Você está na página 1de 144

Aula 07

Curso: Contabilidade Pública p/ INSS (código CONTA)


Professor: Giovanni Pacelli

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07   

AULA 0 7 : Pla n o de con t a s a plica do a o se t or pú blico:


la n ça m e n t os t ípicos.

SUM ÁRI O PÁGI N A


1. Apresentação 1
2. Principais atos e fatos contábeis (lançamentos
2
seqüenciais e integrados)
3. Outros atos e fatos (lançamentos individualizados:
94
reavaliação, restos a pagar e adiantamentos)
4. Relação entre passivo exigível e as etapas da execução
98
orçamentária
5. Lançamentos de encerramento do exercício financeiro 101
6. Dicas finais 106
7. Questões comentadas 108
8. Lista das questões apresentadas 128

Obse r va çã o: foqu e m a is n os it e n s 2 e 4 .

1 . APRESEN TAÇÃO
Pessoal na aula de hoje veremos os principais atos e fatos contábeis. A
fim de ser didático seguirei uma seqüência de atos e fatos que ocorrerão em
determinado ente público, no caso um órgão da administração direta.
Durante o registro dos atos e fatos nosso enfoque estará direcionado
sobre: qu a is su bsist e m a s e st ã o e n volvidos, quais contas estão envolvidas e
quais os efeitos sobre o patrimônio.
A parte teórica está dividida basicamente em três partes: (i) lançamentos
seqüenciais visto que algumas provas pedem essa visão global ao concurseiro;
(ii) lançamentos individualizados; (iii) procedimentos de encerramento focando
principalmente em quais contas são zeradas.
86381744626

A fim de tornar a aula ainda mais didática recomendo que u t ilize m o


a r qu ivo de a poio a a u la que contém o Plano de Contas Aplicado ao Setor
Público (novo) Esquematizado. A dica é qu e o a lu n o im pr im a o pla n o
e squ e m a t iza do e vá fa ze n do os r e gist r os n o m e sm o a ca da e ve n t o.
Essa a u la foi r e a lm e n t e fe it a pa r a qu e m n u n ca viu con t a bilida de
pú blica . Uma ótima aula a todos os alunos. A meta é que você saia confiante
para enfrentar qualquer pergunta relacionada aos lançamentos contábeis.

Prof. Giovanni Pacelli                     www.estrategiaconcursos.com.br                        1 de 143 
 

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07   

2 . PRI N CI PAI S FATOS CON TÁBEI S


A seguir apresento a lista dos atos e fatos que balizarão nossa aula
de hoje.
Eve n t o Folh a D e scr içã o
Aprovação do orçamento no valor de 1.000.000. Sendo 30%
da receita composta por impostos, 20% da receita composta
por aluguéis, 10% recebimento da dívida ativa, 20% da receita
composta por operações de crédito e 20% da receita composta
01 4
por alienação de bens. No lado da despesa 25% da despesa é
composta por pessoal, 15% é composta por outras despesas
correntes, 20% é composta por juros, 20% é composta por
investimentos e 20% é composta por amortização da dívida.
Movimentação de crédito de R$ 50 mil para uma Unidade
02 9 Administrativa do mesmo órgão destinado a outras despesas
correntes.
03 15 Arrecadação de dois terços dos impostos.
04 21 Arrecadação de todos os aluguéis.
05 24 Arrecadação de metade das operações de crédito.
06 29 Arrecadação de toda receita de alienação de bens imóveis.
07 34 Recebimento da dívida ativa
08 39 Reconhecimento e empenho de toda a despesa de juros.
09 46 Liquidação da despesa empenhada de juros.
10 47 Pagamento da despesa liquidada de juros.
11 50 Empenho, Liquidação e Pagamento da despesa de Pessoal.
Empenho, Liquidação e Pagamento de toda a despesa de
12 55 86381744626

investimento (aquisição de instalações).


Empenho, Liquidação e Pagamento da despesa com material
13 60
de consumo com o restante das outras despesas correntes.
Empenho, Liquidação e Pagamento de metade da despesa de
14 65
amortização da dívida.
Inscrição em dívida ativa do restante da receita tributária não
15 69
arrecadada.
16 74 Saída de material de consumo do almoxarifado.
17 76 Roubo de veículo.
18 79 Assinatura de contrato e execução de contrato

Prof. Giovanni Pacelli                     www.estrategiaconcursos.com.br                        2 de 143 
 

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07   

Depreciação dos imóveis remanescentes que existiam na


19 82
situação inicial.
Movimentação de recursos para a Unidade Administrativa
20 85 anteriormente contemplada pela movimentação de crédito
(Libe r a çã o Fin a n ce ir a ).

Antes de iniciar os lançamentos propriamente ditos, vou fornecer


alguns dados iniciais, em 0 1 de j a n e ir o de 2 0 1 4 , da entidade pública da
administração direta municipal.
-Caixa: 400mil; Dívida Ativa: 100 mil; Imóveis: 450 mil; Veículos: 50 mil;
Empréstimos a pagar de curto prazo: 500 mil; Patrimônio Líquido: 500
mil. Após disponibilizarmos os dados iniciais podemos dar início aos
trabalhos.

86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                     www.estrategiaconcursos.com.br                        3 de 143 
 

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07   

2 .1 . Eve nt o 0 1 : Apr ova çã o do Or ça m e n t o


Para melhor entendimento da seqüência dos eventos vamos mapear
os dados fornecidos anteriormente e inseri-los no Plano de Contas que
vimos na aula anterior. O Quadro 1 mostra o Plano de contas com os
dados fornecidos.
Qu a dr o 1 : Situação Inicial
1 .At ivo 2 .Pa ssivo
1.1. Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante:
-Caixa 400.000 Empréstimos a pagar 500.000

1.2. Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante

1.2.1. Ativo Realizável a Longo Prazo


-Dívida Ativa 100.000
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 450.000
-Veículo 50.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3. Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
5. Con t r ole da a pr ova çã o do 6. Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s
Le ge n da : As células em cinza foram afetadas quando do preenchimento
dos dados iniciais.

Agora que identificamos no plano de contas a sit u a çã o in icia l,


86381744626

vamos inserir os dados relacionados ao orçamento aprovado.


Propositalmente inseri o termo “or ça m e n t o a pr ova do”, pois se
deve deduzir que o mesmo implica em a pr ova çã o da r e ce it a e st im a da
e a pr ova çã o da de spe sa fix a da .
Além disso, vamos utilizar novamente a “dica suprema”.

Prof. Giovanni Pacelli                     www.estrategiaconcursos.com.br                        4 de 143 
 

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07   

Figu r a 1 : D ica Su pr e m a da s Tr a n sa çõe s n o Se t or Público

Prof. Giovanni Pacelli                     www.estrategiaconcursos.com.br                        5 de 143 
 
86381744626

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Observa-se na dica suprema que a aprovação do orçamento é um
ato, logo n ã o se u t iliza r á o su bsist e m a pa t r im on ia l. Além disso, é um
ato orçamentário, pois neste caso envolve a aprovação da estimativa da
receita e fixação da despesa. Vimos na aula de Plano de Contas que o
su bsist e m a or ça m e n t á r io e st á t ot a lm e n t e in se r ido n a s cla sse s 5 e
6.
Assim vamos dar um “zoom” nessas contas com os dados fornecidos
no nosso estudo de caso. Comecemos pela aprovação de receita
estimada.

5 .2 . Or ça m e n t o a pr ova do 6 .2 . Ex e cu çã o do or ça m e n t o
5 .2 .1 .Pr e visã o da r e ce it a : 6 .2 .1 . Ex e cu çã o da Re ce it a 1 .0 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
5.2.1.1. Previsão inicial da receita: 6.2.1.1. Receita a realizar: 1.000.000
1.000.000
Previsão inicial – impostos: 300.000 Receita a realizar – impostos: 300.000
Previsão inicial – aluguéis: 200.00 Receita a realizar – aluguéis: 200.00
Previsão inicial – recebimento da Receita a realizar – recebimento da dívida
dívida ativa: 100.00 ativa: 100.000
Previsão inicial – operações de Receita a realizar – operações de crédito:
crédito: 200.000 200.000
Previsão inicial – alienação de bens: Receita a realizar – alienação de bens imóveis:
200.000 200.000

Assim teríamos o seguinte lançamento no subsistema orçamentário


conforme o plano de contas.

86381744626

Le ge n da : O – Orçamentário

Outra forma de representar o lançamento seria:

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   6 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07

Note que não detalhei os demais níveis (impostos, aluguéis etc).


Não é necessário, basta você ter a percepção geral do lançamento. Note
também que este lançamento mudou em relação ao Plano de Contas
Tradicional (antes era débito receita a realizar e crédito previsão inicial da
receita).
Vamos para o próximo lançamento: a fixação da despesa. O registro
da despesa fixada se daria da seguinte forma no plano de contas.

5 .2 . ORÇAM EN TO APROVAD O 6 .2 . EXECUÇÃO D O ORÇAM EN TO


5 .2 .2 .Fix a çã o da D e spe sa : 6 .2 .2 . Ex e cu çã o da D e spe sa : 1 .0 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
5.2.2.1.1.00.00 Dotação inicial: 6.2.2.1.1.00.00– Crédito Disponível:
1.000.0000 1.000.0000
Crédito inicial - pessoal: 250.000 Crédito disponível – pessoal: 250.000
Crédito inicial – outras despesas Crédito disponível – outras despesas correntes:
correntes: 150.000 150.000
Crédito inicial - juros: 200.000 Crédito disponível – juros: 200.00
Crédito inicial – investimento: Crédito disponível – investimento: 200.000
200.000
Crédito inicial - amortização dívida: Crédito disponível - amortização dívida:
200.000 200.000

Assim teríamos o seguinte lançamento no subsistema orçamentário


conforme o plano de contas.
86381744626

Le ge n da : O – Orçamentário

Outra forma de representar o lançamento seria:

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   7 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07

Vamos fazer duas questões para iniciar.

1 . (FCC/TCE-PR/2012/Analista de Controle Área Contábil) O orçamento


de determinada Entidade Pública foi aprovado com os seguintes valores
referentes às receitas e despesas orçamentárias:

Sob a ótica do Plano de Contas Aplicado ao Setor Público, o registro


contábil da previsão das receitas deve ser realizado mediante débito e
crédito, respectivamente, nas contas
(A) Receita a Realizar e Previsão Inicial da Receita.
86381744626

(B) Previsão inicial da Receita e Receita a Realizar.


(C) Previsão Inicial da Receita e Receita a Receber.
(D) Receita a Receber e Previsão Inicial da Receita.
(E) Receita a Receber e Receita a Realizar.

COM EN TÁRI OS ÀS QUESTÕES

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   8 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Conforme vimos, no Plano de Contas Novo (Pla n o de Con t a s Aplica do
a o Se t or Pú blico) quando da aprovação do orçamento se debita em
previsão inicial da receita e se credita em receita a realizar.

2 .2 . Eve n t o 0 2 : M ovim e n t a çã o de cr é dit o de R$ 5 0 m il de st in a do a


ou t r a s de spe sa s cor r e n t e s pa r a u m a Un ida de Adm in ist r a t iva do
m e sm o ór gã o.
Inicialmente deve-se recordar da disciplina de AFO quanto à
diferença entre descentralização de crédito e movimentação e recursos. A
Figura 2 nos auxiliará neste processo.

Figu r a 2 : Descentralização de Crédito e Movimentação de Recursos

86381744626

Fon t e : STN
As u n ida de s a dm in ist r a t iva s, diferentemente das unidades
orçamentária, n ã o e st ã o con t e m pla da s com dot a çõe s n a LOA. Dessa
forma, necessitam receber créditos e recursos de suas unidades
orçamentárias.
Assim vamos supor que a Unidade Administrativa (UA) no nosso
exemplo necessita realizar uma licitação para aquisição do material de

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   9 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
consumo. Ela somente poderá dar início à licitação quando o crédito
estiver disponível, ou seja, após ela receber a PROVI SÃO
(descentralização de crédito interna) da su a Un ida de Or ça m e n t á r ia
(UO).
Após a licitação, quando ocorrer a assinatura do contrato, deverá
ocorrer o empenho. Após a entrega do material de consumo pelo
fornecedor, e realizada a conferência do mesmo, deverá ocorrer a
liquidação. Após a liquidação, a Unidade Administrativa necessitará dos
recursos para quitar sua obrigação junto ao fornecedor. Neste momento a
Unidade Orçamentária, descentralizará recursos para a Unidade
Administrativa (no nosso exemplo, um SUB- REPASSE). Este lançamento
será visto no EVEN TO 1 7 .
Assim conclui-se que um SUB- REPASSE (REPASSE) de hoje está
associado a uma PROVI SÃO (D ESTAQUE) de ontem.
Vamos agora ao lançamento da provisão. Para tanto vamos
trabalhar com o Plano de Contas da Unidade Orçamentária e com o Plano
de Contas da Unidade Administrativa.
Na Unidade Orçamentária temos a seguinte situação antes da
descentralização de crédito.
Qu a dr o 2 : Sit u a çã o da UO a n t e s da descentralização de crédito
5 .2 . ORÇAM EN TO APROVAD O 6 .2 . EXECUÇÃO D O ORÇAM EN TO
5 .2 .2 .Fix a çã o da D e spe sa : 6 .2 .2 . Ex e cu çã o da D e spe sa : 1 .0 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
5.2.2.1.1.00.00 Dotação inicial: 6.2.2.1.1.00.00–
86381744626
Crédito Disponível:
1.000.0000 1.000.0000
Crédito inicial - pessoal: 250.000 Crédito disponível – pessoal: 250.000
Crédito inicial – outras despesas Crédito disponível – outras despesas
correntes: 150.000 correntes: 150.000
Crédito inicial - juros: 200.000 Crédito disponível – juros: 200.00
Crédito inicial – investimento: Crédito disponível – investimento: 200.000
200.000
Crédito inicial - amortização Crédito disponível - amortização dívida:
dívida: 200.000 200.000
5.2.2.2. Movimentação de créditos 6.2.2.2. Movimentação de créditos –
– destaque/provisão recebida destaque/provisão concedida

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   10 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Na Unidade Administrativa temos a seguinte situação antes da
descentralização de crédito.
Qu a dr o 3 : Sit u a çã o da UA a n t e s da descentralização de crédito
5 .2 . ORÇAM EN TO APROVAD O 6 .2 . EXECUÇÃO D O ORÇAM EN TO
5 .2 .2 .Fix a çã o da D e spe sa : 0 6 .2 .2 . Ex e cu çã o da D e spe sa : 0
5.2.2.1.1.00.00 Dotação inicial: 0 6.2.2.1.1.00.00– Crédito Disponível: 0
5.2.2.2. Movimentação de créditos – 6.2.2.2. Movimentação de créditos –
destaque/provisão recebida destaque/provisão concedida

Observe que propositalmente marquei em cinza as células que


estarão envolvidas no lançamento. Assim, quando a UA necessitou do
crédito para dar início a sua licitação, ela recebeu a descentralização de
crédito que ocasionou a seguinte configuração na UO e na UA.

Qu a dr o 4 : Sit u a çã o n a UO a pós a descentralização de crédito


5 .2 .2 .Fix a çã o da D e spe sa : 6 .2 .2 . Ex e cu çã o da D e spe sa :
1 .0 0 0 .0 0 0 1 .0 0 0 .0 0 0
5 .2 .2 .1 .1 .0 0 .0 0 D ot a çã o inicia l: 6 .2 .2 .1 .1 .0 0 .0 0 – Cr é dit o D ispon íve l:
1 .0 0 0 .0 0 0 0 9 5 0 .0 0 0 0
Crédito inicial - pessoal: 250.000 Crédito disponível – pessoal: 250.000
Crédito inicial – outras despesas Crédito disponível – outras despesas
correntes: 150.000 correntes: 100.000
Crédito inicial - juros: 200.000 Crédito disponível – juros: 200.00
Crédito inicial – investimento: Crédito disponível – investimento: 200.000
200.000
Crédito inicial - amortização Crédito disponível – amortização dívida:
dívida: 200.000 200.000
5.2.2.2. Movimentação de créditos 6 .2 .2 .2 . M ovim e n t a çã o de cr é dit os –
– destaque/provisão recebida de st a qu e / pr ovisã o con ce dida : 5 0 .0 0 0

Qu a dr o 5 : Sit u a çã o n a UA a pós a descentralização de crédito


86381744626

5 .2 .2 .Fix a çã o da D e spe sa : 6 .2 .2 . Ex e cu çã o da D e spe sa : 5 0 .0 0 0


5 0 .0 0 0
5.2.2.1.1.00.00 Dotação inicial: 0 6.2.2.1.1.00.00– Crédito Disponível:
50.000
Crédito disponível – outras despesas
correntes: 50.0000
5.2.2.2. Movimentação de créditos 6.2.2.2. Movimentação de créditos –
–Provisão recebida destaque/provisão concedida
(descentralização interna) - outras
despesas correntes: 50.000

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   11 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Assim teríamos o seguinte lançamento no subsistema orçamentário
conforme o plano de contas.

Le ge n da : O – Orçamentário. Se for uma provisão é só substituir o


x.xx.xx por 1.00.00; se for destaque é só substituir o x.xx.xx por 2.00.00

Outra forma de representar o lançamento seria:

Le ge n da : No nosso caso é uma PROVISÃO.

Vamos a mais uma questão.

86381744626

2 . (CESPE/2010/DPU/Contador/Adaptada) Com referência ao registro


contábil da descentralização de crédito interna (provisão) e do seu
respectivo reflexo no subsistema de contas, tendo por base a estrutura
do plano de contas atual, composta por seis classes de contas, é correto
afirmar que o recebimento de descentralização interna de crédito
(provisão) é contabilizada no subsistema de contas:

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   12 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
a) compensação, debitando-se a conta de crédito disponível e
creditando-se a conta de descentralização interna de créditos.
b) financeiro, debitando-se a conta de crédito disponível e creditando-se
a conta de descentralização interna de créditos.
c) orçamentário, debitando-se a conta de crédito disponível e creditando-
se a conta de descentralização interna de créditos.
d) financeiro, debitando-se a conta de descentralização interna de
créditos e creditando-se a conta de crédito disponível.
e) orçamentário, debitando-se a conta de descentralização interna de
créditos e creditando-se a conta de crédito disponível.

86381744626

COM EN TÁRI O À QUESTÃO.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   13 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Vimos que a movimentação de crédito ocorre apenas no subsistema
orçamentário. O lançamento na unidade beneficiária é debito na conta de
descentralização interna de créditos e credito na conta de crédito
disponível. Logo a a lt e r n a t iva cor r e t a é a le t r a E. Esse lançamento no
Plano de Contas Aplicado ao Setor Público teve apenas a numeração dos
códigos das contas alterada.

Ressalto que vimos aqui apenas o momento que antecede a licitação


na UA. O momento após a liquidação e antes do pagamento será visto no
EVEN TO 1 7 .

86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   14 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
2 .3 . Eve nt o 0 3 : Ar r e ca da çã o de dois t e r ços dos im post os.
Inicialmente devemos identificar o quanto temos de impostos a
arrecadar (a realizar). Isso mesmo 300 mil. Dois terços disso seria 200
mil.
O próximo passo seria identificar se a arrecadação de impostos é
um fato permutativo ou modificativo. Isso mesmo é um fa t o
m odifica t ivo a u m e n t a t ivo, pois ocorre u m a u m e n t o do ATI VO e u m
a u m e n t o do PATRI M ÔN I O LÍ QUI D O, pois se trata de uma receita
efetiva.
O próximo passo é voltar na “dica suprema” e identificar quais
subsistemas estão envolvidos: isso mesmo, o subsistema orçamentário
(devido à arrecadação ser estágio da receita) e o subsistema patrimonial
(devido à entrada de dinheiro no caixa).
Dessa forma, podemos agora identificar no Plano de Contas as
contas envolvidas neste lançamento. O Quadro 6 mostra a situação antes
da arrecadação e do Quadro 7 após a arrecadação.

Qu a dr o 6 : Situação na UO a n t e s da arrecadação dos impostos


1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante:
-Caixa 400.000 Empréstimos a pagar 500.000

1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante

1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo


-Dívida Ativa 100.000
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 450.000
-Veículo 50.000 86381744626

2.3.Patrimônio Líquido: 500.000


3. Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4. V a r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
4.1. Impostos, taxas e contribuições de
melhoria
5. Con t r ole da a pr ova çã o do 6. Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5 .2 .1 .Pr e v isã o da r e ce it a : 1 .0 0 0 .0 0 0 6 .2 .1 . Ex e cu çã o da Re ce it a
1 .0 0 0 .0 0 0
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   15 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07

Qu a dr o 7 : Situação na UO a pós a arrecadação dos impostos


1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante:
-Caixa 400.000 + 200.000 Empréstimos a pagar 500.000

1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante

1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo


-Dívida Ativa 100.000
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 450.000
-Veículo 50.000
2.3.Patrimônio Líquido: 500.000
3. Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4. Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
4.1. Impostos, taxas e contribuições
de melhoria 200.000
5. Con t r ole da a pr ova çã o do 6. Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5 .2 .1 .Pr e visã o da r e ce it a : 6 .2 .1 . Ex e cu çã o da Re ce it a
1 .0 0 0 .0 0 0 1 .0 0 0 .0 0 0
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

Observe que não há alteração nos valores dos saldos das contas
5.2.1 e 6.2.1. Isso porque, a arrecadação provoca no subsistema
orçamentário um fato permutativo. Va m os obse r va r com de t a lh e o
86381744626

qu e ocor r e u n e ssa s con t a s.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   16 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07

Qu a dr o 8 : Situação na UO a n t e s da arrecadação de impostos


5 .2 .1 .Pr e visã o da r e ce it a : 6 .2 .1 . Ex e cu çã o da Re ce it a 1 .0 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
5 .2 .1 .1 . Pr e visã o in icia l da r e ce it a : 6 .2 .1 .1 . Re ce it a a r e a liza r : 1 .0 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
Previsão inicial – impostos: 300.000 Receita a realizar – impostos: 300.000
Previsão inicial – aluguéis: 200.00 Receita a realizar – aluguéis: 200.00
Previsão inicial – recebimento da Receita a realizar – recebimento da dívida
dívida ativa: 100.00 ativa: 100.000
Previsão inicial – operações de Receita a realizar – operações de crédito:
crédito: 200.000 200.000
Previsão inicial – alienação de bens: Receita a realizar – alienação de bens imóveis:
200.000 200.000
6 .2 .1 .2 . Re ce it a r e a liza da : 0
Receita realizada – impostos: 0
Receita realizada – aluguéis: 0
Receita realizada – recebimento da dívida
ativa: 0
Receita realizada – operações de crédito: 0
Receita realizada – alienação de bens imóveis:
0
Qu a dr o 9 : Situação na UO a pós a arrecadação de impostos
5 .2 .1 .Pr e visã o da r e ce it a : 6 .2 .1 . Ex e cu çã o da Re ce it a 1 .0 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
5 .2 .1 .1 . Pr e visã o in icia l da r e ce it a : 6 .2 .1 .1 . Re ce it a a r e a liza r : 8 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
Previsão inicial – impostos: 300.000 Receita a realizar – im post os: 100.000
Previsão inicial – aluguéis: 200.00 Receita a realizar – aluguéis: 200.00
Previsão inicial – recebimento da Receita a realizar – recebimento da dívida
dívida ativa: 100.00 ativa: 100.000
86381744626

Previsão inicial – operações de Receita a realizar – operações de crédito:


crédito: 200.000 200.000
Previsão inicial – alienação de bens: Receita a realizar – alienação de bens imóveis:
200.000 200.000
6 .2 .1 .2 . Re ce it a r e a liza da : 2 0 0 .0 0 0
Receita realizada – im post os: 200.000
Receita realizada – aluguéis: 0
Receita realizada – recebimento da dívida
ativa: 0
Receita realizada – operações de crédito: 0
Receita realizada – alienação de bens imóveis:
0

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   17 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07

Assim teríamos o seguinte lançamento no su bsist e m a


or ça m e n t á r io e n o su bsist e m a pa t r im on ia l conforme o novo plano de
contas.

