Você está na página 1de 13

Revisão de história do brasil – populismo – 1946-1964

1. (Uel ) A construção da cidade de Brasília fez parte do processo desenvolvimentista dos anos 1950
liderado pelo presidente Juscelino Kubitschek e seu vice, João Goulart. O projeto modernizante de JK
assentava-se na política do “50 anos em 5”, que preconizava, entre outras coisas, dotar o país de uma
infraestrutura suficiente para sustentar a industrialização.

Com base nos conhecimentos sobre a política econômica desse período histórico brasileiro, assinale a
alternativa correta.

a) Disseminou o ensino técnico para todas as regiões do país, por meio dos institutos técnicos federais.
b) Expandiu a construção de usinas hidrelétricas e abasteceu de energia o setor produtivo.
c) Implantou a SUDAM, que realizou a modernização e a transformação da região amazônica.
d) Priorizou a importação de veículos automotores para o país se inserir no mercado internacional.
e) Privatizou a Companhia Siderúrgica Nacional, com a abertura do seu capital para investidores
estrangeiros.

2. (Unesp) Brasília simbolizou na ideologia nacional-desenvolvimentista o “futuro do Brasil”, o arremate


e a obra monumental da nação a ser construída pela industrialização coordenada pelo Estado
planificador, pela ação das “forças do progresso” (aquelas voltadas para o desenvolvimento do
“capitalismo nacional”), que paulatinamente iriam derrotar as “forças do atraso” (o imperialismo, o
latifúndio e a política tradicional, demagógica e “populista”).

(José William Vesentini. A capital da geopolítica, 1986.)

Segundo o texto, a construção de Brasília deve ser entendida

a) como uma tentativa de limitar a migração para o Centro do país e de reforçar o contingente de mão
de obra rural.
b) dentro de um conjunto de iniciativas de caráter liberal, que buscava eliminar a interferência do
Estado nos assuntos econômico-financeiros.
c) dentro do rearranjo político do pós-Segunda Guerra Mundial, que se caracterizava pelo clima de paz
nas relações internacionais.
d) dentro de um amplo projeto de redimensionamento da economia e da política brasileiras, que
pretendia modernizar o país.
e) como um esforço de internacionalização da economia brasileira, que provocaria aumento significativo
da exportação agrícola.

3. (Uerj 2017) Antecipando-nos à derrocada das forças subversivas, acionadas por dispositivos
governamentais, que visavam à destruição do primado da democracia e à implantação de um regime
totalitário, tivemos a lucidez e o patriotismo de alertar os poderes constituídos da República para a
defesa da ordem jurídica e da Constituição, tão seriamente ameaçadas. Podemos hoje, erradicado o mal
das conjuras comuno-sindicalistas, proclamar que a sobrevivência da Nação Brasileira se processou sob
a égide intocável do Estado de Direito.

Adaptado de Ata da Reunião Ordinária do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB,
07/04/1964.

O apoio da Ordem dos Advogados do Brasil à deposição do presidente João Goulart (1961-1964), como
indicado no texto, insere-se no contexto de intensas polarizações de opiniões entre partidos e
associações.
Essas polarizações expressavam posicionamentos distintos acerca da seguinte proposta do governo João
Goulart:
a) implementação das reformas de base
b) política de desvalorização monetária
c) cerceamento da liberdade de imprensa
d) controle orçamentário dos poderes estaduais

4. (Ufu) [Populismo] Foi uma construção dos liberais derrotados e, depois, das esquerdas
revolucionárias. Para os liberais, eles só poderiam ter perdido porque alguém se deixou
ludibriar. Para as esquerdas, que queriam primazia nos movimentos populares, os populistas
eram todos os demais, inclusive outros ramos marxistas. Além da direita e da esquerda,
juntaram-se nessa poderosa aliança a universidade, tentando dar uma consistência teórica à
definição, e a imprensa, difundindo e popularizando a caracterização. O princípio, totalmente
improvável, é da existência de uma multidão de tolos, um bando de idiotas, a seguir um líder
malicioso e poderosíssimo. Um sujeito capaz de enganar milhões e milhões de pessoas
durante décadas.

FERREIRA, Jorge. Todos populistas. Revista Época, 22.set. 2009. Disponível em:
<http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI31162-15228,00-
JORGE+FERREIRA+TODOS+POPUL STAS.html>. (Adaptado).

