Você está na página 1de 9

HISTÓRIA DO BRASIL Os direitos e deveres do donatário estavam

regulamentados na Carta de Doação e no Foral. A Carta


PROF. FREDERICO SANTOS - 991253767 de Doação tratava da administração da Capitania. O Foral
fredericoprofessor@yahoo.com.br fixava os impostos que os colonos deveriam pagar.
“Os impostos devem ser pagos em espécie: À coroa
pertence o monopólio das especiarias e a ela deve ser
paga a quinta parte do ouro e das pedras preciosas
extraídas. Ao donatário reserva-se a redízima das
rendas da metrópole e à vintena do pau-brasil e do
pescado”.
Pelo Foral, o donatário tinha de promover a prosperidade
da capitania. Ele deveria conceder sesmarias a colonos.
Sesmaria é propriedade privada, pode ser comercializada;
Capitania é hereditária, passa de pai para filho. O
donatário só tem o usufruto dela, não pode vendê-la.
Só prosperaram as Capitanias de São Vicente e
Pernambuco porque seus donatários cultivaram cana. O
fracasso do sistema foi devido ao desinteresse de alguns
Período Pré-colonial (1500-1530): Marcado pelo donatários, ataques indígenas, sistema descentralizado e
abandono do Brasil. A nova terra teve vários nomes: Ilha principalmente, falta de capitais por parte do donatário;
de Vera Cruz, Terra de Vera Cruz, Terra de Santa Cruz e, Era inviável para ele aplicar dinheiro em uma terra que
devido ao pau-brasil, Terra do Brasil. O desinteresse não lhe daria retorno financeiro. Por outro lado, desbravar
português pela terra foi a principal característica dos e ocupar a terra tinha um alto custo financeiro. Somente o
primeiros trinta anos do Brasil. Portugal se interessou Estado daria conta de um empreendimento desse porte.
pelas riquezas da África (escravo, ouro, sal, marfim) e das Com o objetivo de centralizar o poder, lucrar com a
Índias Orientais; O ouro não foi imediatamente encontrado colônia e defender a terra, Portugal criou o Governo
no Brasil; Os índios não conheciam o comércio. Aqui só Geral.
tinha pau-brasil, que não fixava o colono na terra. O rei
instituiu o estanco (monopólio estatal) sobre sua GOVERNO GERAL
exploração, cedendo aos particulares uma concessão por Regimento de 1548 (ou Regimento de Tomé de Souza):
meio de arrendamento. Prá cá vieram traficantes (pessoa Regulamentava o Governo Geral. Competia ao
sem concessão), principalmente franceses. Para extrair a governador colonizar e defender a terra. Para isso seria
árvore era utilizado o escambo do trabalho indígena, que auxiliado pelo Provedor-mor (tesoureiro) - cuidava da
é a troca do serviço do índio por objetos de pouco valor, cobrança de impostos; Ouvidor-mor (juiz); Capitão-mor da
como espelhos, tecidos e chapéus. costa (militar) responsável pela defesa.
A madeira era armazenada no litoral, em O Governo Geral não acabou com as capitanias. Elas
depósitos fortificados chamados feitorias. Ela fornecia um continuaram existindo e a centralização política existiu só
corante avermelhado utilizado para tingir tecidos. no papel. O que acabou foram às atribuições públicas dos
donatários, como fazer a lei e a justiça.
Expedições Guarda-Costas: Objetivavam combater a
presença estrangeira no Brasil, mas não obtiveram êxito Tomé de Souza (1549-1553): Edificou Salvador, a
devido ao tamanho do litoral brasileiro. primeira capital do Brasil, trouxe gado bovino, introduziu a
cana em Salvador e incentivou a vinda de colonos.
Expedição de Martim Afonso de Souza: Portugal
perdeu o monopólio sobre o comércio oriental de Duarte da Costa (1553-1558): Teve administração
especiarias. A Espanha descobriu metais preciosos no marcada pela invasão francesa e por brigas, com o bispo
México e achar ouro no Brasil seria a salvação da Pero Fernandes Sardinha e com colonos.
economia lusa. A presença de estrangeiros no litoral
exigia o povoamento do Brasil. Portugal ”ou colonizava ou França Antártica (1555-1567): A França não reconhecia
perdia a terra” para os franceses. Assim, a expedição de o Tratado de Tordesilhas. Os franceses adeptos do
Martim Afonso foi enviada para expulsar os invasores, calvinismo (hunguenotes) eram perseguidos. Muitos
procurar ouro, povoar a terra. Enfim, Martim Afonso veio queriam viver em uma terra onde tivessem liberdade
para iniciar a colonização. Fundou a vila De São Vicente, religiosa. O Brasil já era freqüentado por eles, as defesas
o primeiro núcleo urbano do Brasil, no atual SP. Estava portuguesas eram insignificantes e algumas tribos
iniciada a colonização do Brasil. indígenas já eram conhecidas. A descoberta de prata em
Portugal impôs ao Brasil o pacto colonial, pelo qual a Potosi (Peru) reviveu o interesse pela América. Chefiados
colônia só comercializa com a metrópole. Assim, Portugal por Villegaignon e com proteção do almirante Coligny e do
comprava gêneros tropicais do Brasil a baixos preços e os próprio rei, Fundaram no Rio de Janeiro a França
vendia na Europa. Depois comprava manufaturados na Antártica, com apoio dos índios Tamoios.
Europa e os vendia ao Brasil, só que por altos preços.
Mem de Sá (1558-1572): Buscou moralizar os costumes
Capitanias Hereditárias: Portugal precisava ocupar a combatendo o vício, a vadiagem e o jogo. Expulsou os
terra, mas passava por uma crise financeira. Com o franceses da Baía da Guanabara (RJ) com a ajuda do seu
objetivo de transferir os custos da colonização para as sobrinho, Estácio de Sá.
mãos de particulares, Portugal dividiu o Brasil em lotes
(capitanias) e os doou aos fidalgos do rei. O sistema já Câmaras municipais: Eram câmaras de prefeitura,
havia sido aplicado com sucesso nas ilhas atlânticas. representavam o poder local. Os fazendeiros escolhiam
os membros da câmara entre os homens-bons do lugar.
Para ser homem-bom, tinha de ser branco, católico e não Os navios negreiros (tumbeiros) eram superlotados e
exercer atividades manuais. Se fosse casado, a mulher sem higiene. Cerca de 30% dos negros morriam na
também deveria ter estas condições. Enfim, só pessoas viagem. Os que chegavam ao Brasil eram vendidos como
ricas poderiam ser homens-bons. mercadoria.