Le ge n da : O – Orçamentário; P – Patrimonial; C – Compensação.

Observe que as contas financeiras devem ser identificadas com a


letra “F”.
Outra forma de representar o lançamento seria:

86381744626

Pessoal, vocês estão vendo que existe um


controle no sistema de compensação qu e e u
j á h a via m e n cion a do n a D ica Su pr e m a .
Esse controle de disponibilidade por
destinação de recursos foi criado para
atender aos artigos 8 1 e 50 2 da Lei de
Responsabilidade Fiscal.

1
Os  recursos  legalmente  vinculados  a  finalidade  específica  serão  utilizados  exclusivamente  para  atender  ao 
objeto de sua vinculação, ainda que em exercício diverso daquele em que ocorrer o ingresso.  

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   18 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Durante a aula, apresentarei os lançamentos de forma completa
contendo esse controle das disponibilidades de recursos. Faço isso para
você ter desde já a visão completa. Porém, a m e u ve r n e st e início de
Pla n o de Con t a s n ovo se a t e n h a a os de m a is r e gist r os. Até hoje só vi
o Cespe em uma prova cobrar isso.
Você de ve con side r a r em uma
questão qu e na a r r e ca da çã o de
im post os é u t iliz a do con t r ole de
dispon ibilida de s de r e cu r sos no
su bsist e m a de com pe n sa çã o.
Vamos fazer uma questão sobre o que vimos?

3 .(CESPE/2010/MPU/Analista Atuarial/Adaptada) No momento da


arrecadação dos impostos, a realização da receita é contabilizada no
subsistema de contas de compensação, debitando-se a conta de receita
realizada e creditando-se a conta de previsão inicial da receita.

86381744626

COM EN TÁRI O À QUESTÃO.

2
 A disponibilidade de caixa constará de registro próprio, de modo que os recursos vinculados a órgão, fundo 
ou despesa obrigatória fiquem identificados e escriturados de forma individualizada. 

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   19 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
3 . (CESPE/2010/MPU/Analista Atuarial) No momento da arrecadação dos
impostos, a realização da receita é contabilizada no subsistema de con t a s de
com pe n sa çã o, debitando-se a conta de receita realizada e cr e dit a n do- se a
con t a de pr e visã o inicia l da r e ce it a .
ERRAD O, o registro é no su bsist e m a or ça m e n t á r io e o lançamento é
debitando-se a conta r e ce it a a r e a liza r e cr e dit a n do- se r e ce it a r e a liza da .

Vou passar dicas que são úteis para os registros das operações típicas nas
classes 5 e 6; 7 e 8.
1ª Dica: O r e gist r o de a be r t u r a ocor r e n a h or izon t a l e u t iliza con t a s da s
du a s cla sse s da s in for m a çõe s or ça m e n t á r ia s ou de con t r ole . Assim, o
registro de aprovação do orçamento: previsão da receita ocorre
necessariamente utilizando as classes 5 e 6.
2ª Dica: O r e gist r o de e x e cu çã o ocor r e n a ve r t ica l e u t iliza con t a s da s
a pe n a s da s cla sse s pa r e s da s infor m a çõe s or ça m e n t á r ia s ou de
con t r ole . Assim, o registro da execução da receita e execução da despesa
ocorre necessariamente utilizando apenas a classe 6.
Cuidado !!!! Essas duas regras não valem para as classes 1, 2, 3 e 4.
Cuidado !!!!! Determinados lançamentos podem ser de abertura em uma
perspectiva e de execução em outra  Exemplo clássico: Arrecadação da
86381744626

Receita. Na perspectiva das informações orçamentárias será um vertical no


grupo 6.2, pois já houve o lançamento da previsão antes nos grupos 5.2 e 6.2;
enquanto na perspectiva das informações de controle será um horizontal nos
grupos 7.2 e 8.2, pois é quando se registra o primeiro lançamento relacionado
ao controle da disponibilidade de recursos.
Lembro que o controle da disponibilidade de recursos está relacionado à
classificação por fonte de recursos e impede que recursos destinados a uma
área (educação, por exemplo) sejam aplicados em outra (saúde).

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   20 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
2 .4 . Eve nt o 0 4 : Ar r e ca da çã o de t odos os a lu gu é is.
Inicialmente devemos identificar o quanto temos de aluguéis a
arrecadar (a realizar). Isso mesmo 200 mil.
O próximo passo seria identificar se a receita de aluguéis é um fato
permutativo ou modificativo. Isso mesmo é um fa t o m odifica t ivo
a u m e n t a t ivo, pois ocorre um a u m e n t o do ATI VO e u m a u m e n t o do
PATRI M ÔN I O LÍ QUI D O, pois se trata de uma receita efetiva.
O próximo passo é voltar na “dica suprema” e identificar quais
subsistemas estão envolvidos: isso mesmo, o subsistema orçamentário
(devido à arrecadação ser estágio da receita) e o subsistema patrimonial
(devido à entrada de dinheiro no caixa).
Dessa forma, podemos agora identificar no Plano de Contas as
contas envolvidas neste lançamento. O Quadro 10 mostra a situação
antes da arrecadação e do Quadro 11 após a arrecadação.
Qu a dr o 1 0 : Situação na UO a n t e s da arrecadação dos aluguéis
1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante:
-Caixa 600.000 Empréstimos a pagar 500.000

1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante

1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo


-Dívida Ativa 100.000
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 450.000
-Veículo 50.000
86381744626
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im onia is D im inut iva s 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
Aum e n t a t iva s
4.1. Impostos, taxas e contribuições de
melhoria 200.000
4.3. Exploração e venda de bens, serviços
e direitos 
5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cuçã o do
pla ne j a m e n t o e or ça m e n t o pla ne j a m e n t o e or ça m e n t o
5 .2 .1 .Pr e visã o da r e ce it a : 1 .0 0 0 .0 0 0 6 .2 .1 . Ex e cu çã o da Re ce it a 1 .0 0 0 .0 0 0
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   21 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 1 1 : Situação na UO a pós a a r r e ca da çã o dos aluguéis
1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante:
-Caixa 600.000 + 200.000 Empréstimos a pagar 500.000

1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante

1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo


-Dívida Ativa 100.000
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 450.000
-Veículo 50.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im onia is D im inut iva s 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
Aum e n t a t iva s
4.1. Impostos, taxas e contribuições de
melhoria 200.000
4.3. Exploração e venda de bens, serviços
e direitos 200.000 
5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cuçã o do
pla ne j a m e n t o e or ça m e n t o pla ne j a m e n t o e or ça m e n t o
5 .2 .1 .Pr e visã o da r e ce it a : 1 .0 0 0 .0 0 0 6 .2 .1 . Ex e cu çã o da Re ce it a 1 .0 0 0 .0 0 0
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

Observe mais uma vez que não há alteração nos valores dos saldos
das contas 5.2.1 e 6.2.1. Isso porque, a arrecadação provoca n o
su bsist e m a or ça m e n t á r io u m fa t o pe r m u t a t ivo. Vamos obse r va r
com de t a lh e o que ocor r e u n e ssa s con t a s.
86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   22 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 1 2 : Situação na UO a n t e s da arrecadação de aluguéis
5 .2 .1 .Pr e visã o da r e ce it a : 6 .2 .1 . Ex e cu çã o da Re ce it a 1 .0 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
5 .2 .1 .1 . Pr e visã o in icia l da r e ce it a : 6 .2 .1 .1 . Re ce it a a r e a liza r : 8 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
Previsão inicial – impostos: 300.000 Receita a realizar – impostos: 100.000
Previsão inicial – aluguéis: 200.00 Receita a realizar – aluguéis: 200.00
Previsão inicial – recebimento da Receita a realizar – recebimento da dívida
dívida ativa: 100.00 ativa: 100.000
Previsão inicial – operações de Receita a realizar – operações de crédito:
crédito: 200.000 200.000
Previsão inicial – alienação de bens: Receita a realizar – alienação de bens imóveis:
200.000 200.000
6 .2 .1 .2 . Re ce it a r e a liza da : 2 0 0 .0 0 0
Receita realizada – impostos: 200.000
Receita realizada – aluguéis: 0
Receita realizada – recebimento da dívida
ativa: 0
Receita realizada – operações de crédito: 0
Receita realizada – alienação de bens imóveis:
0

Qu a dr o 1 3 : Situação na UO a pós a arrecadação de aluguéis


5 .2 .1 .Pr e visã o da r e ce it a : 6 .2 .1 . Ex e cu çã o da Re ce it a 1 .0 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
5 .2 .1 .1 . Pr e visã o in icia l da r e ce it a : 6 .2 .1 .1 . Re ce it a a r e a liza r : 6 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
Previsão inicial – impostos: 300.000 Receita a realizar – impostos: 100.000
Previsão inicial – aluguéis: 200.00 Receita a realizar – aluguéis: 0
Previsão inicial – recebimento da Receita a realizar – recebimento da dívida
dívida ativa: 100.00 ativa: 100.000
86381744626

Previsão inicial – operações de Receita a realizar – operações de crédito:


crédito: 200.000 200.000
Previsão inicial – alienação de bens: Receita a realizar – alienação de bens imóveis:
200.000 200.000
6 .2 .1 .2 . Re ce it a r e a liza da : 4 0 0 .0 0 0
Receita realizada – impostos: 200.000
Receita realizada – aluguéis: 200.000
Receita realizada – recebimento da dívida
ativa: 0
Receita realizada – operações de crédito: 0
Receita realizada – alienação de bens imóveis:
0

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   23 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Assim teríamos o seguinte lançamento no su bsist e m a
or ça m e n t á r io e n o su bsist e m a pa t r im on ia l conforme o plano de
contas.

Le ge n da : O – Orçamentário; P – Patrimonial; C – Compensação

Outra forma, de representar o lançamento seria:

2 .5 . Eve nt o 0 5 : Ar r e ca da çã o de m e t a de da s ope r a çõe s de cr é dit o.


Inicialmente devemos identificar o quanto temos de operações de
86381744626

crédito a arrecadar (a realizar). Isso mesmo 200 mil. A metade disso é


100 mil.
O próximo passo seria identificar se a arrecadação de operações de
crédito é um fato permutativo ou modificativo. I sso m e sm o é um fa t o
pe r m u t a t ivo, pois ocorre um a u m e n t o do ATI VO ( e n t r a da de
din h e ir o n o ca ix a ) e u m a u m e n t o do PASSI VO ( a u m e n t o de u m a
obr iga çã o) , pois se trata de uma receita não efetiva.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   24 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
O próximo passo é voltar na “dica suprema” e identificar quais
subsistemas estão envolvidos: isso mesmo, o subsistema orçamentário
(devido à arrecadação ser estágio da receita), o subsistema patrimonial
(devido à entrada de dinheiro no caixa e ao aumento de uma obrigação).
Dessa forma, podemos agora identificar no Plano de Contas as
contas envolvidas neste lançamento. O Quadro 14 mostra a situação
antes da arrecadação e do Quadro 15 após a arrecadação.

Qu a dr o 1 4 : Situação na UO a n t e s da arrecadação das operações de crédito


1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante:
-Caixa 800.000 Empréstimos a pagar 500.000

1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante

1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo


-Dívida Ativa 100.000
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 450.000
-Veículo 50.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
4.1. Impostos, taxas e contribuições
de melhoria 200.000
4.3. Exploração e venda de bens,
serviços e direitos 200.000 
86381744626

5 .Con t r ole da a pr ov a çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do


pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5 .2 .1 .Pr e visã o da r e ce it a : 6 .2 .1 . Ex e cu çã o da Re ce it a
1 .0 0 0 .0 0 0 1 .0 0 0 .0 0 0
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   25 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 1 5 : Situação na UO a pós a arrecadação das operações de crédito
1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
-Caixa 800.000 + 100.000 -Empréstimos a pagar 500.000

1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:


-Empréstimos a pagar 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 100.000
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 450.000
-Veículo 50.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
4.1. Impostos, taxas e contribuições
de melhoria 200.000
4.3. Exploração e venda de bens,
serviços e direitos 200.000 
5 .Con t r ole da a pr ov a çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5 .2 .1 .Pr e visã o da r e ce it a : 6 .2 .1 . Ex e cu çã o da Re ce it a
1 .0 0 0 .0 0 0 1 .0 0 0 .0 0 0
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s
7.1.2.4.0.20.00. Obrigações 8.1.2.4.0.20.01. Execução de
contratadas – Operações de crédito Obrigações Contratuais - contratos de
a
100.000 operações de crédito – em execução
86381744626
100.000a – 100.000 b
8.1.2.4.0.20.02. Execução de
Obrigações Contratuais - contratos de
operações de crédito – executados
100.000 b
Le ge n da : a) no momento da assinatura do contrato da operação de crédito. B)
no momento da arrecadação propriamente dito.
Observe mais uma vez que não há alteração nos valores dos saldos
das contas 5.2.1 e 6.2.1. I sso por qu e , a a r r e ca da çã o pr ovoca n o
su bsist e m a or ça m e n t á r io u m fa t o pe r m u t a t ivo. Vamos observar com
detalhe o que ocorreu nessas contas.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   26 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 1 6 : Situação na UO a n t e s da arrecadação de operações de
crédito
5 .2 .1 .Pr e visã o da r e ce it a : 6 .2 .1 . Ex e cu çã o da Re ce it a 1 .0 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
5 .2 .1 .1 . Pr e visã o in icia l da r e ce it a : 6 .2 .1 .1 . Re ce it a a r e a liza r : 6 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
Previsão inicial – impostos: 300.000 Receita a realizar – impostos: 100.000
Previsão inicial – aluguéis: 200.00 Receita a realizar – aluguéis: 0
Previsão inicial – recebimento da Receita a realizar – recebimento da dívida
dívida ativa: 100.00 ativa: 100.000
Previsão inicial – operações de Receita a realizar – operações de crédito:
crédito: 200.000 200.000
Previsão inicial – alienação de bens: Receita a realizar – alienação de bens imóveis:
200.000 200.000
6 .2 .1 .2 . Re ce it a r e a liza da : 4 0 0 .0 0 0
Receita realizada – impostos: 200.000
Receita realizada – aluguéis: 200.000
Receita realizada – recebimento da dívida
ativa: 0
Receita realizada – operações de crédito: 0
Receita realizada – alienação de bens imóveis:
0

Qu a dr o 1 7 : Situação na UO a pós a arrecadação de operações de crédito


5 .2 .1 .Pr e visã o da r e ce it a : 6 .2 .1 . Ex e cu çã o da Re ce it a 1 .0 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
5 .2 .1 .1 . Pr e visã o in icia l da r e ce it a : 6 .2 .1 .1 . Re ce it a a r e a liza r : 5 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
Previsão inicial – impostos: 300.000 Receita a realizar – impostos: 100.000
Previsão inicial – aluguéis: 200.00 Receita a realizar – aluguéis: 0
Previsão inicial – recebimento da Receita a realizar – recebimento da dívida
dívida ativa: 100.00 ativa: 100.000
Previsão inicial – operações de Receita a realizar – operações de crédito:
86381744626

crédito: 200.000 100.000


Previsão inicial – alienação de bens: Receita a realizar – alienação de bens imóveis:
200.000 200.000
6 .2 .1 .2 . Re ce it a r e a liza da : 5 0 0 .0 0 0
Receita realizada – impostos: 200.000
Receita realizada – aluguéis: 200.000
Receita realizada – recebimento da dívida
ativa: 0
Receita realizada – operações de crédito:
100.000
Receita realizada – alienação de bens imóveis:
0

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   27 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Assim teríamos os seguintes lançamentos:
a) No momento da contratação da operação de crédito:

b) No momento da arrecadação:

Le ge n da : O – Orçamentário; P – Patrimonial; C – Compensação

Podemos confirmar o que vimos na aula de variações patrimoniais


na parte voltada ao plano de contas novo, qual sejam, os fatos
permutativos são utilizam as classes 3 (variações patrimoniais
diminutivas) e 4 (variações patrimoniais aumentativa).
Além disso, mesmo com a supressão do sistema financeiro,
observamos que as contas continuam sendo separadas em contas
financeiras (neste exemplo a conta caixa) e não financeiras/permanentes
86381744626

(neste exemplo a conta empréstimos a longo prazo).

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   28 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
2 .6 . Eve nt o 0 6 : Ar r e ca da çã o de a lie n a çã o de be n s im óve is
Inicialmente devemos identificar o quanto temos de alienação de
bens imóveis a arrecadar (a realizar). Isso mesmo 200 mil.
O próximo passo seria identificar se a arrecadação da alienação de
bens imóveis é um fato permutativo ou modificativo. Isso mesmo é um
fa t o pe r m u t a t ivo, pois ocorre u m a u m e n t o do ATI VO ( e n t r a da de
din h e ir o n o ca ix a ) e u m a dim in u içã o do ATI VO ( ba ix a do be m
im óve l pe la ve n da ) , pois se trata de uma receita não efetiva.
O próximo passo é voltar na “dica suprema” e identificar quais
subsistemas estão envolvidos: isso mesmo, o su bsist e m a or ça m e n t á r io
(devido à arrecadação ser estágio da receita), o su bsist e m a
pa t r im on ia l (devido à entrada de dinheiro no caixa e a saída de um
bem).
Dessa forma, podemos agora identificar no Plano de Contas as
contas envolvidas neste lançamento. O Quadro 18 mostra a situação
antes da arrecadação e do Quadro 19 após a arrecadação.

86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   29 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 1 8 : Situação na UO a n t e s da arrecadação da alienação de bens
imóveis
1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
-Caixa 900.000 -Empréstimos a pagar 500.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 100.000
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 450.000
-Veículo 50.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
4.1. Impostos, taxas e contribuições
de melhoria 200.000
4.3. Exploração e venda de bens,
serviços e direitos 200.000 
5 .Con t r ole da a pr ov a çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5 .2 .1 .Pr e visã o da r e ce it a : 6 .2 .1 . Ex e cu çã o da Re ce it a
1 .0 0 0 .0 0 0 1 .0 0 0 .0 0 0
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s
7.1.2.4.0.20.00. Obrigações 8.1.2.4.0.20.01. Execução de
contratadas – Operações de crédito: Obrigações Contratuais - contratos de
100.000 operações de crédito – em execução: 0
86381744626
8.1.2.4.0.20.02. Execução de
Obrigações Contratuais - contratos de
operações de crédito – executados:
100.000

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   30 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 1 9 : Situação na UO a pós a arrecadação da alienação de bens
imóveis
1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
-Caixa 900.000 + 200.000 -Empréstimos a pagar 500.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 100.000
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 450.000 – 200.000
-Veículo 50.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
4.1. Impostos, taxas e contribuições
de melhoria 200.000
4.3. Exploração e venda de bens,
serviços e direitos 200.000 
5 .Con t r ole da a pr ov a çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5 .2 .1 .Pr e visã o da r e ce it a : 6 .2 .1 . Ex e cu çã o da Re ce it a
1 .0 0 0 .0 0 0 1 .0 0 0 .0 0 0
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s
7.1.2.4.0.20.00. Obrigações 8.1.2.4.0.20.01. Execução de
contratadas – Operações de crédito: Obrigações Contratuais - contratos de
100.000 operações de crédito – em execução: 0
86381744626
8.1.2.4.0.20.02. Execução de
Obrigações Contratuais - contratos de
operações de crédito – executados:
100.000

Observe mais uma vez que não há alteração nos valores dos saldos
das contas 5.2.1 e 6.2.1. Vamos observar com detalhe o que ocorreu
nessas contas antes e após a arrecadação.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   31 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qua dr o 2 0 : Situação na UO a n t e s da arrecadação da alienação de bens imóveis
5 .2 .1 .Pr e visã o da r e ce it a : 6 .2 .1 . Ex e cu çã o da Re ce it a 1 .0 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
5 .2 .1 .1 . Pr e visã o in icia l da r e ce it a : 6 .2 .1 .1 . Re ce it a a r e a liza r : 5 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
Previsão inicial – impostos: 300.000 Receita a realizar – impostos: 100.000
Previsão inicial – aluguéis: 200.00 Receita a realizar – aluguéis: 0
Previsão inicial – recebimento da Receita a realizar – recebimento da dívida
dívida ativa: 100.00 ativa: 100.000
Previsão inicial – operações de Receita a realizar – operações de crédito:
crédito: 200.000 100.000
Previsão inicial – alienação de bens: Receita a realizar – alienação de bens imóveis:
200.000 200.000
6 .2 .1 .2 . Re ce it a r e a liza da : 5 0 0 .0 0 0
Receita realizada – impostos: 200.000
Receita realizada – aluguéis: 200.000
Receita realizada – recebimento da dívida
ativa: 0
Receita realizada – operações de crédito:
100.000
Receita realizada – alienação de bens imóveis:
0

Qua dr o 2 1 : Situação na UO a pós a arrecadação da alienação de bens imóveis


5 .2 .1 .Pr e visã o da r e ce it a : 6 .2 .1 . Ex e cu çã o da Re ce it a 1 .0 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
5 .2 .1 .1 . Pr e visã o in icia l da r e ce it a : 6 .2 .1 .1 . Re ce it a a r e a liza r : 3 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
Previsão inicial – impostos: 300.000 Receita a realizar – impostos: 100.000
Previsão inicial – aluguéis: 200.00 Receita a realizar – aluguéis: 0
Previsão inicial – recebimento da Receita a realizar – recebimento da dívida
dívida ativa: 100.00 ativa: 100.000
Previsão inicial – operações de Receita a realizar – operações de crédito:
86381744626

crédito: 200.000 100.000


Previsão inicial – alienação de bens: Receita a realizar – alienação de bens imóveis:
200.000 0
6 .2 .1 .2 . Re ce it a r e a liza da : 7 0 0 .0 0 0
Receita realizada – impostos: 200.000
Receita realizada – aluguéis: 200.000
Receita realizada – recebimento da dívida
ativa: 0
Receita realizada – operações de crédito:
100.000
Receita realizada – alienação de bens imóveis:
200.000

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   32 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Assim teríamos o seguinte lançamento no su bsist e m a
or ça m e n t á r io e pa t r im on ia l conforme o plano de contas:

Le ge n da : O – Orçamentário; P – Patrimonial; C – Compensação

Va m os fa ze r u m a qu e st ã o sobr e isso.

4 .(CESPE/2010/MPU/Analista de Controle Interno/Adaptada) A realização


86381744626

de receita de alienação de bens móveis deve ser contabilizada mediante


lançamento nos subsistemas financeiro, orçamentário e patrimonial, o
que gera um débito na conta de receita realizada e um crédito na conta
de alienação de bens móveis.

COM EN TÁRI O À QUESTÃO.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   33 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
4 .(CESPE/2010/MPU/Analista de Controle Interno/Adaptada) A realização
de receita de alienação de bens móveis deve ser contabilizada mediante
lançamento nos su bsist e m a s fin a n ce ir o, orçamentário e patrimonial, o
qu e ge r a u m dé bit o n a con t a de r e ce it a r e a liza da e u m cr é dit o n a
con t a de a lie n a çã o de be n s m óve is.
ERRAD O, a realização de receita de alienação de bens móveis no Plano
de Contas Aplicado ao Setor Público deve ser contabilizada mediante
lançamento nos subsist e m a s or ça m e n t á r io e pa t r im on ia l, o qu e
ge r a n o su bsist e m a or ça m e n t á r io u m dé bit o n a con t a de “r e ce it a
a r e a liza r ” e cr é dit o n a con t a “r e ce it a r e a liza da ”; e n o su bsist e m a
pa t r im on ia l u m dé bit o e m ca ix a e cr é dit o n a con t a “im óve is”.

