Você está na página 1de 13

Aula 00

Hardware
. Computador = conjunto de circuitos e componentes integrados (hardware)
que podem executar operações em função de uma série de aplicações (software),
orientados pela interação com o usuário (peopleware).
. Hardware = componentes físicos do computador; Software = componentes
lógicos, i.e., programas e aplicativos.
. Von Neumann (1903 – 1957) arquitetou a estrutura básica do
funcionamento dos computadores:
(1) dispositivo de entrada, i.e., teclado/mouse, que fornecerão infos ao PC
ou dispararão processos, sendo que seus resultados são percebidos pelo
dispositivo de saída (monitor, impressora);
(2) Uma unidade de memória, não qual dados e instruções são
armazenados;
(3) Uma CPU (central processing unit ou processador), que será o cérebro
do sistema, existindo dentro dela uma ULA (unidade lógica aritmética, capaz de
realizar cálculos) e uma Unidade de Controle (coordena a comunicação entre o
CPU e os componentes externos a ela.

Componentes do computador
Placa-mãe
. Conceito: conjunto de circuitos integrados, organizados em uma placa,
integrando o CPU e todos os componentes do computador.
Embora as placas-mãe difiram entre si, há características comuns:
. Chipset -> auxilia o controle de tráfego na placa-mãe -> há dois
controladores: (1) chipset ponte norte, controla tráfego entre processador / placa
de vídeo / memória ram, sendo que o FSB (Front Side Bus) é o barramento que
comunica a Northbridge com o CPU, i.e. 1 , a ponte norte é crucial para o
desempenho do PC; (2) chipset ponte sul, controla acesso ao disco rígido (HD) /
componentes onboard da placa-mãe / demais dispositivos conectados ao slot da
placa-mãe, i.e., ponte sul determina conexões de USB, SATA, PCI, etc.
. BIOS (Basic Input / Output System – Sistema Básico de Entrada e Saída) -
> é um programa (software) pré-gravado pelo fabricante da placa-mãe e colocado
na memória ROM (permanente) da placa-mãe -> quando o PC liga, é a BIOS que
inicializa e verifica os hardwares da máquina, só após é que iniciará o Sistema
Operacional.
. CMOS (Complementary Metal-Oxide Semiconductor) -> memória
complementar, que guarda infos para a BIOS funcionar -> usa bateria de relógio,
para manter mesmo com o computador desligado.

Unidade Central de Processamento (CPU)


. É um chip (circuito integrado), acoplado à placa-mãe, responsável por
todos os cálculos do computador, processando dados, executando instruções em

1
São componentes integrados à própria placa. Reduzem custos, mas têm desempenho menor que
componentes offboard.
memória e integrando todos os componentes da máquina. É o “cérebro” do
computador.

Componentes:
. UC = unidade de controle = busca das instruções contidas na memória.
. ULA = unidade de lógica e aritmética = cálculo propriamente dito /
decodificação / interpretação.
. Registradores -> auxiliam nos cálculos.

. A velocidade de comunicação entre esses componentes é a comunicação


com a memória cache é medida em ciclos por segundo (hertz – hz).
. Um processador de 10 GHz esquentaria demais, motivo que as produtoras
de processadores arrumaram um jeito de aumentar o desempenho, que é
aumentar o número de processadores por chip -> por isso, os processadores se
mantêm em 2 ghz a 4 ghz como anos atrás, mas agora são processadores
multicore (dualcore etc).
. Os processadores trabalham com um conjunto limitado de instruções, o
que divide os processadores em dois tipos: RISC (reduced instruction set
computer -> pequeno conjunto de instruções, mais difícil aos programadores) e
CISC (complex instruction set computer -> o contrário do outro) -> na prática, os
processadores usam um misto dos dois, o sistema RCISC.
. Arquitetura x86 = 32 bits, enquanto arquitetura x64 = 64 bits -> operando
em binário os 32 bits, o processador consegue alcançar 2^32, i.e., 4GB de
memória ram, no máximo -> 64 bits permite 16TB de memória ram -> artquiteturas
de 64 bits são retrocompatíveis com hardware de 32 bits.
. Bit (binary digit – B minúsculo) = menor unidade de informação -> ou seja,
1 bit só pode assumir somente dois valores, 0 ou 1, corte ou passagem de
energia, respectivamente. Byte (B maiúsculo) = 8 bits. 1 mega = 1000 bits. 1000
mega = 1 gb.
. Clock da memória = velocidade com a qual o processador troca dados
com a memória ram.
. Memória cache = troca dados com o processador na velocidade do próprio
processador.
. Processadores ARM (advanced risc machine) são utilizados em
processadores e tablets.

