Você está na página 1de 15

RIS-ESP/CE

“POR QUE CANTAMOS”: SAÚDE AMBIENTAL


NAS COMUNIDADES NO ENTORNO DO CIPP A
PARTIR DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA
EM SÃO GONÇALO DO AMARANTE/CE

AUTORA: WANESSA BRANDÃO


PROF(A) ORIENTADORA: Ma. IARA VANESSA F. DE SANTANA
FORTALEZA/CE
2018
SAÚDE DA FAMÍLIA E TERRITÓRIOS
A Estratégia Saúde da Família se organiza no Sistema Único
de Saúde a partir dos territórios, levando em consideração os
determinantes em saúde ancorados nos princípios da
Reforma Sanitária, nos quais, a Soberania Alimentar e a
Reforma Agrária foram pautas exigidas pelo povo brasileiro
desde a Constituinte de 1987. A relação entre saúde e
território articulará nosso trabalho na tentativa de
compreender os processos de resistências (Produção de
Saúde) e “Questão Ambiental” a partir luta por moradia,
percebendo a indissociabilidade entre essas categorias e as
intervenções junto a ESF.
PERGUNTA DE PARTIDA

Quais foram as principais experiências de articulação


e mobilização comunitária a partir da Residência
Integrada em Saúde, com inserção na Estratégia
Saúde da Família e lotação no Núcleo Ampliado de
Saúde da Família e Atenção Básica (NASF-AB)
ocorreram junto as comunidades em torno do CIPP
em São Gonçalo do Amarante?
JUSTIFICATIVA
•TERRITORIALIZAÇÃO COMO PROCESSO DE TRABALHO E
PROBLEMATIZAÇÃO DO REAL (SAÚDE-DOENÇA-INTERVENÇÃO)
(SANTOS; RIGOTTO, 2011);

•INTERVENÇÕES JUNTO A ESF ATRAVÉS DO PONTO DE APOIO NO


BOLSO (3 ACS E QUASE 300 FAMÍLIAS);

•CONTEXTO COMPLEXO E MULTIFACETADO DA COMUNIDADE


DE BOLSO – CIPP - DESAPROPRIAÇÕES, EXPOSIÇÃO A
MINERAÇÃO, CANAL DE TRANSPOSIÇÃO, FÁBRICA DE CIMENTO
E COMPONENTES DOS PARQUES EÓLICOS, TERMELÉTRICA,
SIDERÚRGICA E REFINARIA (APROVADA/BRASIL X CHINA), ETC
(BEZERRA, 2010).
• RESPONSABILIDADE SANITÁRIA PELA LOCALIDADE
DE ACENDE CANDEIA (BOLSO);
• COMPREENSÃO DA EXPANSÃO INDUSTRIAL DO CIPP
(DESDE 1996) COMO VETOR DE ADOECIMENTO E
MORTE);
• DESAPROPRIAÇÕES (Decreto nº 28.883 de 18 de setembro de
2007) E POLUIÇÃO COMO DESAFIOS PARA SAÚDE
AMBIENTAL (COMUNIDADE E ESF);
• OCUPAÇÕES E EXPROPRIAÇÃO COMO EXPRESSÕES
CONTEMPORANEAS DA LUTA POR MORADIA;
OBJETIVO GERAL

Evidenciar a existência de articulação e


mobilização comunitária a partir da Residência
Integrada em Saúde, com inserção na Estratégia
Saúde da Família e lotação no Núcleo Ampliado de
Saúde da Família e Atenção Básica (NASF-AB)
junto a Unidade Básica de Saúde de Acende
Candeia em São Gonçalo do Amarante/CE.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS

• Relatar as principais vivências de articulação


e mobilização comunitária no território em
questão;

• Identificar a relação entre essas vivências


ocorridas e a saúde ambiental em âmbito
local.
METODOLOGIA

• Territorialização;

• Pesquisa Participante (Borda, 1981);

• Relato de experiência (Holliday, 2006);

• Revisão de literatura;

• Diário de campo;

• Sínteses de reuniões e oficinas no Bolso e Acende


Candeia;
Discussões e Resultados

Reunião sobre a
demanda pela
mudança do
Ponto de Apoio
para Chaves.
Ação EFTA junto
ao Ministério
Público Estadual;
Energia e água no
Ponto de Apoio;
Bolso - Reuniões
com a
comunidade e
movimentos
sociais;
Violação do
direito à saúde
e ao meio
ambiente; e
insegurança
dos moradores; Qualidade
socioambiental;
Alergias,
Dermatites,
Tosse;
Trânsito dos
caminhões;
Voz aos Oficina
sujeitos; Agroecológi
ca;

Fortaleci
mento da
Associaçã
o

Mobili-
zação em
prol da
saúde
ambiental
;

Resgate do
saber e
produção de
saúde das
comunidades;
Conclusões Iniciais

• Exposição elevada a ruídos, fuligens, baixo acesso às Políticas


Publicas, insegurança, desapropriações;

• Ações vinculadas a RIS e Estratégia Saúde da Família em nas


comunidades de Acende Candeia/Bolso fomentando a mobilização
popular;

• Saúde Ambiental como pauta intrínseca a ESF/RIS;

• Educação Político Pedagógica fomentada pelos movimentos sociais


e comunidade;

• Articulação Intersetorial e Mobilização Comunitária na luta por


direitos.
REFERÊNCIAS
ABEPSS. EMENTA DO GTP QUESTÃO AGRÁRIA, URBANA, AMBIENTAL E SERVIÇO
SOCIAL. Temporalis, Brasília (DF), ano 12, n.24, p. 461-466, jul./dez. 2012.

