Você está na página 1de 238

1ª edição: Setembro 2009 2ª edição: Março 2010

© 2009, Maria Colodrón

© 2009 Editorial Desclée Brouwer, SA Henao,

6-48009

www.edesclee.com

info@edesclee.com

ISBN: 978-84-330-3548-6

Qualquer reprodução, distribuição, comunicação pública e transformação deste trabalho só pode ser feito com o consentimento de seus proprietários, salvo disposição legal em contrário.

IrIrIr paraparapara CEDROCEDROCEDRO (Centro(Centro(Centro EspanholEspanholEspanhol dedede DireitosDireitosDireitos reprografiareprografiareprografia --- www.cedro.orgwww.cedro.orgwww.cedro.org -),-),-), sesese vocêvocêvocê precisaprecisaprecisa paraparapara fazerfazerfazer fotocópiasfotocópiasfotocópias ououou digitalizardigitalizardigitalizar qualquer fragmento deste trabalho.

Obter todos os nossos ebooks www. ebooks. edesclee. com
Obter todos os nossos ebooks
www. ebooks. edesclee. com

Eric

e Candela, Carlota, Gabriel e Lucas Li.

Agradecimentos

Obrigado à vida que me tem dado tanto…

Meus agradecimentos a Loretta Cornejo e Manuel Guerrero por sua paciência e apoio durante todo o processo de conversão de algumas notas em um livro "real". Obrigado por suas palavras de encorajamento em tempos difíceis e também por me rapidamente quando necessário.

Obrigado Pedro por ter influenciado os "bonecos" tornaram-se a minha principal ferramenta.

Silvia Obrigado por assinar desde o início para as bonecas cursos de aventura e ser um companheiro incansável e divertida viagem. Sou especialmente grato a todos os meus clientes e alunos a confiar no meu trabalho, por me permitir viver em uma atividade que eu gosto e me forçar a continuar a aprender todos os dias.

Tenho que agradecer a muitos autores e terapeutas para o legado de seu pensamento e sua técnica: Jung, Kelly, Bateson, Watzlawick, Erickson, Haley, Hellinger e muitos outros que estenderam o meu olhar terapêutico. Finalmente a minha mais profunda gratidão a meus pais, para tudo

eles me deram eo que não foi dada. Meus avós para me apresentar os mistérios do amor, dor, morte e aventura do ser humano. Para todos aqueles que me permitiu ser quem eu sou e que a vida veio a mim como ele é, obrigado.

PRIMEIRA PARTE

As bonecas como ferramenta

trabalho

1.

introdução

Gosto de brincar com bonecas Playmobil por um longo tempo. São os primeiros jogos que pouco meu irmão e eu compartilhados. Naquele tempo "Famobil cliques" foram chamados. Minha mãe caixa de papelão, quadrado e grande alinhado, e não nos encaixamos jeans e piratas, a caravana e helicóptero e até mesmo animais do jardim zoológico. Eu gostei especialmente jogando casa e famílias. Ele coloca a mães e pais com seus filhos e móveis de distribuição e luminárias em todos os cantos da sala de estar da nossa casa. Uma vez nomeado as bonecas e determinou seus parentes, eu inventei uma história sobre suas vidas: empregos, relacionamentos, até mesmo personagens. Montado o palco e delineou o roteiro, eu me aposentei e foi meu irmão que estava jogando como um encenador até que eles nos chamou para jantar.

Alguns anos (e quase um par de vidas), então eu trabalhava como terapeuta no Departamento of Applied Psychology UNED. Tivemos à nossa disposição muitos bibliográficas, psicometria e recursos materiais de todos os tipos. Entre eles me chamou especialmente

atenção um conjunto de bonecas de madeira, uma família com avós, pais, duas crianças e um bebê. Eu pensei que era para trabalhar em consulta e parecia uma grande idéia. Parecia algo que as "esculturas familiares" e também tinha ouvido falar sobre a "dramatização terapêutica". Então eu comecei a tentar obtê-los em minhas sessões de vez em quando. Depois que eu usei para ter na mão, eu descobri que aqueles eram brinquedos para crianças que vieram para ver, para se divertir enquanto os pais estavam com o psicólogo de plantão ou era tempo para a sua nomeação. Então, eu tinha de "voltar" para a gaveta de entretenimento para crianças. Como tive já gostava deles, especialmente na segunda rodada para avaliar num relance (literalmente) a situação da família do cliente, Fui para que a caixa de papelão forrada minha mãe e minha filha mais velha tinha herdado. Eu fiz com ela o que me deixou para o trabalho e quais ela era jogar. Devo admitir que era muito generoso e ainda agora nós também construiu meu pequeno carinho pela filha PLAYMOBIL, wheeling e lidar com eles: "Mãe você muda um bebê para duas crianças"; "Mãe, eu dou a minha princesa se você me deixar jogar com o seu indiano." Alguns anos atrás, ouvi um nome (graças Alfonso!) Eu lhe emprestar minha princesa se você me deixar jogar com o seu indiano. " Alguns anos atrás, ouvi um nome (graças Alfonso!) Eu lhe emprestar minha princesa se você me deixar jogar com o seu indiano. " Alguns anos atrás, ouvi um nome (graças Alfonso!)

ele

esotérica bastante longe de psicologia clínica, embora claramente contextualizada no campo terapêutico, de interesse:

constelaçõesconstelações familiares.familiares. AA formaforma comocomo nosnos romancesromances éé chamadochamado dede "intuição","intuição", pensavapensava como eu me sentia, ou talvez sentiu como eu pensei, "Essa é a minha coisa." Então, sem saber nada sobre as ordens do amor, não ter lido qualquer livro por Bert Hellinger e menos ainda ter frequentado uma de suas oficinas de multidões, eu entrei no meu primeiro treinamento em constelações familiares com Peter Bourquin. Vem depressa fascínio com o trabalho das constelações, em seguida, acompanhados por uma crise pessoal e profissional; então, mais treinamento e aprender diferentes abordagens e formas de trabalhar e de viver constelações sistêmicas. Como costumo dizer aos meus seminários, eu aprendi com Hellinger

quebrar todos os tabus que me tinha criado para a terapia. Com Daan van Kam-penhaut eu aprendi a quebrar todos os tabus que me tinha criado sobre as constelações. Grama Anke eu finalmente aprendi a respeitar meus valores e princípios, sem criar mais tabus.

Embora o meu processo de se apaixonar, decepção, reunião de rejeição e integração com Constelações tem sido longo e árduo, o que eu logo percebi é que eu tinha encontrado o ideal para trabalhar com as bonecas em quadro de consulta. Constelações me permitiu entender as regras do jogo que há muito estava convidando jogar meus clientes. Antes de começar facilitando oficinas constelações, e usou as bonecas para ver a dinâmica do problema, procurar uma solução em conjunto imagem e restaurar os pedidos dos clientes que permitem relações mais harmoniosas no seio da família. Eu também descobri que as bonecas me permitiu desenvolver sessões de supervisão com terapeutas em treinamento e estagiários Aplicado Serviço de Psicologia forma muito mais ágil e didática. Assim que, curiosidades da vida, eu sou atualmente "especializada" em bonecas. Na loja de brinquedos ao lado de minha casa eu tenho como um de seus clientes favoritos, e eu gosto de ver a surpresa de amigos e colegas de minhas filhas quando eles explicá-los para a vida de sua mãe "brincando com playmobil" ganhar.

Houve um tempo, eu também tenho que admitir que eu não gostava muito que ser considerado o "Bonecos de neve". Eu me senti um pouco condenado maneira de me dedicar ao "irmãzinha" das constelações, uma espécie de prêmio de consolação para quem não facilitar oficinas com pessoas (como Eric diria, meu parceiro, "tudo é vaidade, única vaidade") . Durante esse período eu parei de usar fantoches em terapia e, enquanto continua a oferecer treinamento e apreciado, sentiu algum desconforto. Finalmente, tudo voltou ao normal e descobriu que

quanto mais eu trabalhava com bonecas melhor eu me senti grupos e vice-versa (como ditado pelo aforismo Mason Cooley, constelando "a vaidade bem alimentado é benevolente, vaidade fome é déspota" e, certamente, a confiança dos meus clientes, meus alunos e meus companheiros tranquilizou-me o meu ego e um ainda maior prazer). Através da prática esta técnica em diferentes fases do processo psicoterapêutico em constelações consultas de aconselhamento ou familiares individuais, em cursos e supervisões, foi aprimorando minha capacidade de perceber a linguagem corporal, a leitura entre cliente linhas discurso para esperar nossa hora e não se apresse, para acompanhar a outra pessoa na alegria e na tristeza,

Nos cursos que eu não ensina viver psicólogos e terapeutas treinados em constelações com constellators, muitos deles formados em psicologia. Eu acho que seus olhares diferentes, e fundos pessoais e profissionais enriquecer grandemente os processos e treinamento do grupo. Eu gosto especialmente quando alguém me pergunta sobre um termo que eu assumo e não necessariamente compartilhar ambos os grupos de alunos. Por exemplo, na última

aula, um estudante de psicologia acadêmica do tribunal cognitivo-comportamental, apontei estas insinuações entre o mundo dos constellators simplesmente dizer "por favor, eu você pode traduzir cristão?". Além disso, muitos estudantes que vêm do mundo das constelações são surpreendidos ao ouvir do construtivismo Kelly, de imagens de cura Erickson, prescrições paradoxais de Watzlawick eo Palo Alto

e muitos outros conceitos e técnicas que Hellinger utilizados no desenvolvimento das constelações e psicólogos sabem o nosso caminho através da corrida. A fim

de abordar estes dois tipos de interesses e formações anteriores, complementares

e não de todo incompatível o livro é dividido em duas partes. No primeiro

parte de giro em geral com bonecas e aplicações de diferentes abordagens terapêuticas está contemplada. A segunda parte inclui as diferentes formas de aplicar as constelações familiares em sessão individual. Entre as várias formas de aplicação Eu uso especial ênfase em valores como objetos de representação, ou seja, o uso de bonecas.

Este livro é parte do ano notas após ano têm sido promissores os alunos que necessitam de tanto me continuar aprendendo. É por isso que nasce, muito corajosamente, uma certa timidez e duvido falta de jeito, um tanto local complicado (como condensar explicações orais, discussões compartilhadas, reflexões jogado para o ar e perguntas caçado mosca!) E configurado, um circo de três anéis, acrobacias ou malabarismo e corda bamba entre acadêmica e informativa, entre a técnica ea prática, a partir da experiência acumulada e descoberta contínua.

2

O uso de bonecos no espaço

terapêutico

TrabalhandoTrabalhandoTrabalhandoTrabalhando comcomcomcom bonecasbonecasbonecasbonecas [[[[ 1]1]1]1] EleEleEleEle éééé usarusarusarusar umaumaumauma ferramentaferramentaferramentaferramenta tipotipotipotipo simbólico.simbólico.simbólico.simbólico. AoAoAoAo trabalhar com bonecos que representam metaforicamente e visualmente. As bonecas podem representar elementos de um sistema (pessoas ou conceitos) ea localização dos vários elementos, referindo-se a outros, é uma representação da dinâmica relacional. Dolls, visualmente elementos e dinâmicas de exibição, permitem objectivar, exteriorizar múltiplas dimensões ou aspectos da realidade pessoal do cliente. Este ato de tirar, para capacitá-lo sem contar, para apresentar um atemporal e não-seqüencial realmente facilita a três tipos de processos fundamentais no espaço terapêutico que sugiro aos meus clientes:

2.1. Um processo de integração pessoal

Pode-se considerar que, de certa forma, uma das pedras angulares

um processo terapêutico é que o cliente irá expandir o conhecimento que você tem sobre si mesmo, para que mais pode ser melhor sobre si mesmo e tomar mais cuidado de acordo com as suas necessidades. Muitas vezes, o fato de "não saber" tem a ver com os problemas que a pessoa exclui-se. As razões e mecanismos pelos quais uma pessoa pode excluir traços, sentimentos, eventos de vida, qualidades, estados e / ou circunstâncias, são muitas cores. Entre eles destacam tentativas de evitar dor envolvendo certas experiências e emoções (vergonha, culpa, rejeição, frustração, etc.). Se por ter vivido certos eventos onde a pessoa tem experimentado emoções intensas e desagradáveis ​​e que você não quer recordar, pelo condicionamento criado a partir desses episódios biográficos,

Ao mesmo tempo as pessoas a evitar a dor, nós nos esforçamos para alcançar o reconhecimento ea valorização dos que nos rodeiam. Em grande parte, a necessidade de afecto, e os mecanismos de fixação e de ligação, são inerentes ao ser humano e facilitar, nomeadamente, o desenvolvimento do indivíduo (e espécies) como um membro de um grupo no qual tem de socialização e aprender aaa viverviverviver juntos.juntos.juntos. NoNoNo entanto,entanto,entanto, essaessaessa tendênciatendênciatendência naturalnaturalnatural paraparapara desejabilidadedesejabilidadedesejabilidade socialsocialsocial eee buscando aprovação e reconhecimento, ele destaca a linha tênue entre a capacidade de viver construtivamente nossa natureza (com suas inúmeras possibilidades e não muito menos limitações) de fazer uma nociva e destrutiva para nós mesmos e nosso ambiente. Então, muitas vezes e facilmente, que tendem a subordinar a nossa identidade e nosso olhar bem-estar social. Quando a necessidade de aprovação é elevada a uma maior necessidade de ser honesto com nós mesmos hierarquia e torna-se o

principal o único criterio de decisión en nuestra vida cotidiana, debemos plantearnos cual es el precio que estamos pagando o con qué factura nos encontraremos algún día. Posiblemente este precio tenga que ver con los efectos de haber excluido aspectos de nosotros mismos que no nos parecían aceptables, atractivos o valiosos. Al mantener apartados determinados rasgos o aspectos de nosotros mismos, nos vemos reducidos a funcionarfuncionar comocomo personaspersonas incompletas,incompletas, potenciándosepotenciándose asíasí elel circulocirculo viciosovicioso dede cuántocuánto

menos identidad propia tengo, más inseguro me siento y más necesitado estoy de la aprobación de los demás.

Algunos casos que han llegado últimamente a mi consulta y que ejemplifican estos mecanismos son:

Una mujer diagnosticada desde hace 15 años con esclerosis múltiple y que no es capaz de nombrar su enfermedad. En el trabajo con muñecos se observaba que la figura que le representaba a ella daba la espalda a la que representaba la enfermedad.

Un hombre de 29 años que había sufrido las burlas de sus compañeros de escuela y que actualmente no podía mantener relaciones de amistad y tendía a enfrentarse verbalmente ante cualquier señal que interpretara de “abuso”. En el trabajo de muñecos fue impactante el efecto que tuvo que la figura de él como adulto abrazara a la figura que le representaba como niño; en sesiones posteriores hacía referencia a esa imagen como un anclaje al que acudir cuando se sentía mal y comentaba que ahora era capaz de acompañarse cuando le dolían las cosas sin abandonarse a través de la ira.

Un hombre de 50 años, alcohólico y ex-heroinómano, con una gran sensibilidad hacia la belleza y el dolor humano. Reprime esta sensibilidad pues la considera poco “masculina”. En el trabajo con muñecos, elige para representar esa parte sensible una muñeca con un vestido blanco y la pone detrás de un muñeco que representa el alcohol que, a su vez, sitúa a la espalda de la figura que le representa a

él.él. AlAl verver lala imagenimagen comentacomenta espontáneamente:espontáneamente: “quizás“quizás necesitenecesite buscarbuscar otraotra formaforma

de protegerme de mi sensibilidad”.

Como se puede observar en los ejemplos comentados, la necesidad de integración de distintosdistintosdistintos aspectosaspectosaspectos dedede lalala personapersonapersona puedepuedepuede serserser dedede tipotipotipo sincrónicosincrónicosincrónico ((( aspectosaspectosaspectos quequeque aparecenaparecenaparecen simultáneamente en un momento dado: polaridades, necesidades personales aparentementeaparentemente pocopoco compatibles,compatibles, unauna enfermedadenfermedad oo unun síntomasíntoma actual,actual, etc.),etc.), oo dede tipotipo diacrónicodiacrónico (( aspectosaspectos queque aparecenaparecen aa lolo largolargo dede unauna evoluciónevolución oo procesoproceso temporal:temporal:

sucesos biográficos como experiencias traumáticas o relaciones afectivas previas, reencuentro con el yo-niño, el yo- adolescente, el yo-actual o incluso la proyección de quien queremos llegar a ser). En cualquier caso, el trabajo con muñecos plasma mediante una metáfora visual este tipo de conflictos, concretando lo abstracto y provocando la vivencia emocional en el presente (aquí-ahora). Ahora bien, una vez que a través de los muñecos se ha mostrado algo, el terapeuta debe retirarse respetando la decisión del cliente de tomarlo o no.

Caso-ejemplo 1: La soledad del triunfador

El presente caso ilustra más detalladamente este tipo de trabajo de búsqueda de integración con la técnica de los muñecos. Se trata de una sesión intermedia de un proceso terapéutico, que finalmente duraría alrededor de dos años. En el inicio de la sesión, el cliente comenta la sensación de soledad que le perseguía desde hacia un tiempo. Relata haber tenido una infancia y una adolescencia feliz y que todo había cambiado en los últimos años. Le planteo un trabajo con muñecos para representar las distintas etapas de su vida y explorar las diferencias que podrían explicar el cambio que él percibía.

Imagen 1.1: Recorrido autobiográfico

Él eligió los muñecos para representarse a sí mismo en distintas edades (uno cada siete

Él eligió los muñecos para representarse a sí mismo en distintas edades (uno cada siete años) y yo los dispuse en una fila desde el nacimiento hasta el momento actual. Luego le pedí que recordara qué le había sucedido importante en cada momento de su vida y que eligiera muñecos para representar lo que ganó y lo que perdió. Por ejemplo, a los 14 años se fue a Estados Unidos con su familia ya que destinaron a su padre allí. Dijo haber ganado una buena experiencia y el aprender inglés y que había perdido a los amigos de aquí.

Lo más interesante de la nueva imagen es que colocó sentados a todos los muñecos que simbolizaban ganancia o pérdida. La sensación evocada era la de mucha soledad y la de que valoraba poco las experiencias vividas, como si no quisiera sentir la pérdida y, por tanto, tampoco pudiera disfrutar plenamente de las ganancias o los logros. Al hacerle esta observación contesta: “no conozco la sensación de fracaso. Siempre he

conseguido todo lo que me he propuesto y si no lo he conseguido es porque no me interesaba lo suficiente”.

Imagen 1.2: Desvalorización de ganancias y pérdidas

Imagen 1.2: Desvalorización de ganancias y pérdidas La intervención siguiente se planteó como una

La intervención siguiente se planteó como una “prueba”, y fue levantar todos los muñecos y colocarlos al lado de cada etapa correspondiente.

Imagen 1.3: Reconocer la ganancia y la pérdida

Le pedí que observara la diferencia en las sensaciones que le provocaba la imagen de

Le pedí que observara la diferencia en las sensaciones que le provocaba la imagen de antes (ganancias y pérdidas sentadas) y la de después (ganancias y pérdidas como acompañantes). Por último, a través de una visualización, se trabajó la sensación de respaldo y de apoyo que daba la experiencia y el aprender de las pérdidas y los fracasos.

Imagen 1.4: El apoyo de la experiencia

2.2. Un proceso de asunción de la propia responsabilidad sobre el cambio Desde la idea

2.2. Un proceso de asunción de la propia responsabilidad sobre el cambio Desde la idea de que el cliente no siempre es responsable de lo que le acontece y que, sin embargo, sí es el único responsable de mantenerlo o cambiarlo, con los muñecos se puede trabajar para que la persona amplíe su visión del problema, contemple cómo su actitud forma parte del mismo, genere y explicite actitudes alternativas y acceda a una imagen de solución, a sentirse esperanzado y capacitado para realizar cambios. Si bien hacerse cargo de los propios actos y sus consecuencias puede formar parte del proceso, lo que creo fundamental es la toma de responsabilidad sobre el propio bienestar. Las personas manejamos múltiples y variadas fórmulas para “echar balones fuera” y no asumir la responsabilidad de hacerlo lo mejor posible para ser felices dadas la circunstancias externas

e internas que a cada cual le toca vivir. Así, es frecuente culpar a los padres o a la

infanciainfanciainfanciainfancia vividavividavividavivida (((( “no“no“no“no supieronsupieronsupieronsupieron educarme”,educarme”,educarme”,educarme”, “no“no“no“no memememe dierondierondierondieron cariño”,cariño”,cariño”,cariño”, “me“me“me“me hicieronhicieronhicieronhicieron daño”daño”daño”daño” ).).).). TamTamTamTam

resulta común justificar la imposibilidad de un cambio personal mediante la creencia de queque elel entornoentorno nono lolo permitirápermitirá oo dede queque nono serviráservirá parapara nadanada (( “da“da igualigual lolo queque hagahaga

porque mi marido no va a cambiar”, “¿de qué me sirve cambiar si no voy a poder hacer lolo queque quiero?”,quiero?”, “si“si dejaradejara dede hacerhacer lolo queque hago,hago, mimi familiafamilia sufriría”…).sufriría”…). OtroOtro tipotipo dede

estrategia para no asumir la responsabilidad sobre nuestro bienestar es atribuirla a otros de manera que otorgamos a los demás el enorme poder de hacernos felices o

infelicesinfelices (( “yo“yo estaríaestaría bienbien sisi mimi hijohijo estuvieraestuviera bien”,bien”, “lo“lo únicoúnico queque necesitonecesito parapara serser felizfeliz es que mi esposa vuelva a mi lado”, “es imposible que pueda estar bien con el jefe que tengo”…).

Além disso, deve-se notar que, intimamente ligada à necessidade de evitar a dor que tem sido discutido na seção anterior, há também uma grande necessidade nos procuram controle sobre o ambiente físico e social. Como resultado desta necessidade, o estado de incerteza é geral e para a maioria das pessoas, altamente aversivo. Uma mudança na nossa perspectiva, a nossa atitude, nosso comportamento ou nossos hábitos assumido, a este nível, introduzir algo novo e desconhecido, portanto, nos faz incerteza. Assim, enquanto possível, temos a tendência de evitar a mudança. Além disso, geralmente a necessidade de controlar as respostas do meio que leva as pessoas a criar e manter comportamentos supersticiosos. Isto é, comportamentos eficazes que nós começamos algo desejável ou para evitar algo desagradável e ainda está além do nosso controle. Um exemplo típico não ir ao médico para se sentir saudável e seguro de doença. Outra não seria montar o elevador para não cair (e, é claro, atribuímos nosso ter "salvo" por não ter ido para ele, por isso não vamos fazer). Também ao contrário, geralmente se comportam de uma forma, por exemplo

maquillándonos todas as manhãs para ir lá fora, podemos atribuir o vizinho nos dizer bom dia gentilmente a este fato (Glad we maquiagem) e não outras razões (que, como nós, que é uma pessoa educada que quer manter um relação cordial que votar nele como presidente dos residentes, etc.). Talvez, não importa quanto o vizinho não nos saudar mas o que se relacionar com uma pessoa importante

parapara nósnós ouou nosnos querquer fazerfazer bem?:bem?: "Se"Se eueu sousou maismais finofino eueu encontrarencontrar oo namorado";namorado"; "Se eu sacrificar para levar o meu filho para a melhor escola vai fazer bem na vida"; "Se eu não sair da minha mãe não gosta de álcool"; "Se você estudar o que meu pai quer estar orgulhoso de mim"

En definitiva, para promover el cambio, necesitamos tener en cuenta que si la persona no ha solucionado antes el asunto que le preocupa no es por falta de interés o de inteligencia. Muchos factores pueden estar dificultando dar el paso: poca confianza en su propia capacidad para hacerlo; miedo a las consecuencias o a las reacciones del entorno; miedo a lo desconocido (“más vale malo conocido que bueno por conocer”); la dificultad de renunciar a las ganancias secundarias (“cuando estoy mal me hacen caso”, “cuando no muestro mis sentimientos no me hacen daño”); …Sin embargo, en el espacio terapéutico, creo (siguiendo los principios del gran Viktor Frankl) que la persona puede encontrar un apoyo, impulso y acompañamiento en el proceso de cambiar, no tanto para ser una persona mejor o distinta sino para ser cada vez más ella misma y vivir su destino con toda la libertad y dignidad posibles.

Caso-Exemplo 2: Quem você prefere mãe?

Este é um exemplo de intervenção mínima com bonecas. É um trabalho com poucas pretensões a priori e onde você pode ver como o desejo de resolver pequenas dificuldades diárias às vezes nos permite expandir o olhar e transformar nossa grandeza desconforto. O cliente trata de sessões bi-semanais destinadas intervenção clínica mais que o acompanha. Esta é uma mulher de 50 anos, sem doença crônica incapacitante. Ela é divorciada e tem duas filhas adultas com a família. Devido a uma série de circunstâncias, está atualmente vivendo com sua mãe e irmão mais velho também sofre de uma doença crônica. Seu pai morreu há vários anos.

Em uma sessão, ele disse, como uma questão que o preocupava, a raiva de seu irmão por pequenas coisas de convivência. Exemplos de conflitos que lhe afetadas colocar o seguinte: seu irmão tinha comido o que ela comprou para sua dieta; Mãe tinha dito que ele estava tomando banho todos os dias quando o cliente sabia que não era verdade. A imagem que me veio foi a de dois meninos que lutam para ser a mãe favorito, por isso propus trabalho com bonecas (tínhamos feito um trabalho anterior com esta técnica) para explorar a situação atual com seu irmão.

Peço-lhe para remover bonecos para representar seus pais, seu irmão e ela mesma e esse lugar. A provisão mostra que:

Os pais são um casal.

a mãe está à direita de Deus.

dois irmãos olhar para seus pais da mesma linha de gerações.

há uma troca de olhares entre pai e filha e mãe-filho.

A imagem evocada foi a existência de uma aliança cruzada entre pai e filha, por um lado, ea mãe e filho, por outro; Assim, a morte do pai este equilíbrio é quebrado e ela se sente em desvantagem em coexistência respeito de seu irmão. I investigado sobre ele e me disse que seu irmão era o favorito da mãe quando eram jovens e todos os irmãos disseram que ela era a favorita do meu pai.

Figura 2.1: crianças favoritos

era a favorita do meu pai. Figura 2.1: crianças favoritos Le pregunto sobre la muerte de

Le pregunto sobre la muerte de su padre y dice estar contenta por haber podido acompañarle durante sus últimos días y despedirse de él. Retraso el muñeco del padre para señalar su ausencia en la vida doméstica actual. Explorando cómo se siente cada uno de los personajes; ella afirma: “mi madre quiere repartirse entre mi hermano y yo, también quiere irse cerca

de mi padre. Yo me siento bien aunque echo mucho de menos a mi padre. Mi hermano se siente como amenazado, como si le pudiera quitar algo. Además no quiere saber nada de nuestro padre, parece como si siguiera enfadado con él. Está muy atento a mi madre, quiere cuidarla y se siente el hombre de la casa”.

I dar uma série de frases de repetir: "Querido irmão, eu respeitá-lo para tê-lo um pouco mais difícil do que eu. Eu poderia dizer adeus ao meu pai e agora eu tenho a chance de desfrutar mais da mãe. Eu me sinto sortuda por isso e para mim não há problema em continuar sendo a mãe favorito, temos de competir, eu já não precisa tomar a sua posição. "

Figura 2.2: O desequilíbrio ocorre pai ao morrer

temos de competir, eu já não precisa tomar a sua posição. " Figura 2.2: O desequilíbrio

No médio prazo, o cliente terá que enfrentar a morte da mãe, para trabalhar com uma imagem que representa a situação no futuro, quando a mãe tem pontas quebradas. Assim, a conscientização do cliente em relação a este não tão remota possibilidade é explorada. O cliente sente-se tranquilizados pela imagem e diz que os pais parecem felizes de conhecer e que olham amorosamente para seu irmão e seu. A respeito de seu irmão diz se sentir mais calmo e raiva se foi, mas se sente um pouco triste, porque ele não tinha reconciliado com seu pai antes de sua morte. Além disso, reafirma o sentimento de gratidão por ter tido a oportunidade de estar com seu pai durante seus últimos dias e desfrutar de sua mãe,

Figura 2.3: pais Algum dia se reunirá

A partir de um ambiente terapêutico mais ortodoxo teria sido aconselhável aumentar a conveniência de

A partir de um ambiente terapêutico mais ortodoxo teria sido aconselhável aumentar a conveniência de um segundo "emancipação" pelo cliente. No entanto, lembrando o ditado "o melhor é o inimigo do bom", podemos considerar que, dadas as circunstâncias, o pacto feito pelo cliente com a realidade é bom o suficiente para esta fase da sua vida. Neste sentido, é importante a idéia de "movimento" em seu processo pessoal, porque a situação colocada coexistência é apresentado como uma solução temporária, com o valor acrescentado de reunir amorosamente com a mãe, que como um impasse ou paralisia .

2.3. Um processo de deslocação dentro de um sistema

Como pode ser visto nas duas seções anteriores, trabalhando com bonecos facilita muito o processo de ampliação da visão de mundo do cliente. Com processos de integração e assumindo a responsabilidade pela mudança em si, considero crucial, especialmente em sessões de aconselhamento, ajudar o cliente a encontrar uma boa posição ou lugar de força dentro de sua família, sistema organizacional ou sócio-histórica. Então, trabalhando a partir de uma perspectiva sistêmica, não só dedicado a rastrear problemas familiares através do tempo e espaço, mas, acima de tudo, os recursos valiosos são dificuldades a superar tanto pessoal e interpessoal. Este processo é útil contar com ordens (e não perder distúrbios de visão) explicitado por Bert Hellinger: quem é excluído, que é colocado acima ou abaixo do que é dado eo que é tomada. I ensinar em cursos sobre o uso de bonecas como uma técnica terapêutica, eu costumo passar algum tempo (embora não tanto quanto eu gostaria) para a construção e gestão de genograma informações. O genograma é um formato para gravação de personagens, eventos

e dados relevantes da árvore genealógica do cliente, levando em conta tanto a

família atual como fonte e coleta de informações de pelo menos três gerações ascendentes (pais-avós-bisavós). A entrevista genograma é parte de uma avaliação qualitativa. Não há escalas para medir quantitativamente a informação, é

uma ferramenta interpretativa que nos ajuda a gerar hipóteses possíveis. Para tirar

o máximo proveito deste instrumento deve ser rigorosa e sistemática no processo

de coleta de dados e, ao mesmo tempo, ser criativo para encontrar tentativas de explicação, e parcial, dos dados recolhidos. Por sua vez, essa criatividade precisa ser baseado em uma subjetividade fenomenológica, o que pode ser facilitado muito do conhecimento e uso de evidências empíricas coletadas até agora por vários autores: Murray Bowen, Ivan Boszormenyi-Nagy, Anne Ancelin Schützenberger, Monica McGoldrick,

Hellinger, Vicent de Gaulejac, etc.

A teoria dos sistemas familiares propõe que as famílias tendem a estabelecer e manter relações mútuas, modelado e repetitivas.

É estes padrões redundantes que nos permitem formular hipóteses tentativas de

genograma. Nós muitas vezes achamos que o que acontece em uma geração é repetido, de alguma forma, em algum dos próximos três gerações. Embora os mesmos problemas tendem a vir de geração em geração, estas questões podem assumir diferentes formas de manifestação, geralmente contextualizándose no

contexto sócio-histórico correspondente. Assim, por exemplo, se um avô perdeu sua casa durante a guerra, o neto pode ter sérios problemas pagar sua hipoteca. Se uma avó morreu no parto, os descendentes podem ter dificuldade em engravidar ou

a sua gravidez ir a termo. Este fenómeno de repetição de negócios é conhecido

comocomocomo transmisióntransmisióntransmisión multigeneracionalmultigeneracionalmultigeneracional dedede pautaspautaspautas familiares,familiares,familiares, yyy sesese basabasabasa enenen lalala ideaideaidea dedede quequeque

pautas vinculares en generaciones previas pueden suministrar modelos implícitos para el funcionamiento familiar en la siguiente generación. Existen muchos tipos de pautas vinculares en las familias: de distancia vincular, de triangulación emocional, de protección de legados o secretos, de devolución de deudas, de complementariedad o reciprocidad, etc. A través del genograma podemos estudiar históricamente el sistema familiar y evaluar no sólo los sucesos críticos pasados y actuales sino también los temas, mitos, valores, normas evolutivas y cuestiones con implicaciones emocionales de generaciones previas que aparecen de manera reitarativa y se constituyen en pautas o patrones identificables. Desde esta perspectiva, los hechos concurrentes en distintas partes de la familia no pueden considerarse coincidencias azarosas o, por el contrario, causalidades necesarias, sino que se conceptualizan como

eventoseventoseventos interligados,interligados,interligados, ououou seja,seja,seja, sincronicidades.sincronicidades.sincronicidades. Assim,Assim,Assim, parecepareceparece quequeque háháhá umaumauma maiormaiormaior probabilidade de que eventos críticos ocorrem em um determinado momento e não outra, especialmente nas transições do ciclo de vida da história da família. Um exemplo seria o chamado

síndromesíndrome dede aniversário.aniversário. AlgumAlgum tempotempo atrás,atrás, umum amigoamigo ee colegacolega levantoulevantou supervisorasupervisora ​​me​​me um caso em que um menino de 19 anos, que sempre tinha sido considerado como um filho

e aluno exemplar, tinha começado a suspender devido a pensamentos recorrentes de

suicídio. Ao realizar o genograma, encontrado em gerações anteriores fatos críticas de alguns membros da família em torno dessa idade: Um primo tinha cometido suicídio nessa idade; um tio tinha morrido em circunstâncias misteriosas nessa idade (ele tinha caído de uma varanda em estado de embriaguez); o irmão mais novo do avô paterno tinha morrido aos vinte anos depois de cair da janela terceiro andar, embora neste caso sonâmbulo; e finalmente encontramos na terceira geração de antepassados ​​bisavô (avô paterno do pai) tinha desaparecido nessa idade a emigrar para a Argentina, ficando em Espanha mulher

grávida do segundo filho e ter o primogênito (o avô) idade dois anos. Parece que o suicídio

e mortes em circunstâncias estranhas reproduzir, em um determinado nível, o

desaparecimento do bisavô no que pode ser considerado "flor da vida". Não é de admirar que um membro desta família, que é masculino e se aproximando dessa idade, sentir, ainda que inconscientemente, certos medos de não ser capaz de permanecer vivo. um certo nível, o desaparecimento do bisavô no que pode ser considerado "flor da vida". Não é de admirar que um membro desta família, que é masculino e se aproximando dessa idade, sentir, ainda que inconscientemente, certos medos de não ser capaz de permanecer vivo. um certo nível, o desaparecimento do bisavô no que pode ser considerado "flor da vida". Não é de admirar que um membro desta família, que é masculino e se aproximando dessa id

De la misma manera, parece que existe una mayor probabilidad de que determinados hechos críticos ocurran a unos miembros de la familia y no a otros, existiendo paralelismos llamativos en cuanto al sexo, orden de nacimiento entre hermanos y nombre compartido o “heredado”. Un caso que me llamó mucho la atención y que puede ejemplificar esta idea es el siguiente: la consultante es una mujer de treinta años preocupada por su falta de ilusión en cuanto a la recién estrenada convivencia de

casal com o namorado de uma vida. Para fazer genograma encontramos um paralelo entre a geração de avós maternos ea próxima geração, sua mãe e suas irmãs (cliente tias). Vovô foi chamado Paul e se casou com uma mulher chamada Maria, que era a mais velha de três irmãs. Esta mulher morreu Paul, avô, irmã do meio casou muito jovem Maria, chamada Manuela. Pablo e Manuela tinha três filhas que chamou Maria, Manuela e Margaret (a mãe do cliente). Mary (tia) se casou e, curiosamente, seu marido foi chamado Paul. Anos mais tarde, Mary (tia) morreu após um processo de câncer. Paul, um viúvo, casado em segundas núpcias com Manuela (tia). Para mim, O mais surpreendente de tudo é que o cliente só percebeu isso repetição de nomes e destinos familiares que fazer com ele o seu genograma. Anteriormente, ele não tinha notado esse paralelismo. Além disso, embora não nomeado Mary e tinha irmãs, sim, ele era a filha mais velha e seu namorado também chamado Paul. É possível que este padrão reiterativa e trangeneracional poderia estar relacionado com a sua "falta de entusiasmo" em relação à coexistência casal (equivalente hoje a se casar em gerações anteriores)?

