Você está na página 1de 1

Estudo e Aplicação das Regras sobre o Contrato Individual de Trabalho

O artigo 442 da CLT - Consolidação das Leis do Trabalho Diz: Art. 442 - Contrato individual de
trabalho é o acordo tácito ou expresso, correspondente à relação de emprego.
A carteira de trabalho é essencial para documentar o contrato de trabalho tanto trabalhista, quanto
no previdenciário, o prazo para a devolução da carteira de trabalho é de no prazo máximo de 48
horas.
O contrato de trabalho pode ser classificado em contrato por prazo determinado ou
indeterminado, além dos contratos de experiência que tem por objetivo verificar se o profissional
tem as habilidades e qualidades profissionais, podendo estes ser prorrogados.
O Contrato de trabalho poderá ser suspenso em caso de aposentadoria por invalidez, doença,
quando o funcionário faz algum curso e necessita de uma qualificação no qual ficará um período
afastado, deixando de prestar serviços ao empregador, devendo ser acordado entre as partes,
empregado e empregador.
O contrato de trabalho poderá ser interrompido, e o funcionário continuará recebendo seu
salário, em caso de férias, afastamento por doenças até 15 dias, casamento civil, dentre outros.
O contrato de trabalho pode ser alterado quando há o consentimento entre ambas as partes,
quando há determinação na legislação ou quando o funcionário é promovido.
E haverá a extinção do contrato de trabalho com a rescisão de contrato que poderá ser feita
tanto pelo empregado, quanto pelo empregador.
Quando a dispensa é efetivada pelo empregador e sem justa causa, o trabalhador pode apurar: o
saldo de salário, as férias integrais e proporcionais + 1/3, o aviso prévio, o 13º salário proporcional,
a multa de 40% sobre os depósitos do FGTS, a indenização adicional (data-base) quando a
dispensa se consumar antes do trintídio anterior,
Quando a dispensa se efetivar com justa causa, faz com que o empregado não tenha direito a
qualquer verba rescisória elencada anteriormente, apenas cabendo o saldo de salários e férias
vencidas, se tiver adquirido o direito.
No entanto, se o trabalhador pedir demissão, somente terá direito ao saldo de salários, férias
integrais e proporcionais + 1/3 e 13º salário.
A reforma trabalhista com a sua flexibilização no contrato de trabalho trouxe a demissão por
acordo, podendo empregado e empregador fazer acordo no ato na demissão, neste caso e
empregado terá direito a: sacar 80% do FGTS, a indenização dos 20% sobre o saldo de FGTS,
50% do aviso prévio indenizado, demais verbas trabalhistas (saldo de férias, 13º proporcional, etc),
no entanto não terá direito ao seguro desemprego.
Cumpre ressaltar que o contrato de trabalho é personalizado, devendo ser redigido de forma
adequada e nos termos da lei, contendo informações importantes e claras para o trabalhador,
sendo necessário que este leia atentamente todas as cláusulas contratuais.
Todos os contratos, inclusive o contrato de trabalho necessita ter os elementos essenciais para a
sua eficácia, os quais levarão em conta os princípios da probidade e boa fé entre as partes, pois os
elementos caracterizadores e primordiais do contrato de trabalho e da relação de emprego é a
onerosidade, o trabalho remunerado, a contraprestação do serviço e o recebimento do salário.