Você está na página 1de 202

ANUÁRIO DE

PUBLICAÇÕES 2011

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 1 04/12/12 17:21


Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 2 04/12/12 17:21
Apresentação

Este Anuário apresenta as publicações do corpo docente em tempo integral e


parcial da FGV Direito Rio no ano de 2011, incluindo livros, artigos acadêmicos,
trabalhos que integram anais de seminários e congressos, revisões técnicas de tra-
duções, bem como artigos em revistas e jornais.
Agradecemos, em especial, a Thaís Mesquita e Vinicius Bize pela dedicação
ao longo da coleta e consolidação dos dados, que revelam a progressiva produ-
tividade da FGV Direito Rio e o reforço de seu compromisso de vanguarda nas
discussões sobre o ensino jurídico no Brasil.

Rio de Janeiro, 22 de fevereiro de 2012.

Felipe Asensi
Coordenador de Publicações da FGV Direito Rio

Joaquim Falcão
Diretor da FGV Direito Rio

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 3 04/12/12 17:21


Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 4 04/12/12 17:21
Sumário
Anuário de publicações 2011

1. PUBLICAÇÃO DE LIVROS E CAPÍTULOS ..................................................................... 9


1.1 ANTONIO JOSÉ MARISTRELLO PORTO ................................................................. 11
1.2 CARINA COSTA OLIVEIRA ................................................................................ 14
1.3 CARLOS AFFONSO PEREIRA DE SOUZA ................................................................ 15
1.4 CARLOS EMMANUEL JOPPERT RAGAZZO ............................................................. 18
1.5 CÁSSIO CAVALLI........................................................................................... 19
1.6 DIEGO WERNECK ARGUELHES .......................................................................... 24
1.7 EVANDRO MENEZES DE CARVALHO .................................................................... 26
1.8 FABIANA LUCI DE OLIVEIRA............................................................................. 29
1.9 FELIPE DUTRA ASENSI ................................................................................... 34
1.10 FERNANDO DE CASTRO FONTAINHA ................................................................. 35
1.11 JOÃO FELIPE RAMMELT SAUERBRONN .............................................................. 36
1.12 JOAQUIM DE ARRUDA FALCÃO NETO ................................................................. 43
1.13 JOSÉ RICARDO CUNHA ................................................................................. 44
1.14 LUIZ ROBERTO AYOUB.................................................................................. 51
1.15 MELINA DE SOUZA ROCHA LUKIC ..................................................................... 52
1.16 PABLO CAMARGO CERDEIRA .......................................................................... 53
1.17 PATRÍCIA SAMPAIO ..................................................................................... 54
1.18 PAULA ALMEIDA WOJCIKIEWICZ ..................................................................... 57
1.19 PEDRO VIEIRA ABRAMOVAY........................................................................... 60
1.20 PEDRO MIZUKAMI ...................................................................................... 63
1.21 RAFAEL ALVES DE ALMEIDA ........................................................................... 69
1.22 RICARDO MORISHITA WADA .......................................................................... 71
1.23 ROBERTO DA SILVA FRAGALE FILHO ................................................................. 73
1.24 RODRIGO VIANNA ....................................................................................... 77
1.25 RÔMULO SILVEIRA DA ROCHA SAMPAIO ............................................................ 85
1.26 RONALDO LEMOS ....................................................................................... 90
1.27 SÉRGIO BRANCO......................................................................................... 92
1.28 SÉRGIO GUERRA ....................................................................................... 100
1.29 THIAGO BOTTINO DO AMARAL ...................................................................... 101

2. ARTIGOS EM REVISTAS ACADÊMICAS .................................................................. 103


2.1 ANDRÉ PACHECO TEIXEIRA MENDES................................................................. 105
2.2 CARLOS EMMANUEL JOPPERT RAGAZZO ........................................................... 106
2.3 CARLOS AFFONSO PEREIRA DE SOUZA .............................................................. 107
2.4 CÁSSIO CAVALLI......................................................................................... 108
2.5 DIEGO WERNECK ARGUELHES ........................................................................ 110
2.6 FELIPE DUTRA ASENSI ................................................................................. 111
2.7 FERNANDO DE CASTRO FONTAINHA ................................................................. 112
2.8 LEANDRO MOLHANO ................................................................................... 113

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 5 04/12/12 17:21


2.9 SÉRGIO BRANCO ........................................................................................ 114
2.10 SÉRGIO GUERRA ....................................................................................... 115
2.11 THIAGO BOTTINO DO AMARAL ...................................................................... 116
2.12 VITOR PINTO CHAVES ................................................................................ 118

3. ARTIGOS EM JORNAIS E REVISTAS ...................................................................... 119


3.1 ANTONIO JOSÉ MARISTRELLO PORTO ............................................................... 122
3.2 CARINA COSTA OLIVEIRA .............................................................................. 123
3.3 CARLOS AFFONSO PEREIRA DE SOUZA .............................................................. 124
3.4 CARLOS EMMANUEL JOPPERT RAGAZZO ........................................................... 126
3.5 CÁSSIO CAVALLI......................................................................................... 131
3.6 DIEGO WERNECK ARGUELHES ........................................................................ 133
3.7 EVANDRO MENEZES DE CARVALHO .................................................................. 134
3.8 FABIANA LUCI DE OLIVEIRA........................................................................... 137
3.9 FELIPE DUTRA ASENSI ................................................................................. 139
3.10 FERNANDO DE CASTRO FONTAINHA ............................................................... 141
3.11 FERNANDO SOUZA PENTEADO ...................................................................... 142
3.12 JOÃO FELIPE RAMMELT SAUERBRONN ............................................................ 147
3.13 JOAQUIM DE ARRUDA FALCÃO NETO ............................................................... 149
3.14 PABLO DE CAMARGO CERDEIRA .................................................................... 153
3.15 PAULA ALMEIDA WOJCIKIEWICZ ................................................................... 154
3.16 PAULA SPIELER ........................................................................................ 155
3.17 PEDRO VIEIRA ABRAMOVAY......................................................................... 157
3.18 RAFAEL ALVES DE ALMEIDA ......................................................................... 158
3.19 RICARDO MORISHITA WADA ........................................................................ 159
3.20 ROBERTO DA SILVA FRAGALE FILHO ............................................................... 162
3.21 RÔMULO SILVEIRA DA ROCHA SAMPAIO .......................................................... 165
3.22 RONALDO LEMOS ..................................................................................... 167
3.23 SÉRGIO BRANCO....................................................................................... 171
3.24 SÉRGIO GUERRA ....................................................................................... 174
3.25 TANIA ABRÃO RANGEL ............................................................................... 175
3.26 THIAGO BOTTINO DO AMARAL ...................................................................... 177

4. ANAIS DE EVENTOS ......................................................................................... 179


4.1 ANTÔNIO JOSÉ MARISTRELLO PORTO ............................................................... 181
4.2 CARINA COSTA OLIVEIRA .............................................................................. 182
4.3 CARLOS AFFONSO PEREIRA DE SOUZA .............................................................. 183
4.4 CARLOS EMMANUEL JOPPERT RAGAZZO ........................................................... 185
4.5 FABIANA LUCI DE OLIVEIRA........................................................................... 187
4.6 FELIPE DUTRA ASENSI ................................................................................. 188
4.7 FERNANDO DE CASTRO FONTAINHA ................................................................. 190
4.8 JOÃO FELIPE RAMMELT SAUERBRONN .............................................................. 191
4.9 JOAQUIM DE ARRUDA FALCÃO NETO ................................................................ 192

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 6 04/12/12 17:21


4.10 MARCELO RANGEL LENNERTZ ....................................................................... 193
4.11 MELINA DE SOUZA ROCHA LUKIC ................................................................... 194
4.12 PAULA ALMEIDA WOJCIKIEWICZ ................................................................... 195
4.13 PAULA SPIELER ........................................................................................ 196
4.14 ROBERTO DA SILVA FRAGALE FILHO ............................................................... 197
4.15 RÔMULO SILVEIRA DA ROCHA SAMPAIO .......................................................... 198
4.16 RONALDO LEMOS ..................................................................................... 199
4.17 SÉRGIO GUERRA ....................................................................................... 201
4.18 THIAGO BOTTINO DO AMARAL ...................................................................... 202

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 7 04/12/12 17:21


Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 8 04/12/12 17:21
ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1. PUBLICAÇÃO DE LIVROS E CAPÍTULOS

FGV DIREITO RIO 9

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 9 04/12/12 17:21


Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 10 04/12/12 17:21
ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.1 ANTONIO JOSÉ MARISTRELLO PORTO

PORTO, A.J.M. Introdução — Especulações, apostas


irresponsáveis e a crise financeira de 2008. In: GON-
ÇALVES, A.C.P.; PORTO, A.J.M.; SAMPAIO, P.R.P..
(org.). Regulação financeira para advogados. 1. ed. Rio
de Janeiro: Elsevier, 2011, p. 19-28.

O livro aborda alguns dos principais temas que vêm permeando as discussões acerca
da regulação do sistema financeiro. Seu objetivo reside em constituir um guia de estudo,
ao mesmo tempo didático e atual, sobre o setor, assim como apresentar as principais
instituições e normas incidentes, a partir das perspectivas internacional e doméstica.
O texto é baseado, em larga medida, no livro The Big Short: Inside the Doomsday
Machine, de autoria de Michel Lewis.

FGV DIREITO RIO 11

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 11 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.1 ANTONIO JOSÉ MARISTRELLO PORTO

PORTO, A.J.M; NOGUEIRA, R. Política Industrial:


Não há filé grátis. In: FALCÃO, J. (org.). Cadernos FGV
Direito Rio. Educação e Direito — Volume 06 — dezem-
bro 2011, Tema: Laboratório de Experiências Didáticas.
1. ed. Rio de Janeiro: FGV Direito Rio, 2011, p. 33-41.

O capítulo aborda o tema política industrial, que voltou ao centro das discussões
com a divulgação, em 2003, pelo Governo Federal, de um documento com metas de
expansão da política industrial brasileira. Não que em algum momento essa discussão
tenha desaparecido por completo, mas ficou relegada a segundo plano por um período.
O debate é controverso e por vezes acalorado.

12 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 12 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.1 ANTONIO JOSÉ MARISTRELLO PORTO

PORTO, Antônio José Maristrello. Fusão e Aquisição:


Conceitos Centrais. In: PORTO, Antônio José Maris-
trello. CAVALLI, Cássio. (org.). Fusões, Aquisições e Re-
gulação Financeira: um Tema em Debate. 1. ed. Rio de
Janeiro: FGV, 2011, p. 13-27.

O livro procura retratar os debates e as polêmicas discutidas ao longo de evento “Mergers


and Acquisitions”, desenvolvido pela FGV Direito Rio, conjuntamente com a Vander-
bilt University e com a Universiteit van Amsterdam. Ademais, inclui artigo introdutório
ao tema, que trabalha com conceitos centrais relacionados ao conteúdo desenvolvido
em todo o livro. Para tanto, são abordados aspectos econômicos e práticos, bem como
exemplos históricos da Europa e dos Estados Unidos.

FGV DIREITO RIO 13

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 13 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.2 CARINA COSTA OLIVEIRA

OLIVEIRA, C. C.. Solutions apportées par le droit in-


ternational privé à la responsabilisation insuffisante des
entreprises dans le cas des dommages environnementaux
internationaux.. In: OLIVEIRA, Carina Costa de; SAM-
PAIO, Rômulo Silveira da Rocha. (org.). A Economia
verde no contexto do desenvolvimento sustentável: a go-
vernança dos atores públicos e privados. 1. ed. Rio de
Janeiro: FGV, 2011, p. 5-340.

La complexité des catastrophes environnementales éloigne la perspective de pouvoir


prévenir et réparer de manière efficace les dommages causés, tant au plan national que
regional et international, par le biais du droit international de l’environnement, tel qu’il
se présente aujourd’hui. Les déversements d’hydrocarbures dans le Golfe Du Mexique, à
la frontière de la France et de l’Espagne, en Suisse, au Nigeria, déversements operés par
des sociétés connues comme BP, Exxon Valdez, Shell illustrent, d’une part, cette comple-
xité et démontrent, d’autre part, le traitement inefficace de la réparation des dommages
qui son plutôt jugés par des tribunaux nationaux que par des tribunaux internationaux.
Ressort de cette situation le besoin d’analyser, dans um premier temps, l’insuffisante
responsabilisation des entreprises, auprès des tribunaux internationaux et nationaux,
pour les dommages environnementaux internationaux pour, dans um second temps,
identifier quelles solutions pourraient être apportées par le droit international privé.

14 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 14 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.3 CARLOS AFFONSO PEREIRA DE SOUZA

SILVA JUNIOR, R. L. da; SOUZA, C. A. P. de; BRAN-


CO, S.; MIZUKAMI, P.; MACIEL, M.; MAGRANI, B.;
MONCAU, L. F.; FRANCISCO, P. A. P.; KAMEDA, K.;
MAGRANI, E. G.; REIA, J. Direitos Autorais em Refor-
ma. 1. ed. Rio de Janeiro: Escola de Direito do Rio de
Janeiro da Fundação Getulio Vargas, 2011. 112 p.

Nos últimos 20 anos, o mundo testemunhou uma das maiores revoluções tecnológi-
cas por que já passou. O surgimento da internet comercial modificou a maneira como
o ser humano se relaciona, como produz informação e como acessa o conhecimento. O
impacto direto dessa nova era se faz sentir em todos os campos da ciência e das artes,
repercutindo de modo irreversível na área cultural. Se é certo que os direitos autorais
diziam respeito a um grupo restrito de pessoas até o final do século XX (apenas àqueles
que viviam da produção de obras culturais), hoje diz respeito a todos. Com o acesso à
rede mundial de computadores, a elaboração e a divulgação de obras culturais (mesmo
as mais sofisticadas, como as audiovisuais) se tornaram eventos cotidianos, que desafiam
o modo como os direitos autorais foram estruturados ao longo dos últimos dois séculos.
Em consonância com a tendência mundial, o Ministério da Cultura brasileiro tem se
dedicado a debater publicamente o assunto, visando a também propor alterações na
atual lei de direitos autorais do Brasil, a fim de ajustá-la às demandas contemporâneas.
A intenção desta obra coletiva, escrita pelos pesquisadores do Centro de Tecnologia e
Sociedade, é analisar de maneira abrangente tanto a LDA quanto ambas as propostas de
revisão da lei, no que diz respeito aos principais temas por ela abordados.

FGV DIREITO RIO 15

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 15 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.3 CARLOS AFFONSO PEREIRA DE SOUZA

SOUZA, Carlos Affonso Pereira de. Fundamentos e


Transformações do Direito à Imagem. In: Ana Carolina
Brochado Teixeira; Gustavo Pereira Leite Filho. (org.).
Manual de Teoria Geral do Direito Civil. 1. ed. Belo Ho-
rizonte: Del Rey, 2011, v. 1, p. 287-307.

O artigo busca refletir sobre a proteção concedida ao direito à imagem no ordena-


mento jurídico nacional e à luz de recente jurisprudência, indagando sobre a adequação
dos parâmetros dessa tutela ao momento de expansão o uso (e eventual banalização) da
imagem alcançada com o desenvolvimento tecnológico e a popularização do acesso às
tecnologias de informação e comunicação (TICs).

16 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 16 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.3 CARLOS AFFONSO PEREIRA DE SOUZA

SOUZA, Carlos Affonso Pereira de; MACIEL, M.;


FRANCISCO, P. A. P. Marco Civil da Internet: Uma
questão de princípio. In: Comitê Gestor da Internet no
Brasil. (org.). TIC Domcílios e Empresas 2010: Pesquisa
sobre o uso das Tecnologias de Informação e Comunica-
ção no Brasil. 1. ed. São Paulo: Comitê Gestor da Inter-
net no Brasil, 2011, v. 1, p. 65-70.

O artigo oferece um panorama sobre a iniciativa de se criar uma lei para a internet
brasileira a partir do uso da própria rede para gerar um debate sobre os princípios e a
redação dessa norma. O chamado “Marco Civil da Internet” representou a primeira
iniciativa nesse sentido, realizada pelo Ministério da Justiça, com o apoio do Centro
de Tecnologia e Sociedade (CTS), da Escola de Direito da FGV. Hoje tramitando no
Congresso Nacional (PL2126/2011), o artigo destaca o processo colaborativo de criação
desse texto e algumas peculiaridades dos temas por ele abordados.

FGV DIREITO RIO 17

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 17 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.4 CARLOS EMMANUEL JOPPERT RAGAZZO

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert; MACHADO,


Kenys Menezes. Desafios da Análise do CADE no Setor
de Planos de Saúde. In: PERILLO, Eduardo Bueno da
Fonseca; AMORIM, Maria Cristina Sanches (org.). Para
entender a saúde no Brasil 4. 1. ed. São Paulo: LCTE,
2011, p. 203-234.

Nos últimos anos houve um significativo aumento nas operações de fusões e aquisi-
ções envolvendo o setor de saúde (planos de saúde, hospitais, laboratórios, medicamen-
tos, farmácias, entre outros). As operações envolveram, inter alia, a compra de empresas
do mesmo setor (por ex: planos de saúde comprando outras operadoras, o que é uma
hipótese de concentração horizontal) e, em menor medida, a aquisição de empresas a
montante ou a jusante da cadeia produtiva (por ex: planos de saúde comprando hos-
pitais, o que é uma hipótese de integração vertical). Foram notificadas ao Sistema Bra-
sileiro de Defesa da Concorrência — SBDC 29 operações envolvendo uma das duas
situações entre planos de saúde e hospitais de 2003 a 2010. O presente artigo pretende
pontuar as discussões que foram objeto de debate na análise de casos recentes julgados
pelo CADE, que avaliaram os potenciais competitivos dessas operações de concentração
horizontal e de integração vertical, chamando a atenção para a evolução das etapas de
análise desses processos.

18 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 18 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.5 CÁSSIO CAVALLI

CAVALLI, Cássio M. Sociedades Limitadas: Regime de


Circulação de Quotas. São Paulo: Editora Revista dos
Tribunais, 2011. 176 p.

Neste livro, intitulado  Sociedades  Limitadas: Regime da Circulação de Quotas, o


autor aborda um dos mais importantes mais aspectos das sociedades  limitadas, qual
seja, a identificação da disciplina aplicável aos casos em que há circulação, voluntária
ou involuntária, de quotas. Para tanto, este livro se ocupa de identificar os critérios de
delimitação das normas de regência das sociedades limitadas, que em seu conjunto con-
têm a disciplina normativa dos casos de cessão de quotas, penhora de quotas, partilha
de quotas por separação ou abertura da sucessão de cônjuge de sócio e por transmissão
mortis causa. Estes temas são analisados de modo sistemático, de modo a que possam ser
reconduzidos a uma disciplina mais geral, capaz de orientar as soluções nos casos concre-
tos que a experiência da vida societária houver por criar. Em razão da extensa pesquisa
bibliográfica e jurisprudencial desenvolvida, com a qual dialoga com espírito crítico,
este livro pode ser de boa utilidade para aqueles que vivem o cotidiano da aplicação do
direito e, também, para aqueles que se ocupam de estudar a evolução e a disciplina atual
do direito societário brasileiro.

FGV DIREITO RIO 19

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 19 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.5 CÁSSIO CAVALLI

CAVALLI, Cássio M. Mora e utilidade: os standards da


utilidade no modelo jurídico da mora do devedor. 1. ed.
Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011. 152 p.

Neste livro, o autor aborda um tema fundamental do direito das obrigações: a de-
terminação dos padrões que permitem ao intérprete distinguir as hipóteses em que há
inadimplemento relativo das hipóteses em que o inadimplemento é absoluto. Para tan-
to, empreende cuidadoso estudo da literatura jurídica acerca dos institutos da mora e,
também, de outros institutos jurídicos relacionados à teoria do adimplemento, como a
teoria do adimplemento substancial e a do inadimplemento antecipado. Os temas discu-
tidos são orientados pelo conceito de utilidade da prestação, que, assim, acaba servindo
como o principal critério de distinção entre o adimplemento e o inadimplemento. Além
do exame dogmático do instituto jurídico, o autor realiza incursões na análise econô-
mica do direito, de modo a incrementar o debate jurídico a partir de novas perspectivas
metodológicas.

20 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 20 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.5 CÁSSIO CAVALLI

CAVALLI, Cássio M. Direito Comercial: Passado, Pre-


sente e Futuro. São Paulo: Campus Elsevier, 2011. 288 p.

Em Direito Comercial, são analisados os limites de aplicação do direito comercial,


mediante a investigação da dicotomia havida no interior do direito privado, que o divide
em direito civil e direito comercial. Esta dicotomia é investigada em um panorama mais
geral, que situa o direito privado nas suas relações com o direito público (mediante o
questionamento desta dicotomia). Para tanto, aborda temas relacionados à publicização
e à constitucionalização do direito privado, temas que, conquanto sejam muito bem-
-explorados pela doutrina civilística, ainda estão a merecer maior atenção em relação
ao direito comercial. Ademais, como é sabido, atualmente há um relevante movimento
doutrinário e político que defende a proposta de promulgação de um novo Código
Comercial. Este livro pode ser de alguma utilidade para o debate acerca da conveniência
de se adotar um novo Código Comercial, na medida em que muitos dos argumentos
favoráveis e contrários à autonomia do direito comercial foram construídos no desenvol-
vimento histórico do direito comercial.

FGV DIREITO RIO 21

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 21 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.5 CÁSSIO CAVALLI

CAVALLI, Cássio M. O direito da empresa no novo Có-


digo Civil. In: WALD, Arnoldo (org.). Direito empresa-
rial: teoria geral. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2011,
v. I, p. 465-513.

CAVALLI, Cássio M. Apontamentos sobre a teoria do estabelecimento empresarial


no direito brasileiro. In: WALD, Arnoldo (org.). Direito empresarial: teoria geral. São
Paulo: Revista dos Tribunais, 2011, v. I, p. 981-1005.
CAVALLI, Cássio M. Apontamentos sobre a função social da empresa e o moderno
direito privado. In: WALD, Arnoldo (org.). Direito empresarial: direito societário. São
Paulo: Revista dos Tribunais, 2011, v. II, p. 33-41.
CAVALLI, Cássio M. A supressão de previsão normativa de protesto como pressu-
posto do direito de ação do portador contra o primeiro endossante da duplicata. In:
WALD, Arnoldo (org.). Direito empresarial: títulos de crédito. São Paulo: Revista dos
Tribunais, 2011, v. V, p. 531-541.

Os artigos publicados, todos relativos ao direito comercial, foram originalmente


publicados na Revista dos Tribunais e, posteriormente, selecionados entre os melhores
artigos publicados nesta Revista nos últimos cem anos, para integrar esta coleção come-
morativa, intitulada Doutrinas Essenciais — Direito Empresarial.

22 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 22 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.5 CÁSSIO CAVALLI

CAVALLI, Cássio M.; PORTO, Antônio. J. M. Fusões,


aquisições e regulação financeira: um tema em debate.
Rio de Janeiro: Escola de Direito do Rio de Janeiro da
Fundação Getulio Vargas, CPDE, 2011 (Organização de
livro).

O livro procura retratar os debates e as polêmicas discutidas ao longo de evento, intitu-


lado “Mergers and Acquisitions”, desenvolvido pela FGV Direito Rio, conjuntamente
com a Vanderbilt University e com a Universiteit van Amsterdam. Ademais, inclui arti-
go introdutório ao tema, que trabalha com conceitos centrais relacionados ao conteúdo
desenvolvido ao longo do livro.

FGV DIREITO RIO 23

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 23 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.6 DIEGO WERNECK ARGUELHES

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda; CERDEIRA, Pa-


blo de Carmargo; ARGUELHES, Diego Werneck Argue-
lhes. I Relatório Supremo em Números — O Múltiplo
Supremo. Rio de Janeiro: FGV Direito Rio, 2011. 72 pp.

Este I Relatório do Supremo Tribunal em números apresenta uma constatação quan-


to à natureza institucional do STF, obtida a partir da identificação de padrões em seus
processos. O supremo não se comporta como um só tribunal, mas sim como três cortes
distintas fundidas na mesma instituição, um tribunal com três personas.
O Relatório é composto de duas partes. Na Parte I: As Cortes Constitucional, Recur-
sal e Ordinária, apresenta-se a fundamentação estatística sobre a existência de três cortes
em uma, bem como se descreve as características comuns.
Na Parte II — As cortes uma a uma, analisa-se separadamente cada uma das três cor-
tes procurando entender a evolução no tempo e as peculiaridades mais representativas
de cada uma.

24 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 24 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.7 EVANDRO MENEZES DE CARVALHO

CARVALHO, E. M.; SALIBA, A. T. O Processo na Con-


venção de Viena sobre o Direito dos Tratados. In: SALI-
BA, Aziz Tuffi. (org.). Direito dos Tratados: Comentá-
rios à Convenção de Viena sobre o Direito dos Tratados
(1969). 1. ed. Belo Horizonte: Arraes Editores, 2011.

Obra coletiva que reúne comentários aos dispositivos da Convenção de Viena sobre
o Direito dos Tratados, de 1969, somente incorporada ao direito brasileiro por meio do
Decreto n. 7.030, de 14 de dezembro de 2009.

FGV DIREITO RIO 25

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 25 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.7 EVANDRO MENEZES DE CARVALHO

CARVALHO, E. M. (org.); GAUDREAULT-


-DESBIENS, J. (org.). A concorrência das tradições ju-
rídicas — Perspectivas e Prospectivas a partir do caso do
Bijuridismo Canadense. 1. ed. Curitiba: Juruá, 2011. v.
1. 200 p.

Existe, no Canadá, uma geografia do bijuridismo nas relações entre o civil law e o
common law que, longe de ser apenas física, é antes de tudo cultural. Quando encarado
como fato de cultura e não simplesmente como fato de direito, o bijuridismo se choca,
fora de Quebec, contra obstáculos que parecem difíceis de ser superados e que contri-
buem para a perpetuação e o reforço das “solidões do bijuridismo canadense”. Esses
obstáculos, estejam eles ligados à língua, à socialização dos juristas, à ideologia ou à
configuração das relações de forças entre as tradições jurídicas, asseguram a cristalização
de identidades jurídicas cuja elaboração, de resto, participa de projetos nacionalistas de
maior tamanho. Nesse sentido, a dinâmica de interação entre as tradições jurídicas no
Canadá revela a resiliência dos atavismos identitários e se revela como um espaço de
compreensão da dinâmica do direito em um contexto de diversidade linguística e de
cultura jurídica. A experiência canadense é uma referência incontornável para quaisquer
projetos de integração de harmonização do direito.

26 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 26 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.8 FABIANA LUCI DE OLIVEIRA

OLIVEIRA, Fabiana Luci. Justiça, Profissionalismo e Polí-


tica — O STF e o controle de constitucionalidade das leis
no Brasil. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011. 260 p.