ARAÚJO, R. C. P; FREITAS, K. S; ALBUQUERQUE, R. L. de. Impactos Socioeconômicos do


Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP) sobre os pescadores artesanais, São Gonçalo
Do Amarante – CE. Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural. Porto
Alegre, 2009.

ALBUQUERQUE, M. F. C. Zona costeira do Pecém: de colônia de pescador a região portuária.


Universidade Estadual do Ceará. Mestrado Acadêmico em Geografia – MAG. 2005.

BEZERRA, M. das G. V. Do canto das Nambus ao barulho do trem: Transformações no modo de


vida e na saúde na comunidade de Bolso no Complexo Industrial e Portuário do Pecém-CE.
Universidade Federal do Ceará – Dissertação de Mestrado em Saúde Pública. Curso de Mestrado em
Saúde Pública da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará. 2010.

BORDA, Orlando Fals. Aspectos teóricos da pesquisa participante: considerações sobre o significado e
o papel da ciência na participação popular. In: BRANDÃO, Carlos Rodrigues (org.). Pesquisa
participante. São Paulo: Brasiliense, 1981. P. 42-62.

BUSS, P.M.; PELLEGRINI FILHO, A. A Saúde e seus Determinantes Sociais. PHYSIS: Rev. Saúde
Coletiva, Rio de Janeiro, v.17, n.1. p.77-93, 2007.
CLOSS, T. T. INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NAS RESIDÊNCIAS MULTIPROFISSIONAIS EM ATENÇÃO BÁSICA:
FORMAÇÃO EM EQUIPE E INTEGRALIDADE. IN: M. I. B. BELLINE; T.T. CLOSS. SERVIÇO SOCIAL, RESIDÊNCIA
MULTIPROFISSIONAL E PÓS-GRADUAÇÃO: A EXCELÊNCIA NA FORMAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL, EDIPUCRS,
PORTO ALEGRE, 2012.

CORREIA, O. G. TABA DOS ANACÉS. PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE, 1997.

HOLLIDAY, OSCAR JARA. PARA SISTEMATIZAR EXPERIÊNCIAS / OSCAR JARA HOLLIDAY; TRADUÇÃO DE: MARIA
VIVIANA V. RESENDE. 2. ED., REVISTA. – BRASÍLIA: MMA, 2006. 128 P. ; 24 CM. (SÉRIE MONITORAMENTO E
AVALIAÇÃO, 2).

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. CEARÁ - SÃO GONÇALO DO AMARANTE.


DISPONÍVEL EM: <HTTP://CIDADES.IBGE.GOV.BR/XTRAS/PERFIL.PHP?CODMUN=231240> ACESSO EM: 17 DE MAIO
DE 2017.

MINAYO, M. C (ORG.). PESQUISA SOCIAL: TEORIA, MÉTODO E CRIATIVIDADE. 28. ED. PETRÓPOLIS, RJ: VOZES, 2009.

SANTOS, A. L.; RIGOTTO, R. M. TERRITÓRIO E TERRITORIALIZAÇÃO: INCORPORANDO AS RELAÇÕES


PRODUÇÃO, TRABALHO, AMBIENTE E SAÚDE NA ATENÇÃO BÁSICA À SAÚDE. TRAB. EDUC. SAÚDE, RIO DE
JANEIRO, V. 8 N. 3, NOV. 2010/FEV.2011, P. 387-406. DISPONÍVEL EM: <HTTP://WWW.SCIELO.BR/PDF/TES/V8N3/03.PDF>
ACESSO EM: 15 DE ABR DE 2017.

SANTOS, P. A. DOS. REELABORAÇÃO ÉTNICA E NOVAS REDES DE DESENVOLVIMENTO NO NORDESTE


BRASILEIRO: A ETNOGÊNESE ANACÉ E OS PROJETOS DE GRANDE ESCALA DA COSTA DO PECÉM (CE).
DISSERTAÇÃO DE MESTRADO APRESENTADA AO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANTROPOLOGIA SOCIAL
DO DEPARTAMENTO DE ANTROPOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. 2013.

TELES, G. A; AMORA, Z. B. OS CONTEÚDOS DA URBANIZAÇÃO/METROPOLIZAÇÃO EM SÃO GONÇALO DO


AMARANTE/CE: CONSIDERAÇÕES A PARTIR DA INSTALAÇÃO DO COMPLEXO INDUSTRIAL E PORTUÁRIO DO
PECÉM - CIPP.