Você está na página 1de 1

2 | QUINTA-FEIRA, 13 de dezembro de 2018 CORREIO DO POVO

OPINIÃO opiniao@correiodopovo.com.br

EDITORIAL

Novos recursos para segurança

O
presidente Michel Temer sancionou nes- Essas verbas oriundas de jogos oficializados
ta quarta-feira a lei que aporta recursos certamente vão ser muito importantes para permi-
das loterias para a área da segurança tir que a segurança pública receba os investimen-
pública, ratificando ainda as contribui- tos necessários a fim de amenizar a grave crise
ções para os ministérios do Esporte e da Cultura. por que passa esse segmento estratégico para o
A MP 846, tratando do tema, foi aprovada pela Câ- cotidiano da população. Os brasileiros querem po-
mara dos Deputados em 21 de novembro e no Se- der trabalhar, estudar, conviver com seus amigos
nado Federal no mesmo dia, seguindo imediata- e parentes de forma tranquila, sem serem alvos
JUREMIR MACHADO DA SILVA mente para análise presidencial. De acordo com a
norma aprovada, irão para o Ministério da Segu-
da violência urbana e rural. O ministro Sérgio Mo-
ro, da pasta da Justiça, que vai herdar o MSP, por
juremir@correiodopovo.com.br rança Pública 9,4% da arrecadação bruta das lote- certo terá muito trabalho pela frente. Equipar as
rias existentes. Ao todo, serão cerca de 4,2 bi- polícias, investir em inteligência policial e tecnolo-
Ato infame lhões com origem nesses recursos. Estão previs-
tos para 2019 aproximadamente R$ 2 bilhões, que
gia, reformar presídios, construir penitenciárias
federais, reformular a legislação penal. São mui-
também serão divididos com os estados, sendo tas as demandas e ter um orçamento definido e

O
deputado Márcio Moreira Alves, do MDB, fez um discur- parcela aplicada em outros programas federais. ampliado é um ponto essencial para obter êxito.
so de cinco minutos em setembro para um plenário da
Câmara dos Deputados quase vazio. Propôs que as mo- DO LEITOR
ças não dançassem com seus pares fardados durante os feste- CHARGE
Renato Panattieri
jos da Semana da Pátria. Não era nem mesmo uma greve de Tacho
sexo. Esse episódio quase patético ou ingênuo serviria para
que a ditadura baixasse, em 13 de dezembro de 1968, sexta-fei- Agências reguladoras
ra, há 50 anos, o famigerado Ato Institucional n° 5. Implantava- Está em debate na equipe de
se a ditadura dentro da ditadura. Caíam todas as máscaras. O transição do presidente eleito
Brasil conseguia ir além do fundo do poço. Um feito. Jair Bolsonaro um plano para fun-
dir a Agência Nacional de Aviação
Revisionistas bizarros afirmam que não houve ditadura. O
(Anac), a Agência Nacional de
AI-5 no seu artigo 1° dizia: “São mantidas a Constituição de 24
Transportes Terrestres (ANTT) e a
de janeiro de 1967 e as Constituições estaduais, com as modifi- Agência Nacional de Transportes
cações constantes deste Ato Institucional”. No artigo 2°, crava- Aquaviários (Antaq). Juntas, pas-
va: “O Presidente da República poderá decretar o recesso do sariam a funcionar sob a denomi-
Congresso Nacional, das Assembleias Legislativas e das Câma- nação de Agência Nacional de
ras de Vereadores, por Ato Complementar, em estado de sítio Transportes (ANT). No entanto, a
ou fora dele, só voltando os mesmos a funcionar quando convo- fusão pode não significar uma me-
cados pelo Presidente da República”. Sem dúvida, ato típico de lhoria, uma vez que atualmente é


uma democracia. Se a Constitui- difícil concentrar a falta de recur-
ção era mantida, podia ser ignora- sos. E há, ainda, a possível inviabi-
da: “Art. 3° - O Presidente da Re- lidade da fusão uma vez que o
pública, no interesse nacional, po- Art. 3º — O Presidente Congresso está apreciando um
derá decretar a intervenção nos projeto de lei que visa dar mais
Estados e Municípios, sem as limi- da República, no autonomia, independência e trans-
tações previstas na Constituição”. interesse nacional, ARTIGO parência às agências reguladoras.
O artigo 6° enterrava o que o poderá decretar a Gilberto Jasper Danilo Guedes Romeu, Porto Alegre
Ocidente levara mais de um milê- intervenção nos Rumos da educação Acusações
nio para construir: “Ficam sus- Estranho o posicionamento