O conceito de populismo é largamente utilizado tanto por intelectuais quanto por jornalistas, e
mesmo no cotidiano. Recentemente, como se depreende da citação do historiador Jorge
Ferreira, tal conceito vem ganhando novos significados em função

a) da percepção de que, nas grandes políticas nacionais, tal como a legislação trabalhista de Vargas, há
um ativo protagonismo das camadas populares em busca do atendimento de suas demandas
históricas.
b) da reavaliação do alcance das políticas populistas, como a legislação trabalhista, as quais, para vários
autores, só foram efetivamente implementadas entre as camadas rurais.
c) do distanciamento em relação à herança getulista que os governos Lula e Dilma fizeram questão de
efetivar.
d) do questionamento da real capacidade da legislação trabalhista em produzir uma efetiva consciência
de classe entre os trabalhadores brasileiros.

5. (G1 - ifsc) Em 31 de março de 1964 ocorreu o chamado Golpe Militar no Brasil, após o qual os
militares governaram o país de forma ditatorial por cerca de vinte anos. Por ser a ditadura mais recente
da história do Brasil, ela é a mais lembrada, com heranças que percebemos até os dias atuais; esse,
porém, não foi o único regime autoritário brasileiro. Podemos destacar, ainda, três momentos da
República brasileira em que ocorreram golpes ou revoluções no governo nacional: 1889, 1937 e 1964.
Sobre esses momentos da história do Brasil, é CORRETO afirmar:

a) Os três golpes tiveram cunho militar e, ao destituir o presidente anterior, implantaram medidas
prendendo o antecessor.
b) Tanto na ditadura de Getúlio Vargas, quanto no governo dos militares, o Estado estava preocupado
com uma suposta revolução político-social no Brasil.
c) Tanto em 1889, quanto em 1964, os militares instituíram departamentos de imprensa e propaganda
para o controle midiático de jornais, rádio e televisão.
d) As perseguições políticas foram comuns nestes períodos; porém, somente na ditadura de Vargas,
entre 1937 e 1945, ocorreram mortes.
e) Somente em 1937 e 1964 os golpes tiveram grande influência das forças militares; em 1889, o
exército apenas deu apoio moral aos revoltosos.

6. (Pucrj ) Eleito em 1945, após o fim do Estado Novo, o presidente Eurico Gaspar Dutra governou o país
durante os primeiros anos da Guerra Fria. Sobre o seu governo, é incorreto afirmar que
a) a aliança política entre o Partido Social Democrático (PSD), a União Democrática Nacional (UDN) e o
Partido Republicano (PR) garantiu maioria folgada para a aprovação das principais matérias no
parlamento.
b) alinhou-se aos Estados Unidos, rompeu relações diplomáticas com a União Soviética e cassou o
registro do Partido Comunista Brasileiro (PCB).
c) pautou-se por uma postura repressiva: proibiu greves, decretou intervenção em sindicatos e fechou a
Confederação Geral dos Trabalhadores do Brasil.
d) pôs fim à época de ouro dos cassinos no país, ao proibir os jogos de azar em nome da moral e dos
bons costumes, com o apoio dos principais jornais do Distrito Federal.
e) a nova Constituição, promulgada em 1946, favoreceu o poder arbitrário do Executivo e restringiu as
atribuições do Congresso.

7. (Udesc) A Marcha da família com Deus pela liberdade:

“Movimento surgido em março de 1964 e que consistiu em uma série de manifestações, ou "marchas",
organizadas principalmente por setores do clero e por entidades femininas em resposta ao comício
realizado no Rio de Janeiro, em 13 de março de 1964, durante o qual o presidente João Goulart
anunciou seu programa de reformas de base.”
Adap. Disponível em:
http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/Jango/artigos/AConjunturaRadicalizacao/A_marcha_da_familia_c
om_Deus acessado em: 12/08/2015.

Assinale a alternativa correta sobre a Marcha da família com Deus pela liberdade.

a) Mostrou o protagonismo do movimento feminista e da contracultura, em especial a Campanha da


Mulher pela Democracia (Camde), a União Cívica Feminina e a Fraterna Amizade Urbana e Rural.
b) Congregou segmentos das classes populares, em especial sem tetos e operários da indústria, em
parceria com a Federação do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP).
c) Tinha como meta propagar a ideia de liberdade religiosa e de liberdade sexual.
d) Contou com a aliança, de setores de esquerda da igreja católica e da juventude estudantil de classe
média, contra o conservadorismo da sociedade Brasileira.
e) Era favorável à deposição do presidente eleito João Goulart e teve papel importante no Golpe Militar
de 1964.

