Você está na página 1de 268

COP RENEGADE PT LUM.

qxp 11/11/15 15:31 Pagina 1

PORTUGUÊS

USO E MANUTENÇÃO
COP RENEGADE PT LUM.qxp 11/11/15 15:31 Pagina 2

PORQUÊ ESCOLHER
PEÇAS ORIGINAIS

Conhecemos realmente o seu veículo porque o inventámos, concebemos e construímos:


conhecemo-lo ao mínimo detalhe. Nas oficinas autorizadas Jeep pode encontrar técnicos formados
directamente por nós, capazes de oferecer a qualidade e o profissionalismo necessários para
todas as intervenções de assistência.

O presente Manual de Uso e Manutenção tem como objectivo ilustrar as modalidades de utilização operativa do veículo. As oficinas Jeep estão sempre facilmente acessíveis para a manutenção periódica, os controlos
sazonais e para lhe fornecer os conselhos práticos dos nossos especialistas.
Para o utilizador apaixonado e desejoso de usufruir de aprofundamentos, curiosidades e informações pormenorizadas
sobre as características e funcionalidades do próprio veículo, a Jeep oferece a possibilidade de consultar uma secção específica
Com as peças originais distribuídas pela MOPAR®, o seu novo veículo conserva a fiabilidade,
disponível em formato electrónico.
o conforto e os desempenhos ao longo do tempo: é por isso que o adquiriu.
MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO DO VEÍCULO ON-LINE É aconselhável solicitar sempre peças originais para os componentes utilizados nos nossos veículos,
Ao longo do Manual de Uso e Manutenção, em correspondência dos assuntos para os quais estão previstos aprofundamentos, uma vez que nascem do nosso empelho constante na investigação e no desenvolvimento
de tecnologias altamente inovadoras.
é indicado o seguinte símbolo   .
Por todos estes motivos: convém confiar nas peças
Ligue-se ao site da internet www.mopar.eu/owner e aceda à área a si riservada. originais, porque são as únicas especificamente concebidas para o seu veículo.
Na página “Manutenção e cuidados” estão disponíveis toddas as informações sobre o seu veículo e os links para aceder a eLUM,
onde poderá encontrar os aprofundamentos do Manual de Uso e Manutenção.
Em alternativa, para aceder a tais informações, ligar-se ao site da internet http://aftersales.fiat.com/elum/.
O site eLUM é gratuito e permitir-lhe-á, aliás, consultar facilmente a documentação de bordo de todos os outros veículos do Grupo.
Boa leitura e boa diversão!
Estimado Cliente,
Parabéns e obrigado por ter escolhido um Jeep.
Preparámos este Manual para lhe permitir apreciar em pleno as qualidades deste veículo, que foi pensado quer para a comum
utilização quotidiana quer para utilizações específicas, permitindo, assim, percursos e utilizações em geral não adaptados aos
tradicionais veículos em comércio. O alinhamento e a manobrabilidade são diferentes dos da maior parte dos outros veículos,
quer em estrada normal quer em percursos todo-o-terreno; portanto, é aconselhável perder todo o tempo necessário para co-
nhecer a dinâmica do veículo.
Prosseguindo na leitura deste Manual, encontrará informações, conselhos e avisos importantes para o uso do veículo, que o
ajudarão a aproveitar a fundo as qualidades técnicas do seu Jeep.
É recomendável lê-lo com atenção antes de se preparar para a primeira vez na condução, de modo a familiarizar-se com os
comandos em em particular, com os relativos aos travões, à direcção e à caixa de velocidades; ao mesmo tempo, poderá co-
meçar a compreender o comportamento do veículo nas várias superfícies da estrada.
No interior deste documento encontrará características, particularidades e informações essenciais para o cuidado, a manuten-
ção ao longo do tempo, a segurança de condução e de funcionamento do seu Jeep.
Após tê-lo consultado, aconselhamo-lo a conservar o presente Manual no interior do veículo, para facilitar a sua consulta e
para fazer com que permaneça a bordo do mesmo em caso de venda.
No Livro de Garantia anexo encontrará ainda a descrição dos Serviços de Assistência que a Jeep oferece aos seus Clientes, o
Certificado de Garantia e o detalhe dos termos e das condições para a manutenção da mesma.
Estamos certos que estes instrumentos irão fazê-lo entrar em sintonia com o seu novo veículo e apreciar os técnicos da Jeep
que lhe irão prestar assistência.
Boa leitura, então, e boa viagem!
ATENÇÃO
Neste Manual de Uso e Manutenção estão descritas todas as versões do Jeep Renegade. Conteúdos opcionais,
equipamentos dedicados a Mercados específicos ou versões específicas não são identificadas como tais no texto:
é necessário considerar apenas as informações relativas ao equipamento, motorização e versão do veículo de sua
propriedade. Eventuais conteúdos introduzidos durante a vida produtiva do modelo, mas independentes do pedido
expresso de conteúdos opcionais no momento da aquisição, serão identificados com a indicação (se presente).
Os dados contidos nesta publicação devem entender-se como destinados a conduzi-lo corretamente na utilização
do veículo. A FCA Italy S.p.A. está empenhada num processo de aperfeiçoamento contínuo dos veículos produzi-
dos, reservando-se, assim, o direito de efetuar modificações no modelo descrito por motivos de natureza técnica
e/ou comercial.
Para mais informações, dirigir-se à Rede de Assistência Jeep.
LER OBRIGATORIAMENTE!
ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEL
Motores a gasolina: abastecer o veículo apenas com gasolina sem chumbo com número de octanas (RON) não inferior a 95, conforme a
especificação europeia EN228. Não utilizar gasolinas contendo Metanol ou Etanol E85. A utilização destas misturas pode provocar problemas
de arranque e guiabilidade, para além de danificar componentes essenciais para o sistema de alimentação.
Motores Diesel: abastecer o veículo apenas com gasóleo para autotracção conforme a especificação europeia EN590. A utilização de outros
produtos ou misturas pode danificar irreversivelmente o motor, com a consequente anulação da garantia pelos danos causados.
Para mais pormenores sobre a utilização do combustível correcto, consultar o parágrafo “Abastecimento do veículo” no capítulo "Arranque e
condução".

ARRANQUE DO MOTOR
Versões equipadas com caixa manual (motores a gasolina): certificar-se de que o travão de estacionamento está engatado, posicionar a
alavanca das mudanças em ponto morto, carregar a fundo no pedal da embraiagem, sem carregar no acelerador; em seguida, colocar o
dispositivo de arranque em AVV ou premir o botão do dispositivo de arranque e soltar a chave ou o botão assim que o motor arrancar.
Versões equipadas com caixa manual (motores Diesel): certificar-se de que o travão de estacionamento está engatado, posicionar a
alavanca das mudanças em ponto morto, carregar a fundo no pedal da embraiagem, sem carregar no acelerador; em seguida, colocar o
dispositivo de arranque em MAR e aguardar que as luzes avisadoras se apaguem. Colocar o dispositivo de arranque em AVV ou premir o
botão do dispositivo de arranque e, por fim, soltar a chave ou o botão assim que o motor tiver arrancado.
Versões equipadas com caixa automáica: certificar-se de que o travão de estacionamento está engatado e que a alavanca das mudanças
está na posição P (Estacionamento) ou N (Ponto morto), carregar no pedal do travão; em seguida, colocar o dispositivo de arranque em AVV
ou premir o botão do dispositivo de arranque.

ESTACIONAMENTO SOBRE MATERIAL INFLAMÁVEL


Durante o funcionamento, a panela catalítica atinge temperaturas elevadas. Por isso, não estacionar o veículo em cima de erva, folhas secas,
agulhas de pinheiro ou outro material inflamável: perigo de incêndio.

RESPEITO PELO AMBIENTE


O veículo está equipado com um sistema que permite um diagnóstico contínuo dos componentes relacionados com as emissões para garantir
um melhor respeito pelo ambiente.

EQUIPAMENTOS ELÉCTRICOS ACESSÓRIOS


Se, após a compra do veículo, desejar instalar acessórios que necessitem de alimentação eléctrica (com o risco de descarregar gradualmente
a bateria), dirija-se à Rede de Assistência Jeep que avaliará a absorção eléctrica total e verificará se o sistema do veículo está em condições
de sustentar a carga necessária.
MANUTENÇÃO PROGRAMADA
Uma correcta manutenção permite conservar inalterados no tempo os rendimentos do veículo e as características de segurança, respeitando
o ambiente e mantendo baixos os custos de funcionamento.
SÍMBOLOS
Em alguns componentes do veículo estão presentes etiquetas coloridas, cuja simbologia indica precauções importantes a ob-
servar na utilização do próprio componente. Apresentamos de seguida a descrição de cada símbolo que resume o que está
presente nas várias páginas do presente documento. Prestar sempre a máxima atenção a todas as advertências indicadas.

PODE ARRANCAR
CONSULTAR O
NÃO APOIAR AS AUTOMATICAMENTE
MANUAL DE USO Y
MÃOS TAMBÉM COM O
MANUTENÇÃO
MOTOR PARADO

NÃO ABRIR O
PROTEGER OS TAMPÃO QUANDO NÃO ABRIR GÁS DE
OLHOS O MOTOR ESTIVER ALTA PRESSÃO
QUENTE

NOVO ARRANQUE
DO MOTOR
MANTER AS
AUTOMÁTICO.
CRIANÇAS À EXPLOSÃO
EXTRAIR A CHAVE
DISTÂNCIA
DO QUADRO COM
O CAPOT ABERTO

NÃO APROXIMAR LÍQUIDO


ALTA TENSÃO
CHAMAS CORROSIVO
AVISO DE VIRAGEM
O risco de viragem para os veículos todo-o-terreno é significativamente mais elevado relativamente a qualquer outro tipo de
veículo. Este veículo é caracterizado por uma maior altura a solo e por um centro de gravidade mais alto relativamente a muitos
outros veículos para o transporte de passageiros, características que permitem desempenhos melhores numa ampla gama de
aplicações de todo-o-terreno. No entanto, adoptando um estilo de condução perigoso, é possível perder o controlo do veículo.
Devido ao centro de gravidade mais alto, o veículo está mais sujeito do que outros a virar caso fuja ao controlo do condutor.
De seguida, evitar curvas estreitas e manobras bruscas ou outras condições de condução não seguras que poderiam provo-
car a perda de controlo do veículo. A inobservância das prescrições poderia provocar incidentes, viragem do veículo e lesões
graves ou mortais. Actuar com cautela.
A não utilização dos cintos do condutor e do passageiro é a causa principal de lesões graves ou mortais. Em caso de viragem,
um passageiro sem cinto de segurança apertado tem muito mais probabilidades de sofrer lesões mortais relativamente a um
passageiro que o use correctamente. Aperte sempre os cintos de segurança.

MODIFICAÇÕES/ALTERAÇÕES DO VEÍCULO

ADVERTÊNCIA Qualquer modificação ou alteração do veículo pode comprometer gravemente a segurança, bem como a ve-
dação de estrada e provocar acidentes, com riscos mesmo mortais para os ocupantes.
UTILIZAÇÃO DO MANUAL
INDICAÇÕES OPERATIVAS

Sempre que forem fornecidas indicações de direcção relativas ao veículo (esquerda/direita ou frente/trás), estas devem ser en-
tendidas como relativas à percepção de um ocupante sentado no lugar do condutor. Casos particulares, que sejam uma ex-
cepção a esta indicação, serão oportunamente assinalados no texto.
As figuras indicadas ao longo do Manual têm uma função indicativa: isto pode significar que alguns detalhes representados na
imagem não correspondam ao que poderá encontrar no seu veículo.
Além disso, o Manual foi realizado baseando-se em veículos com volante à esquerda; assim, é possível que, em veículos com
volante à direita, alguns comandos estejam dispostos ou realizados de modo diferente relativamente à perfeita especularidade
do ilustrado.
Para identificar o capítulo em que estão contidas as informações pretendidas, pode consultar o índice alfabético situado no
final do presente Manual de Uso e Manutenção.
Por sua vez, os capítulos são rapidamente identificáveis através de um recorte gráfico específico, presente ao lado de todas as
páginas ímpares. Poucas páginas mais à frente encontra-se uma legenda que permitirá familiarizar-se com a ordem dos capí-
tulos e os respectivos símbolos no recorte. De qualquer forma, encontrará indicação textual do capítulo consultado ao lado de
todas as páginas pares.
ADVERTÊNCIAS E PRECAUÇÕES
Lendo este Manual de Uso e Manutenção encontrará uma série de ADVERTÊNCIAS destinadas a evitar procedimentos que
poderiam danificar o seu veículo.
Além disso, estão presentes PRECAUÇÕES a seguir atentamente para evitar uma utilização não adequada dos componentes
do veículo, que poderiam ser causa de acidentes.
Por este motivo, convém respeitar escrupulosamente todas as recomendações de ADVERTÊNCIA e de PRECAUÇÃO.
As ADVERTÊNCIAS e as PRECAUÇÕES sono mencionadas ao longo do texto através dos símbolos:

para a segurança das pessoas;

para a integridade do veículo;

para a protecção do ambiente.


NOTA Estes símbolos, quando necessários, estão indicados ao lado do título ou no final do parágrafo e são seguidos de um
número. Esse número identifica o aviso correspondente, presente no fundo da respectiva secção.
CONHECIMENTO DO VEÍCULO

CONHECIMENTO DO QUADRO DE
INSTRUMENTOS

SEGURANÇA

ARRANQUE E CONDUÇÃO

EM EMERGÊNCIA

MANUTENÇÃO E CUIDADOS

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

MULTIMÉDIA
CONHECIMENTO DO VEÍCULO

Começa aqui o conhecimento aproxi- PAINEL PORTA-INSTRUMENTOS . .10


mado do seu novo automobile. AS CHAVES . . . . . . . . . . . . . . . .11
DISPOSITIVO DE ARRANQUE. . . . .12
O manual que está a ler explica de
SENTRY KEY® . . . . . . . . . . . . . .14
forma simples e directa como é feito e
ALARME . . . . . . . . . . . . . . . . . .15
como funciona.
PORTAS . . . . . . . . . . . . . . . . . .15
Por isso, é aconselhável consultá-lo BANCOS . . . . . . . . . . . . . . . . . .19
estando comodamente sentado a APOIOS DE CABEÇA . . . . . . . . . .22
bordo, de modo a permitir verificar ime- VOLANTE. . . . . . . . . . . . . . . . . .22
diatamente o que está ilustrado. ESPELHOS RETROVISORES . . . . .23
LUZES EXTERNAS . . . . . . . . . . . .25
LUZES INTERNAS . . . . . . . . . . . .28
LIMPA PÁRA-BRISAS/LIMPA-ÓCULO
POSTERIOR . . . . . . . . . . . . . . . .28
CLIMATIZAÇÃO . . . . . . . . . . . . . .31
ELEVADORES DE VIDROS . . . . . . .35
TECTO DE ABRIR ELÉCTRICO . . . .37
TECTO DE ABRIR MySky. . . . . . . .39
CAPOT DO MOTOR . . . . . . . . . . .42
PORTA-BAGAGENS . . . . . . . . . . .43

9
EL PORTA-INSTRUMENTOS
a e a posição de comandos, instrumentos e sinalizadores pode variar em função das versões.

do ar laterais 2. Quadro de instrumentos 3. Alavanca direita (limpa-pára-brisas/limpa-óculo posterior) 4. Difusores d


poio 6. Gaveta porta-objetos 7. Uconnect™ 8. Climatizador manual ou climatizador automático bizona (se presen
ancos anteriores elétricos aquecidos (se presente)/aquecimento elétrico do volante (se presente)/ActiveParkSen
e® (se presente)/luzes de emergência/painel de desativação do air bag lado do passageiro/LaneSense® (se pr
ndutor 11. Alavanca esquerda (luzes dos máximos/indicadores de direcção) 12. Comutador de luzes (luzes dos mé
s de nevoeiro/luz de nevoeiro posterior/luzes de estacionamento
AS CHAVES apagam-se as luzes activadas anterior-
mente (se a função das luzes de estaci-
onamento já estiver activa, continuará a
CHAVE COM estar). Se, ao esgotarem os 90 segun-
TELECOMANDO dos, for premido botão , as luzes de
1) 1) 1)
médios e as luzes de presença perma-
O corpo metálico A fig 2 da chave necerão acesas durante mais 30 se-
acciona: gundos.
o dispositivo de arranque;
PEDIDO DE CHAVES
a fechadura da porta. SUPLEMENTARES
3 J0A0315C
Caso seja necessário pedir uma nova
Pressão breve no botão : desblo- chave com telecomando ou uma nova
queio das portas, da bagageira, acen- chave electrónica, dirigir-se à Rede de
dimento temporizado dos plafoniers Assistência Jeep levando consigo um
internos e dupla sinalização luminosa documento de identificação pessoal e o
dos indicadores de direcção (onde pre- documento Único Automóvel.
visto).
Pressão breve no botão : bloqueio
das portas, da bagageira com desacti- AVISO
2 J0A0181C vação do plafonier interno e sinalização
luminosa simples dos indicadores de 1) Premir o botão 2 apenas quando a
Premir o botão B para abrir/fechar o direcção (onde previsto). chave se encontrar afastada do corpo, em
corpo metálico. Pressão do botão : abertura à especial dos olhos e de objetos que se
possam deteriorar (por ex., vestuário). Não
distância da bagageira (para efectuar a deixar a chave sem vigilância para evitar
CHAVE ELECTRÓNICA
(versões com sistema "Keyless abertura da bagageira, premir duas ve- que alguém, especialmente crianças,
Enter-N-Go") zes rapidamente o botão). possa mexer na mesma e premir
inadvertidamente o botão.
Nas versões equipadas com sistema Pressão do botão : acendimento,
"Keyless Enter-N-Go", o veículo está à distância, das luzes de presença e
equipado com uma chave electrónica das luzes de médios, durante um
fig 3, fornecida em duplicado. tempo máximo de 90 segundos.
Voltando a premir o botão ou, ao
esgotarem os 90 segundos,

11
DISPOSITIVO DE quando a alavanca das mudanças esti-

CONHECIMENTO DO VEÍCULO ATENÇÃO ARRANQUE ver na posição P (Estacionamento).


VERSÕES COM CHAVE ELECTRÓ-
2) 3) 6) 7) NICA
1) Colisões violentas poderão danificar os
componentes eletrónicos presentes na (sistema Keyless Enter-N-Go)
chave. Para garantir a perfeita eficiência VERSÕES COM CHAVE MECÂNICA Para activar o dispositivo de arranque,
dos dispositivos eletrónicos internos da A chave pode rodar para três posições é necessário que a chave electrónica
chave, não a deixar exposta aos raios diferentes fig 4: esteja presente no interior do habitácu-
solares. STOP: motor desligado, chave lo.O dispositivo de arranque
extraível, bloqueio da direcção (com fig 5 activa-se também se a chave
chave extraída). Alguns dispositivos electrónica encontra-se no interior da
ATENÇÃO eléctricos (por ex., fecho centralizado bagageira ou na chapeleira.
das portas, alarme, etc.) estão,
1) As pilhas do telecomando gastas podem contudo, disponíveis;
ser nocivas para o meio ambiente se não MAR: posição de marcha. Todos os
corretamente eliminadas; por isso, devem dispositivos eléctricos estão
ser colocadas nos contentores adequados
disponíveis;
como previsto pelas normas vigentes ou
podem ser entregues à Rede de AVV: arranque do motor.
Assistência Jeep, que se encarregará de as
eliminar.

5 J0A0022C

O dispositivo de arranque pode assumir


os seguintes estados:
STOP: motor desligado, bloqueio da
direcção. Alguns dispositivos eléctricos
4 J0A0021C
(por ex., fecho centralizado das portas,
alarme, etc.) estão, contudo,
NOTA Nas versões com caixa automá- disponíveis;
tica, a chave de ignição só é extraível MAR: posição de marcha. Todos os
dispositivos eléctricos estão

12
disponíveis. É possível passar para este e o motor desligado, o dispositivo de ADVERTÊNCIA Nas versões com caixa
estado premindo uma vez o botão no arranque colocar-se-á automatica- automática, para obter uma extração
botão do dispositivo de arranque, sem mente na posição STOP. fluida da chave, é aconselhável posicio-
carregar no pedal do travão (versões Para mais pormenores sobre o arran- nar a alavanca das mudanças na posi-
com caixa automática) ou da que do motor, consultar o parágrafo ção P soltando o pedal do travão em
embraiagem (versões com caixa “Arranque do motor” no capítulo "Ar- condições de segurança e, depois,
manual); ranque e condução". desligar o motor.
AVV: arranque do motor. 4) 5)
BLOQUEIO DA DIREÇÃO
Arranque do motor (com bateria da
chave electrónica descarregada): Ativação
apoie a extremidade arredondada da Versões com chave mecânica: com o
AVISO
chave electrónica (lado oposto relativa- dispositivo na posição STOP retire a
mente à qual se encontra o corpo me- chave e rode o volante até ao bloqueio
tálico presente na chiave) no botão do efetivo. 2) Em caso de violação do dispositivo de
arranque (por ex.: uma tentativa de furto),
dispositivo de arranque e premir o pró- ADVERTÊNCIA O bloqueio do direção pedir a sua verificação à Rede de
prio botão através da chave electró- só é possível após a remoção da chave Assistência Jeep antes de retomar a
nica. do dispositivo de arranque se tiver sido marcha.
efetuada uma rotação da chave de ar- 3) Ao sair do veículo, levar sempre consigo
Desactivação do motor (com bate-
a chave, para evitar que alguém acione
ria da chave electrónica descarre- ranque da posição MAR à STOP.
involuntariamente os comandos.
gada): premir prolongadamente o bo- Versões com chave eletrónica: o blo- Lembrar-se de engatar o travão de
tão do dispositivo de arranque ou queio da direção ativa-se aquando da estacionamento elétrico. Nunca deixar
premi-lo 3 vezes consecutivamente no abertura da porta do condutor com o crianças sozinhas no veículo.
4) É taxativamente proibida qualquer
espaço de poucos segundos. botão do dispositivo de arranque no intervenção em pós-venda, com
NOTA O dispositivo de arranque NÃO estado de STOP e uma velocidade infe- consequentes violações da direção ou da
se activa se a chave electrónica se en- rior a 3 km/h. coluna da direção (por ex. montagem de
antifurto), que poderia causar, além da
contrar no interior da bagageira e esta Desativação redução das prestações do sistema e da
última estiver aberta. Versões com chave mecânica: mo- cessação da garantia, graves problemas
NOTA Com o dispositivo de arranque vendo ligeiramente o volante, rode a de segurança, e também a não
no estado MAR, decorridos 30 minutos conformidade de homologação do veículo.
chave para a posição MAR. 5) Nunca retirar a chave mecânica com o
com o veículo parado (versões com Versões com chave eletrónica: o blo- veículo em movimento. O volante
caixa manual) ou com a alavanca das queio da direção desativa-se quando bloquear-se-ia automaticamente logo à
mudanças na posição P (Estaciona- se prime o dispositivo de arranque e a
primeira curva. Isto é sempre válido,
mento) (versões com caixa automática) mesmo que o veículo esteja a ser
chave eletrónica é reconhecida. rebocado.

13
SENTRY KEY® dição implica a paragem do motor após

CONHECIMENTO DO VEÍCULO
6) Antes de sair do veículo, acionar
SEMPRE o travão de estacionamento. Nas 2 segundos. Neste caso, colocar o dis-
O sistema Sentry Key® impede a positivo de arranque na posição STOP
versões equipadas com caixa automática,
deslocar a alavanca das mudanças para a
utilização não autorizada do veículo,
e novamente em MAR; se o bloqueio
posição P (Estacionamento). e premir o desactivando o arranque do motor.
persistir, voltar a tentar com as outra
dispositivo de arranque para deslocá-lo O sistema não necessita de habilitação/
para STOP. Ao abandonar o veículo,
chaves fornecidas. Se ainda não for
activação: o funcionamento é au-
bloquear sempre todas as portas possível ligar o motor, dirigir-se à Rede
tomático, independentemente do facto
premindo o respetivo botão no puxador. de Assistência Jeep.
7) Versões equipadas com sistema das portas do veículo estarem bloquea-
das ou desbloqueadas. Se o ícone for visualizado durante
Keyless Enter-N-Go, não deixar a chave
eletrónica no interior ou próximo do veículo a marcha, significa que o sistema está
Colocando o dispositivo de arranque na
ou num local acessível às crianças. Não a efectuar um auto-diagnóstico (devido,
deixar o veículo com o dispositivo de
posição MAR, o sistema Sentry Key®
por exemplo, a uma queda de tensão).
arranque na posição MAR. Uma criança identifica o código transmitido pela
chave. Se o código for reconhecido Se a visualização persistir, dirigir-se à
pode acionar os elevadores de vidros
elétricos, outros comandos ou ligar como válido, o sistema Sentry Key® Rede de Assistência Jeep.
inadvertidamente o motor. autoriza, assim, o arranque do motor.
Voltando a colocar o dispositivo de ar-
ranque na posição STOP, o sistema
Sentry Key® desactiva a centralina
que controla o motor, impedindo,
assim, o arranque do mesmo.
Para os procedimentos de arranque do
motor correctos, consultar o parágrafo
“Arranque do motor” no capítulo "Ar-
ranque e condução".
IRREGULARIDADE DE FUNCIONA-
MENTO
Se, durante o arranque, o código da
chave não tiver sido reconhecido cor-
rectamente, no quadro de instrumentos
é visualizado o ícone (consultar o
parágrafo “Luzes avisadoras e mensa-
gens” no capítulo "Conhecimento do
quadro de instrumentos"). Esta con-

14
ALARME DESACTIVAÇÃO DO PORTAS
ALARME
Premir o botão .
A intervenção do alarme provoca o ac- BLOQUEIO/
cionamento do avisador acústico e dos Accionando a abertura centralizada DESBLOQUEIO DAS
indicadores de direcção. através do corpo metálico da chave, o PORTAS PELO INTERIOR
alarme não se desliga. 8)
O alarme é adequado de origem às
normas dos diferentes países. DESACTIVAÇÃO DO Se todas as portas estiverem correcta-
ALARME mente fechadas, ficarão bloqueadas
ACTIVAÇÃO DO ALARME Para desligar completamente o alarme automaticamente ao ultrapassar a velo-
Com as portas e o capot fechados, o (por ex., em caso de uma longa inacti- cidade de 20 km/h (função "Auto-
dispositivo de arranque na posição vidade do veículo), fechar as portas close").
STOP, apontar a chave com teleco- rodando o corpo metálico da chave Bloqueio/desbloqueio centralizado:
mando (ou a chave electrónica) na di- com telecomando na fechadura da premir o botão na moldura do painel
recção do veículo e, de seguida, premir porta. da porta do lado do condutor fig 7 ou
e soltar o botão . do lado do passageiro para efectuar o
Se as pilhas da chave com teleco-
À excepção de alguns mercados, o bloqueio das portas.Com as portas
mando ficarem descarregadas, ou em
sistema emite um sinalização visual e bloqueadas, premir o botão para
caso de avaria do sistema, para desac-
acústica e activa o bloqueio das portas. efectuar o desbloqueio das portas.
tivar o alarme, colocar o dispositivo de
Com o alarme ligado, no quadro de arranque na posição MAR. Nas versões
instrumentos começa a piscar a luz equipadas com sistema Keyless Enter-
avisadora A fig 6. -N-Go, abrir manualmente as portas
introduzindo o corpo metálico presente
no interior da chave do trinco da porta
do lado do condutor e, de seguida,
apoiar a própria chave electrónica no
dispositivo de arranque.

7 J0A0079C

Bloqueio/desbloqueio manual: ac-


6 J0A0191C tuar na alavanca A fig 8 situada sobre o

15
puxador das portas anteriores. BLOQUEIO/ Efetuado o desbloqueio, puxando o

CONHECIMENTO DO VEÍCULO
DESBLOQUEIO DAS manípulo de abertura, é possível abrir
PORTAS PELO EXTERIOR todas as portas em função da modali-
2) dade definida através do menu do dis-
play ou através do sistema
Bloqueio das portas pelo exterior:
Uconnect™.
com as portas fechadas, premir o bo-
tão na chave ou inserir e rodar o Por outro lado, premindo o botão de
corpo metálico (presente no interior da abertura A fig 9, é possível aceder à
chave) na fechadura da porta do lado bagageira.
do condutor.
Desbloqueio das portas pelo exte-
rior: premir o botão na chave ou in-
serir e rodar o corpo metálico (presente
no interior da chave) na fechadura da
porta do lado do condutor.
PASSIVE ENTRY
3)

O sistema Passive Entry é capaz de


identificar a presença de uma chave 9 J0A0042C

electrónica na proximidade de portas e


da tampa da mala, permitindo NOTA Certificar-se de ter sempre con-
8 J0A0027C
desbloquear/bloquear as portas (ou a sigo a chave electrónica (por ex. no
tampa da bagageira) sem ter de premir bolso) até que o sistema a reconheça,
Posição 1: porta desbloqueada / Po-
nenhum botão na chave electrónica. permita entrar no interior do habitáculo
sição 2 : porta bloqueada.
e ligar o motor.
Se o sistema identificar como válida a
chave electrónica detectada, ao possui- Abertura de emergência da porta
dor da chave basta agarrar num dos do lado do condutor
manípulos anteriores para desactivar o Se a chave electrónica não funcionar
alarme e desbloquear o mecanismo de (por ex., porque a bateria da chave
abertura das portas e da tampa da ba- electró estiver descarregada, ou a bate-
gageira. ria do veículo estiver descarregada), é
possível utilizar o corpo metálico de

16
emergência situado no interior da pró-
pria chave para accionar o desbloqueio
da fechadura da porta do lado do con-
dutor.
Extração do corpo metálico: atuar
no dispositivo A fig 10 e extrair o corpo
metálico B, retirando-o para o exterior.
De seguida, inserir o corpo metálico na
fechadura da porta do lado do
condutor e rodá-lo para desbloquear a
11 J0A0040C 12 J0A0621C
fechadura da porta.
Depois de ter premido o botão de "blo- Bloqueio da fechadura da tampa da
queio de portas", aguardar 2 segundos bagageira: com a tampa da bagageira
antes de poder novamente desblo- fechada, premir o botão A fig 13.
quear as portas através do puxador.Pu-
xando o manípulo da porta no espaço
de 2 segundos é, assim, possível verifi-
car se o veículo está correctamente
fechado, sem que as portas sejam des-
bloqueadas.

10 J0A0038C Não efetuar simultaneamente ações de


bloqueio e desbloqueio puxando o pu-
Bloqueio das portas: certificar-se que xador (ver fig 12 ).
tem consigo a chave eletrónica e que
13 J0A0023C
se encontra num raio de ação de 1,5
metros do puxador da porta do lado do
DISPOSITIVO DEAD
condutor ou do passageiro. Premir o LOCK
botão A fig 11 situado no puxador: (onde presente)
deste modo, serão bloqueadas todas 9)
as portas e a tampa da bagageira. O
bloqueio das portas ativa também o Inibe o funcionamento dos puxadores
alarme (se presente). internos do veículo e do botão de
bloqueio/desbloqueio das portas.

17
Activação do dispositivo: o disposi-

CONHECIMENTO DO VEÍCULO
tivo é automaticamente activado em AVISO
todas as portas, ao efectuar uma dupla
pressão rápida do botão na chave.
8) NUNCA deixar as crianças no interior do
Desactivação do dispositivo: premir
veículo sem vigilância, nem abandonar o
o botão na chave com telecomando veículo com as portas desbloqueadas num
ou colocar o dispositivo de arranque na local facilmente acessível às crianças. As
posição MAR. crianças poderiam ferir-se facilmente de
modo grave, se não mesmo mortal.
DISPOSITIVO DE Certificar-se ainda de que as crianças não
SEGURANÇA PARA engatam inadvertidamente o travão de
CRIANÇAS estacionamento elétrico, acionam o pedal
do travão ou a alavanca da caixa
10)
automática.
Impede a abertura das portas posterio- 9) Utilizar sempre este dispositivo quando
res pelo interior. se transportam crianças. Depois de ter
acionado o dispositivo em ambas as
O dispositivo A fig 14 só pode ser portas traseiras, verificar a efetiva ativação
activado com as portas abertas: agindo no puxador interna de abertura das
posição : dispositivo activo (porta portas.
bloqueada); 10) Ao ativar o dispositivo Dead Lock deixa
de ser possível abrir, de forma alguma, as
posição : dispositivo desligado (a portas pelo interior do veículo; portanto,
porta pode ser aberta pelo interior). certificar-se antes de sair que não haja
14 J0A0041C
pessoas a bordo.

O sistema permanece activo mesmo ao


efectuar a destrancagem eléctrica das
ATENÇÃO
portas.
As portas posteriores não podem ser
2) Certificar-se de ter consigo a chave ao
abertas a partir do interior quando o fechar a porta ou a bagageira para evitar
sistema de segurança para crianças deixar a chave no interior do veículo. Uma
está accionado. vez fechada no interior, a chave só pode
ser recuperada com a utilização da
segunda chave fornecida.

18
3) O funcionamento do sistema de
BANCOS nada até atingir a posição desejada e
reconhecimento depende de vários fatores depois soltá-la).
como, por exemplo, a eventual Regulação lombar eléctrica (onde
interferência com ondas eletromagnéticas BANCOS DIANTEIROS DE presente): com dispositivo de arranque
emitidas por fontes externas (por ex. REGULAÇÃO MANUAL
telemóveis), o estado de carga da bateria
na posição MAR, premir o botão A
11) 4)
da chave eletrónica e a presença de fig 16 para regular o suporte da zona
objetos metálicos na proximidade da Regulação no sentido longitudinal: lombar até obter a configuração de
própria chave ou do veículo. Nestes casos, levantar a alavanca A fig 15 e empurrar máximo conforto durante a condução.
é, contudo, possível efetuar o desbloqueio o banco para a frente ou para trás.
das portas utilizando o corpo metálico
presente no interior da chave eletrónica
(consultar as páginas seguintes).

16 J0A0399C

15 J0A0043C

BANCOS ANTERIORES
12) COM REGULAÇÃO
ELÉCTRICA
Efectuada a regulação, estando sen- 5)
tado no banco em questão (lado do
Através dos botões de comando (locali-
condutor ou lado do passageiro).
zados no lado exterior do banco), é
Regulação em altura (se presente): possível regular a altura, a posição no
atuar na alavanca B para cima ou para sentido longitudinal e a inclinação do
baixo até obter a altura desejada. encosto.
Regulação da inclinação do en-
costo: actuar na alavanca C acompa-
nhando o encosto com o movimento
do tronco (manter a alavanca accio-

19
AQUECIMENTO ção de aquecimento eléctrico do banco

CONHECIMENTO DO VEÍCULO
ELÉCTRICO DOS do condutor activa-se automatica-
BANCOS ANTERIORES mente no "aquecimento máximo".
(onde presente)
Com o dispositivo de arranque na posi- BANCOS POSTERIORES
ção MAR, premir os botões fig 18. Ampliação parcial da bagageira (1/3
ou 2/3)
6)

Proceder do seguinte modo:


onde presente, remover a
17 J0A0044C
chapeleira;
baixar totalmente os apoios de
Regulação em altura: actuar na parte cabeça do banco posterior;
anterior ou posterior do interruptor A certificar-se de que o cinto de
fig 17 para modificar a altura e/ou a segurança está posicionado na
inclinação da almofada do banco. moldura A fig 19;
Regulação no sentido longitudinal: 18 J0A0047C actuar na alavanca B para rebater a
empurrar o interruptor A para a frente parte desejada (esquerda ou direita) do
ou para trás para deslocar o banco na É possível escolher entre dois níveis de encosto: o encosto será rebatido
direcção correspondente. aquecimento: " aquecimento mínimo" automaticamente para a frente. Se
Regulação da inclinação do en- (um LED laranja aceso nos botões) / " necessário, acompanhar o encosto na
costo: empurrar o interruptor B para a aquecimento máximo" (dois LEDs la- primeira parte do rebatimento. A
frente ou para trás para inclinar o en- ranja acesos nos botões). elevação da alavanca é evidenciada por
costo na direcção correspondente. Uma vez seleccionado um nível de uma marca vermelha.
Regulação lombar eléctrica: actuar aquecimento será necessário aguardar
no joystick C para accionar o disposi- alguns minutos antes de sentir o seu
tivo de suporte da zona lombar até ob- efeito.
ter a configuração de máximo conforto A fim de proteger a carga da bateria, a
durante a condução. activação desta função com o motor
desligado não é permitida.
Auto On Comfort (se presente)
Se a temperatura externa for inferior a
1,5°C, a cada arranque do motor a fun-

20
AVISO ATENÇÃO

11) Qualquer regulação deve ser 4) Os revestimentos têxteis dos bancos


executada exclusivamente com o veículo estão dimensionados para resistir durante
parado. muito tempo ao desgaste resultante da
12) Uma vez largada a alavanca de utilização normal do veículo. No entanto, é
regulação, verificar sempre se o banco necessário evitar fricções excessivas e/ou
está bloqueado nas guias, tentando prolongadas com acessórios de vestuário,
deslocá-lo para a frente e para trás. A tais como fivelas metálicas, aplicações,
19 J0A0045C
ausência deste bloqueio poderá provocar fixadores em Velcro e semelhantes, uma
a deslocação inesperada do banco e vez que os mesmos, atuando de modo
causar a perda de controlo do veículo. localizado e com uma elevada pressão nos
Reposicionamento dos encostos 13) Certificar-se de que os encostos estão fios, podem provocar a rotura dos
13) 14) corretamente engatados em ambos os mesmos, com consequentes danos no
lados ("marcas vermelhas" não visíveis) revestimento.
Deslocar lateralmente os cintos de se- para evitar que, em caso de travagem 5) Não colocar objetos por baixo do banco
gurança verificando se estes estão brusca, possam projetar-se para a frente, com regulação elétrica e não dificultar o
completamente desenrolados e não causando ferimentos aos passageiros. seu movimento, dado que os comandos
torcidos e que não fiquem estrangula- 14) Se estiver presente um passageiro, poderiam ficar danificados. Além disso,
não é possível utilizar o apoio de braço e é poderiam limitar o curso do banco.
dos por trás do encosto dos bancos. necessário manter o encosto central 6) Antes de rebater o encosto, remover
Certificar-se de que os cintos de segu- corretamente fixado. qualquer objeto presente na almofada do
rança estão posicionados nas molduras banco.
A fig 19 (se presentes); de seguida,
levantar os encostos empurrando-os
para trás, até sentir o ressalto de
bloqueio em ambos os mecanismos de
engate localizados lateralmente,
verificando visualmente o
desaparecimento das "marcas
vermelhas" presentes nas alavancas A
fig 19 (a "marca vermelha" indica, de
facto, a falta de engate do encosto).

21
APOIOS DE CABEÇA VOLANTE
CONHECIMENTO DO VEÍCULO 16) 17)

REGULAÇÕES REGULAÇÕES
15) O volante pode ser regulado quer em
Regulação para cima: elevar o apoio altura quer em profundidade.
de cabeça até a ouvir o respectivo es- Para efectuar a regulação deslocar a
talido de bloqueio. alavanca A fig 22 (versões com volante
Regulação para baixo: premir a tecla à esquerda) ou fig 23 (versões com
A fig 20 (apoios de cabeça anteriores) e volante à direita) para baixo até à
21 J0A0058C
A fig 21 (apoios de cabeça posteriores) posição 1, de seguida regular o volante
e baixar o apoio de cabeça. APOIOS DE CABEÇA para a posição mais adequada e
(remoção) depois bloqueá-lo nesta posição
colocando novamente a alavanca na
Para remover os apoios de cabeça,
posição 2.
proceder como indicado a seguir:
levantar os apoios de cabeça até à
altura máxima;
premir o botão A e o dispositivo B
fig 20 (apoios de cabeça anteriores) ou
A e B fig 21 (apoios de cabeça
posteriores) ao lado dos dois suportes;
de seguida, remover os apoios de
20 J0A0500C cabeça puxando-os para cima.

AVISO 22 J0A0056C

15) Os apoios de cabeça devem ser


regulados de maneira que a cabeça, e não
o pescoço, fique apoiada neles. Somente
nestas condições exercem a sua ação
protetora.

22
Auto On Comfort (se presente) ESPELHOS
Se a temperatura externa for inferior a RETROVISORES
1,5°C, a cada arranque do motor a fun-
ESPELHO INTERIOR
ção de aquecimento eléctrico do vo-
lante activa-se automaticamente. Está equipado com um dispositivo con-
tra acidentes que permite o desengate
em caso de contacto violento com um
AVISO passageiro. Actuar na alavanca A
fig 25 para regular o espelho para duas
16) As regulações devem ser feitas diferentes posições: normal ou
23 J0A0522C somente com o veículo parado e o motor antiencandeamento.
desligado.
AQUECIMENTO 17) É taxativamente proibida qualquer
ELÉCTRICO DO VOLANTE intervenção em pós-venda, com
(onde presente) consequentes violações da direção ou da
coluna da direção (por ex. montagem de
Com o dispositivo de arranque na posi- antifurto), que podem causar, além da
ção MAR, premir o botão no painel redução das prestações do sistema e da
de instrumentos fig 24.A activação é cessação da garantia, graves problemas
evidenciada pelo acendimento do LED de segurança, e também a não
conformidade de homologação do veículo.
situado no próprio botão.

25 J0A0060C

ESPELHO INTERNO
ELECTROCRÓMICO
(onde presente)
Em algumas versões, existe um espe-
lho electrocrómico, capaz de modificar
automaticamente a própria capacidade
reflectora para evitar o encandeamento
24 J0A0048C do condutor fig 26.

A activação desta função com o motor


desligado pode descarregar a bateria.

23
Manobra de realinhamento dos

CONHECIMENTO DO VEÍCULO
espelhos
Se um dos espelhos externos tiver sido
movimentado manualmente, pode
verificar-se que o mesmo espelho não
mantém a sua posição de modo está-
vel durante a condução.
Neste caso, é necessário realizar a se-
guinte manobra de realinhamento:
fechar manualmente o espelho na
26 J0A0059C 27 J0A0061C
posição de estacionamento,
rebatendo-o da posição 1 para a
O espelho electrocrómico possui uma Para orientar o espelho seleccionado,
posição 2 (ver fig 28 );
tecla ON/OFF para a activação/ premir o botão B fig 27 nas quatro
accionar uma ou duas vezes o
desactivação da função electrocrómica direcções indicadas pelas setas.
comando de abertura dos espelhos C
anti-encandeamento.
Terminada a regulação, rodar o disposi- fig 27 para realinhar o sistema e colocar
ESPELHOS EXTERNOS tivo A fig 27 para a posição 0 para ambos os espelhos na posição de
Regulação eléctrica evitar deslocações acidentais. condução.
18) Dobragem eléctrica do espelho
A regulação dos espelhos só é possível (onde presente)
com o dispositivo de arranque na posi- Para recolher os espelhos, premir o
ção MAR. botão C fig 27. Premir novamente o
Seleccionar o espelho desejado através botão para repor os espelhos na
do dispositivo A fig 27: posição de marcha. Se, durante a fase
dispositivo na posição 1: seleção do de rebatimento dos espelhos (de
espelho esquerdo; fechados a abertos e vice-versa), for
dispositivo na posição 2: seleção do premido o botão C, os espelhos
espelho direito. invertem a direcção de manobra.
28 J0A0209C

Durante a marcha, os espelhos devem


ser mantidos sempre abertos, nunca
devem estar dobrados.

24
LUZES EXTERNAS acendem-se o quadro de instrumentos
AVISO e os vários comandos situados no
tablier.
COMUTADOR DE LUZES
18) O espelho retrovisor exterior lado O comutador de luzes A fig 29, situado FUNÇÃO AUTO
condutor, sendo curvo, altera ligeiramente (Sensor crepuscular)
no lado esquerdo do painel de
a perceção da distância. (onde presente)
instrumentos (versões de volante à
esquerda) ou no lado direito (versões É um sensor a LEDs infravermelhos,
de volante à direita), comanda o ligado ao sensor de chuva e situado no
funcionamento dos faróis, das luzes de pára-brisas, capaz de detectar as varia-
presença, das luzes diurnas, dos ções da intensidade luminosa exterior
médios, das luzes de nevoeiro, das ao veículo, com base na sensibilidade
luzes de nevoeiro traseiras e a da luz actuando no Menu do display ou
regulação da intensidade luminosa do do sistema Uconnect™.
painel de instrumentos e dos elementos Quanto maior for a sensibilidade, menor
gráficos dos botões de comando. é a quantidade de luz externa necessá-
ria para comandar a ligação das luzes
externas.
Activação da função: rodar o comu-
tador de luzes para a posição AUTO.
Desactivação da função: rodar o co-
mutador de luzes para uma posição
diferente de AUTO.
A função só é activável com o disposi-
tivo de arranque na posição MAR.
29 J0A0888C LUZES DOS MÉDIOS
Rodar o comutador de luzes para a
A iluminação externa realiza-se apenas posição para acender as luzes de
com o dispositivo de arranque na posi- presença, as luzes do quadro de instru-
ção MAR. mentos e as luzes de médios.
Ao acender as luzes externas, No quadro de instrumentos acende-se
a luz avisadora .

25
LUZES DIURNAS (D.R.L.) gando novamente no botão ou apa- LUZES DE MÁXIMOS

CONHECIMENTO DO VEÍCULO
"Daytime Running Lights" gando os faróis de médios ou os faróis Para ligar as luzes de máximos fixas,
(onde presente) de nevoeiro. empurrar a alavanca A fig 30 (sentido
19) 20) de marcha do veículo). O comutador de
LUZES DE
Com o dispositivo de arranque na posi- ESTACIONAMENTO luzes deve ser rodado para a posição
ção MAR e o comutador de luzes ro- Acendem-se, com o dispositivo de ar- AUTO ou .
dado para a posição O, acendem-se ranque na posição STOP ou com a A posição instável activa-se puxando a
automaticamente as luzes diurnas; as chave extraída, colocando o comutador alavanca para si.
outras lâmpadas e a iluminação interna de luzes primeiro na posição O e, de- Com as luzes de máximos acesas, no
permanecem apagadas. pois, na posição . quadro de instrumentos acende-se a
Com o dispositivo de arranque na posi- No quadro de instrumentos acende-se luz avisadora .
ção STOP, deslocar o comutador de a luz avisadora .
luzes para a posição para acen-
TEMPORIZAÇÃO DO
der as luzes de presença, as luzes do APAGAMENTO DOS
quadro de instrumentos e apagar as FARÓIS
luzes diurnas. Ativação da função: com os faróis
LUZES DE NEVOEIRO acesos, colocar o dispositivo de arran-
(para versões/mercados, onde previsto) que na posição STOP: a temporização
Com as luzes de presença e de médios inicia com a rotação do comutador de
acesas, premir o comutador para luzes na posição O.
acender as luzes de nevoeiro.
Para a ativação da função, os faróis 30 J0A0063C
Para apagar as luzes de nevoeiro, pre- devem ser desligados no espaço de 2
mir novamente o comutador ou rodá-lo minutos a partir do posicionamento do As luzes de máximos desligam-se vol-
para a posição O. dispositivo de arranque em STOP. tando a colocar a alavanca na posição
LUZ DE NEVOEIRO Desactivação da função: a função é central estável. No quadro de instru-
TRASEIRA desactivada reacendendo os faróis, as mentos apaga-se a luz avisadora .
Premir o botão para ligar/desligar a luzes de presença ou deslocando o
Luzes de máximos automáticas
luz. dispositivo de arranque para a posição
Esta função activa-se actuando no
A luz de nevoeiro traseira acende-se MAR. Se se apagarem os faróis antes
Menu do display ou no sistema
apenas com as luzes de médios ou de do acendimento, estes apagar-se-ão
Uconnect™ e com o comutador de
nevoeiro ligadas. A luz apaga-se carre- de modo normal.
luzes rodado para a posição AUTO.
No primeiro accionamento das luzes de

26
máximos (empurrando a alavanca es- REGULAÇÃO DO Verifique a posição de alinhamento dos
querda), activa-se a função (no quadro ALINHAMENTO DOS faróis sempre que mudar o peso da
de instrumentos acende-se a luz avisa- FARÓIS carga transportada.
dora de cor verde ). Corretor do alinhamento dos faróis
REGULAÇÃO DA
Se os máximos estiverem efectiva- Só funciona com o dispositivo de arran- INTENSIDADE LUMINOSA
mente acesos, no quadro de instru- que na posição MAR e os médios ace- DO QUADRO DE
mentos acende-se também a luz avisa- sos. INSTRUMENTOS E DOS
GRAFISMOS DOS
dora de cor azul . Para fazer a regulação, rode o aro A BOTÕES DE COMANDO
Para desactivar a função automática, fig 31, situado no lado esquerdo do
painel de instrumentos (versões com Com as luzes de presença ou os faróis
rodar o aro do comutador de luzes para
volante à esquerda) ou no lado direito acesos, rodar o aro B fig 0 para cima
a posição .
(versões com volante à direita). para aumentar a intensidade da
INDICADORES DE iluminação do quadro de instrumentos
DIRECÇÃO e dos grafismos dos botões de
Colocar a alavanca esquerda A comando ou para baixo para diminuí-la.
fig 30 na posição (estável): O aro está localizado no lado esquerdo
para cima: activação do indicador de no painel de instrumentos (versões com
direcção direito; volante à esquerda) ou no lado direito
para baixo: activação do indicador (versões com volante à direita).
de direcção esquerdo.
Função "Lane Change" (mudança
de faixa) AVISO
Sempre que se pretenda assinalar uma
31 J0A0889C
mudança de faixa, colocar a alavanca 19) As luzes diurnas são uma alternativa
esquerda na posição instável por me- aos médios nos locais onde é obrigatória a
Posição 0: uma ou duas pessoas sua utilização durante a condução diurna;
nos de meio segundo. O indicador de nos bancos dianteiros; nos locais onde esta não é obrigatória, a
direção do lado selecionado activar- Posição 1: 4 pessoas utilização das luzes diurnas é permitida.
-se-á durante 5 lampejos para depois Posição 2: 4 pessoas + carga na 20) As luzes diurnas não substituem as
se desligar automaticamente. luzes de médios durante a circulação em
bagageira túneis ou noturna. O uso das luzes diurnas
Posição 3: condutor + carga é regulamentado pelo código da estrada
máxima admitida localizada do país em que se está a circular: observar
exclusivamente na bagageira as prescrições.

