Você está na página 1de 180

Redação, desenho do programa e preparação de material de psicoestimulación:

Teresa Rodriguez Mar tinez

Processamento das folhas de guia reminiscências:


Gar estrela Teresa Martínez Rodríguez
Fernández CIA Maria Manuela Rascón
Emelina García Rodríguez Álvarez

Comente e coordenação do documento:


Pilar Rodríguez Rodríguez

Expressamos nossa maior apreço pela colaboração:


Professor Fernando Cuetos Vega, por sua leitura do documento e as suas sugestões para o texto. Para os
profissionais do Centro de Dia Gijon Pumarín que trabalham diretamente no desenvolvimento de terapias diferentes,
onde o programa começou, porque com as suas sugestões para buscar melhorar e adaptar estes instrumentos e
materiais.

promove:
Direcção Geral de Cuidados para idosos, deficientes e dependentes

edit:
Governo do Principado das Astúrias. Ministério dos Assuntos Sociais

Desenho: Publidisa

Pré-impressão: FOTOMECANICA Asturiana, SCL

Imprimir: Gráfico EUJOA, SA

Depósito Legal: AS / 3.190-2002


CONTEÚDO

INTRODUÇÃO ................................................. ............................... 7

INTRODUÇÃO. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11

estimulação cognitiva ............................................... ....... 15


Características itervención .............................................. ...... 17
sessões Psicoestimulación ............................................... ....... 19
intervenção suporte técnico ............................................ .. 21
tarefas de estimulação cognitiva .............................................. ..... 30

MATERIAL DE ESTIMULAÇÃO .................................... 37 COGNITIVA


Descrição do material incluído no CD .................................... 39
folha de avaliação neuropsicológica indivíduo ............................ 47
Tab para sessões de agendamento ................................... 48

............................................... TAREFAS Psychostimulation ... 49

GLOSSÁRIO DE TERMOS neuropsicológicos ........................ 167

Referências ................................................. ................................. 179


apresentação

O aumento da expectativa de vida, principalmente associada com avanços biomédicos e


melhorias nas condições de vida é um fato que caracteriza os dados demográficos atuais
em sociedades desenvolvidas e é a causa raiz que está produzindo neles um
envelhecimento notável suas populações.

Este é um fenômeno em si mesmo positivo, é claro indicador de progresso e


desenvolvimento de civilizações, mas isso não impede que coloque algumas sombras
para hoje ainda não tem muitas soluções.

No campo da saúde, um dos aspectos resultantes do aumento da expectativa de vida de


maior preocupação tanto dos próprios indivíduos, que temos estão envelhecendo All,
como os responsáveis ​pelo planejamento e gestão de recursos, é aumentando o número
de pessoas que têm perda progressiva da capacidade funcional e vir a precisar de
cuidados e cuidados de longa duração. Talvez as situações que levam à perda de
independência pessoal, um dos mais alarmantes são degenerativas síndromes de
doenças cerebrais que causam comprometimento cognitivo ou demência.

Por um lado, é preciso levar em conta a sua dimensão quantitativa, cuja incidência é
estimada entre 5 e 10% das pessoas com mais de 65 anos, a idade em que o fator de
risco mais documentado demências degenerativas. Por outro lado, não se deve ignorar a
gravidade da deficiência que estas doenças causam na pessoa, que está imerso em uma
progressiva deterioração de suas faculdades mentais e físicas, bem como a necessidade
progressiva de cuidados, que a maioria muitas vezes eles foram fornecidos
exclusivamente por sua família.

Deve-se ter em mente, além disso, um fenômeno novo, não porque está emergindo, ser
banalizado, tanto na dimensão qualitativa e quantitativa. Este é o número de pessoas com
deficiência intelectual também foram alargados a expectativa de vida e começar a
experiência, em uma idade mais cedo do que o resto da população, demenciais
processos.
Mas, além leituras negativas tais situações, uma das reflexões mais ouvidas nas últimas
décadas em diferentes relacionados com o estudo de fóruns envelhecimento, é que os
estados que "não é suficiente para dar anos de vida, mas devemos dar vida aos anos".
Este slogan resume o caminho agora se concentra grande parte da pesquisa e
desenvolvimento de intervenções aplicadas no campo da gerontologia e da deficiência, ou
seja, a busca pela melhor qualidade de vida no processo de envelhecimento.

A fo rtunadamente essa reorientação em Ivos jato ob de em tention TERV n é l também


legando Amb ito de doenças degenerat cerebrais ivas, banindo gradualmente, você
pessimista e raizadas em posições excesivamen profundas e desencorajar Nihi li smo ico
Terapeut. Assim, observa-se que a partir da saúde baseada no modelo médico tradicional
na ausência de doença e focado exclu sivamente a concep à reabilitação na recuperação
da função danificado, ele está se movendo em direção a um modelo de intervenção mais
globalista, baseada na compreensão saúde e não como au presença de doença, mas
como bio-psio b ienestar -cosocial, ganhando força psicossocial modelo de intervenção p
que enfatiza Ivos objet em estreita colaboração com o conceito sub jet ivo quali dade de
vida.

O objetivo orientador desta publicação é simplesmente fornecer profissionais técnicos que


desenvolvem o seu trabalho em cuidados de dispositivos para os idosos ou pessoas com
deficiência e que têm comprometimento cognitivo ou demência, uma compilação de
ferramentas e materiais que tenham resultados úteis e juros no campo de programas de
intervenção desenvolvimento de estimulação cognitiva.

Com a difusão deste novo documento técnico que tomar outro passo para melhorar a
qualidade do que s serviços do Ministério da social Asun s ter marcado como Tario ob ile
jet priori. Porq ue avançar o desenvolvim ento de poli t ica sociais, neste caso, em ine l de
p REVENÇÃO e cuidado situações Dependência ia não só re qui ere muito tes Impo rtan
esforços orçamentais, tais como os eles são Desarrol Lando pelo Governo do Principado
das Astúrias, a di Sponer uma extensa rede de recu rso atenção s em vários níveis ao
longo do astu Riano Territo rio. É também necessário que o tes prog di Feren ramos rea l
içou po r fo profissionais rm com ção adequada e constantemente atualizado,
Acreditamos que as orientações, recomendações e ferramentas que estão contidos nesta
publicação pode ser útil para orientar a concepção e desenvolvimento de intervenções e
programas psicoestimulación equipes de profissionais que trabalham no campo
gerontológico, quer em lares de idosos ou centros de dia, e também para aqueles que
trabalham em áreas de deficiência (centros de trabalho ou de suporte à integração e
dispositivos que recebem) quando confrontados com determinados processos de
envelhecimento associados com deficiências cognitivas.

O Governo do Principado das Astúrias fez cuidados para as pessoas em risco ou em


situação de dependência é uma prioridade política clara, que tem a sua tradução direta
para o desenvolvimento significativo de serviços que realizamos em um único termo, de
ajuda casa, através de centros de dia, até as residências. Fazemo-lo a partir da convicção
de que as políticas sociais destinadas aos sectores mais débeis da sociedade deve ser a
primeira preocupação de um governo comprometido com a solução dos problemas
apresentados por ambos os indivíduos e grupos familiares que estão integrados. No
desenvolvimento desta política a partir da perspectiva que temos uma sociedade
diferente, você precisa ter recursos que fornecem cuidados para as pessoas e dar apoio
aos cuidadores familiares,

Se os materiais recolhidos aqui resultar em uma melhoria da prática profissional e, assim,


para aumentar o bem-estar das pessoas que sofrem um processo de comprometimento
cognitivo e aumento da qualidade de vida de suas famílias, ter alcançado o propósitos que
nos propusemos a decidir nesta publicação.

José García González


Ministro dos Assuntos Sociais
introdução

terapias não-droga chamada, às vezes também chamados terapias suaves destinadas a


pessoas com comprometimento cognitivo ou demência, são um exemplo claro da
reorientação estão tendo os alvos de intervenção em indivíduos envelhecimento e ênfase
na aumento da qualidade de vida e bem-estar. Tais terapias estão tendo uma grande
expansão atualmente em nosso país e no resto da comunidade internacional,
impulsionado principalmente pelo campo aplicado e deve necessariamente caminham lado
a verdade, já começando a acontecer-, desenvolvimento de pesquisa luz e fornecer o
conhecimento científico para chegar a conclusões bem documentadas sobre eles.

O início das intervenções não farmacológicas nos processos de comprometimento cognitivo


pode colocá-lo na década dos anos sessenta, e fazendo uma breve análise da evolução
destas terapias, nestes quarenta anos podem ser identificados e destacar as seguintes
contribuições:

a) Em primeiro lugar, devemos mencionar na década de 60 nos Estados Unidos da América as


técnicas conhecidas como orientação para a realidade. Técnicas lia rum desen tanto quanto
est il ivo comunicat (chamado modo TdR 24 horas), que fornecem pacientes com deterioração
Cogni carga tiva inst comutação verbal genes específicos de pró po elementos de orientação
(rcionar hora, o local, pessoa e situação) em diferentes momentos do dia, e sessões de grupos
que foram realizadas onde INTAS ato dist relacionada com a orientação realidade (o chamado
modo de aula ro om TOR) ivities.

Estes primeiro levantadas inúmeras publicações técnicas entre os quais inclui importantes
Crit ICAS rum. Embora alguns deles não eram sem razões, deve-se reconhecer
habilidades de aconselhamento à realidade que o rum é um primeiro passo indiscut ible a
um novo campo de pesquisa e intervenção até então permaneceu desconhecida.

Atualmente, essas técnicas são de grande interesse e ainda são amplamente utilizado, na
maioria das vezes em combinação com os outros, sim, tendo em conta as limitações dos
mesmos, o
que será referido daqui em diante, e foram descritos através das diferentes experiências
de intervenção.

b) Outro antecedente deve mencioná-lo é a terapia Reminiscences, introduzido na década de


80 pelo Norris Inglês. Com base em uma abordagem dinâmica e inicialmente destinado a
pessoas idosas sem deficiência mental, este lugares terapia ênfase no poder terapêutico de
reminiscências, ou seja, as memórias associadas com sentimentos, que podem ser
evocadas em sessões específicas de trabalho a partir de estímulos elicitação apropriadas
técnicas de validação.

Terapia Reminiscences foi aplicado a pessoas com comprometimento cognitivo ou


demência, sendo muito apropriado como perda de memória correndo em doenças
degenerativas, como a doença de Alzheimer apresenta um gradiente temporal de modo
que as primeiras lembranças são mantidos fases doença avançada, tornando estes
sessões, desde que haja uma adaptação adequada para o grau de deterioração dos
participantes, contextos terapêuticos adequados para o doente / como tanto a sua
dimensão cognitiva como psicótico.

c) Deve também ser mencionado, em terceiro lugar, técnicas de validação desenvolvido


pelo autor italiano Naomi Fail, que surgiu principalmente como um 60 alternativas e
behaviorismo movimento crítico e efeitos contraproducentes de algumas experiências de
intervenções desenvolvidas TOR.

Esta base atual, essencialmente humanista, é baseado em 10 suposições fundamentais


sobre as pessoas com demência hipótese de que o valor se trancaram para a reflexão
sobre a prática profissional com este grupo de pacientes, vale a pena reproduzir a seguir:

1. Cada um é único e deve ser tratada como um indivíduo.


2. Toda pessoa é valiosa, mas permanecem desorientado.
3. Há sempre uma razão por trás de cada comportamento da pessoa com demência.

4. O comportamento da pessoa com demência não é apenas uma função de dano cerebral
depende de mudanças físicas, sociais e psicológicas que ocorrem em sua vida.

5. Não podemos forçar a pessoa com demência para mudar o comportamento, porque
só mudar se a pessoa está motivada a mudar.

6. A pessoa mais velha deve aceitar sua situação.


7. Cada estágio de desenvolvimento tem algumas tarefas. O não preenchimento das atividades
de cada fase pode levar a problemas psicológicos.
8. A falha de memória recente leva a uma maior restaurar o equilíbrio de sua vida
pessoa mantida recuperar memória. Da mesma forma deficiência sensorial (visão e
audição) carrega a memória do visto e ouvido para a segurança.

9. A expressão de sentimentos dolorosos, quando eles são reconhecidos e valorizados


por alguém que ouve de confiança, alivia a dor disse. Por outro lado, se os
sentimentos dolorosos são ignoradas e se esconder eles destroem a força
psicológica do indivíduo.
10. Empatia gera confiança, reduz a ansiedade e restaura a dignidade da pessoa.

Sob esta filosofia, eles desenvolveram e recuperou diferentes técnicas destinadas a


melhorar a comunicação com a pessoa com demência, e são usados ​em diferentes
contextos em que o principal objectivo da intervenção com a pessoa com demência é a
motivação e melhoria psico do restauração da dignidade e auto-estima.

d) Desde o final dos anos 80, estamos testemunhando um grande avanço de terapias
não-farmacológicas que baseiam seus programas de intervenção fundada em modelos de
projetos contribuíram psicologia cognitiva. Todos os modelos de funcionamento humano
em diversas funções e processos cognitivos, como a memória, a linguagem, o
desempenho práxis ou processos perceptivos e reconhecimento gnósico. Este é um
campo de conhecimento em progresso contínuo, e do modelo neurocognitivo, um modelo
que transcende a classificação nosológica de neuropsicologia clínica tradicional,
contribuição de relevância inquestionável emergente tanto para o desenho de programas
de intervenção cognitivas para idiográfica avaliação dos casos.

Em conclusão, podemos dizer que hoje, estamos testemunhando uma tendência eclética
dentro do panorama das intervenções não farmacológicas em pessoas com distúrbios
cognitivos, sendo comum encontrar programas de intervenção que combinam diferentes
abordagens e contribuições técnicas fornecidas que combinam objectivos comuns . Alvos,
como já mencionado acima, muito próximo à melhoria da qualidade de vida das pessoas
com comprometimento cognitivo ou demência, e que se relacionam com a promoção do
nível de autonomia pessoal, reforço das capacidades e habilidades (cognitivo , funcional e
social) ainda preservada, retardando o processo de deterioração, assim como o reforço da
auto-estima e melhorar o estado psicoafectivo.
Dentro deste panorama da dinâmica de terapias não-farmacológicas chamado estimulação
cognitiva ou Psychostimulation está localizado. Este tipo de intervenção está sendo cada vez
mais utilizado (em contextos residenciais, em centros de dia, dispositivos ambulatórios, etc.)
indo para complementar o tratamento medicamentoso exclusivo de síndromes de
comprometimento cognitivo ou demência.

definição aceite do estímulo cognitivo chamada ou Psychostimulation, que é descrito


como um conjunto de actividades e estratégias de intervenção destinadas a aumentar a
neuroplasticidade neuropsicológica pessoa deficiência cognitiva e funciona principalmente
estimulando os processos cognitivos preservados.

Esta terapia é baseada no corpo científico do conhecimento que fornecem


neuropsicologia, psicologia cognitiva, e as teorias e princípios existentes sobre a
aprendizagem e motivação humana.

Em conformidade com os objectivos acima para todas as terapias não farmacológicas,


estimulao cognitiva é dirigida mais especificamente para melhorar o funcionamento
cognitivo de pessoas com disfunção cognitiva ou demência modo, melhorando as
competências e habilidades cognitivas ainda preservada assim como retardando o
processo de deterioração. Note-se que esta terapia não resolve definitivamente recuperar
ou retardar processos degenerativos, aspecto terapêutico inatingível hoje, infelizmente, a
partir de qualquer abordagem terapêutica.

Esta edição está na área aplicada com o objectivo de serv ir para a ajuda e guias e vários
profissionais de campo relacionadas, incluindo vários materiais e considerações de
interesse para fácil ITAR e sistematizar os programas de estimulação de design e
desenvolvimento cognitiva. A intenção é simplesmente para colocar nas mãos destes / as
profissionais ferramentas válidas de intervenção, na esperança de que eles podem ser
efetivamente aplicado em ambos os cuidados diferentes recursos para os idosos com
síndromes de comprometimento cognitivo ou demência como nos cuidados pessoas com
deficiência para ir cumprindo anos começam processos de envelhecimento precoce.

