Você está na página 1de 8

Chega de Procrastinação!

Walter Henegar

Tenho a tendência de ser um Durante bastante tempo, cultivei um


procrastinador. Pratiquei a procrastinação orgulho falso a respeito da procrastinação.
durante a maior parte da minha vida. Se Mas ao longo dos últimos anos, Deus con-
determinada tarefa é ligeiramente desa- cedeu-me graciosamente fé, percepção
gradável, minha tendência inicial e persis- e poder para combatê-la. O desejo de
tente é deixá-la de lado. Não estou dizen- procrastinar ainda é forte e sedutor. Mas
do quer sou um preguiçoso; na verdade, pela bondade e graça de Deus, estou mu-
estou sempre bastante ocupado. Eu sim- dando. Escrever este artigo é uma tenta-
plesmente adio o quanto posso a execu- tiva de compartilhar a esperança que re-
ção daquilo que é menos agradável. Sem- cebi.
pre empurro essas tarefas para o fim, mas
invariavelmente sinto-me mal com isso. A história de um procrastinador
Vencer o hábito da procrastinação não “Pressões produzem diamantes”. Esse
é uma questão de polir minha auréola. era meu lema pessoal na faculdade, quan-
Embora seja aceitável em nossa cultura, a do pela primeira vez comecei a identificar
procrastinação é um problema sério e pro- meu hábito. Eu começava a maioria das
fundamente enraizado em mim, que afeta tarefas escritas na noite anterior à data de
negativamente quase todas as áreas da entrega e, geralmente, tirava as melhores
minha vida. notas. Todos os meus amigos implicavam
com isso, mas eu me defendia com um
antigo provérbio chamado Lei de
Tradução adaptada do artigo Putting off Pro- Parkinson: “O trabalho fica maior quando
crastination, publicado em The Journal of temos mais tempo disponível para
Biblical Counseling, v. 20, n.1, Fall 2001, p. executá-lo”. Por que gastar uma sema-
40-45. na inteira para fazer uma tarefa escri-
Walter Henegar concluiu o mestrado em mi- ta se eu poderia gastar apenas uma
nistério no Westminster Theological Seminary noite e alcançar o mesmo resultado?
Coletâneas de Aconselhamento Bíblico vol. 4 130
A experiência profissional veio refor- formão de Deus para nos santificar, os fi-
çar meu hábito. Sentar-me diante de um lhos só afiam a lâmina. As responsabilida-
computador o dia todo oferecia oportuni- des para cumprir no meu tempo livre e à
dades ilimitadas para procrastinar: e-mail, noite aumentaram. Passei a dormir cada
Internet, joguinhos inúteis. Enquanto eu vez menos. Eu ainda conseguia levar adiante
estivesse ocupado fazendo alguma coi- muitas coisas, mas a qualidade do meu tra-
sa, ninguém podia reclamar se eu deixas- balho sofreu e minha lista de pendências
se as tarefas mais trabalhosas para o últi- cresceu. Eu andava continuamente sobre-
mo minuto. Algumas vezes passei raspan- carregado, desencorajado e com pena de
do, mas em geral fui um empregado esti- mim mesmo. Algumas vezes, em meio ao
mado (ou mesmo super estimado). trabalho de última hora, cheguei a ter algo
No dia do meu casamento, meu tio- semelhante a um ataque de pânico. Eu in-
que dirigiu a cerimônia -brincou bem no vejava meus amigos mais disciplinados,
meio do sermão mencionando minha ten- mas tinha pouca esperança de me tornar
dência conhecida de todos. Ele falou so- como eles.