O objetivo do livro é compreender o comportamento do STF no processo de revisão


judicial desde a promulgação da Constituição de 1988 até o início de 2003. Para tanto,
identifica padrões decisórios na atuação dos ministros do supremo em julgamentos sobre
a constitucionalidade das leis (ações diretas de inconstitucionalidade), além de sistema-
tizar os fatores que mais influenciaram os resultados de tais decisões. Em face do con-
junto de dados coletados, são empreendidas análises de forma quantitativa e qualitativa.
Foram adotados como parâmetros os fatores que determinam o voto dos ministros e a
decisão do tribunal, as diferenças nos votos correspondentes a diferenças no itinerário
profissional de cada ministro, o perfil dos ministros e a forma como eles se agruparam
para votar, além da atitude dos ministros como “intérpretes” da Constituição ou “repro-
dutores” do texto legal. Ancorada na sociologia das profissões e nas análises da ciência
política sobre o papel das cortes no processo político de tomada de decisão — judicial
politics —,conclui que direito e política estão intimamente relacionados na atuação do
Supremo. O profissionalismo dos agentes inseridos nesse contexto produz duas conse-
quências fundamentais. Uma consiste no fato de que a configuração profissional afirma
uma via de distinção desses sujeitos. A outra diz respeito à construção de legitimação
social do próprio STF como ator de grande poder político diante do paradoxo da ausên-
cia de respaldo eleitoral.

FGV DIREITO RIO 27

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 27 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.8 FABIANA LUCI DE OLIVEIRA

OLIVEIRA, Fabiana Luci. STF do autoritarismo à de-


mocracia. 1. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011. 175 p.

O livro busca analisar a presença do STF no cenário público nacional e a forma pela
qual o Supremo compôs seu papel como ator político no processo de transição democrá-
tica no Brasil, entre os anos de 1979 a 1999. São três as questões norteadoras do livro:
1. Quem é o Supremo Tribunal Federal? A questão é analisada a partir do levanta-
mento biográfico dos ministros (1891/2011), a fim de estabelecer uma comparação mais
apurada entre o perfil do passado e um perfil mais atual e também a partir de um breve
resgate da história do tribunal.
2. Qual é o perfil ideológico dos ministros do STF? Esta questão é trabalhada a partir
do levantamento do conteúdo do discurso público dos ministros (1979/2011), visando
traçar a identidade e os valores predominantes no grupo, através de artigos publicados
em uma revista jurídica e em discursos proferidos em cerimônias da instituição.
3. Qual é a imagem pública do STF? A abordagem se faz a partir da maneira pela
qual a instituição foi percebida por alguns setores da mídia (1979/2011), utilizando
como parâmetro dois jornais de São Paulo.

28 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 28 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.8 FABIANA LUCI DE OLIVEIRA

OLIVEIRA, Fabiana Luci. Os Desafios de Ensinar Meto-


dologia de Pesquisa Empírica no Direito. In: FALCÃO,
Joaquim. (org.). Cadernos Direito Rio Laboratório de
Experiências Didáticas: 2011, v. 6, p. 69-104

O capítulo relata a experiência de lecionar um curso de Metodologia de Pesquisa


Empírica e Estatística Elementar aos alunos do primeiro semestre do curso de Direito da
Fundação Getulio Vargas no Rio de Janeiro, focando nos principais desafios enfrentados
nesta tarefa, quais sejam:
1) a superação de um paradigma fortemente estabelecido no campo do Direito, que
concebe a pesquisa jurídica como teórica, doutrinária, dogmática ou jurisprudencial; 2)
identificação das possibilidades e limites de desenvolver junto aos alunos as competên-
cias essenciais para o processo de desenho, planejamento, realização e interpretação dos
resultados uma pesquisa empírica e 3) envolver os alunos nessa ideia.

FGV DIREITO RIO 29

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 29 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.9 FELIPE DUTRA ASENSI

ASENSI, Felipe Dutra; PINHEIRO, Roseni. Direito


vivo, dádiva e integralidade: uma triangulação para pes-
quisar o direito da saúde. In: PINHEIRO, Roseni; MAR-
TINS, Paulo Henrique. (org.). Usuários, redes sociais e
integralidade em saúde. 1. ed. Rio de Janeiro: CEPESC
— IMS/UERJ — ABRASCO, 2011, v. 1, p. 89-106.

Com a Constituição de 1988 e as intensas reivindicações de uma pluralidade de


grupos sociais e políticos, a saúde foi alçada à categoria de direito fundamental, cujo
imperativo é a prestação positiva do Estado no sentido de concretizá-la e ampliá-la a
todos os cidadãos. A universalização da saúde foi acompanhada de sua institucionaliza-
ção normativa, o que possibilitou a cristalização de princípios, normas e diretrizes que
seriam desenvolvidos nos anos seguintes, cuja expressão mais significativa foi a criação
do Sistema Único de Saúde. Em seu artigo 196, observa-se que a saúde é um “direito
de todos e dever do Estado” (Brasil, 1988), o que denota a pretensão universalizante
deste direito. Aqui, a saúde é caracterizada como um direito fundamental e dever do Es-
tado, o que denota uma dupla-dimensão (direito-dever) em sua natureza. Considerando
isto, este texto busca desenvolver um aporte teórico-metodológico que permita pensar a
saúde como um direito vivo, isto é, como um direito que, apesar de previsto normativa-
mente, só recebe sentido a partir do desenvolvimento de práticas sociais endogenamente
constituídas. Para tal, no capítulo seguinte, serão delineadas considerações a respeito da
dimensão “viva” do direito à saúde. Após, serão discutidos dois elementos fundamentais
para a compreensão deste caráter “vivo”, quais sejam: dádiva e integralidade. Em segui-
da, são discutidos os limites e desafios para pensar a atuação das instituições jurídicas na
efetivação do direito à saúde. Por fim, como considerações finais, são apresentadas novas
perspectivas metodológicas de reflexão e pesquisa sobre direito à saúde e suas questões
correlatas.

30 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 30 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.9 FELIPE DUTRA ASENSI

ASENSI, Felipe Dutra. Algo está mudando no horizonte


do direito? Pós-positivismo e judialização da política e das
relações sociais. In: FELLET, André, DE PAULA, Daniel e
NOVELINO, Marcelo (org.). As novas faces do ativismo ju-
dicial. 1. ed. Salvador: JusPODIVM, 2011, v. 1, p. 205-223.

O objetivo deste artigo é refletir sobre as transformações que o direito tem passado
no contexto contemporâneo em sua interface com a política, buscando estabelecer uma
reflexão crítica sobre como tais transformações ainda encontram-se respaldadas numa
concepção centrada na figura do juiz, através do qual orbitam as demais instituições
jurídicas e sociais. Para tal, serão destinadas discussões a três perspectivas contemporâ-
neas da teoria do direito (Dworkin, Posner e Estudos de judicialização) que, por mais
que sejam heterogêneas e distintas, produzem concepções centradas no juiz. Após, serão
apresentados os limites destas concepções juiz-centradas para pensar a atuação dos de-
mais atores e instituições jurídicas e sociais, sobretudo no Brasil, buscando-se evidenciar
os limites do pós-positivismo e dos estudos de judicialização na compreensão do efetivo
papel de tais atores e instituições. Por fim, serão realizadas ponderações a respeito das
críticas à centralidade do juiz, de modo a propor alternativas teóricas e metodológicas
que apontem para uma alternativa analítica: a juridicialização das relações sociais.

FGV DIREITO RIO 31

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 31 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.9 FELIPE DUTRA ASENSI

ASENSI, Felipe Dutra. Direito e saúde: três propostas


para um direito material materialmente concebido. In:
PINHEIRO, Roseni e SILVA JÚNIOR, Aluísio Gomes
da (org.). Cidadania do cuidado: o universal e o comum
na integralidade das ações de saúde. Rio de Janeiro: CE-
PESC/IMS/UERJ/ABRASCO, 2011, v. 1, p. 71-84.

O direito à saúde no Brasil, mesmo após duas décadas de sua universalização e ado-
ção de princípios constitucionais basilares, ainda enfrenta desafios de diversas naturezas
no âmbito de sua efetivação, os quais remetem a uma série de fatores sociais, estrutu-
rais, políticos, culturais etc. Os desafios e debates sobre a garantia de tal direito não se
encontram esgotados, abrindo espaço para novas concepções, sentidos, investigações e
reflexões sobre a forma através da qual se pode torná-lo efetivo. Neste artigo, será reali-
zada uma reflexão sobre os desafios para a efetivação do direito à saúde no Brasil, com
enfoque especial nas instituições jurídicas e sua relação com a sociedade civil. Para tanto,
serão discutidas três propostas de reconfiguração desta relação com base na ampliação
da participação social e na intensificação da efetivação do direito à saúde enquanto um
direito material materialmente concebido.

32 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 32 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.9 FELIPE DUTRA ASENSI

ASENSI, Felipe Dutra. O direito, o juiz e as profecias


que se autocumprem. In: GUERRA, Sérgio (org.). Trans-
formações do Estado e do direito. Rio de Janeiro: Editora
FGV, 2011, v.2, p. 125-150.

No campo da teoria do direito, observam-se transformações que se traduzem prin-


cipalmente na superação da perspectiva do positivismo jurídico. Esta perspectiva sobre
o direito — fundamentalmente formalista — recebeu críticas ao longo do século XX e
vivenciou momentos de forte crise num cenário cada vez mais complexo e fragmentado,
em que as instituições jurídicas passaram por transformações estruturais e axiológicas.
Principalmente após os excessos e descaminhos ocasionados pelas duas guerras mun-
diais, os problemas derivados de regimes totalitaristas e o colapso econômico de alguns
países, o que se convencionou chamar de pós-positivismo buscou se consolidar como
uma alternativa à insuficiência e insensibilidade das correntes anteriores, sobretudo ao
incorporar critérios valorativos e principiológicos no campo do direito. A centralidade
teórica e metodológica do Judiciário nas reflexões contemporâneas pode contribuir para
um verdadeiro “apequenamento” da relevância institucional da Advocacia, Ministério
Público e Defensoria Pública, além de confundir o direito com o Judiciário ou, mais
propriamente, com os entendimentos e concepções construídas no interior da dinâmica
judicial. Portanto, este trabalho visa justamente refletir sobre estes limites teóricos e me-
todológicos que podem se traduzir numa restrição às possibilidades concretas de efetiva-
ção de direitos por parte dos cidadãos de forma extrajudicial, e, no âmbito acadêmico,
numa restrição às pesquisas que visam compreender a prática das instituições jurídicas.
Em ambos os casos, usando a acepção de Robert K. Merton, “profecias que se cumprem
por si mesmas”, que consistem em enunciados que alteram e influem nas ações dos indi-
víduos e, somente após, se tornam verdadeiros para aqueles indivíduos. Tais profecias al-
çam o Judiciário a uma centralidade não apenas ontológica no cotidiano dos indivíduos,
mas também uma centralidade teórica e metodológica nas pesquisas científicas sobre as
instituições jurídicas. Por fim, serão analisados os desafios presentes à endogenia judicial
da profecia e apresentados caminhos analíticos alternativos.

FGV DIREITO RIO 33

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 33 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.9 FELIPE DUTRA ASENSI

ASENSI, Felipe Dutra. Direito garantido é direito exer-


cido? A cidadania e a “marca da origem” no Brasil. In:
PINHEIRO, Luci (org.). Movimentos sociais, políticas
sociais e questão social. 1. ed. Rio de Janeiro: Gramma
Editora, 2011, v. 1, p. 102-135.

O debate sobre a cidadania no Brasil enseja múltiplas discussões, as quais remetem


não somente a nossa formação sociológica como também ao próprio processo de rei-
vindicação de direitos exercido pelos seus titulares no cotidiano das práticas sociais.
A temática da cidadania, no Brasil, enseja uma discussão que extrapola seus aspectos
contemporâneos, o que implica refletir sobre a própria cultura política e cívica que,
a seu modo, se constituiu na sociedade brasileira e pensar de que forma seus limites e
possibilidades de exercício de direitos influem diretamente na concepção de Estado,
sociedade civil, instituições jurídicas etc. Neste texto, o que se procura identificar é jus-
tamente em que sentido as características presentes em nossa origem se desenvolveram
e foram recriadas no cenário contemporâneo, interferindo diretamente na efetivação e
compreensão das pessoas sobre seus próprios direitos. Por isso, será realizada uma ana-
lise de algumas questões de nosso passado que, direta ou indiretamente, estão presentes
no cenário contemporâneo, sob a perspectiva de que nem todo direito objetivamente
garantido é efetivamente exercido pelos seus titulares. Assim, a proposta consiste em rea-
lizar uma discussão das questões atinentes a nossa origem a fim de subsidiar uma análise
sobre o desenvolvimento na prática dos direitos, principalmente tomando como norte a
Constituição de 1988 e o debate sobre democracia participativa no Brasil.

34 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 34 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.10 FERNANDO DE CASTRO FONTAINHA

FONTAINHA, Fernando de Castro. Les (en)jeux du


concours: une analyse interactionniste du recrutement à
l’École nationale de la magistrature. 1. ed. Sarrebruck:
Éditions Universitaires Européennes, 2011. v. 1. 472 p.

La France de nos jours ne connait un moyen plus légitime de sélectionner le personnel


que le concours public, et depuis 1958, le concours public est devenu aussi le moyen par
excellence de sélection du corps de la magistrature. Cependant, l’état actuel d’une sociolo-
gie de ce groupe professionnel ne répond pas à la question « comment devient-on magis-
trat en France? » en tenant compte du concours. Beaucoup de travaux ont été consacrés à
la scolarisation au sein de l’ENM, ainsi qu’à la socialisation professionnelle des magistrats.
Les réponses académiques expliquent plus largement les processus de sélection socia-
le. La réponse déterministe expliquera les processus de sélection sociale par des déter-
minations structurelles liées à l’héritage de compétences venues surtout de l’origine de
classe et du parcours scolaire. La réponse compréhensive expliquera les compétitions et
sélections par une sorte d’« effet miroir » existant entre sélectionneurs et sélectionnés.
La première réponse institutionnelle consiste à dire que le concours est fait pour
sélectionner les meilleurs étudiants sortants de l’enseignement universitaire. La seconde
réponse, concurrente et simultanée à la première, dit que le concours doit chercher dans
les candidats un profil taillé pour le métier de magistrat, du point de vue technique mais
aussi psychologique.
Croyant voir des insuffisances et même peut être des erreurs dans toutes ces répon-
ses, ce travail sera consacré à l’élaboration d’une autre réponse. À travers l’usage d’une
sociologie interactionniste, et d’une approche empirique multi-méthode, la recherche
proposée ici essayera de valoriser l’interaction entre les préparateurs, les jurés et les candi-
dats, ainsi que les contextes particuliers des différentes épreuves comme sources majeures
d’une autre réponse possible à la question « comment devient-on magistrat en France? ».
Tout d’abord, au lieu de l’écarter, il faut s’attacher à la tautologie selon laquelle « les
concours sélectionnent ceux qui se sont mieux préparés aux concours », car il n’est pas
si futile qu’il y parait.

FGV DIREITO RIO 35

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 35 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.11 JOÃO FELIPE RAMMELT SAUERBRONN

SAUERBRONN, J.F.R. Algumas considerações a respei-


to da reforma da gestão do Poder Judiciário e a seguran-
ça pública. In: LEAL, A. B.; MUNTEAL FILHO, O.;
ZAMPA, V. (orgs.) Perspectivas da Administração em
Segurança Pública no Brasil. Curitiba: CRV, 2011.

Dentro da área de estudos em administração pública, poucos ainda são os trabalhos


que dão conta da análise da gestão dos serviços jurisdicionais ou mesmo da Reforma do
Judiciário. Existe já no campo acadêmico uma certa tensão que talvez reflita as dificulda-
des práticas dos operadores do Direito: a distância entre o conhecimento desenvolvido
nas áreas de direito e administração. Assim, poucas pesquisas ultrapassam os limites
dessa ou daquela área de conhecimento ou apresentam perspectivas interdisciplinares
que possam ser desenvolvidas. O objetivo desse texto é trazer algumas contribuições da
administração ao debate acerca da reforma da gestão do Judiciário e suas consequências
para a segurança pública, além de tentar estimular outros pesquisadores da área a se
lançarem nesse mesmo caminho.

36 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 36 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.12 JOAQUIM DE ARRUDA FALCÃO NETO

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda (org.); ALMEI-


DA, Rafael Alves (org.); VIANNA, R. R. (org.); GUER-
RA, Sergio (org.). Novas parcerias entre os setores público
e privado. 1. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2011. v. 1. 211 p.

O livro trata, de forma didática e clara, dos conceitos e princípios das parcerias
público-privadas, analisando também contratos em áreas específicas de importância
econômica. Alguns dos temas abordados são: princípio da subsidiariedade e a partilha
de competências entre Estado e sociedade; contratos para gestão de rodovias; contratos
no setor de petróleo; contratos de concessão de energia elétrica; consórcios públicos; e
contratos de programa.

FGV DIREITO RIO 37

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 37 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.12 JOAQUIM DE ARRUDA FALCÃO NETO

ALMEIDA, Rafael Alves (org.); VIANNA, R. R. (org.);


GUERRA, Sergio (org.); FALCÃO NETO, Joaquim de
Arruda (org.). Sociedades Empresárias. 1. ed. Rio de Ja-
neiro: Editora FGV, 2011. v. 1. 220 p.

Este primeiro volume, dedicado ao estudo do direito societário, tem origem numa
profunda e sistemática pesquisa sobre as questões relativas às sociedades empresariais no
direito brasileiro. A intenção é tratar de questões atuais que despertam crescente interes-
se no meio jurídico e reclamam mais atenção dos estudiosos do direito.

38 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 38 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.12 JOAQUIM DE ARRUDA FALCÃO NETO

ALMEIDA, Rafael Alves (Org.); GUERRA, Sergio


(Org.); FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda (org.);
VIANNA, R. R. (org.). Sociedades Empresárias. 1. ed.
Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011. v. 2. 221 p.

Este segundo volume, dedicado ao direito societário, dá continuidade aos estudos


sobre as questões relativas às sociedades empresariais no direito brasileiro. Assim como
no volume 1, a intenção é tratar de questões atuais que despertam crescente interesse no
meio jurídico e reclamam mais atenção dos estudiosos do direito.
O debate acerca dos relevantes temas envolvendo o direito societário, a cada dia,
demonstra a importância que vem ganhando essa disciplina no mundo jurídico. O ob-
jetivo deste manual é discutir tais matérias, proporcionando a todos os operadores do
direito uma visão pragmática e contemporânea do assunto.

FGV DIREITO RIO 39

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 39 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.12 JOAQUIM DE ARRUDA FALCÃO NETO

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda (org.); GUERRA,


Sergio (org.); ALMEIDA, Rafael Alves (org.); VIANNA,
R. R. (org.). Direito Administrativo Contratual. 1. ed.
Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011. v. 1. 284 p.

Este primeiro volume dedicado ao estudo do direito administrativo contratual tem


origem em profunda pesquisa e sistemática consolidação dos materiais de aula acerca de
temas que despertam crescente interesse no meio jurídico e reclamam mais atenção dos
estudiosos do direito. A intenção da Escola de Direito do Rio de Janeiro da Fundação
Getulio Vargas é tratar de questões atuais sobre o tema, aliando a dogmática e a prag-
mática jurídicas.

40 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 40 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.12 JOAQUIM DE ARRUDA FALCÃO NETO

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda (org.); GUERRA,


Sergio (org.); ALMEIDA, Rafael Alves (org.); VIANNA,
R. R. (org.). Direito Administrativo Contratual. 1. ed.
Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011. v. 2. 284 p.

Este segundo volume dedicado ao estudo do direito administrativo contratual tem


origem em profunda pesquisa e sistemática consolidação dos materiais de aula acerca de
temas que despertam crescente interesse no meio jurídico e reclamam mais atenção dos
estudiosos do direito. A intenção da Escola de Direito do Rio de Janeiro da Fundação
Getulio Vargas é tratar de questões atuais sobre o tema, aliando a dogmática e a prag-
mática jurídicas.

FGV DIREITO RIO 41

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 41 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.12 JOAQUIM DE ARRUDA FALCÃO NETO

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda (org.); GUERRA,


Sergio (org.); ALMEIDA, Rafael Alves (org.); VIANNA,
R. R. (org.). Novas parcerias entre os setores público e pri-
vado. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011. v. 2. 236 p.

A obra trata, de forma didática e clara, dos conceitos e princípios das parcerias
público-privadas, analisando as questões em face das condições econômicas do desen-
volvimento do país e das discussões recentes sobre o processo de reforma do Estado.
Da mesma forma, ocupa-se do estudo de contratos em áreas específicas de importância
econômica.

42 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 42 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.12 JOAQUIM DE ARRUDA FALCÃO NETO

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda; CERDEIRA, Pablo


de Carmargo; ARGUELHES, Diego Werneck Arguelhes. I
Relatório Supremo em Números — O Múltiplo Supremo.
Rio de Janeiro: FGV Direito Rio, 2011. 72 pp.

Este I Relatório do Supremo Tribunal em números apresenta uma constatação quan-


to à natureza institucional do STF, obtida a partir da identificação de padrões em seus
processos. O supremo não se comporta como um só tribunal, mas sim como três cortes
distintas fundidas na mesma instituição, um tribunal com três personas.
O Relatório é composto de duas partes. Na Parte I: As Cortes Constitucional, Recur-
sal e Ordinária, apresenta-se a fundamentação estatística sobre a existência de três cortes
em uma, bem como se descreve as características comuns.
Na Parte II — As cortes uma a uma, analisa-se separadamente cada uma das três cor-
tes procurando entender a evolução no tempo e as peculiaridades mais representativas
de cada uma.

FGV DIREITO RIO 43

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 43 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.13 JOSÉ RICARDO CUNHA

CUNHA, José Ricardo. MIRANDA, Mariana Almeida


Picanço. Poder Judiciário Brasileiro e a Proteção dos Di-
reitos Humanos: aplicabilidade e incorporação das deci-
sões da Corte Interamericana de Direitos Humanos. Rio
de Janeiro: FGV Direito Rio, 2011.

O livro realiza um estudo da relação do Poder Judiciário Brasileiro com o direito


internacional dos direitos humanos. Trata do funcionamento da Corte Interamericana
dos Direitos Humanos, da incorporação pelo ordenamento jurídico brasileiro dos trata-
dos internacionais de direitos humanos — ONU e OEA —, da relação entre sociedade,
judiciário e proteção dos direitos humanos e, finalmente, faz a análise de casos brasileiros
que foram tratados na Corte Interamericana de Direitos Humanos, como o caso da FE-
BEM de São Paulo, caso Gilson Nogueira e caso Damião Ximenes.

44 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 44 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.13 JOSÉ RICARDO CUNHA

CUNHA, José Ricardo et al. Direitos Humanos Glo-


bais e Poder Judiciário: uma investigação empírica sobre
o conhecimento e a aplicação das normas dos sistemas
ONU e OEA no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro —
análise da primeira instância. In: CUNHA, José Ricardo
(org.). Direitos Humanos, Poder Judiciário e Sociedade.
1. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011, v. 1, pp. 13-51.

O artigo investiga e analisa como os magistrados da primeira instância do Tribunal


de Justiça do Rio de Janeiro compreendem o que sejam direitos humanos e, também, se
eles conhecem e aplicam as normas de direitos humanos da ONU e da OEA. O artigo
dá destaque para o fato do modelo estatístico de análise dos dados — modelo de regres-
são logística multinomial — ter revelado que juízes das varas penais e juízes negros são
os que mais aplicam tais normas.

FGV DIREITO RIO 45

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 45 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.13 JOSÉ RICARDO CUNHA

CUNHA, José Ricardo et al. Direitos Humanos Globais


e Poder Judiciário: uma investigação empírica sobre o co-
nhecimento e a aplicação das normas dos sistemas ONU
e OEA no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro — aná-
lise da segunda instância e comparações. In: CUNHA,
José Ricardo (org.). Direitos Humanos, Poder Judiciário
e Sociedade. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011, v.
1, pp. 53-113.

O artigo investiga e analisa como os magistrados da segunda instância do Tribunal de


Justiça do Rio de Janeiro compreendem o que sejam direitos humanos e, também, se eles
conhecem e aplicam as normas de direitos humanos da ONU e da OEA. O artigo desta-
ca como os desembargadores possuem concepções arrojadas sobre os DHs, embora não
tanto quanto os magistrados de primeira instância, mas não conhecem e não aplicam
as normas dos sistemas internacionais de proteção dos DHs. Também coloca em relevo
uma nota metodológica sobre a extrema dificuldade em se pesquisar desembargadores.

46 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 46 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.13 JOSÉ RICARDO CUNHA

CUNHA, José Ricardo et al. ONGs, Direitos Humanos


e Judiciário: uma observação empírica sobre organizações
não governamentais da cidade do Rio de Janeiro na sua
atuação em face do Poder Judiciário e na utilização —
ou não — de normas de direitos humanos dos sistemas
ONU e OEA. In: CUNHA, José Ricardo (org.). Direitos
Humanos, Poder Judiciário e Sociedade. 1. ed. Rio de
Janeiro: Editora FGV, 2011, v. 1, pp. 115-183.

O artigo investiga a atuação das principais ONGs que atuam na defesa dos direitos
humanos na cidade do Rio de Janeiro e se seus agentes conhecem e utilizam as normas
de direitos humanos dos sistemas ONU e OEA. Destaca o fato de que são poucas as
ONGs que utilizam as normas dos sistemas internacionais de proteção como base para
sua atuação jurídica e política. Também revela que apesar de vivermos em tempos de ju-
dicialização da política, são poucas as ONGs que elegem o Poder Judiciário como campo
estratégico e prioritário para a garantia de direitos humanos.

FGV DIREITO RIO 47

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 47 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.13 JOSÉ RICARDO CUNHA

CUNHA, José Ricardo; BORGES, Nadine. Direitos Hu-


manos, (não) realização do estado de direito e o problema
da exclusão. In: CUNHA, José Ricardo (org.). Direitos
Humanos, Poder Judiciário e Sociedade. 1. ed. Rio de
Janeiro: Editora FGV, 2011, v. 1, pp. 207-247.

O artigo aborda como os direitos humanos estão no centro da ideia de estado de


direito produzida na modernidade, mas, paradoxalmente, esse mesmo estado de direi-
to não conseguiu realizar os direitos humanos para todas as pessoas. Fica evidenciado
o problema da exclusão como um dado estruturante de uma proposta inconclusa de
estado de direito. Tal exclusão se dá tanto para as pessoas para as quais as regras não se
aplicam por estarem “acima da lei” (exclusão para cima) e para aquelas cujas regras não se
aplicam por estarem “abaixo da lei” (exclusão para baixo). Estes são as principais vítimas
do fenômeno da exclusão.

48 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 48 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.13 JOSÉ RICARDO CUNHA

CUNHA, José Ricardo; FALBO, Ricardo Nery. Do


(não) direito à cidade: da exclusão à reapropriação — So-
bre uma importância específica da Defensoria Pública.
In: SOUZA, José Augusto Garcia de (org.). Uma Nova
Defensoria Pública pede Passagem: reflexões sobre a Lei
Complementar 132/09. 1. ed. Rio de Janeiro: Lumen Ju-
ris, 2011, pp. 393-405.

O artigo aborda a cidade como o resultado dinâmico de relações sociais que nem
sempre são consideradas nos planejamentos urbanos. Como consequência, em certos
casos, tais planejamentos não conseguem dar conta dos problemas da pobreza, desi-
gualdade e exclusão. Nesses casos, reatar a ligação rompida entre cidade e democracia
depende, antes de mais nada, de se reconhecer novos atores sociais que emergem dos
grupos subalternizados da cidade e de se buscar, em alguma medida, contemplar suas
demandas, o que é feito em vários casos pela Defensoria Pública.

