 zonas de consciência
• consciência de si mesmo,
• consciência do mundo e
• consciência do que está "entre", um tipo de zona
intermediária da fantasia.

Gde contribuição de Freud: exame da 3ª zona


(que impede a conscientização das outras duas)

Perls – inclui tentativa de ampliar a csctização e


contato direto consigo e com o mundo.

17
14/05/2013

Conscientização
3 zonas de consciência
• Equilíbrio orgânico - supõe uma constante interação
com o meio.

• O ponto crucial - podemos escolher a maneira como


nos relacionamos com o meio (Somos auto-apoiados e auto-
regulados)

Conscientização
crescimento psicológico

• Crescimento psicológico pode se dar por completar


situações ou resolver gestalten inacabadas.

• Neurose pode ser considerada como um tipo de


estrutura em cinco camadas
• Crescimento psicológico ocorre na passagem através
destas cinco camadas.

Conscientização
crescimento psicológico

• Passagem através das cinco camadas:

• 1ª. Camada - dos clichês ou da existência dos sinais.


– Inclui todos os sinais de contato:
– Ex: "bom dia", "oi", "o tempo está bom, não é?"

18
14/05/2013

Conscientização
crescimento psicológico

• 2ª. Camada - é a dos papéis ou jogos.

– É a camada do "como se" em que as pessoas fingem que


são aquelas que gostariam de ser.
• Ex: homem de negócios sempre competente,
• a menininha sempre bonitinha,
• a pessoa muito importante.

Conscientização
crescimento psicológico

• 3ª. Camada - do impasse, ou camada da anti-existência


ou do evitar fóbico.
• Aqui experienciamos o vazio, o nada.
• É o ponto em que, interrompemos nossa tomada de
csc e voltamos à camada dos papéis p/ evitarmos o
nada.

Conscientização
crescimento psicológico

• 4ª. Camada - morte ou camada implosiva.

• Aparece como morte ou medo da morte, pois consiste


numa paralisia de forças opostas:
• contraimo-nos e
• comprimimo-nos, ou seja,
• implodimos.

19
14/05/2013

Conscientização
crescimento psicológico

• 5ª. Camada: explosiva (explosão cilindro carro).

• Emergência da pessoa autêntica, do verdadeiro self,


da Δ capaz de experienciar e expressar suas emoções.

Conscientização
crescimento psicológico

• Há 4 tipos de explosões:

– Explosão em pesar: trabalho c/ perda ou morte ainda não


assimilada.
– Explosão em orgasmo: em Δ sexualmente bloqueadas.
– Explosão em raiva: quando sua expressão foi reprimida.
– Explosão de alegria e riso: alegria de viver.

Conscientização
crescimento psicológico: natural e espontâneo
• A estrutura dos papéis é coesiva- destina-se a absorver e
controlar a energia das explosões.
• Medo do vazio e do nada - concepção errônea de que essa
energia precisa ser controlada.
• Filosofias orientais (Zen) - ensinam
– experiência do nada, positiva e geradora de vida,
– importância de permitirmos a experiência do nada sem
interrompê-la.
A mudança não pode ser forçada
O crescimento psicológico é um processo natural e
espontâneo.

20
14/05/2013

Dinâmica Patológica
obstáculos ao crescimento psicológico
• Fuga da csctização e rigidez da percepção e do cpto:
maiores obstáculos ao crescimento ψ.
• Neuróticos: os q interrompem seu próprio crescimento
• Não distinguem: suas necessidades
eles/resto do mundo
• Sem equilíbrio adequado eles/mundo.
• Desequilíbrio: Δ sente q limites sociais e ambientais
penetram muito fundo dentro dela mesma;
• Neurose: manobras defensivas destinadas ao
equilíbrio e proteção contra este mundo invasor.

Perls sugere que existem quatro mecanismos


neuróticos básicos, ou distúrbios de limites capazes
de impedir o crescimento: introjeção, projeção,
confluência e retroflexão. (Na estrutura em cinco
camadas da neurose, estes mecanismos de defesa
Dinâmica
operam basicamente Patológica
na segunda e terceira
camadas). 4 mecanismos neuróticos básicos

• Há 4 mecanismos
Entre as teorias deneuróticos
Freud e debásicos, ou distúrbios
Perls alguns dos
de limites capazes de impedir o crescimento:
correlatos podem ser facilmente encontrados. Esses
pontos–introjeção,
de congruência podem ser vistos: na Catexia
–projeção,
de Freud, correspondendo à figura-fundo de Perls; na
–confluência
libido de Freud, correspondendo à excitação básica
–retroflexão.
de Perls; na associação livre de Freud,
• Estes mecanismosaodecontinuum
correspondendo de consciência
defesa operam na segundade e
Perls; na consciência
terceira camadas. de Freud, conscientização de
Perls, no enfoque de Freud na resistência e o
enfoque de Perls na fuga da conscientização; na
compulsão à repetição de Freud e as situações
inacabadas de Perls; na regressão de Freud,
correspondendo ao retraimento do meio ambiente
de Perls; no terapeuta que permite e encoraja a
transferência em Freud, e no terapeuta que é um
"habilidoso frustrador" em Perls; na configuração
neurótica de defesa contra
Dinâmica impulsos de Freud, e na
Patológica
formação rígida da gestalten de Perls; na projeção
pontos de congruência Freud/Perls
transferencial de Freud e na projeção de Perls, e
assim por Freud
dìante. Perls
• Catexia • figura-fundo
• Libido • excitação básica
• Associação livre • continuum de consciência
• Csc • Conscientização
• Resistência • fuga da conscientização
• compulsão à repetição • situações inacabadas
• regressão • retraimento do meio
• terapeuta que permite e ambiente
encoraja a transferência • Terapeuta "habilidoso
frustrador" em Perls