2 .7 . Eve nt o 0 7 : Re ce bim e n t o/ Cobr a n ça da dívida a t iva


Inicialmente devemos identificar o quanto temos de dívida ativa a
arrecadar (a realizar). Isso mesmo 100 mil.
O próximo passo seria identificar se a arrecadação da dívida é um
fato permutativo ou modificativo. I sso m e sm o é u m fa t o m odifica t ivo
pe r m u t a t ivo, pois ocorre um a u m e n t o do ATI VO ( e n t r a da de
din h e ir o n o ca ix a ) e u m a dim in u içã o do ATI VO ( ba ix a de u m
dir e it o) , pois se trata de uma receita não efetiva.
O próximo passo é voltar na “dica suprema” e identificar quais
subsistemas estão envolvidos: isso mesmo, o su bsist e m a or ça m e n t á r io
(devido à arrecadação ser estágio da receita), o su bsist e m a
86381744626

pa t r im on ia l (devido à entrada de dinheiro no caixa e à baixa de um


direito no ativo realizável a longo prazo). O Quadro 22 mostra a situação
antes da arrecadação e do Quadro 23 após a arrecadação.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   34 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 2 2 : Situação da UO a n t e s do recebimento/cobrança da dívida ativa
1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
-Caixa 1.100.000 -Empréstimos a pagar 500.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 100.000
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 250.000
-Veículo 50.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
4.1. Impostos, taxas e contribuições
de melhoria 200.000
4.3. Exploração e venda de bens,
serviços e direitos 200.000 
5 .Con t r ole da a pr ov a çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5 .2 .1 .Pr e visã o da r e ce it a : 6 .2 .1 . Ex e cu çã o da Re ce it a
1 .0 0 0 .0 0 0 1 .0 0 0 .0 0 0
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s
7.1.2.4.0.20.00. Obrigações 8.1.2.4.0.20.01. Execução de
contratadas – Operações de crédito: Obrigações Contratuais - contratos de
100.000 operações de crédito – em execução: 0
8.1.2.4.0.20.02. Execução de
86381744626

Obrigações Contratuais - contratos de


operações de crédito – executados:
100.000

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   35 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 2 3 : Situação da UO a pós o recebimento/cobrança da dívida ativa
1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
-Caixa 1.100.000 + 100.000 -Empréstimos a pagar 500.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 100.000 – 100.000
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 250.000
-Veículo 50.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
4.1. Impostos, taxas e contribuições
de melhoria 200.000
4.3. Exploração e venda de bens,
serviços e direitos 200.000 
5 .Con t r ole da a pr ov a çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5 .2 .1 .Pr e visã o da r e ce it a : 6 .2 .1 . Ex e cu çã o da Re ce it a
1 .0 0 0 .0 0 0 1 .0 0 0 .0 0 0
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s
7.1.2.4.0.20.00. Obrigações 8.1.2.4.0.20.01. Execução de
contratadas – Operações de crédito: Obrigações Contratuais - contratos de
100.000 operações de crédito – em execução: 0
8.1.2.4.0.20.02. Execução de
86381744626

Obrigações Contratuais - contratos de


operações de crédito – executados:
100.000

Observe mais uma vez que não há alteração nos valores dos saldos
das contas 5.2.1 e 6.2.1. Vamos observar com detalhe o que ocorreu
nessas contas.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   36 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 2 4 : Situação na UO a n t e s do recebimento/cobrança da dívida
ativa
5 .2 .1 .Pr e visã o da r e ce it a : 6 .2 .1 . Ex e cu çã o da Re ce it a 1 .0 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
5 .2 .1 .1 . Pr e visã o in icia l da r e ce it a : 6 .2 .1 .1 . Re ce it a a r e a liza r : 3 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
Previsão inicial – impostos: 300.000 Receita a realizar – impostos: 100.000
Previsão inicial – aluguéis: 200.00 Receita a realizar – aluguéis: 0
Previsão inicial – recebimento da Receita a realizar – recebimento da dívida
dívida ativa: 100.00 ativa: 100.000
Previsão inicial – operações de Receita a realizar – operações de crédito:
crédito: 200.000 100.000
Previsão inicial – alienação de bens: Receita a realizar – alienação de bens imóveis:
200.000 0
6 .2 .1 .2 . Re ce it a r e a liza da : 7 0 0 .0 0 0
Receita realizada – impostos: 200.000
Receita realizada – aluguéis: 200.000
Receita realizada – recebimento da dívida
ativa: 0
Receita realizada – operações de crédito:
100.000
Receita realizada – alienação de bens imóveis:
200.000

Qu a dr o 2 5 : Situação na UO a pós o recebimento/cobrança da dívida ativa


5 .2 .1 .Pr e visã o da r e ce it a : 6 .2 .1 . Ex e cu çã o da Re ce it a 1 .0 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
5 .2 .1 .1 . Pr e visã o in icia l da r e ce it a : 6 .2 .1 .1 . Re ce it a a r e a liza r : 2 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
Previsão inicial – impostos: 300.000 Receita a realizar – impostos: 100.000
Previsão inicial – aluguéis: 200.00 Receita a realizar – aluguéis: 0
Previsão inicial – recebimento da Receita a realizar – recebimento da dívida
dívida ativa: 100.00 ativa: 0
86381744626

Previsão inicial – operações de Receita a realizar – operações de crédito:


crédito: 200.000 100.000
Previsão inicial – alienação de bens: Receita a realizar – alienação de bens imóveis:
200.000 0
6 .2 .1 .2 . Re ce it a r e a liza da : 8 0 0 .0 0 0
Receita realizada – impostos: 200.000
Receita realizada – aluguéis: 200.000
Receita realizada – recebimento da dívida
ativa: 100.000
Receita realizada – operações de crédito:
100.000
Receita realizada – alienação de bens imóveis:
200.000

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   37 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Assim teríamos o seguinte lançamento no su bsist e m a
or ça m e n t á r io, su bsist e m a pa t r im on ia l e de com pe nsa çã o conforme
o plano de contas:

Le ge n da : O – Orçamentário; P – Patrimonial; C – Compensação.

O se gu n do la n ça m e n t o do su bsist e m a de com pe n sa çã o se
de st in a a o con t r ole dos cr é dit os in scr it os e m dívida a t iva . Note que
a conta 8.3.2.3 se refere aos créditos inscritos em dívida ativa a receber.
Essa conta foi inicialmente utilizada (creditada) no momento da inscrição
(veremos isso n o e ve n t o 1 5 ); neste momento de arrecadação ela é
debitada.

86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   38 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
2 .8 . Eve n t o 0 8 : Re con h e cim e n t o e e m pe nho de t oda a de spe sa de
j u r os
Antes de avançarmos gostaria de apresentar o Quadro 26 que
contém as contas utilizadas durante a execução da despesa e o Quadro 27
com os entendimentos sobre o que pode ocorrer no momento do
empenho.
Qu a dr o 2 6 : Contas utilizadas durante a execução da despesa
6.2.2.1.1. Crédito disponível
6.2.2.1.3. 01 Crédito empenhado a liquidar
6.2.2.1.3. 02 Crédito empenhado em liquidação
6.2.2.1.3. 03 Crédito empenhado liquidado
6.2.2.1.3. 04 Crédito pago

Qu a dr o 2 7 : Situações que podem ocorrer no momento do empenho


Sit u a çã o Ut iliza çã o
No M OM EN TO DO EM PEN H O haverá
FG ocorreu antes do empenho. A
simultaneamente, a transferência de saldo
obrigação já está registrada no
da conta “Cr é dit o Or ça m e n t á r io
patrimônio em uma conta
D ispon íve l” para conta “Cr é dit o
permanente (não financeira).
Em pe n h a do a Liqu ida r ” e da conta
Exemplos: juros a pagar,
“Cr é dit o Em pe n h a do a Liqu ida r ” para a
empréstimos a pagar, provisões de
conta “Cr é dit o Em pe nh a do em
13º salário.
Liqu ida çã o”.
FG ocorre após o empenho e antes A transferência de Saldo da conta “Cr é dit o
86381744626

da liquidação. Exemplos: entrega Em pe n h a do a Liqu ida r ” para a conta


da nota fiscal de material fornecido “Cr é dit o Em pe n h a do em Liqu ida çã o”
ou serviço prestado. acontecerá de forma I SOLAD A.
FG ocorre simultaneamente à Não é necessária a passagem pela conta
liquidação. Exemplo: data de “Cr é dit o Em pe n h a do e m Liqu ida çã o”.
entrega da nota fiscal e do
material/serviço ocorre de forma
simultânea.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   39 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
No Quadro 26 observa-se que foi criada a conta “Crédito
empenhado em liquidação”. Porém, o Quadro 27 mostra as situações em
que a mesma é utilizada ou dispensada.
Feito essa primeira apresentação de conceitos, vamos agora
identificar o quanto temos de despesa de juros fixada. Isso mesmo 200
mil.
Essa despesa de juros no novo Plano de Contas passará por uma
fase denominada “r e con h e cim e n t o”. No plano anterior não havia essa
fase. Vamos visualizar a situação da UO antes e depois do
reconhecimento da despesa com juros.

Qu a dr o 2 8 : Situação da UO a n t e s do r e con h e cim e n t o da despesa com juros


1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
-Caixa 1.200.000 -Empréstimos a pagar 500.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 0
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 250.000
-Veículo 50.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.4.Variações patrimoniais diminutivas 4.1. Impostos, taxas e contribuições
financeiras 86381744626
de melhoria 200.000
4.3. Exploração e venda de bens,
serviços e direitos 200.000 
5 .Con t r ole da a pr ov a çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 1.000.000 6.2.1. Execução da Receita 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 1.000.000 6.2.2. Execução da Despesa:
1.000.000
a a
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s
Le ge n da : a) suprimi as contas abaixo para fins de visualização total do plano de
contas.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   40 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 2 9 : Situação da UO a pós o r e con h e cim e n t o da despesa com juros
1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
-Caixa 1.200.000 -Empréstimos a pagar 500.000
-Juros e encargos a pagar 200.000 (P)
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 0
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 250.000
-Veículo 50.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.4.Variações patrimoniais diminutivas 4.1. Impostos, taxas e contribuições
financeiras 200.000 de melhoria 200.000

4.3. Exploração e venda de bens,


serviços e direitos 200.000 
5 .Con t r ole da a pr ov a çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 1.000.000 6.2.1. Execução da Receita 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 1.000.000 6.2.2. Execução da Despesa:
1.000.000
a a
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s
Le ge n da : a) suprimi as contas abaixo para fins de visualização total do plano de
contas. 86381744626

O lançamento do “reconhecimento” pode ser representado assim:

Le ge n da : P – Patrimonial

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   41 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Assim, o fa t o m odifica t ivo dim in u t ivo dos j u r os t e r á se u s
e fe it os e vide n cia dos n o e st á gio do r e con h e cim e n t o, t a l qu a l ocor r e
n a Con t a bilida de Socie t á r ia .

O momento em que ocorre o fa t o


m odifica t ivo a u m e n t a t ivo é o m om e n t o
“a pr opr ia çã o da r e ce it a ” sob o e n foqu e
pa t r im on ia l e o momento em que ocorre o
fa t o m odifica t ivo dim in u t ivo é o
m om e n t o da “a pr opr ia çã o da de spe sa ”
sob o e n foqu e pa t r im on ia l.
Ou seja, no nosso exemplo, a apropriação da
despesa de juros sob o enfoque patrimonial
ocorreu quando do seu reconhecimento.
Porém, pa r a fin s or ça m e n t á r ios a r e ce it a
va i se r r e con h e cida no momento da
a r r e ca da çã o e a de spe sa qu a n do
le ga lm e n t e e m pe n h a da .

86381744626

5 .(ESAF/MDIC/2012/Analista de Comércio Exterior) Assinale a opção que indica


o par de lançamentos correto para a escrituração contábil da apropriação dos
encargos nas operações de créditos da dívida mobiliária.
a) ( d ) Encargos Financeiros ( c ) Variação patrimonial qualitativa - Financeira
b) ( d ) Variação patrimonial diminutiva - Financeira ( c ) Encargos Financeiros
c) ( d ) Variação patrimonial aumentativa - Financeira ( c ) Encargos Financeiros
d) ( d ) Encargos Financeiros ( c ) Variação patrimonial diminutiva - Financeira
e) ( d ) Passivo Circulante - Títulos ( c ) Variação patrimonial aumentativa –
Financeira

COM EN TÁRI O À QUESTÃO.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   42 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Vim os qu e ú n ica opçã o qu e con t é m a va r ia çã o pa t r im on ia l dim in u t iva é
a a lt e r n a t iva B.

Vamos prosseguir agora na nossa trajetória. O Quadro 30 mostra a


situação da UO antes do empenho e o Quadro 31 após o empenho.
Qu a dr o 3 0 : Situação da UO a n t e s do e m pe n h o da despesa com juros
1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
-Caixa 1.200.000 -Empréstimos a pagar 500.000
-Juros e encargos a pagar 200.000 (P)
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 0
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 250.000
-Veículo 50.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.4.Variações patrimoniais diminutivas 4.1. Impostos, taxas e contribuições
financeiras 200.000 de melhoria 200.000

4.3. Exploração e venda de bens,


serviços e direitos 200.000 
5 .Con t r ole da a pr ov a çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o 86381744626
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 1.000.000 6.2.1. Execução da Receita 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 1.000.000 6.2.2. Execução da Despesa:
1.000.000
a a
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   43 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 3 1 : Situação da UO a pós o e m pe n h o da despesa com juros
1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
-Caixa 1.200.000 -Empréstimos a pagar 500.000
-Juros e encargos a pagar (P) 200.000 –
200.000
-Juros e encargos a pagar (F) 200.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 0
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 250.000
-Veículo 50.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.4.Variações patrimoniais diminutivas 4.1. Impostos, taxas e contribuições de
financeiras 200.000 melhoria 200.000

4.3. Exploração e venda de bens,


serviços e direitos 200.000 
5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 1.000.000 6.2.1. Execução da Receita 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 1.000.000 6.2.2. Execução da Despesa: 1.000.000
a a
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

Na sequência o Quadro 32 mostra os detalhes que ocorreram na


conta 6.2.2.
86381744626

Qu a dr o 3 2 : Empenho da despesa com juros


5 .2 .2 .Fix a çã o da D e spe sa : 6 .2 .2 . Ex e cu çã o da D e spe sa : 1 .0 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
5.2.2.1.1.00.00 – Crédito Inicial/6.2.2.1.1.00.00 – Crédit o Disponível/ Despesa de
Despesa de Juros: 200.000 Juros: 200.000 – 200.000 a
6.2.2.1.3.01.00 – Crédit o Em penhado a Liquidar/
Despesa de Juros: 200.000 a - 200.000 a
6.2.2.1.3.02.00 – Crédit o Em penhado em Liquidação/
Despesa de Juros: 200.000 a
6.2.2.1.3.03.00 – Crédito Liquidado/ Despesa de
Juros: 0
6.2.2.1.3.04.01 – Crédito Pago/ Despesa de Juros: 0
Le ge n da : a) desdobramento do empenho quando já havia uma obrigação com a letra
“P”.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   44 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Outra forma de representar o lançamento seria:

Le ge n da : O – Orçamentário; P – Patrimonial; C – Compensação

Assim, no novo Plano de Contas no momento do empenho de uma


obrigação que já existia (e st ou e m pe n h a n do u m a obr iga çã o qu e j á
e st a va ca r im ba da com a le t r a “P”) ocorre um fato permutativo (a
t r a n siçã o da obr iga çã o “pe r m a n e n t e ” pa r a a obr iga çã o
“fin a n ce ir a ”).

86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   45 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
2 .9 . Eve nt o 0 9 : Liqu ida çã o da de spe sa e m pe n h a da de j u r os
Prosseguindo na análise do nosso estudo de caso, vamos à
liquidação da despesa anteriormente empenhada de juros. O Quadro 33
mostra os efeitos do lançamento no plano de contas.

Qu a dr o 3 3 : Situação da UO a pós a liqu ida çã o da despesa com juros


1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
-Caixa 1.200.000 -Empréstimos a pagar 500.000
-Juros e encargos a pagar (P) 200.000 –
200.000
-Juros e encargos a pagar (F) 200.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 0
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 250.000
-Veículo 50.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.4.Variações patrimoniais diminutivas 4.1. Impostos, taxas e contribuições de
financeiras 200.000 melhoria 200.000

4.3. Exploração e venda de bens,


serviços e direitos 200.000 
5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o 86381744626
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 1.000.000 6.2.1. Execução da Receita 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 1.000.000 6.2.2. Execução da Despesa: 1.000.000
a a
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

N o n ovo pla n o de con t a s ocor r e sit u a çã o in t e r e ssa n t e . N o


r e gist r o da s liqu ida çõe s cu j a obr iga çã o j á e st á ca r im ba da com a
le t r a “F” n ã o h á m a is e fe it o pa t r im on ia l a con side r a r . Por isso
mesmo, não houve alteração nas contas do Passivo Circulante, uma vez
que essa alteração já havia ocorrido no empenho. O registro da liquidação
nestes casos restringe-se aos seguintes lançamentos.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   46 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07

Le ge n da : O – Orçamentário; C – Compensação.

O Quadro 34 mostra os detalhes que ocorreram na conta 6.2.2.

Qu a dr o 3 4 : Liquidação da despesa com juros


5 .2 .2 .Fix a çã o da D e spe sa : 6 .2 .2 . Ex e cu çã o da D e spe sa : 1 .0 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
5.2.2.1.1.00.00 – Crédito Inicial/ 6.2.2.1.1.00.00 – Crédit o Disponível/ Despesa de
Despesa de Juros: 200.000 Juros: 200.000 – 200.000 a
6.2.2.1.3.01.00 – Crédit o Em penhado a Liquidar/
Despesa de Juros: 200.000 a - 200.000 a
6.2.2.1.3.02.00 – Crédit o Em penhado em Liquidação/
Despesa de Juros: 200.000 a - 200.000 b
6.2.2.1.3.03.00 – Crédito Liquidado/ Despesa de
Juros: 200.000 b
6.2.2.1.3.04.01 – Crédito Pago/ Despesa de Juros: 0
Le ge n da : a) registro do empenho quando já havia uma obrigação com a letra “P”. b)
registro da liquidação.

2 .1 0 . Eve n t o 1 0 : Pa ga m e n t o da de spe sa liqu ida da de j u r os


Prosseguindo na análise do nosso estudo de caso, vamos ao
pagamento da despesa anteriormente liquidada de juros. O Quadro 35
mostra os efeitos do lançamento no plano de contas.
86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   47 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 3 5 : Situação da UO a pós o pa ga m e n t o da despesa com juros
liquidada
1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
-Caixa 1.200.000 – 200.000 -Empréstimos a pagar 500.000
-Juros e encargos a pagar (P) 0
-Juros e encargos a pagar (F) 200.000 –
200.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 0
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 250.000
-Veículo 50.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.4.Variações patrimoniais diminutivas 4.1. Impostos, taxas e contribuições de
financeiras 200.000 melhoria 200.000

4.3. Exploração e venda de bens,


serviços e direitos 200.000 
5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 1.000.000 6.2.1. Execução da Receita 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 1.000.000 6.2.2. Execução da Despesa: 1.000.000
a a
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

O Quadro 36 mostra os efeitos do lançamento nas contas 6.2.2.


86381744626

Qu a dr o 3 6 : Pagamento da despesa com juros


5 .2 .2 .Fix a çã o da D e spe sa : 6 .2 .2 . Ex e cu çã o da D e spe sa : 1 .0 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
5.2.2.1.1.00.00 – Crédito Inicial/ 6.2.2.1.1.00.00 – Crédit o Disponível/ Despesa de
Despesa de Juros: 200.000 Juros: 200.000 – 200.000 a
6.2.2.1.3.01.00 – Crédit o Em penhado a Liquidar/
Despesa de Juros: 200.000 a - 200.000 a
6.2.2.1.3.02.00 – Crédit o Em penhado em Liquidação/
Despesa de Juros: 200.000 a - 200.000 b
6.2.2.1.3.03.00 – Crédito Liquidado/ Despesa de
Juros: 200.000 b - 200.000 c
6.2.2.1.3.04.01 – Crédito Pago/ Despesa de Juros:
200.000 c
Le ge n da : a) registro do empenho quando já havia uma obrigação com a letra “P”. b)
registro da liquidação. c) registro do pagamento.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   48 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Por fim seguem os lançamentos quando do pagamento da despesa
com juros.

Le ge n da : O – Orçamentário; P – Patrimonial; C – Compensação.

86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   49 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
2 .1 1 . Eve n t o 1 1 : Em pe n h o, Liqu ida çã o e Pa ga m e n t o da de spe sa de
Pe ssoa l.
Inicialmente devemos identificar o quanto temos de despesa de
pessoal fixada. Isso mesmo 250 mil.
O próximo passo seria identificar se a despesa de pessoal será
reconhecida antes do empenho (tal qual fizemos com juros) ou se da
despesa com pessoal será reconhecida apenas na liquidação. Neste
exemplo agora, vamos partir da premissa que a despesa de pessoal será
reconhecida no momento da liquidação. Se optássemos pelo
reconhecimento antes do empenho, os lançamentos seriam iguais aos
eventos 8, 9 e 10.
Retomando, “despesas com pessoal” gera no todo (independente de
reconhecimento/pagamento) u m fa t o m odifica t ivo dim in u t ivo, pois
ocor r e u m a dim in u içã o do ATI VO (saída de dinheiro no caixa) e u m a
dim in u içã o do PL, pois se trata de uma despesa efetiva.
O próximo passo é voltar na “dica suprema” e identificar quais
subsistemas estão envolvidos: isso mesmo, o su bsist e m a or ça m e n t á r io
(devido ao empenho, à liquidação e o pagamento serem estágios da
despesa), e o su bsist e m a pa t r im on ia l (devido à saída de dinheiro no
caixa).
Dessa forma, podemos agora identificar no Plano de Contas as
contas envolvidas neste lançamento. O Quadro 37 mostra a situação
antes do empenho e do Quadro 38 após o pagamento. Note que
pr oposit a lm e n t e de ix e i de for a o e st á gio e n t r e o e m pe n h o e o
86381744626

pa ga m e n t o: a liquidação.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   50 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 3 7 : Situação da UO a n t e s do e m pe n h o da despesa com
pessoal
1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
-Caixa 1.000.000 -Empréstimos a pagar 500.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 0
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 250.000
-Veículo 50.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.4.Variações patrimoniais diminutivas 4.1. Impostos, taxas e contribuições de
financeiras 200.000 melhoria 200.000

4.3. Exploração e venda de bens,


serviços e direitos 200.000 
5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 1.000.000 6.2.1. Execução da Receita 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 1.000.000 6.2.2. Execução da Despesa: 1.000.000
a a
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   51 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 3 8 : Situação da UO a pós o pa ga m e n t o da despesa com pessoal
1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
-Caixa 1.000.000 – 250.000b -Empréstimos a pagar 500.000
-Pessoal a pagar (F) 250.000a – 250.000
b

1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:


-Empréstimos a pagar 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 0
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 250.000
-Veículo 50.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.1. Pessoal e encargos 4.1. Impostos, taxas e contribuições de
a
-Remuneração a pessoal 250.000 melhoria 200.000

3.4.Variações patrimoniais diminutivas 4.3. Exploração e venda de bens,


financeiras 200.000 serviços e direitos 200.000 

5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do


pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 1.000.000 6.2.1. Execução da Receita 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 1.000.000 6.2.2. Execução da Despesa: 1.000.000
a a
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

Legenda: a) No momento da liquidação. b) No momento do pagamento.