bre a necessidade de mudanças no casa- Cerca de dois anos atrás, uma maté-
mento e, olhando direto para mim, disse: ria de aconselhamento no seminário desa-
“Alguém que é procrastinador, se conti- fiou-me a deixar a Palavra diagnosticar
nuar assim, adiará as mudanças o quanto meu problema e traçar um caminho de
puder”. mudança. O que prendeu minha atenção
E foi exatamente o que eu fiz, embora foi a metáfora bíblica da árvore, e a su-
a vida de casado dificultasse as coisas. gestão de que meus ramos espinhosos de
Agora, o tempo decisivo com que eu cos- procrastinação eram nutridos por raízes
tumava contar para fazer determinado tra- invisíveis que cresciam profundamente no
balho pertencia também à minha esposa. meu coração. Raiou a esperança de que
Era preciso deixá-la de lado para fazer as eu poderia descobrir a raiz da
tarefas de última hora. Ainda pior, come- procrastinação e, de alguma forma, cortá-
cei a arrastar o pé em algumas das res- la logo de uma vez por todas. Mais tarde,
ponsabilidades partilhadas por ambos percebi que a segunda parte de minha es-
como, por exemplo, fazer um orçamento, perança era reflexo de um coração acos-
orar juntos e lavar a louça. Em lugar de tumado a buscar sempre um atalho.
orgulho, comecei a sentir vergonha. Ou
talvez devesse dizer que comecei a ficar Percepções iniciais
defensivo. Todos me conheciam como um Para chegar às raízes, era preciso co-
rapaz responsável. A procrastinação é só meçar pelos ramos. Minha auto-avaliação
um detalhe sutil da minha personalida- logo rendeu duas percepções inesperadas.
de, certo? Será que minha esposa não A primeira foi que meus hábitos de
pode me dar um tempo? procrastinação eram altamente sistemáti-
De fato, ela foi compreensiva, mas cos, ou seja, eles não apenas infectavam
dentro daquilo que sua saúde debilitada todas as áreas da minha vida, mas opera-
permitiu. Repetidas internações e constan- vam de maneira ordenada e previsível.
tes ataques de dor a forçavam a depender Meu coração parecia ter seu próprio flu-
muito de mim para cuidar dela e de nos- xograma de “se”: se não é para ama-
sas duas crianças. Se o casamento é o nhã, então você tem muito tempo... se
131 Coletâneas de Aconselhamento Bíblico vol. 4
você está em cima da hora para entre- metidos que não estavam contribuindo
gar um trabalho, negligencie as demais como deveriam para a igreja. A palavra
responsabilidades... se você acabou de “intrometidos” intrigou-me e fui pesquisar
terminar um trabalho grande, permita no original grego. Descobri que se trata,
a si mesmo uma recompensa..., e assim na verdade, de um termo composto pelo
por diante. verbo “trabalhar” e a preposição “ao re-
Segundo, percebi que eu ignorava o dor”. A segunda parte do versículo pode
mecanismo da procrastinação na maioria ser traduzida literalmente assim: “Tais pes-
das vezes. Essa percepção foi mais difícil soas não trabalham; antes, elas trabalham
de assimilar porque eu sempre me consi- ao redor”.
derei um rapaz introspectivo e meu radar Como que em um toque de mágica,
detectava a procrastinação algumas ve- pude ver claramente a mim mesmo. Ali
zes. Mas eu costumava definir a estava eu, diligentemente ocupado com
procrastinação como uma ausência: eu não coisas ao meu redor, enquanto aquilo que
estava trabalhando duro o suficiente - ou eu mais precisava fazer ficava parado em
suficientemente antes do prazo de entre- meio ao restante. Eu não era simplesmen-
ga. A questão que eu não tinha percebido te um procrastinador; eu era um trabalha-
era a seguinte: se algo está ausente, o que dor em coisas ao redor.
está presente? Todas aquelas horas esta- Lembro-me de ter lido o artigo de
vam indo para algum lugar, mas o que Charles Hummel A Tirania do Urgente.
exatamente eu estava fazendo com elas? Hummel expressa sua admiração por Je-
Deliberadamente, comecei a prestar sus ter dito na cruz: “Está terminado”, ain-
mais atenção em como eu gastava o meu da que muito da obra do reino estivesse
tempo e, em particular, as horas destina- incompleta. Ele explica que Jesus pôde
das ao trabalho. Descobri que, na maioria falar assim porque havia feito “toda a obra
das vezes, eu fazia coisas boas! Reorga- que o Pai lhe dera a fazer”. A conexão
nizava minha mesa, respondia cartas, fa- com meu pecado estava clara: a menos
zia um balanço do talão de cheques, en- que eu estivesse fazendo o que Deus me
saiava músicas no violão. Claro que havia chamou a fazer, estaria procrastinando.