27
LUZES INTERNAS LIMPA PÁRA-
CONHECIMENTO DO VEÍCULO
BRISAS/LIMPA-
ÓCULO POSTERIOR
PLAFONIER ANTERIOR
O interruptor A fig 32 acende/apaga as LIMPA PÁRA-BRISAS/
lâmpadas do plafonier. LAVA PÁRA-BRISAS
Posições do interruptor:
posição central: as lâmpadas C e E 21) 7) 8)

acendem/apagam com a O funcionamento só se realiza com o


abertura/fecho das portas; dispositivo de arranque na posição
premido para a esquerda (posição MAR.
OFF): as lâmpadas C e E permanecem O aro A fig 33 pode assumir as
sempre desligadas; seguintes posições:
premido para a direita (posição
): as lâmpadas C e E
permanecem sempre acesas.
As luzes acendem/apagam-se de ma-
neira progressiva.
O interruptor B fig 32 acende/apaga a
lâmpada C.
O interruptor D fig 32 acende/apaga a 32 J0A0024C

lâmpada E.
Temporização das luzes do
plafonier 33 J0A0071C
Em algumas versões, para facilitar a
entrada/saída do veículo, em especial limpa pára-brisas parado.
de noite ou em lugares pouco ilumina-
1 funcionamento intermitente (baixa
dos, estão à disposição duas lógicas
de temporização: velocidade)
à entrada do veículo; 2 funcionamento intermitente (alta
à saída do veículo.
velocidade);

28
LOW funcionamento contínuo lento. termina três batidas depois de largar a LIMPA-ÓCULO
alavanca. O ciclo é terminado por uma POSTERIOR/LAVA-ÓCULO
HIGH funcionamento contínuo veloz. POSTERIOR
batida do limpa pára-brisas cerca de 6
Deslocando a alavanca para cima (po- segundos depois. Activação
sição instável), activa-se a função MIST: Rodando o aro B fig 33 da posição O
SENSOR DE CHUVA
o funcionamento está limitado ao (onde presente) para a posição acciona-se o
tempo em que se mantém manual- limpa-óculo posterior da seguinte
Está localizado atrás do espelho retrovi-
mente a alavanca nesta posição.A sol- forma:
sor interno, em contacto com o pára-
tar a alavanca, esta volta à sua posição no modo intermitente quando o
-brisas e está em condições de detec-
parando automaticamente o limpa limpa pára-brisas não está em
tar a presença da chuva e,
pára-brisas.Esta função é útil para re- funcionamento;
consequentemente, gerir a limpeza do
mover, por exemplo, pequenas acumu- no modo síncrono (com a metade da
pára-brisas em função da água pre-
lações de sujidade do pára-brisas, ou o frequência do limpa pára-brisas)
sente no vidro.
orvalho matinal. quando o limpa pára-brisas está em
ADVERTÊNCIA Esta função não activa Activação/desactivação funcionamento;
o lava-vidros, pelo que no pára-brisas 9) 10) na modalidade contínua com
não será pulverizado o líquido lava- Actuando no Menu do display ou no marcha-atrás engatada e comando
-vidros. Para pulverizar o líquido lava- sistema Uconnect™, é possível activo.
-vidros no pára-brisa, é necessário usar activar/desactivar o sensor de chuva. É Posição 1 : funcionamento inter-
a função de lavagem. também possível desactivar o sensor mitente (baixa velocidade).
Com o aro A na posição 1 ou 2 deslocando o dispositivo de arranque Posição 2 : funcionamento
, o limpa pára-brisas adapta para a posição STOP. contínuo lento.
automaticamente a velocidade de fun- A activação do sensor é assinalada por Com o limpa-pára-brisas em funciona-
cionamento à velocidade do veículo. uma "batida" de aquisição do co- mento e marcha-atrás inserida
Função “Lavagem inteligente” mando. activa-se o limpa-óculo posterior na
Puxar a alavanca para o volante (posi- Se se deslocar o dispositivo de arran- modalidade contínua. Empurrando a
ção instável) para accionar o lava pára- que para a posição STOP, deixando o alavanca para o tablier (posição instá-
-brisas. aro A fig 33 na posição 1 ou 2 vel) acciona-se o jacto do lava-óculo
, no arranque seguinte posterior.
Ao manter a alavanca puxada,
(dispositivo de arranque na posição Mantendo a alavanca empurrada por
activa-se automaticamente, com um
MAR) não é efectuado nenhum ciclo de mais de meio segundo, activa-se tam-
único movimento, o jacto do lava-vidros
limpeza mesmo na presença de chuva. bém o limpa-óculo posterior. Ao soltar
e o próprio limpa pára-brisas.
O funcionamento do limpa pára-brisas

29
a alavanca, activa-se a lavagem inteli-

CONHECIMENTO DO VEÍCULO
gente, como para o limpa pára-brisas.
Desactivação
Soltar a alavanca.

AVISO

21) Quando for necessário limpar o


para-brisas, certificar-se da desativação
efetiva do dispositivo.

ATENÇÃO

7) Não utilizar o limpa para-brisas para


eliminar neve ou gelo acumulados. Nestas
condições, se o limpa para-brisas for
submetido a um esforço excessivo,
ativa-se a proteção do motor, que inibe o
seu funcionamento durante alguns
segundos. Se a funcionalidade não for
posteriormente restabelecida, mesmo após
um novo arranque do veículo, contactar a
Rede de Assistência Jeep.
8) Não acionar o limpa para-brisas com as
escovas levantadas do para-brisas.
9) Não ativar o sensor de chuva durante a
lavagem automática numa estação de
serviço.
10) Em caso de presença de gelo no
para-brisas, certificar-se da desativação
efetiva do dispositivo.

30
CLIMATIZAÇÃO

2)

CLIMATIZADOR MANUAL
Comandos

34 J0A0053C

A - manípulo de activação/regulação do ventilador:


0 = ventilador apagado
= velocidade de ventilação (é possível seleccionar 7 diferentes tipos de velocidade)
B - botão de activação/desactivação da recirculação do ar (LED aceso: recirculação do ar interno ligado / LED apagado: recir-
culação do ar interno desligado);

31
C - manípulo de regulação da temperatura do ar e activação da função MAX A/C (para obter o máximo arrefecimento do habi-

CONHECIMENTO DO VEÍCULO
táculo, posicionar o manípulo na posição assinalada pela indicação MAX A/C): zona azul = ar frio / zona vermelha = ar quente
D - botão de activação/desactivação do compressor do climatizador;
E - selector de distribuição do ar:
saída de ar dos bocais centrais e laterais
saída de ar dos bocais centrais, laterais e dos difusores da zona dos pés anteriores e posteriores
saída de ar dos difusores da zona dos pés anteriores e posteriores e um ligeiro fluxo de ar também dos bocais laterais no
tablier
saída de ar dos difusores da zona dos pés anteriores, posteriores, para o pára-brisas, para os vidros laterais e um ligeiro
fluxo de ar também para os bocais laterais no tablier
saída de ar para o pára-brisas, para os vidros laterais e um ligeiro fluxo de ar também para os bocais laterais no tablier
Estão também previstas mais 4 posições intermédias enrte as 5 distribuições principais acima descritas.
F - botão de activação/desactivação do óculo posterior térmico e, onde presente, do aquecimento eléctrico dos espelhos re-
trovisores externos;
Não aplicar autocolantes nos filamentos eléctricos na parte interna do óculo posterior térmico, para evitar danificá-lo, prejudi-
cando o seu funcionamento.
A recirculação do ar interno permite, com base no modo de funcionamento seleccionado ("aquecimento" ou "arrefecimento"),
alcançar mais rapidamente as condições desejadas. A activação da recirculação do ar interno é desaconselhada em caso de
dias chuvosos/frios para evitar a possibilidade de embaciamento dos vidros.
Aquecedor suplementar
(onde presente)
O aquecedor suplementar garante um aquecimento mais rápido do habitáculo.
Activa-se com condições climáticas frias, se se verificarem as seguintes condições:
baixa temperatura externa;
temperatura do líquido de refrigeração do motor baixa;
motor ligado;
velocidade de ventilação definida pelo menos para a 1 a velocidade;
selector C rodado completamente para a direita para a zona vermelha.
A desactivação do aquecedor realiza-se quando pelo menos uma das condições acima indicadas já não se verificar.
A potência do aquecedor eléctrico é modulada em função da tensão da bateria.

32
CLIMATIZADOR AUTOMÁTICO BI-ZONA
Comandos

35 J0A0054C

A - seletor de regulação da temperatura do lado do condutor;


B - botão de ativação/desativação da recirculação de ar interno;
C - botão de ativação/desativação do compressor do climatizador;
D - botão de ativação da função MAX DEF (descongelação/desembaciamento rápido dos vidros dianteiros);
E - botão de ativação/desativação do climatizador;
F - seletor de regulação da velocidade do ventilador;
G - LED de sinalização da velocidade do ventilador (velocidade máxima do ventilador = todos os LEDs iluminados; velocidade
mínima do ventilador = um LED iluminado);

33
H - botões de seleção da distribuição do ar;

CONHECIMENTO DO VEÍCULO
Fluxo de ar para os difusores do para-brisas e dos vidros laterais dianteiros para o desembaciamento/descongelação dos
vidros.
Fluxo de ar para os bocais centrais e laterais do tablier para a ventilação do busto e do rosto no Verão.
Fluxo de ar para os difusores da zona dos pés dianteiros e traseiros. Esta distribuição do ar é a que permite no mais breve
espaço de tempo o aquecimento do habitáculo dando uma sensação de calor imediata.
+ Repartição do fluxo de ar entre os difusores da zona dos pés (ar mais quente) e os bocais centrais e laterais do
tablier (ar mais fresco). Esta distribuição do ar é útil nas estações moderadas (Primavera e Outono), na presença de
radiação solar.
+ Repartição do fluxo de ar entre os difusores da zona dos pés e os difusores para descongelação/desembaciamento
do para-brisas e dos vidros laterais dianteiros. Esta distribuição do ar permite um bom aquecimento do habitáculo,
tendo em conta o possível embaciamento dos vidros.
+ Repartição do fluxo de ar entre difusores da zona de descongelação/desembaciamento do para-brisas e bocais
centrais e laterais do tablier. Esta distribuição permite enviar ar para o para-brisas em condições de irradiação.
+ + Repartição do fluxo do ar em todos os difusores do veículo.
I - botão de ativação/desativação do óculo traseiro térmico (se a funcionalidade estiver presente, premindo o botão, ativa-se
também o desembaciamento/descongelação dos espelhos retrovisores externos);
L - seletor de regulação da temperatura do lado do passageiro;
M - botão de ativação da função SYNC (alinhamento das temperaturas definidas) condutor/passageiro;
N - botão de ativação da função AUTO (funcionamento automático).

Na modalidade AUTO, o climatizador lada e o LED correspondente apaga- Com o sistema Stop/Start activo (motor
gere automaticamente a distribuição do -se. Para restabelecer o controlo auto- desligado e veículo parado), o caudal
ar (os LEDs nos botões H estão apaga- mático da distribuição do ar após uma reduz-se ao mínimo para tentar manter
dos). A distribuição do ar, quando se- selecção manual, pressionar o botão o mais tempo possível as condições de
leccionada manualmente, é visualizada AUTO. conforto do habitáculo.
através da ligação dos LEDs nos bo- NOTAS
tões seleccionados. O climatizador automático bi-zona gere
Na função combinada, premindo um a função Stop/Start (motor desligado e
botão activa-se a função respectiva veículo parado) de forma a garantir um
simultaneamente às já definidas. Se, conforto adequado no interior do veí-
pelo contrário, for premido um botão culo.
cuja função está já activa, esta é anu-

34
ELEVADORES DE
ATENÇÃO VIDROS

2) O sistema utiliza fluido refrigerante ELEVADOR ELÉCTRICO


R1234YF que, no caso de perdas DOS VIDROS
acidentais, não prejudica o ambiente. Evitar
22)
a utilização dos líquidos R134a e R12,
incompatíveis com os componentes do Funcionam com o dispositivo de arran-
próprio sistema. que na posição MAR e durante cerca
de 3 minutos após a passagem do dis-
36 J0A0078C
positivo de arranque para a posição
STOP (ou também após a extracção da
A: abertura/fecho do vidro anterior
chave mecânica, para veículos equipa-
esquerdo. Funcionamento "contínuo
dos com chave mecânica com teleco-
automático" em fase de abertura/fecho
mando). Abrindo uma das portas ante-
do vidro e sistema de anti-entalamento
riores, este funcionamento é
activo;
desactivado.
B: abertura/fecho do vidro anterior
Comandos da porta anterior do direito. Funcionamento "contínuo
lado do condutor automático" em fase de abertura/fecho
Os botões estão posicionados nas mol- do vidro e sistema de anti-entalamento
duras dos painéis da porta do lado es- activo;
querdo (versões com volante à es- C: activação/desactivação dos
querda) ou do lado direito (versões com comandos dos elevadores de vidros
volante à direita). A partir do painel da das portas posteriores;
porta do lado do condutor fig 36 é D: abertura/fecho do vidro posterior
possível comandar todos os vidros. esquerdo (onde presente).
Funcionamento "contínuo automático"
em fase de abertura do vidro e
funcionamento eléctrico manual em
fase de fecho do vidro,
E: abertura/fecho do vidro posterior
direito (onde presente). Funcionamento
"contínuo automático" em fase de

35
abertura do vidro e funcionamento reconhecer a eventual presença de um

CONHECIMENTO DO VEÍCULO
eléctrico manual em fase de fecho do obstáculo durante o movimento de fe- AVISO
vidro. cho do vidro. Quando este evento se
verificar, o sistema interrompe o curso
Abertura de vidros 22) A utilização incorreta dos elevadores
do vidro e, conforme a posição do vi-
Premir os botões para abrir o vidro de- dro, inverte o seu movimento em al- de vidros pode ser perigosa. Antes e
sejado. durante o acionamento, certificar-se
guns centímetros. sempre de que os passageiros não
Premindo brevemente qualquer botão A função antientalamento está activa estejam expostos a riscos de lesões
de abertura, quer nas portas anteriores durante o funcionamento quer manual provocadas diretamente pelos vidros em
quer nas portas posteriores, obtém-se movimento ou por objetos pessoais
quer automático do vidro. arrastados ou empurrados pelos mesmos.
o curso "com interrupções" do vidro,
Inicialização do sistema dos vidros Ao sair do veículo, retirar sempre a chave
enquanto que exercendo uma pressão do dispositivo de arranque para evitar que
prolongada activa-se o accionamento eléctricos
os vidros, acionados involuntariamente,
"contínuo automático". A seguir à desactivação da alimentação constituam um perigo para quem
O vidro pára na posição pretendida eléctrica, é necessário inicializar nova- permanece a bordo.
premindo novamente o respectivo bo- mente o funcionamento automático dos
tão. elevadores de vidros.
O procedimento de inicialização, de
Fecho de vidros seguida descrito, deve ser efectuado
Levantar os botões para fechar o vidro com as portas fechadas e em cada
desejado. porta:
A fase de fecho do vidro ocorre se- colocar o vidro a inicializar na
gundo as mesmas lógicas descritas posição de fim de curso superior, em
para a fase de abertura apenas para os funcionamento manual;
vidros das portas anteriores. após atingir o fim de curso superior,
Para os vidros das portas posteriores continuar a manter accionado o
está previsto apenas o fecho "com in- comando de subida durante pelo
terrupções". menos 3 segundos.

Dispositivo de segurança anti-


-esmagamento dos vidros anteiro-
res
(onde presente)
Este sistema de segurança é capaz de

36
TECTO DE ABRIR Botão C fig 37: premir e soltar o botão
ELÉCTRICO para colocar o teto na posição "spoiler"
(abertura em "compasso"). Este tipo de
abertura pode ser ativada
23) 11) independentemente da posição do teto
O tecto de abrir eléctrico é composto de abrir. Durante a abertura "spoiler",
por dois painéis de vidro, dos quais o qualquer pressão no botão C
anterior é móvel e o posterior é fixo, e interrompe o fecho do teto. Premindo o
está equipado com cortina guarda-sol botão C com o teto completamente
de movimentação eléctrica. fechado, este abre-se colocando-se
Em algumas versões, o painel anterior em posição "de compasso". Se a
pode ser accionado electricamente. posição do teto estiver entre a
completa abertura e a posição "de
O funcionamento do tecto e da cortina
compasso", premindo o botão C, o
só se verifica com o dispositivo de ar-
comportamento do teto na fase de
ranque na posição MAR.
fecho será no modo manual.
BOTÕES DE COMANDO
DISPOSITIVO
Botão A fig 37: premindo o botão, o ANTI-ENTALAMENTO
painel de vidro anterior abrir-se-á O tecto de abrir está equipado com um
completamente. A partir da posição de sistema de segurança antientalamento
abertura total, premir o botão: o painel 37 J0A0224C capaz de reconhecer a eventual pre-
anterior fechar-se-á completamente. sença de um obstáculo durante o movi-
Durante as fases de abertura e fecho Botão B fig 37: premindo o botão, a mento de fecho do vidro; quando se
automático, para interromper o cortina movimentar-se-á para a parte verifica este evento, o sistema inter-
movimento da cortina, actuar posterior do veículo, até à posição de rompe e inverte imediatamente o curso
novamente o botão A. abertura total. Com a cortina do vidro.
completamente aberta, premir o botão
MANOBRA DE
B: a cortina movimentar-se-á para a EMERGÊNCIA
parte anterior do veículo, até à posição
de fecho total. Durante as fases de Em caso de não funcionamento dos
abertura e fecho automático, para botões de comando, a cortina guarda-
interromper o movimento da cortina, -sol e o tecto de abrir podem ser ma-
actuar novamente o botão B. nobrados manualmente procedendo
como descrito a seguir:

37
Movimentação da cortina: grafo anterior), é necessário inicializar

CONHECIMENTO DO VEÍCULO
remover o tampão de protecção A novamente o funcionamento automá- AVISO
fig 38 situado no revestimento interno; tico do tecto de abrir.
Movimentação do tecto de abrir: Proceder do seguinte modo:
remover o tampão de protecção B 23) Ao sair do veículo (equipado com
colocar o tecto em posição
chave mecânica com telecomando), retirar
situado no revestimento interno; completamente fechada; sempre a chave do dispositivo de arranque
colocar o dispositivo de ignição na para evitar que o teto de abrir, acionado
posição STOP e manter este estado involuntariamente, constitua um perigo
durante 10 segundos; para quem permanece a bordo: o uso
inadequado do teto pode ser perigoso.
deslocar o dispositivo de arranque Antes e durante o seu acionamento,
para a posição MAR; certificar-se sempre de que os passageiros
premir o botão A fig 37 na posição não estejam expostos a riscos de lesões
"fecho"; provocadas quer diretamente pelo teto em
movimento, quer por objetos pessoais
manter o botão premido durante
arrastados ou danificados pelo mesmo.
pelo menos 10 segundos. Ao fim deste
tempo, será possível perceber a
38 J0A00390C paragem mecânica do motor eléctrico ATENÇÃO
do tecto;
retirar, da bagageira, a chave C no espaço de 5 segundos, premir 11) Na presença de porta-bagagens
fornecida; novamente o botão A na posição de transversal, não abrir o teto de abrir. Além
introduzir a chave C na sede A (para "fecho"; disso, não abrir o teto na presença de neve
movimentar a cortina) ou B (para manter o botão A premido nesta ou gelo: corre-se o risco de danificá-lo.
movimentar o tecto de abrir) e rodá-la posição: o tecto efectua
no sentido dos ponteiros do relógio automaticamente um ciclo completo de
para abrir o tecto (ou a cortina) ou no abertura e fecho. Se isto não se
sentido contrário para fechar o tecto verificar, repetir as operações desde o
(ou a cortina). início;
mantendo o botão A premido,
PROCEDIMENTO DE
INICIALIZAÇÃO aguardar o fecho completo do tecto: o
procedimento de inicialização está
A seguir ao não funcionamento dos
terminado.
movimentos automáticos em fase de
abertura/fecho ou a seguir a uma ma-
nobra de emergência (consultar pará-

38
TECTO DE ABRIR Os botões para o accionamento do
MySky painel anterior encontram-se na mol-
dura localizada em correspondência do
plafonier anterior fig 39:
12)
Botão A: botão de abertura/fecho
O tecto é constituído por dois painéis, até ao fim de curso do painel
um anterior e um posterior, amovíveis anterior.Premindo o botão, o painel de
individual ou simultaneamente, em fun- vidro anterior abrir-se-á
ção da escolha do condutor. Os painéis completamente.A partir da posição de
anteriores e posteriores distinguem-se abertura total, premir o botão: o painel
através de um ideograma especial po- anterior fechar-se-á completamente.
sicionado na parte inferior do próprio Botão B: botão de abertura na
painel. posição "de compasso" do painel
anterior. Para colocar o teto na posição
Os painéis estão em condições de su- "de compasso", premir e largar o
portar a neve que poderia depositar-se botão. Esta modalidade de abertura
sobre eles. De qualquer forma, é acon- pode ser ativada apenas com o teto
selhável remover camadas excessivas completamente fechado. Com o painel
de neve eventualmente acumuladas. aberto ou parcialmente aberto, o botão
MOVIMENTAÇÃO B fica desativado. Durante a abertura
ELÉCTRICA DO PAINEL "de compasso", qualquer pressão no 39 J0A0225C
ANTERIOR botão interrompe o fecho do teto.
Em algumas versões, o painel anterior Dispositivo antientalamento
pode ser accionaco electricamente.O O painel anterior está equipado com
funcionamento só se realiza com o dis- um sistema de segurança anti-
positivo de arranque na posição MAR. -entalamento capaz de reconhecer a
O painel pode ser movimentado para a eventual presença de um obstáculo
frente/trás e aberto na posição "de durante o movimento de abertura e
compasso". fecho do painel.Ao verificar-se este
evento, o sistema interrompe e inverte
imediatamente o curso do painel.

39
REMOÇÃO DOS PAINÉIS

CONHECIMENTO DO VEÍCULO Efectuar a remoção dos painéis apenas


com o veículo parado.O painel poste-
rior só pode ser removido quando o
painel anterior for completamente fe-
chado ou removido.
Para remover os painéis, proceder
como indicado a seguir:
actuando pelo interior do habitáculo,
inserir a chave A fig 40 no interior da 41 J0A0271C 43 J0A0551C

respectiva sede B fig 41, rodá-la e


mantê-la rodada em correspondência remover o painel (anterior ou BOLSA PARA
do símbolo , de modo a desbloquear posterior) ou ambos os painéis, depois ALOJAMENTO DOS
extrair o defletor (situado na bolsa de PAINÉIS
a fechadura de bloqueio e, ao mesmo
tempo, puxar a fundo o manípulo C alojamento dos painéis) e engatá-lo nas Depois de os ter removido, os painéis
(localizado por baixo do próprio painel), sedes específicas presentes no veículo do tecto devem ser posicionados no
até ao fim do curso; (ver fig 42 e fig 43 ); interior da respectiva bolsa localizada
posicionar o painel (ou ambos os no interior da bagageira.É aconselhável
painéis) no interior da respectiva bolsa efectuar este procedimento actuando
(consultar páginas seguintes) fornecida pelo exterior do veículo.
e arrumar esta última no interior da Proceder do seguinte modo:
bagageira. abrir a bolsa, remover o deflector A
fig 44 e levantar os dispositivos B;

40 J0A0272C

42 J0A0552C

40
travessa da bagageira (consultar
fig 46 ).

44 J0A0630C 47 J0A0080C

posicionar os painéis no interior, remover o tampão A fig 47 de


46 J0A0417C
certificando-se de que os dois protecção localizado no revestimento
manípulos estão em posição oposta interno;
Nunca dispor sobre a bolsa cargas uni-
(consultar fig 45 ) e, de seguida, introduzir a chave B, fornecida, na
formemente distribuídas que tenham
reposicionar correctamente o deflector sede A e rodá-la para a direita para
peso superior a 10 kg.
na respectiva sede; abrir o tecto ou para a esquerda para
MANOBRA DE fechá-lo.
EMERGÊNCIA
Em caso de não funcionamento dos
ATENÇÃO
botões de comando, o tecto de abrir
pode ser manobrado manualmente
operando como descrito a seguir: 12) Na presença de porta-bagagens
transversal, não abrir o teto de abrir. Além
disso, não abrir o teto na presença de neve
ou gelo: corre-se o risco de danificá-lo.

45 J0A0490C

voltar a fechar a bolsa, posicioná-la


correctamente no interior da bagageira
e, de seguida, fixar firmemente a bolsa
aos ganchos de retenção situados na

41
CAPOT DO MOTOR fig 50 do respectivo dispositivo de dispositivo de bloqueio D;

CONHECIMENTO DO VEÍCULO
bloqueio D, depois inserir a sua baixar o capot a cerca de 40
ABERTURA extremidade na sede E do capot do centímetros do vão do motor; de
Proceder do seguinte modo: motor. seguida, deixá-lo cair e certificar-se,
puxar a alavanca A fig 48 no sentido tentando levantá-lo, de que está
indicado pela seta; completamente fechado e não apenas
engatado na posição de segurança.
Caso esteja apenas engatado, não
exercer pressão no capot, mas voltar a
levantá-lo e repetir a manobra.
26) 27)

Verificar sempre o fecho correcto do


capot, para evitar que se abra em an-
damento. Como o capot está equipado
com um duplo sistema de bloqueio, um
48 J0A0364C
de cada lado, é necessário verificar o
efectivo fecho para ambas as extremi-
accionar a alavanca B dades laterais do capot.
fig 49 actuando no sentido indicado
pela seta e levantar o capot;
AVISO

24) O posicionamento errado da vareta de


sustentação pode provocar a queda
50 J0A0070C violenta do capot.
25) Levantar o capot utilizando ambas as
24) 25) mãos. Antes de proceder ao levantamento,
certificar-se de que os braços dos limpa
FECHO para-brisas não estão levantados do
para-brisas e em funcionamento, que o
Proceder do seguinte modo: veículo está parado e que o travão de mão
manter o capot levantado com uma elétrico está a acionado.
49 J0A0069C
mão e com a outra retirar a vareta da
sede E e voltar a introduzi-la no
libertar a vareta de suporte C

42
26) Por motivos de segurança, o capot
PORTA-BAGAGENS presente), retirar os apoios de cabeça
deve manter-se bem fechado durante a posteriores e rebater completamente os
marcha. Portanto, verificar sempre o fecho bancos;
correto do capot, certificando-se de que o
A trancagem da bagageira é eléctrica e
bloqueio está engatado. Se, durante a é desactivada com o veículo em movi-
marcha, se verificar que o bloqueio não mento.
está perfeitamente engatado, parar
imediatamente e fechar o capot ABERTURA A PARTIR DO
corretamente. EXTERIOR
27) Executar as operações apenas com o 28)
veículo parado.
Quando desbloqueado, é possível abrir
a bagageira pelo exterior do veículo,
actuando no puxador eléctrico de aber-
tura A fig 51 posicionado por baixo do
manípulo até ouvir o estalido de 52 J0A0085C

efectivo bloqueio ou premindo


rapidamente duas vezes o botão segurar na chave de fendas
no telecomando. fornecida e remover a lingueta de cor
amarela A fig 52;
introduzir a chave de fendas na
sede B fig 53, de modo a fazer saltar a
lingueta de desbloqueio da bagageira.

51 J0A0253C

Abertura de emergência pelo inte-


rior
Proceder do seguinte modo: 53 J0A0214C

remover a chapeleira (onde

43
FECHO de uma superfície de plástico lavável

CONHECIMENTO DO VEÍCULO Para fechar a bagageira, segurar na útil, por exemplo, para o transporte de
pega posicionada na parte interna da objetos húmidos ou sujos de lama.
bagageira. 13)

Antes de voltar a fechar a bagageira, Acesso/movimentação do plano de


certificar-se de que tem a chave na sua carga reconfigurável
posse, porque a bagageira será blo- Para aceder ao duplo compartimento
queada automaticamente. de carga, segure no dispositivo A e le-
vante para cima o plano B
INICIALIZAÇÃO DA
BAGAGEIRA fig 54 apoiando-o com uma mão. 55 J0A0286C

Após uma eventual desactivação da Tomada de corrente


bateria ou uma interrupção do fusível Está situada no lado esquerdo da ba-
de protecção, é necessário "inicializar" gageira. Só funciona com o dispositivo
o mecanismo de abertura/fecho da ba- de arranque na posição MAR.
gageira procedendo como a seguir in-
dicado: Não introduza na tomada equipamen-
fechar todas as portas e a bagageira; tos com uma potência superior a
premir o botão no telecomando; 180W. Além disso, não danifique a to-
premir o botão no telecomando. mada usando fichas inadequadas.
CARACTERÍSTICAS DO 54 J0A0284C
COMPARTIMENTO DE
CARGA Para passar o plano de carga da posi- AVISO
Plano de carga reconfigurável ção inferior para a posição superior,
O plano pode assumir duas posições proceda da seguinte forma: 28) Proceder com cuidado para não
distintas: posição "no limiar" (posição segure no puxador A e levante para danificar os objetos colocados no
"0") ou posição "tudo para cima" (posi- cima o plano B, apoiando-o com uma porta-bagagem ao abrir a tampa da
bagageira.
ção "1"). O plano de carga pode ainda mão;
ser colocado numa posição oblíqua posicione corretamente o plano B
(inclinado para os encostos dos bancos nas guias D fig 55 presentes nos
traseiros) para facilitar o acesso à zona painéis laterais e na travessa traseira E.
subjacente da bagageira.
O plano de carga é rebatível e é dotado

44
ATENÇÃO

13) O plano está dimensionado para uma


capacidade máxima de peso distribuído
igual a 110 kg em ambas as posições ("0"
e "1"): não carregar objetos com peso
superior.

45
CONHECIMENTO DO QUADRO DE INSTRUMENTOS CONHECIMENTO DO QUADRO DE
INSTRUMENTOS
Esta secção do manual fornece-lhe to- QUADRO E INSTRUMENTOS DE
das as informações úteis para conhe- BORDO . . . . . . . . . . . . . . . . . . .47
cer, interpretar e utilizar correctamente DISPLAY . . . . . . . . . . . . . . . . . .49
o quadro de instrumentos. LUZES AVISADORAS E
MENSAGENS . . . . . . . . . . . . . . .52

46
QUADRO E INSTRUMENTOS DE BORDO
VERSÕES COM DISPLAY MULTIFUNÇÕES

56 J0A0005C

1. Conta-rotações 2. Indicador digital da temperatura do líquido de arrefecimento do motor com luz avisadora de
temperatura máxima 3. Display multifunções 4. Indicador digital do nível de combustível com luz avisadora da reserva (o
triângulo presente no lado direito do símbolo indica o lado do veículo no qual está presente o bocal para o abastecimento
de combustível) 5. Taquímetro (indicador de velocidade) (no interior do taquímetro está presente um sensor de luminosidade)
Luz avisadora apenas presente nas versões diesel. Nas versões diesel, estão também presentes os ícones no dis-
play e o fim de escala do conta-rotações é de 6000 rotações.
A iluminação dos gráficos do quadro de instrumentos pode variar conforme as versões.

47
VERSÕES COM DISPLAY MULTIFUNÇÕES RECONFIGURÁVEL

CONHECIMENTO DO QUADRO DE INSTRUMENTOS

57 J0A0006C

1. Conta-rotações 2. Indicador digital de temperatura do líquido de arrefecimento do motor 3. Display multifunções


4. Indicador digital do nível de combustível (o triângulo presente no lado direito do símbolo indica o lado do veículo no
qual está presente o bocal para o abastecimento de combustível) 5. Taquímetro (indicador de velocidade) (no interior do
taquímetro está presente um sensor de luminosidade)
Luz avisadora apenas presente nas versões diesel. Nas versões diesel, estão também presentes os ícones no dis-
play e o fim de escala do conta-rotações é de 6000 rotações.
A iluminação dos gráficos do quadro de instrumentos pode variar conforme as versões.

48
DISPLAY exterior, indicações da bússola, data. quilómetros (ou milhas) totais
Zona central do display (B): percorridos, indicadores digitais da
velocidade do veículo, mensagens de temperatura do líquido de
DISPLAY MULTIFUNÇÕES advertência/eventuais sinalazações de arrefecimento do motor e do nível de
No display fig 58 são visualizadas as avaria. combustível.
seguintes informações: Zona inferior do display (C):
GEAR SHIFT INDICATOR
quilómetros (ou milhas) totais (onde presente)
percorridos e ícones de eventuais
O sistema Gear Shift Indicator (GSI)
sinalazações de avaria.
sugere ao condutor que efectue uma
DISPLAY MULTIFUNÇÕES mudança de velocidade através de
RECONFIGURÁVEL uma indicação específica no display.A-
No display fig 59 são visualizadas as través do GSI o condutor é avisado que
seguintes informações: a passagem para outra mudança per-
mitiria uma poupança em termos de
consumos.
Ícone SHIFT UP ( SHIFT) no display:

120
sugestão para a passagem a uma velo-
cidade com relação superior.
Ícone SHIFT DOWN ( SHIFT) no dis-
play: sugestão para a passagem a uma
velocidade com relação inferior.
A indicação permanece visualizada no
display até que seja efectuada uma
59 J0A2005C
mudança de velocidade ou até as con-
dições de condução entrem num perfil
Zona superior do display (A): de missão tal que não é necessária
58 J0A2004C
hora, temperatura exterior, indicações uma mudança de velocidade para opti-
da bússola, data. mizar os consumos.
Zona superior do display (A): Zona central do display (B):
velocidade do veículo, mensagens de BOTÕES DE COMANDO
hora, Gear Shift Indicator (indicações
da mudança de velocidade) (onde advertência/eventuais sinalazações de Estão localizados no lado esquerdo do
presente), engate da mudança (versões avaria. volante fig 60.
com caixa automática), temperatura Zona inferior do display (C):

49
MENU PRINCIPAL "Relógio & Data";

CONHECIMENTO DO QUADRO DE INSTRUMENTOS Opções do Menu "Segurança"


O Menu é constituído pelas seguintes "Segurança & Assistência";
opções: "Luzes";
TAQUÍMETRO "Portas & Bloq. Portas".
INFO VEÍCULO Display
DRIVER ASSIST Seleccionando a opção “Display” é
ECONOM. COMB. possível aceder às definições/
TRIP informações relativas a: "Idioma", "Ver
STOP/START telefone" e "Ver navegação".
60 J0A0189C
ÁUDIO
AVISOS "Unidades de medida"
Permitem seleccionar as opções de
CONF. DISPLAY Seleccionando a opção "Unidades de
Menu principal do display (consultar o
CONFIG. VEÍCULO medida" é possível seleccionar a uni-
parágrafo "Menu principal").
A modalidade de visualização das op- dade de medida escolhendo entre: (de-
/ : premir e soltar os botões
ções do Menu (indicações maiúsculas finição possível apenas para alguns
para percorrer para cima ou para baixo
ou minúsculas) varia em função do tipo mercados), "Métrico", "Personalizado.
o menu principal e os submenus.
/ : premir e soltar os botões de display. "Relógio & Data"
para aceder aos ecrãs de informações Para algumas entradas está previsto Seleccionando a opção "Relógio &
ou aos submenus de uma opção do um submenu. Data" é possível efectuar as seguintes
menu principal. O botão permite Na presença de sistema Uconnect™, regulações: "Regular hora" , "Formato
ainda sair do Menu principal. algumas opções do Menu são visuali- da hora", "Regular data".
OK: premir o botão para zadas e geridas no display deste último
aceder/seleccionar os ecrãs de "Segurança"
e não no display do quadro de instru-
informações ou os submenus de uma mentos (consulte os capítulos relativos Seleccionando a opção "Relógio &
opção do menu principal. Manter o ao Uconnect™). Data" é possível efectuar as seguintes
botão premido durante um segundo regulações: "Regular hora" , "Formato
para redefinir as funções Def. Veículo (Modificação das defi- da hora", "Regular data".
nições do veículo)
visualizadas/seleccionadas. A regulação "Passenger AIRBAG" per-
Esta função permite modificar as defini- mite activar/desactivar o air bag do
ções relativas a: lado do passageiro. Protecção do
"Display"; passageiro activa: o LED ON na
"Unidades de medida"; consola localizada no painel de instru-

50
mentos acende-se com luz fixa. Pro- as opções "Ver telefone" e "Ver navega- "Trip A" e do "Trip B", premir e manter
tecção do passageiro desactivada: ção"), "Segurança" e "Segurança & As- premido o botão OK nos comandos no
o LED OFF na consola acende-se sistência" (é possível seleccionar ape- volante.
com luz fixa no painel de instrumentos. nas a opção "Volume dos NOTA As medidas "Autonomia" e "Con-
avisos").Todas as outras opções serão sumo instantâneo" não podem ser re-
"Segurança & Assistência"
visualizadas e geridas no display do postas a zero.
Para as regulações possíveis, consultar sistema Uconnect™.
o parágrafo Uconnect™ no capítulo
"Multimedia". TRIP COMPUTER
"Luzes" O "Trip computer" permite visualizar,
com o dispositivo de arranque na posi-
Seleccionando a opção "Luzes" é pos-
ção MAR, as medidas relativas ao es-
sível efectuar as seguintes regulações:
tado de funcionamento do veículo.
"Luzes do habitáculo", "Follow me",
"Faróis ao Abrir", "Sensor faróis", "Máxi- Esta função é caracteriza-se por duas
mos autom.", "Luzes diurnas", "Luzes memórias separadas, denominadas
cornering". "Trip A" e "Trip B", nas quais são regis-
tados os dados das "missões comple-
"Portas & Bloq. Portas" tas" do veículo (viagens), de modo in-
Seleccionando a opção "Portas & Bloq. dependente uns dos outros.
Portas" é possível efectuar as seguintes O “Trip A” permite visualizar as seguin-
regulações: "Autoclose", "Desbloq. tes medidas: "Distância percorrida A",
portas/saída", "Sinal lumin. Trancar", "Consumo médio A", "Tempo de via-
"Buzinar ao trancar", "Buzina c/arranq. gem (duração de condução) A".
dist.", "Destr.portas à dist." (versões O “Trip B” permite visualizar as seguin-
sem Passive Entry), "Destranc. Portas" tes medidas: "Distância percorrida B",
(versões com Passive Entry), "Passive "Consumo médio B", "Tempo de via-
Entry". gem (duração de condução) B".O “Trip
Versões com display multifunções B” é uma função que se pode excluir.
reconfigurável Ambas as memórias podem ser reini-
Nas versões equipadas com display ciadas (reset - início de uma nova mis-
multifunções reconfigurável estão pre- são).
sentes unicamente as opções de menu Para efectuar o reinício das medidas do
"Display" (é possível seleccionar apenas

51
LUZES AVISADORAS E MENSAGENS
CONHECIMENTO DO QUADRO DE INSTRUMENTOS O acendimento da luz avisadora está associado a uma mensagem específica e/ou aviso acústico, onde o quadro de bordo o
permitir. Estes sinais são sintéticos e de aviso e não devem ser considerados completos e/ou alternativos em relação ao indi-
cado no presente Manual de Uso e Manutenção, o qual deve ser lido sempre com muita atenção. Em caso de sinalização de
avaria, consultar sempre o conteúdo indicado no presente capítulo.
As sinalizações de avaria que aparecem no ecrã são subdivididas em duas categorias: anomalias graves e anomalias menos
graves. As anomalias graves visualizam um “ciclo” de mensagens repetido por um tempo prolongado. As anomalias menos
graves visualizam um "ciclo" de mensagens por um tempo mais limitado. É possível interromper o ciclo de visualização de am-
bas as categorias. A luz avisadora no quadro de instrumentos permanece acesa enquanto não for eliminada a causa da ava-
ria.
LUZES AVISADORAS NO QUADRO DE BORDO
Luzes avisadoras de cor vermelha

Luz avisadora O que significa

LÍQUIDO DOS TRAVÕES INSUFICIENTE / TRAVÃO DE ESTACIONAMENTO ELÉCTRICO ENGATADO


Líquido dos travões insuficiente
A luz avisadora acende-se quando o nível do líquido dos travões no depósito desce abaixo do nível
mínimo, devido a uma possível perda de líquido pelo circuito.Restabeleça o nível do liquido dos travões
e, de seguida, verifique se a luz avisadora se apaga.Se a luz avisadora permanecer acesa, dirigir-se à
Rede de Assistência Jeep.

Travão eléctrico de estacionamento engatado


A luz avisadora acende-se com o travão eléctrico de estacionamento engatado.Desengatar o
travão de estacionamento eléctrico e, de seguida, verificar se a luz avisadora se apaga.Se a luz
avisadora permanecer acesa, dirigir-se à Rede de Assistência Jeep.

52
Luz avisadora O que significa

AVARIA EBD
O acendimento simultâneo das luzes avisadoras (vermelha) e (amarelo âmbar) com o motor a
trabalhar indica uma avaria do sistema EBD ou que o sistema não está disponível. Neste caso, com
travagens bruscas, pode verificar-se um bloqueio precoce das rodas posteriores, com possibilidade de
guinada. O ecrã mostra a mensagem específica.
Conduzir com extrema prudência até chegar ao concessionário mais próximo da Rede de Assistência
Jeep para a verificação do sistema.

AVARIA NA DIRECÇÃO ASSISTIDA


Se a luz avisadora permanecer acesa, pode não se verificar o efeito da direcção assistida e o esforço no
volante poderá aumentar sensivelmente, embora se mantenha a possibilidade de virar o veículo.
Em algumas versões, o ecrã visualiza a mensagem específica.
Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.

53
CONHECIMENTO DO QUADRO DE INSTRUMENTOS
Luz avisadora O que significa

AVARIA AIR BAG


O acendimento da luz avisadora com luz fixa indica uma avaria no sistema de air bag.O ecrã mostra a
mensagem específica. 29) 30)

CINTOS DE SEGURANÇA NÃO APERTADOS


A luz avisadora acende-se de modo fixo com o veículo parado e o cinto de segurança do lado do
condutor ou do lado do passageiro, com o passageiro sentado, não colocado. A luz avisadora acende-se
de forma intermitente, juntamente com uma sinalização acústica quando, com o veículo em movimento, o
cinto do lado do condutor ou do lado do passageiro, com o passageiro sentado, não está correctamente
apertado.
Neste caso, apertar o cinto de segurança.

AVISO

29) Se a luz avisadora não se acender ao deslocar o dispositivo de arranque para a posição MAR ou se permanecer aceso durante a
marcha (juntamente com a mensagem visualizada pelo display), é possível que exista uma anomalia nos sistemas de retenção; neste caso,
os air bags ou os pré-tensores podem não se ativar em caso de acidente ou, num número de casos mais limitado, ativar-se de modo errado.
Antes de prosseguir, dirigir-se à Rede de Assistência Jeep para o imediato controlo do sistema.
30) A avaria da luz avisadora é assinalada pelo acendimento do ícone no display do quadro de instrumentos. Nesse caso, a luz
avisadora pode não assinalar eventuais anomalias dos sistemas de retenção. Antes de prosseguir, dirigir-se à Rede de Assistência Jeep para
o controlo imediato do sistema.

54
Luz avisadora O que significa

EXCESSIVA TEMPERATURA DO LÍQUIDO DE REFRIGERAÇÃO DO MOTOR


A luz avisadora (ou, em algumas versões, o ícone no display) acende-se quando o motor estiver
sobreaquecido. O ecrã mostra a mensagem específica.
Em caso de marcha normal: parar o veículo, desligar o motor e certificar-se de que o nível da água no
interior do depósito não está abaixo do nível de referência MIN. Se for esse o caso, aguardar o
arrefecimento do motor; de seguida, abrir lentamente e com cuidado o tampão, repor o líquido de
refrigeração, certificando-se de que este está compreendido entre as referências MIN e MAX existentes
no próprio depósito. Além disso, verificar visualmente a presença de eventuais perdas de líquido. Se, no
arranque seguinte, a luz avisadora (ou o ícone no display) se acender de novo, contactar a Rede de
Assistência Jeep.
Em caso de utilização severa do veículo (por ex., em condições de condução prestacional): abrandar
a marcha e, caso a luz avisadora permaneça acesa, parar o veículo. Fique parado durante 2 ou 3
minutos, mantendo o motor a trabalhar e ligeiramente acelerado, para favorecer uma circulação mais
activa do líquido de refrigeração; de seguida, desligue o motor. Verificar o nível correcto do líquido, como
descrito anteriormente.
AVISO Em caso de percursos muito difíceis, é aconselhável manter o motor ligado e ligeiramente
acelerado por alguns minutos antes de o desligar.

55
Luzes avisadoras de cor amarelo âmbar

CONHECIMENTO DO QUADRO DE INSTRUMENTOS


Luz avisadora O que significa

SISTEMA TPMS
Avaria do sistema TPMS
A luz avisadora acende-se quando é detectada uma avaria no sistema TPMS.Neste caso, dirija-se o mais
depressa possível à Rede de Assistência Jeep.Caso sejam montadas uma ou mais rodas sem sensor, no
display será visualizada uma mensagem de aviso, até serem restabelecidas as condições iniciais.
ADVERTÊNCIA Não prosseguir o andamento com um ou mais pneus vazios, dado que a condução do
veículo pode estar comprometida. Parar o veículo evitando travagens e viragens bruscas. Proceder à
reparação imediata através do kit apropriado de reparação dos pneus e dirigir-se o mais breve possível à
Rede de Assistência Jeep.

Pressão dos pneus insuficiente


A luz avisadora acende-se, juntamente com a mensagem visualizada no display, para assinalar
que a pressão do pneu é inferior ao valor recomendado e/ou que se está a verificar uma lenta
perda de pressão. Nestes casos, podem não estar garantidas a melhor duração do pneu e um
consumo de combustível ideal.
Caso dois ou mais pneus estejam numa das condições supracitadas, o display mostrará, em
sucessão, as indicações relativas a cada pneu.
Em qualquer condição na qual no display seja visualizada a mensagem "Ver manual", consultar
OBRIGATORIAMENTE o parágrafo "Rodas" do capítulo "Dados técnicos", respeitando
escrupulosamente as indicações nele contidas.
AVARIA DO SISTEMA ABS
A luz avisadora acende-se quando o sistema ABS se encontra ineficiente. Neste caso, o sistema de
travagem mantém inalterada a própria eficácia, mas sem as potencialidades oferecidas pelo sistema
ABS. O ecrã mostra a mensagem específica. Proceder com prudência e dirigir-se o mais rapidamente
possível à Rede de Assistência Jeep.

56
Luz avisadora O que significa

SISTEMA ESC
Intervenção do sistema ESC
A intervenção do sistema é assinalada pela intermitência da luz avisadora: a sinalização da intervenção
indica que o veículo está em condições críticas de estabilidade e aderência.

Avaria do sistema ESC


Se a luz avisadora não se apagar, ou se permanecer acesa com o motor ligado, significa que foi detectada
uma avaria no sistema ESC. Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.

Avaria do sistema Hill Start Assist


O acendimento da luz avisadora em simultâneo com a visualização, no display, de uma mensagem
dedicada, indica a avaria no sistema Hill Holder. Dirigir-se, assim que possível, à Rede de Assistência Jeep.

DESACTIVAÇÃO PARCIAL / TOTAL DOS SISTEMAS DE SEGURANÇA ACTIVOS


O acendimento da luz avisadora assinala que alguns sistemas de segurança activos foram parcial ou
totalmente desactivados. Reactivando os sistemas, a luz avisadora apaga-se.

LUZ DE NEVOEIRO TRASEIRA


A luz avisadora acende-se ao ligar a luz de nevoeiro posterior.

AVARIA DO TRAVÃO DE ESTACIONAMENTO ELÉCTRICO


A luz avisadora acende-se quando é detectada uma avaria no travão de estacionamento eléctrico. O ecrã
mostra a mensagem específica. Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.
31)

AVISO

31) Na presença de avaria e em caso de travagens violentas, pode ocorrer o bloqueio das rodas traseiras, com consequente possibilidade
de guinada.