Vimos a fotografia inicial e a fotografia final. Agora vamos mostrar


86381744626

passo a passo o que ocorreu do empenho até o pagamento:

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   52 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Lançamento do empenho da despesa com pessoal

Lançamento da liquidação da despesa com pessoal

Lançamento do pagamento da despesa com pessoal

86381744626

Por fim apresento a vocês no Quadro 39 os lançamentos da


execução da despesa na conta 6.2.2 do plano de contas.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   53 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 3 9 : Empenho, liquidação e pagamento da despesa com pessoal
5 .2 .2 .Fix a çã o da D e spe sa : 6 .2 .2 . Ex e cu çã o da D e spe sa : 1 .0 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
5.2.2.1.1.00.00 – Crédito Inicial/ 6.2.2.1.1.00.00 – Crédito Disponível/ Despesa de
Despesa de Pessoal: 200.000 Pessoal: 200.000 – 200.000a
6.2.2.1.3.01.00 – Crédito Empenhado a Liquidar/
Despesa de Pessoal: 200.000 a - 200.000 b
6.2.2.1.3.02.00 – Crédito Empenhado em Liquidação/
Despesa de Pessoal: 0
6.2.2.1.3.03.00 – Crédito Liquidado/ Despesa de
Pessoal: 200.000 b - 200.000 c
6.2.2.1.3.04.01 – Crédito Pago/ Despesa de Juros:
200.000 c
Le ge n da : a) empenho. b) liquidação. c) pagamento.

86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   54 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
2 .1 2 . Eve n t o 1 2 : Em pe nh o, Liqu ida çã o e Pa ga m e n t o de t oda a
de spe sa de in ve st im e n t o ( a qu isiçã o de in st a la çõe s) .
Inicialmente devemos identificar o quanto temos de despesas com
investimentos fixadas. Isso mesmo 200 mil.
O próximo passo seria identificar se a despesa de investimento com
a aquisição de imóvel é um fato permutativo ou modificativo. Isso mesmo
é u m fa t o pe r m u t a t ivo, pois ocor r e u m a dim in u içã o do ATI VO
(saída de dinheiro no caixa) e u m a u m e n t o do ATI VO (incorporação de
um bem imóvel), pois se trata de uma despesa não efetiva.
O próximo passo é voltar na “dica suprema” e identificar quais
subsistemas estão envolvidos: isso mesmo, o subsistema orçamentário
(devido ao empenho, à liquidação e o pagamento serem estágios da
despesa) e o subsistema patrimonial (devido à entrada de dinheiro no
caixa e à incorporação de um bem). Dessa forma, podemos agora
identificar no Plano de Contas as contas envolvidas neste lançamento. O
Quadro 40 mostra a situação antes do empenho e do Quadro 41 após o
pagamento.
Outra dica é que por se tratar de fato permutativo (variação
qualitativa) não haverá registros nas classes 3 e 4.
Por fim, vamos partir da premissa que entre o empenho e a
liquidação será entregue a nota fiscal. D e ssa for m a , você t e r á o
con h e cim e n t o com ple t o do Qu a dr o 2 7 . Nos eventos 08, 09 e 10 você
viu como ocorre o registro da despesa quando existe a obrigação
86381744626

patrimonial anterior ao empenho; no evento 11 você viu como ocorre o


registro da despesa quando não existe a obrigação patrimonial anterior ao
empenho e a mesma é registrada no momento da liquidação; por fim no
evento 12 você verá como é registrada a despesa quando ocorre a
entrega do bem e nota fiscal entre o empenho e a liquidação. Essa
situação é mais comum do que se imagina, pois somente se pode liquidar
após conferir o material fornecido ou serviço prestado.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   55 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 4 0 : Situação da UO a n t e s do e m pe n h o da despesa com
investimentos
1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
-Caixa 750.000 -Empréstimos a pagar 500.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 0
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 250.000
-Veículo 50.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.1. Pessoal e encargos 4.1. Impostos, taxas e contribuições de
-Remuneração a pessoal 250.000 melhoria 200.000

3.4.Variações patrimoniais diminutivas 4.3. Exploração e venda de bens,


financeiras 200.000 serviços e direitos 200.000 

5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do


pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 1.000.000 6.2.1. Execução da Receita 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 1.000.000 6.2.2. Execução da Despesa: 1.000.000
a a
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

Legenda: a) No momento da entrega do bem e da nota fiscal liquidação.


b) No momento do pagamento.

86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   56 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 4 1 : Situação da UO a pós o pa ga m e n t o da despesa com
investimentos
1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
-Caixa 750.000 – 200.000b -Empréstimos a pagar 500.000
-Fornecedores de curto prazo (F)
200.000a – 200.000 b
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 0
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 250.000
-Veículo 50.000
-Instalações 200.000 a
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.1. Pessoal e encargos 4.1. Impostos, taxas e contribuições de
-Remuneração a pessoal 250.000 melhoria 200.000

3.4.Variações patrimoniais diminutivas 4.3. Exploração e venda de bens,


financeiras 200.000 serviços e direitos 200.000 

5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do


pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 1.000.000 6.2.1. Execução da Receita 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 1.000.000 6.2.2. Execução da Despesa: 1.000.000
7 . Con t r ole de de ve dor e s 86381744626 8 . Con t r ole de cr e dor e s

Le ge n da : a) No momento da entrega do bem e da nota fiscal. b) No


momento do pagamento

Vimos a fotografia inicial e a fotografia final. Agora vamos mostrar


passo a passo os lançamentos do empenho até o pagamento.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   57 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Empenho da despesa com investimentos

Na entrega da Nota Fiscal e da Instalação

Liquidação da despesa com investimentos

Pagamento da despesa com investimentos


86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   58 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Obse r va - se qu e n e st e ca so, a va r ia çã o pa t r im on ia l
qu a lit a t iva ocor r e u n o m om e n t o da e n t r e ga da s in st a la çõe s e da
n ot a fisca l. Se fosse um fa t o m odifica t ivo dim in u t ivo com o
de spe sa s com se r viços, o m om e n t o da e n t r e ga da n ot a fisca l se r ia
o m om e n t o do r e gist r o da va r ia çã o pa t r im on ia l qu a n t it a t iva
dim in u t iva n a cla sse 3 . Ressalto ainda, que neste caso (despesas com
serviços) os lançamentos subsequentes de liquidação e pagamento seriam
iguais.
Por fim apresento a vocês no Quadro 42 os lançamentos da
execução da despesa no plano de contas.
Qu a dr o 4 2 : Empenho, liquidação e pagamento da despesa com investimento
5 .2 .2 .Fix a çã o da D e spe sa : 6 .2 .2 . Ex e cu çã o da D e spe sa : 1 .0 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
5.2.2.1.1.00.00 – Crédito Inicial/6.2.2.1.1.00.00 – Crédito Disponível/ Despesa de
Despesa de Investimentos: Investimentos:200.000 – 200.000a
200.000 6.2.2.1.3.01.00 – Crédito Empenhado a Liquidar/
Despesa de Investimentos: 200.000 a - 200.000 b
6.2.2.1.3.02.00 – Crédito Empenhado em Liquidação/
Despesa de Investimentos: 200.000 b - 200.000 c
6.2.2.1.3.03.00 – Crédito Liquidado/ Despesa de
Investimentos: 200.000 c - 200.000 d
6.2.2.1.3.04.01 – Crédito Pago/ Despesa de
Investimentos: 200.000 d
Le ge n da : a) empenho. b) entrega das instalações e da nota fiscal. c) liquidação. d)
pagamento.

Va m os fa ze r m a is u m a qu e st ã o.

86381744626

6 . (CESPE/TCU/2007/AFCE/Adaptada) Considerando que determinada


entidade governamental tenha adquirido, à vista, um imóvel para uso em
suas atividades operacionais, julgue os itens a seguir, com relação ao
registro contábil a ser efetuado e respectivo reflexo nos subsistemas de
contas.
Como se trata de um fato permutativo, a compra do imóvel não afetará o
patrimônio líquido.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   59 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
COM EN TÁRI O À QUESTÃO.
6 .(CESPE/TCU/2007/AFCE) Considerando que determinada entidade
governamental tenha adquirido, à vista, um imóvel para uso em suas
atividades operacionais, julgue os itens a seguir, com relação ao registro
contábil a ser efetuado e respectivo reflexo nos subsistemas de contas.
Como se trata de um fato permutativo, a compra do imóvel será não
afetará o patrimônio líquido.
CERTO, a compra de imóvel é um fato permutativo.

2 .1 3 . Eve n t o 1 3 : Em pe n h o, Liqu ida çã o e Pa ga m e n t o da de spe sa


com m a t e r ia l de con su m o com o r e st a n t e da s ou t r a s de spe sa s
cor r e n t e s.
Inicialmente devemos identificar o quanto temos de crédito
disponível de outras despesas correntes. Isso mesmo 100 mil.
O próximo passo seria identificar se a despesa com aquisição de
material de consumo é um fato permutativo ou modificativo. Isso mesmo
é um fato permutativo, pois ocor r e u m a dim in u içã o do ATI VO (saída
de dinheiro no caixa) e u m a u m e n t o do ATI VO (incorporação de um
bem imóvel), pois se trata de uma despesa não efetiva.
O próximo passo é voltar na “dica suprema” e identificar quais
subsistemas estão envolvidos: isso mesmo, o su bsist e m a or ça m e n t á r io
(devido ao empenho, à liquidação e o pagamento serem estágios da
despesa), e o subsist e m a pa t r im on ia l (devido à saída de dinheiro no
caixa e à incorporação de um bem). Dessa forma, podemos agora
86381744626

identificar no Plano de Contas as contas envolvidas neste lançamento. O


Quadro 43 mostra a situação antes do empenho e do Quadro 44 após o
pagamento. Por fim, vamos partir da premissa que houve a entrega do
material e da nota fiscal antes da liquidação (o que é o comum).

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   60 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 4 3 : Situação da UO a n t e s do e m pe n h o da despesa com
material de consumo
1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
-Caixa 550.000 -Empréstimos a pagar 500.000
-Fornecedores de curto prazo (F) 0
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 0
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 250.000
-Veículo 50.000
-Instalações 200.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.1. Pessoal e encargos 4.1. Impostos, taxas e contribuições de
-Remuneração a pessoal 250.000 melhoria 200.000

3.4.Variações patrimoniais diminutivas 4.3. Exploração e venda de bens,


financeiras 200.000 serviços e direitos 200.000 

5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do


pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 1.000.000 6.2.1. Execução da Receita 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 1.000.000 6.2.2. Execução da Despesa: 1.000.000
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   61 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 4 4 : Situação da UO a pós o pa ga m e n t o da despesa com
material de consumo
1 - At ivo 2 - Pa ssivo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
-Caixa 550.000 – 100.000b -Empréstimos a pagar 500.000
- Almoxarifado (P) 100.000a -Fornecedores de curto prazo (F)
100.000a – 100.000 b
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 0
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis 250.000
-Veículo 50.000
-Instalações 200.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.1. Pessoal e encargos 4.1. Impostos, taxas e contribuições de
-Remuneração a pessoal 250.000 melhoria 200.000

3.4.Variações patrimoniais diminutivas 4.3. Exploração e venda de bens,


financeiras 200.000 serviços e direitos 200.000 

5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do


pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 1.000.000 6.2.1. Execução da Receita 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 1.000.000 6.2.2. Execução da Despesa: 1.000.000
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

Le ge n da : a) No momento da entrega do bem e da nota fiscal. b) No


86381744626

momento do pagamento

Vimos a fotografia inicial e a fotografia final. Agora vamos mostrar


passo a passo o que ocorreu do empenho até o pagamento.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   62 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07

Empenho da despesa com material de consumo

Na entrega da Nota Fiscal e do material de consumo

Liquidação da despesa com material de consumo

Pagamento da despesa com material de


86381744626

consumo

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   63 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Obse r va - se qu e n e st e ca so a ssim com o n a s de spe sa s com
in ve st im e n t os, a va r ia çã o pa t r im on ia l qu a lit a t iva ocor r e u no
m om e n t o da e n t r e ga da s in st a la çõe s e da n ot a fisca l. Por ser fato
permutativo não se utiliza as classes 3 e 4 nessas situações.
Por fim apresento a vocês no Quadro 45 os lançamentos da
execução da despesa no plano de contas.
Qu a dr o 4 5 : Empenho, liquidação e pagamento da despesa com material de
consumo
5 .2 .2 .Fix a çã o da D e spe sa : 6 .2 .2 . Ex e cu çã o da D e spe sa : 1 .0 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
5.2.2.1.1.00.00 – Crédito Inicial/
6.2.2.1.1.00.00 – Crédito Disponível/ Despesa com
Despesa com material dematerial de consumo: 200.000 – 200.000a
consumo: 100.000 6.2.2.1.3.01.00 – Crédito Empenhado a Liquidar/
Despesa com material de consumo: 200.000 a -
200.000 b
6.2.2.1.3.02.00 – Crédito Empenhado em Liquidação/
Despesa com material de consumo: 200.000 b -
200.000 c
6.2.2.1.3.03.00 – Crédito Liquidado/ Despesa com
material de consumo: 200.000 c - 200.000 d
6.2.2.1.3.04.01 – Crédito Pago/ Despesa com
material de consumo: 200.000 d
Le ge n da : a) empenho. b) entrega do material de consumo e da nota fiscal. c)
liquidação. d) pagamento.

7 .(CESPE/2010/AEMQ/INMETRO/Contador) Na aquisição de material de


86381744626

consumo ou permanente é registrada uma despesa, o que reduz a


situação patrimonial.

COM EN TÁRI O À QUESTÃO.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   64 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
7 .(CESPE/2010/AEMQ/INMETRO/Contador) Na aquisição de material de
consumo ou permanente é registrada uma despesa, o qu e r e du z a
sit u a çã o pa t r im on ia l.
ERRAD O, a aquisição de material de consumo ou permanente é uma
despesa não efetiva, logo n ã o a lt e r a a sit u a çã o líqu ida pa t r im onia l.

2 .1 4 . Eve n t o 1 4 : Em pe n h o, Liqu ida çã o e Pa ga m e n t o de m e t a de da


de spe sa de a m or t iza çã o da dívida .
Inicialmente devemos identificar o quanto temos de despesa de
pessoal fixada. Isso mesmo 200 mil. A metade disso é 100 mil
O próximo passo seria identificar se a despesa com amortização da
dívida é um fato permutativo ou modificativo. Isso mesmo é um fato
modificativo permutativo, pois ocor r e u m a dim in u içã o do ATI VO
(saída de dinheiro no caixa) e u m a dim in u içã o do PASSI VO (baixa de
uma obrigação), pois se trata de uma despesa não efetiva.
O próximo passo é voltar na “dica suprema” e identificar quais
subsistemas estão envolvidos: isso mesmo, o su bsist e m a or ça m e n t á r io
(devido ao empenho, à liquidação e o pagamento serem estágios da
despesa), o su bsist e m a pa t r im on ia l (devido à saída de dinheiro no
caixa e à baixa de uma obrigação).
Por fim, neste evento, assim como no evento 08, 09 e 10, quando
do empenho já existia a obrigação carimbada com a letra “P” (obrigação
86381744626

de conta patrimonial).
Dessa forma, podemos agora identificar no Plano de Contas as
contas envolvidas neste lançamento. O Quadro 46 mostra a situação
antes do empenho e do Quadro 47 após o pagamento.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   65 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 4 6 : Situação da UO a n t e s do e m pe n h o da despesa com
amortização da dívida
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
- Caixa (F) 450.000 -Empréstimos a pagar (P) 500.000
- Almoxarifado (P) 100.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar (P) 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 0
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis (P) 250.000
-Veículo (P) 50.000
-Instalações (P) 200.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.1. Pessoal e encargos 4.1. Impostos, taxas e contribuições de
-Remuneração a pessoal 250.000 melhoria 200.000

3.4.Variações patrimoniais diminutivas 4.3. Exploração e venda de bens,


financeiras 200.000 serviços e direitos 200.000 

5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do


pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 1.000.000 6.2.1. Execução da Receita 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 1.000.000 6.2.2. Execução da Despesa: 1.000.000
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   66 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 4 7 : Situação da UO a pós o pa ga m e n t o da despesa com
amortização da dívida
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
- Caixa (F) 450.000 – 100.000b -Empréstimos a pagar (P) 500.000 -
- Almoxarifado (P) 100.000 100.000 a
-Empréstimos a pagar (F) 100.000 a –
100.000 b
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar (P) 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 0
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis (P) 250.000
-Veículo (P) 50.000
-Instalações (P) 200.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.1. Pessoal e encargos 4.1. Impostos, taxas e contribuições de
-Remuneração a pessoal 250.000 melhoria 200.000

3.4.Variações patrimoniais diminutivas 4.3. Exploração e venda de bens,


financeiras 200.000 serviços e direitos 200.000 

5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do


pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 1.000.000 6.2.1. Execução da Receita 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 1.000.000 6.2.2. Execução da Despesa: 1.000.000
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

Le ge n da : a) No momento do empenho. b) No momento do pagamento.


86381744626

Vimos a fotografia inicial e a fotografia final. Agora vamos mostrar


passo a passo o que ocorreu do empenho até o pagamento.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   67 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Empenho da despesa com amortização da dívida

Liquidação da despesa com amortização da dívida

Pagamento da despesa com amortização da dívida

86381744626

Por fim, apresento a vocês no Quadro 48 os lançamentos da


execução da despesa no plano de contas.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   68 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 4 8 : Empenho, liquidação e pagamento da despesa com amortização da
dívida
5 .2 .2 .Fix a çã o da D e spe sa : 6 .2 .2 . Ex e cu çã o da D e spe sa : 1 .0 0 0 .0 0 0
1 .0 0 0 .0 0 0
5.2.2.1.1.00.00 – Crédito Inicial/ 6.2.2.1.1.00.00 – Crédito Disponível Despesa de
Despesa de Amortização da Amortização da Dívida: 200.000 – 100.000a
Dívida: 200.000 6.2.2.1.3.01.00 – Crédito Empenhado a Liquidar/
Despesa de Amortização da Dívida: 100.000a –
100.000 a
6.2.2.1.3.02.00 – Crédito Empenhado em Liquidação/
Despesa de Amortização da Dívida: 100.000a –
100.000 b
6.2.2.1.3.03.00 – Crédito Liquidado/ Despesa de
Amortização da Dívida: 100.000b – 100.000c
6.2.2.1.3.04.01 – Crédito Pago/ Despesa de
Amortização da Dívida: 100.000c
Le ge n da : a) registro do empenho quando já havia uma obrigação com a letra “P”. b)
registro da liquidação. c) registro do pagamento.

2 .1 5 . Eve n t o 1 5 : I n scr içã o e m dívida a t iva do r e st a n t e da r e ce it a


t r ibu t á r ia n ã o a r r e ca da da
Inicialmente devemos identificar o quanto temos de receita
tributária (de impostos) que não foi arrecadada. Isso mesmo 100 mil.
O próximo passo seria identificar se a inscrição da dívida ativa é fato
ou ato e se o mesmo decorre da execução orçamentária. Isso mesmo é
um fato e independe da execução orçamentária. Trata-se ainda de um
fa t o m odifica t ivo a u m e n t a t ivo, pois ocorre u m a u m e n t o do ATI VO
(registro de um direito no ativo circulante ou ativo realizável a longo
prazo) e u m a u m e n t o PL, ocasionando um acréscimo patrimonial. Se for
uma dívida ativa de curto prazo deverá ser registrada no ativo circulante e
se for uma dívida ativa de longo prazo deverá ser registrada no ativo
86381744626

realizável a longo prazo.


A in scr içã o da dívida a t iva n o Pla n o Tr a dicion a l, n e m se m pr e
e x igia o u so do subsist e m a de com pe n sa çã o.
N o pla n o n ovo, a in scr içã o da dívida a t iva e x ige o u so do
su bsist e m a de com pe n sa çã o.
Dessa forma, podemos agora identificar no Plano de Contas as
contas envolvidas neste lançamento. O Quadro 49 mostra a situação
antes da inscrição e o Quadro 50 após a inscrição.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   69 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 4 9 : Situação da UO a n t e s da in scr içã o da dívida ativa
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
- Caixa (F) 350.000 -Empréstimos a pagar (P) 400.000
- Almoxarifado (P) 100.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar (P) 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 0
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis (P) 250.000
-Veículo (P) 50.000
-Instalações (P) 200.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.1. Pessoal e encargos 4.1. Impostos, taxas e contribuições de
-Remuneração a pessoal 250.000 melhoria 200.000

3.4.Variações patrimoniais diminutivas 4.3. Exploração e venda de bens,


financeiras 200.000 serviços e direitos 200.000 

5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do


pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 1.000.000 6.2.1. Execução da Receita 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 1.000.000 6.2.2. Execução da Despesa: 1.000.000
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   70 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 5 0 : Situação da UO após a in scr içã o da dívida ativa
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
- Caixa (F) 350.000 -Empréstimos a pagar (P) 400.000
- Almoxarifado (P) 100.000
- Crédito tributário a receber (P)
100.000 a - 100.000 b
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar (P) 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 100.000 (P) b
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis (P) 250.000
-Veículo (P) 50.000
-Instalações (P) 200.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.1. Pessoal e encargos 4.1. Impostos, taxas e contribuições de
-Remuneração a pessoal 250.000 melhoria 200.000 + 100.000a

3.4.Variações patrimoniais diminutivas 4.3. Exploração e venda de bens,


financeiras 200.000 serviços e direitos 200.000 

5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do


pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 1.000.000 6.2.1. Execução da Receita 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 1.000.000 6.2.2. Execução da Despesa: 1.000.000
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

a) No momento do o lançamento do crédito tributário. b)No momento das


86381744626

inscrição da dívida ativa.

Queria deixar registrado que numa visão global a inscrição da dívida


ativa continua sendo um fato modificativo aumentativo. Porém, veja nos
registros seguintes que a variação patrimonial quantitativa ocorre no
momento do “lançamento” (estágio da receita) do crédito tributário.
Posteriormente, quando da inscrição propriamente dita haverá apenas um
fato permutativo. Por é m , pa r a fin s de pr ova con side r e : a in scr içã o
da dívida a t iva é u m fa t o m odifica t ivo a u m e n t a t ivo. Pe n se n a visã o
globa l.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   71 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Registro do crédito a receber (lançamento tributário)

Inscrição da dívida ativa (responsabilidade pelo crédito tributário e pela


inscrição compete ao mesmo órgão)

Vimos neste último lançamento que na primeira linha que são


utilizadas as contas 7.3.2 e 8.3.2. O Quadro 51 detalha os possíveis
lançamentos que utilizado neste evento e no evento 07.