21
14/05/2013

Dinâmica Patológica
pontos de congruência Freud/Perls

Freud Perls

• configuração neurótica de • formação rígida da


defesa contra impulsos gestalten
• projeção transferencial de • projeção de Perls
Freud

Introjeção: "engolir tudo“


• Mecanismo - Δ incorpora padrões, atitudes e
modos de agir e pensar dos outros - que não
assimila ou digere o suficiente para torná-los seus.

• Efeitos prejudiciais: dificuldade em distinguir:


• o que realmente sente e o que os outros querem que ele
sinta, ou simplesmente o que os outros sentem.
• Pode constituir uma força desintegradora da P:
– qdo os conceitos e atitudes engolidos são incompatíveis uns com
os outros, os Δ introjetivos se tornarão divididos.

Projeção: oposto da introjeção


disfunção de contato do sujeito com o objeto

• Tendência de responsabilizar os outros pelo que se


origina no self (impulsos, desejos e cptos)
• Atenção:
• Suposição baseada na observação é normal e saudável.
• processo patológico: inclinação em negar partes da P
consideradas difíceis, ofensivas ou sem atrativos. os atribui a
uma outra pessoa e aí, pode reconhecê-los e até criticá-los.

Terapia- ajudar a pessoa recuperar pedaços de sua própria


identidade, que se encontram projetados.

22
14/05/2013

Confluência
• Δ não distingue nenhum limite si-mesmo/meio
ambiente.
• Torna impossível ritmo saudável de contato e de
fuga - que pressupõem um outro.
• Impossibilita a tolerância das ≠ entre Δs,
• Δ não pode aceitar um senso de limites e,
portanto, a diferenciação entre si mesmo e as
outras pessoas.

Retroflexão
“Voltar-se de forma ríspida contra”
• Δs voltam-se contra si mesmo
• Ao invés de dirigir energias p/ mudança e
manipulação do ambiente, dirigem a si próprios.
• Dividem-se e tornam-se sujeito e objeto de todas
suas ações e passam a ser o alvo de seu cpto.

Função crucial dos mecanismos

• Preencher a confusão do neurótico na discriminação


de limites.

• Os mecanismos raramente agem isolados

• Δs tendem a equilibrar tendências neuróticas em


variadas proporções.

23
14/05/2013

• Introjeção - mecanismo central na luta entre o


dominador e o dominado.
• O dominador se manifesta por 1 pacote de padrões e
atitudes introjetados
• Enqto o dominador (Superego) permanece introjetado e não
assimilado- exigências do dominador continuam irracionais e
impostas a partir de fora.
• Projeção é crucial na formação e compreensão de
sonhos.
• Todas as partes do sonho são projetadas, fragmentos
desapropriados de nós mesmos.
• Todo sonho contém ao menos 1 situação inacabada que
envolve as partes projetadas.
• Tb com o sonho é recuperar tais partes e, portanto,
completar a Gestalt inacabada.

Corpo
• Cisão mente-corpo é arbitrária e artificiosa.
• Atividade mental funciona em nível menos
intenso que a física.
• Nossos corpos são manifestações diretas de
quem somos
• Pela observação de nossos comportamentos
físicos (postura, respiração, movimentos), podemos
aprender muito sobre nós mesmos.

Relacionamento Social
• Δ - parte de um campo do qual é inseparável.
• Funções de contato e fuga (do meio ambiente)
são cruciais na determinação da existência do
Δ - inclui o relacionamento com outras Δs.
• Pertencer a um grupo é nosso principal
impulso de sobrevivência psicológica.
• Neurose resulta da:
– rigidez na definição do limite de contato em
relação às outras Δs e
– inabilidade em encontrar e manter o equilíbrio
com eles.

24
14/05/2013

Vontade
• É importante Δ estar csc de suas preferências e
ser capaz de agir sobre elas.
• O conhecimento das preferências leva ao
conhecimento das necessidades p/ satisfazê-las.
• Preferência - qualidade natural e organísmica da
vontade saudável.
• O "querer“- uma das várias atividades mentais;
– Afunila csc a certas áreas específicas a fim de
– completar conjunto de ações dirigidas para a satisfação de
algumas necessidades determinadas.