Memória / dispositivos de armazenamento

.
. Registradores -> memórias de altíssima velocidade integradas ao
processador, realizando cálculos na ULA -> são voláteis, i.e., só armazenam
informações quando energizados, ou seja, PC ligado.
. Memória cache -> memória intermediária entre o processador e a ram,
retém os blocos de instruções mais usados próximos ao processador, diminuindo
a necessidade de acesso à ram -> memória cache pode ser L1, L2 e L3. O
processador busca a info na L1, se não acha vai na L2, depois L3, se não
encontra, vai na memória ram.

Memória de acesso aleatório (random acess memory – RAM)


. Responsável por armazenar tudo que está em execução quando o
computador está ligado, i.e., também é uma memória volátil. Recebe pequenos
pulsos elétricos com frequência para preservar dados.
. Dynamic ram (DRAM) é a memória utilizada como principal, aquela que
fazemos alusão quando dizemos “esse pc tem 8 gb”.
. Padrão que vigora hoje é o DDR (Double Data Rate), por causa da largura
dupla de banda, permitindo maior envio de dados por clock.
. Ex: Memória Kingston 4GB DDR3 2133 Mhz -> esses Mhz é a velocidade
que troca informações com o processador, SE o barramento da memória e o FSB
suportarem a velocidade.
. Static ram -> tipo de memória utilizada na memória cache.
. Vídeo ram -> memória própria das placas de vídeo.

Memória virtual
. O sistema operacional, ciente de que a memória física nem sempre é
suficiente para executar todos os programas, reserva no disco rígido um espaço
que funciona como prolongamento da memória ram.
. Logo quando se inicia o OS, cria-se a memória virtual. Por ficar no disco
rígido, é ainda mais lenta que a DRAM.
Memória somente leitura (memória rom)
. Memória rom (read-only memory) é um tipo de memória não-volátil que
permite apenas a leitura, i.e., suas infos são gravadas pelo fabricante uma única
vez e após isso não podem ser alteradas ou apagadas, somente acessadas.
. Exemplo: chip da BIOS na placa-mãe.
. Isso dos dados não poderem mais serem apagados não é tão verdade, há
dispositivos hoje que permitem.

Memória secundária ou auxiliar


. Armazenamento não-volátil e mais extenso de dados e infos.
. Por serem mais extensos, são mais lentos.
. Disco rígido / HDD (hard disk drive) / Winchester / HD.
. CDs, DVDs, pendrives, cartões de memória.
. HD não faz parte da memória principal! Ele é memória secundária.

EM SUMA...
. Registrador = memória do processador.
. Cache = memória dentro ou fora do processador.
. RAM = memória da placa-mãe.
. Secundária (HD) = conectado externamente.