O uso adequado desses materiais não devem de forma alguma evitar as bases científicas
e teóricas necessárias que suportam este tipo de intervenções que transcendem mero
entretenimento, e cujo conhecimento é essencial para a correcta aplicação do mesmo.
Consulta e estudo da bibliografia recomendada no final do texto sem dúvida, contribuir
para isso.
estimulação cognitiva

características de intervenção 1

A estimulação cognitiva pode ser caracterizada destacando diferentes questões de


particular importância na conceituação este tipo de intervenção.

a) A natureza terapêutica da programação

Contra outros tipos de actividades que visam principalmente o entretenimento de pessoas


e onde a improvisação predomina planejamento, estimulação cognitiva é baseada em
uma base científica e teórica e tem um propósito terapêutico claro onde a programação
individualizada se torna o eixo principal planejamento.

b) A natureza global e abrangente da intervenção

Estimulação Cognitiva aborda os diferentes níveis do indivíduo funcional, cognitiva,


esquizoafetivo e relacional. O desempenho cognitivo em humanos não é independente
dos outros níveis, de modo que este tratamento deve incluir e ter em conta as diferentes
dimensões de design e interacção humana contínua que ocorre entre eles.

Por outro lado, diferentes funções cognitivas atuar como sistemas inter-funcionais
entrando em jogo diferentes combinações e organizações de processos e subsistemas
dependendo tarefas cognitivas que deve responder o assunto em um determinado
momento. Assim, uma determinada tarefa em uma sessão agendada psicoestimulación,
geralmente age através da implementação de vários sistemas, e a realização de uma
mais global de transcender os componentes específicos de diferentes funções de
estimulação cognitiva.

c) A programação individualizada

Em linha com a anteriormente afirmado, é imperativo que a estimulação cognitiva é


aplicado de acordo com os princípios da intervenção individualizada. Para isso será
essencial para levar a cabo uma como-

17
estimulação cognitiva

ção de cada pessoa individualmente, com vista a estabelecer um diagnóstico


neuropsicológico para detectar variáveis ​de torque de diferentes tipos de relevância cognitiva,
mas reconhecido para o desenvolvimento do programa psicoestimulativo.

A avaliação incluirá uma avaliação abrangente neuropsicológica, teve como objetivo


conhecer os processos cognitivos preservados, os processos perdidos, processos
alterados e do tipo e grau de alteração deste último.

A avaliação neuropsicológica deve também abreviado testes ou baterias necessárias para


um maior acompanhamento, incluindo outros testes neuropsicológicos com base em um
design idiográfica.

Ele também deve coletar informações sobre as variáveis ​relativas à pessoa com
importância para este tipo de intervenção, entre os quais incluem: nível acadêmico
pré-mórbido, hábitos e interesses, a existência de distúrbios comportamentais ou
desencontros psicótico, habilidades variáveis ​de relacionamento social e de personalidade
relevantes, como pode ser o grau de tolerância à frustração.

Esta avaliação permitirá a seleção de tarefas adaptadas às características pessoais de


cada participante, e mais tarde deve acompanhar regularmente o progresso de cada
pessoa, a fim de rever e ajustar as atividades e tarefas para o grau de deterioração e
evolução psico feita.

d) A natureza especializada da intervenção

A estimulação cognitiva ou Psychostimulation é uma terapia especializada, e, como tal, é


imperativo que é projetado e supervisionado pelo especialista na área de profissionais
neuropsicologia.

Isso não significa a incapacidade de delegar ações em outros profissionais de cuidados


direto mais contínuo, como educadores ou enfermeira. As sessões podem ser conduzidas
em pequenos grupos, guiados por esses profissionais, desde treinamento lá antes da
mesma e que a avaliação dos pacientes, projetando programação e acompanhamento
das atividades terapêuticas é conduzida especializada em profissionais de
neuropsicologia .

18
estimulação cognitiva

sessões Psicoestimulación 2

Aqui estão algumas recomendações práticas, extraídas da experiência cotidiana, a fim de


fornecer orientação no desenho de grupos e sessões estão definidos.

a) No que diz respeito aos monitores / as que energizar sessões

• Como já observado, as sessões devem ser guiadas por monitores / as treinados e


supervisionados por profissionais da neuropsicologia.

• A proporção desejável para o desenvolvimento das sessões é que há um monitor / a para


5 pessoas com moderada a grave comprometimento cognitivo, essa proporção pode
aumentar até 1 monitor / a por 10 pessoas com comprometimento cognitivo leve.

b) A frequência e duração das sessões

• A frequência das sessões pode ser variável, sendo considerados intervalos apropriados
que variam de um mínimo de três sessões por semana para uma frequência diária.

• A duração de cada sessão, geralmente, entre 30 e 90 minutos, para cada grupo,


dependendo tanto a gravidade dos danos a componentes dos mesmos, tais como o
tipo de tarefas que compõem a sessão.

c) grupo Composição

• É importante que, tanto quanto possível, ser grupos homogêneos de acordo com o grau
de comprometimento cognitivo.

• não como ou uidance geral G em um quarto é aconsejab sabia que você re o número de 15
pessoas, sempre que, em seguida, trabalham em rupos subg por itores gu iado s / como rato io
mon de acordo com um teriormente ICADA ind.

19
estimulação cognitiva

• Além disso, a composição do grupo deve permitir o trabalho individual exigindo


algumas das tarefas estimulantes.

• Finalmente, é importante para controlar a composição ea dinâmica do grupo, evitando


que o mesmo ou desqualificar um clima competitivo de pessoas que têm dificuldades
ou taxas diferentes, dependendo principalmente aspecto do monitor estratégias
dinâmicas / a ser incentivada.

d) Estrutura de sessões

• A estrutura das sessões pode ser muito variável. Ele irá variar, entre outros factores,
dependendo da frequência e duração dos mesmos.

• Uma possibilidade é programar sessões bastante usados ​para manter uma freqüência
diária e com uma duração de cerca de 60 minutos, monographically sessão dedicada à
função cognitiva, começando e terminando a sessão com atividades de orientação.

• Quando a freqüência das sessões não diariamente, estruturas como o seguinte pode
ser apropriado: log com as tarefas de orientação, siga relacionadas a diferentes
funções cognitivas (memória / praxias / gnosias / f.ejecutiva) e completar tarefas com
tarefas linguagem.

20
estimulação cognitiva

intervenção de suporte técnico 3

No desenvolvimento de sessões psicoestimulación são utilizados, sempre de forma


personalizada, um conjunto de técnicas que visam motivar cada pessoa no curso de
terapia de adaptação e facilitar a implementação de atividades ou tarefas agendadas de
acordo com as suas capacidades preservada.

Este conjunto de técnicas amplamente aplicado em vários contextos terapêuticos,


aprendizagem e até mesmo a vida diária, são baseadas em contribuições científicas de
diferentes áreas do conhecimento, entre os quais incluem a psicologia da aprendizagem,
tanto neuropsicologia de abordagem clínica do modelo cognitivo, bem como diferentes
teorias sobre motivação e desenvolvimento da personalidade humana.

O seguinte mostra resumidamente os diferentes técnicas que são frequentemente usados


​e são úteis no contexto de sessões, sendo geralmente aplicada num modo combinado. Na
natureza puramente pedagógica, que são agrupados em dois blocos, o primeiro
relacionado à aprendizagem e facilitação neurocognitivo eo segundo relacionado à
comunicação e motivação.

A) TÉCNICA apoio à aprendizagem e facilitação neurocognitivo

cabeça global para obter dois tipos de realizações:

• Por um lado, estabelecer, aumentar, manter ou facilitar adequado, correto ou perto dos
mesmos comportamentos.

• Reduzir, eliminar ou ajustar o comportamento errado ou impróprio.

1) realidade Enfrentando

Técnica destinada a reduzir desorientação e confusão decorrente declínio cognitivo,


fornecendo informações visual e verbal fornecido adaptado

21
estimulação cognitiva

Tada cada pessoa, de modo que se referem a diferentes aspectos da orientação temporal,
espacial, pessoal e situacional.

Deve-se ter em mente que esta técnica não é adequado se ele provoca reações
emocionais indesejados e deve sempre ser adaptado ao nível cognitivo da pessoa.

Nunca se esqueça, porque se você não caia na utilização totalmente inapropriado do


mesmo, que o seu objectivo não é para corrigir o paciente / ano obter o erro, mas agir de
forma preventiva, evitando ou reduzindo a confusão e desorientação que causa perda de
memória, para fornecer informações anticipatoriamente própria pessoa cognitivamente
prejudicada é incapaz de obter ou processo.

Nas reuniões de psicoestimulación é adequado introduzir e finalizá-los com vários


indicadores de orientação instruções realidade e de uso que fornecem informação visual
quando as atividades ou tarefas onde os diferentes componentes do trabalho de
orientação são feitas.

2) Entrapment

Incite está fazendo algo (um gesto, uma palavra, uma ação ...) para ajudar ou encorajar a pessoa
com demência para realizar um determinado comportamento.

A técnica de incitamento pode ser de vários tipos:


• verbal: quando incitar uma palavra ou frase.
• gestual: quando fazemos incitamento através de gestos.
• assistência física: quando nós ajudá-lo a realizar o comportamento fisicamente
orientação. assistência física pode ser casual ou completa.

3) Reforço

Reforçar um comportamento é aumentar a possibilidade de que tal comportamento


aparece com mais frequência no futuro.

Há duas maneiras de reforçar comportamentos. O primeiro é o reforço positivo e as


consequências gratificantes é associar o aparecimento de comportamento; assim
comportamentos "vencedoras" tendem a ser repetido com mais freqüência. O segundo,
chamado de reforço negativo é eliminar as consequências negativas que tendem a
dificultar o surgimento de comportamento, de modo que o desaparecimento destes

22
estimulação cognitiva

comportamento pode ser dada com mais facilidade.

Dentro do reforço positivo, reforçadores sociais são um dos mais poderosos exercícios de
reforço em humanos. É atenção, elogio verbal, o tom afetuoso, gesto amigável, sorriso.
Eles são os mais útil e mais utilizado entre os reforçadores pessoas.

4) Modelação

comportamento modelagem é ensinar alguém como um comportamento particular através


de nossa própria ação é feita. Ele é executado como um modelo de comportamento para
fazer de modo que a pessoa que assiste pode imitar e aprender. Esta técnica é
especialmente importante em pessoas com comprometimento cognitivo grave.

Exemplo: Situar na frente da pessoa quando você está comendo e fazer movimentos precisos
e seqüências rítmicas que permitem que a área da pessoa lizarlos tanto por imitação.

5) Teste da conduta

Ele é repetidamente testar o comportamento. É praticar tal comportamento por várias


repetições para ser o mais correto e adequado possível. De particular interesse para a
criação ou manutenção de rotinas.

6) Moldagem

comportamento forma é reforçá-lo passo a passo. É importante para dividir o


comportamento em pequenos passos, simples, ir realizar-los e reforçando-os um por um, a
fim de se aproximar por aproximações sucessivas para o comportamento desejado.

Exemplo: Para executar uma tarefa praxias gráfica construtiva, como o desenho de um
cubo, passo a passo guiar a pessoa.

7) Cadeia

É para dividir o comportamento em etapas ou sequências de modo a que o paciente é


permitido / para fazer a última etapa, proceder a fortalecer e siga o mesmo procedimento com
a etapa anterior. É um tipo de moldagem, mas consolidando e reforçando passos que o
comportamento de um procedimento para trás é dividido.

23
estimulação cognitiva

Exemplo: Resolva a tarefa de quebra-cabeça de um primeiro deixando a pessoa que coloca


a última peça, em seguida, os dois últimos, em seguida, três ... para o nível que pode ser
capaz de resolver.

8) Desenvolvimento de controlo estímulo

Esta técnica é associar fundo ste consi ímulos discriminat conduta Ivos que deseja
promover. É sobre a criação de "sinais" ou fundo apropriado que servem para facilitar a
emergência de tal conduta.

Exemplo: todos os dias a mesma melodia frases ou questão idênticos quando se inicia uma
determinada actividade diária.

9) Extinção

É consequências gratificantes eliminar comportamentos inadequados obtidos quando ela


aparece. Normalmente geralmente tratada para remover atenção, ou seja, ignorar ou
negligenciar o comportamento que queremos eliminar.

É muito importante que a retirada das atenções é absoluta, e que, por exemplo, não
desaprovo ao invés de ignorá-lo, e que a desaprovação é também uma forma de prestar
atenção.

Na primeira fase da aplicação desta técnica o comportamento que você quer reduzir ou
eliminar geralmente ocorre com maior frequência e intensidade. É normal. Se a técnica é
utilizada como um comportamento consistente e contínua tendem a diminuir a perder a sua
eficácia no meio.

Esta técnica é indicada na conduta que claramente ligados à obtenção de um lucro.

10) O feedback, ou informação verbal

Trata-se de dar instruções verbais (feedback verbal) que dão informações sobre o
desempenho ou comportamento realizado. O feedback deve ser dado de forma mais
imediata, e pode ser positivo e reforça atuação ou negativo, agindo assim como
desaprovação. Neste último caso, deve ser justificada e evitar agir tanto elemento de
reforço aversivo como a atenção comportamento de busca, resultando adequado como
orientador elemento a ações errôneas que são facilmente corrigidos pela pessoa sem
causar sentimentos de frustração.

24
estimulação cognitiva

11) Reforço conduzir incompatível com o comportamento indesejado

Esta técnica é muitas vezes usado em conjugação com o extinção.

Ou seja, enquanto totalmente ignorar o comportamento que queremos eliminar, temos de olhar
para os comportamentos que são inconsistentes com o indesejado e fortalecê-los (com
reforços físicos ou sociais).

A combinar estas duas técnicas é chamado reforço diferencial ( e aumentando


comportamentos desejados e reduzir o indesejado) e é um dos métodos mais eficazes
para modificar comportamentos irritantes.

Exemplo: Uma pessoa com comprometimento cognitivo leve geralmente se apresenta o


comportamento de emissão de gritos, ocasionalmente, por nenhuma razão aparente.
Tentando reduzir este comportamento, tornando-se uma tarefa divertida para propor, sendo
necessário prestar atenção e ficar sem gritar para ele. O período de tempo para
permanecer sem proferir gritos prestar cuidados, sorrindo e oferecendo o contato
não-verbal amoroso. Sempre grito, ignore este comportamento, ou seja, não emitir a reação
de desaprovação pessoa para o que foi feito, para voltar a prestar cuidados quando grito
não utilizado.

12) O controlo de restrição estímulo

É para descobrir o que estímulos causar um teceden e eliminar comportamentos


indesejados. Rar reti é o estímulo que aumenta a capacidade b pro que o comportamento
queremos que o iminar ou re r Duci aparece.

Exemplo: Em uma pessoa com dificuldades de concentração significativa, e tende a


dispersão atencional, removendo qualquer estimulação excepto tarefa de desenvolvimento
presente exclusivo.

13) Efeito impacto

Ele é usar variáveis ​como novidade ou intensidade emocional para os processos ativos de
tarefas, tais como a atenção ou motivação pessoal. Esta técnica tem um interesse especial
na execução de tarefas que envolvem processos mnemônicos.

Exemplo: Leia um breve histórico, a fim de ser lembrado mente mais tarde. Se esta história
contém elementos chocantes ou despertar níveis emocionais, ela será mais facilmente
recordou mais tarde.

