Você está na página 1de 6

REPÚBLICA DE ANGOLA

ISCED – LUANDA

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS

REPARTIÇÃO DE FILOSOFIA

ÉTICA COMO BASE PARA UMA POLÍTICA NO DISTRITO


URBANO DO KILAMBA KIAXI

ANTÓNIO JOÃO SEBASTIÃO ISSENGUEL

LUANDA, MAIO DE 2016


REPÚBLICA DE ANGOLA

ISCED – LUANDA

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS

REPARTIÇÃO DE FILOSOFIA

ANTÓNIO JOÃO SEBASTIÃO ISSENGUEL

ÉTICA COMO BASE PARA UMA POLÍTICA NO DISTRITO


URBANO DO KILAMBA KIAXI

Ante-projecto apresentado ao professor Mestre Afonso


Nkuansambu

Tutor:

Professor Mestre Afonso Nkuansambu

LUANDA, MAIO DE 2016


1.1Título do ante – projecto.
A ética como base para uma política no distrito urbano do Kilamba Kiaxi.

1.2 Introdução provisória

A vida colectiva nos remete a constituir uma “colméia humana”, isto é, uma
sociedade política, não perdendo o seu foco característico que é garantir o bem comum.
A sociedade que eu e muitos pertencemos surge na soma de várias sociedades
domesticas que é formado pela natureza e compostas de pessoas que comem como diz
Corondas, o mesmo pão e se esquentam como diz Epimênides de Creta, com o mesmo
fogo.

O mesmo acontece com a sociedade do Kilamba Kiaxi, que é formada por várias
famílias que procuram ou mesmo buscam o bem-estar, mas como a família (sociedade
domestica) é parte integrante da sociedade política é indispensável a sua articulação ao
todo, e isso remete imediatamente a direitos e deveres, remete imediatamente a conjunto
de valores e princípios que nós temos de seguir para resolver as três grandes questões do
mundo: Quero? Devo? Posso? – ética, particularmente nesta construção teórica
enfatizaremos este último aspecto que é importantíssimo para uma convivência
harmoniosa, salutar, rica, em suma que é indispensável para uma política no distrito
urbano do Kilamba Kiaxi.

1.3 Perguntas de investigação


Dentro das nossas relações sociais temos muitas das vezes discorrido em
confrontos (quanto usamos a força física) em vez de conflitos (divergências de idéias,
opiniões e posturas), onde este último engrandece a certa medida a nossa comunidade.
Por que as pessoas deste município discorrem muitas das vezes em confronto? Será que
o confronto faz parte da política? Qual é o caminho necessário para ultrapassar esta
bactéria social? Podemos ter valores e princípios sem a política?

1.4 Justificativa
A presente investigação justifica-se porque os munícipes do distrito urbano do
Kilamba Kiaxi no campo da teoria dos valores, particularmente no campo da ética, têm
apresentado dupla caracterização, isto é, encontramos pessoas revoltadas e pessoas
revolucionárias, encontramos coisas que servem e outras que de servem, encontramos
pessoas masoquistas e sadistas, dentro deste município existe coisas tradicionais e
arcaicas, existem protagonistas e antagonistas, pretendo a partir de reflexão critica
acerca dos conceitos apresentados que muitas das vezes recaem a seqüestros
semânticos, dar luzes sobre os mesmos aspectos que muitos deles correspondem as
bactérias sociais não fazendo parte da política no sentido de ser arte de boa convivência,
mas faz parte daquilo que os gregos chamavam de “idiótes” – idiota que significa aquele
que vive a vida privada, que recusa a política. Sublinha-se que no distrito urbano do
Kilamba Kiaxi há muitos idiotas daí resulta uma convivência pobre nos diferentes
sectores sociais, daí que quero com este trabalho transcender o meu papel social. Como
tal a esfera de análise será no campo filosófico tal como afirmava Descartes que o
filosofo é aquele que tem pés de chumbo e asas, isto é, aquele que parte de uma base
solida e sobe um pouco mais para não ficar nem no senso comum, nem na teologia e
nem na ciência.

1.5 Objectivos

1.5.1 Objectivos gerais


Conhecer a realidade relacional existente entre os munícipes do distrito urbano
do Kilamba Kiaxi no campo ético.

Compreender os requisitos éticos para uma política entre os munícipes do


distrito urbano do Kilamba Kiaxi.

1.5.2 Objectivos específicos


Identificar as normas de convivência entre os munícipes do distrito urbano do
Kilamba Kiaxi.