Os escravos eram trabalhadores fundamentais no
O índio: Não trabalha porque não conhece o dinheiro nem engenho. Para o Jesuíta Antonil, “Os escravos são as
tem ganância capitalista. A idéia de que índio é mãos e os pés do senhor de engenho, porque sem eles
preguiçoso veio para justificar a escravidão do negro. no Brasil não é possível fazer, conservar e aumentar
A nudez, delicadeza, ternura, hospitalidade e alegria do fazenda, nem ter engenho corrente”.
índio trouxeram a idéia européia de que o índio não tinha No engenho, o trabalho só parava nos dias santos. Era
cultura. Os colonos viam os índios como mão-de-obra e costume o senhor conceder lotes de terras para que seus
as índias como objeto sexual. Alguns brancos escravos, que tivessem família, os cultivassem aos
concumbinavam (amigavam) com as índias; Não casavam domingos e feriados. Essa prática, chamada Brecha
porque para serem homens-bons era preciso que suas Camponesa, tinha como objetivo principal tirar dos
esposas fossem brancas e católicas. ombros do senhor a obrigação de alimentar o escravo.
Também visava evitar revoltas e fugas.
Economia açucareira: De acordo com a política Para perseguir escravo fugido criou-se a profissão de
mercantilista, a ocupação da colônia exigia uma atividade capitão do mato. O medo de uma rebelião dos cativos
econômica que complementasse a economia portuguesa tirava o sono da minoria branca.
e fixasse o colono na terra, pois Portugal precisava povoar No Brasil nunca houve escravo branco. Havia o escravo
o Brasil para assegurar sua posse. O pau-brasil era uma chamado de ladino – que sabe falar português.
atividade que não fixava a população num determinado
lugar. Para lucrar, os portugueses tinham de produzir Sociedade açucareira: Era escravista, sem mobilidade
gêneros agrícolas tropicais para o mercado europeu. Eles social, rural, bipolar, aristocrata e patriarcal. O pai tinha
já conheciam a cana, que era cultivada nas ilhas poder sobre todos que o cercavam - familiares,
atlânticas (Açores e Madeira). O açúcar era um produto agregados, trabalhadores livres e escravos. Desse
altamente rentável. No litoral brasileiro havia o clima patriarcalismo nasceu o machismo dos dias atuais.
quente, úmido e o solo de massapé, principalmente em Escravo é diferente do servo do feudalismo. Servo é
Pernambuco e na Bahia. O Brasil tinha terras em gente, dono do seu próprio corpo e não pode ser vendido.
abundância para o cultivo. Como Portugal não tinha Escravo é coisa, não é dono nem do seu próprio corpo. É
dinheiro, os holandeses financiavam a instalação dos um bem que pode ser vendido, emprestado, alugado.
engenhos. Eles transportavam, refinavam e distribuíam o Juridicamente, não tinha nenhum direito - era igual a uma
açúcar. Sendo intermediários entre o produtor e o enxada ou foice.
consumidor, os holandeses ficavam com a maior parte do
lucro. A Igreja: Todos os habitantes do Brasil eram obrigados a
Para ser rentável, a produção tinha de ser feita em ser católicos. Expandir a fé cristã era a justificativa
grande escala, por isso foi estruturada em plantation - ideológica da colonização. Pra cá vieram várias ordens
grande propriedade (latifúndio), monocultura, grande religiosas: Jesuítas, franciscanos, carmelitas,
produção visando o mercado externo e com trabalho beneditinos... A Companhia de Jesus era a principal. Os
escravo. A plantation era quase auto-suficiente, pois jesuítas exerceram o papel de mestres, mas o ensino
produzia os gêneros de subsistência necessários à superior era proibido na colônia. Catequizaram índios e
alimentação de escravos, assalariados e senhores. organizaram missões no sul do Brasil e na Amazônia, que
os protegiam da escravidão, mas exploravam seu trabalho
A escravidão: Com a montagem dos engenhos, o índio em proveito próprio. Defendendo os índios da escravidão,
foi escravizado. Muitos morriam com doenças como gripe os jesuítas entravam em conflito com os colonos. Em
e varíola, que foram trazidas pelo europeu e o organismo 1759, Pombal expulsou os jesuítas do Brasil.
do índio não oferecia resistência a elas. Existia o mito da Às vezes a inquisição fazia visitas ao Brasil. Os
“indolência inata do índio”, pregando que o índio é acusados eram levados a Portugal para serem julgados.
inadequado para o trabalho, difícil de ser capturado,
defendido pelos jesuítas e fugia com facilidade, mas isso Subsistência: A mandioca era o principal produto, pois a
era só marketing para Portugal utilizar o trabalho escravo farinha foi o alimento básico do brasileiro. O fumo era o
negro. A causa principal da implantação da escravidão segundo produto de exportação, sendo utilizado
negra foi o lucro do tráfico negreiro; A coroa, a burguesia juntamente com a cachaça no escambo para aquisição de
e a igreja não lucravam com a escravidão do índio, que é escravos. O algodão, usado na fabricação de tecidos de
capturado aqui mesmo. Por isso a escravidão indígena foi baixa qualidade para os pobres, tornou-se o terceiro
proibida; Na prática continuou existindo, pois aqui não produto de exportação porque era matéria-prima na
tinha polícia. O comércio de escravos era altamente Revolução Industrial. Foi produzido no Maranhão, que no
rentável. A Igreja lucrava com a escravidão de negros e a decorrer da guerra civil americana (Guerra de Secessão),
justificava dizendo que a alma do negro é impura, chegou a ser o maior exportador mundial. Terminada a
devendo ser purificada com o trabalho. O negro deveria guerra, voltou a sofrer a concorrência com os Estados
ser escravizado para que, através do batismo, salvasse Unidos e decaiu.
sua alma. A pecuária bovina no Nordeste fornecia força de tração,
Para capturar os negros na África, os portugueses meio de transporte, carne e couro para os engenhos. Os
estimulavam guerras entre as tribos. Os vencedores vaqueiros eram trabalhadores livres que recebiam parte
trocavam os vencidos por fumo e cachaça (escambo). Na das crias como pagamento. A pecuária foi responsável
África, os negros viviam em tribos heterogêneas, pelo povoamento do sertão nordestino e pela colonização
geralmente inimigas. Estimular guerras entre elas era do interior do Brasil, pois o gado estragava as plantações
fácil. e foi proibido no litoral.
