Você está na página 1de 12

o

.... . . .. '• • *.• *,•••••••••• •••


'••

kce •

lide outubro de 199


DIA NACIONAL DA JUVENTUDE

iocese de Rubiataba - Mozarlândia


INTRODUÇÃO
Este material foi elaborado a partir de uma necessidade constatada em
nossa Diocese, pois percebemos que o material do dia nacional da juventude,
elaborado pela equipe nacional, é muito rico, porém, não trata algumas questões
de nossa realidade, por isso a equipe de Coordenação Diocesana se preocupou
em elaborar um material que corresponda aos anseios dos jovens e que tenha
elementos de nossa realidade.
Sá podemos garantir o sucesso deste material se os grupos de jovens e
os jovens dos grupos se empenharem neste trabalho.
As reflexões estão divididas em cinco (5) momentos diferentes. Os temas
oferecem conteúdos paia um melhor conhecimento da nossa realidade Sócio
político-econômica.

IMPORTANTE
Pedimos aos coordenadores dos grupos de jovens que estejam atentos,
para não atropelarem os conteúdos de reflexão, ou estender o mesmo sem ampla
necessidade, porém, gostaríamos de deixá-los bem à vontade para adotarem o
que lhes for maN conveniente.

OBJETIVOS
Despertar a juventude para valores que dão sustentação ao prOjeto de vida e a
convivência social fraterna.
Chamar a atenção para o projeto de morte instaurado na sociedade, que
desumaniza e exclui grande parte da população das condições mínimas de
dignidade e impede a outra parte da atitude de compaixão humana.
bespertarr a juventude para a importância da solidariedade como condição
de resgate da dignidade humana, tanto dos excluidos quanto dos que não
concentram riquezas.
Favorecer a juventude na participação e compromisso dos mais variados
organismos que estão a serviço dos deveres e direitos humanos (sinais do Reino
de Deus).

NOTA
Serão envolvidos nesta reflexão: Os estudantes, professores, diretores de
escolas e colégios, prefeitos municipais, câmara de vereadores, religiosos(as),
agentes de pastorais, secretários de saúde e educação, pessoas conhecedoras de
fatos citados ao longo das reflexões.

Obs.: A Equipe de Coordenação Diocesana deseja-lhes bom trabalho e


muito sucesso nas reflexões.
Q ENCONTRO

CIDADANIA E EXCLUSÃO

O QUE É CIDADANIA?
CIDADÃO - É a pessoa com direitos civis e políticos respeitados pelo Estado
e pela Sociedade em condições de desempenhar os direitos e deveres, na relação
com os outros, com o estado e com as instituições sociais.
CIDADANIA - É o exercício destes direitos e deveres.
Para ser cidadão não basta ter certidão de nascimento, não basta saber
votar, pagar impostos, obedecer as leis. Cidadania é compromisso histórico. É a
participação nas decisões e ações da sociedade. Cidadania é participação
política-econômica-social e psíquica-cultural-ética.
"Cidadania requer participação com liberdade: Também o escravo
participa, porque trabalha e produz riqueza, mas não é cidadão."
"Cidadania é participação bifacial (duas faces), exige direitos e 9)ssume
deveres. Só existe cidadania quando se garantem os direitos de todos e se cobram
os deveres de todos."

DADOS DA EXCLUSÃO SOCIAL


Crescente Concentração de Renda e Empobrecimento
Mais de trinta e dois (32) milhões de brasileiros passam fome, não por
falta de alimentos, mas como fruto de um modelo de desenvolvimento concentrador
de renda, aetico e excludente.
O segmento dos 1% mais ricos da população brasileira, mantinha em
1981, 13% da renda total, quase a mesma porcentagem que ia para metade da
população mais pobre que era de 13,4%. Em 1992 o quadro apresentado pela
ONU não trazia modificações de dados, a única modificação que aparecia era
a seguinte: 50% da população brasileira detinha uma renda de 11,2%.
Dos sessenta e dois (62) milhões de brasileiros ocupados, trinta e cinco
(35) milhões trabalham, ou sem carteira assinada, ou por conta própria ou ainda
sem nenhuma remuneração. Doze (12) milhões de pessoas ganham menos de
um salário minimo. Quatorze (14) milhões de pessoas empregadas irregularmente,
dois (2) milhões de crianças entre 10 e 13 anos que trabalham sendo que 91%
delas recebe menos que a metade de um salário mínimo.