também atividades menos nobres espalha- Quando procrastino, estou na verdade in-
das aqui e ali: uma ou mais horas de TV, trometendo-me em coisas “ao redor”.
petiscos, passeios pela Internet procuran-
do coisas de que eu não precisava. Mas Indo mais a fundo
percebi que as atividades “boas” me leva- Dei-me conta de que eu estava come-
vam a justificar minha procrastinação çando a “decifrar” a mim mesmo. Mas
como um mal necessário para um rapaz ainda era muito cedo no semestre para
sobrecarregado de trabalho. crer que eu estivesse finalmente com as
Na mesma época, eu estava também coisas sob controle. Descobri que havia
pesquisando o assunto trabalho nas Es- muito chão pela frente quando voltei a es-
crituras. Não fiquei surpreso quando en- corregar descaradamente na procrastinação
contrei vários textos recomendando o tra- - embora, a princípio, fosse fácil controlar a
balho árduo. Um deles, em particular, des- situação. Quando dei de frente com a épo-
tacou-se para mim: 2 Tessalonicenses 3.11 ca de entrega de trabalhos, tudo caiu rapi-
descreve um grupo de ociosos ou intro- damente por terra. Percebi que eu estava
Coletâneas de Aconselhamento Bíblico vol. 4 132
novamente empurrando os trabalhos para ou os dentes tiverem acabado de nascer,
as noites que antecediam os prazos finais ou ela deixar as fraldas - então terei tem-
- tudo como antes. Ironicamente, eu ainda po para voltar a fazer exercício físico.”
tinha que fazer uma tarefa para a matéria Quando pararmos de viajar com tanta
de aconselhamento. Com relutância, vol- freqüência e estabelecermos uma rotina
tei a mergulhar na questão da semanal, então poderei começar meus dias
procrastinação, dessa vez tentando ir mais com oração” “Eu seria um rapaz bem mais
a fundo. Não foi muito difícil começar a disciplinado se tivesse um mentor que me
identificar algumas coisas. O orgulho es- mostrasse como proceder.” E então as
tava certamente operando: cada vez que frases realmente mais sinistras começa-
eu virava uma noite para acabar um tra- ram a vir à tona. “Se minha esposa fosse
balho, eu estava protegendo minha repu- mais disciplinada, eu teria menos a fazer
tação diante de amigos e professores. O em casa.” “Se meus amigos se importas-
temor ao homem estava intimamente re- sem o bastante para me confrontar a res-
lacionado. Quando tive aqueles leves ata- peito dessa questão, eu não lutaria tanto
ques de pânico, o medo da desaprovação com isso.” “Se meus pais tivessem sido
de outros era dominante em minha mente. modelo de melhores hábitos de trabalho,
Preguiça não era o aspecto central, mas eu agora estaria anos luz à frente.”
certamente fazia parte. Às vezes, eu sim- Por último, descobri uma lista de des-
plesmente não queria fazer alguma coisa. culpas que caracterizavam meu jeito de
A busca do prazer e o escapismo tinham trabalhar. “Esse semestre já está sendo
lugar também, embora eu me limitasse a mesmo um fracasso, então vou deixar para
prazeres aceitáveis como assistir TV ou investir no próximo semestre e começar
comer petiscos. com a página em branco.” “O primeiro
Identificar essas tendências do meu dia do mês será um bom dia para come-
coração pareceu-me útil, mas eu ainda não çar.” “Vou colocar o despertador e fazer
estava satisfeito. Minhas descobertas até isso amanhã.”
aquele ponto não só me intimidavam Agora sim, aqueles termos vagos como
(Como eu iria atacar o orgulho?), como orgulho e escapismo estavam ganhando
também estavam relacionadas a aspectos contornos mais específicos, e não eram
do meu coração, enquanto que eu estava quadros bonitos. Comecei a ver minha
em busca de fatores externos que tives- estultícia, racionalização e auto-engano por
sem um papel chave no problema. todos os lados. Comecei a ficar desespe-
Voltando a atenção para fora de mim rado, embora eu ainda me apegasse em
mesmo, eu facilmente compus uma longa vão à esperança de que as coisas ficariam
lista de “se apenas”- circunstâncias que, melhores se eu pudesse simplesmente co-
se mudassem, fariam com que tudo ficas- locar a cabeça no lugar.