25
estimulação cognitiva

14) Simplificação

Simplificar tarefa é de se adaptar às capacidades da pessoa. É torná-lo mais simples para


que possa ser realizada mais facilmente. estratégias de simplificação comumente
utilizados na estimulação cognitiva são para reduzir o número de itens ou itens que
contêm a tarefa, excluir ou alterar os requisitos de alternativas de resposta propostas nele
por outros menos difícil.

15) Priming

É um processo que atua na memória implícita humana. Baseia-se o ser humano a


estímulos que já foram apresentadas ou previamente memorizados, é capaz de emitir
mais facilmente a resposta recordação ou reconhecimento dos mesmos.

16) indução ou facilitação verbal

Ela se aplica a pessoas com dificuldades na denominação verbal. É a emitir as primeiras


ou as primeiras sílabas da palavra, a fim de facilitar a sua verbalização.

Exemplo: Uma imagem de um rinoceronte é apresentado para proceder a uma tarefa


verbal de nomear uma pessoa lutando com ele. Para facilitar a implementação, a imagem
é apresentada e, verificando a sua dificuldade, usando apoio dizendo que a primeira
sílaba "ri ..." ou as primeiras sílabas da palavra "rino- ..." para facilitar a emissão.

17) Plurimodalidad sensorial

Ele consiste em utilizar mais do que um canal sensorial na entrada da informação, a fim de
reforçar o processo de entrada, não utilizando uma via sensorial única.

Exemplo: Em uma tarefa de memória, onde eles se lembram de uma lista de palavras,
submetê-los por escrito durante a leitura em voz alta.

B) técnicas de comunicação para incentivar e motivar ÇÃO

1) A adequação da comunicação verbal

A comunicação verbal é um dos canais de comunicação do ser humano. É a comunicação


através da linguagem verbal (palavras, fra-

26
estimulação cognitiva

ses ...). É essencial que o verbalmente indo para uma pessoa com transtorno cognitivo ou
demência adecuemos nossa língua com o grau de deterioração dos mesmos, a fim de
facilitar a compreensão. Para fazer isso, nossas frases e mensagens devem seguir as
seguintes orientações:

• frases curtas e simples.


• clara e fala arrastada.
• Limite de espaço e perguntas.
• decisões simples presentes evitando múltipla escolha.

• Permitir tempo para entender o que é dito.

2) Reinterpretação da linguagem e comportamento

• Ignorar o idioma incorreto e tentar deduzir o significado.


• Esteja ciente das palavras ou expressões mais significativas.
• Prestar especial atenção ao que o paciente transmitida através da linguagem corporal
não-verbal canal -a (expressão facial, gestos, postura, voz ...).

• Interpretar comportamentos tais necessidades.

3) A estimulação da expressão

• Incentivar e estimular respostas e repetições, mesmo se eles estão incorretas.


• Não sistematicamente corrigir seus erros. Após o erro, emitir a expressão correta
verbalmente sem destacar o erro.
• Deixar de dizer a palavra tendo problemas evocando sem esperar por ele para alcançar a
si mesmo.
• Deixar tempo suficiente para expressar.
• Ajudar a pegar o fio da conversa.
• Fora questões familiares e são do seu agrado para estimular a conversação.

• Tente não mostrar ansiedade ou raiva contra as dificuldades que a pessoa para
expressar ou compreender.

4) A acção de motivação

• Propor actividades para as quais a pessoa mantém capacidades para realizá-las com
sucesso.
• Encontrar atividades próximos e interesses individuais diárias das pessoas.

• Antecipar as dificuldades, oferecendo acomodações e suportes que permitem a fácil


implementação.

27
estimulação cognitiva

• Não há erros ou fingir para enfatizar o reconhecimento ou a reflexão sobre os erros.

• Fortalecer e encorajar acções empreendidas.


• Evitar situações de competitividade quando se trabalha em grupos.
• Criar uma atmosfera lúdica onde a confiança e cometer erros ou têm dificuldade em
minimizar a frustração.
• Evite atividades que a pessoa encontra nenhum sentido ou perceber as idades próprias para
crianças.

5) de controlo de comunicação não verbal

comunicação não-verbal refere-se a um outro canal de comunicação dos seres humanos:


a linguagem que emitem através do nosso corpo (nossos gestos, a nossa expressão
facial, a nossa voz, a nossa posição ...). Através da nossa linguagem corporal que
transmitimos o nosso estado emocional. É especialmente importante saber que quando
não há congruência entre o canal verbal e a linguagem corporal, o último é dominante
transmitido o que ele diz. Esta forma de comunicação é muito importante na demência,
especialmente nos estágios mais graves, porque quando ele estiver danificado ou perdido
a capacidade da pessoa para entender as nossas palavras, ele continua a receber e
compreender o nosso estado emocional através da nossa linguagem corporal. O chamado
memória emocional, reconhecimento ou seja, de emoções,

É, portanto, essencial para controlar e ajustar a comunicação não verbal na interacção com
os pacientes com disfunção cognitiva ou demência. Por esta e as seguintes diretrizes
devem ser tidos em conta na interação cotidiana:

• contato físico
- Sem brusquidão.
- Pegar em torno da cintura e ombros fornece segurança.
- Sem rejeitar contato pesquisa: Tire suas mãos.

• contacto com os olhos


- Olhando nos olhos.
- Manter seus olhos.

• nossos gestos
- Por acenos de concordância.
- Buscando gestos amigáveis.
- Bruços evitando movimentos inesperados.

28
estimulação cognitiva

• A postura
- Relaxado.
- Dirigida para a pessoa.

• A distância
- Avançar.
- Sem invadir o espaço pessoal.
- Uma pessoa uma altura semelhante.

• Nossa expressão facial


- Ele está sorrindo.
- Mostrar o incentivo e interesse.
- bondade inspirador.

• O tom eo volume de nossa voz


- tom suave e gentil.
- Sem raiva.

6) parafrasear

É para repetir as palavras ou frases emitidas pela pessoa. É a técnica mais comumente
usada dentro do chamado escuta empática e é tipicamente usado com uma dupla
finalidade. Primeiro, quando as palavras são repetidas com entonação interrogativa serve
para aprofundar a pessoa em sua comunicação e ir verbalizar preocupações ou
motivações que no início da conversa não superfície.

A segunda é quando a repetição é destinado para se comunicar com as pessoas que


entendem o que tem verbalizado e compartilhar o seu problema, a sua intenção é
basicamente entendido que a pessoa se sente ouvida e aceita.

7) Retomar a experiência do passado para compreender o presente

Esta técnica é facilitar a compreensão das situações atuais, associando-as com situações
semelhantes anteriores e memórias significativas ainda preservada.

Exemplo: Uma filha cuidador de uma mulher com demência teve de deixar sua casa alguns
dias por causa de uma viagem. Toda vez que ela pede sua filha, você se lembra que você
está viajando de alguns dias, aso ciando circunstância para viagem que fez quando era
mais nova ocasião para ver sua família que vivia fora da cidade.

29
estimulação cognitiva

tarefas de estimulação cognitiva 4

1. várias considerações

Abaixo está listado uma série de questões, incluindo algumas ções reflexões, a tomar em
consideração na seleção e tarefas de agendamento tes diferenças que compõem cada
sessão Psychostimulation.

a) ajustamento individual de tarefas

Cada tarefa deve ser adaptado ao nível de deterioração da pessoa, e para que possa ser
aplicada, sempre de forma personalizada, iCal tecnol diferente que visam motivar a
pessoa a agir ivity como um fácil tar i- execução de tarefa simples e bem sucedida.

Não se esqueça que todas as tarefas não ser adequado para todos. A este respeito,
assegurando que a pessoa tem capacidade de implementação, eles devem respeitar os
interesses pessoais e hábitos culturais. Contra a imposição, a estratégia é motivar para a
ação.

Ele está trabalhando em demências degenerativas exclusivamente com as capacidades e


preservado processos cognitivos, ou seja, à procura de uma execução competente da
pessoa. Nestes casos, a revisão e ajuste de tarefas deve ser contínuo baseado na
progressão da deterioração. A terapia vo objec- não se concentra muito na melhoria da
manutenção, mas retardando ou perda.

b) Características de tarefas

Um dos fatores de influência decisiva sobre um curso de sucesso das sessões é obter
uma seleção de tarefas psicoestimulación. Estes irão ser adequados, se para além da
necessidade acima mencionada, para ser adaptado para o nível cognitiva de cada pessoa,
conhecer ou aproximar-se as seguintes condições:

• Eles são bem sucedidos.


• Eles são agradáveis ​e perto de interesses pessoais.
• Evitar o tédio.
• Eles têm significado para a pessoa fazê-los.
30
estimulação cognitiva

• Eles estão perto das cotiana próprias questões da vida.

c) as tarefas de grupo e individuais

Quase todas as tarefas psicoestimulación pode ser realizada tanto individualmente como
em grupos, embora seja verdade que alguns deles requerem necessariamente a
execução individual. Cada monitor / a, sabe que seu grupo vai decidir, em cada sessão,
levando em conta questões situacionais, como grupo ou realizar indivíduo a tarefa.

Quando operado em grupos, um clima lúdico e de confiança deve ser alcançado, evitando
um ambiente competitivo que incentive ou frustração de pessoas que apresentam maiores
dificuldades.

uma seção onde o tipo de aplicação que geralmente é feito com a tarefa indicada
especificamente incluídos nas fichas dos 115 tarefas que compõem o programa de
estimulação cognitiva apresentada aqui ,.

d) a estimulação geral e específico

Cada tarefa é imulación Cogni t IVA pode agir é especificado imulando camente uma
função ou processo e fazer uma mais global é imulación.

No programa de estimulação cognitiva aqui apresentado cada tarefa rezar APA-atribuído a


uma função cognitiva específica. Nesta referência em conta a tarefa de uma maneira
específica que estimula os processos e componentes que funcionarão.

No entanto, como já foi demonstrado acima, cada tarefa actuam geralmente mais
globalmente, encorajando outras funções e processos cognitivos, quer por partilha fios
usando a ferramenta especificamente bem estimulada porque a tarefa ali são adicionados
às exigências função referencial. Em folhas de diferentes tarefas de co-estimulação psico
aqui apresentados, é indicada a medida em que para executar essa tarefa envolveu os
processos associados com várias funções cognitivas. A este respeito é feita para uma
tarefa pode ter uma ação global estimulante tanto tópicos comuns como funções
cognitivas distintas.

2. Principais atividades estimulantes de diferentes funções cognitivas

O seguinte resume brevemente os principais tipos de laços activi- que são muitas vezes
incluídos, a fim de estimular a diferentes funções cognitivas.

31
estimulação cognitiva

Além disso, dentro do programa de estimulação cognitiva é senta pré aqui, há um total de
115 tarefas, cujas folhas podem ser acessadas tanto do suporte de informática e no
anexo a esta edição dar-lhes informações mais detalhadas cada tarefa.

A) tarefas de orientação temporo

OBJETIVOS

• Por favor Ecer orientação temporal.


• Por favor Ecer orientação espacial.
• Melhorar a orientação pessoal e memória autobiográfica.

• tarefas orientação temporal. Reconhecer: do dia, hora, dia, mês, dia do mês, estação,
ano. Referir a data atual com eventos festivos ou representativos da temporada.

• tarefas orientação espacial. Reconhecer: localização actual, cidade, bairro, andar, sala,
país.

• Tarefa orientação pessoal e autobiográfico básico. Infor- mações equipe de revisão:


nome, idade, data e local de nascimento, estado civil, ou dados da família.

B) As funções de percepção e gnosias

OBJETIVOS

• discriminação exercício e percepção visual.


• discriminação exercício e percepção auditiva.
• discriminação exercício e percepção tátil.
• Por favor Ecer organização visuospatial.
• Estimular o reconhecimento do corpo.

• áreas ta de discriminação visual. Reconhecer e apontar golpear para fora no papel ja ho


diferentes ímulos está mostrando: números, letras ou formulário como.

• tarefas de identificação e reconhecimento de imagem. Pesquisar e iden- tificar uma


imagem específica dentro de um conjunto de imagens. Combinar imagens idênticas.

• Laces. Colocando as partes em encaixá-las em conformidade.

• atributos de classificação de tarefas perceptivas. Agrupar itens por as mesmas


características físicas (cor, forma, etc.).

32
estimulação cognitiva

• Ta identificar áreas de Erro re s. Encontrar diferenças de d s ibujo se assemelham tes.


Encontre a parte ou elemen falta para uma imagem de odibujo.

• R tarefas eCognition cores. Agrupar itens por cor. Observe a cor indicada.

• Enfrente tarefas de reconhecimento. Reconhecer rostos familiares ou celebridades.

• Reconhecimento e identificação de partes do corpo humano. Localize / partes do


corpo chamados.

• noções espaciais básicos. Local / ponto, dependendo dos conceitos espaciais básicos (de
cima para baixo, dentro / fora, direita-esquerda).

• tours visuais motoras. Realizar caminho completo que reco - diferentes rridos.

• tarefas de reconhecimento de identificação e horas. Reconhecer / localizar a hora


indicada no relógio.

• Toque Reconhecimento. Reconhecer superfícies / formas / objetos por toque.

• reconhecimento auditivo. Identificar e reconhecer sons (animais, natureza, artificial,


etc.).

C) As funções praxias

OBJETIVOS

• Exercer atos voluntários de produção do motor.


• Visuoconstrutivas favorecem habilidades.

• Desenho tarefas. ordem de figuras de desenho. Copiando figuras com este modelo.
Conclua desenhos incompletos. modelos de forma exemplar seguinte tirada por grade.
Completa desenhos ou figuras simétricas.

• tarefas de modelagem. modelos oducir repr com figuras de madeira, figuras de


papelão, varetas ou cubos.

• Execução. Executar ordens simples e complexas solicitados ou ler.

33
estimulação cognitiva

• Gestos e expressões faciais. Realizar ações associadas com objetos presentes ou


imaginários. Fazer gestos simbólicos e ações gestuais.

D) tarefas de memória

OBJETIVOS

• Exercer diferentes tipos e processos de memória.

• tarefas replay instantâneo. vários repetição imediata oral de informações UNIDADES:


dígitos, palavras, dados biográficos.

• tarefas recordação atrasada:


- Escondendo objetos.
- Lista de palavras.
- Memória pares associados.
- Recuer fazer imagens.
- Lembro-me de histórias curtas.

• tarefas de reconhecimento:
- Encontrar pares de imagens.
- Imagem de reconhecimento, números ou palavras.
- Lembro-me de histórias curtas guiadas através de perguntas ou chaves.
• Remotas tarefas de memória fatos:
- contas pessoais.
- Recuer fazer dados biográficos.

E) TAREFAS DE LÍNGUA

OBJETIVOS

• exercício de linguagem expressiva espontânea e fluência verbal.


• Por favor, nomeie capacidade Ecer.
• competências de literacia exercer.
• automática de idioma exercício.
• capacidade de exercício repetição oral.
• Exercer outras funções através da linguagem: abstração, raciocínio,
juízo crítico e memória semântica.

• Descrições. Descreva estímulos presentes (imagens, folhas, tosse objectividade, pessoas).


Descreva estímulos ausentes (pessoas, lugares ...).

• tarefas de fluência verbal. Dizer ou escrever palavras que começam com uma determinada letra
ou por uma determinada sílaba.

• tarefas categoriais evocação. Nomear ou escrever cópias da mesma categoria


semântica.

34
estimulação cognitiva

• nomeação oral de imagens. Apresentando imagens que devem nomina r.

• Nome imagens escritas. Escri- imagens presentes para o que é ba.

• As tarefas automáticas linguagem. Diga dois sets (números, letras do alfabeto, dias da
semana, meses do ano). Provérbios dizer. Can- dizer joio.

• Repita tarefas verbais. palavras e frases de repetição.

• Leitura atribuições. Leitura de palavras, pseudopalavras, frases e textos.

• atribuições da escrita. escrita espontânea. escrita guiada. palavras completas. frases


completas. Ditada.