CONSTITUEM OBJETIVOS FUNDAMENTAIS DA REPÚBLICA


FEDERATIVA DO BRASIL:

Diz a Constituição:
Art. 32
- Construir uma sociedade livre, justa e solidária.
11 - Garantir o desenvolvimento nacional.
111 - Erradicar a pobreza e a marginaliza ção e reduzir as
desigualdades sociais e regionais.
IV - Promover o bem de todos, sem preconceitos de origem,
raça, sexo, cor, idade, e quaisquer outras formas de
discriminação.
Art. 62
* São direitos sociais: a educação, a saúde,o trabalho, o
lazer, a segurança, a previdência social, proteção à
maternidade e à infância e assistência aos desamparados
na forma desta constituição.

Diz a Bíblia:
Is 65,21-23.25
Assim diz o Senhor lahweh: Construirão casas e as
habitarão, plantarão videiras e comerão seus frutos. Os
meus eleitos consumirão eles mesmos o fruto do trabalho
de suas mãos. Não se fadigarão inutilmente, nem gerarão
o filhos para a desgraça. Lobo e cordeiro pastarão ¡untos e
leão comerá feno com o boi. Não se fará mal nem
violência em todo o meu monte santo.

REFLEXÃO
Que ligação podemos fazer entre a realidade vista, dos dois artigos da
constituição, e a palavra de Deus?
Fazer um levantamento do quadro dos excluídos na sua comunidade ou cidade:
- Quantas crianças estão nas ruas?
- Quantos presidiários existem?
- Quantas pessoas sem terra para trabalhar existem?
- Quantas pessoas sem casa para morar existem?
- Quantas pessoas sem trabalho existem?
- Qual a porcentagem de jovens nestes itens?
- O que está sendo feito para solucionar estes problemas?
O que podemos fazer em nossa comunidade, diante da realidade dos
excluídos? Como? Quando?
(2°' ENCONTRO
POLÍTICA E POLITICAGEM
Muitos autores dão a entender que a política trata da ciência ou arte da
administração dos bens comuns ou públicos. Também é a arte e a ciência de
tornar públicas aquelas coisas que são importantes para a coletividade em geral
e ao bem comum.
Estamos correndo o risco
de perder a sensibilidade
social, a consciência deste
pais, a consciência de nós
mesmos e do próprio senti-
do da vida. Estamos viven-
do num pais onde mais de
trinta e dois milhões de pessoas passam fome diariamente, onde um número
alarmante de crianças morrem de fome ou na miséria. Um pais que é desigual,
excludente, marginalizador, desde que foi invadido pelos colonizadores europeus.
O dinheiro público é considerado propriedade particular do qual o de-
tentor do poder pode dispor como bem entender, realizando com ele as maiores
tramóias. Uma manifestação deste fato, é pensar o direito de propriedade como
absoluto, superior a qualquer outro, ao próprio direito à vida. Mais estranho
ainda, é que o detentor do poder se considera muitas vezes proprietário absoluto
do bem público, de sorte que não escuta o parecer do poder legislativo, que
muitas vezes também é comprado em benefício próprio. Como conseqüência
disso, mata-se o adversário, criam-se grupos de extermínio, torturas, seqüestros...
e tudo impunimente.
É um vale tudo, contanto que o detentor do poder se afirme. Não interessa
o cidadão, não interessa o outro, criado à imagem e semelhança de Deus. O
que interessa é aquilo que beneficia o "poderoso chefão" que compra policia,
contrata pistoleiros, faz chantagens, ameaças, destrói e mata. O código penal
dá a impressão de existir para punir unicamente os pobres.

REFLEXÃO
Qual a diferença entre política e politicagem?
A partir do texto acima, como deveria ser o entendimento de política?
Sem democracia é possível a ética na política? Explique.
Todos os partidos são iguais? Aponte as diferenças entre os partidos no seu
município. ,
Obs.: Convidar um político que esteja em exercício na atual gestão e
uma pessoa que consiga coordenar o debate ou conversa.
Na conversa, abrir as perguntas aos membros do grupo.
(32 ENCONTRO))

• .Peí
'C•."

tio

POLITICA DA EDUCAÇÃO
Educar custa caro, não educar, porém, custa mais caro ainda. O Brasil
está pagando muito alto pel descaso com a educação, sobretudo não
possibilitando o desenvolvimento da pesquisa, descartando a participação de
seus cidadãos.
Um sistema educaciona l que funciona como um funil, não permite. o
avanço dos menos favorecidos. Das crianças que têm acesso ao primeiro grau,
apenas 13% entra para o 29- grau e apenas 6% conclue curso superior. Diferente
é a situação dos jovens da zona rural, onde somente 0,6% consegue concluir
curso superior.