-------

Aula 01
[Continuação componentes do computador]

Principais dispositivos de armazenamento


Disco rígido
. É o principal armazenamento secundário [risos].
. São dispositivos eletromagnéticos
. Tempo de acesso aos dados é medido pela velocidade de rotação (RPM),
além do barramento que utiliza.
[nunca olhei o RPM de um HD, bom saber disso]

Disco SSD
. SSD = solid state drive, compostos pela FEPROM (FLASH ERASABLE
PROGRAMMABLE READ ONLY MEMORY) -> chamados de “memória flash”.
. Ex: cartões de memória, pen drives, armazenamento em celulares e
tablets já vem com memória flash [cartão SSD??? Pesquisar]
. Vantagens: tempo de acesso à memória é mais rápido que meios
magnéticos ou óticos, ausência de partes eletromecânicas reduz ruídos e aguenta
mais impactos, menor peso, consumo reduzido de energia, aguenta maiores
temperaturas, taxa de transmissão de dados mais elevada que HDs.
. Por que não migramos para o SSD? Atualmente, pela questão do preço.
HDs conseguem armazenar mais por menor preço.

CD/DVD/BLU-RAY
. São as mídias óticas -> utilizam laser tanto para leitura quanto para a
gravação.
. CD ROM = somente leitura; CD-R (recordable) = pode gravar tantas vezes
até enchê-lo, mas não pode apagar; CD-RW (rewritable) = regravável -> média de
650 a 700 mb e 80 min de música.
. DVD ROM, DVD-R, DVD+R (leitura mais rápida que o anterior), DVD-RW,
DVD+RW (leitura mais rápida que anterior), DVD-RAM (funciona como um HD,
não precisa gravar para passar arquivos, tem mais vida útil) -> média de 4,7 GB
armazenamento, até 8,5 gb se for dual layer.
. BD-ROM, BD-R, BD-RE (regravável) -> 25 gb single layer, 50 gb dual
layer.

Unidades de medida
. Quando uma foto aparece no PC, é a ULA realizando operações
matemáticas, i.e., a foto é armazenada como uma sequência de “0s” e “1s”.
. 1 bit = pode ser 0 ou 1.
. O byte (8 bits) teve importância pelo código ASCII, pois a variação dentro
de um byte (entre 00000000 e 11111111) é possível criar 256 combinações,
sendo o suficiente para criar 256 caracteres do alfabeto e símbolos.
. Assim, não confunda, o byte acabou ficando mais famoso que o bit.

. Os provedores sabem disso e anunciam suas velocidades em bits por


segundo, não bytes. Assim, quando o provedor fala em “30 mega”, ele está
falando em 30Mbps (megabits) e não 30MBps (megabytes).

Barramentos (bus)
. Conceito: conjunto de condutores por onde trafegam sinais que efetivam a
comunicação entre componentes de um computador.

Barramentos de sistema
. Conceito: barramento principal, envolvendo o FSB e a memória principal.
Pode ser dividindo em três outros barramentos:
. Barramento de endereços -> envio dos endereços das posições de
memória.
. Barramento de controle -> envio de sinais de controle da CPU e demais
componentes.
. Barramento de dados -> tráfego de dados e instruções propriamente ditos,
dos programas em execução no computador.

Barramentos de entrada e saída, ou expansão


. Conceito: comunicam o processador e demais componentes do micro.
Divididos em:
. Barramentos internos -> ligam os componentes aos periféricos INTERNOS
ao gabinete/tablet/notebook, p. ex. placas de vídeo, rede, leitor de blu-ray, são os
chamados slots da placa-mãe.
. Barramentos externos -> conectam o computador a periféricos externos ao
mesmo, p. ex. mouse, teclado, monitor, impressora. Também se chamam portas
de comunicação.

Padrões de barramentos (diferentes formatos para efetuar a


comunicação entre os componentes)
ISA (Industrial Standard Architecture)
. Barramento ultrapassado, padronizado em 1981 pela IBM.

PCI (peripheral componente interconnect)


. Desenvolvido pela Intel nos anos 90, também já está ultrapassado.
. Foi um sucesso porque tinha velocidade superior e era compatível com o
plug and play.

AGP (accelerated graphics port).


. Lançado em 1997 pela Intel, surgiu pela necessidade das placas de vídeo,
mas hoje está ultrapassado.