Qu a dr o 5 1 : Lançamentos no processo de inscrição e recebimento da dívida


ativa
7 .3 .0 .0 .0 .0 0 .0 0 – D ívida At iva 8 .3 .0 .0 .0 .0 0 .0 0 – Ex e cu çã o da
D ívida At iva
7.3.2.0.0.00.00 – Controle da 8.3.2.0.0.00.00
86381744626

– Execução da
Inscrição de Créditos em Dívida Ativa Inscrição de
Créditos em Dívida Ativa
7.3.2.1.0.0.00.00 – Inscrição de 8.3.2.1.0.00.00 Créditos a Inscrever
créditos 100.000a em Dívida Ativa 100.000 – 100.000a
8.3.2.2.0.00.00 Créditos a Inscrever
em Dívida Ativa – Devolvidos
8.3.2.3.0.00.00 - Créditos Inscritos em
Dívida Ativa a receber 100.000a –
100.000b
8.3.2.4.0.00.00 - Créditos Inscritos em
Dívida Ativa recebidos 100.000b
a) Inscrição da dívida ativa de 100.000. b) Recebimento de dívida ativa de
100.000 (foi o qu e r e gist r a m os n o e ve n t o 0 7 ).

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   72 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07

Vou repassar dicas que são úteis para os registros das operações típicas
para as classes 5 e 6; 7 e 8.
1ª Dica: O r e gist r o de a be r t u r a ocor r e n a h or iz on t a l e u t iliza
con t a s da s du a s cla sse s da s in for m a çõe s or ça m e n t á r ia s ou de
con t r ole . Assim, o registro de aprovação do orçamento: fix a çã o da
de spe sa / a be r t u r a de cr é dit os a dicion a is ocorre necessariamente
utilizando os grupos 5.2 e 6.2; inscrição de restos a pagar ocorre
necessariamente utilizando os grupos 5.3 e 6.3.
2ª Dica: O r e gist r o de e x e cu çã o ocor r e n a ve r t ica l e u t iliza con t a s
da s a pe na s da s cla sse s pa r e s da s in for m a çõe s or ça m e n t á r ia s ou
de con t r ole . Assim, o registro da execução da despesa ocorre
necessariamente utilizando apenas o grupo 6.2; o registro da execução
dos restos a pagar ocorre necessariamente utilizando apenas o grupo
6.3.
Quanto ao controle da disponibilidade de recursos gostaria de deixar
registrado que:
-Na arrecadação ocorre o lançamento nos grupos 7.2 e 8.2;
-No empenho, na liquidação e no pagamento ocorre o lançamento
apenas no grupo e 8.2;
- No encerramento do exercício ocorre o lançamento nos grupos 7.2 e
86381744626

8.2 
Débito: 8.2.1.1.4. 00.00 - Disponibilidade por Destinação de Recursos
Utilizada.
Crédito: 7.2.1.1.0.00.00 - Controle da Disponibilidade de Recursos.
Se quisermos saber quanto temos de recursos arrecadados e disponíveis
basta verificar o saldo da conta: 8.2.1.1.1.00.00 - Disponibilidade por
destinação de recursos a utilizar.
Recomendo o uso do material de apoio contendo o PCASP
Esquematizado. 

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   73 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
2 .1 6 . Eve n t o 1 6 : Sa ída de m a t e r ia l de con su m o do a lm ox a r ifa do
Inicialmente devemos identificar o quanto temos de material de
consumo na UO. Isso mesmo 100 mil.
O próximo passo seria identificar se a saída de material de consumo
é um fato ou um ato e se o mesmo decorre da execução orçamentária.
Isso mesmo é um fato e independe da execução orçamentária. Trata-se
ainda de um fa t o m odifica t ivo dim in u t ivo, pois ocorre um a
dim in u içã o do ATI VO (baixa de um bem no ativo circulante) e u m a
dim in u içã o PL, ocasionando um decréscimo patrimonial.
O próximo passo é voltar na “dica suprema” e identificar quais
subsistemas estão envolvidos: isso mesmo, a pe n a s o su bsist e m a
pa t r im on ia l. Dessa forma, podemos agora identificar no Plano de Contas
as contas envolvidas neste lançamento. O Quadro 52 mostra a situação
antes da saída e o Quadro 53 após a saída.
Qu a dr o 5 2 : Situação da UO a n t e s da sa ída do m a t e r ia l de con su m o
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
- Caixa (F) 350.000 -Empréstimos a pagar (P) 400.000
- Almoxarifado (P) 100.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar (P) 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 100.000 (P)
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis (P) 250.000
-Veículo (P) 50.000
-Instalações (P) 200.000
86381744626
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im onia is D im inut iva s 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
Aum e n t a t iva s
3.1. Pessoal e encargos 4.1. Impostos, taxas e contribuições de
-Remuneração a pessoal 250.000 melhoria 300.000
3.4.Variações patrimoniais diminutivas 4.3. Exploração e venda de bens, serviços
financeiras 200.000 e direitos 200.000 
5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cuçã o do
pla ne j a m e n t o e or ça m e n t o pla ne j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 1.000.000 6.2.1. Execução da Receita 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 1.000.000 6.2.2. Execução da Despesa: 1.000.000
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   74 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 5 3 : Situação da UO a pós a sa ída do m a t e r ia l de con su m o
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
- Caixa (F) 350.000 -Empréstimos a pagar (P) 400.000
- Almoxarifado (P) 100.000 –
100.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar (P) 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo
Prazo
-Dívida Ativa 100.000 (P)
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis (P) 250.000
-Veículo (P) 50.000
-Instalações (P) 200.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.1. Pessoal e encargos 4.1. Impostos, taxas e
-Remuneração a pessoal 250.000 contribuições de melhoria 300.000
3.3. Uso de bens, serviços e 4.3. Exploração e venda de bens,
consumo de capital fixo serviços e direitos 200.000 
-Consumo de material 100.000
3.4.Variações patrimoniais  
diminutivas financeiras 200.000
5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o 86381744626
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 6.2.1. Execução da Receita
1.000.000 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 6.2.2. Execução da Despesa:
1.000.000 1.000.000
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

Uma forma de representar o lançamento seria:

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   75 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07

2 .1 7 . Eve n t o 1 7 : Rou bo de ve ícu lo

Inicialmente devemos identificar o quanto está registrado de


veículos na UO. Isso mesmo 50 mil.
O próximo passo seria identificar se o roubo de um veículo é um
fato ou um ato e se o mesmo decorre da execução orçamentária. Isso
mesmo é um fato e independe da execução orçamentária. Trata-se de
um fa t o m odifica t ivo dim in u t ivo, pois ocorre u m a dim in u içã o do
ATI VO (baixa de um bem no ativo permanente) e u m a dim in u içã o PL,
ocasionando um decréscimo patrimonial.
O próximo passo é voltar na “dica suprema” e identificar quais
subsistemas estão envolvidos: isso mesmo, a pe n a s o su bsist e m a
pa t r im on ia l. Dessa forma, podemos agora identificar no Plano de Contas
as contas envolvidas neste lançamento. O Quadro 54 mostra a situação
antes do roubo e o Quadro 55 após o roubo.

86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   76 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 5 4 : Situação da UO a n t e s do r ou bo do ve ícu lo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
- Caixa (F) 350.000 -Empréstimos a pagar (P) 400.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar (P) 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo
Prazo
-Dívida Ativa 100.000 (P)
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis (P) 250.000
-Veículo (P) 50.000
-Instalações (P) 200.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.1. Pessoal e encargos 4.1. Impostos, taxas e
-Remuneração a pessoal 250.000 contribuições de melhoria 300.000
3.3. Uso de bens, serviços e 4.3. Exploração e venda de bens,
consumo de capital fixo serviços e direitos 200.000
-Consumo de material 100.000
3.4.Variações patrimoniais  
diminutivas financeiras 200.000
5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 6.2.1. Execução da Receita
1.000.000 86381744626

1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 6.2.2. Execução da Despesa:
1.000.000 1.000.000
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   77 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 5 5 : Situação da UO a pós o r ou bo do ve ícu lo
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
- Caixa (F) 350.000 -Empréstimos a pagar (P) 400.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar (P) 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo
Prazo
-Dívida Ativa 100.000 (P)
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis (P) 250.000
-Veículo (P) 50.000 - 50.000
-Instalações (P) 200.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.1. Pessoal e encargos 4.1. Impostos, taxas e
-Remuneração a pessoal 250.000 contribuições de melhoria 300.000
3.3. Uso de bens, serviços e 4.3. Exploração e venda de bens,
consumo de capital fixo serviços e direitos 200.000 
-Consumo de material 100.000
3.4.Variações patrimoniais  
diminutivas financeiras 200.000
3.6.Desvalorização e perda de  
ativos
- Perdas involuntárias: 50.000
5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do
86381744626

pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 6.2.1. Execução da Receita
1.000.000 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 6.2.2. Execução da Despesa:
1.000.000 1.000.000
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

Uma forma de representar o lançamento seria:

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   78 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07

2 .1 8 . Eve n t o 1 8 : Assin a t u r a de con t r a t o e e x e cu çã o de con t r a t o


O primeiro passo seria identificar se a assinatura de um contrato é
um fato ou um ato e se o mesmo decorre da execução orçamentária. Isso
mesmo é um ato e independe da execução orçamentária.
O próximo passo é voltar na “dica suprema” e identificar quais
subsistemas estão envolvidos: isso mesmo, a pe n a s o su bsist e m a de
com pe n sa çã o. Dessa forma, podemos agora identificar no Plano de
Contas as contas envolvidas neste lançamento. O Quadro 56 mostra a
situação antes da assinatura; o Quadro 57 após a assinatura; e o Quadro
58 quando execução do contrato.
Vamos supor que este contrato é relacionado à aquisição de
material de consumo do evento 13. Dessa forma, o Quadro 56 registra o
momento anterior ao empenho, enquanto o Quadro 58 registra o
momento posterior à liquidação.
Assim, quando foi adquirido o material de consumo (e ve n t o 1 2 ) ou
o imóvel (e ve n t o 1 1 ), antes do empenho foi realizada a assinatura do
contrato e após a liquidação a baixa do contrato.

86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   79 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 5 6 : Situação da UO a n t e s da a ssina t u r a de u m con t r a t o
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
- Caixa (F) 350.000 -Empréstimos a pagar (P) 400.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar (P) 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo
Prazo
-Dívida Ativa 100.000 (P)
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis (P) 250.000
-Instalações (P) 200.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.1. Pessoal e encargos 4.1. Impostos, taxas e
-Remuneração a pessoal 250.000 contribuições de melhoria 300.000
3.3. Uso de bens, serviços e 4.3. Exploração e venda de bens,
consumo de capital fixo serviços e direitos 200.000 
-Consumo de material 100.000
3.4.Variações patrimoniais  
diminutivas financeiras 200.000
3.6.Desvalorização e perda de  
ativos
- Perdas involuntárias: 50.000
5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
86381744626

5.2.1.Previsão da receita: 6.2.1. Execução da Receita


1.000.000 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 6.2.2. Execução da Despesa:
1.000.000 1.000.000
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s
7.1.2.3.1.00.00.Obrigações 8.1.2.3.1.00.00.Execução de
contratuais obrigações contratuais

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   80 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 5 7 : Situação da UO a pós a a ssin a t u r a de u m con t r a t o a n t e s
do e m pe n h o
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
- Caixa (F) 350.000 -Empréstimos a pagar (P) 400.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar (P) 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo
Prazo
-Dívida Ativa 100.000 (P)
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis (P) 250.000
-Instalações (P) 200.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.1. Pessoal e encargos 4.1. Impostos, taxas e
-Remuneração a pessoal 250.000 contribuições de melhoria 300.000
3.3. Uso de bens, serviços e 4.3. Exploração e venda de bens,
consumo de capital fixo serviços e direitos 200.000 
-Consumo de material 100.000
3.4.Variações patrimoniais  
diminutivas financeiras 200.000
3.6.Desvalorização e perda de  
ativos
- Perdas involuntárias: 50.000
5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole
86381744626

da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 6.2.1. Execução da Receita
1.000.000 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 6.2.2. Execução da Despesa:
1.000.000 1.000.000
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s
7.1.2.3.1.00.00.Obrigações 8.1.2.3.1.00.00.Execução de
contratuais 100.000 obrigações contratuais 100.000

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   81 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 5 8 : Registro da assinatura e execução do con t r a t o
1 .9 At ivo Com pe n sa do 2 .9 Pa ssivo Com pe n sa do
7.1.2.3.1.02.00 - Obrigações 8.1.2.3.1.02.01-Execução de obrigações
contratuais 100.000a contratuais – em execução 100.000a -
100.000b
8.1.2.3.1.02.02 - Execução de obrigações
contratuais – executados 100.000b
a) No registro do contrato. b) Na execução do contrato (na liquidação).

Uma forma de registrar a assinatura do contrato seria:

Uma forma de registrar a execução do contrato seria:

2 .1 9 . Eve n t o 1 9 : D e pr e cia çã o dos im óve is r e m a n e sce n t e s qu e


e x ist ia m n a sit u a çã o in icia l
Inicialmente devemos identificar o quanto está registrado nos
imóveis remanescentes na UO. Isso mesmo 250 mil.
O próximo passo seria identificar se a depreciação é um fato ou um
ato e se o mesmo decorre da execução orçamentária. Isso mesmo é um
86381744626

fato e independe da execução orçamentária. Trata-se ainda de um fa t o


m odifica t ivo dim in u t ivo, pois ocorre u m a dim in u içã o do ATI VO
(baixa no valor do bem no ativo permanente) e u m a dim in u içã o PL,
ocasionando um decréscimo patrimonial.
O próximo passo é voltar na “dica suprema” e identificar quais
subsistemas estão envolvidos: isso mesmo, a pe n a s o su bsist e m a
pa t r im on ia l. Dessa forma, podemos agora identificar no Plano de Contas

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   82 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
as contas envolvidas neste lançamento. O Quadro 59 mostra a situação
antes da depreciação e o Quadro 60 após a depreciação.
Qu a dr o 5 9 : Situação da UO a n t e s do r e con h e cim e n t o da
de pr e cia çã o de imóveis 10%
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
- Caixa (F) 350.000 -Empréstimos a pagar (P) 400.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar (P) 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo
Prazo
-Dívida Ativa 100.000 (P)
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis (P) 250.000
-Instalações (P) 200.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.1. Pessoal e encargos 4.1. Impostos, taxas e
-Remuneração a pessoal 250.000 contribuições de melhoria 300.000
3.3. Uso de bens, serviços e 4.3. Exploração e venda de bens,
consumo de capital fixo serviços e direitos 200.000 
-Consumo de material 100.000
3.4.Variações patrimoniais  
diminutivas financeiras 200.000
3.6.Desvalorização e perda de  
ativos 86381744626

- Perdas involuntárias: 50.000


5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 6.2.1. Execução da Receita
1.000.000 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 6.2.2. Execução da Despesa:
1.000.000 1.000.000
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   83 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 6 0 : Situação da UO a pós r e gist r o da depreciação de imóveis
10%
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
- Caixa (F) 350.000 -Empréstimos a pagar (P) 400.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar (P) 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo
Prazo
-Dívida Ativa 100.000 (P)
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis (P) 250.000
*Depreciação acumulada (25.000)
-Instalações (P) 200.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.1. Pessoal e encargos 4.1. Impostos, taxas e
-Remuneração a pessoal 250.000 contribuições de melhoria 300.000
3.3. Uso de bens, serviços e 4.3. Exploração e venda de bens,
consumo de capital fixo serviços e direitos 200.000 
-Consumo de material 100.000
-Depreciação 25.000
3.4.Variações patrimoniais  
diminutivas financeiras 200.000
3.6.Desvalorização e perda de  
ativos 86381744626

- Perdas involuntárias: 50.000


5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 6.2.1. Execução da Receita
1.000.000 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 6.2.2. Execução da Despesa:
1.000.000 1.000.000
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

Outra forma de registrar o lançamento da assinatura seria:

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   84 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07

2 .2 0 . Eve n t o 2 0 : M ovim e n t a çã o de r e cur sos pa r a a Unida de


Adm in ist r a t iva a n t e r ior m e n t e con t e m pla da pe la m ovim e n t a çã o de
cr é dit o
Vim os n o EVEN TO 0 2 que a UO fez uma provisão para sua UA.
Naquela ocasião a UA havia recebido a provisão com a finalidade de
realizar uma licitação para adquirir material de consumo.
Após a licitação, o empenho e a liquidação a UA necessitará de
recursos para quitar suas obrigações junto ao fornecedor do material de
consumo. O Quadro 61 evidencia a situação na UO antes da
movimentação de recursos para a UA e o Quadro 62 a situação na UA
antes do recebimento de recursos.

86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   85 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qua dr o 6 1 : Situação da UO antes de movimentar recursos para a UA
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
- Caixa (F) 350.000 -Empréstimos a pagar (P) 400.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar (P) 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 100.000 (P)
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis (P) 250.000
*Depreciação acumulada (25.000)
-Instalações (P) 200.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im onia is D im inut iva s 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
Aum e n t a t iva s
3.1. Pessoal e encargos 4.1. Impostos, taxas e contribuições de
-Remuneração a pessoal 250.000 melhoria 300.000
3.3. Uso de bens, serviços e consumo de 4.3. Exploração e venda de bens, serviços
capital fixo e direitos 200.000 
-Consumo de material 100.000
-Depreciação 25.000
3.4.Variações patrimoniais diminutivas  
financeiras 200.000
3.6.Desvalorização e perda de ativos  
- Perdas involuntárias: 50.000
5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cuçã o do
pla ne j a m e n t o e or ça m e n t o pla ne j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.1.Previsão da receita: 1.000.000 6.2.1. Execução da Receita 1.000.000
5.2.2.Fixação da Despesa: 1.000.000 6.2.2. Execução da Despesa: 1.000.000
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

86381744626

Qua dr o 6 2 : Situação da UA antes de receber recursos da UO


1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
-Material de Consumo: 50.000 -Fornecedores (F): 50.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
2.3. Patrimônio Líquido
3 .Va r ia çõe s Pa t r im onia is D im inut iva s 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
Aum e n t a t iva s
5 .Con t r ole da a pr ova çã o do 6 .Con t r ole da e x e cuçã o do
pla ne j a m e n t o e or ça m e n t o pla ne j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.2.Fixação da Despesa: 50.000 6.2.2. Execução da Despesa: 50.000
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

Legenda: As contas marcadas foram utilizadas até a liquidação inclusive.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   86 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Estamos agora no momento após a licitação e após a entrega do
material de consumo pelo fornecedor. Assim, a UA necessita de recursos
para quitar sua obrigação junto ao fornecedor. Assim ocorrerá a seguinte
seqüência:
1) Quando da aprovação da LOA e com a publicação do decreto de
programação financeira, cada UO terá a sua disposição um recurso para
quitar sua obrigações que ultrapassaram o estágio da liquidação;
2) A UO solicita recursos ao Órgão Superior de Programação Financeira
(OSPF) do Ministério para quitar suas obrigações e de suas UA;
3) O OSPF verifica o pedido e autoriza;
4) O OSPF libera os recursos para a UA.
Observe que o pedido de programação financeira é feito tanto pela
UO ao OSPF quanto pela UA à UO. Porém, neste último caso a UO deverá
solicitar ao OSPF.
O Quadro 63 mostra as contas utilizadas pela unidade solicitante
(contas 7.2.2.2 .0 .0 0 .0 0 e 8.2.2.2 .0 .0 0 .0 0 ) e pela unidade que autoriza
e libera os recursos (contas 7.2.2.1 .0 .0 0 .0 0 e 8.2.2.1 .0 .0 0 .0 0 ).

Qu a dr o 6 3 : Desdobramentos da execução da programação financeira


7 .CON TROLES D EVED ORES 8 . CON TROLES CRED ORES
7 .2 .2 .1 .0 .0 0 .0 0 Con ce ssã o de 8 .2 .2 .1 .0 .0 0 .0 0 Ex e cu çã o de
Re cu r sos Fin a n ce ir os con ce ssã o de Re cu r sos Fin a n ce ir os
7 .2 .2 .1 .1 .0 0 .0 0 Cot a s de cor r e n t e s 8 .2 .2 .1 .1 .0 0 .0 0 Con ce ssã o de cot a s
D O ORÇAM EN TO de cor r e n t e s D O ORÇAM EN TO
7.2.2.1.2 .00.00 Cotas N ÃO decorrentes 86381744626

8.2.2.1.2 .00.00 Concessão de cotas N ÃO


D O ORÇAM EN TO decorrentes D O ORÇAM EN TO
7.2.2.1.3 .00.00 Cotas de restituição 8.2.2.1.3 .00.00 Concessão de cotas de
restituição de receitas e depósitos
7 .2 .2 .2 .0 .0 0 .0 0 Re ce bim e n t o de 8 .2 .2 .2 .0 .0 0 .0 0 Ex e cu çã o do
Re cu r sos Fin a n ce ir os r e ce bim e nt o de Re cur sos Fina nce ir os
7 .2 .2 .2 .1 .0 0 .0 0 Cot a s de cor r e n t e s 8 .2 .2 .2 .1 .0 0 .0 0 Re ce bim e n t os de
D O ORÇAM EN TO cot a s de cor r e n t e s D O ORÇAM EN TO
7.2.2.2.2 .00.00 Cotas N ÃO decorrentes 8.2.2.2.2 .00.00 Recebimentos de cotas
D O ORÇAM EN TO N ÃO decorrentes D O ORÇAM EN TO
7.2.2.2.3 .00.00 Cotas de restituição 8.2.2.2.3 .00.00 Recebimentos de cotas de
restituição de receitas e depósitos

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   87 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
A seguir, o Quadro 64 detalha as contas que utilizaremos para UO
que liberará os recursos para a UA; enquanto o Quadro 65 detalha as
contas que utilizaremos para UA que receberá os recursos para da UO.

Qu a dr o 6 4 : Detalhamento das contas 7.2.2.1 e 8.2.2.1 a serem utilizadas pela


Unidade Concedente do recurso
7 .2 .2 .1 .0 .0 0 .0 0 Con ce ssã o de 8 .2 .2 .1 .0 .0 0 .0 0 Ex e cu çã o de
Re cu r sos Fin a n ce ir os con ce ssã o de Re cu r sos Fin a n ce ir os
7.2.2.1.1.00.00 Cotas decorrentes 8.2.2.1.1.01.00 Cota indisponível
do orçamento
8.2.2.1.1.02.00 Cota a programar
8.2.2.1.1.03.00 Cota solicitada a aprovar
8.2.2.1.1.04.00 Cota solicitada aprovada a
Liberar
8.2.2.1.1.05.00 Cota solicitada aprovada
liberada
8.2.2.1.1.06.00 Cota transferida

Qu a dr o 6 5 : Detalhamento das contas 7.2.2.2 e 8.2.2.2 a serem utilizadas pela


Unidade Solicitante/Recebedora do recurso
7 .2 .2 .2 .0 .0 0 .0 0 Re ce bim e n t o de 8 .2 .2 .2 .0 .0 0 .0 0 Ex e cuçã o do
Re cu r sos Fin a n ce ir os r e ce bim e n t o de Re cu r sos Fin a n ce ir os
7.2.2.2.1.00.00 Cotas decorrentes 8.2.2.2.1.01.00 Cota indisponível
do orçamento
8.2.2.2.1.02.00 Cota a programar
86381744626

8.2.2.2.1.03.00 Cota solicitada a aprovar


8.2.2.2.1.04.00 Cota solicitada aprovada a
receber
8.2.2.2.1.05.00 Cota solicitada aprovada
recebida
8.2.2.2.1.06.00 Cota transferida

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   88 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Ainda na sequência, apresento os quatro passos e os respectivos
lançamentos desde a programação na LOA até a liberação dos recursos.

N a a pr ova çã o da pr ogr a m a çã o or ça m e n t á r ia e fin a n ce ir a – a pós


a pr ova çã o da LOA

N a solicit a çã o de r e cu r so ao órgão superior/UO após a liquidação

Le ge n da : No nosso caso específico é sub-repasse e não cota.

