Você está na página 1de 10

ELOMAR FIGUEIRA

MELLO
Elomar nasceu dia 21 de dezembro de 1937 na Fazenda Boa Vista pertencente
aos seus avós, Sr. Virgílio Figueira e Sra. Dona Maria Gusmão Figueira (Maricota).
Em Vitória da Conquista - BA.
Seus pais eram: Ernesto Santos Mello (filho da família da Zona da Mata de
Itambé – Bahia) e Eurides Gusmão Figueira Mello. E seus irmãos: Dima e
Neide.
Dos três aos sete anos de idade, Elomar viveu na cidade de Vitória da
Conquista, passando, passando depois a morar nas fazendas de seus parentes
como a Fazenda São Joaquim (inspirações para suas músicas) e Fazenda Brejo,
Coatis e Palmeira.
Ele casou com Adalmária de Carvalho Mello. Seus filhos são: Rosa Duprado,
João Ernesto e João Omar (violinista e maestro).
Estudou entre o sertão e a capital e no final de 1960, formou-se em
Arquitetura pela Universidade Federal da Bahia. E passou também pela
Escola de Música na mesma Universidade.
 E no final de 1970 deu menos ênfase à arquitetura para dedicar-se à
teatros do país, de palco em palco, tocando e interpretando trechos do que
viriam a ser suas composições de formato erudito.
O cantor e compositor brasileiro herdou a formação cristã da família. Sua
avó “Mãe Neném” era católica, enquanto a outra avó “Maricota” era batista.
Músicas e obras de Elomar são escritos em “linguagem dialetal
sertaneza”, título que ele mesmo atribuiu. Com seu estilo próprio de tocar
violão, muitas vezes alterando a afinação do instrumento.
Elomar Figueira Mello é artista conhecido no Brasil desde 1970. O
repertório das figuras na música de Elomar origina-se do contato com a
vida no ambiente do sertão e também em ambiente urbano.

As áreas acadêmicas da literatura demonstram grande interesse pela


obra literária e poética de Elomar. Em “Cultura e Identidade nos Sertões do
Brasil.” Alencar, classifica os temas típicos na literatura relativa ao sertão:
• “[...]Temas recorrentes, que podem ser reunidos em 6 grandes grupos,
girando em torno do cotidiano da vida rural ou da nostalgia do exilio:
natureza: terra, rios, água, céu, estações do ano, sol, chuva, vento,
peixes, aves, o gado. Festa: viola, cachaça, consagramento entre
companheiros. Folclore: animais do folclore regional. Amor: amor
romântico, idealização da mulher. Religiosidade: romarias, fome, seca,
luta pela terra, retirantes, ecologia.”
(“Cultura e identidade nos sertões do Brasil:
representações na música popular de” Alencar, Maria Amélia”)
Curiosidades:
 Elomar tem 54 músicas.
 Músicas de sucesso: Incelença Por Amor Retirante, Cantiga de Estradar, O
Pedido, Chula de Terreiro e Campo Branco.
 Elomar prefere viver em fazendas: Galemeira, Duas Passagens e Lagoa dos
Patos.
 O cantor é descendente do Bandeirante e Sertanista João Gonçalves da Costa.
Que fundou em 1783 o Arraial da Conquista, hoje é a cidade Vitória da Conquista.
 Os traços, estilos, e gêneros encontrados na música de Elomar são bastante
variados criando um discurso heterogêneo, porém, harmonioso.
Discografia: “O Menestrel e o SertãoMundo” – 2016
 Elomar e Orquestra Sinfônica Nacional da Universidade Federal de
Fluminense. Foi gravado ao vivo no Centro de Artes Universidade Federal
de Fluminense.

Obra de Elomar: Livro – Sertanílias: Romance de Cavalaria.


E também originalmente concebido como roteiro de cinema. Publicado
em 2008 na forma de romance.
CAMPO BRANCO
CANTIGA DE AMIGO