Você está na página 1de 18

1

2
ÍNDICE

ÍNDICE............................................................................................................................................ 3
A BRINCAR... .................................................................................................................................. 4
INTRODUÇÃO ................................................................................................................................ 6
ORGANIZAÇÃO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA ............................................................. 7
Objetivos ................................................................................................................................... 7
Horários ..................................................................................................................................... 7
Recursos humanos .................................................................................................................... 7
FUNDAMENTAÇÃO DO PROJECTO ................................................................................................ 8
ESTRATÉGIAS/ ATIVIDADES ........................................................................................................... 9
HORA DO CONTO .................................................................................................................. 9
ATELIERES LIVRES/LÚDICOS .................................................................................................. 9
INICIAÇÃO A INFORMÁTICA ................................................................................................ 11
HORTA PEDAGÓGICA .......................................................................................................... 12
ESPAÇO EXTERIOR ............................................................................................................... 12
PLANIFICAÇÃO/ AVALIAÇÃO ....................................................................................................... 13
CONCLUSÃO ................................................................................................................................ 14
ANEXOS ....................................................................................................................................... 15

3
A BRINCAR...

Quando me virem a montar blocos


A construir casas, prédios, cidades
Não digam que estou só a brincar
Porque a brincar, estou a aprender
A aprender sobre o equilíbrio e as formas
Um dia, posso vir a ser engenheiro ou arquiteto.
Quando me virem a fantasiar
A fazer comidinha, a cuidar das bonecas
Não pensem que estou só a brincar
Porque a brincar, estou a aprender
A aprender a cuidar de mim e dos outros
Um dia, posso vir a ser mãe ou pai.
Quando me virem coberto de tinta
Ou a pintar, ou a esculpir e a moldar barro
Não digam que estou só a brincar
Porque a brincar, estou a aprender
A aprender a expressar-me e a criar
Um dia, posso vir a ser artista ou inventor.
Quando me virem sentado
A ler para uma plateia imaginária
Não riam e achem que estou só a brincar
Porque a brincar, estou a aprender
A aprender a comunicar e a interpretar
Um dia, posso vir a ser professor ou ator.
Quando me virem à procura de insetos no mato
Ou a encher os meus bolsos com bugigangas
Não achem que estou só a brincar

4
Porque a brincar, estou a aprender
A aprender a prestar atenção e a explorar
Um dia, posso vir a ser cientista.
Quando me virem mergulhado num puzzle
Ou nalgum jogo da escola
Não pensem que perco tempo a brincar
Porque a brincar, estou a aprender
A aprender a resolver problemas e a concentrar-me
Um dia posso vir a ser empresário.
Quando me virem a pular,
a saltar a correr e a movimentar-me
Não digam que estou só a brincar
Porque a brincar, estou a aprender
A aprender como funciona o meu corpo
Um dia posso vir a ser médico, enfermeiro ou atleta.
Quando me perguntarem o que fez hoje na escola
E eu disser que brinquei
Não me entendam mal
Porque a brincar, estou a aprender
A aprender a trabalhar com prazer e eficiência
Estou a preparar-me para o futuro

Hoje, sou criança e o meu trabalho é brincar.


5
INTRODUÇÃO

«Será a emergência do sentido e conteúdo curricular que permitirá distinguir e


recriar actividades de animação sócio-educativa diferenciadas na dinâmica e conteúdo
das actividades pedagógicas. O tempo de animação sócio-educativa é mais solto e
íntimo, menos estruturado, vocacionalmente mais aberto à informalidade, à ausência
de sistematicidade e à multiplicidade de respostas.»
In, «Organização da componente de Apoio à Família», Ministério da Educação