se melhor. A doença de minha esposa es-
tava no topo da lista, seguida das pressões Verdades teológicas
financeiras por estar fazendo o curso de Minha cabeça precisava, sim, de ali-
mestrado e da nossa situação ainda inde- nhamento. Mas se tratava de alinhamento
finida quanto ao futuro ministerial. teológico. Sou grato a Deus porque Ele
A lista começou a crescer. “Tão logo não me deixou sozinho com minha Bíblia.
nossa filha passar a dormir a noite toda, Pela leitura de livros e artigos de diversos
133 Coletâneas de Aconselhamento Bíblico vol. 4
autores, e ouvindo as palavras de meus estudos no seminário já tinham começado
professores e as pregações de meu pas- a me ensinar que arrependimento é um
tor, comecei a confrontar a minha falta de dom gracioso e um elemento básico da vida
confiança em algumas verdades essenci- cristã. Mas agora, em lugar de simples-
ais da fé cristã. mente arrepender-me de atos identifica-
A questão mais significativa foi minha dos claramente como pecado, eu também
tendência de duvidar de que Deus poderia comecei a me arrepender de atitudes e
operar uma mudança em mim, o que por si disposições do meu coração.
só era uma expressão do meu orgulho. Eu Quando descobri mais detalhes de
não duvidava da minha salvação; eu sim- como eu racionalizava e apegava-me aos
plesmente duvidava de que muita mudança meus hábitos de procrastinação, percebi
seria possível aqui na terra. Se havia um que não eram poucas as atitudes das quais
“velho homem” e um “novo homem” den- eu precisava me arrepender. Eu não tinha
tro de mim, minha idéia era de que o velho mais medo de encarar meus pecados, ago-
homem claramente levava vantagem. Mas ra que eu conhecia o verdadeiro alívio de
simplesmente não era verdade. Fui levá-los regularmente à cruz. Dois ami-
relembrado de que o Novo Testamento re- gos do seminário formavam meu grupo de
petidamente caracteriza a salvação como prestação de contas semanal - confessá-
uma mudança decisiva da morte para a vida, vamos nossas falhas e nos arrependíamos
da escravidão para a condição de filho (cf. diante de Deus. Comecei a viver o verda-
1 Jo 3.14, Rm 6.6). Embora a “árvore” da deiro perdão de Deus, e isso me libertou
minha vida sempre dará alguns espinhos, para buscá-LO com maior fervor.
sou basicamente uma árvore frutífera. Em Fiquei convencido de que arrependi-
Cristo, aconteceu um trabalho de mento é sempre o primeiro passo no pro-
reengenharia genética para produzir o fru- cesso de mudança. Sem arrependimento,
to do Espírito - e domínio próprio é parte eu era um homem movido pela culpa, con-
dele! (cf. Gl 5.22) fiante em minha própria força e com uma
Para que eu não me voltasse para um percepção distorcida do problema. Com
triunfalismo superficial (como tendo a fa- arrependimento, passei a ser um homem
zer), também fui relembrado de que a movido pela graça, confiante na força de
santificação, de acordo com as Escrituras, Deus e com uma percepção mais bíblica
é um processo. Eu sempre disse que cria dos meus problemas.
nisso - “ninguém é perfeito” é uma verda- À medida que eu o expressei com
de evidente em qualquer cultura - mas na maior regularidade, meu arrependimento
prática, minha expectativa era de uma ganhou um caráter mais positivo e voltado
santificação mais imediata. O desejo contí- para o crescimento. Enquanto orava pe-
nuo de que o meu pecado fosse eliminado dindo perdão a Deus, eu já pensava em
em um piscar de olhos expôs a impaciência situações futuras em que eu seria tentado
e a preguiça que faziam parte de minha in- da mesma forma e pedia forças para agir
credulidade na santificação progressiva. com sabedoria quando elas chegassem.