En definitiva, los sucesos que debemos rastrear durante la entrevista del genograma son aquellosaquellos queque generangeneran oo fortalecenfortalecen loslos vínculosvínculos oo lazoslazos entreentre loslos miembrosmiembros deldel sistemasistema familiar.familiar. YY

¿cuáles son éstos? Pues son todos aquellos hechos en los que el destino de un miembro de la familia se ve afectado significativamente. Dado que el sistema familiar funciona como un todo en el que los elementos son interdependientes, aquellos sucesos que afectan a uno de los miembros repercutirán necesariamente en los demás. El nacimiento y la muerte son los principales sucesos que vinculan a las personas entre sí (vínculo entre padres e hijos y vínculo entre perpetradores y víctimas), pero existen otros como el compromiso (fundamentalmente matrimonio y adopción o acogimiento), el cambio de situación económica (ruina y fortuna), el

mudança de status (ruptura de um compromisso ou contrato de infortúnio ou engrandecimento social), a mudança de residência (em movimento e migração), etc. O nascimento de uma criança afeta o sistema inteiro, não apenas os pais e irmãos, mas também os antepassados ​​enquanto que constitui depositário do legado da família e envolve a perpetuação do sistema. Morte, também afeta muito o sistema, não apenas aqueles que conheciam o falecido, mas aqueles que vêm de que a morte. No exemplo acima, as três irmãs tiveram sua vida não só para os pais, mas também para a morte de sua tia, a primeira esposa de seu pai. Se for uma morte voluntária ou involuntária causada por outra pessoa, tem um impacto ainda maior sobre o sistema, É necessário considerar a causa da morte como o mais ligado à pessoa falecida ou a vítima porque ele teve um papel importante no seu destino. Da mesma forma, quando o sistema ou um dos seus membros é beneficiado pela perda ou dano de outra pessoa, também estabelece um vínculo com ela. A primeira namorada de nosso pai para a esquerda, os soldados que foram mortos enquanto nosso avô sobreviveu, os filhos não reconhecidos nossa avó bisavô ser nosso único herdeiro da fortuna da família, etc. Se em gerações anteriores, estão em dívida para com o nosso sistema, o padrão que liga obras da mesma forma, pode ser repetido em paralelo (alguém da geração sofre a mesma perda) ou complementar (fazer com que você perca alguém que, a priori,

Lembre-se que o genograma é o ponto de partida para uma obra tão emocionante e criativo como prudente e humilde. Se a partir das abordagens clínicas mais academicamente reconhecidos, e das propostas teóricas e metodológicas mais heterodoxas, precisamos nos posicionar não apenas como terapeutas, mas também como as pessoas na posição

maior respeito, sem julgar ou apostolar, deixando-nos sentir vida, amor, dor, força e dignidade que é nos sistemas de nossos clientes, da mesma forma que é do nosso próprio sistema.

Caso-Exemplo 3: O medo de contacto

Este caso serve para exemplificar uma obra levantada a partir dos parâmetros de

psychogenealogypsychogenealogypsychogenealogypsychogenealogy [[[[ 2]2]2]2] nononono entanto,entanto,entanto,entanto, determinadadeterminadadeterminadadeterminada aaaa partirpartirpartirpartir dadadada aplicaçãoaplicaçãoaplicaçãoaplicação dasdasdasdas ordensordensordensordens dededede AmorAmorAmorAmor

soletradosoletradosoletradosoletradosoletrado paraparaparaparapara foraforaforaforafora porporporporpor HellingerHellingerHellingerHellingerHellinger [[[[[ 3]3]3]3]3]

muito medo de ser abandonado, uma tendência a comportamentos de risco e dificuldade em fazer compromissos e rejeição de contato físico, tanto em relação aos seus pais e irmão como sobre os seus amigos. Depois de fazer o genograma o seguinte "pontos quentes" são observados:

UmaUmaUmaUmaUma mulhermulhermulhermulhermulher ememememem terapiaterapiaterapiaterapiaterapia mostrou,mostrou,mostrou,mostrou,mostrou, entreentreentreentreentre outrasoutrasoutrasoutrasoutras coisascoisascoisascoisascoisas

irmão mais velho de pai morreu quando criança. avô materno perdeu sua mãe em 14 anos. avó materna foi dado para adoção a 7 anos.

Em uma sessão você será solicitado a escolher representantes para os membros da família (inespecífica, a fim de observar melhor que escolhe, se você deixar alguém excluídos e a ordem espontânea de escolha) e lugar.

Figura 3.1: Problema de imagem

imagem 3.1. estiverem reunidas as seguintes condições: Hay cierto orden intergeneracional e intrageneracional. La

imagem 3.1. estiverem reunidas as seguintes condições:

Hay cierto orden intergeneracional e intrageneracional. La excepción más evidente es la madre del abuelo materno que se encuentra a la altura de la cliente (al mismo nivel que sus bisnietos). La madre parece disponible y el padre no. De la misma manera, parece que la abuela paterna está centrada en su hijo muerto mientras que el abuelo se encuentra más disponible para su hijo (el padre de la cliente).

El abuelo paterno mira hacia sus nietos y el abuelo materno hacia su madre.

La abuela paterna mira hacia su hijo muerto y la abuela materna hacia su hija y su nieta.

representantes para o sistema biológico e a avó adotiva aparecer, não excluindo qualquer um. Além disso, os pais adotivos colocado atrás de sua avó biológica e ligeiramente afastados, obliquamente, de modo que biológica bisavó parece olhar para as seguintes mulheres (filha, neta e bisneta) três gerações.

Por outro lado, a família paterna é menos representados e não coloca bisavós desse lado sendo uma configuração claramente assimétrica.

Se você escolher e colocar um representante para o irmão de seu pai morreu, mas não para irmãos ou seu pai ou a sua mãe viva. É por isso que esta configuração me evocou a imagem de uma pessoa que era respeitoso da hierarquia, ele identificou mais com os membros que sofreram ou perdidos em sua família e que de alguma forma excluídos aqueles que tinham desfrutado de um destino mais fácil ou mais feliz.

A intervenção foi realizada seguindo pode ser resumida nos seguintes passos:

1. Primeiros pais avós paternos, foram introduzidas para que o sistema será mais equilibrada e poderia ter apoio visualmente contra a perda de seu filho tem muito peso no sistema de controlo parental.

2. Em seguida, o cliente boneca foi levado para colocá-lo na frente do pai morto e irmão foram convidados a repetir as seguintes frases: "Querido tio, e agora vejo toda a dor que causou a sua morte. Agora eu respeito o seu destino e deixá-lo descansar em paz. Por favor, olhe para mim gentilmente se eu ficar na vida um pouco mais e apreciá-lo também em seu nome. "

3. Em seguida, coloque a boneca cliente contra seu pai e pedir-lhe para repetir:

"Querido papai, e agora vejo onde permaneceu

parte de seu coração. Você não tem todo o coração livre para nós. Carinhosamente participar era livre para me e renunciar que você nunca pode me dar. Eu sou mais velho e agora eu estou no comando de cuidar. Obrigado por tudo que você me deu o pai, para mim é mais do que suficiente. "

4. Da mesma forma, de frente para o avô materno da mãe: "Caro bisavó, morreu jovem deixar o seu marido e seus filhos pequenos. Por favor, olhe para mim gentilmente se algum dia eu tenho um marido e filhos e eu apreciá-los é concedido. "

5. Finalmente, os números estão me colocado em ordem e foi solicitado a escolher uma boneca para representar a vida. Nós viramos cliente pulso para seus avós biológicos (pais da avó materna, que foi dado para adoção): "Graças ao que você renunciasteis eu pudesse nascer. Agora eu tirar a vida também vem a mim de você a um preço que vai custar e fazer com ele o melhor que puder para que sua perda não é em vão ".

6. O trabalho foi fechado, escolhendo, desta vez pelo terapeuta dez bonecos

que representam os sistemas de origem dos bisavós e colocando-os atrás de

cada um deles. Temos de volta para o cliente fictício virado para a frente, para

a frente, e pediu para ser exibido nessa posição com os seus pais, avós,

bisavós e antepassados ​​de apoio de costas e vida, mesmo para além deles,

abraçando todos, desde o início dos tempos. Obviamente as coisas estão

pendentes: apresentar o respeito pela avó, que perdeu um filho; colocando a

figura de um parceiro em potencial; incluir tios que vivem pelo pai e pela mãe,

etc. Porém, sendo o cliente em um processo terapêutico poderia ser feito

verificações e reforçando alguns dos passos através de visualizações e

trabalhos de casa de repetir frases cura. O trabalho tornou-se assim uma

introdução para uma fase mais avançada na qual terapêuticos dificuldades de

visão sistémicas ocorreu.

Imagen 3.2: Imagen solución

Imagen 3.2: Imagen solución Es interesante señalar que este tipo de ejercicio, colocar un muñeco para

Es interesante señalar que este tipo de ejercicio, colocar un muñeco para el cliente y detrás varias generaciones así como una última fila de ancestros donde ya no se distingue quien pertenece a qué sistema, suele dar mucha serenidad al cliente así como sensación de energía y fortaleza. En otras ocasiones la persona refiere que se siente menos sola, más apoyada e, incluso, más protegida. Este ejercicio resulta muy potente en visualización y es recomendable para los propios terapeutas al enfrentarse a un caso especialmente desafiante o cuando se está agotado después de un largo día de sesiones.

Trabalhando com bonecos no espaço terapêutico é usar uma ferramenta simbólica. A característica mais marcante das bonecas é a sua capacidade para representar uma imagem por qualquer assunto que você quer ser tratado pelo cliente ou pelo terapeuta. Representações ou imagens que podem ser feitas a partir de um ou mais bonecas são metafóricas, espacial e relacional. Assim, eles permitem a externalização, projeção e reformulação das questões que o cliente traz para a consulta. Este tipo de representação inclui diferentes níveis de análise simultânea, sendo capaz de escolher um ou mais deles em se aproximar um trabalho:

No nível intrapessoal permite estabelecer objectivos comode escolher um ou mais deles em se aproximar um trabalho: motivacional integração, caracteriales, biográficos ou

motivacional integração, caracteriales, biográficos ou outros aspectos.

No nível interpessoal tem análise sala de conteúdo afetivo social e um ensaio comportamental fornecidos pelos conjuntos apresentados.caracteriales, biográficos ou outros aspectos. Nos bonecos sistêmicas nos permitem trabalhar tanto

Nos bonecos sistêmicas nos permitem trabalhar tanto parâmetros psychogenealogy a partir de metodologia de constelações familiares desenvolvido por Bert Hellinger.tem análise sala de conteúdo afetivo social e um ensaio comportamental fornecidos pelos conjuntos apresentados.

3

As regras básicas para trabalhar com

bonecas

Como visto no capítulo anterior, usando bonecos para representar uma imagem é uma ferramenta simbólica que nos permite chegar a interpretações descritivos, mas em qualquer caso ou interpretações causais de previsão. Neste contexto, é necessário sublinhar a necessidade de cautela ao explicar aos nossos clientes nossos comentários sobre a imagem exibida. Ao trabalhar com bonecas buscamos conhecimento visando

captura

significações existenciais e sob nenhuma circunstância pode definir

teorias

explicativo

próprio

o

discurso

ou paradigma científico. Ou seja, não podemos usar as bonecas como oráculo de adivinhação, nem como prova da verdade ou explicação do que ocorre o cliente. Tenho visto com muita freqüência, os terapeutas estão começando a usar esta técnica, o valor acrescentado que dar as imagens

representadas, deixando de trabalhar com eles como abordagens parciais da realidade interna do cliente e elevando-os à categoria de

revelação infalível e indiscutível (semelhante à forma como alguns psicólogos comportar os resultados do teste caminho). Neste sentido, há uma série de coisas para manter em mente:

Operamos com representações parciais e dinâmicas que todas as amostras pode ser considerado uma realidade única e imutável.

Nós usamos uma narrativa, o discurso mítico personagem figurativa e mágico. Ou seja, precisamos usar uma linguagem evocativa que acomoda aspectos tão difusas e humanos como arquétipos, construções pessoais, conteúdos inconscientes ou metáforas da vida.

Buscamos um conhecimento concreto enquanto sintético global. Não podemos chegar a generalizações com cada experiência particular. No entanto, trabalhar com bonecas nos permite ampliar a visão da realidade, completo, em vez de reduzi-la. Propomos comunicação terapêutica por um código analógico, para que o processamento de informações de ativar o hemisfério direito e opera com imagens carregadas de emoção, em vez de abstrações racionais é induzida.

Trabalhando com bonecas consiste em um processo contínuo de evocação e de ressonância onde nós superar a direcionalidade da interpretação e, portanto, nos ajuda a afastar-se julgamento. Trabalhando com bonecas é um esforço de equipe (consultor-conselheiro) em que encontramos o nosso cliente como iguais. Nós oferecemos nosso membro externo posição para o sistema e, portanto, capaz de capturar distúrbios e implicações que a partir de dentro somos cegos. Mas não é sem razão, ou para convencer o cliente de que a nossa visão é mais válida nem inútil discutir suas discordâncias utilizando conceitos como "resistência". No trabalho, são as bonecas

aliados, consultor e consultor, para encontrar a porta para uma mais ampla e mais forte tanto para o cliente e para nós mesmos campo.

3.1. Quem propôs trabalho

O trabalho é proposto pelo consultor / terapeuta da demanda dos clientes, bem como a

hipótese de acordo com a entrevista, genograma ou conhecimento que você tem do cliente. No entanto, precisamos de permissão do cliente para trabalhar com a nossa proposta. O cliente aceitará prontamente e vai mostrar interesse e colaborador se a proposta é explicada com clareza e concisão em termos de demanda: seja porque a coleta ou porque não acreditamos que devemos trabalhar com isso e depois vamos explicar por que e relação entre a nossa proposta e necessidades. Às vezes, o cliente tem uma oferta de trabalho (por exemplo, "ver a conexão com meu avô"); que deve então decidir se se trata de um trabalho que dará força para o cliente e o sistema ou o subtraído (por exemplo, se nós sentimos que é apenas curiosidade, ou que uma mudança já está ocorrendo e é sobre

a falta de aceitação cliente ao longo do tempo que a mudança requer, etc.). Cada terapeuta

pode, e de fato deve, trabalho a partir do quadro onde você se sente mais confortável. Para

cada questão levantada há muitos, se não infinitas, possibilidades de abordagem. No caso de uma pessoa que está dividida entre a necessidade de compromisso e de liberdade, podemos propor a trabalhar com bonecas, por exemplo, das seguintes formas: Cada terapeuta pode, e de fato deve, trabalho a partir do quadro onde você se sente mais confortável. Para cada questão levantada há muitos, se não infinitas, possibilidades de abordagem. No caso de uma pessoa que está dividida entre a necessidade de compromisso e de liberdade, podemos propor a trabalhar com bonecas, por exemplo, das seguintes formas: Cada terapeuta pode, e de fato deve, trabalho a partir do quadro onde voc

Obter uma boneca para ele, outro para a necessidade de compromisso e um para a sua necessidade de liberdade. Neste caso, iria trabalhar com a idéia de ver como ele poderia integrar ambas as polaridades, consulte coloca seu representante sobre seus dois

precisa ser trouxe projeções e conotações sobre cada um dos pólos, o que significa para ele chegar perto de um ou de outro, etc.

Obter uma boneca para si mesmo no momento presente, um para a criança era um para o adolescente, uma para o velho será. Neste caso, poderíamos considerar que a carga biográfica e significado emocional representa para o cliente cada uma das duas opções, comprometer-mantêm a sua liberdade, e projeto de vida está sendo proposto (como você vai estar dentro de 5, 10 e 20 anos escolhem um ou o outro?).

Obter uma boneca para ele, outro para a mãe e outra para o pai. Assim nós poderíamos ver se você precisa repensar ou mudar o seu relacionamento com seus pais e como ele pode estar afetando a dinâmica familiar estabelecidas em sua necessidade de escapar (conotação negativa da necessidade de liberdade) ou empate (conotação negativa da necessidade de compromisso). Questionado sobre relacionamentos e áreas de sua vida onde você vive e compromisso que a liberdade vive. Pedindo-lhe para puxar bonecas para as pessoas e problemas. Por exemplo, você poderia colocar como as bonecas noiva, o chefe e a hipoteca como experiências de compromisso e vocação de escritor, seu sonho de viajar para o Pólo Norte e seus amigos como exemplos da necessidade de liberdade. A partir da primeira prestação dada pelo cliente, podemos pedir-lhe para procurar um bom lugar para ele. Assim, usando aproximações e consequentes confrontos (Agora, como é esta boneca que representa você neste novo lugar;??? Quem está perto e como ela faz você se sentir, que é distante e como ela faz você se sentir, onde você gostaria de tentar agora?) que poderia facilitar um pacto realista alcançado onde o equilíbrio entre ganhos e renúncias estavam cientes e satisfatória.

3.2. Quem escolhe as bonecas

Depois de ter definido o trabalho e os personagens a ser colocada inicialmente, é adequado que é o cliente que escolhe as bonecas para representar os membros de seu sistema envolvido no trabalho. O fato de escolher facilita o envolvimento do cliente e através da observação de como as bonecas olhar, como diabos, como você escolher ou descartar, etc. Recebemos um monte de informações sobre a sua atitude em relação ao trabalho, ao seu sistema e para os vários membros eleitos. As instruções são normalmente "Por favor escolha uma boneca representando

X, outro representando Y, Z representa outro e outro que representa você mesmo. Primeiro escolha antes de colocá-los todos. Não há necessidade de se parecer fisicamente ou combinar com a cor do cabelo ou qualquer cor que freqüentemente usam. Escolha aquelas bonecas que você poderia melhor representá-los ".

3.3. Que colocou as bonecas

No início, o cliente é o mais adequado para colocar os bonecos seguindo as instruções "agora dar-lhes um lugar neste espaço; Não pense muito, apenas colocá-los de acordo think estão situados. Você pode considerar que está perto de quem, quem olha para quem ". Às vezes, as bonecas podem ser usados ​​pelo terapeuta para explicar algo visualmente relevante na sessão; neste caso, é o terapeuta que coloca.

3.4. Quem move os bonecos

Principalmente el consultor es quien debe asumir la responsabilidad de moverlos según las resonancias que se produzcan a lo largo del proceso.

O cliente pode mover o boneco que representa as instâncias do consultor ( "à

procura de um bom lugar para você") ou espontaneamente (por exemplo, quando expressou: "Eu acho que agora encontro-me aqui" ou "não, isso não é comigo Eu me sinto bem "), mas não devemos permitir que as bonecas representam os outros membros se movendo. Se pedirem permissão para alterar um lugar fictício ou

pergunte ao terapeuta para mover alguns, devemos considerar se que o movimento

é da ordem ou se "ecos" dentro de nós, conforme apropriado. Se assim podemos

permitir o movimento. Se você vai contra as ordens podemos permitir o movimento para explorar o efeito que tem sobre o sistema representado e, assim, facilitar o cliente para ver. Nós também pode explicar a razão pela qual não seria uma boa

jogada. Muitas vezes o cliente expressa de que ele estaria bem se outras pessoas fazer alguma coisa ou ser colocado de tal maneira. Nesse caso, eu costumo responder que eu não pode acessar seu sistema ou outros membros da família, mas ele fez e, portanto, pode considerar a trabalhar como um jogo de bilhar, onde podemos tocar a nossa bola, mas cada uma vez que o fazemos, alterar as definições sobre a mesa e participar do curso do jogo.

3.5. Preguntar al cliente

Hay que preguntar al cliente mucho más que en un taller grupal de constelaciones o que en una sesión habitual de psicoterapia. Necesitamos estar continuamente en contacto con la imagen que el cliente está teniendo de la representación de manera que podamos darnosdarnosdarnos cuentacuentacuenta dedede sussussus puntospuntospuntos ciegosciegosciegos asíasíasí comocomocomo dedede sussussus insightsinsightsinsights ooo “darse“darse“darse cuenta”cuenta”cuenta” yyy utilizarlosutilizarlosutilizarlos provechosamente. Para ello conviene preguntar de manera abierta, para facilitar el proceso de explicitar lo evocado, siempre haciendo referencia a los muñecos, cortando cualquier intento de irse fuera del aquí y el ahora, no permitiendo una verbalización excesiva y utilizando un tono y

um ritmo de facilitar a livre expressão do cliente e não se tornar um interrogatório. Algumas das perguntas mais eficazes são: "Como você se sente aquela boneca que representa você, e que representa a sua irmã?"; "Como o pai está aqui? Onde está? Se ele pudesse falar, você acha que ele diria? "; "Olhe para esta boneca representando esta outra mulher e

a mãe deste menino e essa menina: como você acha que você pode sentir lá? Você está

confortável? Onde você acha que você gostaria de ser ?. " Normalmente, os clientes vêm bem no trabalho e estão autorizados a "brincar" de forma aberta e espontaneamente. No

entanto, há momentos em que podemos encontrar com dificuldade que a pessoa está envolvida no trabalho com bonecas. Quando um cliente começa a responder às nossas perguntas dizendo-nos sobre as emoções, cognições ou eventos que não têm muito a ver com a localização das bonecas na sessão, mas a idéia que ele tem do que está

acontecendo em sua família na vida real, é necessário chamar a atenção para as bonecas

e sua vontade e pedir-lhe baseado a sua resposta sobre o que você está observando na

configuração e não sobre o que você sabe ou acha que está acontecendo fora do escritório, "Sim, é possível que sua mãe está triste porque seu pai está desaparecido, mas olhar para a boneca que representa você e ver como essa mãe pode se sentir localizados aqui ao lado de seus filhos "; "O que você está me dizendo é o que você acha que está acontecendo com seus filhos e é importante para você, mas eu preciso de você neste trabalho permitir-se a abrir-se para uma realidade um pouco diferente que você viver cada dia como se as bonecas poderiam fornecer pistas sobre outras coisas que podem estar acontecendo sob a superfície. " Também, às vezes, a modéstia ou porque simplesmente nunca brincava com bonecas, lutam para se deixar levar pelas imagens ou sentimentos para os números. É como se eles acreditam que há uma maneira correta de responder e se

sentir paralisado por vergonha ou medo do fracasso. Nesses casos eu sublinhar a ideia de que este é um jogo, É como se eles acreditam que há uma maneira correta de responder e se sentir paralisado por vergonha ou medo do fracasso. Nesses casos eu sublinhar a ideia de que este é um jogo, É como se eles acreditam que há uma maneira correta de responder e se sentir paralisado por vergonha ou medo do fracasso. Nesses casos eu sublinhar a ideia de que este é um jogo,

não há respostas certas e que é uma maneira de me ajudar a

ver o que eles têm-me dito mais cedo sobre a sua família ou o que o preocupava.

3.6. não interprete

O que nos interessa é o significado que algo tem para o cliente, suas projeções,

conotações pessoais ou construções surgem no trabalho com bonecas. Podemos

discutir o que a imagem das bonecas nos sugere para ver se o cliente lhe diz alguma coisa, se ela ressoa, mas não dando a ela como especialistas ou assumindo que nossa visão é melhor ou mais bem sucedido. Por exemplo, se um homem vê o seu representante tranquila pode apontar: "Se parece calmo, mas eu vejo um pouco longe de sua esposa e seus filhos você acha que é pacificamente pode se sentir sozinho?"; ou mostrar abertamente o nosso sentimento: "Eu, porém, vejo algo triste

O que você acha?". Ao mesmo tempo, ele deve usar termos como "eu acho" ou "eu

ver".

3.7. Não discuta com o cliente

Não é sem razão. O cliente pode ver onde você pode ver e não podemos forçá-lo a ir além dela sai pela culatra. Podemos dar a nossa visão e deixá-lo levá-lo ou não, sem a obrigação de nossa parte para convencer ou obrigação de sua parte concordar com a gente. Como disse Diderot: "A consciência deve iluminar, não empurrá-lo." Neste trabalho, a tarefa do consultor é proporcionar ao cliente a expandir a sua aparência, mas não impor a sua.

3.8. Procurar evocação alternativa

A imagem é de que estamos em um quarto com o cliente e queremos mostrar um

outro onde nunca foi antes. Existem várias portas para ele e ninguém.

Possivelmente mudando "quarto" e se mudou para um susto localização desconhecida você e podemos fechar a primeira ou a segunda porta nós

convidamos você a passar. Então precisamos encontrar outra maneira de lhe dar mais confiança ou de onde seus medos não são tão incapacitante. Como isso não

é discutir ou impor, mas para ampliar a visão do cliente sobre um assunto,

devemos procurar maneiras de tornar mais fácil para tirar uma nova perspectiva. Às vezes, as dificuldades para ver alguma parte do problema e não em culpar o cliente de sua "resistência" mas buscar linguagem, metáfora ou mito de que você

pode acessar o cliente,

3.9. logoff

Ao trabalhar com bonecas é importante recordar as palavras apagar prevenir ou diluir a essência da remetaforización visual. Deve também alertam para

possíveis efeitos de trabalho: alterações de humor (irritabilidade, ativação,

decadência)

(formigueiro, palpitações, dores de cabeça ou estômago) ou mesmo avisar que pode não notar nada (de modo que as expectativas que podem interferir negativamente com o processo de diminuição mudança).

sintomas físicos

3.10. Retirar-se do processo de mudança

A atitude correta de ordens de apoio está se aposentando, de modo que nós respeitamos o cliente, seu sistema e seu destino. Não podemos exigir que o cliente pegar o que foi mostrado ao trabalho não deverá ter um certo efeito. Deve atrasar a seguinte

trabalhar por várias razões: para dar tempo para o processo de mudança tem lugar; não interferir com o processo de mudança com um novo emprego; o cliente não colocar a responsabilidade pela solução em nós como terapeutas ou bonecas como "bala mágica";

Usando as bonecas em consulta revela um código visual que permite

a comunicação interpessoal entre terapeuta e cliente e tipo também

intrapessoal de comunicação (o próprio cliente, sendo o testemunho do mesmo terapeuta). Neste sentido, as bonecas têm uma linguagem característica e peculiar que requer um procedimento que elicite e traduzi-lo para que o cliente eo terapeuta pode entender e

compartilhar. Semelhante ao xadrez, onde cada item pode ser

considerado forma diferente e única, embora haja uma forma única para mover as peças e "regras do jogo" comuns, também trabalham com bonecas cada um é diferente e único. Porém, Podemos recorrer

a um procedimento básico que garanta o envolvimento do cliente no

trabalho e uma posição respeitosa da nossa parte. Neste contexto, deve levar em conta vários aspectos que podem facilitar o trabalho:

Precisamos envolver o cliente: através de você escolher, lugar, peça para que você possa discutir o que sentem sobre a imagem.em conta vários aspectos que podem facilitar o trabalho: Temos de acompanhar de perto o processo

Temos de acompanhar de perto o processo que se desenrola no interior do cliente, levando em conta tanto a informação verbal fornecido para nós como não-verbal, observando seus gestos e alterações posturais, sua respiração, reações emocionais.lugar, peça para que você possa discutir o que sentem sobre a imagem. Este é um

Este é um jogo de xadrez, onde não existepara nós como não-verbal, observando seus gestos e alterações posturais, sua respiração, reações emocionais.

oponente, porque vencemos, enquanto a vitória ao cliente: não é sobre ser direito ou estar certo, mas para facilitar o cliente expandir a sua construção do mundo e ele próprio forma mais coerente e construtiva.

4

Algumas técnicas relacionadas ao uso

bonecas no espaço terapêutico

A partir de diferentes estruturas terapêuticas são ferramentas que também permitem processos psicoterapêuticos similares ou equivalentes às previstas em trabalhar com bonecas. Algumas delas são:

4.1. "Escultura Família"

É uma técnica pela qual recriar nas relações espaciais entre os membros da família, através da formação de uma imagem física. Esta técnica foi inventada por Kantor e Duhl ( "Instituto da Família Boston") e desenvolvido por Papp ( "Family

Institute"Institute"Institute"Institute"Institute" dedededede NovaNovaNovaNovaNova York)York)York)York)York) eeeee VirginiaVirginiaVirginiaVirginiaVirginia SatirSatirSatirSatirSatir [[[[[ 4]4]4]4]4]

de diagnóstico como uma técnica terapêutica, enquanto visualizados e experiente,

esculturaesculturaesculturaesculturaescultura famíliafamíliafamíliafamíliafamília ééééé tantotantotantotantotanto umaumaumaumauma ferramentaferramentaferramentaferramentaferramenta

espacial e especificamente,

configurações

família relacional. Na escultura família posição emocional de cada membro da família com relação ao outro é simbolizado.

Uma vez selecionado o escultor, o terapeuta pede ao resto do grupo se levantar e realizar movimentos indicam que o escultor. Escultura devem ser autorizados a desenvolver em seu próprio ritmo e, em seguida, os participantes a compartilhar alguns dos sentimentos sobre posições físicas que estão sendo feitas. Quando os familiares são convidados a compartilhar esses sentimentos com o escultor, é útil para o terapeuta para orientá-los para expressar como se sentem em relação à sua posição física, nesse preciso momento. Isso evita que os membros da família de mergulhar em uma discussão intelectual sobre seus relacionamentos. Quando o escultor tenha terminado, o terapeuta pode pedir-lhe para encontrar uma posição para si mesmo na escultura e estar localizado dentro do quadro.

A técnica de escultura família pode ser usado a partir da primeira sessão, pedindo membros da família para esculpir suas diferentes visões da família em vez de "falar" sobre seus problemas. Em uma sessão posterior, você pode pedir aos membros para esculpir a visão da família "ideal"; Desta forma, o terapeuta utiliza esta técnica, a fim de elevar as metas de tratamento familiar. O terapeuta pode utilizar a técnica de escultura família como um meio de frente para um período em que a resistência parece haver evolução. Ele pode ser particularmente eficaz, por exemplo, para quebrar a defensiva intelectualización alguns grupos familiares altamente verbais. Em conclusão, uma escultura de família é um espaço de "metáfora": Obtém-se e informações da família é transmitido sem a necessidade de comunicação verbal. A "comunicação analógica" escultura familiar serve para abordar diretamente o avião experimental sem a intervenção da linguagem.

A principal diferença entre esta técnica e trabalho com bonecas é a sua acessibilidade. "Esculturas Família" são uma ferramenta muito poderosa e uma oportunidade única para a mobilização do corpo,

energia e relacional, que requer a construção de esculturas humanas com os membros da família. Além disso, também um alto custo de tempo e energia em que a presença de todos os membros da família em uma sessão é necessária. Em um nível prático, os bonecos possíveis de usar imagens ou fotos configurados pelos vários participantes em uma sessão ou ao longo do tempo, organizando as bonecas da forma como os membros da família fez. Assim, os processos de pressão, coerção ou submissão são evitados durante a definição e planejamento estratégico da intervenção é facilitada e pode decidir a seqüência de confronto entre a imagem de um familiar e outro, ou se a exibi-los sem a presença do que um determinado intervalo definido. Isto pode ser particularmente interessante para mostrar a imagem criada por um filho para seus pais e dar-lhes os padrões resultantes sem a criança presente. Desta forma, você pode dar orientações estratégicas e, por exemplo, evitar mais imerso em um processo de parentalization, no papel de "paciente identificado" ou intermediário entre o par de pais. Obviamente escultura técnica família não pode ser substituído pelos bonecos, mas eles se complementam. Desta forma, você pode dar orientações estratégicas e, por exemplo, evitar mais imerso em um processo de parentalization, no papel de "paciente identificado" ou intermediário entre o par de pais. Obviamente escultura técnica família não pode ser substituído pelos bonecos, mas eles se complementam. Desta forma, você pode dar orientações estratégicas e, por exemplo, evitar mais imerso em um processo de parentalization, no papel de "paciente identificado" ou intermediário entre o par de pais. Obviamente escultura técnica família não pode ser subs

4.2. grade Kelly

técnica grade de Teoria Construct pessoais. Ele foi desenvolvido por George A. KellyKellyKellyKelly [[[[ 5]5]5]5] comocomocomocomo umaumaumauma ferramentaferramentaferramentaferramenta paraparaparapara avaliaravaliaravaliaravaliar oooo tamanhotamanhotamanhotamanho eaeaeaea estruturaestruturaestruturaestrutura dodododo significadosignificadosignificadosignificado pessoal dos construtos que uma pessoa tem de si mesma e do mundo ao seu redor. Uma grelha consiste de um número de elementos representativos da área da construção,construção,construção,construção, algumasalgumasalgumasalgumas construçõesconstruçõesconstruçõesconstruções estudadosestudadosestudadosestudados [[[[ 6]6]6]6] pessoalpessoalpessoalpessoal quequequeque servemservemservemservem paraparaparapara discriminardiscriminardiscriminardiscriminar entre os elementos e um sistema de pontuação que valoriza os elementos de acordo com a dimensão bipolar representando cada

construir. Existem vários formatos de grade, um dos mais amplamente utilizado na prática clínica trabalhar com relações de grade. Aqui os elementos são selecionados a partir da significativa para o povo do cliente, incluindo figuras yo-yo- atual e ideal. Entre as análises que podem ser feitas dos resultados desta técnica é a análise da família, identificando as construções que organizam a estrutura familiar. Assim, construções podem ser observados indicando diferentes dinâmicas: as fronteiras geracionais, aliança ou coalizão de divergência entre os pais, de identidade familiar, etc.

Grade Kelly é uma ferramenta de avaliação que, ao contrário de testes padronizados tipo psicométrica, é construído em colaboração com o cliente para que sua administração pode, desde o início, digite a sua visão pessoal do mundo ea socioafetiva dinâmico em que está imerso. A grade também pode obter dados quantitativos e gráficos relacionados com as diferentes dimensões que o cliente constrói a sua realidade e à disposição do cliente significativa em que as pessoas de espaço. Enquanto as bonecas não permitem a obtenção de medidas quantitativas, eles são muito mais próximo e imediato, uma vez que um acordo com bonecas pode ser feito em vinte minutos ou meia hora, enquanto a construção da grade, e uma análise mais aprofundada, leva muito mais tempo (uma sessão para obter construções, cerca de duas horas para que a pessoa preencha os campos, duas horas para despejar os dados em um programa que analisa como o "Record" e, pelo menos, , outra sessão para fazer um retorno de resultados para o cliente). Na minha experiência pessoal, a combinação de ambas as ferramentas ao longo do processo terapêutico é altamente eficaz.

4.3. A cadeira vazia

É uma técnica gestalt que envolve um esquete em que o cliente alternadamente assume o papel de dois aspectos do conflito através de uma guiada pelo terapeuta (que marcam os momentos de diálogo mudança, sugere o uso de expressões facilita o foco sobre certos aspectos experimental, etc). Nesta forma gestalt de "autopsicodrama" o cliente incorpora, por dramatizar todos os personagens envolvidos na representação (no caso de conflitos interpessoais não resolvidos) ou todas as partes ou aspectos que criam o problema (por conflitos intrapsíquicos ). Esta adição é feita por alternando os caracteres com o deslocamento espacial. Muitas vezes simbolicamente indica a presença do "outro" ou "adição" por um travesseiro ou cadeira (daí o nome genérico da técnica). Normalmente distingue duasduasduasduasduas aplicaçõesaplicaçõesaplicaçõesaplicaçõesaplicações [[[[[ 7]7]7]7]7] ::::: diálogodiálogodiálogodiálogodiálogo vaziavaziavaziavaziavazia paraparaparaparapara ooooo conflitoconflitoconflitoconflitoconflito entreentreentreentreentre duasduasduasduasduas partespartespartespartespartes dedededede sisisisisi mesmomesmomesmomesmomesmo cadeira; e diálogo dos sentimentos não resolvidos cadeira vazia relativas a outros. Ambas as aplicações podem ser feitas em trabalhar com fantoches, para que o cliente fala dos vários representantes de conflito intrapessoal ou interpessoal. O fato de que o cliente pode ver os diferentes personagens também a partir de um observador "posição meta", permite que o terapeuta para gerir mais facilmente a busca de catarse (em caracteres) ou contenção (levando-a para um papel de observador externo) que considere conveniente. Muitos estudantes treinados em técnicas de Gestalt costumam comentar que o trabalho da cadeira vazia lhe dá uma informação cinestésica corporal e muito valioso. Neste sentido pode-se considerar que o trabalho com bonecas não fornece acesso a essas informações em tal uma ampla e direta como a forma dramatização. No entanto, no trabalho com bonecos é essencial considerar não-verbal de comunicação e cliente corpo de informação (gestos, respiração, alterações posturais, etc.), porque nós

permissão para estar em contato com o processo interno que o cliente é feito através das bonecas (é indiferente?, algo afeta você ou provoca uma reação emocional?, tente entender?, tente não se sentir envolvido?). Por outro lado, muitas vezes trabalhando com bonecas conclui com uma intervenção com base em visualizações guiadas, onde a percepção do cliente linguagem corporal torna-se essencial para o terapeuta para facilitar e acompanhar os movimentos internos em direção a uma resolução do conflito.

