Você está na página 1de 22

Os Salmos

O Livro dos Salmos é a grande


síntese que reúne todos os temas e
estilos do Primeiro Testamento.
Neste Livro podemos ver como a história, a profecia,
a sabedoria e a lei penetram a vida do povo e se
transformam em oração viva, colorida, em todo tipo de
situações pessoais e coletivas.
Os Salmos são oração, a expressão da
experiência da pessoa humana e do
povo unido com Deus.

Neles temos um
modelo de como a fé
pode penetrar todas as
circunstâncias da vida.

E um exemplo de
como todas as
experiências podem
se tornar oração.
Os Salmos
também, são
poesia, a forma
feliz de expressar
profundamente a
realidade.
Principalmente
quando sentimos
que a vida é
penetrada pelo
mistério de Deus.
Os SALMOS são um convite para que nós nos voltemos
com atenção para a vida e a história, descobrindo aí o
Deus presente e pronto a se aliar e caminhar conosco
na luta pela construção do mundo novo.
Nos 150 Salmos vamos encontrar um Deus
Libertador e Presente.Um Deus que ouve o
clamor do povo e do pobre.

Vamos
encontrar
alguém que
reza, que
louva,
suplica ou
agradece ao
Senhor.
Os Salmos foram
criados para o uso
repetido.

Estão sempre abertos


para exprimir situações
das pessoas e dos povos.

Cada pessoa que reza


um ou mais salmos,
pode aplicá-los à sua
vida no dia-a-dia.
Perceberá que Deus lhe
fala ao coração.
Cristo rezou os Salmos
muitas vezes, pois
rezava como um judeu
justo e fiel, como o
Filho de Deus em
contato com o Pai.
E sua vida e ação
trouxeram um
significado maior para
a mensagem que os
salmos já possuíam,
como experiência de
Israel.
Depois de Jesus, os Salmos passam para os
cristão como a oração por excelência do
novo povo de Deus.
O livro dos Salmos foi
sendo formado ao
longo do tempo, de
forma oral até chegar a
ser escrito. Pelo que
tudo indica houve um
processo de seleção de
cada salmo, pois o
número total dos
cânticos de orações é
superior aos 150 que se
conhece na Bíblia.
Existem alguns
salmos bíblicos que se
encontram em outros
livros como é o
exemplo de
Ex 15.1-18;
1Sm 2.1-10;
Is 38.10-20;
Jn 2.3-10 e outros
salmos que também
são extra-bíblicos.
Nas grutas de Qumrã,
perto do Mar Morto, foi
achada grande quantidade
de vasos de barros que
escondiam muitos textos
bíblicos que os antigos
deixaram.(em 1945).
Foram encontrados
também, muitos salmos
que não estão na Biblia,
mas que sem dúvida,eram
rezados pelos judeus.
Os Salmos foram surgindo
aos poucos, diferente da
coleção que conhecemos
hoje. Muitas dessas orações
pertenciama coleções
menores, como
a coleção dos cânticos de
- Davi mencionada em
Sl 72.20,
- a coleção de Asaf
Sl 50; 73-83
- a dos filhos de Coré;
Sl 42-49; 84-85; 87-88
Há autores que subdividem o Saltério em 5 livretos, assim:

1º - Salmos de 1 a 41 são 41 salmos,


2º - Salmos de 42 a 72 são 31 salmos,
3º - Salmos de 73 a 89 são 17 salmos,
4º - Salmos de 90 a 106 são 17 salmos,
5º - Salmos de 107 a 150 são 44 salmos.
Os Salmos, são composições
que giram em torno de
problemas comunitários, por
isso, falam em conflitos e
guerras.

Outros falam de perdão e


Misericórdia de Deus.

Outros ainda, rezam louvores


e agradecimentos ao Senhor.
A palavra grega “psalmós”,
indica a música tocada num
instrumento de cordas
chamado “psaltérion”,
semelhante à lira ou
pequena harpa.
Os Salmos eram cantados
no Templo de Jerusalém,
nas grandes festas. Também
se recitavam os salmos nas
reuniões das Sinagogas.
Os salmos exigem uma visão maior que é a FÉ
que nasce da história e constrói história. Seu
ponto de partida é o Deus libertador que ouve
o clamor do povo e se torna presente, dando
eficácia à sua luta pela liberdade e pela vida.
Por isso, os
salmos são as
Tehilim: o Livro dos Salmos
orações que
manifestam
a fé que os
pobres e
oprimidos têm
no Deus aliado.
Texto: Ivo Storniolo
Euclides Balancin
Carlos Mesters

Imagens: Internet

Formatação: I.M.Eunice Wolff


(ieunice@ibest.com.br)