Você está na página 1de 7

politica florestal

1. (MPE-GO - Promotor de Justiça). Em relação à competência legislativa para


proteção do meio ambiente, é correto afirmar:

b) É privativa da União a competência para legislar sobre a proteção do meio


ambiente, pois, nos termos do artigo 20 da CF, são bens da União: os rios,
lagos, mar territorial, recursos minerais, dentre outros.
A afirmativa está incorreta, uma vez que, também compete aos Estados, Distrito
Federal e Municípios a atividade da legislação segundo essas atividades descritas
acima.

c) Inexistindo lei federal estabelecendo normas gerais, é plena a competência


legislativa dos Municípios para legislar sobre a proteção do meio ambiente,
não se submetendo à legislação estadual que disciplinar o mesmo assunto.
Está incorreto, já que, a lei municipal é aplicável às que não possuam mesmas
normas ao poder estadual, sendo essa última com maior força sobre o poder
municipal. Seguindo então uma competência constitucional de normativas.

d) O Município não possui competência para legislar sobre a proteção do


meio ambiente, pois, não foi arrolado no artigo 24 da CF.
É de competência da União, Estados, Distrito Federal e Municípios legislar sobre a
proteção do meio ambiente, cabendo à União estabelecer normas gerais em relação
as questões de interesse nacional, sem excluir a competência suplementar dos
Estados, Distrito Federal e Municípios

2. (DAE-Bauru - Engenheiro Ambiental). Constitui princípio da gestão de


florestas públicas:

a) a proteção dos ecossistemas, do solo, da água, da biodiversidade e valores


culturais associados, bem como do patrimônio público.

b) o estabelecimento de atividades que promovam o uso eficiente e racional


das florestas e que contribuam para o cumprimento das metas do
desenvolvimento sustentável local, regional e de todo o País.

c) o respeito ao direito da população, em especial das comunidades locais, de


acesso às florestas públicas e aos benefícios decorrentes de seu uso e
conservação.
d) a promoção do processamento local e o incentivo ao incremento da
agregação de valor aos produtos e serviços da floresta, bem como à
diversificação industrial, ao desenvolvimento tecnológico, à utilização e à
capacitação de empreendedores locais e da mão de obra regional.

e) todas as alternativas anteriores são princípios da gestão de florestas públicas.

3. (Prefeitura de Teresina - Analista Ambiental). O Programa Nacional de


Florestas − PNF tem como principais objetivos: estimular o uso sustentável de
florestas nativas e plantadas; fomentar o reflorestamento; apoiar as iniciativas
econômicas e sociais das populações que vivem em florestas. O PNF NÃO

b) procura conter queimadas acidentais e prevenir incêndios florestais;


estimula a proteção da biodiversidade e dos ecossistemas florestais.
c) promove o uso sustentável das florestas de produção, sejam nacionais,
estaduais, distrital ou municipais.
d) apoia o desenvolvimento das indústrias de base florestal; incentiva a
ampliação dos mercados de produtos e subprodutos florestais.
e) busca reprimir desmatamentos ilegais e a extração predatória de produtos e
subprodutos florestais.

As alternativas acima estão incorretas, porque segundo o ministério do meio


ambiente, o plano nacional de florestas foi criado buscando alcançar as seguintes
atividades.
● estimular o uso sustentável de florestas nativas e plantadas;
● fomentar as atividades de reflorestamento, notadamente em pequenas
propriedades
rurais;
● recuperar florestas de preservação permanente, de reserva legal e áreas
alteradas;
● apoiar as iniciativas econômicas e sociais das populações que vivem em
florestas;
● reprimir desmatamentos ilegais e a extração predatória de produtos e
subprodutos
● florestais, conter queimadas acidentais e prevenir incêndios florestais;
● promover o uso sustentável das florestas de produção, sejam nacionais,
estaduais,
distrital ou municipais;
● apoiar o desenvolvimento das indústrias de base florestal;
● ampliar os mercados interno e externo de produtos e subprodutos florestais;
● valorizar os aspectos ambientais, sociais e econômicos dos serviços e dos

benefícios proporcionados pelas florestas públicas e privadas;


● estimular a proteção da biodiversidade e dos ecossistemas florestais.
Sendo assim a única opção que não faz parte do objetivo do programa é o
trabalho estrito do interesse financeiro pelas florestas.