4.4. reestruturação cognitiva

É uma estratégia geral terapias comportamentais cognitivas

destinadas a mudar a maneira de interpretação e avaliação subjetiva

pelo diálogo socrático, modelagem e praticar novos hábitos cognitivos. Rational-Emotive terapia comportamental e terapia

cognitivacognitivacognitivacognitiva [[[[ 8]8]8]8] ElesElesElesEles sãosãosãosão modelosmodelosmodelosmodelos paraparaparapara clínicaclínicaclínicaclínica dededede reestruturação,reestruturação,reestruturação,reestruturação, cognitivo, onde figura proeminente. Sua hipótese de trabalho é que os padrões de pensamento, chamadas distorções cognitivas, ter efeitos adversos sobre emoções e comportamento, e, portanto, a sua reestruturação, através de intervenções psico e prática contínua, pode melhorar o estado do cliente. Neste contexto e tendo em vista

a reformulação de idéias ou interpretações disfuncionais, há dois

aspectos que trabalham com bonecas pode trazer para técnicas de reestruturação: 1) permite que as emoções são incorporados organicamente no processo, superar a abordagem subordinação, controle ou manipulação de cliente mundo afetivo por processos cognitivos racionalidade-analítica;

analógico e atitude de respeito para com a realidade vivida pelo outro.

4.5. técnicas narrativas

Dentro do rótulo técnicas narrativas podem incluir tanto as técnicas que provocam histórias pelo cliente (diário, poesia, história de vida, episódios biográficos, etc.) como o uso de histórias pelo terapeuta (histórias terapêuticas, narrativas metafóricas ,

textos literários e / ou filosóficas ou "biblioterapia" de material, etc.). Estas técnicas geralmente cobrem três objectivos comuns em psicoterapia: 1) ampliar a visão de mundo do cliente para que você possa organizar e dar sentido a sua experiência e, assim, reconceituar seus problemas; 2) facilitar a excitação emocional para que o cliente pode reconhecer, expresso, fazem sentido e assumir a responsabilidade por seus sentimentos, de modo que você pode estabelecer uma "experiência"experiência"experiência"experiência"experiência"experiência"experiência"experiência emocionalemocionalemocionalemocionalemocionalemocionalemocionalemocional corretiva"corretiva"corretiva"corretiva"corretiva"corretiva"corretiva"corretiva" [[[[[[[[ 9]9]9]9]9]9]9]9] ,,,,,,,, umaumaumaumaumaumaumauma experiênciaexperiênciaexperiênciaexperiênciaexperiênciaexperiênciaexperiênciaexperiência irreversívelirreversívelirreversívelirreversívelirreversívelirreversívelirreversívelirreversível [[[[[[[[ 10]10]10]10]10]10]10]10] ouououououououou umaumaumaumaumaumaumauma soluçãosoluçãosoluçãosoluçãosoluçãosoluçãosoluçãosolução dddddddd âncora; e 3) promover a recapitulação do cliente "conflitos genéricos", a fim de ultrapassar essas orientações ou "scripts" que vêm de experiências de aprendizagem precoce e são menos adaptáveis ​​no tempo presente. Ao trabalhar com bonecas você pode acessar estes três objectivos comuns, com a vantagem adicional que utiliza simultaneamente dois tipos de linguagem, bem como elevar o tipo de discurso narrativo verbal permite a implantação de um código simbólico baseado em códigos espaciais e visuais . Assim, não só o hemisfério esquerdo e capacidades de análise e racionalização, mas também o hemisfério direito e processos sintéticos, a compreensão global e analógico é ativado.

Aqui estão alguns exemplos de técnicas usadas extensivamente ao longo de décadas no contexto psicoterapêutico de diferentes quadros ou

abordagens teóricas. A maioria deles desfrutar de grande popularidade e eficácia é considerada provada. Alguns deles podem ser usados, como bonecas para objetivos diferentes e complementares. Por exemplo, a técnica narrativa diária permite catarse e apoio emocional e também facilita a metaforização e reformulação de questões de interesse para o cliente. Eu acredito que a principal contribuição do trabalho com fantoches, como uma ferramenta terapêutica, é sua enorme versatilidade para fornecer todos os processos terapêuticos discutidos a qualquer momento ou fase da intervenção com baixo custo temporal e material.

ferramenta Dolls é ao mesmo tempo filha e neta de uma vasta gama de técnicas terapêuticas como um importante fundo filosófico e cultural de pesquisa. Sem esquecer que deve muito a sua origem e as técnicas aplicadas às suas próprias origens, desenvolvimento e eficácia no trabalho com fantoches pode encontrar uma vantagem adicional em seus quadros teóricos versatilidade, permitindo simultaneamente:

Uma compreensão sintética, para expandir a construção da realidade através de uma imagem complementar do hemisfério direito. Experimentando com diferentes experiências e possibilidades (ensaio comportamental, a experiência emocional corretiva, expandindo repertório de respostas).

Facilitar tanto a catarse e contenção emocional de acordo com as necessidades do cliente e do processo terapêutico. Trabalhar em diferentes momentos do processo terapêutico (avaliação inicial, avaliação das necessidades, a criação de parceria, fases intermediárias, avaliação dos progressos, fechamento e monitoramento), com objetivos diferentes e até mesmo de diferentes ambientes terapêuticos.

5

Trabalho com diferentes utilitários

bonecas

Trabalhando com bonecas, graças à sua versatilidade, pode ser aplicado de várias maneiras e com diferentes objetivos. Ao mesmo tempo, acho que o principal objetivo de colocar um trabalho com bonecas é a necessidade de ampliar a visão de mundo do cliente (os humanistas chamaria de "consciência" Hellinger conversa de "perder a inocência") de modo a aumentar os graus de liberdade em sua vida e escolhas diárias: de que suas ações não são mais motivados ou mediadas por implicações, compulsões, introjeção, etc. e pode assumir a responsabilidade por seu bem-estar forma autônoma e adulto.

Como visto nos capítulos anteriores, as bonecas são uma ferramenta que permite visualmente e espacialmente representam diferentes aspectos do cliente realidade subjetiva. No entanto, não sujeito a uma estrutura teórica adequada, mas eles precisam ser orientados e apoiados pelo conhecimento ou terapeuta antes

Consultor: em sua vida e experiência profissional, escola filosófica e / ou terapêutica, na formação e bom senso. Assim, as bonecas pode ser útil como um teste projetivo ou como uma ferramenta de intervenção cognitiva, emocional ou mesmo comportamental. Alguns dos usos que podem ser dadas a esta ferramenta são discutidos:

5.1. As bonecas como uma ferramenta de avaliação

Os bonecos são usados ​​para avaliar o estado atual do cliente, os conflitos expressos e não expressa, e a imagem interna do problema e suas tentativas de solução. Muitas vezes pode trabalhar com manequins sem intenção de intervir a priori, mas como método de avaliação: como teste de pré-intervenção como teste pós-intervenção como uma fase intermediária do teste do processo de tratamento. Por isso, pode ser apropriado para tirar fotografias das disposições, de modo que o terapeuta apresentou as diferentes imagens e eliminá-los para observar sua evolução e até mesmo mostrá-los para o cliente, se considerar adequado. Em relação a se ou não a exibir estas imagens previamente configurados, É necessário avaliar cuidadosamente se mostrar um problema de imagem antiga pode ser benéfico para o cliente a realizar o seu progresso ou melhoria ou, pelo contrário, pode ser contraproducente, pois pode retrotraerle a algo já superado. Esta é uma razão pela qual eu recomendo para não deixar muito tempo um problema de imagem configurado e que geralmente deixam a solução imagem- não recolhido até que o cliente deixou a consulta.

Caso-Exemplo 4: Fiel à sua mãe

O

caso que se segue exemplifica a utilização dos bonecos na fase inicial do processo

de

tratamento. A fim de avaliar a demanda do cliente, um exercício de bonecas que

serviu para tomar nota de alguns dos aspectos que devem funcionar nas seguintes fases foram levantadas. O cliente é um homem de 45 anos, divorciada há dois anos, trabalhando como gerente em um setor de jogos de vídeo multinacional. Ela consulta com a seguinte demanda inicial: "Preciso de ajuda para quebrar meu amante, porque

eu percebi que eu estou me machucando." Então ele diz, tentou três vezes para deixar

o relacionamento e sempre devolvido no prazo de uma semana, porque "ele não podia suportar a angústia de não estar com ela."

Depois de recolher alguns fatos sobre o relacionamento com seus pais, seu casamento e sua atual par emocional (considerado "amante", embora ele é divorciado, porque ela é casada e tem um filho), peço-lhe para fazer as configurações com seu pai mãe, ex-esposa, amante e ele próprio.

Figura 4.1: Homens Procurando Mulheres que não estão disponíveis não disponíveis

A imagem mostra vários aspectos que evocam distúrbio quer no sistema de fonte tal como

A imagem mostra vários aspectos que evocam distúrbio quer no sistema de fonte tal como no presente:

É na mesma linha que seus pais, ele ser o primeiro da fila, ele formou um casal e sua mãe, enquanto o pai está ausente e volta para eles.

Sua ex-esposa está localizado em frente, no espaço do "futuro" e dentro de seu campo de visão, como se ela permanecer uma questão pendente.

O amante está mesmo na periferia da sua visão, olhando para fora (é impressionante simetria sobre a posição do pai).

Comentando entre o cliente eo terapeuta que é observado na

configuração, incluem os seguintes comentários do cliente:

"Minha mãe é confortável com me ao lado dele e se sentem protegidos e acompanhados".

"Meu pai sempre foi o seu, é um egoísta e um bastardo. Ele tem sido fatal para a minha mãe. Nós não falamos. "

"Minha ex-mulher me usou. Eu sou uma vítima de suas manipulações. Eu nunca quis qualquer um. " "X é o amor da minha vida."

Quando o terapeuta fez algumas observações como, "parece que você está mais perto de sua mãe do que o seu parceiro atual," ele tomou uma atitude defensiva justificada com as necessidades de sua mãe e alegando que a boneca que representava "realmente queria estar ao lado de seu parceiro. " Quando o terapeuta mudou a boneca que representava o lado da figura do casal, disse: "Estou feliz aqui, mas minha mãe precisa de mim e eu tenho que voltar com ela." Ele mesmo tomou sua figura e novamente colocá-lo ao lado da mãe.

Estas observaciones indican cierta dificultad del cliente para adoptar una perspectiva más

amplia de su situación y, simultáneamente, una alta implicación respecto al trabajo

planteado con los muñecos (el hecho de discutir las observaciones hechas por la

terapeuta en vez de ignorarlas o considerar el ejercicio como una “tontería” iría en este

sentido). Como el objetivo era más la evaluación que la intervención, se le propuso incluir

un personaje para una posible futura pareja que estuviera libre para él y así observar si la

nueva imagen configurada representaba la dinámica del problema o planteaba una

posible salida o paso hacia la solución.

Imagen 4.2: Una mujer disponible no tiene oportunidad

A imagem fala por si. Alguns dos aspectos levados em consideração terapeuta para trabalhar nas

A imagem fala por si. Alguns dos aspectos levados em consideração terapeuta para trabalhar nas sessões seguintes foram fechando a inclinação com seu caso de ex-mulher, explorar a relação com o pai e trabalhar respeito pela mãe. Vá direto para o trabalho com a demanda inicial para terminar o relacionamento com ela "amante" (a mulher não disponível) parecia difícil para ganho secundário (inconscientemente, é claro) que a obtida com a relação: ele se permitiu não ser disponíveis. Estar em um relacionamento com uma mulher casada mãe de uma criança permitida para cobrir algumas necessidades emocionais e, ao mesmo tempo, não ter muitas responsabilidades de convivência e respeito. Então, eu poderia evitar a surgir a necessidade de buscar e cuidar de um casal que tem um projeto comum mais realista,

interpessoal (por exemplo, teria que assumir a culpa por não ser tão disponível para uma das duas mulheres, sua mãe ou seu parceiro, teria que tomar queixas deles derivados, também tem que considerar que você não pode substituir seu pai em relação

com sua mãe e não pode ser melhor do que ele deu a sua mãe o que o pai não deu

).

5.2. As bonecas como uma ferramenta para a metaforização e reformulação bonecos permitem que os clientes para ver seus problemas sob uma nova perspectiva, permitindo criar analogias e conexões não reconhecidos até agora. Assim, como uma ferramenta para metaforização, as bonecas oferecer um paradigma ou o mundo de diferentes crenças, facilitando assim o desenvolvimento de atitudes emocionais e interpretações e sugerindo novas possibilidades antes não contemplados. Através dos bonecos você pode evitar um confronto direto, permitindo que o cliente para considerar idéias ou sentimentos que de outra forma poderiam ser evitadas ou negadas. Através da configuração dos bonecos você pode desenhar uma série de metáforas que o cliente utiliza para representar a realidade. Por exemplo, É comum ver imagens em que o cliente se encontra ou seção, onde um pesado carregar imagens ou imagens "mochila", onde ele aparece presos ou sem futuro, expressos etc. excluídos De antemão, até mesmo as alterações de configuração por parte do cliente ou terapeuta, você pode fazer uma reformulação do problema e procurar uma metáfora alternativa. assim,

a "carga" pode ser

reconceptualised como um apoio ou uma força protectora, doença crônica pode ser tomado como um "amigo fiel" e a sensação de estar preso pode remetaforizarse necessidade como vestida de sentir ou mostrar a apreciação. Em qualquer caso, a reformulação sempre surge a fim de encontrar recursos no cliente e aumentar a sua responsabilidade, tendo, por isso, que nunca

sinto obrigado a resignar-se a uma situação que precisa mudar.

Caso-Exemplo 5: O dom de voz

Se eu comente abaixo, ao contrário da maioria, que apresentou como exemplos, ele ainda não foi concluída. Esta é Patricia, uma mulher de 20 anos com deficiência mental moderada, a quem o pai traz a consulta porque ele parou de falar um pouco mais de um ano. O fundo é diagnosticada muito cedo na idade de dois anos de condução e atraso na fala. Estudou primária em um centro normal, onde você faz uma adaptação curricular. primária completa sabendo alfabetizados e com bom desempenho acadêmico e social. As previsões são muito favoráveis ​​e todos os profissionais envolvidos consideram sua evolução irá permitir-lhe autonomia funcional. No entanto, durante o ensino médio, atuando em um centro especial, Ela começa a tornar-se socialmente isolados e os pais notar uma mudança para pior em todos os níveis. Atualmente não fala, não manter contato visual e mostra uma atitude submissa e apático. Você está tomando um antidepressivo prescrito pelo psiquiatra e participa regularmente em um centro de terapia ocupacional que mostra pouco participativo. Por outro lado, a mãe é diagnosticada com uma doença degenerativa grave desde o nascimento do segundo filho há 14 anos. Durante todo esse tempo ele perdeu a mobilidade e agora usa uma cadeira de rodas. Durante a entrevista inicial o pai diz-me que Patricia é muito ciúmes da filha mais nova e eu comecei a ficar pior em todos os níveis, desde o nascimento de sua irmã. Eu apontei para a coincidência entre o curso da doença da mãe e do aparente recuo da filha e diz que pode ser porque eles estão sempre juntos e que, antes de a mãe a levou para uma caminhada e fazer as coisas e agora permanecem em casa. Então eu pedir-lhe para me deixar sozinha com Patricia. Embora Patricia não fala durante a consulta, participativa própria mostrado.

Nós nos sentamos em uma mesa e estender as bonecas. Peço-lhe para procurar uma boneca para ela, um para a mãe, um para o pai e outro para a irmã. Leva tempo para fazer, olhar para cada um deles e, finalmente, escolhe e lugares da seguinte forma:

Figura 5.1: Eu sou pequena e eu sou o primeiro

forma: Figura 5.1: Eu sou pequena e eu sou o primeiro Por um tempo eu não

Por um tempo eu não sei quem é quem. Eu acho que o pai é a figura masculina e ela foi escolhida como uma criança ao invés de bonecos adultos. Eu coloquei um post-it na frente de cada figura e deixou uma caneta ao lado, pedindo-lhe para escrever que é cada boneca. Depois de um tempo escreve seu nome na frente da boneca, "irmã" antes da próxima boneca, "Pai" antes de boneca homem e "minha mãe" antes da última.

Esta disposição é importante para mim, ela é representada como uma criança enquanto sua irmã, 14, representado com uma figura adulta. Parece-me que a primeira do "batalhão" está localizado e que a mãe está no extremo oposto. Também é interessante notar a vontade dos casais: a irmã-irmã, por um lado, e pai-mãe do outro.

Peço-lhe agora escolher um para a sua voz, a voz de Patricia. Escolha da mesma forma, tendo tempo e olhando para as bonecas com cuidado. Quando, finalmente, escolhe um, ele está olhando para a mão e acariciando antes de colocar.

Figura 5.2: O dom da voz

Quando, finalmente, escolhe um, ele está olhando para a mão e acariciando antes de colocar. Figura

Diante desse quadro, digo-lhe que eu acho que uma voz muito agradável e fez dele um dom precioso para a mamãe ", Agora que sua mãe não pode orientá-lo para dar a sua voz, para que qualquer um pode falar, você quer um monte certo? ". Patricia sorri para esta observação, e olhando para as bonecas. Digo-lhe que a sua voz está muito feliz com sua mãe e com certeza mãe também obrigado presente, mas estou convencido de que a voz seria muito mais feliz sobre Patricia ajudando e protegendo-a e que sua mãe também seria

mais feliz se ele podia ouvir a filha falar e ouvir de novo aquela linda voz. Patricia ainda está procurando bonecas e sem sorrisos mais longos. Continuo falando sobre como calma a mãe se sentiria ao saber que Patricia pode ser usado novamente sua voz para dizer as coisas e dizer se você precisar de alguma coisa, porque as mães gostam de saber que seus filhos precisam e gostam de ouvir como você tem se saído o dia, e o que eles fizeram

na escola e se eles têm um bom tempo

suavemente a voz e retornos para acalentar. Coloca-o ao lado de sua figura e sorri

novamente.

como eu continuar falando, Patricia leva

Com a nova imagem que eu dizer-lhe como ela está feliz a voz de estar perto de Patricia novamente e pedir-lhe para escolher uma boneca que é a doença da mãe. rigoroso processo de selecção é repetido. Neste caso, antes de colocá-lo leva a figura de sua irmã na mão, acaricia, e apresenta alguns pais respeito e ela. Em seguida, ele coloca a doença boneca ao lado de sua irmã. Neste caso, eu apenas lhe perguntou: "Você não acha que a mamãe tem o direito de descansar com sua doença?". Depois de um tempo, o que parece ser decidir ou pensamento, bonecas move lentamente deixando a seguinte disposição:

Figura 5.3: A mãe pode descansar

Quando falo com os meus colegas e meus alunos desta sessão, eu costumo enfatizar que

Quando falo com os meus colegas e meus alunos desta sessão, eu costumo enfatizar que as bonecas me permitiria trabalhar com Patricia, embora ela não falou comigo ou me olhar. Eu também gosto de apontar o que ele me ensinou sobre o possível prejuízo a um caso. Patricia não só envolvidos no trabalho das bonecas, mas dividiu o significado metafórico e encontrou, com pouca intervenção dadadada minhaminhaminhaminha parte,parte,parte,parte, umaumaumauma metáforametáforametáforametáfora visualvisualvisualvisual alternativaalternativaalternativaalternativa éééé umaumaumauma imagemimagemimagemimagem dededede soluçãosoluçãosoluçãosolução [[[[ 11]11]11]11]

5.3. Bonecas e mobilizador emocional

Uma pessoa não pode entender completamente as suas emoções única

falando sobre eles no resumo. A escolha de figuras que irão representar outros significativos, sua localização no espaço, dramatizações de cada personagem, frases repetitivas são elementos de cura trabalho com bonecas que causam reações emocionais intensas no cliente. Figuras promover cliente envolvimento e sugestão e facilitar grandemente catarse. Além disso, a possibilidade de "olhar de fora" e desidentificar seu próprio representante pode chegar a um apoio bastante emocional imediata e eficazmente se o terapeuta considerar apropriado.

Caso-Exemplo 6: A dor de necessitar

Durante os cursos que ensinam sobre como lidar com as bonecas como uma ferramenta terapêutica, numerosos prática supervisionada surgir. O trabalho que eu comentou então implantado a partir de um desses exercícios entre dois alunos: um assumindo o papel de cliente e outro terapeuta. A proposta era trabalhar com dois aspectos da personalidade do "cliente" que irá ser difíceis de integrar e gerenciar. A polaridade Marta foi criado por sua parte ativa e passiva. O terapeuta, observando-se as bonecas escolhidos e vontade disse a Marta que se ela viu a boneca que representava a parte ativa com uma atitude determinada. Em vez disso, a boneca que representava a parte passiva não é visto como alguém sem iniciativa ou sem capacidade de agir, mas apareceu com uma atitude receptiva, doce, mais interessados ​​em cuidar de antecedência profissionalmente. Marta aceitou a reformulação do "receptivo", embora ele disse que só se sentiu confortável com a boneca que representa a sua parte "ativa" e sentiu a parte "receptivo" era infantil, impraticável e que preferia tê-lo afastado. Como em um ano anterior tinham sido feitos para o Genograms

A partir de entrevistas com os alunos, o terapeuta trabalha com a hipótese de que ambos os lados estavam em conexão com duas figuras familiares de Marta:

Ele relatou a parte "ativa" com uma tia Marta ao lado de seu pai, que tinha sido único, politicamente ativo durante a Guerra Civil e morreu tiro.

Ele relatou a parte "receptivo" com uma tia Marta, neste caso lado da mãe, que também tinha sido solteira, que cuidou de seus irmãos ser jovem e seus pais de mais velho e ele sentiu algum pesar.

Ao colocar os números das duas mulheres, o cliente sentiu que tinha de proteger ainda mais a parte "receptivo".

O terapeuta explorou os sentimentos que o levaram a olhar Marta em cada uma dessas partes. Ele colocou pulso primeiro Marta na frente de sua parte "ativa" e, em seguida, na frente de sua parte "receptivo". Então ficou claro que Marta ligada a idéia de "ativo" para ser independente e não preciso de nada de ninguém, enquanto associando a parte "receptivo" com a sensação de precisar de algo dos outros e, por isso, ser dependente .

Em um ponto, quando perguntado "Qual é o problema de receber dos outros?" Marta respondeu que o problema era quando necessário algo e você deu-lo e não estava disposto a passar por isso novamente. A atitude de Marta na época era defensiva, como se estivesse tentando evitar a sensação de dor que pode causar frustração das necessidades importantes. Por que o terapeuta levantou a possibilidade de que tal atitude, evitando necessidade ou depender dos outros, estava relacionada com experiências que Marta poderia ter tido na infância. Marta disse o seguinte:

Possivelmente, pequena, ela precisava de algo a partir de seus pais e

Ele não tinha sido capaz de receber.

Na dor que tinha causado a frustração de suas necessidades, Marta tinha desenvolvido um mecanismo de defesa para protegê-lo de repetir tal dor: não precisa de mais nada.

O engraçado é que esta hipótese também poderia explicar o conflito Marta a respeito de seu desejo de ter um parceiro:

Marta queria ter um parceiro. Seus relacionamentos não tinha funcionado até agora. Marta sentiu que ela deu tudo para seu parceiro e ele saiu. Relativamente a esta questão, o terapeuta fez a seguinte pergunta: "O que o homem pode se sentir valorizado por você, se você precisar de alguma coisa não permitir que ele". Seguindo esta abordagem, o terapeuta levou a figura de uma menina e posicionado na frente do boneco representando Marta. Então, ele pediu-lhe para dizer: "Eu não quero olhar, porque suas necessidades me faz sentir vulnerável" Marta estava em choque e começou a falar sobre sua infância, seus pais, dificuldades econômicas, privação emocional e entrou em contato com uma dor profunda, sem entrar em lágrimas, mas de uma forma contida e, ao mesmo tempo, muito evidente para aqueles que estavam testemunhando a cena.

Figura 6.1: Agora que eu sou um adulto eu posso cuidar de mim mesmo

Finalmente, a frase de cura sugerido pelo terapeuta era "minha querida, agora que eu estou

Finalmente, a frase de cura sugerido pelo terapeuta era "minha querida, agora que eu estou crescido posso olhar para você e protegê-lo. Por favor, confiem em mim e me ajude a saber o que você precisa aprender a cuidar de si mesmo e cuidar de mim melhor. "

Este caso mostra como, em muitos casos, as hipóteses sistêmicas podem dar pistas e ajudar a expandir a visão do cliente, mas, eventualmente, o trabalho fundamental é que a pessoa é responsável por seu bem-estar e mais justificar suas dificuldades e conflitos experiências passadas, lealdades transgeracionais ou várias implicações.

5.4. Dolls como um suporte explicativo

As bonecas também ser usada pelo terapeuta para traçar uma observação sobre o assunto que o cliente traz para a reunião, esclarecendo um confronto ou interpretação ou exemplificar um comportamento atitude / alternativa. Em geral, este tipo de intervenções de apoio terapeuta é geralmente bem recebido, pois é menos directiva que meramente verbal.

Caso-Exemplo 7: Por que lutar?

Um casal veio até mim sobre a recomendação do professor da menina que vai para uma creche. Os pais, Dario e Elena, estavam muito preocupados com comida emite sua filha de três anos. Na escola sem problemas para comer ou de outra forma. Em casa, no entanto, quando o jantar é temido pelos pais porque a criança se recusa a comer, tem "birras" e eles acabam exaustos e discutindo.

Após os bonecos iniciais saco de entrevista e pedir-lhes para cada montagem de uma cena familiar onde aparecem os três. As duas configurações são virtualmente idênticos, excepto para um par de diferenças curiosos:

Na configuração de Elena, o pai é mais distante da mãe e a menina na configuração de Darius.

Na configuração de Dario, a boneca que representa de frente para a mãe ea criança, enquanto a boneca que representa a mãe procurar outro lugar. Por outro lado, na imagem apresentada por Elena, a boneca que representa ela olha para o pai, enquanto o boneco representando o pai procurar outro lugar.

Figura 7.1: Ela não se sente cuidada (mãe de trabalho)

Imagem 7.2: Ele não se sente valorizado (trabalho pai)

Imagem 7.2: Ele não se sente valorizado (trabalho pai)

Eu entendo essas configurações de modo semelhante e, ao mesmo tempo opostas que: ambos sentem

Eu entendo essas configurações de modo semelhante e, ao mesmo tempo opostas que: ambos sentem que estão atentos para o outro parceiro e eles não sentem que o outro está atento a eles da mesma forma.

Quando pergunto sobre a relação que encontramos o seguinte:

Darius vai psicoterapia para depressão após um despedimento sem justa causa.

Elena criou um negócio de venda on-line com um parceiro pouco mais de um ano e mais e fazer melhor.

Dario sente que perdeu a cumplicidade ea paixão dos primeiros anos de relacionamento.

Elena reclama que ele não colabora em casa e apenas ajudar com a menina.

Dario tem encontrado um novo emprego que você não está feliz. Elena gostaria de dedicar mais tempo e energia para o negócio para sentir-se calmo com seu parceiro e seu projeto.

Ambos consideram sua vida sexual poderia ser mais gratificante ( "estamos tão cansado", "às vezes eu sinto que é uma obrigação", "Eu tenho medo que a menina acorda").

Na configuração de Elena eu adicionar uma boneca para representar onde Darius olhar. Eu explico que possivelmente ela está vivendo longe como a ausência ou a necessidade para ele recuperar a confiança após a demissão. Certamente por isso que ele está tentando fazer mudanças em um nível pessoal e terapia nível profissional com a busca de uma posição mais satisfatória. Proponho a idéia de que, se ele se preocupa e tenta se sentir melhor não por causa de "egoísta" ou motivações não pensar nisso. Pode ser devido a um desejo de contribuir mais para a sua família e se sentem valorizados por sua esposa. Darius concorda com a explicação e Elena aceita a proposta para tentar manter isso em mente sempre que ela sente que ele só se preocupa com ele mesmo.

Imagem 7.3: Que ele

(A reformulação)

beneficia o cuidado da família

Da mesma forma, na configuração proposta por Dario I coloque uma boneca para representar onde

Da mesma forma, na configuração proposta por Dario I coloque uma boneca para representar onde ela olha. Aqui, novamente, eu explico:

O fato de que Elena olhar para o seu negócio e sua necessidade de profissionalmente feito é algo que beneficia o casal ea família.

Possivelmente você pode apreciá-lo a médio e longo prazo. Eles precisam assumir que no curto prazo pode ter algumas desvantagens: tem que lidar mais tarefas domésticas do que até agora ela tem encomendado, ela deve aceitar certos sentimentos de culpa sobre a filha gastam menos tempo, etc.

Então eu pedir-lhes para tentar criar entre eles uma imagem da

"Ideal" situação familiar que gostaria de obter.

Imagem 7.4: Primeira solução proposta comum

de obter. Imagem 7.4: Primeira solução proposta comum O curioso sobre esta imagem é que eles

O curioso sobre esta imagem é que eles sugeriram-lo como um possível "relacionamento ideal" e ainda está mostrando claramente a dinâmica do problema:

Filha "está se juntando" pais ea relação é relegado para segundo lugar.

A filha não pode gerir bem o poder investido nessa posição, porque, por um lado, você pode gostar de ser protagonista e, em segundo lugar, irá causar insegurança, pois parece que os pais a ler ou não depende dele.

Para mostrar melhor essa ideia que posicionar as duas figuras parentais

olhar e perguntar-lhes. "Isso soa algo esta imagem?".

Imagem 7.5: Explicação do conflito com alimentos

Imagem 7.5: Explicação do conflito com alimentos Sem hesitar um momento ambos resposta que era a

Sem hesitar um momento ambos resposta que era a situação habitual no jantar. Assim, proponho uma imagem de alternativa e pergunto se eles acham atraentes.

Imagem 7.6: Solução proposta aceite

Após uma pequena discussão sobre a proximidade da filha (a mãe coloca ligado a eles

Após uma pequena discussão sobre a proximidade da filha (a mãe coloca ligado a eles e o pai mais distante) chegar a um acordo sobre a imagem e dizer que não representa família feliz que eles querem se tornar. Após este consenso, explicar as etapas para mover a partir das imagens iniciais configuradas para eles esta imagem Wellness aceito pelos dois:

Darius precisa de continuar a trabalhar para melhorar a sua auto-estima. Ela deve entender que quando dedica tempo à sua terapia, para preparar e entrevistas de emprego ou atividades gratificantes não fazê-lo apenas para ele, mas também para sua família.

Elena precisa ser dado tempo para encontrar o seu próprio pacto que permite conciliar o seu projeto profissional, o seu projecto de família

bem-estar emocional. Você também tem que cuidar melhor de si mesma e seu marido para obter ajuda, confiando e inclinando-se sobre ele, de modo que não é carregado com tantas responsabilidades sem perceber as contas físicas e emocionais que, em seguida, aparecem.

Ambos devem encontrar uma posição comum sobre o alimento da criança. Como Elena é o mais interessado e mais perturbado, é conveniente para levar o jantar hora de se aposentar e relaxar. E deu a autoridade para o pai nesta situação, isso leva algum tempo para si e para a criança evita o uso de alimentos para os pais "forçar" a olhar através da discussão. Eles precisam retornar gradualmente relacionamento. Apesar do cansaço e as dificuldades da procura de alguém para cuidar do pouco que é desejável que surgem de tempos em tempos sozinho como um casal. No início, eles têm que vê-lo como uma obrigação e pelo menos uma vez a cada quinze dias. Aos poucos você esperaria encontrar mais e mais motivação no fato juntos para compartilhar algo que gostei antes ou solo experimentar novas actividades: cinema, amigos, jantar, conversando em um café, etc. Assim, você terá a oportunidade de encontrar novos pontos de cumplicidade e pode voltar a sentir a família como um projeto comum e não como um conjunto de responsabilidades e encargos partilhados e suportar sozinho.

Além disso, pergunte ao cliente utilizar os bonecos para explicar qualquer problema ou aspecto de sua experiência que causa pode nos ajudar a entender melhor todas as implicações desta questão para o cliente. Através da criação da imagem ou imagem de um aspecto da realidade construída internamente pelo cliente, pode haver elementos novos ou não identificados no discurso. Como ferramenta de triagem, excede a característica reducionismo seqüencial do código verbal, desde plasma conflito tão intemporal vêm na imagem permitindo que todos os aspectos

simultaneamente. Portanto, pode ser apropriado para pedir ao cliente para explicar algum aspecto de seu discurso as bonecas, de modo que o que era confusa ou contraditória pode ter um espaço para esclarecimento, e permitir que aspectos ocultos ou esquecidas aparecer. Em numerosas ocasiões, o simples fato de implantar a configuração e observar os elementos que durante o discurso verbal tinham aparecido extremamente satisfatória e rentável para o cliente.

Caso-Exemplo 8: Quando a confiança ajuda a mais de preocupação

Este trabalho foi criado em uma das sessões do processo terapêutico de Silvia, a 43-year-old casou com uma filha de oito anos diploma de jornalismo e atualmente dedicado às tarefas de cuidar da família e da casa .

Durante a sessão levantou preocupações sobre uma série de eventos que ocorreram na semana anterior em conexão com um companheiro de sua filha:

Parece que essa menina teve sua filha e tentou outros companheiros de classe não brincar com ela.

Sua filha lhe dissera que a outra garota tinha dito a ela que seus pais não a queria.

Silvia estava preocupado porque eu não sabia como reagir quando sua filha lhe disse essas coisas e não sabia se ele estava certo em dizer que "o que acontece com o seu parceiro está com ciúmes de você." Além disso, eu estava preocupado que repassou algo assim desde que o marido de Silvia tinha dito à filha que se isso aconteceu novamente teve que responder a um insulto e se não, ele diria que a menina tão feia, tão ruim e quão tola que era.

Por outro lado, ele estava considerando um tutorial com o professor para ver as medidas que poderiam ser tomadas para controlar essa menina não mexer com sua filha.

Silvia bastante tempo para explicar que a menina em questão foi adotado, sua irmã mais velha era a filha biológica de seus pais e que, coincidentemente, foi nomeado como sua filha Sofia. A sensação que me deu para ouvir esta história é que Silvia e seu marido estavam tão preocupados sobre como controlar a situação que eles estavam perdendo de vista os sentimentos e necessidades de sua própria filha. Perguntei Silvia para levantar a questão que estava me contando com bonecas.

Figura 8.1: Os pais estão mais próximos a preocupação de sua filha

a questão que estava me contando com bonecas. Figura 8.1: Os pais estão mais próximos a

A imagem formada é em linha com a ideia anterior de que a preocupação com a questão era que os pais estavam mais conscientes da companheira que "assombrado" do que sua própria filha. É muito surpreendente que Silvia colocou a boneca e o marido para trás a menina que a incomodava filha (acho que para expressar a necessidade de "controle") em vez de por trás de sua própria filha (de modo que a filha se sentiria mais "protegido").

Para as perguntas "como você se sente a sua filha?" E "Como você se sente o companheiro de seu filho?" Silvia percebeu que sua atenção estava mais focado na outra menina de sua própria filha, a quem ele viu "muito sozinha". Pedi-lhe para tirar os pais da outra menina e sua irmã. Ele colocou os pais muito distantes de seus pequenos brincos de sua filha mais velha, que pareciam estar a olhar para Sofia, filha de Silvia filha. Então eu perguntei se eu poderia encontrar um lugar melhor para ela e seu marido para que Sophia, sua filha se sentir menos sozinho.

Primeiro ele colocou os bonecos representando-os para trás Sofia, muito ligados a ele. Eu perguntei como sua filha podia senti-los tão perto e ele disse que parecia sentir muito protegida. Eu perguntei se Sofia podia sentir seus pais confiável ou acreditava que ela não estava indo para resolver os seus problemas na escola sem a sua ajuda. Para esta pergunta, ele disse que era verdade, eles não confiar demais nela e, possivelmente, ela percebesse e fez com que ele se sente menor do que realmente era.

Tirei algumas figuras ela e seu marido, comentando que Sofia poderia ser uma boa ajuda a confiar mais em seus recursos para resolver adequadamente o conflito e que também precisava confiar o professor e seu trabalho em sala de aula.

Silvia aceitou a mudança e disse que se sentia muito melhor e ela viu sua filha muito mais feliz e capaz.

Quanto ao professor disse: "não deve ser fácil para parents're questionar o seu trabalho o tempo todo".