57
CONHECIMENTO DO QUADRO DE INSTRUMENTOS
Luz avisadora O que significa

AVARIA NO SISTEMA EOBD/INJECÇÃO


Se a luz avisadora permanecer acesa ou se se acender em andamento, significa que o sistema de
injecção não funciona correctamente.
A luz avisadora acesa com luz fixa assinala um mau funcionamento no sistema de alimentação/
ignição que pode provocar elevadas emissões no escape, possível perda de desempenhos, má
guiabilidade e consumos elevados.
Em algumas versões, o ecrã visualiza a mensagem específica.
A luz avisadora apaga-se se a anomalia desaparecer, mas o sistema memoriza a sinalização.
Nestas condições, é possível continuar a conduzir, evitando, no entanto, esforços severos do motor ou
elevadas velocidades. A utilização prolongada do veículo com a luz avisadora acesa de forma fixa pode
provocar danos.
Dirigir-se o mais breve possível a um concessionário da Rede de Assistência Jeep.
Se a luz avisadora se acender de forma intermitente significa que o catalisador pode estar
danificado.Soltar o pedal do acelerador, colocando-se a baixos regimes, até a luz avisadora parar de
piscar.
Prosseguir a marcha com uma velocidade moderada, procurando evitar condições de condução que
possam provocar mais intermitências e dirigir-se o mais rapidamente possível à Rede de Assistência
Jeep. 14)

ATENÇÃO

14) Se, com o dispositivo de arranque na posição MAR, a luz avisadora não se acender ou se, durante a marcha, se acender com luz
fixa ou intermitente (em algumas versões, juntamente com uma mensagem apresentada pelo display), dirigir-se o mais rapidamente possível
à Rede de Assistência Jeep.

58
Luz avisadora O que significa

RESERVA DE COMBUSTÍVEL/AUTONOMIA LIMITADA


A luz avisadora (ou o ícone no display) acende-se quando no depósito restam cerca de 5 a 7 litros de
combustível. O ecrã mostra a mensagem específica. 15)

AVARIA DE PRÉ-AQUECIMENTO DAS VELAS (versões Diesel)


A intermitência da luz avisadora (em algumas versões juntamente com a visualização de uma mensagem
no display), indica uma anomalia no sistema de pré-aquecimento das velas.
Neste caso, dirija-se o mais depressa possível à Rede de Assistência Jeep.

SISTEMA LANESENSE
Versões com display multifunções
A luz acende-se segundo as seguintes modalidades:
Luz avisadora acesa com luz fixa (cor branca): assinala que o sistema está activo mas os limites da faixa
de rodagem não foram detectados (as linhas da faixa de rodagem são de cor cinzenta).
Luz avisadora acesa com luz intermitente (cor amarelo âmbar): assinala que o veículo se aproximou da
linha da faixa de rodagem e está prestes a ultrapassá-la.
Luz avisadora acesa com luz fixa (cor verde): assinala que o sistema detectou os limites de ambas as
faixas de rodagem. O sistema actuará no volante em caso de abandono involuntário da faixa de rodagem.
Versões com display multifunções reconfigurável
Nas versões equipadas com display multifunções reconfigurável, a luz avisadora apresentada ao lado é
substituída por ícones gráficos específicos, visualizados na área em cima à esquerda no display. Estes
ícones são visualizados segundo as mesmas lógicas descritas para as versões equipadas com display
multifunções (consultar as indicações anteriormente descritas).

ATENÇÃO

15) Se a luz avisadora (ou o ícone no display) começar a piscar durante a marcha, dirigir-se à Rede de Assistência Jeep.

59
Luzes avisadoras de cor verde

CONHECIMENTO DO QUADRO DE INSTRUMENTOS Luz avisadora O que significa

LUZES DE PRESENÇA E DOS MÉDIOS


A luz avisadora acende activando as luzes de presença ou as luzes dos médios.
Esta função permite manter as luzes acesas durante um período de 30, 60 ou 90 segundos após o
posicionamento do dispositivo de arranque na posição STOP (função "Follow me").

LUZES DE MÁXIMOS AUTOMÁTICAS


A luz avisadora acende-se activando as luzes de máximos automáticas.

LUZES DE NEVOEIRO
A luz avisadora acende-se quando se ligam os faróis de nevoeiro.

INDICADOR DE DIRECÇÃO ESQUERDO


A luz avisadora acende-se quando a alavanca de comando dos indicadores de direcção (piscas) é
deslocada para baixo ou, juntamente com o pisca direito, quando se carrega no botão das luzes de
emergência.

INDICADOR DE DIRECÇÃO DIREITO


A luz avisadora acende-se quando a alavanca de comando das luzes de direcção (piscas) é deslocada
para cima ou, juntamente com o pisca esquerdo, quando se carrega no botão das luzes de emergência.

INTERVENÇÃO DO SISTEMA STOP/START


A luz avisadora acende-se em caso de intervenção do sistema del sistema Stop/Start (desactivação do
motor). Voltando a ligar o motor, a luz avisadora apaga-se.

60
Luzes avisadoras de cor azul

Luz avisadora O que significa

LUZES DE MÁXIMOS
A luz avisadora acende-se ativando as luzes dos faróis de máximos.

SÍMBOLOS VISUALIZADOS NO DISPLAY


Símbolos de cor vermelha visualizados no display

Símbolo O que significa

PRESSÃO DO ÓLEO MOTOR INSUFICIENTE


O símbolo acende-se, juntamente com uma mensagem visualizada no display, em caso de pressão
insuficiente do óleo do motor. 16)
ADVERTÊNCIA Não utilizar o veículo até que a avaria tenha sido eliminada.O acendimento do símbolo não
indica a quantidade de óleo presente no motor: o controlo do nível deve ser sempre efectuado
manualmente.

AVARIA AIR BAG


O acendimento do símbolo indica uma avaria no sistema de air bag. O ecrã mostra a mensagem
específica. Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.

AVARIA NO ALTERNADOR
O acendimento do símbolo com o motor ligado indica uma avaria no alternador. Dirigir-se, logo que
possível, à Rede de Assistência Jeep.

ATENÇÃO

16) Se o símbolo se acender durante a marcha, parar imediatamente o motor e dirigir-se à Rede de Assistência Jeep.

61
CONHECIMENTO DO QUADRO DE INSTRUMENTOS
Símbolo O que significa

FECHO DAS PORTAS INCOMPLETO


O símbolo acende-se quando uma ou mais portas não se encontram correctamente fechadas. Com as
portas abertas e o veículo em movimento, é emitido um sinal acústico. Fechar correctamente todas as
portas.

FECHO INCOMPLETO DO CAPOT DO MOTOR


O símbolo acende-se quando o capot do motor não está correctamente fechado. Com o capot do motor
aberto e o veículo em movimento, é emitida uma sinalização acústica. Fechar correctamente o capot do
motor.

FECHO INCOMPLETO DA TAMPA DA BAGAGEIRA


O símbolo acende-se quando a tampa da bagageira não está correctamente fechada. Com a tampa
aberta e o veículo em movimento, é emitida uma sinalização acústica. Fechar correctamente a tampa da
bagageira.

AVARIA NA CAIXA AUTOMÁTICA / AVARIA NA CAIXA AUTOMÁTICA DE DUPLA EMBRAIAGEM


O símbolo acende-se, juntamente com a mensagem visualizada pelo display e uma sinalização acústica,
quando é detectada uma avaria na caixa automática ou na caixa automática de dupla embraiagem.
Dirigir-se o mais breve possível a um concessionário da Rede de Assistência Jeep. 17)

TEMPERATURA EXCESSIVA DO ÓLEO DO MOTOR


O símbolo acende-se em caso de sobreaquecimento do óleo do motor. 18)

ATENÇÃO

17) A condução com o símbolo aceso pode provocar graves danos na caixa de velocidades, provocando a sua rutura. Além disso, provocar
o sobreaquecimento do óleo: o seu eventual contacto com o motor quente ou com os componentes do escape a alta temperatura pode
provocar incêndios.
18) Se o símbolo se acender durante a marcha, parar imediatamente o veículo e desligar o motor.

62
Símbolos de cor amarelo âmbar visualizados no display

Símbolo O que significa

AVARIA DO SISTEMA SENTRY KEY / TENTATIVA DE ARROMBAMENTO

Avaria do sistema Sentry Key


O símbolo acende-se para assinalar a avaria do sistema Sentry Key. Dirigir-se, logo que possível, à Rede
de Assistência Jeep.
Tentativa de arrombamento
O símbolo acende-se à passagem do dispositivo de arranque na posição MAR, juntamente com a
visualização de uma mensagem específica, para assinalar que ocorreu uma possível tentativa de
arrombamento na presença de alarme.

INTERVENÇÃO DO SISTEMA DE CORTE DO COMBUSTÍVEL


O símbolo acende-se (juntamente com a visualização de uma mensagem específica) em caso de
intervenção do sistema de corte do combustível.
Para o procedimento de reactivação do sistema de corte de combustível, consultar a secção “Sistema de
corte de combustível” no capítulo "Em emergência". Se não for possível restabelecer a alimentação de
combustível, dirigir-se à Rede de Assistência Jeep.

POSSÍVEL PRESENÇA DE GELO NA ESTRADA


O símbolo acende-se (juntamente com a visualização de uma mensagem específica) quando a
temperatura exterior é igual ou inferior a 3ºC.
ADVERTÊNCIA Em caso de avaria no sensor de temperatura externa, os números que indicam o seu valor
são substituídos por traços.

AVARIA DO SENSOR DE PRESSÃO DO ÓLEO MOTOR


O símbolo acende-se com luz fixa, juntamente com a mensagem visualizada pelo display, em caso de
avaria no sensor de pressão do óleo do motor.

63
CONHECIMENTO DO QUADRO DE INSTRUMENTOS
Símbolo O que significa

AVARIA NO SISTEMA FORWARD COLLISION WARNING PLUS


Os símbolos acende,-se (juntamente com a mensagem visualizada pelo display) em caso de avaria do
sistema Forward Collision Warning Plus. Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.

DESACTIVAÇÃO SISTEMA FORWARD COLLISION WARNING PLUS


O símbolo (ou a luz avisadora no quadro de instrumentos) acende-se em caso de desativação do
sistema Forward Collision Warning Plus ou nos casos de obstrução/sujidade/indisponibilidade do próprio
sistema. O ecrã mostra a mensagem específica.

AVARIA NO SENSOR DE CHUVA


O símbolo acende-se (juntamente com a visualização de uma mensagem específica) em caso de avaria
do sensor de chuva. Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.

AVARIA DO SISTEMA STOP/START


O símbolo acende-se para assinalar a avaria do sistema Stop/Start. No display é visualizada uma
mensagem específica. Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.

AVARIA NO SISTEMA KEYLESS ENTER-N-GO


O símbolo acende-se, juntamente com a visualização de uma mensagem, em caso de avaria no sistema
Keyless Enter-N-Go. Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.

AVARIA NO SISTEMA DE CORTE DO COMBUSTÍVEL


O símbolo acende-se, juntamente com a visualização de uma mensagem, em caso de avaria no sistema
de corte do combustível. Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.

AVARIA NO SPEED LIMITER


O símbolo acende-se em caso de avaria do dispositivo Speed Limiter. Dirigir-se o mais rapidamente
possível à Rede de Assistência Jeep para eliminar a avaria.

64
Símbolo O que significa

AVARIA DO SISTEMA LANESENSE


O símbolo acende-se, em caso de avaria no sistema LaneSense. O ecrã mostra a mensagem específica.
Neste caso, dirigir-se o quanto antes à Rede de Assistência Jeep.

AVARIA DAS LUZES DE MÁXIMOS AUTOMÁTICAS


O símbolo acende-se para assinalar a avaria das luzes de máximos automáticas. Dirigir-se, logo que
possível, à Rede de Assistência Jeep.

TEMPERATURA EXCESSIVA DO ÓLEO DA CAIXA DE VELOCIDADES AUTOMÁTICA / TEMPERATURA


EXCESSIVA DA EMBRAIAGEM DA CAIXA AUTOMÁTICA DE DUPLA EMBRAIAGEM
O símbolo acende-se em caso de sobreaquecimento da caixa de velocidades, a seguir a uma utilização
particularmente exigente.Neste caso é efectuada uma limitação das prestações do motor.Aguardar, com
o motor desligado ou no mínimo, a desactivação do símbolo.

AVARIA DO GANCHO DE REBOQUE


O símbolo acende-se para assinalar a avaria do gancho de reboque. Dirigir-se, logo que possível, à Rede
de Assistência Jeep.

AVARIA NO SISTEMA DE ÁUDIO


O símbolo acende-se para assinalar a avaria do sistema de áudio. Dirigir-se, logo que possível, à Rede
de Assistência Jeep.

AVARIA DO SENSOR CREPUSCULAR


O símbolo acende-se (juntamente com a visualização de uma mensagem específica) em caso de avaria
do sensor crepuscular. Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.

65
CONHECIMENTO DO QUADRO DE INSTRUMENTOS
Símbolo O que significa

AVARIA DO SISTEMA SIDE DISTANCE WARNING


O símbolo acende-se (em algumas versões juntamente com a visualização de uma mensagem
específica) em caso de avaria no sistema Side Distance Warning. Dirigir-se, logo que possível, à Rede de
Assistência Jeep.

PRESENÇA DE ÁGUA NO FILTRO DO GASÓLEO (versões Diesel)


O símbolo acende-se com luz fixa durante a marcha (juntamente com a visualização de uma mensagem
no display) para assinalar a presença de água no interior do filtro de gasóleo. 19)

AVARIA DO SENSOR DO NIVEL DE COMBUSTIVEL


(onde presente)
O símbolo acende-se (juntamente com a visualização de uma mensagem específica) em caso de avaria do
sensor do nível de combustível. Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.

ATENÇÃO

19) A presença de água no circuito de alimentação pode provocar graves danos no sistema de injeção e irregularidades no funcionamento
do motor. Caso o símbolo seja apresentado no display (juntamente com a apresentação de uma mensagem específica), dirigir-se assim
que possível à Rede de Assistência Jeep para a operação de purga. Sempre que a mesma sinalização se verificar imediatamente a seguir a
um abastecimento, é possível que tenha sido introduzida água no depósito: neste caso, desligar imediatamente o motor e contactar a Rede
de Assistência Jeep.

66
Símbolo O que significa

ÓLEO DO MOTOR DEGRADADO


(onde presente)
Versões Diesel: o símbolo é visualizado no display, em algumas versões juntamente com a visualização
de uma mensagem específica. O símbolo permanece visualizado por ciclos de 3 minutos com intervalos
de símbolo apagado de 5 segundos até que o óleo seja substituído.
O símbolo permanece visualizado no display durante todo o tempo da visualização.
Versões a gasolina: o símbolo acende-se e depois desaparece do display no final do ciclo de
visualização.
ADVERTÊNCIA Após a primeira sinalização, a cada arranque do motor, o símbolo continuará a
acender-se no modo indicado anteriormente até o óleo ser substituído. Nalgumas versões o ecrã
visualiza uma mensagem específica.
O acendimento do símbolo não deve ser considerado um defeito do veículo, mas assinala que a
utilização normal do veículo levou à necessidade de substituir o óleo.
A degradação do óleo do motor é acelerada por uma utilização do veículo em percursos breves,
impedindo que o motor atinja a temperatura de regime.
Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.

20) 21)

ATENÇÃO

20) A partir do momento em que se acende o símbolo, o óleo degradado do motor deve ser substituído logo que possível e nunca além de
500 km após o primeiro acendimento do símbolo. O incumprimento das informações acima indicadas pode causar danos graves no motor e
a anulação da garantia. O acendimento deste símbolo não está relacionado com a quantidade de óleo presente no motor; portanto, em caso
de acendimento intermitente do mesmo, não é necessário acrescentar mais óleo ao motor.
21) Se o símbolo piscar durante a marcha, dirigir-se à Rede de Assistência Jeep.

67
CONHECIMENTO DO QUADRO DE INSTRUMENTOS
Símbolo O que significa

AVARIA DAS LUZES EXTERNAS


O símbolo acende-se para assinalar uma avaria nas seguintes luzes: luzes diurnas (DRL); luzes de
estacionamento; indicadores de direcção do reboque (se presente); luzes do reboque (se presente); luzes
de presença; indicadores de direcção; luz de nevoeiro traseira; luz de marcha-atrás; luzes de stop; luzes
da matrícula.
A anomalia pode dever-se a uma lâmpada fundida ou ao respectivo fusível de protecção queimado ou à
interrupção da ligação elétrica.

LIMPEZA DPF (filtro de partículas) em curso (apenas versões Diesel com DPF)
O símbolo acende-se de modo fixo para assinalar que o sistema DPF precisa de eliminar as substâncias
poluentes retidas (partículas) através do processo de regeneração.
O símbolo não se acende sempre que o DPF se encontra em regeneração, mas somente quando as
condições de condução exigirem a sinalização ao condutor.Para fazer com que o símbolo se apague,
manter o veículo em movimento até a regeneração terminar.A duração do processo é de 15 minutos, em
média.As condições ideais para terminar o processo são atingidas mantendo o veículo em andamento a
60 Km/h com regime do motor superior a 2000 rpm.
O acendimento do símbolo não deve ser considerado um defeito do veículo e, por isso, não é necessário
levá-lo à oficina. Em algumas versões, juntamente com o acendimento do símbolo, o ecrã visualiza a
mensagem específica.
22)

ATENÇÃO

22) A velocidade de andamento deve ser sempre adequada à situação do trânsito, às condições atmosféricas e respeitando as leis vigentes
do Código da Estrada. Assinalamos, ainda, que é possível desligar o motor mesmo com a luz avisadora DPF acesa; todavia, interrupções
repetidas do processo de regeneração podem causar uma degradação prematura do óleo do motor. Por este motivo, é sempre aconselhável
aguardar que o símbolo se apague antes de desligar o motor, seguindo as indicações acima indicadas. Não é aconselhável concluir a
regeneração do DPF com o veículo parado.

68
Símbolos de cor branca

Símbolo O que significa O que fazer

VELOCIDADE LIMITE ULTRAPASSADA


O símbolo (de cor branca) acende-se quando é
ultrapassado o limite de velocidade definido (por ex.
110 km/h) através do Menu do display (o valor interno
atualiza-se em função da velocidade definida).
Em algumas versões/mercados, onde previsto, o
símbolo (de cor vermelha), acende-se quando é
ultrapassado o limite de velocidade definido através
do Menu do display: para estas versões, a indicação
está fixa em 120 km/h.

HILL DESCENT CONTROL


(onde presente)

Activação do sistema: acendimento do símbolo com luz


fixa juntamente com a visualização de uma mensagem
específica.
Não activação do sistema: acendimento do LED
situado no botão presente no túnel central (consultar o
parágrafo "Sistemas de segurança activa" no capítulo
"Segurança").

CRUISE CONTROL ELECTRÓNICO


O símbolo acende-se em caso de activação do Cruise
Control electrónico.

SPEED LIMITER
O símbolo acende-se em caso de activação do Speed
Limiter.

69
Mensagens visualizadas no display

CONHECIMENTO DO QUADRO DE INSTRUMENTOS Mensagem no dispaly

AVARIA NA TRACÇÃO INTEGRAL


SERV 4WD A mensagem acende-se para assinalar a avaria do sistema de tracção integral. Dirigir-se,
logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.

SISTEMA BLIND-SPOT MONITORING


Blocco sensore: em caso de bloqueio do sensor do sistema Blind-spot Monitoring, é
visualizada uma mensagem no display. Neste caso, os LEDs localizados nos espelhos
retrovisores externos estão acesos com luz fixa. Libertar o pára-choques de eventuais
obstáculos ou limpá-lo de impurezas.

Sistema não disponível: em caso de indisponibilidade do sistema Blind-spot Monitoring,


é visualizada uma mensagem no display.. Neste caso, os LEDs localizados nos espelhos
BLIND-SPOT MONITORING retrovisores externos estão acesos com luz fixa. A causa de mau funcionamento pode
dever-se à tensão insuficiente da bateria ou a eventuais avarias no sistema eléctrico.
Contactar, logo que possível, a Rede de Assistência Jeep para a verificação do sistema
eléctrico.

Avaria do sistema blind spot monitoring : em caso de avaria do sistema Blind-spot


Monitoring, é visualizada uma mensagem no display. Neste caso, os LEDs localizados nos
espelhos retrovisores externos estão apagados. É também emitido um sinal acústico.
Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.

70
Mensagem no dispaly

SISTEMA PARKSENSE (onde presente)


Bloqueio dos sensores: a mensagem é visualizada no display em caso de bloqueio dos
sensores do sistema ParkSense. Libertar o pára-choques de eventuais obstáculos,
limpando-o de impurezas.
PARKSENSE
Sistema indisponível: no display é visualizada uma mensagem específica em caso de
indisponibilidade do sistema ParkSense. A causa de mau funcionamento pode dever-se à
tensão insuficiente da bateria ou a eventuais avarias no sistema eléctrico. Contactar, logo
que possível, a Rede de Assistência Jeep para a verificação do sistema eléctrico.

ACTIVE PARKSENSE (onde presente)


Bloqueio dos sensores: a mensagem é visualizada no display em caso de bloqueio dos
sensores do sistema Active ParkSense. Libertar o pára-choques de eventuais obstáculos,
limpando-o de impurezas.
ACTIVE PARKSENSE
Sistema não disponível: no display é visualizada uma mensagem específica em caso de
indisponibilidade do sistema Active ParkSense. A causa de mau funcionamento pode
dever-se à tensão insuficiente da bateria ou a eventuais avarias no sistema eléctrico.
Contactar, logo que possível, a Rede de Assistência Jeep para a verificação do sistema
eléctrico.

SIDE DISTANCE WARNING (onde presente)

Bloqueio dos sensores: a mensagem é visualizada no display em caso de bloqueio dos


sensores do sistema Side Distance Warning. Libertar o pára-choques de eventuais obstá-
culos, limpando-o de impurezas.
SIDE DISTANCE WARNING
Sistema indisponível: no display é visualizada uma mensagem específica em caso de
indisponibilidade do sistema Side Distance Warning. A causa de mau funcionamento pode
dever-se à tensão insuficiente da bateria ou a eventuais avarias no sistema eléctrico.
Contactar, logo que possível, a Rede de Assistência Jeep para a verificação do sistema
eléctrico.

71
CONHECIMENTO DO QUADRO DE INSTRUMENTOS
Mensagem no dispaly

LANESENSE (onde presente)


Obstrução da câmara: no display é visualizada uma mensagem específica em caso de
presença de sujidade no pára-brisas que poderia interferir com o correcto
funcionamento da câmara. Limpar o pára-brisas utilizando um pano suave e limpo,
LANESENSE tendo cuidado para não riscá-lo. Se a avaria persistir, dirigir-se assim que possível à
Rede de Assistência Jeep.

Sistema indisponível: no display é visualizada uma mensagem específica em caso de


indisponibilidade do sistema LaneSense.

SISTEMA DST (Dynamic Steering Torque)


DYNAMIC STEERING TORQUE No display é visualizada uma mensagem específica em caso de avaria do sistema DST.
Dirigir-se, logo que possível, à Rede de Assistência Jeep.

MANUTENÇÃO PROGRAMADA (SERVICE)


Quando a manutenção programada ("revisão") está perto do prazo previsto, deslocando
o dispositivo de arranque para a posição MAR, no display aparece a indicação "Service"
MENSAGENS "SERVICE" (MANUTENÇÃO seguida do número de quilómetros/milhas ou dias (onde previsto) que faltam para a
PROGRAMADA) manutenção do veículo.
Contactar a Rede de Assistência Jeep que procederá, para além das operações de
manutenção previstas no "Plano de manutenção programada" à reposição a zeros da
referida visualização (reset).

72
SEGURANÇA

O capítulo que tem à frente é muito SISTEMAS DE SEGURANÇA


importante: aqui são descritos os siste- ACTIVA . . . . . . . . . . . . . . . . . . .74
mas de segurança fornecidos com o SISTEMAS DE AUXÍLIO À CONDU-
automóvel e fornecidas as indicações ÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .80
necessárias sobre como utilizá-los cor- SISTEMAS DE PROTEAÇÃO DOS
rectamente. OCUPANTES . . . . . . . . . . . . . . .87
CINTOS DE SEGURANÇA . . . . . . .87
SISTEMA SBR (Seat Belt Reminder) .88
PRÉ-TENSORES . . . . . . . . . . . . .90
SISTEMAS DE PROTECÇÃO PARA
CRIANÇAS . . . . . . . . . . . . . . . . .93
SISTEMA DE PROTECÇÃO SUPLE-
MENTAR (SRS) - AIR BAG . . . . . .106

73
SISTEMAS DE do motor poderá causar o patinamento Intervenção do sistema

SEGURANÇA
SEGURANÇA ACTIVA das rodas motrizes e a consequente A intervenção do sistema é assinalada
perda de estabilidade do veículo. Nes- pela intermitência da luz avisadora
SISTEMA ABS (Anti-lock tas situações o sistema DTC intervém
Braking System) no quadro de instrumentos, para
fornecendo de novo binário ao motor a informar o condutor que o veículo está
Trata-se de um sistema, parte inte-
fim de conservar a estabilidade e au- em condições críticas de estabilidade e
grante do sistema de travagem, que
mentar a segurança do veículo. aderência.
evita, com quaisquer condições do piso
da estrada e de intensidade da acção SISTEMA ESC 44) 45) 46) 47) 48)

de travagem, o bloqueio e a conse- (Electronic Stability


Control) SISTEMA PBA (Panic
quente patinagem de uma ou mais ro- Brake Assist)
das, garantindo, deste modo, o con- O sistema ESC melhora o controlo di-
O sistema PBA foi concebido para opti-
trolo do veículo mesmo nas travagens reccional e a estabilidade do veículo
mizar a capacidade de travagem do
de emergência e optimizando os espa- sob diversas condições de condução,
veículo durante uma travagem de emer-
ços de travagem. corrigindo a subviragem e a sobrevira-
gência.
gem, repartindo a travagem nas rodas
Intervenção do sistema apropriadas. Para obter a máxima funcionalidade do
A intervenção do ABS é detectável sistema, é necessário premir continua-
Intervenção do sistema mente o pedal do travão durante a tra-
através de uma ligeira pulsação do pe-
dal do travão, acompanhada de ruído: A intervenção do sistema é assinalada vagem, evitando premi-lo intermitente-
este é um comportamento perfeita- pela intermitência da luz avisadora mente. Não reduzir a pressão no pedal
mente normal do sistema em fase de no quadro de instrumentos, para do travão até a travagem deixar de ser
intervenção. informar o condutor que o veículo está necessária.
em condições críticas de estabilidade e O sistema PBA desactiva-se quando se
32) 33) 34) 35) 36) 37) 38)
aderência. solta o pedal do travão.
SISTEMA DTC (Drag 39) 40) 41) 42) 43)
49) 50) 51)
Torque Control)
O Sistema DTC (Drag Torque Control) SISTEMA TC (Traction SISTEMA HSA (Hill Start
prevem o possível bloqueio das rodas Control) Assist)
motrizes que se poderá verificar no O sistema intervém automaticamente É parte integrante do sistema ESC e
caso, por exemplo, de largada impro- em caso de patinagem, de perda de facilita o arranque nas subidas.
visa do pedal acelerador ou de brusca aderência em piso molhado (aquapla-
52) 53)
mudança de velocidade efetuadas em ning), aceleração em pisos escorrega-
condições de baixa aderência. dios, com neve ou gelo, etc. de uma ou
ambas as rodas motrizes.
Nestas condições o efeito travaghem

74
SISTEMA DST (Dynamic SISTEMA TSC (Trailer Habilitação do sistema
Steering Torque) Sway Control) Para activar o sistema, premir o botão
A função DST aproveita a integração do O sistema utiliza uma série de sensores (consultar fig 61 ).
sistema ESC com a direcção assistida localizados no veículo para identificar
eléctrica para aumentar o nível de se- uma excessiva guinada do reboque e
gurança de todo o veículo. tomar as precauções necessárias para
54) pará-lo.

SISTEMA ERM Intervenção do sistema


(Electronic Rollover Quando o sistema está activo, no qua-
Mitigation) dro de instrumentos começa a piscar a
O sistema monitoriza a tendência para luz avisadora , a potência do motor
a elevação das rodas do solo caso o reduz-se e pode sentir-se uma trava-
condutor efectue manobras extremas, gem em cada roda, a seguir à tentativa
tais como evitar subitamente um obstá- de parar a guinada do reboque. O sis- 61 J0A0154C
culo, sobretudo em condições de es- tema só está activo com o ESC ligado.
trada não ideais. Desengatando o sistema ESC (pre- O sistema habilita-se se forem satisfei-
Se se verificarem estas condições, o mindo o botão situado o túnel central), tas as seguintes condições:
sistema, ao intervir nos travões e na é também desactivado o sistema TSC. o dispositivo Selec-Terrain™
potência do motor, limita a possibili- estiver na modalidade 4WD LOW;
56) 57)
dade de as rodas se levantarem do a velocidade do veículo for inferior a
solo. No entanto, não é possível evitar a SISTEMA HDC (Hill 12 km/h;
tendência para o capotamento do veí- Descent Control) o travão de estacionamento eléctrico
(onde presente) (EPB) estiver desengatado;
culo se o fenómeno se dever a causas
como a condução em elevadas inclina- Esta função, para as versões que a a porta do lado do condutor estiver
ções laterais, o choque contra objectos possuem, é parte integrante do sistema fechada.
ou outros veículos. ESC e tem como objectivo manter o A activação do sistema é assinalada
veículo a uma velocidade constante pelo acendimento, com luz fixa, do
55)
durante uma descida, actuando de ícone no display juntamente com a
forma autónoma e diferenciada nos visualização de uma mensagem especí-
travões. fica.
Deste modo, é garantida a estabilidade
do veículo e a quilometragem em plena Activação do sistema
segurança sobretudo em condições de Uma vez habilitado, o sistema HDC
baixa aderência e inclinações elevadas. activar-se-á automaticamente se o veí-

75
culo for conduzido numa descida com estrada em subida; de funcionamento normal durante a

SEGURANÇA
inclinação suficientemente alta, superior a alavanca das mudanças condução de um veículo de quatro ro-
a 8%. automática estiver na posição P das motrizes.
A velocidade definida para o sistema (Estacionamento). Esta modalidade deve ser utilizada para
HDC pode ser regulada através do pe- Desabilitação do sistema a maior parte das situações de condu-
dal do travão e do pedal do acelerador O sistema é desactivado e desabilitado ção. O sistema estará na modalidade
(no intervalo de 1 km/h a 12 km/h). se se verificar uma das seguintes con- "Sistemas habilitados" a cada arranque
Uma vez atingida a velocidade dese- dições: do motor.
jada, soltando ambos os pedais, o sis- pressão do botão fig 61; ADVERTÊNCIA É aconselhável selec-
tema HDC manterá a velocidade defi- activação de uma modalidade cionar as modalidades "Sistemas par-
nida. Deste modo, o condutor pode diferente de 4WD LOW; cialmente desabilitados" ou "Sistemas
regular a velocidade e, se necessário, engate do travão de estacionamento desabilitados" apenas por motivos de
retomar o controlo do veículo. eléctrico (EPB); condução específicos.
Se a velocidade do veículo ultrapassar abertura da porta do lado do Sistemas parcialmente desabilita-
os 12 km/h, mas permanecer inferior a condutor; dos
40 km/h, soltando ambos os pedais o superação da velocidade de 40 km/h Premindo o botão no túnel central
sistema HDC voltará a colocar o veículo (saída imediata da função HDC). fig 62 durante menos de 5 segundos,
à velocidade de 12 km/h. 58) 59) durante a marcha do veículo, é possível
Com a alavanca das mudanças em desabilitar o sistema TSC e limitar a
ponto morto, a regulação da velocidade DESABILITAÇÃO DOS
SISTEMAS DE intervenção do sistema TC apenas à
através do pedal do acelerador não SEGURANÇA ACTIVOS acção de travagem em cada roda
está disponível. Em função das versões, existem até 3 motriz. Os outros sistemas
O condutor pode anular a qualquer mo- modalidades de configuração dos sis- permanecem habilitados.
mento a intervenção do sistema HDC temas de segurança activos presentes A activação da modalidade é assina-
carregando a fundo no pedal do acele- no veículo: lada pelo acendimento da luz avisadora
rador ou do travão. sistemas habilitados; no quadro de instrumentos (em algu-
Desactivação do sistema sistemas parcialmente desabilitados; mas versões, juntamente com a visuali-
O sistema HDC é desactivado, mas sistemas desabilitados. zação de uma mensagem no display).
permanece disponível, se se verificar Sistemas habilitados
uma das seguintes condições: Todos os sistemas de segurança acti-
o veículo estiver numa descida com vos estão habilitados. É a modalidade
inclinação não suficiente, inferior a 8%,
ou estiver num terreno plano ou numa

76
ERM; o sistema TC limitar-se-á apenas sistemas de segurança activos no qua-
à acção de travagem em cada roda dro de instrumentos, acender-se-á a luz
motriz. Os outros sistemas permane- avisadora .
cem habilitados. Nas modalidades "SAND" e "MUD", os
A activação da modalidade é assina- sistemas de segurança activos são par-
lada pelo acendimento da luz avisadora cialmente desabilitados e preparados
no quadro de instrumentos (em algu- para garantir o máximo das prestações
mas versões, juntamente com a visuali- nas modalidades de funcionamento
zação de uma mensagem no display). específicas. Em todo o caso, é possível
ADVERTÊNCIA Ao ultrapassar a veloci- reactivá-los completamente a qualquer
62 J0A0282C
dade de cerca de 65 km/h, os sistemas momento premindo o botão no túnel
comportar-se-ão como descrito para a central caso se pretenda privilegiar a
Para restabelecer a modalidade "Siste-
modalidade "Sistemas parcialmente segurança relativamente aos desempe-
mas completamente habilitados" de
desativados". nhos "off-road".
funcionamento, premir novamente o
botão no túnel central. Para restabelecer a modalidade "Siste- ADVERTÊNCIA Nas modalidades 4WD
mas habilitados", premir novamente o LOW, os sistemas de segurança acti-
A modalidade "Sistemas completa-
botão no túnel central. vos são parcialmente desabilitados, a
mente habilitados" reactivar-se-á auto-
A modalidade "Sistemas habilitados" fim de garantir a máxima prestação em
maticamente a cada arranque do mo-
reactivar-se-á automaticamente a cada off-road e não será possível reactivá-
tor.
arranque do motor. -los.
ADVERTÊNCIA Ao viajar em pisos com
60) 61) 62) 63)
neve, com as correntes da neve monta- Versões equipadas com dispositivo
das, pode ser útil activar a modalidade Selec-Terrain™
"Sistemas parcialmente desabilitados": Nas versões equipadas com dispositivo
de facto, nestas condições, a patina- Selec-Terrain™, a activação de algu- AVISO
gem das rodas motrizes em fase de mas modalidades de condução prevê a
arranque permite obter uma maior trac- desactivação parcial ou total de alguns 32) Quando o ABS intervier, e se sentirem
ção. sistemas de segurança activos, a fim as pulsações do pedal do travão, não
de optimizar as prestações na modali- aliviar a pressão, mas manter o pedal
Sistemas desabilitados totalmente premido sem receio; desta
dade específica. forma, obtém-se um espaço de travagem
Premindo o botão no túnel central
durante mais de 5 segundos, será Com desactivação parcial ou total dos ideal, compativelmente com as condições
do piso da estrada.
completamente desligado o sistema
ESC, para além dos sistemas TSC.

77
SEGURANÇA
33) Para ter a máxima eficiência do 41) As capacidades do sistema ESC 47) O sistema TC não pode evitar
sistema de travagem, é necessário um nunca devem ser testadas de forma acidentes, incluindo os devidos a
período de assentamento de aprox. irresponsável e perigosa que possa velocidade excessiva em curva, condução
500 km: durante este período, é comprometer a própria segurança e a de em superfícies de baixa aderência ou
aconselhável não efetuar travagens terceiros. aquaplaning.
demasiado bruscas, repetidas e 42) Para o correto funcionamento do 48) As capacidades do sistema TC nunca
prolongadas. sistema ESC, é indispensável que os devem ser testadas de forma irresponsável
34) Se o ABS intervém, é sinal que se está pneus sejam da mesma marca e do e perigosa que possa comprometer a
a atingir o limite de aderência entre os mesmo tipo em todas as rodas, em própria segurança e a de terceiros.
pneus e o piso da estrada: é necessário perfeitas condições e principalmente do 49) O sistema PBA não pode contrariar as
reduzir a velocidade para adaptar a tipo e das dimensões prescritas. leis naturais da física e não pode aumentar
marcha à aderência disponível. 43) As prestações do sistema ESC não a aderência que se pode obter das
35) O sistema ABS não pode contrariar as devem induzir o condutor a correr riscos condições da estrada.
leis naturais da física e não pode aumentar inúteis e injustificados. O tipo de condução 50) O sistema PBA não pode evitar
a aderência obtenível das condições da deve ser sempre adequado às condições acidentes, incluindo os devidos a
estrada. do piso da estrada, à visibilidade e ao excessiva velocidade em curva, condução
36) O sistema ABS não pode evitar trânsito. A responsabilidade pela a em superfícies de baixa aderência ou
acidentes, incluindo os devidos a segurança na estrada pertence sempre ao aquaplaning.
velocidade excessiva em curva, condução condutor. 51) As capacidades do sistema PBA
em superfícies de baixa aderência ou 44) Para o funcionamento correto do nunca devem ser testadas de forma
aquaplaning. sistema TC, é indispensável que os pneus irresponsável e perigosa que possa
37) As capacidades do sistema ABS sejam da mesma marca e do mesmo tipo comprometer a segurança do próprio
nunca devem ser testadas de forma em todas as rodas, em perfeitas condições condutor, dos outros ocupantes presentes
irresponsável e perigosa que possa e principalmente do tipo e das dimensões a bordo do veículo e de todos os outros
comprometer a própria segurança e a dos prescritas. utilizadores da estrada.
outros. 45) As prestações do sistema TC não 52) O sistema Hill Start Assist não é um
38) Para o correto funcionamento do devem induzir o condutor a correr riscos travão de estacionamento, portanto não
sistema ABS é indispensável que os pneus inúteis e injustificados. O tipo de condução abandonar o veículo sem ter acionado o
sejam da mesma marca e do mesmo tipo deve ser sempre adequado às condições travão de estacionamento elétrico,
em todas as rodas, em perfeitas condições do piso da estrada, à visibilidade e ao desligado o motor e engatado a primeira
e principalmente do tipo e dimensões trânsito. A responsabilidade pela a velocidade, estacionando o veículo em
prescritas. segurança na estrada pertence sempre ao condições de segurança (para mais
39) O sistema ESC não pode modificar as condutor. informações, consultar o parágrafo
leis naturais da física e não pode aumentar 46) O sistema TC não pode contrariar as "Estacionamento" no capítulo "Arranque e
a aderência dependente das condições da leis naturais da física e não pode aumentar condução").
estrada. a aderência que se pode obter das
40) O sistema ESC não pode evitar condições da estrada.
acidentes, incluindo os devidos a
velocidade excessiva em curva e
condução em superfícies de baixa
aderência ou aquaplaning.

78
53) Podem existir situações em pequenas 58) Uma utilização prolongada do sistema 63) Quando o modo "Sistemas
inclinações (inferiores a 8%), em condições pode conduzir a sobreaquecimento do desativados" é selecionado, em caso de
de veículo carregado, em que o sistema sistema de travagem. Em caso de manobras de emergência, o sistema ESC
Hill Start Assist pode não se ativar, sobreaquecimento dos travões, o sistema não estará disponível. O modo "Sistemas
provocando um ligeiro recuo, e HDC, se ativo, será gradualmente desativados" só deve ser utilizado para
aumentando o risco de uma colisão com desativado após oportuna sinalização ao todo-o-terreno.
um outro veículo ou objeto. A condutor (o LED no botão apaga-se); só
responsabilidade pela a segurança na será possível reativá-lo quando a
estrada pertence sempre ao condutor. temperatura dos travões tiver descido o
54) O DST constitui um auxílio à condução suficiente. A distância que pode ser
e não substitui o condutor na percorrida depende da temperatura dos
responsabilidade da condução do veículo. travões e, assim, da inclinação, da carga e
55) As prestações de um veículo equipado da velocidade do veículo.
com ERM nunca devem ser postas à prova 59) As prestações de um veículo equipado
de modo incauto e perigoso, podendo com HDC nunca devem ser postas à
colocar em perigo a segurança do prova de modo incauto e perigoso,
condutor e de outras pessoas. podendo colocar em perigo a segurança
56) Em caso de reboque de atrelados do condutor e de outras pessoas.
recomenda-se sempre, durante a 60) Quando o modo "Sistemas
condução, a máxima cautela. Nunca parcialmente desativados" estiver
ultrapassar as cargas máximas admitidas selecionado, a intervenção da função TC
(consultar o parágrafo "Pesos" no capítulo limita-se à única ação de travagem nas
"Dados técnicos"). rodas motrizes individuais e a luz avisadora
57) O sistema TSC não é capaz de suster acende-se no quadro de instrumentos.
a guinada de um reboque. Se o sistema se No modo "Sistemas parcialmente
ativar durante a condução, reduzir a desativados", o valor de binário do motor
velocidade, parar o veículo num local que pode exigir o sistema ESC não será
seguro e colocar corretamente a carga garantido e, assim, a estabilidade do
para impedir a guinada do reboque. veículo será reduzida.
61) Com o modo "Sistemas parcialmente
desativados" selecionado, o sistema TSC
(Trailer Sway Control) é desativado.
62) O estilo de condução deve ser sempre
adequado às condições do piso da
estrada, à visibilidade e ao trânsito. A
responsabilidade pela a segurança na
estrada pertence sempre ao condutor.

79
SISTEMAS DE assinalar ao condutor que o sistema (Estacionamento) (versões com caixa

SEGURANÇA
AUXÍLIO À está activo. automática) ou com o veículo parado
CONDUÇÃO com o travão de estacionamento eléc-
trico accionado (versões com caixa ma-
SISTEMA BSM (Blind- nual).
spot Monitoring)
(onde presente) A zona de detecção do sistema cobre
O sistema utiliza dois sensores de ra- aproximadamente uma faixa de roda-
dar, situados no pára-choques poste- gem em ambos os lados do veículo
rior (um de cada lado - consultar (aprox. 3 metros). Esta zona começa
fig 63 ), para detectar a presença de pelo espelho retrovisor externo e
veículos (automóveis, camiões, estende-se por cerca de 6 metros em
motocicletas, etc.) nos pontos cegos direcção à parte posterior do veículo.
da zona lateral do veículo. Com os sensores activados, o sistema
monitoriza as zonas de detecção em
ambos os lados do veículo e avisa o
condutor da eventual presença de veí-
culos nestas áreas.
Durante a condução, o sistema monito-
riza a zona de detecção a partir de três
pontos de entrada (lateral, posterior,
anterior) para verificar a necessidade de
enviar uma sinalização ao condutor. O
sistema pode detectar a presença de
64 J0A0217C
63 J0A0220C um veículo numa destas três zonas.
Sensores Avisos
O sistema avisa o condutor da pre- Os sensores activam-se engatando 64)
sença de veículos nas zonas de detec- uma qualquer mudança para a frente
ção através do acendimento, do lado O sistema não assinala a presença de
com velocidade superior a cerca de objectos fixos (por ex. parapeitos, pos-
correspondente, da luz avisadora situ- 10 km/h ou quando é engatada a
ada no espelho retrovisor externo tes, paredes, etc.). No entanto, em al-
marcha-atrás. gumas ocasiões, o sistema poderia
fig 64, juntamente com um sinal
Os sensores são temporariamente de-
sonoro. Aquando do arranque do
sactivados com o veículo parado e a
veículo, a luz avisadora acende-se para
alavanca das mudanças na posição P

80
activar-se na presença destes objectos. (com uma diferença de velocidade infe- mentos. A ativação do sistema é assi-
Isto é normal e não indica uma avaria rior a cerca de 25 km/h) e este perma- nalada ao condutor através de uma
do sistema. necer no ponto cego durante cerca de indicação acústica e visual.
O sistema não avisa o condutor da pre- 1,5 segundos, a luz avisadora no espe-
Se os sensores estiverem cobertos por
sença de veículos que viajam no sen- lho retrovisor externo do lado corres-
obstáculos ou por veículos, o sistema
tido contrário ao do próprio veículo, nas pondente acende-se. Se a diferença
não avisará o condutor.
faixas de rodagem adjacentes. entre a velocidade dos dois veículos for
superior a cerca de 25 km/h, a luz avi- "Aviso de ângulo cego" modalidade
Se se ligar um reboque ao veículo, o "Visual": o sistema BSM envia uma
sistema desactiva-se automaticamente. sadora não se acende.
sinalização visual para o espelho retro-
Para o correcto funcionamento do sis- Sistema RCP (Rear Cross Path visor lateral afectado pela presença do
tema, a zona do pára-choques poste- detection) objecto detectado. De qualquer forma,
rior onde estão localizados os sensores Este sistema ajuda nas manobras em durante o funcionamento na modali-
do radar deve permanecer livre de marcha-atrás em caso de visibilidade dade RCP, o sistema produz alarmes
neve, gelo e da sujidade acumulada reduzida. Durante a modalidade de fun- visuais e acústicos quando é detectada
pelo piso da estrada. cionamento"RCP", o sistema emite si- a presença de um objecto nas proximi-
Não cobrir a área do pára-choques nalizações acústicas e visuais se for dades. Quando é emitida uma sinaliza-
posterior onde se encontram os senso- detectada a presença de um objecto. ção acústica, o volume do
res do radar com algum tipo de objecto Quando é emitida uma sinalização Uconnect™ é reduzido.
(por ex. adesivos, porta-bicicletas, etc.). acústica, o volume do Uconnect™ é
"Aviso de ângulo cego" modalidade
reduzido.
Se, após a aquisição do veículo, se de- "Visual & acústico": o sistema BSM
sejar instalar o gancho de reboque, é O sistema pode ser activado/ envia uma sinalização visual para o es-
necessário desactivar o sistema actu- desactivado actuando no Menu do dis- pelho retrovisor lateral afectado pela
ando no Menu do display ou no sis- play ou actuando no sistema presença do objecto detectado.
tema Uconnect™ Uconnect™. Aquando da activação do indicador de
Visualização posterior: são deteta- O sistema controla as zonas de dete- direcção no lado correspondente
dos veículos que se aproximam da ção posteriores em ambos os lados do àquele onde foi detectado um obstá-
parte posterior do veículo de ambos os veículo, para detetar os objetos que se culo, é também emitida uma sinaliza-
lados e entram na zona de deteção deslocam para os lados do veículo a ção acústica. Durante a emissão da
posterior com uma diferença de veloci- uma velocidade mínima compreendida sinalização acústica, o volume do
dade relativamente ao próprio veículo entre aprox. 1 km/h e 3 km/h e os obje- Uconnect™ é reduzido.
inferior a 50 km/h. tos que se deslocam a uma velocidade Desactivação da função "Aviso de
máxima de cerca de 35 km/h, como ângulo cego": quando o sistema é
Veículos em ultrapassagem: se se
acontece geralmente nos estaciona- desactivado (modalidade "Aviso de ân-
ultrapassar lentamente um outro veículo

81
gulo cego" em "OFF"), os sistemas quear e desligar-se, a menos que não

SEGURANÇA
BSM ou RCP não emitirão nem sinali- se carregue no pedal da embraiagem.
zações acústicas nem visuais. O sis- Versões equipadas com caixa auto-
tema BSM memorizará a modalidade mática: após a travagem, permanece
de funcionamento em utilização no mo- engatada a última mudança memori-
mento da desactivação do motor: a zada: o veículo pode, voltar a arrancar
cada sucessivo arranque do motore, a alguns segundos após a paragem au-
modalidade anteriormente memorizada tomática.
será chamada e utilizada.
Após a paragem do veículo, as pinças
SISTEMA FORWARD 66 J0A0241C do travão podem permanecer bloquea-
COLLISION WARNING
PLUS das durante 2 segundos por motivos
65) 66) 67) 68)
Em caso de colisão iminente, o sistema de segurança. Certificar-se de que car-
intervém travando automaticamente o rega no pedal do travão caso o veículo
23) 24) 25) 26) 27) 28) 29) 30) 31)
veículo para evitar o embate ou para avance ligeiramente.
É constituído por um radar posicionado reduzir os seus efeitos.
Activação/desactivação
atrás do pára-choques anterior fig 65 e O sistema pode aplicar uma ligeira tra-
por uma câmara situada na zona É possível desactivar (e posteriormente
vagem para avisar o condutor em caso reactivar) o Forward Collision Warning
central do pára-brisas fig 66. de detecção de um potencial acidente Plus actuando no sistema
frontal. As sinalizações e a travagem Uconnect™. É possível desactivar o
limitada têm o objectivo de permitir sistema mesmo colocando o disposi-
uma reacção atempada do condutor, a tivo de arranque na posição MAR.
fim de poder evitar ou atenuar o poten-
cial acidente. A modificação do estado só é possível
Versões equipadas com sistema com o veículo parado.
Stop/Start: no final da intervenção de Activação/desactivação
travagem automática, o sistema Stop/ Se correctamente activado pelo sis-
Start activar-se-á segundo as modali- tema Uconnect™, o Forward Collision
dades descritas no parágrafo "Sistema Warning Plus é activado a cada arran-
65 J0A0334C
Stop/Start" neste capítulo. que do motor.
Versões equipadas com caixa ma- O sistema desactiva-se premindo pro-
nual: no final da intervenção de trava- longadamente o botão situado no
gem automática, o motor pode blo- túnel central. A seguir a uma desactiva-