FGV DIREITO RIO 49

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 49 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.13 JOSÉ RICARDO CUNHA

CUNHA, José Ricardo (org.). Direitos Humanos, Poder


Judiciário e Sociedade. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2011.

O livro é o resultado de cinco anos de pesquisa empírica levada a cabo no âmbito do


Grupo de Pesquisa Direitos Humanos, Poder Judiciário e Sociedade (DHPJS). Trata,
no plano empírico, da formação e concepção de juízes e desembargadores do TJ do Rio
de Janeiro quanto aos Direitos Humanos. Além disso, investiga em que medida estes
magistrados conhecem e aplicam em suas decisões as normas de direitos humanos da
Organização das Nações Unidas — ONU — e da Organização dos Estados Americanos
— OEA. Ainda no plano empírico, investiga como as organizações não governamentais
mais atuantes na cidade do Rio de Janeiro adotam ou utilizam o Poder Judiciário e as
normas dos sistemas ONU e OEA na sua estratégia de defesa dos direitos humanos.
Além disso, discute, no plano teórico, os temas do estado de direito e da exclusão, da
atuação política das ONGs e da criatividade judicial no âmbito da argumentação jurí-
dica razoável.

50 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 50 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.14 LUIZ ROBERTO AYOUB

AYOUB, Luiz Roberto. A nova Lei de Recuperações de


Empresas e Falências: uma análise econômica. In: Trans-
formações do Estado e do Direito. 1. ed. Rio de Janeiro:
Editora FGV, 2011. v. 2. p. 73-85.

O segundo volume de Transformações do Estado e do Direito: novos rumos para o


Poder Judiciário traz novas discussões ocorridas no Programa de Mestrado Profissionali-
zante em Poder Judiciário, da Escola de Direito do Rio de Janeiro da Fundação Getulio
Vargas (FGV). Assim, vale lembrar os consideráveis influxos do direito na sociedade e a
responsabilidade que ele tem em responder às necessidades latentes no meio social.
A produção bibliográfica apresentada neste volume é fruto de debates ocorridos no
Programa de Mestrado Profissionalizante em Poder Judiciário, que tem por meta abor-
dar questões e discutir modalidades para a reforma do Poder Judiciário brasileiro. Tal
reforma faz-se necessária para a maturidade da democracia, o fortalecimento econômico
e o pleno desenvolvimento social no país.

FGV DIREITO RIO 51

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 51 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.15 MELINA DE SOUZA ROCHA LUKIC

ROCHA, Melina de Souza. La Comisión de Legislación


Participativa y la Participación de las ONG: Participaci-
ón popular en Brasil? In: WELP, Yanina, WHITEHE-
AD, Laurence (org.). América Latina: caleidoscópio de
la innovación democrática. Cidade do México: FLACSO
México, Nuffield College, Centre for Research on Direct
Democracy, 2011, p. 51-73.

A Comissão de Legislação Participativa é apresentada como um instrumento de De-


mocracia Participativa no espaço público brasileiro. Sua função é possibilitar a suges-
tão de projetos de lei pela sociedade civil organizada (através de ONGs, sindicatos,
associações e representações de classe) perante a Câmara dos Deputados. No artigo,
descrevemos o contexto “participacionista” atualmente presente no Brasil dentro do
qual este dispositivo se localiza. Em seguida, através de uma análise da genealogia e do
funcionamento da Comissão, pontuamos suas especificidades e inovações em relação a
outros dispositivos. A análise do funcionamento da Comissão permite uma comparação
entre aquilo que é por ela defendido e o que acontece na sua prática, com o objetivo
de desvendar sua real posição e eficácia dentro do Poder Legislativo brasileiro. Após,
passa-se ao estudo de quem participa da Comissão, com uma maior ênfase na análise da
participação das ONGs. O problema de definição das ONGs no Brasil e a questão de
sua representatividade perante a sociedade civil são, assim, abordados. Estas análises nos
conduzem a verificar qual a amplitude e abertura da participação da população através
desta Comissão.

52 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 52 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.16 PABLO CAMARGO CERDEIRA

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda; CERDEIRA, Pa-


blo de Carmargo; ARGUELHES, Diego Werneck Argue-
lhes. I Relatório Supremo em Números — O Múltiplo
Supremo. Rio de Janeiro: FGV Direito Rio, 2011. 72 pp.

Este I Relatório do Supremo Tribunal em números apresenta uma constatação quan-


to à natureza institucional do STF, obtida a partir da identificação de padrões em seus
processos. O supremo não se comporta como um só tribunal, mas sim como três cortes
distintas fundidas na mesma instituição, um tribunal com três personas.
O Relatório é composto de duas partes. Na Parte I: As Cortes Constitucional, Recur-
sal e Ordinária, apresenta-se a fundamentação estatística sobre a existência de três cortes
em uma, bem como se descreve as características comuns.
Na Parte II — As cortes uma a uma, analisa-se separadamente cada uma das três cor-
tes procurando entender a evolução no tempo e as peculiaridades mais representativas
de cada uma.

FGV DIREITO RIO 53

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 53 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.17 PATRÍCIA SAMPAIO

SAMPAIO, P. R. P.; LAVOURINHA, A. Considera-


ções finais: notas sobre concorrência e regulação no setor
bancário nacional. In: GONÇALVES, A.C.P.; PORTO,
A.J.M.; SAMPAIO, P.R.P. (org.). Regulação financeira
para advogados. 1. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011, p.
91-106.

O texto analisa as principais questões envolvendo regulação e defesa da concorrên-


cia no setor bancário brasileiro, incluindo a controvérsia existente sobre se o Conselho
Administrativo de Defesa Econômica — CADE tem competência para decidir acerca
de atos de concentração realizados no setor bancário, tendo em vista as atribuições con-
feridas pela Lei 4.595/64 ao Banco Central do Brasil.

54 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 54 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.17 PATRÍCIA SAMPAIO

PENTEADO, F. ; SAMPAIO, P. R. P. ; SAMPAIO, R. ;


NOGUEIRA, R.. The effect of municipal environmental
governance structure on statewide environmental law en-
forcement in the State of Rio de Janeiro. In: OLIVEIRA,
Carina Costa de; SAMPAIO, Rômulo Silveira da Olivei-
ra. (Org.). A economia verde no contexto do desenvol-
vimento sustentável: a governança dos atores públicos e
privados. Rio de Janeiro: Direito Rio, 2011. p. 129-133.

In this article, we observed the challenges imposed by the concurrent division of le-
gislative competence with respect to the environment between the Municipalities, States
and the Union. In accordance with article 24 of the Brazilian Constitution, legislative
activity by the Union should produce general norms that comprehend a national or
regional scope. According to Paragraph 2 of that same article, legislative activity at the
State and the Federal District level should supplement the general norms produced by
the Union. In some sense, supplement implies implementation of a stricter rule; howe-
ver, the Supreme Court has determined that a State law cannot forbid an act expressly
permitted by a federal law. Similarly, Article 30, parts I and II of the Constitution,
extends to the Municipalities the authority to exercise their legislative competence sup-
plementing State and Federal laws.

FGV DIREITO RIO 55

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 55 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.17 PATRÍCIA SAMPAIO

GONCALVES, A. C. P. (org.); PORTO, A.J.M. (org.);


SAMPAIO, P. R. P. (org.). Regulação Financeira para Ad-
vogados. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011. 106 p.

O livro aborda alguns dos principais temas que vêm permeando as discussões acerca
da regulação do sistema financeiro. Seu objetivo reside em constituir um guia de estudo,
ao mesmo tempo didático e atual, sobre o setor, assim como apresentar as principais
instituições e normas incidentes, das perspectivas internacional e doméstica.

56 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 56 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.18 PAULA ALMEIDA WOJCIKIEWICZ

WOJCIKIEWICZ, P.A. Prefácio. In: Revista do Pro-


grama de Direito da União Europeia, Módulo Europeu,
Programa Jean Monnet. Rio de Janeiro: FGV Direito
Rio, 2011.

Prefácio da primeira Revista do Programa de Direito da União Europeia — FGV


Direito Rio. A Revista constitui uma publicação dos trabalhos de conclusão de curso
dos alunos inscritos e selecionados no Módulo Europeu do Programa Jean Monnet de
Direito da União Europeia da FGV Direito Rio.

FGV DIREITO RIO 57

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 57 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.18 PAULA ALMEIDA WOJCIKIEWICZ

WOJCIKIEWICZ, P.A. Prefácio. In: LACERDA, G.


Nazismo, Cinema e Direito. Rio de Janeiro: Editora El-
sevier, 2011.

Prefácio do livro acerca da experiência de ensino envolvendo filmes relacionados ao


período nazista na disciplina de Direito e Cinema na FGV Direito Rio.

58 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 58 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.18 PAULA ALMEIDA WOJCIKIEWICZ

WOJCIKIEWICZ, P.A. Revista do Programa de Direi-


to da União Europeia, Módulo Europeu, Programa Jean
Monnet. Rio de Janeiro: FGV Direito Rio, 2011.

A Revista engloba trabalhos realizados pelos alunos do Módulo Europeu do Programa


Jean Monnet, sob a orientação dos professores que integram o Programa e relacionam-
-se com os assuntos tratados durante o curso. A presente edição traz cinco contribuições
acerca de temas clássicos e atuais da integração europeia. O primeiro trabalho foi realiza-
do pela aluna Anna Clara Monjardim, sob a orientação da professora Paula Wojcikiewi-
cz Almeida. A autora disserta sobre o importante princípio do efeito direto e a ordem
jurídica da União Europeia à luz do precedente do caso Van Gend en Loos. A segunda
contribuição é apresentada pelos alunos Ely Caetano Xavier Júnior e Fábia Patrícia Sousa
Andérez, orientados por Paula Wojcikiewicz Almeida, que examinam os mecanismos
de controle jurisdicional da atuação dos Estados-membros em sistemas de integração
regionais sob a ótica de três sistemas de integração regionais, como a União Europeia,
o Mercado Comum do Sul e a Comunidade Andina das Nações. O aluno Lennart
Berthold avalia, em um terceiro momento, a ordem jurídica internacional após o caso
Kadi, julgado recentemente pelo Tribunal de Justiça da União Europeia. O trabalho é
orientado pela professora Paula Wojcikiewicz Almeida. O quarto trabalho é focado no
Direito da Concorrência da União Europeia. Trata-se de avaliar a aplicação das diretrizes
do livro branco sobre responsabilidade civil no direito da concorrência brasileiro. A au-
tora é Lívia Gândara, sob orientação da professora Patrícia Regina Pinheiro Sampaio. A
última contribuição da presente edição relaciona-se à matéria do Direito Ambiental da
União Europeia, especificamente à relação entre o livre-comércio e a proteção ambiental
sob a luz da jurisprudência europeia. O trabalho é realizado pelas alunas Maria Salles
Coelho de Mello Franco, Renata Silva Staudohar e Rinuccia Faria La Ruína, todas sob a
orientação da professora Carina Costa de Oliveira.

FGV DIREITO RIO 59

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 59 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.19 PEDRO VIEIRA ABRAMOVAY

ABRAMOVAY, P. V. Separação de Poderes e Medidas


Provisórias. 1. ed. Rio de Janeiro: Campus/Elsevier,
2011. v. 1. 99 p.

O trabalho faz uma análise sobre a edição de medidas provisórias no Brasil a partir
de um debate sobre o princípio da separação de Poderes. Para isso é feita uma descrição
do desenvolvimento histórico deste princípio como uma condição de possibilidade da
conciliação entre democracia e direitos fundamentais, com a abertura para um processo
permanente de transformações sociais. A partir disso, se analisa o desenho institucional
da relação entre os Poderes Legislativo e Executivo no Brasil e, finalmente, é feita uma
análise empírica da edição de medidas provisórias no Brasil que, ao demonstrar que o
Congresso Nacional realiza controle ativo sobre os textos enviados pelo Executivo, con-
clui que a moldura constitucional brasileira permite o exercício do sistema de freios e
contrapesos de acordo com uma visão democrática do princípio de separação de Poderes.

60 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 60 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.19 PEDRO VIEIRA ABRAMOVAY

ABRAMOVAY, P. V. O Direito Achado no parlamen-


to — uma experiência docente. In: FALCÃO, Joaquim
(org.). Cadernos FGV Direito Rio — volume 06. Labo-
ratório de Experiências Didáticas. Rio de Janeiro: Escola
de Direito do Rio de Janeiro da Fundação Getulio Var-
gas, 2011.

O trabalho faz uma discussão sobre a importância, para a democracia brasileira, de


uma apropriação, por parte da comunidade epistêmica jurídica, do debate sobre o pro-
cesso legislativo. Para aprofundar a discussão, o artigo narra uma experiência didática na
qual os alunos tiveram contato não apenas com a doutrina e com a jurisprudência, mas
também com os debates jurídicos que ocorreram durante o processo legislativo.

FGV DIREITO RIO 61

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 61 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.19 PEDRO VIEIRA ABRAMOVAY

ABRAMOVAY, P. V. Derecho Penal, Derechos Huma-


nos y Políticas de Drogas. In: TOUZÉ, Graciela Dora;
GOLTZMAN, Paula Marcela. (org.). América Latina
Debate Sobre Drogas: I e II. Conferencias Latinoame-
ricanas sobre Políticas de Drogas. 1. ed. Buenos Aires:
Universidad de Buenos Aires, 2011, v. 1, p. 97-101.

O artigo discute o tema da política de drogas a partir de uma perspectiva de direitos


humanos, mostrando como a Lei 11.343, apesar de bem intencionada, suprimiu muitos
direitos de usuário de drogas.

62 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 62 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.20 PEDRO MIZUKAMI

MIZUKAMI, P. N.; CASTRO, Oona; MONCAU, Luiz


Fernando; LEMOS, Ronaldo. Brazil. In: KARAGANIS,
Joe. (org.). Media piracy in emerging economies. 1. ed.
USA: Social Science Research Council, 2011. p. 219-301.

As in many other developing countries after World War II, Brazilian approaches to
intellectual property were shaped by import substitution strategies designed to foster
the growth of local industry. High tariffs on imported goods and a narrow scope for
patentable technologies were important elements of these strategies. In the case of phar-
maceutical patents — which Brazil abolished in 1969 — health policy also played a
large role: for many categories of medicine, Brazil had sufficient capacity to meet its own
needs at low cost. As the United States led the push for stronger global IP norms in the
late 1970s and 1980s, most IP-exporting countries revised their laws to extend protec-
tion to emerging fields of technical innovation, including pharmaceuticals and software.
Most developing economies were reluctant to follow. Brazil, India and South Korea, in
particular, maintained lower IP protection for such goods, resulting in sharp disputes
with the United States in the 1980s. Tensions over intellectual property protection do-
minated the Brazil-US relationship during the period, first in the context of US efforts
to roll back Brazilian protection of its nascent computer industry (1985) and later in
relation to US attempts to force Brazilian adoption of pharmaceutical patents (1987).
Brazil acceded quickly to US demands in the first case, establishing copyright for sof-
tware and removing import restrictions on computer equipment. But it held its ground
on pharmaceuticals, leading to US-imposed sanctions under Section 301 of the US
Trade Act (Sell 2003:90; Bayard and Elliott 1994:187—208). With negotiations over
the new World Trade Organization (WTO) drawing to a close, however, and broader IP
obligations for pharmaceuticals imminent, Brazil gave up this position in 1990. Consis-
tent with its obligations under the WTO’s TRIPS (Trade-Related Aspects of Intellectual
Property Rights) agreement, Brazil established pharmaceutical patents in 1996.

FGV DIREITO RIO 63

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 63 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.21 RAFAEL ALVES DE ALMEIDA

ALMEIDA, Rafael Alves de; FALCÃO, Joaquim;


GUERRA, Sergio; VIANNA, Rodrigo (org.). Sociedades
Empresárias. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011. v. 1.

Este primeiro volume, dedicado ao estudo do direito societário, tem origem numa
profunda e sistemática pesquisa sobre as questões relativas às sociedades empresariais no
direito brasileiro. A intenção é tratar de questões atuais que despertam crescente interes-
se no meio jurídico e reclamam mais atenção dos estudiosos do direito. O debate acerca
dos relevantes temas envolvendo o direito societário a cada dia demonstra a importância
que vem ganhando essa disciplina no mundo jurídico. O objetivo deste manual é discu-
tir tais matérias, proporcionando a todos os operadores do direito uma visão pragmática
e contemporânea do assunto.

64 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 64 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.21 RAFAEL ALVES DE ALMEIDA

ALMEIDA, Rafael; FALCÃO, Joaquim; GUERRA, Ser-


gio; VIANNA, Rodrigo. (org.) Sociedades Empresárias.
Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011. v. 2.

Este segundo volume, dedicado ao direito societário, dá continuidade aos estudos


sobre as questões relativas às sociedades empresariais no direito brasileiro. Assim como
no volume 1, a intenção é tratar de questões atuais que despertam crescente interesse no
meio jurídico e reclamam mais atenção dos estudiosos do direito. O debate acerca dos
relevantes temas envolvendo o direito societário, a cada dia, demonstra a importância
que vem ganhando essa disciplina no mundo jurídico. O objetivo deste manual é discu-
tir tais matérias, proporcionando a todos os operadores do direito uma visão pragmática
e contemporânea do assunto.

FGV DIREITO RIO 65

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 65 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.21 RAFAEL ALVES DE ALMEIDA

ALMEIDA, Rafael; FALCÃO, Joaquim; GUERRA, Ser-


gio; VIANNA, Rodrigo (org.). Novas Parcerias entre os
setores público e privado. Rio de Janeiro: Editora FGV,
2011. v. 1.

O livro trata, de forma didática e clara, dos conceitos e princípios das parcerias
público-privadas, analisando também contratos em áreas específicas de importância
econômica. Alguns dos temas abordados são: princípio da subsidiariedade e a partilha
de competências entre Estado e sociedade; contratos para gestão de rodovias; contratos
no setor de petróleo; contratos de concessão de energia elétrica; consórcios públicos; e
contratos de programa.

66 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 66 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.21 RAFAEL ALVES DE ALMEIDA

ALMEIDA, Rafael; FALCÃO, Joaquim; GUERRA, Ser-


gio; VIANNA, Rodrigo (org.). Novas Parcerias entre os
setores público e privado. Rio de Janeiro: Editora FGV,
2011. v. 2.

A obra trata, de forma didática e clara, dos conceitos e princípios das parcerias público-
-privadas, analisando as questões em face das condições econômicas do desenvolvimento
do país e das discussões recentes sobre o processo de reforma do Estado. Da mesma
forma, ocupa-se do estudo de contratos em áreas específicas de importância econômica.

FGV DIREITO RIO 67

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 67 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.21 RAFAEL ALVES DE ALMEIDA

ALMEIDA, Rafael; FALCÃO, Joaquim; GUERRA, Ser-


gio; VIANNA, Rodrigo (org.). Direito Administrativo
Contratual. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011. v. 1.

Este primeiro volume dedicado ao estudo do direito administrativo contratual tem


origem em profunda pesquisa e sistemática consolidação dos materiais de aula acerca de
temas que despertam crescente interesse no meio jurídico e reclamam mais atenção dos
estudiosos do direito. A intenção da Escola de Direito do Rio de Janeiro da Fundação
Getulio Vargas é tratar de questões atuais sobre o tema, aliando a dogmática e a prag-
mática jurídicas.

68 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 68 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.21 RAFAEL ALVES DE ALMEIDA

ALMEIDA, Rafael; FALCÃO, Joaquim; GUERRA, Ser-


gio; VIANNA, Rodrigo (org.). Direito Administrativo
Contratual. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011. v. 2.

Este segundo volume dedicado ao estudo do direito administrativo contratual tem


origem em profunda pesquisa e sistemática consolidação dos materiais de aula acerca de
temas que despertam crescente interesse no meio jurídico e reclamam mais atenção dos
estudiosos do direito. A intenção da Escola de Direito do Rio de Janeiro da Fundação
Getulio Vargas é tratar de questões atuais sobre o tema, aliando a dogmática e a prag-
mática jurídicas.

FGV DIREITO RIO 69

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 69 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.22 RICARDO MORISHITA WADA

MORISHITA WADA, R. Novas modalidades de Ouvi-


dorias Pública no Brasil. João Pessoa: Ed. Universitária da
Universidade Federal da Paraíba, 2011. v. 1. 330 p.

Em um momento de crescimento econômico e estabilidade política, os consumidores


estão mais conscientes dos seus direitos e mais exigentes em relação ao produtos comer-
cializados e aos serviços prestados. Porém, a aplicação do código de defesa do consumidor,
segundo a maior parte da doutrina e jurisprudência, não alcançaria os serviços públicos
universais como educação, saúde e segurança pública. Esse parece ser o ponto de conver-
gência entre o sistema nacional de defesa do consumidor e a ouvidora pública. A fonte
normativa para a defesa do consumidor repousa na constituição de 1988. A lei 8.078/90
veio formalizar o mandamento constitucional. Os Procons, como regra geral, integram a
administração direta, dos Estados e dos Municípios, e são instituídos especialmente para
a proteção do consumidor. Dentre as principais atividades e prerrogativas dos Procons
destaca-se o atendimento das demandas dos consumidores, a orientação sobre seus di-
reitos, a fiscalização e aplicação de sanção por descumprimento de normas de defesa do
consumidor. Enquanto a atuação do Procon não alcança os serviços públicos universais,
as Ouvidoria Públicas não oferecem a mesma restrição. Conclui-se que as Ouvidorias
integradas aos Órgãos de defesa do consumidor apresentam imenso potencial para con-
tribuir com a construção da cidadania e a proteção dos direitos do consumidor.

70 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 70 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.22 RICARDO MORISHITA WADA

MORISHITA WADA, R. Danos Indenizáveis — Os sis-


temas de responsabilidade no Código de Defesa do Con-
sumidor. In: Doutrinas Essenciais do Direito do Consu-
midor. São Paulo: Revistas dos Tribunais, 2011, v.V, p.
25-25.

FGV DIREITO RIO 71

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 71 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.23 ROBERTO DA SILVA FRAGALE FILHO

FRAGALE FILHO, Roberto. Ativismo judicial e sujei-


tos coletivos: a ação das associações de magistrados. In:
COUTINHO, Jacinto Nélson de Miranda; FRAGALE
FILHO, Roberto; LOBÃO, Ronaldo (orgs.). Consti-
tuição e ativismo judicial. Rio de Janeiro: Lumen Juris,
2011, 456 p.

Embora o ativismo judicial seja usualmente analisado com base em decisões judiciais,
ele também pode se desenvolver a partir da ação coletiva como, por exemplo, no âmbi-
to da atuação das associações de magistrado. Essa premissa encontra-se presente neste
texto, que explora, em um primeiro momento, o significado da expressão “ativismo ju-
dicial”. Em um segundo momento, ele se dedica a examinar a atuação das associações, si-
nalizando para a existência de um ativismo “para fora” e de outro ativismo “para dentro”.
Quanto ao primeiro, são exploradas as campanhas institucionais, o lobby legislativo e as
ações judiciais desenvolvidas pelas associações de magistrados, ao passo que, no segundo,
são examinadas a construção de uma identidade institucional, a democracia corporativa
e as ações administrativas dessas mesmas associações. Ao cabo, especula-se sobre como
essas ações traduzem-se em uma forma diferenciada de ativismo judicial.

72 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 72 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.23 ROBERTO DA SILVA FRAGALE FILHO

COUTINHO, Jacinto Nélson de Miranda; FRAGALE


FILHO, Roberto; LOBÃO, Ronaldo (orgs.). Consti-
tuição e ativismo judicial. Rio de Janeiro: Lumen Juris,
2011, 456 p.

Este livro reúne as contribuições do oitavo encontro do grupo Cainã, que ocorreu em
2009, na cidade de Teresópolis, no Rio de Janeiro. Nenhum de seus participantes trouxe
respostas definitivas sobre a articulação entre constituição e ativismo judicial, mas todos
procuraram compartilhar preocupações e experiências acadêmicas diversas, sempre com
o propósito de construir uma agenda coletiva. Assim, as longas discussões tampouco
produziram respostas. Ao contrário, suscitaram mais dúvidas e trouxeram novas inquie-
tações. E nisso reside o êxito dos textos aqui reunidos: a construção de uma pauta aberta
e inconclusa em torno do papel da constituição e da atuação da magistratura. Com
contribuições de Alicia Ruiz, Carlos Maria Cárcova, Guilherme Leite Gonçalves, Jacinto
Coutinho, Lênio Luiz Streck, Luiz Edson Facchin e Roberto Fragale Filho, entre outros,
o leitor é agora convidado a formular sua própria análise e explorar os sentidos da ação
judicial e da mobilização constitucional.

FGV DIREITO RIO 73

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 73 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.24 RODRIGO VIANNA

FALCÃO, J. (org.); GUERRA, Sérgio (org.); ALMEI-


DA, Rafael (org.); VIANNA, R. (org.). Novas parcerias
entre os setores público e privado. 1. ed. Rio de Janeiro:
Editora FGV, 2011. v. 2. 212 p.

A obra trata, de forma didática e clara, dos conceitos e princípios das parcerias
público-privadas, analisando as questões em face das condições econômicas do desen-
volvimento do país e das discussões recentes sobre o processo de reforma do Estado.
Da mesma forma, ocupa-se do estudo de contratos em áreas específicas de importância
econômica.

74 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 74 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.24 RODRIGO VIANNA

FALCÃO, J. (org.); GUERRA, Sérgio (org.); ALMEIDA,


Rafael (org.); VIANNA, R. (org.). Sociedades Empresá-
rias. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011. v. 1. 220 p.

Este primeiro volume, dedicado ao estudo do direito societário, tem origem numa
profunda e sistemática pesquisa sobre as questões relativas às sociedades empresariais no
direito brasileiro. A intenção é tratar de questões atuais que despertam crescente interes-
se no meio jurídico e reclamam mais atenção dos estudiosos do direito. O debate acerca
dos relevantes temas envolvendo o direito societário a cada dia demonstra a importância
que vem ganhando essa disciplina no mundo jurídico. O objetivo deste manual é discu-
tir tais matérias, proporcionando a todos os operadores do direito uma visão pragmática
e contemporânea do assunto.

FGV DIREITO RIO 75

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 75 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.24 RODRIGO VIANNA

FALCÃO, J. (org.); GUERRA, Sérgio (org.); ALMEIDA,


Rafael (org.); VIANNA, R. (org.). Sociedades Empresá-
rias. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011. v. 2. 188 p.

Este segundo volume, dedicado ao direito societário, dá continuidade aos estudos


sobre as questões relativas às sociedades empresariais no direito brasileiro. Assim como
no volume 1, a intenção é tratar de questões atuais que despertam crescente interesse no
meio jurídico e reclamam mais atenção dos estudiosos do direito. O debate acerca dos
relevantes temas envolvendo o direito societário, a cada dia, demonstra a importância
que vem ganhando essa disciplina no mundo jurídico. O objetivo deste manual é discu-
tir tais matérias, proporcionando a todos os operadores do direito uma visão pragmática
e contemporânea do assunto.