Assinalar os desvios relacionais no campo ético entre os munícipes do distrito


urbano do Kilamba Kiaxi.

Diferenciar política da idiotice.

Explicar de forma solida os requisitos para uma política entre os munícipes do


distrito urbano do Kilamba Kiaxi.

1.6 Fundamentação ou marco teórico


Para Mário Sergio Cortella Ética é o conjunto de princípios e valores que
usamos para responder as três grandes perguntas da humana: Quero? Devo? Posso?

Para Paul Ricouer define ética como sendo vida boa para todos e todas, em
instituições justas.

Anti-ética é a negação da ética.

Aético é aquele ou aquela não se aplica a questão ética, pois não podem decidir,
avaliar e julgar de forma autônoma.

Para Aristóteles política é arte de boa convivência. Onde o zoon politikon é um


homem de bem.

“Falar de ética é tratar essencialmente da reflexão que se faz toda vez que é
preciso identificar a melhor maneira de viver e de conviver” Clóvis de Barros e Filho
(2013. p.9).
A ética tem como objectivo à convivência.

A ética e a moral têm a mesma origem etimológica, Ethos, em grego, e mor, em


latim e quer dizer a mesma coisa: habito, pratica recorrente.

Para Aristóteles, o objecto da ética é a práxis, para Kant, à vontade. Para ambos
é a acção submetida à razão.

1.7 Desenho metodológico e técnica de pesquisa.


Pesquisa histórica, bibliográfica e descritiva

1.8 Resultado esperado ou plano de analise e interpretação dos


resultados
Espera-se que com este trabalho as populações do distrito urbano do Kilamba
Kiaxi escolhem criteriosamente aqueles valores e princípios que não denigrem que não
envergonhem que não ameaça a nossa convivência, banindo a idiotice no seio deste
distrito e abraçando a política.

1.9 Cronograma

Ano lectivo 2018


Tempo de trabalho
Actividade Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro
1ª S 2ªS 1ª S 2ªS 1ª S 2ªS 1ª S 2ªS 1ª S 2ªS
Elaboração do projecto e envio ao tutor X
Considerações e aprovação do projecto X
Pesquisa e tratamentos do I, II, III e IV X X X X
cap.

Envio do cap. I, II, III e IV ao tutor X


Considerações do tutor X
Correcção do cap. I, II, III, IV com X
orientação do tutor
Elaboração dos elementos pré-textuais e X
pós-textuais
Envio da 1ª versão do TFC X
Considerações do autor X
Últimas correcções e revisão do trabalho X
Elaboração do slide de apresentação em X
Powerpoint
Ensaio e preparação da defesa X
Pré-defesa X
Defesa do TFC X

1.10 Previsão orçamental


Recurso Quantidade Preço unitário Preço total
Especialista em línguas 1 20.000 20.000
Computador 1 70.000 70.000
Livros principais 7 2.500 17.500
Resma A4 3 1.200 3.600
Impressora 1 46.000 46.000
Tinteiro 4 2.700 10.800
Total 17 142.400 167.900

1.11 Referências bibliográficas.


ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. 9.ª reimpreensão. São Paulo: Editor Martin Claret
Ltda, 2015.

BARROS FILHO, Clóvis de, e Pompeu, Júlio. A Filosofia explica as grandes


questões da humanidade. 1.ª edição. Rio de Janeiro: Casa da Palavra; Casa do Saber:
São Paulo, 2013.

CORTELLA, Mario Sergio e FILHO, Clóvis de Barros. Ética e vergonha na cara! 1.ª
Edição. São Paulo. Papirus 7 mares, 2014

CORTELLA, Mario Sergio. Qual é a sua obra? 11.ª Edição. Petrópolis, RJ: Vozes,
2010

CORTELLA, Mario Sergio e Ribeiro, Renato Janine. Política para não ser idiota. 1.ª
edição. São Paulo: Papirus 7 mares, 2010.

JEAN-JACQUES, Rousseau. Do contrato social. 1.ª Edição. Penguin-Campanha das


Letras, 2011

ARISTÓTELES. A política. 2.ª Edição revista. São Paulo: Edipro, 2009

ROTHBARD, Murray N. A ética da liberdade da liberdade. 2.ª edição. São Paulo:


Instituto Ludwig Von Mises Brasil, 2010.

VALLS, Álvaro L. M. O que é a ética. Editora Brasiliense, 1994