• tarefas verbalizadas conhecimento semântico, abstracção e raciocínio. Diga


semelhanças e diferenças. Dê soluções lógicas para situações cotidianas. Fornecer
respostas lógicas para as perguntas. Vinanzas adi- determinação. Sinônimos e antônimos
dizer.

E) TAREFAS DE CÁLCULO

OBJETIVOS

• Promover a capacidade de concentração.


• Mantendo o conceito de número.
• Exercício contando habilidades.
• Exercer habilidades de cálculo simples.
• Exercitar habilidades aritméticas.
• Exercício da função executiva, calculando: raciocínio e resolução de
problemas.

• Tarefa números de identificação e contagem. Têm as mesmas imagens. Contando


peças. Contando elementos e relacionando o número.

• tarefas de gerenciamento. Ordenação de elementos (números ou partes) de decrescente e


vice-versa. Jogar baralho identificar quem ganha o truque com a carta mais alta.

• tarefas aritméticas. Execute problemas aritméticos e propostas por escrito. Simular


compras. Marcar tantos com o baralho. exercícios de aritmética mental. jogo chinês.

35
estimulação cognitiva

F) funções executivas

OBJETIVOS
• Por favor Ecer a capacidade de concentração.
• capacidade de exercício de planejamento.
• capacidade de sequenciamento exercício e inibição do comportamento impróprio.

• Reversibilidade e promover a flexibilidade cognitiva.

• tarefas de gerenciamento e siga série. Classificar itens como uma ordem temporária
ou estabelecida. Siga propostas série (de cores, números, letras ou números). Localizar
e ordenar a sequência lógica de uma série de imagens.

• Reverter classificar tarefas. follow inversa automática. ortografia palavras em ordem


inversa.

• Tarefas resistência à interferência. tarefa de Stroop (riscar o cate indi- colorido por um
pedido escrito de cor diferente do que a palavra). tarefas de Solicitação uma resposta
específica associada com um único estímulo de emissão estimulada variada (por exemplo,
cada vez que tapa a letra A é ouvido).

• Tarefas séries alternadas. Traçados gráficos da série alternada. alternando seqüências de


posturas com as mãos. Vistas rít- ​micas. tarefas adaptados alternadas caminhos (por
exemplo, tarefas adaptados a partir do ensaio de tomada de fuga original).

• tarefas labirinto. labirintos completos de diferentes níveis de dificuldade.

• números tarefas-chave. Associando números ou cores para diferentes símbolos gráficos,


seguindo a chave proposto.

36
estimulação cognitiva de material

Descrição do material incluído no CD 1

O material técnico apresentadas neste documento, destinado a facilitar o desenvolvimento


de programas de intervenção estimulação cognitiva, é coletado em formato electrónico e
em papel.

A partir do CD você pode acessar os seguintes componentes:

1) Banco de dados para as sessões de programação de estimulação


cognitiva

É um simples formato de Acesso de banco de dados, que, como tal, é composta de


diferentes tabelas relacionadas, a partir do qual você pode acessar várias consultas e o
desenho de diferentes formas e relatórios. Ele observa que esta base tem uma estrutura
simples e os dados iniciais suporta adaptações, ser estendida e completada a partir de
programas de desenvolvimento são realizados em diferentes centros ou unidades.

Assim, o projeto inicial deste banco de dados oferece cinco mesas, dois dos quais já
incorporam dados, enquanto o resto deve ser registrado com os dados específicos de
indivíduos, grupos e sessões são desenvolvidas em cada centro ou unidade em que um
programa deste tipo de intervenção é iniciada. Especificamente as cinco tabelas que
aparecem com as respectivas formas, são os seguintes:

39
estimulação cognitiva de material

Tabela I. e forma: Users

É um projeto tabela que incorpora campos diferentes para gravar informações para cada
pessoa que vai participar do programa de estimulação cognitiva.

40
estimulação cognitiva de material

II. Tabela e Forma: Grupos

Esta tabela inclui em sua informação de projecto relativo aos diversos grupos organizados
em cada centro ou unidade.

41
estimulação cognitiva de material

III. sessões de programação: Tabela e Formulário

O objetivo desta tabela é facilitar a recolha de informações sobre a programação diária de


sessões. Desde a forma de sessões de agendamento também pode coletar sessões de
informação tarefas agendadas facilmente selecionar e imprimir o documento para usar
como papel a ser guiado em cada monitores de sessão / as do grupo.

IV. Tabela e Forma: atividades ou tarefas de estimulação cognitiva

Esta tabela inclui um total de 115 tarefas de estimulação cognitiva, oferecendo a cada
uma das seguintes informações:

a) O nome da tarefa.

b) A função específica associada.

c) O grau em que o conjunto de funções e processos cognitivos envolvidos.

Para isso é recolhido para cada tarefa a intensidade com a qual cada função cognitiva
intervém para executar esta tarefa. Esta informação é especificada em uma escala de três
graus de acordo com a seguinte gradação:

1. mínima ou nenhuma intervenção que funcionar para realizar a tarefa.

2. Intervenção Moderado dessa função para executar a tarefa.

3. importante intervenção que funcionar para realizar a tarefa.

d) Uma breve descrição de como a tarefa é feita.

e) O material proposto para o desenvolvimento da tarefa.

f) O grau de gravidade da deficiência em relação à função específica, que é recomendado


para a tarefa. A este respeito, é importante esclarecer que este é apenas um guia e
não deve limitar, uma vez que de acordo com o suporte técnico a ser utilizado, ou
seja, a adaptação do trabalho às capacidades e características da pessoa, a maioria
das tarefas aqui recolhida pode ser feito por todos.

42
estimulação cognitiva de material

g) Uma série de observações sobre o desenvolvimento da tarefa, com particular


referência aos possíveis ajustes e técnicas de facilitação.

Desde o Formulário descrição da tarefa é permitida para encontrar rapidamente a tarefa e


aceder ao seu cartão de índice. Se impresso e anexado ao documento programação
diária, é útil lembrar a sessão diária da finalidade e características da tarefa.

43
estimulação cognitiva de material

Tabela e Forma V .: Funções cognitivas

Esta tabela inclui uma seção para inserir uma breve descrição de cada função cognitiva e
processos cognitivos que o compõem. um campo de observações também parece que
pode ser incorporada no desenvolvimento de cada programa as qualificações considerado
apropriado.

Também neste banco de dados de uma série de consultas e relatórios já desenvolvidas que
foram incorporadas por ter revelado útil no campo da intervenção são fornecidos diariamente.
Claramente, a possibilidade de novas consultas e relatórios de acordo com as necessidades
de cada programa, sempre dentro das possibilidades oferecidas pelo banco de dados
ACCESS está aberta.

Nos relatórios já desenvolvidos, observe a partir de um ponto de vista operacional, os dois


tipos seguintes:

• Tarefa relata para cada função cognitiva. Muitas vezes, é útil

44
estimulação cognitiva de material

para consulta profissional para relatórios de acesso estão resumidos onde as tarefas,
incluindo banco de dados, agrupados de acordo com a função referencial onde eles
foram atribuídos.

• tarefas de relatórios gravidade da deficiência. Também podem ser consultados operar


tais relatórios são resumidos onde as tarefas diferentes de acordo com três graus de
severidade de comprometimento cognitivo: leve, moderada e grave.

2) Material gráfico para tarefas de estimulação cognitiva

A partir do CD você pode acessar material gráfico desenvolvido para executar algumas das
tarefas de estimulação cognitiva aqui apresentados. O material gráfico é apresentado em
dois arquivos:

• O primeiro é indicado como material a ser plastificada cartões ou folhas, ou seja, a


sua utilização é mantida utilização.

• O segundo ficheiro é indicado como expendables, sendo necessário fazer uma cópia
por pessoa de cada vez que executar a tarefa.

Deve-se notar que esta obra pretede não ser único nem suficiente para o desenvolvimento
das sessões. É necessário que este material é completado por um outro (audiovisuais,
manipulativos, imagens, etc.), materiais considerados de interesse para ser incorporado nas
sessões de programação.

3) folhas de guia para o desenvolvimento de sessões Reminiscências

Mesmo sem ser um material exclusivo de sessões de estimulação IVA Cognit, como
muitas vezes ou com base no prazo de Reminiscências sessões específicas, para o valor
que provaram na prática diária, tem sido incorporadas a este material, uma série das
folhas da orientar que delineou aspectos que se revelaram úteis para o desenvolvimento
de sessões de terapias reminiscências aparecer.

Estão incluídos, bem como um total de 16 guias de folhas relacionada a três grupos de
sessões que normalmente articulam estas sessões: Sessões reminiscências biográficos
(4) sessões de temas monográficos (8) e sessões de tempo datas específicas (4). Ele
aparece nas informações lençóis-guias referidos provocando estímulos Recomendado

45
estimulação cognitiva de material

para o início da sessão, os principais pontos que podem servir para orientar evocando
reminiscências e últimos aspectos que podem ser incorporadas no final da sessão para
tentar vínculos associativos com o momento presente.

4) Material para projetar o treinamento para oficinas de memória

Esta pasta inclui uma apresentação útil para a concepção de oficinas de formação para
idosos Memória Power Point, bem como vários modelos de chips para executar
individualmente os exercícios. Algumas folhas também aparecem resumo incorporados
dos conteúdos do workshop.

Normalmente essas oficinas são dirigidas, a partir de uma linha preventiva, para as pessoas
mais velhas que têm falhas ou perda de memória associados a distúrbios do envelhecimento e
degenerativas não derivados.

No entanto, estes materiais também podem ser de interesse para uso com as pessoas
com demência, desde que o objetivo da tarefa e metodologia de acordo com o seu nível
de competência.

46
estimulação cognitiva de material

folha de avaliação neuropsicológica indivíduo 2

C AL AM AS P
FUNÇÃO / processo função mudança insuficiência comprometimento função
cognitivo conservada leve moderada grave perdida

ATENÇÃO LÍNGUA

ORIENTAÇÃO temporária

espaço de escuta

Personal Expression

Ouvir Writing Reading

Designação MEMÓRIA

repetição verbal

A memória de curto prazo

memória episódica (eventos recentes)

memória episódica (fatos remotos) memória

semântica

CRÍTICAS praxias

RACIOCÍNIO-extracção TRIAL

Praxias praxias ideomotor

ideatorias praxias

construtivas percepção,

gnosias Visual Auditivo

tácteis

VISOESPACIALIDAD

CÁLCULO

função executiva

47
estimulação cognitiva de material

Tab para sessões de agendamento 3

SESSÃO Data:

M. Asistencial: LOCAL:

GRUPOS cronograma:

A função cognitiva

I. DEGRADAÇÃO nível de tarefa B

TAREFA LIGEIRO ATRIBUIÇÃO C

NÍVEL II. MODERADA DEGRADAÇÃO tarefa de

atribuição D E F TAREFA

Nível III. GRAVE DEGRADAÇÃO tarefa de

atribuição G H I TAREFA

ALTERNATIVAS DE TAREFAS tarefa

de atribuição J K L TAREFA

OBSERVAÇÕES:

48
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 1
série

A função cognitiva CÁLCULO

DESCRIÇÃO A tarefa é o de ir ord pe rson G. SEV. D. STERN


enando diferentes peças de
baixo para alto ou vice-versa.
ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL As figuras de madeira.

diminuindo exigências de reservas. CÁLCULO 3

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

O número de peças e o grau de diferença de tamanho variável são com efeito sobre
a dificuldade da tarefa.

51
tarefas Psicoestimulación

tarefa 2
aritmética escrita

A função cognitiva CÁLCULO

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa que G. SEV. D. MILD


executa as operações e
problemas de aritmética
colocados pelo monitor / a. ATENÇÃO 3

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 2

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 3

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 2

MATERIAL Papel e lápis. vários


elementos. CÁLCULO 3

visuospatial 2

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

O grau de dificuldade pode ser muito diversificada. É importante saber o nível cultural
anterior de cada pessoa. Operações e pode representar problemas para resolver
mentalmente ou usar papel e lápis.

52
tarefas Psicoestimulación

tarefa 3
identificar os números

A função cognitiva CÁLCULO

DESCRIÇÃO A tarefa é para contar os G. SEV. D. STERN


elementos gráficos individuais
e encontrar o número que
corresponde à quantidade total ATENÇÃO 2

obtida.
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 2

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL vários elementos.


Números. CÁLCULO 3

visuospatial 2

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

A tarefa é simplificada através da redução do número de peças a serem contadas.

53
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 4
contar

A função cognitiva CÁLCULO

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa vai G. SEV. D. STERN


contar o número de peças que
são submetidos.
ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL As figuras de madeira.


números de renda e CÁLCULO 3

pontos. vários elementos.


visuospatial 2

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa que trabalha o conceito de número, esta sendo considerada um


pré-requisito para o conceito anterior ou tarefas computacionais.

54
tarefas Psicoestimulación

tarefa 5
ganhar mais

A função cognitiva CÁLCULO

DESCRIÇÃO A tarefa é dizer a pessoa que G. SEV. D. MODERADO


ganha em cada truque, ou seja,
o que for maior. No final, eles
devem ser contados pontos. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
GRUPAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Baraja.
CÁLCULO 3

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Eles podem ser usados ​entidades adaptam as tipos de cartões: Espanhol, Francês ou adaptado para
conter apenas números.

55
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 6
compras

A função cognitiva CÁLCULO

DESCRIÇÃO Simulando compras simples, a G. SEV. D. MODERADO


pessoa tem a intenção de
manipular as moedas contagem
quantidades e reali contas ATENÇÃO 3

simples Zando.
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Moedas. Objetos. Cartazes


com preços. CÁLCULO 3

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

Os gráficos podem ser utilizados recursos visuais e realizar operações aritméticas por
escrito.
A dificuldade depende do tipo de operação aritmética necessário.

56
tarefas Psicoestimulación

tarefa 7
aritmética mental

A função cognitiva CÁLCULO

DESCRIÇÃO A tarefa é que as pe rson G. SEV. D. MODERADO


mentalmente executar as
acções tal como proposto pelo
monitor / a. ATENÇÃO 3

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL
CÁLCULO 3

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

A dificuldade depende do tipo de cálculo necessário.


Você pode aplicar séries simples operações (adição ou subtração), ou problemas.

57
tarefas Psicoestimulación

tarefa 8
Os chineses

A função cognitiva CÁLCULO

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa estimar G. SEV. D. MILD


o número total de pontos (N
cartões u ros,
elementos ou ATENÇÃO 3

dedos) para obter o grupo. É o


clássico jogo de chinês. ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 3

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
GRUPAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL cartões do número.


vários elementos. CÁLCULO 3

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

58
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 9
siga série

A função cognitiva F. EXECUTIVO

DESCRIÇÃO A tarefa é continuar fazendo a G. SEV. D. MODERADO


pessoa proposta pelo monitor /
a (série de cores, num ros,
letras, números ...) série. ATENÇÃO 3

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 2

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL série lençóis.


CÁLCULO 1

visuospatial 2

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

Se a série tem uma lógica de serialização componente deve descobrir e seguir a


pessoa, a tarefa aumenta o seu nível de dificuldade e componente exigência
predomina raciocínio abstrato nele.

59
tarefas Psicoestimulación

tarefa 10
tarefa
tarefa Stroop

A função cognitiva F. EXECUTIVO

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa que G. SEV. D. MILD


executa a tarefa clássica l
originais te st
Stroop: riscar o cate indi cor ATENÇÃO 3

escrito por uma cor diferente do


que a palavra solicitada. ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 2
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Deixa a tarefa de Stroop.


CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

60
tarefas Psicoestimulación

tarefa 11
tarefa
grafia inversa

A função cognitiva F. EXECUTIVO

DESCRIÇÃO A tarefa é a pessoa para G. SEV. D. MILD


soletrar as palavras Stas
propue pelo monitor / a mas em
sentido inverso, ou den. ATENÇÃO 3

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL
CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

A dificuldade depende do comprimento da palavra.