A escola enquanto instituição que faz parte integrante da sociedade tem de


responder aos desafios da nova era. As mudanças no tecido familiar e social tornam
inviável que as crianças permaneçam apenas cinco horas por dia na creche/ Jardim de
Infância. Torna-se pois necessária, uma maior amplitude no seu horário de
funcionamento, para além da componente lectiva estabelecida. É assim que surge uma
nova forma de atendimento que deverá ser de qualidade e que irá para além do
tempo educativo. Este tempo, pretende-se menos estruturado, e essencialmente
vocacionado para o bem-estar e o fruir das crianças correspondendo às expectativas e
reais necessidades das famílias.
A Componente de Apoio à Família (CAF), é um tempo de permanência da
criança na escola para além do seu “horário escolar”. Assim, decorre uma dinâmica
cuidadosamente pensada e organizada, que pretende criar uma oferta de qualidade,
promotora de segurança, bem-estar, divertimento, reforçando o processo de
socialização infantil e a integração das famílias na comunidade educativa.

6
ORGANIZAÇÃO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA

Objetivos

 Responder às necessidades das famílias no que respeita ao acompanhamento


das crianças nos tempos de receção, refeições e prolongamento de horário;
 Organização das atividades de animação socioeducativa realizadas para além
do tempo letivo e nas interrupções das atividades letivas seja pedagogicamente
rico e complementar das aprendizagens;
 Garantir um tempo de qualidade e de bem- estar para as crianças;
 Proporcionar às crianças o envolvimento em atividades que lhes ofereçam
maior satisfação;
 Dinamizar o tempo de almoço tornando-o num tempo de múltiplas
aprendizagens e de satisfação vital;
 Criar um espaço onde a criança sinta prazer em estar e conviver;
 Promover situações de lazer e de convívio entre crianças de diferentes grupos;
 Proporcionar momentos lúdicos e ofertas diversificadas no interior ou exterior;
 Dar às crianças a possibilidade de escolher livremente o que desejam fazer;

Horários

A Componente de Apoio à Família pretende dar resposta às necessidades dos pais que
trabalham, sendo um serviço que decorrerá rotativamente pela Sala dos Caracóis, Sala das
Tartarugas e Sala das Abelhinhas, no período compreendido entre as 17.30h e as 18.30h.

Recursos humanos

As atividades da Componente de Apoio à Família são realizadas pela Educadora Cláudia


Félix e pelas Auxiliares de Educação das respetivas salas.

7
FUNDAMENTAÇÃO DO PROJECTO

A temática escolhida “A Brincar...“ baseou-se na importância que as


brincadeiras assumem no processo global de desenvolvimento e aprendizagem da
criança. É evidente que o jogo e as brincadeiras são a atividade normal da criança em
idade de creche (2/3 anos) e pré-escolar (3/4/5 anos) porque é pelo jogo que a criança
descobre o mundo. É uma atividade total que permite à criança mobilizar a sua energia
em todos os domínios: energia corporal, imaginativa, energia criativa que a leva a
desenhar, a construir, a recortar e colar... Se a escola é considerada como uma
“entidade original” que oferece um modelo educativo específico, também é nela que a
criança vai ter oportunidade de colocar em ação e de estabilizar as suas atitudes
pessoais – um espaço para atividades onde tem iniciativas, o jogo livre, um espaço de
jogo organizado, através de sugestões dadas mas que a criança utiliza livremente e
também um espaço para o jogo dirigido, organizado pelo adulto, este último com
objetivos precisos.
É indispensável aprender a brincar e as crianças devem ser acompanhadas para
chegarem ao prazer da experimentação espontânea, do desejo de descobrir … e de
aprender.
A partir destes conceitos fundamentais, que estiveram subjacentes na escolha
da temática pelos docentes do departamento, e numa “perspetiva que na educação
pré-escolar se costuma designar como globalizante”.
A Brincar... será o fio condutor não só na articulação dos diferentes áreas de
conteúdo como nas temáticas selecionadas e nos próprios grupos de trabalho
constituídos para desenvolver este projeto.
Assim, desenvolveremos as seguintes temáticas: A Brincar... com a Matemática;
A Brincar... com as Artes; A Brincar... com as Ciências; A Brincar... com os Livros; A
Brincar... com a Informática; A Brincar...