Figura 8.2: A confiança dos pais ajuda a filha

todo". Figura 8.2: A confiança dos pais ajuda a filha Finalmente, eu perguntei sobre possíveis respostas,

Finalmente, eu perguntei sobre possíveis respostas, se sua filha novamente contar um episódio semelhante foi testar diferentes mensagens e posicionamento da boneca boneca filha representando Silvia. Depois de se ouvir falar boneca Sophia concluiu que, em vez de dar-lhe conselhos filha ou instruções sobre como agir, você pode usar perguntas como "como você se sentiu quando você disse isso?", "O que você fez? "ou" por que você acha que ele faz isso? "e" se você precisar de ajuda de seu professor de resolver se atreve a perguntar? ", porque ele pensou que iria ajudar Sofia a perceber que ele estava interessado em seus problemas e, mesmo tempo, ele confiava nela.

Este utilitário bonecas como um suporte explicativo é evidente de uma maneira especial nas sessões de aconselhamento e supervisão de casos realizados regularmente com os alunos e profissionais de suporte (professores, psicólogos, assistentes sociais e fundamentalmente constellators). O fato de configurar um caso como o vêem e incluído na imagem, muitas vezes ajuda os profissionais a repensar a sua posição e perspectiva tirado dela.

5.5. Os bonecos como personagens

Um dramatisation de ambos os conflitos intrapersonal (por exemplo, polaridade) ou interpessoal, testes comportamentais enquanto respostas alternativas, podem I ser grandemente facilitado por uma representação através dos bonecos. Semelhante à técnica da cadeira vazia, para que o cliente pode ter a visão ea voz dos vários elementos ou caracteres representados pelos bonecos. Tal como mencionado acima, ser capaz de adoptar não apenas no local de cada um dos bonecos, mas também o papel de um observador a partir de uma posição meta fora da implantação das figuras, permite a análise e emocional apoio, bem como processos activação emocional e empatia. Da mesma forma, um teste comportamentalcomportamentalcomportamental ououou role-playingrole-playingrole-playing EleEleEle ééé facilitadafacilitadafacilitada porporpor nãonãonão terterter quequeque serserser ememem vácuovácuovácuo ououou porporpor um "autodramatização imaginativa"

mas suportado por elementos

materiais e figurativo. Para este fim Eu tenho trabalhado em diferentes ocasiões; Alguns exemplos são:

Um trabalho como consultor para uma escola concertada, um adolescente com comportamentos disruptivos e desafiador na sala de aula. Como naquela época não tinha bonecas, peças de xadrez trabalhar com os olhos Eu atingidas plasticina. I colocado figuras

para representar o que ele sabia sobre ele e suas circunstâncias familiares e escolares. No começo, ele assistiu calmamente mantendo uma distância. Em um ponto ele saltou: "Não, meu pai não está lá, mas aqui" e reorganizadas as peças de acordo com a sua visão. Sua configuração apareceu um pai distante, olhando para fora, e um filho tentando chamar sua atenção. Então me propus a contar a seu pai que ele pensava dele. Ele não fez nenhuma objeção. Ele colocou a peça, um peão contra seu pai, um rei, e começou a falar. Como eu estava dizendo-lhe o que ele achava da relação que o pai estava tendo com a mãe, que ela perdeu foi mais com eles e sua dificuldade em controlar o seu comportamento na escola, foi emocionante. Pedi também que explorar com êxito a falar com peças que representam os professores e dar sua opinião. Para o conselheiro, que estava presente, e para mim foi chocante ver a lucidez com que o rapaz expressou seus pontos de vista sobre seus problemas com autoridade e explicar para as figuras que não era contra eles, que ainda não tinha encontrado outra maneira de obter seu pai quis ouvir. Quando a entrevista foi demitido para mim olhos, talvez pela primeira vez em toda sessão e me agradecendo. Posteriormente, o conselheiro me disse que o menino tinha melhorado muito a sua atitude como um estudante e os pais estavam reunidos, pela primeira vez, um tutorial. Apesar de todas as previsões anteriores,

Uma mulher de 58 anos que tinha sido cuidando de sua mãe até sua morte. Veio para ver que, após dois anos e meio após a morte da mãe, onde ele tinha encontrado muito forte e tranquila, ela levou quatro meses chorando e pensando em sua mãe "obsessivamente". Eu levantei que ele estava possivelmente vivendo um luto adiado e talvez ainda ditas ou

questões que precisavam ser resolvidas no relacionamento com a mãe. Ela disse que se dava muito bem com sua mãe e não tinha censura contra ela, que só perdeu. Argumentei que não pôs em causa o bom relacionamento entre ela e sua mãe, que poderia ser precisamente a razão pela qual ele estava tendo agora enfrentam demissão. I solicitado a escolher duas bonecas, um para representar a sua mãe e um para representá-la, e que vai colocar. Colocado ao lado do outro, virado para a frente, então eu coloquei para ele olhar para a mãe e sugeriu-lhe para dizer tudo o que ele perdeu. Embora à primeira demorou um pouco falar na primeira pessoa ( "Eu diria que eu amo" em vez de "Mãe, eu te amo"), indicações aceitas se esquecer de mim e tentou ter uma conversa com a mãe da maneira mais direta possível. Como ele estava entrando no trabalho apareceu o amor que sentia por sua tristeza sobre sua morte, que estava lutando para encontrar um sentido para a sua vida, vergonha por ter se sentiu liberado no momento, um rancor porque ele tinha ido deixando-a sozinha, a necessidade de falar com ela e poderia dizer coisas, etc. Quando perguntei foi ventilado para escolher uma figura de seu pai (que morreu há dez anos) e colocá-lo. Enquanto eu estava por trás da figura da mãe, levei-o e colocou-o ao lado de seu marido. Perguntei-lhe agora falar com os dois. Ela olhou com surpresa e exclamou:

"Como estou feliz por estarmos juntos novamente". Então ele deixou-os: "Embora às vezes custa-me puxar para a frente, não se preocupe por mim, sabendo que vocês estão juntos faz-me mais suportável." Em relação a este trabalho que eu iria comentar que não apareceu qualquer coisa que ela não sabia anteriormente (o quanto ele amava seus pais e que, de alguma forma, eles estavam juntos) e que, no entanto, o fato de dizer e ouvir as frases que tinham surgido espontaneamente com bonecos representando-o em boa reconciliador. Possivelmente este tipo de trabalho o fato da dizer e ouvir as frases que surgiram espontaneamente com bonecos representando-o em boa reconciliador. Possivelmente este tipo de trabalho o fato da dizer e ouvir as frases que surgiram espontaneamente com bonecos representando-o em boa reconciliador. Possivelmente este tipo de trabalho

pode ser semelhante ao escrever uma letra ou usando a técnica do caminho cadeira vazia, no entanto, acredito que o apoio dos bonecos permite que o terapeuta para acompanhar de perto o processo emocional da pessoa pode, se julgar conveniente, contêm , intensificar ou orientar diretamente e facilmente. Um psicólogo de 34 anos de idade e usado no departamento de recursos humanos de uma multinacional, que tinha sido oferecido um emprego melhor em uma nova empresa, veio à consulta para ajudá-lo preparar o que eu queria dizer a seu chefe. Ela era muito grato ao seu chefe para as oportunidades que tinha sido dado a ele, a confiança que eles tinham colocado nele e como eles se comportaram durante um período que tinha lhe custou conciliar seus deveres profissionais com a situação familiar (morte de um irmão, doença mãe e divórcio após quatro anos de casamento). Embora a decisão ficou claro que ele tinha tomado, mudança empresa sentiu incapaz de se comunicar isso ao seu chefe. Ao utilizar os bonecos para preparar possível encontro com o chefe, o cliente podia ver que ele estava se sentindo melhor com um tipo de sentenças ( "Eu aprecio o que eu considerava ter sido comigo", "Sinto-me feliz por ter ganho experiência com um profissional seu tamanho ") do que outros (" Eu sinto muito, eu não posso responder suas expectativas "" Eu espero que você possa me perdoar "). Ele também lhe permitiu distinguir seu medo de que seu chefe iria ficar com raiva ou se sentir decepcionado com o medo que ela sentiu-se estar errado. Assim, além de testar a interação temida e se preparar para possíveis reações e contra-chefe, ele poderia perceber as diferentes emoções que surgiram sobre o assunto e aceita, observa o amplo repertório de respostas de que dispõe, tomar o lugar o chefe e considerar o efeito que poderia ter sobre uma ou outra maneira de dar a notícia e se sentir mais seguro em sua decisão e sua capacidade de

realizá-lo.

ferramenta Dolls é muito versátil e pode ser usado tanto como procedimento de avaliação e intervenção. Muitas técnicas terapêuticas de diferentes escolas ou quadros teóricos pode ser facilitada através desta ferramenta. Assim, por exemplo, exerce a integração das polaridades, dialoga cadeira vazia, testes comportamentais ou reformulação do problema pode ser feito através dos bonecos, de modo que qualquer informação verbal é enriquecida e complementada por imagens que causam mobilização emocional. Os objetivos de expandir a visão do cliente, fornecer alternativas afetivos experiências, conflitos e gerar recursos recapitular são alcançados com as bonecas, combinando complementar processamento: análise e síntese, observação e narração, fatos e metáforas pessoais e relacionais, etc. Finalmente, as bonecas também podem ser usados ​​como figuras de representação na aplicação da técnica de constelações sistêmicas em uma sessão individual, e sobre ela é a segunda parte do livro.

6

O trabalho de aplicação com bonecas

com crianças e adolescentes

Em terapia infantil é comum usar o jogo tanto quanto em si (uma abordagem terapêutica para facilitar a expressão de idéias e sentimentos, a fim de reproduzir eventos chocantes em um contexto seguro, como um meio de socialização em grupos, para facilitar a aprendizagem e procurar soluções, etc.) e para apoiar outras técnicas terapêuticas (relaxamento,

encenações

emocional,

modelagem,

auto-instrução como programas de gerenciamento de reforço de contingência,

etc.). assim,

Terapeutas muitas vezes crianças

ter materiais de brinquedos, tais como papel, barro, conto, bonecos, construções, bolas e, é claro, figuras humanas (por exemplo, bonecos

Playmobil).

Eu não dedicar especificamente para terapia infantil, mas eu tenho alguma experiência no uso terapêutico de bonecos com crianças e adolescentes porque muitas vezes me consultar profissionalmente pais preocupados com seus filhos e, como conselheiro, eu trabalhei com

Os professores que precisam de apoio em seu trabalho na sala de aula. Além disso, entre os estudantes que frequentam cursos e supervisões bonecas que eu ofereço, muitos terapeutas que trabalham exclusivamente com a população e / ou adolescente infantil. Graças a questões e casos que estão surgindo eu ainda estou aprendendo sobre as peculiaridades da aplicação desta ferramenta no trabalho com crianças. Um dos comentários mais comuns que ouço quando falo sobre o uso de bonecos em terapia é, "deve funcionar muito bem com as crianças certas?". Acho curioso que essa idéia é tão amplamente compartilhada e, embora seja muito bem sucedida, eu acho que devemos qualificá-lo:

Trabalhando com bonecas é muito útil e eficaz em crianças e adolescentes, mas ao mesmo tempo, requer cuidados especiais em diferentes níveis.

Como uma ferramenta com grande capacidade de mobilizar emocionalmente, devemos ter muito cuidado durante todo o processo para reações da criança e ser capaz de mantê-los, se necessário. Muitas vezes, em sessões de supervisão com um espanto share terapeuta que tinha causado o impacto sobre uma criança ou adolescente trabalho levantou com as bonecas. O jogo e, por extensão, qualquer objeto de diversão pode ter, para algumas crianças, conotações que dificultam ou impedem o trabalho. Assim, há adolescentes que enfrentam os bonecos sentir "infantilizado". As crianças que não tiveram tais atividades anteriormente muitas vezes se sentem pressionados (como eles têm que fazer algo "certo" e não sei como) e até mesmo alguns têm medo (uma criança me disse que serviu para vodu e não Eu queria tocá-los). Novamente, é que ter cuidado e estar muito atentos a atitude da criança para as bonecas, a fim de ter em conta estas possíveis significados que os adultos não tendem a (geralmente clientes adultos relaxar antes da abordagem

Eu trabalho e encontrá-lo, pelo menos no início, divertido). Diferentemente da maioria dos adultos, as crianças estão mais acostumados a entender as coisas de um modo mítico ou mágico de usar metáforas e narrativas em sua percepção da realidade e comunicação dos mesmos para incluir brincadeiras em todos os dias e até mesmo levar a sério o jogo. Então, às vezes, eu descobri que trabalhar com bonecas não foi espontânea e que a criança habilmente controlado a informação que interessa a aparecer na configuração e no. Nesses casos eu não tentar mudar a atitude da criança, mas uma atenção especial para que elementos de sua visão que você me oferecendo e tentar, ao mesmo tempo, descobrir os elementos "vetados" sempre respeitando a necessidade da criança para ocultá-los.

Semelhante à maneira como os clientes a trabalhar com adultos, as bonecas como uma ferramenta terapêutica possa surgir com diferentes objectivos e procedimentos em trabalhar com crianças:

6.1. Para fazer uma avaliação das necessidades

Dependendo pai demanda ou professor pode explorar a questão semelhante ao proposto no início maneira capítulos. Para além dos aspectos acima do cuidado e atenção necessária, é aconselhável menos diretivo e demoram mais tempo para ouvir a descrição da criança como sua configuração normalmente fornece dados interessantes para análise e reformulação do estilo problema.

6.2. Para melhorar a aliança terapêutica

Jogando com a criança de forma participativa, faça um representante para si mesmo como um terapeuta, compartilhar uma cena de um do mesmo

pequeno em uma situação semelhante à que a criança está experimentando, etc. podem, se necessário, assegurar confiança e vínculo terapêutico durante diferentes fases do processo.

6.3. Para saber mais sobre as experiências da criança

Você pode brincar com as bonecas pedindo a criança para representar qualquer cena cotidiana, por exemplo, um dia de escola: quem desperta, como ir à escola, que se senta na sala de aula, como o professor, você brincar no parque infantil é, etc. Filhos de pais separados muitas vezes é interessante a propor a realização de uma semana com o pai ou mãe, que lidera e onde, o que faz, quem ele é, etc. para que eles possam expressar suas emoções sobre o terapeuta pode observar a necessidade de resolver os conflitos latentes ou explícitas, fornecer orientações úteis para os pais ea criança criar a resposta construtiva e realista alternativa.

6.4. Para explicar algum assunto

Também semelhante ao anteriormente descrito para a população em geral, podemos usar as bonecas como um suporte para uma explicação sobre como entender um evento ou conflito entre a criança e terapeuta (que pode usá-los para aumentar a sua própria visão ou outros: pai, mestre, parceiros, etc.).

6.5. Promover as competências interpessoais

Uma ferramenta em que o cliente, criança ou adulto, pode assumir o papel de cada personagem falar por ele e com ele, prestar atenção às sensações de estar em um lugar ou outro e ouvir algumas frases ou

outros, é extremamente eficaz em aumentar a empatia, a promover o reconhecimento e respeito pelas diferentes perspectivas, treinando interação e habilidades de comunicação, tornar-se consciente das consequências de nossas ações sobre nós mesmos e aqueles que nos rodeiam, etc.

6.6. Para trabalhar com a narrativa da criança

As bonecas podem representar histórias com apresentação, meio e fim. Muitas vezes, a criança ou adolescente não só ajuda você levar em conta as diferentes perspectivas de pessoas envolvidas, mas também pode ser extremamente útil e reconfortante perceber que sua própria experiência pode mudar ao longo do tempo. Representam as experiências passadas e reformulá-las a partir da situação atual ou levantar a questão de como as questões ao vivo presente em um tempo futuro quando as circunstâncias mudaram, aumenta a capacidade de crianças e adolescentes de relativizar as dificuldades e promove a idéia de mudança.

6.7. Para promover expectativas realistas

As bonecas também permitem que dramatizar cenas simultânea ou sequencialmente fantasia, cenas do cotidiano, cenas temidas e cenas

cenas cenas indesejáveis ​​muito prováveis ​​e improváveis, etc. Desta forma, a criança pode se sentir validada em seus medos e desejos e, ao mesmo tempo, podemos introduzir os critérios de realidade interna, realidade compartilhada e probabilidade contribuindo assim para o desenvolvimento e gestão de habilidades cognitivas e metacognitivasmetacognitivasmetacognitivasmetacognitivas [[[[ 12]12]12]12] taistaistaistais comocomocomocomo resoluçãoresoluçãoresoluçãoresolução dededede problemas,problemas,problemas,problemas, pesquisapesquisapesquisapesquisa eeee avaliaçãoavaliaçãoavaliaçãoavaliação dededede alternativas,

auto-instrução, etc.

6.8. Para gerar âncoras positivas

A criança pode apresentar reações emocionais intensas em um ambiente seguro,

podemos ajudá-lo a fazer sentido de suas experiências e plantou um futuro de esperança é extremamente valioso quando se trata de ajudá-lo a lidar com situações difíceis de forma construtiva. Desta forma, promover estratégias de enfrentamento

que lhes permitam conceber e tiver problemas como desafios onde você tem alguma

habilidade para controlar, se não as circunstâncias em seguida, pelo menos, a atitude

a tomar para estas circunstâncias.

Caso-Exemplo 9: O medo da mamã

O arranjo é muito semelhante ao que fez pela mãe enquanto não distanciamento entre os pais é observado. Diz que todos se sintam bem e confortáveis. Peço-lhe para escolher uma boneca para representar o seu medo. A menina me surpreende saber se você pode escolher dois. Concordo com ele e a menina escolhe duas bonecas, um adulto e uma criança.

Imagem 9.5: Posso levar dois medos?

Ao colocar parece que o medo da criança pertence à mãe e ela, o maior

Ao colocar parece que o medo da criança pertence à mãe e ela, o maior medo. Quando perguntei como a mãe se sente vendo o medo que foi antes de ela diz que se sente triste e ele quer pegá-la. Quando perguntei como ela se sente ao olhar para o grande medo diz que não sente medo, ela é feliz e interessado pelo medo e ele quer jogar com ele. Peço que ele quer jogar e resposta que iria montar com ele para o parque.

Figura 9.6: A imagem criada pela solução filha

Na sessão seguinte, com a mãe, uma semana depois, eu me pergunto se sua filha

Na sessão seguinte, com a mãe, uma semana depois, eu me pergunto se sua filha tinha conhecimento do aborto e eu diz que não. Eu digo o trabalho feito com sua filha e deixou muito chocado. Proponho uma imagem de solução: se encarregar da sua tristeza e seu parceiro a inclinar-se sobre ela e dar origem ao "anjo da guarda" que a criança sente que tem.

Imagem 9.7: A solução imagem criada para a mãe

Três semanas mais tarde, temos uma última sessão que vem acompanhada de marido (pai da

Três semanas mais tarde, temos uma última sessão que vem acompanhada de marido (pai da criança). Eles dizem que a menina é muito melhor e já não sinto tanta noite angústia. Eles têm planejado um fim de semana viagem juntos sem sua filha pela primeira vez desde que ele nasceu. I dar diretrizes para o pai que é "responsável" para falar com a menina e ajudar seus medos sobre se eles reaparecem. Por sua vez, comentou a conveniência que ele pode manter a relação privilegiada de cumplicidade sempre para tratar sua filha como "mais velho" e não falar sobre medos ou doenças. Esta intervenção tem como objectivo reduzir as expectativas excessivas de melhoria,

Eu não crescer e você não separar-se do pai. "

Este caso exemplifica como eles geralmente trabalham com as exigências dos pais a respeito de uma possível intervenção terapêutica para crianças. A primeira sessão eu só mencionar os pais em uma sessão mais tarde eu ver a criança e uma terceira sessão de eu voltar para os pais e dar-lhes orientações. Às vezes eu fico uma quarta vez, um ou dois meses mais tarde para avaliar mudanças e rever as orientações, se necessário. Outras vezes, com três sessões é suficiente e simplesmente pedir-lhe para me ligar em caso de dúvida ou que não produziu mudança esperada.

A mãe vem para consulta porque ela se sente ansioso em meio a temores crescentes de seus 11 anos. A menina está com medo de doença, para morrer, fantasmas porque alguém ferido. Na configuração faz família destaca a lacuna entre seu marido e ela e a sensação de que a menina "não é permitido" a crescer (para ficar longe da mãe).

Figura 9.1: A (mãe de trabalho) situação familiar

Introduzir um bebê no espaço entre o marido ea esposa e diz que ele sofreu

Introduzir um bebê no espaço entre o marido ea esposa e diz que ele sofreu a perda de um filho durante a gravidez 7 anos antes de sua filha nasceu. Estados que se sentia muito pouco apoiados por seu marido e sua família e nunca falar sobre isso.

Imagem 9.2: O que une eo que divide

O que evoca a imagem é a necessidade de fechar este episódio integrando os dois

O que evoca a imagem é a necessidade de fechar este episódio integrando os

dois juntos a sua perda. De alguma forma, parece que a filha estava compensando

a falta de afeto da mãe colocando sua altura como um amigo ou colega. Quando

explícita este sentimento me diz que o pai sempre reclama que a menina não respeitá-los como pais e mantém uma relação de cumplicidade com a mãe em que ele se sente excluído (que também poderia ser uma forma de puni-lo por mãe e filha tomaram lados para ele?). Sugiro trabalhar o casal e aborto. Ele responde que o aborto é necessário para trabalhar que se sente ainda dói muito. Em relação

a seu marido diz que ele não está disposto a ir para a terapia e que pensa que a menina é sua culpa (a mãe).

Figura 9.3: Um bom lugar para filho perdido

Figura 9.3: Um bom lugar para filho perdido O trabalho é então proposto para nomear a

O trabalho é então proposto para nomear a criança por duas semanas e mantê-lo em mente e dizer internamente como a vida de seus pais e sua irmã. Então, como um ritual de despedida, pedir uma bib bordado com seu nome, escrever uma carta de despedida e enterrar o bib e a letra em um lugar significativo para ela. Como suporte para este trabalho eu mostrar a imagem de seu bebê em "boas mãos" e a ressonância que isso pode ter sobre o sistema (mudança no espaço parece provocar um marido renovado interesse para o casal e sua filha, a filha entretanto, parece sentir-se "mais livre" para avançar).

Duas semanas depois, o cliente retorna para ver sua filha. Me disse

que ele fez os requisitos e é muito revolta. Nós ficar para a próxima semana e deixar a menina na sessão. Depois de falar com a criança sobre as suas preocupações e medos Eu sugiro brincar com as bonecas e representam sua família.

Figura 9.4: Família Imagem (menina de trabalho)

família. Figura 9.4: Família Imagem (menina de trabalho) Caso-Exemplo 10: A ansiedade de teste Este caso

Caso-Exemplo 10: A ansiedade de teste

Este caso pode servir como um exemplo da maneira usual que estou falando em escolas onde eu trabalho. Quando um professor tem uma ação sobre um estudante pede permissão aos pais para que possa entrevistar e no caso do den, I

uma entrevista com o aluno sempre na frente de seu professor de classe e / ou conselheiro do centro. Posteriormente, se os pais assim o desejarem, a convocação tutor para uma reunião onde discutimos o encontro com a criança e decidiu, em conjunto, as diretrizes de ação para ter em conta na família e na escola.

No presente caso, é uma menina, Azucena, que atende a quinta série e sofrendo de ansiedade de teste. Ele sempre me senti nervoso em qualquer avaliação da situação mas ultimamente tinha intensificado chegando a vomitar na sala de aula antes de iniciar um controle. O tutor me diz que ele tinha tido um tutorial com a mãe respeito e mãe na entrevista disse que Azucena estava chorando a noite antes de ter um teste e custou-lhe o sono por pensamentos recorrentes sobre a possibilidade de suspender. A mãe se sentiu culpado porque eu pensei que a importância que ela deu para estudos e como eles educar seus filhos na disciplina poderia ser afetando negativamente a criança.

Azucena é uma criança obediente e dócil na classe, bem adaptado ao seu grupo classe. Ele prefere os jogos de grupo tranquilos e pequenas. Ele sempre teve um bom desempenho acadêmico. Sua atitude para com a lição de casa é autoexigencia e desenvolvimento, com a motivação alta realização e apenas desfrutar o processo. Ele tem um irmão três anos mais velho no centro. Brother também tem um bom histórico acadêmico e comportamento exemplar. A casa da família fica perto da escola. O pai ea mãe têm a faculdade, o pai é um arquiteto e mãe, formou-se em História, funciona como um funcionário da administração. O tutor diz que Azucena é muito maduro para sua idade e muitas vezes não parecem gostar de atividades adequadas por idade.

sessão Azucena durou apenas meia hora. Ele estava muito interessado em todos os momentos e não expressam qualquer desconforto pela presença do tutor ou minhas perguntas ou direções.

Figura 10.1: pai eu me importo mais sobre o teste

Figura 10.1: pai eu me importo mais sobre o teste Ele tinha uma configuração diferente para

Ele tinha uma configuração diferente para a ideia de que a mãe tinha compartilhado com o tutor sobre sua imagem a responsabilidade potencial. Parecia se importar mais Azucena foi colocado sobre seu pai do que qualquer outro elemento, incluindo a consideração. Eu perguntei a menina se seu pai tinha sido muito estudioso e eu disse que sim, ele tinha obtido prêmio extraordinário de raça e entre todos os irmãos, eram doze, tinham sido as melhores notas. Perguntei-lhe se seu pai gostava dela para puxar boas notas e ele disse que o mais importante

Ele deu as notas era sua mãe. Por outro lado, ele disse que seu pai trabalhou muito e mal viu durante a semana. Comentando sobre a revisão eu disse a ele que a imagem não parecia muito preocupado com sua proximidade. Azucena sorriu e disse, "então eu não tenho medo." Perguntado se ele já havia suspendido, ele respondeu que nunca.

A idéia estava me formando sobre o problema da ansiedade não é devido tanto aos seus próprios medos a respeito de certos sentimentos sobre o pai:

Por um lado, parecia que a maneira como ele tinha encontrado o pai para se destacar tantos irmãos era a brilhar academicamente.

Ao mesmo tempo, parecia que atualmente trabalhou duro para que uma pergunta que pode considerar em casa é "o que é bom tirar boas notas, em seguida, se você estiver trabalhando o dia todo e dificilmente você pode ver a sua família?".

Com estas premissas em mente Perguntei Azucena a olhar para o boneco representando seu pai e dizer as seguintes frases:

"Querido Pai, eu te amo e eu quero que você sinta orgulho de mim." - Confrontado com esta frase que ele sorriu.

"Querido Pai, eu sei que você quer me muito e você está orgulhoso de mim, mas às vezes eu esqueço." - Confrontado com esta frase estavam com os olhos cheios de lágrimas.

"Querido papai, eu quero tirar boas notas para que você se sentir muito orgulhoso de mim." - Confrontado com esta frase assentiu convencido. "Querido Pai, eu tenho medo de parar no caso e não me sinto orgulhoso de mim e deixar de me amar" - quando disse que perguntou-lhe então: "Você realmente acha que seu pai te ama, dependendo de suas notas". Ela disse que não. Então eu insisti: "Como é que o seu pai se sentiria se ele ouviu você tem medo de parar de te amar se você tirar uma nota ruim". Ela respondeu que

sentir-se triste ao que eu respondi "não é de admirar, é como se você acha que o amor é muito pequena, certo?".

"Querido papai, sinto muito ter pensado que seu amor pode depender de minhas anotações. Agora eu sei que eu só quero remover a nota que você toma. Agora eu sei que você me quer, mesmo se eu falhar nunca. " Estas frases repetidas com firmeza e rosto relaxado.

Eu perguntei o que ele achava que nós tínhamos estado a falar e me disse isso muito bem e iria se lembrar quando você ficar nervoso antes de um teste. Aqui nós terminar a sessão com Azucena.

Na entrevista com os pais, sugeri que o medo da menina de suspender e autoexigencia parecia ser devido à sua atitude ou sua compreensão da educação:

Valores e se esforçar para alcançar academicamente estavam presentes na família e poderia ser muito positivo e motivador sempre que se sentia emocionalmente seguro. Azucena era importante ter claro que seus pais estavam orgulhosos e queria que ela para tirar tirar a nota.

I recomendado para substituir as perguntas "Como foi seu teste?", "Que marca você conseguiu?" Ou "Você estudou?" Por outros que se faça referência ao processo "Você aprendeu algo interessante para você?" "Como você se sentiu durante o teste?" ou "o que você está vestindo feliz quando você ouviu a nota?".

Também perguntei a eles quando viram tranquilizar nervoso ou não tentou minimizar. Dessa forma, além de nervosa que ela ia se sentir culpada por despreocupado. Além disso, ela sabia que um nível racional que uma revisão não é tão importante, mas seus sentimentos se for dado. Então era melhor deixar sentir suas emoções sem questionar por que e deixar de dizer que compreendeu, era muito natural que eles também tinha acontecido uma vez (que ambos alegaram que era

verdadeiro e habitual em seu período formativo).

Ambos concordaram com a abordagem. Tutor, por sua vez, se comprometeram a enfatizar em atividades de sala de aula, a atenção para o processo (como aprender) e não apenas sobre o resultado (fazendo certo ou errado). Pelo que me foi dito depois que a menina parou a apresentação de tais sintomas acentuados de ansiedade de teste. Actualmente a concluir terceiro secundário obrigatório, ainda boas notas e, no momento, ele quer ser um professor primário.

Caso-Exemplo 11: Blame crescer

Este caso serve como um exemplo de uma sessão de aconselhamento um adolescente. Achei que a idéia de vir a uma única sessão permite que muitas pessoas, adultos ou adolescentes com dúvidas ou conflitos, mas os problemas não muito graves, incentivados a participar de consulta. Eu acho que o fato de não ter de se comprometer com um processo terapêutico que envolve um investimento sério de dinheiro, tempo e esforço, além de certas conotações negativas ( "eu não posso resolver isso por mim", "Eu devo ser muito ruim da cabeça") Ela ajuda-los a tomar a decisão de "provar". No começo eu levantou uma sessão e meia a duas horas, deixando sempre a possibilidade de chamar para organizar outra sessão. Assim, eles não cumprir o compromisso de ter a ver com a paz, mas a fazê-lo. Desta forma, tive clientes que só vêm uma vez, os clientes que vieram duas ou três vezes, os clientes me chamam para uma sessão em uma base regular (uma ou duas vezes por ano) e até mesmo clientes que após uma sessão ou dois de aconselhamento me pediram para iniciar um processo terapêutico. Ele também pode ser o caso que durante uma sessão

conselho achou essa pessoa ir para outro terapeuta. Nessas ocasiões, eu recomendo o meu cliente para tentar classe profissional que se especializa no assunto em questão ou usa uma abordagem e técnicas que podem atender melhor às suas necessidades.

Neste caso, a mãe de um adolescente me ligou me pedindo para marcar uma consulta para sua filha. O motivo foram problemas de relacionamento que estavam tendo e porque de acordo com sua mãe, "estava tendo uma adolescência bastante difícil". Eu fiz com a mãe, se sua filha, Paula, queria me ver que eu poderia chamar e eles dariam nomeação. Algumas horas mais tarde e nós chamada Paula.

Paula veio me ver na próxima semana. Sua aparência foi organizado e nervoso. Na entrevista eu disse, entre outras coisas, o seguinte:

Ele tem 18 anos, e vive com sua mãe.

Ele estudou jornalismo com o seu melhor amigo de escola. A corrida tem ela escolhido, mas por enquanto não está gostando muito. O pai trabalha em publicidade e apenas vê-lo. A mãe trabalha na televisão e, segundo ela, a tarde deitado no sofá fica muito nervoso o que você perca.

Pais se separaram quando ela tinha 9 anos de idade. O pai estava com outra mulher com quem teve outra filha. Atualmente, ele também é separada do segundo par. Ele perdeu quase contato com sua irmã mais nova.

Ele vem porque sua mãe reclama que ela diz Paula a trata mal.

Paula não está ciente de que sua mãe maltrata e só percebe quando a mãe acusou disso.

Não tem namorado ela diz que eles não duram para ele. Ele é definido em indivíduos que não ouvem. Se você sair com alguém que o trata pneus bem logo dele. Quem mais quer é sua mãe e seu melhor amigo.

Com sua melhor amiga tem sido discutida ultimamente, ele diz que oprime. É preciso muito bem com os avós paternos que vivem muito próximo a ele.

avós maternos e toda a família pela mãe vive na França, emigrou nos anos sessenta, quando sua mãe era pequena, por isso teve pouco contato com eles.

O objectivo fixado é melhor tratar a sua mãe e seu melhor amigo. Ela diz que antes ela era muito amorosa e muito bom, mas agora sua mãe acusado de grosseiro porque custa dizer coisas e contato físico com ela.

Imagem posou com os bonecos é sentir-se amado e preso ao mesmo tempo. Uma parte está localizado no centro, mas, por outro lado, a figura representa isso é que menos capacidade de movimentação tem. A sensação que tenho é que você precisa de espaço para crescer e ele está ficando com base em "cotoveladas e pontapés". Parece que, entre a possibilidade de não mudar e não crescer ou se sentir "as pessoas que mais querem" culpados (de acordo com ela, sua mãe e sua melhor amiga). Obviamente nem parece boas opções.

Imagem 11.1: Preso por afeição

A partir desse momento a sessão prossegue da seguinte forma: Perguntou Paula sobre como você

A partir desse momento a sessão prossegue da seguinte forma:

Perguntou Paula sobre como você acha que sente cada uma das bonecas. Suas respostas coincidem em grande parte com a sensação de que me dá a imagem.

I explicar o conceito de culpa tratado como o medo de deixar de ser amado. Ele entende e diz que ela às vezes se sente assim com sua mãe e com a amiga Andrea.

Eu digo que talvez nenhuma outra escolha do que permanecer doce e amorosa menina que estava nem ter que lutar para crescer. Ele diz que a única maneira que eu encontrei é não parar em casa. Foi destinado a uma escola de Inglês, ele está tomando a carta de condução e está estudando na biblioteca. I indicado que

Isso parece uma boa solução temporária, mas talvez possamos encontrar alternativas para o dia chamou a carta de condução e não tem que estudar.

Paula perguntou sobre a possibilidade de passar um fim de semana com seu pai e me diz que se sentiria muito culpada por deixar sua mãe sozinha.

Eu explico que, talvez, que é uma das razões por que, inconscientemente, escorrendo agressão contra sua mãe e respostas erradas, não me sinto como falar com ela, etc. Se você se sentir compelido a manter a empresa com sua mãe, a frustração do desejo de sair e mudança passa um projeto de lei para sua mãe, que realmente não tem culpa que ela sente compelido a acompanhá-la. Eu levantei então o que fazer com a culpa que sente cada vez que você sair de casa deixando a mãe sozinha.

Eu respondo que me sinto um pouco culpado é o preço a pagar para o crescimento. Que não pode permanecer para sempre menina amorosa dependente que foi, é normal que a mãe queixa-se sobre as mudanças como elas são novas para você tem que se acostumar. É natural que eu perdi a menina para cuidar, mas que não precisa impedi-la de se tornar um adulto.

I colocar a questão para Paula quando ela pensa que a mãe pode estar preparado para aceitar as alterações e diz que ninguém sabe, possivelmente quando você tem a vida eo noivo tomar ou sair com amigos.

Em suma, vejo que tentativas de evitar a culpa causa crescente a dinâmica do problema coloca o ônus sobre a mãe ( "quando ela vem eu posso ir tranquilo"), substitui a culpa pela raiva e frustração ( "Eu prefiro colocar-se sem sair para deixar minha mãe sozinha, mas eu pagar ") e entra no jogo-saving vítima-carrasco (" Eu sou uma vítima das necessidades da minha mãe "" Eu estou me machucando 'e' me

não precisa se sentir sozinho e abandonado ").

Peço-lhe para remover duas figuras adultas para representá-lo em poucos anos, e sua amiga Andrea. Coloca-los na frente das meninas, e olhando para frente, um pouco distante da mãe de Paula e espaço entre os dois.

Eu me pergunto o que este sente a boneca adulta Paula e resposta que parece ser feliz e em paz.

Eu me pergunto se ele sabe o que fazer para obtê-lo e eu responder isso agora.

Nos despedimos e ela me disse que sua mãe gostaria de solicitar uma entrevista comigo. Esclareço que para mim não é necessária e que, em qualquer caso, eu não poderia contar à mãe o que tinha acontecido durante a sessão, se ela quer dizer é bom, mas, pela minha parte, não há um acordo de confidencialidade. Finalmente Desejo-lhe sorte e lembrá-lo que você pode chamar se você precisar dele. Em seguida, a mãe, a pedido de Paula, participou de uma sessão. Quando pedi para configurar o seu relacionamento com sua filha e pai de Paula, ela chamou minha atenção para colocar Paula como um adulto e, de novo, no centro da cena. No final da sessão, a mãe ficou com a ideia de que precisava ser "a estrela de seu próprio filme" e, como Paula stop "estrela no filme" Mãe,

Paula voltou meses depois para fazer uma consulta com a intenção de trabalhar em seu relacionamento com os meninos. Sobre a questão que tinha trabalhado na primeira sessão, ele me disse que tinha sido gradualmente assumindo a sua culpa, ele teve menos conflitos com a mãe e me senti mais feliz em geral. Eu acho que o fato de ir a uma sessão com o tema levantado um par já estava significando uma mudança no sentido de autonomia e desenvolvimento emocional como um adulto.