76 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 76 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.24 RODRIGO VIANNA

FALCÃO, J. (org.); GUERRA, Sérgio (org.); ALMEI-


DA, Rafael (org.); VIANNA, R. (org.). Novas Parcerias
entre os setores público e privado. 1. ed. Rio de Janeiro:
Editora FGV, 2011. v. 1. 236 p.

O livro trata, de forma didática e clara, dos conceitos e princípios das parcerias
público-privadas, analisando também contratos em áreas específicas de importância
econômica. Alguns dos temas abordados são: princípio da subsidiariedade e a partilha
de competências entre Estado e sociedade; contratos para gestão de rodovias; contratos
no setor de petróleo; contratos de concessão de energia elétrica; consórcios públicos; e
contratos de programa.

FGV DIREITO RIO 77

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 77 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.25 RÔMULO SILVEIRA DA ROCHA SAMPAIO

SAMPAIO, R. S. R.. Direito ambiental — Doutrina e


casos práticos. 1. ed. Rio de Janeiro: Elsevier/Campus Ju-
rídico, 2011. v. 1. 395p.

O formato deste livro não é o de um manual clássico de direito, a segmentar o direto


ambiental por doutrinas e conceituações descontextualizadas. Ele traz uma introdução
à concepção, à formação, à evolução, ao desenvolvimento e à consolidação do Direito
Ambiental no Brasil, incluindo uma criteriosa seleção de leis, textos doutrinários, trata-
dos internacionais, dentre outros materiais relevantes para a discussão apresentada para
cada tópico. Mas não se restringe aos limites estritos da análise dogmática da teoria do
direito, leis e julgados.
A obra introduz ao debate teorias desenvolvidas por outras áreas do conhecimento.
Com isso, torna possível relacionar o Direito Ambiental com os diferentes contextos
históricos do seu processo de formação e possibilita a inserção de elementos de outras
disciplinas sociais, econômicas e até mesmo naturais, para dialogar com conceitos e
análises jurídicas extraídas dos principais textos normativos e interpretações dogmáticas
já produzidas sobre a matéria.

78 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 78 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.25 RÔMULO SILVEIRA DA ROCHA SAMPAIO

SAMPAIO, R. S. R.. Compensação ambiental: avanços,


retrocessos e dificuldades em sua aplicação. In: AHMED,
Flávio; COUTINHO, Ronaldo. (org.). Tutela Jurídica
das Áreas Protegidas. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2011,
p. 63-74.

Mecanismos auxiliares de promoção de eficácia social das normas ambientais são ne-
cessários e indispensáveis para o sucesso do direito ambiental. A compensação ambiental
prevista pelo artigo 36 da Lei n. 9.985, de 18 de julho de 2000, que dipõe sobre o Siste-
ma Nacional de Unidades de Conservação (SNUC), é um desses mecanismos auxiliares.
O presente artigo trata da compensação ambiental do SNUC, refletindo a apresentação
durante o III Seminário Nacional de Direito Ambiental, ocorrido durante os dias 19 e
20 de agosto de 2010, na Ordem dos Advogados do Brasil — Rio de janeiro (OAB —
RJ), promovido pela Comissão Permanente de Direito Ambiental da OAB — RJ. Como
explica o título, este trabalho está estruturado em três partes: uma primeira dedicada
aos avanços da compensação ambiental no SNUC; a segunda aos seus retrocessos; e a
terceira às dificuldades na sua aplicação.

FGV DIREITO RIO 79

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 79 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.25 RÔMULO SILVEIRA DA ROCHA SAMPAIO

SAMPAIO, R. S. R.; NOGUEIRA, R.; SAMPAIO, P.


R. P.; PENTEADO, F. S. The Effect of Municipal Envi-
ronmental Governance Structure on Statewide Environ-
mental Law Enforcement in the State of Rio de Janeiro:
an empirical study. In: OLIVEIRA, Carina Costa de;
SAMPAIO, Rômulo Silveira da Rocha. (org.). A econo-
mia verde no contexto do desenvolvimento sustentável: a
governança dos atores públicos e privados. 1. ed. Rio de
Janeiro: FGV Direito Rio, 2011, p. 129-133.

In this article, we observed the challenges imposed by the concurrent division of le-
gislative competence with respect to the environment between the Municipalities, States
and the Union. In accordance with article 24 of the Brazilian Constitution, legislative
activity by the Union should produce general norms that comprehend a national or
regional scope. According to Paragraph 2 of that same article, legislative activity at the
State and the Federal District level should supplement the general norms produced by
the Union. In some sense, supplement implies implementation of a stricter rule; howe-
ver, the Supreme Court has determined that a State law cannot forbid an act expressly
permitted by a federal law. Similarly, Article 30, parts I and II of the Constitution,
extends to the Municipalities the authority to exercise their legislative competence sup-
plementing State and Federal laws.

80 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 80 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.25 RÔMULO SILVEIRA DA ROCHA SAMPAIO

SAMPAIO, R. S. R. A importância dos princípios da in-


formação e da participação em um contexto de decisão
sob incerteza. In: SAMPAIO, R. S. R.; LEAL, G. J. S.;
REIS, A. A. R. (org.). Tópicos de Direito Ambiental 30
Anos da Política Nacional do Meio Ambiente. 1 ed. Rio
de Janeiro: Lumen Juris, 2011, v. 1, p. 443-455.

O presente trabalho apresenta os fundamentos teóricos do processo de decisão em


contextos de incerteza. Toma emprestados alguns conceitos de trabalhos econômicos
para demonstrar a importância da delimitação do tipo de incerteza e, desta forma, via-
bilizar análises custo-benefício, em alguns casos, e/ou do princípio da precaução em
outros. Não é demais ressaltar que a técnica mais apurada de aplicação do princípio da
precaução é sempre decorrência da correta instrumentalização dos princípios da infor-
mação e da participação. A falha de aplicação ou o menosprezo na utilização destes sem-
pre terá reflexos naquele. O resultado, quando isso ocorre, é refletido na deficiência de
análise das consequências da decisão, o que, por sua vez, leva a resultados quase sempre
ineficientes e prejudiciais à multiplicidade de interesses implicados. A lógica da aplicação
prática dos princípios de informação, participação e precaução é fundamental também
para atribuir maior coerência aos princípios da proporcionalidade e da razoabilidade,
frequentemente utilizados nos processos de adjudicação em matéria ambiental.

FGV DIREITO RIO 81

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 81 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.25 RÔMULO SILVEIRA DA ROCHA SAMPAIO

GEBARA, M. F. Expanding the Role of Forests and Fo-


restry Practices in a Post-2012 Climate Agreement. In:
Michael Mehling, Amy Merrill, Karl Upston-Hooper.
(org.). Improving the Clean Development Mechanism:
Options and Challenges Post-2012. Berlim: Lexxion Pu-
blisher, 2011, p. 125-138.

Forest carbons markets under the United Nations Convention on Climate Change
(UNFCCC) and the Kyoto Protocol have proven insufficient to boost forestry practi-
ces in developing countries. Since 2007 the UNFCCC has been negotiating for policy
approaches and positive incentives for Reducing Emissions from Deforestation and de-
gradation (REDD+) for the post-212 period. He hope lies on the Perties expanding the
role of forestry practices in the climate regime through the creation of incentives for
avoided deforestation and forest degradation, sustainable management of forests and
conservation and enhancement of carbon stocks. The benefits of an expanded role for
forestry practices extend beyond climate change mitigation to the valuation of ecosys-
tem services. Looking to the current forestry regime assists on understanding the main
policy challenges facing the negotiations over a post-2012 agreement.

82 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 82 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.25 RÔMULO SILVEIRA DA ROCHA SAMPAIO

SAMPAIO, R. S. R. (org.); LEAL, G. J. S. (org.); REIS,


A. A. R. (org.). Tópicos de Direito Ambiental 30 Anos
da Política Nacional do Meio Ambiente. 1. ed. Rio de
Janeiro: Lumen Juris, 2011. v. 1. 767p.

FGV DIREITO RIO 83

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 83 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.25 RÔMULO SILVEIRA DA ROCHA SAMPAIO

OLIVEIRA, C. C. (org.); SAMPAIO, R. S. R. (org.). A


economia verde no contexto do desenvolvimento susten-
tável: a governança dos atores públicos e privados. 1. ed.
Rio de Janeiro: FGV DIREITO RIO, 2011. v. 1. 340p.

O livro está dividido em duas partes, a primeira trata da economia verde no contexto
do desenvolvimento sustentável, contendo: 1 — a inclusão dos atores privados na busca do
desenvolvimento sustentável e 2 — a transferência da tecnologia. A segunda parte abor-
da a governança dos atores públicos e privados, contendo: 1 — metodologia de análise;
2 — a governança nacional em áreas específicas — florestas, questões fundiárias e energia
renovável; 3 — a governança internacional, abarcando princípios, modelos de governança,
governança internacional e biodiversidade. Os artigos do livro foram elaborados como con-
tribuições feitas à Jornada Internacional para a Rio + 20, realizada no Rio de Janeiro em 24
e 25 de junho de 2011.

84 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 84 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.25 RÔMULO SILVEIRA DA ROCHA SAMPAIO

SAMPAIO, R. S. da R.; BARBOSA, M. M.; PERAL-


TA, A. I.. Research Award for Young Scholars 2011 —
“Adaptive Water Management: looking to the future”.
Rio de Janeiro: FGV Direito Rio, 2011. 94 p.

Essa compilação de pesquisas premiadas é resultado da parceria entre o IDRC (In-


ternational Development Research Center) e o PDMA (Programa de Direito e Meio
Ambiente) da Escola de Direito da Fundação Getulio Vargas do Rio de Janeiro. Em
abril de 2011, ambas as instituições juntaram esforços para apoiar uma competição mul-
tidisciplinar que teve como fruto artigos com temas voltados à relação entre alterações
climáticas e água: duas das maiores questões do nosso século.

FGV DIREITO RIO 85

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 85 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.26 RONALDO LEMOS

LEMOS, Ronaldo; et al. Media Piracy in Emerging Eco-


nomies — Brazil. Media Piracy in Emerging Economies.
USA: Social Science Research Council, 2011.

Trata-se de pesquisa sobre pirataria em economias emergentes, que foi chamada pelo jor-
nalista Felix Salmon da Reuters de “The Best Research about Media Piracy Ever Published”

86 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 86 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.26 RONALDO LEMOS

LEMOS, Ronaldo. Farol Digital: Pontos de Cultura e


lan houses como centros de inclusão digital. In: LEMOS,
Ronaldo et al. (org.). Pontos de Cultura e lan-houses: es-
truturas para inovação na base na base da pirâmide social.
Rio de Janeiro: FGV Direito Rio, 2011. pp. 9-46

Trata-se de livro que trata das repercussões econômicas, culturais e sociais dos pontos
de cultura e das lan-houses, e como ambos fazem parte do panorama da inclusão digital
no Brasil.

FGV DIREITO RIO 87

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 87 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.26 RONALDO LEMOS

LEMOS, Ronaldo (org.); et alli (org.). Direitos Autorais


em Reforma. Rio de Janeiro: FGV Direito Rio, 2011. v. 1.

Trata-se de livro descrevendo o processo de reforma dos direitos autorais no Brasil


descrevendo de maneira pragmática mudanças e temas fundamentais a serem modifica-
dos na lei de direitos autorais do país.

88 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 88 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.26 RONALDO LEMOS

LEMOS, Ronaldo (org.); FERRAZ, Joana Varon (org.).


Pontos de Cultura e lan houses: estruturas para inovação
na base na base da pirâmide social. Rio de Janeiro: FGV
Direito Rio, 2011.

Trata-se de pesquisa sobre a indústria da moda na cidade do Rio de Janeiro, realizada


em parceria com a prefeitura do Rio de Janeiro, levando em considerações aspectos da
propriedade intelectual e a questão da formalidade e informalidade, bem como a emer-
gência de novos atores nas periferias cariocas, muitos deles conectados ao mundo por
meio da tecnologia.

FGV DIREITO RIO 89

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 89 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.26 RONALDO LEMOS

LEMOS, Ronaldo (org.) et al. (org.). Territórios da Moda:


a indústria da moda na cidade do Rio de Janeiro. 2011.

Trata-se de pesquisa sobre a indústria da moda na cidade do Rio de Janeiro, realizada


em parceria com a prefeitura do Rio de Janeiro, levando em considerações aspectos da
propriedade intelectual e a questão da formalidade e informalidade, bem como a emer-
gência de novos atores nas periferias cariocas, muitas deles conectados ao mundo por
meio da tecnologia.

90 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 90 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.27 SÉRGIO BRANCO

BRANCO, Sérgio. O Domínio Público no Direito Au-


toral Brasileiro — Uma Obra em Domínio Público. Rio
de Janeiro: Ed. Lumen Juris, 2011. 294 pp.

Esta obra pretende discutir a estrutura (o que é) e a função (para que serve) do do-
mínio público no direito autoral brasileiro. A abordagem teórica da matéria é permeada
pela discussão de inúmeros casos reais que ilustram a importância e a atualidade do
tema.
Apesar de a maior parte da cultura mundial estar em domínio público, muito pouco
tem sido escrito sobre o assunto. No entanto, com o advento da internet, da cultura digi-
tal e da democratização dos meios tecnológicos, o uso de obras em domínio público será
cada vez mais frequente, sendo que muitas dúvidas ainda existem acerca da abrangência
do instituto e de sua regulamentação jurídica.
Ainda que o objeto principal desta obra seja discutir o domínio público no direito
autoral brasileiro, é impossível cumprir satisfatoriamente esta missão sem rever boa parte
da teoria dos direitos autorais. O domínio público intercepta, inclusive, outras áreas do
direito civil — direitos de personalidade, contratos, sucessões, consumidor.
Sendo assim, o que se tenta com este livro é, em síntese, promover o debate do do-
mínio público levando-se em conta uma reinterpretação da teoria dos direitos autorais
mais abrangente e mais adequada ao tempo atual.

FGV DIREITO RIO 91

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 91 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.27 SÉRGIO BRANCO

BRANCO, Sérgio. Práticas de Ensino em Direito e Lite-


ratura. Cadernos de Direito Rio — Laboratório de Expe-
riências Didáticas. Rio de Janeiro: Edição FGV Direito
Rio, v. 6, pp. 57-67.

A prática demonstra que a educação contemporânea (incluindo-se, necessariamente,


a educação jurídica) é aquela fundada na aula expositiva e no conteúdo tornado disponí-
vel por meio de textos impressos. Ocorre que, diante de todas as mudanças tecnológicas,
o processo de construção do conhecimento não deveria se limitar aos mecanismos tradi-
cionais. Aparentemente, todos sabem disso. Mas também aparentemente muito pouco
tem sido feito para mudar esse cenário.
A novíssima geração, que hoje frequenta os bancos da universidade, tem relação um-
bilical com as novas tecnologias. Os jovens, em sua grande maioria, se interessam pelas
mídias digitais, fazem uso diário do computador e se valem de seus aparelhos celulares
multifuncioais. Nada mais natural do que trazer esse universo para a sala de aula.
Este texto tem por objetivo analisar a prática adotada no curso de Português Jurídi-
co da FGV Direito Rio, que visa a integrar as novas tecnologias para o aprendizado de
conceitos jurídicos. A partir da leitura de obras literárias, o que se debate em classe é
linguagem, interpretação e comunicação — aspectos fundamentais para a boa formação
de qualquer profissional, especialmente aquele dedicado ao Direito.

92 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 92 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.28 SÉRGIO GUERRA

GUERRA, Sérgio. A indústria do petróleo e as compen-


sações ambientais. In: ARAGÃO, Alexandre Santos de.
(org.). Direito do petróleo e de outras fontes de energia.
1. ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2011, v. 1, p. 441-458.

Este artigo busca analisar, de maneira original e interdisciplinar, a indústria do petró-


leo no Brasil, com foco especial na relação com o meio ambiente. A atividade de extra-
ção e exploração do petróleo possui um forte componente regulatório, apesar de poder
provocar danos ambientais dos mais diversos. Portanto, torna-se fundamental discutir
os mecanismos e formas de compensação ambiental desta atividade, assim como limites
e desafios no contexto brasileiro atual.

FGV DIREITO RIO 93

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 93 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.28 SÉRGIO GUERRA

GUERRA, Sérgio. Normas regulatórias: por uma nova


ordem hierárquica na pirâmide normativa. In: GUERRA,
Sérgio. (org.). Transformações do Estado e do Direito. 1.
ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011, v. 2, p. 13-41.

O intuito deste livro é contribuir para as discussões sobre a reformulação do papel


do Poder Judiciário no atual contexto jurídico-constitucional sob a influência da “nova
hermenêutica”, vis-à-vis ao seu relacionamento com outras instâncias decisórias sugeri-
das — ou evidenciadas — com a transformação do Estado “pós-moderno”, com o deno-
minado “ativismo jurisdicional”, e o modo como isso implica uma tendência à mudança
na estrutura administrativa pública.

94 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 94 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.28 SÉRGIO GUERRA

GUERRA, Sérgio. Regulação Ambiental no Brasil: é


hora de termos uma agência reguladora? In: SAMPAIO,
Rômulo; LEAL, Guilherme; REIS, Antônio. (org.). Tó-
picos de Direito Ambiental: 30 anos da Política Nacional
do Meio Ambiente. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2011.
p. 137-158.

Há 30 anos, o Brasil dava um importante passo rumo à consolidação do seu ordena-


mento jurídico-ambiental. Em 31 de agosto de 1981, nascia a Política Nacional do Meio
Ambiente (PNMA), o mais importante texto legal brasileiro destinado à preservação
ambiental. A presente obra foi concebida para homenagear a PNMA neste trigésimo
aniversário, que deve ser comemorado. A PNMA tem sido marcada por um constante
processo de experimentação e evolução. Muito já se fez, mas muito mais há que se fazer.
Os trabalhos compilados neste livro refletem o passado e oferecem novas perspectivas
para o futuro da política ambiental brasileira.

FGV DIREITO RIO 95

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 95 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.28 SÉRGIO GUERRA

FALCÃO, J. (org.); GUERRA, Sérgio (org.); ALMEI-


DA, Rafael (org.); VIANNA, R. (org.). Novas parcerias
entre os setores público e privado 1. ed. Rio de Janeiro:
Editora FGV, 2011. v. 2. 212 p.

A obra trata, de forma didática e clara, dos conceitos e princípios das parcerias
público-privadas, analisando as questões em face das condições econômicas do desen-
volvimento do país e das discussões recentes sobre o processo de reforma do Estado.
Da mesma forma, ocupa-se do estudo de contratos em áreas específicas de importância
econômica.

96 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 96 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.28 SÉRGIO GUERRA

FALCÃO, J. (org.); GUERRA, Sérgio (org.); ALMEIDA,


Rafael (org.); VIANNA, R. (org.). Sociedades Empresá-
rias. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011. v. 1. 220 p.

Este primeiro volume, dedicado ao estudo do direito societário, tem origem numa
profunda e sistemática pesquisa sobre as questões relativas às sociedades empresariais no
direito brasileiro. A intenção é tratar de questões atuais que despertam crescente interes-
se no meio jurídico e reclamam mais atenção dos estudiosos do direito. O debate acerca
dos relevantes temas envolvendo o direito societário a cada dia demonstra a importância
que vem ganhando essa disciplina no mundo jurídico. O objetivo deste manual é discu-
tir tais matérias, proporcionando a todos os operadores do direito uma visão pragmática
e contemporânea do assunto.

FGV DIREITO RIO 97

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 97 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.28 SÉRGIO GUERRA

FALCÃO, J. (org.); GUERRA, Sérgio (org.); ALMEIDA,


Rafael (org.); VIANNA, R. (org.). Sociedades Empresá-
rias. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011. v. 2. 188 p.

Este segundo volume, dedicado ao direito societário, dá continuidade aos estudos


sobre as questões relativas às sociedades empresariais no direito brasileiro. Assim como
no volume 1, a intenção é tratar de questões atuais que despertam crescente interesse no
meio jurídico e reclamam mais atenção dos estudiosos do direito. O debate acerca dos
relevantes temas envolvendo o direito societário, a cada dia, demonstra a importância
que vem ganhando essa disciplina no mundo jurídico. O objetivo deste manual é discu-
tir tais matérias, proporcionando a todos os operadores do direito uma visão pragmática
e contemporânea do assunto.

98 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 98 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.28 SÉRGIO GUERRA

FALCÃO, J. (org.); GUERRA, Sérgio (org.); ALMEI-


DA, Rafael (org.); VIANNA, R. (org.). Novas parcerias
entre os setores público e privado. 1. ed. Rio de Janeiro:
Editora FGV, 2011. v. 1. 236 p.

O livro trata, de forma didática e clara, dos conceitos e princípios das parcerias
público-privadas, analisando também contratos em áreas específicas de importância
econômica. Alguns dos temas abordados são: princípio da subsidiariedade e a partilha
de competências entre Estado e sociedade; contratos para gestão de rodovias; contratos
no setor de petróleo; contratos de concessão de energia elétrica; consórcios públicos; e
contratos de programa.

FGV DIREITO RIO 99

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 99 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.28 SÉRGIO GUERRA

GUERRA, Sérgio (org.). Transformações do Estado e do


Direito: novos rumos para o Poder Judiciário 1. ed. Rio
de Janeiro: Editora FGV, 2011. v. 2. 152 p.

O segundo volume de Transformações do Estado e do Direito: novos rumos para o


Poder Judiciário traz novas discussões ocorridas no Programa de Mestrado Profissionali-
zante em Poder Judiciário, da Escola de Direito do Rio de Janeiro da Fundação Getulio
Vargas (FGV). Assim, vale lembrar os consideráveis influxos do direito na sociedade e
a responsabilidade que ele tem em responder às necessidades latentes no meio social.
A obra tem por meta abordar questões e discutir modalidades para a reforma do Poder
Judiciário brasileiro. Tal reforma faz-se necessária para a maturidade da democracia, o
fortalecimento econômico e o pleno desenvolvimento social no país.

100 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 100 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

1.29 THIAGO BOTTINO DO AMARAL

AMARAL, Thiago Bottino do. A doutrina brasileira do


direito ao silêncio — O STF e a conformação do sistema
processual constitucional. In: CASARA, Rubens (org.)
Estudos em homenagem ao Prof. Geraldo Prado. Rio de
Janeiro: Lumen Juris, 2010.

Esse trabalho representa um breve apanhado das ideias desenvolvidas na tese de Dou-
torado em Direito Constitucional pela PUC-Rio, cujo objetivo era investigar a constru-
ção pelo Supremo Tribunal Federal de significados para o direito ao silêncio, também
chamado de garantia de vedação de autoincriminação, uma garantia processual penal de
assento constitucional. No presente artigo, antes de apresentar as conclusões alcançadas
durante a pesquisa, é preciso mencionar, ainda que de forma breve, as premissas teóri-
cas sobre as quais se apoiou o trabalho. O artigo divide-se em três partes. Inicialmente,
serão apresentadas algumas premissas que tratam do arcabouço teórico subjacente ao
estudo de casos sobre o direito de não se incriminar: o ativismo judicial e o conceito de
garantia estruturante. Em seguida, será feito um rápido panorama dos contornos que
essa garantia possui no âmbito da justiça dos Estados Unidos da América, da Alemanha
e da Corte Europeia de Direitos Humanos. Embora não se trate de um estudo de direito
comparado, o exame da jurisprudência estrangeira é útil para compreender a atividade
criadora do Supremo Tribunal Federal brasileiro. Por fim, serão apontados os julgados
mais representativos dentre os examinados na pesquisa de modo a acompanhar o pro-
cesso histórico de criação dos precedentes do Supremo Tribunal Federal, bem como o
conceito que essa garantia alcançou. Os casos estudados foram divididos em três grandes
eixos de análise. O primeiro grupo de casos foca a construção do significado do elemen-
to normativo “preso”, constante do art. 5º, inc. LXIII, enquanto destinatário do direito
fundamental individual previsto na Constituição. Já o segundo grupo de casos examina
o alcance da locução “permanecer calado”, já que há diferentes possibilidades de inter-
pretação dessa locução. Por fim, o terceiro eixo de análise recai sobre o desdobramento
desse direito na atuação da defesa técnica.

FGV DIREITO RIO 101

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 101 04/12/12 17:21


Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 102 04/12/12 17:21
ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

2. ARTIGOS EM REVISTAS ACADÊMICAS

FGV DIREITO RIO 103

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 103 04/12/12 17:21


Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 104 04/12/12 17:21
ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

2.1 ANDRÉ PACHECO TEIXEIRA MENDES

TEIXEIRA MENDES, André Pacheco. Direito penal do


inimigo: quando Jakobs se aproxima de Hobbes e Freud.
In: Revista EPOS, Rio de Janeiro, vol. 2, nº 2, p. 1-18,
Jul-Dez 2011.

O direito penal do inimigo tem sido abordado no contexto do endurecimento da lei


penal pelo mundo. O objetivo deste trabalho é apresentar o denominado direito penal
do inimigo e, dessa forma, realizar uma aproximação entre Günther Jakobs, Hobbes e
Freud. Assim, destacaremos alguns aspectos do direito penal de Jakobs, do direito penal
do inimigo e, ao final, sinalizaremos pela proximidade dos três autores.

FGV DIREITO RIO 105

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 105 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

2.2 CARLOS EMMANUEL JOPPERT RAGAZZO

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert; RODRIGUES,


Eduardo Frade. Mecanismos de Priorização: O Caso dos
Procedimentos Administrativos de Cartel no Mercado de
Revenda de Combustíveis. In: Revista de Direito Admi-
nistrativo, v. 254, p. 229-260, 2011.

Apesar de os processos administrativos de investigação de cartéis no mercado de


revenda de combustíveis representarem uma parte significativa do estoque de casos em
curso no Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência, o número de condenações alcan-
çadas é baixo, o que denota uma alocação ineficiente de recursos para o processamento
moroso de casos com pouca chance de êxito. Com o intuito de solucionar esse problema,
o CADE desenvolveu mecanismos de triagem mais rigorosos. Adicionalmente, sugeriu
medidas de advocacia da concorrência e o acirramento de sanções no setor de combus-
tíveis.

106 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 106 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

2.3 CARLOS AFFONSO PEREIRA DE SOUZA

SOUZA, Carlos Affonso Pereira de. O domínio público


e a função social do direito autoral. In: Liinc em Revista,
v. 07, p. 664-700, 2011.

O artigo debate as funções desempenhadas pelo direito autoral, identificando o es-


tímulo à criação como função promocional e o acesso ao conhecimento e à informação
como sua função social. O texto desenvolve o papel do domínio público como instituto
fundamental para garantir o equilíbrio entre interesses privados e públicos na proteção
autoral a partir do ordenamento constitucional e reflete sobre a experiência norte-ame-
ricana envolvendo a prorrogação do prazo de proteção das obras autorais.

FGV DIREITO RIO 107

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 107 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

2.4 CÁSSIO CAVALLI

CAVALLI, Cássio M. Apontamentos sobre a imunidade


tributária dos livros, jornais e periódicos e do papel desti-
nado à sua impressão. In: Revista de Direito Administra-
tivo, v. 255, p. 81-114, 2011.