N a a pr ova çã o da solicit a çã o de recurso pelo órgão superior/UO

86381744626

Le ge n da : No caso específico é sub-repasse e não cota.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   89 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
N a libe r a çã o de r e cu r sos pelo órgão superior/UO

Le ge n da : No caso específico é sub-repasse e não cota.

Por fim os Quadros 66 e 67 mostram a situação na UO e na UA após


a liberação dos recursos.

86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   90 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 6 6 : Situação da UO após de movimentar recursos para a UA
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
- Caixa (F) 350.000 – 50.000 -Empréstimos a pagar (P) 400.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
-Empréstimos a pagar (P) 100.000
1.2.1.Ativo Realizável a Longo Prazo
-Dívida Ativa 100.000 (P)
1.2.3. Imobilizado
-Imóveis (P) 250.000
*Depreciação acumulada (25.000)
-Instalações (P) 200.000
2.3. Patrimônio Líquido: 500.000
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
3.1. Pessoal e encargos 4.1. Impostos, taxas e contribuições
-Remuneração a pessoal 250.000 de melhoria 300.000
3.3. Uso de bens, serviços e consumo 4.3. Exploração e venda de bens,
de capital fixo serviços e direitos 200.000
-Consumo de material 100.000
-Depreciação 25.000
3.4.Variações patrimoniais diminutivas
financeiras 200.000
3.5. Transferências concedidas
-Sub-repasse concedido 50.000
3.6.Desvalorização e perda de ativos
- Perdas involuntárias: 50.000
5 .Con t r ole da a pr ov a çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
86381744626

5.2.1.Previsão da receita: 1.000.000 6.2.1. Execução da Receita 1.000.000


5.2.2.Fixação da Despesa: 1.000.000 6.2.2. Execução da Despesa:
1.000.000
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   91 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 6 7 : Situação da UA após de receber recursos da UO
1.1.Ativo Circulante: 2.1. Passivo Circulante
-Caixa: 50.000 -Fornecedores (F): 50.000
-Material de Consumo: 50.000
1.2.Ativo não circulante 2.2. Passivo Não Circulante:
2.3. Patrimônio Líquido
3 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is 4 .Va r ia çõe s Pa t r im on ia is
D im in u t iva s Au m e n t a t iva s
4.5. Transferências recebidas
-Sub-repasse recebido
5 .Con t r ole da a pr ov a çã o do 6 .Con t r ole da e x e cu çã o do
pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o pla n e j a m e n t o e or ça m e n t o
5.2.2.Fixação da Despesa: 50.000 6.2.2. Execução da Despesa: 50.000
7 . Con t r ole de de ve dor e s 8 . Con t r ole de cr e dor e s
Legenda: As contas marcadas foram utilizadas até a liquidação inclusive.

Va m os fa ze r m a is u m a qu e st ã o.

8 .(CESPE/2010/ABIN/Contador/Adaptada) Caso uma unidade gestora


solicite recursos ao respectivo órgão setorial de programação financeira,
o lançamento da solicitação na unidade gestora deverá ser feito a débito
da conta de sub-repasse a aprovar.
86381744626

COM EN TÁRI O À QUESTÃO.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   92 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
8 .(CESPE/2010/ABIN/Contador/Adaptada) Caso uma unidade gestora
solicite recursos ao respectivo órgão setorial de programação financeira,
o lançamento da solicitação na unidade gestora deverá ser feito a dé bit o
da con t a de su b- r e pa sse a a pr ova r .
ERRAD O, o lançamento na unidade gestora solicitante deve ser débito
n a con t a de sub- r e pa sse pr ogr a m a do e cr é dit o n a con t a su b-
r e pa sse solicit a do a a pr ova r .

86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   93 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
3 . D EM AI S ATOS E FATOS ( LAN ÇAM EN TOS I N D I VI D UALI ZAD OS)
Pessoal, a seguir apresento outros lançamentos eventualmente
podem ser cobrados em provas.
3 .1 . Re con h e cim e n t o da va lor iza çã o de be n s
Apresento o lançamento que deve ser efetuado quando da
reavaliação de bens. Utilizei no caso os bens imóveis.

3 .2 . Re st os a pa ga r n ã o pr oce ssa dos


a)Na Inscrição em 31/12/X0 (pode ser até 05/01/X1)

b) Movimentação subsequente para as contas de execução em 01/01/X1


(ou 06/01/X1)

86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   94 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
c) Liquidação de Restos a Pagar não Processados concomitante à
prestação do serviço vinculada a contrato

d)No pagamento

3 .3 . Re st os a pa ga r pr oce ssa dos


a)Na Inscrição em 31/12/X0 (pode ser até 05/01/X1)

86381744626

b) Movimentação subsequente para as contas de execução em 01/01/X1


(ou 06/01/X1)

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   95 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
c)No pagamento

3 .4 . Supr im e n t o de Fu n dos - Adia n t a m e n t os


a) Execução Orçamentária

86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   96 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07

b)Registro da Responsabilidade do agente suprido

c.)Aplicação parcial de valores (ca so t e n h a h a vido a a plica çã o t ot a l, ir


dir e t o pa r a a pr e st a çã o de con t a s)
c.1)Devolução de valores aplicados mesmo exercício da concessão 
a n u la çã o de de spe sa e r e com põe o cr é dit o dispon íve l.

86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   97 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07

c.2)Devolução de valores aplicados exercício seguinte  r e ce it a


or ça m e n t á r ia

d) Baixa do Ativo e baixa da responsabilidade


86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   98 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
4 . RELAÇÃO EN TRE PASSI VO EXI GÍ VEL E AS ETAPAS D A EXECUÇÃO ORÇAM EN TÁRI A
Eve n t o I m pa ct o n o
Sit u a çã o Ut iliza çã o
Re la cion a do Pa ssíve l Ex igíve l
No Empenho: A
obrigação antes
No M OM EN TO D O EM PEN H O haverá registrada com letra
FG ocorreu antes do empenho. A
simultaneamente, a transferência de “P” passa a ser
obrigação já está registrada no
saldo da conta “Cr é dit o Or ça m e n t á r io registrada com a
patrimônio em uma conta
D ispon íve l” para conta “Cr é dit o letra “F”.
permanente (não financeira). 08, 09 e 10
Em pe n h a do a Liqu ida r ” e da conta
Exemplos: juros a pagar, Na Liquidação:
“Cr é dit o Em pe n h a do a Liqu ida r ” para
empréstimos a pagar, provisões nenhum.
a conta “Cr é dit o Em pe n h a do e m
de 13º salário.
Liqu ida çã o”. No pagamento:
baixa da obrigação
coma letra “F”.
No Empenho:
nenhum.
Nota Fiscal: registro
A transferência de Saldo da conta
FG ocorre após o empenho e de obrigação com a
“Cr é dit o Em pe n h a do a Liqu ida r ” para
antes da liquidação. Exemplos: letra “F” no passivo.
a conta “Cr é dit o Em pe n h a do e m 12
entrega da nota fiscal de material Na Liquidação:
Liqu ida çã o” acontecerá de forma
fornecido ou serviço prestado. nenhum.
I SOLAD A.
No pagamento:
baixa da obrigação
coma letra “F”.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   99 de 143
86381744626

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
No Empenho:
nenhum.
FG ocorre simultaneamente à Na Liquidação:
liquidação. Exemplo: data de registro de
Não é necessária a passagem pela conta
entrega da nota fiscal e do 11 obrigação com a
“Cr é dit o Em pe n h a do e m Liqu ida çã o”.
material/serviço ocorre de forma letra “F” no passivo.
simultânea. No pagamento:
baixa da obrigação
coma letra “F”.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   100 de 143
86381744626

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
5. LAN ÇAM EN TOS DE EN CERRAM EN TO DO EXERCÍ CI O
FI N AN CEI RO: PROCED I M EN TOS N O PLAN O D E CON TAS APLI CAD O
AO SETOR PÚBLI CO ( PLAN O N OV O)
O encerramento do exercício contábil implica em alguns
procedimentos específicos que devem ser adotados por todos os Entes da
Federação. Dessa forma, com o intuito de orientar os diversos órgãos e
entidades do Setor Público, a STN definiu, de forma ilustrativa, alguns
parâmetros que visam à eficiência desse processo.
Inicialmente, apesar de não ser obrigatório, é pr u de n t e
e st a be le ce r e m a t o r e gu la m e n t a r pr ópr io cr on ogr a m a com da t a s
lim it e s pa r a a e x e cu çã o or ça m e n t á r ia , conforme especificidades dos
atos e fatos da gestão. Tal procedimento contribui substancialmente para
um adequado controle, acompanhamento e registro contábil tempestivo.
No exemplo da União, o órgão central de contabilidade estabelece
um cronograma que deve ser seguido pelas setoriais contábeis, que por
sua vez, definem datas limites, para suas respectivas unidades
vinculadas, em conformidade com aquelas definidas pelo órgão central.
Dessa forma, tanto o órgão central quanto as setoriais contábeis
conseguem acompanhar adequadamente os procedimentos de
encerramento de exercício.
O Quadro abaixo mostra alguns dos fatos e sugestões de prazos que
podem constar no regulamento do encerramento de exercício 3 .

86381744626

 MCASP Parte IV (2011). 
3

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   101 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 9 : Processos a serem desenvolvidos no encerramento do
exercício (sugestões MCASP Parte IV/2011)
Pr a zo
Nr Pr oce sso
Est im a do
Prestação de contas dos adiantamentos concedidos a
título de suprimentos de fundos. É importante limitar o
1 prazo para prestação de contas, pois é com base nela Dia 15/dez.
que é feita a classificação e anulação adequada da
despesa.
Vedação para emissão de nota de empenho, exceto

aquelas relacionadas às despesas obrigatórias, a


2 Dia 21/dez.
exemplo das transferências constitucionais, quando

feitas por despesa.

Fechamento das unidades responsáveis pela gestão

orçamentária e financeira. Tal processo pode ser

estruturado por etapas, ou seja, primeiramente as

3 unidades vinculadas a um órgão setorial, Dia 31/dez.

posteriormente o fechamento do órgão setorial e, por

fim, o encerramento da gestão com todas as unidades,

inclusive o órgão central.

Inscrição em Restos a Pagar. Este processo pode ser


86381744626

realizado excepcionalmente após o dia 31/dez, dentro

do prazo de ajustes contábeis, com data retroativa, de

forma a possibilitar uma análise adequada dos restos a


4 Dia 05/jan.
pagar a serem inscritos, sendo possível após o dia

31/dez realizar apenas anulação de empenho. Para

adotar tal modelo, é importante observar as normas

específicas de cada ente.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   102 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Transposição de saldos para o próximo exercício. Tal
rotina visa preparar o sistema para a execução
orçamentária, financeira e patrimonial no exercício
seguinte. Entretanto, alguns ajustes contábeis são
5 realizados após esta data, com data retroativa, Dia 31/dez.
ocorrendo a atualização automática dos saldos
transportados. Tal processo deve ser adequado à
realidade do Ente, considerando o sistema
informatizado utilizado.
Ajustes contábeis, a exemplo de valor de dívida
registrada, valores de ativo, depreciação e demais fatos De 01/jan a
6
relevantes. Ressalva-se que como ajustes não estão 07/dez.
compreendidos fatos de execução orçamentária.
7 Apuração do resultado de exercício Dia 08/dez.
Apropriação das reservas que compõem o Patrimônio
8 Dia 09/dez.
Líquido.

Em relação às contas de natureza patrimonial, ressalva-se a


n e ce ssida de de e n ce r r a r t oda s a s con t a s da s cla sse s 3 e 4 , relativas
às variações patrimoniais aumentativas e diminutivas. Tais contas devem
ser encerradas em contrapartida a conta de resultado patrimonial do
exercício, vin cu la da a con t a 2 .3 .7 .0 .0 .0 0 .0 0 ( r e su lt a dos
86381744626

a cu m u la dos) .
Quanto aos lançamentos contábeis típicos de encerramento de
exercício, uma atenção especial deve ser dada a s cla sse s 5 e 6 , de
natureza de informação orçamentária, pois u m a boa pa r t e de ssa s
con t a s n ã o t r a n sfe r e sa ldo pa r a o e x e r cício se gu in t e , de ve n do se r
e n ce r r a da s.
Com o intuito de facilitar a operacionalização, a tabela abaixo indica
as contas que poderão transferir saldos das classes 5 e 6.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   103 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Qu a dr o 1 0 : Contas das classes 5 e 6 que n ã o sã o ze r a da s ao final do
exercício (sugestões MCASP Parte IV/2011)
Código da
Tít u lo Fu n çã o
con t a
Compreende o somatório dos
valores monetários previstos para
a execução dos programas e ações
5.1.1.0.0.00.00 PPA - APROVADO
(projetos, atividades e operações
especiais) estabelecidos no plano
plurianual.
Registra o valor de restos a pagar
RP NÃO
não processados relativo a
PROCESSADOS -
exercícios anteriores que não
5.3.1.2.0.00.00 EXERCÍCIOS
foram cancelados porque tiveram
ANTERIORES
seu prazo de validade prorrogado.

Registra o valor das despesas


RP NÃO empenhadas inscritas no exercício
PROCESSADOS - como restos a pagar não
5.3.1.7.0.00.00 INSCRIÇÃO NO processados, a ser transferido no
EXERCÍCIO exercício seguinte para a conta
531100000.

Registra os valores de restos a


86381744626

RP PROCESSADOS pagar processados relativos às


5.3.2.2.0.00.00 - EXERCÍCIOS despesas empenhadas, liquidadas
ANTERIORES e não pagas no exercício
financeiro subsequente.
Registra o valor das despesas
RP PROCESSADOS empenhadas inscritas no exercício
5.3.2.7.0.00.00 - INSCRIÇÃO NO como restos a pagar processados,
EXERCÍCIO a ser transferido no exercício
seguinte para a conta 532100000.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   104 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Compreende o somatório dos
valores Monetários relativos à
execução dos programas e ações
EXECUÇÃO DO PPA
6.1.1.0.0.00.00 (projetos, atividades e operações
especiais) estabelecidos no plano
plurianual.

RP NÃO
Registra o valor dos RP não-
PROCESSADOS A
6.3.1.1.0.00.00 processados ainda não liquidados.
LIQUIDAR

RP NÃO
Registra o valor dos RP não-
PROCESSADOS EM
6.3.1.2.0.00.00 processados ainda não liquidados
LIQUIDAÇÃO
cujo fato gerador já ocorreu.

RP NÃO
Registra o valor dos RP não-
PROCESSADOS
6.3.1.3.0.00.00 processados, liquidados apos sua
LIQUIDADOS A
inscrição e ainda não pagos.
PAGAR
RP NÃO
Registra o valor de restos a pagar
PROCESSADOS A
6.3.1.5.0.00.00 não processados a liquidar,
LIQUIDAR
bloqueado por decreto.
BLOQUEADOS
Registra o valor das despesas
RP NÃO empenhadas inscritas no exercício
PROCESSADOS - 86381744626

como restos a pagar não


6.3.1.7.0.00.00
INSCRIÇÃO NO processados, a ser transferido no
EXERCÍCIO exercício seguinte para a conta
631100000 e 631200000.
RP PROCESSADOS Registra o valor dos RP
6.3.2.1.0.00.00
A PAGAR processados e não pagos.
Registra o valor das despesas
RP PROCESSADOS empenhadas inscritas no exercício
6.3.2.7.0.00.00 - INSCRIÇÃO NO como restos a pagar processados,
EXERCÍCIO a ser transferido no exercício
seguinte para a conta 632100000.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   105 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
6 . D I CAS FI N AI S
6 .1 . Eve n t os e su bsist e m a s de con t a s
A primeira dica que apresento relaciona os eventos e os
subsistemas envolvidos.
Eve n t o Su bsist e m a s de Con t a s
e n volvidos
Receita/Despesa efetiva SP, SO e SC
Receita/Despesa não efetiva SP, SO e SC
Ato administrativo orçamentário SO
Ato administrativo extra-
SC
orçamentário
Fatos financeiros extra-
SP +
orçamentários
Fato não financeiro extra-
SP +
orçamentário
Contratos SC + ...
Convênios SC + ...
Le ge n da : SO – Subsistema Orçamentário, SP – Subsistema Patrimonial, SC –
Subsistema de Compensação.

Assim reforço que quando se realiza uma licitação para aquisição de


computadores necessariamente se utilizará o subsistema de compensação
no ato de assinatura do contrato. Na seqüência, por se tratar de uma
despesa não efetiva se utilizará os subsistemas orçamentário, financeiro e
86381744626

patrimonial.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   106 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
6 .2 . Sim ila r ida de s e n t r e os e ve n t os de st a a u la e ou t r os pa ssíve is
de se r e m cobr a dos e m pr ova
Pessoal por fim, apresento outros eventos sobre os quais podem se
aplicar a mesma lógica aqui evidenciada.

Eve n t o
Folh a Eve n t os se m e lh a n t e s
da a u la
01 4 Abertura de créditos adicionais.
02 9 Destaque.
03 15 Arrecadação de taxas, contribuições de melhoria, receitas de
04 21 serviços, receitas agropecuária, receitas industriais.

05 24 -
06 29 Alienação de bens móveis; arrecadação da amortização de
07 34 empréstimos; recebimento da dívida ativa.
Qualquer empenho de qualquer de despesa que haja uma
08 39 obrigação carimbada com “P” (provisão de 13º salário,
precatórios)
Qualquer liquidação cuja obrigação já esteja carimbada com
09 46
a letra “F”.
Qualquer pagamento de qualquer despesa que cuja
10 47
obrigação já esteja carimbada com a letra “F”.
11 50 Despesas cujo fato gerador coincida com a liquidação.
12 55 Despesa com aquisição de veículos, despesa com aquisição
de equipamentos em que a nota fiscal e o produto sejam
13 60
entregues após o empenho e antes da liquidação.
86381744626

14 65 -
15 69 -
16 74
Morte de semovente.
17 76
Registro e execução de quaisquer contratos. Os convênios
18 79
possuem agora um controle mais detalhado que este.
19 82 Amortização, Exaustão.
20 85 Sub-repasse

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   107 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
7 . LI STA D AS QUESTÕES COM EN TAD AS
N ã o e x ist e m qu e st õe s da FUN RI O sobr e os la n ça m e n t os n o
n ovo pla n o de con t a s.
1. (FCC/TCE-PR/2012/Analista de Controle Área Contábil) O orçamento de
determinada Entidade Pública foi aprovado com os seguintes valores
referentes às receitas e despesas orçamentárias:

Sob a ótica do Plano de Contas Aplicado ao Setor Público, o registro


contábil da previsão das receitas deve ser realizado mediante débito e
crédito, respectivamente, nas contas
(A) Receita a Realizar e Previsão Inicial da Receita.
(B) Previsão inicial da Receita e Receita a Realizar.
(C) Previsão Inicial da Receita e Receita a Receber.
(D) Receita a Receber e Previsão Inicial da Receita.
(E) Receita a Receber e Receita a Realizar.
Conforme vimos no evento 1, a opçã o cor r e t a é a le t r a B

(Cespe/EBC/2011/Contador) Com relação a registros contábeis, julgue os


itens a seguir. 86381744626

2. O registro contábil da assinatura de um contrato de serviço deve ser


realizado em contas contábeis do subsistema de compensação.
CERTO, conforme vimos no evento 18.

3. Para o registro da receita prevista na lei orçamentária anual (LOA),


devem ser utilizadas contas contábeis do subsistema de contas
orçamentário.
CERTO, conforme vimos no evento 1.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   108 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
4. (UFSC/2011/Contador) Leia as informações abaixo. Na contabilidade
pública, conforme orientada pelo MCASP, parte II, PCP, deve-se registrar
o empenho e a liquidação da despesa. Num exemplo apresenta
lançamentos contábeis para o caso de aquisição de um veículo,
constando, dentre eles:

Assinale a alternativa CORRETA que contém a descrição da quantidade de


contas e o pertencimento nos subsistemas contábeis [MCASP, parte IV,
86381744626

PCASP] envolvidos no registro do fato contábil em referência.


a) Os lançamentos um e dois registram o empenho e pertencem,
respectivamente, à classe de contas a pr ova çã o do pla n e j a m e n t o e
or ça m e n t o e à classe de con t a s con t r ole s de ve dor e s.
ERRAD O, os lançamentos um e dois registram o empenho e pertencem,
respectivamente, à cla sse de con t a s e x e cu çã o do pla n e j a m e n t o
( cla sse 6 ) e orçamento, e à cla sse de con t a s con t r ole s cr e dor e s
( cla sse 8 ) .

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   109 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
b) Os lançamentos um e dois registram o empenho e pertencem,
respectivamente, à classe de contas execução do planejamento e
orçamento, e à classe de contas controles credores.
CERTO.
c) São quatro os lançamentos que registram o empenho: dois pertencem
à classe de contas aprovação do planejamento e orçamento; dois
pertencem à classe de contas controles devedores.
ERRAD O, apenas os lançamentos 1 e 2 se referem ao empenho. Os
lançamentos 3 e 4 correspondem ao momento de entrega da nota fiscal e
veículo. E os la n ça m e n t os 5 e 6 a o m om e n t o da liqu ida çã o. A meu
ver este enunciado cometeu um erro: deveria ter usado fornecedores ao
invés de financiamento a curto prazo.
d) Os lançamentos quatro e cinco registram a liquidação e pertencem,
respectivamente, à classe de contas aprovação do planejamento e
orçamento, e à classe de contas execução do planejamento e orçamento.
ERRAD O, não vou entrar nem na questão do lançamento 4 se referir a
entrega da nota fiscal, pois poderia haver algum questionamento. Porém,
existe um erro crasso, pois a m bos os la n ça m e nt os ocor r e m n a cla sse
de con t a s e x e cu çã o do pla n e j a m e nt o e or ça m e n t o.
e) São quatro os lançamentos que registram a liquidação: dois pertencem
à classe de contas aprovação do planejamento e orçamento; dois
pertencem à classe de contas execução do planejamento e orçamento.
ERRAD O, o lançamento 3 pertence a Classe 2 Passivo, os lançamento 4 e
86381744626

5 à classe 6 (de contas execução do planejamento e orçamento), e o


lançamento 8 à classe 7 (controle de devedores).

5. (UFSC/2011/Contador) Na contabilidade pública, conforme orientada


pelo MCASP, parte I, PCO, deve-se registrar a aprovação do planejamento
e orçamento. No exemplo aqui apresentado para lançamentos contábeis,
o objetivo é registrar a aprovação da despesa fixada numa LOA.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   110 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07

Assinale a alternativa CORRETA.


a) O lançamento é correto porque a conta debitada identifica
corretamente o fato contábil e suas respectivas contrapartidas.
b) O lançamento é errado, pois registrou o empenho e não fixação da
despesa na LOA.
c) O lançamento é correto porque a liquidação da despesa ocorre na
aprovação, independentemente da contrapartida.
d) O lançamento é errado porque nenhuma das contas pertence ao
subsistema orçamentário.
e) O lançamento é correto porque a operação descrita é do nível de
execução orçamentária.
Con for m e vim os n os e ve n t os 1 e 8 , a opçã o cor r e t a é a le t r a B.