PCI-Express (PCIe ou PCI-Ex)


. Criado em 2004 pela Intel, é o slot padrão das máquinas atuais, estando
em franca evolução.
. Por exemplo, o PCI express 16x alcança velocidades de até 4GB/s.

IDE-ATA (integrated drive electronics ou advanced technology attachment)


. Padrão de conector à placa mãe de HD, drives de cd-ROM, drives de
disquete.
[é aquele cabo feiaço branco que parecia um papel e atrapalhava pra
conectar coisa dentro, se procurar foto tu lembra]

SATA (SERIAL ATA)


. Evolução do IDE-ATA, é adotado atualmente para conexão interna de
dispositivos de armazenamento e leitura de mídias. Foi criado no início dos anos
2000.
. Hot-swap é uma característica nova -> permite trocar HD sem precisar
desligar a máquina -> importante para servidores que precisam de manutenção /
reparos, mas não podem parar de funcionar.
SCSI (Small Computer System Interface) e SASCSI
. Caro, era desejado quando vigorava o IDE, pois era mais rápido.

Padrões de barramentos que conectam o gabinete a dispositivos externos:


. Interface serial RS-232 -> padrão ultrapassado, um cabo cheio de pino.
. PS/2 -> aquelas entradas roxa/verde de mouse, substituiu a entrada
anterior.
. USB (universal serial bus) -> padrão que vem absorvendo tudo, é hot plug
and play e alcança uma vasta gama de dispositivos -> USB 1 (1,5MB/s), USB 2
(60 MB/s) e USB 3 (600MB/s ou 4,8Gbps) -> portas 3.0 são compatíveis com
dispositivos 2.0, mas acabam se condicionando à velocidade da porta.
. Thunderbolt -> tipo de USB da apple, velocidade de 10Gbps.
. USB-C -> criado pela apple, atinge 10Gbps e é possível ser uma próxima
evolução do USB.

Placas de vídeo
. Placas de vídeo ontem e hoje: processador próprio (antes não tinha, hoje
tem um chamado GPU -> Graphics Processor Unit), memória qualificada, múltiplas
saídas e conexões diferentes.

Evolução
. VGA (vídeo graphics array) -> padrão de 1987, embora ultrapassado ainda
há placas onboard nesse padrão.
. DVI (digitial visual interface) -> primeiro padrão de conexão digital em
placas de vídeo.
. HDMI (high definition media interface) -> padrão de alta definição de
imagem, adotado por fabricantes de TVs e dispositivos de multimídia ->
transmissão de vídeo e áudio simultaneamente, reduzindo cabeamento -> HDMI
1.4 trouxe canal de dados ethernet, substituindo a necessidade de um “cabo azul”
de rede.
. Displayport -> semelhante ao HDMI, mas não ganhou popularidade.

Dispositivos periféricos
. Conceito: aparelhos que envia/recebem informações do PC.
Três categorias.
. Dispositivos de entrada (fluxo de informações usuário -> computador):
mouse, teclado, scanner, microfone, drives de cd, web cams, etc.
. Dispositivos de saída (fluxo de informações computador -> usuário) ->
monitor, impressora, caixas de som, etc.
. Dispositivos de entrada E saída: monitor touch, multifuncionais
(impressora+scanner, p. ex.), driver leitor e gravador de cd, pendrives, modem,
placa de rede, etc.

Funcionamento dos dispositivos E/S


. Duas partes: dispositivo propriamente dito e controlador (conectados na
própria placa-mãe ou barramento desta).
. Formas de comunicação: polling (CPU “pergunta” aos dispositivos se há
dados a serem transferidos), interrupção (não fica “perguntando”, recebe sinal e
faz), DMA (direct acess memory -> CPU só coordena transferências, quem faz
elas é o circuito DMA).