A previsão constitucional da imunidade dos livros, jornais e periódicos e do papel


destinado à sua impressão é tema vivo e merecedor de estudos que possam contribuir
para o debate que se entabula a seu respeito. Isso porque, de um lado, ainda não se for-
mou consenso doutrinário acerca de diversos aspectos que envolvem o tema, bem como
diuturnamente está a Corte Suprema a decidir questões que envolvem referida imunida-
de. Ademais, ante as transformações tecnológicas relacionadas à informação, muitos dos
debates que se supunham superados foram renovados, para verificar-se o atual alcance da
norma de imunidade tributária no que respeita a fenômenos relacionados à veiculação
de informações sob outras formas que não os livros, jornais e periódicos impressos em
papel. Nesse contexto, destaca-se o debate doutrinário acerca da possibilidade ou não
da extensão da imunidade referida aos denominados livros eletrônicos. A abordagem
doutrinária que se faz acerca deste tema, de um lado, perpassa com novos olhares os
argumentos empregados para a delimitação da imunidade tributária antes do advento
da tecnologia da informação; e, de outro lado, a doutrina acaba por desenvolver novos
argumentos relacionados ao tema ou, ao menos, a extrapolar argumentos pré-existentes.

108 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 108 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

2.5 DIEGO WERNECK ARGUELHES

ARGUELHES, D.; RIBEIRO, L.M. Indicações presi-


denciais para o Supremo Tribunal Federal e seus fins po-
líticos: uma resposta a Mariana Prado e Cláudia Türner.
In: Revista de Direito Administrativo, n.255, 2011.

Em recente artigo, Prado e Türner procuram sustentar empiricamente a tese de que


o presidente da República tenta manter sua influência nas decisões de políticas públicas
por meio da maximização do número de indicações para o Supremo Tribunal Federal
e para agências reguladoras, bem como pela indicação de pessoas cada vez mais jovens
para essas posições. No caso do STF, o modelo das autoras parte da premissa de que há
uma relação forte entre as preferências político-constitucionais dos ministros e as do
presidente que os indicou. Neste trabalho, apresentamos duas objeções básicas a esse
modelo explicativo das indicações para o STF. Primeiro, do ponto de vista do presiden-
te, obter decisões judiciais convergentes com suas preferências não é o único objetivo
político em jogo. Argumentamos que a indicação pode tanto servir a fins políticos in-
ternos ao funcionamento do Tribunal (convergência entre preferências presidenciais e
decisões judiciais, como no modelo das autoras), quanto a objetivos que denominamos
fins políticos externos a essa instituição, que identificamos como barganha e sinalização.
A segunda objeção é que a própria utilidade e eficácia de indicações voltadas para fins
internos depende de uma série de fatores de que o modelo de Prado e Türner não é capaz
de dar conta. Variáveis como a opinião pública, a composição do Congresso, a dinâmica
da interação entre os ministros do STF e a própria composição do tribunal no momento
da vaga podem diminuir a utilidade política da indicação com fins puramente internos.
Isso ajuda a explicar as eventuais indicações, para o STF, de pessoas cujas preferências
políticas não são perfeitamente convergentes com as do presidente. Nesse cenário, o
resultado observável do processo de preenchimento de vagas para o STF reflete, de uma
forma complexa, uma tentativa de integrar esses variados fins, recursos, restrições e opor-
tunidades políticas.

FGV DIREITO RIO 109

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 109 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

2.5 DIEGO WERNECK ARGUELHES

ARGUELHES, D. Entre ideias e instituições: conside-


rações sobre Mangabeira Unger e a “situação constitu-
cional” do Brasil. In: Revista de Direito Administrativo,
n.257, 2011.

A proposta maior de Roberto Mangabeira Unger no campo do direito consiste em


reorientar o pensamento jurídico rumo ao que chama de imaginação institucional: um
processo de identificação e exploração de futuros institucionais alternativos implícitos
nas ambiguidades e contradições de nossas instituições e aspirações coletivas. No texto
“A constituição do experimentalismo democrático”, apresenta razões para justificar a
necessidade de reorientarmos, sob a forma de imaginação institucional, o pensamento
sobre o direito constitucional no Brasil e sugere aplicações desse tipo de raciocínio a
alguns aspectos centrais de nossa “situação constitucional”. Neste comentário ao tex-
to de Unger, procuro (a) inserir essa dúplice abordagem da situação constitucional do
Brasil — defesa de um método de pensamento e aplicação desse método a alguns temas
e estruturas do direito constitucional brasileiro — na perspectiva mais ampla do pensa-
mento ungeriano sobre o direito; (b) levantar, a partir de critérios extraídos do método
que Unger propõe, algumas perplexidades quanto às propostas de reforma via imagina-
ção institucional esboçadas no texto. Mais especificamente, discuto algumas dificuldades
em se compatibilizar, com o próprio procedimento de análise proposto por Unger, sua
proposta de se resolver impasses entre o presidente e o Congresso com a convocação de
eleições antecipadas para ambos os poderes. A meta é contribuir para explicitar algumas
características centrais do método de pensamento ungeriano e ilustrar sua operação, ao
mesmo tempo que aponto possíveis dificuldades em sua aplicação em casos específicos
de redesenho institucional.

110 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 110 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

2.6 FELIPE DUTRA ASENSI

ASENSI, Felipe Dutra. Legitimidade do direito e Estado:


duas perspectivas contemporâneas. In: Revista de Direito
Administrativo, v.257, p.145-181, 2011.

No cenário de teorias contemporâneas sobre a relação entre direito e sociedade, po-


demos elencar a perspectiva habermasiana e a perspectiva do pluralismo jurídico. Este
artigo tem por objetivo justamente discutir a dimensão da legitimidade do direito a
partir da perspectiva teórica de Habermas e do Pluralismo Jurídico, considerando suas
aproximações e divergências sob o foco do Estado. Além disso, busca-se refletir sobre os
elementos que possivelmente constituem a legitimidade do direito em ambas as pers-
pectivas, assim como demonstrar seus limites e possibilidades de aplicação e reflexão na
sociedade brasileira.

FGV DIREITO RIO 111

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 111 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

2.7 FERNANDO DE CASTRO FONTAINHA

FONTAINHA, Fernando de Castro. O perfil do aluno


da EMERJ: Um estudo sobre “concursandos”. In: Revista
da EMERJ, v.14, p. 7-31, 2011.

O atual estado da arte encontrado na sociologia do Direito consagra um enorme


campo de estudos às profissões jurídicas. Nesta vertente, o foco no processo de profis-
sionalização sobretudo de advogados e juízes é bastante explorado. No entanto, muito
pouco foi produzido sobre o acesso às carreiras jurídicas de Estado, ou seja, sobre o
concurso público como etapa do processo de profissionalização de considerável parte
dos juristas. Os processos de aprendizado, circulação e transmissão de competências téc-
nicas e sociais cuja acumulação e homogeneidade formariam um ethos, um habitus ou
uma práxis profissional não levam em conta esta etapa de seleção objetiva que permite
o efetivo ingresso nas carreiras. Com o intuito de produzir um discurso científico sobre
esta inegligenciável população — os concursandos — decidi realizar tal pesquisa. Como
parte integrante da minha pesquisa doutoral, sobre o concurso público para a carreira de
juiz na França, decidi passar três meses no Brasil dedicados à realização de pesquisas de
campo sobre o tema. A Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro — EMERJ
me pareceu o local ideal para tanto.

112 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 112 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

2.8 LEANDRO MOLHANO

ARGUELHES, D.; RIBEIRO, L.M. Indicações presi-


denciais para o Supremo Tribunal Federal e seus fins po-
líticos: uma resposta a Mariana Prado e Cláudia Türner.
In: Revista de Direito Administrativo, n.255, 2011.

Em recente artigo, Prado e Türner procuram sustentar empiricamente a tese de que


o presidente da República tenta manter sua influência nas decisões de políticas públicas
por meio da maximização do número de indicações para o Supremo Tribunal Federal
e para agências reguladoras, bem como pela indicação de pessoas cada vez mais jovens
para essas posições. No caso do STF, o modelo das autoras parte da premissa de que há
uma relação forte entre as preferências político-constitucionais dos ministros e as do
presidente que os indicou. Neste trabalho, apresentamos duas objeções básicas a esse
modelo explicativo das indicações para o STF. Primeiro, do ponto de vista do presiden-
te, obter decisões judiciais convergentes com suas preferências não é o único objetivo
político em jogo. Argumentamos que a indicação pode tanto servir a fins políticos in-
ternos ao funcionamento do Tribunal (convergência entre preferências presidenciais e
decisões judiciais, como no modelo das autoras), quanto a objetivos que denominamos
fins políticos externos a essa instituição, que identificamos como barganha e sinalização.
A segunda objeção é que a própria utilidade e eficácia de indicações voltadas para fins
internos depende de uma série de fatores de que o modelo de Prado e Türner não é capaz
de dar conta. Variáveis como a opinião pública, a composição do Congresso, a dinâmica
da interação entre os ministros do STF e a própria composição do tribunal no momento
da vaga podem diminuir a utilidade política da indicação com fins puramente internos.
Isso ajuda a explicar as eventuais indicações, para o STF, de pessoas cujas preferências
políticas não são perfeitamente convergentes com as do presidente. Nesse cenário, o
resultado observável do processo de preenchimento de vagas para o STF reflete, de uma
forma complexa, uma tentativa de integrar esses variados fins, recursos, restrições e opor-
tunidades políticas.

FGV DIREITO RIO 113

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 113 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

2.9 SÉRGIO BRANCO

BRANCO, Sérgio. Fundamentos para o domínio públi-


co no direito autoral brasileiro. In: Liinc em Revista.

O estudo do domínio público no direito autoral não se resume a apontar os prazos


de proteção conferido às obras intelectuais. De tratamento escasso pela doutrina, o tema
é bem mais complexo do que aparenta em um primeiro momento, abrangendo diversas
áreas do direito e tendo implicações diretas na vida da sociedade. Uma análise relevante
é determinar quais os efeitos decorrentes do ingresso de uma obra no domínio público,
sendo tais efeitos determinantes para se construir a justificativa de existência do próprio
domínio público.
De fato, o domínio público exerce função essencial na difusão da cultura e do co-
nhecimento. No momento presente, vivemos o recrudescimento das regras de proteção
aos direitos autorais, fenômeno observado em todo o mundo. Na exata medida em que
os titulares de direitos autorais tentam, em grande medida, proteger suas criações contra
qualquer uso não autorizado, o domínio público surge como o grande manancial da cul-
tura, disponível a quem por ele se interesse. E seu aproveitamento conta com relevante
importância social, econômica e jurídica, que inclusive lhe serve de justificativa e a que
nos dedicamos ao longo deste trabalho.

114 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 114 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

2.10 SÉRGIO GUERRA

GUERRA, Sérgio. Supremo Tribunal Federal (STF) Fun-


ção normativa do Conselho Monetário Nacional: regulação
sistêmica e a capacidade normativa de conjuntura. In: Re-
vista de Direito Administrativo, v.254, p.261-273, 2011.

Comentário ao voto da Função Normativa do Conselho Monetário Nacional: regu-


lação sistêmica e a capacidade normativa de conjuntura do Supremo Tribunal Federal
(STF), que tem como objetivo analisar a evolução das escolhas administrativas que ca-
minha para uma nova fase, que não nega a necessidade de se ampliar a atuação estatal
executada. Por outro lado, há incompatibilidade entre a fórmula que compõe a discricio-
nariedade administrativa — oportunidade e conveniência — com as reais necessidades
cotidianas da sociedade pluriclasse e os riscos do arbítrio/tecnocracia.

FGV DIREITO RIO 115

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 115 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

2.11 THIAGO BOTTINO DO AMARAL

AMARAL, Thiago Bottino do. STF: Equiparação da


união estável entre pessoas do mesmo sexo a entidade
familiar. In: Revista de Direito Administrativo, v.256,
p.343-381, 2011.

O texto é um memorial de amicus curiae apresentado pelo representante legal, Thiago


Bottino, do grupo Arco-Íris de Conscientização Homossexual, pelo conhecimento e provi-
mento do pedido. Trabalho realizado com a colaboração dos alunos do curso de graduação
da FGV Direito Rio.
O texto começa por informar que no Brasil e no mundo, existem milhões de pessoas
do mesmo sexo que convivem e têm um relacionamento duradouro, e que o Estado, ao
não reconhecer oficialmente essa relação, está criando obstáculos no convívio social e
gerando uma opressão na população homoafetiva. Em seguida, explica as dificuldades
legais da não regularização da união gay, excluindo, marginalizando e diminuindo o
papel social dos indivíduos, “retirando-lhes a condição de igualdade necessária para que
possa haver igualdade de participação no debate político”. Ainda disserta sobre a função
contramajoritária do Poder Judiciário no estado democrático de direito “de proteger
as minorias contra as imposições desarrazoadas ou indignas das maiorias. Ao assegurar
à parcela minoritária da população o direito de não se submeter à maioria, o Poder
Judiciário revela sua verdadeira força no equilíbrio entre os poderes e na função como
garantia dos direitos fundamentais” citando, ainda, que é “é irrelevante, do ponto de
vista jurídico, as opiniões morais ou religiosas que condenam as relações homossexuais”.
O autor faz um paralelo entre o direito internacional e o nacional, citando países que
reconhecem juridicamente, em maior ou menor extensão, a união estável homoafetiva.

116 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 116 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

2.11 THIAGO BOTTINO DO AMARAL

AMARAL, Thiago Bottino do; KOATZ, Rafael. Incons-


titucionalidade da Lei de Imprensa. In: Revista de Direi-
to Administrativo, v.250, p.327-354.

Desde o início de 1990, o Brasil assiste a expansão do Poder Judiciário, assumindo


funções próprias dos poderes Executivo e Legislativo, deixando de lado seu tradicional
papel passivo e passando a protagonizar modificações na organização socioeconômica
brasileira. Sem dúvida, o fator preponderante que impulsiona o ativismo judicial bra-
sileiro é o próprio texto da Constituição da República Federativa do Brasil (CRFB).
A Constituição de 1988 refundou nosso Estado no postulado da dignidade humana e
traçou como objetivos primordiais da República Federativa do Brasil a construção de
uma sociedade livre, justa e solidária e a promoção do bem de todos, sem preconceitos
de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.

FGV DIREITO RIO 117

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 117 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

2.12 VITOR PINTO CHAVES

CHAVES, Vitor Pinto; TEIXEIRA, Carlos Sávio G.


Transformação estrutural e direito constitucional. In: Re-
vista de Direito Administrativo, Rio de Janeiro, n.257,
pp.91-110, 2011.

O artigo aborda a concepção de democracia e de seu tipo de direito constitucional


correspondente na obra de Roberto Mangabeira Unger. Analisa a relação entre direito e
transformações estruturais a partir da crítica ao que Unger denominou como uma das
heranças weimarianas da atual ordem institucional brasileira: a constitucionalização de
expectativas sociais redistributivas sem a preocupação com o desenho de instituições
capazes de realizar aquelas expectativas. É possível pensarmos em um projeto políti-
co transformador que pense o direito para além das incongruências de um dirigismo
constitucional ou de um procedimentalismo vazio de ideias institucionais? O artigo
avalia se as propostas apresentadas por Unger são respostas adequadas aos desafios da
construção de uma ordem que compatibilize direitos constitucionais sociais e políticas
públicas transformadoras. Essa discussão ganha relevo em contexto em que a importação
de teorias constitucionais parece obstaculizar o debate sobre formulação de alternativas
institucionais.

118 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 118 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3. ARTIGOS EM JORNAIS E REVISTAS

FGV DIREITO RIO 119

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 119 04/12/12 17:21


Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 120 04/12/12 17:21
ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.1 ANTONIO JOSÉ MARISTRELLO PORTO

PORTO, Antônio José Maristrello; THEVENARD, Lu-


cas. Pagamento Mínimo da Fatura do Cartão de Crédito:
Informar ou Proibir? In: Conjuntura Econômica (Rio de
Janeiro), v.65, p.60-65, 2011.

O artigo faz uma análise do Banco Central (BC), pela Circular Bacen nº 3.512/10,
que dispõe sobre o valor do pagamento mínimo das faturas de cartões de crédito. O BC
estabeleceu que, a partir de 1º de junho de 2011, o pagamento mínimo não poderia
ser inferior a 15% do valor total da fatura. A partir de 1º de dezembro, não poderia ser
inferior a 20%. Antes da emissão da circular, não havia essa exigência, e o controle do
percentual mínimo de pagamento da fatura era determinado pelas próprias instituições
financeiras, e variava em torno de 10%. Se, por um lado, os consumeristas brasileiros co-
memoraram a medida, aqueles que se guiam pela teoria econômica tendem a desconfiar
de iniciativas como essa. A medida do BC pode ser entendida como um mecanismo de
redução da oferta de crédito para controle da inflação. O Índice de Preços ao Consumi-
dor Amplo (IPCA) havia atingido valores mensais elevados no final de 2010 (0,75%,
em outubro, e 0,83%, em novembro) e fechado o ano com o acumulado de 5,91%, o
menor desde 2005.

FGV DIREITO RIO 121

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 121 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.1 ANTONIO JOSÉ MARISTRELLO PORTO

PORTO, Antônio José Maristrello; NOGUEIRA, R. Política Industrial: não há filé


grátis. In: O Estado de São Paulo, 06 abr. 2011.

122 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 122 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.2 CARINA COSTA OLIVEIRA

OLIVEIRA, C. C. Rio + 20: economia verde e desenvolvimento sustentável. Correio


Braziliense, 17 out. 2011.

FGV DIREITO RIO 123

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 123 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.3 CARLOS AFFONSO PEREIRA DE SOUZA

SOUZA, Carlos Affonso Pereira de. Brasil precisa de Marco Legal. In: Jornal Gazeta do
Povo, Curitiba, 26 abr. 2011.

SOUZA, Carlos Affonso Pereira de. A Última sobre o Wikileaks. In: Jornal O Globo,
Rio de Janeiro, p.43 — 43, 10 dez. 2010.

124 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 124 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.4 CARLOS EMMANUEL JOPPERT RAGAZZO

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. Preço abusivo, efi-


cácia jurídica e análise econômica: Afinal, onde está a cabeça
de bacalhau? In: Revista do IBRAC, v.19, p.21-43, 2011.

Este trabalho procura identificar as principais questões acadêmicas e jurisprudenciais


relacionadas à prática anticompetitiva tipificada como preço abusivo. Para tanto, propõe
uma revisão dos argumentos brasileiros e estrangeiros que sustentam a permanência das
atividades de processamento e julgamento de condutas do gênero, contrapondo-os com
os que advogam a ineficácia jurídica do respectivo dispositivo da Lei Antitruste, com
base em argumentos de análise econômica do Direito.

FGV DIREITO RIO 125

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 125 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.4 CARLOS EMMANUEL JOPPERT RAGAZZO

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. Rio de Janeiro: Ame-o E deixe-o. In: Revista
Exame, Rio de Janeiro, 18 nov. 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. Trânsito modifica preço dos imóveis. In: Revis-
ta Exame, Rio de Janeiro, 06 nov. 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. A privatização das florestas brasileiras. In: Re-
vista Exame, Rio de Janeiro, 27 out. 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. Depois dos bueiros, os botijões começaram a


explodir? In: Revista Exame, Rio de Janeiro, 19 out. 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. O que muda com a nova lei de concorrência?
In: Revista Exame, Rio de Janeiro, 07 out. 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. O método de ensino nas faculdades atrasa o


Brasil. In: Revista Exame, Rio de Janeiro, 28 set. 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. Proibiram os descontos dos táxis. De novo? In:
Revista Exame, Rio de Janeiro, 22 set. 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. A urbanização das favelas depende da iniciativa


privada. In: Revista Exame, Rio de Janeiro, 15 set. 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. As três medidas que resolvem o setor aéreo no
Brasil. In: Revista Exame, Rio de Janeiro, 01 set. 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. Ensino superior e oferta de trabalho. In: Revis-
ta Exame, Rio de Janeiro, 24 ago. 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. Redes sociais combatem aumentos de preços.


In: Revista Exame, Rio de Janeiro, 17 ago. 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. ANS equilibra preços e qualidade dos planos
de saúde. In: Revista Exame, Rio de Janeiro, 10 ago. 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. O Exame de Ordem (OAB) merece resistir aos
ataques? In: Revista Exame, Rio de Janeiro, 03 ago. 2011.

126 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 126 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. Chegou a hora dos estacionamentos públicos.


In: Revista Exame, Rio de Janeiro, 27 jul. 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. Já adulta, a meia-entrada precisa ser reavaliada.


In: Revista Exame, Rio de Janeiro, 20 jul. 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. Os sacos plásticos vão continuar nos supermer-
cados. In: Revista Exame, Rio de Janeiro, 13 jul. 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. O número de táxis na rua pode aumentar. In:
Revista Exame, Rio de Janeiro, 06 jul. 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. Propostas legislativas tentam prevenir obesida-


de. In: Revista Exame, Rio de Janeiro, 29 jun. 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. O pedágio urbano está cada vez mais perto. In:
Revista Exame, Rio de Janeiro, 21 jun. 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. Por que os supermercados não entram no mer-
cado de combustíveis? In: Revista Exame, Rio de Janeiro, 14 jun. 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. Por que os supermercados não entram no mer-
cado de combustíveis? In: Correio Braziliense, Caderno de Opinião, p.15, 07 jun. 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. Estudo avalia judicialização das decisões das
agências reguladoras. In: Revista Exame, Rio de Janeiro, 07 jun. 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. Regulação traz mais competição no mercado


de TV por assinatura. In: Revista Exame, Rio de Janeiro, 28 maio 2011.

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert. Cartéis de combustíveis e entressafra da cana.


In: Revista Exame, Rio de Janeiro, 23 maio 2011.

FGV DIREITO RIO 127

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 127 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.5 CÁSSIO CAVALLI

CAVALLI, Cássio M.. Revista Direito Empresarial, Curi-


tiba, v.15, p.211-232, 2011.

A duplicata é um dos títulos de crédito mais importantes para o financiamento a cur-


to prazo das empresas. Entretanto, a disciplina jurídica aplicável à duplicata necessita ser
mais bem analisada, pois grande parte dos casos julgados pelos tribunais não se enqua-
dram nos casos tipicamente utilizados pela doutrina. Enquanto a doutrina trabalha com
hipóteses de mobilização de duplicatas aceitas, a imensa maioria das duplicatas efetiva-
mente descontadas são duplicatas não aceitas. É com base nesta realidade econômica que
se consolidou a jurisprudência do STJ acerca da responsabilização civil de bancos por
protesto de duplicata não aceita e sem causa. Esta jurisprudência possibilita ao sacado da
duplicata responsabilizar o banco protestante por ter apontado a protesto duplicata não
aceita e sem causa. Estas decisões são fundamentadas em regras sobre responsabilidade
civil. Com efeito, há a necessidade de se analisar as decisões do STJ para sistematizá-las
de acordo com a teoria geral dos títulos de crédito. Para tanto, resgata-se o debate sobre
da causalidade e abstração dos títulos de crédito e das obrigações cartulares, para verifi-
car-se quais os impactos que este tema acarreta no regime de oponibilidade de exceções
na duplicata. Após, analisa-se a jurisprudência do STJ acerca da responsabilização do
banco descontante por protesto de duplicata sem causa e não aceita. Por fim, mediante o
cotejo das decisões do STJ com o tema da causalidade e abstração na duplicata, infere-se
conclusão que empreste fundamento dogmático-cambiário à disciplina da mobilização
de duplicata sem causa e não aceita.

128 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 128 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.5 CÁSSIO CAVALLI

CAVALLI, Cássio M.. Nome empresarial e a normati-


zação do DNRC. In: Revista dos Tribunais (São Paulo.
Impresso), v.912, p.213, 2011.

O presente artigo desenvolve o tema do nome empresarial e a sua disciplina legal.


As regras de formação do nome empresarial, encontradas no Código Civil e na legis-
lação esparsa, são aqui sistematizadas. Estas regras são objeto de grande consenso dou-
trinário, havendo poucas exceções em que há maior dúvida sobre a formação do nome
empresarial. Entretanto, a maior parte dos casos envolvendo conflito de registro entre
nomes empresariais é decidida pelo Departamento Nacional do Registro do Comércio
— DNRC. Por esta razão, as regras de formação do nome são aqui analisadas de acordo
com as normas e decisões originadas no Departamento Nacional do Registro do Comér-
cio — DNRC.

FGV DIREITO RIO 129

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 129 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.5 CÁSSIO CAVALLI

CAVALLI, Cássio M.. Reflexões sobre o tema da empresa


e sobre algumas exigências de uma moderna doutrina do
direito civil. In: Revista dos Tribunais, São Paulo, v.914,
2011. (Tradução/Artigo). Publicado originalmente em
Rivista del diritto commerciale e del diritto generale delle
obbligazioni. Parte prima. Fasc. 5-6. anno LIV. p. 177-
195. Milão: Dott. Francesco Vallardi, 1956.

Neste clássico artigo do direito italiano, o autor busca afirmar um significado jurídico-
dogmático da empresa. Seu ponto de partida é a constatação da necessidade de renova-
ção das categorias jurídicas tradicionais por conta das transformações econômicas e da
promulgação do Código Civil italiano de 1942. A análise é realizada com agudo e lúcido
espírito crítico e destaca a necessidade de se renovar as construções dogmáticas tanto do
ponto de vista material como do ponto de vista formal. Para o autor, a empresa consiste
em uma situação jurídica complexa que tem por objeto o estabelecimento e por conteúdo
o poder de gestão. Com esta análise, fornece uma substancial contribuição para a doutri-
na da empresa, possibilitando compreender-se o fenômeno da empresa não apenas como
um fato qualificador de um sujeito, mas como um complexo de direitos e deveres.

130 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 130 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.5 CÁSSIO CAVALLI

CAVALLI, Cássio M.. Desafios da Empresa Individual Limitada. In: Valor Econômico,
01 set. 2011.

CAVALLI, Cássio M.; PORTES, L.; FIGUEIREDO, R.. A disciplina legal das socieda-
des limitadas no STJ. In: Correio Brasiliense, 28 nov. 2011.

FGV DIREITO RIO 131

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 131 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.6 DIEGO WERNECK ARGUELHES

ARGUELHES, D.; LEAL, F. O argumento das “capaci-


dades institucionais” entre a banalidade, a redundância e
o absurdo. In: Direito, Estado e Sociedade, v.38, 2011.

O discurso das chamadas “capacidades institucionais”, tendo como referência o tra-


balho de Cass Sunstein e Adrian Vermeule, tem aparecido com crescente frequência na
pauta da comunidade jurídica nacional, chegando inclusive ao Supremo Tribunal Fede-
ral. Contudo, ainda que a referência intelectual expressa seja quase sempre a mesma, falta
clareza com relação às possibilidades e características desse tipo de argumento. Qual o
terreno comum com base no qual a consistência e a utilidade de um argumento baseado
na noção de “capacidades institucionais” podem ser apreciadas? Quais as premissas nas
quais esse tipo de raciocínio se sustenta? Nesse cenário intelectual, o objetivo deste artigo
é duplo. Primeiro, reconstruiremos um modelo possível e minimamente detalhado do
que é um argumento de capacidades institucionais. Em nossa leitura, a chave para se
compreender a especificidade e a relevância de um argumento baseado em capacidades
institucionais reside na incorporação do que os economistas chamam de second-best rea-
soning nos debates sobre a adequação de posturas institucionais e métodos decisórios. O
segundo objetivo é identificar algumas variedades de argumentos que, apesar de fazerem
referência à expressão “capacidades institucionais” ou às ideias de autores como Sunstein
e Vermeule, não se encaixam no modelo reconstruído. Aqui, a ideia de capacidades ins-
titucionais acaba sendo empregada como: (a) um recurso de baixíssimo potencial crítico,
porque facilmente incorporável (ou já incorporado) por qualquer teoria normativa mini-
mamente sofisticada — um uso banal; (b) um rótulo novo para categorias dogmáticas an-
tigas, sem que a invocação de “capacidades institucionais” traga consigo qualquer efetivo
benefício prático ou conceitual — um uso redundante; ou (c) um argumento pragmático
completamente desvinculado do direito positivo e, assim, incompatível com pressupostos
e condicionamentos básicos do raciocínio judicial — um uso absurdo.