82
ção, o sistema já não avisará o condu- cionamento. Se o inconveniente persis-
tor do possível acidente com o veículo tir, dirigir-se à Rede de Assistência
que o precede, independentemente da Jeep.
definição seleccionada através do sis-
Condução em condições especiais
tema Uconnect™. Para resactivar o
Em determinadas condições de condu-
sistema, premir novamente o botão .
ção, tais como, por exemplo:
O sistema só está activo se: condução nas proximidades de uma
for ligado através do sistema curva (consultar fig 67 );
Uconnect™; veículos de pequenas dimensões
não tiver sido desactivado através e/ou não alinhados com a faixa de 68 J0A0082C
de pressão prolongada do botão ; rodagem (consultar fig 68 );
o dispositivo de arranque estiver na outros veículos que mudam de faixa
posição MAR; (consultar fig 69 );
a velocidade do veículo está veículos em andamento no sentido
compreendida entre 7 e 200 km/h; transversal (consultar fig 70 );
os cintos de segurança dos lugares
a intervenção do sistema pode resultar
anteriores estão apertados.
inesperada ou retardada. O condutor
Sinalização de funcionalidade limi- deve prestar sempre muita atenção,
tada do sistema mantendo o controlo do veículo para
Se for visualizada a mensagem especí- conduzir em condições de total segu-
fica, pode verificar-se uma condição rança.
69 J0A0083C
que limita o funcionamento do sistema.
As possíveis causas desta limitação
são uma avaria ou a obstrução da câ-
mara. Em caso de indicação de obstru-
ção, limpar a zona do pára-brisas indi-
cada em fig 66 e verificar o
desaparecimento da mensagem. Neste
caso, o sistema pode não estar
completamente disponível.
Quando terminam as condições que
limitaram a funcionalidade do sistema, 67 J0A0081C
este volta a um normal e completo fun- 70 J0A0336C

83
Avisos automaticamente desactivado. A TPMS foram estabelecidos com base

SEGURANÇA
O sistema não foi concebido para desactivação automática é assinalada na dimensão dos pneus montados no
evitar colisões e não é capaz de através do acendimento da respectiva veículo. A utilização de pneus sobres-
detectar antecipadamente condições luz avisadora/ícone no quadro de selentes de dimensão, tipo e/ou dese-
de acidente iminente. O não instrumentos. nho diferentes dos originais pode ser
cumprimento desta advertência pode causa de funcionamento anómalo do
SISTEMA TPMS (Tyre
conduzir a lesões graves ou mortais. Pressure Monitoring sistema ou de danos nos sensores. As
O sistema pode activar-se, System) rodas montadas em pós-venda podem
avaliando a trajectória seguida pelo (onde presente) provocar danos nos sensores. A utiliza-
veículo, devido à presença de objectos 69) 70) 71) 72) 73) 74) 75) 32) ção de vedantes para pneus em pós-
metálicos reflectores diferentes de -venda pode provocar danos no sensor
O sistema (Tyre Pressure Monitoring
outros veículos como, por exemplo, do sistema de controlo da pressão dos
System) assinala uma eventual baixa
parapeitos, placas sinaléticas, barras à pneus. A seguir à utilização de vedante
pressão insuficiente dos pneus com
entrada de estacionamentos, para pneus em pós-venda, é aconse-
base na pressão a frio indicada no ca-
portagens, passagens de nível, lhável dirigir-se à Rede de Assistência
pítulo "Dados técnicos".
cancelas, carris, objectos próximo de Jeep para mandar efectuar o controlo
obras na estrada ou situados mais O sistema é constituído por um sensor
dos sensores. Após o controlo ou a
acima relativamente ao veículo (por ex. transmissor de radiofrequência mon-
regulação da pressão de enchimento,
um viaduto). Da mesma forma, o tado em cada roda (na jante no interior
remontar sempre o tampão da válvula
sistema pode intervir no interior de do pneu), capaz de enviar à centralina
para evitar a infiltração de humidade e
parques de estacionamento com vários de controlo as informações relativas à
sujidade que poderiam danificar o sen-
andares ou galerias, ou devido a pressão de cada pneu.
sor de controlo da pressão dos pneus.
reflexos do piso da estrada. Estas O sistema atualiza-se automaticamente
e a luz avisadora apaga-se assim Mensagem de verificação TPMS
possíveis activações resultam da
normal lógica de funcionamento do que o sistema recebe as pressões de Na presença de uma avaria de sistema,
sistema e não devem ser interpretadas enchimento atualizadas. Pode ser ne- a luz avisadora pisca durante 75
como anomalias. cessário conduzir o veículo até 20 mi- segundos e depois permanece acesa
O sistema foi concebido nutos a uma velocidade superior a com luz fixa. É também emitido um si-
exclusivamente para ser usado em cerca de 25 km/h para que o sistema nal acústico.
estrada. Em caso de condução TPMS possa receber estas informa- Desactivação do sistema TPMS
todo-o-terreno, o sistema deve ser ções. O sistema TPMS pode ser desativado
desactivado, para impedir sinalizações O sistema TPMS foi concebido para as substituindo as rodas equipadas com
supérfluas. Seleccionando a rodas e os pneus originais. As pressões sensores TPMS por outras que não as
modalidade 4WD LOW, o sistema é e os alarmes assinalados pelo sistema possuam (por ex. em caso de substitui-

84
ção dos conjuntos de roda por ocasião
65) O sistema constitui uma ajuda à 70) A pressão dos pneus deve ser
no Inverno). Portanto, conduzir o veí- condução: o condutor nunca deve reduzir verificada com pneus repousados e frios;
culo durante pelo menos 20 minutos a a atenção durante a condução. A se, por qualquer motivo, se verificar a
uma velocidade superior a cerca de responsabilidade da condução está pressão com os pneus quentes, não
25 km/h. O sistema TPMS emitirá um sempre confiada ao condutor, que deve ter reduzir a pressão mesmo que seja superior
em consideração as condições do tráfego ao valor previsto. Repetir o controlo com
sinal sonoro, a luz avisadora ficará para conduzir em completa segurança. O os pneus frios.
intermitente durante cerca de 75 se- condutor deve manter sempre uma 71) Caso sejam montadas uma ou mais
gundos e, de seguida, permanecerá distância de segurança relativamente ao rodas sem sensor (por ex. em caso de
acesa com luz fixa e no display do qua- veículo que o precede. instalação da roda sobresselente), o
dro de instrumentos visualizar-se-á a 66) Se, durante a intervenção do sistema, sistema deixará de estar disponível para as
o condutor carregar a fundo no pedal do rodas substituídas e no display será
mensagem "Verificaçao do sistema acelerador ou efetuar uma viragem rápida, apresentada uma mensagem de aviso, até
TPMS" e traços (– –) no lugar dos valo- é possível que a função de travagem serem montadas novamente as rodas com
res de pressão. automática se interrompa (por ex., para sensores.
permitir um eventual desvio de um 72) O sistema TPMS não é capaz de
No próximo arranque do motor, o sis- obstáculo). assinalar perdas imprevistas da pressão
tema não emitirá qualquer sinalização 67) O sistema intervém em veículos que dos pneus (por ex. em caso de
acústica e no display não será mais viajam na própria faixa de rodagem. No rebentamento de um pneu). Neste caso
visualizada a mensagem "Verificação do entanto, não são tidos em consideração parar o veículo travando com cautela e
sistema TPMS", mas os traços (– –) pessoas, animais e objetos (por ex. sem efetuar viragens bruscas.
carrinhos de bebé). 73) A substituição dos pneus normais
permanecerão visualizados no lugar do 68) Caso o veículo, para intervenções de pelos de inverno e vice-versa requer uma
valor da pressão. manutenção, tenha de ser colocado num intervenção de afinação do sistema TPMS
banco de rolos ou caso seja submetido a que só deve ser efetuada pela Rede de
uma lavagem automática de rolos, tendo Assistência Jeep.
um obstáculo na parte dianteira (por ex., 74) A pressão dos pneus pode variar em
AVISO um outro veículo, uma parede ou outro função da temperatura externa. O sistema
obstáculo), o sistema pode detetar a pode indicar temporariamente uma
presença e intervir. Neste caso, é, pressão insuficiente. Nesse caso, controlar
64) O sistema constitui uma ajuda na portanto, necessário desativar o sistema a pressão dos pneus a frio e, se
condução do veículo, NÃO avisa o atuando nas definições do sistema necessário, restabelecer os valores de
condutor da aproximação dos veículos que Uconnect™. enchimento.
se encontram no exterior das zonas de 69) A presença do sistema TPMS não
deteção. O condutor deve sempre manter isenta o condutor da regular verificação da
um nível de atenção adequado às pressão dos pneus e da roda
condições do trânsito, da estrada e no sobresselente e da correta manutenção: o
controlo da trajetória do veículo. sistema não serve para assinalar a
eventual avaria de um pneu.

85
SEGURANÇA
75) Quando um pneu é desmontado, 27) Reparações incorretas realizadas na 31) Atenção a reparações e novas pinturas
convém substituir também a guarnição de parte frontal do veículo (por ex. na zona à volta do sensor (moldura que
borracha da válvula: dirigir-se à Rede de para-choques, chassis) podem alterar a cobre o sensor no lado esquerdo do
Assistência Jeep. As operações de posição do sensor do radar e para-choques). Em caso de choques
montagem/desmontagem dos pneus e/ou comprometer o seu funcionamento. frontais, o sensor pode desativar-se
jantes requerem precauções particulares. Dirigir-se à Rede de Assistência Jeep para automaticamente e visualizar, no display,
Para evitar danificar ou montar qualquer reparação deste tipo. uma sinalização para indicar que é
incorretamente os sensores, a substituição 28) Não alterar ou realizar intervenções no necessário mandar reparar o sensor.
dos pneus e/ou jantes só deve ser sensor do radar ou na câmara localizada Também na ausência de sinalizações de
efetuada por pessoal especializado. no para-brisas. Em caso de avaria do avaria, desativar a funcionalidade do
Contactar a Rede de Assistência Jeep. sensor, é necessário dirigir-se à Rede de sistema se se suspeitar que a posição do
Assistência Jeep. sensor do radar foi alterada (por ex. devido
29) Em caso de reboque de atrelados (com a embates frontais a baixa velocidade
módulos instalados posteriormente à como nas manobras de estacionamento).
ATENÇÃO aquisição do veículo), de veículo rebocado Nestes casos, dirigir-se à Rede de
ou durante as manobras de carga em Assistência Jeep para proceder ao
camião (ou no interior de veículos realinhamento ou à substituição do sensor
23) O sensor pode ter funcionalidade destinados ao transporte), é necessário do radar.
limitada ou ausente devido às condições desativar o sistema através do sistema 32) O kit de reparação rápida dos pneus
atmosféricas, tais como chuva forte, Uconnect™. (TireKit), fornecido com o veículo, é
granizo, presença de nevoeiro cerrado ou 30) Evitar lavagens com jatos de alta compatível com os sensores do sistema
neve abundante. pressão na zona inferior do para-choques: TPMS. Por sua vez, a utilização de
24) A área de para-choques à frente do em particular, evitar mexer no conector vedantes não equivalentes ao presente no
sensor não deve estar coberta de elétrico do sistema. kit original pode comprometer o seu
adesivos, faróis auxiliares ou qualquer outro funcionamento. Em caso de utilização de
objeto. vedantes não equivalentes ao original, é
25) A intervenção do sistema pode ser recomendável mandar verificar o
inesperada ou retardada quando em outros funcionamento dos sensores TPMS junto
veículos estiverem presentes cargas de um centro de reparação qualificado.
salientes lateralmente, em cima ou atrás
relativamente às dimensões normais do
veículo.
26) A funcionalidade pode ficar
comprometida por uma qualquer
modificação estrutural efetuada no veículo
como, por exemplo, uma modificação do
alinhamento frontal, mudança dos pneus,
ou uma carga mais elevada relativamente à
padrão prevista para o veículo.

86
SISTEMAS DE CINTOS DE troço e puxá-lo novamente evitando
PROTEAÇÃO DOS SEGURANÇA manobras bruscas.
OCUPANTES Para desapertar o cinto, premir o botão
UTILIZAÇÃO DOS
CINTOS DE SEGURANÇA C e acompanhar o cinto durante a sua
Um dos mais importantes acessórios
recolha de modo a evitar que fique tor-
de segurança do veículo está represen- O condutor deve respeitar (e fazer res-
cido.
tado pelos seguintes sistemas de peitar a todos os passageiros) as dis-
77)
protecção: posições legislativas locais relativas à
cintos de segurança; obrigação e formas de utilização dos Com o veículo estacionado em estra-
sistema SBR (Seat Belt Reminder); cintos de segurança. das com forte inclinação, o enrolador
apoio da cabeça; Apertar sempre os cintos de segurança pode bloquear, o que é normal. Além
sistemas de retenção para crianças; antes de iniciar a viagem. disso, o mecanismo do enrolador blo-
Airbags frontais e laterais. queia o cinto a cada extração rápida ou
Colocar o cinto de segurança man-
Prestar a máxima atenção às informa- em caso de travagens bruscas, emba-
tendo o tronco erecto e apoiado contra
ções fornecidas nas páginas seguintes. tes ou curvas a velocidade elevada.
o encosto.
De facto, é de fundamental importância Colocar os cintos de segurança dos
Para apertar os cintos, segurar na lin-
que os sistemas de protecção sejam lugares posteriores como ilustrado na
gueta de engate A fig 71 e introduzi-la
utilizados do modo correcto para ga- fig 72.
na sede da fivela B, até ouvir um
rantir a máxima segurança possível ao
estalido de bloqueio.
condutor e aos passageiros.
Para a descrição sobre a regulação dos
apoios de cabeça, consultar o capítulo
“Apoios de cabeça” no capítulo “Co-
nhecimento do veículo”.

72 J0A0169C

71 J0A0168C
Ao voltar a colocar o banco posterior
da posição rebatida na de utilização
Se durante a extracção do cinto este se
normal, prestar atenção à reposição
bloquear deixá-lo enrolar por um breve

87
correcta do cinto de segurança, de duzir consideravelmente o risco de le- SISTEMA SBR (Seat
SEGURANÇA
modo a garantir uma imediata disponi- sões em caso de choque. Belt Reminder)
bilidade. A regulação correcta obtém-se quando
O sistema SBR avisa os passageiros
REGULAÇÃO EM ALTURA o cinto passa cerca de metade entre a
dos lugares anteriores e posteriores
DOS CINTOS DE extremidade do ombro e o pescoço.
(onde presente) da falta de colocação
SEGURANÇA
do próprio cinto de segurança.
78)
AVISO O sistema assinala a falta de colocação
É possível efectuar a regulação em al- dos cintos de segurança através de
tura em cinco posições diferentes. sinalizações visuais (acendimento de
76) Não premir o botão C fig 71 com o
Para efectuar a regulação em altura, de veículo em andamento. luzes avisadoras no quadro de instru-
cima para baixo, premir o botão A (lo- 77) Lembrar-se que, em caso de colisão mentos e de ícones no display) e atra-
calizado em ambos os lados do punho violenta, os passageiros dos bancos vés de uma sinalização acústica (con-
B) e fazer deslizar o próprio punho para traseiros que não colocarem os cintos, sultar os parágrafos seguintes).
além de se expor pessoalmente a um
baixo. grave risco, constituem um perigo também NOTA Para a desativação de modo fixo
O regulador em altura desloca-se de para os ocupantes dos lugares dianteiros. do avisador acústico, dirigir-se à Rede
baixo para cima mesmo sem pressio- 78) A regulação em altura dos cintos de de Assistência Jeep. É possível reacti-
segurança deve ser efetuada com o
nar os dois botões A. var o avisador acústico a qualquer mo-
veículo parado.
79) Depois da regulação em altura, mento actuando no Menu do display
certificar-se sempre de que o cursor no (consultar o parágrafo “Display” no ca-
qual está fixado o anel está bloqueado pítulo "Conhecimento do quadro de
numa das posições previstas. Efetuar, instrumentos").
portanto, com o botão A fig 73 solto, outro
empurrão para baixo para permitir o Comportamento da luz avisadora
estalido do dispositivo de fixação, se a dos cintos de segurança dos luga-
libertação não tiver sido efetuada em res anteriores
correspondência com uma das posições
estabelecidas. Quando o dispositivo de arranque é
colocado na posição MAR, a luz avisa-
dora (consultar fig 74 ) acende-se
73 J0A0151C durante alguns segundos, qualquer que
seja o estado dos cintos anteriores.
Regular sempre a altura dos cintos de Com o veículo parado, se o cinto de
segurança, adaptando-as ao corpo dos segurança do lado do condutor for de-
passageiros: esta precaução pode re- sapertado ou o cinto de segurança do

88
lado do passsageiro estiver desaper- noro é desactivado e a luz avisadora
tado (com o passageiro sentado), a luz acende-se com luz fixa. O ciclo de
permanece acesa com luz fixa. sinalizações será reactivado assim que
a velocidade ultrapassa novamente os
8 km/h.
60 80 Comportamento dos ícones dos
40 100 cintos de segurança dos lugares
posteriores
20 120
Os ícones são visualizados no display
0 140 (fig 75 versões com display
km/h
MPH
multifunções ou fig 76 versões com
display multifunções reconfigurável)
passados alguns segundos depois do
74 J0A0330C dispositivo de arranque ser colocado
na posição MAR.
Assim que se atinge um limite de velo- Os ícones apagam-se pelo menos 30
cidade de 8 km/h durante mais de 10 segundos após o fecho das portas ou a
segundos contínuos (ou 50 segundos seguir a uma mudança de estado de
não contínuos), com o cinto de segu- colocação dos cintos.
rança do lado do condutor desaper-
Os ícones visualizados no display indi-
tado ou o cinto de segurança do lado 75 J0A0240C
cam:
do passageiro desapertado (com o
A: cinto de segurança do lugar
passageiro sentado), activa-se uma
posterior esquerdo;
sinalização acústica em simultâneo
B: cinto de segurança do lugar
com a intermitência da luz avisadora 04/07/2014

120
posterior central;
durante cerca de 105 segundos.
C: cinto de segurança do lugar
Uma vez activado, este ciclo de sinali- posterior direito.
zações permanece activo por toda a
sua duração (independentemente da KM/H

velocidade do veículo) ou até que os 1230 KM

cintos de segurança sejam apertados. C H E F

Quando é engatada a marcha-atrás,


76 J0A0245C
durante o ciclo de avisos, o sinal so-

89
NOTA Nas versões equipadas com dis- ADVERTÊNCIAS PRÉ-TENSORES
SEGURANÇA
play multifunções, em caso de cinto de No que diz respeito aos bancos poste- 80) 81) 82) 83) 33)
segurança desapertado, acende-se o riores, o sistema SBR indica apenas se
ícone . O veículo é dotado de pré-tensores
os cintos de segurança estão desaper-
para os cintos de segurança anteriores
Os ícones são visualizados em função tados (ícone vermelho) ou apertados
que, em caso de choque frontal vio-
dos respectivos cintos de segurança (ícone verde), mas não indica a pre-
lento, recolhem de alguns centímetros a
dos lugares posteriores e permanecem sença de um eventual passageiro.
fita dos cintos, garantindo assim a per-
acesos durante cerca de 30 segundos As luzes avisadoras/ícones permane- feita aderência dos cintos ao corpo dos
desde a útima mudança de estado do cem apagados se, com o dispositivo ocupantes, antes de iniciar a acção de
cinto: de arranque na posição MAR, todos os retenção.
se o cinto de segurança estiver cintos (anteriores e posteriores) estive-
apertado, o ícone correspondente será A activação efectiva dos pré-tensores é
rem apertados.
de cor verde; reconhecida pelo recuo da fita em di-
Para os lugares posteriores, os ícones recção ao enrolador.
se o cinto de segurança estiver activam-se alguns segundos após a
desapertado, o ícone correspondente Para além disso, o veículo possui um
colocação do dispositivo de arranque
será de cor vermelha. segundo dispositivo de pré-tensão (ins-
na posição MAR, independentemente
Se um cinto de segurança posterior for talado na zona do friso) e a sua activa-
do estado os cintos de segurança
desapertado, juntamente com o acen- ção é reconhecível pelo encurtamento
(mesmo que os cintos de segurança
dimento do respectivo ícone no display, do cabo metálico.
estejam todos apertados).
será activado também um sinal sonoro Durante a intervenção do pré-tensor
Todas as luzes avisadoras/ícones se
(3 "bips"). pode-se verificar uma ligeira emissão
acendem quando pelo menos um cinto
Além disso, os ícones voltam a de fumo; este fumo não é nocivo e não
passa de apertado para desapertado
acender-se durante cerca de 90 segun- indica um princípio de incêndio.
ou vice-versa.
dos sempre que uma das portas poste- O pré-tensor não necessita de qualquer
riores é fechada. manutenção ou lubrificação: qualquer
O ícone ficará verde quando for aper- intervenção de modificação das suas
tado o respectivo cinto de segurança. condições originais invalida a sua efici-
ência.
Decorridos cerca de 30 segundos
desde a última sinalização, os ícones Se, devido a eventos naturais excep-
relativos aos lugares posteriores cionais (por ex.: inundações, marés
apagar-se-ão, independentemente do cheias, etc.), o dispositivo tiver sido
estado do cinto (ícone vermelho ou atingido por água e/ou lama, é neces-
verde). sário dirigir-se à Rede de Assistência

90
Jeep para proceder à sua substituição. prossegue, a condutora deve regular o
banco e o volante de modo a ter o
Para ter a máxima protecção da acção
pleno controlo do automóvel (os pedais
do pré-tensor, utilizar o cinto de segu-
e o volante devem ser de fácil
rança mantendo-o bem aderente ao
acessibilidade).Todavia, é necessário
tronco e à bacia.
manter a máxima distância possível
LIMITADORES DE CARGA entre o ventre e o volante.
Para aumentar a protecção em caso de
acidente, os enroladores dos cintos de
segurança anteriores estão equipados,
78 J0A0149C
no seu interior, com um dispositivo que
permite dosear adequadamente a força
Cada cinto de segurança deve ser utili-
que actua no tórax e nos ombros du-
zado só por uma pessoa: não transpor-
rante a acção de retenção dos cintos
tar crianças ao colo dos passageiros
em caso de colisão frontal.
utilizando os cintos de segurança para
AVISOS PARA A a protecção de ambos fig 79.De modo
UTILIZAÇÃO DOS geral, não apertar nenhum objecto à
CINTOS DE SEGURANÇA 77 J0A0148C
pessoa.
Respeitar (e fazer observar aos ocu-
A fita do cinto de segurança não deve
pantes do veículo) todas as disposições
estar torcida.A parte superior deve pas-
legislativas locais respeitantes à obriga-
sar no ombro e atravessar diagonal-
ção e às modalidades de utilização dos
mente o tórax fig 78.A parte inferior
cintos. Apertar sempre os cintos de
deve aderir à bacia e não ao abdómen
segurança antes de iniciar a viagem.
do ocupante.Não utilizar dispositivos
O uso dos cintos é necessário também (molas, fechos, etc.) que impeçam o
para as mulheres grávidas: para elas e contacto dos cintos de segurança com
para o nascituro o risco de lesões, em o corpo dos ocupantes.
caso de colisão, é menor se tiverem os
cintos colocados. 79 J0A0150C

As grávidas devem posicionar a parte


inferior do cinto muito em baixo, de
modo que passe sobre a bacia e sob a
barriga fig 77.À medida que a gravidez

91
MANUTENÇÃO DOS

SEGURANÇA
CINTOS DE SEGURANÇA
AVISO ATENÇÃO
Para a correcta manutenção dos cintos
de segurança, observar atentamente os
seguintes avisos: 80) O pré-tensor só pode ser utilizado uma 33) Intervenções que implicam impactos,
vez. Após a sua ativação, dirigir-se à Rede vibrações ou aquecimentos localizados
utilizar sempre os cintos bem de Assistência Jeep para o mandar (superiores a 100 °C/212 °F) por uma
esticados, não torcidos; certifique-se substituir. duração máxima de 6 horas) na zona do
que estes deslizem livremente sem 81) É expressamente proibido desmontar pré-tensor podem provocar danos ou
impedimentos; ou alterar os componentes do pré-tensor e ativações. Dirigir-se à Rede de Assistência
do cinto de segurança. Qualquer tipo de Jeep sempre que se tiver de intervir nesses
verificar o funcionamento do cinto
intervenção deve ser executada por componentes.
de segurança do seguinte modo: pessoal qualificado e autorizado. Contactar
engatar o cinto e puxá-lo sempre a Rede de Assistência Jeep.
energicamente; 82) Para ter a máxima proteção, manter o
após um acidente de uma certa encosto na posição ereta, apoiar bem as
costas e manter o cinto de segurança bem
gravidade, substituir o cinto de aderente ao tronco e à bacia. Apertar
segurança usado, mesmo que sempre os cintos de segurança, seja dos
aparentemente não esteja danificado. lugares dianteiros seja dos traseiros! Viajar
Substituir também o cinto de sem o cinto de segurança apertado
aumenta o risco de lesões graves ou de
segurança em caso de activação dos
morte em caso de colisão.
pré-tensores; 83) Se o cinto foi submetido a uma forte
evite que os enroladores sejam solicitação, por exemplo, após um
molhados: o seu correto funcionamento acidente, é necessário proceder à sua
é garantido só se não sofrerem completa substituição juntamente com as
ancoragens, os parafusos de fixação das
infiltrações de água; ancoragens e com o pré-tensor. De facto,
substituir o cinto de segurança mesmo que não apresente defeitos
quando estiverem presentes sinais de visíveis, o cinto pode ter perdido as suas
desgaste ou cortes. propriedades de resistência.

92
SISTEMAS DE dos cintos de segurança dos adultos que os divide em cinco grupos de
PROTECÇÃO PARA para reduzir ao mínimo o risco de le- peso:
CRIANÇAS sões em caso de acidente, travagem
ou manobra repentina.
TRANSPORTAR Grupo Faixas de peso
CRIANÇAS EM As crianças devem sentar-se de forma
segura e confortável. De acordo com Grupo 0 até 10 kg de peso
SEGURANÇA
84) 85) 86) 87)
as caraterísticas das cadeirinhas utiliza- Grupo 0+ até 13 kg de peso
das, é recomendável manter o mais
Para uma maior protecção em caso de Grupo 1 9-18 kg de peso
tempo possível (pelo menos até 3-4
choque, todos os ocupantes devem anos de idade) as crianças em cadeiri- Grupo 2 15-25 kg de peso
viajar sentados e protegidos pelos ade- nhas viradas no sentido contrário ao de Grupo 3 22 - 36 kg de peso
quados sistemas de retenção, incluindo andamento, já que esta é a posição
recém-nascidos e crianças! Esta pres- mais protetora em caso de colisão. À norma ECE-R44 juntou-se recente-
crição é obrigatória, conforme a direc-
A escolha do dispositivo de retenção mente o regulamento ECE R-129, que
tiva 2003/20/CE, em todos os países
para crianças mais adequado a utilizar define as características das novas ca-
membros da União Europeia.
é feita com base no peso e nas dimen- deirinhas i-Size (consultar o parágrafo
As crianças de estatura inferior a 1,50 sões da criança. Existem diferentes "Idoneidade dos bancos do passageiro
metros, até 12 anos de idade, devem tipos de sistemas de retenção para para a utilização das cadeirinhas
ser protegidas com dispositivos de re- crianças, que podem ser fixados ao i-Size").
tenção adequados e alojadas nos luga- veículo através dos cintos de segu- Todos os dispositivos de retenção de-
res posteriores. rança, ou através das ancoragens vem indicar os dados de homologação,
As estatísticas sobre os acidentes indi- ISOFIX/i-Size. junto com a marca de controlo, numa
cam que os bancos posteriores ofere- É recomendável escolher sempre o sis- etiqueta fixada firmemente na cadeiri-
cem maior garantia de segurança para tema de retenção mais adequado à nha, a qual não deve ser absoluta-
as crianças. criança; para isso, convida-se a consul- mente removida.
As crianças, em relação aos adultos, tar sempre o Manual de Uso e Manu- Na Lineaccessori MOPAR ® estão dis-
têm a cabeça proporcionalmente maior tenção fornecido com a cadeirinha para poníveis cadeirinhas, para crianças,
e mais pesada relativamente ao resto garantir que é do tipo adequado à adequadas a cada grupo de peso.
do corpo, enquanto que os músculos e criança a que se destina. Recomenda-se esta seleção, uma vez
a estrutura óssea não estão totalmente Na Europa as características dos siste- que foram concebidos e experimenta-
desenvolvidos. São necessários por- mas de retenção das crianças são re- dos especificamente para os veículos
tanto, para a sua correcta retenção em gulamentadas pela norma ECE-R44, Jeep.
caso de colisão, sistemas diferentes

93
INSTALAÇÃO DE A cadeirinha é fixada pelos cintos de

SEGURANÇA
CADEIRINHA COM OS segurança do veículo, conforme indi-
CINTOS DE SEGURANÇA cado na fig 80 e deve, por sua vez,
88) 89) 90) segurar a criança com os seus cintos
As cadeirinhas Universais que se insta- incorporados.
lam apenas com cintos de segurança Grupo 1
são homologadas com base na norma Dos 9 aos 18 kg de peso, as crianças
ECE R44 e subdividem-se em diferen- podem ser transportadas viradas para
tes grupos de peso. a frente fig 81.
As ilustrações são apenas indicativas 82 J0A0172C

para a montagem. Monte a cadeirinha


de acordo com as instruções obrigato- Neste caso, as cadeirinhas têm apenas
riamente fornecidas com a mesma. a função de posicionar corretamente a
criança em relação aos cintos de segu-
GRUPO 0 e 0+
rança, de modo a que a secção diago-
As crianças até aos 13 kg devem ser
nal do cinto adira ao tórax e não ao
transportadas viradas para trás numa
pescoço e que a secção horizontal
cadeirinha do tipo ilustrado na
adira à bacia e não ao abdómen da
fig 80 que, suportando a cabeça, não
criança.
força o pescoço em caso de
81 J0A0171C
desacelerações bruscas. Grupo 3
Para crianças dos 22 aos 36 kg de
Grupo 2
peso existem uns dispositivos de reten-
As crianças dos 15 aos 25 kg de peso
ção específicos que permitem a passa-
podem ser retidas diretamente pelos
gem correta do cinto de segurança.
cintos de segurança do veículo fig 82.
A fig 83 ilustra um exemplo de
posicionamento correto da criança no
banco traseiro.

80 J0A0170C

94
83 J0A0173C

As crianças com mais de 1,50 m de


altura devem utilizar os cintos de segu-
rança como os adultos.

95
IDONEIDADE DOS BANCOS DO PASSAGEIRO PARA A UTILIZAÇÃO DAS

SEGURANÇA
CADEIRINHAS UNIVERSAIS
O veículo está em conformidade com a Directiva Europeia 2000/3/CE que regulamenta a possibilidade de montagem das ca-
deirinhas para crianças, nos vários locais do veículo, de acordo com a tabela seguinte:

Posicionamento da cadeirinha Universal

Banco do passageiro Passageiro posterior cen- Passageiros poste-


Grupo Faixas de peso
anterior tral riores laterais
Grupo 0, 0+ até 13 kg U X U
Grupo 1 9-18 kg U X U
Grupo 2 15-25 kg U X U
Grupo 3 22-36 kg U X U

X = Lugar sentado não adequado para crianças desta categoria de peso.


U = Idóneo para os sistemas de retenção da categoria "Universal" conforme o Regulamento Europeu CEE-R44 para os "Gru-
pos" indicados.

96
INSTALAÇÃO DE UMA
CADEIRA PARA
CRIANÇAS ISOFIX
91) 92) 93) 94)

Os lugares posteriores laterais do veí-


culo estão equipados com ancoragens
ISOFIX, para a montagem de uma ca-
deirinha para crianças de forma rápida,
simples e segura.
O sistema ISOFIX permite montar siste-
mas de retenção para crianças ISOFIX,
sem utilizar os cintos de segurança do
veículo, mas prendendo diretamente a
cadeirinha a três ancoragens presentes
no veículo. É possível efetuar a monta-
gem mista de cadeirinhas tradicionais e
ISOFIX em locais diferentes do mesmo
veículo.
Para instalar uma cadeirinha ISOFIX,
engatá-la às duas ancoragens metáli-
cas A fig 84 localizadas na parte de trás 84 J0A0325C 85 J0A0174C

da almofada do banco posterior, no


ponto de encontro com o encosto; de A título indicativo, na fig 85 está
seguida, fixar a correia superior representado um exemplo de
(disponível juntamente com a cadeirinha ISOFIX Universal que cobre
cadeirinha) à respetiva ancoragem B o grupo de peso 1.
localizada atrás do encosto, na parte
A fig 85 é apenas indicativa para a
inferior.
montagem. Montar a cadeirinha para
crianças de acordo com as instruções
obrigatoriamente fornecidas com a
mesma.
86 J0A0326C

97
NOTA Quando se usa uma cadeirinha

SEGURANÇA
para crianças ISOFIX Universal, é possí-
vel usar apenas cadeirinhas homologa-
das ECE R44 "ISOFIX Universal"
(R44/03 ou atualizações posteriores)
(consultar fig 86 ).
Os outros grupos de peso são abrangi-
dos por cadeirinhas específicas ISOFIX
que só podem ser utilizadas se especi-
ficamente testadas para este veículo
(consultar a lista de veículos em anexo
à cadeirinha).

98
IDONEIDADE DOS BANCOS DO PASSAGEIRO PARA A UTILIZAÇÃO DAS
CADEIRINHAS ISOFIX
A tabela seguinte, em conformidade com a legislação europeia ECE 16, indica a possibilidade de instalação das cadeirinhas
ISOFIX nos bancos equipados com os engates específicos.

POSIÇÕES ISOFIX NO VEÍCULO

Passageiros
Categoria de di- Banco do passa- Passageiro pos-
Categorias de peso Dispositivo posteriores late-
mensões geiro anterior terior central
rais
Grupo 0 (até 10 kg) E ISO/R1 X IL X
E ISO/R1 X IL X
Grupo 0+ (até 13 kg) D ISO/R2 X IL X
C ISO/R3 X IL (*) X
D ISO/R2 X IL X
C ISO/R3 X IL (*) X
IUF
B ISO/F2 X X
– IL
Grupo 1 (de 9 a 18 kg)
IUF
B1 ISO/F2X X X
– IL
IUF
A ISO/F3 X X
– IL
X Posição ISOFIX não adequada aos sistemas de protecção para crianças ISOFIX para esta categoria de peso e/ou de dimensões.
IL Adequado para sistemas de retenção para crianças ISOFIX das categorias "Especificação do veículo", "Limitada" ou "Semi-universal",
homologados para este veículo específico.
IL (*) É possível montar a cadeirinha ISOFIX actuando nas regulações da cadeira anterior.
IUF Adequado para sistemas de retenção para crianças ISOFIX da categoria universal virados para a frente e homologados para a utilização no
grupo de peso.

99
IDONEIDADE DOS NOTA Os lugares do veículo, homolo-

SEGURANÇA
BANCOS DO gados i-Size estão evidenciados pelo
PASSAGEIRO PARA A símbolo indicado em fig 87.
UTILIZAÇÃO DAS
CADEIRINHAS i-Size
Os lugares posteriores externos do veí-
culo foram homologados para alojar as
cadeirinhas i-Size de última geração.
Estas cadeirinhas, fabricadas e homo-
logadas segundo o regulamento i-Size
(ECE R129), asseguram as maiores
condições de segurança para o trans-
porte de crianças no automóvel:
obrigação de transporte da criança
87 J0A0450C
virada contra o sentido de marcha até
15 meses de idade;
aumento da protecção oferecida
pela cadeirinha em caso de embates
laterais;
encorajamento à utilização do
sistema ISOFIX para evitar defeitos de
instalação da caderinha;
maior eficácia na escolha da
cadeirinha, já não com base no peso,
mas com base na altura da criança;
melhor compatibilidade entre os
bancos do veículo e as cadeirinhas: as
cadeirinhas para crianças i-Size podem
ser consideradas como "Super ISOFIX",
no sentido que podem ser instaladas
perfeitamente nos lugares
homologados i-Size, mas podem ser
também instaladas nas posições
homologadas ISOFIX (ECE R44).

100
A tabela seguinte, em conformidade com a legislação Europeia ECE 129, indica a possibilidade de instalar cadeirinhas i-Size.

POSIÇÕES I-Size NO VEÍCULO

Banco do passa- Passageiros pos- Passageiro poste-


Dispositivo
geiro anterior teriores laterais rior central
ISO/R2 X i-U X
Cadeirinhas para crianças i-Size
ISO/F2 X i-U X

i-U: adequado para cadeirinhas i-Size Universais, montadas quer viradas contra o sentido de marcha, quer no sentido de mar-
cha.
X: lugar sentado não adequado para caderinhas i-Size Universais.

101
SEGURANÇA
CADEIRINHAS RECOMENDADAS PELA FCA PARA O SEU RENEGADE

A Lineaccessori MOPAR ® propõe uma gama completa de cadeirinhas para crianças a fixar com o cinto de segurança de três
pontos ou com os engates ISOFIX.

Tipo de cadeirinha para Instalação da cadeirinha para


Grupo de pesos Cadeirinha para crianças
crianças crianças

Britax Baby Safe plus


Número de homologação:
E1 04301146
Código de referência Jeep:
71806415
Cadeirinhas Universal/ISOFIX.
Instala-se no sentido contrário ao
andamento, utilizando apenas os
Grupo 0+: do cintos de segurança do veículo, ou a
nascimento até + + respectiva base ISOFIX (vendida em
13 kg separado) e as ancoragens ISOFIX do
veículo.
Deve ser instalada nos lugares
posteriores externos.

Britax Baby Safe ISOFIX base


Código de referência Jeep:
71806416

102
Tipo de cadeirinha para Instalação da cadeirinha para
Grupo de pesos Cadeirinha para crianças
crianças crianças

Fair G0/1S
Número de homologação: E4
04443718
Código de referência Jeep:
71807388
Cadeirinhas Universal/ISOFIX.
Pode ser instalado utilizando apenas
os cintos de segurança do veículo
+ + (quer no sentido de marcha quer
contra o sentido de marcha) ou os
Plataforma Fair ISOFIX RWF engates ISOFIX do veículo.
tipo "L" para G 0/1S A FCA aconselha instalá-la, utilizando
Grupo 1: de 9 até a Código de referência Jeep: a plataforma ISOFiX virada para trás
18 kg 71807417 (RWF tipo "N" - vendido em separado),
ou ou a plataforma ISOFIX virada para o
Plataforma Fair ISOFIX FWF sentido de marcha (FWF tipo "A" -
tipo "A" para G 0/1S vendido em separado) e o apoio de
Código de referência Jeep: cabeça rígido (vendido em separado) e
71805364 os engates ISOFIX do veículo.
Deve ser instalada nos lugares
+ + posteriores externos.

Apoio de cabeça rígido FAIR


Código de referência Jeep:
71807387

103
SEGURANÇA
Tipo de cadeirinha para Instalação da cadeirinha para
Grupo de pesos Cadeirinha para crianças
crianças crianças

Só deve ser instalada virada para a


Britax Safefix TT
frente utilizando as ancoragens ISOFIX
Número de homologação:
e a correia superior, fornecida com a
E1 04301199
cadeirinha.
Código de referência Jeep:
Deve ser instalada nos lugares
71805956
posteriores externos.

Grupo 1: de 9 até a
18 kg

Só deve ser instalada virada para a


Britax Roemer Duo Plus
frente utilizando as ancoragens ISOFIX
Número de homologação:
e a correia superior, fornecida com a
E1 04301133
cadeirinha.
Código de referência Jeep:
Deve ser instalada nos lugares
71803161
posteriores externos.

Fair Junior Fix Instala-se apenas virada para a frente


Número de homologação: utilizando o cinto de segurança de três
Grupo 2:de 15 a
E4 04443721 pontos e, se necessário, os engates
36 kg
Código de referência Jeep: ISOFIX, do veículo, se estiverem
71806570 presentes no posto pré-seleccionado.

A Jeep recomenda a instalação da cadeirinha para crianças de acordo com as instruções obrigatoriamente fornecidas com a
mesma.

104
Principais avisos a seguir para instruções para a sua utilização.
transportar crianças de forma Cada sistema de retenção é AVISO
segura rigorosamente relativo a um lugar;
Instalar as cadeirinhas para criança nunca transportar duas crianças ao
no banco posterior, uma vez que esta é mesmo tempo. 84) PERIGO GRAVE: Na presença de air
bag frontal do lado do passageiro ativo,
a posição mais protegida em caso de Certificar-se sempre de que os cintos
não instalar no banco dianteiro do
acidente. não ficam apoiados no pescoço da passageiro cadeirinhas para crianças que
Manter o mais tempo possível a criança. se montam no sentido oposto ao sentido
cadeirinha no sentido contrário ao do Verificar sempre, com um teste de de marcha. A ativação do airbag, em caso
andamento, se possível até 3-4 anos tração na fita, o engate efetivo dos de colisão, pode produzir lesões mortais
nas crianças transportadas,
de idade da criança. cintos de segurança. independentemente da gravidade da
Se no banco anterior do lado do Durante a viagem, não permitir que a colisão. É aconselhável, portanto, que as
passageiro se instalar uma cadeirinha criança assuma posições anormais ou crianças sejam sempre transportadas
orientada no sentido contrário ao de desaperte os cintos de segurança. sentadas na própria cadeirinha no banco
traseiro, uma vez que esta é a posição
andamento, é recomendável remover o Não permitir que a criança coloque a
mais protegida em caso de colisão.
apoio de cabeça (consultar o parte diagonal do cinto de segurança 85) A obrigação de desativar o airbag se
procedimento descrito no parágrafo por baixo dos braços ou por trás das se instalar uma cadeirinha para crianças
"Apoio de cabeça" no capítulo costas. virada contra o sentido de marcha está
"Conhecimento do veículo"). Nunca transportar crianças ao colo, indicada com um símbolo específico na
etiqueta situada na pala guarda-sol. Seguir
Reposicionar correctamente o apoio e nem no caso de recém-nascidos. sempre as indicações presentes na pala
cabeça caso não seja necessário Ninguém consegue reter uma criança guarda-sol do lado do passageiro
transportar qualquer tipo de cadeirinha. em caso de acidente. (consultar o parágrafo "Sistema de
Em caso de desactivação do airbag Em caso de acidente substituir a proteção suplementar (SRS) - Air bags").
frontal do passageiro, certificar-se cadeirinha por uma nova.
sempre, através do acendimento
permanente da respectiva luz avisadora
na moldura posicionada no quadro de
instrumentos, de que ocorreu a
desactivação.
Seguir escrupulosamente as
instruções fornecidas com a cadeirinha.
Guardar no veículo, juntamente com os
documentos e com o presente manual.
Não utilizar cadeirinhas usadas, sem

105
SISTEMA DE
SEGURANÇA
86) Caso seja necessário transportar uma 91) Certificar-se sempre de que o troço de
criança no banco dianteiro do lado do tiracolo do cinto de segurança não passa PROTECÇÃO
passageiro, com uma cadeirinha montada por baixo dos braços ou por trás das SUPLEMENTAR
no sentido contrário ao do andamento, os costas da criança. Em caso de acidente, o (SRS) - AIR BAG
airbags do lado do passageiro frontal e cinto de segurança não será capaz de
lateral (Side bag) devem ser desativados reter a criança, com o risco de provocar O veículo está equipado com:
no Menu principal do display (consultar o lesões mesmo mortais. A criança deve, air bag frontal para o condutor;
parágrafo "Display" no capítulo portanto, usar sempre corretamente o seu
"Conhecimento do quadro de cinto de segurança.
air bag frontal para o passageiro;
instrumentos"), certificando-se da efetiva 92) Não usar a mesma ancoragem inferior air bags laterais anteriores para a
desativação através do acendimento do para instalar mais de um sistema de protecção da bacia, tórax e costas
LED OFF na moldura posicionada no proteção para crianças. (Side bag) do condutor e do
painel de instrumentos. Além disso, o 93) Se uma cadeirinha ISOFIX Universal passageiro;
banco do passageiro deve ser regulado não estiver fixada com as três ancoragens,
para a posição mais recuada, para evitar a cadeirinha não será capaz de proteger a air bags laterais para a protecção da
eventuais contactos da cadeirinha de criança corretamente. Em caso de cabeça dos ocupantes dos lugares
crianças com o tablier. acidente, a criança pode sofrer lesões anteriores e dos ocupantes dos lugares
87) Não movimentar o banco dianteiro ou graves ou mesmo mortais. posteriores laterais (Window bags).
traseiro na presença de uma criança 94) Montar a cadeirinha apenas com o
sentada ou alojada na respetiva cadeirinha. veículo parado. A cadeirinha está AIR BAG FRONTAIS
88) Uma montagem incorreta da corretamente fixada aos suportes de Os air bags frontais (condutor e passa-
cadeirinha pode tornar ineficaz o sistema pré-instalação, quando se verificar que os
de proteção. De facto, em caso de engates foram corretamente efetuados.
geiro) e o air bag para os joelhos do
acidente, a cadeirinha pode desapertar-se Consultar, em todo o caso, as instruções condutor (onde presente) protegem os
e a criança pode sofrer lesões mesmo de montagem, desmontagem e ocupantes dos lugares anteriores nas
mortais. Para a instalação de um sistema posicionamento que o Fabricante da colisões frontais de gravidade média-
de proteção para recém-nascido ou para cadeirinha é obrigado a fornecer -alta, através da interposição da almo-
criança, seguir escrupulosamente as juntamente com a mesma.
instruções fornecidas pelo Fabricante. fada entre o ocupante e o volante ou o
89) Quando o sistema de proteção para painel de instrumentos.
crianças não é utilizado, fixá-lo com o cinto A não activação dos air bags nos ou-
de segurança ou com as ancoragens
ISOFIX, ou removê-lo do veículo. Não
tros tipos de embate (lateral, posterior,
deixá-lo solto no interior do habitáculo. capotamento, etc...) não é portanto
Deste modo, evita-se que, em caso de sinónimo de funcionamento irregular do
travagem brusca ou de acidente, possa sistema.
provocar lesões nos ocupantes.
90) Depois de ter instalado uma cadeirinha Os air bags frontais (condutor e passa-
para crianças, não movimentar o banco: geiro) não são substituíveis, mas com-
remover sempre a cadeirinha antes de plementares ao uso dos cintos de se-
efetuar qualquer tipo de regulação.

106
gurança, que se recomenda sempre
usar, como prescrito pela legislação na
Europa e na maior parte dos Países
extra-europeus.
Em caso de colisão, uma pessoa que
não utilize os cintos de segurança é
projectada para a frente e pode emba-
ter na almofada ainda em fase de aber-
tura. Nesta situação, a proteção ofere-
cida pela almofada fica prejudicada.
88 J0A0176C 89 J0A0177C
Os airbags frontais podem não
activar-se em caso de embates frontais Air-Bag frontal lado passageiro Airbag frontal do lado do passa-
contra objectos muito deformáveis, que geiro e cadeirinhas para crianças
97)
não envolvem a superfície frontal do As cadeirinhas que se montam no sen-
veículo (por exemplo, embate do É constituído por uma almofada com
enchimento instantâneo contida num tido contrário ao de marcha não devem
guarda-lamas contra o rail) ou em caso NUNCA ser montadas no banco ante-
de encaixe do veículo por baixo de ou- adequado compartimento situado no
painel de instrumentos fig 89, com um rior com airbag do lado do passageiro
tros veículos ou barreiras de protecção activo, uma vez que a activação do air-
(por ex. por baixo de camiões ou rails maior volume em relação à do lado do
condutor. bag, em caso de choque, poderia pro-
de protecção). duzir lesões mortais na criança trans-
A não activação nas condições acima portata. Seguir SEMPRE as
descritas deve-se ao facto de os air recomendações presentes na etiqueta
bags poderem não oferecer qualquer situada na pala pára-sol do lado do
protecção adicional relativamente aos passageiro fig 90.
cintos de segurança e, por isso, a res-
pectiva activação revelar-se-ia inopor-
tuna. A não activação, nestes casos,
não indica uma avaria do sistema.
Air bag frontal lado condutor
95) 96)

É constituído por uma almofada de en-


chimento instantâneo contida num vão
específico localizado no centro do vo-
lante fig 88.
107
verificar o seu correcto funcionamento.

SEGURANÇA
A seguir ao teste, com a duração de
alguns segundos, os LEDs indicarão o
estado da protecção do air Bbg do
passageiro.