8
ESTRATÉGIAS/ ATIVIDADES

Todas estas atividades que aqui apresentamos constituem exemplos e


sugestões, que se poderão realizar tendo em conta os interesses das crianças e
dependendo dos recursos humanos e materiais existentes.

HORA DO CONTO

Objetivos:
 Dar oportunidade às crianças de conhecerem as histórias através da
personagem que a conta (Boneca de trapos, outros);
 Reconto dessas histórias efetuado pelas crianças com o recurso vários
materiais;

Atividades:
 Histórias tradicionais;
 Histórias atuais;
 Lengalengas;
 Trava-línguas;
 Poesia
 etc.

ATELIERES LIVRES/LÚDICOS
(Exemplo)

EXPRESSÃO PLÁSTICA

Objetivos:
 Fomentar a imaginação e a criatividade das crianças;
 Proporcionar um contacto com materiais e técnicas diversificadas

9
Atividades:
 Reutilização de diversos materiais recicláveis.
 Elaboração de diversos materiais para épocas festivas;
 Elaboração de mobis;
 Pintura com variadas técnicas;
 Elaboração de instrumentos musicais;
 Etc.

EXPRESSÃO DRAMÁTICA

Objetivos:
 Fomentar a criatividade e a imaginação;
 Vivenciar momentos de alegria e entusiasmo;

Atividades:
 Realização de pequenas peças de teatro;
 Fantoches;
 Teatro de sombras;
 Marionetas;
 Etc.

MÚSICA E EXPRESSÃO FÍSICO-MOTORA

Objetivos:
 Desenvolver as capacidades físicas-motoras;
 Proporcionar momentos lúdicos e de prazer.

Atividades:
 Dança (Hip Hop)
 Canções e audição de músicas;

10
 Jogos com expressão corporal, facial, (improvisação, mimar situações,
animais, profissões etc);
 Jogos tradicionais e lúdicos;
 Etc.

DIA DO CINEMA

Objetivos:
 Proporcionar às crianças o contacto com histórias através da visualização de
filmes

Atividades:
 Visualização de filmes de carácter educativo.

DIA DA CULINÁRIA

Objetivos:
 Favorecer experiências sensoriais.

Atividades:
 Confeção de compotas, marmelada;
 Confeção de pipocas;
 Confeção de bolinhos e bolachas;
 Etc.

INICIAÇÃO A INFORMÁTICA

Objetivos:
 Exploração de vários suportes de informação multimédia;

11
 A atividade de Informática procura a descoberta de novas capacidades,
desenvolvendo competências nos domínios motor, social e cognitivo,
suscetíveis de preparar as crianças para o seu futuro.
 Estimular a utilização de computadores em contexto de sala;
 Perspectivar a integração de programas de apresentação multimédia, bem
como de software educativo multimédia, no ensino e na aprendizagem;

Atividades:
 Jogos educativos;
 Jogos Interativos;
 Etc.

HORTA PEDAGÓGICA

Objetivos:
 Dar a conhecer de onde vêem os alimentos saudáveis e como cuidar deles.

Atividades:
 Tratamento da terra;
 Seleção das sementes e plantas;
 Plantação e sementeira;
 Realização de uma cerca;
 Elaboração de bandeirolas para identificação das plantas;
 Construção de um espantalho;
 Etc.

ESPAÇO EXTERIOR

 As visitas/passeios ao exterior na comunidade e a outros locais de interesse


serão sempre realizadas quando possível dentro da componente de apoio à
família ou dentro do horário letivo. Estas visitas/passeios serão sempre
planificados em conjunto com as educadoras titulares de cada sala.