132 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 132 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.6 DIEGO WERNECK ARGUELHES

FALCÃO, J.; ARGUELHES, D.W.; ABRAMOVAY, P.V. A sociedade quer perguntar.


In: Folha de São Paulo, Caderno Tendências/Debates, 09 nov. 2011.

FGV DIREITO RIO 133

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 133 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.7 EVANDRO MENEZES DE CARVALHO

CARVALHO, Evandro Menezes de. Aos professores de Direito. In: Jornal do Commer-
cio, Recife, 07 nov. 2011.

CARVALHO, E. M.. Degradação da docência em Direito. In: L & C — Revista de


Administração Pública e Política, Brasília, p.46 — 46, 01 nov. 2011.

CARVALHO, E. M.. Degradação da docência em Direito. In: Correio Braziliense, Bra-


sília, p.1 — 1, 13 jun. 2011.

134 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 134 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.8 FABIANA LUCI DE OLIVEIRA

OLIVEIRA, Fabiana Luci. A Revista dos Tribunais e o


ideário da magistratura paulista. In: Revista dos Tribunais
(São Paulo. Impresso), v.910, p. 259-281, 2011.

O objetivo deste artigo é demonstrar o papel que a Revista dos Tribunais (RT) de-
sempenhou na construção e difusão do discurso público da magistratura paulista, con-
tribuindo para a construção do ideário desses magistrados. Examinamos aqui os 518 vo-
lumes da RT publicados entre os anos de 1912 e 1978, fazendo uma análise de conteúdo
dos discursos e artigos de autoria dos Desembargadores do TJSP veiculados pela Revista.

FGV DIREITO RIO 135

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 135 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.8 FABIANA LUCI DE OLIVEIRA

CUNHA, Luciana Gross; OLIVEIRA, Fabiana Luci; RA-


MOS, Luciana Oliveira. Justiça Criminal no Brasil. In:
Anuário Brasileiro de Segurança Pública, v.5, p.78-95, 2011

O artigo trata da percepção que o brasileiro tem das instituições da justiça criminal,
entendidas como as polícias Civil e Militar, a legislação penal e o Judiciário. O texto
explora a percepção da população diante das notícias recentes envolvendo o sistema de
Justiça em geral; sua confiança no Judiciário, na polícia e no Ministério Público em face
de outras instituições — como Forças Armadas, Congresso Nacional, partidos políticos
e governo federal —; a percepção dos brasileiros sobre a atuação dos juízes e tribunais
criminais, no que diz respeito à aplicação das penas, à imparcialidade da justiça criminal
e à sensação de impunidade; e a relação dos brasileiros com a polícia, explorando casos
de vitimização e seu acesso a essa instituição como forma de solução desses conflitos.

136 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 136 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.8 FABIANA LUCI DE OLIVEIRA

FALCÃO, J. A.; OLIVEIRA, Fabiana Luci. O Supremo e o plebiscito. In: Correio Bra-
ziliense, 19 out. 2011.

FALCÃO, J. A.; OLIVEIRA, Fabiana Luci. O Supremo e a opinião pública. In: Con-
juntura Econômica, Rio de Janeiro, p.58-60, 01 fev. 2011.

FGV DIREITO RIO 137

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 137 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.9 FELIPE DUTRA ASENSI

ASENSI, Felipe Dutra. Reflexões sobre a concepção ha-


bermasiana de direito e Estado. In: Legis Augustus, v.2,
p.11-19, 2011.

Habermas, em múltiplos aspectos, se refere criticamente ao paradigma liberalcontra-


tualista, pois, ao inserir no campo do direito o elemento da democracia, Habermas retira
o caráter privatista da produção de direitos e o substitui por um critério procedimental
que não se aplica somente aos indivíduos isoladamente, mas à própria sociedade por
meio da ação estatal. Por essa razão, o título de seu principal livro sobre o assunto — no
alemão, “Faktizität und Geltung” — marca a distinção entre a dimensão factual e a di-
mensão normativa dos direitos. Este artigo tem por objetivo discutir a dimensão da legi-
timidade do direito a partir da perspectiva teórica de Habermas. Pretende-se, portanto,
organizar a análise a partir de dois eixos analíticos: a) a relação entre direito e mundo da
vida; b) a proeminência do Estado como definidor do direito e sua contraposição à ideia
de pluralismo jurídico. Espera-se, com isso, refletir sobre os elementos que possivelmen-
te constituem a legitimidade do direito.

138 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 138 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.9 FELIPE DUTRA ASENSI

ASENSI, Felipe Dutra. Conferências Nacionais de Saúde: a força das datas e a grandeza
dos eventos. In: LED Análises, Rio de Janeiro, p.11-14, 01 out. 2011.

ASENSI, Felipe Dutra. O Judiciário e os servidores. In: Jornal A Tarde, Salvador, p.3-3,
27 abr. 2011.

FGV DIREITO RIO 139

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 139 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.10 FERNANDO DE CASTRO FONTAINHA

[ACEITO PARA PUBLICAÇÃO] FONTAINHA, Fer-


nando de Castro. Da Sociologia Política à Sociologia
Jurídica, da França ao Brasil: a prática da minienquete
como instrumento pedagógico. In: Revista de Ciênciais
Sociais (UGF), v. 17, 2011.

O artigo tratará de parte da minha experiência docente na França, quando lecionei


a disciplina “Sociologie Politique” para alunos do terceiro ano da Faculdade de Direito
e Ciência Política da Universidade de Montpellier, nos primeiros semestres de 2010 e
2011. Uma das formas de avaliação adotadas foi a realização de uma minienquete etno-
gráfica, onde eles eram instados a observar, descrever e analisar uma sessão de trabalhos
parlamentares, em qualquer escala. O artigo discutirá as potencialidades pedagógicas e
metodológicas deste exercício, bem como o projeto de transposição da atividade para o
ensino da Sociologia do Direito no Brasil.

140 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 140 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.10 FERNANDO DE CASTRO FONTAINHA

VERONESE, Alexandre; FONTAINHA, Fernando de


Castro; FRAGALE FILHO, Roberto. Applications des
technologies de l´information et de la communication
dans l´administration judiciaire au Brésil. In: Droit et
Cultures — Revue Internationale Interdisciplinaire, v.61,
p.55-70, 2011.

Cet article repose sur le postulat selon lequel il faut définitivement abandonner l’idée
de neutralité des technologies d’information et de communication et considérer celles-
ci non comme des vecteurs et facteurs de transformation systématique des pratiques
mais plutôt comme des dispositifs dont le développement repose sur les appropriations
et usages sociaux (notamment ceux des utilisateurs) qui en sont faits. Dans un pre-
mier temps, afin d’aider à la compréhension du phénomène d’informatisation au Brésil,
l’article dresse une synthèse du débat portant sur la gouvernance de l’Internet. Puis il
propose une discussion théorique à la suite de laquelle il montre la diffusion de l’usage
de l’informatique dans les différentes composantes du système judiciaire brésilien entre
2004 et 2010. Enfin, après avoir constaté le développement du recours aux technologies
informatiques dans les juridictions, les auteurs ouvrent une réflexion sur les critères et
les modalités d’évaluation de l’intégration des systèmes informatiques dans le travail
quotidien de la magistrature.

FGV DIREITO RIO 141

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 141 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.11 FERNANDO SOUZA PENTEADO

PENTEADO, F. S.; Sampaio, P.; Nogueira, R.; Sampaio,


R.S.R.. A relevância da atuação dos municípios para a
governança ambiental no Estado do Rio de Janeiro: um
estudo empírico. In: Revista dos Tribunais (São Paulo.
Impresso), v.910, p.45-79, 2011.

O artigo apresenta os resultados de pesquisa relacionada ao grau de governança e efe-


tividade da aplicação do direito ambiental no estado do Rio de Janeiro, com ênfase nos
instrumentos municipais de gestão ambiental. Apresentam-se dados sobre se uma maior
participação dos municípios na gestão do meio ambiente, por meio de licenciamento
ambiental local e Plano Diretor, dentre outros institutos, têm efeitos sobre a quantidade
de inquéritos civis públicos instaurados pelo Ministério Público estadual.

142 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 142 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.12 JOÃO FELIPE RAMMELT SAUERBRONN

SAUERBRONN, J. F. R.; BARROS, D. F.; STREHLAU,


Suzane; COSTA, A. M. Pirataria e download como com-
portamento desviante e as técnicas de neutralização usa-
das pelos consumidores. In: Gestão e sociedade (UFMG),
v.4, p.513-538, 2010.

Apesar do crescimento na venda de música digital, pesquisas apontam que 95%


dos downloads musicais não pagam direitos autorais. As tecnologias de download e
compartilhamento são geralmente apontadas como responsáveis pelo fenômeno cha-
mado de pirataria pela indústria fonográfica, colocando na mesma categoria pessoas
físicas e jurídicas, vendedores e usuários. A indústria classifica download como crime,
um comportamento desviante do ideal social e econômico. Este trabalho busca dar voz
ao consumidor, ao tentar compreender suas percepções e estratégias de neutralização de
tal comportamento desviante. Para tanto, foram realizados quatro grupos de foco com
jovens “downloaders” com o objetivo de verificar a relação desses consumidores com
a música, a identificação de comportamentos desviantes e a descrição das Técnicas de
Neutralização utilizadas. Os dados foram analisados segundo a Análise de Discurso e os
resultados mostraram oito maneiras dos consumidores justificarem “maus comporta-
mentos”, representando a ampliação de duas das categorias apresentadas pela literatura.

FGV DIREITO RIO 143

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 143 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.12 JOÃO FELIPE RAMMELT SAUERBRONN

SAUERBRONN, J. F. R.; TONINI, K. A. D.; LODI, M. D. F. Um estudo sobre os


significados de consumo associados ao corpo feminino em peças publicitárias de su-
plementos alimentares. In: REAd. Revista Eletrônica de Administração (Porto Alegre.
Online), v.18, p.1 — 25, 2011.

O presente artigo buscou analisar os significados atribuídos aos corpos femi-


ninos e transferidos através de propagandas de suplementos alimentares. O corpo
se transformou em objeto de pesquisa de pesquisadores interessados em explorar
a construção de significados de consumo de diversas áreas. Sua expressão como
mercadoria já foi apontada por pesquisadores como Malysse, que propôs a objeti-
ficação do corpo e Goldenberg, que construiu o conceito de corpo como capital.
Segundo MacCracken, a publicidade atua na transferência de significados, desde
o mundo culturalmente constituído até os indivíduos. As nove peças publicitárias
coletadas foram analisadas com base no método de análise do discurso publicitário
proposto por Pinto. As funções de mostração/construção do universo do discurso,
de interação/estabelecimento de vínculos socioculturais e de sedução/distribuição
de afetos positivos e negativos serviram como direção para que os pesquisadores
buscassem compreender as formas de transferência de significado do corpo femini-
no através das peças publicitárias de suplementos alimentares. Alguns componentes
do discurso publicitário foram comuns a todas as peças coletadas e evidenciaram o
corpo como um objeto que pode ser modificado, ter suas medidas alteradas a partir
do que é transmitido como desejável um corpo sem gordura, magro e firme. En-
tretanto, puderam ser diferenciadas quatro categorias de discurso de transferência
de significado do corpo. A primeira categoria de peças publicitárias coloca o corpo
como objeto de poder e o supervaloriza como objeto. Nessa categoria, a interação
com os indivíduos é baseada no status que o corpo pode oferecer ao sujeito e as
emoções envolvidas tratam de elevar a autoestima do indivíduo. A segunda cate-
goria congrega peças publicitárias que apresentam o corpo como local da ação do
produto. A interação, nesse caso, é baseada em técnica e as emoções envolvidas des-
tacam a sensualidade e a feminilidade. As peças que compõem a terceira categoria
tratam o corpo como confirmador da ação do produto. A interação é baseada em
gestual reproduzido em imagens e as emoções estão associadas a prazer e pratici-
dade. A quarta categoria apresentou significado diferente para o corpo feminino,
tratando-o como objeto subordinado ao evento, comportado e feliz. Ao fim, ficou
claro o tratamento do corpo como objeto que pode ser modificado, alterado, ade-
quado de acordo com a intenção de seu proprietário, o que ajuda a explicar como
o significado do corpo é construído socialmente e transferido do mundo cultural-
mente constituído até o espaço de consumo dos indivíduos.

144 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 144 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.12 JOÃO FELIPE RAMMELT SAUERBRONN

SAUERBRONN, J. F. R., SAUERBRONN, F. F., HA-


SENCLEVER, L. Contribuições da economia industrial
para o estudo de estratégias de crescimento a partir do
sistema de franquia. In: E & G. Economia e Gestão (Ces-
sou em 2008. Cont. ISSN 1984-6606 Revista Economia
& Gestão), v.11, p.10-26, 2011.

O foco deste ensaio está localizado na análise do crescimento da firma a partir da es-
tratégia de diversificação promovida pela utilização do sistema de franquias. Os autores
buscam refletir sobre a redução das restrições ao crescimento à luz das teorias de Downie
(1958) e Penrose (1959). O desafio desta reflexão recai sobre a abordagem destes dois
teóricos, uma vez que tratam as restrições ao crescimento da firma de maneira mais
afeita à área da organização industrial e próxima àquela adotada pelas ciências de gestão.
As abordagens mostradas focalizam o ambiente interno às organizações, dedicando-se
a apontar as restrições internas ao crescimento das empresas. A análise utilizada neste
artigo pode servir como indicação para tomadas de decisão estratégicas que façam com
que firmas atinjam o crescimento pretendido, uma vez que aponta saídas para alguns
problemas de crescimento a partir da utilização estratégica do sistema de franquias como
forma de diversificação.

FGV DIREITO RIO 145

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 145 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.12 JOÃO FELIPE RAMMELT SAUERBRONN

SAUERBRONN, F. F., SAUERBRONN, J. F. R. Res-


ponsabilidade social corporativa e esfera pública: Um
debate sobre Stakeholders e dimensões sociopolíticas de
estratégias empresariais. In: Revista de Administração Pú-
blica (Impresso), v.45, p.435-458, 2011.

Os autores apresentam um argumento favorável ao desenvolvimento de pesquisas


fundamentadas no diálogo entre diferentes perspectivas epistemológicas objetivando
uma compreensão mais adequada das estratégias de responsabilidade social empresarial
(RSE) e seus impactos sobre a esfera pública. A justificativa para tal argumentação está
associada ao crescimento das ações de RSE no Brasil desde o final da década de 1990,
como um reflexo do avanço da globalização e o aumento do poder das grandes empresas
ante o Estado e a sociedade civil. O artigo destaca a limitação de grande parte da litera-
tura de RSE em reconhecer estratégias voltadas para stakeholders como um fenômeno
equivocadamente centrado na empresa, desconhecendo relevantes questões mais amplas
associadas a dimensões políticas e sociais.

146 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 146 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.12 JOÃO FELIPE RAMMELT SAUERBRONN

PESTANA, F. N., SAUERBRONN, J. F. R., MORAIS, F. Reforma administrativa do


Estado e trabalho emocional: Um estudo a respeito da gestão das emoções realizada por
servidores do INSS. RBSE. In: Revista Brasileira de Sociologia da Emoção (Online),
v.10, p.532-565, 2011.

O presente estudo está focado no servidor público e na atividade de atendimento ao


usuário do INSS. De maneira muito grave, a mudança paradigmática da administração
pública brasileira iniciada a partir do Plano Diretor de Reforma do Aparelho do Estado
promoveu intensa modificação nos parâmetros de atuação do servidor do Poder Executi-
vo Federal. Tal mudança, iniciada durante a administração Fernando Henrique Cardoso e
mantida ao longo da administração de Luis Inácio Lula da Silva, foi especialmente intensa
no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que implantou o seu Novo Modelo de
Gestão (NMG) e foi transformado em operação-modelo do serviço público, com ampla
promoção de suas novas qualidades (atendimento rápido e de qualidade, com base na
propagada “aposentadoria em 30 minutos”). A ênfase em resultados trouxe uma nova
forma de pressão sobre o servidor do INSS, que se viu tendo que se adaptar rapidamen-
te a novas exigências gerenciais. Além de alterar a estrutura organizacional do INSS, a
reforma administrativa do Estado brasileiro promoveu o cidadão segurado ao status de
cliente. Frente à nova estrutura de relacionamento imposta pela administração pública
e frente às demandas dos usuários, que envolvem aspectos de grande complexidade e
importância para os cidadãos, o servidor se encontrou pressionado e tendo que lidar de
forma bastante direta com seus sentimentos no ambiente de trabalho. Este trabalho pro-
curou se aproximar, entender e interpretar a forma com que os servidores gerenciam suas
emoções no ambiente de serviços. Como abordagem teórica, foi utilizada a perspectiva
da sociologia das emoções que entende as emoções como resultantes de um processo no
qual as pessoas interagem em sociedade e constroem um padrão de sentimento adequado.
Para Hochschild, o mesmo processo de gestão das emoções ocorre no ambiente de tra-
balho, principalmente no caso de prestação de serviços. Os autores procuraram analisar,
através de um estudo exploratório de caráter qualitativo, o papel das emoções ao longo
das etapas do processo de atendimento ao público nas agências da previdência social e
lançar um enfoque sobre os padrões de comportamento (display rules), das regras de sen-
timentos (feeling rules), das regras de expressão (expression rules) adotadas pelos servidores
públicos federais do INSS, com base no trabalho de Hochschild sobre as profissões do
setor de prestação de serviços. Foram realizadas entrevistas em profundidade com onze
servidores do INSS que mantêm contato direto com o público. Os dados foram anali-
sados seguindo-se a metodologia de análise de conteúdo (Bardin) e foram reveladas as
manifestações de quatro técnicas usadas no gerenciamento das emoções propostas por
Hochschild (1983): Trabalho Corporal; Mudança Externa; Mudança Interna e Trabalho
Cognitivo. Com base nos resultados, é sugerido que processos afetivos podem interferir
na motivação, no comportamento, no processamento de informações, nas escolhas e no
atendimento dos servidores face ao alto envolvimento e absorção da carga emocional.

FGV DIREITO RIO 147

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 147 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.13 JOAQUIM DE ARRUDA FALCÃO NETO

FALCÃO, Joaquim. Novo índice do Estado de direito. In: Conjuntura Econômica.


V.65, n.08, agosto, 2011.

FALCÃO, Joaquim; CERDEIRA, Pablo. A inflação de recursos do Executivo no Supre-


mo. In: Conjuntura Econômica, v.65, n.04, abril, 2011.

FALCÃO, Joaquim; OLIVEIRA, Luci. O Supremo e a opinião pública. In: Conjuntura


Econômica, v.65, n.2, fevereiro, 2011.

FALCAO NETO, J. A.; RANGEL, Tania Abrão. A elaboração legislativa e a interpreta-


ção judicial da lei da ficha limpa. In: Interesse Nacional, v.3, p.24-29, 2011.

148 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 148 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.13 JOAQUIM DE ARRUDA FALCÃO NETO

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. É possível governo e oposição juntos. In: Blog
Noblat, oglobo.globo.com/pais/noblat, 27 dez. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Mais uma vez a PEC dos cartórios. In: Blog
Noblat, oglobo.globo.com/pais/noblat, 13 dez. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. A mídia explicadora. In: Blog Noblat, oglobo.
globo.com/pais/noblat, 29 nov. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Fifa versus Dilma. In: Blog Noblat, oglobo.glo-
bo.com/pais/noblat, 15 nov. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Os juízes querem votar. In: Blog Noblat, oglobo.
globo.com/pais/noblat, 01 nov. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. O direito de defesa do CNJ. In: Blog Noblat,
oglobo.globo.com/pais/noblat, 04 out. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Polícia Federal, Embratur e renovação de passa-


porte. In: Blog Noblat, oglobo.globo.com/pais/noblat, 18 out. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. As prioridades no avião. In: Blog Noblat, oglo-
bo.globo.com/pais/noblat, 20 set. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Em jogo o exercício da democracia. In: Blog


Noblat, oglobo.globo.com/pais/noblat, 23 ago. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. A OAB e barrigas de aluguel. In: Blog Noblat,
oglobo.globo.com/pais/noblat, 09 ago. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Os conselhos profissionais e o poder judiciário.


In: Blog Noblat, oglobo.globo.com/pais/noblat, 26 jul. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. A politização do consumo. In: Blog Noblat,


oglobo.globo.com/pais/noblat, 28 jun. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Contra o abuso dos recursos. In: Blog Noblat,
oglobo.globo.com/pais/noblat, 14 jun. 2011.

FGV DIREITO RIO 149

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 149 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. A maconha e a inusitada comemoração dos 80


anos de FHC. In: Blog Noblat, oglobo.globo.com/pais/noblat, 01 jun. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Pimenta Neves e a PEC do Peluso. In: Blog No-
blat, oglobo.globo.com/pais/noblat, 25 maio 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Diplomacia judicial. In: Blog Noblat, oglobo.
globo.com/pais/noblat, 15 maio 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. A última peça do quebra-cabeça. In: Blog No-
blat, oglobo.globo.com/pais/noblat, 03 maio 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. A judicialização do trem bala. In: Blog Noblat,
oglobo.globo.com/pais/noblat, 19 abr. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. A greve dos juizes federais. In: Blog Noblat,
oglobo.globo.com/pais/noblat, 05 abr. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. A proposta do Ministro Peluso. In: Blog Noblat,
oglobo.globo.com/pais/noblat, 22 mar. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. A televisão entra forte na política. In: Blog No-
blat, oglobo.globo.com/pais/noblat, 08 mar. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. A justiça vai à televisão. In: Blog Noblat, oglobo.
globo.com/pais/noblat, 22 fev. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. A extinção de dezessete tribunais. In: Blog No-
blat, oglobo.globo.com/pais/noblat, 08 fev. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. A união pela catástrofe. In: Blog Noblat, oglobo.
globo.com/pais/noblat, 25 jan. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. A fila dos mortos. In: Blog Noblat, oglobo.glo-
bo.com/pais/noblat, 11 jan. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Se Lula quisesse, extradição seria legal. In: Folha
de S.Paulo, São Paulo, SP, p. 10 — 10, 01 jan. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. É possível evitar que intimidação se traduza em


impunidade. In: Folha de S.Paulo, São Paulo, SP, 13 ago. 2011.

150 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 150 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Escolha de artigo da Constituição define voto


dos ministros. In: Folha de S.Paulo, São Paulo, SP, 24 mar. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Estados Unidos versus Wikileaks. In: Folha de
S.Paulo, São Paulo, SP, 25 abr. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Estatística é vital para uma gestão eficiente. In:
Folha de S.Paulo, São Paulo, SP, 30 mar. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Há um espaço para mudar a aplicação da Consti-


tuição sem ter de emendar seu texto. In: Folha de S.Paulo, São Paulo, SP, 06 maio 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Itália deve avaliar risco político antes de pedir
extradição em Haia. In: Folha de S.Paulo, São Paulo, SP, 11 jun. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Método traz a realidade para dentro do gabinete
do juiz. In: Folha de S.Paulo, São Paulo, SP, 09 abr. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. O compromisso com a moralidade do magistra-


do. In: Folha de S.Paulo, São Paulo, SP, 19 mar. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Paralisia é o fantasma dos ministros do Supremo


no julgamento do mensalão. In: Folha de S.Paulo, São Paulo, SP, 18 jan. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Recursos são necessários mas será que não há
abusos? In: Folha de S.Paulo, São Paulo, SP, 26 maio 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Senado aprovou o ministro do Supremo antes de


interrogá-lo. In: Folha de S.Paulo, São Paulo, SP, 11 fev. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. As diárias da polícia federal. In: Correio Brazi-
liense, Brasília, DF, 22 jul. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Capes e o Comitê de Área de Direito. In: Cor-
reio Braziliense, Brasília, DF, 02 jul. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Novo produto do poder judiciário. In: Correio
Braziliense, Brasília, DF, 17 fev. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. O Itamaraty e os imigrantes. In: Correio Brazi-


liense, Brasília, DF, 19 maio 2011.

FGV DIREITO RIO 151

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 151 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda.O Ministro do Supremo, o desembargador e o


juiz. In: Correio Braziliense, Brasília, DF, 01 set. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda.O Supremo e o plebiscito. In: Correio Brazilien-


se, Brasília, DF, 20 out. 2011.

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. As portas se fecham mas ficam abertas. In: Cor-
reio Braziliense, Brasília, DF, 24 nov. 2011.

152 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 152 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.14 PABLO DE CAMARGO CERDEIRA

CERDEIRA, Pablo de C. Judiciário não foi feito para tratar de casos de massa. In: Re-
vista Consultor Jurídico, Conjur — Nova Justiça, 16 nov. 2011.

CERDEIRA, Pablo de C. O Supremo, a Corregedoria do CNJ e a prática. In: Revista


Consultor Jurídico, Conjur — Nova Justiça, 13 out. 2011.

CERDEIRA, Pablo de C. O Judiciário já não é o mesmo, graças à atuação do CNJ. In:


Revista Consultor Jurídico, Conjur — Nova Justiça, 28 set. 2011.

CERDEIRA, Pablo de C. Integração entre Direito e matemática é promissora. In: Re-


vista Consultor Jurídico, Conjur — Nova Justiça, 21 set. 2011.

CERDEIRA, Pablo de C. Judiciário levará 30 anos para dar conta da demanda. In: Re-
vista Consultor Jurídico, Conjur — Nova Justiça, 08 set. 2011.

CERDEIRA, Pablo de C. Judiciário brasileiro precisa padronizar os seus dados. In: Re-
vista Consultor Jurídico, Conjur — Nova Justiça, 25 ago. 2011.

CERDEIRA, Pablo de C. Lógica processual mudou e o Judiciário não acompanhou. In:


Revista Consultor Jurídico, Conjur — Nova Justiça, 03 ago. 2011.

CERDEIRA, Pablo de C. É preciso impor limites para a subida dos processos. In: Re-
vista Consultor Jurídico, Conjur — Nova Justiça, 20 jul. 2011.

CERDEIRA, Pablo de C. Judiciário e Legislativo devem estar mais próximos. In: Revis-
ta Consultor Jurídico, Conjur — Nova Justiça, 06 jul. 2011.

CERDEIRA, Pablo de C. No sistema brasileiro, recursos podem ser ilimitados. In: Re-
vista Consultor Jurídico, Conjur — Nova Justiça, 22 jun. 2011.