Outros dispositivos
. Estabilizador -> controla oscilações de tensão, para proteger o
computador.
. No break -> semelhante ao estabilizador, tem bateria interna, mantendo os
dispositivos ligados mesmo sem energia elétrica.
. Fonte de alimentação -> converte a tensão comercial (110v ou 220v) nas
tensões a serem trabalhadas pelos componentes internos (3 a 12v).

Novo tema dentro da mesma aula - SOFTWARE


. Conceito: conjunto de instruções ordenadas e lógicas fornecidas ao
hardware, para execução dos problemas e tarefas de processamento de dados.

Tipos de software por finalidade


. Sistemas operacionais -> gerenciam todo o funcionamento do computador
e fornecem uma interface para a interação do usuário -> OS geralmente vêm com
múltiplos aplicativos, mas o seu núcleo é o que se chama de kernel.
. Ferramentas de programação -> softwares para desenvolvimento de
softwares.
. Drivers -> software para que o OS desfrute os recursos de um
determinado hardware.
. Software aplicativo -> programas para executar tarefas específicas para o
usuário -> ex. navegadores de internet, ferramentas de escritório (Office),
reprodutores de mídia (Winamp), entre outros.
. Software utilitário -> dão apoio ao OS ou ao usuário para a administração
do próprio computador -> ex. antivírus, descompactadores, gerenciadores de
memória, etc.

Tipos de software quanto à aquisição


. Shareware -> possuem limitação para que o usuário compre o produto
final -> pode ser trial (programa completo, mas funciona apenas por alguns dias)
ou demo (incompleto, apenas algumas funções).
. Freeware -> gratuitos, embora há quem use para atrair o usuário a adquirir
uma outra versão (ex: uma versão sem propaganda).
. Licenciado -> pago, etc, recursos plenos.

Quanto à codificação
. Proprietário -> não se disponibiliza o código fonte, sua modificação é
proibida.
. Open source -> texto da Open Source Iniciative praga: distribuição livre +
revelação do código fonte + trabalhos derivados (permitir modificações) + não
discriminação entre pessoas e grupos.
. Free software -> não há diferença em relação ao anterior, apenas é a
iniciativa de um órgão distinto.

Licenças
. BSD (Berkeley Software Distribution) -> poucas restrições no seu
uso/modificação, por isso chamada de copycenter.
. GPL (GNU General Public License) -> adotada pelo Linux, é software livre,
mas impede que o programa seja integrado em um software proprietário (i.e., ser
vendido) e garante os direitos autorais.
. APACHE -> software livre.
. LGPL -> variante da GPL.
. Mozilla (MPL) -> ler termos do Mozilla que vc entende (lol).

Inicializando computador
. Ocorre o BOOT (ou bootstrap), em que o BIOS (que está num chip de
memória ROM também chamado de firmware) é o primeiro a acordar. O BIOS faz
o seguinte: (1) acessa a memória CMOS (complementary metal-oxide-
semiconductor), onde está a SETUP da BIOS, estabelecendo comunicação com
peças como placas de vídeo e memória ram; (2) Power-on Self Test (POST),
conjunto de testes que a BIOS realiza para ver se tudo está inicializando da
maneira correta, onde ocorrem barulhos de beeps; (3) procura de fonte para
inicializar o OS, que pode ser o disco rígido, um pendrive, entre outros; (4)
procurar o setor zero (master boot record – MBR), área que tem um código que
alavanca a inicialização do OS, acionando o sistema de inicialização/boot
loader/bootstrap; (5) o bootstrap carrega o OS na memória e começa a operar,
assim como pequenos drives e subsistemas hardware do PC.

[questões eu parei de ver na página 70, posso voltar outro dia porque são
MUITAS questões]

----
Aula 02
Microsoft Excel
Acho que a partir daqui eu posso estudar 30 minutos todo dia (em vez de 1
hora a cada alguns dias), pois tem toda uma questão de utilizar os programas de
fato pra ir memorizando os comandos pouco a pouco.

. Conceito: editor de planilhas, com ferramenta de cálculo e gráficos.