90 J0A0190C

Desactivação dos air bags do lado


do passageiro: airbag frontal e air
bag lateral
Caso seja necessário transportar uma
91 J0A0051C
criança numa cadeirinha virada no sen-
tido oposto ao sentido de marcha no
Protecção do passageiro activada:
banco anterior, é necessário desactivar
o LED ON fig 91 acende-se com luz
o air bag frontal do lado do passageiro
fixa.
e o air bag lateral anterior (Side bag).
Para a desactivação, actuar no Menu Protecção do passageiro desacti-
do display. vada: o LED OFF fig 91 acende-se
com luz fixa.
Na moldura presente no painel de ins-
trumentos estão presentes os LEDs Os LEDs podem acender-se com inten-
OFF e ON. Colocando o dispo- sidades diferentes, conforme as condi-
sitivo de arranque na posição MAR, os ções do veículo. A intensidade pode
dois LEDs acendem-se durante alguns variar durante o mesmo ciclo de chave.
segundos. Caso isto não aconteça,
dirigir-se à Rede de Assistência Jeep.
Durante os primeiros segundos, o
acendimento dos LEDs não indica o
real estado da protecção do passa-
geiro, mas tem apenas o objectivo de

108
Airbag frontal lado do passageiro e cadeirinhas para crianças: ATENÇÃO

92 J0A0215

109
AIRBAGS LATERAIS

SEGURANÇA
Para aumentar a proteção dos ocupan-
tes, em caso de choque lateral, o veí-
culo está equipado com airbags laterais
dianteiros (Side bag) e airbags de cor-
tina (Window bag).
Side bags
São constituídos por duas almofadas
nos encostos dos bancos dianteiros
fig 93 que protegem a zona da bacia, 94 J0A0180C
do tórax e das costas dos ocupantes
em caso de colisão lateral de gravidade Em caso de embates laterais de baixa
média-alta. São assinalados pela gravidade, a ativação dos airbags late-
etiqueta "AIRBAG" cosida no lado rais não é necessária.
exterior dos bancos dianteiros. A melhor proteção por parte do sistema
em caso de colisão lateral obtém-se
mantendo uma correta posição no
banco permitindo, deste modo, um
correto desdobramento do Window
bag.
93 J0A0178C
98) 99) 100) 101) 102) 103) 104) 105) 106) 107) 108) 109)

Window bag Avisos


É constituído por uma almofada "de Não lave os bancos com água ou vapor
cortina" alojada por trás dos revesti- sob pressão (à mão ou nas estações
mentos laterais do teto e coberta por de lavagem automáticas para bancos).
acabamentos adequados fig 94. Têm o A ativação dos airbags frontais e/ou
objetivo de proteger a cabeça dos laterais é possível se o veículo for sub-
ocupantes dianteiros e traseiros em metido a fortes colisões que abranjam
caso de colisão lateral, graças à sua a zona inferior da carroçaria (ex. coli-
ampla superfície de desenvolvimento. sões violentas contra grades, passeios,
quedas do veículo em grandes buracos
ou depressões de estrada, etc.).

110
A entrada em funcionamento dos air-
96) Conduzir mantendo sempre as mão na 101) Se a luz avisadora não se acender
bags liberta uma pequena quantidade coroa do volante, de modo que, em caso ao colocar o dispositivo de arranque na
de pós: estes não são nocivos e não de ativação do airbag, este possa posição MAR ou permanecer acesa
indicam um princípio de incêndio. No encher-se sem encontrar obstáculos. Não durante a marcha, é possível que esteja
entanto, o pó poderá irritar a pele e os conduzir com o corpo debruçado para a presente uma anomalia nos sistemas de
frente, manter o encosto numa posição retenção; neste caso, os airbags ou os
olhos: neste caso, lave com sabão neu- ereta, apoiando-se bem no encosto. pré-tensores podem não se ativar em caso
tro e água. 97) Na presença de airbag do lado do de acidente ou, num mais limitado número
Todas as intervenções de controlo, re- passageiro ativo, NÃO instalar no banco de casos, ativar-se de modo errado. Antes
paração e substituição inerentes aos dianteiro do passageiro cadeirinhas para de prosseguir, contactar a Rede de
crianças que se montam no sentido Assistência Jeep para o imediato controlo
airbags devem ser efetuadas na Rede oposto ao andamento. Em caso de do sistema.
de Assistência Jeep. colisão, a ativação do airbag pode produzir 102) Em algumas versões, em caso de
Em caso de eliminação do veículo, lesões mortais na criança transportada, avaria do LED OFF (situado na moldura
independentemente da gravidade da presente no painel de instrumentos),
dirija-se à Rede de Assistência Jeep colisão. Portanto, desativar sempre o acende-se a luz avisadora no quadro
para desativar o sistema de airbags. airbag do lado do passageiro quando no de instrumentos.
A ativação de pré-tensores e airbags é banco dianteiro do passageiro for instalada 103) Na presença de Side bags, não cobrir
decidida de modo diferenciado, com uma cadeirinha para crianças montada no o encosto dos bancos dianteiros com
sentido oposto ao de andamento. Além revestimentos ou coberturas.
base no tipo de colisão. A não ativação disso, o banco dianteiro do passageiro 104) Não viajar com objetos ao colo, em
de um ou mais airbags não indica um deve ser regulado para a posição mais frente ao tórax nem com cachimbos ou
mau funcionamento do sistema. recuada, para evitar possíveis contactos lápis na boca, etc. Em caso de colisão
da cadeirinha para crianças com o tablier. com intervenção do airbag, poderão
Reativar imediatamente o airbag do causar danos graves.
passageiro assim que tiver desinstalado a 105) Se o veículo tiver sido objeto de
AVISO própria cadeirinha. roubo ou tentativa de roubo, se tiver
98) Não prender objetos rígidos nos sofrido atos de vandalismo, inundações ou
ganchos de pendurar roupas e nas pegas alagamentos, mandar verificar o sistema
95) Não aplicar autocolantes ou outros de sustentação. de air bags na Rede de Assistência Jeep.
objetos no volante, no tablier na zona do 99) Não apoiar a cabeça, os braços ou os
airbag do lado do passageiro, no cotovelos na porta, nos vidros e na área
revestimento lateral do lado do tejadilho e do Window bag para evitar possíveis
nos bancos. Não colocar objetos no tablier lesões durante a fase de insuflação.
no lado do passageiro (por exemplo, 100) Nunca colocar a cabeça, os braços e
telemóveis), uma vez que poderiam os cotovelos fora da janela.
interferir com a correta abertura do airbag
do passageiro e, por outro lado, causar
lesões graves aos ocupantes do veículo.

111
SEGURANÇA
106) Com a chave da ignição na posição 107) A presença de uma avaria da luz
MAR, mesmo com o motor desligado, os avisadora de avaria dos airbags é indicada
airbags podem ser ativados também com pelo acendimento, no display do quadro
o veículo parado, caso este sofra embate de instrumentos, de um ícone de avaria do
de outro veículo em andamento. Assim, airbag e pela apresentação de uma
mesmo com o veículo parado, as mensagem específica. Não são
cadeirinhas para crianças que se montam desativadas as cargas pirotécnicas. Antes
no sentido oposto ao de andamento NÃO de prosseguir, contactar a Rede de
devem ser instaladas no banco dianteiro Assistência Jeep para o imediato controlo
do passageiro na presença de airbag do do sistema.
passageiro ativo. A ativação do airbag, em 108) A intervenção do airbag frontal está
caso de colisão, pode produzir lesões prevista para colisões de gravidade
mortais à criança transportada. Portanto, superior à dos pré-tensores. Para colisões
desativar sempre o airbag do lado do incluídas no intervalo entre os dois limites
passageiro quando no banco dianteiro do de ativação é, portanto, normal que só
passageiro for instalada uma cadeirinha entrem em funcionamento os
para crianças montada no sentido oposto pré-tensores.
ao de andamento. Além disso, o banco 109) O air bag não substitui os cintos de
dianteiro do passageiro deve ser regulado segurança, mas aumenta a sua eficácia.
para a posição mais recuada, para evitar Uma vez que os airbags frontais não
possíveis contactos da cadeirinha para intervêm em caso de colisões frontais a
crianças com o tablier. Reativar baixa velocidade, colisões laterais, colisões
imediatamente o airbag do passageiro traseiras ou capotamentos, os ocupantes
assim que tiver desinstalado a própria estão protegidos, para além dos eventuais
cadeirinha. Por fim, recorda-se que, se o airbags laterais, pelos cintos de segurança
dispositivo de arranque se encontrar na que devem estar sempre apertados.
posição STOP, nenhum dispositivo de
segurança (airbags ou pré-tensores) é
ativado em caso de colisão; a falta de
ativação de tais dispositivos, nestes casos,
não pode ser considerada como sinal de
avaria do sistema.

112
ARRANQUE E CONDUÇÃO

Entremos no "coração" do automóvel: ARRANQUE DO MOTOR . . . . . . .114


vejamos como utilizá-lo da melhor TRAVÃO DE ESTACIONAMENTO
forma em todas as suas potencialida- ELÉCTRICO (EPB) . . . . . . . . . . .115
des. CAIXA DE VELOCIDADES
MANUAL . . . . . . . . . . . . . . . . . . .118
Eis como conduzi-lo em segurança em
CAIXA AUTOMÁTICA. . . . . . . . . .119
qualquer situação, fazendo de si uma
CAIXA DE VELOCIDADES AUTOMÁ-
agradável companhia de viagem atenta
TICA DE DUPLA EMBRAIAGEM. . .121
ao nosso conforto e à nossa carteira.
SISTEMA STOP/START . . . . . . . .124
SPEED LIMITER . . . . . . . . . . . . .126
CRUISE CONTROL ELECTRÓ-
NICO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .127
TRACÇÃO INTEGRAL - JEEP ACTIVE
DRIVE (4WD) e JEEP ACTIVE DRIVE
LOW (4WD LOW) . . . . . . . . . . . .129
SELEC-TERRAIN . . . . . . . . . . . .130
SISTEMA PARKSENSE . . . . . . . .131
SISTEMA ACTIVE PARKSENSE . . .134
SISTEMA SIDE DISTANCE
WARNING . . . . . . . . . . . . . . . . .139
SISTEMA LANESENSE (aviso de saída
da faixa de rodagem) . . . . . . . . . .140
CÂMARA POSTERIOR (PARKVIEW®
REAR BACKUP CAMERA) . . . . . .142
REBOQUE DE ATRELADOS . . . . .144
ABASTECIMENTO DO VEÍCULO . .148

113
ARRANQUE DO segundos, voltar a colocar o dispositivo FALTA DE ARRANQUE DO

ARRANQUE E CONDUÇÃO
MOTOR de arranque na posição STOP e MOTOR
aguardar 10-15 segundos antes de Arranque do motor com bateria da
repetir a manobra de arranque. chave eletrónica (Keyless Enter-N-
Antes de ligar o veículo, regular o -Go) descarregada ou gasta
banco, os espelhos retrovisores inter- PROCEDIMENTO PARA
VERSÕES COM CAIXA A falta de resposta do dispositivo de
nos e externos e apertar correctamente AUTOMÁTICA arranque à pressão do respetivo botão
o cinto de segurança. pode significar que a bateria da chave
Proceder do seguinte modo:
Para o arranque do motor, nunca carre- engatar o travão de estacionamento eletrónica esteja descarregada ou
gar no pedal do acelerador. eléctrico e posicionar a alavanca das gasta. Assim, o sistema não irá detetar
Se for necessário, no display podem mudanças na posição P a presença da chave eletrónica a bordo
visualizar-se mensagens que indicam o (Estacionamento) ou N (Ponto morto); do veículo e visualizará no display uma
procedimento para efectuar o arranque. carregar a fundo no pedal do travão, mensagem específica.
sem carregar no acelerador; Neste caso, apoiar a extremidade arre-
110) 111) 112) 34) 35) 36) 37)
colocar o dispositivo de arranque na dondada da chave eletrónica (lado
PROCEDIMENTO PARA posição AVV; oposto relativamente ao qual se encon-
VERSÕES COM CAIXA se o motor não ligar, voltar a colocar tra o corpo metálico presente na
MANUAL chiave) no botão do dispositivo de ar-
o dispositivo de arranque na posição
Proceder do seguinte modo: STOP e aguardar 10-15 segundos ranque e premir o próprio botão através
engatar o travão de estacionamento antes de repetir a manobra de da chave eletrónica. Deste modo,
eléctrico e posicionar a alavanca das arranque. aciona-se o dispositivo de arranque e
mudanças em ponto morto; é, assim, possível ligar o motor.
colocar o dispositivo de arranque na Se, com o dispositivo de arranque na
posição MAR, o símbolo no display DESACTIVAÇÃO DO
posição MAR. Nas versões Diesel no MOTOR
quadro de instrumentos acende-se a permanecer aceso juntamente com a
luz avisadora : aguardar que a luz luz avisadora , repor o dispositivo Proceder do seguinte modo:
avisadora se apague; na posição STOP e depois de novo em estacionar o veículo numa posição
carregar a fundo no pedal da MAR. Se a luz avisadora (ou o símbolo que não constitua perigo para o
embraiagem, sem carregar no no display) permanecer acesa, voltar a trânsito, engatar uma mudança
acelerador; tentar com as outras chaves forneci- (versões com caixa manual) ou
colocar o dispositivo de arranque na das. Se, mesmo assim, não for possível posicionar a alavanca das mudanças
posição AVV e largá-la assim que o ligar o motor, dirigir-se à Rede de Assis- em P (Estacionamento) (versões com
motor ligar; tência Jeep. caixa automática);
se o motor não ligar dentro de 10 com o motor ao ralenti, rodar o

114
dispositivo de arranque para a posição TRAVÃO DE
STOP. ATENÇÃO ESTACIONAMENTO
Veículos equipados com chave ELÉCTRICO (EPB)
electrónica (Keyless Enter-N-Go):
34) No primeiro período de utilização, ou O travão de estacionamento eléctrico
com velocidade do veículo superior a
seja, nos primeiros 1600 km (1000 milhas), (EPB) garante uma utilização melhor e
8 km/h (5 mph), é possível desligar o é aconselhável não solicitar ao veículo as prestações ideais relativamente a um
motor, mesmo com alavanca da caixa máximas performances (por ex., excessivas
com accionamento manual.
automática não na posição P (Estacio- acelerações, percursos muito prolongados
namento). Neste caso, para desligar o em regimes máximos, travagens O travão de estacionamento eléctrico
excessivamente intensas, etc.). está equipado com um interruptor, lo-
motor, premir prolongadamente o bo- 35) Com o motor desligado, não deixar o
tão do dispositivo de arranque ou calizado no túnel central fig 95, um
dispositivo de arranque na posição MAR
premi-lo 3 vezes consecutivamente no para evitar que uma inútil absorção de motor com pinça para cada roda
espaço de poucos segundos. Neste corrente descarregue a bateria. posterior e um módulo de controlo
caso, o motor desligar-se-á e o disposi- 36) A "aceleradela" antes de desligar o electrónico.
motor não serve de nada, provoca um
tivo de arranque posicionar-se-á em consumo inútil de combustível e é
MAR. prejudicial para o motor.
37) O acendimento da luz avisadora no
modo intermitente após o arranque ou
durante um arrastamento prolongado
AVISO assinala uma anomalia no sistema de
pré-aquecimento das velas. Se o motor
arrancar, é possível utilizar regularmente o
110) É perigoso deixar o motor a funcionar veículo, mas é necessário dirigir-se o mais
em locais fechados. O motor consome rapidamente possível à Rede de
oxigénio e liberta dióxido de carbono, Assistência Jeep.
óxido de carbono e outros gases tóxicos.
111) Enquanto o motor não estiver ligado, 95 J0A0281C
o servofreio não está ativo; por isso, é
necessário exercer um esforço no pedal do Antes de abandonar o veículo, engatar
travão muito maior do que o habitual.
112) Evitar o arranque por empurrão, sempre o travão de estacionamento
reboque ou tirando partido das descidas. eléctrico.
Estas manobras poderão danificar a
panela catalítica. Para além de estacionar o veículo com
travão de estacionamento sempre en-
gatado, as rodas viradas, cunhas ou
pedras posicionadas à frente das rodas

115
(em caso de forte inclinação), é sempre nado, pode perceber-se um ligeiro mo- com o veículo em movimento, soltar o

ARRANQUE E CONDUÇÃO
necessário engatar a mudança (a 1 a se vimento do pedal. interruptor no túnel central.
o veículo estiver estacionado em su- Com o travão de estacionamento eléc- Se, através deste procedimento, o veí-
bida ou a marcha-atrás se o veículo trico ligado, no quadro de instrumentos culo for travado até atingir uma veloci-
estiver estacionado em descida. Nas acende-se a luz avisadora e dade inferior a aprox. 3 km/h e o inter-
versões com caixa automática, posicio- ilumina-se o LED situado no interruptor. ruptor for mantido puxado,
nar a alavanca das mudanças na posi- engatar-se-á definitivamente o travão
ção P (Estacionamento). Em caso de luz avisadora de avaria
de estacionamento.
EPB acesa, algumas funcionalidades
Em caso de avaria na bateria do veí- do travão de estacionamento eléctrico A condução do veículo com o travão
culo, para desbloquear o travão de es- serão desactivadas. Neste caso, o con- de estacionamento eléctrico engatado,
tacionamento eléctrico, é necessário dutor é responsável pelo accionamento ou a utilização repetida do travão de
efectuar a substituição da própria bate- do travão de estacionamento do veí- estacionamento eléctrico para abrandar
ria. culo em condições de completa segu- o veículo, poderiam provocar graves
O travão de estacionamento eléctrico rança. danos no sistema de travagem.
pode ser engatado de duas formas: Se, em circunstâncias excepcionais, for Desengate manual do travão de es-
manualmente, premindo o necessário solicitar a intervenção do tacionamento eléctrico
interruptor no túnel central fig 95; travão com o veículo em movimento, Para desengatar manualmente o travão
automaticamente nas condições de mantet o interruptor puxado no túnel de estacionamento, o dispositivo de
"Safe Hold" ou de "Auto Park Brake". central durante todo o tempo em que arranque deve estar na posição MAR.
Engate manual do travão de estaci- se pretende a intervenção do próprio Além disso, é necessário carregar no
onamento travão. pedal do travão, e depois premir breve-
113) 114) 115) A luz avisadora pode acender-se mente o interruptor no túnel central.
Para engatar manualmente o travão de se o sistema hidráulico estiver momen- Durante o desengate, pode
estacionamento eléctrico com o veículo taneamente indisponível e a travagem perceber-se um ligeiro ruído prove-
parado, puxe brevemente o interruptor for, assim servida assistida pelos moto- niente da parte posterior do veículo e
localizado no túnel central. res eléctricos. pode notar-se um ligeiro movimento do
Durante o engate do travão de estacio- Além disso, acendem-se automatica- pedal do travão.
namento eléctrico, pode perceber-se mente as luzes de paragem (stop), Após ter desengatado o travão de esta-
um ligeiro ruído proveniente da parte como aconteceria para uma travagem cionamento eléctrico, a luz avisadora
posterior do veículo. normal efectuada através da pressão no quadro de instrumentos e o
do pedal do travão. LED no interruptor apagam-se.
Se se engatar o travão de estaciona-
mento com o pedal do travão pressio- Para interromper o pedido de travagem Se a luz avisadora no quadro de

116
instrumentos permanecer acesa com o Estático e libertação": com o veículo na posição STOP (versões com caixa
travão de estacionamento eléctrico parado, o travão de estacionamento manual). Quando o travão de
desligado, significa que está presente elétrico pode ser engatado puxando estacionamento está engatado e
uma avaria: neste caso, dirigir-se à uma única vez o interruptor localizado aplicado às rodas, acende-se o LED
Rede de Assistência Jeep. no túnel central. Por outro lado, para situado no interruptor fig 95 no túnel
desengatar o travão, carregue no central juntamente com o acendimento
Nas versões equipadas com caixa au-
interruptor e, ao mesmo tempo, no da luz avisadora no quadro de
tomática, nunca utilizar a posição P
pedal do travão; instrumentos. Esta modalidade pode
(Estacionamento) em substituição do
"Drive Away Release" (se presente): ser gerida através do Menu do sistema
travão de estacionamento eléctrico.
o travão de estacionamento elétrico Uconnect™.
Quando se estaciona o veículo, engatar
será desengatado automaticamente se
sempre o travão de estacionamento SAFE HOLD
o cinto de segurança do lado do
eléctrico para evitar lesões ou danos É uma função de segurança que en-
condutor for apertado e for detetada a
provocados pelo movimento incontro- gata automaticamente o travão de es-
intenção do condutor de mover o
lado do veículo. tacionamento eléctrico caso o veículo
veículo (em marcha à frente ou
Para veículos com caixa manual, se se marcha-atrás); se encontre numa condição não
soltar o pedal da embraiagem ao "Safe Hold": quando a velocidade do segura.
mesmo tempo que se carregar no ace- veículo é inferior a 3 km/h e, para as Se:
lerador, o travão de estacionamento versões com caixa automática, a a velocidade do veículo for inferior a
eléctrico desengata-se automatica- alavanca das mudanças não está na 3 km/h;
mente. posição P (Estacionamento) e se deteta a alavanca das mudanças não
a intenção do condutor de sair do estiver na posição P (Estacionamento)
MODALIDADE DE (versões equipadas com caixa
FUNCIONAMENTO DO veículo, o travão de estacionamento
TRAVÃO DE elétrico é automaticamente engatado automática);
ESTACIONAMENTO para colocar o veículo em condições de o cinto de segurança do condutor
ELÉTRICO segurança; não estiver apertado;
O travão de estacionamento elétrico "Auto Park Brake": se a velocidade a porta do lado do condutor estiver
pode funcionar de acordo com as se- do veículo for inferior a 3 km/h, o travão aberta;
guintes modalidades: de estacionamento elétrico será não tiverem sido detectadas
"Modalidade de acionamento engatado automaticamente quando a tentativas de pressão do pedal do
Dinâmico": esta modalidade é ativada alavanca das mudanças for deslocada travão do pedal do acelerador ou, nas
puxando continuamente o interruptor para a posição P (Estacionamento) versões equipadas com caixa manual,
durante a condução; (versões com caixa automática), ou do pedal da embraiagem;
"Modalidade de acionamento quando o dispositivo de arranque está o travão de estacionamento se engatar

117
automaticamente para impedir que o CAIXA DE damente a 4 a velocidade. Acção aná-

ARRANQUE E CONDUÇÃO
veículo se desloque. VELOCIDADES loga para a passagem da 6 a para a 5 a
A função Safe Hold pode ser tempora- MANUAL mudança.
riamente excluída carregando no inter- 116) 38) Versões 1.4 Turbo Multi Air / 1.6
ruptor localizado no túnel central e, ao Multijet / 2.0 Multijet: para engrenar a
mesmo tempo, no pedal do travão, Para engatar as mudanças, carregar a marcha-atrás R da posição de ponto
com o veículo parado e a porta do lado fundo no pedal da embraiagem e colo- morto, elevar o anel A fig 96 e,
do condutor aberta. car a alavanca das mudanças na posi- simultaneamente, deslocar a alavanca
ção desejada (o esquema para o en- para a esquerda e depois para a frente.
Uma vez excluída, a função será reacti-
gate das mudanças encontra-se no
vada quando a velocidade do veículo Versões 1.6 E.Torq: para engatar a
punho da alavanca).
atingir os 20 km/h ou quando o dispo- marcha-atrás (R) a partir da posição de
sitivo de arranque for deslocado para a Para engatar a marcha-atrás R a partir ponto morto, levantar o anel A fig 96 e,
posição STOP e, de seguida, para da posição de ponto morto, levantar o simultaneamente, deslocar a alavanca
MAR. anel A fig 96 situado sob o punho e, para a direita e depois para trás.
simultaneamente, deslocar a alavanca
para a esquerda e depois para a frente. A marcha-atrás apenas pode ser en-
AVISO grenada com o veículo totalmente pa-
rado. Com o motor ligado, antes de
engrenar a marcha-atrás, aguardar pelo
113) Durante as manobras de
estacionamento em estradas com menos 2 segundos com o pedal da
inclinação, é importante virar as rodas embraiagem totalmente pressionado,
dianteiras para o passeio (em caso de para evitar danificar as engrenagens e
estacionamento em descida), ou no ruídos de arranhar.
sentido oposto, se o veículo for
estacionado em subida. Se o veículo for A utilização do pedal da embraiagem
estacionado em inclinações acentuadas, é deve estar limitada exclusivamente às
igualmente recomendável bloquear as
rodas com uma cunha ou um calço. mudanças de velocidades. Não condu-
114) Nunca deixar crianças sozinhas no zir com o pé apoiado no pedal da em-
veículo sem vigilância; além disso, ao 96 J0A0183C braiagem mesmo que ligeiramente. Em
afastar-se do veículo, extrair sempre a algumas circunstâncias, a electrónica
chave do dispositivo de arranque e levá-la Para engatar a 6 a velocidade, accionar
consigo.
de controlo do pedal da embraiagem
115) O travão de estacionamento elétrico
a alavanca exercendo uma pressão pode intervir interpretando o estilo er-
deve ser sempre engatado quando se para a direita para evitar engatar erra- rado de condução como uma avaria.
abandona o veículo.

118
CAIXA AUTOMÁTICA
AVISO
O veículo pode estar equipado com
116) Para mudar corretamente as uma caixa automática de 9
velocidades, é necessário carregar a fundo velocidades.
no pedal da embraiagem. Portanto, o
pavimento por baixo da pedaleira não deve A caixa pode funcionar segundo duas
apresentar obstáculos: certifique-se de modalidades diferentes: "Modalidade
que eventuais tapetes estão sempre bem automática" ou "Modalidade sequen-
esticados e não interferem com os pedais. cial".
97 J0A0146C
ALAVANCA DA CAIXA
ATENÇÃO
A alavanca pode assumir as seguintes A mudança engatada é visualizada no
posições: display.
38) Não conduzir com a mão apoiada na P = Estacionamento 117) 118) 119) 120) 121)
alavanca da caixa de velocidades, porque R = Marcha-atrás
o esforço exercido, mesmo se ligeiro, com Para seleccionar uma velocidade, pre-
o tempo pode desgastar os elementos N = Ponto morto
mir o botão A fig 97 e deslocar a
internos na caixa de velocidades. D = Drive (marcha para a frente
alavanca para a frente ou para trás.
automática)
AutoStick: + passagem para a No caso de utilização da caixa na mo-
mudança superior na modalidade de dalidade "sequencial", activável deslo-
condução sequencial; – passagem para cando a própria alavanca de D (Drive)
a mudança inferior na modalidade de para a esquerda, são alcançáveis as
condução sequencial. posições para + ou para –. Estas posi-
ções são instáveis.
Para sair da posição P (Estaciona-
mento), ou para passar da posição N
(Ponto morto) para a posição D (Drive)
ou R (Marcha-atrás) quando o veículo é
parado ou se desloca a baixa veloci-
dade, é necessário carregar também
no pedal do travão (consultar a opção

119
"Sistema de inibição do engate de velo- danças para a frente para o símbolo – mento da caixa em todas a velocidades

ARRANQUE E CONDUÇÃO
cidades com o travão engatado" neste ou para trás para o símbolo + para a frente procedendo do seguinte
capítulo). efectua-se a mudança das velocidades. modo:
parar o veículo;
NÃO acelerar durante a passagem da Desactivação
deslocar a alavanca das mudanças
posição P (ou N) para outra posição. Voltar a colocar a alavanca das mudan- para P (Estacionamento);
ças na posição D (Drive) (modalidade colocar o dispositivo de arranque na
Depois de selecionar uma velocidade,
de condução "automática"). posição STOP;
aguardar alguns segundos antes de
acelerar. Esta precaução é particular- FUNÇÃO DE aguardar cerca de 10 segundos
mente importante com o motor frio. EMERGÊNCIA DA CAIXA depois de ligar o motor;
DE VELOCIDADES seleccionar a mudança pretendida:
AutoStick - Modalidade de mu- (onde presente)
se não se detectar mais o problema, a
dança sequencial A função da caixa é constantemente caixa volta a funcionar correctamente.
Em caso de frequentes mudanças de monitorizada para detectar eventuais
velocidade (por ex. quando se conduz anomalias. Se se detectar uma condi- Em caso de avaria temporária, é acon-
o veículo em condições de carga pe- ção que poderia provocar danos na selhável dirigir-se o mais rapidamente
sada, em estradas em inclinação, com caixa de velocidades, activa-se a fun- possível à Rede de Assistência Jeep.
forte vento contrário ou durante o rebo- ção de "emergência da caixa de veloci- BLOQUEIO DE IGNIÇÃO E
que de atrelados pesados), é aconse- dades". POSIÇÃO DE
lhável utilizar a modalidade AutoStick Nesta condição, a caixa permanece na ESTACIONAMENTO
(mudança sequencial) para seleccionar 4 a velocidade, independentemente da Versões equipadas com sistema
e manter uma relação fixa mais baixa. mudança seleccionada. Keyless Enter-N-Go: esta função re-
É possível passar da posição D (drive) As posições P (Estacionamento), R quer o posicionamento da alavanca das
para a modalidade sequencial, qual- (Marcha-atrás) e N (Ponto morto) conti- mudanças em P (Estacionamento) an-
quer que seja a velocidade do veículo. nuam a funcionar. No display pode tes de colocar o dispositivo de arran-
Activação acender-se o ícone que na posição STOP.
Com a alavanca das mudanças na po- Em caso de "emergência da caixa", Versões equipadas com chave me-
sição D (Drive), para activar a modali- dirigir-se imediatamente à Rede de As- cânica: esta função requer o posicio-
dade de condução sequencial, deslo- sistência Jeep. namento da alavanca das mudanças
car a alavanca para a esquerda em P (Estacionamento) antes de extrair
Avaria temporária a chave do dispositivo de arranque.
(indicação – e + na moldura). No dis-
Em caso de avaria temporária, é possí- Se a bateria do veículo estiver descar-
play será visualizada a mudança enga-
vel restabelecer o correcto funciona- regada, a chave de ignição, se inserida,
tada. Deslocando a alavanca das mu-
permanece bloqueada na respectiva

120
sede. Para extrair mecanicamente a
119) Não posicionar a alavanca das
CAIXA DE
chave, consultar o parágrafo “Desblo- mudanças em N, nem desligar o motor VELOCIDADES
queio da alavanca das mudanças auto- para percorrer uma estrada em descida. AUTOMÁTICA DE
mático” no capítulo “Em emergência”. Este tipo de condução é perigoso e reduz DUPLA
a possibilidade de intervenção em caso de
SISTEMA DE INIBIÇÃO repentinas variações do fluxo do tráfego ou
EMBRAIAGEM
DO ENGATE DE da superfície da estrada. Corre-se o risco
VELOCIDADES SEM O de perder o controlo do veículo e provocar
PEDAL DO TRAVÃO acidentes. ALAVANCA DAS
ENGATADO 120) Antes de deslocar a alavanca das MUDANÇAS
Este sistema impede a deslocação da mudanças da posição P, colocar o A alavanca fig 98 pode assumir as
dispositivo de arranque na posição MAR e
alavanca das mudanças da posição P carregar no pedal do travão. Caso
seguintes posições:
(Estacionamento) se se tiver carregado contrário, a alavanca das mudanças P = Estacionamento
no pedal do travão. poderia ficar danificada. R = Marcha-atrás
121) Engatar a marcha-atrás apenas com N = Ponto morto
Para colocar a caixa numa posição di- o veículo parado, o motor ao ralenti e o
ferente de P (Estacionamento), o dispo- D = Drive (marcha para a frente
acelerador totalmente solto.
sitivo de arranque deve estar na posi- automática)
ção AVV (motor ligado ou desligado) e "AutoStick": "+" passagem para a
o pedal do travão deve estar premido. mudança superior na modalidade de
condução sequencial ou "–" passagem
para a mudança inferior na modalidade
de condução sequencial.
AVISO

117) Nunca utilizar a posição P em


substituição do travão de estacionamento
elétrico. Ao estacionar o veículo, engatar
sempre o travão de estacionamento
elétrico para evitar movimentos acidentais
do veículo.
118) Se a posição P não estiver engatada,
o veículo pode deslocar-se e provocar
lesões nas pessoas. Antes de abandonar o
veículo, certificar-se de que a alavanca das
mudanças está na posição P e que o 98 J0A0146C
travão de estacionamento elétrico está
engatado. 122)

121
MODALIDADE DE Em algumas condições (por ex., em

ARRANQUE E CONDUÇÃO
39) 40)
CONDUÇÃO caso de pequenas inclinações e pedal
Para seleccionar a modalidade "se- AUTOMÁTICA
quencial", deslocar a alavanca de D do travão não completamente pre-
(Drive) para a esquerda. São alcançá- É possível seleccionar a posição D pelo mido), a desactivação do motor através
veis as posições + (relação de veloci- funcionamento sequencial em qualquer da pressão do botão situado ao lado
dade superior) ou – (relação de veloci- condição de velocidade. do volante (ver fig 99 ) não é
dade inferior). Estas posições instáveis; Função "Kick-down" desabilitada. Neste caso, carregar a
de facto, a alavanca regressa sempre à fundo no pedal do travão para tornar
Para uma retoma rápida do andamento
posição central. disponível a função "Hill Start Assist” e
do veículo, carregando a fundo no pe-
permitir o novo arranque do motor,
A alavanca está equipada com um bo- dal do acelerador, o sistema de gestão
actuando na alavanca das mudanças
tão A fig 98 , que é necessário premir da caixa procederá ao engate de uma
como anteriormente descrito.
para deslocar a própria alavanca para mudança inferior (função "Kick-down").
as posições P ou R. MOVIMENTAÇÃO DO
Em caso de condução em estradas VEÍCULO
A passagem de P para uma qualquer com fraca aderência (neve, gelo, etc.),
posição da alavanca de selecção, com Para movimentar o veículo, a partir da
evitar a activação da modalidade de
a chave de ignição na posição MAR, posição P, carregar no pedal do travão
funcionamento "Kick-down".
deve ser feita carregando no pedal do e, actuando no botão da alavanca das
travão e actuando no botão A fig 98. ARRANQUE DO MOTOR mudanças, deslocar a alavanca para a
Para passar de R para P, é necessário O arranque do motor só é permitido posição desejada (D, R ou para a "Mo-
premir o botão A fig 98 quando o motor com a alavanca das mudanças na posi- dalidade sequencial"). O ecrã visuali-
estiver no regime mínimo. ção P ou N. Aquando do arranque do zará a mudança engatada.
Para passar da posição N para D ou R, motor, o sistema (esta última corres- Soltando o pedal do travão, o veículo
é necessário carregar no pedal do tra- ponde à posição de ponto morto, mas começará a movimentar-se para a
vão. Convém não acelerar e certificar.se o veículo encontra-se com as rodas frente ou para trás, assim que se iniciar
de que o motor se está a estabilizar no bloqueadas mecanicamente). a manobra (efeito "creeping"). Neste
regime mínimo. O novo arranque automático do motor caso, não é necessário carregar no
ocorre: acelerador.
A passagem da posição D para N é
livre, enquanto que para a passar de D soltando o pedal do travão (e a A condição de incongruência entre a
para R ou P, é necessário premir o bo- alavanca não está na posição N ou P); mudança realmente engatada, (visuali-
tão A fig 98. deslocando a alavanca para a zada no ecrã) e a posição da alavanca
posição instável "+", "−" ou R; das mudanças é assinalada pela inter-
deslocando a alavanca de D para a mitência, na moldura da caixa de velo-
esquerda na "Modalidade sequencial". cidades, da letra correspondente à po-

122
sição da própria alavanca (é também de estacionamento, tendo o cuidado adequada no pedal do travão. Se a
emitido um sinal acústico). de actuar apenas no pedal do travão. pressão não for suficiente, o motor não
Esta condição não deve ser entendida se desligará. Esta característica pode
DESLIGAR O VEÍCULO
como anomalia de funcionamento mas ser aproveitada para não ter de desligar
Versões equipadas com sistema o motor em condições de trânsito es-
simplesmente como pedido, por parte
Keyless Go: posicionar a alavanca das pecíficas.
do sistema, de repetição da manobra.
mudanças em P (Estacionamento) an-
Com o motor ligado e o veículo parado, tes de desligar o veículo com a pressão Extracção da chave de ignição
na "Modalidade sequencial", o pedido do botão situado ao lado do volante A chave de ignição só pode ser extra-
de engate da 2 a velocidade não é (ver fig 99 ). ída com a alavanca das mudanças na
aceite pelo sistema (com ou sem pedal posição P.
do travão premido). no caso de desactivação do
Se, com a 1 a velocidade, ou marcha- motor com a alavanca das
-atrás (R) engatada, se verificarem es- mudanças na posição P: é possível
tas condições: extrair a chave de ignição por um
inclinação da estrada superior a 5%; período de cerca de 30 segundos;
embraiagem sobreaquecida; no caso de desactivação do
binário do motor constante por um motor com a alavanca das
determinado período (por ex. se o mudanças em posição diferente de
veículo embater num passeio ou se for P: deslocar a alavanca para P dentro
estacionado numa inclinação); de 5 segundos. Efectuada esta
99 J0A0022C
operação, será possível, durante cerca
a movimentação do veículo faz-se car-
Versões equipadas com chave me- de 30 segundos, extrair a chave de
regando no pedal do acelerador.
cânica: posicionar a alavanca das mu- ignição.
Com o travão de mão desengatado e o danças em P (Estacionamento) antes Em ambos os casos, se não forem res-
pedal do travão solto, o motor ao ra- de poder extrair a chave do dispositivo peitados os tempos e as condições
lenti e a alavanca das mudanças na de arranque. descritas, obtém-se o bloqueio auto-
posição D, R ou sequencial, prestar a mático da chave de ignição.
Se a bateria do veículo estiver descar-
máxima atenção dado que o veículo é Para extrair a chave de ignição, será
regada, a chave de ignição, se inserida,
capaz de se movimentar mesmo sem necessário rodá-la para a posição MAR
permanece bloqueada na respectiva
carregar no pedal acelerador. Esta con- e, em seguida, para STOP, repetindo o
sede.
dição pode ser utilizada com o veículo procedimento acima descrito.
em piso plano nas manobras apertadas Versões com sistema Start&Stop:
para desligar o motor, é necessário pa-
rar o veículo exercendo uma pressão

123
FUNÇÃO "RECOVERY" SISTEMA STOP/
ARRANQUE E CONDUÇÃO A seguir a uma avaria na alavanca das ATENÇÃO START
mudanças, no ecrã do quadro de ins-
trumentos pode visualizar-se uma men-
39) Caso o veículo se encontre em piso O sistema Stop/Start pára automatica-
sagem específica que sugere ao con- inclinado, puxar sempre o travão de mão, mente o motor sempre que o veículo
dutor que prossiga a marcha sem ANTES de posicionar a alavanca das
está parado e volta a ligá-lo quando o
deslocar a alavanca para a posição P. mudanças no P.
40) Inserir a marcha-atrás só com o veículo condutor pretende retomar a marcha.
Neste caso, a caixa de velocidades
parado, o motor ao ralenti e o pedal do Isto aumenta a eficiência do veículo
manterá a marcha à frente (com presta- acelerador totalmente solto. reduzindo os consumos, as emissões
ções reduzidas) mesmo posicionando a
de gases perigosos e a poluição so-
alavanca em R ou N.
nora.
Uma vez posicionada a alavanca em P,
123) 124) 41)
ou depois de ter desligado o veículo, já
não será possível seleccionar nem a R MODALIDADES DE
nem qualquer marcha à frente. Neste FUNCIONAMENTO
caso, dirigir-se à Rede de Assistência Modalidades de paragem do motor
Jeep.
Versões com caixa manual
Com o veículo parado, o motor
desliga-se com a caixa de velocidades
AVISO
em ponto morto e com o pedal da em-
braiagem solto.
122) Nunca deixar crianças sozinhas no
veículo sem vigilância. Ao afastar-se do Versões com caixa automática
veículo, extrair sempre a chave de ignição Com o veículo parado e o pedal do tra-
e levá-la consigo. vão premido, o motor desliga-se se a
alavanca das mudanças se encontrar
numa posição diferente de R.
No caso de paragem nas subidas, a
desligação do motor é desactivada
para disponibilizar a função “Hill Start
Assist” (função activa apenas com o
motor ligado).

124
A paragem do motor é assinalada pelo tor desligado deslocando rapidamente
124) Antes de abrir o capot do motor,
acendimento da luz avisadora no a alavanca das mudanças para a posi- certificar-se de que o veículo está
painel de instrumentos. ção P (Estacionamento). desligado e que o dispositivo de ignição
Assim, para reactivar o motor, basta está na posição STOP. Respeitar o
Modalidades de reactivação do mo- indicado na chapa aplicada sob o capot
tor remover a alavanca da posição P. do motor. Quando se encontrarem outras
Versões com caixa manual ACTIVAÇÃO/ pessoas no veículo, aconselha-se a extrair
DESACTIVAÇÃO MANUAL sempre a chave. O veículo deve ser
Para voltar a ligar o motor, carregar no DO SISTEMA abandonado sempre depois de ter extraído
pedal da embraiagem. a chave ou de a ter rodado para a posição
Para activar/desactivar manualmente o STOP. Durante as operações de
Se, carregando na embraiagem, o veí- abastecimento de combustível, certificar-se
sistema, premir o botão situado no
culo não arrancar, deslocar a alavanca de que o motor está desligado (dispositivo
túnel central fig 100.
das mudanças para ponto morto e re- de arranque na posição STOP).
petir o procedimento. Se o problema
persistir, dirigir-se à Rede de Assistên-
ATENÇÃO
cia Jeep.
Versões com caixa automática
41) Se se pretender privilegiar o conforto
Para reactivar o motor, soltar o pedal climático, é possível desativar o sistema
do travão. Stop/Start, para poder permitir um
funcionamento contínuo do sistema de
Com o travão premido, se a alavanca
climatização.
das mudanças se encontrar na modali-
dade automática D (Drive), o motor
volta a arrancar deslocando a alavanca 100 J0A0134C

para R (Marcha-atrás) ou N (Ponto


morto) ou "AutoStick". LED apagado: sistema activado;
Além disso, com o travão premido, se a LED aceso: sistema desactivado.
alavanca das mudanças se encontrar
na modalidade "AutoStick", o motor
AVISO
volta a arrancar deslocando a alavanca
para a posição + ou –, ou R (Marcha-
-atrás) ou N (Ponto morto). 123) Em caso de substituição da bateria,
dirigir-se sempre à Rede de Assistência
Com o motor parado automaticamente,
Jeep. Substituir a bateria por uma do
mantendo o pedal do travão premido, é mesmo tipo (HEAVY DUTY) e com as
possível soltar o travão e manter o mo- mesmas características.

125
SPEED LIMITER ACTIVAÇÃO DO Desativação automática do

ARRANQUE E CONDUÇÃO
DISPOSITIVO dispositivo
Para ativar o dispositivo, premir o botão O dispositivo desactiva-se automatica-
DESCRIÇÃO A fig 101 no volante. mente em caso de avaria no sistema-
É um dispositivo que permite limitar a .Neste caso, dirigir-se à Rede de Assis-
velocidade do veículo a valores progra- tência Jeep.
máveis pelo condutor.
É possível programar a velocidade má-
xima quer com o veículo parado quer
com o veículo em movimento. A veloci-
dade mínima programável é de
30 km/h.
Quando o dispositivo está activo, a ve-
locidade do veículo depende da pres-
são do pedal acelerador, até ser atin- 101 J0A0137C

gida a velocidade limite programada.


Os botões presentes no volante de-
sempenham as seguintes funções:
SET +: programação da velocidade
limite (memorização de um valor de
velocidade mais alto);
SET –: programação da velocidade
limite (memorização de um valor de
velocidade mais baixo);
RES: activação do dispositivo (a
activação do dispositivo é assinalada
pela visualização do símbolo no
display (de cor verde nas versões com
display multifunções reconfigurável).
CANC: desactivação do dispositivo
(a desactivação do dispositivo é
assinalada pela visualização do símbolo
no display (de cor branca);

126
CRUISE CONTROL cionalidade 4WD LOW (se prevista) ou Em caso de necessidade (por exemplo,
ELECTRÓNICO da funcionalidade Hill Descent Control. em caso de ultrapassagem), é possível
acelerar carregando no acelerador: ao
soltar o pedal, o veículo reposicionar-
DESCRIÇÃO -se-á na velocidade anteriormente me-
É um dispositivo de assistência à con- morizada.
dução, de controlo electrónico, que Ao enfrentar troços em descida com o
permite manter o veículo a uma veloci- dispositivo activado, é possível que a
dade desejada, sem necessitar de car- velocidade do veículo aumente ligeira-
regar no pedal do acelerador. mente em relação à seleccionada.
Este dispositivo pode ser utilizado a
Antes de premir os botões SET + (ou
uma velocidade superior a 40 km/h, em
SET –), o veículo deve viajar a veloci-
longos troços de estrada rectos, secos 102 J0A0144C
dade constante em terreno nivelado.
e com poucas variações de velocidade
(por ex. percursos em auto-estradas). A O dispositivo não pode ser activado na AUMENTO/DIMINUIÇÂO
utilização do dispositivo não é, por- 1 a velocidade ou em marcha-atrás: é DA VELOCIDADE
tanto, vantajosa em estradas extra- aconselhável activá-lo com velocidades Uma vez activado o Cruise Control
-urbanas com muito trânsito. Não utili- iguais ou superiores à 3 a. electrónico, é possível aumentar a velo-
zar o dispositivo na cidade. cidade premindo o botão SET + ou
É perigoso deixar o dispositivo ligado
diminui-la premindo o botão SET –.
ACTIVAÇÃO DO quando não está a ser utilizado.De
DISPOSITIVO facto, existe o risco de activá-lo invo- ACELERAÇÃO EM CASO
125) 126) 127) luntariamente e perder o controlo do DE ULTRAPASSAGEM
Para activar o Cruise Control, premir o veículo devido a um excesso de veloci- Carregar no pedal do acelerador: ao
botão fig 102.Se o Speed Limiter dade imprevisto. soltar o pedal do veículo, retomar-se-á
estiver ligado, é necessário premir duas DEFINIÇÃO DA gradualmente a velocidade
vezes no botão para engatar o VELOCIDADE DESEJADA memorizada.
dispositivo (a primeira pressão Inserir o dispositivo e, de seguida, O dispositivo mantém memorizada a
desactiva o Speed Limiter, a segunda quando o veículo tiver atingido a veloci- velocidade mesmo em subida e em
activa o Cruise Control). dade desejada, premir o botão SET + descida. Uma ligeira variação da veloci-
Para versões equipadas com tracção (ou SET –) e soltá-lo para activar o dis- dade em leves subidas é perfeitamente
integral, não é possível accionar o dis- positivo. Ao soltar o acelerador, o veí- normal.
positivo em caso de activação da fun- culo prosseguirá à velodade
seleccionada.

127
VOLTAR A CHAMAR A

ARRANQUE E CONDUÇÃO
VELOCIDADE
AVISO
Versões com caixa automática (a fun-
cionar na modalidade Drive - automá-
tico): premir o botão RES e soltá-lo. 125) Durante a marcha com o dispositivo
ativado, não posicionar a alavanca da
Versões com caixa manual ou com caixa de velocidades em ponto morto.
caixa automática na modalidade 126) Em caso de funcionamento
Autostick (sequencial): antes de voltar a defeituoso ou avaria do dispositivo,
contactar a Rede de Assistência Jeep.
chamar a velocidade definida anterior-
127) O Cruise Control eletrónico pode ser
mente, colocar-se próximo da mesma, perigoso nos casos em que o sistema não
antes de premir o botão RES e soltá-lo. seja capaz de manter uma velocidade
constante. Em algumas condições, a
DESACTIVAÇÃO DO velocidade pode ser excessiva, com o
DISPOSITIVO risco de perder o controlo do veículo e
A pressão do botão CANC ou a pres- provocar acidentes. Não usar o dispositivo
em condições de trânsito intenso ou em
são no pedal do travão durante o estradas sinuosas, congeladas, com neve
abrandamento do veículo desactivam o ou escorregadias.
Cruise Control electrónico, sem apagar
a velocidade memorizada.
O Cruise Control pode também ser de-
sactivado em caso de activação do
travão de estacionamento eléctrico
(EPB) ou em caso de intervenção do
sistema de travagem (por ex. interven-
ção do sistema ESC).
DESACTIVAÇÃO DO
DISPOSITIVO
O dispositivo desactiva-se premindo o
botão ou deslocando o dispositivo
de arranque para STOP.

128
TRACÇÃO INTEGRAL
- JEEP ACTIVE
DRIVE (4WD) e JEEP
ACTIVE DRIVE LOW
(4WD LOW)
TRACÇÃO INTEGRAL
A tracção às quatro rodas motrizes
(4WD) é completamente automática na
modalidade de condução normal.
Não é possível efectuar a mudança de
modalidade quando o veículo ultrapas-
sar a velocidade de 120 km/h.
Activação da tracção integral
42) 43)

Os botões para a ativação da tração


integral estão localizados no dispositivo
Selec-Terrain™ e permitem selecio-
nar:
4WD LOCK (fig 103 versões com 103 J0A0155C 104 J0A0156C
caixa manual e automática): desativa a
função de desativação do veio de 4WD LOW (fig 104 versões com A função 4WD LOCK pode ser activada
transmissão, garantindo a imediata caixa automática): enfatiza a mediante a pressão do respectivo bo-
disponibilidade do binário à junta performance "off-road" do veículo em tão ou quando o selector for rodado de
traseira. Esta função é seleccionável na todos os modos de condução; AUTO para SNOW/SAND/MUD ou
modalidade AUTO e automática nas ROCK (versões Trailhawk) e o 4WD
outras modalidades de condução. LOW não tiver sido anteriormente acti-
vado.
A activação de uma função (por ex.
4WD LOW) desactiva automaticamente
a outra.