8. (G1 - ifsc) João Goulart foi presidente do Brasil entre 1961 e 1964. Durante seu governo, foi elaborado
o Plano Trienal, o qual pretendia deter a inflação, mas sem diminuir o crescimento econômico. Uma das
ações desse plano era a adoção das reformas de base.

Assinale a alternativa CORRETA.

Essas reformas atingiriam, entre outras, as estruturas

a) agrária, tributária e educacional.


b) comercial, agrária e regional.
c) educacional, geográfica e religiosa.
d) cultural, metalismo e estamental.
e) trabalhista, constitucional e produtivista.

9. (Fgvrj) Leia o fragmento a seguir, extraído de um artigo do jornalista Carlos Lacerda, publicado no
jornal A Tribuna da Imprensa, em de junho de 1950.

O Sr. Getúlio Vargas senador, não deve ser candidato à presidência. Candidato, não deve ser eleito.
Eleito, não deve tomar posse. Empossado, devemos recorrer à revolução para impedi-lo de governar.

A partir do fragmento, assinale a alternativa que apresenta a interpretação correta do discurso de Carlos
Lacerda.

a) Marca o rompimento público com o trabalhismo, devido aos planos ditatoriais de Vargas.
b) Reflete a posição dos setores liberais contrários à aproximação do Brasil com os países do Leste
europeu.
c) Denuncia Vargas, que pretendia modificar a constituição para se candidatar à Presidência da
República.
d) Representa o posicionamento político de setores contrários ao trabalhismo.
e) Mostra a defesa intransigente do processo eleitoral contra as ameaças ao sistema democrático.

10. (G1 - ifsp) Considere a imagem e o texto a seguir.

A imagem refere-se ao sepultamento do ex-presidente do Brasil João Goulart (1919-1976),


realizada em 14 de Novembro de 2013. Seus restos mortais foram recebidos com uma
cerimônia oficial e honras militares, comum a chefes ou ex-chefes de Estado e com a presença
da então presidenta da república Dilma Rousseff. Contou também com a presença de ex-
presidentes, como Luiz Inácio Lula da Silva, José Sarney e Fernando Collor de Melo. Por
solicitação da Comissão Nacional da Verdade (CNV), os restos mortais de João Goulart foram
exumados e analisados pelo Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal. Suspeita-se
que a causa de sua morte tenha sido por envenenamento, esta que se contrapõe a versão
oficial, em que ele teria sofrido um ataque cardíaco. Na ocasião de sua morte não foi feito
autopsia.

( ) João Goulart também era conhecido e chamado por Jango.


( ) João Goulart iniciou seu mandato após a renúncia do ex-presidente Jânio Quadros (1917-
1992).
( ) João Goulart iniciou seu mandato presidencial em 1961 e foi deposto pelo Golpe Militar de
31 de Março de 1964, ocasião em que forçosamente deixou de ser presidente da
república.
( ) João Goulart foi exilado devido ao golpe militar que o destituiu de seu cargo e mais tarde
faleceu fora do Brasil.
( ) João Goulart renunciou ao seu mandato em 1963 e quem assumiu seu lugar foi Jânio
Quadros.
( ) João Goulart faleceu em 1976, em seu primeiro sepultamento não houve honras militares
comum a chefes e ex-chefes de Estado, assim como foi feito na ocasião da imagem.

Identifique as afirmações com (V) para verdadeiro e (F) para falso, sendo a sequência de cima
para baixo, e marque a alternativa correta.
a) V, V, F, V, F, V.
b) V, V, V, V, F, V.
c) V, F, V, V, V, F.
d) F, F, V, V, V, V.
e) F, V, V, V, V, F.