61
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 12
tarefa
Montanhas e loops

A função cognitiva F. EXECUTIVO

DESCRIÇÃO A tarefa é copiar a pessoa G. SEV. D. MODERADO


gráficos que são apresentados
na folha, que é uma série
alternada gráfica. ATENÇÃO 3

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL série alternada folha de gráfico.


CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

O uso de verbalização simplifica a tarefa.

62
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 13
tarefa
Trail-making-teste

A função cognitiva F. EXECUTIVO

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa G. SEV. D. MILD


completar a turnê gráfica de
séries alternadas, uma tarefa
adaptada da proposta original ATENÇÃO 3
no-makink-teste Trail.
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Folha Trail-making-teste.


CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

A tarefa pode ser simplificada pela orientação verbal e / ou usando indicadores visuais.

63
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 14
tarefa
Ritmos

A função cognitiva F. EXECUTIVO

DESCRIÇÃO A tarefa é a pessoa re p G. SEV. D. MODERADO


roduzca diferentes ritmos
apresentados pelo monitor / a.
ritmos Alizarse pode re ATENÇÃO 3
batendo, batendo na mesa
(com os dedos ou mãos), etc. ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 2
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL
CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

O uso de verbalização fornece suporte para executar esta tarefa.

64
tarefas Psicoestimulación

15 tarefa
tarefa
sequências alternadas de posturas

A função cognitiva F. EXECUTIVO

DESCRIÇÃO A tarefa é que rson o pe G. SEV. D. MODERADO


roduzca re p o
sequência de posturas para indicar o
monitor / um (por exemplo, o ATENÇÃO 3

punho-palma-lado).
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL
CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

O verbalizar a sequência facilita a tarefa.

65
tarefas Psicoestimulación

tarefa 16
tarefa
Série inversa automática

A função cognitiva F. EXECUTIVO

DESCRIÇÃO Propõe-se à pessoa que G. SEV. D. MODERADO


enunciar série automáticas
(números, dias da semana,
meses do ano ...) mas em ATENÇÃO 3
sentido inverso, ou den.
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL
CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

Visualizando a série escrita torna mais fácil.


Você pode obter ajuda se você estiver indo para dizer o elemento que tenha sido perdido ou
em que esta dificuldade.

66
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 17
tarefa
arranjo temporário

A função cognitiva F. EXECUTIVO

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa G. SEV. D. MODERADO


classificar adequadamente as
séries temporais a partir dos
elementos que fornecem-lo. O ATENÇÃO 2
paciente é também dirigida no
presente momento. ORIENTAÇÃO 3

MEMÓRIA 2

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL dia cartões plastificado da


semana. cartões CÁLCULO 1
plastificado mês do ano.
cartões plastificados visuospatial 1
estações.
F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

Pode ser complementado com tarefas de memória semântica se as pessoas ampliar a


informação sobre os meses ou estações solicitados. Além disso, você pode inserir
instruções ou conteúdo de orientação para a realidade.

67
tarefas Psicoestimulación

tarefa 18
tarefa
tapa

A função cognitiva F. EXECUTIVO

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa tapa, G. SEV. D. MODERADO


pouco antes de uma rminado
ete pred dentro de uma série
verbal emitida pelo monitor / ATENÇÃO 3
um estímulo.
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL
CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

É também uma tarefa de memória de curto prazo.


A dificuldade depende da velocidade da emissão da série e do número e da
semelhança dos elementos da série.

68
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 19
tarefa
Os números

A função cognitiva F. EXECUTIVO

DESCRIÇÃO A tarefa é a rson pe re G. SEV. D. MILD


enchendo as caixas sobre o
número da folha associando
cada símbolo gráfico ou cor. ATENÇÃO 3

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Deixa números importantes.


CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

A tarefa pode ser simplificada, reduzindo o número de símbolos para associar,


símbolos colorir e orientar a pessoa.

69
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 20
tarefa
desenho relatório

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa G. SEV. D. STERN


identificar o
nomear como o monitor / saídas que
aponta para a imagem ou o desenho ATENÇÃO 2

correspondente.
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Imagens.
Desenhos. CÁLCULO 1

Pictures.
visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

70
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 21
pseudopalavras

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa ler em G. SEV. D. MODERADO


voz alta o pseudopalavras que
são apresentadas por escrito.
ATENÇÃO 3

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL cartões plastificados


pseudopalavras. lista de CÁLCULO 1

pseudo.
visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa onde rota linguagem fonológica de leitura é usado. Pode ser
combinado com a repetição oral e tarefa de escrever para ditado. A dificuldade pode
depender do comprimento da de palavra. É uma tarefa de pouca importância para as
pessoas, por isso, se feito, isso deve ser levado em conta quando da apresentação
da apresentação do mesmo.

71
tarefas Psicoestimulación

tarefa 22
tarefa
decisão lexical

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é dizer a pessoa se os G. SEV. D. MODERADO


estímulos apresentados de
forma visível, audível bie n são
palavras reais ou inventadas. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL Tarje tas palavras plastificado.


CÁLCULO 1

plas Tarje tas Pseudopalavras


visuospatial 1
fied.

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa muito insignificante para as pessoas, por isso, se feito ele deve
funcionar e presente, de modo que o sentido ea finalidade do mesmo é percebida.

72
tarefas Psicoestimulación

tarefa 23
tarefa
leitura

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é ler a pessoa palavras G. SEV. D. MODERADO


certas, pseudopalavras, frases
ou parágrafos.
ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 2

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL cartões plastificados


palavras. CÁLCULO 1
cartões plastificados
pseudopalavras. Res pressionar visuospatial 1
textos ou similares.
F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Ele é facilmente combinado com outras tarefas (compreensão verbal, escrita e memória).

Dependendo do material para ler a forma de leitura lexical-visual ou forma fonológica é


utilizado.
A dificuldade depende das características do material para ler.

73
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 24
tarefa
Procura a imagem perdida

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO Apresentado para a pessoa G. SEV. D. STERN


transforma imagens de cabeça para
baixo. A tarefa é encontrar indicando
o monitor; quando você olha para a ATENÇÃO 2
imagem que você deveria chamá-lo
e, se não o procurou deve colocá-lo ORIENTAÇÃO 1

de volta virado do avesso, de modo


MEMÓRIA 3
até encontrar a imagem desejada.

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Imagens.
CÁLCULO 1

visuospatial 2

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Em pessoas com perda de memória significativa ir repetindo a palavra de pesquisa ou até


mesmo escrever em uma folha de papel.

74
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 25
repetição verbal

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa repetir G. SEV. D. STERN


as palavras, pseudopalavras,
sílabas ou frases que o monitor
/ a verbalizar. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL Imagens (opcional).


CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Pode ser combinado com eas de alcatrão de nome visuoverbal.

75
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 26
tarefa
cópia escrita

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é as palavras G. SEV. D. STERN


individuais ou frases cópia
escrita.
ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL material de cópia.


CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Na tarefa da escrita de cópia vs. processos motores de percepção envolvidos processos


linguísticos.

76
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 27
tarefa
ditado

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa G. SEV. D. MODERADO


escrever as palavras de ditado
ou frases emitidas pelo monitor
/ a. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 2

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 2

MATERIAL ditado material.


CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Você deve sempre ter em conta o nível acadêmico anterior da pessoa e seu hábito de
escrever.

77
tarefas Psicoestimulación

28 tarefa
tarefa
histórias

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa se G. SEV. D. MODERADO


relacionar eventos passados,
experiências ou
conhecimentos, quer por sua ATENÇÃO 2
própria iniciativa ou a pedido
do monitor / a. ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL
CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

Ele pode ajudar a guiar a história a diferentes perguntas Raves tas aberto para
fornecer orientação e apoio à narrativa. Se feito inividualmente pode ser
solicitada resposta por escrito.

Se feito em um grupo também serve como uma tarefa de memória pedir ao grupo para se
lembrar do que é dito.

78
tarefas Psicoestimulación

tarefa 29
tarefa
formar palavras

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é apresentar a pessoa G. SEV. D. MODERADO


e pedir diferentes letras para
formar palavras.
ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Cartas de madeira ou de cartão.


CÁLCULO 1

visuospatial 2

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

Isso pode ser feito com o modelo para facilitar a tarefa. A


dificuldade depende da palavra.
Isso pode ser feito previamente dando a palavra que deve ser ou deixar que se
recompor.

79
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 30
tarefa
Sopa de letras

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é a pessoa a procurar G. SEV. D. MODERADO


e encontrar os corpos palavras
adaptam as leras sopa.
ATENÇÃO 3

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Deixa a sopa de letrinhas.


CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

Ele pode ser combinado com tarefas fluidez categoriais. Ter as palavras de pesquisa
apresentados visualmente facilita a tarefa.

80
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 31
tarefa
Descrição de folhas temáticas

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é narrar a pessoa ou G. SEV. D. MILD


descrever o que acontece no
filme que se apresenta.
ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 2

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL filmes temáticos.


Pictures. CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

Você pode ir para apoiar as sugestões descrição Com ou pistas para que a
narrativa é guiada.

81
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 32
tarefa
fluência verbal

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa emitir G. SEV. D. MILD


palavras que começam,
acabamento ou conte ngan um
Inada carta determ ou sílaba. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 2

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL
CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

Ele pode ser combinado com as atribuições de escrita e memória semântica.

82
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 33
tarefa
definições

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa definir G. SEV. D. MILD


a proposta palavra.

"Explicar o que é ou o que isso ATENÇÃO 2

significa ...".
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 3

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL cartões plastificados


palavras. Imagens. CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

A dificuldade depende do grau de familiaridade e abstração da palavra a ser


definida.

83
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 34
tarefa
ordens escritas

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa ler G. SEV. D. MODERADO


mensagens ou ordens escritas
e ce reali.
ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 2

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL Papel com ordens escritas.


artigos diversos. CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa clássica de compreensão verbal escrito.


Esta tarefa também produz uma estimulação da praxias, dependendo outra
envolvimento de outras funções cognitivas ordem específica tenha sido
requerida.
A dificuldade depende do número de componentes da ordem eo tipo de ações a serem
executadas.

84
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 35
tarefa
soletrar

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa dife vai G. SEV. D. MODERADO


alugar soletrar palavras
propostas pelo monitor / a.
ATENÇÃO 3

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 2

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL
CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

A dificuldade depende do comprimento da palavra.

85
tarefas Psicoestimulación

tarefa 36
tarefa
escrita espontânea

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa G. SEV. D. MILD


escrever espontaneamente
sobre uma proposta de tema
ou livre escolha. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 2

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL Material para escrever.


CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

A tarefa torna-se mais fácil se a orientação e estrutura narrativa.

86
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 37
tarefa
ditados

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa G. SEV. D. STERN


completa o ditado começou
verbalizar o monitor / a.
ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Inividual O GRUPAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL lista folha plastificada de


ditos. CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa que trabalha os aspectos mais automáticos da linguagem. Ele pode ser
combinado com as tarefas de abstração se solicitado explícito o significado de cada
provérbio.

87
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 38
tarefa
denominar

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é que as imagens G. SEV. D. STERN


pessoa denominada, desenhos
ou objetos que você é um
visualmente pré sentado. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Imagens.
Desenhos. CÁLCULO 1

Pictures.
visuospatial 1
Objetos.

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Ele é facilmente combinado com tarefas de memória episódica. A tarefa pode ser facilitada
através da técnica de incentivo ou facilitação verbal.

Em pessoas que apresentam uma deficiência grave na designação verbal pode se


tornar tarefa de repetição verbal.

88
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 39
tarefa
desenhos mudos

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa digite o G. SEV. D. MODERADO


nome do desenho ou imagem
que é apresentada visualmente.
ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Imagens.
Desenhos. CÁLCULO 1

visuospatial 2

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Ele pode ser combinado com tarefas de memória episódica.

89
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 40
tarefa
série direta

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO Ele convida a pessoa a emitir G. SEV. D. STERN


verbalmente números
automáticas série, dias da
semana, meses do ano, as ATENÇÃO 2
letras do alfabeto ...
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL
CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de linguagem automática e, como tal adequado para níveis de comprometimento
grave da função.
Pode ser combinado com tarefas de funções executivas se pediu para contar a série em
ordem inversa.
É aconselhável para ajudar, dizendo que a próxima palavra, como a menor dificuldade para
apreciar.

90
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 41
comandos simples

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa G. SEV. D. STERN


executar comandos simples
que diz o monitor / a.
ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 2

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL artigos diversos.


CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa clássica de compressão verbal auditiva. Nesta tarefa, há também


uma estimulação da praxias. O envolvimento de diferentes funções ordem
dependente dado.

comandos simples contêm apenas uma ordem.

91
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 42
tarefa
ordens complexas

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa G. SEV. D. MODERADO


executar comandos complexos
que diz o monitor / a.
ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL artigos diversos.


CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa clássica de compressão verbal auditiva.


Nesta tarefa, há também uma estimulação da praxias, dependendo outra
envolvimento de outras funções cognitivas ordem específica tenha sido
requerida.
A dificuldade depende do número de componentes da ordem eo tipo de ações a serem
executadas.

92
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 43
tarefa
Como se faz

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa vai G. SEV. D. MODERADO


explicar o procedimento para
uma determinada tarefa
(receita, das culturas arvenses ATENÇÃO 2

...).
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL
CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

Você pode estar indo guiando lembrando as várias etapas do processo,


verbalmente ou com diferentes etapas escritas em papel.

93
tarefas Psicoestimulación

tarefa 44
tarefa
Descrição do ausente estímulos

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO A tarefa é descrever a pessoa G. SEV. D. MILD


objetos, lugares, pessoas que
não estão presentes na sala,
você tem que lembrar e ATENÇÃO 2
visualizar imaginação.
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 2

MATERIAL Objetos.
Imagens. CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

Ele pode ser guiada nas diferentes conteúdos da descrição.

94
tarefas Psicoestimulación

tarefa 45
tarefa
histórias de compressão

A função cognitiva LÍNGUA

DESCRIÇÃO O monitor / ou contos para ler G. SEV. D. MODERADO


notícias e a pessoa proposta
posteriormente responder às
perguntas que o monitor / a ATENÇÃO 3
feito sobre isso.
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL contos. Notícias


breves. CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de escuta e de memória episódica dos acontecimentos recentes.

95
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 46
tarefa
Associação-image palavra escrita

A função cognitiva MEMÓRIA

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa tem G. SEV. D. MODERADO


uma desenhos ou imagens
com seus nomes submetidos
por escrito. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Imagens.
As palavras correspondentes CÁLCULO 1

escrito.
visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de memória semântica.


A dificuldade depende do nível semântico que representa a associação. A tarefa é
simplificada através da redução resposta alter nativa.

96
tarefas Psicoestimulación

tarefa 47
associação semântica de palavras escritas

A função cognitiva MEMÓRIA

DESCRIÇÃO A tarefa consiste em associar a G. SEV. D. MILD


palavras rson p pe e scrito
resentadas, indicando qual das
alternativas é a palavra que ATENÇÃO 2
está relacionada com a palavra
estímulo apresentado. ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 3

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL cartões plastificados


associação semântica de CÁLCULO 1

palavras escritas.
visuospatial 1

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de memória semântica.


A tarefa é simplificada, reduzindo alternativas de resposta.

97
tarefas Psicoestimulación

tarefa 48
tarefa
atributos

A função cognitiva MEMÓRIA

DESCRIÇÃO A tarefa é reconhecer a pessoa G. SEV. D. MODERADO


ou enum e re os atributos
(personagem é tiques físicos
ou funcionais, ...) de diferentes ATENÇÃO 2
estímulos.
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 3

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL Imagens.
plas Tarje tas ficados palavras. CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de memória semântica.