. Por ser vendido separadamente, é compatível com o Mac OS. Não é
disponibilizado para Linux.
. Formato dos arquivos: .xlsx (xls era o formato até 2003).
. Não fale que o arquivo é uma planilha. É uma pasta de trabalho composta
por várias planilhas (tal como na Def., que eu separava uma pra mim e uma pra
Maria).
. Célula: menor unidade de trabalho, na qual dados são inseridos e
manipulados.
. Células são divididas em linhas e colunas.
. Caixa de nome: junção da coluna+linha, fica no canto superior esquerdo,
indicando qual célula está ativa (ex. D9 = coluna D e linha 9).
. Do lado da caixa de nome está a barra de fórmulas, onde se insere
conteúdo na célula ativa.
. Faixa de opções = menu -> inserir, layout, revisão, exibir, etc.
. Backstage (onde vc clica em “arquivo” e aparece pra imprimir etc) não é
faixa de opções, é considerado uma guia diferenciada para funções rotineiras
(salvar, abrir, imprimir).
. Ferramentas de acesso rápido (em cima do arquivo) -> salvar (ctrl+b),
desfazer (ctrl+z) e refazer (ctrl+y). [o refazer do word é ctrl+r].
. Barra de status: parte inferior, tem zoom e opções de visualização.

Comandos básicos
[muitos desse comandos são os MESMOS para o WORD]
. CTRL A = abrir pasta de trabalho.
. CTRL B = salvar.
. Fechar pasta de trabalho sem fechar a aplicação = ctrl w ou ctrl f4.
. ALT F4 = fecha a aplicação (comando do Windows), então evidentemente
fecha também a pasta de trabalho.
. CTRL P = imprimir.
. SHIFT F11 = inserir planilha.
. CTRL + setas = te levam para o final da planilha onde você tenha
colocado coisas.
. CTRL + home/end = FUNCIONA A PORRA DO HOME/END, vale pra
WORD também.
. Page down/up = pula uma tela.
. TAB = desloca célula para a direita.
. SHIFT TAB = desloca célula para a esquerda.
. ENTER = desloca célula para baixo.
. SHIFT ENTER = desloca célula para cima.
. CLICK + SHIFT CLICK = seleciona uma área.

. SHIFT + setas = seleciona área conforme setas.


. CTRL + CLICK = seleciona células.
. SHIFT + CTRL + SETAS = seleciona tudo até encontrar algo escrito no
caminho (ou o fim da planilha).
. SHIFT + page down/up = seleciona uma tela.
. SHIFT + home = monta um intervalo até a coluna A mantendo a linha
atual.
. SHIFT + CTRL + home = monta intervalo da célula A1 até a célula ativa.
. SHIFT + CTRL + END = faz o oposto (só vendo pra entender).

Dados que o Excel manipula


. Textos.
. Números (pode decimais)
. Verdadeiro/falso (dado booleano)
. Data (abreviação ou completa)
. Moeda.
. Contábil (é uma variação da moeda, n vi muita diferença, o 0 é
representado por um traço, o R$ fica à esquerda).
. Fórmulas (números, operadores e referências).
. Funções (são pré-definidas pelo Excel).

. OBS: número fica à direita, texto fica à esquerda. Use vírgula para separar
decimais, não ponto, pois o ponto faz com que o Excel reconheça texto.

Manipulando dados
. = é o sinal que significa que você vai colocar uma fórmula.
. Exemplo: =b2*c2 -> significa que a coluna B linha 2 multiplica (*) a coluna
C linha 2.

Matemática
. Sinais aritméticos: * (multiplicação) / (divisão) % (porcentagem) ^
(exponenciação), RAIZ(NUMERO).
. = (igual) > (maior) < (menor) >= (maior ou igual) <= (menor ou igual) <>
(diferente).
. ATENÇÃO: como no Excel não tem uso de parênteses, a matemática
deve seguir a hierarquia dos operadores matemáticos: raiz/potência ->
multiplicação/divisão -> soma/subtração.

