Você está na página 1de 189

Página 1

REINO
PRINCÍPIOS
P REPARANDO PARA K INGDOM
E XPERIÊNCIA E E XPANSÃO

Página 2

Página 3
REINO
PRINCÍPIOS
P REPARANDO PARA K INGDOM
E XPERIÊNCIA E E XPANSÃO
Dr. Myles Munroe

Página 4
© Copyright 2006 - Myles Munroe
Todos os direitos reservados. Este livro está protegido pelas leis de direitos autorais
dos Estados Unidos
Da America. Este livro não pode ser copiado ou reproduzido para lucro ou lucro
comercial.
O uso de citações curtas ou cópias ocasionais de páginas para estudo pessoal ou em
grupo é
permitido e encorajado. A permissão será concedida mediante solicitação. A menos
que outro -
sábio identificado, as citações das Escrituras são da SANTA BÍBLIA, NOVA
INTERNA-
VERSÃO TIONAL Copyright © 1973, 1978, 1984 pela International Bible Society.
Usado com permissão da Zondervan Publishing House. Todos os direitos
reservados. Escritura
As citações marcadas (NKJV) são tomadas da Nova Versão King James. Copyright ©
1982 por Thomas Nelson, Inc. Usado com permissão. Todos os direitos
reservados. Observe
que o estilo de publicação do Destiny Image capitaliza certos pronomes na Escritura
que
consulte o Pai, o Filho e o Espírito Santo, e pode diferir dos estilos de alguns editores.
Tome nota que o nome satan e os nomes relacionados não são capitalizados. Nós não
escolhemos
para reconhecê-lo, até ao ponto de violar as regras gramaticais.
Fotografia de capa de Andy Adderley, Fotografia criativa, Nassau, Bahamas
Destiny Image® Publishers, Inc.
PO Box 310
Shippensburg, PA 17257-0310
"Falando aos Propósitos de Deus para esta Geração
e para que as gerações venham ".
Bahamas Faith Ministry
Caixa postal N9583
Nassau, Bahamas
Para Distribuição Mundial, Impresso nos EUA
ISBN 10: 0-7684-2373-2
Capa dura
ISBN 13: 978-0-7684-2373-0
ISBN 10: 0-7684-2398-8
Paperback
ISBN 13: 978-0-7684-2398-3
Este livro e todos os outros Destiny Image, Revival Press, MercyPlace,
Pão fresco, Destiny Image Fiction e Treasure House Books
estão disponíveis nas livrarias e distribuidores cristãos em todo o mundo.
Capa dura
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11/09 08 07 06
Paperback
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11/09 08 07 06
Para uma livraria dos EUA mais próxima de você, ligue para
1-800-722-6774.
Para obter mais informações sobre distribuidores estrangeiros, ligue para
717-532-3040.
Ou nos encontrar na Internet:
www.destinyimage.com

Página 5
r
TABELA DE C ONTENTES
Prefácio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7
Introdução . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .11
Capítulo um
A Prioridade do Reino. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .23
Capítulo dois
O Reino de Deus versus os Governos do Homem. . . . . . . . . . .37
Capítulo três
O conceito do Reino Original: Colonização da Terra. . . . . . . . . . .57
Capítulo quatro
Conceito do Reino # 1:
Entendendo o Conceito do Reino dos Reis. . . . . . . . . . . . . . . .75
Capítulo Cinco
Conceito do Reino # 2:
Entendendo o Conceito do Reino do Senhor. . . . . . . . . . . . . . . . .97
Capítulo seis
Conceito do Reino # 3:
Compreender o conceito de território do reino. . . . . . . . . . . .113