DITADOS POPULARES
- É de pequeno que se torce o pepino.
- A educação é verdadeira qua ndo 'ajuda as pessoas a se descobrirem como
sujeitos da história. Por isso, verdadeiro educador é aquele que ajuda o
educando a revelar suas capacidades e suas possibilidades. Para que hajam
verdadeiros educadores necessário que balam verdadeiras condições de
trabalho e verdadeiros salários.
- Se refletirmos um pouco mais, veremos que, quando a criança começa a
frequentar a escola, esta passa a ser designada pelos pais e pela sociedade
como encarregada oficial da educação da criança. Segundo estalógica, o pro-
fessor é a fonte de conhecimento e o aluno uma tábua .rasa. Assim como na
família, os pais mandam e os filhos obedecem. Esta noção de autoridade
transmitida à criança, primeiro pela família e depois pela escola, tem como fim
último a regulação social através da obediência e submissão. Espera-se que a
criança seja "certinha" e não "torta", isto é, com outra visão de mundo do que a
dos adultos e que sobreviva o sistema que ai esta.
- Temos mania de delegar poderes. Vamos delegando tudo, inclusive o direito
dos estudantes de poderem escolher o seu próprio diretor. O pior é que delegamos
e não fiscalizamos.

REFLEXÃO
Como a Secretaria da
Educação de seu muni-
cípio está atuando?
A verba que é desti-
nada à educação está
sendo investida na edu-
cação? De que forma?
Independente do sa-
lário do professor, como
deveria ser a educação
nas escolas públicas?
Á) Você concorda com a
indicação• de diretores
de escolas e colégios?
Porque?
5) O que fazer para que
os diretores de colégios
selam eleitos por voto di-
reto?
Obs.: É importante que
estejam presentes alguns
professores, secretário/a
da educação e pessoas
envolvidas nestas ques-
tões.
(42 ENCONTRO))

POLITICA E SAÚDE
A Saúde e a falta de recursos
Onde estão os recursos? Sabemos que a cada dia é fechado um hospital
"público", postos de saúde (fechados), mesmo os hospitais em funcionamento
não oferecem muitas condições de atendimento à população.
A municipalização da saúde, que no inicio deveria estar a serviço do
povo, vem cada vez mais se burocratizando e tornando-se um caos.
Que existam pessoas doentes em uma comunidade, em principio não é
nenhuma anormalidade. Mas no Brasil o número de doentes, doenças até comuns,
é muito grande e se alastram com uma enorme facilidade. Os serviços de saúde,
na sua grande maioria estão sendo sucateados. Tudo isso precisa ser
compreendido e traduzido em lutas por um sistema de saúde pública bem
organizado e de qualidade.
Ao longo dos anos os serviços públicos de saúde vão sendo desativados,
dificultando os atendimentos; criou-se na população em geral, um. sistema de
amortização da consequência e as enormes filas nos hospitais são encaradas
como coisa normal. Qualquer pessoa hoje sabe que o abandono da saúde pública
está crescendo.
No Brasil existe uma lei que determina o repasse de 25% das verbas
para a saúde. Acontece que, na verdade, apenas 5% são repassadas e às vezes
nem isso, é ai que aparecem os ladrões da previclecia. Este ano nós
acompanhamos novamente na cidade do Rio de Janeiro a quantidade enorme
de médicos ganhando sem trabalhar. Em nossas comunidades também acontecem
esses tipos de fraude sem contar, é claro, com o escândalo amplamente divulgado
em janeiro de 1993, quando mais de 300 hospitais estavam em pleno abandono
e os seus funcionários a recebendo salários altíssimos.
O absurdo do INSS, que novamente escandaliza o povo, são milhões e
milhões de Reais desviados da saúde pública, para o bolso dos chamados
"chefeies da previdência".

