Você está na página 1de 9

Canções

Ângela, Anderson e Robson


Conceito
Do latim cantĭo, uma canção é aquilo que se canta (produz sons melodiosos).
Trata-se de uma composição em verso ou em redondilha (um poema,
geralmente) ou feita de forma a poder ser cantada. A palavra canção também
permite fazer alusão à própria música/melodia que acompanha essa composição.
De acordo com Dourado (2004), a canção é encontrada nas mais diversas formas
desde a Antiguidade e deixou profundas influências na música do século XX.

Segundo Tatit (2004), no Brasil índios e negros já se expressavam através do


canto em rituais em que os deuses eram invocados. Da mesma forma, seresteiros
mostravam suas declarações amorosas no século XIX, assim como o teatro
musicado servia-se do canto para assinalar a presença do corpo e da
sensibilidade dos diferentes personagens.
O canto reúne de forma sintética, em volta da melodia, o ritmo e a harmonia.

Se encararmos o canto sob o ângulo da psicologia musical, somos levados a


distinguir diversas espécies de canções: umas favorecem o domínio do ritmo,
outras preparam o ouvido musical, ou por meio de intervalos melódicos
determinados, ou pela harmonia que elas fazem pressentir.
Gêneros de canções
Canções para fase inicial: partindo de chamamento, salto ou de uma palavra.

Canções mimadas: diz respeito à linguagem, à mímica e à beleza do movimento.

Canções populares: onde a beleza e o gosto musical devem passar antes das
preocupações pedagógicas.

Canções de intervalo: que começam por um salto melódico característico.


Canções simples podem ser uma ajuda para o início da prática instrumental.

As canções tão favoráveis para a educação do ritmo e da melodia podem também


servir de introdução inconsciente ao mundo harmônico.

A invenção de melodias simples, pode muito bem fazer-se, sobretudo partindo de


certos ritmos corporais, dados ou inventados, ou então, o que é ainda mais
natural, partindo de pequenas poesias ou de frases, que podem vir da própria
criança.
Wagner escreveu: “O canto, o canto e ainda o canto. O canto é de uma vez para
toda a linguagem pela qual o homem se comunica aos outros musicalmente … o
órgão musical mais antigo, o mais verdadeiro, o mais belo, é a voz humana; e é
só a este órgão que a música deve a sua existência.”

Mozart disse: “Quem não sabe pois que a música cantada deve ser em todos os
tempos a finalidade de todos os instrumentistas, visto que, em toda a composição
é necessário que nos aproximemos do natural.”

Para Willems é evidente, entre outras coisas, que é ao cantar que o aluno
descobre, como por encanto, o sentido de uma peça, e, pelo mesmo meio, o
andamento real, o fraseado e os diferentes matizes agógicos, dinâmicos ou
plásticos.
Willems coloca no centro do seu conceito de educação musical a canção, pois,
segundo ele, engloba o ritmo e a melodia e inconscientemente introduz os
elementos harmônicos (FONTERRADA, 2008; PAZ, 2000).
Referências:
Conceito de Canção - disponível em: http:conceito.de/canção - acesso em
30/12/2018

DOURADO, A. Dicionário de termos e expressões da música. São Paulo: Editora


34, 2004.

TATIT, L. O século da canção. Cotia: Ateliê Editorial, 2004.

WILLEMS, E. As bases psicológicas da educação musical. Ed. patrocinada pela


FCG. Edições Pro-Musica. Suíça, S/D. 215 pp.

Você também pode gostar