O Brasil era a única solução para refazer a economia
União Ibérica (1580-1640): O rei português D. Sebastião portuguesa. D. Maria I, a louca, proibiu a manufatura no
morreu sem deixar sucessor direto. O trono foi herdado Brasil. Foram criadas companhias de comércio, com
por Felipe II, rei da Espanha. A nobreza portuguesa direito ao monopólio sobre certos produtos. A opressão
aceitou a união, pois já tinha ligações com a nobreza aumentou e causou várias revoltas.
espanhola. Como a união anularia o Tratado de
Tordesilhas, a alta burguesia lusa apoiou, pois se REAÇÃO COLONIAL
interessava em ter acesso ao ouro das colônias As primeiras revoltas eram nativistas – que não
espanholas. pretendiam à libertação da colônia. Tinham caráter local e
não tinham base ideológica. Eram reações contra a
Invasões holandesas: A Holanda era colônia da política fiscal da metrópole ou conflitos entre colonos.
Espanha católica, mas aderiu ao calvinismo e declarou Geralmente visavam proteger o bolso da elite.
sua independência. Lá havia tolerância religiosa, o que
atraía judeus. Na tentativa de recolonizar a Holanda, Revolta de Beckman (Maranhão-1684): Liderada pelos
Felipe II procurou arruiná-la economicamente com um irmãos Tomás e Manuel Beckman. Foi contra os jesuítas,
embargo econômico que proibia o comércio entre as que proibiam a escravidão do índio, e a Cia de Comércio
colônias espanholas e a Holanda. Como Portugal estava do Maranhão, que cobrava altos preços pelos escravos e
sendo governado pelo rei da Espanha, as colônias roubava nos pesos e medidas de seus produtos.
portuguesas tiveram de aderir ao embargo. Os
holandeses passaram a atacar colônias luso-espanholas. Guerra dos Mascates (1710): Foi uma disputa entre
A Companhia das Índias Orientais ocupava colônias do Olinda e Recife. Com o declínio da economia açucareira,
Oriente e a Companhia das Índias Ocidentais ocupou o os latifundiários de Olinda empobreciam. Os comerciantes
Brasil. de Recife, a quem os olindenses chamavam de mascates,
emprestavam dinheiro para Olinda. Recife foi elevada à
Holandeses no Brasil (1624-1644): A Bahia foi escolhida categoria de vila. Olinda não se conformou com a
porque era a capital do Brasil e a Segunda produtora independência política de Recife, invadindo-a. Ao final da
brasileira de açúcar. A reação aos holandeses foi feita luta, Portugal confirmou a independência de Recife. Pode-
pela elite agrária, sob comando de Matias de se dizer também que a luta ocorreu devido ao pelourinho,
Albuquerque. que era o local onde os escravos eram amarrados e
Os holandeses foram expulsos da Bahia, mas açoitados, mas simbolizava a emancipação: Construía-se
organizaram a invasão de Pernambuco, o maior produtor um pelourinho em toda região elevada a categoria de vila.
de açúcar do mundo. Contaram com a ajuda de Calabar,
que havia lutado ao lado de Matias de Albuquerque na Expansão territorial: No início, a colonização portuguesa
Bahia e passou informações sobre a região e a tática de era litorânea, pois a economia girava em torno de
guerrilha dos soldados de Matias. produtos que eram produzidos no litoral. Enquanto durou
A luta não interessava a ninguém. Os senhores tinham o domínio espanhol sobre Portugal, o Tratado de
seus canaviais destruídos e perdiam escravos, que fugiam Tordesilhas ficou anulado, pois as terras lusas e
ou morriam na guerra. Os holandeses tinham gastos para espanholas pertenciam ao mesmo rei. Portugueses
sustentar a luta. Aos senhores interessava vender a estabeleceram-se em territórios espanhóis.
produção; Aos holandeses, compra-la. Restabeleceram-
se as relações comerciais entre eles. Colônia de Sacramento: Portugal ultrapassou a linha de
Nassau foi nomeado pela Companhia das Índias Tordesilhas e fundou a colônia de Sacramento. Com o fim
Ocidentais (WIC) para governar os domínios holandeses da União Ibérica, iniciou-se o conflito pela terra. A aliança
no Brasil. Ele completou a conquista holandesa do Luso-Britânica forçou as negociações, pois a Espanha
Sergipe ao Maranhão, mas nunca conseguiu conquistar a temia um conflito com a Inglaterra. Assim, foi assinado o
Bahia. Recife foi urbanizada para se transformar na “Nova Tratado de Madrid (1750), que deu ao Brasil sua
Holanda”. configuração atual. Este tratado definiu a posse das terras
ocupadas, pois a Espanha aceitou a tese do Uti-possidetis
Insurreição Pernambucana: A Companhia das Índias (usocapião), onde a terra pertence a quem ocupa. Assim,
Ocidentais - WIC - emprestou dinheiro aos fazendeiros. A o Tratado de Madrid anulou o Tratado de Tordesilhas.
Holanda se envolveu em guerras, a WIC demitiu Nassau e
exigiu o pagamento das dívidas, ameaçando os senhores Entradas e Bandeiras: A Capitania de São Vicente faliu.
com o confisco dos bens. Os senhores de engenho, para Suas condições físicas, com solo pouco fértil, não eram
se livrarem do pagamento de suas dívidas, expulsaram os apropriadas ao plantio da cana e a grande distância dos
holandeses do Brasil. Uma guerra contra a Inglaterra mercados consumidores levou os capitalistas a investirem
enfraqueceu a Holanda. em Pernambuco e na Bahia. A população vicentina tentou
Com a expulsão dos holandeses, a economia sair da miséria organizando bandeiras, que eram
açucareira entrou em crise, pois eles aprenderam a expedições militares particulares. Daí, podemos dizer que
técnica de fabricação aqui e foram produzir açúcar nas a bandeira é um fenômeno vicentino.
Antilhas. A produção nordestina não conseguiu concorrer Havia também as entradas, que eram expedições
com um açúcar melhor e mais barato. O Brasil conheceu patrocinadas pela coroa. Elas buscavam fazer o
sua primeira grande crise econômica. reconhecimento geográfico e a exploração mineral.
Partiam do Espírito Santo, Pernambuco, Maranhão, etc.