Operadores de texto
. & -> liga ou concatena dois valores e produz um valor de texto contínuo
(ex. micro&ondas).

Operadores de referência
. : -> produz uma referência às células entre duas.
. ; -> operador de união que combina múltiplas referências numa só.
. espaço -> operador de interseção que produz referência para células
comuns às duas referências.

Autopreenchimento
. Função que verifica padrões conforme o usuário preenche a planilha.

Só preencher e dai arrastar a cruzinha. Ele identifica o padrão e repete.


. Funciona com meses do ano.
. Também pode ser feito com fórmulas (por exemplo, cálculos de
receita/despesa, em vez de ficar ctrl c ctrl v na mesma fórmula, só arrasta ela e
autopreenche nos outros casos de receita/despesa).
. O $ no início de uma fórmula trava a célula e transforma em referência
absoluta para produzir o autopreenchimento. É possível tornar absoluta a linha ou
coluna ou ambos. Ex. =$C$10*D10 [tem um vídeo no youtube sobre isso, vou dar
uma olhada dps pq acho que reforça mais a ideia
. Fazer referência a célula de outra planilha é =nomedaplanilha!c5 (p. ex.).
. Selecionar um intervalo igual entre várias planilhas
=SOMA(plan1:plan3!E8:E13).

Funcionalidades nas faixas de opções


. [aqui é coisa bem óbvia vou anotar só as que não sei ou não costumo
usar]
. Quebrar texto automaticamente = evita que o texto de uma célula passe
por cima de outra.
. Formatação condicional = serve pra que se defina, por exemplo, que cores
são receitas e quais cores são despesas.
. Formatar células é a formatação clássica mesmo igual do Word. A
formatação condicional é meio que uma ~ padronização ~ de dados por meio da
formatação.
. Classificar e filtrar = ajuda a ordenar dados (p. ex. do menor para ou
maior, ordem alfabética, etc), assim como filtrar.

Macros no Excel
. Macro = série de comandos e instruções que você agrupa com um único
comando para realizar uma tarefa automaticamente.
. É possível clicando na “Guia Desenvolvedor”, que só é visível se usar o
Personalizar a Faixa de Opções.
. Tem que saber programação [lol, até parece que técnico do TJ se importa
com isso, isso aqui é mais decoreba mesmo, infos inúteis]~

Funções do Excel
. São operações pré-formatadas do Excel. Podem receber parâmetros
(também chamados argumentos) e retornam um resultado.
. Ex. POTÊNCIA (A1;A4) -> pega o calor de A1 e eleva à potência de A4.
. Ex. MÉDIA (A1:A8;300;C7) calcula média entre os valores A1 até A8 (dois
pontos significa intervalo, lembre-se), o valor 300 e o calor de C7
[PG 63 pdf tem um vídeo sobre a função SOMASE]
. =MÉDIA(num1;num2...) – retorna a média dos argumentos.
. =MED(num1;num2...) – retorna a mediana dos números indicados.
. =CONT.NUM(num1;num2...) – conta quantos dos dados inseridos são
números (i.e., quantas células tem números).
. =CONT.VALORES – calcula células não vazias e os valores.
. =CONT.SE(intervalo;critérios) – calcula número de células não vazias que
correspondem a determinados critérios.
. =MÁXIMO(num1;num2...) – retorna o maior dos números.
. =MÍNIMO(num1;num2...) – retorna o menor dos números.
. MAIOR(matriz;k) – retorna o k-ésimo maior dos números.
. MENOR(matriz;k) – mesma coisa, mas o menor.

Funções financeiras
.x
[pg 12 classificar e filtrar word, 56 pdf guia de dados]
[cara, talvez essas aulas sobre excel seriam melhores se fosse videoaula,
posso pesquisar no youtube ou até no rtyogrtz]