À medida que reconheci minha incre- Deus respondeu às minhas orações e,
dulidade, minha pergunta passou a ser: “O de fato, eu comecei a mudar. Até minha
que vou fazer com isso”. E a resposta, sem esposa percebeu. Em lugar de esforçar-
medo de erro, foi: “Arrependa-se”. Meus me para completar cada pequena tarefa
Coletâneas de Aconselhamento Bíblico vol. 4 134
ao meu redor - ou parar até que a próxima dizado não se concentrou tanto em “deci-
“página em branco” chegasse - eu me em- frar” meu coração, mas em como deixar
penhava para concentrar nas prioridades. que ele fosse controlado por Deus. Dei-
Agora meu tempo de oração estava no me conta de que não existe uma parte
topo da lista, seguido pelo tempo com mi- completamente santificada em mim, que
nha família e pelas horas necessárias de pode diagnosticar com perfeição e tratar
sono. Os trabalhos do seminário vinham a a parte pecaminosa. Meu coração não é
seguir e, embora não fossem tão bons em nada confiável - como disse Jeremias,
quanto poderiam ser, também não eram “enganoso é o coração mais do que todas
maus. Eu aprendi muito naquele semestre. as coisas” (Jr 17.9). Mas reconhecer que
não posso confiar em meu coração fez
Mudanças em andamento crescer minha apreciação pelos meios de
Nos últimos dois anos, continuei a cres- santificação que Deus proporcionou no
cer no entendimento da procrastinação e corpo de Cristo, particularmente meus
reconheci o impacto que ela tem sobre ou- amigos mais íntimos que têm um convite
tras pessoas. Voltando ao texto de 2 permanente para apontar meu pecado e
Tessalonicenses sobre os intrometidos, des- me lembrar do evangelho de Cristo. Quan-
cobri um texto anterior que explica por que do tenho muito trabalho para ser feito den-
Paulo tratou a questão com tanta serieda- tro de determinado prazo, e estou sobre-
de: “de modo que vos porteis com dignida- carregado, peço que eles me encorajem a
de para com os de fora e de nada venhais a prosseguir com diligência. Saber o quan-
precisar” (1 Ts 4.12). Em outras palavras, do preciso desse empurrão deu-me maior
tanto o meu testemunho diante de descren- coragem para fazer o mesmo por eles “fa-
tes como o meu amor pela Igreja (para não lando a verdade em amor” (Ef 4.15).
mencionar minha família) estavam mancha- Assim como eu ignorava amplamente
dos pela procrastinação. as maquinações do meu coração, eu tam-
Identificar meus erros nessas áreas não bém não estava sabendo discernir as con-
resultou apenas em arrependimento, mas seqüências de negligenciar e abusar do meu
também em uma nova conscientização das corpo. No ano passado, comecei a correr
conseqüências do meu pecado. Menos ce- três vezes por semana com um amigo ínti-
gado pela ansiedade dos trabalhos de últi- mo. Ambos nos tornamos melhores
ma hora, pude ver como eu havia sido in- mordomos de nossa saúde física e perdi
sensível em sobrecarregar minha esposa e cerca de catorze quilos. Ainda não colo-
filhas. Comecei a ver quantas oportunida- quei inteiramente de lado os petiscos, mas
des para amar e servir outras pessoas eu passei a me alimentar de maneira muito
estava perdendo devido à desordem na mi- mais saudável, e meu nível de energia está
nha vida. Cada vez que eu quebrava um mais estável.