11. (Uece) O presidente Jânio Quadros apresentou-se na vida política brasileira como um líder que
varreria a corrupção e solucionaria os problemas do País. Sua prática política provocou insatisfações, em
virtude da sua forma de governar. Dentre as opções abaixo, assinale a que NÃO condiz com o perfil de
Jânio Quadros quando Presidente da República.

a) Adoção de medidas esdrúxulas, como, por exemplo, proibição de corridas de cavalos em dias úteis e
uso de biquíni em desfiles.
b) Opção por medidas econômicas austeras, como restrição de créditos e congelamento de salários.
c) Ampliação do número de parceiros comerciais para o Brasil, levando em conta a orientação ideológica
dos países com os quais estabeleceu relações comerciais.
d) Adoção de práticas demagógicas e populistas que acreditava aproximá-lo das grandes massas, como,
por exemplo, comer sanduíche de mortadela durante os comícios.

12. (Ufrgs) Em 1955, foram eleitos Juscelino Kubitschek (JK), para presidência da República, e João
Goulart, para a vice-presidência.

Com relação ao contexto dessas eleições e ao governo JK, considere as seguintes afirmações.

I. Descontentes com o resultado das eleições, Carlos Lacerda e políticos ligados à União Democrática
Nacional (UDN) tentaram impugnar as eleições, gerando uma crise política que ativou setores
golpistas da sociedade civil e das forças armadas.
II. O Plano de Metas previa investimentos do Estado em infraestrutura, visando à modernização social e
ao desenvolvimento do setor industrial.
III. O governo de JK caracterizou-se por instabilidade política, devido à inexistência de maioria
parlamentar no Congresso, o que acabou atrasando a construção de Brasília.

Quais estão corretas?

a) Apenas I.
b) Apenas III.
c) Apenas I e II.
d) Apenas II e III.
e) I, II e III.

13. (G1 - ifsc) No Brasil, os chamados “anos dourados” são relacionados, no âmbito político,
principalmente ao governo de Juscelino Kubitschek (1956-1961). Sobre esse período da história do
Brasil, assinale a alternativa CORRETA.

a) Com o intuito de conter o suposto “Plano Cohen”, Juscelino Kubitschek assumiu o governo por meio
do golpe do Estado Novo.
b) Uma das características do governo de Juscelino Kubitschek foi o nacionalismo desenvolvimentista,
sustentado por capital externo.
c) O Plano de Metas desenvolvido por Juscelino Kubitschek tinha por principal objetivo a mudança da
capital federal para Brasília.
d) Juscelino Kubitschek precisou tomar diversos empréstimos internacionais, principalmente para
sustentar as tropas brasileiras na Europa durante a Segunda Guerra Mundial.
e) As transformações implementadas pelo governo de Juscelino Kubitschek fizeram com que ele fosse
retirado da presidência pelos militares.

14. (Fgv ) “(...) eu comecei a defender a tese que me valeu o título de golpista e até de fascista. Comecei
a defender a tese de que a eleição de outubro de 55 – a sucessão de Café Filho – não poderia ser
realizada com a lei eleitoral em vigor, toda cheia de defeitos (...)”
(Carlos Lacerda, apud José Dantas Filho e Francisco F. M. Doratioto, A República bossa-nova – A
democracia populista (1954-1964))

Entre os “defeitos” da lei eleitoral em vigor entre 1946 e 1964, é correto apontar

a) a proibição de coligações eleitorais para os cargos majoritários, que tornou comum as traições
partidárias, nas quais um candidato ao executivo apoiava um candidato a parlamentar de outro
partido.
b) a realização de eleições gerais a cada quatro anos, em todos os níveis, que potencializava a
importância da eleição presidencial e retirava a atenção dos pleitos estaduais e das casas legislativas.
c) as cláusulas de barreira para as agremiações partidárias, que inviabilizavam a formação de partidos
efetivamente nacionais, o que impediu o crescimento dos principais partidos, a UDN e o PSD.
d) as inesgotáveis polêmicas que marcavam as eleições presidenciais, pois a prática do segundo turno
era considerada inconstitucional pelos partidos mais progressistas, especialmente o PTB.
e) a votação em separado dos candidatos à presidência e à vice-presidência, que não precisavam ser da
mesma coligação partidária, o que poderia ocasionar a escolha popular de candidatos com projetos
políticos bem diversos.