FGV DIREITO RIO 153

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 153 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.15 PAULA ALMEIDA WOJCIKIEWICZ

WOJCIKIEWICZ, Paula Almeida, « L’influence de la Cour de Justice de l’Union euro-


péenne dans le projet constitutif d’une Cour de Justice pour le Mercosud ». In: Univer-
sitas: Relações Internacionais, Brasília, v.9, n.1, janeiro/julho 2011, pp.131-158.

O artigo trata da influência da Corte de Justiça da União Europeia no projeto que


busca estabelecer uma Corte de Justiça do Mercosul, analisando criticamente as compe-
tências do futuro tribunal e as dificuldades de sua criação.

154 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 154 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.16 PAULA SPIELER

SPIELER, P. B. The Maria da Penha Case and the Inter-


American Commission on Human Rights: Contributions
to the Debate on Domestic Violence Against Women in
Brazil. In: Indiana Journal of Global Legal Studies, v.18,
p.121-143, 2011.

This article aims to demonstrate the contributions of the Maria da Penha case and the
Inter-American Commission on Human Rights (IACHR) Report of 2001 to the debate
on domestic violence against women in Brazil, with special emphasis to the adoption
of the Maria da Penha Law. I chose this case because of its strong contributions to the
campaign against domestic violence toward women in Brazil, as well as because it was
the first case to apply the Convention of Belém do Pará in the Inter-American Human
Rights System. While many articles emphasize the contribution of the CEDAW Com-
mittee Report of 2002 to the struggle against domestic violence in Brazil, this article
highlights the importance of the Inter-American Commission’s Report to the issue, as
the Commission was the first international organ for the protection of human rights to
specifically highlight the issue of domestic violence in the country. The report revealed
the systematic pattern of this type of violence in the country.

FGV DIREITO RIO 155

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 155 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.16 PAULA SPIELER

SPIELER, P. B. The La Oroya Case: the relationship


between environmental degradation and human rights
violations. In: Human Rights Brief, v.18, p.19-23, 2010.

This paper will focus on the use of the Inter-American Human Rights System
(IAHRS) to allege human rights violations caused by environmental degradation. Al-
though the Inter-American Commission on Human Rights (IACHR) cannot specifi-
cally analyze a violation of the right to a healthy environment, it has indirectly referred
to environmental contamination in the context of other human rights violations. This
article will analyze the close relationship that exists between environmental degradation
and human rights violations—mainly the rights to life and personal integrity — throu-
gh one case study: the case of La Oroya Community v. Perú, admitted by the IACHR
in August 2009. The La Oroya case was the first to be admitted by the IACHR that
specifically alleged that environmental degradation (including air, water and soil conta-
mination) caused by the activities of a company could violate the rights to health, life,
and personal integrity of the population of the region. If the case is sent to the Inter-
American Court of Human Rights, it would be the first time that the Court has assessed
the responsibility of a state for the violation of human rights of a non-indigenous com-
munity caused by contamination of the environment.

156 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 156 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.17 PEDRO VIEIRA ABRAMOVAY

ABRAMOVAY, P. V.; ARGUELHES, D. W.; FALCÃO, J. A.. A sociedade quer pergun-


tar. In: Folha de São Paulo, São Paulo, p.A3, 10 nov. 2011.ABRAMOVAY, P. V. UPPs
sob fogo Cruzado. In: Folha de São Paulo, São Paulo, p.A3, 14 set. 2011.

ABRAMOVAY, P. V. FMI e as Mulheres: para além da Maria da Penha. In: Correio


Braziliense, Brasilia, p.15-15, 12 jul. 2011.

ABRAMOVAY, P. V. Wikidemocracia, a Reforma Política. In: Folha de São Paulo, São


Paulo, p.A3-A3, 15 jun. 2011.

ABRAMOVAY, P. V. PEC dos Recursos: por um debate sem preconceitos. In: Estado de
Minas, Belo Horizonte, p.8-8, 06 jun. 2011.

ABRAMOVAY, P. V. Falta ao Brasil uma política de Tecnologia para a Segurança. In:


Folha de São Paulo, São Paulo, 20 maio 2011.

ABRAMOVAY, P. V. Portas e gavetas abertas. In: O Globo, Rio de Janeiro, 26 abr. 2011.

ABRAMOVAY, P. V. PEC dos Recursos: Um convite ao debate. In: Correio Braziliense,


Brasilia, p. 3-3, 18 abr. 2011.

ABRAMOVAY, P. V. Mudança nas Coligações: Um alerta e uma ideia. In: Correio Bra-
zilliense, Brasília, 07 abr. 2011.

ABRAMOVAY, P. V. Todos os processos devem chegar ao STF? In: Folha de São Paulo,
São Paulo, p.A3, 21 mar. 2011.

FGV DIREITO RIO 157

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 157 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.18 RAFAEL ALVES DE ALMEIDA

ALMEIDA, Rafael Alves de. The future lawyer: new trends in the Brazilian Legal Sys-
tem. In: Newsletter of the International Bar Association — Young Lawyers, UK, 2011,
vol. 17, nº 1, p. 11.

158 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 158 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.19 RICARDO MORISHITA WADA

MORISHITA WADA, R. Clientela conformada. In: Correio Braziliense — DF. Edito-


ria: Cidades / Direito do, p.28-28, 2011.

MORISHITA WADA, R. Clientela conformada. In: Correio Braziliense Online — DF.


Editoria: Cidades, 2011.

MORISHITA WADA, R. Maior parte dos brasileiros não reclama quando enfrenta
problemas de consumo. UOL Notícias — SP, p.online, 2011.

MORISHITA WADA, R. Operadores preveem possíveis mudanças no novo CDC.


Consultor Juridico — SP. Editoria: Notícias, p.online, 2011.

MORISHITA WADA, R. Pesquisa da FGV mostra que brasileiros conhecem Código de


Defesa do Consumidor, porém a maioria não reclama. Globo online, RJ, 2011.

MORISHITA WADA, R. Procon estuda ações para combater baixa adesão a recalls.
Época Negócios Online — SP. Editoria: Economia, p.online, 2011.

MORISHITA WADA, R. Procon estuda ações para combater baixa adesão a recalls.
Exame.com — SP. Editoria: Notícias, p.online, 2011.

MORISHITA WADA, R. Procon estuda ações para combater baixa adesão a recalls. IG
Notícias — SP. Editoria: Economia, p.online, 2011.

MORISHITA WADA, R. Procon estuda ações para combater baixa adesão a recalls. Isto
É Dinheiro Online — SP. Editoria: Economia, p.online, 2011.

MORISHITA WADA, R. Procon estuda ações para combater baixa adesão a recalls.
Estado de Minas Online — MG. Editoria: Economia, p.online, 2011.

MORISHITA WADA, R. Procon estuda ações para combater baixa adesão a recalls.
Veja Online — SP. Editoria: Economia, p.online, 2011.

MORISHITA WADA, R. Guia para sacoleiros em tempos incertos. Revista Época —


SP. Editoria: Especial / Crise, p.68-72, 2011.

MORISHITA WADA, R. Transparência nas decisões. Revista Conjuntura Econômica


— SP. São Paulo, p.12-12, 2011.

FGV DIREITO RIO 159

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 159 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.19 RICARDO MORISHITA WADA

MORISHITA WADA, R. Aquecedor perigoso — Informação Imprecisa. In: O Estado


de S. Paulo — SP. Editoria: Cidades/Metrópole, p.C2, 2011.

MORISHITA WADA, R. Atraso na entrega — Prejuízos e transtornos. In: O Estado de


S. Paulo — SP. Editoria: Cidades/Metrópole, 2011.

MORISHITA WADA, R. Cariocas vão a Justiça por seus direitos. In: O GLOBO,
p.Capa-30, 2011.

MORISHITA WADA, R. Carro na Garantia — 54 dias no conserto. In: O Estado de


S. Paulo — SP. Editoria: Cidades/Metrópole, p.C2, 2011.

MORISHITA WADA, R. Cartão sodexo — Bloqueio ignorado. In: O Estado de S.


Paulo — SP. Editoria: Metrópole/Seus Dir, p.C2, 2011.

MORISHITA WADA, R. Celular Claro — Presente de Grego. In: O Estado de S. Paulo


— SP. Editoria: Metrópole/Seus Dir, p.C2, 2011.

MORISHITA WADA, R. cidade do Rio, enfim, também vai ter seu Procon. In: O
Globo — RJ., p.2-32, 2011

MORISHITA WADA, R. Cobrança abusiva de dívida é ilegal. In: Jornal Extra — RJ.
Editoria: Economia, p.Capa-28-29, 2011.

MORISHITA WADA, R. Código em processo de mudança. In: O Globo — RJ, p.26,


2011.

MORISHITA WADA, R. Conscientes de seus direitos, mas calados. In: O Globo —


RJ. Editoria: Economia, p.45, 2011.

MORISHITA WADA, R. Cruzeiro MSC — Jogo de empurra-empurra. In: O Estado


de S. Paulo — SP. Editoria: Cidades/Metrópole, p.C2, 2011.

MORISHITA WADA, R. Defensoria do Rio quer troca imediata de celular com defei-
to. In: O Globo — RJ. Editoria: Economia, p.2 — 32, 2011.

MORISHITA WADA, R. Defesa do Consumidor — Mais de 200 projetos para mudar


o código. In: O Globo — RJ. Editoria: Economia/Defesa do, p.34, 2011.

160 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 160 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

MORISHITA WADA, R. Direitos do Consumidor. In: O DIA — RJ. Editoria: Opi-


nião/Artigos, p.18-18, 2011.

MORISHITA WADA, R. Falhas no atendimento de concessionárias. In: O Globo —


RJ. Editoria: Economia, p.36, 2011.

MORISHITA WADA, R. Fraude em cartão — Cliente é o último a saber. In: O Estado


de S. Paulo — SP. Editoria: Metrópole/Seus Dir, p.C2, 2011.

MORISHITA WADA, R. Mudando para melhor servi-lo. In: O Globo — RJ. Editoria:
Economia, p.32, 2011.

MORISHITA WADA, R. Por uma Lei para superendividados. O Globo — RJ. Edito-
ria: Economia, p.50, 2011.

MORISHITA WADA, R. Procon estuda ações para combater baixa adesão a recalls de
veículos. Estadão.com — SP. Editoria: Economia, p.online, 2011.

MORISHITA WADA, R. Recall de veículos cresce 44% em oito anos. In: Diário de S.
Paulo — SP. Editoria: Dia a Dia — Economia, p.Capa-07, 2011.

MORISHITA WADA, R. Shoptime — Má gestão e descaso. In: O Estado de S. Paulo


— SP. Editoria: Cidades/Metrópole, p.C2, 2011.

MORISHITA WADA, R. Telecomunicações: há oito anos na lista suja. In: O Globo —


RJ. Editoria: Economia, p.40, 2011.

FGV DIREITO RIO 161

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 161 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.20 ROBERTO DA SILVA FRAGALE FILHO

VERONESE, Alexandre; FONTAINHA, Fernando de


Castro; FRAGALE FILHO, Roberto. Les usages des te-
chnologies de l’information et de la communication dans
l’administration judiciaire au Brésil. In: Revue Droit et
Cultures, 61, 2011-1.

Este artigo repousa sobre o postulado segundo o qual é necessário abandonar defi-
nitivamente a ideia de neutralidade das tecnologias da informação e da comunicação e
considerá-las não como vetores e fatores de transformação sistemática das práticas, mas
como dispositivos cujo desenvolvimento repousa sobre as apropriações e usos sociais
que lhe são dados notadamente por seus usuários. Em um primeiro tempo, com o pro-
pósito de ajudar na compreensão do fenômeno da informatização no Brasil, o artigo
realiza uma síntese do debate sobre a governança da internet. Em seguida, ele propõe
uma discussão teórica para então mostrar a difusão do uso da informática nos diferentes
componentes do sistema judiciário brasileiro entre 2004 e 2010. Enfim, após constatar
o desenvolvimento do recurso às tecnologias de informática nas jurisdições brasileiras,
os autores realizam uma reflexão sobre os critérios e as modalidades de avaliação da inte-
gração dos sistemas de informática no cotidiano da magistratura.

162 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 162 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.21 RÔMULO SILVEIRA DA ROCHA SAMPAIO

CASSUTO, D.; SAMPAIO, R. S. R.. Water Law in the United States and in Brazil —
Climate Change & Two Approaches for Emerging Water Poverty. In: William & Mary
Environmental Law & Policy Review, v.35, p.371-413, 2011.

The article examines two of the major water legal regimes in the Americas — that
of Brazil and the United States. Both countries have extensive wet and dry regions and
both hydro-regimes face a significant threat from global warming. Brazil, for instance,
is home to between eight and fifteen percent of the world’s fresh water, and its fast-gro-
wing economy and population present major challenges in management and allocation.
The U.S. also faces major water allocation problems resulting from past settlement poli-
cies; unsustainable reclamation projects; and also fast-growing domestic, industrial and
agricultural demand. In the United States, water has traditionally been perceived as a re-
newable and limitless resource, a cultural legacy that has exerted a powerful influence on
the nation’s common law. Similarly, in Brazil, the notion of water as infinitely abundant
drove water policies until the enactment of the Constitution in 1988. In both countries,
however, hydrological realities have become impossible to ignore. Their respective laws
and jurisprudence have begun shifting toward management and allocation systems that
acknowledge the limited nature of the resource. This article surveys the two countries’
water regimes, offering a brief history of their evolution and then focusing on the chal-
lenges of the present. It examines how the notion of a strong private property right in
water is slowly (in the North-American case) and more abruptly (in the Brazilian case)
evolving in the face of increased governmental intervention.The article then turns to
the challenges of climate change. In Brazil, policies that fail to take desertification into
account may threaten the country’s energy supply as well as the availability of potable
water. In the United States, ignoring climate change in water management and alloca-
tion policies could significantly increase the existing water scarcity in the West and exa-
cerbate the growing and already serious water shortage in the traditionally humid East.

FGV DIREITO RIO 163

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 163 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.21 RÔMULO SILVEIRA DA ROCHA SAMPAIO

Cassuto, David N.; SAMPAIO, R. S. R.. Keeping it le-


gal: transboundary management challenges facing Brazil
and the Guarani. In: Water InternationalJCR, v.36, p.661-
670, 2011.

The article examines the legal and ecological problems facing the Guarani Aquifer
System. Because the majority of the Guarani Aquifer System underlies Brazil, the Brazi-
lian legal regime forms the paper’s principal focus. The importance of the region makes
the need for accurate information crucial. Yet relying on such information to manage a
complex resource presents risks. Too often, the role of uncertainty in regulating is under-
played. Increasing knowledge over the resource demands categorizing “hard” and “soft”
uncertainties, especially those presented by climate change. In addition, regulators must
acknowledge the unitary nature of the aquifer while remaining sensitive to differing
national priorities.

164 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 164 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.21 RÔMULO SILVEIRA DA ROCHA SAMPAIO

PENTEADO, F. S.; SAMPAIO, P. R. P.; NOGUEIRA,


R.; SAMPAIO, R. S. R.. A relevância da atuação dos Mu-
nicípios para a governança ambiental no Estado do Rio
de Janeiro: um estudo empírico. In: Revista dos Tribunais
(São Paulo. Impresso), v.910, p.45-79, 2011.

O artigo apresenta os resultados de pesquisa relacionada ao grau de governance e efe-


tividade da aplicação do direito ambiental no estado do Rio de Janeiro, com ênfase nos
instrumentos municipais de gestão ambiental. Apresentam-se dados sobre se uma maior
participação dos Municípios na gestão do meio ambiente, por meio de licenciamento
ambiental local e Plano Diretor, dentre outros institutos, têm efeitos sobre a quantidade
de inquéritos civis públicos instaurados pelo Ministério Público estadual.

FGV DIREITO RIO 165

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 165 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.22 RONALDO LEMOS

LEMOS, Ronaldo. Why Foxconn’s iPad deal is wrong for


Brazil. In: Foreign Affairs (New York, NY), 2011.

Brazil’s leaders expect a $12 billion iPad manufacturing deal to boost the country’s
technology sector. It may. But Brasilia should be turning out cheaper, low-end techno-
logy, which would be more profitable.

166 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 166 04/12/12 17:21


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.22 RONALDO LEMOS

LEMOS, Ronaldo. 21% dos casais nos EUA se conheceram pela internet. In: Folha de
São Paulo, 28 nov. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Salvem a memória do Orkut. In: Revista Trip, 21 nov. 2011.

LEMOS, Ronaldo. EUA querem lei dura contra pirataria. In: Folha de São Paulo, 07
nov. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Novo buscador toma bandeira do Google. In: Folha de São Paulo,
31 out. 2011.

LEMOS, Ronaldo. O Gaydar do MIT. In: Revista Trip, 21 out. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Futuro do Pop está nas Periferias. In: Folha de São Paulo, 17 out. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Steve Jobs era porto seguro para os EUA. In: Folha de São Paulo, 09
out. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Decrees and Buses: How the Open Government Partnership Trans-
lates into Action in Brazil. In: Princeton University Freedom to Tinker, 06 out. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Site permite a qualquer um ser hotel. In: Folha de São Paulo, 03
out. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Facebook tira do ar obra de artista carioca. In: Folha de São Paulo,
26 set. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Versão dos jornais para iPad tem problemas. Folha de São Paulo, 19
set. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Joi Ito e o futuro da educação. In: Revista Trip, 16 set. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Erros e acertos do Google Plus. In: Folha de São Paulo, 12 set. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Internet pode ganhar seu código de defesa. In: Folha de São Paulo,
05 set. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Empresa enfrenta Hollywood e as teles para manter sucesso. In:
Folha de São Paulo, 04 set. 2011.

FGV DIREITO RIO 167

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 167 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

LEMOS, Ronaldo. Perfil falso é usado para manipular rede. In: Folha de São Paulo, 29
ago. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Quanto vale um comentário positivo? In: Folha de São Paulo, 22
ago. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Correndo atrás da cenoura. In: Revista Trip, 18 ago. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Deu a louca na ANATEL. In: Folha de São Paulo, 15 ago. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Garoto de 9 anos cria hit dos games. In: Folha de São Paulo, 08 ago. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Novos serviços online enfrentam desafio do licenciamento. In: Folha
de São Paulo, 03 ago. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Novatos manipulam imagem e realidade. In: Folha de São Paulo,
Folha de São Paulo, 01 ago. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Padroeiro da Internet completa 100 anos. In: Folha de São Paulo,
25 jul. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Intelectual faz diagnóstico do embate entre homem e mídia. In:
Folha de São Paulo, 21 jul. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Uma guerra declarada. In: Revista Trip, 20 jul. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Fominhas da rede agitam-se com o Google+. In: Folha de São Paulo,
18 jul. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Transmissão ao vivo abre caminhos na rede. In: Folha de São Paulo,
11 jul. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Reação a cracker pode punir usuário comum. In: Folha de São Pau-
lo, 04 jul. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Universidade brasileira se fecha para o mundo. In: Folha de São
Paulo, 27 jun. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Moeda virtual permite anonimato na rede. In: Folha de São Paulo,
20 jun. 2011.

168 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 168 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

LEMOS, Ronaldo. Hiper-Realidade. In: Revista Trip, 15 jun. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Universities in Brazil are too closed to the world, and that’s bad for
innovation. In: Princeton University Freedom to Tinker, Princeton, 15 jun. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Mistura entre real e virtual é tendência. In: Folha de São Paulo, 13
jun. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Mistura de Turmas é problema nas redes. In: Folha de São Paulo,
06 jun. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Protestos em Madri começaram na rede. In: Folha de São Paulo, 30
maio 2011.

LEMOS, Ronaldo. Milionário russo comprou parte da MPB. In: Folha de São Paulo,
25 maio 2011.

LEMOS, Ronaldo. Skype começou pirata e agora é da Microsoft. In: Folha de São Pau-
lo, 16 maio 2011.

LEMOS, Ronaldo. Obama usa humor da internet em discurso. In: Folha de São Paulo,
09 maio 2011.

LEMOS, Ronaldo. Metric aponta para o futuro da musica. In: Folha de São Paulo, 02
maio 2011.

LEMOS, Ronaldo. Números da pirataria precisam de análise. In: Folha de São Paulo,
25 abr. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Como seus dados são monitorados na internet. In: Folha de São
Paulo, 18 abr. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Aquela nuvem que passa. In: Revista Trip, 13 abr. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Jovem escritora fica milionária na internet. In: Folha de São Paulo,
11 abr. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Google perde batalha para digitalizar livros. In: Folha de São Paulo,
04 abr. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Guerra ameaça encurtadores de sites. In: Folha de São Paulo, 04 abr. 2011.

FGV DIREITO RIO 169

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 169 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

LEMOS, Ronaldo. Nova cena musical reescreve o passado. In: Folha de São Paulo, 21
mar. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Ministra enfrenta fogo cruzado na internet. In: Folha de São Paulo,
14 mar. 2011.

LEMOS, Ronaldo. A Legacy at Risk: How the new Ministry of Culture in Brazil reversed
its digital agenda. In: Princeton University Freedom to Tinker, 14 mar. 2011.

LEMOS, Ronaldo. O mistério do E-Cad. In: Revista Trip, 10 mar. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Domínio público deve ser levado a sério. In: Folha de São Paulo, 28
fev. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Jovens impulsionam mudanças políticas. In: Folha de São Paulo, 21
fev. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Interiornet. In: Revista Trip, 15 fev. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Visto como nicho, game é cultura. In: Folha de São Paulo, 14 fev. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Internet ajuda revolução a ser televisionada. In: Folha de São Paulo,
07 fev. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Hits do verão chegam pela internet. In: Folha de São Paulo, 31 jan. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Brazilian Communications Agency Moves Towards Surveillance Su-


perpowers. In: Princeton University Freedom to Tinker, 31 jan. 2011.

LEMOS, Ronaldo. O futuro da TV na plataforma internet. In: Folha de São Paulo, 24


jan. 2011.

LEMOS, Ronaldo. O fim da internet como a conhecemos. In: Folha de São Paulo, 17
jan. 2011.

LEMOS, Ronaldo. Boas-vindas à nova ministra da cultura. In: Folha de São Paulo, 03
jan. 2011.

170 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 170 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.23 SÉRGIO BRANCO

BRANCO, Sérgio. Dividido entre a rotina de professor, pesquisador e advogado. In: O


Globo online. Disponível em: http://oglobo.globo.com/emprego/diario-de-carreira-di-
vidido-entre-rotina-de-professor-pesquisador-advogado-2772879, 10 de maio de 2011.

BRANCO, Sérgio. A difícil tarefa de seduzir os alunos. In: O Globo online. Disponível
em: http://oglobo.globo.com/emprego/diario-de-carreira-dificil-tarefa-de-seduzir-os-
alunos-2771986, 11 de maio de 2011.

BRANCO, Sérgio. O prazer de dar aula nos primeiros períodos da graduação. In: O Glo-
bo online. Disponível em: http://oglobo.globo.com/emprego/diario-de-carreira-prazer-
de-dar-aula-nos-primeiros-periodos-da-graduacao-2771385, 12 de maio de 2011.

BRANCO, Sérgio. Um casamento difícil de desfazer. In: O Globo online. In: http://oglo-
bo.globo.com/emprego/diario-de-carreira-um-casamento-dificil-de-desfazer-2769051,
16 de maio de 2011.

BRANCO, Sérgio. Ser advogado em um mundo digital. In: O Globo online. In: http://
oglobo.globo.com/emprego/diario-de-carreira-ser-advogado-em-um-mundo-digi-
tal-2769243, 17 de maio de 2011.

BRANCO, Sérgio. A formação não jurídica dos advogados. In: O Globo online. http://
oglobo.globo.com/emprego/diario-de-carreira-formacao-nao-juridica-dos-advoga-
dos-2768705, 18 de maio de 2011.

BRANCO, Sérgio. A busca pela precisão. In: O Globo online. Disponível em: http://
oglobo.globo.com/emprego/diario-de-carreira-busca-pela-precisao-2768040, 19 de
maio de 2011.

BRANCO, Sérgio. A edição de filmes e a elaboração de trabalhos acadêmicos. In: O Glo-


bo online. Disponível em: http://oglobo.globo.com/emprego/diario-de-carreira-edicao-
de-filmes-a-elaboracao-de-trabalhos-academicos-2767591, 20 de maio de 2011.

BRANCO, Sérgio. A relação simbiótica que vem se construindo entre os jovens e a


tecnologia. In: O Globo online. Disponível em: http://oglobo.globo.com/emprego/
diario-de-carreira-relacao-simbiotica-que-vem-se-construindo-entre-os-jovens-a-tecno-
logia-2767218, p s/n, 23 de maio de 2011.

BRANCO, Sérgio. Chega a hora da despedida. In: O Globo online. Disponível em:
http://oglobo.globo.com/emprego/chega-hora-da-despedida-2766120, 24 de maio de
2011.

FGV DIREITO RIO 171

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 171 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.24 SÉRGIO GUERRA

GUERRA, Sérgio. Função normativa das agências regu-


ladoras: uma nova categoria de direito administrativo? In:
Revista Direito GV, v.7, p.131-152, 2011.

A realidade econômica e tecnológica não pode ser explicitada completamente em


normas; elas dependem, basicamente, da realidade social e econômica do momento.
Devem ser levadas em consideração tanto as razões passadas quanto os efeitos prospecti-
vos. Além dessas considerações, há inúmeros termos técnicos empregados nas normas de
cunho econômico, muitos deles com grande indeterminação, e, por isso, necessitam de
certa margem de apreciação diante do caso concreto. Registre-se ainda a necessidade de
periódicas reformas regulatórias, notadamente em atividades econômicas que abrangem
oscilações de mercado e muitos componentes tecnológicos. Este artigo examina essas
questões sob o ponto de vista dogmático da competência das agências reguladoras para a
edição de normas que contemplem nova fase do direito administrativo.

172 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 172 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.24 SÉRGIO GUERRA

GUERRA, Sérgio. Discricionariedade administrativa e


sua transformação no Estado democrático de Direito. In:
Revista da Faculdade de Direito Cândido Mendes, v.16,
p.205-228, 2011.

O conceito doutrinário de discricionariedade administrativa é objeto de constante


divergência na academia, estando longe de ser uníssono. Contudo, o estudo da discri-
cionariedade é de suma importância para o direito, em especial o direito administrativo.
Esse artigo se propõe a identificar as críticas desse instituto e como compatibilizar essa
ampliação do direito de participação administrativa sobre os destinos da sociedade com
a necessária contenção do arbítrio em respeito ao “sobreprincípio” da dignidade da pes-
soa humana.

FGV DIREITO RIO 173

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 173 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.24 SÉRGIO GUERRA

GUERRA, Sérgio. Uma nova governança para as agências reguladoras. In: Valor Econô-
mico — São Paulo, p.A12-A12, 18 ago. 2011.

GUERRA, Sérgio. Concessionárias públicas e aplicação do CDC. In: Valor Econômico


— SP, Opinião Jurídica, p.1-1, 06 maio 2011.

GUERRA, Sérgio. Entrevista — Depois de 15 anos, papel das agências ainda gera dúvi-
das. In: Jornal Valor Econômico, São Paulo, 18 abr. 2011.

GUERRA, Sérgio. Pedágio ambiental e a visão do Poder Judiciário. In: Conjuntura


Econômica (Rio de Janeiro), v.65, p.44-45, 2011.