Conselho Ultramarino: Criado para centralizar a
administração colonial. Ao Conselho Ultramarino cabiam Bandeira de caça ao índio (apresamento): Os
todas as decisões coloniais, o que limitou o poder das holandeses invadiram as áreas fornecedoras de escravos
Câmaras Municipais e dos homens-bons. e só forneciam negros para regiões sob sua dominação. O
índio passou a ser uma mercadoria rentável. O
bandeirante o apresava no interior do Brasil para vendê-lo Cada pretendente concorria a uma área de tamanho
como escravo. Depois, passou a apresá-lo nas Missões, proporcional ao número de escravos que possuía.
onde ele já estava aculturado, em grande quantidade e A exploração aurífera se estruturou em dois tipos: As
habituado ao trabalho. Daí, os atritos entre padres e Lavras eram grandes unidades de extração, que devido
colonos aumentaram. As missões foram destruídas. ao seu tamanho, exigiam um grande número de escravos
Quando os portugueses reconquistaram o tráfico negreiro, e um volume de capital razoável; As Faisqueiras eram
a caça ao índio entrou em declínio. pequenas unidades onde a extração era feita por
garimpeiros que trabalhavam sozinhos ou com um
Sertanismo de contrato: Conhecedores dos sertões e pequeno número de escravos, utilizando técnicas e
habituados à luta, os bandeirantes foram contratados para equipamentos inferiores aos das lavras.
destruir quilombos, redutos de escravos fugidos que se
localizavam em lugares de difícil acesso. Impostos: A Quinta parte do ouro (20%) extraído era da
O maior quilombo era Palmares, localizado na Serra da Coroa Portuguesa. Qualquer pessoa poderia garimpar,
Barriga, no atual Alagoas. Palmares era um verdadeiro desde que pagasse o Quinto. Como o Quinto era
Estado negro autônomo dentro do Brasil. A elite o via sonegado e o ouro em pó, contrabandeado, foram criadas
como um estímulo a fuga e a desordem, por isso tinha de as casas de fundição, onde o ouro em pó seria fundido em
destruí-lo. O bandeirante Domingos Jorge Velho, liderou barras que teriam o selo real e o quinto era retirado. O
uma expedição de dez mil homens e cercou o quilombo. ouro em pó foi proibido de circular, mas as casas de
Zumbi, chefe do quilombo, conseguiu fugir, mas foi fundição não tiveram êxito; A circulação do ouro em pó e
aprisionado e decapitado em 20 de novembro de 1695. a sonegação continuaram. Instituiu-se a delação para
Por isso, atualmente, este é o dia da consciência negra. ajudar no controle do contrabando. O denunciante era
premiado.
Prospecção (caça ao ouro): A decadência do Na região aurífera, os padres faziam o “descaminho” do
apresamento ao índio colocou a bandeira para procurar ouro (contrabando), por isso as ordens religiosas foram
pedras e metais preciosos. Portugal financiava as proibidas nas minas. No lugar do clero, surgiram
bandeiras de prospecção, pois estava em crise econômica confrarias, irmandades religiosas leigas que se
e o ouro seria sua salvação. Várias bandeiras partiram organizavam de acordo com a raça (branco, negro,
para o interior do Brasil, descobrindo jazidas. mulato). As “negras de tabuleiro” (vendedoras de doces)
As bandeiras foram responsáveis pelo alargamento das também faziam o “descaminho” e foram proibidas na
fronteiras fixadas no Tratado de Tordesilhas e pela região.
interiorização da colonização do Brasil. Havia imposto para todas as atividades na colônia.
Criaram-se postos fiscais que cobravam impostos sobre a
Guerra dos Emboabas (1709): Foi causada pela disputa passagem de pessoas, animais e mercadorias: A
entre os paulistas e os forasteiros pelo domínio da região Passagem era um pedágio cobrado sobre pessoas e
aurífera. Vinha gente de todas as partes para a região das animais em trânsito para as minas; As Entradas eram
minas. Os paulistas andavam descalços e chamavam os cobradas sobre as mercadorias que se destinavam às
forasteiros de emboabas (galinha calçada). Após o minas; A Capitação era cobrada por cabeça e exigia o
conflito, os paulistas foram vencidos e o território dividido pagamento de uma taxa sobre cada escravo; O dízimo
em Minas e Gerais: Minas era a região produtora de ouro pertencia à igreja. Os “donativos” eram colaborações
e diamantes, Gerais, onde não produzia nada, só tinha “voluntárias” para Portugal cobrir gastos com guerras,
mato. casamentos, dotes...
Durante a guerra ocorreu o Capão da Traição, onde os Pessoas que não eram mineradoras também tinham de
emboabas prometeram respeitar a vida dos paulistas que pagar estes impostos. Eles elevavam o custo de todas as
se rendessem. Eles renderam-se, mas foram mercadorias que entravam nas minas, fazendo elevar a
assassinados. inflação e o custo de vida na região.
Em 1750 a Coroa estipulou que o Quinto deveria somar,
Mineração: O ouro encontrado pelos bandeirantes era de no mínimo, 100 arrobas anuais (1500 kg). Se essa quantia
aluvião, fácil, catado por cima da terra, nos rios e não fosse atingida, seria decretada a Derrama, que era a
córregos. Esse ouro de aluvião se esgotou e os cobrança do imposto complementar para se chegar as
mineradores tiveram de procurar em minas, iniciando o 100 arrobas, a cobrança do imposto atrasado. Qualquer
garimpo. As técnicas rudimentares utilizadas não exigiam pessoa, fosse ou não minerador, deveria pagar.
trabalho especializado. Mudava-se de ponto sempre que o Na região mineradora, formou-se um sentimento
filão aurífero se esgotava. nativista mais acentuado, pois Portugal explorava muito
O povoamento da região mineradora foi rápido devido mais essa região do que o restante da colônia.
ao surto migratório. Veio gente de todas as partes e de
todo tipo, mas predominava a população branca. Revolta de Felipe dos Santos (Vila Rica-1720): Também
Na região das minas faltava tudo: Desde alimentos até chamada de Sedição de Vila Rica, foi um movimento
animais de transporte e escravos. contra a criação das casas de fundição. Portugal enforcou
e esquartejou Felipe.