O
pensas as garantias constitucio- Estados e Municípios, título deste artigo é homônimo números e dados constrangedores. Os pri- contrário de algumas pessoas em
nais ou legais de: vitaliciedade, sem as limitações ao editorial do Correio do Po- meiros anos da criança são fundamen- relação ao presidente eleito Jair
vo do último dia 12. Trata-se tais para o seu desenvolvimento intelec-
inamovibilidade e estabilidade, previstas na tual. Infelizmente são raros os municípios Bolsonaro (PSL) argumentando
bem como a de exercício em fun- de importante manifestação pu- que ele é um ditador, quando es-
Constituição. blicada à página 2 do jornal porque resu- onde as mulheres podem trabalhar com
ções por prazo certo”. Cada item me uma preocupação geral que raramen- tranquilidade por saber que seus filhos ses mesmos indivíduos defendem
conseguia ser pior: “Art. 10 −Fica suspensa a garantia de ha- te integra a execução dos planos de go- estão em creches com atendentes treina- escancaradamente ditadores em
beas corpus, nos casos de crimes políticos, contra a seguran- verno nos diversos níveis. Existe uma dos e boas condições materiais. outros países, financiados com re-
unanimidade sobre a urgência de investi- A adoção de um ensino voltado à
ça nacional, a ordem econômica e social e a economia popu- qualificação para o trabalho gera polêmi-
cursos repassados pelo BNDES.
lar”. É claro que ficavam proibidas “atividades ou manifesta- mentos maciços em educação, mas os Roberto Fissmer, Porto Alegre
anos passam, os governantes se sucedem cas acaloradas. Neste país de 13 milhões
ção sobre assunto de natureza política”. Mas não era ditadu- e não se vislumbra melhorias. de desempregados cresce assustadora- Indústria rentável
ra. Era revolução. Uau! Novos governos – no Rio Grande do mente a mão de obra sem o preparo exi-
Gostaria de cumprimentar o Mi-
O ato infame foi decretado “com vistas a encontrar os gido pelo mercado. Isso estimula o traba-
Sul e no país – assumem em breve. A es- lho informal onde o trabalhador está de- nistério Público gaúcho por ter po-
meios indispensáveis para a obra de reconstrução econômica, perança se renova, embora exista desa- sassistido, sem amparo de saúde, fundo dido mostrar, já nas primeiras in-
financeira e moral do país". Antes do final de 1968, a guilhoti- lento diante de tantas frustrações acumu- de garantia, auxílio-desemprego e outros vestigações, as entranhas da indús-
na já havia ceifado 11 deputados, entre os quais Márcio Morei- ladas. A divulgação de rankings que tra- benefícios.
tam de diversos aspectos ligados ao ensi- tria da multa, que tantos prejuízos
ra Alves. A democracia fardada não podia mais tolerar “comu- no são desanimadores. O Brasil passa
O mundo tecnológico estreita ainda têm trazido para os motoristas na
nistas” infiltrados nas instituições. Alberto Dines, jornalista mais as oportunidade para os não qualifi- Capital. Minha companheira foi
vergonha nos quesitos mais simples. cados. Os avanços têm a velocidade da
que apoiou fervorosamente o golpe midiático-civil-militar de A aplicação pífia de recursos na aqui- luz, o que exige agilidade para adaptar multada por uso de celular, sem
1964, publicou então no Jornal do Brasil uma previsão do tem- sição de materiais de rotina, melhorias currículos às novas tendências. Neste que tivesse o aparelho e, como
po anônima que fez dele um herói da resistência ao regime: físicas e investimento em laboratórios, so- comparativo causa constrangimentos que muitos, pagou a multa para não se
“Tempo negro. mados ao descaso com a remuneração nós, num país de economia com tamanho incomodar. No entanto, perdeu o
Temperatura sufocante. O ar está irrespirável. O país está dos professores, criou um estigma que en- potencial, continuemos sem as condições benefício do desconto de boa mo-
