Você está na página 1de 7

FÍSICA III

RELATÓRIO Nº 1
ELETROSTÁTICA

Alegrete
2014

Alegrete
2014 1
SUMÁRIO

1 OBJETIVO........................................................ 03
2 INTRODUÇÃO TEÓRICA.................... ............03
3 FUNDAMENTOS TEÓRICOS...........................04
4 PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL..............06
6 RESULTADOS...................................................06
8 CONCLUSÃO.....................................................07
9 REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS..................07

2
1 OBJETIVO

 Confirmar a existência de cargas elétricas.


 Identificar os condutores, isolante e processos de eletrização.
 Finalidade de juntar os conhecimentos adquiridos, construindo e resolvendo
problemas que possam acontecer na vida prática, relativo a cargas elétricas.
 Identificar regularidades, associando fenômenos que ocorrem em situações
semelhantes para utilizar as leis que expressam essas regularidades na análise e nas
previsões de situações do dia-a-dia.
 Construir uma visão sistematizada dos diversos tipos de interação e das diferentes
naturezas de fenômenos da física para poder fazer uso desse conhecimento de forma
integrada e articulada.
 Ler e interpretar corretamente tabelas, gráficos, esquemas e diagramas apresentados
em textos.

2 INTRODUÇÃO TEÓRICA

A eletrostática estuda as propriedades e o comportamento de cargas elétricas em repouso,


ou que estuda os fenômenos do equilíbrio da eletricidade nos corpos que de alguma forma
se tornam carregados de carga elétrica, ou eletrizados.

Esse estudo é feito desde os primórdios, os quais eram os indianos, que visualizavam que
o âmbar possuía a capacidade de atrair palha e considerando isso como um fenômeno
natural. O primeiro a tentar descrever esse fenômeno foi Talles Mileto no século VI a.C.
Mas quem executou o primeiro estudo sistemático e quantitativo da estática demonstrando
que as repulsões e atrações elétricas são inversamente proporcionais ao quadrado da
distância, foi Coulomb em 1785. Ainda descobrindo que a eletrização ocorrida nos
condutores é superficial.

A eletrostática define que num sistema eletricamente isolado é constante a soma algébrica
das cargas elétricas. Também define que princípio da atração e repulsão de cargas, cargas
de mesmos sinais se repelem e cargas de sinais opostos se atraem.

3
3 FUNDAMENTOS TEÓRICOS

Chama-se eletrização ao fenômeno pelo qual um corpo neutro passa a eletrizado.


Os processos mais comuns para a obtenção da eletricidade estática são os
seguintes.

1. Por atrito

Foi o primeiro processo de eletrização conhecido. Quando duas substâncias de


naturezas diferentes são atritadas, ambas se eletrizam.

2. Por indução

Quando um corpo neutro é colocado próximo de um corpo eletrizado, sem que haja
contato entre eles, o corpo neutro se eletriza. Esse fenômeno é chamado indução
eletrostática.
O leitor que realizou as pequenas experiências que sugerimos até agora, já viu
casos de eletrização por atrito e por indução. Assim, quando atritamos um pente,
este se eletriza por atrito. Depois, quando aproximamos o pente eletrizado de
pequenos pedaços de papel, o papel se eletriza por indução, e depois de eletrizado
é atraído pelo pente (veja Capítulo IV).

3. Por contato

Quando um corpo neutro é colocado em contato com um corpo eletrizado, por


meio de um fio condutor, o corpo neutro se eletriza.

Um outro caso de eletrização por contato é o seguinte: quando duas substâncias de


naturezas diferentes, ambas inicialmente neutras, são colocadas em contato
durante muito tempo, com grande superfície de contato, ambas se eletrizarão. Este
caso é mais difícil de ser observado, porque a eletrização de ambas é muito fraca .

4. Por aquecimento

Certos corpos, quando aquecidos, eletrizam-se, apresentando eletricidades de


nomes contrários em dois pontos diametralmente opostos. O fenômeno é chamado
fenômeno piroelétrico. É mais comum em cristais, como por exemplo na turmalina.

5. Por pressão

Certos corpos, quando comprimidos, eletrizam-se, apresentando eletricidades de


nomes contrários nas extremidades. O fenômeno é chamado fenômeno
piezoelétrico. Também é mais comum em cristais, como por exemplo, turmalina,
calcita e quartzo.

4
Variáveis

 : quantidade de cargas (C)


 : prótons em excesso
 : elétrons em excesso
 : carga elementar
 : tempo (s)
 : intensidade da corrente elétrica (A)
 Carga elétrica elementar (e):
 Próton:
 Elétron:

Fórmulas

Para se medir a quantidade de carga de um corpo, usa-se: , para


calcular a intensidade da corrente elétrica, utiliza:

 ou

Para se medir a energia eletrostática que também é conhecida como a energia potencial de
um sistema, e a qual não se deve ser confundida com o potencial elétrico associado à
distribuição de carga, é a energia fornecida por uma distribuição de cargas elétricas
estáticas. Nessa distribuição, o trabalho necessário para mover uma determinada carga de
lugar ou adicionar outra é devido à energia eletrostática armazenada à configuração.

Para calcular a energia potencial de duas cargas é usada a fórmula:


Onde é a constante de permissividade elétrica do vácuo, e é a distância entre as
cargas.

A energia total de uma configuração de cargas, pelo princípio da superposição, é a soma


das interações mútuas de cada par de cargas elétricas, dada pela fórmula:

 .

O potencial elétrico é definido como a energia potencial por unidade de carga:

5
 .
Para uma distribuição contínua de cargas, como numa densidade volumétrica de carga ,
podemos definir a energia em função do potencial elétrico:

 .

4 PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL

No processo experimental, foram utilizados tiras de papel laminado, papel jornal, papel
picado, tiras de plástico, meia de náilon, eletroscópio de folha, pêndulo eletrostático,
canudinho de refresco, régua.

5 RESULTADOS

Experimento 1
Nesse experimento com a aproximação tanto da tira quanto da régua
ocorre uma atração entre os dois materiais e o papel picado.

Experimento 2
Ocorre uma repulsão entre o próprio material, pois em ambos os lados a
carga é de mesmo sinal, fazendo com que ocorresse esse fato. Se tivesse uma
folha de papel no meio, isso faria com que os dois lados fossem atraídos.

Experimento 4
No pêndulo eletrostático, no primeiro momento ocorre uma indução, depois
uma transferência de cargas e depois a repulsão, é por causa desse fenômeno que
algumas vezes a repulsão e outras atrações.

Experimento 5
Eletroscópio, nele acaba acontecendo um processo de indução.

6
Experimento 8
1º - Atração
2º - Transferência de cargas
3º - Repulsão

6 CONCLUSÃO

Após ter feito os experimento, eles nos serviram para aproximar a teoria com a prática
e torná-la mais compreensível no conteúdo de eletrostática.

7 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

[1] Fundamentos de Física - Volume 3 - 8ª edição; Halliday & Resnic.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Eletricidade

http://efisica.if.usp.br/eletricidade/basico/fenomenos/

http://pt.wikipedia.org/wiki/Eletrost%C3%A1tica