Administração das Minas: Portugal decretou o
Regimento de 1702, impondo absoluto controle sobre a Exploração de diamantes: Os diamantes foram
mineração. O Regimento criou a Intendência das Minas, encontrados no arraial do Tijuco, hoje Diamantina. Sua
que só devia obediência ao rei e tinha amplos poderes extração era monopólio da coroa, que concedia o direito
sobre a mineração. de extração a quem pagasse. Como o pobre não
De acordo com o Regimento, quem achasse uma jazida conseguia pagar, roubava. Quem pagava (o contratador),
tinha de comunicar às autoridades, que faziam a exercia autoridade sobre os moradores do Distrito
demarcação do terreno em lotes (dadas) para sortear. Diamantino e as pessoas que por lá transitavam. Para
evitar o contrabando, ninguém podia entrar ou sair sem a sorte. Se não achasse ouro, o pobre podia se dedicar ao
autorização. comércio, contrabando, roubo; Enfim, um homem pobre e
livre tinha mais oportunidades na região mineradora do
Sociedade mineradora: Era urbana. Aumentou o número que na região açucareira. Embora a mineração tenha
de profissionais liberais (sapateiro, pintor advogado...). utilizado mais trabalhadores livres do que o açúcar, a
Nasceu a mobilidade social e as classes médias. Uma das base do trabalho continuou sendo escrava.
provas da mobilidade social está na compra da alforria por
parte dos escravos. O mito da riqueza da mineração: A maioria da
No mundo rural, o senhor tinha maior controle sobre o população vivia na pobreza, com o nível de vida baixo. O
escravo, mas no cenário urbano isso era dificultado, pois que Minas tinha era miséria e atraso econômico. Ninguém
havia contato entre negros libertos e cativos. Na plantava nem criava nada, tudo era importado e custava
aparência, o que os diferenciava era o uso de sapatos, muito caro, pois o desabastecimento fazia faltar de tudo.
que era o símbolo da liberdade para o negro livre, pois
seu uso era proibido ao cativo (escravo). Declínio da mineração: A partir de 1750, terminou a
A escravidão se adaptou ao mundo urbano. Havia abundância de ouro o rendimento das minas caiu. O ouro
o escravo de ganho, que era quase um autônomo; de aluvião acabou e era necessário aprofundar a
trabalhava por conta própria, com relativa liberdade, mas exploração (cavar). Não havia tecnologia para isso. A
tinha de dar parte dos seus ganhos para o seu rocha dura era o grande obstáculo. A mineração estava
proprietário. falida.
Colocar o escravo ao ganho era vantagem para Portugal estava arruinado economicamente e sob
ambos os lados. O senhor se livrava do custo do sustento ameaça da Espanha. Por isso foi obrigado a fazer
do escravo e do gasto com sua fiscalização, além de alianças e assinar tratados comerciais desvantajosos com
conseguir uma renda com o trabalho dele. Para o escravo, a Inglaterra.
ir ao ganho significava uma possibilidade de juntar
dinheiro e comprar sua própria liberdade. Muitos escravos Tratado de Methuen (ou Tratado dos Panos e Vinhos -
conseguiram comprar sua alforria através da coartação 1703): O comércio de panos e vinhos entre Inglaterra e
(pagamento parcelado da alforria), o que comprova a Portugal seria feito sem pagar impostos. Portugal
mobilidade social. comprava muito tecido e vendia pouco vinho. O vinho era
Além do escravo de ganho, havia também o mais barato do que o tecido. Logo, Portugal ficou
escravo de aluguel. Ambos exerciam diversas atividades: endividado. O ouro brasileiro não ficou em Portugal, foi
eram vendedores ambulantes, barbeiros, carpinteiros, para a Inglaterra devido aos prejuízos de uma balança
pedreiros, sapateiros, carregadores, lavadeiras, etc. O comercial deficitária.
escravo urbano também era empregado em tarefas para “A mineração deixou buracos no Brasil, igrejas em
as quais se exigia certa especialização (pedreiro, Portugal e fábricas na Inglaterra”. Além das desvantagens
barbeiro...). Quanto maior fosse essa especialização, comerciais, este Tratado acabou com a possibilidade
maior era o ganho dele e do seu senhor. portuguesa de desenvolver sua manufatura, já que seus
A necessidade de se conseguir dinheiro para a produtos não conseguiam competir com os produtos
compra da alforria causava rivalidade e concorrência entre ingleses. O cultivo de cereais foi substituído pela uva,
os escravos. Eles não se uniam, o que impedia um arrasando a agricultura lusa.
ajuntamento geral ou uma maior solidariedade entre a Recebendo a maior parte do ouro produzido no Brasil, a
população escrava. Inglaterra aumentou suas fábricas e passou a ser o centro
financeiro da Europa.
CONSEQUÊNCIAS DA MINERAÇÃO
Urbanização: No restante do país, as cidades e vilas não A Era de Pombal (1750-1777): O Marquês de Pombal
tinham vida social, econômica e política própria, governou Portugal e suas colônias com mão de ferro.
dependiam dos latifúndios ao seu redor. Na região das Pretendendo anular os efeitos do Tratado de Methuen,
minas os núcleos urbanos controlavam toda a vida aumentou a opressão sobre o Brasil. Ele expulsou os
econômica, social e política. jesuítas daqui, alegando que eles estavam montando um
império próprio no Brasil. O Marquês reformou o ensino,
Desenvolvimento do mercado interno: A região retirando a educação das mãos dos padres e colocando-a
mineradora só produzia ouro. O Brasil era o maior nas mãos de professores leigos. O nível caiu. Ele foi
produtor mundial do metal. Os mineradores colocavam considerado déspota esclarecido, mas quando o rei D.
todos os seus escravos à procura de ouro e não José I morreu, os padres e a nobreza articularam a
plantavam nada. Tudo era comprado de outras regiões a demissão dele pela herdeira do trono, D. Maria I, a louca,
preços altíssimos, com pagamento em ouro. A maioria da que fez “a Viradeira” - desmontagem do que Pombal havia
população era pobre e sofria crises de fome. Havia crise criado, uma reação antipombalina. A opressão colonial
de abastecimento. Portugal não produzia os produtos que continuou, mas D. Maria I anulou várias medidas de
vendia ao Brasil; comprava-os da Inglaterra para revende- Pombal, extinguindo, por exemplo, as companhias de
los aqui. comércio.

