Você está na página 1de 15

MTT II

Resumão Parte I - P1

2 – Aços Ferramenta

Aços carbono (medio ou alto teor de carbono) com adição de elementos de liga,
endurecíveis por TT, usado para fabricar qualquer artefato capaz de dar forma a um
material transformando-o em uma peça. Deseja-se: Tenacidade, resistência à abrasão,
habilidade de manter aresta de corte e resistência a def. em altas temperaturas.
Fabricação mais comum é fundição (baixo custo), mas pode ser também sobre fundção
sobre pressão (electroslag), metalurgia do pó, extrusão. Classificação pela AISI.

Trabalho a quente: H e P
Trabalho a Frio: O, W, D,A
Resistentes ao Choque: S
Aços Rápidos: M e T

Série H – ​Aços para trabalho a quente


Aços desenvolvidos para suportar condições combinadas de calor,pressão e abrasão
associadas com puncionamento, cisalhamento ou conformação de metais em alta
temperatura.
Classes: Aços ao cromo, tungstênio ou molibdênio.
Características
Resistência à deformação:​ Resist. ao amolecimento (Cr-425ºC; W 620ºC)
Resistência ao choque:​ Carbono médio (0,35~0,45) + E.L.
Resistência ao desgaste:​ Add E.L. para dureza e tenacidade. Mo e W melhora.
Resistência à distorção no T.T.:​ Baixo empenamento, alta estabilidade estrut.
Usinabilidade:​ Baixa
Resistência aos ciclos térmicos:​ Principal fator para a vida residual desses
aços, aquecimento intermitente pode causar microtrincas. Aço ao Cr são os
melhores nisso.
Custo: ​Cr tem melhor CxB, W e Mo são 4x mais caros.
Trat. Térmico: Alivio de tensões, pré-aquecimento (evitar descarbonetação),
Microestrutura:
Prop. mecânicas:
Aplicações:

Série W – ​Aços temperáveis em água

Características:
Resistência à deformação:
Resistência ao choque:
Resistência ao desgaste:
Usinabilidade:
Resistência aos ciclos térmicos:
Custo:
Trat. Térmico:
Microestrutura:
Prop. mecânicas:
Aplicações:

Série S – ​Aços resistentes ao choque

Características:
Resistência à deformação:
Resistência ao choque:
Resistência ao desgaste:
Usinabilidade:
Resistência aos ciclos térmicos:
Custo:
Trat. Térmico:
Microestrutura:
Prop. mecânicas:
Aplicações:

Série O – ​Aços temperáveis em óleo

Características:
Resistência à deformação:
Resistência ao choque:
Resistência ao desgaste:
Usinabilidade:
Resistência aos ciclos térmicos:
Custo:
Trat. Térmico:
Microestrutura:
Prop. mecânicas:
Aplicações:

Série A – ​Aços temperáveis ao ar

Características:
Resistência à deformação:
Resistência ao choque:
Resistência ao desgaste:
Usinabilidade:
Resistência aos ciclos térmicos:
Custo:
Trat. Térmico:
Microestrutura:
Prop. mecânicas:
Aplicações:

Série D – ​Aços alto carbono, alto cromo


Características:
Resistência à deformação:
Resistência ao choque:
Resistência ao desgaste:
Usinabilidade:
Resistência aos ciclos térmicos:
Custo:
Trat. Térmico:
Microestrutura:
Prop. mecânicas:
Aplicações:

Série T e M – ​Aços rápidos


Características:
Resistência à deformação:
Resistência ao choque:
Resistência ao desgaste:
Usinabilidade:
Resistência aos ciclos térmicos:
Custo:
Trat. Térmico:
Microestrutura:
Prop. mecânicas:
Aplicações:

3 – Aços Resistentes à Corrosão


Deterioração do material por ação química ou eletroquímica do meio, podendo ou não
estar associado a esforços mecânicos. A proteção contra corrosão é feita criando uma
superfície entre o material e o meio.
Passividade:​ “Propriedade típica de certos metais e ligas metálicas de permanecerem
inalterados no meio circunvizinho”. Ou seja, formação de uma camada/película de
óxido no momento em que ele é exposto ao meio. Essa película é formada
instantaneamente (0,01s), tem alta resistência mecânica (não “desprende”), muito fina,
auto-regenerável e não porosa.
Cromo (Cr) é o matérial mais importante na formação dessa camada. Sendo mais
efetivo em concentrações superiores a 10% (completa com 20-30% de Cr)