6. (UFSC/2011/Contador) Leia a informação abaixo. A respeito das


Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público tem-se a
Norma 16.2, Resolução CFC 1129, de 2008, que estabeleceu cinco
subsistemas para o sistema contábil: orçamentário, financeiro,
patrimonial, custos e compensação. Posteriormente, a Resolução CFC
1268, de 2009, reduziu para quatro subsistemas. Assinale a alternativa
CORRETA que apresenta a modificação de que trata esta questão.
86381744626

a) Permaneceram os subsistemas orçamentário, patrimonial, financeiro e


compensação e o subsistema custos foi absorvido pelo subsistema
patrimonial.
b) O subsistema compensação foi absorvido pelo subsistema orçamentário
e foram mantidos os subsistemas orçamentário, financeiro, patrimonial e
custos.
c) Foram mantidos os subsistemas orçamentário, financeiro, custos e
compensação e o subsistema patrimonial foi absorvido pelo subsistema
financeiro.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   111 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
d) O subsistema financeiro foi absorvido pelo subsistema patrimonial e
foram mantidos os subsistemas orçamentário, patrimonial, custos e
compensação.
e) O subsistema custos foi absorvido pelo subsistema compensação e
foram mantidos os subsistemas orçamentário, patrimonial e
compensação.
Conforme vimos nessa aula e nas aulas anteriores a opção correta é a
le t r a D .
7. (UFSC/2011/Contador) Na contabilidade pública, conforme orientada
pelo MCASP, parte IV, PCASP, tem-se um subsistema que registra,
processa e evidencia os fatos financeiros e não financeiros relacionados
com as variações do patrimônio público, subsidiando a administração com
informações tais como:
I. alterações nos elementos patrimoniais;
II. resultado econômico; e
III. resultado nominal.
Assinale a alternativa que apresenta a CORRETA denominação desse
subsistema.
a) Subsistema de informações patrimoniais.
b) Subsistema de informações de compensação.
c) Subsistema de informações de custos.
d) Subsistema de informações orçamentárias.
e) Subsistema de informações primárias. 86381744626

Conforme vimos nessa aula e nas duas anteriores a opção correta é a


le t r a A.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   112 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
8. (FCC/TRT 4ª Região/2011/Contador) De acordo com as normas
brasileiras de contabilidade aplicáveis ao setor público, o sistema de
informação contábil é dividido em quatro subsistemas, entre eles o de
compensação. São contas contábeis pertencentes a este subsistema
a) direitos conveniados e clientes.
ERRAD O, a conta clientes é do subsistema patrimonial.
b) dívida ativa tributária e restos a pagar processados pagos.
ERRAD O, a primeira conta é do subsistema patrimonial e a segunda do
subsistema orçamentário.
c) receita a realizar e garantias e contra garantias recebidas.
ERRAD O, a primeira conta é do subsistema orçamentário.
d) crédito a encaminhar para dívida ativa e direitos contratuais.
CERTO.
e) revisão do PPA e controles de DARFs.
ERRAD O, a primeira conta é do subsistema orçamentário.

9. (FCC/TCE-RO/2011/Auditor) De acordo com a Portaria STN nº 751/09,


a previsão da receita orçamentária gera lançamento contábil de débito em
a) Receita a Realizar e crédito em Previsão Inicial da Receita, no
Subsistema de Informações de Compensação.
b) Receita a Realizar e crédito em Previsão Inicial da Receita, no
Subsistema de Informações Orçamentárias.
c) Previsão Inicial da Receita e crédito em Receita a Realizar, no
86381744626

Subsistema de Informações de Compensação.


d) Previsão Inicial da Receita e crédito em Receita a Realizar, no
Subsistema de Informações Orçamentárias.
e) Créditos a Receber, no Subsistema de Informações Patrimoniais, e
crédito em Previsão Inicial da Receita, no Subsistema de Informações
Orçamentárias.
Conforme vimos no evento 1, a opçã o cor r e t a é a le t r a D .

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   113 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
10. (Consulplan/TSE/2012) Conforme as Normas Brasileiras de
Contabilidade Aplicada ao Setor Público – NBCASP, o subsistema de
informações orçamentárias registra, processa e evidencia os atos e os
fatos relacionados ao planejamento e à execução orçamentária. Assinale
a alternativa que apresenta corretamente o lançamento contábil que
registra a liquidação de uma despesa referente à aquisição de material de
consumo.

86381744626

COM EN TÁRI O À QUESTÃO


A única opção em que é respeitada a regra quanto às naturezas das
informações é a opçã o C.
Obse r ve qu e n ã o foi n e ce ssá r io n e m sa be r o n om e da s con t a s.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   114 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
11. (Cespe/TJ-PI/2012/Analista Judiciário) Uma transação que resulta em
lançamento contábil APENAS no Subsistema de Informações Patrimoniais
é
a) o encaminhamento de créditos para a dívida ativa.
ERRAD O, utiliza o subsistema de compensação. Veremos isso com mais
detalhes nas aulas seguintes.
b) a inscrição de restos a pagar processados.
ERRAD O, utiliza o subsistema orçamentário.
c) a aprovação das contas de convênios.
ERRAD O, utiliza os subsistemas de compensação e patrimonial.
d) a liquidação de despesas com a aquisição de veículos.
ERRAD O, utiliza pelo menos o subsistema de compensação e
orçamentário.
e) a utilização de material de consumo.
CERTO.

12. (CEPERJ/SEFAZ-RJ/2012/Analista de Controle Interno) Um


determinado estado da federação, no início do exercício financeiro de
2011, implantou, no seu sistema contábil, o novo plano de contas aplicado
ao setor público. Durante o exercício, por ocasião da execução das
despesas, no estágio da liquidação, o lançamento correspondente
efetuado, tendo em vista somente a natureza da informação
orçamentária, foi o seguinte: 86381744626

a) D: Crédito Disponível
C: Crédito Empenhado a Liquidar
b) D: Crédito Empenhado Liquidado
C: Fornecedores Nacionais a Curto Prazo
c) D: Crédito Empenhado Liquidado a Pagar
C: Crédito Empenhado a Liquidar
d) D: Crédito Empenhado a Liquidar
C: Crédito Empenhado Liquidado a Pagar

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   115 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
e) D: Crédito Empenhado Liquidado a Pagar
C: Crédito Disponível
Quando da liquidação, o lançamento no subsistema orçamentário
necessariamente tem como crédito a conta Crédito Empenhado Liquidado
a Pagar. Logo a opçã o cor r e t a é a a lt e r n a t iva D .

13. (CEPERJ/SEFAZ-RJ/2012/Analista de Controle Interno) Um


determinado estado da federação, já adotando todas as instruções
preconizadas no Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público e com
base na sua Lei Orçamentária Anual, deu início à execução de uma
despesa, referente à contratação de um serviço prestado por pessoa
jurídica, não tendo sido necessário realizar o respectivo processo
licitatório. Para início da execução da respectiva despesa, foi realizado
registro nas contas dos seguintes subsistemas de informação:
a) orçamentário e financeiro
b) patrimonial e de custos
c) compensado e patrimonial
d) orçamentário e compensado
e) patrimonial e orçamentário
N ã o e x ist e m a is o su bsist e m a fin a n ce ir o, e n ã o h á la n ça m e n t o n o
su bsist e m a de cu st os. Logo sã o e lim in a da s a opçõe s A e B. O
e m pe n h o ( in ício da de spe sa ) n e sse ca so a pós a a ssin a t u r a do
con t r a t o, u t iliza a pe n a s os su bsist e m a or ça m e n t á r io e
86381744626

com pe n sa do. Logo a opçã o cor r e t a é a a lt e r n a t iva D .

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   116 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
14. (FBC/Câmara Municipal de Itaboraí/2011/Contador) Na Contabilidade
Pública, a compra de equipamentos e materiais permanentes constitui um
(a)
a) despesa de capital que provoca redução na situação liquida
patrimonial.
b) operação de natureza extra-orçamentária que não modifica a situação
líquida patrimonial.
c) despesa corrente que não altera o patrimônio público.
d) fato permutativo que não modifica a situação líquida patrimonial.
e) fato modificativo diminutivo proveniente de uma despesa corrente.
Aqu isiçã o de m a t e r ia is pe r m a n e n t e é : ( i) e m r e gr a u m a de spe sa
de ca pit a l e ( ii) se m pr e se r á fa t o pe r m u t a t ivo. Logo a opçã o
cor r e t a é a a lt e r n a t iva D .

15. (FBC/Câmara Municipal de Itaboraí/2012/Contador) Considerando


seus reflexos no patrimônio público, é correto afirmar que constituem
transações públicas de natureza econômico-financeira e de natureza
administrativa, respectivamente:
a) convênios firmados e bens recebidos em doação.
ERRAD O. Tem-se um ato e um fato.
b) comodato de bens e arrecadação de impostos.
ERRAD O. Tem-se um ato e um fato.
c) pagamento de despesa com pessoal e contratos firmados.
86381744626

CERTO. Tem-se um fato e um ato.


d) fianças e inscrição na dívida ativa.
ERRAD O. Tem-se um fato e um fato.
e) pagamentos de encargos sociais e bens recebidos em doação.
ERRAD O. Tem-se um fato e um fato.
Obse r va çã o pa r a se r um a t r a n sa çã o t r a n sa çõe s pú blica s de
n a t u r e za e con ôm ico- fin a n ce ir a de ve se r fa t o e pa r a se r u m a
t r a n sa çã o de n a t u r e za a dm in ist r a t iva de ve se r u m a t o.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   117 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
16. (FBC/Câmara Municipal de Itaboraí/2011/Contador) O pagamento de
pessoal e encargos sociais representam despesa
a) de transferência de capital e efetiva.
b) de inversão financeira e resultante do orçamento.
c) corrente e resultante do orçamento.
d) independente da execução orçamentária e não efetiva.
e) de capital com caráter extra-orçamentário.
Con for m e vim os n a a u la é u m a de spe sa cor r e n t e e fe t iva . Logo a
opçã o cor r e t a é a a lt e r n a t iva C.

(Cespe/Ministério da Saúde/2009/Contador) Considerando que os fatos


contábeis mais comuns na gestão pública têm uma forma padronizada de
contabilização, julgue os itens seguintes.
17. Se um crédito adicional for aprovado, acrescentando a previsão de
receitas decorrentes de operações de crédito a determinada dotação,
então o registro desse fato deve envolver os subsistemas de informações
orçamentárias e fin a n ce ir a s.
ERRAD O. A aprovação da LOA ou a abertura de créditos adicionais
u t iliza a pe n a s o su bsist e m a or ça m e n t á r io.

18. Quando o saldo remanescente de um crédito extraordinário é


encerrado, deve-se cr e dit a r a con t a de cr é dit os dispon íve is e de bit a r
a con t a de cr é dit os e x t r a or din á r ios.
86381744626

ERRAD O. Se n a a be r t u r a se r ia :
D é bit o: 5 .2 . Cr é dit os Ex t r a or din á r ios e 6 .2 Cr é dit o D ispon íve l. N o
e n ce r r a m e n t o se r ia o in ve r so.

19. No encerramento do exercício, a conta de despesas liquidadas a pagar


não deve apresentar saldo devedor nem credor.
CERTO. As contas do grupo 6.2 devem ser zeradas, ou seja, sem saldo
(nem credor, nem devedor).

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   118 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
20. (Dom Cintra/2012/Prefeitura de BH/ Analista de Políticas Públicas) Um
determinado município realizou, no exercício financeiro de 2011, a
restituição de uma parcela de depósitos de terceiros discriminada no
passivo circulante do seu balanço de 2010. Com base nas novas normas
aplicadas ao setor público, o lançamento contábil dessa operação foi
realizado, utilizando as contas classificadas nos seguintes subsistemas de
informações:
A) orçamentário e compensado
B) orçamentário e patrimonial
C) orçamentário e de custos
D) patrimonial e compensado
E) patrimonial e de custos
O lançamento da restituição de terceiros seria esse quanto da
retenção/consignação.

86381744626

E quando do pagamento seria este.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   119 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07

Logo, a opção correta é a a lt e r n a t iva D .

21. (Dom Cintra/2012/Prefeitura de BH/ Analista de Políticas Públicas) No


início de cada exercício financeiro, a previsão da receita e a fixação da
despesa, constantes na Lei Orçamentária Anual, serão contabilizadas com
base na estrutura do PCASP, utilizando as contas específicas, classificadas
e indicadas nas seguintes classes e grupos:
A) 5.1 e 6.1
B) 5.2 e 6.2
C) 5.3 e 5.4
D) 6.1 e 4.2
E) 6.2 e 5.3
Conforme vimos na aula de lançamentos a previsão da receita e fixação
da despesa utilizam con t a s dos gr u pos 5 .2 e 6 .2 .
86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   120 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
22. (Dom Cintra/2012/Prefeitura de BH/ Analista de Políticas Públicas)
Das operações abaixo, realizadas por uma determinada prefeitura no
exercício financeiro, aquela que, com base na nova estrutura do PCASP,
irá ocasionar lançamentos em contas, cuja natureza de informação
considera-se patrimonial e de controle, é:
A) dotação inicial de despesa
ERRAD O, utiliza apenas informações orçamentárias.
B) pagamento de aquisição de computadores
CERTO, utiliza informações patrimoniais, orçamentária e de controle.
C) liquidação de serviços de terceiros por contrato
ERRAD O, há casos em que a liquidação utiliza apenas informações
orçamentárias e de controle.
D) incorporação de bens imóveis doados por terceiros
ERRAD O, utiliza apenas informações patrimoniais.
E) assinatura de contrato referente à construção de uma escola
ERRAD O, utiliza apenas informações de controle.
23. (Dom Cintra/2012/Prefeitura de BH/ Analista de Políticas Públicas) No
início do exercício de 2012, a Prefeitura do Município ABC realizou um
processo licitatório para a aquisição de computadores. Após a assinatura e
registro do contrato administrativo, deu início à execução da despesa.
Nessa fase inicial, foi realizado o lançamento correspondente, utilizando
concomitantemente, de acordo com a NBCASP, contas pertencentes aos
seguintes subsistemas de informações: 86381744626

A) patrimoniais e de custos
B) orçamentários e financeiros
C) orçamentários e patrimoniais
D) de compensação e de custos
E) orçamentários e de compensação
Ao a ssin a r o con t r a t o n e ce ssa r ia m e n t e foi u t iliza do o su bsist e m a
de com pe n sa çã o. Ao se e x e cu t a r a de spe sa ( e m pe n h a r )
n e ce ssa r ia m e n t e se u t ilizou o su bsist e m a or ça m e n t á r io e de
com pe n sa çã o.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   121 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
24. (Dom Cintra/2012/Prefeitura de BH/ Analista Fazendário) Em
31/12/2011, uma determinada prefeitura, após verificar que seriam
cumpridas as condições estabelecidas para a entrega do material, efetuou
a inscrição da despesa orçamentária em Restos a Pagar não Processados.
Posteriormente, em 20/02/2012, após a conclusão do processo de
aquisição, foi efetuado o referido pagamento. A prefeitura, para o
lançamento contábil referente a esse pagamento, sob o enfoque da
informação orçamentária, utilizou para o débito e o crédito,
respectivamente, as contas classificadas nas seguintes classes e grupos
do PCASP:
A) 5.3 e 6.3
B) 6.2 e 6.3
C) 6.3 e 6.3
D) 7.3 e 8.3
E) 8.2 e 8.2
Sa be n do qu e os r e st os a pa ga r e st ã o r e gist r a dos n os gr u pos 5 .3 e
6 .3 e da n ossa dica qu e o pa ga m e n t o de Re st os a Pa ga r u t iliza
a pe n a s con t a s de cla sse s pa r e s, a opçã o cor r e t a é a a lt e r n a t iva C.

25. (Dom Cintra/2012/Prefeitura de BH/ Analista Fazendário) No exercício


financeiro vigente, uma unidade orçamentária recebeu de outro órgão
federal, por descentralização, uma parcela de crédito orçamentário, para
atendimento a um programa na área de educação. Considerando, as
86381744626

novas normas e procedimentos de contabilidade para o setor público, o


lançamento contábil realizado, com contas do subsistema de informações
orçamentárias, de acordo com o PCASP, foi:
A) D: Crédito Disponível
C: Crédito Adicional Suplementar
B) D: Dotação Orçamentária Inicial
C: Crédito Disponível
C) D: Crédito Disponível
C: Movimentação de Créditos Recebidos – Repasse

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   122 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
D) D: Movimentação de Créditos Recebidos – Provisão
C: Crédito Disponível
E) D: Movimentação de Créditos Recebidos - Destaque
C: Crédito Disponível
Vim os n o e ve n t o 2 qu e a opçã o cor r e t a é a a lt e r n a t iva E.

26. (Dom Cintra/2012/Prefeitura de BH/ Analista Fazendário) Durante a


execução da Lei Orçamentária no exercício financeiro, caso deseje realizar
certa despesa, uma determinada prefeitura deverá, em cumprimento das
normas vigentes, verificar a sua real disponibilidade financeira. De acordo
com os procedimentos vigentes, na escrituração contábil aplicada ao setor
público, essa verificação da disponibilidade financeira poderá ser efetuada
com base no saldo da seguinte conta do PCASP:
A) Disponibilidade por Destinação de Recursos Comprometidos
B) Disponibilidade por Destinação de Recursos Utilizados
C) Caixa e Equivalente de Caixa em Moeda Nacional
D) Disponibilidade por Destinação de Recursos a utilizar
E) Crédito Disponível
Vim os n a se gu n da r oda da de dica s qu e a opçã o cor r e t a é a
a lt e r n a t iva D .

86381744626

27. (Dom Cintra/2012/Prefeitura de BH/ Analista Fazendário) O


encerramento do exercício contábil implica alguns procedimentos
específicos que devem ser adotados por todos os entes da federação. Uma
atenção especial deve ser dada às contas de natureza de informação
orçamentária e de controle, pois uma parcela dessas contas não transfere
saldo para o exercício seguinte, devendo ser encerradas. Com base no
PCASP, das contas abaixo, aquela cujo saldo n ã o se transfere para o
exercício seguinte é:

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   123 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
A) PPA – Aprovado
B) RP Processados – Exercícios Anteriores
C) RP Processados – Inscrição no Exercício
D) RP não Processados Liquidadas a Pagar
E) Disponibilidade por Destinação de Recursos Utilizados
Vim os n a se gu n da r oda da de dica s qu e a opçã o cor r e t a é a
a lt e r n a t iva E.
28. (Dom Cintra/2012/Prefeitura de BH/ Analista Fazendário) Durante a
execução da Lei Orçamentária Anual, as prefeituras dos municípios
deverão repassar para as Câmaras Municipais, mensalmente, a parcela
que lhes compete para execução de suas despesas. Com base na
estrutura do PCASP, o lançamento a ser efetuado pelas prefeituras, para
registrar essa transferência, com as contas discriminadas até o 3º nível,
será:
A) D: 7.2.1. Controle de Disponibilidade de Recursos
C: 8.2.1. Execução da Disponibilidade de Recursos por Destinação de
Recursos
ERRAD O, e st e la n ça m e n t o ocor r e n a e n t r a da de r e cu r sos.
B) D: 3.5.1.Transferências Intragovernamentais
C: 7.2.1. Controle da Disponibilidade de Recursos
ERRAD O, n ã o de pode com bin a r e ssa s cla sse s.
C) D: 6.2.2. Descentralização Externa de Crédito
C: 6.2.2. Crédito Disponível 86381744626

ERRAD O, e st e la n ça m e n t o pa r a a u n ida de con t á bil qu e r e ce be


cr é dit os.
D) D: 6.2.2. Crédito Disponível
C: 6.2.2. Descentralização Externa de Crédito
ERRAD O, e st e la n ça m e n t o pa r a a u n ida de con t á bil qu e con ce de
cr é dit os.
E) D: 3.5.1. Transferências Intergovernamentais
C: 1.1.1. Caixa e equivalentes de Caixa
CERTO, e st e la n ça m e n t o cor r e spon de a t r a n sfe r ê n cia de r e cu r sos.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   124 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
29. (Dom Cintra/2012/Prefeitura de BH/ Analista Fazendário) No início do
exercício financeiro, a contabilização da previsão da receita, estabelecida
na Lei Orçamentária Anual, que um determinado município espera
arrecadar, será registrada, segundo a estrutura do novo Plano de Contas
Aplicado ao Setor Público, utilizando contas classificadas,
respectivamente, nas seguintes classes e grupos:
A) 7.2 e 8.3
B) 5.2 e 6.3
C) 5.2 e 6.2
D) 5.1 e 8.2
E) 4.2 e 8.3
O la n ça m e n t o de a be r t u r a é n a h or izon t a l. Logo, t e m os com o
opçã o a a lt e r n a t iva C.

30. (Dom Cintra/2012/Prefeitura de BH/ Analista Fazendário) O


suprimento de fundos é caracterizado por ser um adiantamento de valores
a um servidor para futura prestação de contas, e deverá passar por todos
os estágios da execução da despesa. Considere, então, o fato de um
suprimento de fundo ter sido concedido a um servidor em novembro de
2011. Em 31/01/2012, esse servidor efetuou a comprovação das
despesas e devolveu, nessa data, uma parcela de valores não aplicados.
Entre os lançamentos abaixo, independentemente da natureza da
informação, e com base nas contas classificadas no PCASP, aquele que se
86381744626

considera pertinente à operação é:


A de volu çã o de su pr im e n t o de fu n do a pós o e n ce r r a m e n t o do
e x e r cício é r e ce it a or ça m e n t á r ia .
A) D: Receita a Realizar
C: Receita Realizada
CERTO.
B) D: Crédito Empenhado a Liquidar
C: Crédito Disponível
ERRAD O, e st e la n ça m e n t o cor r e spon de a o e m pe n h o.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   125 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
C) D: Disponibilidade por Destinação de Recursos
C: Controle das Disponibilidades de Recursos
ERRAD O, n ã o h á pr e visã o pa r a e st e la n ça m e n t o.
D) D: Outras Obrigações de Curto Prazo – Adiantamento
C: Adiantamentos Concedidos a Pessoal
ERRAD O, n ã o h á pr e visã o pa r a e st e la n ça m e n t o.
E) D: Caixa e Equivalente de Caixa
C: Outras Obrigações de Curto Prazo – Suprimento de Fundos
ERRAD O, n ã o h á pr e visã o pa r a e st e la n ça m e n t o.

31. (FCC/TRE-PR/2012/Analista Judiciário) A inscrição de restos a pagar


processados gera lançamentos contábeis
(A) no subsistema orçamentário, apenas.
(B) no subsistema patrimonial, apenas.
(C) nos subsistemas orçamentário e patrimonial, apenas.
(D) nos subsistemas orçamentário e de compensação, apenas.
(E) nos subsistemas orçamentário, patrimonial e de compensação.
Conforme vimos na seção 3, a opçã o cor r e t a é a a lt e r n a t iva A.

32. (FCC/TCE-PR/2012/ Analista de Controle Área Contábil) De acordo


com as Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas a Setor Público −
NBCASP, o sistema contábil público estrutura-se nos seguintes
subsistemas de informações: 86381744626

(A) Financeiras, Variações Patrimoniais e Controle Interno.


(B) Orçamentárias, Financeiras, Custos e Gestão Fiscal.
(C) Balanço Orçamentário, Financeiro, Patrimonial e Demonstração das
Variações Patrimoniais.
(D) Ativo, Passivo, Patrimônio Líquido, Compensação e Demonstração das
Variações Patrimoniais.
(E) Orçamentárias, Patrimoniais, Custos e Compensação.
Conforme vimos nessa aula e nas anteriores a opção correta é a le t r a E.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   126 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
33. (FEMPERJ/TCE-RJ/2012/Analista de Controle Externo) Considerando
que no município de Novas Regras houve arrecadação de receita tributária
prevista, no montante de $2.000, concomitante ao fato gerador, analise
os lançamentos a seguir:
I. D - Caixa (F)
C - Impostos sobre o patrimônio e a renda/IPTU; n a t u r e za da
in for m a çã o: fin a n ce ir a ;
ERRAD O, t r a t a de in for m a çã o de n a t u r e za pa t r im on ia l.
II. D - Receita a realizar
C - Receita realizada; natureza da informação: orçamentária;
CERTO.
III. D - Controle da disponibilidade de recursos;
C - Execução da disponibilidade de recursos - disponibilidade por
destinação de recursos; natureza da informação: controle.
CERTO.
Estão corretos somente os lançamentos:
A) I;
B) II;
C) III;
D) I e II;
E) II e III.
Con for m e vim os a opçã o cor r e t a é a a lt e r n a t iva E.