A tarefa pode ser feito de duas maneiras: a) assegurar que é o paciente que
espontaneamente evoca atributos, ou b) ir dizendo atributos diferentes e
responde indicando se disse atributo é correta ou não em relação à palavra de
estímulo ou imagem.

98
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 49
Encontrar os pares de imagens

A função cognitiva MEMÓRIA

DESCRIÇÃO A tarefa é predefinir um número G. SEV. D. MILD


de pares de imagens idênticas
ticas voltas de re V e s. Cada
pessoa deve estar
ATENÇÃO 3
levantando-os dois a dois, para
encontrar um ja imagens pare-.
Se o tar Levan dois não são ORIENTAÇÃO 1
iguais devem retornar ao lugar
onde eles estavam de cabeça MEMÓRIA 3
para baixo, e ivamente assim
suces, para ser encontrar LÍNGUA 1
casais.
RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Pares de imagens.


CÁLCULO 1

visuospatial 2

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

A dificuldade depende do número de casais. Pode ser complementado com tarefa


de linguagem se chamou cada imagem a ser levantada.

99
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 50
tarefa
Desenhar o que você viu

A função cognitiva MEMÓRIA

DESCRIÇÃO uma figura apresenta rea G. SEV. D. MILD


​rmente deveria
reproduzir graficamente no
modelo de ausência. ATENÇÃO 3

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL plas Tarje tas ficados figuras. As


figuras de madeira. CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

Se você quer trabalhar memória exclusivamente visual, a figura deve faltar a


possibilidade de ser verbalizado. Neste praxias tarefa também o trabalho
construtivo.

100
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 51
tarefa
lembre-se histórias

A função cognitiva MEMÓRIA

DESCRIÇÃO O monitor / ler as notícias em G. SEV. D. MODERADO


voz alta curtas ou a pessoa que
propõe para tentar lembrar o
que vai ouvir. Poteriormente a ATENÇÃO 3
pessoa novamente lembrar
dizer o que será solicitado. ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL contos. Notícias


breves. CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

Dependendo do atraso entre apresentação e recuedo trabalhar com cor para a


memória ou a longo prazo (episódica). A dificuldade depende do número de itens
para se lembrar. impacto variável favorece o recall.

101
tarefas Psicoestimulación

tarefa 52
tarefa
hideouts

A função cognitiva MEMÓRIA

DESCRIÇÃO Ele mostra a pessoa vários G. SEV. D. MODERADO


objetos e se esconder por
ntesluga res, distinguem
de o quarto. ATENÇÃO 3

Osterio P rmente deve se


lembrar objetos e onde eles ORIENTAÇÃO 1

estavam escondidos.
MEMÓRIA 3

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Objetos.
CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa apropriada para ser realizado em grande grupo. A dificuldade


depende do número de objetos para se lembrar.

102
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 53
tarefa
Sinonimos e antonimos

A função cognitiva MEMÓRIA

DESCRIÇÃO A tarefa é para dizer que, por G. SEV. D. MILD


exemplo rson s inónimos
(palavras que significam a
mesma) ou antónimos ATENÇÃO 2
(palavras que significam o
contrário) as palavras com o ORIENTAÇÃO 1

monitor / um.
MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 3

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL folha sinónimos-antónimos


plastificado. CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de memória semântica.

103
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 54
tarefa
Escreva o que você já viu

A função cognitiva MEMÓRIA

DESCRIÇÃO Eles apresentaram à pessoa de G. SEV. D. MILD


uma imagem ou seja, desenhos
ou objectos sendo. Então, a
pessoa para introduzir o nome ATENÇÃO 2
dos elementos que foram
apresentados pedidos. ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Imagens.
Desenhos. CÁLCULO 1

Objetos.
visuospatial 1
Pictures.

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

A dificuldade depende da amplitude da série.

104
tarefas Psicoestimulación

tarefa 55
tarefa
Desenhar o que você tocou

A função cognitiva MEMÓRIA

DESCRIÇÃO A tarefa é que rson o pe G. SEV. D. MILD


reconhecer e
memorizado tocando
diferentes objectos ou forma a ATENÇÃO 2

poder extrair posteriormente


sem frente do modelo. ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL objetos reais. formas


tácteis. As figuras de CÁLCULO 1

madeira.
visuospatial 1

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

Nesta tarefa os praxias construtivas e gnosis tátil também irá funcionar.

105
tarefas Psicoestimulación

tarefa 56
tarefa
Escreve que leu

A função cognitiva MEMÓRIA

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa ler uma G. SEV. D. MILD


série de palavras iormente
cartaz em tarefa recall,
escrevê-los. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL plas Tarje tas ficados palavras.


Lista de palavras. Frases ou CÁLCULO 1

textos escritos.
visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

A dificuldade depende da amplitude da série e o atraso entre apresentação e


recall.

106
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 57
tarefa
pares associados

A função cognitiva MEMÓRIA

DESCRIÇÃO O monitor / uma amostra de G. SEV. D. MODERADO


pares de palavras ou imagens
pessoa. Em seguida, cada
pessoa para lembrar a segunda ATENÇÃO 2
parte do par depois de ser
apresentado apenas o primeiro ORIENTAÇÃO 1

pedido.
MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL Lista de pares de palavras.


Plastificados cartões pares de CÁLCULO 1

palavras. Imagens. Desenhos.


visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de memória a partir do qual utilliza elemento como facili - Tador
priming. A dificuldade da tarefa depende da amplitude da série, bem como itens
contendo o par. Cartões projetados pares de palavras incluem diferentes níveis de
dificuldade, dependendo da combinação de três variáveis: o grau de imageability
dos itens (são mais fáceis de lembrar as palavras específicas tractas as
abstrações), a frequência de utilização de itens (melhor lembrar os bras shovel-
alta frequência de utilização como de baixa frequência) e o tipo de relação entre
itens (melhor lembrar que manter uma relação significativa que não são).

Assim, os diferentes pares de palavras são classificados pelo grau de dificuldade para
recuperação subsequente como estas três variáveis ​são conjugados em cada par. Por
exemplo, pares de memória ser facilmente "gato CÃO" ou "azul-celeste", enquanto
ainda mais difícil de se lembrar são "jaqueta-parafuso" ou "heróica-passado". Em
pessoas com perda de memória leve pode proceder à inter-mento nas estratégias
mnemônicas para facilitar a retirada dos associados emparelhados.

107
tarefas Psicoestimulación

tarefa 58
tarefa
Pronto para evocar

A função cognitiva MEMÓRIA

DESCRIÇÃO uma lista de palavras, imagens G. SEV. D. MODERADO


ou objetos para memorizar que
é apresentado à pessoa. Pos
quentemente sua evocação for ATENÇÃO 2
solicitado.
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Lista de palavras. Jogo de


imagens ou objetos. CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de recordação.


A dificuldade depende da amplitude da série e o tempo de atraso na memória.

108
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 59
tarefa
Dados básicos e rotinas

A função cognitiva MEMÓRIA

DESCRIÇÃO A tarefa é lembrar a pessoa ou G. SEV. D. STERN


rever os dados sobre sua
biografia e suas rotinas diárias.
ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 3

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL Album orientação pessoal.


CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de memória episódica.


No álbum podem registar outros dados ou eventos de importância ou interesse
para a pessoa.

109
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 60
tarefa
categorias

A função cognitiva MEMÓRIA

DESCRIÇÃO A tarefa é para nomear a G. SEV. D. MODERADO


pessoa dife re corre ntes
spondie elementos ntes a
categoria solicitada pelo ATENÇÃO 2

monitor / a.
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 2

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL
CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de lenjuage e memória semântica. Ele pode ser


combinado com tarefa de escrita.
Para facilitar a tarefa, você pode ir ou dar pistas que levam ao recall.

110
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 61
imagens de capa

A função cognitiva MEMÓRIA

DESCRIÇÃO uma série de imagens ou G. SEV. D. MODERADO


objetos mostrado para a
pessoa a o
memorizar. Poster iorm corpo são ATENÇÃO 2

cobertas e deve evocar.


ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Imagens. Objetos. As


figuras de madeira. CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Se a memória é imediatamente uma tarefa de memória para executar cor; se o


atraso é maior tarefa de memória episódica. A dificuldade depende da amplitude da
série e o tempo de atraso na memória.

111
tarefas Psicoestimulación

tarefa 62
tarefa
palavras repetidas

A função cognitiva MEMÓRIA

DESCRIÇÃO O monitor / a emite várias G. SEV. D. STERN


palavras que a pessoa deve
repetir imediatamente

mente. ATENÇÃO 3

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL
CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Em memória imediata é uma tarefa de memória de curto prazo. Se uma repetição


retardada é solicitada, torna-se uma memória episódica tar ea.

Ele pode ser combinado com atribuições da escrita. A dificuldade da tarefa


depende da amplitude da série.

112
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 63
dígitos

A função cognitiva MEMÓRIA

DESCRIÇÃO O monitor / a emite uma série de G. SEV. D. MODERADO


dígitos que a pessoa deve ser
repetida imediatamente.
ATENÇÃO 3

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 2

MATERIAL
CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de memória de curto prazo. A dificuldade


depende da amplitude da série.

113
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 64
tarefa
reconhecer imagens

A função cognitiva MEMÓRIA

DESCRIÇÃO uma série de imagens para G. SEV. D. MODERADO


memorizá-los é apresentado à
pessoa. Posteriormente,
apresentados com uma nova ATENÇÃO 2
série que inclui os anteriores
com os novos. Em seguida, a ORIENTAÇÃO 1

pessoa deve reconhecer e


MEMÓRIA 3
identificar as imagens que
tinham sido previamente
LÍNGUA 1
submetidos.

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Imagens.
Desenhos. CÁLCULO 1

Pictures.
visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de memória de reconhecimento.


A dificuldade depende, entre outras variáveis, a amplitude da série.

114
tarefas Psicoestimulación

tarefa 65
tarefa
orientação espacial

A função cognitiva ORIENTAÇÃO

DESCRIÇÃO A tarefa é reconhecer a pessoa G. SEV. D. MODERADO


e dizer onde ele está
localizado: local, cidade,
bairro, cidade, estado e nação. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 3

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL informação escrita.


CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma orientação clássica tarefa a realidade.


Pode ser apropriado para fazê-lo no início e / ou final das sessões, combinando-a com
instruções de alcatrão eas ou orientação temporal situacional, pessoal ou.

É importante que as instruções de orientação ou conteúdos são adaptados ao nível


cognitiva de cada pessoa, em vez do que a tarefa de um modo idêntico para todos os
componentes do grupo é realizada. A tarefa pode ser feito com a ajuda do Visual
apresentando as informações por escrito.

115
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 66
tarefa
orientação temporal

A função cognitiva ORIENTAÇÃO

DESCRIÇÃO A tarefa é reconhecer a pessoa G. SEV. D. MODERADO


e indicar a data, mês, dia, ano,
estação e o tempo corre
pondente no momento da ATENÇÃO 2
sessão.
ORIENTAÇÃO 3

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Calendário.
Relógio. CÁLCULO 1

informação escrita.
visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma orientação clássica tarefa a realidade.


Pode ser apropriado para fazê-lo no início e / ou final das sessões, combinando-a com
instruções ou tarefas ou orientação espacial situacional, pessoais.

É importante que as instruções de orientação ou conteúdos são adaptados ao nível


cognitiva de cada pessoa, em vez do que a tarefa de um modo idêntico para todos os
componentes do grupo é realizada. A tarefa pode ser feito com a ajuda do Visual
apresentando as informações por escrito.

116
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 67
contando imagens

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A tarefa é ir a pe rson igual a G. SEV. D. STERN


contagem de quantas existem
elementos indicados.
ATENÇÃO 3

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL imagens contagem de folhas


plastificadas. As figuras de madeira. CÁLCULO 3

visuospatial 2

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Ele pode ser combinado com tarefas de linguagem (nome ou repetição) e memória (episódica
ou semântica). Se você precisa ir para orientar a pesquisa.

117
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 68
tarefa
atacadores

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A tarefa é encontrar a pessoa G. SEV. D. STERN


formas diferentes e encaixá-los
no lugar.
ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 2
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL dados relativos ao volume de


renda. Ensartables. Laces aviões. CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de percepção visual.

118
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 69
tarefa
Dominó de cores

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa que G. SEV. D. MODERADO


coloca os dominós de acordo
com as cores das fichas já
colocadas. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Dominó de cores.


CÁLCULO 1

visuospatial 2

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Ele pode ser combinado com as tarefas de nomeação ou a repetição verbal.

119
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 70
tarefa
Toque em superfícies Association

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A tarefa é a de reconhecer a G. SEV. D. MODERADO


pessoa tactilmente superfície e
associado a um outro idêntico.
ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 2

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Toque Games Association.


CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de percepção tátil.


A tarefa é simplificada, reduzindo alternativas de resposta. Para facilitar a tarefa,
inicialmente, pode permitir a visualização, mas a tarefa de reconhecimento pelo
toque exige que este é o único canal de entrada sensorial de informações.

120
tarefas Psicoestimulación

tarefa 71
reconhecimento de forma táctil

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A tarefa é de reconhecer que a G. SEV. D. MODERADO


pessoa ao tocar na forma
apresentada visualmente no
modelo. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 2

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL reconhecimento saco e formas


de associação táteis. CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de gnosis tátil.


A dificuldade depende da complexidade da forma, número e para mais de reconhecer
o grau de similaridade.

121
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 72
tarefa
reconhecer sons

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa vai G. SEV. D. STERN


ouvir uma série de sinais
sonoros e ir reconhecer e
explicar o que você ouviu. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL CD soa. Sons do


jogo. CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de gnosis auditiva.


Pode ser combinado com a linguagem e tarefa de memória de evocação de memórias e
reminiscências.
Como facilitador pode ser tecendo em pistas ou pistas.

122
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 73
tarefa
Toque e reconhecer

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pe rson deve re G. SEV. D. STERN


liberado pelo
objectos nt,
distinguem sem tocar ATENÇÃO 2

visualizá-los.
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Objetos. Saco ou


cobertor. CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Esta tarefa pode ser combinado com tarefas de memória.

123
tarefas Psicoestimulación

tarefa 74
tarefa
Partes do corpo

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa G. SEV. D. STERN


reconhecer e nomear as
diferentes partes do taco RPO,
seja no s eu mesmo, outra ATENÇÃO 2
pessoa ou modelos externos.
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Espelho (opcional). Imagens.


Quebra figura humana. CÁLCULO 1

visuospatial 2

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de reconhecimento do esquema corporal.

124
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 75
rostos

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A tarefa é reconhecer a pessoa G. SEV. D. STERN


familiarizada com ele ou
pessoas famosas para ser
mostrado por rostos ATENÇÃO 2
fotografias.
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Album orientação pessoal.


CÁLCULO 1

Fotografias de rostos
visuospatial 1
famosos.

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Ele pode ser combinado com tarefas de linguagem e memória.

125
tarefas Psicoestimulación

tarefa 76
tarefa
O mapa

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A tarefa é localizar a pessoa G. SEV. D. MILD


que as cidades ser instruído
sobre o mapa de Espanha,
reconhecer os endereços da sa ATENÇÃO 2
seguir para alcançá-los, ou a
lista das cidades que seriam de ORIENTAÇÃO 3

uma certa maneira.


MEMÓRIA 3

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL plastificado deixa mapa de


Espanha. CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa que não é adequado para pessoas com um baixo nível de escolaridade.

126
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 77
tarefa
desenhos inacabadas

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A tarefa é completa a pessoa G. SEV. D. MODERADO


que coloca os desenhos
espacialmente de forma
adequada os elementos em ATENÇÃO 2

falta.
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 2

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Folhas desenhos inacabados.


CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

Para facilitar a tarefa pode ser indicando os elementos a ser incorporados no


desenho.