REFLEXÃO
O que precisamos fazer para mudar esta situação?
Como funciona o sistema de municipalização da saúde em seu município?
Como funciona o Conselho Municipal da Saúde de seu município? Quais são
seus membros?
Á) Que porcentagem da renda de seu município é destinada à saúde?
5) 0 que a Secretaria da Saúde tem a oferecer para melhoria da mesma em seu
município?
Obs.: É bom que esteja neste encontro o seretário(a) municipal de saúde,
bem como pessoas esclarecidas sobre o assunto.
POLITICA AGRÁRIA E
DESEMPREGO
"Um dia a vida surgiu na terra, a terra
tinha com a vida um cordão umbilical.
A vida e a terra. A terra era grande e
a vida pequena.
A vida foi crescendo e a terra foi
ficando menor, não pequena. Cer-
cada, a terra virou coisa de alguém,
não de todos, não comum, virou sorte
de alguns e a desgraça de tantos. Na
história foi tema de revoltas, revolu-
I ções, transformações. A terra e a
cerca. Terra e o grande
. proprietário. Aterra e o
sem terra. A terra e a
morte." (Betinho).
Em um Brasil com mais
de 8,5 milhões de km2,
existem aproximadamente
2 milhões de agricultores
sem terra. Isto, devido à ab-
surda concentração fundiári-
a. Dos cinco milhões de pro-
prietários rurais, qua-
renta e seis mil pes-
soas possuem cento
e sessenta e dois mi-
lhões de hectares,
praticamente a me-
tade das terras úteis para a agricultura.
"Mas é tanta, é tão grande, tão produtiva que a cerca treme, os limites se
rompem, a história muda e ao longo do tempo o momento chega para pensar
diferente: a terra é bem planetário, não pode ser privilégio de ninguém, é bem
social e não privado, é patrimônio da humanidade, e não arma de egoísmo
particular de ninguém. E bem de todos para todos." (Betinho)
As posições sobre as necessidades de reforma agrária no Brasil se divi-
dem. Pergunta-se então. Porque um país continental como o Brasil até hoje ainda
não tomou medidas para resolver o problema da concentração das terras e das
injustiças no campo?
Um fato - Se a constituição de 1938 tivesse sido cumprida, todas as
terras indígenas teriam sido demarcadas e os 350 mil índios que ainda restam
no Brasil, quase 200 sociedades indígenas, teriam a posse da terra de aproxi-
madamente 70 milhões de hectares. Mas a constituição não foi cumprida. Talvez
cerca de 40 milhões de hectares de terras indígenas estejam demarcadas, mas
uma parte significativa está invadida por não índios, ou pior, por latifundiários
(deputados, senadores e governadores).
Você já ouviu falar sobre assentamentos nesta diocese de Rubiataba-
Mozarlândia? Sobre índios Tapuias? Sobre índios Carajás? Fazenda União
lembra alguma coisa para você?
É pior ainda a situação daqueles que sem a terra tentam se manter em
centros urbanos, rodeados por um número enorme de desempregados ou
empregados com um salário mínimo arrochado a níveis desesperadores.
Fica difícil escolher uma profissão. A pior situação recai especialmente
sobre o jovem que, além de pertencer a este quadro social alarmante, ou é de
família carente, ou de classe média baixa.
O desemprego está sendo observado como a mais devastadora ameaça
no final do século XX em todo mundo, colocando em perigo a própria humanidade
e sua estabilidade populacional. Segundo a última reunião da OCDE
(Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), são 35 milhões
de pessoas desempregadas nos vinte e quatro países mais ricos.
Gritante é a situação da jovem trabalhadora, principalmente a negra.
Dos adolescentes que trabalham, 4% são mulheres e estão sujeitas às dificuldades
do mercado de trabalho. são submetidas a vários tipos de exames, e caso fiquem
grávidas muitas delas são dispensadas.

REFLEXÃO
No seu município há problemas de desemprego?
Há no seu município problemas de pessoas sem terra para trabalhar?
Qual a situação do jovem quanto ao mercado de trabalho no seu município?
Á) Porque os jovens são sempre alvo das campanhas políticas, e depois são
excluídos da participação efetiva?
A escolha de uma profissão é de fato importante na vida de cada um?
Que questões foram abordadas na 79 Romaria da Terra?

Obs.: Convidar pessoas que tenham conhecimento de tais fatos para maiores
esclarecimentos, tanto na questão da reforma agrária quanto do desemprego.
Convidar pessoas que estejam passando por situação de acampamentos ou que
já viveram esta situação.
Refazer um levantamento dentro do grupo para saber quantas pessoas têm sua
origem no campo e quantas pessoas ainda sobrevivem no campo.
cóããírti..-ão ein gerar
Av. Aroeira n° 353 - Centro - Fone: 725 1155 Rubiataba - Go
Nosso lema é:
Servir bem para servir sempre
Papelarias
RIGO e LUNE IML
Av. Jatobá n° 129 Av. Aroeira n° 240-A
Fone: 725 1145 - Rubiataba - Go Fone: 725 1544 - Rubiataba - Go
Escritório*Impressos*Escolar*Brinquedos*Pintura*Aniversário*Presente

RUBIATABA TRATORES
Peças e implementos para tratores e veículos,
moto-serras, ferramentas e parafusos em geral
Praça Babaçu no 65 - Centro - Fone: 725-1406 - Rubiataba - Go

Av. Aroeira n° 457 - Centro


Fone: 725 1277 Rubiataba - Go

"O prazer em vestir"

IMPERIO DI
DOS PEDAIS CALÇA
Peças e acessórios para Calçados e Confecções
bicicletas. Passo a passo com você
Oficina autorizada Monark Praça Babaçu n° 44-A - Fone: 725
1169- Rubiataba - Go
v. Jatobá n° 1438 - Rubiataba - Go

e
unica