Você está na página 1de 25

RQ – Civil

Prof. Murilo

Tema: Família
Questão 01.

João e Carla foram casados por cinco anos, mas, com o


passar dos anos, o casamento se desgastou e eles se
divorciaram. As três filhas do casal, menores impúberes,
ficaram sob a guarda exclusiva da mãe, que trabalha em
uma escola como professora, mas que está com os salários
atrasados há quatro meses, sem previsão de recebimento.
João vinha contribuindo para o sustento das crianças, mas,
estranhamente, deixou de fazê-lo no último mês. Carla, ao
procurá-lo, foi informada pelos pais de João que ele sofreu
um atropelamento e está em estado grave na UTI do
Hospital Boa Sorte.
Como João é autônomo, não pode contribuir,
justificadamente, com o sustento das filhas. Sobre a
possibilidade de os avós participarem do sustento das
crianças, assinale a afirmativa correta.

A) Em razão do divórcio, os sogros de Carla são ex-sogros,


não são mais parentes, não podendo ser compelidos
judicialmente a contribuir com o pagamento de alimentos
para o sustento das netas.

B) As filhas podem requerer alimentos avoengos, se


comprovada a impossibilidade de Carla e de João
garantirem o sustento das filhas.
C) Os alimentos avoengos não podem ser requeridos,
porque os avós só podem ser réus em ação de alimentos no
caso de falecimento dos responsáveis pelo sustento das
filhas.

D) Carla não pode representar as filhas em ação de


alimentos avoengos, porque apenas os genitores são
responsáveis pelo sustento dos filhos.
Questão 41
Questão 02.

Clara e Sérgio são casados pelo regime da comunhão


parcial de bens. Durante o casamento, o casal adquiriu
onerosamente um apartamento e Sérgio herdou um sítio
de seu pai. Sérgio morre deixando, além de Clara, Joaquim,
filho do casal.
Sobre os direitos de Clara, segundo os fatos narrados,
assinale a afirmativa correta.
A) Clara é herdeira do apartamento, em concorrência com
Joaquim.

B) Clara é meeira no apartamento e herdeira do sítio, em


concorrência com Joaquim.

C) Clara é herdeira do apartamento e do sítio, em


concorrência com Joaquim.

D) Clara é meeira no sítio e herdeira do apartamento, em


concorrência com Joaquim.
Questão 03.

João e Maria casaram-se, no regime de comunhão parcial


de bens, em 2004. Contudo, em 2008, João conheceu
Vânia e eles passaram a ter um relacionamento amoroso.
Separando- se de fato de Maria, João saiu da casa em que
morava com Maria e foi viver com Vânia, apesar de
continuar casado com Maria. Em 2016, João, muito feliz
em seu novo relacionamento, resolve dar de presente um
carro 0 km da marca X para Vânia. Considerando a
narrativa apresentada, sobre o contrato de doação
celebrado entre João, doador, e Vânia, donatária, assinale
a afirmativa correta.
A) É nulo, pois é hipótese de doação de cônjuge adúltero ao
seu cúmplice.

B) Poderá ser anulado, desde que Maria pleiteie a anulação


até dois anos depois da assinatura do contrato.

C) É plenamente válido, porém João deverá pagar perdas e


danos à Maria

D) É plenamente válido, pois João e Maria já estavam


separados de fato no momento da doação.
Questão 04.

Augusto e Raquel casam-se bem jovens, ambos com 22


anos. Um ano depois, nascem os filhos do casal: dois
meninos gêmeos. A despeito da ajuda dos avós das
crianças, o casamento não resiste à dura rotina de
criação dos dois recém-nascidos. Augusto e Raquel
separam-se ainda com os filhos em tenra idade, indo as
crianças residir com a mãe. Raquel, em pouco tempo,
contrai novas núpcias. Augusto, em busca de um melhor
emprego, muda-se para uma cidade próxima.
A respeito da guarda dos filhos, com base na
hipótese apresentada, assinale a afirmativa correta.
A) A guarda dos filhos de tenra idade será atribuída
preferencialmente, de forma unilateral, à mãe.
B) Na guarda compartilhada, o tempo de convívio com os
filhos será dividido de forma matemática entre o pai e a
mãe.
C) O pai ou a mãe que contrair novas núpcias perderá o
direito de ter consigo os filhos.
D) Na guarda compartilhada, a cidade considerada base de
moradia dos filhos será a que melhor atender aos
interesses dos filhos.
Questão 05.

Em maio de 2005, Sérgio e Lúcia casaram-se pelo regime da


comunhão parcial de bens. Antes de se casar, ele já era
proprietário de dois imóveis. Em 2006, Sérgio alugou seus
dois imóveis e os aluguéis auferidos, mês a mês, foram
depositados em conta corrente aberta por ele, um mês
depois da celebração dos contratos de locação. Em 2010,
Sérgio recebeu o prêmio máximo da loteria, em dinheiro,
que foi imediatamente aplicado em uma conta poupança
aberta por ele naquele momento.
Em 2013, Lúcia e Sérgio se separaram. Lúcia procurou um
advogado para saber se tinha direito à partilha do prêmio
que Sérgio recebeu na loteria, bem como aos valores
oriundos dos aluguéis dos imóveis adquiridos por ele antes
do casamento e, mensalmente, depositados na conta
corrente de Sérgio. Com base na hipótese narrada, assinale
a afirmativa correta.