Ampliação do trabalho livre: O eixo econômico da CRISE DO SISTEMA COLONIAL


colônia passou do Nordeste para o centro-sul. Em 1763, o Influências externas: O Iluminismo questionava as bases
Rio de Janeiro, porto importador e exportador, tornou-se do sistema colonial (absolutismo, mercantilismo, os
capital do Brasil. A transferência da capital de Salvador privilégios da nobreza e do clero, etc). A independência
para o RJ objetivou aumentar o controle da região dos EUA dava o exemplo de que era possível se libertar
mineradora. de uma metrópole européia. A Inglaterra defendia o fim do
A mineração, ao contrário do engenho, não exigia muito pacto colonial, pois queria mercado para seus produtos. A
capital. Havia lugar para homens livres e pobres tentarem Revolução Francesa acabou com o Antigo Regime na
Europa e seu ideal de liberdade foi adotado pelos tempo em que todos seremos irmãos; o tempo em que
brasileiros devido a sua oposição ao absolutismo e ao todos seremos iguais...” Investigações prenderam os
sistema colonial. soldados Luís Gonzaga e João de Deus. Os líderes
mulatos enforcados.
Mudanças internas: A sociedade se urbanizou, a classe
média mandava seus filhos estudarem na Europa e eles Inconfidência Carioca: Foi a repressão a uma
traziam as idéias Iluministas. A opressão metropolitana e associação de intelectuais literários que se reuniam no
o arrocho fiscal originavam revoltas separatistas - que Rio de Janeiro, em torno de uma sociedade literária,
visavam a emancipação política (independência) de parte fundada em 1771, com o nome de Academia Científica do
do Brasil e tinham base ideológica no Iluminismo ou na Rio de Janeiro. Nas reuniões da academia, eram
Revolução Francesa. discutidos assuntos filosóficos e políticos, semelhantes
aos que se discutiam na Europa. Os acontecimentos
Inconfidência Mineira (1789): Foi um movimento que envolvendo a Inconfidência Mineira e a Revolução
não chegou a ser executado, foi só planejado pela elite Francesa tornaram a discussão desses assuntos e a
que não queria pagar impostos abusivos. posse de determinados livros comprometedora aos olhos
A mineração decaía. Os grandes mineradores eram das autoridades coloniais.
ricos e devedores de impostos. A eles juntaram-se os Temendo o desencadeamento de uma revolta, o
latifundiários. Falava-se em criar uma universidade em novo vice-rei, Conde de Resende, resolveu fechar a
Vila Rica, doar terras às famílias pobres, adotar uma Sociedade e processar seus membros em 1794. Entre os
bandeira, dar pensões às famílias pobres, tudo para inconfidentes cariocas estavam o poeta Manuel Inácio da
entusiasmar os ingênuos, pois a ordem social Silva Alvarenga, Vicente Gomes e João Manso Pereira.
(escravidão) seria mantida. Assim como nas inconfidências anteriores, os
O Iluminismo e a independência dos EUA influenciaram inconfidentes cariocas foram delatados em função de
os intelectuais das minas. A opressão fiscal gerou um suas idéias iluministas e a suspeita do envolvimento com
clima de insatisfação que chegava ao auge com a a maçonaria. Chegaram a ser presos, mas como as
Derrama. Os revoltosos queriam se aproveitar da autoridades não encontraram provas a respeito da
Derrama para levantar a região das minas contra a coroa, conspiração ou da posse de livros proibidos, os detidos
pois a cobrança dos impostos atrasados iria atingir a foram liberados.
todos; Quem não era minerador também tinha de pagar.
No dia da Derrama o povo estaria revoltado e, como VINDA DA FAMÍLIA REAL PARA O BRASIL
massa de manobra, faria adesão ao movimento. Napoleão decretou o Bloqueio Continental à Inglaterra,
Alguns intelectuais chegaram a pedir auxílio aos EUA pelo qual nenhum país poderia comercializar com ela, sob
para o caso de uma possível guerra, mas o governo norte- pena de ser invadido pela França. Portugal furou o
americano não tomou nenhuma posição. Bloqueio e comercializou com a Inglaterra; foi invadido
Era preciso ter alguém que fosse popular para, no dia da pela França. Temendo morrer ou ser preso, D. João fugiu
Derrama, convencer o povo a participar do movimento. para o Brasil. A Inglaterra protegeu a corte na fuga.
Tiradentes, insatisfeito com sua baixa posição de alferes, Com a vinda de D. João, houve a Inversão Brasileira:
já contestava a dominação lusa. Aceitou o convite para Portugal era a sede administrativa do Brasil; agora o
fazer parte do movimento. Nas reuniões, se destacava Brasil virou a sede da administração de Portugal, pois o
como o líder capaz de conseguir apoio do povo, mas na rei de Portugal estava morando aqui.
prática não iria liderar nada, também seria massa de
manobra da elite. Para convencer as pessoas, Tiradentes Governo joanino (1808-1822): D. João decretou a
falava nas tavernas e foi denunciado, mas as autoridades abertura dos portos às nações amigas, o que significou o
não levaram à serio, até que Silvério dos Reis, membro da fim do pacto colonial. O Brasil poderia comercializar com
conspiração e grande devedor, delatou os colegas em outros países, desde que não fossem inimigos de
troca do perdão das dívidas. Todos foram presos e onze Portugal, mas na prática nenhum deles teve condições de
condenados à forca, mas só Tiradentes morreu, pois era concorrer com a Inglaterra devido às tarifas alfandegárias
“pobre”. Morto e esquecido, só foi relembrado cem anos preferenciais que os produtos ingleses tinham no Brasil.
depois, na Proclamação da República, que precisava de
um herói, já que não teve participação popular. Assim, a Tratados de 1810: Criava tarifas de alfândega
República criou uma imagem endeusada do mártir, preferenciais para a Inglaterra. Mercadoria inglesa pagaria
barbudo e cabeludo como a imagem de Jesus, mas a menos imposto para entrar no Brasil. Este tratado limitou
pessoa Tiradentes viveu no Brasil colônia e o mito a possibilidade de crescimento industrial do Brasil, pois o
Tiradentes foi inventado no Brasil República. produto brasileiro não conseguiria competir com o inglês,
melhor e mais barato devido à baixa tarifa de alfândega.
Conjuração Baiana (ou dos alfaiates - 1798): A D. João Havia assinado o Alvará de Liberdade
Inconfidência Mineira foi um movimento político elitista e Industrial, que permitia a manufatura no Brasil, mas ele
influenciado pela independência dos EUA. A conjuração virou letra morta devido aos tratados de 1810, já que a
Baiana foi um movimento social, influenciado pela manufatura brasileira não conseguia concorrer com o
Revolução Francesa e liderado por negros e mulatos. produto inglês.