compromisso ou cumpria um prazo final de Semelhantemente, vejo agora o sono
maneira insatisfatória, eu via como isso re- como uma responsabilidade dada por Deus,
fletia mal o caráter de Deus diante de um e não algo que eu possa sacrificar sem
mundo que já não acredita em Seu povo - e custo algum. Quando tenho que fazer tra-
por boas razões. balhos de última hora (o que ainda acon-
À medida que minha batalha com a tece, sinto muito!), em lugar de ficar acor-
procrastinação amadureceu, meu apren- dado durante a noite toda, deito-me por
135 Coletâneas de Aconselhamento Bíblico vol. 4
volta das nove da noite e me levanto às mente. Uma das maiores incoerências da
quatro da manhã. Aproveito sete horas de minha procrastinação é a diligência pró-
sono e depois, descansado, tenho várias ativa em algumas áreas, particularmente
horas para concentrar sossegado nos es- aquelas relacionadas a dinheiro e bens ma-
tudos. Sempre me considerei uma pessoa teriais. Sempre paguei minhas contas an-
“noturna”, mas descobri que trabalho com tes do prazo, entrego meu imposto de ren-
maior eficiência no período da manhã. da com um mês de antecedência, faço a
Seguir uma agenda mais semelhante à de revisão do meu carro de acordo com o ca-
minha esposa também aumentou nosso lendário do fabricante e conserto os equi-
senso de companheirismo. pamentos de casa imediatamente quando
quebram. Nenhuma dessas coisas é erra-
O caminho à frente da, claro, mas tudo o que é feito “religiosa-
Sou profundamente grato pela mudan- mente” certamente tem implicações religiosas.
ça que Deus está operando em mim, em- Estou diante de possíveis traços de um ape-
bora ainda haja muito para trabalhar. Nes- go idólatra à segurança que encontro no
te exato momento, enquanto escrevo este dinheiro e nos bens materiais.
artigo, ainda luto com o desejo de Progredir na luta contra a
procrastinar. Todos aqueles anos de traba- procrastinação pode me proteger do temor
lho sob pressão fizeram com que o traba- aos homens - embora meu desejo de ser
lho adiantado se tornasse algo pouco natu- respeitado pelas pessoas seja ainda inten-
ral e ineficiente. Meu novo ideal é traba- so. Eu detesto ter que confessar meus er-
lhar com a mesma intensidade e a concen- ros, até para minha esposa, que me conhe-
tração do último minuto, mas bem antes do ce melhor do que qualquer um outro. E
prazo final. Eu ainda não faço isso muito quando tenho que confessar, percebo que
bem, e a Lei de Parkinson continua a ator- tenho o hábito de “produzir” os detalhes -
mentar meus melhores esforços. se fiquei acordado até 1:59 da manhã, eu
Também preciso lembrar continuamen- posso lhe dizer que fui para cama por volta
te as várias lições que mencionei aqui, es- da uma. Essa tendência está parecendo um
pecialmente as teológicas. É fácil deixar de grande iceberg em minha vida e estou per-
lado o espírito de arrependimento quando plexo diante do quanto ainda está submerso.
não há pecados visíveis presentes no dia-
a-dia. A complacência é algo de que devo Conclusão
me arrepender, pedindo continuamente que Tenho desenvolvido minha salvação
Deus “sonde e conheça o meu coração” “com temor e tremor”, mas com esperan-
(Sl 139.23). Assim como já confrontei mi- ça e confiança de que “Deus é quem
nha incredulidade com relação ao poder de efetua em mim tanto o querer como o re-
Deus para me mudar, agora preciso con- alizar, segundo a sua boa vontade” (Fp
frontar minha incredulidade com relação a 2.12, 13). A procrastinação é uma de mi-
Ele querer me mudar “mais e mais” (cf. 1 nhas tendências características, mas não
Ts 4.1). Ainda sou preguiçoso, orgulhoso e é a única área em que preciso de mudan-
com tendêndia ao escapismo, e esses de- ça. Preparando-me para o ministério pas-
sejos não me deixarão nesta vida. toral, anseio por um estilo de vida voltado
Há certamente outros desejos no meu para os outros. Quero temer a Deus e de-
coração que eu ainda não examinei inteira- sejo agradá-LO mais que a qualquer outro.
Coletâneas de Aconselhamento Bíblico vol. 4 136
Quero conhecer mais a Cristo (Fp 3.10) e Não será fácil, mas estou confiante de
tornar-me mais semelhante a Ele, para que que Deus o fará, porque Ele o prometeu.
outros venham a conhecê-LO também. E Ele não procrastina.

137 Coletâneas de Aconselhamento Bíblico vol. 4