129
Em algumas versões, a pressão do bo- Em algumas versões, no display a men- SELEC-TERRAIN
ARRANQUE E CONDUÇÃO
tão 4WD LOW activa automaticamente sagem "4WD LOW" apaga-se uma vez
também a funcionalidade 4WD LOCK. concluída a desactivação. SELECÇÃO DA
MODALIDADE DE
Uma posterior pressão do botão 4WD Neste caso o LED no botão 4WD LOW CONDUÇÃO
LOW deixará activa a funcionalidade está apagado. Rodar o manípulo A fig 105 para
4WD LOCK. Por outro lado, a uma
seleccionar a modalidade desejada.
posterior pressão do botão 4WD
LOCK, serão desactivadas ambas as ATENÇÃO
funcionalidades.
A função 4WD LOW só é aconselhável 42) O funcionamento correto da função
4WD depende dos pneus: devem ser
para pisos de estrada irregulares e todos das mesmas dimensões, do mesmo
escorregadias. tipo e da mesma circunferência. A
utilização de pneus de tamanho diferente
ACTIVAÇÃO/ tem um efeito negativo na caixa de
DESACTIVAÇÃO DA velocidades e danifica os componentes da
MODALIDADE 4WD LOW transmissão.
Activação da modalidade 4WD LOW 43) Não conduzir a uma velocidade mais
rápida do que a permitida pelas condições
Com o veículo parado, dispositivo de da estrada.
arranque na posição MAR ou com o
motor ligado, deslocar a alavanca das
mudanças para a posição D (Drive), R
(Marcha-atrás) ou N (Ponto morto) e
premir uma vez o botão 4WD LOW.
Em algumas versões, com a modali-
dade engatada, no display é visualizada
a mensagem "4WD LOW". O LED no
dispositivo Selec-Terrain™ poderia
ficar intermitente até ao final do engate. 105 J0A0153C

Desactivação da modalidade 4WD


LOW Não é possível efectuar a mudança de
A desactivação pode ocorrer a qual- modalidade quando o veículo ultrapas-
quer velocidade compreendida entre 0 sar a velocidade de 120 km/h.
e 120 km/h. AUTO (Automático): a modalidade

130
de tracção às quatro rodas motrizes superfícies todo-o-terreno com elevada SISTEMA
com funcionamento contínuo e aderência. Esta modalidade garante a PARKSENSE
completamente automático pode ser máxima prestação "off-road". Esta
utilizada para a condução em estrada e modalidade deve ser utilizada para (onde presente)
todo-o-terreno.Esta modalidade reduz enfrentar obstáculos superáveis a baixa
ainda o consumo de combustível, uma velocidade como, por exemplo, colinas VERSÕES COM 4
vez que permite desligar, onde as de grandes dimensões, sulcos SENSORES
condições o permitirem, o veio de profundos, etc. 128) 44) 45)
transmissão. No arranque do motor, é automatica-
SNOW (Neve): esta modalidade Os sensores de estacionamento, situa-
mente seleccionada a modalidade
permite ter maior estabilidade em dos no para-choques traseiro fig 106,
AUTO (LED aceso ao lado da mensa-
condições de tempo adversas.A utilizar têm a função de detetar a presença de
gem AUTO).
para a condução em estrada e eventuais obstáculos que se encontrem
Rodando o manípulo A fig 105, o LED junto à parte de trás da viatura.
todo-o-terreno em superfíes com fraca ao lado da mensagem AUTO
aderência como, por exemplo, pisos da permanece aceso. Por outro lado, os
estrada cobertos de neve. outros LEDs acendem-se
SAND (Areia): modalidade de sequencialmente, em função dos
condução todo-o-terreno para a ressaltos comunicados ao próprio
utilização em superfícies com fraca manípulo indicando, assim, ao
aderência, como pisos arenosos. A condutor qual a nova modalidade
transmissão é definida para oferecer a pedida.
máxima tracção.
Uma vez atingida a modalidade preten-
MUD (Lama): modalidade de
dida (LED ao lado da respectiva men-
condução todo-o-terreno para a
sagem aceso), basta manter o maní- 106
utilização nas superfícies com fraca J0A0166C
pulo em posição até que o sistema
aderência, como pisos de estrada
Selec-Terrain™ se active para efec- Os sensores avisam o condutor através
cobertos de lama ou relva molhada.
tuar o engate da modalidade seleccio- de um sinal sonoro e, se previsto, atra-
ROCK (onde presente, apenas para
nada. vés de sinais visuais no display do qua-
versões Trailhawk): esta modalidade
está disponível apenas com dro de instrumentos.
funcionalidade 4WD LOW activa. O Ativação/desativação
dispositivo define o veículo para Para desativar o sistema, prima o botão
maximizar a sua tracção e permitir a fig 107.
mais alta capacidade de viragem em

131
A passagem de estado do sistema, de A utilização de rodas com dimensões

ARRANQUE E CONDUÇÃO
ativado para desativado e vice-versa, é, distintas das montadas no momento da
de qualquer forma, sempre acompa- aquisição da viatura poderá influir sobre
nhada da visualização de uma mensa- o sistema, não lhe permitindo funcionar
gem específica no display do quadro corretamente.
de instrumentos.
Ativação/desativação do sistema
Sistema ativado: LED apagado. Caso seja corretamente ativado, o
Sistema desativado: LED aceso com sistema ativa-se engatando a marcha-
luz fixa. -atrás e desativa-se colocando a ala-
vanca das mudanças numa posição 108 J0A0164C
diferente da usada para a marcha-
-atrás.
Funcionamento com atrelado
O funcionamento dos sensores é auto-
maticamente desativado no ato da in-
trodução da ficha do cabo elétrico do
atrelado na tomada do gancho de re-
boque do veículo. Os sensores
reativam-se automaticamente retirando
107 J0A0227C
a cavilha do cabo do atrelado.
O LED também se acende em caso de VERSÕES COM 12 109 J0A0699C

avaria no sistema ParkSense®. SENSORES


Premindo o botão com o sistema em Os sensores avisam o condutor da pre-
Os sensores de estacionamento, situa-
avaria, o LED pisca durante cerca de 5 sença de obstáculos, através de um
dos no pára-choques anterior (fig 108 )
segundos, depois permanece aceso sinal sonoro intermitente e, onde pre-
e posterior (fig 109 ), têm a função de
com luz fixa. sentes, também com sinalizações visu-
detectar a presença de eventuais
ais no display do quadro de instrumen-
Depois de o ter desativado, o sistema obstáculos que se encontrem próximo
tos.
ParkSense® permanece nesta da parte anterior e posterior do veículo.
condição até à posterior reativação, Activação/desactivação
mesmo em caso de passagem do Para desactivar o sistema, premir o bo-
dispositivo de arranque de MAR para tão fig 107.
STOP e depois novamente para MAR.
A passagem de estado do sistema, de

132
activado para desactivado e vice-versa, eléctrico do atrelado na tomada do dos sensores, por exemplo, variando
é, de qualquer forma, sempre acompa- gancho de reboque do veículo, en- os alinhamentos (devido ao desgaste
nhada da visualização de uma mensa- quanto que os sensores anteriores per- dos amortecedores, suspensões) ou
gem específica no display do quadro manecem activos e capazes de for- substituição dos pneus, excesso de
de instrumentos. necer sinalizações acústicas e visuais. carga ou modificações com o objectivo
Sistema ligado: LED apagado. Os sensores posteriores reactivam-se de rebaixar o veículo;
Sistema desligado: LED aceso com automaticamente retirando a cavilha do a presença do gancho de reboque
luz fixa. cabo do atrelado. na ausência de reboque, que poderia
interferir com o correcto funcionamento
O LED acende-se, também em caso de AVISOS GERAIS
dos sensores de estacionamento.
avaria no sistema ParkSense®. Existem algumas condições que po- Antes de utilizar o sistema
Premindo o botão com o sistema em dem influenciar as prestações do sis-
avaria, o LED pisca durante cerca de 5 ParkSense®, é aconselhável
tema de estacionamento: desmontar do veículo o conjunto de
segundos, depois permanece aceso
uma sensibilidade reduzida do esfera do gancho extraível e o
com luz fixa.
sensor e diminuição das prestações do respectivo engate quando o veículo não
Depois de tê-lo desactivado, o sistema sistema de auxílio ao estacionamento é utilizado para operações de reboque.
ParkSense® permanece nesta poderão dever-se à presença na A inobservância desta prescrição pode
condição até à posterior reactivação, superfície do sensor de: gelo, neve, provocar lesões pessoais ou danos em
mesmo em caso de passagem do lama, pintura múltipla; veículos ou obstáculos já que, quando
dispositivo de arranque de MAR para é emitido o sinal sonoro contínuo, a
o sensor detecta um objecto não
STOP e depois novamente para MAR. esfera do gancho de reboque
existente ("interferência de eco") encontra-se já numa posição muito
Activação/desactivação do sistema provocado por interferências de mais aproximada do obstáculo
Ao engatar a marcha-atrás, o sistema, carácter mecânico, por exemplo: relativamente ao pára-choques
quando activado, activa quer os sen- lavagem do veículo, chuva (condições posterior. Caso deseje deixar sempre
sores anteriores quer posteriores. Ao extremas de vento), granizo; montado o gancho de reboque sem ter
engatar uma mudança diferente, os as sinalizações enviadas pelo sensor um atrelado ligado, é aconselhável
sensores posteriores são desactivados, podem ser igualmente alteradas pela dirigir-se à Rede de Assistência Jeep
enquanto que os anteriores perman- presença nas proximidades de para permitir as operações de
ecem activos até ultrapassar a veloci- sistemas de ultra-sons (por ex. travões actualização do sistema ParkSense®,
dado que o gancho de reboque poderá
dade de 15 km/h. pneumáticos de veículos pesados ou
ser detectado como um obstáculo
martelos pneumáticos); pelos sensores centrais.
Funcionamento com atrelado
as prestações do sistema de auxílio a presença de adesivos nos
O funcionamento dos sensores posteri-
ao estacionamento podem ser sensores. De seguida, prestar atenção
ores é automaticamente desactivado
igualmente influenciadas pela posição para não sobrepor qualquer adesivo
no acto da introdução da ficha do cabo

133
nos próprios sensores. SISTEMA ACTIVE
ARRANQUE E CONDUÇÃO
45) Para eventuais intervenções no
para-choques na zona dos sensores, PARKSENSE
dirigir-se exclusivamente à Rede de (onde presente)
AVISO Assistência Jeep. Intervenções no
para-choques efetuadas de modo incorreto
podem, de facto, comprometer o 130) 131)
128) A responsabilidade pelo funcionamento dos sensores de
estacionamento e por outras manobras estacionamento. 47) 48)
potencialmente perigosas, é sempre do 46) Para a pintura dos para-choques ou
para eventuais retoques de pintura na zona O sistema ajuda o condutor nas mano-
condutor. Ao efetuar estas manobras,
certificar-se sempre de que não estão dos sensores, dirigir-se apenas à Rede de bras de estacionamento, assistindo-o
presentes pessoas (especialmente Assistência Jeep. Aplicações incorretas de primeiro na procura de um espaço livre
crianças) nem animais ao longo da tinta poderão, de facto, comprometer o e adequado ao comprimento do veículo
trajetória que se pretende percorrer. Os funcionamento dos sensores de
estacionamento. e, de seguida, na fase de manobra de
sensores de estacionamento constituem
uma ajuda para o condutor, embora este estacionamento, gerindo automatica-
nunca deva reduzir a sua atenção durante mente o movimento do volante. O sis-
manobras potencialmente perigosas, tema ajuda o condutor também na ma-
mesmo se executadas a baixa velocidade. nobra de saída do estacionamento para
conduzir o veículo fora dele.
O sistema utiliza os sensores anterio-
ATENÇÃO res, posteriores e laterais localizados no
pára-choques anterior (fig 110 ) e
44) Para permitir o funcionamento correto posterior (fig 111 ).
do sistema, é indispensável que os
sensores estejam sempre limpos de lama,
sujidade, neve ou gelo. Durante a limpeza
dos sensores, ter o máximo cuidado para
não os riscar ou danificar; evitar a utilização
de panos secos, ásperos ou duros. Os
sensores devem ser lavados com água
limpa, eventualmente com a adição de
champô para automóveis. Nas estações de
lavagem que utilizam aparelhos a jacto de
vapor ou de água a alta pressão, limpar
rapidamente os sensores mantendo o jacto
a mais de 10 cm de distância.
110 J0A0164C

134
Sistema ativado: LED aceso com luz Durante a fase de manobra, o condutor
fixa / Sistema desativado: LED apa- é ajudado também pelas informações
gado. fornecidas pelos sensores de estacio-
O LED também se acende em caso de namento (4 sensores posteriores e 4
avaria no sistema Active sensores anteriores), que assinalam a
ParkSense®. Premindo o botão com distância durante a fase de aproxima-
o sistema avariado, o LED pisca ção de obstáculos à frente e atrás do
durante cerca de 5 segundos e, depois, veículo.
permanece apagado. Se for activada a funcionalidade Active
A utilização de rodas com dimensões ParkSense®, a seguir a uma anterior
111 J0A0699C
desactivação da funcionalidade
distintas das montadas no momento da
aquisição da viatura poderá influir sobre ParkSense®, os sensores voltam a
Além disso, o sistema ajuda o condutor ficar activos e permanecem nesta
o sistema, não lhe permitindo funcionar
também na manobra de saída do esta- condição apenas durante a manobra
corretamente. de estacionamento.
cionamento para conduzir o veículo
fora dele. FUNCIONAMENTO DO DESCRIÇÃO DAS FASES
SISTEMA DO ESTACIONAMENTO
ATIVAÇÃO/DESATIVAÇÃO
Durante a fase de procura do espaço PARALELO E
Para ativar o sistema prima o botão de estacionamento, o sistema utiliza os PERPENDICULAR
(fig 112 ): no display do quadro de sensores laterais (fig 113 ) que se Ativação
instrumentos serão apresentadas as activam automaticamente com o motor A activação do sistema faz-se pre-
instruções necessárias para a ligado e velocidade inferior a 30 km/h. mindo o botão (fig 112 ): uma vez
execução da manobra. seleccionado, o sistema activa-se em
fase de procura.
P Dado que o sistema efectua o reconhe-
ON
cimento dos espaços de estaciona-
mento mesmo quando o sistema não
está seleccionado, é possível activá-lo
também logo depois de ter transitado
ao lado de um espaço de estaciona-
mento considerado adequado: a fase
de procura não será efectuada e o sis-
113 J0A0218C tema avisará o condutor através do
112 J0A0049C
display do quadro de instrumentos,

135
acerca das operações necessárias para Procura de um espaço de estacio- travão e da embraiagem (versões com

ARRANQUE E CONDUÇÃO
executar correctamente a manobra. namento caixa manual) ou nos pedais do acele-
O sistema, através dos sensores late- rador e do travão (versões com caixa
Selecção do tipo de estaciona-
mento rais, procura continuamente um espaço automática). Uma vez encontrado um
de estacionamento livre e adequado às estacionamento, será pedido para en-
Durante a fase de procura e até que o
dimensões do veículo. gatar a marcha-atrás, largar o volante e
condutor engate a marcha-atrás, para
Durante a fase de procura, o veículo actuar nos respectivos pedais: o sis-
efectuar o estacionamento, é possível
deve proceder seguindo a faixa de ro- tema irá gerir automaticamente a direc-
seleccionar o tipo desejado:
dagem a uma velocidade inferior a ção para conduzir, da melhor forma, a
"Paralelo": o veículo irá procurar um
30km/h e a uma distância dos veículos manobra de estacionamento no lugar
lugar de estacionamento paralelamente
estacionados compreendida entre 50 pretendido.
ao sentido de marcha;
"Perpendicular": o veículo irá cm e 1,5 m, aproximadamente. Durante a manobra será possível utilizar
procurar um lugar de estacionamento Um espaço de estacionamento será as informações provenientes dos sen-
perpendicularmente ao sentido de considerado adequado se for cerca de sores de estacionamento (na fase de
marcha. 80 cm mais comprido para estaciona- marcha-atrás aconselha-se atingir a
mentos paralelos ao sentido de mar- área de sinalização acústica contínua
Selecção do lado de procura para os sensores posteriores; todavia, é
cha, 1 m para estacionamentos per-
Para efetuar a escolha do lado de pro- pendiculares ao sentido de marcha, sempre recomendável manter o con-
cura e executar a manobra, actuar do relativamente às dimensões do veículo. trolo visual da área circundante.
seguinte modo: Durante a manobra, será possível parar
Optar por efectuar a procura do Durante a fase de procura, a veloci-
o veículo e, sempre ficando parados,
espaço e a manobra pelo lado do dade do veículo deve ser inferior a
desengatar temporariamente a marcha
passageiro com o indicador de aprox. 30 km/h: caso se atinja a veloci-
(por ex. para permitir a um peão atra-
direcção de posição central dade de aprox. 25 km/h, o sistema avi-
vessar a área envolvida pela manobra).
(desactivado) ou com o indicador de sará para diminuir a velocidade; se se
ultrapassar a velocidade de aprox. A manobra de estacionamento será
direcção deslocado para cima:
30 km/h, o sistema será desactivado interrompida nos seguintes casos:
Optar por efectuar a procura do
(neste caso, para reactivar o sistema, se a velocidade do veículo for
espaço e a manobra pelo lado do
premir o botão fig 112 ). superior a 7 km/h;
condutor deslocando o indicador de
se efectuar uma acção (voluntária ou
direcção para baixo: Manobra involuntária) na direcção (agarrando-a
Durante a fase de manobra, é possível ou impedindo o seu movimento);
controlar os movimentos do veículo as asperezas do terreno, ou
actuando nos pedais do acelerador, do obstáculos nas rodas, influenciam o

136
movimento do veículo, não permitindo prestar a máxima atenção para não A utilização de pneus (um ou mais)
ao mesmo executar a trajectória riscar ou danificar os sensores: evitar a ou de jantes com dimensões diferentes
correcta. utilização de panos secos, ásperos ou das presentes no acto da aquisição do
duros. Os sensores devem ser lavados veículo, poderá comprometer o
A fase de manobra desactiva-se se,
com água limpa, eventualmente com a funcionamento do sistema.
após cerca de 3 minutos, a manobra
adição de champô para automóveis. No caso de presença de atrelado
de estacionamento não tiver sido con-
Nas estações de lavagem que utilizam (cuja cavilha esteja correctamente
cluída.
máquinas com jacto de vapor ou de inserida), o sistema será
Conclusão da manobra alta pressão, limpar rapidamente os automaticamente desactivado.
A manobra semi-automática termina sensores mantendo o bico a mais de Caso esteja activada a modalidade
quando, no display, for visualizada a 10 cm de distância. de “Procura em curso”, o sistema
mensagem de manobra terminada. No As fontes sonoras de ultra-sons (por poderá erradamente identificar um
final da manobra, o sistema devolve o ex. travões pneumáticos de autocarros espaço de estacionamento útil para
controlo ao condutor que, se necessá- ou martelos pneumáticos) existentes executar a manobra (por ex. em
rio, deverá concluir o engate manual- nas proximidades podem degradar o correspondência com um cruzamento,
mente. desempenho dos sensores. passagem para veículos, ruas
Os sensores podem detectar um transversais ao sentido de marcha,
AVISOS GERAIS
No caso de os sensores sofrerem objecto não existente (interferência de etc…).
choques que comprometam a sua eco), provocado por interferências de No caso de manobras de
posição, a funcionalidade do sistema caracter mecânico, por exemplo, estacionamento em estradas com
poderá ficar fortemente degradada. lavagem do veículo, chuva, condições pendências, o sistema poderá ter
O sistema atinge as prestações extremas de vento, granizo. prestações degradadas e
ideais depois do veículo ter acumulado Os sensores poderão não detetar desactivar-se.
pelo menos 50 km ("auto-calibragem" objetos de forma ou materiais Caso seja efectuada uma manobra
do sistema). particulares (postes muito subtis, de estacionamento entre dois veículos
Se os sensores estiverem sujos, timões de reboques, chapas, redes, estacionados num passeio, o sistema
cobertos de neve, gelo, lama ou silvedos, dissuasores de poderá fazer subir o veículo no passeio.
pintados com tinta que não a original, a estacionamento, passeios, caixotes do Algumas manobras efectuadas em
funcionalidade do sistema poderá ficar lixo, motorizadas…). Prestar sempre a correspondência de curvas muito
fortemente degradada. Para o correcto máxima atenção verificando que o apertadas poderão não ser efectuadas.
funcionamento do sistema, é veículo e a sua trajetória sejam Prestar muita atenção para que
indispensável que os sensores estejam efetivamente compatíveis com a área durante a manobra de estacionamento,
sempre limpos. Durante a limpeza, de estacionamento identificada pelo as condições não mudem (por ex.
sistema. presença de pessoas e/ou animais na

137
área de estacionamento, veículos em

ARRANQUE E CONDUÇÃO
48) Para a pintura dos para-choques ou
movimento, etc.): am caso de AVISO para eventuais retoques de pintura na zona
necessidade, intervir imediatamente. dos sensores, dirigir-se apenas à Rede de
Durante as manobras de Assistência Jeep. Aplicações incorretas de
estacionamento, prestar atenção aos 129) A responsabilidade pelo tinta poderão, de facto, comprometer o
estacionamento e por outras manobras funcionamento dos sensores de
veículos que seguem no sentido estacionamento.
perigosas é sempre do condutor. Ao
contrário ao de marcha. Respeitar efetuar estas manobras, o condutor deve
sempre as normas do Código da certificar-se sempre de que no espaço de
estrada. manobra não estejam presentes pessoas
(especialmente crianças) nem animais. Os
O funcionamento correcto do sistema sensores de estacionamento constituem
não é garantido se estiverem montadas uma ajuda para o condutor, embora este
nunca deva reduzir a sua atenção durante
as correntes de neve ou a roda sobres-
manobras potencialmente perigosas,
selente. mesmo se executadas a baixa velocidade.
130) As manobras de procura de espaço
A funcionalidade considera válido, de estacionamento e de execução da
comunicando-o ao condutor, apenas o manobra de estacionamento deverão ser
último espaço de estacionamento (pa- efetuadas sempre respeitando as normas
ralelo ou perpendicular) que foi detec- vigentes do Código da Estrada.
131) Caso pretenda bloquear o volante
tado pelos sensores de estaciona- com as mãos durante uma manobra,
mento. aconselha-se agarrá-lo firmemente na
coroa externa. Não tentar posicionar as
Algumas mensagens visualizadas pelo mãos no interior ou agarrar os raios do
display são acompanhadas das res- volante.
pectivas sinalizações acústicas.

ATENÇÃO

47) O funcionamento do sistema baseia-se


em componentes diferentes: sensores de
estacionamento dianteiros e traseiros,
sensores laterais, direção, rodas, sistema
de travagem e quadro de instrumentos.
Uma avaria num destes componentes
poderá comprometer o funcionamento do
sistema.

138
SISTEMA SIDE AVISOS GERAIS
DISTANCE WARNING Existem algumas condições que po-
(onde presente) dem influenciar as prestações do sis-
tema Side Distance Warning:
uma sensibilidade reduzida do
49) 50)
sensor e diminuição das prestações do
O sistema Side Distance Warning tem a sistema de auxílio ao estacionamento
função de detectar a presença de poderão dever-se à presença na
eventuais obstáculos laterais que se superfície do sensor de: gelo, neve,
encontram próximo do veículo, através lama, pintura múltipla;
dos sensores de estacionamento situa- 115 J0A0699C
o sensor detecta um objecto não
dos no pára-choques anterior (fig 114 ) existente ("interferência de eco")
e no pára-choques posterior (fig 115 ). ATIVAÇÃO/DESATIVAÇÃO provocado por interferências de
O sistema só é capaz de funcionar de- carácter mecânico, por exemplo:
pois de ter percorrido um breve espaço lavagem do veículo, chuva (condições
e caso a velocidade do veículo esteja extremas de vento), granizo;
compreendida entre 0 e 18 km/h (0 e as sinalizações enviadas pelo sensor
11 mph). podem ser igualmente alteradas pela
O sistema activa-se/desactiva-se actu- presença nas proximidades de
ando no menu "Definições" do sistema sistemas de ultra-sons (por ex. travões
Uconnect™ (para mais informações, pneumáticos de veículos pesados ou
consultar as indicações fornecidas no martelos pneumáticos);
respectivo suplemento). as prestações do sistema de auxílio
114 J0A0164C ao estacionamento podem ser
FUNCIONAMENTO COM igualmente influenciadas pela posição
ATRELADO
O sistema avisa o condutor através de dos sensores, por exemplo, variando
uma sinalização acústica e, onde pre- O sistema é automaticamente
os alinhamentos (devido ao desgaste
visto, através de sinalizações visuais no desactivado no acto da introdução da
dos amortecedores, suspensões) ou
display do quadro de instrumentos. ficha do cabo eléctrico do atrelado
substituição dos pneus, excesso de
na tomada do gancho de reboque do
carga ou modificações com o objectivo
veículo. Os sensores posteriores
de rebaixar o veículo;
reactivam-se automaticamente
retirando a cavilha do cabo do atrelado.

139
SISTEMA
ARRANQUE E CONDUÇÃO
a presença do gancho de reboque
na ausência de reboque, que poderia ATENÇÃO LANESENSE (aviso
interferir com o correcto funcionamento de saída da faixa
dos sensores de estacionamento. de rodagem)
49) Para permitir o funcionamento correto
Antes de utilizar o sistema ParkSense, do sistema, é indispensável que os
é aconselhável desmontar do veículo o sensores estejam sempre limpos de lama,
conjunto de esfera do gancho extraível DESCRIÇÃO
sujidade, neve ou gelo. Durante a limpeza
e o respectivo engate quando o veículo dos sensores, prestar a máxima atenção 51) 52) 53) 54) 55) 56)

não é utilizado para operações de para não riscar ou danificar os sensores;


evitar a utilização de panos secos, ásperos O sistema LaneSense utiliza uma câ-
reboque. A inobservância desta ou duros. Os sensores devem ser lavados mara situada no pára-brisas para de-
prescrição pode provocar lesões com água limpa, eventualmente com a tectar os limites da faixa de rodagem e
pessoais ou danos em veículos ou adição de champô para automóveis. Nas avaliar a posição do veículo relativa-
obstáculos já que, quando é emitido o estações de lavagem que utilizam
mente a tais limites, a fim de garantir a
máquinas com jato de vapor ou de água a
sinal sonoro contínuo, a esfera do alta pressão, limpar rapidamente os manutenção do próprio veículo no inte-
gancho de reboque encontra-se já sensores mantendo o bocal a mais de 10 rior da faixa de rodagem.
numa posição muito mais aproximada cm de distância. Quando são detectados ambos os limi-
do obstáculo relativamente ao 50) Para a pintura dos para-choques ou
para eventuais retoques de pintura na zona tes da faixa de rodagem e o veículo
pára-choques posterior. Caso se ultrapassa um deles sem a voluntarie-
dos sensores, dirigir-se apenas à Rede de
pretenda deixar sempre montado o Assistência Jeep. Aplicações incorretas de dade do condutor (indicador de direc-
gancho de reboque sem ter um tinta poderão, de facto, comprometer o ção não activado), o sistema fornece
atrelado ligado, é aconselhável dirigir-se funcionamento dos sensores de
uma advertência táctil sob a forma de
à Rede de Assistência Jeep para estacionamento.
binário aplicado ao volante, assinalando
permitir as operações de actualização ao condutor a necessidade de intervir
do sistema ParkSense, dado que o para permanecer no interior da própria
gancho de reboque poderá ser faixa de rodagem.
detectado como um obstáculo pelos
Se o veículo continuar a ultrapassar a
sensores centrais.
linha da faixa de rodagem sem que o
a presença de adesivos nos
condutor intervenha, no quadro de ins-
sensores pode prejudicar o
trumentos será também visualizada a
funcionamento do sistema. De seguida,
luz avisadora (ou o respectivo ícone
prestar atenção para não sobrepor
gráfico no display multifunções reconfi-
qualquer adesivo nos próprios
gurável) para avisar o condutor para
sensores.

140
voltar a colocar o veículo dentro dos abandono da faixa de rodagem) não
limites da própria faixa de rodagem. está activado;
ADVERTÊNCIA O sistema monitoriza a as linhas de delimitação da faixa de
presença das mãos do condutor no rodagem estão perfeitamente visíveis
volante. Caso não seja detectada a em ambos os lados (exclusivamente
presença, fornece uma sinalização para activação da advertência táctil).
acústica e desactiva-se até à reactiva- NOTA O sistema não aplica o binário ao
ção através da pressão do botão espe- volante sempre que é activado um sis-
cífico. tema de segurança (travões, sistema
Se for detectado um único limite da ABS, sistema ASR, sistema ESC, sis-
116 J0A0052C
faixa de rodagem e o veículo a ultra- tema Forward Collision Warning Plus,
passar sem a voluntariedade do condu- etc.).
Condições de activação
tor (indicador de direcção não acti-
Após ter sido activado, o sistema
vado), no quadro de instrumentos será
torna-se activo exclusivamente ao
visualizada a luz avisadora (ou o ATENÇÃO
verificarem-se as seguintes condições:
ícone no display multifunções reconfi-
o condutor mantém pelo menos uma
gurável) para avisar o condutor para
mão no volante; 51) A câmara pode ter funcionalidade
voltar a colocar o veículo dentro dos limitada ou ausente devido às condições
a velocidade do veículo está
limites da própria faixa de rodagem. atmosféricas, tais como chuva forte,
compreendida entre 60 km/h e granizo, presença de nevoeiro cerrado,
Neste caso, a advertência táctil (binário
180 km/h (ou valores equivalentes em neve abundante, formação de camadas de
no volante) não é fornecida.
milhas); gelo no para-brisas.
ACTIVAÇÃO/ as linhas de delimitação da faixa de
DESACTIVAÇÃO DO rodagem são perfeitamente visíveis em
SISTEMA ambos os lados;
Aquando do arranque do motor, o sis- as condições de visibilidade são
tema é activado (LED no botão adequadas;
fig 116 apagado). A cada arranque a estrada é rectilínea ou apresenta
do motor, o sistema mantém o estado curvas de amplo raio;
de activação presente na anterior se mantém uma distância de
desactivação. segurança adequada do veículo que
está à frente;
o indicador de direcção (de

141
CÂMARA
ARRANQUE E CONDUÇÃO
52) O funcionamento da câmara pode 56) Não cobrir o campo de ação da
também ficar comprometido pela presença câmara com adesivos ou outros objetos. POSTERIOR
de pó, condensação, sujidade ou gelo no Prestar atenção também a objetos (PARKVIEW® REAR
para-brisas, pelas condições do trânsito presentes no capot do veículo (por ex., BACKUP CAMERA)
(por ex., veículos em andamento não camada de neve) e certificar-se de que não
alinhados com o próprio veículo, veículos interferem com a câmara
em andamento no sentido transversal ou
em direção oposta na mesma faixa, curva
DESCRIÇÃO
com raio de curvatura pequeno), pelas 132) 57)
condições do piso da estrada e pelas
condições de condução (por ex., A telecâmara está situada na tampa da
condução em todo o terreno). Por isso, bagageira fig 117.
certificar-se de que se mantém o
para-brisas sempre limpo. Para evitar riscar
o para-brisas, utilizar detergentes
específicos e panos bem limpos. Além
disso, o funcionamento da câmara pode
ser limitado ou ausente em algumas
condições de condução, tráfego e piso da
estrada.
53) Cargas salientes posicionadas no
tejadilho do veículo podem interferir com o
correto funcionamento da câmara. Por
isso, antes de arrancar, certificar-se de que
a carga está bem arrumada, para não
tapar o campo de ação da câmara. 117 J0A0102C

54) Se, a seguir a riscos, mossas, rutura do


para-brisas, for necessário efetuar a Sempre que se engata a marcha-atrás,
substituição do mesmo, dirigir-se no display fig 118 do sistema
exclusivamente à Rede de Assistência
Uconnect™ é visualizada a área
Jeep. Não efetuar a substituição do
para-brisas autonomamente, perigo de circundante ao veículo, tal como
avaria! De qualquer forma, é recomendável captada pela câmara posterior.
efetuar a substituição do para-brisas caso
este esteja danificado na zona da câmara.
55) Não alterar nem efetuar qualquer
intervenção na câmara. Não obstruir as
aberturas presentes na cobertura estética
localizada no espelho retrovisor interno. Em
caso de avaria da câmara, é necessário
dirigir-se à Rede de Assistência Jeep.

142
as manobras de estacionamento ou o
alinhamento com o gancho de rebo- AVISO
que.
As diferentes zonas coloridas indicam a
132) A responsabilidade pelo
distância da parte posterior do veículo.
estacionamento e por outras manobras
potencialmente perigosas, é sempre do
condutor. Ao efetuar estas manobras, o
Zona (referên- Distância da parte
condutor deve certificar-se sempre de que
cia fig 118 posterior do veí- no espaço de manobra não estejam
) culo presentes pessoas (especialmente
crianças) nem animais. A câmara constitui
Vermelho (A) 0 ÷ 30 cm
uma ajuda para o condutor, embora este
Amarelo (B) 30 cm ÷ 1 m nunca deva reduzir a sua atenção durante
as manobras potencialmente perigosas,
Verde (C) 1 m ou superior mesmo se executadas a baixa velocidade.
Além disso, prosseguir sempre a uma
Durante as manobras de estaciona- velocidade moderada, de modo a poder
mento, prestar sempre a máxima aten- travar atempadamente no caso de deteção
ção aos obstáculos que se possam de um obstáculo.
encontrar por cima ou por baixo do
campo de acção da câmara. ATENÇÃO

118 J0A0103C
57) Para o funcionamento correto, é
indispensável que a câmara esteja sempre
VISUALIZAÇÕES E limpa de lama, sujidade, neve ou gelo.
MENSAGENS NO Durante a limpeza da câmara, prestar a
DISPLAY máxima atenção para não a riscar nem
A grelha com linhas activas é posicio- danificar; evitar a utilização de panos
secos, ásperos ou duros. A câmara deve
nada na imagem para ilustrar a largura ser lavada com água limpa, eventualmente
do veículo e o percurso em marcha- juntando champô para automóvel. Nas
-atrás previsto com base na posição do estações de lavagem que utilizam
volante. máquinas com jacto de vapor ou de alta
pressão, limpar rapidamente a câmara
Uma linha central tracejada sobreposta mantendo o bico a mais de 10 cm de
indica o centro do veículo para facilitar distância. Além disso, não colocar adesivos
na câmara.

143
REBOQUE DE não deve ser utilizado, uma vez que

ARRANQUE E CONDUÇÃO
ATRELADOS pode provocar acidentes. Contactar a
Rede de Assistência Jeep.
A barra de reboque de cabeça esférica
PRÉ-INSTALAÇÃO DO pode ser montada/desmontada
GANCHO DE REBOQUE
manualmente sem que seja necessário
133) 134)
utilizar ferramentas específicas.
Instruções para a utilização da Nunca utilizar maços ou outras ferra-
barra de reboque de cabeça esfé- mentas de trabalho: neste caso, o me-
rica amovível
canismo pode ficar danificado.
ADVERTÊNCIA Antes de iniciar a via-
gem, deve verificar-se correcto blo- Nunca desbloquear em caso de atre-
queio da barra de reboque de cabeça lado ligado ao veículo ou na presença
esférica amovível, segundo as seguin- de porta-cargas.
tes condições:
No caso de marcha sem atrelado (ou
A marcação verde do manípulo
sem porta-cargas), a barra de reboque
coincide com a marcação verde na
de cabeça esférica deve ser removida e
barra de reboque;
o tampão de fecho deve ser sempre
o manípulo encontra-se na posição
inserido no tubo de alojamento. Isto é
de fim de curso na barra de reboque
válido, em particular se, devido à barra,
(sem fissura);
for reduzida a visibilidade da matrícula
fechadura bloqueada e chave
ou do sistema de iluminação.
extraída. O manípulo não pode ser
executado;
barra de cabeça esférica firmemente
fixada no tubo de alojamento. Controlar
sacudindo com a mão.
Se, após o controlo, não tiverem sido
satisfeitos os requisitos acima indica-
dos, o procedimento de montagem
deve ser repetido.
Se mesmo apenas um dos requisitos
não for satisfeito, o gancho de reboque

144
BARRA DE REBOQUE DE CABEÇA ESFÉRICA AMOVÍVEL

119 J0A0423C

145
Legenda exterior, como indicado pelas setas; em

ARRANQUE E CONDUÇÃO 1 – Tubo de alojamento seguida deslocá-los para cima.


2 – Barra de reboque de cabeça esfé-
rica
3 – Esferas de bloqueio
4 – Esferas de engate
5 – Alavanca de desbloqueio
6 – Manípulo
7 – Tampão
121 J0A0627C
8 – Chave
9 – Marcação vermelha (manípulo) Desmontagem da moldura: deslocar
10 – Marcação verde (manípulo) para baixo os dispositivos A fig 122 e
11 – Marcação verde (barra de rebo- depois rodá-los de 90º para o interior,
que) como indicado pelas setas.
12 – Símbolo (desbloqueio do co-
mando)
13 – Tampão de fecho
14 – Pino de engate
15 – Ausência de fissuras entre 2 e 6
16 – Fissura de cerca 5 mm
A: posição bloqueada (mudança) 120 J0A0628C

B: posição desbloqueada (removida)


Rodar a moldura para a desengatar (1 –
Moldura do gancho de reboque fig 121 ) e deslocá-la para baixo (2)
Antes de proceder com a montagem para a remover.
da barra de reboque de cabeça esfé-
rica é necessário remover a moldura do
gancho de reboque situada no pára-
-choques posterior.
Desmontagem da moldura: rodar de
90° os dispositivos A fig 120 para o

146
vermelha no manípulo está virado para em posição de pré-carga mesmo
1 a marcação verde na barra de reboque. quando se solta o manípulo.
A barra de reboque só pode ser Para a montagem da barra de reboque,
montada quando se encontra nestas esta deve ser inserida no tubo de aloja-
condições. mento com o pino de engate. Inserir
Caso o mecanismo de bloqueio da por baixo e empurrar para cima: o me-
barra de reboque seja desligado antes canismo é bloqueado automatica-
da montagem, ou em qualquer outro mente.
2 momento, e estiver na posição bloque- Trancar a fechadura e extrair sempre a
ada, este mecanismo deve ser pré- chave. A chave não pode ser extraída
-carregado. quando a fechadura está desbloque-
A posição bloqueada pode ser identifi- ada. De seguida, montar o tampão de
cada pelo facto de a marcação verde protecção na fechadura.
do manípulo coincidir com a marcação
3 Para evitar lesões nos membros, du-
verde da barra de reboque e que o ma-
rante o procedimento de bloqueio,
nípulo está na posição de fim de curso
manter as mãos afastadas do maní-
na barra de reboque, ou seja, sem fis-
pulo.
sura (ver figura).
O mecanismo de bloqueio é pré- Desmontagem da barra de reboque
-carregado procedendo do seguinte Proceder do seguinte modo:
122 J0A0631C modo: retirar o tampão de protecção da
com a chave inserida e a fechadura fechadura e premi-lo no punho da
Montagem da barra de reboque de aberta, extrair o manípulo actuando na chave. Abrir a fechadura com a chave;
cabeça esférica direcção da seta A fig 119; segurar firmemente na barra de
Retirar o tampão do tubo de suporte. de seguida, actuar na direcção da reboque, extrair o manípulo actuando
Quando se extrai da bagageira, a barra seta B, até à paragem. no sentido da seta A fig 119; de
de reboque de cabeça esférica normal- A esfera de desengate é pré-carregada seguida, rodar na direcção da seta B
mente encontra-se em posição desblo- e o mecanismo de bloqueio permanece até à paragem, de modo a
queada. Isto é reconhecível pelo facto na posição e pré-carga mesmo quando desbloqueá-lo na posição extraída. De
de que o manípulo mantém uma dis- o manípulo é libertado. seguida, tirar a barra de reboque do
tância da barra de reboque, correspon- tubo de alojamento. O manípulo pode
A alavanca de desengate engrena-se e
dente a uma fissura de cerca de 5 mm ser depois libertado (parará
o mecanismo de bloqueio permanece
(ver fig 119 ) e que a marcação automaticamente na posição

147
desbloqueada); quatro algarismos e conservá-lo num ABASTECIMENTO
ARRANQUE E CONDUÇÃO
colocar a barra de reboque na local seguro. Este número deve ser utili- DO VEÍCULO
bagageira, de modo que não possa zado para eventuais encomendas de
ficar suja e/ou danificada por outros chaves duplicadas.
objetos transportados; Desligue sempre o motor antes de
Para a instalação do gancho de rebo- efectuar o abastecimento.
por fim, inserir o respectivo tampão
que, dirigir-se à Rede de Assistência
no tubo de suporte. 135) 136) 137)
Jeep.
Avisos MOTORES A GASOLINA
Aplicar a matrícula num ponto bem visí- Utilizar exclusivamente gasolina sem
vel do veículo, próximo do tubo de su- AVISO
chumbo com número de octanas
porte ou no lado interno da bagageira. (R.O.N.) não inferior a 95 (Especificação
Para assegurar um funcionamento cor- 133) O sistema ABS com que o veículo EN228).
recto do sistema, é necessário eliminar pode ser equipado não controla o sistema
de travagem do reboque. É necessário, MOTORES DIESEL
periodicamente todos os depósitos de portanto, ter um cuidado especial nos
sujidade eventualmente acumulados na pisos escorregadios. 58)

barra com cabeça esférica e do tubo 134) Nunca modificar o sistema de Utilizar exclusivamente gasóleo para
de suporte. A fechadura só deve ser travagem do veículo para comandar o auto-tração (Especificação EN590).
travão do reboque. O sistema de travagem
tratada com grafite. No caso de utilização/estacionamento
do reboque deve ser completamente
Lubrificar periodicamente as articula- independente do sistema hidráulico do prolongado do veículo em zonas
ções, a superfícies de escorrimento e veículo. montanhosas/frias, é recomendável
as esferas com massa sem resina ou efectuar o abastecimento com o gasó-
com óleo. A lubrificação serve também leo disponível no local. Além disso, nes-
como protecção adicional anti- tes casos, sugere-se manter no interior
-corrosão. do depósito uma quantidade de com-
Em caso de lavagem do veículo com bustível superior a 50% da capacidade
jacto de vapor, é necessário desmontar útil.
a barra com cabeça esférica e inserir o
respectivo tampão. A barra de cabeça
esférica nunca deve ser tratada com
jacto de vapor.
Juntamente com a barra de reboque
com esfera amovível são fornecidas 2
chaves. Anotar o número chave de

148
PROCEDIMENTO DE Abertura de emergência da tampa
ABASTECIMENTO do combustível
A tampa do combustível Proceda do seguinte modo:
desbloqueia-se quando o fecho centra- atuando a partir do interior da
lizado das portas é desligado e bagageira, rode para a esquerda o
bloqueia-se automaticamente ligando o gancho A fig 124 e, depois, retire-o
fecho centralizado. puxando-o para o interior da bagageira;
Abertura da tampa
Para efetuar o abastecimento, proceda
da seguinte forma:
abra a tampa A fig 123, no ponto
indicado pela seta;
insira a agulheta no bocal e proceda
ao abastecimento;

124 J0A0880C

123 J0A0182C puxe o cordão para desbloquear a


fechadura da tampa do combustível;
de seguida, extraia a agulheta do abra a tampa do combustível
bocal e feche a tampa A. premindo-a (consulte as indicações
O procedimento de abastecimento an- acima);
teriormente descrito está ilustrado na reposicione corretamente o cordão e
etiqueta B fig 123 localizada no interior o gancho no lugar.
da tampa do combustível. Na etiqueta Abastecimento de emergência
está também indicado o tipo de Proceda do seguinte modo:
combustível (UNLEADED abra a bagageira e pegue no
FUEL=gasolina, DIESEL=gasóleo). respetivo adaptador A fig 125, situado
no compartimento porta-ferramentas
ou, dependendo das versões, no

149
compartimento do TireKit;

ARRANQUE E CONDUÇÃO
137) Não utilizar o telemóvel próximo da
bomba de abastecimento de combustível:
possível risco de incêndio.

ATENÇÃO

58) Nos veículos Diesel, utilize apenas


gasóleo para automóveis, em
conformidade com a norma europeia
EN590. O uso de outros produtos ou
misturas pode danificar de modo
125 J0A0200C irremediável o motor com a consequente
perda de validade da garantia pelos danos
causados. Em caso de abastecimento
abra a tampa A fig 123, seguindo o acidental com outros tipos de combustível,
procedimento anteriormente descrito; não ligue o motor e proceda ao
insira o adaptador no bocal; esvaziamento do depósito. Se, pelo
terminado o abastecimento, remova contrário, o motor tiver funcionado mesmo
o adaptador e volte a fechar a tampa; por um período brevíssimo, é indispensável
esvaziar, para além do depósito, todo o
reponha, finalmente, o adaptador na circuito de alimentação.
bagageira.

AVISO

135) Não colocar na extremidade do bocal


nenhum objeto/tampão relativamente ao
previsto no veículo. A utilização de
objetos/tampões não conformes poderia
provocar aumentos de pressão no interior
do depósito, criando condições de perigo.
136) Não se aproxime do bocal do
depósito com chamas ou cigarros acesos:
perigo de incêndio. Evitar também
aproximar demasiado o rosto do bocal
para não inalar vapores nocivos.

150
EM EMERGÊNCIA

Um pneu furado ou uma lâmpada fun- LUZES DE EMERGÊNCIA. . . . . . .152


dida? SUBSTITUIÇÃO DE UMA LÂM-
PADA. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .152
Pode acontecer que alguns inconve-
SUBSTITUIÇÃO DOS FUSÍVEIS . . .160
nientes perturbem a nossa viagem.
SUBSTITUIÇÃO DE UMA RODA . .167
As páginas dedicadas à emergência TIREKIT . . . . . . . . . . . . . . . . . .172
podem ser de ajuda para enfrentar au- ARRANQUE DE EMERGÊNCIA . . .174
tonomamente e tranquilamente as situ- SISTEMA DE BLOQUEIO DO
ações críticas. COMBUSTÍVEL . . . . . . . . . . . .. .175
Em situações de emergência, é acon- DESBLOQUEIO DA ALAVANCA DA
selhável ligar para o número verde indi- CAIXA AUTOMÁTICA. . . . . . . . . .176
cado no Livro de Garantia. DESBLOQUEIO DA CAIXA DE VELOCI-
DADES AUTOMÁTICA DE DUPLA
É também possível ligar para o número EMBRAIAGEM . . . . . . . . . . . . . . .178
verde universal, nacional ou internacio- REBOQUE DO VEÍCULO . . . . . . .179
nal para procurar a Rede de Assistência REBOQUE DO VEÍCULO
mais próxima. EMPANADO . . . . . . . . . . . . . . .181

151
LUZES DE Travagem de emergência SUBSTITUIÇÃO DE
EM EMERGÊNCIA
EMERGÊNCIA Em caso de travagem de emergência, UMA LÂMPADA
acendem-se automaticamente as luzes
COMANDO de emergência e no quadro de instru-
Premir o botão fig 126 para mentos acendem-se as luzes avisado- 138) 139) 140) 59)

ligar/desligar as luzes. ras e .


INDICAÇÕES GERAIS
Com as luzes de emergências ligadas, As luzes desligam-se automaticamente Antes de substituir uma lâmpada
obtém-se a intermitência das luzes avi- no momento em que a travagem não verifique que os respectivos contactos
sadoras e . tem mais carácter de emergência. não estejam oxidados;
substituir as lâmpadas queimadas
por outras do mesmo tipo e potência;
depois de substituir uma lâmpada
dos faróis, verificar sempre a sua
correcta orientação;
quando uma lâmpada não funciona,
antes de substituí-la, certificar-se de
que o fusível correspondente está
íntegro: para a localização dos fusíveis,
consultar o parágrafo “Substituição dos
126 J0A0050C fusíveis” neste capítulo.

O uso das luzes de emergência é regu-


lamentado pelo código da estrada do
país onde se circula: observar as pres-
crições.

152
Quando o clima é frio ou húmido ou
após chuva forte ou lavagem, a superfí-
cie dos faróis ou das luzes traseiras
pode embaciar e/ou formar gotas de
condensação no lado interior. Trata-se
de um fenómeno natural devido à dife-
rença de temperatura e de humidade
entre o interior e o exterior do vidro
que, no entanto, não indica uma ano-
malia e não compromete o normal fun-
cionamento dos dispositivos de ilumi-
nação. O embaciamento desaparece
rapidamente acendendo os faróis, a
partir do centro do difusor,
estendendo-se progressivamente para
as bordas.