15. (Pucrs ) Em março de 1964, um movimento militar derrubou o então presidente João Goulart (PTB),
dando origem a uma nova fase da história brasileira, na qual se estabeleceu uma Ditadura Militar, que
durou até meados dos anos 1980. Sobre as causas que deram origem ao Golpe Militar de 1964, NÃO é
possível incluir

a) as reformas de base que Jango tentou implantar no seu governo e que deveriam envolver a reforma
eleitoral e a reforma agrária, contrariando os interesses das classes conservadoras.
b) a falta de apoio de Goulart à revolta dos sargentos que defendiam o direito dos indivíduos desta
patente se candidatarem ao Poder Legislativo, o que descontentou a cúpula militar.
c) as diretrizes da Política Externa Independente (PEI) adotada pelo governo João Goulart, que
privilegiava alianças diplomáticas com países fora da zona de controle dos EUA, provocando temores
em Washington sobre os seus reais propósitos.
d) as características políticas de João Goulart, líder sindicalista e populista, o que levava os setores
conservadores a suspeitar de suas intenções em estabelecer um regime peronista no Brasil.
e) a visão oposicionista da grande imprensa brasileira, que encetou forte campanha contra o governo de
Goulart, especialmente entre os anos de 1963 e 1964, defendendo a sua saída da Presidência da
República.

16. (G1 - col. naval 2016) Observe a charge a seguir.


A charge acima representa a figura do presidente Juscelino Kubitschek com a sombra projetada do
Marechal Henrique Lott. É correto afirmar que, em 1955 após as eleições presidenciais, o Marechal
Henrique Lott

a) liderou um movimento articulado por militares e setores civis ligados à UDN com o objetivo de
impedir a posse de Juscelino Kubitschek e de seu vice João Goulart, do partido comunista.
b) liderou um movimento com o objetivo de bloquear alguns militares e setores civis ligados à UDN que
tentaram impedir a posse de Juscelino Kubitschek, assegurando o respeito ao resultado das eleições.
c) foi apresentado como candidato de oposição ao governo Juscelino Kubitschek, sendo o maior
representante da luta contra a má conduta administrativa do presidente eleito.
d) ficou conhecido como um dos principais articuladores dos governos militares que conduziram o Brasil
de 1964 até 1985, desempenhando o cargo de Ministro da Guerra.
e) conduziu uma das mais violentas repressões aos movimentos populares vistos como subversivos,
além de colocar o PCB na clandestinidade e perseguir os comunistas.

17. (Uema)
As imagens acima retratam dois momentos singulares da História Política do Brasil: a conjuntura pré-
golpe de 1964, momento em que se deu a destituição de João Goulart, e as recentes manifestações
contra o atual governo brasileiro. Em comum aos dois processos, destaca-se o apoio à tomada de poder
pelos militares. Identifica-se o seguinte argumento comum às duas manifestações a favor da
intervenção militar:

a) Defesa dos preceitos fundamentais da democracia liberal burguesa, como a liberdade de expressão.
b) Crítica às políticas públicas, vistas como incapazes de controlar a inflação e promover o
desenvolvimento do país.
c) Defesa do catolicismo e da “família tradicional” como sustentáculos dos valores cristãos da sociedade
brasileira.
d) Incapacidade do Governo Goulart e do Governo Dilma de atender às demandas dos movimentos
sociais e das minorias.
e) Oposição diante da dependência da economia brasileira frente ao capital estrangeiro manifesta na
defesa incondicional do nacionalismo econômico.

18. (G1 - cftmg) Ressurge a Democracia. Vive a nação dias gloriosos. Porque souberam unir-se todos os
patriotas, independente de vinculações políticas, simpatias ou opinião sobre problemas isolados, para
salvar o que é essencial: a democracia, a lei e a ordem.

Fonte: Trecho da Reportagem Ressurge a Democracia. O Globo, Rio de Janeiro, 2 abr. 1964. Disponível
em: < http://www.cartamaior.com.br>. Acesso em: 23 ago. 2014.

O trecho dessa reportagem, produzida no ano de 1964, demonstra que a democracia era

a) adotada pelos jornais e revistas da época.


b) justificada para restauração da lei e da ordem.
c) articulada por setores que apoiaram o golpe.
d) reformulada pelas mídias para defender o regime.

19. (Fgv ) Leia um trecho de uma entrevista com o historiador Francisco Alembert.