Caso-Exemplo 12: Passado, Presente e Futuro

Ao contrário de casos anteriores, este processo terapêutico exemplifica um semanário e uma duração de mais de três anos, que gostaria de acrescentar dois anos de reuniões de follow-semestral. Quando eu conheci o Anjo tinha doze anos e quando eu parei de ir para encontrá-lo na idade adulta. No entanto, às vezes, eu tenho notícias dele por me enviar mensagens através de telemóvel e, na ocasião, chamou-me para me dizer que isso vai dar.

Anjo chega na recomendação de um professor que frequenta a escola. Ele havia tentado suicídio com pílulas e aparentemente sem consequências mais graves do que o susto. A abordagem do tratamento deve ser feito com pouco contato com os pais. O pai está na cadeia e a mãe não puder comparecer, devido ao seu horário de trabalho, seja por ter que cuidar irmão de Angel, William.

Alguns dos dados mais relevantes sobre Angel e sua situação no momento do início da terapia são:

Assiste 5ª série. Ele tem repetido dois cursos e mudou escolas por várias razões, seis vezes.

É o segundo dos dois irmãos. Seu irmão, William, é um ano mais velha que ele e ter um sério anoxia nascimento retardo mental. Os pais são separadas. A mãe tem atualmente uma mulher par ele não vive em uma base diária, mas nos fins de semana. O pai está na prisão por tráfico de drogas. Angel e ele manteve um relacionamento por correspondência bastante fluido. Pai Anjo escreve semanalmente e a criança geralmente vai escrever uma ou duas vezes por mês, como eu disse.

Os pais viviam em uma comuna em Tarragona, onde as crianças nasceram.

A mãe se mudou para uma cidade em Madrid para estar perto da escola onde William admitiu em regime interno. Anjo costumam passar a maior parte do dia sozinho: basta ir à escola e voltar para casa sozinho, sua mãe vem a hora do jantar.

Fins de semana Guillermo Angel é em casa e é responsável, em grande parte conta dele. Como expliquei a criança ea mãe corrobora depois, Guillermo faz dele mais atenção a ele do que a sua mãe. Quando você tem "raivas" Anjo que geralmente fica tranquilizá-lo.

Ele não gostava da escola embora tenha feito amizade com outros estudantes, especialmente com dois anos mais velho do que ele (2º inscritos de ESO). Ele diz que não se importaria de morrer com exceção de seu irmão. Foi o próprio Anjo que notar um de seus amigos que tinham tomado os comprimidos e que podem levar à sala de emergência e fazer uma lavagem gástrica.

Ele acha que seria mais feliz vivendo com os avós que vivem em Castellón, mas não pode deixar o seu irmão sozinho.

Está tudo certo para vir para o psicólogo e que o que é mais gostaria de fazer um teste de QI, porque você está curioso para ver o que traz. Durante a terapia, o que passa por diferentes etapas, que incluem os seguintes objectivos: desenvolver comportamentos de auto-cuidado físico e emocional; aumentar a motivação para o estudo e aprendizagem; desenvolver a sua história de vida de forma construtiva; e promover projetos de futuro realista e positiva.

Para facilitar o desenvolvimento da história de vida combinar o uso de técnicas narrativas com a criação de um "álbum de fotos" com bonecas. Desta forma, pretende destacar aspectos importantes da biografia e reformulá-las de forma construtiva; permitir o desenvolvimento emocional de certos eventos; bem como facilitar as expectativas positivas de criação para o futuro que vai ajudar a relativizar e superar aspectos difíceis de seu presente.

O

trabalho para desenvolver a história de vida durou um período de cerca de nove meses,

e

eu acho que foi fundamental no processo terapêutico. Anjo desfrutado com a lição de

casa, ele estava muito motivado e continuamente surpreso com o efeito que estava tendo

em sua maneira de ver e fazer as coisas: sua relação com sua mãe, começar a estudar, procurar atividades com crianças da sua idade e desfrutar, etc. Em termos gerais, o trabalho consistiu no seguinte:

Anjo Eu levantei a idéia de escrever um romance sobre sua vida e ele aceitou.

Em uma sessão, ele procurou os títulos para os 16 capítulos que estavam a compor o romance: um para cada ano de vida (na época ele já havia cumprido treze) mais uma antes de seu nascimento (ele intitulado "Origins") e outra como seria sua vida quando ele tinha passado treze anos, quando ele tinha 26 anos de idade (ele colocou o título de "o sonho de ser mais").

Toda semana, ele escreveu um capítulo e para as próximas duas sessões que trabalharam nele: lemos, nós mencionamos, nós levantamos cenas (alguns, ele e outro) e nós fotografado, fotografias impressas cortadas e coladas em seu "álbum autobiográfico". Às vezes, voltamos a um capítulo anterior para encontrar conexões ou fazer modificações das novas memórias e reformulações que foram gerados.

Aqui eu mostro-lhe algumas das imagens que angariados e gastos com "álbum de fotos":

Imagem 12.1: foto atual da família

Era a foto do mais importante para ele. Shows, ainda, o sentimento de responsabilidade por

Era a foto do mais importante para ele. Shows, ainda, o sentimento de responsabilidade por seu irmão William (à direita, que geralmente denota a posição mais alta). separação dos pais ea necessidade de não tomar partido Angel também é evidente. Também ausências importantes: avós que Angel adora não aparecer, não o parceiro de sua mãe, com quem vive fins de semana, nem seus amigos aparecem. A sensação de sua figura é a de uma criança com um monte de solidão e grande responsabilidade ao mesmo tempo.

Imagem 12.2: foto anterior ao seu nascimento (irmão recém-nascido)

Eu levantei esta imagem como a seguinte, a fim de se tornar ciente de que

Eu levantei esta imagem como a seguinte, a fim de se tornar ciente de que anjo que, apesar de retardo mental seu irmão, William era o mais velho. Ele procurou bonecas e se levantou. O Anjo apreciado mais sobre este quadro era que seus pais pareciam se amam muito. É animado cada vez que olhava para esta foto do "álbum".

Imagem 12.3: Foto de um bebê

Com isso veio muitos sentimentos de culpa que o levaram a ter à frente de

Com isso veio muitos sentimentos de culpa que o levaram a ter à frente de seu irmão em tudo, desde pequeno: ela tinha começado a andar antes de falar (seu irmão até agora mal falam), jogar, etc. Parece que os pais perceberam o desenvolvimento Guillermo atraso em comparação com Angel. Tomei esta os sentimentos despertados em Angel para trabalhar as possíveis consequências de sua culpa e não precisa de ultrapassar seu irmão e imagem: ter repetido dois cursos, não querendo estudar ou aprender, não se importando (às vezes, neste momento, não ele almoçou nem comer porque, segundo ele, "ele iria esquecer"). Esta foto também permitiu Anjo reconciliar com a idéia de "família" como um abrigo amar e não como um lugar de batalha. Por outro lado, Angel tomou conhecimento dos jovens que estavam seus pais,

William, da necessidade de buscar recursos financeiros, etc.

12,4 Image: Foto de um mau momento

financeiros, etc. 12,4 Image: Foto de um mau momento Esta é a imagem que definir anjo

Esta é a imagem que definir anjo quando eu posou para a foto de um mau momento em sua vida. Esta "imagem" Anjo tinha 11 anos e a solidão dos dois filhos é visto a partir de adultos como "dark" e até agora (até mesmo a mãe que está por trás deles dá um pouco de sentimento amoroso em vez parece que outro policial). Aproveitamos esta imagem de modo que Angel poderia expressar seus medos sobre voltar a ver seu pai, sua antipatia para com o parceiro de sua mãe, conflitos com sua mãe ( "É bom, mas eu não gosto"). Eu usei a imagem de modo que Angel poderia reinterpretar o comportamento de sua mãe como uma maneira de proteger e

tentar trazer a família, apesar das dificuldades. Além disso Lembrei-lhe que sua mãe não tinha o impediu de manter relacionamento com seu pai e ela muitas vezes franquiar e enviar cobrar suas cartas. Também trazemos amor, você não consegue entender por que uma pessoa quer, que o amor não é necessariamente só porque alguém é separada da outra pessoa, etc.

12,5 Image: Foto de um bom tempo

da outra pessoa, etc. 12,5 Image: Foto de um bom tempo O momento Anjo quis refletir

O momento Anjo quis refletir esta foto é no meio da sexta série: Anjo tinha passado todas as disciplinas, exceto um (Inglês), estava feliz com seu tutor e seus companheiros, a mãe tinha conseguido um emprego com um horário que lhe permitiu chegar em casa um pouco mais cedo e Guillermo tinha mudado para uma escola em que parecia ser

melhor, mais feliz sem muitos problemas comportamentais. Anjo queria incluir seu professor, seus pares e o psicólogo. A imagem mais marcante é que apenas os principais elementos (o pai e prisão, a mãe e seu parceiro, os dois irmãos) da imagem anterior ( "mau tempo") diferem, no entanto o arranjo e forma criança que fala sobre isso era totalmente diferente. A mãe é uma figura "amoroso" e seu parceiro não tem uma posição tão ameaçador. O pai parece menos "vítima" da prisão. Anjo do boneco de neve está mais perto de seu contexto quotidiano (escola) e parece mais "livre", mas permanece disponível para seu pai e seu irmão (o boneco de neve lado direito desocupado Anjo é observado, figuras acessíveis pai e irmão). Eu também considerada uma mudança positiva para incluir uma menina em sua classe que gostava. Era uma espécie de indicador de que se estendia "horizontes emocionais".

12,6 Image: Foto de um futuro feliz

Esta imagem é parte das imagens nós levantados para o seu futuro. Aqui estão alguns

Esta imagem é parte das imagens nós levantados para o seu futuro. Aqui estão alguns itens interessantes aparecer:

Ele fica numa posição central e uma figura adulta. Também escolher uma figura adulta para seu irmão e coloca sua direita. Isto implica uma mudança das primeiras imagens onde sempre posicionados como mais e protetor.

Figura que representa trabalho mecânico: não querer continuar estudando isso representava para módulo de FP e, o mais notável é que ele foi informado de requisitos, centros onde oferecidos, alternativas, etc. (Finalmente ele estudou escola e está registrada em Psicologia UNED).

É casado e tem muitas crianças, ele disse que sua esposa teve que aceitar

seu irmão vivia com eles e queria ter muitos filhos. Amigos inicialmente colocou duas figuras masculinas como amigos, mas depois acrescentou duas outras figuras femininas comentando que sua esposa "também tem o direito de ter seus amigos."

O fato de que há figuras paternas aparecer: Eu pensei que Angel estava começando a considerar um adulto fututo onde a vida poderia ser diferente do que era conhecido até agora. Em vez de sentir de desapego que me deu um senso de independência e respeito (em outra imagem foto criaram seus filhos visitar a avó e, em outro, uma foto de seu pai, visitando-los). Eu tenho usado este tipo de trabalho em outras vezes, também com adultos com um passado não transformados difícil, e eu me recomendado para terapeutas que estavam trabalhando com uma criança em uma situação social e familiar muito difícil. Os resultados são geralmente positivo. Eu acho que muito da eficácia desta abordagem é combinar a ventilação emocional com o desenvolvimento de um discurso autobiográfico coerente, construtivo e esperançoso. Dado o alto custo do procedimento, eu acho que deveria ser cuidadosamente ponderados se os benefícios para o cliente compensam o investimento de tempo e esforço. O terapeuta também avaliar se ele pode ser uma actividade recompensadora ou, inversamente, pode ser desconfortável ou aversivo. Finalmente, ao escolher as cenas para trabalhar, precisamos levar em conta a capacidade / maturidade da criança para reviver certas emoções, levantou algumas questões de uma visão alternativa para criar um projeto de futuro que não vai ser uma ameaça (para algumas crianças crescendo pode ser libertadora, mas para outros pode ser assustador), etc. O terapeuta também avaliar se ele pode ser uma actividade recompensadora ou, inversamente, pode ser desconfortável ou aversivo. Finalmente, ao escolher as cenas para trabalhar, precisamos levar em conta a capacidade / maturidade da criança para reviver certas emoções, levantou algumas questões de uma visão alternativa para criar um projeto de futuro que não vai ser uma ameaça (para algumas crianças crescendo pode s

SEGUNDA PARTE Aplicação em única sessão

constelações familiares

7

Introdução ao Constellations

família

BertBertBertBert HellingerHellingerHellingerHellinger [[[[ 13]13]13]13] EleEleEleEle éééé oooo autorautorautorautor quequequeque desenvolveudesenvolveudesenvolveudesenvolveu oooo métodométodométodométodo dededede ConstelaçõesConstelaçõesConstelaçõesConstelações Familiares e explicou muito claras e acessíveis as Ordens do Amor descoberto através de sua experiência como forma constellator. Embora nos últimos anos seu foco tem evoluído cada vez mais para um nível espiritual (atualmente oferece treinamento e workshops Constelações Espírito), neste capítulo I apresentar alguns conceitos básicos relacionados com o trabalho de Constelações Familiares de uma abordagem anterior, o movimentos da alma. Esta abordagem, que foi desenvolvido principalmente no período entre 2000 e 2006, conseguiu combinar a abordagem terapêutica para trabalhar com uma dimensão espiritual do ser humano de uma forma natural, muito acessível e longe de dogmatismo.

desenvolvimento da tecnologia no trabalho com famílias como vítimas, perpetradores e traumas graves comunidade (II Guerra Mundial, a repressão política na América Latina, os conflitos étnicos e religiosos, etc.). É ter sido inicialmente formado nesta abordagem e desenvolver minha experiência como consteladora dentro dela é o que eu me sinto mais confortávelconfortávelconfortávelconfortávelconfortávelconfortávelconfortável [[[[[[[ 14]14]14]14]14]14]14] e,e,e,e,e,e,e, portanto,portanto,portanto,portanto,portanto,portanto,portanto, ééééééé quequequequequequeque vouvouvouvouvouvouvou mememememememe referirreferirreferirreferirreferirreferirreferir nosnosnosnosnosnosnos capítuloscapítuloscapítuloscapítuloscapítuloscapítuloscapítulos seguintesseguintesseguintesseguintesseguintesseguintesseguintes [[[[[[[ 15]15]15]15]15]15]15]

7.1. perspectiva sistémica

Quando se fala de Constelações Familiares muitas vezes descrita como uma técnicatécnicatécnicatécnicatécnica dedededede abordagemabordagemabordagemabordagemabordagem sistêmicasistêmicasistêmicasistêmicasistêmica [[[[[ 16]16]16]16]16] ,,,,, quequequequeque podepodepodepodepode levarlevarlevarlevarlevar aaaaa confusãoconfusãoconfusãoconfusãoconfusão eeeee mal-entendidosmal-entendidosmal-entendidosmal-entendidosmal-entendidos porque, antes de aparecerem Constelações, houve um chamado modelo psicoterapia. terapia familiar sistêmica desenvolvido ao longo do último meio século em diferentes direções como os conceitos estruturais clássicos de Salvador Minuchin, terapia estratégica Paul Watzlawick, Jay Haley e Grupo Palo Alto e terapia familiar sistêmica Mara Selvini Palazzoli eo grupo de Milão.

Nos anos cinquenta, a psicologia tem adotado uma abordagem que tinha emergido dasdasdas CiênciasCiênciasCiências Naturais:Naturais:Naturais: teoriateoriateoria dedede sistemassistemassistemas ououou sistêmica.sistêmica.sistêmica. ComComCom essaessaessa abordagemabordagemabordagem poderiapoderiapoderia serserser investigado por procedimentos matemáticos e técnicas isoladas não apenas eventos, mas também as relações constitutivas desses eventos dentro de grandes conjuntos. Um sistema pode ser definido como um coisas organizados ou interagir e interdependentes partes que se relacionam que formam um conjunto unitário e complexo. Na execução desta abordagem, os seres vivos são entendidos como sistemas abertos em relação ao seu meio ambiente e cujas partes (metas, funções, elementos e conexões)

subordinadosubordinadosubordinadosubordinadosubordinado aaaaa todostodostodostodostodos [[[[[ 17]17]17]17]17]

AlémAlémAlémAlémAlém disso,disso,disso,disso,disso, ooooo princípioprincípioprincípioprincípioprincípio dadadadada causalidadecausalidadecausalidadecausalidadecausalidade linearlinearlinearlinearlinear

(causa-efeito) é substituído com este modelo por uma causalidade circular, em que cada um tem um comportamento retroactivos (feedback) no ser vivo.

A primeira conquista da teoria de sistemas em psicologia foram obtidos com a abordagemabordagemabordagemabordagem dadadada teoriateoriateoriateoria dadadada comunicação.comunicação.comunicação.comunicação. PaulPaulPaulPaul WatzlawickWatzlawickWatzlawickWatzlawick [[[[ 18]18]18]18] eeee seusseusseusseus colaboradores começaram a estudar a interação social como um sistema aberto que trocou informações com seu ambiente. Assim, eles conceituada a família como um sistema que mantém a sua relação de equilíbrio interno seguindo regras específicas. Ao mesmo tempo, vários pioneiros de terapia familiar (Boszormenyi- Nagy, Bowen, Minuchin, Satir, etc) começou a ter bons resultados por uma inovação na prática clínica: a introdução da família de pacientes. No entanto, a base teórica da psicoterapia focada no indivíduo não poderia cobrir a complexa teia de relações familiares, de modo que o conhecimento que eles estavam recebendo a partir de suas experiências sem boa base teórica e deve ser explicado a partir de conceitos provisórios . Foi GregoryGregoryGregoryGregory BatesonBatesonBatesonBateson [[[[ 19]19]19]19] que,que,que,que,

integrando a sua

conhecimento da antropologia, cibernética, lógica matemática, teoria dos sistemas e teoria da informação, facilitou a abordagem sistêmica para a psicoterapia totalmente chegou e começou a desenvolver conceitos explicativos autônomos e satisfatórias no campo da intervenção familiar.

Como Hellinger leva idéias e avanços em outras abordagens terapêuticas, tais como Análise Transacional ou Terapia Primal, alguns dos termos utilizados no constelações foram desenvolvidos a partir da perspectiva sistêmica em psicoterapia.psicoterapia.psicoterapia.psicoterapia.psicoterapia.psicoterapia.psicoterapia. PorPorPorPorPorPorPor exemplo,exemplo,exemplo,exemplo,exemplo,exemplo,exemplo, ososososososos conceitosconceitosconceitosconceitosconceitosconceitosconceitos taistaistaistaistaistaistais comocomocomocomocomocomocomo aaaaaaa estruturaestruturaestruturaestruturaestruturaestruturaestrutura [[[[[[[ 20]20]20]20]20]20]20] ,,,,,,, homeostasehomeostasehomeostasehomeostasehomeostasehomeostasehomeostase ouououou equifinalityequifinalityequifinalityequifinality [[[[ 22]22]22]22] ElesElesElesEles podempodempodempodem serserserser refletidorefletidorefletidorefletido nononono fundofundofundofundo dasdasdasdas teoriasteoriasteoriasteorias

Hellinger sobre a abordagem fenomenológica da realidade, a existência de uma consciência família ou implicações sistémicas. Del Da mesma forma, a busca de soluções pragmáticas para terapia sistêmica através do restabelecimento das hierarquias, a formulação de limites claros, papéis que definem e funções ea dissolução de alianças ou triângulos, pode se relacionar com as idéias de "restaurar a ordem para sistema "e" reassentar cada membro em um bom lugar ".

7.2. O sistema familiar

A família pode ser entendido como um sistema, ou seja, como um conjunto de elementos

interligados e interdependentes. Como discutido na seção anterior, a perspectiva sistêmica

nos permite compreender os comportamentos das pessoas que são difíceis de explicar de

características pessoais (inteligência, caráter, história aprendizagem, etc.) que, no entanto, pode ser entendido como uma reação a um mudar no ambiente da pessoa. Existem muitos sistemas humanos porque as pessoas são seres sociais que apontam para compartilhar espaços e tempos (família, amigos, escola, negócios, etc.). O sistema familiar é a mais importante porque é composta de pessoas com quem partilhamos um destino comum tanto

o cotidiano eo transcendente (na verdade a nossa família de origem é a nossa "porta de

entrada" para a vida e, portanto, , até a morte). Os sistemas humanos são caracterizados por dinâmicas e semi-aberto (novos elementos podem vir a pertencer, mas nenhum membro pode deixar de pertencer, mesmo se você mudar de status, desaparecer ou morrer), mantendo uma estrutura subjacente com base em uma série de comandos ou "leis natural". Assim, embora o conceito de mudança da família através das circunstâncias sócio-históricas, embora introduzindo um sistema e, aparentemente, deixando os membros, mas os próprios membros crescer e mudar, há apenas "sintaxe", cujo à morte). Os sistemas humanos são caracterizados por dinâmicas e semi-aberto (novos elementos podem vir a pertencer, mas nenhum membro pode deixar de pertencer, mesmo se você mudar de status, desaparecer ou morrer), mantendo uma estrutura subjacente com base em uma série de comandos ou "leis natural". Assim, embora o conceito de mudança da família através das circunstâncias sócio-históricas, embora introduzindo um sistema e, apare

"Regras" são mantidos ao longo do tempo e através de mudanças. Estas regras são o que Bert Hellinger chamados de "ordens do amor". As ordens do amor giram em torno da idéia de "link" e "consciência".

7.3. as ligações

Nos relacionamos com as pessoas que querem e com quem partilhamos experiências.

O

bem-estar das pessoas com quem estamos ligados afeta, de uma forma ou de outra,

o

nosso próprio bem-estar, embora não temos conhecimento desses links. Por exemplo,

quando o pai de uma criança gravemente doente, você pode observar mudanças de humor, desempenho e interações sociais do que a criança. Para as crianças, as ligações são a base de sua sobrevivência física e emocional. A vinculação é o mecanismo natural que "forças" e permite-nos estar social. Sem a capacidade de estabelecer ligação permanente, a raça humana não poderia sobreviver: o trabalho em grupo não saberia, não procuraria casal iria formar sem família, sem amigos

diferenciaríamos para aqueles que não são, etc.

HellingerHellingerHellinger ligaçãoligaçãoligação noçãonoçãonoção amplaamplaampla aoaoao conceitoconceitoconceito dedede apegoapegoapego [[[ 23]23]23]

uma vez que introduz a idéia de destino. De Constelações Familiares contemplar o fato de que estamos ligados, não só com pessoas que conhecemos, mas também com aqueles que conhecem uns aos outros, mas que intervieram de uma forma ou outra na constituição do nosso sistema e seu destino. Então, as pessoas que fizeram "local" para que possamos formar parte do nosso sistema e nós temos um vínculo com eles: o primeiro namorado de nossa mãe, por exemplo, teve que sofrer uma perda para a nossa mãe se casar com nosso pai e nascemos; a primeira mulher do nosso avô, por exemplo, deve ter morrido por nosso avô casou uma segunda vez com a nossa avó e nosso pai nasceu. A partir desta perspectiva,

as principais formas de ligação são mais sexo e amor, que nasceria de lealdade à morte aquelas ligações. Por um lado, ele vem através da vida sexual. Por outro lado,lado,lado,lado,lado, causarcausarcausarcausarcausar aaaaa morte,morte,morte,morte,morte, ououououou sobreviversobreviversobreviversobreviversobreviver quandoquandoquandoquandoquando outrosoutrosoutrosoutrosoutros morrerammorrerammorrerammorrerammorreram [[[[[ 24]24]24]24]24] ,,,,, implicaimplicaimplicaimplicaimplica tambémtambémtambémtambémtambém uma conexão com as vítimas e seus sistemas, afeta, assim, seriamente, sem voltar o destino de todos os membros do sistema (que perderam suas vidas, que perderam um ente querido, que terão de seguir o vida sem essa pessoa, etc.).

7.4. A conciência

Para Hellinger, a consciência seria o órgão interno (em comparação com o senso de equilíbrio) que nos adverte sobre se o "movimento" (comportamento, atitude, opinião) que estamos fazendo nos mantém ou não o nosso sistema. Esta ideia está intimamente

relacionadorelacionadorelacionadorelacionadorelacionado comcomcomcomcom ooooo conceitoconceitoconceitoconceitoconceito dedededede FreudFreudFreudFreudFreud dedededede culpaculpaculpaculpaculpa eeeee medomedomedomedomedo dedededede pararpararpararpararparar dedededede serserserserser amadoamadoamadoamadoamado [[[[[ 25]25]25]25]25]

nos sentimos culpados, a consciência está nos dizendo que estamos fazendo algo que põe em perigo o nosso sistema de afiliação. Pelo contrário, a inocência é tudo sobre a

conformidade com as regras, rituais e leis não escritas do sistema. No processo de crescimento da individuação, para formar um novo sistema (nossa própria família, atual

e não a fonte) culpa é o companheiro inevitável, o indicador de que estamos superando

a nossa necessidade de ser "bons meninos" para tornar-se em adultos com critérios

próprios. Amor que caracteriza a consciência é o "amor cego", a necessidade de sacrificar para aqueles que querem mesmo esse sacrifício não beneficia ninguém. Assim, é o nosso desejo de ter "boa consciência" ou a nossa necessidade de evitar a "má consciência" que condições e nos limites: não ser mais felizes do que aqueles que vieram antes de nós; não apreciar o que nosso não gosta; para expiar a culpa pertence

aos nossos pais ou avós; para assumir responsabilidades que não pertencem a nós.

QuandQuandQuandQuandQuand

7.5. A alma

Obviamente, é um termo com não numerosos sem conotações filosóficas e religiosas significados. Em relação Constelações Familiares, a alma seria uma parte essencial da pessoa, ao contrário de outras concepções tradicionais, que não pertence intrinsecamente mas faz estar relacionada a algo maior: "Não

temostemostemostemostemos umaumaumaumauma alma,alma,alma,alma,alma, masmasmasmasmas estamosestamosestamosestamosestamos ememememem umaumaumaumauma alma,alma,alma,alma,alma, nósnósnósnósnós participarparticiparparticiparparticiparparticipar deledeledeledeledele """"" [[[[[ 26]26]26]26]26]

oficina Constelações falando sobre "movimentos da alma" queremos dizer um movimento em direção a solução envolve sendo dado o sistema de três ordens de amor. Esta expressão é usada em oposição ao de "movimento de consciência", que refere-se a quem se manifesta a dinâmica do problema e muitas vezes dado pelo amor inconsciente do primeiro atendimento de pedidos, independentemente dos outros dois. Em contacto com a nossa alma nos tornamos adultos encontrar um lugar de força, amor com respeito, reconciliar-nos com nós mesmos e com o nosso sistema, nós concordar com o que for maior.

QuandoQuandoQuandoQuandoQuando

7.6. Primeira ordem ou associação

Todos os elementos de um sistema têm direito a pertencer a um tal sistema. Também membros que já deixaram o sistema ainda tem um "local" nele. Você pode quebrar o casal ou a morte de um membro da família, mas todas as pessoas que pertenceram ao sistema familiar tem um lugar nesse sistema. Que este fato não é reconhecido explicitamente ou implicitamente um impacto negativo sobre o sistema de bem-estar e, em particular, aos seus membros menores ou mais fracos. Assim, quando uma pessoa é

portanto, esquece ou ignora excluídos, consciência do sistema faz com que um membro de uma geração posterior (não necessariamente a próxima) incluí-lo inconscientemente ( "amor cego"), assumindo o destino da pessoa excluída, que muitas vezes provoca condições ou limitações que o impedem de desfrutar de seu próprio destino.

7.7. Segunda ordem ou hierarquia

Os elementos que vieram antes de ter precedência sobre os itens que vieram depois. Grande, aqueles que vieram antes, deve ser reconhecido como tal e é seu direito e dever de manter seu local de prioridade. Pequeno, aqueles que vieram depois, não pode tomar o lugar de um membro do sistema que veio antes. Da mesma forma você não pode assumir o destino de um membro sênior de seu sistema nem juiz ou expiar os seus pecados. Assim, os movimentos de "Eu estou em seus sapatos" ou "Eu faço isso para você porque a desordem do sistema neste nível. Por outro lado, os sistemas atuais dos de origem, bem como novos elementos de um sistema, têm prioridade de atenção e cuidado.

7.8. Terceira ordem ou compensação entre "dar e receber" Big, aqueles que vieram

antes, dar. Menor, aqueles que vieram mais tarde tomar. Somente relacionamentos

com seus pares deve ser equiparado dar e receber entre ambos os membros do

exemplo, parceiro ou amigos). Desordem em relacionamentos com seus pares tem a ver com o desequilíbrio, ao longo do tempo, entre o que dar e tomar. Por outro lado, as relações entre pais e filhos ou entre maiores e menores, são tentativas de reciprocidade ou "equalização da dívida", que causam desconforto no indivíduo e no seu sistema.

o

compensação

unicamente lata

acontecer

transgeracionalmente: "Eu dou a meus filhos o que meus pais me deram" e "aproveitar a vida em nome dos meus pais e eu." Neste caso, tanto a valorização ( "Eu tomo o que você me dá com amor e fazer com ele o melhor que posso") e humildade ( "Você é o grande e pequeno", "I lhe dar de volta o que é seu", " Eu não sei melhor do que você", etc.) permitem passo para a solução.

7.9. Constelações familiares

Eles desenvolveram como uma técnica terapêutica grupo, mas agora também aplicado no contexto individual. Nas oficinas de constelações, que são geralmente fim de semana, envolvendo pessoas com diferentes preocupações e dilemas para resolver ou que eles estão simplesmente interessados ​​em assistir e / ou representar outros em uma constelação. Os participantes muitas vezes se sentem em círculo dentro do qual essas constelações irá solicitar. Uma constelação pode surgir quando uma pessoa quer esclarecer uma questão específica em sua vida. Esta pessoa pode expor mais ou menos brevemente, o seu problema e constellator pedirá, que considere adequadas, de escolher entre os participantes do workshop que poderia representar o povo em sua estrutura familiar, incluindo um representante para si mesmo. Então ele colocou no espaço restante no interior do círculo de participantes e o ato de colocar é o que é comumente conhecido como "constelações" ou "Set". Às vezes, isso faz com que o facilitador da constelação, mesmo sem dizer a ninguém quem é quem.

Feito isso, espera-se que os representantes começam a sentir sensações e emoções das pessoas que representam, embora as pessoas assumem seus respectivos papéis não sei

quem está jogando ou ter informações sobre eles. Ainda não há nenhuma explicação racional para por que isso acontece ou o que mecanismos permitem a "conexão" de se sentir entre o sistema cliente e representantes. Para Hellinger a imagem é que todos nós participamos da mesma alma para que possamos acessar não apresentar os sentimentos das pessoas e a dinâmica das constela sistema se feito a partir de uma atitude de respeito

e as licenças do sistema. Com este método a possível doença que está afetando o sistema

de bem-estar e o cliente é mostrado. O facilitador através de indicações de cura e frases leva a constelação de uma imagem de uma solução na qual é dada uma ou mais das seguintes condições: cada membro tem um bom lugar (de dignidade e respeito); no sistema de um movimento no sentido de reconciliação, onde foi antes está agora ligado separadamente ocorre; o cliente assume a sua própria responsabilidade e resulta do que não lhe pertence; amor adulto, o que implica o respeito, substitui o amor cego, que não reconhece os limites e é próprios filhos; o cliente concorda em seu destino e seu sistema; ou, pelo contrário, é um passo nesse sentido. no sistema de um movimento no sentido de reconciliação, onde foi antes está agora ligado separadamente ocorre; o cliente assume a sua própria responsabilidade e resulta do que não lhe pertence; amor adulto, o que implica

o respeito, substitui o amor cego, que não reconhece os limites e é próprios filhos; o cliente concorda em seu destino e seu sistema; ou, pelo contrário, é um passo nesse sentido. no sistema de um movimento no sentido de reconciliação, onde foi antes está agora ligado sepa

7.10. As Ordens Ajuda

Eles podem ser entendidas como uma aplicação das Ordens do Amor para as relaçõesrelaçõesrelaçõesrelaçõesrelações humanashumanashumanashumanashumanas ememememem quequequequeque háháháháhá umaumaumaumauma intençãointençãointençãointençãointenção dedededede ajudarajudarajudarajudarajudar ououououou serviçoserviçoserviçoserviçoserviço paraparaparaparapara ooooo outrooutrooutrooutrooutro [[[[[ 27]27]27]27]27] particular interesse em relação aos profissionais de saúde e educação:

terapeutas, professores, enfermeiros, médicos, assistentes sociais, psicólogos, etc. Constituem um quadro e supervisão pode ser um pouco chocante ou provocador de certos paradigmas (em modelos onde a relação

terapêutico surge assimétrica e visa prescrição ou correção) e, no entanto, instigante e fornece um seguro e confortável para o exercício das profissões tal lugar. Antes Hellinger indicou explicitamente as ordens de apoio feita referência às exigências a serem cumpridas por uma pessoa para ser um "bom terapeuta" e é concordar com seus pais, ao seu sistema de origem, destino, sua morte e, especialmente, sua culpa. Os cinco princípios que este autor propõe como ordens de apoio estão intimamente ligados com estes requisitos:

7.10.1. Você não pode dar o que você não. Você não pode tomar o que não é necessário:

a ideia é particularmente importante a necessidade de concordar com nossas origens e

circunstâncias, bem como a nossa culpa (que, neste contexto, é o que nos ajuda a crescer

e se tornar adultos), e que só desta forma podemos ajudar os outros a entrar em acordo com seu sistema ea si mesmos. Por outro lado, ele acredita que somente quando uma pessoa realmente precisa que você pedir está disposto a assumir o que lhe dão.

7.10.2. Para ajudar deve respeitar as circunstâncias do outro: qualquer ajuda inclui pelo menos uma das seguintes finalidades, sobrevivência e / ou desenvolvimento. Para auxiliar a sobrevivência ou a promover o crescimento ou desenvolvimento é necessário ter em conta as circunstâncias do indivíduo. Só se formos capazes de aceitar os seus pontos fortes e limitações (incluindo doença grave ou morte que se aproximava) podemos ajudar de respeito.

7.10.3. Devemos colocar-nos em uma relação de igual para igual, o que significa ver o outro como um adulto: quando uma pessoa pede ajuda tende a ser colocado em uma posição de inferioridade e pode até infantilizarse. Também pode ser a pergunta que você pedir algo que não levou seus pais. Em ambos os casos, tentar ajudar a partir de um

posição de superioridade ou a intenção de "ser um melhor pai / mãe" pode ter efeitos benéficos de curto prazo, mas são contraproducentes ou,

até mesmo perigoso, de longo prazo (pode

em comparação com os efeitos colaterais de certas substâncias, como rapé que alivia temporariamente a ansiedade, mas ele cria um vício e afeta a saúde ou cortisona alivia rapidamente certos sintomas, mas podem ter efeitos prejudiciais se usado por longos períodos). Oferecemos ajuda a criança também podemos observar este princípio, uma vez que estão a serviço de seus pais e adultos tornam-se. No contexto educacional ou terapêutico é essencial respeitar os pais da criança, porque se não qualquer ajuda para o seu filho será em vão (lealdade para com os seus pais não vão deixar você levá-la).

7.10.4. Para ajudar você precisa contemplar outra em relação ao seu sistema: a ideia é central para a abordagem sistêmica e constitui a base das Constelações Familiares.