153
EM EMERGÊNCIA
Lâmpadas Tipo Potência
Luz de presença dianteira/Luzes diurnas (DRL) P21/5W 21/5W
Luz de presença traseira/Travagem P21W 21W
Máximos/Médios (halogéneo) H4 60/55W
Máximos/Médios (com descarga de gás Xénon) D5S 25W
Indicadores de direção dianteiros PY21W 21W
Indicadores de direção traseiros W16W 16W
Indicadores de direção laterais (dianteiros e no espelho retrovisor externo) WY5W 5W
3°stop LED –
De matrícula W5W 5W
Faróis de nevoeiro H11 55W
Farol de nevoeiro traseiro W16W 16W
Marcha-atrás W16W 16W
Plafonier dianteiro C5W 5W
Plafoniers dianteiros (palas guarda-sol) C5W 5W
Plafonier traseiro (versões sem teto de abrir) C5W 5W
Plafoniers traseiros (versões com teto de abrir) C5W 5W
Plafoniers da bagageira W5W 5W
Plafonier da gaveta porta-objetos W5W 4W

154
SUBSTITUIÇÃO DE UMA corretamente bloqueado.
LÂMPADA EXTERNA
Efetue a operação de substituição da
Grupo ótico dianteiro superior (lu-
lâmpada apenas com o motor desli-
zes de máximos/médios de halogé-
neo) gado. Certifique-se ainda de que o pró-
prio motor está frio, para evitar o perigo
Para substituir a lâmpada, proceda do
de queimaduras.
seguinte modo:
operando pelo interior do vão do Grupo ótico dianteiro superior (lu-
motor, remova a tampa A zes de máximos/médios com des-
fig 127 atuando na respetiva lingueta; carga de gás Xénon)
128 J0A0261C Para a substituição destas luzes,
dirija-se à Rede de Assistência Jeep.
remova, tirando-o para fora, o grupo
da lâmpada e do casquilho C Grupo ótico dianteiro inferior
fig 129 desligando-o do conetor D; Luzes de presença/luzes diurnas
(D.R.L.) e indicadores de direção dian-
teiros
Para substituir as lâmpadas, proceda
do seguinte modo:
vire completamente as rodas;
utilizando a chave de fendas,
127 J0A0260C
desaperte os parafusos A fig 130 e
remova a tampa B;
rode para a esquerda o grupo da
lâmpada e o casquilho B fig 128 e,
depois, tire-o para fora;
129 J0A0414C

instale o novo grupo da lâmpada e


do casquilho, certificando-se de que
está corretamente bloqueado;
de seguida, insira o grupo da
lâmpada e do casquilho no interior da
sede da respetiva sede e rode-o para a
direita, certificando-se de que está 130 J0A0211C

155
remova os conetores elétricos C extrair a lâmpada, prima-a Luzes de nevoeiro

EM EMERGÊNCIA
fig 131; delicadamente (1 fig 133 ) e, Para substituir as lâmpadas, proceda
simultaneamente, rode-a para a do seguinte modo:
esquerda (2); vire completamente as rodas;
utilizando a chave de fendas
desaperte os parafusos A fig 134 e
remova a tampa B;

131 J0A0306C

rode para a esquerda (no dispositivo 133 J0A0264C

esquerdo) ou para a direita (no


dispositivo direito) e remova os grupos insira a nova lâmpada, premindo-a
da lâmpada e do casquilho fig 132: D = fig 133 e rodando-a para a direita, 134 J0A0211C

luzes de presença/luzes diurnas certificando-se de que está


(D.R.L.), E = indicadores de direção; corretamente bloqueada; atuando na lingueta C
insira, depois, os grupos da lâmpada fig 135 remova o conetor elétrico D;
e do casquilho no nos respetivos
lugares e rode-os para a esquerda (lado
direito) e para a direita (lado esquerdo),
certificando-se de que estão
corretamente bloqueados;
ligue novamente os conetores
elétricos;
monte novamente a tampa B fig 130,
apertando bem os parafusos de fixação
132 J0A0263C A.
135 J0A0301C

substitua a lâmpada fundida: para


rode para a esquerda o grupo da
156
lâmpada e do casquilho E fig 135 e,
depois, substitua a lâmpada;
insira o novo grupo da lâmpada e do
casquilho, certificando-se de que está
corretamente bloqueado;
ligue novamente o conetor elétrico;
monte novamente a tampa B fig 134,
apertando bem os parafusos de fixação
A.
Indicadores de direção laterais 136 J0A0637C 138 J0A0316C

Indicadores de direção laterais nos


espelhos retrovisores externos desaperte o dispositivo de fixação B desaperte os quatro parafusos de
(se presentes) fig 137; fixação D fig 139 e remova o grupo do
Para a substituição das lâmpadas, desligue o conetor elétrico atuando casquilho;
dirija-se à Rede de Assistência Jeep. no dispositivo C;

Grupo ótico traseiro superior


Contém as lâmpadas das luzes de pre-
sença, das luzes stop e dos indicado-
res de direção.
Para substituir as lâmpadas, proceda
do seguinte modo:
abra a porta da bagageira;
atuando no ponto indicado pela seta,
remova a tampa A fig 136; 139 J0A0268C

137 J0A0296C

substitua a lâmpada em questão


remova o grupo ótico traseiro, (fig 140: E/G = luzes stop, F =
tirando-o para fora conforme indicado indicadores de direção) (as lâmpadas E
na fig 138; e G acendem-se sempre em
simultâneo);
insira a nova lâmpada,
certificando-se de que fica

157
corretamente bloqueada;

EM EMERGÊNCIA
Grupo ótico traseiro inferior
Contém as lâmpadas das luzes de ne-
voeiro traseiras (lado esquerdo) e
marcha-atrás (lado direito).
Para substituir as lâmpadas, proceda
do seguinte modo:
utilizando a chave de fendas
desaperte os parafusos A e B fig 141 e
remova a tampa C;
o parafuso superior A é de fácil
acesso, ao passo que, para desapertar
140 J0A0270C
o parafuso inferior B, é preciso inclinar
de maneira adequada a lâmina da
volte a montar corretamente o grupo chave de fendas, conforme sugerido na
do casquilho no grupo ótico traseiro, fig 142;
apertando bem os quatro parafusos de
fixação;
reposicione o grupo ótico traseiro na
viatura;
aperte bem o dispositivo de fixação
do grupo ótico traseiro e ligue 142 J0A0213C
novamente o conetor elétrico;
monte novamente a tampa A fig 136, rode para a esquerda o casquilho D
certificando-se de que está fig 143 e substitua a lâmpada em
corretamente bloqueada; questão;
feche, finalmente, a porta da
141 J0A0212C
bagageira.

158
AVISO

138) Antes de proceder à substituição da


lâmpada, aguardar que as condutas de
escape arrefeçam: PERIGO DE
QUEIMADURAS!
139) Modificações ou reparações do
sistema elétrico executadas de modo
incorreto e sem ter em conta as
143 J0A0302C
características técnicas do sistema, podem
causar anomalias de funcionamento com
riscos de incêndio.
insira a nova lâmpada, 140) As lâmpadas de halogéneo contêm
certificando-se de que fica gás em pressão, em caso de rotura é
corretamente bloqueada; possível a projeção de fragmentos de
monte novamente o casquilho no vidro.
lugar e rode-o para a direita,
certificando-se de que fica ATENÇÃO
corretamente bloqueado;
volte a montar corretamente a tampa
59) As lâmpadas de halogéneo devem ser
C, apertando bem os parafusos.
manuseadas tocando exclusivamente na
144 J0A0444C
Luzes 3 ° stop parte metálica. Se o bolbo transparente
entrar em contacto com os dedos, isto
As luzes do 3 ° stop são de LEDs. Para insira as novas lâmpadas, reduz a intensidade da luz emitida e pode
a sua substituição, dirija-se à Rede de certificando-se de que ficam também prejudicar a duração da lâmpada.
Assistência Jeep. corretamente bloqueadas nos Em caso de contacto acidental, esfregar a
lâmpada com um pano com álcool e deixar
Luzes da matrícula casquilhos;
secar.
volte a montar os transparentes.
Para substituir as lâmpadas, proceda
do seguinte modo:
remova os transparentes A fig 144;
rode o casquilho para a direita e
extraia as lâmpadas;

159
SUBSTITUIÇÃO DOS
EM EMERGÊNCIA
FUSÍVEIS

GENERALIDADES
141) 142) 143) 144) 145)

60) 61)

Pinça de extracção dos fusíveis


Para substituir um fusível, utilizar a
pinça engatada na tampa da centralina
dos fusíveis do vão do motor (consultar
fig 145 ).

146 J0A0331C 147 J0A0686C

A pinça possui duas extremidades dife- ACESSO AOS FUSÍVEIS


145 J0A0250C
rentes e devidamente estudadas (con- Os fusíveis estão agrupados em quatro
sultar fig 147 ) para a remoção dos centralinas localizadas no vão do mo-
Segurar na pinça pelas aletas superio- diversos tipos de fusíveis presentes no tor, por baixo do quadro de instrumen-
res, como indicado em fig 146, veículo: tos e no interior da bagageira.
pressioná-las e, de seguida, retirar a A: MINI fuse;
pinça para cima. B: J-CASE fuse. CENTRALINA DO VÃO DO
MOTOR
A centralina está situada ao lado da
bateria fig 148.

160
aliviar lentamente o parafuso; parafusos fornecida;
a abertura efectiva é assinalada pela rodar lentamente o parafuso no
saída de toda a cabeça do parafuso da sentido dos ponteiros do relógio até
respectiva sede; encontrar resistência (não forçar para
remover a tampa B fig 149, além do limite);
fazendo-a deslizar completamente para aliviar lentamente o parafuso;
cima, como indicado na figura. o fecho efectivo é assinalado pela
fixação, na respectiva sede, de toda a
cabeça do parafuso.

149 J0A0116C

A numeração que identifica o compo-


148 J0A0117C
nente eléctrico correspondente a cada
fusível é visível na tampa. Depois de ter
Desbloqueio do parafuso de fixação substituído um fusível, certificar-se de
e desmontagem da tampa da cen- que se fechou correctamente a tampa
tralina dos fusíveis B.
Proceder do seguinte modo: Montagem da tampa da centralina
carregar a fundo no parafuso dos fusíveis e bloqueio do parafuso
fig 149, utilizando a respectiva chave de Proceder do seguinte modo:
parafusos fornecida; fixar correctamente a tampa B
rodar lentamente o parafuso no fig 149 à caixa, fazendo-a deslizar
sentido contrário ao dos ponteiros do completamente de cima para baixo;
relógio até encontrar resistência (não carregar a fundo no parafuso
forçar para além do limite); fig 149, utilizando a respectiva chave de

161
CENTRALINA DO PAINEL CENTRALINAS DA

EM EMERGÊNCIA
DE INSTRUMENTOS BAGAGEIRA
A centralina fig 150 está situada no Para aceder aos fusíveis atue no dispo-
lado esquerdo da coluna de direcção e sitivo A fig 151 e, depois, remova a
os fusíveis são livremente acessíveis tampa B.
pela parte inferior do tablier.
Para a substituição dos fusíveis,
dirigir-se à Rede de Assistência Jeep.

151 J0A0295C

150 J0A0114C

162
Em função dos equipamentos da viatura pode estar presente a centralina A e/ou a centralina B (consulte fig 152 ).
A: centralina porta-fusíveis n.º 1
B: centralina porta-fusíveis n.º 2

152 J0A0324C

163
CENTRALINA DO VÃO DO MOTOR

EM EMERGÊNCIA
fig 148

UTILIZADORES FUSÍVEL AMPÉRES


Avisador acústico (buzina) F10 15
Alimentação das tomadas de corrente da bagageira F18 20
Disponível F30 –
Espelhos retrovisores externos aquecidos F88 7,5
Óculo posterior térmico F89 30

164
CENTRALINA DO PAINEL DE INSTRUMENTOS
fig 150

UTILIZADORES FUSÍVEL AMPÉRES


Elevador de vidros eléctrico anterior (lado do passageiro) F33 20
Elevador de vidros eléctrico anterior (lado do condutor) F34 20
Alimentação do sistema Uconnect™
, Climatizador, Alarme, Rebatimento eléctrico dos espelhos F36 15
retrovisores externos, Sistema EOBD, Porta USB
Dispositivo Safe Lock (Desbloqueio da porta do lado do
condutor - onde presente)/Desbloqueio das portas/Fecho F38 20
centralizado/Desbloqueio eléctrico da tampa da bagageira
Bomba lava-pára-brisas/lava-óculo posterior F43 20
Elevador de vidro eléctrico posterior esquerdo F47 20
Elevador de vidro eléctrico posterior direito F48 20

165
CENTRALINAS DA BAGAGEIRA

EM EMERGÊNCIA
fig 152
NOTA A configuração da centralina da bagageira varia em função dos equipamentos presentes na viatura.

Centralina porta-fusíveis n.º 1

UTILIZADORES FUSÍVEL AMPERES


Sistema HI-FI F2 20
Teto de abrir elétrico F3 20
Regulação lombar elétrica do banco dianteiro (lado do condutor) F4 7,5
Movimentação elétrica do banco dianteiro (lado do condutor) F5 30
Movimentação elétrica dos bancos dianteiros (lado do condutor
F6 7,5
e lado do passageiro)
Regulação lombar elétrica dos bancos dianteiros (lado do
F7 30
condutor e lado do passageiro)
Aquecimento elétrico dos bancos dianteiros F8 20
Na centralina está ainda presente um fusível de 20A de proteção da cortina para-sol do teto de abrir.

Centralina porta-fusíveis n.º 2

UTILIZADORES FUSÍVEL AMPERES


Centralina de controlo da iluminação externa no reboque F1 10
Centralina de iluminação externa das luzes (lado esquerdo) F5 15
Centralina de iluminação externa das luzes (lado direito) F6 15

166
SUBSTITUIÇÃO DE bagageira fig 153.
AVISO UMA RODA

146) 147) 148) 149) 150) 151) 152) 153)


141) No caso de o fusível voltar a
interromper-se, dirigir-se à Rede de
Assistência Jeep. PROCEDIMENTO DE
142) Não substituir em caso algum um SUBSTITUIÇÃO
fusível por outro com uma amperagem Proceda do seguinte modo:
superior; PERIGO DE INCÊNDIO. pare o veículo num local que não
143) No caso de ativação de um fusível
geral de proteção (MAXI-FUSE, constitua um perigo para o trânsito e
MEGA-FUSE, MIDI-FUSE), contactar a permita substituir a roda em segurança,
Rede de Assistência Jeep. o mais longe possível da faixa de 153 J0A0338C
144) Antes de substituir um fusível, rodagem; O solo deve ser, se possível,
certificar-se de que se colocou o
plano e suficientemente compacto; Para aceder à roda sobresselente ou à
dispositivo de arranque em STOP, se
retirou a chave, se mecânica, e que se ligue as luzes de emergência e unidade de reserva de utilização tem-
desligou e/ou desengatou todos os engate o travão de estacionamento porária, proceda da seguinte forma:
acessórios. elétrico; abra a porta da bagageira, segure
145) Se um fusível geral de proteção dos engate a primeira velocidade ou a no dispositivo A fig 154 e levante para
sistemas de segurança (sistema de
airbags, sistema de travagem), sistemas marcha-atrás ou, para versões com cima o plano de carga B, apoiando-o
do motopropulsor (sistema do motor, caixa automática, coloque a alavanca com uma mão;
sistema da caixa de velocidades) ou das mudanças na posição P
sistema de direção intervier, dirigir-se à (Estacionamento);
Rede de Assistência Jeep.
desligue o motor e use o colete
refletor (para a sua segurança e no
ATENÇÃO respeito pelas normas vigentes no país
em que se encontra) antes de descer
do veículo. O motor deverá ser mantido
60) Nunca substituir um fusível avariado
por fios metálicos ou outro material de desligado enquanto a viatura estiver
recuperação. levantada do solo.
61) Se for necessário efectuar uma A roda sobresselente ou, dependendo
lavagem do vão do motor, ter cuidado para
das versões, a unidade de reserva de 154 J0A0284C
não insistir directamente com um jacto de
água na centralina dos fusíveis e nos utilização temporária, estão situadas
motores dos limpa pára-brisas. debaixo do tapete de revestimento da segure no puxador C fig 155 e

167
levante o tapete de revestimento para No interior da mala porta-ferramentas

EM EMERGÊNCIA
cima; estão fig 156: C A
A: o macaco;
B: a chave de fendas;
C: o adaptador para o
abastecimento de emergência;
D: o perno para a centragem da
roda (se presente, a utilizar na B
operação de montagem da roda D
sobresselente); E
E: porca especial antifurto (se
presente, a utilizar na operação de
155 J0A0365C montagem/desmontagem dos pinos I
roscados da roda); F
remova o dispositivo de fixação do F: um calço para bloquear as rodas;
macaco e da roda sobresselente; G: o anel de reboque; G
remova o calço de bloqueio da roda; H: a chave para a desmontagem/ H
remova o grupo do macaco e a aperto dos pinos roscados da roda e
chave para a desmontagem dos pinos para o acionamento do macaco;
roscados da roda sobresselente. Rode I: a chave Allen para o acionamento
o parafuso do macaco para desapertar de emergência do teto de abrir (se
156 J0A0226C
a chave e separe-o do conjunto do presente).
macaco; Informações importantes sobre o
extraia a roda sobresselente da macaco
bagageira. É conveniente saber que:
Mala porta-ferramentas (se pre- a massa do macaco é de 2,8 kg;
sente) o macaco não necessita de
Nas versões dotadas de roda sobres- nenhuma regulação;
selente existe ainda, no interior da ba- o macaco não pode ser reparado:
gageira (do lado direito), uma mala em caso de avaria, deve ser substituído
porta-ferramentas fixa ao tapete de re- por outro original;
vestimento da bagageira com fixadores nenhuma ferramenta, além da
próprios. manivela de acionamento, pode ser

168
montada no macaco. atenção a chave para desmontar o
Proceda, assim, do seguinte modo: tampão antes de levantar a viatura;
caso se veja obrigado a parar a antes de levantar a viatura
viatura ao longo de uma estrada desaperte, sem os remover, os pinos
inclinada, sobretudo se for muito roscados da roda com o pneu vazio
acentuada, ou num terreno instável, utilizando a chave A fig 158. Enquanto
pegue no calço de bloqueio A e abra-o a roda ainda estiver pousada no solo,
em livro, segundo o esquema ilustrado basta rodar os pinos roscados uma
na fig 157; volta para a esquerda;

159 J0A0422C

levante a viatura, até a roda se


levantar do solo alguns centímetros;
remova os pinos roscados e a roda
(para versões dotadas de tampão de
roda, retire-o depois de ter
desapertado os 4 pinos roscados que
o fixam e, finalmente, desaperte o
último pino roscado e extraia a roda);
157 J0A0157C 158 J0A0249C
remova a chave do macaco e insira
o perno para a centragem do cubo da
avise as pessoas eventualmente posicione o macaco sob o veículo,
roda (em caso de jante de liga leve)
presentes de que o veículo está para junto à roda a substituir;
para facilitar a montagem da roda
ser levantado: é necessário, portanto, insira a chave D fig 159 no hexágono
sobresselente;
afastar-se das suas proximidades e, A do macaco B e rode-a para a direita
certifique-se de que a roda
sobretudo, ter o cuidado de não lhe até inserir firmemente o suporte do
sobresselente está, nas superfícies de
tocar até o veículo ser de novo macaco na zona de elevação da
contacto com o cubo, limpa e sem
baixado. Além disso, convém que longarina sob a porta, tendo o cuidado
impurezas que possam, depois, causar
nenhum ocupante fique a bordo da de manter o suporte alinhado com o
o afrouxamento dos pinos de fixação;
viatura; entalhe indicado pelo símbolo no
monte a roda sobresselente;
se a viatura for dotada de jantes de revestimento sob a porta;
instale e aperte os pinos roscados,
liga leve, nas quais o tampão tape os sem os apertar;
pinos roscados, utilize com muita

169
se utilizado, remova o perno de em termos de aderência, ruído,

EM EMERGÊNCIA
alinhamento; resistência ao desgaste e drenagem em
acione o macaco e baixe piso molhado.
completamente a viatura; Se, a seguir a um furo, se for
retirar da bagageira a roda obrigado a montar uma roda deste tipo
sobresselente, o macaco e a chave no sentido inverso ao previsto, é
para a desmontagem dos parafusos da recomendável continuar a conduzir
roda (consultar fig 156 ); com muito cuidado, uma vez que,
se o veículo estiver equipado com nestas condições, o rendimento do
jantes em alumínio, em que o pneu é limitado. Esta precaução deve
cobre-cubo cobre os parafusos, utilizar 160 J0A0159C
ser tida em conta sobretudo com piso
com muita atenção a chave para da estrada molhado.
desprender o cobre-cubo antes de ADVERTÊNCIAS Para poder desfrutar da melhor
levantar o veículo; Se se for obrigado a intervir no forma das vantagens do piso da
apertar os parafusos, passando interior da banda de rodagem ou nas estrada unidireccional, é aconselhável
alternadamente de um parafuso para o proximidades da mesma, prestar a voltar a colocar o mais depressa
oposto, segundo a ordem numérica máxima atenção aos veículos em possível todas as rodas no sentido de
ilustrada na fig 160. Em caso de trânsito. marcha previsto.
dúvidas sobre o binário de aperto dos Prestar particular atenção, durante a Certificar-se de que a roda
parafusos, dirigir-se à Rede de utilização da chave para a sobresselente está montada com a
Assistência Jeep; desmontagem dos parafusos da roda: válvula virada para fora. A roda pode
reposicionar o macaco, as pode ter extremidades pontiagudas. ficar danificada se montada
ferramentas, o calço e o pneu vazio no A elevação do veículo além do incorrectamente.
interior da bagageira, certificando-se do necessário pode torná-lo menos Se o veículo estiver equipado com
seu correcto bloqueio. estável: pode deslizar do macaco e ferir cobre-cubo ou cobre-roda, não tentar
as pessoas próximas. Não levantar o montá-los na roda sobresselente.
veículo para além da altura necessária Para evitar lesões em pessoas, o
para a separação da roda. aperto a fundo dos parafusos só deve
As rodas com piso unidireccional ser efectuado quando o veículo tiver as
são reconhecíveis por setas no flanco rodas no solo, para evitar que o próprio
do pneu, que indicam o sentido de veículo caia do macaco.
rolamento previsto, que deve ser Depois de ter percorrido cerca de
absolutamente respeitado. Só assim os 40 km, parar e verificar o correcto
pneus mantêm as suas características aperto dos parafusos.

170
149) As características de condução do 151) O macaco é uma ferramenta
AVISO veículo, com a roda montada, são estudada e concebida apenas para a
alteradas. Evitar acelerações e travagens substituição de uma roda, em caso de furo
violentas, viragens bruscas e curvas a ou danos no respetivo pneu, no veículo em
146) Se deixados no habitáculo, a roda grande velocidade. A duração total da roda que é fornecido ou em veículos do mesmo
furada e o macaco constituem um sério sobresselente é de cerca de 3000 km, modelo. Nunca deve ser utilizado par
perigo para a segurança dos ocupantes após o que o pneu deve ser substituído outros fins como, por exemplo, para
em caso de acidentes ou de travagens por outro do mesmo tipo. Nunca instalar levantar veículos de outros modelos ou
bruscas. Voltar a colocar sempre, quer o um pneu tradicional numa jante destinada objetos diferentes. Em caso algum,
macaco quer a roda furada, no respetivo à utilização como roda sobresselente. utilizá-lo para operações de manutenção
alojamento da bagageira. Mandar reparar e remontar a roda ou reparação por baixo do veículo. Nunca
147) É extremamente perigoso tentar substituída o mais rapidamente possível. se posicionar por baixo do veículo elevado.
substituir uma roda no lado do veículo Não é permitido utilizar simultaneamente Caso seja necessário operar por baixo do
próximo da faixa de rodagem: certificar-se duas ou mais rodas sobresselentes. Não veículo, dirigir-se à Rede de Assistência
de que o veículo está suficientemente lubrificar as roscas dos parafusos antes de Jeep. O posicionamento incorreto do
longe da estrada, para evitar ser atingido. os montar: poderão desapertar-se macaco pode provocar a queda do veículo
148) Assinalar a presença do veículo espontaneamente durante a utilização do levantado: utilizá-lo apenas nas posições
parado segundo as disposições vigentes: veículo! indicadas. Não utilizar o macaco para
luzes de emergência, triângulo de 150) A roda fornecida (onde presente) é capacidades superiores à indicada na
sinalização, etc. As pessoas a bordo específica para o veículo: não utilizá-la num etiqueta nele aplicada.
devem sair do veículo, especialmente se veículo de modelo diferente nem utilizar 152) Na roda sobresselente não podem
este estiver muito carregado, esperando rodas sobresselentes de outros modelos ser montadas correntes de neve. Se se
que se efetue a substituição e no veículo. A roda sobresselente deve ser furar um pneu dianteiro (roda motriz) e for
afastando-se do perigo do tráfego. Em utilizada apenas em caso de emergência. necessário utilizar correntes, retirar do eixo
caso de estradas com inclinação ou A sua utilização deve ser reduzida ao traseiro uma roda de dimensão normal e
irregulares, posicionar por baixo das rodas mínimo indispensável e a velocidade não montar a roda sobresselente no lugar
o calço fornecido. deve ultrapassar os 80 km/h. Na roda desta última. Deste modo, tendo duas
sobresselente encontra-se aplicado um rodas de dimensão normal à frente (rodas
autocolante cor-de-laranja com os motrizes), pode montar-se nestas as
principais avisos acerca da utilização da correntes de neve.
própria roda e das respetivas limitações de 153) Uma montagem incorreta do tampão
utilização. O autocolante não deve de da roda, se presente, pode provocar a
forma alguma ser removido nem coberto. respetiva separação quando o veículo
Na roda sobresselente nunca se deve estiver em andamento. É absolutamente
aplicar nenhum tampão de roda. proibido manusear a válvula de
enchimento. Não introduzir ferramentas de
qualquer espécie entre a jante e o pneu.
Verificar regularmente a pressão dos pneus
e da roda sobresselente, respeitando os
valores indicados no capítulo "Dados
técnicos".

171
TIREKIT
EM EMERGÊNCIA (onde presente)

DESCRIÇÃO
O TireKit está situado na bagageira no
interior de um estojo próprio.
No estojo estão também presentes a
chave de parafusos, o anelo de rebo-
que e o adaptador para o abasteci-
161 J0A0105C 162 J0A0107C
mento de combustível.
Para aceder ao TireKit abra a porta da um compressor D com manómetro e certificar-se de que o interruptor do
bagageira, remova o plano de carga uniões; compressor se encontra na posição 0
reconfigurável e levante o tapete de desdobrável informativo utilizado (desligado), ligar o motor, introduzir a
revestimento. para um uso correto do TireKit; ficha na tomada de corrente situada na
154) 156) 62) 3) um par de luvas que se encontram bagageira ou no túnel central, ligar o
O TireKit também contém: no vão lateral do próprio compressor; compressor colocando o interruptor na
uma lata A fig 161 com líquido adaptadores para o enchimento de posição I (ligado);
vedante, equipada com: tubo de elementos diversos. encher o pneu à pressão indicada no
enchimento B e etiqueta adesiva C parágrafo “Rodas” no capítulo
O líquido vedante é eficaz para tempe-
com a indicação escrita "Max. (consultar o capítulo “Dados técnicos”).
raturas externas compreendidas entre
80 km/h", a colocar numa posição bem Para obter uma leitura mais precisa,
–20°C e +50°C. O líquido vedante está
visível (por ex. no tablier), após a verificar o valor da pressão no
ainda sujeito a prazo de validade.
reparação do pneu; manómetro B com o compressor
PROCEDIMENTO DE desligado;
ENCHIMENTO se dentro de 5 minutos não se atingir
155) 157) 158) 159) 160) 161) a pressão de pelo menos 1,8 bar,
Proceder do seguinte modo: desligar o compressor da válvula e da
engatar o travão de estacionamento tomada de corrente, em seguida
eléctrico, desapertar a tampa da válvula deslocar o veículo para frente cerca de
do pneu, extrair o tubo flexível de 10 metros, para distribuir o líquido
enchimento A fig 162 e apertar o aro B vedante no interior do pneu e repetir a
na válvula do pneu; operação de enchimento;

172
se mesmo neste caso, 5 minutos
157) Se a pressão tiver descido abaixo de
após a activação do compressor, não 1,8 bar, não prosseguir a marcha: o TireKit ATENÇÃO
se atingir a pressão de pelo menos 1,8 não pode garantir a devida vedação,
bar, não retomar a marcha mas porque o pneu está muito danificado.
dirigir-se à Rede de Assistência Jeep; Contactar a Rede de Assistência Jeep. 62) Em caso de furo, provocado por
158) É absolutamente necessário corpos estranhos, é possível reparar os
depois de ter conduzido durante comunicar que o pneu foi reparado com o pneus que tenham sofrido lesões até um
aproximadamente 10 minutos, parar e TireKit. Entregar o folheto ao pessoal que diâmetro máximo de 4 mm da banda de
verificar novamente a pressão do pneu; deverá manusear o pneu tratado com o rodagem e na parte posterior do pneu.
lembrar-se de accionar o travão de TireKit.
estacionamento eléctrico; 159) Em caso de danos na jante da roda
(deformação do canal que provoca a fuga
se, ao contrário, for detectada uma de ar) não é possível efetuar a reparação. ATENÇÃO
pressão de pelo menos 1,8 bar, Evitar retirar corpos estranhos (parafusos
restabelecer a pressão correcta (com o ou pregos) que tenham penetrado no
pneu. 3) Não dispersar no ambiente a
motor ligado e o travão de embalagem e o líquido vedante. Eliminar
160) Não acionar o compressor durante
estacionamento engatado), retomar de um período superior a 20 minutos em conformidade com o previsto pelas
imediato a marcha e dirigir-se, consecutivos. Perigo de normas nacionais e locais.
conduzindo com muito cuidado, à sobreaquecimento. O TireKit não é
Rede de Assistência Jeep. adequado para uma reparação definitiva, o
que significa que os pneus reparados
apenas devem ser utilizados
temporariamente.
AVISO 161) As informações previstas pelas
regulamentações em vigor sobre
substâncias químicas para a proteção da
154) Não é possível reparar lesões nas saúde humana e do ambiente e
partes laterais do pneu. Não utilizar o relativamente à utilização segura do líquido
TireKit se o pneu estiver danificado por ter vedante encontram-se na etiqueta da
continuado a marcha com o pneu vazio. embalagem. É essencial respeitar todas as
155) Calçar as luvas protetoras fornecidas indicações na etiqueta para garantir a
com o TireKit. segurança e eficácia do produto. Leia
156) Aplicar o selo autocolante numa atentamente a etiqueta antes de utilizar o
posição bem visível pelo condutor, para produto, uma vez que a pessoa que o
assinalar que o pneu foi tratado com o utiliza é responsável por eventuais danos
TireKit. Conduzir com prudência, resultantes de uma utilização indevida. O
sobretudo nas curvas. Não ultrapassar os líquido vedante está sujeito a prazo de
80 km/h. Não acelerar e travar de forma validade. Substituir a botija contendo
brusca. líquido com prazo de validade caducado.

173
ARRANQUE DE estacionamento, deslocar a alavanca Ligação dos cabos

EM EMERGÊNCIA
EMERGÊNCIA da caixa automática para a posição P Para efectuar o arranque de emergên-
(Estacionamento) ou, para versões cia, proceder como indicado a seguir:
Em caso de bateria descarregada, é equipadas com caixa manual, para ligar uma extremidade do cabo
possível efectuar um arranque de emer- ponto morto e colocar o dispositivo de usado para o positivo (+) ao terminal
gência utilizando cabos e a bateria de arranque na posição STOP; positivo (+) do veículo com a bateria
um outro veículo ou servindo-se de desligar todos os outros acessórios descarregada;
uma bateria portátil. eléctricos presentes no veículo; ligar uma extremidade do cabo
ADVERTÊNCIAS se se utilizar outro veículo para o usado para o positivo (+) ao terminal
Se se utilizar uma bateria portátil, seguir arranque de emergência, estacionar o positivo (+) do veículo com a bateria
as instruções e as precauções para a veículo ao alcance dos cabos a utilizar auxiliar;
utilização indicadas pelo produtor da para o arranque, accionar o travão de ligar uma extremidade do cabo
mesma. estacionamento e certificar-se de que a usado para o negativo (–) ao terminal
Não utilizar a bateria portátil ou qual- ignição está desligadaaccensione sia negativo (–) da bateria auxiliar;
quer outra fonte de alimentação ex- disinserita. ligar a extremidade oposta do cabo
terna com uma tensão superior a 12V: usado para o negativo (–) a uma massa
Evitar o contacto entre os dois veículos,
poderiam danificar-se a bateria, o mo- do motor (a parte em metal exposta do
já que pode criar-se uma ligação à
tor de arranque, o alternador ou o sis- motor do veículo com a bateria
massa com o risco de provocar graves
tema eléctrico do veículo. descarregada) longe da bateria e do
lesões nas pessoas eventualmente pre-
sistema de injecção de combustível;
Não tentar o arranque de emergência sentes nas proximidades.
ligar o motor do veículo com bateria
se a bateria estiver congelada. A bate-
PROCEDIMENTO PARA O auxiliar, deixando-o rodar alguns
ria poderia romper-se ou explodir! ARRANQUE DE minutos no mínimo. De seguida, ligar o
PREPARATIVOS PARA O EMERGÊNCIA
motor do veículo com a bateria
ARRANQUE DE Se efectuado de modo incorrecto, o descarregada.
EMERGÊNCIA procedimento de seguida descrito
Desactivação dos cabos
162) 163) 164) 63) pode provocar graves lesões a pessoas
ou danificar o sistema de recarga de Depois de ligar o motor, remover os
O terminal positivo (+) da bateria está cabos procedendo do seguinte modo:
um ou de ambos os veículos. Seguir
protegido por uma tampa de protec- desligar uma extremidade do cabo
escrupulosamente as indicações forne-
ção. Levantar a tampa para aceder ao usado para o negativo (–) da massa do
cidas de seguida.
terminal positivo. motor do veículo com a bateria
Proceder do seguinte modo: descarregada;
accionar o travão de desligar a extremidade oposta do

174
cabo usado para o negativo (–) do
163) Retirar qualquer objeto metálico (por
SISTEMA DE
terminal negativo (–) da bateria auxiliar; ex. anéis, relógios, pulseiras), que poderia BLOQUEIO DO
desligar a extremidade do cabo provocar um contacto elétrico acidental e COMBUSTÍVEL
usado para o positivo (+) do terminal provocar graves lesões.
positivo (+) da bateria auxiliar; 164) As baterias contêm ácido que pode Intervém em caso de choque
queimar a pele ou os olhos. As baterias provocando:
desligar a extremidade do cabo geram hidrogénio, facilmente inflamável e
usado para o positivo (+) do terminal a interrupção da alimentação de
explosivo. Não aproximar chamas ou
positivo (+) do veículo com a bateria dispositivos que possam provocar faíscas.
combustível com consequente
descarregada. desactivação do motor;
o desbloqueio automático das
Caso seja necessário recorrer frequen- ATENÇÃO portas;
temente ao arranque de emergência,
o acendimento das luzes internas;
mandar verificar a bateria e o sistema
63) Não ligar o cabo ao terminal negativo a desactivação da ventilação do
de recarga do veículo da Rede de As-
(–) da bateria descarregada. A faísca climatizador;
sistência Jeep.
resultante poderia causar a explosão da acendimento das luzes de
Eventuais acessórios (por ex. telemó- bateria e provocar lesões graves. Utilizar emergência (para desactivar as luzes,
exclusivamente o ponto de massa
veis, etc.) ligados às tomadas de cor- pressionar o botão situado no painel de
específico; não utilizar qualquer outra parte
rente do veículo absorvem corrente metálica exposta. instrumentos).
mesmo que não sejam utilizados. Se Em algumas versões, a intervenção do
deixados ligados demasiado tempo sistema é assinalada pela visualização
com o motor desligado, podem descar- de uma mensagem no ecrã. Do mesmo
regar a bateria, com consequente redu- modo, uma mensagem específica no
ção da duração desta última e/ou im- display avisa o condutor caso a funcio-
possibilidade de ligar o motor. nalidade do sistema fique comprome-
tida.
Inspecionar cuidadosamente o veículo
AVISO
para se certificar de que não existam
fugas de combustível, por exemplo no
162) Não se aproximar demasiado da vão do motor, sob o veículo ou na pro-
ventoinha de arrefecimento do radiador: o ximidade da zona do depósito. Depois
eletroventilador pode começar a funcionar;
da colisão, deslocar o dispositivo de
perigo de lesões. Cuidado com os
cachecóis, gravatas e peças de vestuário arranque para a posição STOP para
não aderentes: poderão ser arrastados não descarregar a bateria.
pelos órgãos em movimento.

175
Para restabelecer o correcto funciona- DESBLOQUEIO DA
EM EMERGÊNCIA
mento do veículo, efectuar o seguinte ALAVANCA DA CAIXA
procedimento (este procedimento deve AUTOMÁTICA
ser iniciado e concluído em menos de 1
minuto): Em caso de avaria, para deslocar a ala-
deslocar o dispositivo de arranque vanca da caixa da posição P (Estacio-
para a posição MAR; namento). proceder do seguinte modo:
activar os indicadores de direcção à desligar o motor e accionar o travão
direita, depois à esquerda, depois de estacionamento eléctrico;
novamente à direita e ainda à actuando com cuidado no ponto
esquerda; indicado pela seta, remover, 164 J0A0344C

de seguida, desactivar os levantando-a para cima, a moldura A


indicadores de direcção à esquerda; fig 163 da caixa de velocidades (com colocar a alavanca das mudanças na
colocar o dispositivo de arranque na fole); posição N (Ponto morto);
posição STOP; voltar a montar correctamente a
deslocar o dispositivo de arranque moldura e o fole da alavanca das
para a posição MAR. mudanças;
ligar o motor.
165)

EXTRACÇÃO DE
EMERGÊNCIA DA CHAVE
AVISO DE IGNIÇÃO
64)

165) Depois do impacto, caso se sinta o A chave de ignição (versões com chave
cheiro a combustível ou se verifiquem mecânica) só é extraível com a ala-
fugas no sistema de alimentação, não 163 J0A0342C

reativar o sistema para evitar riscos de


vanca das mudanças na posição P (Es-
incêndio. tacionamento).
premir a fundo o pedal do travão e
mantê-lo premido; Se a bateria do veículo estiver descar-
inserir perpendicularmente a chave regada, a chave, se inserida, perma-
de parafusos, fornecida, no furo B nece bloqueada na respectiva sede.
fig 164 e actuar na alavanca de Para extrair mecanicamente a chave,
desbloqueio; proceder do seguinte modo:
parar o veículo em condições de
segurança, engatar uma mudança e

176
accionar o travão de estacionamento com uma mão, puxar para baixo a
eléctrico; lingueta D fig 167 e, com a outra, ATENÇÃO
utilizando a chave A fig 165 (situada extrair a chave, retirando-a para fora;
no interior da caixa com a uma vez extraída a chave, voltar a
documentação de bordo), desapertar montar o revestimento inferior C, 64) É aconselhável pedir a realização do
procedimento de remontagem à Rede de
os parafusos de fixação B fig 166 do certificando-se do seu correcto
Assistência Jeep. Caso se pretenda
revestimento inferior C; bloqueio e apertar a fundo os parafusos proceder de modo autónomo, prestar
de fixação B. particular atenção ao correcto
acoplamento das molas de engate. Caso
contrário, pode verificar-se ruído devido à
fixação incorrecta do revestimento inferior
com o superior.

165 J0A0393C

166 J0A0247C
167 J0A0251C

remover o revestimento inferior C da


coluna de direcção, desprendendo-o
da sede;

177
DESBLOQUEIO DA fig 169 e actuar na alavanca de Para extrair mecanicamente a chave,

EM EMERGÊNCIA
CAIXA DE desbloqueio; proceder do seguinte modo:
VELOCIDADES parar o veículo em condições de
AUTOMÁTICA DE segurança, engatar uma mudança e
DUPLA accionar o travão de estacionamento
EMBRAIAGEM eléctrico;
utilizando a chave A fig 170 (situada
Em caso de avaria ou de bateria des- no interior da caixa com a
carregada, para desbloquear a ala- documentação de bordo), desapertar
vanca das mudanças, proceder do se- os parafusos de fixação B fig 171 do
guinte modo: revestimento inferior C;
desligar o motor e accionar o travão
de estacionamento eléctrico;
169 J0A0344C
actuando com cuidado no ponto
indicado pela seta, remover,
colocar a alavanca das mudanças na
levantando-a para cima, a moldura A
posição N (Ponto morto);
fig 168 da caixa de velocidades (com
voltar a montar correctamente a
fole);
moldura e o fole da alavanca das
mudanças;
ligar o motor.
EXTRACÇÃO DE
EMERGÊNCIA DA CHAVE 170 J0A0393C

DE IGNIÇÃO
65)

A chave de ignição (para versões com


chave mecânica) só pode ser extraída
com a alavanca das mudanças na posi-
168 J0A0342C ção P (Estacionamento).
Se a bateria do veículo estiver descar-
premir a fundo o pedal do travão e regada, a chave de ignição, se inserida,
mantê-lo premido; permanece bloqueada na respectiva
inserir perpendicularmente a chave sede.
de parafusos, fornecida, no furo B 171 J0A0247C

178
remover o revestimento inferior C da REBOQUE DO
coluna de direcção, desprendendo-o ATENÇÃO VEÍCULO
da sede;
com uma mão, puxar para baixo a ENGATE DO ANEL DE
65) É aconselhável mandar efectuar o REBOQUE
lingueta D fig 172 e, com a outra,
procedimento de remontagem junto da 166) 167) 168)
extrair a chave, retirando-a para fora;
Rede de Assistência Fiat. Caso se pretenda
uma vez extraída a chave, voltar a proceder de modo autónomo, prestar O anel de reboque, fornecido com o
montar o revestimento inferior C, particular atenção ao correcto veículo, está situado na caixa de ferra-
certificando-se do seu correcto acoplamento das molas de engate. Caso mentas presente no interior da baga-
bloqueio e apertar a fundo os parafusos contrário, pode verificar-se ruído devido à geira.
fixação incorrecta do revestimento inferior
de fixação B. com o superior. Dianteira
Desengatar o tampão A
fig 173 pressionando a parte inferior,
pegar no anel de reboque B pela sua
sede no suporte de ferramentas e
apertá-lo a fundo no perno roscado
anterior.

173 J0A0160C

Traseira
Remover o tampão A fig 174, pegar no
172 J0A0251C anel de reboque B pela sua sede no
suporte de ferramentas e apertá-lo a

179
fundo no perno roscado posterior.

EM EMERGÊNCIA
167) Durante o reboque, lembrar-se que,
não tendo a ajuda do servofreio e da
direção assistida eletromecânica para
travar é necessário exercer mais força no
pedal e para virar é necessário uma ação
mais enérgica no volante. Não utilizar
cabos flexíveis para efetuar o reboque e
evitar os esticões. Durante as operações
de reboque, certificar-se de que a fixação
da junta no veículo não danifique os
componentes em contacto. Ao rebocar o
175 J0A0161C
veículo, é obrigatório respeitar as normas
específicas de circulação rodoviária,
relativas quer ao dispositivo de reboque
quer ao comportamento a ter na estrada.
AVISO Durante o reboque do veículo, não ligar o
motor. Antes de apertar o anel, limpar
cuidadosamente a sede roscada. Antes de
166) Para versões equipadas com chave iniciar o reboque do veículo, certificar-se
mecânica, antes de iniciar o reboque, também de que se apertou a fundo o anel
rodar a chave de ignição para a posição no respetivo alojamento.
MAR e, de seguida, para STOP, sem a 168) Os ganchos de reboque dianteiro e
extrair. Retirando a chave ativa-se traseiro devem ser utilizados unicamente
automaticamente o bloqueio da direção, para operações de socorro no piso da
não sendo possível virar as rodas. estrada. É permitido o reboque em troços
Certificar-se também de que a caixa de breves com a utilização de um dispositivo
174 J0A0163C velocidades está posicionada em ponto específico em conformidade com o código
morto (para versões equipadas com caixa da estrada (barra rígida), movimentação do
automática, certificar-se de que a alavanca veículo no piso da estrada como
Versões Trailhawk: o gancho de rebo- preparação para o reboque ou par o
das mudanças está na posição N). Para
que A fig 175, de tipo fixo, está fixado à transporte com reboque. Os ganchos NÃO
versões com chave eletrónica, deslocar o
carroçaria do veículo. dispositivo de arranque para MAR e, de DEVEM ser utilizados para operações de
seguida, para STOP, sem abrir a porta. recuperação do veículo fora do piso da
estrada ou na presença de obstáculos
e/ou para operações de reboque mediante
cabos ou outros dispositivos não rígidos.
Respeitando as condições acima
mencionadas, o reboque deve ocorrer
com os dois veículos (o rebocador e o
rebocado) o mais possível alinhados no
mesmo eixo mediano.

180
REBOQUE DO
VEÍCULO
EMPANADO
É recomendável rebocar o veículo com
as quatro rodas ELEVADAS do solo no
pavimento de um veículo de socorro.
VERSÕES COM TRACÇÃO INTE-
GRAL (4RM) E CAIXA AUTOMÁTICA
Evitar a elevação apenas das rodas
anteriores (ou posteriores). A elevação
apenas das rodas anteriores (ou poste-
riores) durante o reboque pode provo-
car danos na caixa de velocidades ou
no repartidor.
Se se rebocar um veículo sem respeitar
os requisitos acima indicados, podem
ocorrer danos graves na caixa de velo-
cidades e/ou no repartidor. Os danos
provocados por um reboque efectuado
de modo impróprio não estão cobertos
pela garantia.

181
MANUTENÇÃO E CUIDADOS
MANUTENÇÃO E CUIDADOS

Uma correcta manutenção permite MANUTENÇÃO PROGRAMADA . .183


manter as prestações do veículo ao COMPARTIMENTO DO MOTOR. . .196
longo do tempo, reduzir os custos de RECARGA DA BATERIA . . . . . . . .203
funcionamento e proteger a eficiência PROCEDIMENTOS DE
dos sistemas de segurança. MANUTENÇÃO . . . . . . . . . . . . .204
ELEVAÇÃO DO VEÍCULO . . . . . . .206
Neste capítulo, explica-se como.
RODAS E PNEUS . . . . . . . . . . . .207
CARROÇARIA . . . . . . . . . . . . . .207

182
MANUTENÇÃO selhável sinalizar à Rede de Assistência UTILIZAÇÃO SEVERA DO
PROGRAMADA Jeep eventuais pequenas anomalias de VEÍCULO
funcionamento, sem esperar pela exe- No caso de utilização do veículo numa
Uma manutenção correcta é determi- das seguintes condições:
nante para garantir ao veículo uma cução da próxima inspecção.
reboque de atrelado ou caravana;
longa duração em condições ideais. VERIFICAÇÕES estradas poeirentas;
Por isso, a Jeep definiu uma série de PERIÓDICAS
percursos breves (menos de 7-8 Km)
controlos e de intervenções de manu- A cada 1.000 km ou antes de longas
e repetidos e com temperatura externa
tenção em intervalos quilométricos e, viagens, verificar e, se necessário, re-
por: abaixo de zero;
onde previsto, temporais pré-
o nível do líquido de refrigeração do motor que gira frequentemente ao
-estabelecidos, como descrito no Plano
motor; ralenti ou longos percursos a baixa
de Manutenção Programada.
o nível do líquido dos travões; velocidade ou em caso de longa
Antes de qualquer inspecção, é, no inatividade;
entanto, sempre necessário ter em o nível do líquido lava-vidros;
pressão e condições dos pneus; é necessário efectuar as seguintes veri-
atenção as indicações descritas no
o funcionamento do sistema de ficações com maior frequência do que
Plano de Manutenção Programada (por
iluminação (faróis, indicadores de o indicado no Plano de Manutenção
ex. verifique periodicamente o nível dos
mudança de direcção, emergência, Programada:
líquidos, a pressão dos pneus, etc...).
etc.); controlo das condições e desgaste
O serviço de Manutenção Programada das placas dos travões de disco
funcionamento do sistema
é efectuado pela Rede de Assistência anteriores;
limpa/lava-vidros e posicionamento/
Jeep nos prazos pré-fixados. Se, du- controlo do estado de limpeza das
desgaste das escovas limpa-vidro/
rante a realização de cada intervenção, fechaduras do capot do motor e da
óculo posterior.
para além das operações previstas, tampa da mala, limpeza e lubrificação
houver a necessidade de outras substi- A cada 3.000 km, verificar e, se neces-
sário, restabelecer: o nível de óleo do das alavancas;
tuições ou reparações, estas só pode- controlo visual das condições: motor,
rão ser efectuadas com a concordância motor.
caixa de velocidades, transmissão,
explícita do Cliente. Se utilizar frequen- troços rígidos e flexíveis das tubagens
temente o veículo para o reboque de (escape/alimentação de combustível/
atrelados, reduza o intervalo entre uma travões) elementos de borracha
manutenção programada e a seguinte. (foles/mangas/casquilhos, etc.);
As inspecções de Manutenção Progra- controlo do estado de carga e nível
mada são prescritas pelo Construtor. A do líquido da bateria (eletrólito);
não execução das mesmas pode com-
portar a anulação da garantia. É acon-

183
MANUTENÇÃO E CUIDADOS
controlo visual das condições das
correias de comando dos acessórios;
controlo e eventual substituição do
óleo do motor e do filtro do óleo;
controlo e eventual substituição do
filtro anti-pólen;
controlo e eventual substituição do
filtro do ar.

