Você está na página 1de 26

Os processos de fabricação mecânica podem ser

agrupados em 5 grupos principais.


a) Fundição
d) Metalurgia do pó

b) Usinagem

c) Soldagem

E) CONFORMAÇÃO MECÂNICA
Esquema geral dos processos de conformação
• Variáveis envolvendo matéria prima, ferramenta,
processo e produto
– Matéria prima:
• Composição química
• Microestrutura
• Propriedades mecânicas
• Acabamento superficial
– Ferramenta:
• Geometria
• Dimensões
• Material empregado
• Acabamento superficial
– Equipamento:
• Capacidade
• Velocidade
• Forma de atuação
– Processo:
• Temperatura
• Lubrificação
• Taxa de deformação
– Produto:
• Microestrutura
• Propriedades mecânicas
• Acabamento superficial
• Geometria e dimensões.

Leitura – Processos de Conformação


Classificação dos processos de conformação
Classificação dos processos de conformação
Deformação plástica: aspectos fenomenologicos

Tensão
P
 
A
Deformação

L
  ln
L0
Modulo de Young
Deformação elástica: ao retirar a força, o material 
metálico voltaplástica:
Deformação às dimensões iniciais
os átomos do–material
a quantidade de são
metálico E 
deformação
deslocados elástica é pequena
permanentemente – os átomos
das posições se e passam
originais 
afastam
a ocupar das posições.
novas posições originais, sem, no entanto,
ocuparem novas posições
Lei da Constancia do volume

h0.b0.l0=h1.b1.l1

A deformação global será


h  b  l  0
A soma das velocidades de deformação será
. . .
 hbl  0
Conceitos de cristalografia e discordâncias
• Destacam-se a seguir alguns tópicos considerados
importantes para o estudo da deformação plástica dos
metais

– Estruturas cristalinas dos metais


• Cúbica de corpo centrado
– Cúbica simples
– Cubica de corpo centrado

– Cubica de faces centrado


– Hexagonal simples

– Hexagonal compacto
• Direções e planos preferências de deslizamento
(0001) +c
z

(100) (01 1 0)

[100] c
+a3
y ( 2 1 1 0) -a1

-a2 +a2
x
-c
+a1
-a3 dos
As camadas de átomos deslizam umas sobre as outrasa ao longo
planos de átomos que se formam nas estruturas cristalinas
Esses planos são chamados de planos cristalinos

*apesar de apresentar um elevado numero de sistemas, eles não são tão compactos como o CFC
ou o HC
Número de sistemas de escorregamento e sua
influência na deformabilidade dos metais

• Os metais com estrutura C.F.C. tem 12


sistemas de alta densidade atômica.Ex:Cu, Al,
Pb, Ag Au etc...
• Os metais C.C.C. tem 48 sistemas mas com
menor densidade atômica. De maneira geral,
esses metais deformam menos até a ruptura
que os metais C.F.C.Ex:Fe α, Mo, W, Cr Nb
• Os metais HC possuem planos de alta
densidade atômica mas em número apenas de
3, o que os torna materiais normalmente frágeis.
Imperfeições nas estruturas cristalinas

Vazio

Imperfeição de Schottky Imperfeição de Frenkel


Discordância em cunha Discordância em espiral
Quando uma discordância
Discordâncias: são planosencontra um de
incompletos contorno
átomos de grão ela
gerados tem que mudar
no momento da
de direção já que devido
cristalização o sistema
a ,á de escorregamento
formação dos planostambém
vizinhos.muda.

Defeito superficial cristalino


Leitura – Introdução à conformação mecânica

Efeito da temperatura na conformação mecânica

Tf Escala Kelvin
0 TF 0,3 TM 0,5 TQ 1,0 Escala Homóloga
Trabalho a frio

Mudanças na microestrutura

Encruamento devido ao trabalho a frio


Trabalho a frio

Variação das propriedades


mecânicas em função da
deformação a frio
Estrutura celular em material deformado
10% (a) e 50% (b), (c) níquel com 5,5%
de alumínio deformado 2,7% a 293 K (d) *
DIETER apresenta alguns valores para densidades de
discordâncias:
níquel puro deformado 3,1% a 293 K. · de 105 a 106 cm-2 para um metal totalmente recozido
· de 1010 a 1012 cm-2 para um metal trabalhado a frio
Trabalho a quente
Recozimento
• Recuperação
• Recristalização (recristalização primaria “nucleação de novos grãos”)
• Crescimento de grão (recristalização secundaria)

Processo de recristalização
Encruamento nos metais

• Quando se deforma um metal


em baixas temperaturas (
trabalho a frio) ele se torna
mais duro e mais resistente
ao mesmo tempo em que se
torna menos dútil ou mais
frágil.
• %Tf= (Ao – Af / Ao) x 100
• O encruamento é explicado
pela interação dos campos
de deformação das
discordâncias, que são
aumentadas pela
deformação, exigindo cada
vez mais força para seguir
deformando.
Recozimento

Efeito do recozimento em função da


temperatura

Recozimento estático e recozimento


dinâmico
Recozimento

Modificações na estrutura celular de discordâncias.


Recozimento

Microestruturas de estágios de recristalização e crescimento de grão em


latão previamente deformado a frio 33%: a) como deformado, b) recozido por
3s a 580 oC, c) recozido por 4s a 580 oC, d) recozido por 8s a 580 oC, e)
recozido por 15 min a 580 oC e f) recozido por 10 min a 700 oC
• Recristalização:
Resistência mecânica

Dutilidade (% Alongamento)
consiste na

Tensão de resistência (MPa)


nucleação de
uma região livre
de deformação,
cuja matriz pode
transformar a Dutilidade

matriz
deformada em Grãos deformados RP RCR CG

um material livre e recuperados


de deformação Tamanho de grão (mm)

Novos grãos

Temperatura de recozimento
(ºC)latão
Recozimento

Efeito da temperatura na microestrutura de um aço inoxidável 304


deformado às temperaturas de (a) 973 K, (b) 1023 K (c) 1073 K (d). 1173 K.

Você também pode gostar