7.10.5. A ajuda deve estar a serviço da reconciliação: a ajuda não entende juízes ou politicamente correto. A reconciliação é sobre acusações de expiação ou perdão. Tudo leva a separar, como o julgamento ou a arrogância de estar em posse da verdade, não ajuda. Reconciliação também está localizado acima desejos das crianças para um "final feliz". Recuperar a dignidade perdida, acenando para um destino não importa o quão difícil é, desistir do que nós não conseguimos, assumir a responsabilidade para o nosso próprio bem-estar, oferece uma felicidade muito diferente, leve e peso ao mesmo tempo, as fantasias de " cura "tais como: sair da obrigação de um abraço final," cargas de volta "sem levar nossa própria culpa," ordem famílias" como se fossem mecanismos para reparar,

8

As Ordens do Amor representado

com bonecas

Existem metáforas espaciais praticamente universal, isto é, compartilhados pela maioria das pessoas e culturas. Por exemplo, a frente é geralmente associada com o futuro e de volta para o passado; da mesma forma, associamos o movimento da esquerda para a direita como para a frente (na direção da escrita ocidental) e movendo-se no sentido horário como referência cujo significado é um desenvolvimento sequencial e temporalmente ordenada. Relação à verticalidade, que geralmente sugerem idéias, como um bom humor, mental, espiritual, estar ausentes ou "nuvens" com movimentos ascendentes, que apontam para cima e olhar acima do nível do olho . Por outro lado, a parte inferior do corpo está associada com os terrenos, os obstáculos, paixões.

sendo muito pragmática ou

meticuloso, etc. (Em constelações olhar para baixo frequentemente associada ao "olhando para um morto"). Também a relação

espaço entre dois elementos é equipado com significados: se eles estão perto ou longe, se alvo face (rivalidade explícita ¿fazer atração ???) ou para trás (CONFLITO indiferença?

latente? ¿Estrangement?)

ou paralela

(Fellowship? Parceiro? Objetivo comum?). É por isso que o arranjo das bonecas no espaço pode representar uma forma de estados emocionais amplamente compartilhados, um atitudes pessoais para temas arquetípicos, como o futuro eo destino, o pai ea mãe, vida e morte, criança- interno e auto-adulto, etc. Eles também podem representar, a partir da relação entre as posições das várias figuras, a ordem e desordem do sistema. Assim, podemos perceber o sentido de ordem quando as gerações anteriores são colocados atrás e as próximas gerações à frente em etapas, olhando para o futuro. Então temos imagens como o rio da vida, cuja fonte está nas montanhas (altura) e deságua no mar (referência comum para o nível mais baixo) ou como uma pirâmide de força, onde o ápice (geração atual) é mantido a base (gerações passadas, antepassados). Figura ilustrativa 1:

origem Sistema dela.

Muitas vezes, a fim de que o casal é representado pelo homem à direita das

Muitas vezes, a fim de que o casal é representado pelo homem à direita das mulheres

e a mulher deixou o homem. É uma forma metafórica de representar a idéia de

complementaridade entre os sexos para que o homem tem livre a mão direita para

"servir" (caça, construir, defender) mulheres e crianças, enquanto as mulheres "ainda"

o homem de pé ao lado de seu coração e deixando seu coração acessível às crianças

para vir (na verdade, a figura de apego primário na primeira infância é a mãe). No

entanto, enquanto que a situação das diferentes gerações em referência à parte traseira-frente ou sentido dos ponteiros do relógio (por ordem de chegada para um sistema) é inequívoca (ou ordem ou não respeitou) em relação ao parceiro não pode ser tomado como uma lei feita para posicionar o primeiro homem e mulher à sua esquerda. Um nível experimental, a cerca de 80% de

homens casal se sentir melhor direito ea mesma percentagem de mulheres na esquerda. No entanto, há uma porcentagem onde isso não for feito, sem necessariamente significar um transtorno. O exemplo mais claro eu testemunhei era

a de um jovem casal feliz que veio para uma oficina e ela sentou-direita e esquerda.

Um dos participantes da oficina, ciente das ordens explícitas por Hellinger e cheio de boas intenções, apontou-lhes a possibilidade de trocar as suas posições no círculo de cadeiras. Ele respondeu: "Eu me sinto mais confortável aqui; Eu não ouço quer

pela orelha esquerda para que se acostumaram a se sentar e ouvir sem dificuldade à minha esposa". O interessante, em qualquer caso, É de reconhecer se o arranjo direita-esquerda produz um par de conforto ou desconforto para ambos os membros.

É possível que implicações sistémicas e modelada antes, um homem que precisa ser

à direita do seu parceiro para a esquerda ou a mulher que gostaria de dar prioridade para colocar o seu parceiro pode não ser capaz de pagá-lo é colocado. Nestes casos, eles próprios devem ser exploradas para alcançar um movimento em direção

a imagem de solução (aquele em que o cliente tem um lugar melhor). Em outros

casos, boa posição é aparentemente não corresponder à ordem. No exemplo acima, eu mencionei o problema de ouvido explicar por que ambos foram melhores "para trás", mas existem muitos outros casos: se a mulher tem filhos anteriores com outro parceiro pode se sentir melhor direito e seu parceiro terão de aceitá-la; Se o homem sofre uma doença ou deficiência e que o casal deve assumir uma troca onde as mulheres dão mais do que os homens (para compensar e este desequilíbrio não irá danificar o casal ou causar a receber mais precisa para sair, é necessário que o você levá-la recebe mais respeito e gratidão evitando atitudes de demanda ou orgulho); ou

simplesmente se o pacto com os dois concordam e se sentem como iguais.

Figura ilustrativa 2: Sistema Fonte dele

O perigo da posição das mulheres na direita é que muitas vezes ele sente que

O perigo da posição das mulheres na direita é que muitas vezes ele sente que não pode contar com o marido ou a confiar nele, ele se sente desprotegido e sozinho e tendem a procurar outro homem que, se esse sentimento (também as mulheres podem deixar o espaço livre no seu direito de preservar o lugar privilegiado do pai: "não há nenhum homem como meu pai para mim").

Da mesma forma um homem à esquerda pode se sentir menosprezado ou desrespeitado, enfraquecido, não tidos em conta, etc. Ele também pode ser o sinal de um homem "emparelhado" com a mãe ou para não se tornar um adulto e deixar de ser um "filhinho da mamãe" que precisa ser cuidada e cuidada.

Uma linha de homem mais importante, enquanto é onde você pode

levar a sua força como um homem, ele é o pai. Nas mulheres, a mãe. Assim, um dos requisitos para desfrutar do amor na família, é que ele tomou a seu pai e mãe. Esta forma arquetípica, ela toma a essência ea força do feminino e do masculino, e pode ser complementado por dar uma coisa que falta no outro (na sabedoria oriental essa idéia é engenhosamente condensado no comando tao e equilíbrio dinâmico do yin e yang).

Imagem ilustrativa 3: Dois sistemas são

do yin e yang). Imagem ilustrativa 3: Dois sistemas são Quando duas pessoas se tornam um

Quando duas pessoas se tornam um casal, eles não são apenas comprometendo-se a partilhar um destino comum (pode ou não ser explícita através de um ritual, é mesmo possível que nenhum dos parceiros estar ciente disso, no entanto nível de

I se formou uma ligação de pares, suportar ou não, vai pesar tempo de vida), mas também estão a unir os destinos dos dois sistemas. Assim, somente aqueles que respeitam o seu sistema pode respeitar o outro. Quando se ama o outro, também nós devemos amar o que carrega (origem, carga, destino) só assim pode completamente amar e como iguais (como um adulto).

Sendo um adulto é tomada, o sistema de origem, vida e força para caminhar por. Tomar é obrigado recebido e desistir do que nós não conseguimos. Tome também lidar com isso da melhor maneira possível: criar um sistema de corrente (própria família), aproveitar a vida e que está à frente, cuidar de nós mesmos e nossos filhos, para ser auto-suficiente, para compartilhar nossas habilidades e recursos com em torno de nós e contribuir para o progresso do mundo como um nele. É por isso que estar casal feliz é uma ótima maneira de mostrar a apreciação para o nosso sistema de origem e um muito bom sinal de que temos crescido para se tornar adultos.

Tradicionalmente considerou que ter filhos é a maneira mais natural para trazer de volta à vida o que recebemos dele. Desde que nossos pais e antepassados ​​não pode restaurar a vida, apenas dá-lo a novos membros

tem sistema de restaurar o equilíbrio

transgeracionalmente. Estaremos sempre em dívida com os anteriores, com quem tinha que ser, ou que poderíamos ir. Assim, nossos filhos terão que assumir que eles serão sempre em débito com a gente. Há outras maneiras de dar a volta e permitir que o fluxo de dar e receber reequilibrar sobre o nosso sistema de casa, não só de ter filhos é alcançado "pagar dívidas a frente": ser feliz, criando a beleza, a partilha de conhecimento ou,

simplesmente,

Acenando para o nosso destino.

Ilustrativo 4: O sistema de origem eo jogo atual em uma criança

Na família de uma criança de origem e do jogo da família atual. Só quando

Na família de uma criança de origem e do jogo da família atual. Só quando se torna adulto vai deixar o sistema de origem para formar o seu próprio. Um adulto, mesmo que sozinho, formam um sistema em si, seu atual sistema em si. O sistema atual pode ser expandida através do jogo e com a chegada das crianças. Atualmente, muito mais frequentemente e facilmente do que no passado, os sistemas podem consistir de vários ex-companheiros, filhos de ex-parceiros e filhos, onde a intervenção de estranhos, no entanto, tornar-se parte do sistema é necessária porque, sem eles não teria sido possível chegada do novo membro (isto é especialmente evidente na adoção, onde normalmente os pais biológicos da criança são desconhecidos ou até mesmo outro país,

que também podem ser necessários um ou dois doadores).

Imagem ilustrativa 5: A ordem de chegada dos irmãos deve ser considerada

5: A ordem de chegada dos irmãos deve ser considerada O sistema atual tem precedência sobre

O sistema atual tem precedência sobre o sistema de origem, ou seja, a energia deve ser orientada para o crescimento e desenvolvimento, de modo que a ordem é retirado do idoso e dar pequenas. Nosso lugar de força é na família que se formaram porque estamos onde estamos adultos, se olharmos para os nossos parceiros e as crianças olham para a vida, para o futuro, para o nosso próprio destino. Se nos voltarmos nosso olhar para trás (estamos envolvidos em uma questão de nossa família de origem) nos voltamos para nosso próprio destino a seguir a outra. De alguma forma, nós estamos indo contra a corrente da vida,

ignorando as "leis naturais" e, portanto, perpetuar a desordem do sistema. Quando se fala de "prioridade" do sistema atual na fonte em nenhum caso significa que a hierarquia quanto ao que veio antes e que depois não cumprir. É que uma vez que são capazes de dar um lugar de respeito para com os mais velhos (pais, família de origem, antepassados), tendo com amor vida "que preço de custo", voltamos a nossa dívida, "forward".

Da mesma forma, os irmãos devem conservar o seu lugar de respeito. Embora as crianças são iguais para os pais, todos eles têm o mesmo direito de associação entre os irmãos da ordem de chegada devem ser cumpridas. Assim, a maior dar mais para as crianças e os menores demorar mais do que os idosos. Isto significa que, para que haja ordem entre irmãos, os idosos têm prioridade a ser ouvida e tida em conta em certos privilégios (ou capaz de desfrutar de coisas que as crianças não podem). Por sua vez, as crianças têm prioridade para atenção e cuidado. Este fato é facilmente visto com a chegada de um bebê: o recém-nascido exige muito cuidado e atenção, absorve quase todo o tempo e energia da mãe. assim, que "injustiça" ou desequilíbrio na hierarquia de chegada é compensado permitindo maiores coisas que você só pode fazê-lo (por exemplo, ir com o pai para fazer uma atividade "superior") dando os privilégios de ser tidos em conta ou ouvido pequenas decisões (por exemplo, o que fazer hoje o que quiser jantar ou para ir para a casa da avó). Da mesma forma, quanto mais você pode ser dada a tarefa de cuidar do pequeno, mas somente se acompanhada pela obrigação de respeitá-lo e fazer pequeno caso. Isso nem sempre é verdade em famílias de hoje, enquanto a maioria das vezes tem obrigações para com a pequena sem privilégios e também muitas vezes "infantilizarse" mais velha tentando dar a mesma atenção (assim você não vai se sentir "ciúmes") que a criança.

Imagem ilustrativa 6: A ordem expressa nas horário senso

Imagem ilustrativa 6: A ordem expressa nas horário senso A ordem de hierarquia é normalmente expressa

A

ordem de hierarquia é normalmente expressa pela colocação de linhas de gerações

e

para trás, mas ocasionalmente na família corrente onde as crianças pequenas são

também pode ser representada como uma única linha, ligeiramente curvada para tornar a imagem mais "núcleo" ou ninho e não dar a sensação de tropa ou "batalhão".

Como as crianças crescem deve ser usado representando duas linhas de gerações para que a necessidade dos filhos de alguma autonomia é representada a crescer (mais espaço na frente deles) e destacar o relacionamento como algo que era "antes" que as crianças e, portanto, deve ser respeitado e valorizado. Às vezes os pais compõem o sistema atual, colocando as crianças na frente deles, mas extremamente

colada de modo que a imagem sugere um bloqueio ou paralisia pai justificada pela presença de crianças. Nestes casos, embora "teoricamente" preserva a ordem deve deixar um espaço pequeno, as crianças dão um passo à frente (metaforicamente lhes daria permissão para crescer e / ou confiar em sua capacidade de resolver problemas) ou pais um passo volta (metaforicamente iria se recuperar algo que anteriormente tinha a chegada das crianças, como parceiro de vida ou um hobby, e pode também representar aposentar para as crianças a ter mais espaço para ser autônoma e tomar suas próprias decisões). Quando houver parceiros anteriores ou crianças relação pré-existente deve diferenciar entre as gerações (pais e filhos) através de linhas paralelas e separadas. simultaneamente, devemos considerar que vieram antes e que depois que o sistema a ponto. Assim, na imagem 7 pode ser visto duas ordens complementares. Pais e adultos por trás da criança e para trás entre seus pais. Ao mesmo tempo, o primeiro casal eo filho nascido dessa união é colocado à direita do casal formado atualmente pela mãe como eles chegaram antes do sistema e devem conservar o seu lugar de respeito.

Imagem ilustrativa 7: O filho de uma união anterior tem precedência sobre o atual parceiro

Então, na hierarquia a criança tem precedência sobre atual parceiro da mãe no entanto, em

Então, na hierarquia a criança tem precedência sobre atual parceiro da mãe no entanto, em relação a dar e receber, não pode esperar que a criança a dar ao parceiro atual. Também não podemos esperar que a criança atual parceiro e se isso acontecer, será porque você quer (não obrigação ou exigências da mãe ou filho) e sempre sem a intenção de substituir o pai ou a "ser melhor" do que o pai (este ainda deve ser cumprida se o pai está morto ou ausente). Este arranjo também seria válido se o filho do primeiro relacionamento de um filho. Da mesma forma, a filha veio antes do atual parceiro e tem precedência sobre ele em termos de hierarquia (lugar de respeito), mas não sobre dar e receber.

Imagem ilustrativa 8: A filha de uma união anterior tem

prioridade sobre parceiro atual

prioridade sobre parceiro atual Mas à medida que as crianças crescem, devemos contemplar não só a

Mas à medida que as crianças crescem, devemos contemplar não só a sua ordem de chegada, mas também a necessidade de diferenciar tomando o pai ou a mãe como a criança. Assim, filhos adultos de diferentes sexos podem sutilmente imagem para representar essa diferença permanecer no reino do pai ou da mãe. Assim, um filho precisa de estar perto de ambos os pais iguais ao ser pequena (até cerca de 12 anos) a partir dessa idade, é adequado que é um pouco mais perto do pai. Isto é representado com bonecas deixando a mãe à esquerda do seu atual parceiro cuidar dos irmãos mais novos agora eles exigem a sua atenção mais do que seu filho mais velho. A ordem de chegada continua a ser respeitado (o primeiro filho é o

seu pai à esquerda e direita do parceiro atual) e pertencentes à esfera do pai diz.

Imagem ilustrativa 9: ​​O jovem filho de um casamento anterior para crescer

9: ​​O jovem filho de um casamento anterior para crescer No caso de uma criança que

No caso de uma criança que cresceu e não requer a mesma atenção que seus irmãos mais novos, é necessário manter a disposição mostrada na Figura 10, como a imagem deve incluir todos os aspectos acima mencionados: primeiro a chegar, primeiro colocado no filha, em vez de seus pais e irmã mais velha de seus irmãos e, ao mesmo tempo, para ecoar a necessidade de ser situado na zona da mãe.

Imagem ilustrativa 10: A jovem filha de um casamento anterior para crescer

Sem dúvida, as circunstâncias e dinâmica familiar são únicos ( "cada família é um mundo")

Sem dúvida, as circunstâncias e dinâmica familiar são únicos ( "cada família é um mundo") por isso há muitas chances de encontrar a ordem ea harmonia do sistema. É por isso que trabalhar com bonecos que se assemelha aprender a jogar xadrez, uma vez que você aprender as regras do jogo (especialmente como se e como não ser mover as peças), somente jogando um se torna consciente do infinito combinações possíveis e só a prática faz o mestre amador xadrez.

9

Constelações Familiares em sessão

único com bonecas

O desenvolvimento de uma constelação em sessão individual pode ser feito de diferentes maneiras: de visualizações, por âncoras no chão (papéis, pedaços de feltro, sapatos, etc.) e com bonecas ou outros objetos de representação (pequenas pedras, fotos, post-it, etc.). Normalmente, as duas últimas técnicas podem ser apoiados por exercícios de visualização que permitam uma melhor integração contemplado com figuras ou experimentado nas âncoras. Além disso, como em uma constelação família realizado em grupo, o uso de frases podem desbloquear cura, acelerar ou reforçar o movimento para a solução. Às vezes, essas frases de cura são "contrários", a fim de levar a um processo de "intenção paradoxal".

A escolha de uma ou outra técnica deve responder a diferentes fatores. A primeira é a própria preferência do terapeuta, sentado

confortável usá-lo e ter mais prática são as melhores razões para escolher uma técnica sobre a outra. Há também características do cliente que podem influenciar a escolha da técnica:

Confrontado com dificuldade em visualizar internamente ou relaxar em uma situação de "run sonho" é preferível utilizar as bonecas. Se o entrevistador não tenha participado anteriormente em uma oficina constelações também mais fácil introduzir trabalhando com bonecas, porque, às vezes, trabalhar com âncoras pode "assustar" se o cliente sente algo inesperado e / ou demasiado intensa de assimilar. Nos casos em que o terapeuta confia a capacidade do cliente de perceber e expressar sensações corporais e querem evitar verbalização excessiva ou intelectualização do trabalho, as âncoras no chão é uma ferramenta muito poderosa, porque não permite que apenas colocado na posição outros membros do sistema, mas também sentir o desejo ou corporal movimento da alma. Para certas questões, é preferível optar por uma ou outra técnica, enquanto buscamos ou, inversamente, evitar catarse, re-experimentar de eventos traumáticos, a experiência a nível corpo de outros pontos de vista ou posições de conflito, etc. Pessoalmente eu prefiro trabalhar experiências traumáticas (abortos, duelos, ataques) com bonecas. conflitos conjugais e irmão (especialmente as questões de situações de herança e de conflito, como um julgamento) preferem criá-los com âncoras no chão (folhas de papel pintado com símbolos e nome ou pedaços de tecido correspondente) para que projeções sair rapidamente à luz e ao contato com a posição dos outros partidos é tomada. evitar catarse, re-experimentar de eventos traumáticos, a experiência a nível corpo de outros pontos de vista ou posições de conflito, etc. Pessoalmente eu prefiro trabalhar experiências traumáticas (abortos, duelos, ataques) com bonecas. conflitos conjugais e irmão (especialmente as questões de situações de herança e de conflito, como um julgamento) preferem criá-los com âncoras no chão (folhas de papel pintado com símbolos e nome ou pedaços de tecido correspondente) para que projeções sair rapidamente à luz e ao contato com a posição dos outros partidos é tomada. evitar catarse, re-experimentar de e

Comparando-se o trabalho de grupo e sessão individual, algumas das semelhanças e diferenças devem ser levadas em consideração são:

A energia utilizada é o cliente e facilitador e não todo o grupo. A este respeito, é desejável que o terapeuta ou facilitador ter em conta as ordens de apoio e colocado numa posição de força não pode suportar o grupo ou os movimentos da alma,

às vezes,

aparecer

espontaneamente durante a constelação.

O tempo pode ser estendido dependendo da necessidade de trabalhar enquanto o cliente eo facilitador tem energia sem levar em conta a atenção do grupo. Em alguns casos, o trabalho pode ser resolvido em apenas alguns minutos, enquanto em outros casos, a configuração, a busca de uma solução e usando visualizações e frases de cura pode demorar mais do que sessões (geralmente sendo terapia usual 45 minutos e uma hora) em qualquer caso, não concordar em estender as constelações de sessão para além da hora e meia ou duas horas uma vez que o objetivo é conseguir um novo visual que permite que um pequeno passo para a solução, e não sobre a fixação vida do cliente. Você pode ser descrito várias questões emergentes e cronograma durante um período de tempo de uma sequência planeada de obras de constelações. Neste caso, é aconselhável deixar tempo suficiente entre o trabalho e do trabalho (eu costumo deixar pelo menos três meses) e tem sessões de suporte ou considerar fazê-lo se o cliente precisa esclarecer ou pedir algo sobre os efeitos experimentados .

Seja interpretação especial cuidado e manipulação porque os bonecos não falam. Da mesma forma, especialmente quando se trabalha com âncoras no chão, devemos prestar muita atenção para os pontos cegos desde a capacidade de percepção das sensações corporais podem ser prevenidos ou influenciada por expectativas ou crenças anteriores ambos cliente e terapeuta.

Em movimentos da alma sessão individuais também aparecem como o terapeuta eo cliente pode, a qualquer momento, ver claramente uma mudança que ressoa em todo o campo e apontando ou chegar a uma solução. No entanto, nem ser associado com movimentos espontâneos de representantes, mas favorecido pela atitude das mudanças terapeuta (concentra sua atenção e energia para a solução respeitando ordens de apoio) eo cliente (renúncia problema e assumir a responsabilidade pela solução respeitando as ordens do amor). Ao trabalhar com bonecas limitação, é evidente já que não podemos simplesmente esperar que os representantes de seguir seus impulsos. Desde que você não pode trabalhar com os movimentos da alma, da mesma forma como com os representantes, a necessidade de atitude terapêutica é ainda maior.

Em relação aos movimentos da alma, trabalhando com âncoras se você pode senti-lo através do impulso iniciado em uma das posições acima mencionadas, porém: é preciso distinguir se é um impulso para o problema (movimento de consciência) ou para a solução (movimento alma); Além disso, deve estar certo "consenso" entre o cliente ea sensação consultor nessa posição porque se não é provável que o cliente se sente manipulado ou não tomar a solução. Neste sentido, muitas vezes é mais fácil para os consultores a aceitar como movimentos "reais" feitas por um representante que não o conheço pessoalmente e ele não sabe o problema ou sistema (o que acontece em uma oficina grupo). Às vezes, um cliente pode suspeitar de movimentos sugeridos pelo terapeuta,

Pode trabalhar com mais elementos do sistema simultaneamente. A disponibilidade de tempo dedicado ao cliente

assim como um maior número de elementos de afixação (em comparação com o número normal de participantes numa oficina), que pode amplamente implementar o sistema e para colocar gerações se tal for considerado apropriado.

9.1. Trabalhando com figuras (bonecas) e outros objetos de renderização, embora a expansão do uso da Playmobil como figuras de representação, muitos outros bonecos e objetos podem ser usados ​​para o mesmo fim. Pequenas pedras ou pedregulhos, imagens ou desenhos, peças de xadrez ou folhas também pode ser útil. Há terapeutas que constroem seu próprio conjunto com blocos de madeira ou madeira combinando, arame e pano para vestir. Algumas das pessoas que passaram por meus cursos bonecos foram usados ​​como objetos de cartas que representam o tarô, porta-copos, Estrumpfes estatuetas de plástico decoram as prateleiras de uma casa (incluindo um "pastora Lladró" e uma lembrança em forma touro), etc. Na ocasião, eu tenho trabalhado com pedaços de papel pintura sobre eles os diagramas característicos (círculo quadrado para os homens e para as mulheres). Neste sentido, o que realmente importa é a técnica e fundamentação teórica das ordens existenciais, em vez de como tirar a ferramenta.

Talvez algumas das características se apropriado considerar os objetos de representação que são relativamente neutro é para que eles possam representar ou expressar qualquer atributo ou posição. Então, se nós usamos desenhos devem ter cuidado para não expressar univocamente uma característica (por exemplo, desenhar um pai irritado) porque vai dificultar o movimento para a solução (para desenhar pai com raiva será difícil fazê-lo ver que " ele franze a testa ", por exemplo).

Relacionado com a idéia anterior de "neutralidade" devem estar atentos

projeções cliente e não interferir com o nosso. Assim, as cores ou formas das bonecas representantes eleitos pode nos dar um monte de informações sempre que não sejam confundidos com nossas próprias projeções e interpretações. Por exemplo, a boneca da sereia em forma pertencente ao meu conjunto de bonecas "caracterizada" foi escolhida para múltiplas funções: vida, loucura, representante do cliente, mãe, etc. Em uma ocasião, supervisão, terapeuta fez o seguinte comentário sobre a escolha da boneca por um cliente "significa terra ausente, é uma pessoa irrealista e impraticável." Em vez disso, o que tínhamos era uma necessidade de se adaptar a diferentes ambientes e países, o cliente era uma mulher muito prática e organizada, no entanto, ele tinha sido levantada em um país oriental em um ambiente elitista, tinha estudado em uma universidade nos Estados Unidos, havia se casado com um necessidades econômicas espanhol e porque ele tinha colocado para trabalhar como representante de grandes empresas. Então, o que a boneca sugeriu a pergunta ( "é alegre, ele precisa descansar, querem encontrar um bom trabalho") não tem muito a ver com as decisões proferidas pelo terapeuta.

Da mesma forma, as cores das bonecas podem sugerir muitos atributos diferentes e a coisa mais importante é estar aberto a ter significativo para o cliente. Quanto aos comentários coletados a partir do trabalho que tenho feito com o conjunto de Playmobil para constelações são:

Atributos e conotações

branco

Pacífica, neutro, ideal, morto, não está envolvido, é ausente, espiritual, ajuda ou apoio futuro projeto ou necessidade

expectativas atender simpático, engraçado,

quente, Amoroso, excluindo os pais,

amarelo

, Jovem, transtorno mental irresponsável, dependente,

em busca de atenção e carinho, hospital

vermelho

Fortaleza, vida, paixão, força de vontade, sincero, honesto, sexual, rebelde, transgressor, criminoso,

dominante, "ovelha negra", independente

verde

Anexado à família e tradições, desconfiado, amoroso, confiável, paciente, ciumento, fechado, com ciúmes, materno, peso de gerações anteriores

azul

família inteligente de carga de origem, tristeza, álcool ou dependências, integridade, apelo masculino, tendência

sair, problemas com o pai pendente

A escolha de grandes e pequenos (crianças) números (adultos) ou:

quanto à escolha das figuras muitas vezes sugerem grandes figuras que optam por representar a si mesmo ou outras pessoas no momento presente se eles são adultos ou mais velhos do que 16 18 anos; para trabalhar com a família de origem, se o que importa é observar uma dinâmica vivas na infância, é desejável que o cliente configurar a constelação escolha de um pequeno boneco para si e seus irmãos. Às vezes pode ser interessante, se o cliente escolheu uma criança para representar, pedir-lhe também escolher uma boneca grande para si mesmo "no momento" e deve manter os personagens (a criança yo- e I-adulto) na constelação de modo a facilitar a certos processos. Por exemplo,

Caso-Exemplo 13: Um coração quebrado

Este caso exemplifica uma constelações familiares trabalhar com um cliente que vem pela primeira e única vez uma sessão de aconselhamento individual. A sessão dura cerca de duas horas e durante a primeira parte do genograma do cliente é realizada, que orientam posteriormente o trabalho. O cliente, uma mulher de 28 anos de origem polaca, mas nascido no Canadá, logo enfrentou uma operação de doença cardíaca Através do genograma e anamnese psicogenealógico os seguintes aspectos da natureza foram deduzidos:

O trisavô era um aristocrata que renunciou ao seu título e os direitos para se casar com um camponês.

Bisavó perdeu todos os seus bens em saque e acabou emigrar para a França com sua família.

Avó lutou na Resistência durante a Segunda Guerra Mundial. avós posteriores

emigrou para o Canadá, onde ele cresceu a mãe.

O pai era canadense de nascimento, filho de imigrantes poloneses. O cliente veio como uma au-pair na Espanha por 10 anos e, desde então, residiu aqui.

Atualmente, ele não tem par. Ela funciona como um tradutor. Têm enxaquecas frequentes e algum problema de excesso de peso (o que não ajuda seu coração).

Constelações Familiares conhecido e frequentado anteriormente dois workshops com resultados mistos. No primeiro workshop durante seus representantes de trabalho começaram a sentir-se muito doente e gritando e decidiu cortar constellator. Na segunda ele se sentia melhor, mas não sentiu qualquer efeito colateral (há dois anos este). Participar de um único Constelações sessão à procura de um pouco de força e clareza de operação face-a-face.

Imagem 13.1: Configuração Inicial

Imagem 13.1: Configuração Inicial Você está convidado a escolher figuras para representar a bisavó, avó, mãe

Você está convidado a escolher figuras para representar a bisavó, avó, mãe e ela mesma.

A

hipótese é que terapeuta doença cardíaca tem a ver com a necessidade de sair de casa

e

país de origem (algumas teorias relacionadas com problemas cardíacos com a perda de

território em Constelações frequentemente observados que se relacionam com um despedimento precoce). Além disso, o fato de excesso de peso pode indicar problemas com a mãe (o cliente confirma a perguntar o que você está recebendo junto com sua mãe

e eles sempre tiveram de responder a choques). O cliente escolhe duas figuras

masculinas para a mãe e avó; a decisão de não solicitar que a mudança para as Mulheres-bonecos baseados na ideia de que poderia ser interessante notar a importância

deste

peculiaridade. Não tendo representantes pediu para tirar os homens do seu sistema não havia perigo, a priori, para confundir personagem durante o trabalho. Ele faz colocando em forma de cruz com um fósforo avó-neta em ambos os casos, o que geralmente significa uma parceria ou envolvimento com salto geracional. Curiosamente, a bisavó e a mãe que parecem enfrentar são as duas figuras masculinas.

Imagem 13.2: dominadores e dominados

figuras masculinas. Imagem 13.2: dominadores e dominados A informação obtida fazendo a genetograma, parece que o

A informação obtida fazendo a genetograma, parece que o sistema é caracterizado por um oprimido-opressor polaridade agressores-vítimas, invasores-colonizados, etc. A fim de sair sem especificamente caracterizar essa polaridade é convidado a trazer para fora

alguém para os dominadores e os dominados (diferenciações podem, assim, incluir políticas, econômicas, sócio-histórica, sexual, tipo, etc.). Para explorar se algo mudou para a boneca que representa me pergunta se ele pode reposicioná-lo. Coloca de costas para as outras figuras atrás do representante do dominado. Este é um movimento que indica a dinâmica do problema: "Eu empatia com as vítimas ou perdedores, a minha volta à vida para não testemunhar a injustiça e por isso dói menos coração."

Imagem 13.3: Dinâmica do problema

menos coração." Imagem 13.3: Dinâmica do problema A seguinte operação é introduzir tatarabuelos que, com

A seguinte operação é introduzir tatarabuelos que, com sua união, incluída explicitamente ambos os sistemas, o dominantes e dominados, na forma de casamento entre um aristocrata e

camponesa (também teve vários filhos, incluindo a bisavó do cliente). Enquanto é o cliente que escolhe, eu que mudou-se para os bonecos de modo que nós trabalhamos com a cura visualizações e frases de uma imagem de solução. Proponho o cliente para olhar para trás, onde sua mãe encontrou sua avó, bisavó e bisavós e seus sistemas (o representante da sentença seria trisavô do sistema e os dominados que da tataravó, evidentemente, é uma metáfora, porque em todos os sistemas há vítimas e perpetradores, vencedores e perdedores, etc.). Sugeri frases que foram repetidas: "Eu sou a filha de ambos os lados. O opressores e oprimidos sangue corre nas minhas veias e todos eles dar-lhes um lugar no meu coração. Queridos tatarabuelos com o seu sindicato integrasteis ambos os lados e ambos pertencem ao nosso sistema. Caro bisavó, avó, mãe, você levou partido, você lutou por justiça e

respeito. Também fiz por muito tempo do lado das vítimas. Por favor, olhe para mim gentilmente se eu parar agora e renunciar o julgamento. Por favor, considere-me um dos seus se agora dar origem a vítimas e agressores em meu coração. "

Imagem 13.4: O que tatarabuelos juntou

Após a visualização, o cliente se sentiu mais calmo e tinha dificuldade em respirar diminuiu.

Após a visualização, o cliente se sentiu mais calmo e tinha dificuldade em respirar diminuiu. Mais uma vez ele foi convidado a fechar os olhos e imaginar-se com sua mãe para trás sua avó depois que sua mãe, e assim por diante, até chegar aos sistemas de origem de seu tataravô e tataravó e sentir como se chegou a força União e, como ela, como seus bisavós, você poderia respeitar conciliar ambas as energias e dando-lhes um bom lugar no coração. No final da sessão, ele comentou: "Fechando meu coração para parte da minha própria família eu ter danificado. Espero superar a minha tendência para julgar e tomar partido; Talvez eu devesse parar de lutar para começar a construção".

Imagens de 13,5: Reconciliação é dar a todos um lugar no coração

Caso-Exemplo 14: O amigo visíveis e invisíveis Esse caso foi apresentado um companheiro e amigo,

Caso-Exemplo 14: O amigo visíveis e invisíveis

Esse caso foi apresentado um companheiro e amigo, excelente educação profissional em um dos meus cursos bonecas. Eu incluí-lo como um exemplo de um acompanhamento sessão e aconselhamento na educação por uma constelação com bonecas.

Este é o caso de um aluno na quarta série, durante o qual foi o tutor. Ele estava preocupado com o crescente isolamento social, aparentemente, procurou dois estudantes em sua classe:

Um deles tinha sido gravemente doente e teve que passar por um transplante de fígado depois de um ano e uma lista de metade

esperado. O outro, seu melhor amigo, era extremamente tímido e tinha alguma dificuldade em expressar-se oralmente. As duas crianças usado para estar juntos e não participar em jogos de grupo durante o recesso.

Ultimamente dois novos recursos estavam presentes na dinâmica da relação que eles tinham alertado o professor: o primeiro tinha aumentado sua relutância em participar em actividades de grupo e estava afetando o nível de sala de aula não querer trabalhar em equipe; o segundo alternado com seu melhor amigo com tentativas de integrar com o resto de seus companheiros, no entanto, quando brincava com outras crianças costumavam acabar lutando ou chorando.

preocupações Professor tratadas, especialmente sobre se estava fazendo bem para respeitar essas tendências auto-exclusão ou se deve intervir sobre eles, mas não sei como.

Perguntei ao professor para configurar sua classe e colocar um valor para cada uma das crianças, alguns para representar o grupo, pais de dois filhos e ela mesma. Na configuração inicial, observou-se que:

O professor foi bem colocado em uma posição visível e equidistante entre o líder do grupo e os dois filhos mais isoladas. Os pais da criança mais tímido ficou atrás das outras crianças da classe. Perguntei o tutor sobre a atitude dos pais em relação ao filho que me deu a impressão de que eles queriam ser "normal" e não aceitar como era. Ela confirmou esta hipótese porque em tutoriais pais estão muito preocupados com a criança e parecia a superestimar suas dificuldades e não reconhecer as suas capacidades (na verdade, era um aluno muito brilhante).

O pai do menino ficou isolado necessário atrás dele e

mãe era um pouco isolado e não olhando para ele. Eu perguntei sobre a atitude destes pais e me disse que eles estavam separados e que a criança falou sobre seu pai, mas sua mãe com quem viveu e aparentemente sofria de depressão.

Havia um espaço entre a criança e necessário para isolar outras crianças, exceto para seu amigo que estava à sua esquerda. Eu tenho a sensação de que alguém estava faltando, então eu perguntei se a criança precisava cada vez mais isolado lhe contara sobre um amigo invisível. Ele me disse que ele não tinha feito explícito, mas ela teve essa impressão porque às vezes falando para si mesmo, tentando deixar sempre um local livre ao lado e parte ainda sistematicamente esquerda de seu recesso de almoço.

Após estas observações, pedi para incluir um representante para a criança que tinha sido no fígado transplantado e seus pais. A imagem teve um grande impacto sobre o grupo em geral e meu amigo em particular. Eu comentei que ele deve ser muito difícil para a mãe assistindo seu filho saber que ele estava vivo porque outros pais tinham perdido a deles. Pedi ao grupo para imaginar o que deve sentir uma mãe que havia orado para possivelmente chegar um fígado para seu filho antes que fosse tarde demais. Eu também levantou a questão de que poderia ser melhor para os pais que doaram os órgãos de seu filho, o menino que sobreviveu graças à sua perda para ser feliz ou não.

Imagem 14.1: Na companhia de dois amigos

Mais tímido estudantes respeitar eu disse que foi possivelmente inconscientemente tentando agradar seus pais e

Mais tímido estudantes respeitar eu disse que foi possivelmente inconscientemente tentando agradar seus pais e foi encontrando dificuldades para conseguir conciliar seu caráter, suas necessidades e gostos, com o desejo de seus pais. Ao mesmo tempo, possivelmente dois amigos estavam dando uns aos outros o que eles tanto parecia levar a culpa (seus pais, um, e sua mãe, a outra) e foi uma aceitação incondicional.