(...) os governos vêm sucessivamente utilizando a retórica, a imagem e o mito do governo de


Juscelino, por isso ele continua tão forte e tão presente. Mas há também algo em comum na utilização
de JK por esses governos. De uma forma ou de outra, eles procuram justificar o crescimento econômico
dentro da democracia. Ele agradava a burguesia, porque se mostrava um governo modernizador, e
também agradava a esquerda, mesmo não tendo uma política de esquerda. Mas alcançou um
crescimento realmente fantástico, nunca visto antes. O grande problema é que isso não foi dividido por
toda a sociedade.
(www.sinprosp.org.br/reportagens_entrevistas. asp?especial=102&materia=281. Acessado em
20.08.2014)

A partir da entrevista, é correto afirmar que o chamado mito JK

a) fundamenta-se em dois avanços essenciais do governo Juscelino Kubitscheck: a eficiente política de


combate às disparidades regionais, o que garantiu um enorme crescimento econômico do Nordeste,
e a melhoria da distribuição de renda nacional por meio dos aumentos salariais do operariado.
b) tem sido alimentado por diversos governos brasileiros, mesmo com posturas ideológicas diferentes,
porque o ex-presidente pode ser lembrado como o autor de um importante processo de abertura da
economia, como também o artífice de um desenvolvimento econômico acelerado.
c) constituiu-se a partir da competência única do presidente da República em amarrar as lideranças
políticas da UDN, do PTB e do PSD ao projeto de mudança da capital e construção de Brasília,
compreendida por todas essas forças políticas democráticas como necessidade para o
desenvolvimento nacional.
d) baseia-se na capacidade política do então presidente brasileiro, líder de uma grande negociação entre
as forças econômicas e políticas nacionais, que efetivou um processo de reforma agrária progressista,
além da extensão dos direitos trabalhistas aos homens do campo.
e) está vinculado à reconhecida sensibilidade política de Juscelino Kubitscheck, que foi capaz de articular
todas as principais forças políticas nacionais, formando um governo de coalizão de centro-esquerda,
com a participação das mais representativas lideranças da UDN e do PSB.

20. (Pucrs) Sobre o Golpe Militar de 1964, é correto afirmar que

a) ocorreu por iniciativa exclusiva dos militares, sem o apoio da sociedade civil, o que levou as forças
armadas a instituir uma ditadura governada apenas por generais e sem a participação de outros
setores da sociedade.
b) teve, como objetivo central, o combate ao comunismo no Brasil e à democracia de massas,
promovendo o fim dos partidos e do sistema eleitoral assim que os militares tomaram o poder.
c) procurou pôr fim ao projeto desenvolvimentista, promovendo, ao logo de duas décadas, um amplo
processo de abertura econômica e de privatizações no País.
d) instalou uma intensa repressão contra os setores mais à esquerda no espectro político, como a União
Nacional dos Estudantes (UNE) e as Ligas Camponesas, com milhares de pessoas presas e torturadas.
e) estabeleceu uma política externa de muita aproximação com os EUA, evitando qualquer conflito com
esse aliado durante os anos 60 e 80, como forma de combater o comunismo.

Gabarito:

Resposta da questão 1:
[B]

[Resposta do ponto de vista da disciplina de Geografia]


Como mencionado corretamente na alternativa [B], o “Plano de Metas” do governo JK priorizou o
investimento estatal em infraestrutura, com destaque para a indústria de base, transportes e energia,
sendo responsável pela construção de usinas hidrelétricas como Furnas, Três Marias e Paulo Afonso.
Estão incorretas as alternativas: [A], porque a disseminação do ensino técnico ocorreu no período
militar; [C], porque a SUDAM foi criada no período militar durante o governo de Castelo Branco; [D],
porque a industrialização promovida pelo governo JK teve caráter de substituição de importações com a
entrada de transnacionais para a produção de bens de consumo duráveis, dentre os quais, a indústria de
automotores; [E], porque as privatizações foram características do período neoliberal adotado no Brasil
a partir da década de 1990.

[Resposta do ponto de vista da disciplina de História]


Somente a proposição [B] é correta. O mineiro JK pertencia ao grupo liberal do PSD e defendia o
nacional desenvolvimentismo através do “Plano de Metas”. Sua proposta era abrir a economia brasileira
para o capital internacional, ou seja, a internacionalização do mercado interno. Assim, o país teria 50
anos de progresso em 5 anos de governo. O “Plano de Metas” apresentava 31 metas que se vinculavam
a indústria, transporte, energia, alimentação e educação. Porém, alimentação e educação tiveram
resultados modestos. A metassíntese de JK era a construção de Brasília objetivando a modernização,
integração e desenvolvimento. A privatização ocorreu a partir de 1990 com o governo de Collor de
Mello em um contexto neoliberal. O ensino técnico foi prioridade no governo militar para obter mão de
obra para o “Milagre Brasileiro”. JK consolidou o setor de consumo duráveis.