Corrosão por pitting (corrosão localizada)​: Progride em profundidade(pode chegar a


atravessar o material) e ocorre em soluções aquosas devido ao íon negativo do cloro
(Cl-). O Enxofre (S) do aço se junta com o Oxigênio(O) da atmosfera e, junto com o Cl-
(água do mar, por exemplo), forma ácido sulfúrico. Evita-se adicionando
E.L(principalmente Mo), melhorando acabamento superficial, T.T. para aumentar a
passividade.
Sensitização (corrosão intergranular)​: Precipitação dos carbonetos de Cr do
contorno do grão, deixa a área suscetível a corrosão. Ocorre em aços inoxidáveis
martensíticos.
Evitando: Aços “low carb” (índice L) ajudam a retardar a cinética de precipitação de
carbonetos, logo, retardam/evitam a sensitização; Manter o tamanho de grão pequeno;
Usar aço estabilizado ao Ti, Nb ou Tr; Promover deformação a frio.
Regenerando aço sintetizado: Reaquecer (950-1050ºC) seguido de resfriamento rápido
(para não precipitar novamente). Tomar cuidado para a peça não empenar no
processo.

Aços Inoxidáveis: ​Ligas ferrosas com Cr>11% com teor de Carbono baixo.A principal
característica é manter boa resistência mecânica com boa ductilidade. Difícil de fabricar
e um pouco caro.
Aços Inox ferríticos e martensíticos são, essencialmente, ligas Fe-Cr. Os austeníticos
são Fe-Cr-Ni.
Lupa Austenítica:​ Ligas com composição fora da lupa (Cr>12 ou 13%) solidificam na
forma de ferrita, e assim ficam até a Tamb. Quanto maior o C, maior a lupa, pois o C
cria campos de estabilização de carbonetos.

Aços Inoxidáveis Ferríticos:​ 16<=Cr<=30% e C até 0,5%


Boa resist corrosão (principalmente sob tensão), não endurecível por T.T., forte
tendência de crescimento de grão, CCC. As soldas são fracas e não resistentes à
corrosão. Forma martensita, cresce grão e precipita carbonetos de Cr na solda.

Aços Inoxidáveis Martensíticos: ​ 11,5<=Cr<= 18% e C>=0,1%


Tratáveis termicamente (recozimento -> tempera -> revenimento). Ferromagnéticos,
trabalháveis, resistem até 300ºC, resistência corrosão quando expostos ao tempo,
água e algumas soluções químicas.
Classificações: Baixo C: Turbina
Médio C: Cutelaria
Alto C: Resistente ao Desgaste
Aços Inoxidáveis Austeníticos: ​8<=Ni<=30%
Alto preço, CFC (ductilidade e tenacidade bons), ferromagnéticos. Excelente
resistência a corrosão (exceto sob tensão), endurecíveis por TT, excelente
conformabilidade plástica.
Classificações: Estabilizados ao Mn: + barato, evita/retarda/minimiza a
transf. martensítica
Estabilizados ao Ni: Melhora prop. mec.

4 – Aços Resistentes ao Calor

5 – Ferro Fundido

Resumão Parte II - P2

6 – Alumínio e suas ligas


Propriedades Físicas: Estrutura CFC; ponto de fusão em 660ºC; 1/3 da densidade do
aço(Fe); 61-65% de condutividade elétrica (comparado ao Cu) – Essa propriedade é
afetada por impureza; Elevada condutividade térmica.

Propriedades Mecânicas: Baixa resist mec, alta duct, G= 70Gpa (baixo).


Comercializado com adição de EL, trabalho à frio e TT para endurecimento por
precipitação, além de controle do tamanho de grão, para aumentar resist à tração.
● Impurezas (oriundas do minério): Fe (menor trabalhidade), Si (aumenta resist
tração e corrosão), Cu (aumenta resistencia a tração e usinabilidade)
● Principais EL: Cu, Mg, Si, Zn, Mn, L

Ligas Trabalhadas
Ligas trabalhadas trat. Termic. – Endurecidas por precipitação, ótimas prop mec
obtidas por TT
Ligas trabalhadas n trataveis ou incruáveis – Endurecidas por deformação, n
respondem a TT e prop mec. Determinados pelo grau de trab a frio.

TT:
Alivio de tensão (130-150 graus, tempo depende da espessura)
Recozimento para recristalizaçao(ligas laminadas/extrudadas) e homogeneização(pças
fundidas) - 300-400 graus
Solubilização – Dissolve as fases presentes – Temp depende da composição da liga
Precipitação ou envelhecimento – Temp abaixo da temp de solutilitação – Consiste na
precipitação de outra fase na forma de particulas extremamente finas e uniformemente
distrbuidas, que endurece a liga. O material adquiri máxima dureza e resistência.
As ligas ainda podem receber uma simbologia complementar indicando qual foi a rota
de TT aplicado, que vai de T1 até T10.
As n tratavéis por tt ou endurecidas por encruamento tbm recebem simbologia
complementar indicando a rota de processo aplicada. “O” significa que sofreu
recozimento(aliviar encruamento) e “H” as que sofreram trat mecanico para
encruamento.