Nas versões equipadas com caixa au-


tomática, substituir o óleo e o filtro do
óleo da caixa a cada 60.000 quilóme-
tros ou de 4 em 4 anos.

184
PLANO DE MANUTENÇÃO PROGRAMADA (versões 1.4 Turbo Multi Air e
2.4 Tigershark)

Os controlos indicados no Plano de Manutenção Programada, uma vez atingidos os 120 000 km/8 anos, devem ser repetidos
ciclicamente a retomar desde o primeiro intervalo, respeitando, assim, os mesmos intervalos anteriormente efetuados.

Milhares de quilómetros 15 30 45 60 75 90 105 120 135 150

Anos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Controlo das condições/desgaste dos pneus e eventual
regulação da pressão; controlo das condições/prazo de ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
recarga do TireKit (se presente)
Controlo do funcionamento do sistema de iluminação
(faróis, indicadores de direção, emergência,
compartimento da bagageira, habitáculo, compartimento ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
porta-objetos, luzes avisadoras do quadro de
instrumentos, etc.)
Controlo e eventual reposição do nível dos líquidos no
compartimento do motor(1)
● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
Controlo das emissões/fumos dos gases de escape ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
Controlo, mediante tomada de diagnóstico, da
funcionalidade dos sistemas de alimentação/controlo do
motor, emissões e, onde previsto, degradação do óleo
● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
do motor

(1) Eventuais reposições dos níveis devem ser efetuadas com os líquidos indicados na documentação de bordo e só depois de se garantir a
integridade do sistema.

185
MANUTENÇÃO E CUIDADOS Milhares de quilómetros 15 30 45 60 75 90 105 120 135 150

Anos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Controlo visual das condições e integridade: exterior da
carroçaria, proteção da parte inferior da carroçaria,
segmentos rígidos e flexíveis das tubagens (escape, ● ● ● ● ●
alimentação do combustível, travões), elementos de
borracha (foles, tubos, casquilhos, etc.)
Controlo do posicionamento/desgaste das escovas do
limpa para-brisas dianteiro e do limpa óculo traseiro
● ● ● ● ●
Controlo do funcionamento do sistema do
limpa/lava-vidros e eventual regulação dos esguichos
● ● ● ● ●
Controlo do estado de limpeza dos fechos do capot do
motor e da tampa da bagageira, limpeza e lubrificação ● ● ● ● ●
das alavancas
Controlo visual das condições e desgaste das pastilhas
dos travões de disco dianteiros e funcionamento do ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
sinalizador de desgaste das mesmas
Controlo visual das condições e desgaste das pastilhas
dos travões de disco traseiros e funcionamento do ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
sinalizador de desgaste das mesmas
Controlo visual das condições da(s) correia(s) de
comando dos acessórios

Verificação da tensão da correia de comando dos
acessórios (versões sem tensor automático) (ou a cada 2 ● ●
anos)

186
Milhares de quilómetros 15 30 45 60 75 90 105 120 135 150

Anos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Controlo visual das condições da correia dentada do
comando da distribuição (versões 1.4 Turbo Multi Air)

Verificação do nível do óleo do grupo de reenvio da
transmissão do movimento (PTU)
● ●
Verificação do nível do óleo do diferencial traseiro ● ●
Substituição do óleo do motor e do filtro do óleo (versões
1.4 Turbo Multi Air)(2) (O) (●)
O ● O ● O ● O ● O ●
Mudança do óleo do motor e do filtro do óleo (versões
2.4 Tigershark – se presente) (3)
● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
Substituição das velas de ignição (versões 1.4 Turbo
Multi Air) (4)
● ● ● ● ●
Substituição das velas de ignição (versões 2.4 Tigershark
– se presente)
● ● ●

(2) No caso de o veículo ser utilizado com uma quilometragem anual inferior a 10.000 km, é necessário substituir o óleo do motor e o filtro
anualmente.
(O) Intervenções recomendadas
(●) Intervenções obrigatórias
(3) A mudança do óleo do motor e do filtro do óleo deve ser feita quando se acender a luz avisadora no quadro de instrumentos ou, em todo o
caso, todos os anos.
(4) Para as versões 1.4 Turbo Multi Air, a fim de garantir o funcionamento correto e evitar danos graves no motor, é fundamental: utilizar
exclusivamente velas especificamente certificadas para estes motores, do mesmo tipo e da mesma marca (ver o parágrafo "Motor" no
capítulo "Dados técnicos"); respeitar rigorosamente o intervalo de substituição das velas previsto no Plano de Manutenção Programada.
Para a substituição das velas, é aconselhável dirigir-se à Rede de Assistência Jeep.

187
MANUTENÇÃO E CUIDADOS Milhares de quilómetros 15 30 45 60 75 90 105 120 135 150

Anos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Substituição da(s) correia(s) de comando dos acessórios (5)
Substituição da correia dentada do comando da
(5)
distribuição (versões 1.4 Turbo Multi Air)
Substituição do elemento do filtro de ar (6) ● ● ● ● ●
Substituição do líquido dos travões (7) ● ● ● ● ●
Substituição do filtro do habitáculo (6) (O) (●) O ● O ● O ● O ● O ●
(5) Zonas sem poeira: quilometragem máxima aconselhada 120 000 km. Independentemente da quilometragem, a correia deve ser substituída
a cada 6 anos. Zonas poeirentas e/ou utilização severa (climas frios, utilização urbana, longas permanências ao ralenti): quilometragem
máxima aconselhada 60 000 km. Independentemente da quilometragem, a correia deve ser substituída a cada 4 anos.
(6) Em caso de utilização do veículo em zonas com poeira, recomenda-se a substituição do filtro a cada 15.000 km.
(7) A substituição do líquido dos travões deve ser feita a cada 2 anos, independentemente dos quilómetros percorridos.
(O) Intervenções recomendadas
(●) Intervenções obrigatórias

NOTA Substituir o óleo e o filtro da caixa automática a cada 240.000 quilómetros.

188
PLANO DE MANUTENÇÃO PROGRAMADA (versões 1.6 E.Torq)
Os controlos indicados no Plano de Manutenção Programada, uma vez atingidos os 120 000 km/8 anos, devem ser repetidos
ciclicamente a retomar desde o primeiro intervalo, respeitando, assim, os mesmos intervalos anteriormente efetuados.

Milhares de quilómetros 15 30 45 60 75 90 105 120 135 150

Anos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Controlo das condições/desgaste dos pneus e eventual
regulação da pressão; controlo das condições/intervalo ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
de recarga TireKit (se presente)
Controlo do funcionamento do sistema de iluminação
(faróis, indicadores de direção, emergência,
compartimento da bagageira, habitáculo, compartimento ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
porta-objetos, luzes avisadoras do quadro de
instrumentos, etc.)
Controlo e eventual reposição do nível dos líquidos no
compartimento do motor(1)
● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
Controlo das emissões/fumos dos gases de escape ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
Controlo, mediante tomada de diagnóstico, a
funcionalidade dos sistemas de alimentação/controlo do
motor, emissões e, para versões/mercados onde
● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
previsto, a degradação do óleo do motor

(1)Eventuais reposições dos níveis devem ser efetuadas com os líquidos indicados na documentação de bordo e só depois de se garantir a
integridade do sistema.

189
MANUTENÇÃO E CUIDADOS
Milhares de quilómetros 15 30 45 60 75 90 105 120 135 150

Anos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Controlo visual das condições e integridade: exterior da
carroçaria, proteção da parte inferior da carroçaria,
segmentos rígidos e flexíveis das tubagens (escape, ● ● ● ● ●
alimentação do combustível, travões), elementos de
borracha (foles, tubos, casquilhos, etc.)
Controlo do posicionamento/desgaste das escovas do
limpa pára-brisas dianteiro e do limpa óculo traseiro
● ● ● ● ●
Controlo do funcionamento do sistema do
limpa/lava-vidros e eventual regulação dos esguichos
● ● ● ● ●
Controlo do estado de limpeza dos fechos do capot do
motor e da tampa da bagageira, limpeza e lubrificação ● ● ● ● ●
das alavancas
Controlo visual das condições e desgaste das pastilhas
dos travões de disco dianteiros e funcionamento do ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
sinalizador de desgaste das mesmas
Controlo visual das condições e desgaste das pastilhas
dos travões de disco traseiros e funcionamento do ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
sinalizador de desgaste das mesmas
Controlo visual das condições da(s) correia(s) de
comando dos acessórios (versões sem tensor ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
automático)
Verificação da tensão da correia de comando dos
acessórios (versões sem tensor automático)
● ● ● ● ● ● ● ● ● ●

190
Milhares de quilómetros 15 30 45 60 75 90 105 120 135 150

Anos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Substituição do óleo do motor e do filtro do óleo ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
Substituição das velas de ignição ● ● ● ● ●
Substituição da(s) correia(s) de comando dos acessórios ●
Substituição do elemento do filtro de ar (2) ● ● ● ● ●
Substituição do líquido dos travões (3) ● ● ● ● ●
Substituição do filtro do habitáculo (4) (O) (●) O ● O ● O ● O ● O ●
(2) Em caso de utilização do veículo em zonas com poeira, recomenda-se a substituição do filtro a cada 15.000 km.
(3) A substituição do líquido dos travões deve ser feita de dois em dois anos, independentemente dos quilómetros percorridos.
(4) Em caso de utilização do veículo em zonas com poeira, recomenda-se a substituição do filtro a cada 15.000 km.
(O) Intervenções recomendadas
(●) Intervenções obrigatórias

191
PLANO DE MANUTENÇÃO PROGRAMADA (versões Diesel)

MANUTENÇÃO E CUIDADOS Os controlos indicados no Plano de Manutenção Programada, uma vez atingidos os 120 000 km/6 anos, devem ser repetidos
ciclicamente a retomar desde o primeiro intervalo, respeitando, assim, os mesmos intervalos anteriormente efetuados.

Milhares de quilómetros 20 40 60 80 100 120 140 160 180 200

Anos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Controlo das condições/desgaste dos pneus e eventual
regulação da pressão; controlo das condições/prazo de ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
recarga do TireKit (se presente)
Controlo do funcionamento do sistema de iluminação
(faróis, indicadores de direção, emergência,
compartimento da bagageira, habitáculo, compartimento ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
porta-objetos, luzes avisadoras do quadro de
instrumentos, etc.)
Controlo e eventual reposição do nível dos líquidos no
compartimento do motor(1)
● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
Controlo das emissões/fumos dos gases de escape ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
Controlo, mediante tomada de diagnóstico, da
funcionalidade dos sistemas de alimentação/controlo do
motor, emissões e, onde previsto, degradação do óleo
● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
do motor

(1) Eventuais reposições dos níveis devem ser efetuadas com os líquidos indicados na documentação de bordo e só depois de se garantir a
integridade do sistema.

192
Milhares de quilómetros 20 40 60 80 100 120 140 160 180 200

Anos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Controlo visual das condições e integridade: exterior da
carroçaria, proteção da parte inferior da carroçaria,
segmentos rígidos e flexíveis das tubagens (escape, ● ● ● ● ●
alimentação do combustível, travões), elementos de
borracha (foles, tubos, casquilhos, etc.)
Controlo do posicionamento/desgaste das escovas do
limpa para-brisas dianteiro e do limpa óculo traseiro
● ● ● ● ●
Controlo do funcionamento do sistema do
limpa/lava-vidros e eventual regulação dos esguichos
● ● ● ● ●
Controlo do estado de limpeza dos fechos do capot do
motor e da tampa da bagageira, limpeza e lubrificação ● ● ● ● ●
das alavancas
Controlo visual das condições e desgaste das pastilhas
dos travões de disco dianteiros e funcionamento do ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
sinalizador de desgaste das mesmas
Controlo visual das condições e desgaste das pastilhas
dos travões de disco traseiros e funcionamento do ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
sinalizador de desgaste das mesmas
Verificação visual das condições da(s) correia(s) de
comando dos acessórios (versões sem tensor ●
automático)

193
MANUTENÇÃO E CUIDADOS Milhares de quilómetros 20 40 60 80 100 120 140 160 180 200

Anos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Verificação da tensão da correia de comando dos
acessórios (versões sem tensor automático)
● ●
Verificação visual das condições da correia dentada de
comando da distribuição
● ●
Verificação do nível do óleo do grupo de reenvio da
transmissão do movimento (PTU)
● ●
Verificação do nível do óleo do diferencial traseiro ● ●
Mudança do óleo do motor e do filtro do óleo (versões
com DPF) (2) (O) (●)
O ● O ● O ● O ● O ●
Substituição da(s) correia(s) de comando dos acessórios (3)
Substituição da correia dentada do comando da
(3)
distribuição

(2) O intervalo efetivo de substituição do óleo e do filtro do óleo do motor depende da condição de utilização do veículo e é assinalado através
de uma luz avisadora ou mensagem no quadro de instrumentos. Não deve, em todo o caso, exceder os 2 anos.
(2) Se o veículo for utilizado principalmente em percursos urbanos, é necessário substituir o óleo do motor e o filtro anualmente.
(O) Intervenções recomendadas
(●) Intervenções obrigatórias
(3) Zonas sem poeira: quilometragem máxima aconselhada 120 000 km. Independentemente da quilometragem, a correia deve ser substituída
a cada 6 anos. Zonas poeirentas e/ou utilização severa (climas frios, utilização urbana, longas permanências ao ralenti): quilometragem
máxima aconselhada 60 000 km. Independentemente da quilometragem, a correia deve ser substituída a cada 4 anos.

194
Milhares de quilómetros 20 40 60 80 100 120 140 160 180 200

Anos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Substituição do cartucho do filtro de combustível (4) ● ● ●
Substituição do elemento do filtro de ar (5) ● ● ● ● ●
Substituição do líquido dos travões (6) ● ● ● ● ●
Substituição do filtro do habitáculo (5) (O) (●) O ● O ● O ● O ● O ●
(4) Em caso de abastecimento do veículo com combustível de qualidade inferior à Especificação Europeia prevista, recomenda-se a
substituição deste filtro a cada 20.000 km
(5) Em caso de utilização do veículo em zonas com poeira, recomenda-se a substituição do filtro a cada 20 000 km.
(6) A substituição do líquido dos travões deve ser feita a cada 2 anos, independentemente dos quilómetros percorridos.
(O) Intervenções recomendadas
(●) Intervenções obrigatórias

NOTA Substituir o óleo e o filtro da caixa automática a cada 240.000 quilómetros.

195
COMPARTIMENTO DO MOTOR
MANUTENÇÃO E CUIDADOS VERIFICAÇÃO DOS NÍVEIS
169) 170) 66)

Versão 1.4 Turbo Multi Air

176 J0A0138C

A. Vareta de controlo do nível do óleo motor B. Tampão / Abastecimento do óleo do motor C. Líquido de refrigeração do
motor D. Líquido do lava-pára-brisas/lava-óculo posterior E. Líquido dos travões F. Bateria

196
Versão 1.6 E.Torq

177 J0A0369C

A. Vareta de controlo do nível do óleo motor B. Tampão / Abastecimento do óleo do motor C. Líquido de refrigeração do
motor D. Líquido do lava-pára-brisas/lava-óculo posterior E. Líquido dos travões F. Bateria

197
Versão 2.4 Tigershark (se presente)

MANUTENÇÃO E CUIDADOS

178 J0A0141C

A. Vareta de controlo do nível do óleo motor B. Tampão / Abastecimento do óleo do motor C. Líquido de refrigeração do
motor D. Líquido do lava-pára-brisas/lava-óculo posterior E. Líquido dos travões F. Bateria

198
Versão 1.6 16V Multijet

179 J0A0139C

A. Vareta de controlo do nível do óleo motor B. Tampão / Abastecimento do óleo do motor C. Líquido de refrigeração do
motor D. Líquido do lava-pára-brisas/lava-óculo posterior E. Líquido dos travões F. Bateria

199
Versão 2.0 16V Multijet

MANUTENÇÃO E CUIDADOS

180 J0A0140C

A. Vareta de controlo do nível do óleo motor B. Tampão / Abastecimento do óleo do motor C. Líquido de refrigeração do
motor D. Líquido do lava-pára-brisas/lava-óculo posterior E. Líquido dos travões F. Bateria

200
ÓLEO DO MOTOR LÍQUIDO DE BATERIA
REFRIGERAÇÃO DO
171) 67) 177) 178) 179) 180) 6)
MOTOR
Certificar-se de que o nível de óleo está 172) 69)
A bateria não necessita de abasteci-
compreendido entre os níveis MIN e mentos do electrólito com água desti-
MAX presentes na vareta de controlo A. Se o nível for insuficiente, desapertar o lada. Um controlo periódico, efectuado
Se o nível do óleo estiver próximo ou tampão do depósito C e deitar o líquido pela Rede de Assistência Jeep, é, con-
abaixo da referência MIN, adicionar descrito no capítulo "Dados técnicos". tudo, necessário para verificar a sua
óleo através do bocal de enchimento B LÍQUIDO DO LAVA-PÁRA- eficiência.
até atingir a referência MAX. BRISAS/LAVA-ÓCULO
POSTERIOR Após uma desactivação da bateria, a
Extrair a vareta A de controlo do nível direcção necessita de uma inicialização
de óleo do motor, limpá-la com um 173) 174)
que é indicada pelo acendimento da luz
pano que não largue pêlo e inseri-la Se o nível for insuficiente, levantar o avisadora no quadro de instrumen-
novamente. Extraí-la uma segunda vez tampão D do depósito e deitar o líquido tos. Para executar este procedimento,
e certificar-se de que o nível de óleo do descrito no capítulo "Dados técnicos". rodar o volante de uma extremidade à
motor está compreendido entre as mar- outra ou simplesmente prosseguir em
LÍQUIDO DOS TRAVÕES
cas MIN e MAX existentes na própria direcção rectilínea por uma centena de
vareta. 175) 176) 70)
metros.
Consumo de óleo do motor Certificar-se de que o líquido está no
nível máximo. Se o nível do líquido no A bateria mantida por muito tempo em
68) 4)
depósito for insuficiente, desapertar o estado de carga inferior a 50% sofre
A título indicativo, o consumo máximo tampão E do depósito e deitar o líquido danos por sulfatação, reduzindo a ca-
de óleo do motor é de 400 gramas a descrito no capítulo "Dados técnicos". pacidade e a aptidão ao arranque.
cada 1000 km. No primeiro período de
ÓLEO DO SISTEMA DE MANUTENÇÃO DO
utilização do veículo, os consumos de SISTEMA DE
ACTUAÇÃO DA CAIXA
óleo do motor só podem ser considera- AUTOMÁTICA / CAIXA CLIMATIZAÇÃO
dos estabilizados depois de ter percor- AUTOMÁTICA DE DUPLA No Inverno, o sistema de climatização
rido os primeiros 5000 ÷ 6000 km. EMBRAIAGEM
deve funcionar pelo menos uma vez
5) por mês durante cerca de 10 minutos.
Para o controlo do nível do óleo de co- Antes do Verão, verificar a eficiência do
mando da caixa de velocidades, sistema junto da Rede de Assistência
dirigir-se exclusivamente à Rede de Jeep.
Assistência Jeep.

201
MANUTENÇÃO E CUIDADOS
174) Alguns aditivos comerciais do líquido
AVISO lava para-brisas são inflamáveis: o vão do ATENÇÃO
motor contém partes quentes que, em
contacto, podem provocar um incêndio.
169) Nunca fumar durante qualquer 175) O líquido dos travões é venenoso e 66) Atenção, durante os reabastecimentos,
intervenção no vão do motor: poderão altamente corrosivo. Em caso de contacto para não confundir os vários tipos de
estar presentes gases e vapores acidental, lavar imediatamente as partes líquidos: são todos incompatíveis entre si!
inflamáveis, com risco de incêndio. afetadas com água e sabão neutro, em Um reabastecimento com líquido
170) Com motor quente, atuar com muito seguida, passar por água abundante. Em inadequado poderia danificar gravemente o
cuidado no interior do vão do motor: caso de ingestão, dirigir-se imediatamente veículo.
perigo de queimaduras. Não se aproximar a um médico. 67) O nível de óleo nunca deve ultrapassar
demasiado da ventoinha de arrefecimento 176) O símbolo , presente no contentor, a referência MAX.
do radiador: o eletroventilador pode identifica os líquidos dos travões de tipo 68) Não acrescentar óleo com
começar a funcionar; perigo de lesões. sintético, distinguindo-os dos de tipo características diferentes das do óleo já
Cuidado com os cachecóis, gravatas e mineral. Utilizar líquidos de tipo mineral existente no motor.
peças de vestuário não aderentes: danifica irremediavelmente as juntas 69) O sistema de refrigeração do motor
poderão ser arrastados pelos órgãos em especiais em borracha do sistema de contém líquido de proteção anticongelante
movimento. travagem. PARAFLU UP; para eventuais
171) No caso de reposição do nível do 177) O líquido existente na bateria é reabastecimentos, utilizar um fluido do
óleo do motor, aguardar que o motor venenoso e corrosivo. Evitar o contacto mesmo tipo. O fluido PARAFLU UP não
arrefeça antes de atuar no tampão de com a pele e os olhos. Não se aproxime pode ser misturado com qualquer outro
abastecimento, especialmente para da bateria com lume ou possíveis fontes
tipo de fluido anticongelante. Em caso de
veículos com tampão de alumínio (onde de faíscas: perigo de explosão e incêndio.
presente). ATENÇÃO: perigo de 178) O funcionamento com o nível do reabastecimento com um produto não
queimaduras! líquido demasiado baixo danifica adequado, evitar absolutamente ligar o
172) O sistema de arrefecimento está irreparavelmente a bateria e pode provocar motor e dirigir-se à Rede de Assistência
pressurizado. Caso seja necessário, a sua explosão. Jeep.
substituir o tampão por outro original, caso 179) Se o veículo tiver que ficar parado por 70) Evitar que o líquido para travões,
contrário a eficiência do sistema pode ficar um período prolongado em condições de altamente corrosivo, entre em contacto
comprometida. Com o motor quente, não frio intenso, desmontar a bateria e com as partes pintadas. Caso isso
retirar o tampão do depósito: perigo de transportá-la para um lugar aquecido para aconteça, lavar imediatamente com água.
queimaduras. evitar o congelamento. 71) Uma montagem incorrecta dos
173) Não viajar com o depósito do lava 180) Quando se deve operar na bateria ou acessórios eléctricos e electrónicos podem
para-brisas vazio: a ação do lava nas proximidades, proteger sempre os provocar danos graves no veículo. Se,
para-brisas é fundamental para melhorar a olhos com óculos apropriados. após a aquisição do veículo, se pretender
visibilidade. O funcionamento repetido do instalar acessórios (por ex. antifurto,
sistema na ausência de líquido pode radiotelefone, etc.), dirigir-se à Rede de
danificar ou deteriorar rapidamente Assistência Jeep, que saberá sugerir os
algumas partes do sistema. dispositivos mais adequados e sobretudo
recomendar sobre a necessidade de utilizar
uma bateria com maior capacidade.

202
RECARGA DA ligar o carregador de baterias, desligar
ATENÇÃO BATERIA ambos os cabos da bateria do veículo.
Não utilizar o carregador de bateria de
ADVERTÊNCIAS tipo "rápido" para fornecer a tensão de
4) O óleo do motor usado e o filtro do óleo Antes de proceder ao corte da alimen- arranque.
substituído contêm substâncias perigosas
tação eléctrica da bateria, aguardar
para o ambiente. Para a substituição do VERSÕES SEM SISTEMA
óleo e dos filtros, é aconselhável dirigir-se à pelo menos um minuto a partir do posi- STOP/START
Rede de Assistência Jeep cionamento do dispositivo de arranque
5) O óleo queimado da caixa de Para efectuar a recarga, proceder
em STOP e a partir do fecho da porta
velocidades contém substâncias perigosas como indicado a seguir:
do lado do condutor. No posterior res-
para o ambiente. Para a substituição do desligar o terminal do pólo negativo
óleo, é aconselhável dirigir-se à Rede de tabelecimento da alimentação eléctrica
da bateria;
Assistência Jeep. da bateria, certificar-se de que o dispo-
ligar aos pólos da bateria os cabos
6) As baterias possuem substâncias muito sitivo de arranque está em STOP e que
perigosas para o ambiente. Para a do aparelho de recarga, respeitando as
a porta do lado do condutor está fe-
substituição da bateria, dirigir-se à Rede de polaridades;
Assistência Jeep.
chada.
ligar o aparelho de recarga;
Recomenda-se uma recarga lenta de terminada a recarga, desligar o
baixa amperagem, durante cerca de 24 aparelho antes de o desligar da bateria;
horas. Uma carga durante muito tempo ligar o terminal ao pólo negativo da
pode danificar a bateria. bateria.
É essencial que os cabos do sistema VERSÕES COM SISTEMA
eléctrico sejam de novo ligados correc- STOP/START
tamente à bateria, ou seja, o cabo posi- Para efectuar a recarga, proceder
tivo (+) ao terminal positivo e o cabo como indicado a seguir:
negativo (–) o terminal negativo. Os ter- desligar o conector A fig 181 (através
minais da bateria estão assinalados da acção no botão B) do sensor C de
com os símbolos de terminal positivo monitorização do estado da bateria
(+) e terminal negativo (–) e estão indi- instalado no pólo negativo (–) D da
cados na tampa da bateria. Os termi- própria bateria;
nais dos cabos devem também estar ligar o cabo positivo (+) do aparelho
livres de corrosão e fixados firmemente de recarga ao pólo positivo da bateria E
aos terminais. Se se utilizar um carre- e o cabo negativo (–) ao terminal do
gador de baterias de tipo "rápido" com sensor D, como na figura;
bateria montada no veículo, antes de ligar o aparelho de recarga.

203
Terminada a recarga, desligar o PROCEDIMENTOS
MANUTENÇÃO E CUIDADOS
aparelho; DE MANUTENÇÃO
depois de desligar o aparelho de
recarga, voltar a ligar o conector A ao
sensor C, conforme fig 181. 181) 182) 183)

72) 73) 74) 75) 76) 77) 78) 79)

LIMPA PÁRA-BRISAS/
LIMPA-ÓCULO
POSTERIOR
Substituição das escovas do 183 J0A0517C

limpa-pára-brisas
Proceder do seguinte modo: montar a nova escova, inserindo a
levantar o braço do limpa lingueta na sede especifica do braço e
pára-brisas, premir a lingueta A certificando-se de que está bloqueada;
fig 182 (versões com volante à baixar o braço do limpa-pára-brisas
esquerda) ou fig 183 (versões com no pára-brisas.
volante à direta) da mola de engate e
Não accionar o limpa-pára-brisas com
extrair a escova do braço;
as escovas levantadas do pára-brisas.
Substituição da escova do
limpa-óculo posterior
Proceder do seguinte modo:
levantar a cobertura A fig 184,
desapertar a porca B e remover o
braço C;
181 J0A0700C posicionar correctamente o novo
braço, apertar a fundo a porca B e, de
seguida, baixar a cobertura A.
182 J0A0345C

204
Lava-óculo posterior
Os jactos do lava-óculo-posterior são ATENÇÃO
fixos. O cilindro porta-jactos está situ-
ado, em cima, no vidro posterior.
72) A manutenção errada do veículo ou a
não execução de intervenções e
reparações (quando necessárias) podem
AVISO comportar reparações mais dispendiosas,
danos em outros componentes ou um
impacto negativo no desempenho do
181) O sistema de introdução de ar (filtro veículo. Mandar examinar imediatamente
184 J0A0346C
de ar, tubagens de borracha, etc.) pode eventuais anomalias de funcionamento na
desempenhar uma função de proteção em Rede de Assistência Jeep.
caso de retornos de chama do motor. NÃO 73) O veículo está equipado com líquidos
Não accionar o limpa-óculo posterior REMOVER este sistema a não ser para optimizados para proteger o seu
com a escova levantada do pára- poder proceder a intervenções de desempenho, duração e prolongar os seus
-brisas. reparação ou de manutenção. Antes de intervalos de manutenção. Não utilizar
ligar o motor, certificar-se de que o sistema substâncias químicas para lavar estes
Lava-pára-brisas não está desmontado: a inobservância componentes, uma vez que podem
Os jactos do lava vidro, localizados no desta precaução pode provocar graves danificar o motor, a caixa de velocidades
lesões. ou o sistema de climatização. Estes danos
capot do motor, são fixos. 182) As emissões do escape são muito não estão cobertos pela garantia do
Se não sair nenhum jacto, verificar em perigosas e podem ser letais. De facto, veículo. Se for necessário efetuar uma
primeiro lugar se está presente líquido contêm monóxido de carbono, um gás lavagem devido à avaria de um
no depósito do lava pára-brisas (ver incolor e inodoro que, se inalado, pode componente, utilizar exclusivamente o
provocar desmaios e envenenamentos. líquido específico para tal procedimento.
parágrafo “Vão do motor” neste capí- 183) O sistema de escape pode atingir 74) Uma quantidade excessiva ou
tulo). Em seguida, certificar-se de que elevadas temperaturas e pode provocar insuficiente de óleo no interior do bloco é
os furos de saída não estão entupidos; um incêndio caso se estacione o veículo extremamente prejudicial para o motor.
se necessário, limpá-los utilizando um sobre material inflamável. Também erva ou Prestar atenção para manter um nível
folhas secas podem incendiar-se se adequado.
alfinete. entrarem em contacto com o sistema de
Nas versões equipadas com tecto de escape. Evitar estacionar o veículo ou
utilizá-lo onde o sistema de escape possa
abrir, antes de accionar os jactos do entrar em contacto com material
lava-vidros, certificar-se de que o tecto inflamável.
está fechado.

205
ELEVAÇÃO DO
MANUTENÇÃO E CUIDADOS
75) Solicitar a utilização exclusiva de 79) É aconselhável confiar a manutenção
refrigerantes e lubrificantes para do veículo à Rede de Assistência Jeep. VEÍCULO
compressor aprovados e adequados ao Para efectuar pessoalmente as operações Caso seja necessário levantar o veículo,
específico sistema de ar condicionado do periódicas e as pequenas intervenções de
veículo. Alguns refrigerantes não aprovados manutenção no veículo, é aconselhável
dirigir-se à Rede de Assistência Jeep,
são inflamáveis e poderiam explodir, com o utilizar equipamento adequado, peças que está equipada com elevadores de
risco de lesões. A utilização de sobresselentes originais e os líquidos braços ou elevadores de oficina.
refrigerantes ou lubrificantes não necessários. Não efetuar qualquer tipo de
aprovados pode ainda comprometer a intervenção se não se possuir a experiência
eficiência do sistema, tornando necessárias necessária.
reparações dispendiosas.
76) O sistema do ar condicionado contém
refrigerante a alta pressão: para evitar
danos em pessoas ou no sistema, o
eventual acréscimo de refrigerante ou
qualquer reparação que exija a desativação
das tubagens deve ser efetuado pela Rede
de Assistência Jeep.
77) Os veículos equipados com conversor
catalítico devem ser alimentados
exclusivamente com gasolina sem
chumbo. Uma gasolina contendo chumbo
danificaria irremediavelmente o catalisador
e anularia a função de redução das
emissões poluentes, comprometendo
gravemente o desempenho do motor,
danificando-o de modo irreparável. Se o
motor não funcionar correctamente,
particularmente em caso de ignição
irregular ou de uma queda de
desempenho, dirigir-se imediatamente à
Rede de Assistência Jeep. O
funcionamento prolongado e anómalo do
motor pode provocar o sobreaquecimento
do catalisador e, consequentemente,
possíveis danos no mesmo e no veículo.
78) A utilização de óleo da caixa de
velocidades diferente do prescrito pode
comprometer a qualidade das mudanças
de velocidade e/ou provocar vibrações
anómalas da própria caixa de velocidades.

206
RODAS E PNEUS CARROÇARIA
AVISO CONSERVAÇÃO DA
CONSELHOS SOBRE A CARROÇARIA
ROTAÇÃO DOS PNEUS 184) Não proceder ao cruzamento em Tinta 84) 7)
caso de montagem de pneus
184) 185) 80) 81) 82) 83) Em caso de abrasões ou fissuras pro-
"unidirecionais". Neste caso, prestar
Os pneus anteriores e posteriores estão sempre atenção para não colocar os fundas, recomenda-se que sejam feitos
sujeitos a diferentes cargas e solicita- pneus em rotação oposta relativamente à de imediato os retoques necessários,
ções devido a viragens, manobras e indicada: correr-se-ia o risco de perder para evitar a formação de ferrugem.
aderência e o controlo do veículo.
travagens. Por isso, estão sujeitos a um 185) Viajar com os pneus parcial ou Algumas partes do veículo estão equi-
desgaste não uniforme. completamente vazios pode provocar padas com uma tinta opaca que, para
Para evitar este problema, é possível problemas de segurança e danificar de ser preservada como tal, necessita de
forma irremediável o pneu em questão. cuidados particulares
efectuar a rotação dos pneus no mo- 85)

mento oportuno. Esta operação é Para uma lavagem correcta do veículo,


aconselhada no caso de pneus com ATENÇÃO seguir estas indicações:
perfil acentuado, adequado quer à con- se se lavar o veículo numa máquina
dução em estrada quer fora da estrada. automática, retirar a antena do
80) O comportamento em estrada do
A rotação dos pneus contribui para veículo depende da correcta pressão de tejadilho;
manter inalteradas as capacidades de enchimento dos pneus. se para a lavagem do veículo forem
aderência e de tracção em estradas 81) Uma pressão demasiado baixa utilizados vaporizadores ou limpadores
provoca o sobreaquecimento do pneu com de alta pressão, manter uma distância
molhadas, com lama ou neve, assegu-
possibilidade de graves danos no mesmo.
rando uma perfeita manobrabilidade do 82) Não efectuar a troca em cruz dos mínima de 40 cm da carroçaria para
veículo. pneus, deslocando-os do lado direito do evitar danos ou alterações.Estagnações
Em caso de desgaste anómalo dos veículo para o esquerdo e vice-versa. de água, a longo prazo, podem
83) Não efectuar tratamentos de nova danificar o veículo.
pneus, a causa deve ser identificada e pintura das jantes em liga leve, uma vez
corrigida antes da rotação dos próprios que necessitam de temperaturas
pneus. superiores a 150°C. As características
mecânicas das rodas podem ficar ATENÇÃO
comprometidas.

84) A fim de manter intactas as


características estéticas da pintura,
aconselha-se a não utilizar produtos
abrasivos e/ou enceradores para a
preparação do veículo.

207
MANUTENÇÃO E CUIDADOS
85) Nas estações de lavagem, evitar a
lavagem do veículo com rolos e/ou ATENÇÃO
escovas. Lavar o veículo exclusivamente à
mão utilizando produtos detergentes com
PH neutro; secá-lo com pele, tipo 7) Os detergentes poluem as águas. Lavar
camurça, humedecida. Não utilizar o veículo somente em zonas equipadas
produtos abrasivos e/ou abrilhantadores para a recolha e a depuração dos líquidos
para o embelezamento do veículo. Os utilizados para a lavagem.
excrementos de pássaros devem ser
lavados imediatamente e com cuidado,
pois a sua acidez é particularmente
agressiva. Evitar (se não for indispensável)
estacionar o veículo por baixo das árvores;
remover imediatamente as substâncias
resinosas de origem vegetal porque, uma
vez secas, para a sua remoção, pode ser
necessário o emprego de produtos
abrasivos e/ou abrilhantadores, vivamente
desaconselhados enquanto potenciais
causas de alteração da característica de
opacidade da tinta. Para a limpeza do
pára-brisas anterior e do óculo posterior
não utilizar o líquido lava-vidro puro; é
necessário diluí-lo pelo menos a 50% com
água. Limitar a utilização de líquido
lava-vidro puro apenas quando
estritamente exigido pelas condições de
temperatura exterior.

208
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

DADOS PARA A IDENTIFICAÇÃO. .210


MOTOR . . . . . . . . . . . . . . . . . .211
Todas instruções úteis para perceber
RODAS . . . . . . . . . . . . . . . . . .213
como é feito e como funciona o seu
DIMENSÕES . . . . . . . . . . . . . . .217
automóvel estão contidas neste capí-
PESOS . . . . . . . . . . . . . . . . . .220
tulo e ilustradas com dados, tabelas e
ABASTECIMENTOS . . . . . . . . . .223
gráficos.Para o apaixonado, o técnico,
FLUIDOS E LUBRIFICANTES. . . . .225
mas também simplesmente para quem
RENDIMENTOS . . . . . . . . . . . . .228
quer conhecer ao pormenor o seu pró-
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL . . .229
prio veículo.
EMISSÕES DE CO2 . . . . . . . . . .230
DISPOSIÇÕES PARA O TRATAMENTO
DO VEÍCULO EM FIM DE VIDA . . .231

209
DADOS PARA A
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
IDENTIFICAÇÃO
NÚMERO DO CHASSIS
O número do chassis (VIN) encontra-se
estampado numa chapa localizada no
ângulo anterior esquerdo do revesti-
mento do quadro de instrumentos
fig 185, visível pelo exterior do veículo
através do pára-brisas.
186 J0A0028C

ZFA
520V
P70
P00
0 016 CHAPA RESUMIDA DOS
DADOS DE
IDENTIFICAÇÃO
Na chapa, situada no montante da
porta anterior do lado esquerdo,
fig 187, estão indicados os dados
ZFA5
20VP
70P00
0016
relativoa a:
A: valor correcto do coeficiente de
fumos (para motores Diesel);
185 J0A0030C
B: nome do fabricante, número de 187 J0A0446C

homologação do veículo, número de


Este número está também gravado no
identificação do veículo, pesos
pavimento do habitáculo, ao lado do
máximos admitidos;
banco anterior direito.
C: identificação do motor, tipo de
Para aceder, fazer deslizar a portinhola variante da versão, número para peças
A fig 186, actuando como indicado na sobresselentes, código de cor, outras
figura. indicações.

210
MOTOR

1.4 Turbo Multi 1.4 Turbo Multi


Versões 1.6 E.Torq 2.4 Tigershark (*)
Air 136/140 CV Air 170CV
Código do tipo 55263624 55263623 55263842 –
Ciclo Otto Otto Otto Otto
Número e posição dos cilindros 4 em linha 4 em linha 4 em linha 4 em linha
Diâmetro e curso dos pistões (mm) 72,0 x 84,0 72,0 x 84,0 77 x 85,8 88,0 x 97,0
Cilindrada total (cm³) 1368 1368 1598 2360
Relação de compressão 10 : 1 10 : 1 11 : 1 10 : 1
100 (*)
Potência máxima (CEE) (kW) 125 81 129
/ 103
136 (*)
Potência máxima (CEE) (CV) 170 110 175
/ 140
regime correspondente (r.p.m.) 5000 5500 5500 6400
Binário máximo (CEE) (Nm) 230 250 152 230
Binário máximo (CEE) (kgm) 23,5 25,5 15,5 23,4
regime correspondente (r.p.m.) 1750 2500 4500 3900
NGK - SINGLE IR -
Velas de ignição NGK IKR9J8 NGK IKR9J8 ZKRFBI - 10
JAPAN C128
Gasolina verde sem Gasolina verde sem Gasolina verde sem Gasolina verde sem
chumbo 95 R.O.N. chumbo 95 R.O.N. chumbo 95 R.O.N. chumbo 95 R.O.N.
Combustível
(Especificação (Especificação (Especificação (Especificação
EN228) EN228) EN228) EN228)
(*) Se presente

211
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
2.0 16V Multijet 2.0 16V Multijet 2.0 16V Multijet
Versões 1.6 16V Multijet
120CV 140CV 170CV
55263087 /
Código do tipo 55260384 55263087 55263088
55263088 (*)
Ciclo Diesel Diesel Diesel Diesel
Número e posição dos cilindros 4 em linha 4 em linha 4 em linha 4 em linha
Diâmetro e curso dos pistões (mm) 79,5 x 80,5 83 x 90,4 83 x 90,4 83 x 90,4
Cilindrada total (cm³) 1598 1956 1956 1956
Relação de compressão 16,5 : 1 16,5 16,5 16,5
85 (**)
Potência máxima (CEE) (kW) 88 103 125
/ 88
115 (**)
Potência máxima (CEE) (CV) 120 140 170
/ 120
regime correspondente (r.p.m.) 3750 4000 3750 / 4000 (*) 3750
Binário máximo (CEE) (Nm) 320 320 350 350
Binário máximo (CEE) (kgm) 32,6 32,6 35,7 35,7
regime correspondente (r.p.m.) 1750 1250 1500 / 1750 (*) 1750
Gasóleo para Gasóleo para Gasóleo para Gasóleo para
auto-tração auto-tração auto-tração auto-tração
Combustível
(Especificação (Especificação (Especificação (Especificação
EN590) EN590) EN590) EN590)
(*) Versões com caixa automática
(**) Onde presente

212
RODAS
JANTES E PNEUS DE SÉRIE
186) 187)

Versões Jantes Pneus Pneus de neve


6,5J x 16 ET40 215/65 R16 98H 215/65 R16 98Q (M+S)
1.4 Turbo MultiAir 7J x 17 ET40 215/60 R17 96H 215/60 R17 96Q (M+S)
7J x 18 ET 40 225/55 R18 98V 225/55 R18 98Q (M+S)
6,5J x 16 ET40 215/65 R16 98H 215/65 R16 98Q (M+S)
1.6 E.Torq 7J x 17 ET40 215/60 R17 96H 215/60 R17 96Q (M+S)
7J x 18 ET 40 225/55 R18 98V 225/55 R18 98Q (M+S)
6,5J x 16 ET40 215/65 R16 98H 215/65 R16 98Q (M+S)
6,5J x 17 ET40 (**) 215/60 R17 96H (M+S) (**) 215/60 R17 96Q (M+S)
2.4 Tigershark(*)
7J x 17 ET40 215/60 R17 96H 215/60 R17 96Q (M+S)
7J x 18 ET 40 225/55 R18 98V 225/55 R18 98Q (M+S)
6,5J x 16 ET40 215/65 R16 98H 215/65 R16 98Q (M+S)
1.6 16V Multijet 7J x 17 ET40 215/60 R17 96H 215/60 R17 96Q (M+S)
7J x 18 ET 40 225/55 R18 98V 225/55 R18 98Q (M+S)
6,5J x 16 ET40 215/65 R16 98H 215/65 R16 98Q (M+S)

6,5J x 17 ET40 (**) 215/60 R17 96H (M+S) (**) 215/60 R17 96Q (M+S) (**)
2.0 16V Multijet
7J x 17 ET40 215/60 R17 96H 215/60 R17 96Q (M+S)
7J x 18 ET 40 225/55 R18 98V 225/55 R18 98Q (M+S)
(*) Onde presente
(**) Versões Trailhawk

213
Roda sobresselente (onde presente)

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
Pneu: T145/90 R16 106M / Jante: 4,0 B x 16H ET22

PRESSÃO DE ENCHIMENTO A FRIO


Com o pneu quente o valor da pressão deve ser +0,3 bar em relação ao valor prescrito. Volte a controlar, de qualquer forma, o
valor correto com o pneu frio. Com os pneus para neve o valor da pressão deve ser +0,2 bar em relação ao valor prescrito
para os pneus fornecidos de fábrica.

Roda so-
Sem/meia carga Com plena carga
bresselente
Roda so-
Pneus de dimen-
bresselente
sões nor-
Dianteira Traseira Dianteira Traseira
mais (*)
215/65 R16 98H 2,4 2,2 2,4 2,4
215/60 R17 96H 2,4 2,2 2,4 2,4 2,4 4,2
225/55 R18 98V 2,4 2,2 2,4 2,4
(*) Após uma utilização de emergência da roda sobresselente, se necessário, alinhe logo que possível a pressão da roda consoante o valor
recomendado, consultando a tabela seguinte.

214
CORRENTES DE NEVE
86)

Versões de tração dianteira e integral: o uso de correntes de neve de 7 mm é permitido nos pneus 215/65 R16 e 215/60
R17. No entanto, não é possível aplicar correntes nos pneus 225/55 R18.
Avisos
O uso das correntes de neve está subordinado às normas vigentes em cada País. Em alguns Países, os pneus identificados
com a sigla M+S (Mud and Snow) são considerados equipamentos de Inverno; a sua utilização é, por isso, equiparada à utili-
zação das correntes de neve.
As correntes de neve só devem ser aplicadas nos pneus das rodas dianteiras.
Controle a tensão das correntes de neve depois de ter percorrido algumas dezenas de metros.
A utilização de correntes de neve com pneus de dimensões não originais pode danificar o veículo.
A utilização de pneus de medida ou tipo diferentes (M+S, de neve) entre o eixo dianteiro e traseiro pode comprometer a con-
dução do veículo, com o risco de perda de controlo e de acidentes.

215
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS AVISO

186) Caso sejam utilizados pneus de Inverno com índice de velocidade inferior ao indicado no Documento Único Automóvel, não superar a
velocidade máxima correspondente ao índice de velocidade utilizado.
187) No caso de utilização de tampões das rodas integrais fixados (com mola) à jante de chapa e pneus não de fábrica (em pós-venda),
equipados com "Rim Protector", NÃO montar os tampões de roda. A utilização de pneus e tampões de roda não adequados poderá levar à
perda imprevista de pressão do pneu.

ATENÇÃO

86) Com as correntes montadas, manter uma velocidade moderada; não ultrapassar a velocidade de 50 km/h. Evite os buracos, não suba
degraus ou passeios e não percorra longos troços em estradas sem neve, para não danificar o veículo e o asfalto.

216
DIMENSÕES
As dimensões estão expressas em mm e referem-se ao veículo equipado com pneus em dotação. A altura entende-se com o
veículo sem carga.

188 J0A0019C

A B C D E (*) F G H I
4255 / 793 / 797 1667 / 1551 / 1553 /
892 2570 2023 1805
4259 (**) (**) 1697 (***) 1541 (**) 1541 (**)
(*) Versões Trailhawk: 1697 / 1727 (com barras porta-bagagens)
(**) Versões Trailhawk
(***) Com barras porta-bagagens

217
ALTURA MÍNIMA AO SOLO/ÂNGULOS CARACTERÍSTICOS

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

189 J0A0242C

"Altura mínima ao solo" (referência A fig 189 )


O valor da altura é medido na proximidade da margem inferior do diferencial. Este valor determina também os relativos ao "Ân-
gulo de engate", "Ângulo de saída" e ao "Ângulo de ruptura".
As dimensões estão expressas em mm e referem-se ao veículo equipado com pneus em dotação.
Versões com tracção anterior (FWD): 171 mm
Versões com tracção integral (4WD): 201 mm
Versões Trailhawk com tracção integral (4WD LOW): 225 mm
"Ângulo de engate" (referência B fig 189 )
O ângulo de engate é determinado pela linha horizontal do piso da estrada e pela linha tangente que passa entre a roda ante-
rior e o ponto inferior mais saliente do veículo.

218
Quanto maior é o ângulo, menores serão as possibilidades de colidir, com a carroçaria ou o chassis, durante uma subida acen-
tuada ou ao ultrapassar um obstáculo.
Versões com tracção anterior (FWD): 17,9°
Versões com tracção integral (4WD): 21°
Versões Trailhawk com tracção integral (4WD LOW): 30,5°
"Ângulo de saída" (referência C fig 189 )
O ângulo de saída é determinado pelas mesmas linhas do "Ângulo de engate" e refere-se à parte posferior do veículo.
Versões com tracção anterior (FWD): 29,7°
Versões com tracção integral (4WD): 32,1°
Versões Trailhawk com tracção integral (4WD LOW): 34,3°
"Ângulo de ruptura" (referência D fig 189 )
O valor do "Ângulo de ruptura" está relacionado com a altura ao solo do veículo e representa a possibilidade do veículo de ul-
trapassar uma lomba, mais ou menos acentuada, sem que o veículo, ao tocar na lomba com as suas partes inferiores mais
salientes (normalmente a parte inferior da carroçaria), permaneça apoiado no terreno com o chassis ou com a carroçariala, que
provocaria a perda de aderência das rodas.
Estas, não dispondo de uma aderência adequada ao terreno, não terão aderência suficiente para fazer avançar o veículo, aca-
bando com o funcionamento em vazio.
Quanto maior é a altura ao solo, maior será o ângulo de ruptura. Em todo o caso, ter presente que, quanto maior é a altura ao
solo, menor é a sua estabilidade devido à subida do centro de gravidade, reduzindo consequentemente o ângulo de bascula-
mento lateral.
Versões com tracção anterior (FWD): 21,2°
Versões com tracção integral (4WD): 24°
Versões Trailhawk com tracção integral (4WD LOW): 25,7°

219
PESOS
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
1.4 Turbo Multi Air 136/ 1.4 Turbo Multi Air 140CV 1.4 Turbo Multi Air 170CV
Pesos (kg)
140CV (*) (**) (***)