Ambas visavam a emancipação colonial com a
implantação de uma República, mas a Baiana Se você estudou comigo, para lembrar o que é tarifa de
questionava as desigualdades sociais, pregando o alfândega (protecionismo) basta lembrar do exemplo do
aumento do soldo dos militares e uma democracia racial, Nike e do Ki-chute (desenho abaixo).
com o fim da escravidão.
Foi a primeira revolução social brasileira. Boletins e
incitavam o povo à rebelião: “animai-vos povo baiense
que está para chegar o tempo feliz da nossa liberdade; o
D. João a Portugal e a recolonização do Brasil. Em 1821
D. João saqueou o Banco do Brasil e voltou para Portugal,
deixando aqui o seu filho Pedro de Alcântara como
Príncipe Regente.
A Revolução do Porto é Liberal para Portugal e
conservadora para o Brasil: Liberal para Portugal porque
previa uma Constituição para o reino luso, o que
asseguraria as liberdades. Conservadora para o Brasil
porque previa a nossa recolonização (o Brasil era Reino
Unido).

A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL
Outras realizações: Para ganhar a simpatia da elite, D.
João distribuiu títulos de nobreza, criou o Banco do Brasil,
escolas de ensino superior, a imprensa régia, a biblioteca
nacional, o jardim botânico, etc. A maior parte dessas
obras servia de cabide de emprego, usado para sustentar
a corte. Ele também anexou a Província Cisplatina
(Uruguai) ao Brasil.
Após a queda de Napoleão, na França, veio ao
Brasil a Missão Artística Francesa. Era um grupo de
artistas que tinha como objetivo criar uma escola superior
destinada ao ensino oficial das artes no Brasil. Em 1816,
D. João criou a Escola Real de Ciências, Artes e Ofícios,
atualmente conhecida como Universidade Federal do Rio Quadro “Independência ou Morte” (a dir.), mais conhecido como
de Janeiro, mas devido a fatores políticos e sociais, a “o Grito do Ipiranga”, de Pedro Américo. Na verdade, não havia
Escola só funcionou dez anos mais tarde. cavalo branco: D. Pedro estava em uma mula.

Elevação do Brasil à Reino Unido (1815): Após a D. João havia promovido o Brasil a Reino Unido, o que
derrota de Napoleão, formou-se o Congresso de Viena, significa que o Brasil tinha autonomia administrativa, ou
que cobrava indenizações da França, porém Portugal não seja, juridicamente, o Brasil deixava de ser colônia – aos
receberia, pois estava ocupado pela Inglaterra e o rei olhos da lei, Brasil e Portugal seriam dois países
morava em uma colônia. A solução foi elevar o Brasil a independentes, mas governados pelo mesmo rei.
categoria de Reino Unido a Portugal e Algarves. Assim, Também foi feita a Abertura dos Portos, que nos dava
Portugal e Brasil seriam dois reinos independentes, mas autonomia comercial. Antes da Abertura dos Portos,
com o mesmo rei. Isso Significou a emancipação política vigorava o pacto colonial, onde os comerciantes
do Brasil, que Juridicamente deixava de ser colônia. O portugueses eram os intermediários de todas as trocas
Brasil chegou até a enviar deputados no Congresso comerciais do Brasil com Portugal e o resto do mundo:
português. eles compravam matéria-prima no Brasil e as revendiam
ao consumidor europeu – e compravam produtos
Revolução Pernambucana de 1817: Dos movimentos industrializados na Europa e os revendiam ao consumidor
precursores da independência, foi o único que ultrapassou brasileiro. Isso significa que Portugal tinha monopólio
a fase conspiratória, pois os revoltosos chegaram a sobre o comércio do Brasil. Tal monopólio era chamado
ocupar o poder. de pacto colonial (a colônia só comercializa com a
O nordeste perdia força política, desagradando a elite metrópole).
local. Para sustentar a corte, D. João aumentava os Com a Abertura dos Portos, o monopólio português
impostos. Pernambuco revoltou-se com um movimento sobre o comércio brasileiro acabou. O comércio de
republicano visando à Independência. Era influenciado Portugal despencou. Então, os comerciantes portugueses
pela Independência dos EUA, Revolução Francesa e lideraram a Revolução do Porto, que exigia a
movimentos revolucionários da América Espanhola. Os recolonização do Brasil (fim da Abertura dos Portos e
latifundiários e os comerciantes brasileiros participaram volta do pacto colonial). Visando anular o governo
porque eram contra o monopólio comercial. O clero brasileiro, Portugal exigiu que D. João voltasse para
participou porque as ordens religiosas eram grandes Lisboa. Ele voltou, mas deixou D. Pedro no Brasil, em seu
proprietárias rurais. Os pobres participaram devido à falta lugar.
de alimentos que os colocava a mercê dos comerciantes A preocupação central da elite brasileira era conservar a
portugueses. A maçonaria divulgava os novos princípios autonomia comercial do Brasil, pois a intermediação de
liberais. Os revoltosos ocuparam Recife e formaram um Portugal só servia para encarecer os produtos; vale
governo provisório. A falta de orientação política e de lembrar que Portugal não produzia os produtos que ele
brilho militar aniquilou o movimento. Os rebeldes foram vendia aos colonos; comprava da Inglaterra e os revendia
enforcados. mais caro ao Brasil.
Diante da ameaça de recolonização do Brasil, a elite se
Revolução do Porto (1820): Buscava restaurar a mobilizou em torno de D. Pedro para que ele fizesse a
dignidade de Portugal como nação soberana. Com a independência. Se o Brasil ficasse independente, poderia
saída de Napoleão, Portugal foi governado pela Inglaterra. comercializar com qualquer país, sem o intermédio de
Com os Tratados de 1810, a burguesia lusa perdeu para a Portugal. E este era o desejo dos ricos.