Não tratáveis termicamente ou Encruáveis

Série 1XXX – ​Al comercialmente puro (>99% de Al)


Excelente resist à corrosão, alta condutibilidade térmica e elétrica, baixa resist
mecanica, elevada ductibilidade, bom acabamento superficial e alta soldabilidade. Pode
aumentar resist mecanica encruando.
Série 3XXX – Al-Mn (Mn principal EL)
Resist 20% superior a 1XXX. Como a soloubilidade de Mn no Al é baixa, existem
poucas da série 3xxx. As mais empregadas na indústria são: 3003, 3004 e 3105.
Série 4XXX – Al-Si (Si principal EL)
Si abaixa a temp de fusão sem provocar fragilidade excessiva, essas ligas são usadas
em arames de solda ou ligas para soldar Al.
Série 5XXX – Al-Mg (Mg principal EL)
O Mg é um dos elementos mais efetivos no endurecimento de Al. Resistencia
moderada à elevada. Boa característica de soldagem e resist. A corrosão em atm
marinha.

Tratáveis termicamente

Série 2XXX – Al-Cu (Cu principal EL e na maioria das ligas, Mg secundario)


Pode chegar a 450Mpa (a mesma de um aço baixo C), porém a resist a corrosão é a
pior das ligas de Al. Muito usado na industria aeronautica (fuselagem e estrutura)
Série 6XXX – Al-Si-Mg (Mg e Si principais EL)
Boa ductilidade, soldagem e resist à corrosão.
Série 7XXX – Al-Zi-Mg (Zi principal EL)
Resist mec elevada, são as mais tenazes de todas as ligas de Al, relação resist/peso
superior a muitos aços de alta resist e baixa conformabilidade.
Série 8XXX – Al-Li
Mais rigido e menos denso que as ligas 2XXX e 7XXX

Ligas Fundidas

Não tratáveis ou Encruáveis


Série 1XX.X – Al puro (>99% de Al)
Elevada condutividade e ductilidade. Baixa resist mec.
Série 4XX.X – Al-Si
De uso geral, a fluidez é melhorada devido o Si. Boa soldabilidade, resist a corrosão e
tração.
Série 5XX.X – Al-Mn
Combinação estável de resist. Mec, ao choque e possui alguma ductilidade. Podem ser
consideradas mais resistentes das ligas fundidas.
Série 8XX.X – Al-Sn (Sn +-6%)
Dificeis de moldar e fundir, usada em aplicações onde o acabamento superficial é muito
importante. Boa resist. a fadiga, corrosão e excelente usinabilidade.

Tratáveis Termicamente
Série 2XX.X – Al-Cu
Elevada resist. Fadiga e Corrosão. Usado em aplicações onde são exigidos alta
resistencia e dureza a temperaturas elevadas.
Série 3XX.X – Al-Si (5-13% de Si)
Uma das mais utilizadas ligas fundidas de Al, o Si melhora a fluidez e resposta aos TT.
Série 7XX.X – Al-Zn
Endurecíveis ao ar, atingem seu ponto máximo de dureza após 20 dias de solidificação.
Baixa fluidez, boa resist a corrosão e usinabilidade.

7 – Cobre e suas ligas


Provavelmente o metal há mais tempo utilizado pela humanidade, o bronze (liga
Cu-Sn) é usado antes da descoberta do ferro. Atualmente é o terceiro metal mais
usado, atrás do ferro e alumínio.
Propriedades Físicas: 8,96g/cm^3 (mais denso que ferro e alumínio); CFC; ponto de
fusão 1083ºC; 3/4x + caro que o Al e 6/7x + caro que o Aço-Carbono.
Propriedades Mecânicas: Muito ductil, baixa resiste mecanica, elevada condutividade
térmica e elétrica, elevada conformabilidade, elevada resist á corrosão.
Condutividade elétrica​ – É utilizado como referência, sendo o valor 100%. Ag tem
106% de condutividade elétrica (O único que ultrapassa), Au 72%, Al 62%, Aço 13-17%

Liga C 1XX – Cobre Puro ​(Cu > 99,3%)


Principal característica a condutividade elétrica. Boa deformabilidade ~60%. São
utilizados El de liga >1% (Cobre Ligado) para melhorar a resist mec. Sem reduzir muito
a condutividade elétrica.
Liga C 2XX – Latão Cu-Zn
Mais utilizados na indústria, destaque para uso naval, mancais, cartuchos, parafusos,
etc. Pode conter 5~50% de Zn. Mais que 50% forma fase Y que é quebradiça e não
uso comercial
Razoável resist. corrosão (em ambientes não muito agressivos), resist mecanica e
dureza bem mais elevados que o Cu puro ou Cu ligado.
Para identificar o teor de Zn da liga, divide-se a casa da dezena do numero de liga (Ex:
liga 260 = 30% de Zn
Fase alfa (até 37% de Zn) – CFC dúctil e tenaz
Fase Beta (46-50% de Zn) – CCC, é + resistente