127
tarefas Psicoestimulación

tarefa 78
tarefa
cores associando

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa G. SEV. D. STERN


coloque o nt differe
elementos o
mesma cor na folha apropriada. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL As figuras de madeira. RCEs


mergulhar elementos coloridos. CÁLCULO 1

visuospatial 1
classificação folha plastificada
pela cor.
F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa que funciona reconhecimento especificamente cor. Ele pode ser
combinado com tarefas verbais denominação.

128
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 79
tarefa
associando formas

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A tarefa é a pessoa para G. SEV. D. STERN


colocar os vários elementos da
mesma maneira na folha
apropriada. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL As figuras de madeira. folha


plastificada para classificar por CÁLCULO 1

forma.
visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa que funciona formas reconhecendo especificamente.

Ele pode ser combinado com eas de alcatrão de denominação verbal.

129
tarefas Psicoestimulación

tarefa 80
tarefa
números de discriminação

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa a G. SEV. D. MODERADO


discriminar e reconhecer os
números solicitados,
apontando-los ou rotulá-los na ATENÇÃO 2

folha.
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Discriminação deixa números.


CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Ele pode ser combinado com as tarefas de nomeação ou a repetição verbal.

130
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 81
tarefa
letras discriminação

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa a G. SEV. D. MODERADO


discriminar e reconhecer as
cartas pedidas apontando para
eles ou atravessá-los na folha. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Deixa carta discriminação.


CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Pode ser combinado com a nomenclatura dos eas alcatrão ou repetição verbal.

131
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 82
tarefa
formas de discriminação visual

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa G. SEV. D. MODERADO


discrimina e reconhece as
formas ñalándolas solicitados
na folha. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL formulários de folha discriminação.


CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Ele pode ser combinado com as tarefas de nomeação ou a repetição verbal.

132
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 83
tarefa
figuras incompletas

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A pessoa deve ser definido e cada G. SEV. D. MILD


foto para encontrar o elemento que
falta.
ATENÇÃO 3

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 3

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL desenhos incompletos.


CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

Eles podem dar pistas sobre o elemento que falta.

133
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 84
tarefa
Identificar o mesmo

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A tarefa é encontrar a pessoa o G. SEV. D. STERN


mesmo estímulo (imagem, ...)
que mostra o monitor / a.
ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 2

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL As figuras de madeira.


Sheets. Imagens. Barajas. CÁLCULO 1

visuospatial 2

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Ele pode ser combinado com tarefas de linguagem e memória.

134
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 85
tarefa
Desenhos com erros

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A tarefa é a pessoa a encontrar G. SEV. D. MODERADO


as diferenças entre dois
desenhos semelhantes
apresentados. ATENÇÃO 3

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL folhas de desenho com as


diferenças. CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

135
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 86
tarefa
Dedos da mão

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa G. SEV. D. MODERADO


reconhecer e nomear os
diferentes dedos.
ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL
CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Se você não reconhecer ou lembrar, o monitor / para ir em e pedir a nomeação


repetição verbal da pessoa.

136
tarefas Psicoestimulación

tarefa 87
tarefa
bingo

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa G. SEV. D. MODERADO


adaptado caixas marcar itens
que indicam o monitor / um.
ATENÇÃO 3

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Adaptado números


papelão ou imagens. CÁLCULO 1

visuospatial 2

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

A dificuldade depende do número de estímulos contendo a placa, a complexidade


da mesma, e a velocidade com a qual eles são processados ​números ou nomes.

137
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 88
tarefa
sopa de fotos

A função cognitiva Por-gnosias

DESCRIÇÃO A tarefa é encontrar o rson por G. SEV. D. MODERADO


exemplo, na folha:

1) A imagem repetidamente e ATENÇÃO 3

STA.
2) A imagem não é repetida. ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 2

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Sopa imagens folha


plastificado. CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

Esta tarefa pode ser combinado com tarefas de linguagem e memória (episódica ou
semântica).
Se necessário, você deve estar liderando a pesquisa.

138
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 89
tarefa
cubos

A função cognitiva praxias

DESCRIÇÃO A tarefa é que rson o pe G. SEV. D. MILD


re p ar roduzca o
modelo apresentado ticulando
cubos coloridas ATENÇÃO 3

apropriadamente.
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL cubos WAIS.


CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de praxias construtivas.


Para facilitar a tarefa são técnicas de modelagem particularmente adequados, de
moldagem e de cadeia.

139
tarefas Psicoestimulación

tarefa 90
tarefa
gestos

A função cognitiva praxias

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa que G. SEV. D. STERN


executa os vários gestos
simbólicos indicando o monitor
/ a. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 2

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL folha plastificada gestos


simbólica. CÁLCULO 1

visuospatial 2

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de praxias ideomotor. A tarefa pode ser executada por


encomenda ou por imitação.

140
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 91
tarefa
usando objetos

A função cognitiva praxias

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa que G. SEV. D. MODERADO


executa as ações necessárias
propostas pelo monitor / um
czar reali para uma determinada ATENÇÃO 2
ação: para enviar um carro para,
acender uma vela, etc. ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 2

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL vários objetos.


CÁLCULO 1

visuospatial 2

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa clássica de ideatorias praxias.


Como técnicas de modelagem facilitadores e moldagem são utilizados.

141
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 92
tarefa
figuras de cópia

A função cognitiva praxias

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa jogar G. SEV. D. MODERADO


graficamente
cópia o
modelo que vem à sua maneira. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL plas Tarje tas ficados figuras. As


figuras de madeira. CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de praxias construtivas.


A dificuldade é graduada de baixo para alto, na ordem seguinte: 1) Os números
simples 2 °) figuras complexas 3 °) figuras perspectiva

Para facilitar a tarefa são técnicas de modelagem particularmente adequados, de


moldagem e de cadeia.

142
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 93
mimo

A função cognitiva praxias

DESCRIÇÃO A tarefa é realizada pela G. SEV. D. MODERADO


pessoa imitando as ações
solicitadas pelo monitor / a
imaginação usando os objetos ATENÇÃO 2
necessários para isso.
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL mimetismo folha plastificada.


CÁLCULO 1

visuospatial 2

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de ideatorias praxias.


Esta tarefa pode ser realizada por imitação ou por ordem. É desejável
desenvolver forma lúdica. Você pode entrar no jogo de adivinhação que está
sendo feito.

143
tarefas Psicoestimulación

tarefa 94
tarefa
Figuras em desenho

A função cognitiva praxias

DESCRIÇÃO A tarefa é a rson por exemplo, G. SEV. D. MILD


desenhar figura dada pelo
monitor / sem um modelo de
presença. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL Papel e lápis.


CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de praxias construtivas.

144
tarefas Psicoestimulación

tarefa 95
Modelos com números

A função cognitiva praxias

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa brincar G. SEV. D. MODERADO


com figuras de madeira modelo
composto do monitor / a.
ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL As figuras de madeira.


figuras do jogo. CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de praxias construtivas.


Que diferentes números são de cores diferentes facilita a tarefa. Técnicas são muitas
vezes utilizados como uma modelação facilitador, ligas e em cadeia.

145
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 96
tarefa
posturas mãos

A função cognitiva praxias

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa imitar o G. SEV. D. STERN


monitor / a, colocando as mãos
na mesma posição ou postura
que as mãos do monitor / a. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL
CÁLCULO 1

visuospatial 2

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

146
tarefas Psicoestimulación

tarefa 97
tarefa
Modelos com pauzinhos

A função cognitiva praxias

DESCRIÇÃO A tarefa é construir o rson por G. SEV. D. MODERADO


exemplo pauzinhos com um
modelo idêntico ao apresentado
pelo monitor / um. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Pauzinhos.
CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de praxias construtivas.


Técnicas são muitas vezes utilizados como uma modelação facilitador, ligas e em
cadeia.

147
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 98
tarefa
traçados idênticos

A função cognitiva praxias

DESCRIÇÃO A tarefa é fazer com que a G. SEV. D. MODERADO


pessoa um caminho para o
modelo usando como guia os
pontos de lâmina. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
inividual
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Folhas de caminhos idênticos.


CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

A dificuldade da tarefa depende da complexidade do layout. E suporte técnico


para facilitar a tarefa pode ser usado modelagem, moldagem e encadeamento.

148
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 99
tarefa
relógios de duração indeterminada

A função cognitiva praxias

DESCRIÇÃO A tarefa é desenhar a pessoa G. SEV. D. MODERADO


em relógios de vazios o tempo
indicado pelo monitor / um.
ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL folhas vazias relógios.


CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

Como técnicas de suporte podem ser usados ​modelação, moldagem e cadeia.

149
tarefas Psicoestimulación

tarefa 100
tarefa
simetrias

A função cognitiva praxias

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa G. SEV. D. MODERADO


completa a figura desenhada,
desenho a branco na simetria
ao que já aparece desenhado ATENÇÃO 2
na folha.
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Folhas de padrões simétricos.


CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

É conveniente nesta tarefa usado como modelagem técnicas de suporte, de


moldagem e de cadeia.

150
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 101
tarefa
série lógica

A função cognitiva Raz-ABS

DESCRIÇÃO A tarefa consiste em ordenar G. SEV. D. MODERADO


que a pessoa corre ct imagens
Ely diferentes para que eles
formam uma sequência lógica. ATENÇÃO 3

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 3

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Lote de imagens, desenhos ou


fotografias que podem ser CÁLCULO 1

encomendados em uma seqüência


visuospatial 2
lógica.

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

técnicas de suporte mais utilizados são de modelagem, moldagem e cadeia.

Você também pode ir sugerindo ou se oferece para ajudar a controlar a busca de


sequência lógica.

151
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 102
tarefa
tipo

A função cognitiva Raz-ABS

DESCRIÇÃO A tarefa é a pessoa que G. SEV. D. MODERADO


encomenda os ELEMENTOS
ser dada agrupando-os por
características comuns ou ATENÇÃO 2

atributos.
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 3

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Imagens. As figuras de


madeira. Objetos. CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

A tarefa é facilitada se os grupos já estão estabelecidos anteriormente. Também é mais fácil


quando os critérios de classificação são características perceptivas.

152
tarefas Psicoestimulación

tarefa 103
tarefa
Identificar e associar

A função cognitiva Raz-ABS

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa G. SEV. D. MODERADO


associar as imagens de acordo
com os atributos ou
características que se ATENÇÃO 2

relacionam.
ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 3

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Imagens.
Desenhos. CÁLCULO 1

Pictures.
visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Eles podem ser usados ​uctions instr indutores.

153
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 104
tarefa
respostas lógicas

A função cognitiva Raz-ABS

DESCRIÇÃO A tarefa é a pessoa para responder a G. SEV. D. MODERADO


perguntas específicas: por exemplo:.
O que vamos usar quando chove.
ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 3

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL respostas lógicas folha


plastificada. CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

É uma tarefa de julgamento crítico, ou seja, o uso do raciocínio aplicado a situações


cotidianas ou vida social.
A dificuldade depende do tipo de processamento que exige a resposta. É importante
que as perguntas são adaptados às situações cotidianas de pessoas no grupo, bem
como exigir alguma reflexão não provando resposta excessivamente óbvio.

154
tarefas Psicoestimulación

tarefa 105
tarefa
adivinhação

A função cognitiva Raz-ABS

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa G. SEV. D. MILD


adivinha os enigmas propostos
pelo monitor / a.
ATENÇÃO 3

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 3

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL Plastificado Nance folha


adivinhação. CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

A tarefa torna-se mais fácil se eles estão oferecendo pistas. Pode


ser complementado com tarefa de escrita.

155
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 106
tarefa
interpretar ditos

A função cognitiva Raz-ABS

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa G. SEV. D. MILD


explicar o significado de
provérbios.
ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 3

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL lista folha plastificada de ditos.


CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Os exemplos específicos pode ser útil para facilitar a abstração.

156
tarefas Psicoestimulación

tarefa 107
tarefa
Semelhanças e diferenças

A função cognitiva Raz-ABS

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa indicar G. SEV. D. MODERADO


em que eles se parecem ou o
que os dois elementos diferem
apresentado. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 3

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 3

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL folha semelhanças-diferenças


plastificado. Imagens. CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

A tarefa é facilitada através da indução de instruções verbais, tais como "os dois são ...",
"não olhe para aquele ...".

157
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 108
tarefa
soluções

A função cognitiva Raz-ABS

DESCRIÇÃO Eles posaram para as situações G. SEV. D. MODERADO


individuais que devem dar
soluções que exigem o uso de
julgamento crítico. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 2

LÍNGUA 3

RAZ-Abstr 3

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 1

MATERIAL situações folha plastificado.


CÁLCULO 1

visuospatial 1

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

158
tarefas Psicoestimulación

tarefa 109
tarefa
As horas

A função cognitiva visuospatial

DESCRIÇÃO A tarefa é colocar a pessoa no G. SEV. D. MODERADO


sentido horário corretamente
para obter o check indicando o
monitor / a. ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 2
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL relógios de madeira. folhas


vazias relógios. CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

Esta tarefa pode ser adaptado pedindo apenas que a pessoa dizendo o tempo indicado pelo
relógio. Neste caso, ele desaparece execução componente práxica.

159
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 110
tarefa
figuras sobrepostas

A função cognitiva visuospatial

DESCRIÇÃO A tarefa é a pessoa a encontrar G. SEV. D. MILD


diferentes objectos que
compõem a rede de
sobreposição de figuras. ATENÇÃO 3

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 1
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Super folhas colocado figuras.


CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

A tarefa é simplificada se algumas cores ou pontos / s / s figura / s.

160
tarefas Psicoestimulación

tarefa 111
tarefa
noções espaciais básicas

A função cognitiva visuospatial

DESCRIÇÃO Em números simples a pessoa G. SEV. D. MODERADO


deve colocar corretamente uma
cor de telha, em relação à
figura da lâmina, seguindo as ATENÇÃO 2
instruções do monitor / a. As
instruções devem ser ORIENTAÇÃO 1

endereçadas aos espaciale


MEMÓRIA 2
noções s: UP-DOWN; DIREITA
ESQUERDA ; DENTRO FORA.
LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 2
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL figuras folha plastificadas para


conceitos espaciais. CÁLCULO 1

visuospatial 3
As figuras de madeira.
fichas coloridas.
F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

A dificuldade depende do número de figuras e fichas para fazer.

161
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 112
tarefa
passeios visiomotores

A função cognitiva visuospatial

DESCRIÇÃO A tarefa é fazer com que a G. SEV. D. STERN


pessoa, traçando a rota
indicada na folha.
ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Deixa rotas visual-motora.


CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

162
tarefas Psicoestimulación

tarefa 113
tarefa
quebra-cabeças

A função cognitiva visuospatial

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa que G. SEV. D. MODERADO


executa os enigmas propostos.

ATENÇÃO 2

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 2

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 3
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 3

MATERIAL Enigmas.
CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 2

OBSERVAÇÕES

A dificuldade depende, entre outras variáveis, o número de peças do puzzle.

técnicas de suporte mais utilizados são de modelagem, moldagem e cadeia.

163
eas de alcatrão de psicoestimulación

tarefa 114
tarefa
Direita esquerda

A função cognitiva visuospatial

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa que G. SEV. D. MODERADO


executa cha discriminação dere -
Lateral esquerdo rd de seguir
comandos verbais. ATENÇÃO 2

Exemplo: "Levante sua mão direita" ORIENTAÇÃO 1

ou "aponta a mão esquerda e, em


MEMÓRIA 1
seguida, meu pé direito em primeiro
lugar."
LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 2
Indivíduo ou grupo
EXECUÇÃO

Por-gnosias 2

MATERIAL
CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 1

OBSERVAÇÕES

A dificuldade da discriminação direita-esquerda se formar de alto a baixo, como


duas variáveis ​conjugen: 1) auto Discriminação / discriminação em outros. 2 °)
comandos simples / comandos complexos.