Entre as diretrizes propostas foram as seguintes:

O professor incluem o olhar para a criança doadora e os pais, de modo que seu aluno não era o único que incluiu em seu ambiente.

Para pedir a seus alunos um ensaio sobre seus pais e sobre

outras necessárias para estar vivo. Então, nós queríamos facilitar a expressão dos sentimentos das crianças e suas "normalização" porque outras crianças poderiam incluir personagens como o médico que fez o parto, avós, eventos de acidente ou doença, etc.

Ele tentou ser mais presente para o pai do aluno mais isolado e convidá-lo a participar de atividades escolares (storytelling, explicando sua profissão, acompanhar uma excursão ou outras atividades onde eles geralmente colaboram pais) como parecia que seu filho poderia ter mais força o à sua mãe.

Quando você pensou na mãe ou interagir com ela tentando não julgar e respeitar a dor e culpa que o acompanhou (manifestando-se como depressão) e percebeu que o amor pela criança que subjaz esses sentimentos.

No próximo tutorial com os pais dos alunos mais tímidos não falar sobre os problemas de isolamento e as dificuldades na integração em jogos de grupo, mas falar sobre cada aspecto do que os pais poderiam se orgulhar.

10

Constelações Familiares em sessão

âncoras individuais

Enquanto eu trabalho principalmente com bonecas, às vezes eu prefiro fazerfazerfazerfazer comcomcomcom âncorasâncorasâncorasâncoras [[[[ 28]28]28]28] nononono solo.solo.solo.solo. AtéAtéAtéAté recentementerecentementerecentementerecentemente eueueueu useiuseiuseiusei folhasfolhasfolhasfolhas dededede papelpapelpapelpapel (páginas) em que o símbolo pintado e escreveu o nome de cada personagem.

ilustrativa11 imagem

Figura ilustrativa 12

(páginas) em que o símbolo pintado e escreveu o nome de cada personagem. ilustrativa11 imagem Figura

peças Atualmente, eu senti de diferentes cores corte em dois tamanhos, grandes e pequenas, e ambas as formas (quadrado para o homem e círculos para as mulheres). A disponibilidade de um "conjunto de feltros" representa duas vantagens para mim: a primeira é que o cliente escolhe similar ao bonecas e não esperar passivamente para me para desenhar o caracteres por isso implica que nunca; a segunda é que ele resolve a questão do que fazer com as páginas de uma vez o trabalho (dar para o cliente?, jogá-los?, mantê-los?). A técnica é semelhante à de representantes Constelações, o cliente coloca os diferentes papéis ou feltros no chão como se ele vai criar uma constelação com as pessoas (é por isso que você não pode sobrepor caracteres) e o terapeuta orienta o trabalho para que o cliente ser colocado em qualquer das posições e sentir as sensações tem o seu corpo nessa posição. Algumas pessoas são capazes de perceber claramente os sinais de seu corpo com os olhos abertos fechados, embora a maioria precisa fazê-lo. Portanto, muitas vezes deve orientar o cliente colocado em uma determinada posição com os olhos fechados através da contextualização. Por exemplo: "Você está de pé na frente de Antonio, seu irmão mais velho, que não olhar diretamente, mas olhando para sua esquerda. À sua volta, para trás e para a esquerda, seu pai está olhando para você e para o seu irmão. Sua mãe está por trás de seu pai, virando-se. Como você se sente lá? Você percebeu alguma coisa no seu corpo? Precisa fazer um movimento? "

imagem ilustrativa 13: Exemplo de Trabalho âncoras

Dependendo das necessidades da obra, o cliente pode ser colocado em algumas ou todas as

Dependendo das necessidades da obra, o cliente pode ser colocado em algumas ou todas as posições configurados embora em muitos casos, é suficiente que a percepção da âncora que representa-lo e sentir as mudanças que ocorrem em suas sensações corporais com as diferentes intervenções (incluindo os excluídos, procurando onde não olhando, dizendo uma frase de cura, etc.). É importante que quando você mudar de posição, não passam diretamente de uma âncora para outro, mas por um momento "fora" do personagem, colocar os pés no

solo, observar a constelação e as várias posições e, só depois, voltar em cima da outra âncora. Além disso, o terapeuta pode também ser colocado em diferentes posições, a fim de obter informação adicional, teste percebida pelo cliente, perceber as alterações seguintes intervenções ou facilitar certas experiências sobre o cliente (por exemplo, colocado na posição de pai ou mãe para encontrá-lo mais fácil de sentir o apoio, posicionar-se no lugar da pessoa a quem os endereços a frase cura, etc.). A maioria das pessoas que eu trabalhei desta forma têm sido capazes de perceber sensações corporais e ter obtido informações significativas nas várias posições identificadas pelos âncoras. Na ocasião, eu tinha que ser as únicas posições "testador" uma vez que a pessoa tenha sido colocado na posição e se sentiu oprimido por os sinais recebidos (pois é um método de trabalho que eu prefiro usar com as pessoas que eles já têm representado em uma oficina constelações ou sabe de um processo terapêutico e confiar em suas reações). Na ocasião, pedi que uma terceira pessoa estava presente para testar com a falta de negócio do cliente e seu processo para que o cliente pode confiar em seus próprios sentimentos para encontrar "consenso" e eu validar minhas próprias percepções se temesse Ela é influenciada pelo conhecimento prévio do caso.

Uma das coisas mais interessantes que eu encontrei em trabalhar com âncoras no chão é que pessoas diferentes podem perceber na mesma posição de diferentes níveis de informação. Assim, em experiências levadas a cabo em grupos, a maioria das pessoas sentiram semelhante incorporada (por exemplo, peso ou rigidez

bodyside ou calor, etc). No entanto, como o impulso ou tendência ao

movimento,

percepções podem diferir

consideravelmente. Algumas pessoas tendem a receber principalmente informações ou impulso do nível de consciência e mais facilmente sintonia com os movimentos da alma. Da mesma forma, caráter, pontos cegos e projeções ocasionalmente afetar a consciência corporal e energia no trabalho com âncoras. Um exemplo disto é o próximo trabalho em uma escola com vários professores que ensinaram o mesmo grupo. A demanda veio do guardião que se sentia oprimido pelos conflitos do grupo, as demandas dos pais e recebem pouco apoio da gestão acreditava. Eles estavam presentes na tutor trabalho, apoio ao professor, o professor de ginástica e professor de música, além do constellator. Todos concordaram sobre os seguintes aspectos:

Raiva ou desconforto na posição dos pais. Confusão na posição de estudantes.

Inquietação e peso do lado esquerdo na posição de guarda. Paralisia e frio na posição de especialistas.

Força na posição de liderança e a posição da escola.

Imagem ilustrativa 14: A carga do tutor

Mas quando você sente os impulsos de percepção de movimento eram um pouco diferentes: Alguns

Mas quando você sente os impulsos de percepção de movimento eram um pouco diferentes:

Alguns sentiram que os pais queria ficar na frente de estudantes, incluindo e guardião, de frente para o conselho escolar "como defender"; outros, no entanto, ser colocado na posição necessária para ficar atrás dos estudantes como apoiá-los".

Alguns sentiram na posição do tutor, que queria voltar-se para a equipa de gestão, outros sentiram que queria voltar-se para os alunos, outros viram ambos os impulsos e corporal apontou com uma espécie de balanço.

Uma vez posicionado o guardião contra seus observá-los alunos, todos os presentes concordaram que na posição dos pais sentiu o desejo de ficar atrás os estudantes e a posição dos especialistas necessários para ser colocado no lado esquerdo do tutor ligeiramente atrás "como apoiá-lo", também olhando para os alunos. Quando os caracteres "educação" e "tutor formação" foram introduzidas para que ele pudesse se inclinar contra ele, todos concordaram se sentir confortável e forte nas posições de pais, alunos, tutor e especialistas. uma folha também foi introduzida para representar onde assistiram a escola e endereço e a relacionada com a renda em dinheiro (era uma escola cooperativa).

Imagem ilustrativa 15: Um lugar de força para o tutor

O interessante é que os movimentos em direção à solução foram percebidos imediatamente por alguns

O interessante é que os movimentos em direção à solução foram percebidos imediatamente por alguns dos participantes (pais ser colocado atrás dos alunos, o tutor será colocado na frente de seu grupo), enquanto outros participantes só podia perceber depois de fazer quaisquer alterações à configuração (por exemplo, os alunos tutor olhar ou entrar no

educação). Finalmente, todos concordaram sobre a percepção de bem-estar e força à imagem da solução.

Em outra ocasião, em uma oficina de trabalho de supervisão com uma atitude terapeuta para clientes e dinheiro recebido como pagamento por seu trabalho. Todos os participantes sentiram na posição do terapeuta (incluindo ela mesma) um impulso para voltar, como se tivesse caído ou faltando-los de volta. Na posição de clientes, por outro lado, houve um fenômeno curioso:

A pessoa para o trabalho que estávamos fazendo sentiu o desejo de aproximar a posição terapeuta. Duas outras pessoas sentiram o mesmo instigá-la. Essas duas pessoas foram caracterizados como muito confluentes com os seus clientes em seu trabalho como psicoterapeutas.

Por outro lado, um estilo de confronto professor, sentiu a posição do cliente impulso para levar um par de passos para trás de modo que será localizado mais longe da âncora representando a posição do terapeuta.

Dois outros sentiram tanto tendências, abordagem de retirada, como equilibrar o seu corpo para a frente e para trás. Finalmente, o supervisor, para ser colocada sobre a folha representando clientes, manteve-se em uma posição estática e firme. sensação corporal percebida naquele lugar era a estabilidade e a imagem interna era que os clientes tinham uma mente aberta, sem nenhum interesse especial ou rejeição pelo terapeuta na frente deles. Uma das explicações que deu sobre esse episódio é que os âncoras "clientes" foram simultaneamente representando diversos clientes, alguns que podem procurar um terapeuta pouco presente, outros rejeitam esse tipo de terapeuta e outras pessoas que têm reações ambivalentes.

talvez pudéssemos acho que mesmo conectado com a energia do tipo de cliente que faria a si mesmos (já não é uma hipótese, obviamente explicativo ad hoc).

Em qualquer caso, devemos ser cautelosos sobre "ouvir" o que o cliente nos diz em cada posição eo que nós sentimos sobre nossos corpos. Devemos buscar o que eles têm em comum e tentar reduzir as diferenças através de pequenos passos para a solução. Se diferentes intervenções não levam a um consenso entre a percepção do cliente e nosso concordaria que revisar o trabalho, pospusiéramos ou tentamos outra técnica, porque, nesse caso, dificilmente tomar a pergunta algo que não tenha experimentado ou, pior, ele contradiz sua própria experiência.

Trabalhando com âncoras ser reproduzido facilmente e eficazmente representantes metodologia Constelações Familiares. Através das âncoras pode ser dada a maioria dos fenômenos de grupo para oficinas de sintonia com os sentimentos e sensações de uma pessoa ausente, percebendo a dinâmica do problema, aberto aos movimentos da alma, sentir a ressonância de mudanças em cada personagem e no sistema, etc. No entanto, dadas as características da sessão individual, onde o terapeuta não precisa considerar a dinâmica de grupo, trabalhando com âncoras podem atender às necessidades de trabalho e implantado em várias dimensões.

10.1. Trabalhando com a árvore genealógica

Você pode colocar uma âncora para cada membro do sistema de origem: cliente, pais, avós, bisavós e uma âncora para trás cada uma representando o seu próprio sistema de origem bisavós. Desta forma, o cliente pode ser introduzido em cada uma das funções e sentir em relação aos seus ancestrais imediatos, tanto a força eo amor que é

vindo deles como possíveis expectativas e questões não resolvidas que precisam de respeito e deixar para trás aqueles que pertencem. Ele pode ser extremamente gratificante para o cliente sentir o corpo e energia mudanças que ocorrem a partir de uma mudança em sua aparência ou atitude da cura e frases expressas seus antepassados.

Ilustrativo 16: Olhando para trás

seus antepassados. Ilustrativo 16: Olhando para trás Um olhar detalhado em todo o sistema e suas

Um olhar detalhado em todo o sistema e suas origens permite ao cliente ter uma visão sistêmica e tornar-se consciente da sua dívida em relação ao dom da vida. Você também pode encontrá-lo difícil de perceber para onde olhar ou o que o destino é difícil aceno.

Podemos ir ao cliente colocar a âncora contra cada uma das âncoras de sua árvore genealógica. Nós também pode optar por colocar apenas contra os mais significativos para o bem apego e carinho para os personagens, seja por ter excluído ou julgados.

Da mesma forma, se o cliente recebe em cada uma das posições de seus antecessores, eo terapeuta é testando diferentes percepções, você pode levar em consideração o que os seus pais, avós ou bisavós precisa e reposicioná-lo de uma forma construtiva . Assim, o pai pode temer por sua filha (o cliente) e filha pode dizer uma frase que dissolve o fardo para ela que o medo. Por exemplo: "Querido Pai, eu sei que você quer o melhor para mim e para você me teme sofrer se eu fico confuso. Mãe e de ter feito o seu melhor e deram-me o suficiente para mim agora que estou mais velho pode assumir o controle da minha vida e fazer o meu melhor. Por favor, confie em mim e abençoar-me se eu tomar minhas próprias decisões.

Ele também pode ser um olhar cliente bisavô com carinho e simplesmente esperar por ele para desfrutar e ser feliz. Em tais casos, também pode ser muito reconfortante para o cliente sentir que o amor e os desejos de alguém que nem sequer conhecem e agradecê-lo explicitamente: "querida bisavô muito obrigado pelo amor, força e vida também vem a mim através de você".

Imagem ilustrativa 17: A necessidade de honrar

Da mesma forma, olhar para os sistemas bisavós (também poderia ser uma linha ou uma

Da mesma forma, olhar para os sistemas bisavós (também poderia ser uma linha ou uma linha menos longo que acabaria com uma âncora que representa o sistema de cada membro da linha anterior), ele permite que o cliente a voltar para a cadeia infinita de pessoas , vidas e destinos que tiveram de ser conjugados para que ele está vivo e quem é.

Imagem ilustrativa 18: Tomando a força do sistema

Finalmente, eu recomendo para terminar com um olhar para a cabeça simbolizando o futuro e

Finalmente, eu recomendo para terminar com um olhar para a cabeça simbolizando o futuro e da maneira que o cliente pode agora ir mais difícil e liberdade. Então você pode visualizar todo o seu sistema atrás dele protegê-lo, apoiá-lo e tomar o seu compromisso de fazer o seu melhor em seu próprio nome e de sua família.

10.2. Trabalhando com doenças e sintomas

Com âncoras podem acessar facilmente alguns aspectos sistémicos da doença, porque o cliente pode entrar e sentir corporal a partir do local do sintoma ou doença. Ao mesmo tempo, quando introduzidos em sua própria âncora pode perceber como ele se relaciona com o sintoma ou distúrbio. Às vezes você

golpeando e curando o cliente consciente dos sentimentos em relação a ele amar ou sintoma lo para o sintoma. Ele também pode ser terapêutico para perceber a rejeição que sente seus sintomas, apesar de aparentemente "se dar bem" a doença ou sintoma precisa para longe dele e olhar para um lugar melhor.

10.3. Trabalhando com partes de si mesmo

Uma pessoa é em si um sistema, ou em vez disso, vários sistemas: diferenciação clássica Freud entre it-io-superego; Perls entre o cão cão de cima para baixo; a famosa cabeça de coração consciente ou inconsciente, etc. Podemos entender o indivíduo como um conjunto de partes interdependentes que são regidos por normas internas destinadas basicamente a sobrevivência, o crescimento ea homeostase. Dada esta ideia, ocasionalmente, pode ser um trabalho esclarecedor com âncoras corpo do cliente e ele mesmo (por exemplo, em caso de obesidade ou falta de cuidado físico); com o coração ea cabeça quando parece que o racional prevalece sobre emocional ou vice-versa; com a criança interna do cliente e o adulto em situações onde parece cliente ser exigindo outros (pais, o seu parceiro ou seu chefe) o que ele precisa dar a si mesmo ou quando precisamos de olhar para a dor da criança que foi e reconcilia com ele, em vez de reprimir ou saliente; etc.

10.4. Trabalhando com antepassados ​​e protetores

Ao trabalhar com a árvore de família,

as personagens

representados (pais, avós, bisavós) têm muitas vezes o cliente um nome e uma narrativa associada. Pelo contrário, quando se trabalha com antepassados ​​e protetores do sistema que estamos a trabalhar com personagens sem nome e sem história conhecida pelo cliente. Se nós

voltar para além da sétima geração, o cliente pode conhecer pessoas que são necessários para que ele está vivo e que é, mas há muito tempo foi tão pode não ter expectativas ou questões pendentes em relação a ele. Em muitas tradições existem estes números beneficentes que orações, orações ou ofertas são abordados:

antepassados, espíritos guardiões, anjos da guarda, etc. Não há necessidade de entrar crenças religiosas e / ou esotérico, você pode trabalhar com essas forças entendendo-os como recursos do sistema que persistem no cliente e seus familiares (em uma maneira que nós poderíamos entender como impulsos da alma do sistema para encomendar e solução ). assim, quando não podemos ajudar diretamente o cliente para resolver a preocupação que faz você ir para a consulta (por exemplo quer ajudar alguém em sua família que tem problemas) pode trabalhar com os ancestrais e protetores do sistema de modo que o cliente pode pedir-lhes ajuda e tomar consciência de que precisa ser removido. Como exemplo, apresentam um caso de um terapeuta com os quais mantêm uma relação cordial profissional e pessoalmente. Além derivarnos clientes, que muitas vezes trocar opiniões e realizar sessões de supervisão clínica. Em uma ocasião, ele estava preocupado com uma sobrinha, filha de sua irmã mais velha, que tinha tentado o suicídio. Este sobrinha de 17 anos era sua afilhada, a gostava muito e queria ajudar, mas não sabia como fazê-lo sem a sua irmã se sentem desafiados ou ofendido. Propôs-lo com âncoras. A configuração foi como se segue:

Imagem ilustrativa 19: preocupação Impotent

Quando ela tomou sua própria posição sentiu o desejo de aproximar sua sobrinha. Ao entrar

Quando ela tomou sua própria posição sentiu o desejo de aproximar sua sobrinha. Ao entrar em sua irmã sentiu um monte de peso. Na posição de sua sobrinha estava balançando movimento para frente e para trás. Quando se deslocam para ancorar seu irmão sentiu fraqueza e paralisia. Pedi-lhe para fazer um teste, para continuar a sua dinâmica e se aproximou de sua irmã e sua sobrinha. Ao fazer esse movimento com a sua âncora e ver se houve mudanças em outras posições ele percebeu que esse movimento era mais ônus sua irmã e sua sobrinha parecia ainda mais amarrado para apoiar sua mãe. Observando isso, eu puxei antepassados ​​ancora sistema de duas irmãs ( "a sétima geração de volta", eu apontei, colocando diferentes âncoras, homens e mulheres ao seu redor). Pedi-lhe para distraí-la ancorar sua sobrinha e seus pais, que entrar e fechar os olhos. Pedi que a presença desses antepassados ​​que viveram a imaginar e

Eles morreram há muito tempo e pode ver as coisas de outra perspectiva. Sugeri que ele pedir-lhes internamente para ajudar a sua sobrinha.

Imagem ilustrativa 20: Pedir ajuda ancestral

a sua sobrinha. Imagem ilustrativa 20: Pedir ajuda ancestral Então, ele estava entrando em cada uma

Então, ele estava entrando em cada uma dessas âncoras antepassados ​​"indefinidos" a sentir sensações e impulsos em cada um deles. Em tudo o que ele sentiu grande força e serenidade. Sobre os impulsos contrários eram diversas: em particular que ele estava tão amorosamente assistindo toda a cena à distância; dois sobrinha aproximou, outra irmã, ela e vários outros pareciam ter colocado sobre algum tema interessante.

Imagem ilustrativa 21: Tomando a ajuda dos antepassados

Quando pedi para ser introduzido novamente nas posições de sua irmã, sua sobrinha e ela

Quando pedi para ser introduzido novamente nas posições de sua irmã, sua sobrinha e ela podia ver que tanto a sua irmã e sua sobrinha sentiu carga mais estável e menos ou oscilação. Enquanto isso, ele estava mais calmo. A conclusão a que chegou este sujeito profissão é necessário para retirar qualquer assistência direta à sua irmã ou sua sobrinha, mas precisava contar com a força do seu sistema e pedir a ajuda de seus antepassados ​​através de visualizações, uma vez que deu um monte de sentido paz e tranquilidade sobre sua sobrinha e também sobre si mesma.

11

Constelações em sessão individual com visualizações e frases

cura

Realmente trabalhar com visualizações de cura e frases está presente na maioria das vezes que as constelações sistêmicas são aplicados em uma sessão de terapia individual ou aconselhamento. Na minha experiência pessoal, fazer uma constelação em uma única sessão pode responder principalmente a duas razões: a necessidade de me ver para além da dinâmica de um problema; ou é uma estratégia para levar o cliente algo que você precisa para desbloquear um problema e dar um passo para a solução e eu já visualizado. Dois comentários Stephan Hausner normalmente fazer em suas oficinas ajudaram-me a este respeito para orientar e dar significado especial no momento da aplicação em uma sessão:

Hausner levanta a ideia de que um bom terapeuta não precisa executar

constelações como já sabe a solução. Ou seja, a constelação é uma ferramenta para vislumbrar a partir de uma perspectiva sistêmica que permanece escondido em um relance focada no indivíduo como um problema de paciente. Se sabemos que o próximo passo Por que implantar uma constelação que tem como objetivo mostrar o que já sabemos?

Em outras vezes, faz a comparação entre a obra de arte terapeuta e papel de embrulho. Assim, um terapeuta pode saber a solução para a questão levantada pelo cliente e a dificuldade é como "decorar" para o cliente a ficar com o "presente". Muitas vezes, esta é a função de uma constelação, permitindo que o cliente para ver o que o terapeuta sabia, mas, possivelmente, tinha despertado a rejeição ou a mal-entendidos se você explicar diretamente.

Assim eu entendo que muitos dos trabalhos que levantam com os meus clientes com bonecas ou âncoras poderia ter sido resolvido da mesma forma com o trabalho de visualização e repetição de frases cura. Por manipulação de visualizações de cura e frases está presente na obra de bonecas e âncoras, não como apoio, mas realmente a melhor técnica para o cliente integrar internamente a mudança proposta. O desenvolvimento de uma constelação com bonecas funciona como um método eficaz destinado a permitir e facilitar este trabalho mais profundo na imaginação do cliente. As bonecas são um pacote atraente para um "remédio" que seria difícil de engolir, em muitas ocasiões,

mais saudável do que em ocasiões anteriores.

11.1. Trabalhar com vistas

Ao trabalhar com bonecas é necessário que o cliente a visualizar internamente um passo importante para ele (por exemplo, ver o avô excluídos e se apresentar como seu neto), normalmente como anteriormente apontado por mover o boneco representando o cliente realizar a referida etapa (no exemplo acima seria colocando-o em frente do avô). Por outro lado, se o passo ou alteração é feita ao longo do display (por exemplo, é capaz durante a visualização dirigida curvando-se respeitosamente ao destino de um irmão que está morrendo), enquanto o cliente faz em seu imaginação, eu fazer a mudança na configuração dos bonecos de modo que a mesma etapa ocorre em dois campos diferentes e complementares, em um nível pessoal e ao nível de representação sistêmica. assim,

Eu costumo dar instruções para iniciar e orientar uma exibição são: "Ok, feche os olhos. Coloque tanto no chão e sentar-se de modo que a maior área possível do seu corpo está em contato com os pés de assento. Deixe o fluxo de ar para dentro e para fora e deixe o seu corpo ter o que você precisa eo que você não precisa voltar. Não importa se você respirar maneira rápida ou lenta, superficial ou profunda, deixe seu corpo tomar o ar que você precisa tomar e retornar o ar que você precisa de retorno, como o fluxo contínuo da vida em que estamos e incessantemente. Deixe seu corpo relaxar e aliviar as tensões. Imagine que você está em pé na frente de você e que é X também está olhando para o pé. Você viu? Como você vê? "

Entre as exposições que eu uso frequentemente são os seguintes, dependendo do objetivo, pode ser usado de forma independente ou em combinação (muitos dos quais foram desenvolvidos por Hellinger ou outros autores):

11.1.1. Para considerar um objetivo: auto de pé na frente de uma estrada, no fundo há uma montanha que representa o que queremos alcançar ou atingir. Algumas perguntas que podem facilitar a visualização são: Que forma é a montanha, e no caminho, como você se sente sobre os obstáculos, e no final, você precisa para chegar ao cume????

11.1.2. Para ganhar força: auto pé atrás de nós direita nosso pai está bem atrás até mesmo na extrema esquerda é a nossa mãe atrás de nós com o nosso pai; por trás do nosso pai são os seus próprios pais, nosso direito avô paterno e da nossa avó paterna left; mãe atrás de nossos pais, nossa avó materna esquerda e nosso avô materno direito também encontrada; atrás de nossos avós eles encontram seus pais, nossos avós; e até mesmo por trás de nossas bisavós podemos sentir seus pais, nossos avós; Podemos ir mais longe até que perdemos a conta; Nós sentimos como nós somos o último elo de uma cadeia perfeita, onde cada um dos links acima era necessário e essencial para transmitir a vida para nós; Nós sentimos a força ea dinâmica da vida que vem de gerações sem fim para trás para a frente e como ele vem a nós como o dom mais precioso que os nossos pais nos têm dado.

11.1.3. Para procurar uma imagem para um sintoma. Na maneira usual que funciona Dr. IlseIlseIlseIlse KutscheraKutscheraKutscheraKutschera [[[[ 29]29]29]29] induzinduzinduzinduz umumumum transetransetransetranse atravésatravésatravésatravés dededede umumumum exercícioexercícioexercícioexercício dededede relaxamentorelaxamentorelaxamentorelaxamento dodododo corpo.corpo.corpo.corpo. umaumaumauma visualização guiada é feito, orientando o cliente através dos prados a uma floresta, onde após uma caminhada

para ele são claros. os clientes são convidados a relaxar em claro, pense do sintoma. Então ele diz que ele aparece por entre as árvores e você está convidado

a olhar ou forma tem. Normalmente, o sintoma é representado simbolicamente na

imaginação do cliente como uma figura, uma pessoa, um objeto ou uma imagem abstrata. Em um exercício deste tipo no grupo que tomou os sintomas simbólicos seguintes formas: um triângulo preto, uma boneca branca, um homem desconhecido com um punhal, um espelho, um centauro, uma sombra, um coração

e uma bandeira. Os sintomas escolhido para trabalhar também tinha sido muito

diversificada: tonturas, cólicas menstruais, dermatite atópica, intolerâncias alimentares, insuficiência renal, etc. Deve-se notar que, se o mesmo sintoma, por exemplo dermatite atópica em que trabalhou três pessoas, imagens simbólicas que surgiram durante a exibição eram muito diferentes. Em seguida, o sintoma pode constelar escolher um representante para simbolicamente adotado (com as pessoas, com âncoras ou bonecas).

11.1.4. Para reconhecer alguém excluídos: apresentado à pessoa que tenha sido excluído pelo sistema contra nós e através de frases de cura explicar sistema de afiliação, a nossa necessidade de levar a sério e seguir nosso próprio caminho respeitando o seu destino.

11.1.5. Para devolver o que não pertence a um, é exibido para a pessoa que você precisa dar algo de volta e inclinou a cabeça para ela. Através de frases de cura explicar a nossa necessidade de ser devolvida a sua grandeza e dignidade. Explicamos que fizemos para o amor, mas agora precisamos deixá-la o que pertence com amor e respeito. Podemos também pedir para nos abençoar ou olhar para nós gentilmente se o fizermos o nosso próprio caminho ou se desfrutar de algo que ela não gosta.

11.1.6. Para apresentar honra ou respeito: ele é exibido para a pessoa que precisamos honrar a nossa frente e baixou a cabeça diante dela. Em alguns casos, pode ajudar a imaginar que estamos inclinados ou mesmo mais pronunciada nos ajoelhamos ou tendem a pessoa a quem honramos. A ideia é descansar depois de deixar ir de julgamento e tentar fazer melhor ou ser maior. Se eles fazem com as pessoas que vieram antes de o sistema requer explicação "Você é o grande e eu sou pequeno." Caso pessoas que chegaram ao mesmo tempo (parceiro ou ex-parceiro) a frase preferem "Eu não é melhor ou pior do que sou você e agora eu dar o lugar de respeito que você merece."

11.1.7. Para entrar em contato com o acordo: podemos visualizar em pé, olhando para o horizonte. Deixe nossa opinião, ser perdido no infinito onde há luz, reconfortante e luz ampla que não é só na nossa frente na distância mas como nós olhando e descansando sobre ele percebemos também está por trás e acima e abaixo. Aos poucos percebemos que a luz que nos rodeia e que são entregues e sereno, confiante e sem ter de compreender ou explicar ou mudança. Podemos sentir que tudo está bem como está e que pertencem ao todo, e que a luz e nós estamos bem como estamos.

11.2. Trabalhando com frases de cura

Por seu lado, a manipulação de frases, declarações com caráter ritual e metafórica que marcam a desordem em um determinado momento ou conseguir uma ordem seja restaurada cura, geralmente responde a quatro necessidades fundamentais em um trabalho de colocação em sessão individual :

11.2.1. Explicar o óbvio para que o cliente integra a declaração

para diferentes canais de comunicação cada vez mais conscientes disso. Por exemplo, uma vez que nós incluímos um membro que foi excluído e posicionar o boneco representando o cliente na frente dele pode ser reforçada pela repetição dos clientes "e agora vejo."

11.2.2. Porque envolvimento pessoal e reação emocional de pronunciar e ouvir frases de caráter ancestral e arquetípica. Por exemplo, quando colocamos o boneco representando o cliente na frente dos bonecos representando seus pais e pediu-lhe para repetir "obrigado por me dar a vida, agora eu tomar o preço que tem custo e difícil para mim."

11.2.3. Promover uma mudança da intenção paradoxal que ocorre pronunciar palavras na direção oposta ao movimento que o cliente precisa para executar. Por exemplo, quando a boneca um cliente que se separou do pai de seu filho e que tem dificuldade respeito, vamos colocá-la na frente do boneco representando o filho e pediu-lhe para dizer: "querido filho, eu não quero você como você é, eu só quero metade vindo de mim. " Talvez o cliente se recusa a repeti-la e se isso acontecer vai causar uma reação no sentido de preparar a frase cura "querido filho, quero que todo como você é, metade vindo de mim e metade proveniente de seu pai ".

11.2.4. A fim de explorar ou verifique se a direção do movimento é apropriado. Então pedimos ao cliente para repetir uma frase e perguntou, disse uma vez, que efeito, se é verdade para ele ou se ela ressoa. Por exemplo, no caso de um homem muito zangado com sua ex-esposa sugeriu que ele dizer a boneca que representava "desculpe, eu usei". Sua reação foi, antes de dizer a frase, perplexo. Uma vez eu respondi que era "apenas um teste" e pronunciado em voz alta, ela teve o efeito de tristeza substituiu a emoção da raiva e reconheceu "é verdade, eu usei

longa para justificar os meus problemas e minha dificuldade para reconstruir minha vida. "

Ao mesmo tempo, existem quatro maneiras de fazer a repetição das frases de cura:

Como um esquete com fantoches: colocamos o cliente em frente da boneca boneca representando a quem se costuma dizer e lhe pediu para repeti-la.

Um display dirigido e alto: muito após a exposição e guia para uma imagem onde o sentido máximo frase cobre, peça ao cliente para repetir em voz alta. Isso faz com que seja em voz alta nos permite avaliar o tom, intensidade e da maneira que você está usando para dizê-lo e dar orientação, se necessário. Muitas vezes, se o cliente encontrar o tom certo na introdução da frase, como "querida mãe," você pode assumir que quase a mudança interna desejada.

Com um display interno dirigido e: algumas pessoas acham muito caro repetir as frases em voz alta. Nesse caso, eu aconselhá-lo a repetir mentalmente, silenciosamente, e observou através de gestos corporais e expressões o efeito dessas frases para se certificar de que eles estão tomando o cliente para o lugar certo.

As frases está dizendo o terapeuta enquanto o cliente está vendo de modo que uma espécie de transe guiados pela "história" é produzido a partir

terapeuta irá simultaneamente

verificação e guiada pelos efeitos de frases através das reações físicas e emocionais do cliente. Muitas vezes, quando usado intencionalmente e com atenção, verbalização excesso pelo terapeuta não tem o efeito de provocar a racionalização cliente ou distanciamento cognitivo

suas emoções, mas, pelo contrário, produziu um fenômeno de "saturação" do hemisfério esquerdo. Esta saturação ou bloqueio do processamento analítico-racional permite facilmente superar os mecanismos de resistência e de defesa que podem estar impedindo o processo, de modo que um processamento emocional verdadeiramente eficaz ocorre e permite que a mensagem faz seu efeitoefeitoefeitoefeito nononono nívelnívelnívelnível dodododo inconscienteinconscienteinconscienteinconsciente [[[[ 30]30]30]30]

Então, podemos pedir ao cliente a repetir em sua frase casa particular, vimos que os custos mais ou que produz uma maior sensação de serenidade ou tenha causado aumentado reação de corpo e / ou energia.

Há um tipo de trabalho que próprio solo feitas diretamente com a visualização guiadaguiadaguiadaguiadaguiada eeeee movimentomovimentomovimentomovimentomovimento ééééé interrompidointerrompidointerrompidointerrompidointerrompido [[[[[ 31]31]31]31]31] ,,,,, especialmenteespecialmenteespecialmenteespecialmenteespecialmente nonononono casocasocasocasocaso dedededede movimentomovimentomovimentomovimentomovimento interrompido em direção à mãe. Nesse caso, eu costumo ficar no lado do cliente e enquanto ele faz o trabalho guiado por minhas instruções eu permanecer atentos e prontos para intervir suavemente com a minha presença física (descansando a mão em suas costas com um contato suave entre as omoplatas, delicadamente inclinando a cabeça ao apresentar um comportamento de humildade e respeito, abraçando e contendo em catarse pesado, etc). Para um aprofundamento do trabalho com constelações na imaginação especialmente recomendo o livro por Eva Madelung e Barbara Innecken, presente nossas imagens internas (Barcelona: Rigden Institut Gestalt, 2007). Além disso, o livro de Ursula Franke: Quando eu fecho meus olhos eu posso ver (Buenos Aires: Alma Lepik,

12

Desiderata

O ser humano pode ser definido como um social e sociável, como um animal racional, como uma linguagem articulada animal que permite mentir. Em outras descrições ergue-se o ser humano que tem consciência, teoria da mente e metacognição. Para mim, o que me surpreende todos os dias de nós seres humanos é a nossa projeção de capacidade. Nós projetamos nossos conflitos alma através de sintomas e doenças físicas. arquétipos projetadas e mitos do inconsciente coletivo através de nossas narrativas e scripts de vida. Relações com os pais pode projetá-los nas relações com os nossos parceiros e nossos filhos. Através das nossas relações com o chefe, com o dinheiro, com os alimentos, com os nossos corpos que tendem a projetar nossa relação com a mãe. Através de relações com acadêmicos, títulos, carreira e reputação social tendem a projetar o relacionamento com nosso pai. Em muitas das decisões que acreditamos livre e voluntária, em muitas circunstâncias assumimos unguided e casual, podemos encontrar o

Refletindo vidas e destinos que nos precederam no nosso sistema de família ou comunidade. Eu gosto da idéia de projeção é entendida como uma capacidade construtiva que vem de uma sabedoria arcaica e, como tal, inconsciente e imensa. Entenda nossos defeitos mecanismos projetivos, tendências destrutivas ou limitações razoáveis ​​não nos ajuda a trabalhar com eles. Precisamos ver as projeções como aliados em vez de inimigos, para que possamos traduzir as mensagens que oferecemos e apreciam a oportunidade que representam para resolver o que continua pendente em nossas vidas e no nosso coletivo.