86381744626

Ga ba r it o da s qu e st õe s com e n t a da s
1-B 2-Certo 3-Certo 4-B 5-B
6-D 7-A 8-D 9-D 10-C
11-C 12-D 13-D 14-D 15-C
16-C 17-Errado 18-Errado 19-Certo 20-D
21-B 22-B 23-E 24-C 25-E
26-D 27-E 28-E 29-C 30-A
31-A 32-E 33-E

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   127 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
8 . LI STA D AS QUESTÕES APRESEN TAD AS
N ã o e x ist e m qu e st õe s da FUN RI O sobr e os la n ça m e n t os n o
n ovo pla n o de con t a s.
1. (FCC/TCE-PR/2012/Analista de Controle Área Contábil) O orçamento de
determinada Entidade Pública foi aprovado com os seguintes valores
referentes às receitas e despesas orçamentárias:

Sob a ótica do Plano de Contas Aplicado ao Setor Público, o registro


contábil da previsão das receitas deve ser realizado mediante débito e
crédito, respectivamente, nas contas
(A) Receita a Realizar e Previsão Inicial da Receita.
(B) Previsão inicial da Receita e Receita a Realizar.
(C) Previsão Inicial da Receita e Receita a Receber.
(D) Receita a Receber e Previsão Inicial da Receita.
(E) Receita a Receber e Receita a Realizar.

(Cespe/EBC/2011/Contador) Com relação a registros contábeis, julgue os


itens a seguir. 86381744626

2. O registro contábil da assinatura de um contrato de serviço deve ser


realizado em contas contábeis do subsistema de compensação.

3. Para o registro da receita prevista na lei orçamentária anual (LOA),


devem ser utilizadas contas contábeis do subsistema de contas
orçamentário.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   128 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
4. (UFSC/2011/Contador) Leia as informações abaixo. Na contabilidade
pública, conforme orientada pelo MCASP, parte II, PCP, deve-se registrar
o empenho e a liquidação da despesa. Num exemplo apresenta
lançamentos contábeis para o caso de aquisição de um veículo,
constando, dentre eles:

Assinale a alternativa CORRETA que contém a descrição da quantidade de


contas e o pertencimento nos subsistemas contábeis [MCASP, parte IV,
86381744626

PCASP] envolvidos no registro do fato contábil em referência.


a) Os lançamentos um e dois registram o empenho e pertencem,
respectivamente, à classe de contas aprovação do planejamento e
orçamento e à classe de contas controles devedores.
b) Os lançamentos um e dois registram o empenho e pertencem,
respectivamente, à classe de contas execução do planejamento e
orçamento, e à classe de contas controles credores.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   129 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
c) São quatro os lançamentos que registram o empenho: dois pertencem
à classe de contas aprovação do planejamento e orçamento; dois
pertencem à classe de contas controles devedores.
d) Os lançamentos quatro e cinco registram a liquidação e pertencem,
respectivamente, à classe de contas aprovação do planejamento e
orçamento, e à classe de contas execução do planejamento e orçamento.
e) São quatro os lançamentos que registram a liquidação: dois pertencem
à classe de contas aprovação do planejamento e orçamento; dois
pertencem à classe de contas execução do planejamento e orçamento.

5. (UFSC/2011/Contador) Na contabilidade pública, conforme orientada


pelo MCASP, parte I, PCO, deve-se registrar a aprovação do planejamento
e orçamento. No exemplo aqui apresentado para lançamentos contábeis,
o objetivo é registrar a aprovação da despesa fixada numa LOA.

Assinale a alternativa CORRETA.


a) O lançamento é correto porque a conta debitada identifica
corretamente o fato contábil e suas respectivas contrapartidas.
b) O lançamento é errado, pois registrou o empenho e não fixação da
despesa na LOA.
c) O lançamento é correto porque a liquidação da despesa ocorre na
86381744626

aprovação, independentemente da contrapartida.


d) O lançamento é errado porque nenhuma das contas pertence ao
subsistema orçamentário.
e) O lançamento é correto porque a operação descrita é do nível de
execução orçamentária.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   130 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
6. (UFSC/2011/Contador) Leia a informação abaixo. A respeito das
Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público tem-se a
Norma 16.2, Resolução CFC 1129, de 2008, que estabeleceu cinco
subsistemas para o sistema contábil: orçamentário, financeiro,
patrimonial, custos e compensação. Posteriormente, a Resolução CFC
1268, de 2009, reduziu para quatro subsistemas. Assinale a alternativa
CORRETA que apresenta a modificação de que trata esta questão.
a) Permaneceram os subsistemas orçamentário, patrimonial, financeiro e
compensação e o subsistema custos foi absorvido pelo subsistema
patrimonial.
b) O subsistema compensação foi absorvido pelo subsistema orçamentário
e foram mantidos os subsistemas orçamentário, financeiro, patrimonial e
custos.
c) Foram mantidos os subsistemas orçamentário, financeiro, custos e
compensação e o subsistema patrimonial foi absorvido pelo subsistema
financeiro.
d) O subsistema financeiro foi absorvido pelo subsistema patrimonial e
foram mantidos os subsistemas orçamentário, patrimonial, custos e
compensação.
e) O subsistema custos foi absorvido pelo subsistema compensação e
foram mantidos os subsistemas orçamentário, patrimonial e
compensação.

86381744626

7. (UFSC/2011/Contador) Na contabilidade pública, conforme orientada


pelo MCASP, parte IV, PCASP, tem-se um subsistema que registra,
processa e evidencia os fatos financeiros e não financeiros relacionados
com as variações do patrimônio público, subsidiando a administração com
informações tais como:
I. alterações nos elementos patrimoniais;
II. resultado econômico; e
III. resultado nominal.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   131 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Assinale a alternativa que apresenta a CORRETA denominação desse
subsistema.
a) Subsistema de informações patrimoniais.
b) Subsistema de informações de compensação.
c) Subsistema de informações de custos.
d) Subsistema de informações orçamentárias.
e) Subsistema de informações primárias.

8. (FCC/TRT 4ª Região/2011/Contador) De acordo com as normas


brasileiras de contabilidade aplicáveis ao setor público, o sistema de
informação contábil é dividido em quatro subsistemas, entre eles o de
compensação. São contas contábeis pertencentes a este subsistema
a) direitos conveniados e clientes.
b) dívida ativa tributária e restos a pagar processados pagos.
c) receita a realizar e garantias e contra garantias recebidas.
d) crédito a encaminhar para dívida ativa e direitos contratuais.
e) revisão do PPA e controles de DARFs.

9. (FCC/TCE-RO/2011/Auditor) De acordo com a Portaria STN nº 751/09,


a previsão da receita orçamentária gera lançamento contábil de débito em
a) Receita a Realizar e crédito em Previsão Inicial da Receita, no
Subsistema de Informações de Compensação.
b) Receita a Realizar e crédito em Previsão Inicial da Receita, no
86381744626

Subsistema de Informações Orçamentárias.


c) Previsão Inicial da Receita e crédito em Receita a Realizar, no
Subsistema de Informações de Compensação.
d) Previsão Inicial da Receita e crédito em Receita a Realizar, no
Subsistema de Informações Orçamentárias.
e) Créditos a Receber, no Subsistema de Informações Patrimoniais, e
crédito em Previsão Inicial da Receita, no Subsistema de Informações
Orçamentárias.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   132 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
10. (Consulplan/TSE/2012) Conforme as Normas Brasileiras de
Contabilidade Aplicada ao Setor Público – NBCASP, o subsistema de
informações orçamentárias registra, processa e evidencia os atos e os
fatos relacionados ao planejamento e à execução orçamentária. Assinale
a alternativa que apresenta corretamente o lançamento contábil que
registra a liquidação de uma despesa referente à aquisição de material de
consumo.

86381744626

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   133 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
11. (Cespe/TJ-PI/2012/Analista Judiciário) Uma transação que resulta em
lançamento contábil APENAS no Subsistema de Informações Patrimoniais
é
a) o encaminhamento de créditos para a dívida ativa.
b) a inscrição de restos a pagar processados.
c) a aprovação das contas de convênios.
d) a liquidação de despesas com a aquisição de veículos.
e) a utilização de material de consumo.

12. (CEPERJ/SEFAZ-RJ/2012/Analista de Controle Interno) Um


determinado estado da federação, no início do exercício financeiro de
2011, implantou, no seu sistema contábil, o novo plano de contas aplicado
ao setor público. Durante o exercício, por ocasião da execução das
despesas, no estágio da liquidação, o lançamento correspondente
efetuado, tendo em vista somente a natureza da informação
orçamentária, foi o seguinte:
a) D: Crédito Disponível
C: Crédito Empenhado a Liquidar
b) D: Crédito Empenhado Liquidado
C: Fornecedores Nacionais a Curto Prazo
c) D: Crédito Empenhado Liquidado a Pagar
C: Crédito Empenhado a Liquidar
d) D: Crédito Empenhado a Liquidar 86381744626

C: Crédito Empenhado Liquidado a Pagar


e) D: Crédito Empenhado Liquidado a Pagar
C: Crédito Disponível

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   134 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
13. (CEPERJ/SEFAZ-RJ/2012/Analista de Controle Interno) Um
determinado estado da federação, já adotando todas as instruções
preconizadas no Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público e com
base na sua Lei Orçamentária Anual, deu início à execução de uma
despesa, referente à contratação de um serviço prestado por pessoa
jurídica, não tendo sido necessário realizar o respectivo processo
licitatório. Para início da execução da respectiva despesa, foi realizado
registro nas contas dos seguintes subsistemas de informação:
a) orçamentário e financeiro
b) patrimonial e de custos
c) compensado e patrimonial
d) orçamentário e compensado
e) patrimonial e orçamentário
14. (FBC/Câmara Municipal de Itaboraí/2011/Contador) Na Contabilidade
Pública, a compra de equipamentos e materiais permanentes constitui um
(a)
a) despesa de capital que provoca redução na situação liquida
patrimonial.
b) operação de natureza extra-orçamentária que não modifica a situação
líquida patrimonial.
c) despesa corrente que não altera o patrimônio público.
d) fato permutativo que não modifica a situação líquida patrimonial.
e) fato modificativo diminutivo proveniente de uma despesa corrente.
86381744626

15. (FBC/Câmara Municipal de Itaboraí/2012/Contador) Considerando


seus reflexos no patrimônio público, é correto afirmar que constituem
transações públicas de natureza econômico-financeira e de natureza
administrativa, respectivamente:
a) convênios firmados e bens recebidos em doação.
b) comodato de bens e arrecadação de impostos.
c) pagamento de despesa com pessoal e contratos firmados.
d) fianças e inscrição na dívida ativa.
e) pagamentos de encargos sociais e bens recebidos em doação.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   135 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
16. (FBC/Câmara Municipal de Itaboraí/2011/Contador) O pagamento de
pessoal e encargos sociais representam despesa
a) de transferência de capital e efetiva.
b) de inversão financeira e resultante do orçamento.
c) corrente e resultante do orçamento.
d) independente da execução orçamentária e não efetiva.
e) de capital com caráter extra-orçamentário.

(Cespe/Ministério da Saúde/2009/Contador) Considerando que os fatos


contábeis mais comuns na gestão pública têm uma forma padronizada de
contabilização, julgue os itens seguintes.
17. Se um crédito adicional for aprovado, acrescentando a previsão de
receitas decorrentes de operações de crédito a determinada dotação,
então o registro desse fato deve envolver os subsistemas de informações
orçamentárias e financeiras.

18. Quando o saldo remanescente de um crédito extraordinário é


encerrado, deve-se creditar a conta de créditos disponíveis e debitar a
conta de créditos extraordinários.

19. No encerramento do exercício, a conta de despesas liquidadas a pagar


não deve apresentar saldo devedor nem credor.

86381744626

20. (Dom Cintra/2012/Prefeitura de BH/ Analista de Políticas Públicas) Um


determinado município realizou, no exercício financeiro de 2011, a
restituição de uma parcela de depósitos de terceiros discriminada no
passivo circulante do seu balanço de 2010. Com base nas novas normas
aplicadas ao setor público, o lançamento contábil dessa operação foi
realizado, utilizando as contas classificadas nos seguintes subsistemas de
informações:

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   136 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
A) orçamentário e compensado
B) orçamentário e patrimonial
C) orçamentário e de custos
D) patrimonial e compensado
E) patrimonial e de custos

21. (Dom Cintra/2012/Prefeitura de BH/ Analista de Políticas Públicas) No


início de cada exercício financeiro, a previsão da receita e a fixação da
despesa, constantes na Lei Orçamentária Anual, serão contabilizadas com
base na estrutura do PCASP, utilizando as contas específicas, classificadas
e indicadas nas seguintes classes e grupos:
A) 5.1 e 6.1
B) 5.2 e 6.2
C) 5.3 e 5.4
D) 6.1 e 4.2
E) 6.2 e 5.3

22. (Dom Cintra/2012/Prefeitura de BH/ Analista de Políticas Públicas)


Das operações abaixo, realizadas por uma determinada prefeitura no
exercício financeiro, aquela que, com base na nova estrutura do PCASP,
irá ocasionar lançamentos em contas, cuja natureza de informação
considera-se patrimonial e de controle, é:
A) dotação inicial de despesa 86381744626

B) pagamento de aquisição de computadores


C) liquidação de serviços de terceiros por contrato
D) incorporação de bens imóveis doados por terceiros
E) assinatura de contrato referente à construção de uma escola

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   137 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
23. (Dom Cintra/2012/Prefeitura de BH/ Analista de Políticas Públicas) No
início do exercício de 2012, a Prefeitura do Município ABC realizou um
processo licitatório para a aquisição de computadores. Após a assinatura e
registro do contrato administrativo, deu início à execução da despesa.
Nessa fase inicial, foi realizado o lançamento correspondente, utilizando
concomitantemente, de acordo com a NBCASP, contas pertencentes aos
seguintes subsistemas de informações:
A) patrimoniais e de custos
B) orçamentários e financeiros
C) orçamentários e patrimoniais
D) de compensação e de custos
E) orçamentários e de compensação

24. (Dom Cintra/2012/Prefeitura de BH/ Analista Fazendário) Em


31/12/2011, uma determinada prefeitura, após verificar que seriam
cumpridas as condições estabelecidas para a entrega do material, efetuou
a inscrição da despesa orçamentária em Restos a Pagar não Processados.
Posteriormente, em 20/02/2012, após a conclusão do processo de
aquisição, foi efetuado o referido pagamento. A prefeitura, para o
lançamento contábil referente a esse pagamento, sob o enfoque da
informação orçamentária, utilizou para o débito e o crédito,
respectivamente, as contas classificadas nas seguintes classes e grupos
do PCASP: 86381744626

A) 5.3 e 6.3
B) 6.2 e 6.3
C) 6.3 e 6.3
D) 7.3 e 8.3
E) 8.2 e 8.2

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   138 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
25. (Dom Cintra/2012/Prefeitura de BH/ Analista Fazendário) No exercício
financeiro vigente, uma unidade orçamentária recebeu de outro órgão
federal, por descentralização, uma parcela de crédito orçamentário, para
atendimento a um programa na área de educação. Considerando, as
novas normas e procedimentos de contabilidade para o setor público, o
lançamento contábil realizado, com contas do subsistema de informações
orçamentárias, de acordo com o PCASP, foi:
A) D: Crédito Disponível
C: Crédito Adicional Suplementar
B) D: Dotação Orçamentária Inicial
C: Crédito Disponível
C) D: Crédito Disponível
C: Movimentação de Créditos Recebidos – Repasse
D) D: Movimentação de Créditos Recebidos – Provisão
C: Crédito Disponível
E) D: Movimentação de Créditos Recebidos - Destaque
C: Crédito Disponível

26. (Dom Cintra/2012/Prefeitura de BH/ Analista Fazendário) Durante a


execução da Lei Orçamentária no exercício financeiro, caso deseje realizar
certa despesa, uma determinada prefeitura deverá, em cumprimento das
normas vigentes, verificar a sua real disponibilidade financeira. De acordo
com os procedimentos vigentes, na escrituração contábil aplicada ao setor
86381744626

público, essa verificação da disponibilidade financeira poderá ser efetuada


com base no saldo da seguinte conta do PCASP:
A) Disponibilidade por Destinação de Recursos Comprometidos
B) Disponibilidade por Destinação de Recursos Utilizados
C) Caixa e Equivalente de Caixa em Moeda Nacional
D) Disponibilidade por Destinação de Recursos a utilizar
E) Crédito Disponível

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   139 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
27. (Dom Cintra/2012/Prefeitura de BH/ Analista Fazendário) O
encerramento do exercício contábil implica alguns procedimentos
específicos que devem ser adotados por todos os entes da federação. Uma
atenção especial deve ser dada às contas de natureza de informação
orçamentária e de controle, pois uma parcela dessas contas não transfere
saldo para o exercício seguinte, devendo ser encerradas. Com base no
PCASP, das contas abaixo, aquela cujo saldo n ã o se transfere para o
exercício seguinte é:
A) PPA – Aprovado
B) RP Processados – Exercícios Anteriores
C) RP Processados – Inscrição no Exercício
D) RP não Processados Liquidadas a Pagar
E) Disponibilidade por Destinação de Recursos Utilizados

28. (Dom Cintra/2012/Prefeitura de BH/ Analista Fazendário) Durante a


execução da Lei Orçamentária Anual, as prefeituras dos municípios
deverão repassar para as Câmaras Municipais, mensalmente, a parcela
que lhes compete para execução de suas despesas. Com base na
estrutura do PCASP, o lançamento a ser efetuado pelas prefeituras, para
registrar essa transferência, com as contas discriminadas até o 3º nível,
será:
A) D: 7.2.1. Controle de Disponibilidade de Recursos
C: 8.2.1. Execução da Disponibilidade de Recursos por Destinação de
86381744626

Recursos
B) D: 3.5.1.Transferências Intragovernamentais
C: 7.2.1. Controle da Disponibilidade de Recursos
C) D: 6.2.2. Descentralização Externa de Crédito
C: 6.2.2. Crédito Disponível
D) D: 6.2.2. Crédito Disponível
C: 6.2.2. Descentralização Externa de Crédito
E) D: 3.5.1. Transferências Intergovernamentais
C: 1.1.1. Caixa e equivalentes de Caixa

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   140 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
29. (Dom Cintra/2012/Prefeitura de BH/ Analista Fazendário) No início do
exercício financeiro, a contabilização da previsão da receita, estabelecida
na Lei Orçamentária Anual, que um determinado município espera
arrecadar, será registrada, segundo a estrutura do novo Plano de Contas
Aplicado ao Setor Público, utilizando contas classificadas,
respectivamente, nas seguintes classes e grupos:
A) 7.2 e 8.3
B) 5.2 e 6.3
C) 5.2 e 6.2
D) 5.1 e 8.2
E) 4.2 e 8.3

30. O suprimento de fundos é caracterizado por ser um adiantamento de


valores a um servidor para futura prestação de contas, e deverá passar
por todos os estágios da execução da despesa. Considere, então, o fato
de um suprimento de fundo ter sido concedido a um servidor em
novembro de 2011. Em 31/01/2012, esse servidor efetuou a comprovação
das despesas e devolveu, nessa data, uma parcela de valores não
aplicados. Entre os lançamentos abaixo, independentemente da natureza
da informação, e com base nas contas classificadas no PCASP, aquele que
se considera pertinente à operação é:
A) D: Receita a Realizar
C: Receita Realizada 86381744626

B) D: Crédito Empenhado a Liquidar


C: Crédito Disponível
C) D: Disponibilidade por Destinação de Recursos
C: Controle das Disponibilidades de Recursos
D) D: Outras Obrigações de Curto Prazo – Adiantamento
C: Adiantamentos Concedidos a Pessoal
E) D: Caixa e Equivalente de Caixa
C: Outras Obrigações de Curto Prazo – Suprimento de Fundos

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   141 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
31. (FCC/TRE-PR/2012/Analista Judiciário) A inscrição de restos a pagar
processados gera lançamentos contábeis
(A) no subsistema orçamentário, apenas.
(B) no subsistema patrimonial, apenas.
(C) nos subsistemas orçamentário e patrimonial, apenas.
(D) nos subsistemas orçamentário e de compensação, apenas.
(E) nos subsistemas orçamentário, patrimonial e de compensação.

32. (FCC/TCE-PR/2012/ Analista de Controle Área Contábil) De acordo


com as Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas a Setor Público −
NBCASP, o sistema contábil público estrutura-se nos seguintes
subsistemas de informações:
(A) Financeiras, Variações Patrimoniais e Controle Interno.
(B) Orçamentárias, Financeiras, Custos e Gestão Fiscal.
(C) Balanço Orçamentário, Financeiro, Patrimonial e Demonstração das
Variações Patrimoniais.
(D) Ativo, Passivo, Patrimônio Líquido, Compensação e Demonstração das
Variações Patrimoniais.
(E) Orçamentárias, Patrimoniais, Custos e Compensação.

33. (FEMPERJ/TCE-RJ/2012/Analista de Controle Externo) Considerando


que no município de Novas Regras houve arrecadação de receita tributária
prevista, no montante de $2.000, concomitante ao fato gerador, analise
86381744626

os lançamentos a seguir:
I. D - Caixa (F)
C - Impostos sobre o patrimônio e a renda/IPTU; natureza da informação:
financeira;
II. D - Receita a realizar
C - Receita realizada; natureza da informação: orçamentária;
III. D - Controle da disponibilidade de recursos;
C - Execução da disponibilidade de recursos - disponibilidade por
destinação de recursos; natureza da informação: controle.

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   142 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA


Contabilidade Pública  
INSS- Analista do Seguro Social– Especialidade Contabilidade 
Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli – Aula 07
Estão corretos somente os lançamentos:
A) I;
B) II;
C) III;
D) I e II;
E) II e III.

Ga ba r it o da s qu e st õe s a pr e se n t a da s
1-B 2-Certo 3-Certo 4-B 5-B
6-D 7-A 8-D 9-D 10-C
11-C 12-D 13-D 14-D 15-C
16-C 17-Errado 18-Errado 19-Certo 20-D
21-B 22-B 23-E 24-C 25-E
26-D 27-E 28-E 29-C 30-A
31-A 32-E 33-E

Pessoal o prazer foi meu. Até a próxima aula.

Abraços.

Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli

Informo que estão disponíveis no site a editora ELSEVIER dois livros de minha
autoria: um de questões objetivas e outro de questões discursivas.
http://www.elsevier.com.br/site/institucional/Minha pagina autor.aspx?seg=1&aid=88733 

Aqueles que desejem realizar cursos na modalidade on line informo que ministro
86381744626

cursos on line de Orçamento Público e Contabilidade Pública no seguinte link:


http://cursosonline.cathedranet.com.br/Professores/10/Prof Giovanni Pacelli 

Prof. Giovanni Pacelli                   www.estrategiaconcursos.com.br                   143 de 143

626.447.183-68 - ALINE LIMA ARAUJO BARBOSA