Página 6
Capítulo sete
Conceito do Reino # 4:
Compreender o conceito de constituição do reino. . . . . . . . .127
Capítulo oito
Conceito do Reino # 5:
Compreender o conceito de lei do Reino. . . . . . . . . . . . . . . .141
Capítulo Nove
Conceito do Reino # 6:
Entendendo o Conceito do Reino de Chaves. . . . . . . . . . . . . . . .157
Capítulo dez
Conceito do Reino # 7:
Compreender o conceito de cidadania do Reino. . . . . . . . . .177
Capítulo 11
Conceito do Reino # 8:
Compreender o conceito de cultura do reino. . . . . . . . . . . . .189
Capítulo Doze
Conceito do Reino # 9:
Entendendo o Conceito do Reino de Dar ao Rei. . .203
Página 7
r P REFACE
Ao escrever este livro, eu tenho em algum momento em particular
ponderou as seguintes questões:
1. Por que há tanto ódio no mundo?
2. Por que discriminamos pessoas que possuem
valor humano?
3. Por que existe racismo no mundo?
4. Quais são os benefícios da guerra?
5. Por que os homens em cada geração perseguem o poder no
despesa de paz?
6. Por que há tantas religiões?
7. Por que as religiões estão em conflito?
8. Por que não nos podemos amar uns aos outros na terra?
9. Por que nenhuma religião é suficientemente boa para todos os homens?
10. O que posso fazer para fazer a diferença neste mundo?
11. Por que sempre há tensão entre política e religião?
12. Será que haverá paz global e harmonia na Terra?
7

Página 8
13. Por que o progresso científico e intelectual do homem
não foi capaz de resolver seus problemas sociais, culturais e religiosos.
problemas?
14. Existe esperança para o nosso mundo?
15. O que sobre o futuro para nossos filhos? Que tipo de
mundo eles viverão?
Simplesmente fazer essas perguntas pode inflamar um espírito de depressão
e desespero porque expõem as deficiências e defeitos de
humanidade e lançar uma nuvem sombria de dúvidas sobre nossas realizações
como uma corrida, bem como o nosso potencial para melhorar nosso lote.
No entanto, desejo declarar com esperança positiva e emoção
que este livro apresenta a solução - uma idéia que é mais antiga do que o tempo
ainda tão fresco quanto o amanhã no enfrentamento do coração grita de humanidade
na nossa busca por um mundo melhor. Esta solução não é encontrada em reli-
Gion ou política, mas em uma idéia que foi mal interpretada por seis
mil anos - um conceito que foi estabelecido na base de
criação, mas depois foi perdida. É uma idéia que fornece o valor,
igualdade, significado e finalidade para cada um dos mais de seis bilhões
humanos neste planeta, todos os quais merecem o melhor da vida. Esta ideia
é sobre você e eu e algo que sempre foi nosso por divina
certo. É uma bela idéia que está dormindo durante séculos
aguardando a nossa redescoberta.
Este livro é sobre o seu propósito original para a existência e o
fonte de significado por trás da sua vida. Nessas páginas você vai descobrir
a motivação divina do criador, o design e o mandato para a criação dele.
e seu papel nessa criação. Depois de ler este livro, você irá
estar equipado com o conhecimento para responder algumas das perguntas
listado acima. Estou convencido também de que você vai acreditar, como eu
faça, que haja esperança para a humanidade, mas apenas quando nos reconectamos
fonte de criação e os conceitos originais do nosso Criador para a vida em
planeta Terra.
Princípios do Reino
8

Página 9
Moisés, o grande lutador da liberdade e ex-príncipe do Egito,
primeiro gravou esta ideia há 3.500 anos em seus escritos, documentando
a narrativa da criação. Mas já era um conceito antigo mesmo em
no seu dia. Então, há 2.000 anos, essa maravilhosa idéia foi reintroduzida
por uma jovem professora do país da Galiléia, mas depois foi maltratada -
Permaneceu e perdeu na formação complicada de outra religião.
Qual é essa idéia? O Reino!
Quando alguém ouve a palavra reino , imediatamente muitos diferentes
idéias, conceitos e imagens vêm à mente. A maioria dos nossos conceitos em
A vida é o resultado da nossa cultura, desenvolvimento social e
Educação informal. Somos produtos da nossa cultura e interpretamos
o mundo através do nosso condicionamento mental.
O conceito de reino em seu sentido original e puro foi
perdido para o nosso mundo moderno. O Reino como um conceito não existe.
mais nas mentes das pessoas na civilização ocidental, particularmente em
as últimas gerações, porque todos os protótipos já foram
destruído ou abandonado. Porque não há reinos ou remissões
nesses reinos que estão no mundo ocidental, vivemos em uma geração
onde o verdadeiro significado da maior mensagem já contada não pode ser
totalmente compreendido.
É essa preocupação que este livro tentará abordar. O objetivo
deste livro é reintroduzir os conceitos, princípios e natureza de
verdadeiros reinos autênticos, tal como apresentados pelo Criador e mostram o
natureza superior e vantajosa do reino em relação a qualquer
religião, ideologia política, sistema governamental ou programa social.
Junte-se a mim enquanto exploramos e compreendemos os preceitos e princípios de
"o Reino."
Prefácio
9