GUERRA, Sérgio. Poder Judiciário e o controle da atuação regulatória. In: Conjuntura


Econômica (Rio de Janeiro), v.64, p.50-51, 2011.

GUERRA, Sérgio. Os limites da atuação do Cade e o Poder Judiciário. In: Conjuntura


Econômica (Rio de Janeiro), v.65, p.44-45, 2011.

GUERRA, Sérgio. Ministério Público, Tribunal de Contas e Agências Reguladoras: no-


vos poderes? In: Conjuntura Econômica (Rio de Janeiro), v.65, p.64-65, 2011.

174 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 174 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.25 TANIA ABRÃO RANGEL

FALCÃO NETO, J. A.; RANGEL, Tania Abrão. A ela-


boração legislativa e a interpretação judicial da lei da fi-
cha limpa. In: Interesse Nacional, v.3, p.24-29, 2011.

Os professores da FGV analisam o processo de elaboração da Lei da Ficha Limpa


e o seu processo de interpretação pelo Supremo. No Congresso, o projeto chegou pela
iniciativa popular, o que já o diferenciou da maioria dos projetos de lei em andamento.
Com mobilização social, transparência e publicidade do processo de elaboração a lei foi
aprovada. A aprovação da lei não foi suficiente para a sua implementação no país todo.
Ao aplicá-la houve divergências. O Supremo, assim como o Congresso, outrora, se tor-
nou o ator principal.

FGV DIREITO RIO 175

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 175 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.26 THIAGO BOTTINO DO AMARAL

AMARAL, Thiago Bottino do. Coragem para mudar. In:


Boletim IBCCRIM, v.226, p.17-18, 2011.

O texto tem como pano de fundo o trabalho de pesquisa realizado por uma equipe
de professores e alunos da FGV DIREITO RIO e coordenado pelo signatário. A pes-
quisa foi desenvolvida atendendo o edital público lançado pela Secretaria de Assuntos
Legislativos do Ministério da Justiça no âmbito do projeto Pensando o Direito.
O artigo tem como objetivo apresentar contribuições à discussão atual sobre a re-
forma das medidas cautelares patrimoniais, tomando por base as seguintes premissas: o
combate eficaz à criminalidade deve tornar a atividade ilícita não lucrativa; o combate
eficaz à criminalidade não pode prescindir do respeito às garantias constitucionais; os
bens não podem sofrer depreciação e sua manutenção não pode onerar o Poder Público;
é preciso ousar, criando-se novos institutos ao invés de reproduzir as fórmulas desgasta-
das que existem hoje.
No texto é ressaltado o fato de que nos últimos 70 anos não foram feitas modifica-
ções substanciais no regime das medidas cautelares patrimoniais previstas no CPP. Essa
“desatualização” pode indicar as razões pelas quais as atuais medidas cautelares não são,
praticamente, aplicadas. A ineficácia do atual regime alimenta a preferência dos juízes
por mecanismo de lege ferenda, traduzido pela demanda pela aplicação de um “poder
geral de cautela”. Por fim, o autor cita inovações que ele considera necessárias para uma
melhora nesse regime.

176 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 176 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

3.26 THIAGO BOTTINO DO AMARAL

AMARAL, Thiago Bottino do. Juiz natural para avaliar cautelares é o que faz o plantão.
In: Folha de São Paulo, São Paulo, p.A3-A3, 02 nov. 2011.

AMARAL, Thiago Bottino do. Sem poder de editar normas, CNJ corre risco de se
transformar em um “enfeite”. In: Folha de São Paulo, São Paulo, p.A4-A4, 28 set. 2011.

AMARAL, Thiago Bottino do; FALCÃO, Joaquim. Processo do mensalão entra agora
em seu terceiro tempo. In: Folha de São Paulo, São Paulo, p.A3-A3, 09 jul. 2011.

FGV DIREITO RIO 177

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 177 04/12/12 17:22


Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 178 04/12/12 17:22
ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

4. ANAIS DE EVENTOS

FGV DIREITO RIO 179

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 179 04/12/12 17:22


Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 180 04/12/12 17:22
ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

4.1 ANTÔNIO JOSÉ MARISTRELLO PORTO

PORTO, Antônio José Maristrello. Brazilian Perspectives on Privacy in the Context of


Credit Reporting. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

NOGUEIRA, R.; PORTO, Antônio José Maristrello. Industrial Policy: Opportunity to


Innovate with Responsibility. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

PORTO, Antônio José Maristrello; THEVENARD, Lucas. Economia Comportamen-


tal e Contratos de Adesão. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

PORTO, Antônio José Maristrello. Direito e Inflação. 2011. (Apresentação de Traba-


lho/Conferência ou palestra).

PORTO, Antônio José Maristrello. A Visão do Brasileiro Sobre o Cadastro Positivo.


2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

PORTO, Antônio José Maristrello. Cadastro Positivo. Perspectivas dos históricos de


crédito no Brasil. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

PORTO, Antônio José Maristrello; NOGUEIRA, R.. Whose beef are our workers sub-
sidizing? 2011. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

PORTO, Antônio José Maristrello. Por que Direito & Economia. 2011. (Apresentação
de Trabalho/Conferência ou palestra).

THEVENARD, Lucas; PORTO, Antônio José Maristrello. Consumer Biases and Fairness
in Standard Form Adhesion Contracts. 2011. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

PORTO, Antônio José Maristrello. Two Legal Systems and One Investment Decision
— An Empirical Approach. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

FGV DIREITO RIO 181

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 181 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

4.2 CARINA COSTA OLIVEIRA

OLIVEIRA, C. C. Desafios para a Rio + 20. Palácio da Cidade, Brasil, Rio de Janeiro,
23 de novembro de 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

OLIVEIRA, C. C. Proposta de um diálogo entre atores públicos e privados para a Rio +


20. Auditório Elis Regina — Parque Anhembi, Brasil, São Paulo, 5 de agosto de 2011.
(Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

OLIVEIRA, C. C. Solutions apportées par le droit international privé à la responsabili-


sation insuffisante des entreprises dans le cas des dommages environnementaux interna-
tionaux. Limoges, França, 25 de junho de 2011. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

182 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 182 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

4.3 CARLOS AFFONSO PEREIRA DE SOUZA

SOUZA, Carlos Affonso Pereira de. Propriedade Intelectual e Globalização: o caso dos
nomes de domínio. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

SOUZA, Carlos Affonso Pereira de; DONEDA, Danilo Maganhoto. Marco Civil da In-
ternet Brasileira: Liberdade de Expressão, Privacidade e Responsabilidade. 2011. (Apre-
sentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

SOUZA, Carlos Affonso Pereira de. Reprografia e Reforma da Lei de Direito Autorais.
2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra)

SOUZA, Carlos Affonso Pereira de. Marco Civil: la creación colaborativa de una ley
sobre Internet en Brasil. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

SOUZA, Carlos Affonso Pereira de. Revoluciones Sociales: el papel de los social media.
2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

SOUZA, Carlos Affonso Pereira de. The Right to Privacy in the Brazilian Civil Rights
Framework. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

SOUZA, Carlos Affonso Pereira de. To Regulate or Not To Regulate the Internet, is that
the question? 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

SOUZA, Carlos Affonso Pereira de. Upgrading the Legislative Process: Brazilian ex-
perience on the use of internet to improve public participation in the creation of Bills.
2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

SOUZA, Carlos Affonso Pereira de; Ferraz, Joana Varon. Internet Filtering in Latin
America. 2011. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

SOUZA, Carlos Affonso Pereira de. Direito Autoral, Domínio Público e Novas Tecno-
logias. 2011. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

SOUZA, Carlos Affonso Pereira de. Mais do que tecnologia, é o que você faz com ela.
2011. (Apresentação de Trabalho/Outra).

SOUZA, Carlos Affonso Pereira de; Ferraz, Joana Varon. Filtrado de Contenido en In-
ternet. 2011. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

FGV DIREITO RIO 183

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 183 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda; SOUZA, Carlos Affonso Pereira de; NEVES,
Rômulo Milhomem Freitas Figueira. Wikileaks e Direitos Fundamentais na Internet.
2011. (Apresentação de Trabalho/Outra).

SOUZA, Carlos Affonso Pereira de. Inovação Aberta, Colaboração Criativa e Liberdade
na Internet. 2011. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

SOUZA, Carlos Affonso Pereira de. Internet e Acesso ao Conhecimento. 2011. (Apre-
sentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

SOUZA, Carlos Affonso Pereira de. Um momento constitucional para a internet brasi-
leira. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

SOUZA, Carlos Affonso Pereira de. Nomes de Domínio e Governança da Internet.


2011. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

184 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 184 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

4.4 CARLOS EMMANUEL JOPPERT RAGAZZO

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert (organizador). Rodadas de Concorrência e Re-


gulação. 2011. (Outro).

RAGAZZO, Carlos Emmanuel Joppert (organizador). 2a Rodadas de Concorrência e


Regulação. 2011. (Outro).

III Congresso Paraibano de Direito Econômico. Direito da Concorrência e Direito ao


Desenvolvimento. 2011. (Congresso).

Seminário de Direito Econômico de Belo Horizonte. Participações Minoritárias, Influên-


cia Relevante e Coordenação: os casos Telefônica-Tim e Tupy-Polimix. 2011. (Congresso).

Escola Superior de Advocacia (OAB/DF). Ações Privadas e as Decisões do CADE. 2011.


(Seminário).

IV Ciclo de Debates do Centro de Ciências Administrativas (Unifor). Atuação do Con-


selho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) no Combate aos Cartéis. 2011.
(Seminário).

Seminário Acadêmico do Mestrado em Economia de Empresas (UCB). Propriedade


Intelectual e Concorrência: O Caso Envolvendo Peças de Reposição para Automóveis.
2011. (Seminário).

Seminário Regional Coordenadoria das Promotorias de Justiça de Meio Ambiente das


Bacias dos Rios das Velhas e Paraopeba. Técnicas de Negociação e a Atuação do Ministé-
rio Público na Resolução de Conflitos Ambientais. 2011. (Seminário).

Seminário sobre Direito, Economia e Desenvolvimento. Concorrência, Regulação e De-


senvolvimento. 2011. (Seminário).

I Seminário de Defesa da Concorrência e Regulação Econômica — OAB Ceará. Cartéis


em Licitação e a Copa de 2014. 2011. (Seminário).

17.º Seminário Internacional de Defesa da Concorrência. O CONTROLE PRÉVIO


DE ESTRUTURAS — DESAFIOS EM FACE DA NOVA LEI. 2011. (Seminário).

Seminário sobre Regulação e Concorrência em Saúde Suplementar. Definição de Mer-


cados Relevantes. 2011. (Seminário).

FGV DIREITO RIO 185

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 185 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

Workshop sobre Defesa da Concorrência e Indústria Audiovisual. Concorrência e Mí-


dia. 2011. (Outra).

Semana Acadêmica do Centro Acadêmico Hugo Simas UFPR. Advocacia da Concor-


rência no Setor de Táxis. 2011. (Outra).

Palestra de final de curso de defesa da concorrência. Concorrência e Regulação no Setor


Aéreo. 2011. (Outra).

186 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 186 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

4.5 FABIANA LUCI DE OLIVEIRA

CUNHA, L. G.; OLIVEIRA, Fabiana Luci; RAMOS, Luciana. What Kind Of Judicia-
ry Do We Want? In: Whatever Happended to North-South?, 2011, São Paulo.

Izabel Nunez; OLIVEIRA, Fabiana Luci. Notas sobre a Regularização Fundiária Urbana na
Cidade do Rio de Janeiro. In: XX Congresso Nacional do CONPEDI, 2011, Vitória, ES.

CUNHA, L. G.; OLIVEIRA, Fabiana Luci. The Justice Confidence Index in Brazil:
why, how and for whom it has been produced. In: Law and Society Association — An-
nual Meeting, 2011, San Francisco.

FGV DIREITO RIO 187

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 187 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

4.6 FELIPE DUTRA ASENSI

ASENSI, Felipe Dutra; PINHEIRO, Roseni. Governando o direito à saúde: desafio e


estratégias da interface Estado-Sociedade Civil-Instituições Jurídicas. In: V Congresso
Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde, 2011, São Paulo. Anais do V Con-
gresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas, 2011.

APRESENTAÇÃO DE TRABALHO:

ASENSI, Felipe Dutra. Direito à saúde em Portugal e Brasil: rediscutindo o papel do


judiciário. 2011. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

ASENSI, Felipe Dutra. Novos desafios para a efetivação dos direitos constitucionais.
2011. (Apresentação de Trabalho/ Conferência ou palestra).

Asensi, Felipe Dutra. Mínimo existencial e políticas públicas de saúde. 2011. (Apresen-
tação de Trabalho/Conferência ou palestra).

ASENSI, Felipe Dutra. O processo de adoecer e a integralidade no contexto SUS: pres-


supõe cuidados políticos sociais de direito à saúde?. 2011. (Apresentação de trabalho/
Conferência ou palestra).

ASENSI, Felipe Dutra. Novos desafios para os direitos constitucionais. 2011. (Apresen-
tação de Trabalho/Conferência ou palestra).

ASENSI, Felipe Dutra. Os reflexos da judicialização da saúde no cotidiano. APS. 2011.


(Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

DEBATEDOR:

ASENSI, Felipe Dutra; PINHEIRO, Roseni; AYRES, J. R.; MARTINS, P. H. Mesa-


Redonda Políticas da Vida, Direitos Humanos e Integralidade no Cuidado: reflexões
sobre o universal na saúde. 2011 (Debatedor).

ASENSI, Felipe Dutra. Comunicação Oral. Judicialização, Cidadania e Integralidade


em Saúde. 2011. (Debatedor).

188 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 188 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

ASENSI, Felipe Dutra. Comunicação Oral. Mediações, Agentes do Direito e Políticas


Específicas. 2011. (Debatedor).

ASENSI, Felipe Dutra. Poder Eletrônico. Judicialização, Agentes do Direito e Ordem


Jurídica e a Integralidade em Saúde. 2011. (Debatedor).

ASENSI, Felipe Dutra. Pôster Eletrônico. Planos, Políticas e Poderes: Interface entre
Saúde, Justiça e Legislativo. 2011. (Debatedor).

FGV DIREITO RIO 189

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 189 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

4.7 FERNANDO DE CASTRO FONTAINHA

FONTAINHA, Fernando de Castro. The Strategic Dimension of Legal Teaching: The


Debriefing of a Role-play Activity to Prepare an Oral Exam. In: Socio-Legal Studies
Association Conference, 2011, Brighton: SLSA, 2011.

FONTAINHA, Fernando de Castro; GERALDO, Pedro Heitor Barros. L’évolution


contemporaine du système politique brésilien: développements récents. 2011. Local:
Montpellier, França; Evento: Politique Comparée des Pays du Sud; Inst. promotora/
financiadora: Université de Montpellier 1.

FONTAINHA, Fernando de Castro. Da Sociologia Política à Sociologia Jurídica, da


França ao Brasil: a prática da minienquete como instrumento pedagógico. In: I Semi-
nário Interdisciplinar em Sociologia e Direito, 2011, Niterói. CD-ROM Caderno de
Artigos, 2011.

FONTAINHA, Fernando de Castro. Um pesquisador na EMERJ: a negociação de uma


postura de pesquisa em um mundo institucionalizado. In: XX Encontro Nacional do
CONPEDI, 2011, Belo Horizonte. Anais do XX Encontro Nacional do CONPEDI.
Florianópolis: Fundação Boiteux, 2011. p. 1952-1973.

190 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 190 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

4.8 JOÃO FELIPE RAMMELT SAUERBRONN

SAUERBRONN, J. F. R., LODI, M. D. F. Construção da Imagem Institucional do


Poder Judiciário — Uma Análise Baseada nas Campanhas Publicitárias do Conselho
Nacional de Justiça In: XXXV Enanpad, 2011, Rio de Janeiro.

SAUERBRONN, J. F. R., BARROS, D. F., STREHLAU, Suzane, COSTA, A. M. Eight


Ways to Justify Bad Behavior — A Study of Downloading Music as Deviant Behavior
and the Techniques of Neutralization Used by the Consumer. In: 7th International Cri-
tical Management Studies Conference, 2011, Nápoles.

SAUERBRONN, F. F., SAUERBRONN, J. F. R. O Gestor Público e a Teoria do Me-


dalhão: um Caso de Ensino sobre a Formação de Competências a partir de um Conto
de Machado de Assis In: III Encontro de Ensino e Pesquisa em Administração e Con-
tabilidade/EnEPQ, 2011, João Pessoa. (Trabalho indicado ao prêmio de melhor artigo
do encontro).

LEAL, J. L. S., SAUERBRONN, J. F. R. Modernização da Justiça como Fator Promotor


da Eficiência do Poder Judiciário de Rondônia: Um estudo de Caso In: IV Congresso
CONSAD de Gestão Pública, 2011, Brasilia.

CUNHA, L. D., SAUERBRONN, J. F. R. Um Experimento Sobre Intenção de Com-


pra e Atitude Frente à Propaganda de Jovens e o Uso de Apelos Sexuais em Propagandas
de Cerveja In: II Encontro Nacional de Administração e Ciências Contábeis — AdCont
2011, 2011, Rio de Janeiro.

ZEFERINO, C. D., SAUERBRONN, J. F. R., CERCHIARO, I. B. Algumas Consi-


derações a Respeito da Resistência à Implantação da Administração de Projetos em uma
Empresa Brasileira In: II Encontro Nacional de Administração e Ciências Contábeis —
AdCont 2011, 2011, Rio de Janeiro.

ZEFERINO, C. D., SAUERBRONN, J. F. R., CERCHIARO, I. B. Aspectos do Com-


portamento Organizacional Relacionados à Resistência à Mudança e suas Influências na
Administração de Projetos In: Encontro de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho
2011, João Pessoa.

FGV DIREITO RIO 191

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 191 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

4.9 JOAQUIM DE ARRUDA FALCÃO NETO

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda; FELIX, L. P. M. Educação Jurídica: Causuística


no Século XXI. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. A ética na administração pública: juízos éticos e


decisões jurídicas. 2011. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Juízos Éticos e Decisões Jurídicas na Administra-


ção Pública. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda; FRAGALE, R.; FONSECA, F. Reconhecimen-


to, redistribuição e participação popular: por uma política judicial integradora. 2011.
(Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. A verdade dos números do Supremo. 2011.


(Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. A montagem do curso de formação iniciação de


magistrados. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

FALCÃO NETO, Joaquim de Arruda. Pesquisa Jurídica: Necessidade e Implementação


na Graduação? 2011. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

XII Seminário de Ética na Gestão: Ética, Política e Verdade. A ética na administração


pública: juízos éticos e decisões jurídicas. 2011. (Seminário).

II Seminário de Educação Jurídica — Necessidades Sociais e Expectativas da Educação


Jurídica de Qualidade. Pesquisa Jurídica: Necessidade e Implementação na Graduação?
2011. (Seminário).

II Encontro WMF Martins Fontes de Filosofia do Direito. Educação Jurídica: Causuís-


tica no Século XXI. 2011. (Encontro).

Encontro Nacional do Judiciário sobre Capacitação Judicial. A montagem do curso de


formação iniciação de magistrados. 2011. (Encontro).

192 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 192 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

4.10 MARCELO RANGEL LENNERTZ

LENNERTZ, M. R. Developing Legal Clinics in Brazil: Remarks on FGV DIREITO


RIO’s Experience. In: IALS Conference on Teaching, Legal Education and Strategic
Planning, Buenos Aires, 13 a 15 de abril de 2011.

FGV DIREITO RIO 193

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 193 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

4.11 MELINA DE SOUZA ROCHA LUKIC

LUKIC, Melina de Souza Rocha. Os benefícios do ICMS-Importação no Estado de


Santa Catarina: (in)constitucionalidade e fraude à jurisdição. In: XXV Congresso Brasi-
leiro de Direito Tributário: Sistema Constitucional Tributário. São Paulo: IDEPE, 2011.
p.79-96.

194 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 194 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

4.12 PAULA ALMEIDA WOJCIKIEWICZ

WOJCIKIEWICZ ALMEIDA, P. ; FREITAS C. C. As Lacunas da Proteção dos Traba-


lhadores Imigrantes no Âmbito da OEA: a contribuição da CIDH e da Corte IDH. In:
Estudos de Direito Internacional, vol. XXI, 9º Congresso Brasileiro de Direito Interna-
cional, 2011.

WOJCIKIEWICZ ALMEIDA P. LA VISION BRÉSILIENNE DE LA RESPONSA-


BILITÉ DE PROTEGER: DE LA “NON INDIFFERENCE” À LA “PROTECTION
RESPONSABLE”. In: La responsabilité de protéger, dans le cadre des Rencontres des
académies et instituts diplomatiques sur “la gestion des crises internationales”, École na-
tionale d’administration (ENA), en partenariat avec l’Organisation internationale de la
francophonie, l’Académie diplomatique internationale et le Ministère des affaires étran-
gères et européennes, Paris, 21-24 mar. 2012.

FGV DIREITO RIO 195

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 195 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

4.13 PAULA SPIELER

SPIELER, P. B.; Campos, M. O caso La Oroya: a importância do acesso à informação


para a proteção de outros direitos humanos. In: 9o Congresso Brasileiro de Direito Inter-
nacional, 2011, Brasília. Estudos de Direito Internacional. Curitiba: Juruá, 2011. vXXI.

196 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 196 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

4.14 ROBERTO DA SILVA FRAGALE FILHO

FRAGALE FILHO, Roberto. Padrões éticos e identidade profissional advocatícia: exa-


me preliminar da atuação disciplinar da OAB. In: XV Congresso Brasileiro de Sociolo-
gia, 2011, Curitiba (PR).

FRAGALE FILHO, Roberto. O Conselho Nacional de Justiça e seus possíveis impactos


institucionais. In: 35º Encontro anual da ANPOCS, 2011, Caxambu (MG). Anais do
35º Encontro Anual da ANPOCS. São Paulo (SP): ANPOCS, 2011.

FGV DIREITO RIO 197

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 197 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

4.15 RÔMULO SILVEIRA DA ROCHA SAMPAIO

CASSUTO, D.; SAMPAIO, R. S. R.. Keeping It Legal: Transboundary Management


Challenges Facing the Guarani. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

SAMPAIO, R. S. R.; SAMPAIO, P. R. P.; FREITAS, C.. Considerações acerca da juris-


prudência do Supremo Tribunal Federal em matéria ambiental. 2011. (Apresentação de
Trabalho/Conferência ou palestra).

198 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 198 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

4.16 RONALDO LEMOS

LEMOS, Ronaldo. Alternative Compensation Systems. 2011. (Apresentação de Traba-


lho/Conferência ou palestra).

LEMOS, Ronaldo. Como regular el acceso al internet y la circulacion del conocimiento?


2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

LEMOS, Ronaldo. Creation of a Copyright Music Registry in Brazil. 2011. (Apresenta-


ção de Trabalho/Conferência ou palestra).

LEMOS, Ronaldo. Criatividade, Tecnologia e Políticas Públicas. 2011. (Apresentação


de Trabalho/Conferência ou palestra).

LEMOS, Ronaldo. Desenvolvimento e a experiência em Harvard. 2011. (Apresentação


de Trabalho/Conferência ou palestra).

LEMOS, Ronaldo. Moda, Propriedade Intelectual e Novos Territórios. 2011. (Apresen-


tação de Trabalho/Conferência ou palestra).

LEMOS, Ronaldo. Educação e Pesquisa no Brasil. 2011. (Apresentação de Trabalho/


Conferência ou palestra).

LEMOS, Ronaldo. Dossiê Universo Jovem. 2011. (Apresentação de Trabalho/Confe-


rência ou palestra).

LEMOS, Ronaldo. Las TIC’s para el Desarollo en América Latina. 2011. (Apresentação
de Trabalho/Conferência ou palestra).

LEMOS, Ronaldo. Media Piracy in Emerging Economies — the case of Brazil. 2011.
(Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

LEMOS, Ronaldo. NATO’s role in Cyberspace. 2011. (Apresentação de Trabalho/Con-


ferência ou palestra).

LEMOS, Ronaldo. Privacidade na Internet: do Marco Civil à publicidade comporta-


mental. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

LEMOS, Ronaldo. Tecnologia e Democracia. 2011. (Apresentação de Trabalho/Confe-


rência ou palestra).

FGV DIREITO RIO 199

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 199 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

LEMOS, Ronaldo. The Global Challenge of Mandatory Data Retention Schemes.


2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

LEMOS, Ronaldo. The Power of Open: Educação e Acesso à Cultura no Brasil. 2011.
(Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

LEMOS, Ronaldo. The Past and Present of Digital Policies: the Brazilian take on In-
tellectual Property, Privacy, Culture, and Innovation. 2011. (Apresentação de Trabalho/
Conferência ou palestra).

LEMOS, Ronaldo. The Art of Delicacy: Delicacy as a protocol to incorporate the other.
2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

200 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 200 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

4.17 SÉRGIO GUERRA

VII Fórum Brasileiro sobre Agências Reguladoras. Limites de Atuação das Agências re-
guladoras na disciplina da propaganda de produtos comerciais: poder de polícia. 2011.
(Congresso).

VII Fórum Brasileiro de Controle da Administração Pública. Controle da Discriciona-


riedade Administrativa. 2011. (Congresso).

VII Congresso Brasileiro de Regulação. A Visão do Ministério Público e dos Tribunais


de Contas no Contexto da Regulação. 2011. (Congresso).

III Congresso Brasiliense de Direito Administrativo. Controle das Políticas Públicas e


Impacto Orçamentário. 2011. (Congresso).

IV Congresso Estadual de Direito Administrativo do Rio de Janeiro. Maleabilidade


Normativa à luz do Direito Administrativo Econômico. 2011. (Congresso).

Congresso Brasileiro Direito e Sustentabilidade. Regulação e Sustentabilidade. 2011.


(Congresso).

Encontro de Comunicação: Construindo a Imagem Institucional do Poder Judiciário.


Mesa de Abertura do Evento. 2011. (Seminário).

Ciclo de Palestras FGV Projetos. A Nova Organização Pública Brasileira: do modelo


piramidal à estrutura em rede. 2011. (Seminário).

Ciclo de Palestras FGV — Brasília. Organização Pública Brasileira e Suas Funções Neu-
trais. 2011. (Seminário).

Seminário INVEPAR. Regulação das Parcerias Público-Privadas. 2011. (Seminário).

O PAPEL DAS AGÊNCIAS REGULADORAS. A Lei das Agências — PL 3337/2004


— Limites, avanços e perspectivas. 2011. (Seminário).

Ciclo de Palestras FGV — Brasília. Agências Reguladoras e o Controle Judicial dos seus
Atos. 2011. (Encontro).

FGV DIREITO RIO 201

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 201 04/12/12 17:22


ANUÁRIO DE PUBLICAÇÕES 2011

4.18 THIAGO BOTTINO DO AMARAL

AMARAL, Thiago Bottino do. Coragem para mudar. In: 17º Seminário Internacional
do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais, 2011, São Paulo. Boletim do IBCCRIM.
São Paulo: IBCCRIM, 2011. v.226. p.17-18.

202 FGV DIREITO RIO

Anuario de publicacoes 2011 v2.indd 202 04/12/12 17:22