Eu não entendo o trabalho terapêutico como uma intervenção corretiva para melhoria ou

eliminação. Qualquer solução pode ser porque ele já estava no cliente que ele não podia ver ou acessá-lo. Experiência e técnica terapeuta será sempre pequena em comparação com a força e a capacidade de mudar que cada cliente e cada sistema. Eu sinceramente acredito que cada um de nós, não importa o quão difícil tem sido a nossa infância, não importa o quão terrível eles têm sido nossas experiências de vida, não importa quão grave que são as nossas circunstâncias, você pode encontrar uma maneira de transformar os encargos em vigor, as lacunas na maturidade , as limitações de crescimento. Depois da dor sempre podemos encontrar o amor. Se percebemos que somos um verdadeiro "milagre" da vida (quantas pessoas tiveram de conhecer e amor e nascimento e morte para nós estarmos aqui!), Somos únicos e insubstituíveis, talvez possamos começar a conciliar tudo

o que tinha de ser, e tudo o que não podia ser, de modo que nós somos o que somos e

como somos. Assim, o trabalho do terapeuta é o tradutor que o escritor, o ajudante de palco que o gerente de palco, o encanador que desobstrui o arquiteto que constrói. Precisamos mostrar aos nossos clientes o que ela traz, ajudá-lo a entender o que o seu desconforto esconde, proporcionar um espaço adequado para de modo que nós somos o que somos e como somos. Assim, o trabalho do terapeuta é o tradutor que o escritor, o

ajudante de palco que o gerente de palco, o encanador que desobstrui o arquiteto que

constrói. Precisamos mostrar aos nossos clientes o que ela traz, ajudá-lo a entender o que

o seu desconforto esconde, proporcionar um espaço adequado para de modo que nós somo

descobrir em si mesmo a força, dignidade e recursos de sua própria e permitir que você tome as medidas necessárias para a mudança construtiva, para encontrar uma solução válida.

Eu acho que esse entendimento projeções e terapêutica trabalho é o que me levou a transformar o trabalho com bonecos de neve em uma ferramenta com a qual me sinto confortável e eu valorizo ​​muito. Então eu não entendo as bonecas ou frequentemente ou facilmente. Eu preciso calibrar o tempo do cliente e suas necessidades, bem como

a minha vontade de se abrir para o mundo e seu discurso para que possamos

trabalhar juntos com um objetivo comum: o cliente, depois do trabalho, mais capaz de

assumir a responsabilidade por seu bem-estar fica . Eu não aceitar as exigências para

o trabalho onde o cliente está procurando justificativa para os seus problemas em vez de soluções. Nem eu permitem trabalhar com fantoches usados ​​supersticiosamente, como se vê na foto e que ressoa no processo poderia justificar uma mudança na pessoa ou, pior, no curso de sua vida. Com apenas bonecos proponho uma perspectiva mais ampla. Acho importante mostrar que não é bom exercer o direito de ser feliz, ou se sentir que merecemos nosso bem-estar, ou querer algo não nos

prejudicar porque temos sofrido muito

compromisso de nós mesmos, e nossa, para viver com maior liberdade e realização possível dadas as nossas circunstâncias e nosso meio ambiente.

mas precisamos concordar com o

Espero que os casos discutidos ao longo do livro são vistos como um sinal de possíveis exemplos, recolhidos tanto consulta e sessões de psicoterapia individuais constelações, como cursos e oficinas com bonecas. Assim, ter um caráter normativo empírico, idiossincrática e em nenhum caso. Esta não é uma receita porque os ingredientes são diferentes para cada ocasião. Cada trabalho deve ser considerado como um único caso, mesmo ainda trabalhar para

mesmo cliente, essa pessoa será em um tempo diferente e, portanto, precisa ser valorizado cuidadosamente cada tempo. Participar de fórmulas mestre seria desrespeitar o cliente, seu sistema e nosso trabalho, por isso é necessário sublinhar a necessidade de ser extremamente cautelosos sobre generalizar ou tomar suas próprias experiências ou colegas como regras de conduta ou causais leis .

Eu também quero expressar minha imensa gratidão a todos aqueles que vieram com suas dificuldades e dúvidas ao meu escritório e meus workshops. Graças a eles eu aprendi mais do que eu mostrar neste livro e eu ainda estou aprendendo. O anonimato dos meus clientes tem sido assegurado, alterando seu nome e os dados que não são relevantes para o caso. Se alguém pensa reconhecer um colega ou um cliente que eu lhe pedir para ser prudente, em primeiro lugar, porque pode ser confuso e, em segundo lugar, o respeito pelo trabalho terapêutico.

Além disso, eu recomendo cautela quando se trabalha com bonecos. Embora seja uma ferramenta útil e versátil também acho que é muito poderoso e, como tal, deve ser usado sem medo, mas com grande respeito e humildade. Da mesma forma, o método de Constelações Familiares requer uma preparação de vários anos em múltiplos níveis (pessoal, educacional, terapêutica) Assim, uma pessoa que não tenha passado por treinamento específico neste método, mesmo se oficinas atenderam Constellations como participante, deve abster-se de constelar (e isso inclui as constelações em sessões individuais). Como eu sempre recomendo aos meus alunos: "Quanto mais você sintáis fascinado por um conteneros ferramenta deve ao usá-lo."

Finalmente observação de que o trabalho terapêutico com bonecas pode ser visto como uma viagem que fazemos com o cliente. É ele quem conhece a paisagem e seus habitantes, os perigos da estrada ea melhor

pontos de vista. É também aquele que deve decidir o destino da viagem e onde parar para descansar é. Devemos confiar que ele sabe, induzi-lo a lembrar ou recordar o que ele acredita esquecidos ou escondidos, incentivá-lo a ir um pouco mais para chegar a um refúgio ou, inversamente, fazer considerar para parar se você precisar recarregar. Norte, onde seus pontos cardeais é o desejo de sua alma, o desejo de desfrutar de um bom lugar no seu sistema, a necessidade de ser coerente com o seu destino. Podemos ajudá-lo a perceber onde estava e onde ele estava olhando, pedimos-lhe para fazer uso da bússola e, confiando que mudou em suas vidas, vamos seguir o seu caminho. Para fazer isso, é essencial que nos lembramos de nosso próprio norte; nós sabemos onde estamos e para onde olhamos; Nós procuramos nosso lugar bom, nosso lugar de força; Aceitamos a viagem para Ithaca constitui a vida; e humildemente reconhecemos que como companheiros de peregrinos, o nosso trabalho só é possível porque nós também continuar em seu caminho.

bibliografia recomendada

EricEricEric Berne:Berne:Berne: GamesGamesGames PeoplePeoplePeople Play.Play.Play. RBA,RBA,RBA, BarcelonaBarcelonaBarcelona 2007.2007.2007.

essencial alargar a nossa visão de relações interpessoais clássico. O criador da Análise Transacional descreve várias dinâmicas inconscientes que sustentam nossas interações diárias e faz um apelo sobre a capacidade dos seres humanos para alcançar sua liberdade ou autonomia através da conscientização e recuperação de espontaneidade e intimidade perdida durante o seu processo de socialização .

IvanIvan Boszormenyi-NagyBoszormenyi-Nagy ee GeraldineGeraldine M.M. faísca:faísca: lealdadeslealdades invisíveis.invisíveis. ReciprocidadeReciprocidade emem terapiaterapia famíliafamília gerações.gerações. editoreseditores Amorrortu,Amorrortu, BuenosBuenos AiresAires 1994.1994.

Pioneiros da terapia familiar sistêmica tenho uma teoria sobre a dinâmica intrageracional e transgeracionais com base na sua experiência profissional de décadas. Introduzir os conceitos de lealdade e justiça da família no contexto clínico abrindo todo um campo de pesquisa e prática psicoterapêutica.

PeterPeter Bourquin:Bourquin: ConstelaçõesConstelações Familiares.Familiares. RessoandoRessoando comcom vida.vida.

Desclée De Brouwer (Serendipity), Bilbao 2007.

Introdução ao Constelações Familiares carácter informativo, no melhor sentido do termo. Usando uma linguagem cotidiana e evocativo, ao mesmo tempo, o autor consegue explicar de forma simples e divertidos aspectos fundamentais desta abordagem, sintetizar a sua vasta experiência com constelações e transmitir sua enorme paixão por eles. Patrice van Eersel e

CatherineCatherine Maillard:Maillard: MeusMeus antepassadosantepassados ​​ferido.​​ferido. PsychogenealogyPsychogenealogy ee ConstelaçõesConstelações Familiares.Familiares. Obelisco,Obelisco, BuenosBuenos AiresAires

2005.

Coleção de entrevistas curtas que nos permite saber diferentes olhares e vozes sobre a abordagem psicogenealógico. Além de autores populares como Alejandro Jodorowsky e Bert Hellinger, outros menos conhecidos pelo público em geral e, no entanto, representam perspectivas e aplicações igualmente interessantesinteressantes ee provocantesprovocantes autoresautores PsicogenalogíaPsicogenalogía aparecer.aparecer. UrsulaUrsula Franke:Franke: QuaQua

eueu fechofecho meusmeus olhosolhos eueu possoposso verver você.você. ConstelaçõesConstelações emem consultaconsulta individual.individual. AlmAlm

Lepik, Buenos Aires de 2005.

Proposta de um psicoterapeuta experiente, que introduziu constelações em prática clínica diária. Destaca-se o rigor e respeito com que o autor apresenta tanto a sua formação anterior como a nova abordagem prevista pelapela Hellinger.Hellinger. MarianneMarianne Franke-Gricksch:Franke-Gricksch: VocêVocê éé umum dede nós.nós. OlhaOlha ee soluçõessoluções

sistêmicassistêmicas parapara professores,professores, alunosalunos ee pais.pais. AlmaAlma Lepik,Lepik, BuenosBuenos AiresAires

2006.

Pioneer do Systemic Pedagogia, o autor compartilha generosa e humilde maneira as suas experiências na implementação da abordagem

Constelações em sala de aula. Através algo como um romance autobiográfico, este veterano professor espalhar seu amor por seus alunos e para a educação e nos faz seus "experimentos", dúvidas e êxitos neste campo ainda a ser desenvolvidos.

MonicaMonicaMonica McMcMc GoldrickGoldrickGoldrick eee RandyRandyRandy Gerson:Gerson:Gerson: GenogramsGenogramsGenograms nanana avaliaçãoavaliaçãoavaliação dadada família.família.família. GedisaGedisaGedisa Editorial, Barcelona 2005.

Excelente manual sobre a técnica genograma. sua clareza e concisão como a escolha de celebridades para ilustrar a preparação de genograma e gestão da informação nele contida personagens muito obrigado, resultando assim realmente agradável. Sua introdução à abordagem sistêmicasistêmica nono contextocontexto terapêuticoterapêutico éé tãotão brevebreve quantoquanto útil.útil. JayJay Haley:Haley: AA

terapiaterapia convencional.convencional. TécnicasTécnicas psiquiátricospsiquiátricos dede MiltonMilton H.H. Erickson.Erickson. editoreseditores

Amorrortu, Buenos Aires de 2003.

Haley Erickson pois ambos são autores essenciais em relação à terapia estratégica e intervenção familiar. Haley neste trabalho, como estudante superado e entregue, nos introduz ao mundo clínico de Erickson e nos obriga a se reconectar com a paixão para continuar a aprender sobre o ser humanohumanohumano eee aaa profissãoprofissãoprofissão dedede terapeuta.terapeuta.terapeuta. BertBertBert Hellinger:Hellinger:Hellinger: OrdensOrdensOrdens dododo amor.amor.amor. Herder,Herder,Herder, Barcelona 2001.

Embora ele seja o autor de mais de vinte livros, eu ainda recomendo seus

primeiros trabalhos para todos os interessados ​​em aprender sobre as

constelações familiares e abordagem sistêmica Hellinger existencial. Bert

Hellinger:Hellinger:Hellinger: Religião,Religião,Religião, psicoterapia,psicoterapia,psicoterapia, cuidadoscuidadoscuidados pastorais.pastorais.pastorais. Herder,Herder,Herder, BarcelonaBarcelonaBarcelona

2002.

coleção

textos de

reflexões,

correspondência, palestras, histórias e poemas, etc. que permite

informar Hellinger como um pensador e filósofo interessado nas

limitações e da dignidade humana, bem como sua relação com a vida, a

mortemorte eoeo destino.destino. MarkMark Johnson:Johnson: OO corpocorpo nana mente.mente. BásicoBásico CorpoCorpo dede significado,significado, imaginaçãoimaginação ee razão.razão. Debate,Debate, dede MadridMadrid dede 1991.1991.

tratado crítico sobre semiótica em que o autor apresenta uma teoria construtivista de significado. Sua proposta de que as metáforas são o mecanismo pelo qual a imaginação permite o desenvolvimento de cognitivo a partir de estruturas experiências corporais, está localizado na base das bonecas de ferramentas, bem como técnicas relacionados: Cadeira vazia, psicodrama, constelações,constelações,constelações, etc.etc.etc. ChrisChrisChris L.L.L. Kleinke:Kleinke:Kleinke: ememem princípiosprincípiosprincípios comunscomunscomuns dedede psicoterapia.psicoterapia.psicoterapia. DescléDescléDesclé De Brouwer (Biblioteca de Psicologia), Bilbao 1995.

básica para aqueles que praticam um eclético surgem texto psicologia

clínica. Comumente chamados fatores inespecíficos de psicoterapia

são muito bem especificado claramente e exaustivamente neste

exercício de revisão e meta-análise de prática terapêutica. Kurt

Ludewig:Ludewig: terapiaterapia sistémica.sistémica. BasesBases dede teoriateoria ee práticaprática clínicas.clínicas.

Herder, Barcelona 1998.

exercício impressionante de reflexão e discussão dos fundamentos da abordagem sistêmica para a psicoterapia. O autor dá-nos a sua paixão por ambos epistemologia como tomada de prática clínica recolher o seu trabalho, admiravelmente aspectos, tanto teóricos e filosóficos como aplicado e técnicos.

EvaEva MadelungMadelung ee BarbaraBarbara Innecken:Innecken: AsAs nossasnossas imagensimagens internas.internas. usouso criativocriativo dede PNLPNL ee constelaçõesconstelações emem Terapia,Terapia, CoachingCoaching ee auto-ajuda.auto-ajuda. EditorialEditorial Rigden,Rigden,

Barcelona 2007.

livro essencial para qualquer terapeuta que representam aplicar técnicas de

visualização, âncoras emocionais e outros usos criativos de Constelações

abordagem em sessão individual de terapia ou aconselhamento. Jirina Prekop e Bert

Hellinger:Hellinger:Hellinger: SeSeSe vocêvocêvocê soubessesoubessesoubesse ooo quantoquantoquanto eueueu ososos amo.amo.amo. Herder,Herder,Herder, MéxicoMéxicoMéxico 2004.2004.2004.

recomendado para profissionais que trabalham regularmente com crianças e / ou adolescentes, pois é uma terapia infantil técnica abordagem Constelações propôs a casos clínicos e coleta de trabalho com esta população.população. AnneAnne AncelinAncelin Schützenberger:Schützenberger: Oh,Oh, meusmeus antepassados!antepassados! ligaçõesligações

transgeracionais, segredos de família, síndrome aniversário, transmissão traumatrauma ee práticaprática genosociograma.genosociograma. Omeba,Omeba, BuenosBuenos AiresAires dede 2006.2006.

A grande veterano da psychogenealogy nos mostra o seu conhecimento e experiência neste trabalho. Depois de nos apresentar a síndrome aniversário,

dívidas transgeracionais e padrões repetitivos

família,

incluindo

o

Relacionado

doenças, deixa a vaga sensação de que o autor tem muito conhecimento sobre o assunto que não lhe cabem neste livro. Em suma, ele é tão interessante que você fica querendo mais.

PaulPaul Watzlawick:Watzlawick: AA linguagemlinguagem dada mudança.mudança. técnicatécnica dede comunicaçãocomunicação terapêuticaterapêutica

nova.nova. Herder,Herder, BarcelonaBarcelona 1994.1994.

Possivelmente o autor mais divertido e inteligente de pensamento

construtivista sistêmica. Este livro é uma das obras essenciais para compreender e aplicar conceitos como prescrições paradoxais psicoterapia, bloqueando o hemisfério esquerdo, a reestruturação através de metáforas, rituais, o uso de resistores para a mudança, etc. JeffreyJeffrey K.K. ee StephenStephen G.G. GilliganGilligan ZeigZeig (eds):(eds): TerapiaTerapia Breve.Breve. Mitos,Mitos, métodosmétodos ee metáforas.metáforas. editoreseditores Amorrortu,Amorrortu, BuenosBuenos AiresAires 1994.1994.

trabalho recopilatoria que nos permite uma ideia da amplitude da aparência,

técnicas e experiências clínicas que compõem o campo terapêutico do

tribunal sistêmica. A abordagem estrutural, estratégico e construtivismo são

descritas a partir das muitas e variadas contribuições de autores cujo trabalho

e experiência clínica são o seu melhor cartão de visita. Gunthard Weber

(editor):(editor):(editor): felicidadefelicidadefelicidade dupla.dupla.dupla. HellingerHellingerHellinger psicoterapiapsicoterapiapsicoterapia sistêmica.sistêmica.sistêmica. HerderHerderHerder EditorialEditorialEditorial

1999.

Outro grande clássico no mundo das Constelações Familiares. Weber, editor compila palestras, workshops e seminários Hellinger. Notavelmente, o autor ser um psiquiatra sistêmica reconhecido será fascinado, de volta para as origens das constelações, pelo pensamento e obra de Hellinger e se atreveu a publicar este trabalho como abordagem heterodoxa.

coleção SEWA

Diretor: LORETA CORNEJO Parolini

Adolescência:Adolescência: aa revoltarevolta filosófica,filosófica, porpor AniAni BustamanteBustamante

síndromesíndrome dede Solomon.Solomon. AA criançacriança metade,metade, porpor MariaMaria BarberoBarbero dede GrandaGranda ee MaríaMaría

Bilbao Maté

Adoção:Adoção: UmaUma viagemviagem dede idaida ee volta,volta, AlfonsoAlfonso Gomez-RoxasGomez-Roxas ColodrónColodrón

Isso,Isso, isso,isso, issoisso

podepode serser tambémtambém maus-tratos,maus-tratos, porpor AngelaAngela TormoTormo AbadAbad

AA adolescênciaadolescência parapara aa frente.frente. AA tragédiatragédia dada infânciainfância perdida,perdida, porpor FernandoFernando MaestreMaestre

Curroc

riquezariqueza aprendido.aprendido. AprenderAprender aa aprenderaprender dede AA aa Z,Z, porpor RozRoz TownsendTownsend

OsOs pais,pais, emem primeiroprimeiro lugar.lugar. ComoComo osos paispais ee asas criançascrianças aprendemaprendem juntos,juntos, porpor GarryGarry BurnettBurnett ee

Kay Jarvis

PNLPNL parapara osos professores.professores. ComoComo serser umum professorprofessor altamentealtamente eficaz,eficaz, porpor RichardRichard IgrejasIgrejas ee

Roger Terry

EmocionarEmocionar comcom asas crianças.crianças. AA artearte dede acompanharacompanhar asas criançascrianças emem suasua excitação,excitação, ChiasChias

Macarena e José Zurita

Bonecas, metáforas e soluções. Constelações em sessões individuais e outrosoutros usosusos terapêuticos,terapêuticos, porpor MariaMaria ColodrónColodrón

mãemãe separada.separada. ComoComo asas mulheresmulheres comcom criançascrianças aa superarsuperar aa separação,separação, KatharinaKatharina

Martin e Barbara Schervier-Legewie

RebeliãoRebelião emem salasala dede aula.aula. ChavesChaves parapara lidarlidar comcom alunosalunos perturbadores,perturbadores, porpor SueSue

Cowley

Há um homem em casa? Tratado para o homem ausente,

por Polaino

CyberCyber ​​Bullying.​​Bullying. BullyingBullying nana eraera digital,digital, porpor RobinRobin Kowalski,Kowalski, SusanSusan LimberLimber

e Patricia Agatston

222222 perguntasperguntas aoao pediatra,pediatra, porpor GloriaGloria CabezueloCabezuelo ee PedroPedro FronteraFrontera

Borrar a gaiola de "J". Como melhorar o desempenho em sala de aula. Educação a partir de

umauma perspectivaperspectiva humanista,humanista, porpor ElizabethElizabeth CazenaveCazenave CantonCanton ee RosaRosa MariaMaria BarberoBarbero Jimenez

PorquePorque eueu tete amo.amo. EducarEducar comcom amoramor

Goni (2ª ed.)

ee muitomuito mais,mais, PilarPilar GuembeGuembe ee CarlosCarlos

Centrando-se com as crianças. A arte de se comunicar com crianças e adolescentes

nana escolaescola ee emem casa,casa, porpor MartaMarta StapertStapert ee EricEric VerliefdeVerliefde

contos de Luca. Um modelo de acompanhamento para crianças em cuidados

paliativos,paliativos, porpor CarloCarlo ClericoClerico MedinaMedina

famíliasfamílias felizes.felizes. AA artearte dede serser pai,pai, porpor TrishaTrisha Lee,Lee, SteveSteve BowkettBowkett TimTim HardingHarding e Roy Leighton

MinhaMinha salasala dede aulaaula bebês.bebês. guiaguia práticoprático parapara paispais ee educadoreseducadores dede infância,infância, porpor

Beatriz Ocamica Garabilla

Crianças,Crianças, medomedo ee histórias.histórias. ComoComo contarcontar históriashistórias queque curam,curam, porpor AnaAna

Gutierrez e Pedro Moreno

Tudo criança vem com pão debaixo do braço? Guia para pais adotivos de crianças com

distúrbiosdistúrbios dede fixação,fixação, porpor JoséJosé LuisLuis GonzaloGonzalo MarrodánMarrodán ee OscarOscar Pérez-MugaPérez-Muga

Bullying na infância. Compreensão das questões envolvidas e resolver o

problema,problema, porpor ChristineChristine MacintyreMacintyre

O espaço comum. Novas contribuições para Gestalt terapia aplicada a

criançascrianças ee adolescentes,adolescentes, LorettaLoretta dogwooddogwood ZairaZaira ParoliniParolini

notas

[1][1] QuandoQuando falofalo dede bonecasbonecas Refiro-meRefiro-me aa umum conjuntoconjunto dede elementoselementos figurativosfigurativos que podem distinguir ou indiquem a direção de seu olhar. Que normalmente usa em consulta é a PLAYMOBIL mas pode ser usado qualquer outro desde que distinguir entre si e podem facilmente observar a direção do olhar.

[2][2] Psychogenealogy:Psychogenealogy: abordagemabordagem terapêuticaterapêutica queque enfatizaenfatiza aa aparênciaaparência transgeracional e utilizada como ferramenta principal a árvore de família ou genograma para encontrar padrões repetitivos, mitos e rituais familiares, dívidas e outras questões sistêmicas que podem estar afetando o indivíduo verticalmente (de referência a família de origem e antepassados ​​e ao contrário do infuence sistêmica horizontal exercida pela família atual). Entre os autores que desenvolveram esta abordagem é Anne-Ancelin Shüetzenberger, Alejandro Jodorowsky, Bert Hellinger, Didier Dumas ou Gaulejac Vincent, entre outros.

[3][3][3][3] Hellinger,Hellinger,Hellinger,Hellinger, B.B.B.B. (2001)(2001)(2001)(2001) AsAsAsAs OrdensOrdensOrdensOrdens dodododo Amor.Amor.Amor.Amor. Barcelona:Barcelona:Barcelona:Barcelona: Herder.Herder.Herder.Herder.

[4][4] VirginiaVirginia SatirSatir (1916-1988):(1916-1988): autorautor ee psicoterapeutapsicoterapeuta americano,americano, conhecidoconhecido principalmenteprincipalmente

por sua abordagem de terapia familiar. Seus livros mais

famosafamosa emem espanholespanhol são:são: FamíliaFamília terapiaterapia passopasso aa passo,passo, emem íntimoíntimo contato: Como se relacionar com si mesmo e novas relações humanas na família.

[5][5][5] AAA teoriateoriateoria constructoconstructoconstructo pessoalpessoalpessoal dedede GeorgeGeorgeGeorge keilykeilykeily ((( 1905-1967)1905-1967)1905-1967)

Ocupa uma posição interessante em Psicologia da Personalidade. Segundo ele, a chave para entender a personalidade e todos os processos mentais é nas categorias cognitivas conceituais que o indivíduo utilizadas para "construir" (interpretar) do mundo. A teoria de Kelly pode defnida como idiográfca (enfatiza características individuais) e de caráter clínico acentuadamente. Sua ênfase sobre o papel da subjetividade na percepção do mundo tem sido associada a autores humanistas e fenomenológicas, embora sua manipulação de conceitos cibernéticos e cognitivas fazer a sua abordagem é única em Psicologia. Kelly, GA

(1955).(1955).(1955). AAA PsicologiaPsicologiaPsicologia dadada constmctsconstmctsconstmcts pessoal.pessoal.pessoal. NewNewNew York:York:York: Norton.Norton.Norton.

[6][6][6] construir:construir:construir: ÉÉÉ umaumauma categoriacategoriacategoria descritivadescritivadescritiva quequeque ééé usadousadousado paraparapara clasifcarclasifcarclasifcar eee interpretarinterpretarinterpretar ososos acontecimentos e representando a nossa maneira especial de compreender o mundo.

[7][7] ParaPara umauma revisãorevisão abrangenteabrangente dodo assuntoassunto recomendorecomendo oo GreenbergGreenberg manualmanual ee seusseus colegas:colegas: Greenberg,Greenberg, LS;LS; Watson,Watson, JC;JC; Lietaer,Lietaer, G.G. (Eds.)(Eds.) (1998)(1998) HandbookHandbook ofof

ExperimentalExperimental Psicoterapia.Psicoterapia. NewNew York:York: TheThe GuilfordGuilford Press.Press.

[8][8] ParaPara umauma revisãorevisão dede taistais técnicastécnicas recomendorecomendo oo excelenteexcelente livrolivro dede AntonioAntonio SemerariSemerari

(2000):(2000):(2000): História,História,História, teoriateoriateoria eee técnicastécnicastécnicas dedede psicoterapiapsicoterapiapsicoterapia cognitiva.cognitiva.cognitiva. Barcelona:Barcelona:Barcelona: PolityPolityPolity Press,Press,Press,

2002.

[9][9][9] Alexander,Alexander,Alexander, F.F.F. (1963).(1963).(1963). AAA dinâmicadinâmicadinâmica dadada psicoterapia,psicoterapia,psicoterapia, ààà luzluzluz dadada teoriateoriateoria dadada aprendizagem.aprendizagem.aprendizagem. AmAmAm

JournalJournalJournal ofofof Psychiatry,Psychiatry,Psychiatry, 120,120,120, 440-448.440-448.440-448.

[10][10] Meichenbaum,Meichenbaum, D.D.

(1985).(1985). ManualManual dede inoculaçãoinoculação stress.stress.

Barcelona: Martinez-Roca, 1987.

[11][11] ParaPara quemquem estáestá curiosocurioso comentáriocomentário dede queque nana próximapróxima sessão,sessão, duasduas semanas depois, o pai me informou que Patricia tinha começado a falar com sua mãe através de frases soltas e isolou-lo através de palavras. Ele está atualmente envolvido ativamente no centro ocupacional, apontou para a pintura e tai-chi, atividades que você gosta, e é animada e comunicativa. Você realmente não pode afrmar que essas mudanças são devido ao trabalho terapêutico feito, mas sinto-me feliz por estar participando como um companheiro e testemunhá-los.

[12][12] habilidadeshabilidades metacognitivasmetacognitivas sãosão aquelasaquelas habilidadeshabilidades queque nosnos permitempermitem queque asas pessoas sejam conscientes de nossas próprias atividades mentais (pensamento e aprendizagem) e gerir estas actividades através de monitoramento de processos, controle, regulação e processo de avaliação, a fim de organizar, analisar e modifcarlos dependendo dos resultados de desempenho cognitivo e intelectual.

[13][13] BertBert Hellinger:Hellinger: teólogoteólogo alemãoalemão ee terapeutaterapeuta nascidonascido emem 1925.1925. ApósApós 1616 anosanos dede

trabalho na África do Sul como um missionário católico, tornou-se um psicanalista e se

aprofundou em Dinâmica de Grupo, Terapia Primal, Análise Transacional, e vários

métodos hypnotherapeutic. Mais tarde, ele desenvolveu sua própria técnica

terapêutica:

o

Constelações Familiares.

[14][14] StephanStephan Hausner,Hausner, umum discípulodiscípulo dede Hellinger,Hellinger, grandegrande constellatorconstellator ee generosogeneroso

professor, expressa muito bem a atitude adotada por muitos dos constellators que

ficaram para trás a nova abordagem: "Eu vejo onde ele (Bert Helllinger) é e onde eu

estou, não Eu sei que se um dia eu ultrapassar onde ele veio "(cerimônia de

encerramento do Congresso dos Systemic Pedagogia de Sevilha, 2006).

[15][15] ParaPara umauma introduçãointrodução maismais abrangenteabrangente EuEu recomendorecomendo oo livrolivro dede PeterPeter

Bourquin:Bourquin: ConstelaçõesConstelações Familiares.Familiares. RessoandoRessoando comcom vida.vida.

Desclée De Brouwer, recolha Serendipity. Bilbao de 2007.

[16][16] ÀsÀs vezesvezes eueu ouviouvi makemake diferenciaçõesdiferenciações dede umauma "abordagem"abordagem existencialexistencial sistêmica"sistêmica"

refriéndose para Constelações Familiares,

em

em oposição a uma "abordagem de sistemas estruturais". Eu ouvi descrever Constelações em termos de "terapia sistêmica existencial". Em qualquer caso, as Constelações Familiares envolvidos na abordagem sistêmica, a ênfase dada ao sistema para contabilizar o conforto ou desconforto do indivíduo, mas levanta conceitos e técnicas amplamente diferentes.

[17][17] LudwigLudwig vonvon Bertalanffy,Bertalanffy, oo fundadorfundador dada "teoria"teoria geralgeral dosdos sistemas"sistemas" jájá haviahavia

observado no final dos anos sessenta como a sua nova abordagem tornou-se parte

integrante e reconhecida a realidade acadêmica.

[18][18][18] Watzlawick,Watzlawick,Watzlawick, P.P.P. etetet ai.:ai.:ai.: TeoriaTeoriaTeoria dadada comunicaçãocomunicaçãocomunicação humana.humana.humana.

Barcelona: Herder, 1981, 1995.

[19][19][19][19] Bateson,Bateson,Bateson,Bateson, G.G.G.G. EspíritoEspíritoEspíritoEspírito eeee natureza.natureza.natureza.natureza. BuenosBuenosBuenosBuenos Aires:Aires:Aires:Aires: Routledge,Routledge,Routledge,Routledge, 1982;1982;1982;1982;

Passos para uma Ecologia da Mente: uma abordagem revolucionária para a

auto-compreensãoauto-compreensão dodo homem.homem. BuenosBuenos Aires:Aires: CarlosCarlos Lohlé,Lohlé, 1985.Espíritu1985.Espíritu ee natureza. Buenos Aires: Routledge, 1982.

[20][20] AA estruturaestrutura dede umum sistemasistema constituídoconstituído porpor maismais ouou menosmenos estáveisestáveis ​​de​​de interligaçõesinterligações entreentre as partes ou componentes de um sistema que pode ser identificada verifcadas ou em um determinado momento.

[21][21] Homeostase,Homeostase, ouou equilíbrioequilíbrio interno,interno, éé oo mecanismomecanismo queque asseguraassegura aa manutençãomanutenção

da organização de um sistema. Ela opera a mudanças no ambiente através de

compensação interna substituídos, bloco ou complementar essas mudanças, a fim

de preservar a estrutura

sistêmico. Nas famílias é assegurada através de uma rede de regras de comportamento.

[22][22] EquifnalidadEquifnalidad conceitoconceito refere-serefere-se àà ideiaideia dede queque oo mesmomesmo efeitoefeito podepode responder a diferentes causas. Ou seja, as mudanças observadas em um sistema aberto não são determinadas pelas condições iniciais do sistema, mas pela natureza dos processos de mudança.

[23][23] BowlbyBowlby foifoi oo primeiroprimeiro autorautor que,que, misturandomisturando conceitosconceitos dada teoriateoria etologia,etologia, psicanálise e sistemas tenta explicar o vínculo emocional da criança com a mãe. apego Defne como "comportamento que reduz a distância de pessoas ou objetos que forneceriam proteção." Bowlby, J. anexo e perda. Barcelona: Polity Press,

1998.

[24][24] ÉÉ conhecidaconhecida síndromesíndrome dede "culpa"culpa dodo sobrevivente"sobrevivente" comcom basebase emem umauma profundaprofunda convicção do homem que espera que todos os membros de um grupo de solidariedade com um destino comum. Quando há poucos sobreviventes e muitas vítimas, o sobrevivente sente como se tivesse "traído" o contrato não escrito. Esta culpa do sobrevivente é geralmente parte central da terapia de estresse pós-traumático.

[25][25][25][25] Freud,Freud,Freud,Freud, Sigmund:Sigmund:Sigmund:Sigmund: CivilizaçãoCivilizaçãoCivilizaçãoCivilização eeee seusseusseusseus descontentes.descontentes.descontentes.descontentes. ObrasObrasObrasObras Completas,Completas,Completas,Completas, VolVolVolVol

XXI. Buenos Aires: editores Routledge, 1979.Pg. 131.

[26][26][26][26] Hellinger,Hellinger,Hellinger,Hellinger, BertBertBertBert (2001):(2001):(2001):(2001): Religião,Religião,Religião,Religião, psicoterapia,psicoterapia,psicoterapia,psicoterapia, cuidadoscuidadoscuidadoscuidados pastorais.pastorais.pastorais.pastorais. TextosTextosTextosTextos recolhido.recolhido.recolhido.recolhido. BarcelBarcelBarcelBarcel

Herder. Pág. 137.

[27][27][27][27] BertBertBertBert Hellinger:Hellinger:Hellinger:Hellinger: AsAsAsAs ordensordensordensordens dededede apoio.apoio.apoio.apoio. AlmaAlmaAlmaAlma Lepik,Lepik,Lepik,Lepik, BuenosBuenosBuenosBuenos Aires,Aires,Aires,Aires,

2006.

[28][28] OO termotermo âncora,âncora, comuniquecomunique aquiaqui parapara oo usouso dede umauma posiçãoposição dede referênciareferência ee

não ao amplamente utilizado desde a abordagem

PNL (programação neurolinguística) que, comunique à associação automática entre um estímulo e uma resposta emocional positiva ou negativa.

[29][29][29] Kutschera,Kutschera,Kutschera, I.I.I. eee SchafflerSchafflerSchaffler (2002).(2002).(2002). doençadoençadoença saudável.saudável.saudável. patológicapatológicapatológica sintomassintomassintomas eee constelaçõesconstelações familiares.familiares. AlmaAlma Lepik.Lepik. BonsBons ares,ares,

2006.

[30][30] ParaPara umauma explicaçãoexplicação detalhadadetalhada ee divertidadivertida destedeste efeitoefeito eueu recomendorecomendo oo livrolivro dede PaulPaul

Watzlawick:Watzlawick:Watzlawick: AAA linguagemlinguagemlinguagem dadada mudança.mudança.mudança. técnicatécnicatécnica dedede comunicaçãocomunicaçãocomunicação terapêuticaterapêuticaterapêutica nova.nova.nova. Herder,Herder,Herder,

Barcelona,.

[31][31] movimentomovimento interrompidointerrompido pelopelo bloqueiobloqueio emocionalemocional éé entendidoentendido sobresobre apegoapego dada criança para um ou ambos os pais. É um termo comum em Constelações e inclui a idéia de desempate, típico da psicologia do desenvolvimento das teorias de Bowlby. Expande este conceito em consideração das causas e faixa etária em que podem ocorrer na descrição das conseqüências pessoais e sistêmicos para o adulto e desenvolver um protocolo de curto e effcient para facilitar a sua resolução.

Sobre o autor

Sobre o autor

BB iographyiography

MariaMaria Colodrón,Colodrón, Psicóloga.Psicóloga. CAP.CAP. MestradoMestrado emem GestãoGestão dede ServiçosServiços Sociais.Sociais. Licenciatura em Saúde Mental da Faculdade de Medicina da Universidade de Nova York e da Faculdade de Psicologia da Havana. Ele trabalha como psicoterapeuta desde 1996, atualmente fazendo hexagrama sob treze. Ela colabora com a Universidade Aberta como tutor de pós-graduação. professor ECOS (Escola de Constelações Sistêmicas dirigido por Peter Bourquin), fornece treinamentos e workshops em cidades diferentes.

outros livros

outros livros
Obter todos os nossos ebooks www .ebooks.edesclee.com
Obter todos os nossos ebooks www .ebooks.edesclee.com
Obter todos os nossos ebooks www .ebooks.edesclee.com
Obter todos os nossos ebooks
www .ebooks.edesclee.com
Thrill com crianças A arte das crianças que acompanham em sua emoção Chias Macarena e

Thrill com crianças

A arte das crianças que acompanham em sua emoção

Chias Macarena e José Zurita

ISBN: 978-84-330-3562-2