Inglaterra o comércio do Brasil. Revoltada, a burguesia Foi feito um abaixo-assinado pedindo a D. Pedro que
tomou o poder de Portugal. A revolução exigia a volta de ficasse no Brasil. Como resposta ele disse:
- “Como é pelo bem de todos, felicidade e contentamento D. João reconheceu mediante um título honorário e o
geral da nação, diga ao povo que fico”. pagamento de dois milhões de libras. Essa era a quantia
Com o “Dia do Fico” (9/01/1822), D. Pedro recebeu da que Portugal devia a Inglaterra. Grande parte dessa dívida
classe dominante o título de imperador e defensor foi contraída para tentar impedir a independência do
perpétuo do Brasil, pois só com ele seria possível libertar Brasil. Resumindo, mesmo vencendo a guerra de
o país de Portugal sem fragmentar o território e sem independência, o Brasil pagou todos os prejuízos a
modificar a estrutura sócio-econômica, o que garantia a Portugal.
propriedade da elite (escravos e terras). O Brasil não tinha dinheiro para pagar Portugal, mas a
Visando anular o governo brasileiro, as Cortes de Lisboa Inglaterra nos emprestou, transferindo a dívida externa de
fecharam as instituições criadas por D. João, destituíram Portugal para o Brasil. Portanto, nossa dívida externa
D. Pedro do papel de Príncipe Regente e anularam as nasceu com o pagamento pela independência.
medidas tomadas por ele. Interventores militares foram A Inglaterra reconheceu nossa independência mediante
nomeados para governar as províncias. Eles só um tratado que acabaria gradualmente com o tráfico
obedeciam ordens de Lisboa, sem dar satisfações a D. negreiro até 1830 e renovava os tratados de 1810 por
Pedro. mais 15 anos. O Brasil independente manteve a
As Cortes de Lisboa reestabeleceram o pacto colonial, dependência econômica, mas em relação à Inglaterra.
ou seja, voltaram o monopólio comercial de Portugal
sobre o Brasil. E exigiram o retorno de D. Pedro a A FORMAÇÃO DO BRASIL INDEPENDENTE
Portugal, mas ele decidiu ficar aqui e fazer a O Brasil nasceu falido. A ordem social
Independência do Brasil. São Paulo, Minas Gerais e Rio (escravidão) foi mantida. Nossa economia era dependente
de Janeiro apoiavam a Independência. As outras do trabalho escravo - só sobrevivia devido ao trabalho
províncias eram governadas por portugueses leais a gratuito. A maioria da população era formada por pobres,
Lisboa. A maçonaria apoiou a Independência e se escravos e analfabetos. Até então, o tráfico de escravos
encarregou de divulgá-la nas regiões mais distantes do era o negócio mais lucrativo do Brasil. As duas riquezas
País. que sustentaram a colônia – mineração e açúcar –
Houve guerra entre D. Pedro e as províncias estavam em decadência.
governadas por Portugueses. A Independência envolveu A Independência do Brasil foi feita pela elite. Não houve
todo o Brasil. Milhares de pessoas morreram na Guerra participação popular. Por isso, pode-se dizer que o Brasil
de Independência, sobretudo nas regiões Norte e foi edificado de cima pra baixo, dispensando a
Nordeste. Portugal enviou tropas para atacar os mobilização popular. Não houve mudanças na ordem
partidários da Independência. social – a escravidão foi mantida.
Quando retornou para Portugal, D. João havia levado Havia diferentes projetos de país. Aqui tinha
todo o dinheiro do Banco do Brasil. O País estava falido e republicano, monarquista, federalista..., mas o projeto que
não tinha exército para sustentar uma guerra. Já Portugal, triunfou foi o de José Bonifácio, o patriarca da
também estava sem dinheiro, mas como era um país Independência (o personagem mais importante da
independente, pôde contrair empréstimos e aumentar sua Independência, depois de D. Pedro). Bonifácio previa um
força militar no Brasil. O Brasil só conseguia empréstimos país integrado, monárquico e constitucional, sob a
a altíssimos juros. Por isso, donativos eram pedidos à liderança de D. Pedro. Esse projeto era o que oferecia
população. menos riscos aos bens da elite (terras e escravos).
Havia recrutamento forçado de pobres, mas faltavam Monarquia é uma forma de governo em que o chefe de
Oficiais para comandá-los. Por isso, foram contratados Estado mantem-se no cargo até a morte ou a abdicação.
mercenários na Europa, como Cochrane e Labatut. Assim, teoricamente, com a Monarquia Dom Pedro iria
Tudo conspirava pela derrota brasileira, mas a governar o Brasil até sua morte. Como ele sempre
Revolução do Porto deu a contribuição decisiva para a defendeu os interesses da elite, continuaria apoiando o
independência do Brasil: as Cortes foram destituídas do latifúndio e a escravidão.
poder e D. João restaurou o absolutismo em Portugal. A Os outros países da América, quando alcançaram a
partir daí, os portugueses do Brasil pararam de receber independência, instauraram a República como forma de
ajuda financeira de Portugal; os brasileiros e mercenários governo. Mas o Brasil instaurou a Monarquia. Sendo a
contratados venceram a Guerra. Por isso, há quem diga única Monarquia da América, falava-se que o Brasil era
que “Portugal fez a Independência do Brasil”. “uma flor exótica na América”.
A integridade do Brasil foi mantida graças à vinda da
O RECONHECIMENTO DA INDEPENDÊNCIA família real; Quando D. João voltou pra Portugal, D.
Reconhecimento interno: Feito à força. Bahia, Pedro, representando a elite rural, se apoderou do Estado
Cisplatina, Grão-Pará, Piauí e Maranhão eram províncias já instalado e não houve repartição do território nacional
governadas por portugueses, que obedeciam a Portugal. como ocorreu na América Espanhola. Lá, mesmo como
Para submetê-las, D. Pedro contratou mercenários franco- massa de manobra, o povo participou da luta de
ingleses. independência. Após a independência, foram criados
vários países sob regime republicano. Aqui não houve
Reconhecimento externo: Foi comprado. Para o Brasil participação popular no movimento de independência.
comercializar com outro país, seria necessário que o outro Para conservar os bens e privilégios da elite (escravidão,
Estado reconhecesse o Brasil como país independente. latifúndio), instituiu-se uma Monarquia e não houve
Por isso, buscar este reconhecimento era necessário para fragmentação do território. Nas antigas colônias
que o Brasil não ficasse isolado economicamente. espanholas, como as lideranças precisaram do apoio de
Os EUA foram o primeiro país a reconhecer nossa índios e negros para a luta, a escravidão foi abolida com a
independência (1824) porque o Presidente James Monroe independência. No Brasil, as guerras de independência
defendia a Doutrina Monroe, com o slogan “a América foram vencidas sem apoio dos escravos, mantendo-se
para os americanos”. Na verdade, os EUA queriam o assim a escravidão.
mercado brasileiro.
Aqui, a luta pela independência só começou quando
houve a ameaça da volta do monopólio comercial de
Portugal sobre o Brasil (pacto colonial) e de voltarmos a
depender das autoridades de Lisboa. Resumindo, a luta
só começou devido à pretensão recolonizadora da
Revolução do Porto.