12
PLANIFICAÇÃO/ AVALIAÇÃO

A planificação das atividades e implementação das mesmas tem como principal


objetivo o … “fruir por parte da criança, aliado à sua segurança e bem-estar,
privilegiando-se a livre escolha e a brincadeira espontânea…” (in Organização da
Componente de Apoio à Família), tendo em atenção o seu comportamento e
interesses.
As atividades planificadas devem proporcionar aprendizagens e momentos de
interação, mas a principal preocupação é criar momentos de brincadeira espontânea e
de livre escolha. Deverá ser dada prioridade a atividades lúdicas e ao ar livre, assim
como criar tempos em que as crianças tenham momentos para si próprias, possam
explorar livremente e em conjunto os afetos, os materiais e os espaços.
A Direção Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular, na circular nº
17/DSDC/DEPEB/2007, reforça estas linhas orientadoras da CAF, a necessidade de
planificação das atividades; o acompanhamento das atividades; a avaliação da sua
realização.
Será preenchida a ficha de avaliação semanal das atividades de animação
socioeducativa da Componente de Apoio à Família. A mesma servirá de fundamento e
reformulação da ação, sempre que necessário.

13
CONCLUSÃO

Sabe-se que é na fase da infância que as crianças estão mais “abertas” a


curiosidades, mais interessadas em saber tudo e o porquê das coisas. Desta forma o
nosso trabalho será um ponto de partida para que as nossas crianças de hoje possam
ser adultos competentes e felizes de amanhã. Assim sendo, faremos todo o esforço,
para que estas atividades, sejam encaradas pelas crianças como um ”arco-íris” de
emoções e um “redemoinho” de sabedoria e brincadeira.

14
ANEXOS

 Planificação das Atividades

 Ficha de Avaliação

15
1ª SEMANA
2ª Feira 3ª Feira 4ª Feira 5ª Feira 6ª Feira
Sala das Abelhinhas
Sala das Tartarugas Sala das Abelhinhas Sala das Tartarugas
Horário: Sala dos Caracóis Ateliê Lúdico
Ateliê Lúdico: Iniciação à Despertar para as
17.30h/18.30h Hora do Conto (Plástica; Cinema;
Dança Hip Hop Informática Ciências
Dramática; )

2ª SEMANA
2ª Feira 3ª Feira 4ª Feira 5ª Feira 6ª Feira

Sala dos Caracóis Sala das Tartarugas


Sala das Tartarugas Sala das Abelhinhas Sala das Abelhinhas
Horário: Ateliê Lúdico Ateliê Lúdico
Iniciação à Ateliê Lúdico: Despertar para as
17.30h/18.30h (Plástica; Cinema; (Plástica; Cinema;
Informática Dança Hip Hop Ciências
Dramática;) Dramática;

16
3ª SEMANA
2ª Feira 3ª Feira 4ª Feira 5ª Feira 6ª Feira

Sala das Abelhinhas


Sala dos Caracóis Sala das Tartarugas Sala das Abelhinhas Sala das Tartarugas
Horário: Ateliê Lúdico
Iniciação à Ateliê Lúdico: Iniciação à Despertar para as
17.30h/18.30h (Plástica; Cinema;
Informática Dança Hip Hop Informática Ciências
Dramática;)

4ª SEMANA
2ª Feira 3ª Feira 4ª Feira 5ª Feira 6ª Feira

Sala dos Caracóis Sala das Tartarugas


Sala das Tartarugas Sala das Abelhinhas Sala das Abelhinhas
Horário: Ateliê Lúdico: Ateliê Lúdico
Iniciação à Ateliê Lúdico: Despertar para as
17.30h/18.30h Dança/Música (Plástica; Cinema;
Informática Dança Hip Hop Ciências
Dramática;)

Nota: A Hora do Conto na Sala das Tartarugas e na Sala das Abelhinhas Poderá ser integrada na Componente
Letiva.
17
AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES
DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA

Semana: ____/_____/____ a ____/_____/____

Sala:________________________

Ano Letivo 2014/2015

Realização das Atividades

Pontos Fracos
e
Pontos Fortes

Proposta de reformulação
da Atividade

(preencher se necessário)

Educadora Dinamizadora: _____________________________


18