Você está na página 1de 11

Departamento de Eletromecânica – DELMAX

1º MEC-B

João Paulo Batista


Luana Sarah Simão
Wilker Humberto Pereira

Metalografia: Análise de Material

Araxá
2018
Introdução:
A microestrutura tem uma forte influência sobre as propriedades mecânicas e
no sucesso da aplicação dos metais e ligas. A determinação e o controle da
microestrutura requerem o uso do exame metalográfico.
A observação metalográfica oferece informações básicas de estruturas dos
materiais em estudo, favorecendo a prévia de possíveis problemas que essas
peças possam causar durante o uso em uma estrutura.
A metalografia então se divide em dois tipos básicos:
Macrográfico: Que examina o aspecto de uma superfície após devidamente
lixada e atacada por um reagente adequado. Por seu intermédio tem-se uma
ideia do conjunto, referente á homogeneidade do material, a distribuição e
natureza das falhas, impureza e ao processo de fabricação.
Micrográfico: Consiste no estudo dos produtos metalúrgicos, com o auxilio do
microscópio, onde se pode observar e identificar a granulação do material, a
natureza, a forma, a quantidade, e a distribuição dos diversos constituintes ou
de certas inclusões.
Análise Macrográfica:
Recebemos a amostra dia 13/08/18, foi detectado a olho nu alguns
defeitos, apresentava porosidade, deformações e oxidação. Observamos que a
amostra se tratava de algum tipo de aço, mas ainda não era possível
especificá-lo corretamente.

Lixamento:
O processo de lixamento da amostra iniciou no dia 20/08/18, onde foi
realizado o primeiro lixamento, utilizando a lixa No 80, máquina Panambra DP-
10, rotação de 300RPM, água como lubrificante, com duração de 4min e 30s.

Iríamos continuar o lixamento no dia 27/08/18, mas houve um problema


com a chave do armário onde fica as lixas, então foi possiível apenas tirar a
oxidação da peça ainda com a lixa Nº80, rotação de 300RPM e água como
lubrificante.
No dia 10/08/18 voltamos com o lixamento, foram seis etapas com
diferentes tipos de lixa.
Segundo lixamento: utilizamos a lixa Nº120, continuamos com a
mesma rotação de 300RPM, água como lubrificante, durante 5min e 42s.
Retiramos toda a oxidação e deixamos a superfície com o aspecto mais liso.

Terceiro lixamento: utilizamos a lixa Nº180, rotação de 300RPM, água


como lubrificante, durante 6min e 20s. Durante o lixamento apresentou alguns
arranhões e foi preciso mudar a posição da peça para retira-los.
Quarto lixamento: utilizamos a lixa Nº320, rotação de 300RPM, água
como lubrificante, durante 3min e 20s.

Quinto lixamento: utilizamos a lixa Nº360, rotação de 300RPM, água


como lubrificante, durante 4min e 16s.

Após o quarto e quinto lixamento, a amostra apresentou melhor


acabamento.
Sexto lixamento: utilizamos a lixa Nº500, rotação de 300RPM, água
como lubrificante, durante 3min e 30s. A amostra escapou da mão de um dos
integrantes do grupo, após isso observamos que ela apresentou alguns sinais
de oxidação.
Sétimo lixamento: utilizamos a lixa Nº800, rotação de 300RPM, água
como lubrificante, durante 4min e 20s. Eliminamos os sinais de oxidação
deixando a amostra com um melhor acabamento.

No dia 22/10/18 encontramos nossa amostra com oxidação e algumas


imperfeições, voltamos as ultimas etapas de lixamento e iniciamos o polimento.

Oitavo lixamento: utilizamos a lixa Nº1200, rotação de 600RPM, água


como lubrificante, duração 5min e 10 s. Assim retiramos toda a oxidação
deixando a superfície lisa e sem impurezas.
Nono lixamento: utilizamos a lixa Nº4000, rotação 600RPM, água como
lubrificante, duração 3min e 45s.

Assim, finalizamos as etapas de lixamento, deixando a amostra pronta


para o inicio do polimento.
Inicio do polimento: utilizamos pano de polimento, rotação de 600RPM,
lubrificando-a com lubrificante para polimento+alumina e água, durante 5min.
Após o processo lavamos com água e secamos no papel.

Ao observarmos no microscópio,analisamos presença de cometas na


amostra.
No dia 05/11/18 continuamos o polimento.
Segunda etapa do polimento: utilizamos água para controle do
aquecimento, 2 tampas de lubrificante, 4 tampas de Alumina(0,5µ), rotação de
600RPM, durante 10min.

Após 7min foi necessário virar a amostra para eliminar os cometas


encontrados no primeiro polimento, foi necessário aumentar o fluxo de água
para lavar a amostra e o pano de polimento.

Ao analisarmos novamente no microscópio, observamos que na seção


defeituosa apresenta maior número de cometas, já a sem defeitos
conseguimos diminuir o número de cometas encontrado no polimento anterior.
Terceira etapa de polimento: utilizamos rotação de 600RPM, 2 tampas
de Alumina (0,05µ), 2 tampas de lubrificante, duração de 10 min. Durante o
período a peça escapou duas vezes devido a falta de aderência.

Analisando novamente no microcópio, observamos que conseguimos


diminuir o número de cometas.
Análise Micrográfica:
O ataque tem como finalidade possibilitar a observação da
microestrutura, a disposição do grão e sua composição.
No dia 12/11/18 realizamos o ataque, foram necessário dois tipos de
ataque, pois no primeiro ataque não conseguimos visualizar a sua
microestrutura.

Primeiro ataque: com Água Régia, por esfregamento. Posteriormente


lavada e seca.

Não foi possível observar a microestrutura no primeiro ataque, como


mostra a figura acima. Assim, possibilitando um segundo ataque.
Segundo ataque: com Nital 10%, por esfregamento. Posteriormente
lavada e seca.

Com o segundo ataque foi possível enxergar nitidamente sua


microestrutura. Sua microestrutura apresenta Ferrita (parte clara) Perlita (parte
escura), sendo um aço baixo carbono.

Conclusão:
As análises metalográficas consiste em analisar as microestruturas, para dessa
forma avaliar suas propriedades e melhor dimensionar a cada aplicação.
A amostra recebida por nosso grupo, trata-se de um aço baixo carbono, por
conter maior concentração de ferrita em sua micro estrutura.