164
tarefas Psicoestimulación

tarefa 115
tarefa
labirintos

A função cognitiva visuospatial

DESCRIÇÃO A tarefa é que a pessoa G. SEV. D. MILD


resolver tarefas labirintos
propostas.
ATENÇÃO 3

ORIENTAÇÃO 1

MEMÓRIA 1

LÍNGUA 1

RAZ-Abstr 1

IMPLEMENTAÇÃO / praxias 2
INDIVIDUAL
EXECUÇÃO

Por-gnosias 2

MATERIAL Labirintos folhas (diferentes


níveis de dificuldade). CÁLCULO 1

visuospatial 3

F. EXECUTIVO 3

OBSERVAÇÕES

Existem diferentes níveis de dificuldade, dependendo do tipo de tarefa solicitada pelo


labirinto e compeljidad-lo.
A tarefa anteriormente traçar o curso de direito com o dedo.

165
glossário de termos neuropsicológica

Apraxias

APRAXIA é a alteração adquiriu a capacidade de executar ações motoras proposicional


(ou seja, com intencionalidade) a ser preservada nos sujeitos habilidades motoras básicas
e ter pleno conhecimento do ato ele se apresentou.

Classicamente eles vêm distinguir diferentes tipos de apraxia:

• APRAXIA ideomotor
Alteração adquirida a capacidade de executar ações motoras simples por comando verbal.
Geralmente se referem a gestos simbólicos e o uso de objetos (por exemplo:. Dizer adeus,
movendo-se de usar o pente ...).

• APRAXIA ideacional
Alteração adquirida a capacidade de fazer um plano lógico de ação necessário
coordenar adequadamente os movimentos apropriados para realizar uma ação
específica (por exemplo:. Riscando um fósforo, cortou um filé ...).

• APRAXIA CONSTRUTIVO
Alteração adquirida a capacidade de planejar e executar motores atos que permitem
que uma junta por junta e montagem de elementos diferentes (por exemplo:. Desenhar
ou copiar figuras gráficas, fazer um quebra-cabeça modelos de blocos repr oducir ou
cubos ...) .

• motora APRAXIA ou cinética


Perda de padrões de memória cinestésica (movimento) necessário para executar ações
especializadas. Incluindo apraxia da marcha e OROFACIAL apraxia estão localizados.

• APRAXIA VESTIDO
diversas alterações na capacidade do paciente para vestir adequadamente. Defeitos
podem ser diferentes: a orientação espacial incorrecto das peças de vestuário ao
corpo, sequenciação indevida do mesmo, etc.

169
glossário de termos neuropsicológica

agnosias

AGNOSIA Ele é a alteração da capacidade adquirida reconhecimento de objectos ou outros


factores ambientais existe no pré iendo rvação objecto da consciência sem existi r defeitos
sensoriais ou falta de familiaridade com o assunto.

TIPO DE agnosias conforme a modalidade sensorial:

• Agnosia visual. Alteração de reconhecimento de objetos ou outros ELE - mentos que têm
de ser visualmente perceptível.
Dentr ou esta modalidade sensorial também costumam usar os termos tes seguin- que se referem
a campos mais específicos, tais como distúrbios mnésicas:

• AGNOSIA para imagens. Alteração de reconhecimento visual de imagens ou


objectos.
• AGNOSIA para a cor. Alteração de reconhecimento visual de cores.

• Proso PAGNOSIA. reconhecimento alteração familiare ROS s ro r.

• AGNOSIA TOQUE O ASTEREOAGNOSIA. reconhecimento alteração de objetos ou


formas de contato.

• agnosia auditiva. reconhecimento de sons alterados.

Além disso, geralmente eles usam os seguintes termos para refe - rência a outros agnosias
não classificadas de acordo com a modalidade sensorial:

• Anosognosia. A falta de sensibilização de uma doença ou incapacidade para perceber


um defeito ou parte danificada do corpo. Um tipo específico é a Anosognosia
hemiplegia ( falta de reconhecimento de paralisia produzida no meio corpo).

• Asomatognosia. Alteração no reconhecimento do esquema de poral cor-. Uma forma


especial dentro dela é o AGNOSIA DIGITAL, ou seja, a mudança no reconhecimento de
diferentes dedos.

• PARAGNOSIAS. reconhecimento estrutural confusões (por exemplo:. confundir a


imagem de um cão com um cavalo).

170
glossário de termos neuropsicológica

amnésias

AMNESIA É uma deficiência adquirida de memória e processos (registro, armazenamento


e recuperação de informações) para que o assunto apresenta dificuldades em tarefas ou
atividades relacionadas dizaje APREN ou memória.

• RETROGRADE amnésia. Prejudicada capacidade de recordar informações e dos


eventos bem estabelecidas antes do início doença.

• amnésia anterógrada. Prejudicada capacidade de adquirir


novas informações qualquer modalidade sensorial.

TERMOS E CONCEITOS RELACIONADOS À MEMÓRIA:

• A memória declarativa ou explícita


Memória que vem de consciência e reflexão. São todos os conhecimentos, fatos,
eventos, conceitos e significados que podem verbalizar através de uma memória
consciente.

• memória IMPLÍCITA OU processual


Memória que não depende de nossa consciência. Refere-se a aprendizagem de motor,
outros processos de aprendizagem perceptual e (priming, condicionamento clássico)
habilidades inconscientes. Ex.: Ciclismo, tocar um instrumento.

• MEMÓRIA VISUAL
Capacidade de gravar, armazenar e recuperar para mais tarde recordar, material visual.

• memória verbal
Capacidade de gravar, armazenar e recuperar para mais tarde recordar, material
verbal.

• Memória de Curto Prazo, imediata ou TRABALHO


capacidade de memória limitada age como um armazenamento temporário, ou seja, a
informação lá permanece um curto período de tempo,

171
glossário de termos neuropsicológica

tanto para o registro de novas informações para a manutenção temporária da


informação necessária para outros processos cognitivos adquiridos.

• Memória de longo prazo


memória capacidade ilimitada onde todos os tipos de aprendizagem dos seres humanos
estão localizados. Neste memória tanto declarativa ou explícita e memória implícita ou
processual está incluído. memória episódica e memória semântica: Também na memória
dois sistemas de memória explícita ou declarativa estão localizados.

• memória episódica
sistema de memória que lida com informações sobre o evento ou eventos específicos, a
informação que se relaciona com um determinado tempo e espaço de vida (por exemplo:. a
memória da infância, lembrando o que eu tinha o jantar de ontem, a memória de um lista de
palavras, uma citação ...).

• A memória semântica
sistema de memória que lida com o conhecimento geral do mundo nenhuma ligação
específica com o contexto espaço-temporal. Ele inclui o conhecimento dos fatos,
conceitos e significado das palavras (por exemplo:. Sabendo que o cão é um animal de
quatro patas mamífero, sabe o que significa "alegria", "banana" ...).

172
glossário de termos neuropsicológica

afasias

Afasia É uma alteração da linguagem adquirida (na expressão e / ou compreensão) em um assunto


com um desenvolvimento normal da linguagem anterior.

É amplamente utilizada a classificação tradicional da afasia, que sintetizar, distingue e


diferentes tipos de transtornos afásicos:

• afasia motora ou afasia expressiva O Broca


ST Featu ica p ain é prejudicada fluência com a rpeza para icular aparência rt e de
parafasias: Eles são geralmente afectadas s tudo o que sp ROCESSO s p rodução
verbal (expressão oral, nome, Escri tura e repetição). cuba NSI compra ou n auditoria é
mantido a um nível aceitável.

• Um SENSORIAL Fasia COMPRENSIVA O O afasia de Wernicke


A principal característica é a ausência de compressão de voz (escrita ou oral), enquanto
uma transmissão de um parafasias embalados linguagem fluida, mas incompreensível.
Eles não são preservadas nenhum dos processos, com excepção fluência no idioma,
apesar de sua falta de inteligibilidade.

• NOMINAL afasia ou amnésico afasia


A principal característica da doença é a dificuldade de encontrar palavras (anomia) no
contexto de um discurso fluente e gramaticalmente correta. Ouvir e repetição verbal
são preservados. Leitura e escrita pode variar de um paciente para outro.

• afasia de condução
A capacidade verbal principais características e ica é severamente prejudicada RePet
ition existem iendo um ivel N de OK IDEZ dele gripe verbal e audi t comp s sion IVA.
Apesar de apresentar uma linguagem gripe Longe vão lixo freqüente e ICAS Semat
parafasias ambos fala espontânea e tarefas de nomeação ea nverbal re ou Trea.

173
glossário de termos neuropsicológica

• transcortical Afasia SENSORIAL


grave comprometimento da compreensão verbal ter preservado a capacidade de repetição
verbal. A linguagem é fluente, mas incompreensível ser preenchido com neologismos e
parafasias.

• Transcortical afasia motora ou afasia DINÂMICA


envolvimento importante da iniciação e organização das respostas verbais espontâneas
em produção. É preservada a capacidade de repetição verbal, compreensão verbal
auditiva e articulação da fala. A capacidade de nome e construção gramatical varia em
pacientes.

• Afasia MIXTA
Desordem caracterizada por prejudicada afasia fluência verbal digite Broca durante a
apresentação de uma alteração não grave, moderada de compreensão auditiva.

• GLOBAL Afasia
alteração grave dos diferentes processos de linguagem, apresentando um
compromisso sério de ambos fluência verbal ea compra sion linguística.

Esta classificação clássico não é sem problemas decorrentes de um lado da


heterogeneidade clínica onde muitos casos difíceis de classificar mente nas categorias
acima e a contribuição limitada dos mesmos para o campo da reabilitação ou intervenção
lá. A partir dos modelos cognitivos incorporando o desenvolvimento da neuropsicologia
cognitiva, elas estão sendo feitas contribuições valiosas, e tem como principal objetivo
avaliar cada paciente em diferentes processos, muitos deles independente da linguagem.
Esta abordagem é muito mais operacional e interessante do ponto de vista das
intervenções de reabilitação ou de programação. meta diagnóstico já não é categorizar os
pacientes, mas para detectar processos ou componentes cognitivos da mesma que são
alterados. A partir desta abordagem,

• leitura
• escrita
• designação
• produção espontânea bucal
• evocação produção oral
• Compreensão auditiva
• repetição verbal
• automática de idioma
174
glossário de termos neuropsicológica

Deve também notar-se que cada processo cognitivo tem diferentes segmentos ou etapas,
de modo que, dependendo de onde é colocado alteração aparecer desordens diferentes
(por exemplo, não se pode falar de um único fenómeno e dislexia idênticos ou
dysgraphia).

TERMOS TRANSTORNOS RELACIONADOS idioma:

• Disartria. discurso disfunção da articulação.

• Disfemia. Transtorno de fluência da fala.

• ALEXIA-dislexia. Alteração no processo de leitura.

• Paralexias. fenômenos anômalos que aparecem na leitura no contexto da dislexia.

• Agrafia-disgrafia. Alteração no processo de escrita.

• PARAGRAFIAS. fenômenos anômalos que aparecem, por escrito, no contexto de


disgrafia.

• Anomia. alteração incapacidade consistente para acessar a palavra exata.

• Parafasias. Prejudicada produção verbal das palavras: parafasias tipos diferentes são
distinguidos:

• Parafasias LITERAIS O fonética. A alteração é a questão errada de fonemas (por


exemplo:. Dizer "modana" em vez de "moeda" ou dizer "tesa" em vez de "table").

• Parafasias verbal. A alteração envolve mudar a palavra correta para o outro. Se


ocorrer a mudança de uma palavra semelhante morfologicamente falamos parafasias
morfológicas ( Ex.: Dizer "pêra" em vez de "jornal"). Se ocorrer a mudança de uma
palavra semanticamente relacionados, ou seja, o sentido, falamos de Parafasias
semântica ( Ex.: Dizendo "apple" em vez de "pêra").

• Parafasias prorrogado, reconduzido ou circunlóquios.


Substituindo uma palavra específica para uma frase que faz reenvio à palavra
(frases normalmente descritivos objeto ou função) que o paciente não é capaz de
dizer (ex:. "Isso escrita ..." em vez da "caneta").

175
glossário de termos neuropsicológica

• Neologismo. distorção parafásica de toda a palavra para que o paciente articula uma
palavra sem dificuldade, mas completamente ininteligível (por exemplo: "Masumi" ou
"Talata").

• PALAVRAS "ONMIBUS". Use palavras indefinidas que servem o paciente para preencher as
ausências anômicos (por exemplo:. dizer "aquela coisa" ou "que" em vez de palavra concreto).

• Jergafasia. parafasias cheio de neologismos e linguagem ininteligível.

• Palilalia. Repete sustentado e inadequada sílabas, palavras ou frases.

• Ecolalia. Conduzir a repetição verbal de palavras ou frases que ouve o paciente / aa uma
segunda pessoa e são emitidas sem a intenção de adicionar qualquer intenção ou
significado.

• Agramatismo. Prejudicada construção sintática verbal na produção de sentenças, por


escrito ou oralmente, que forem incorretas gramaticalmente.

Outros termos utilizados neuropsicológicos frequência:

• INSIGHT
Capacidade de introspecção e reflexão sobre os problemas com a defesa para o próprio
sujeito.

• perseveration
paciente repetitivo ou estereotipado com a impossibilidade de alterar uma resposta, a acção, ou
a primeira tarefa para outra conduta subsequente.

• ENCERRAMENTO-IN OU ABORDAGEM
Conduzir paciente que está a executar a ação anexado ou muito próximo do modelo
incapacidade de se distanciar dele (por exemplo:. Figuras pilha em vez de reproduzir
um modelo, revisão ou logo desenhar o modelo em um figuras de cópia tarefa gráficas).

• bradipsiquia
Marcado abrandamento em processos cognitivos do paciente.

• acalculia
Alteração adquirida para a realização de operações aritméticas que o assunto antes de
patologia realizados sem dificuldade.

176
glossário de termos neuropsicológica

• negligência espacial unilateral


O paciente ignora parte do espaço exterior e actua como inexistente. Ela está relacionada
com problemas de atenção.

• CORPO sidewards NEGLIGÊNCIA


O paciente ignora a metade (direita ou esquerda) de seu próprio corpo e age como se ele
não existisse.

177
glossário de termos neuropsicológica

Referências

• Ministério dos Assuntos Sociais do Principado das Astúrias. Centros diurnos para pessoas
idosas com dependências. coleta de documentos de Política Social; Series Technical
Paper, No. 8. Publicado pelo Governo do Principado das Astúrias, Oviedo de 2000.

• Cuetos, F. Avaliação e reabil itación de afasia. Editoria l Panamericana, Madrid, 1998.

• Ellis e Young AW WA. neuropsicologia cognitiva humana. Editorial Masson, Barcelona,


​1992.

• Grieve, J. Neuropsicologia para terapeutas ocupacionais. Panamericana Editorial, Madrid


de 2000.

• Israel L. método de treinamento ria memorando. Editado por Laboratorios Semar,


Barcelona, ​1987.

• I junque C. e J. Barroso opsicología Neur. Síntese Editorial, Madrid, 1995.

• Le poção M. ginástica cerebral. Técnicas e exercícios para manter seu cérebro em forma. Ediciones
Assuntos de Hoy, Madrid, 1987.

• Pena-Casanova, J. et al. (1999). documentos técnicos e tera material de peutic ativar da


Mente Projeto. Editado pela Caixa, Barcelona 1999 Foundation.

• Pena-Casanova, J. e Pérez-Pamies, M. Reabilitação de afasia e depois de tornos parceiros. Masson


Editorial, Barcelona 1988.

• Sociedade Espanhola de medicina de família e comunidade. Demências.


Editado por Laboratorios Bayer, Barcelona, ​1999.

• Tárraga, M. Boada et al. Começar de novo. Glosa Editorial, Barcelona,


1999.

179