Página 10

Página 11
r
I NTRODUCTION
A maior ameaça à sociedade civil é a humanidade. Cada
Dia da inundação de imagens em nossas telas de televisão
conta a triste história. Sangue, morte, diplomacia, conflito,
ódio, medo, pobreza, fome, estupro, genocídio, refugiados e humanos
migração, desastres naturais, bombardeios diários, incerteza econômica,
imigração, corrupção corporativa, decadência moral, revolução sexual,
e choque de contra-culturas - tudo isso testemunha o inegável
fato de que somos nosso próprio pior inimigo.
Todas as nossas universidades, tecnologia do ciberespacio, amoras,
think tanks, reuniões do G-8, políticas fiscais e de imigração, médicos
avanços, experiências sociais, conferências religiosas, paz
marchas e declarações de cessar-fogo e paz na terra parecem
para colapso à mercê de nosso próprio espírito destrutivo auto-imposto.
Nós construímos edifícios e depois os bombamos; nós fazemos armas e
então use-os em nós mesmos; nós inventamos medicamentos que curam e depois
retiene-os dos doentes; melhoramos a World Wide Web para
melhorar a comunicação global e depois usá-la para destruir a moral
fibra de nossos filhos. Nós somos o nosso maior inimigo.
11
Página 12
A FONTE DA RELIGIÃO
Tudo isso é agravado pelo nosso estabelecimento de
religiões em que nos retiramos para escapar do caos social que temos
criada. A religião é a força mais poderosa da Terra. Apesar da
reivindicações de muitos pelo contrário, todos na terra são religiosos.
A religião é definida como a adesão a um conjunto de crenças que regulam
o comportamento moral, social e ritualístico do indivíduo. Esta definição
incluiria o chamado ateu, secularista, comunista,
socialistas, humanistas ou agnósticas, pois todos aderem a um sistema de crenças
de algum tipo, mesmo que seja a crença de que não há providências
na criação ou na vida como a conhecemos, ou a crença no poder de
o humano como a medida suprema da verdade e do direito.
Praticamente todos os grandes problemas da história e da nossa
O mundo de Rary pode ser atribuído a algum fundamento religioso. A religião tem
motivou o massacre de milhões ao longo dos anos em tão horrível
eventos como as Cruzadas, a Inquisição e as guerras relacionadas ao
Reforma Protestante e Contra-Reforma Católica.
Escravidão, limpeza étnica, apartheid, segregação, discriminações raciais.
e outras práticas opressivas foram justificadas por alguns
código religioso ou sistema.
Mesmo este novo milênio começou com atos definitivos de
terrorismo religioso. Os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 enviados
ondas de choque através do sistema nervoso global da humanidade e
continua hoje a alimentar os incêndios do conflito, do ódio, do medo e do assassinato
em todo o mundo. Quão irônico é essa religião, o mesmo
que, por sua natureza, deveria fornecer a solução para a humanidade
problemas e proporcionar esperança e fé para a vida, criou mais
problemas ao longo da história do que resolvido.
Talvez esta seja uma das razões pelas quais muitos milhões se voltaram
de todas as formas de religiões institucionalizadas e optou por abraçar
filosofias como o humanismo, o comunismo e o agnosticismo.
Alguns simplesmente desistiram e perderam toda a esperança na humanidade. eu
mesmo
lutaram por muito tempo para enfrentar essa dicotomia humana
Princípios do Reino
12
Página 13
natureza - nosso desejo de adorar e servir uma divindade que reivindicamos
seja benevolente e amoroso, ao mesmo tempo que demonstra uma
zelo destrutivo motivado por nossa "fidelidade" a esta mesma divindade.
Ao longo do caminho, eu também perdi a fé no conceito de religião e em um real
O sentido teve que procurar algo além e superior a esses defec-