Resposta da questão 2:
[D]

[Resposta do ponto de vista da disciplina de História]


A construção de Brasília enquadra-se na política de Estado promovida pelo governo de JK a partir do
chamado Plano de Metas, que pretendia modernizar o país a partir de uma economia
desenvolvimentista e aliada ao capital estrangeiro.

[Resposta do ponto de vista da disciplina de Geografia]


Brasília foi criada como nova capital com o objetivo de estimular o desenvolvimento econômico regional
do Centro-Oeste, favorecer o povoamento da região, estimular a atividade industrial (construção civil e
equipamentos) e afastar a capital do litoral, que seria mais vulnerável do ponto de vista militar e às
pressões populares.

Resposta da questão 3:
[A]

A questão aponta para uma característica da nossa história, uma forte polarização ideológica em
determinados contextos como ocorreu em 1964 quando Jango anunciou sua proposta denominada de
“Reformas de Base” que defendia uma ampla reforma no país no campo da educação, reforma agrária,
urbana, tributária, etc. Nesta conjuntura histórica, a Guerra Fria estava tensa devido a Guerra do Vietnã,
Revolução Cubana e o assassinato de Kennedy, presidente dos EUA.

Resposta da questão 4:
[A]

Somente a proposição [A] está correta. A questão remete as diferentes interpretações sobre o conceito
de “Populismo”. O Populismo no Brasil caracterizou o período que vai do movimento de 1930 que
colocou o candidato derrotado (Vargas) no poder até o golpe de 1964 que derrubou o governo de
Jango. Vargas de fato criou a CLT, a legislação trabalhista, mas não devemos desprezar a atuação dos
novos sujeitos históricos do Brasil, o operário. Historiadores como Ângela Castro Gomes afirma que
havia uma relação de troca entre os trabalhadores e o Estado.

Resposta da questão 5:
[B]

A questão remete à influência dos militares na história política da República Brasileira. A própria
proclamação da República, no dia 15 de novembro de 1889, foi caracterizada por um golpe militar que
colocou o marechal Deodoro da Fonseca como presidente provisório da recém-implantada República.
Em 1937, Vargas colocou a sociedade brasileira contra os comunistas para legitimar o seu golpe
denominado de Estado Novo, uma ditadura política que permaneceu até 1945. Em 1964, os militares
depuseram João Goulart, tomaram o poder em nome da segurança e da ordem nacional.

Resposta da questão 6:
[E]
A Constituição de 1946 foi amplamente democrática, desfazendo as imposições ditatoriais do Estado
Novo (1937-1945) varguista.

Resposta da questão 7:
[E]

A Marcha da Família com Deus pela Liberdade, como o próprio texto deixa claro, foi um movimento
contrário à intenção de João Goulart de promover as Reformas de Base. Logo, o movimento era a favor
da deposição do presidente e teve papel importante no Golpe Militar.

Resposta da questão 8:
[A]

A questão faz alusão às Reformas de Bases elaboradas no governo de Jango. Estas reformas estruturais
profundas incluíam algumas categorias, tais como: agrária, tributária, financeira, administrativa e
educacional.

Resposta da questão 9:
[D]

Carlos Lacerda foi o maior opositor que Getúlio Vargas enfrentou em sua carreira política. Parte da
oposição que Lacerda fazia à Vargas centrava-se na crítica à política trabalhista varguista, conhecida
como trabalhismo.

Resposta da questão 10:


[B]

Jango não renunciou em 1963, nem Jânio Quadros assumiu em seu lugar. Jango foi deposto em 1964
pelo Golpe Militar, sob a acusação de estar articulando um golpe comunista no Brasil.

Resposta da questão 11:


[C]

A questão remete a “República Liberal Populista”, 1946-1964, em especial ao curto mandato do


presidente Jânio Quadros ocorrido em 1961. Jânio Quadros adotou uma política externa neutra e
independente, fugindo do alinhamento automático da Guerra Fria. Buscou uma aproximação com o
bloco socialista. Iniciou diálogo com a URSS para restabelecer relações diplomáticas, enviou o vice-
presidente João Goulart para a China, condecorou o grande líder argentino “Che Guevara”.

