Você está na página 1de 13

RELATÓRIO DE VISITA TÉCNICA A USINA TERMOELÉTRICA

TRACTEBEL ALEGRETE

Disciplina: Sistemas Hidráulicos e Térmicos

Prof. Dr. José Wagner Maciel Kaehler

Isadora Camargo Goss – 141150402


Luiz Felipe de Oliveira – 141150476

Alegrete, 2018
SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO ........................................................................................ 3
2. OBJETIVOS ............................................................................................. 3
3. FUNDAMENTOS TEÓRICOS ............................................................... 3
4. VISITA TÉCNICA ................................................................................... 5
5. CONSIDERAÇÕES FINAIS ................................................................. 13
6. REFERÊNCIAS ..................................................................................... 13
1. INTRODUÇÃO

A produção de energia elétrica por fontes renováveis está ganhando cada vez
mais espaço em termos de produção de energia por fontes não renováveis. Entretanto, a
maior parcela da energia elétrica mundial, ainda é produzida a partir de fontes de
energia não renováveis (Stuchi).
Segundo Filho (2009), a principal fonte energética no Brasil, em termos
quantitativos, é o petróleo e derivados, como ocorre, em geral, na maioria dos países do
mundo; a segunda é a de derivados da cana-de-açúcar e a terceira a da hidroeletricidade,
sendo as duas últimas renováveis. Outro tipo de fonte energética muito utilizada é a
termoeletricidade.
Este relatório se trata de uma visita técnica realizada no dia 20 de julho de 2018
na usina termoelétrica Osvaldo Aranha (TRACTEBEL), que está desativada, situada na
cidade de Alegrete - RS. A visita teve como responsável o professor Dr. José Wagner
Maciel Kaehler, que junto com um funcionário, guiaram o grupo durante a visita
técnica.

2. OBJETIVOS

Este relatório tem como objetivo analisar e conciliar a visita técnica com o
estudo teórico da disciplina Sistemas Hidráulicos e Térmicos, ministrada pelo Prof. Dr,
José Wagner Kaehler e conhecer o funcionamento da usina termoelétrica.

3. FUNDAMENTOS TEÓRICOS

As usinas termelétricas produzem energia através da queima de combustíveis


fósseis. A função desses combustíveis é fornecer calor dentro da caldeira para
transformar a água em vapor através de sua queima. O vapor sob alta pressão tem como
função fazer a turbina girar, acionando o gerador elétrico. Após o acionamento do
gerador, a energia é direcionada ao transformador e então ser distribuída para o
consumo, enquanto a água é resfriada no condensador e redirecionada para a caldeira,
fechando um ciclo.
Os principais elementos que devem estar presente para o funcionamento deste
tipo de usina como turbina, caldeira, condensador, aquecedor e torres de resfriamentos.
A figura 1 mostra um esquema simplificado de um ciclo termoelétrico.
Figura 1 - Esquema de um ciclo termoelétrico. Fonte: http://energiasalternativa-
celpc.blogspot.com/2008/09/energia-termoeltrica.html.

3.1 Caldeiras

Segundo a NBR-13, as caldeiras a vapor são equipamentos destinados a produzir


e acumular vapor sob pressão superior à atmosférica, utilizando qualquer fonte de
energia. Ou seja, as caldeiras utilizam a energia química liberada pelo processo de
combustão de algum tipo de combustível provocando a transformação da água do
estado líquido para o estado de vapor, a uma pressão alta.

3.2 Turbinas

A turbina à vapor é considerada uma máquina térmica rotativa, a qual tem a


função de transformar a energia térmica proveniente do vapor, medida pela entalpia, em
energia cinética em virtude de sua expansão. Essa energia cinética é convertida em
energia mecânica de rotação através da força a qual o vapor exerce sobre as pás
rotativas.

3.3 Condensadores

O condensador é um equipamento trocador de calor o qual tem a função de


realizar a transformação do vapor de exaustão da turbina para o estado líquido, fazendo
o uso de água como fluido para o resfriamento.

3.4 Torres de resfriamento

As torres de resfriamento possuem a finalidade de atenuar a temperatura da água


de circulação e colocá-la outra vez no ciclo de resfriamento do condensador.

3.5 Ciclo de Rankine


O ciclo mais frequentemente utilizado nas termelétricas é o ciclo de Rankine. A
figura abaixo apresenta como o processo funciona.

Figura 2 - Ciclo de rankine. Fonte: adaptado Moran&Shapiro (2009).

Pode-se perceber que há um aumento de pressão da água devido a bomba


(segmento 1-2), logo após um aumento da temperatura da água até a saturação
(segmento 2-2’), alteração de fase na caldeira (segmento 2’-3’), superaquecimento
(segmento 3’-3), no segmento seguinte há uma expansão adiabática na turbina
(segmento 3-4), e por fim há um processo de condensação do vapor no condensador
(segmento 4-1).
Para a modelagem do ciclo ideal de Rankine necessitá-se fazer as seguintes
hipóteses:
 Todos os processos são irreversíveis;
 A Queda de pressão, que ocorre por causa do atrito, não ocorre na caldeira e
nem no condensador, portanto o fluido de trabalho circula nestes
componentes de forma adiabática;
 Os processos que ocorrem na turbina e na bomba são isentrópicos.

4. VISITA TÉCNICA

Realizou-se, no dia 20 de julho de 2018, uma visita técnica a usina termoelétrica


nomeada Osvaldo Aranha (TRACTEBEL) na cidade de Alegrete – RS.

Durante a visita, prof. Dr. José Wagner juntamente com o funcionário da


TRACTEBEL explicaram todos os componentes e processos os quais compõem a usina
termoelétrica de Alegrete.

Abaixo fotos retiradas ao realizar a visita técnica.


Figura 3- Painel de controle na sala de comando

Fotos Visita técnica 1


Fotos Visita técnica 2

Fotos Visita técnica 3


Fotos Visita técnica 4

Fotos Visita técnica 5


Fotos Visita técnica 6

Fotos Visita técnica 7


Fotos Visita técnica 8

Fotos Visita técnica 9


Fotos Visita técnica 10

Fotos Visita técnica 11


Fotos Visita técnica 12
Fotos Visita técnica 13

5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

A realização da visita possibilitou conhecer os equipamentos que compõem uma


usina termelétrica e os seus respectivos funcionamentos, mesmo a usina não estando em
atividade.
Com as explicações realizadas pelo professor, foi possível compreender de
forma clara e concisa o funcionamento geral de uma usina termelétrica sendo de grande
valia cursar a disciplina de Sistemas Hidráulicos e Térmicos para assim poder conciliar
o conhecimento prático obtido pela visita técnica com o conhecimento teórico obtido
dentro de sala de aula.

6. REFERÊNCIAS

FILHO, Altino Ventura, 2009. O Brasil no Contexto Energético Mundial. Nova série
NAIPPE, volume 6. Disponível em
www.naippe.fm.usp.br/arquivos/livros/Livro_Naippe_Vol6.pdf