Liga C 3XX – Latão Cu-Zn-Pb


Pb (chumbo) aumenta a usinabilidade. Como o Pb é insolúvel no Cu e no Zn, forma
pequenas bolsas que tem efeito lubrificante (favorece remoção de cavacos)
A liga normalmente é bifásica e o Pb causa problemas quanto a mdeformação
plásticas.
Liga C 4XX – Latão Cu-Zn-Sn
Melhora resistência a corrosão em ambientes agressivos, como água do mar e
ambientes com cloretos em geral
Liga C 5XX – Bronze Cu-Sn
Elevada resistência a corrosão
Liga C 6XX – Cu-Al
Bronzes de Alumínio (não recomendado). Solubilidade do Al no Cu é razoavelmente
alta e formam diversos tipos de compostos intermetálicos
Liga C 6XX – Cu-Si
Bronzes de Solício (não recomendado)
Liga C 6XX – Cu-Be
Alta resistência mecânica, condutividade elétrica e térmica
Liga C 7XX – Cuproníquel
Excelente resistência a corrosão, principalmente água do mar
Liga C 7XX – Alpaca
Ligas térnárias Cu-Zi-Ni. Muito usada para fins de decoração devido o seu bom
acabamento

Tratamentos Térmicos
Homogeneização: ​Eliminar/reduzir a segredação de lingotes. Aquecimento a uma
temperatura 90ºC acima da temperatura máxima de recozimento por longo tempo.
Recozimento: ​Promover recristalização de ligas trabalhadas a frio.
Alívio de Tensões:​ Algumas ligas podem romper devido a corrosão sob tensão.
Solubilização e Endurecimento por precipitação:​ Comumente aplicado em bronzes
ao Al e cobre-berílio. Solubilização pelo aquecimento de1-3h. Aumenta muito a
resistência a tração.

7 – Níquel e suas ligas


Começou a ser empregada no início do séc XX pela necessidade de trabalhar com
ligas que sobrevivessem a ambientes com muita corrosão, altas temperaturas, tensões
elevadas e combinações destes.
Propriedades físicas: CFC, não apresenta ​transição dúctil-frágil​, baixa expansão
térmica, excelente resistência à corrosão.
Processos de Fabricação: Fusão, Refusão/Refino, Forjamento, Laminação e
Acabamento. Podem ser processados por metalurgia do pós e solidificação direcional

Microestrutura
Fase Gama linha: ​FCC – Principal fase para endurecimento da matriz com liga Ni
Fase n: ​HCP-DO – Fase deletéria e metaestável formada em altas temperaturas
Fase Gama duas linhas: ​BCT-DO - Principal fase para endurecimento da matriz com
liga Nb
Fase sigma: ​Ortorrombica- Fase frágil e deletéria as prop. Precipita em alta
temperatura

Aplicação de Niquel em outras ligas:


Aço: Alta resistência e boa ductilidade/tenacidade
Aços-liga: Diminui temperatura de transição dúctil-frágil
Aços Inoxidáveis Austeníticos: Melhora ductilidade, soldabilidade, resistência mecânica
e proteção a corrosão e oxidação em altas temperaturas. Aumenta resistência a
ataques corrosivos e ambiente em temperaturas superiores a 1000ºC

Recobrimento: Apenas recobrir as peças para melhorar a resistência ao desgaste e


proteção contra corrosão e dar acabamento decorativo (9% do Ni puro do mundo)

O Ni se divide em quatro famílias, sendo elas comercialmente puro, ligas binárias,


ternárias (três), complexas (muitos elementos) e superligas. São reconhecidas por seus
nomes comerciais, como: Monel, Hastelloy, Inconel, Incoloy.
Ni comercialmente puro
Niquel 200 e 201: Principais ligas, com cerca de 99,5% de Ni. Endurecíveis por solução
sólidas.
Duraníquel 301: Endurecida por precipitação, 94% de Ni. Excelente propriedade
elástica em ~300ºC. Resistência a corrosão semelhante a 200 e 201.
Ligas Binárias
Ni-Cu (Monel): ​Endurecida por precipitação de gama linha. Alta resistência à
mcorrosão e imune a corrosão sob tensão.
Ni-Mo (Hastelloy ou Nicrofer): Endurecidas por solução sólida. Alta resistência a ácidos
clorídricos e qualquer meio redutor. Alta resistência mecânica em atm de gases inertes
em temp alta.

Ligas Ternárias