Resposta da questão 12:


[C]

A afirmativa [III] está incorreta, porque o governo JK não foi marcado por instabilidades políticas, tanto
que o presidente não teve dificuldades em aprovar a construção de Brasília.

Resposta da questão 13:


[B]

A questão remete ao governo de JK, 1955-1960, no contexto da República Liberal Populista. Este
presidente criou o Plano de Metas caracterizado pelo nacional desenvolvimentismo cujo objetivo era
crescer 50 anos em 5 anos de governo, abrindo a economia do Brasil ao capital externo. O Plano
Cohen ocorreu durante o governo de Vargas. O governo de JK foi posterior à Segunda Guerra Mundial. O
mineiro JK concluiu seu mandato presidencial.

Resposta da questão 14:


[E]

Somente a alternativa [E] está correta. Ao longo da República Brasileira, havia eleições para presidente e
para vice-presidente, o que poderia gerar problemas políticos caso fossem eleitos um presidente e um
vice de chapas diferentes. Isso aconteceu na eleição indireta à presidência da República em 1891
quando Deodoro ganhou para presidente e Floriano, da outra chapa, foi eleito para vice. Isso
incomodou o político da UDN Carlos Lacerda na eleição de 1955 quando foram eleitos JK e João Goulart.
Desde a eleição presidencial de 1989 não há mais eleição para vice-presidente.

Resposta da questão 15:


[B]

A revolta dos sargentos, deflagrada em 1963, teve apoio de João Goulart devido à proximidade entre
Jango e os sargentos desde a Campanha pela Legalidade, em 1961/1962.

Resposta da questão 16:


[B]

A questão menciona a eleição presidencial de 1955, cujo vencedor foi JK, porém este obteve apenas
36% dos votos contra 30% do segundo colocado, o candidato da UDN, Juarez Távora. A UDN não
aceitou a derrota e tramava um golpe para impedir a posse de JK. O marechal Teixeira Lott (defensor da
legalidade) teve participação fundamental para impedir este golpe contra o então presidente eleito JK.
O golpe era tramado pela UDN em conjunto com a ESG, Escola Superior de Guerra.

Resposta da questão 17:


[B]

Somente a proposição [B] está correta. As imagens apontam para dois importantes momentos da
história mais recente do país. A primeira faz referência à Marcha da Família com Deus pela Liberdade
em 19 de março de 1964, em São Paulo, com cerca de 300.000 pessoas, contra o governo de João
Goulart, Jango. A segunda imagem faz referência a uma manifestação ocorrida em 15 de março de 2015
contra o PT e a presidente Dilma Rousseff. As imagens têm em comum o desgaste dos governos e a
incapacidade para se reinventar e criar uma agenda positiva, um projeto para tirar o país da grave crise
econômica e reduzir a inflação.

Resposta da questão 18:


[D]

O Golpe Militar foi antidemocrático, uma vez que interrompeu um governo legitimamente eleito pelo
voto popular nas urnas. Ainda assim, para apoiar o Golpe, parte da imprensa desvirtuou o significado e a
noção de democracia, passando ao público a ideia de que o Regime faria bem à sociedade.

Resposta da questão 19:


[B]

Somente a proposição [B] está correta. O excelente texto do historiador Francisco Alembert remete ao
governo de JK entre 1956-1960. A Era JK permanece ainda muita viva considerando que governos
posteriores com diferentes ideologias reportam a gestão do presidente mineiro. Apontam elementos
como crescimento econômico dentro de um regime democrático agradando a burguesia com uma
surpreendente modernização e agradava a esquerda mesmo não sendo de esquerda. Vale destacar que
JK abriu a economia do Brasil para ao capital externo acreditando que a junção do capital nacional com
o internacional levaria o país a crescer 50 anos em apenas 5 anos de governo. Era o nacional-
desenvolvimentismo. O clima de otimismo da época também se explica por outros fatores como a
vitória da seleção brasileira na copa do mundo de 1958 na Suécia, pela Bossa Nova e pela vitória no
tênis pela atleta brasileira Ester Bueno.
Resposta da questão 20:
[D]

O regime ditatorial impôs forte censura e repressão aos segmentos sociais que se mostraram contrários
à política vigente, em especial aos grupos de esquerda.