A) Ela não tem direito à partilha do prêmio e aos valores


depositados na conta corrente de Sérgio, oriundos dos
aluguéis de seus imóveis, uma vez que se constituem como
bens particulares de Sérgio.
B) Ela tem direito à partilha dos valores depositados na
conta corrente de Sérgio, oriundos dos aluguéis de seus
imóveis, mas não tem direito à partilha do prêmio obtido
na loteria.
C) Ela tem direito à partilha do prêmio, mas não poderá
pleitear a partilha dos valores depositados na conta
corrente de Sérgio, oriundos dos aluguéis de seus imóveis.
D) Ela tem direito à partilha do prêmio e dos valores
depositados na conta corrente de Sérgio, oriundos dos
aluguéis dos imóveis de Sérgio, uma vez que ambos
constituem-se bens comuns do casal.
Questão 06.

Juliana é sócia de uma sociedade empresária que produz


bens que exigem alto investimento, por meio de
financiamento significativo. Casada com Mário pelo
regime da comunhão universal de bens, desde 1998, e sem
filhos, decide o casal alterar o regime de casamento para o
de separação de bens, sem prejudicar direitos de terceiros,
e com a intenção de evitar a colocação do patrimônio já
adquirido em risco. Sobre a situação narrada, assinale a
afirmativa correta.
A) A alteração do regime de bens mediante escritura pública,
realizada pelos cônjuges e averbada no Registro Civil, é
possível.

B) A alteração do regime de bens, tendo em vista que o


casamento foi realizado antes da vigência do Código Civil de
2002, não é possível.
C) A alteração do regime de bens mediante autorização
judicial, com pedido motivado de ambos os cônjuges,
apurada a procedência das razões invocadas e ressalvados
os direitos de terceiros, é possível.

D) Não é possível a alteração para o regime da separação de


bens, tão somente para o regime de bens legal, qual seja, o
da comunhão parcial de bens.
Questão 07.

Júlio, casado com Isabela durante 23 anos, com quem


teve 3 filhos, durante audiência realizada em ação de
divórcio cumulada com partilha de bens proposta por
Isabela, reconhece, perante o Juízo de Família, um filho
havido de relacionamento extraconjugal. Posteriormente,
arrependido, Júlio deseja revogar tal reconhecimento.
Sobre os fatos narrados, assinale a afirmativa correta.
A) O reconhecimento de filho só é válido se for realizado
por escritura pública ou testamento.

B) O reconhecimento de filho realizado por Júlio perante o


Juízo de Família é ato irrevogável.

C) O reconhecimento de filho em Juízo só tem validade em


ação própria com essa finalidade.

D) Júlio só poderia revogar o ato se este tivesse sido


realizado por testamento.
Questão 08.

João Henrique residia com sua companheira Natália em


imóvel alugado a ele por Frederico pelo prazo certo de
trinta meses, tendo como fiador Waldemar, pai de João
Henrique. A união do casal, porém, chegou ao fim, de
forma que João Henrique deixou o lar quando faltavam
seis meses para o fim do prazo da locação. O locador e o
fiador foram comunicados a respeito da saída de João
Henrique do imóvel. Sobre o caso apresentado, assinale
a afirmativa correta.
A) Como o locatário era João Henrique, sua saída do
imóvel implica a extinção do contrato de locação,
podendo Frederico exigir, imediatamente, que Natália o
desocupe.

B) Como João Henrique era o locatário, sua saída permite


que Natália continue residindo no imóvel apenas até o
término do prazo contratual, momento em que o contrato
se extingue, sem possibilidade de renovação, salvo nova
convenção entre Natália e Frederico.
C) Com a saída do locatário do imóvel, a locação prossegue
automaticamente tendo Natália como locatária, porém a
fiança prestada por Waldemar caduca, permitindo a
Frederico exigir de Natália o oferecimento de nova
garantia, sob pena de resolução do contrato.

D) Com a saída do locatário, a locação prossegue com


Natália, permitido a Waldemar exonerar-se da fiança em
até trinta dias da data em que for cientificado da saída do
seu filho do imóvel; ainda assim, a exoneração só produzirá
efeitos cento e vinte dias depois de notificado o locador.
Questão 09.

Roberto e Ana casaram-se, em 2005, pelo regime da


comunhão parcial de bens. Em 2008, Roberto ganhou na
loteria e, com os recursos auferidos, adquiriu um imóvel no
Recreio dos Bandeirantes. Em 2014, Roberto foi agraciado
com uma casa em Santa Teresa, fruto da herança de sua
tia. Em 2015, Roberto e Ana se separaram. Tendo em vista
o regime de bens do casamento, assinale a afirmativa
correta.
A) Os imóveis situados no Recreio dos Bandeirantes e em
Santa Teresa são bens comuns e, por isso, deverão ser
partilhados em virtude da separação do casal.

B) Apenas o imóvel situado no Recreio dos Bandeirantes deve


ser partilhado, sendo o imóvel situado em Santa Teresa bem
particular de Roberto.
C) Apenas o imóvel situado em Santa Teresa deve ser
partilhado, sendo o imóvel situado no Recreio dos
Bandeirantes excluído da comunhão, por ter sido adquirido
com o produto de bem advindo de fato eventual.

D) Nenhum dos dois imóveis deverá ser partilhado, tendo em


vista que ambos são bens particulares de Roberto.
GABARITO
01) B 02) B

03) D 04) D

05) D 06) C

07) B 08) D

09) B