4. (CESPE - Juiz Federal). Com base na legislação vigente a respeito da


proteção às florestas, assinale a opção correta.

a) Em matéria de proteção às florestas, a competência de legislar dos estados


é suplementar.
A afirmativa está incorreta porque o estado possui competência concorrente para
legislar e não suplementar.
Art. 24. Compete à União, aos Estados e ao Distrito Federal legislar
concorrentemente sobre:
VI - florestas, caça, pesca, fauna, conservação da natureza, defesa do solo e dos
recursos naturais, proteção do meio ambiente e controle da poluição;

b) O Código Florestal proíbe que o poder público realize reflorestamento de


preservação permanente em áreas de propriedade privada.
O código permite sim que o poder público realize as atividades pautadas, quando as
mesmas forem necessárias, sem que haja a desapropriação da terra.
Essa nota pode ser verificada no seguinte artigo do código:
art. 18. Nas terras de propriedade privada, onde seja necessário o florestamento ou
o reflorestamento de preservação permanente, o Poder Público Federal poderá
fazê-lo sem desapropriá-las, se não o fizer o proprietário.

c) A fiscalização ambiental das atividades florestais deve ser realizada pelo


Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis
(IBAMA), em caráter exclusivo, quando se tratar de florestas públicas.
Segundo o código florestal brasileiro, a fiscalização das atividades florestais
compete ao SISNAMA sistema nacional do meio ambiente, seja em âmbito,
municipal, estadual ou federal.
Art. 50. Caberá aos órgãos do Sisnama responsáveis pelo controle e fiscalização
ambiental das atividades florestais em suas respectivas jurisdições:

e) A concessão florestal consiste em delegação onerosa do direito de realizar


manejo florestal sustentável a pessoa física ou jurídica, mediante licitação.
A concessão onerosa como previsto no art. 3º, VII, da lei 11.284/06 só pode ser
realizada à pessoa jurídica, não havendo essa exceção à pessoa física como foi
apresentado acima.

5. (CESPE - Diplomata). O Estado Novo caracterizou-se pela prática intensa de


políticas territoriais, o que exigiu a modernização do aparato estatal. Julgue (C
ou E) se as medidas apresentadas nos itens seguintes foram adotadas para
essa modernização do Estado. ...
criação de legislações a respeito do uso e da conservação de recursos
naturais, como água, florestas e minerais

(E) Errado

A afirmação apresentada no enunciado está correta, uma vez que, a legislação foi
criada e corrigida buscando alcançar as necessidades da população com o
decorrer da modernização, já que muitas comunidades passaram a ser ameaçadas
com a expansão das terras de plantios comerciais e industriais levantadas.

6. (PC/PA - Delegado de Polícia). Não constituem princípios da gestão de


florestas públicas previstos na Lei n° 11.284/2006:

a) O estabelecimento de atividades que promovam o uso eficiente e racional


das florestas e que contribuam para o cumprimento das metas do
desenvolvimento sustentável local, regional e de todo o País.

b) A promoção do processamento local e o incentivo ao incremento da


agregação de valor aos produtos e serviços da floresta, bem como à
diversificação industrial, ao desenvolvimento tecnológico, à utilização e à
capacitação de empreendedores locais e da mão-de-obra regional.
c) A proteção dos ecossistemas, do solo, da água, do mar, do pantanal, da
floresta amazônica, bem como do patrimônio público.

d) O respeito ao direito da população, em especial das comunidades locais, de


acesso às florestas públicas e aos benefícios decorrentes de seu uso e
conservação.

Art. 2o​ ​ Constituem princípios da gestão de florestas públicas:


I - a proteção dos ecossistemas, do solo, da água, da biodiversidade e valores
culturais associados, bem como do patrimônio público;
II - o estabelecimento de atividades que promovam o uso eficiente e racional
das florestas e que contribuam para o cumprimento das metas do desenvolvimento
sustentável local, regional e de todo o País;
III - o respeito ao direito da população, em especial das comunidades locais, de
acesso às florestas públicas e aos benefícios decorrentes de seu uso e
conservação;
IV - a promoção do processamento local e o incentivo ao incremento da
agregação de valor aos produtos e serviços da floresta, bem como à diversificação
industrial, ao desenvolvimento tecnológico, à utilização e à capacitação de
empreendedores locais e da mão-de-obra regional;
V - o acesso livre de qualquer indivíduo às informações referentes à gestão de
florestas públicas, nos termos da ​Lei no​ ​ 10.650, de 16 de abril de 2003;
VI - a promoção e difusão da pesquisa florestal, faunística e edáfica,
relacionada à conservação, à recuperação e ao uso sustentável das florestas;
VII - o fomento ao conhecimento e a promoção da conscientização da
população sobre a importância da conservação, da recuperação e do manejo
sustentável dos recursos florestais;
VIII - a garantia de condições estáveis e seguras que estimulem investimentos
de longo prazo no manejo, na conservação e na recuperação das florestas.

Desta forma todas as atividades apontadas acima nas alternativas da questão estão
corretas, já que compreendem esse quadro no da gestão.

7. (Prefeitura de São José dos Campos - Procurador). Sobre a competência em


matéria ambiental, tem-se que:

a) os municípios estão autorizados a legislar suplementarmente à legislação


federal e estadual independentemente de interesse local.
b) é competência exclusiva da União preservar as florestas, a fauna e flora.

c) os Estados poderão, mediante medidas provisórias, instituir regiões


metropolitanas, aglomerações urbanas e microrregiões.

d) compete aos Estados, privativamente, legislar sobre proteção ao patrimônio


histórico, cultural, artístico, turístico e paisagístico.

Todas as afirmativas acima podem ser respondidas como incorretas seguindo o


conteúdo do seguinte artigo:
A afirmativa está incorreta porque o estado possui competência concorrente para
legislar e não suplementar.
Art. 24. Compete à União, aos Estados e ao Distrito Federal legislar
concorrentemente sobre:
VI - florestas, caça, pesca, fauna, conservação da natureza, defesa do solo e dos
recursos naturais, proteção do meio ambiente e controle da poluição;

Sendo assim a união legislar concorrentemente e não suplementarmente. A


legislação compete à União, estado e município, e não apenas à União. A afirmativa
c não está inclusa em competência ambiental, mesmo que essa legisle sobre
território.

8. (Prefeitura de Angra dos Reis - Psiquiatria). “Política pública” significa uma


política:
b) de grande divulgação;
c) de amplo conhecimento público;
d) de responsabilidade das empresas;
e) organizada pela própria população.

As opções apresentadas acima não representam uma política pública, já que o fato
de ser pública designa a competência pelo auxílio financeiro, ou patrocínio por meio
de ações ou programas promovidos pelo estado.

9. (INFRAERO - Biólogo). A legislação ambiental brasileira visa a:


a) obrigar o estudo e a pesquisa de tecnologias para o uso racional e a
proteção dos recursos ambientais, utilizando os planos e programas regionais
ou setoriais de desenvolvimento industrial e agrícola.
A legislação ambiental, não obriga pesquisas e avaliação tecnológica das atividades
ambientais. Em algumas áreas há o incentivo, no entanto em outras é vetado a
permissão para a mesma.

b) assegurar que a utilização de patrimônios nacionais, como a Floresta


Amazônica brasileira, a Mata Atlântica, o Pantanal Mato-Grossense e o
Cerrado, ocorra de forma a assegurar a preservação do meio ambiente.
Nem todas as áreas são asseguradas da preservação do meio, já que é também
parte da legislação destinar áreas para o manejo sustentável e extração de recursos
naturais, como é o caso da pesca, por exemplo.

e) estabelecer o Conselho Nacional do Meio Ambiente como órgão executor


do Sistema Nacional de Meio Ambiente, a fim de executar e fazer executar a
política e as diretrizes governamentais para o meio ambiente.
Está incorreto, uma vez que o sistema nacional do meio ambiente é articulador e
executor das atividades de fiscalização dos limites ambientais.

10. Quem pode instituir uma norma ambiental por Decreto?


b) Presidente do CONAMA. c) Congresso Nacional. d) Supremo Tribunal de
Justiça. e) Diretor do IBAMA.
O decreto de lei é uma atividade que emana ao poder executivo, desta forma, das
opções apresentadas nenhuma possui as atribuições para decretar uma norma
ambiental.