vergonha gaúchos e brasileiros. O déficit mínimas de formar cidadãos qualificados.
sendo varrido por fortes ventos”. Quem planta ventos golpis- cresce, as dificuldades se agravam. Ao in- Diante da posse de novos governos é
torista graças ao abuso de poder
tas colhe ditaduras. vés de formar alunos aptos para enfren- preciso renovar a esperança, exigir e co- de um agente de trânsito. Somen-
Tudo por causa de um discurso que dizia: “Seria preciso tar o mercado de trabalho convive-se brar de nossos representantes, livremen- te dez por cento dos multados re-
fazer hoje no Brasil com que as mulheres de 1968 repetissem com o aumento da evasão escolar. te eleitos pelo voto, programas modernos correm e, destes, 98% têm seus re-
as paulistas da Guerra dos Emboabas e recusassem a entra- Nem é preciso aferir números do âm- voltados à educação. Também nós, cida- cursos indeferidos por Jaris.
da, à porta de sua casa, àqueles que vilipendiam a nação”. As bito do ensino superior, o topo, já que to- dãos contribuintes, precisamos fazer a Sérgio Becker, Porto Alegre
da a cadeia educacional ostenta cifras, nossa parte.
Lisístratas brasileiras que namoravam cadetes e oficiais Mais secretarias
eram recatadas e do lar. Não pretendiam ser mulheres de Ate- Jornalista
Desculpem a ignorância, mas
nas. Márcio Moreira Alves pagou caro por ler tragédias gre- Os artigos publicados com assinatura nesta página não traduzem necessariamente a opinião do jor-
nal e são de inteira responsabilidade de seus autores. Podem ser enviados para o e-mail opi- faz sentido o governador eleito
gas. O Brasil passou dez anos nas mais profundas trevas. Era niao@correiodopovo.com.br. As cartas para o Correio do Leitor, com assinatura, endereço, número aumentar para 22 o número de se-
da identidade e telefone de contato para confirmação deverão ser enviadas para a Diretoria de Reda-
a “democracia” do AI-5. Claro. ção do Correio do Povo, na rua Caldas Júnior, 219, CEP 90019-900, ou pelo e-mail doleitor@correio- cretários, quando o Estado falido
dopovo.com.br. Por razões de clareza ou espaço, as cartas poderão ser publicadas resumidamente.
não consegue sequer manter em
dia a folha de pagamento dos ser-
ATENDIMENTO AO ASSINANTE COMERCIAL
GRUPO RECORD RS
PRESIDENTE: Reinaldo Gilli | presidencia@gruporecordrs.com.br Fone (51) 3216.1600 Atendimento às Agências
VENDA DE ASSINATURA vidores? Sem contar os hospitais
atendimento@correiodopovo.com.br Fone (51) 3216-1606
Fone (51) 3215.6169
assinatura@correiodopovo.com.br que suspenderam atendimentos
ATENDIMENTO PRESENCIAL
Rua Caldas Júnior, 219
Teleanúncios
Fone (51) 3216.1616 Modalidade Capital-POA Interior RS/SC/ PR básicos por falta do repasse de
das 8h30min às 17h30min anuncios@correiodopovo.com.br Digital (todos os dias) R$ 31,90
Imp. Sáb./Dom. R$ 43,90
R$ 31,90
R$ 45,90
verbas. Lembro que seu discurso
REDAÇÃO
FUNDADO EM 1° DE OUTUBRO DE 1895 Rua Caldas Júnior, 219 – Porto Alegre, RS OPEC
Operação Comercial
Imp. Seg. a Sex. R$ 59,90 R$ 61,90 de campanha era de austeridade.
EMPRESA JORNALÍSTICA CALDAS JÚNIOR CEP 90019-900 | Fone (51) 3215-6111 Imp. Seg. a Dom. R$ 69,90 R$ 71,90
DIRETOR PRESIDENTE: Sidney Costa | scosta@correiodopovo.com.br
Fone (51) 3215-6101, ramais 6172 e 6173
opec@correiodopovo.com.br
Enquanto o discurso de campa-
DIRETOR ADMINISTRATIVO: Claudinei Girotti | cgirotti@correiodopovo.com.br VENDA AVULSA
Capital-POA: R$ 2,50
nha for um e o de governança for
DIRETOR DE OPERAÇÕES: Emanuel Simões | esimoes@correiodopovo.com.br FILIADO:
DIRETOR DE REDAÇÃO: Telmo Ricardo Borges Flor | telmo@correiodopovo.com.br
Impresso simultaneamente nos parques
gráficos de Porto Alegre e Carazinho
Interior/RS, SC e PR: R$ 3,00 outro, o Brasil não pode dar certo.
Demais Estados: R$ 5,00 mais frete
DIRETOR COMERCIAL: João Müller | jmuller@correiodopovo.com.br
Assis Vieira, Montenegro