Emoções
força que fornece energia a toda ação

• Expressão de nossa excitação básica,


• As vias e modos de expressar nossas escolhas,
assim como de satisfazer nossas necessidades.
– A emoção se diferencia de acordo com situação:
– Ex: pelas glândulas suprarenais em raiva e medo
pelas glândulas sexuais em libido.

Emoções
força que fornece energia a toda ação
• A excitação emocional mobiliza sistema muscular.
• Se expressão muscular da emoção bloqueada:
criaremos a ansiedade- contenção da excitação.
• Qdo ansiosos –
• tentamos dessensibilizar nossos sistemas sensoriais a fim de
reduzir a excitação criada;
• é nesse ponto que sintomas como frigidez, se desenvolvem.
• Dessensibilização emocional - raiz da fuga da
conscientização que Perls considera básica na
neurose.

25
14/05/2013

Intelecto
• A preocupação em perguntar por que as coisas
acontecem impede as pessoas de experienciarem
como acontecem
• A csc emocional genuína – bloqueada pelo explicar.
• Explicar é propriedade do intelecto - constitui
muito menos que compreender.
• P/Perls há três níveis em produção intelectual:
• cocô-de-galinha (bate-papo social),
• cocô-de-boi (desculpas ou racionalizações)
• e cocô-de-elefante (teorizar, especialmente de modo filosófico e
psicológico).

Self
• Perls não tinha interesse em enaltecer o conceito
de self p/incluir qualquer coisa além do
cotidiano, manifestações óbvias de quem somos.
• Somos quem somos.

Maturidade e saúde psicológica envolvem:


sermos capazes de proclamar isto,
ao invés de sermos tomados pelo sentimento de que
somos quem deveríamos ser ou
quem gostaríamos de ser.

Self
• Nossos limites estão ctm/ mudando na interação com os
ambientes.
• Podemos, dado um certo nível de csc, confiar em nossa
sabedoria organísmica p/ definir tais limites e dirigir o ritmo
de contato e fuga em relação ao meio.
• A noção de "self ou "eu", não é estática e objetivável.
• O "eu" é um símbolo para 1 função de identificação.
• O "eu" identifica-se com qquer exp.emergente da fig.
• todos aspectos do organismo saudável (sensorial, motor,
psicológico)
identificam-se com a gestalt emergente, e a
experiência do "eu" é essa totalidade de identificações.
Função e estrutura, como já vimos antes, são idênticas.

26
14/05/2013

Terapeuta
• Tela de projeção na qual o paciente vê seu próprio
potencial ausente;
• Tarefa da terapia – recuper o potencial do paciente.
• 0 terapeuta é sobretudo um habilidoso frustrador.
• Dá satisfação ao paciente dando-lhe atenção e
aceitação, porém frustra-o recusando-se a dar-lhe o
apoio de que carece.

Terapeuta
• Age como um catalisador - ajuda o paciente a
passar pelos pontos da "fuga" e do impasse;
• Principal instrumento catalisador do T - consiste em
ajudar o paciente a perceber
• como ele ou ela constantemente se interrompe,
• como evita a conscientização, desempenha papéis...
• Terapeuta é humano e
– seu encontro com o paciente envolve o encontro de dois
indivíduos,
– o que inclui mas também vai além do encontro definido
de papéis terapeuta-paciente.

Terapeuta
• Terapia individual é obsoleta, tanto ineficiente
quanto via de regra ineficaz.
• O trabalho em grupos tem muito mais a oferecer,
• quer o trabalho envolva explicitamente o grupo inteiro,
• quer assuma a forma de uma interação entre o terapeuta e um
indivíduo dentro do grupo.
• O grupo pode fornecer uma situação de mundo
microcósmica em q Δs podem explorar as atitudes e
cptos uns em relação aos outros.
• O apoio do grupo na "emergência segura" da sit.
terapêutica tb pode ser bastante útil ao Δ, assim
como a identificação com os conflitos de outros
membros e sua resolução dos mesmos.

27
14/05/2013

Visão holística da realidade


estrutura ou configuração - totalidade e organização
• compreender o homem,
• a natureza,
• o planeta,
• cada ser vivo,
• cada objeto ou fenômeno do Universo
enquanto uma totalidade,
• unidade indivisível, um todo que é muito
maior que a soma de suas partes,
• pois só pode ser compreendido pelas
interações entre as partes que o compõem.

Visão holística do Homem


• não há no homem separação entre o seu sentir, o
seu pensar e o seu agir.
• Mente, corpo e suas manifestações são partes de
um todo
• São formas diferentes de expressão desse Δ
• integrados e contribuindo para a configuração
desse todo.
• Assim, se algo muda em qualquer uma das suas
partes, seja um aspecto emocional, mental, físico
ou espiritual, o todo é reconfigurado
• surge uma nova organização, uma nova gestalt.

Bibliografia
• Ballone GJ - Friederich Perls, In. PsiqWeb, internet,
disponível em www.psiqweb.med.br, revisto em
2005
• http://www.youtube.com/user/Institutocarioca

28