práticas criativas criadas pelo homem.
No entanto, a religião é um fenômeno natural que existe de alguma forma em
toda cultura humana - e sempre tem. Primitivo e moderno
As sociedades humanas manifestam rituais religiosos que definem o seu cul-
vida comunitária. Isso levanta a questão natural: o que é o
fonte de religião e por que é uma característica tão natural e inerente
tic do espírito humano?
Trinta e cinco anos de pesquisa e exploração pessoal deste
pergunta me levou à conclusão de que a religião é o resultado de
uma fome inerente no espírito humano que o homem não pode definir ainda
deve procurar satisfazer. Essa fome indefinível, decorrente de um vácuo
criado pela perda de algo que o homem costumava possuir, o leva a
buscar respostas além de seu próprio domínio. Gerações de humanos têm
tentou satisfazer essa fome através de superstições, sofisticação
rituais, costumes e práticas que muitas vezes parecem desafiar humanos
lógica e razão. A maioria das atividades religiosas humanas tenta lidar
com as questões da existência e propósito da humanidade, bem como da vida
depois da morte e do mundo espiritual desconhecido. Muitas dessas religiões
são atraentes porque prometem aos seus seguidores o poder de controlar
as circunstâncias de suas vidas diárias. Se eles podem ou não entregar
E nessa promessa há outra questão.
O objetivo deste livro é ajudá-lo a resolver essas questões
e apresentar-lhe uma proposição que vai além da religião
direto ao coração da maior necessidade da humanidade e oferece uma solução
a essa busca humana universal. Estou convencido de que cada pessoa em
A Terra está procurando por duas coisas na vida: poder e
pose . Todos nós procuramos o significado de nossa existência e o poder de
controlar nossas vidas e nossas circunstâncias; poder para determinar o
futuro e prever o desconhecido; Poder sobre a morte e a vida. Nós buscamos
Introdução
13
Página 14
Este propósito e poder de muitas maneiras: religião, política, dinheiro,
fama, notoriedade, reconhecimento, influência. Nossa busca de propósito e
O poder é a principal fonte e motivação para o desenvolvimento de
religião.
TODAS AS RELIGIÕES SÃO AS MESMAS
Todas as religiões são as mesmas no sentido de que tentam
responda as questões de poder e significado. Todos prometem
poder para controlar a vida e as circunstâncias e para explicar a vida e
morte. Todos afirmam ter a verdade. Todos reivindicam superioridade
um sobre o outro. Todos eles comparam e competem uns com os outros.
Todos eles exigem adesão ao seu sistema de crenças particular, enquanto
negando os outros. Todos eles são motivados por contenção e usual -
prosperar em uma cultura isolada que exclui outros segmentos de
humanidade. De fato, todas as religiões parecem se gloriar em um espírito de
segregação
e separatismo. Em vez de unir a humanidade com poder comum
e o conhecimento do propósito, a religião provou que deveria ser
o grande divisor da humanidade.
A RESPOSTA NÃO-RELIGIOSA
Este não é um livro religioso, mas um livro sobre um conceito que foi
Introduzido no início da criação do homem. Esse conceito é
a fonte da busca humana, e sua ausência é a razão pela qual
O homem "inventou" a religião. Antes que eu possa tentar discutir essa dinâmica,
No entanto, é necessário consultar o documento onde foi o primeiro
introduzido. No "livro dos começos", o primeiro livro de Moisés, o
grande escritor hebraico e lutador da liberdade, estas palavras explicam a
Razão para a busca do propósito e do poder pelo homem:
Então Deus disse: "Deixe-nos fazer o homem à nossa imagem, de acordo,
a nossa semelhança; deixe-os dominar o peixe
do mar, sobre os pássaros do ar e sobre o gado,
Princípios do Reino
14

Página 15
sobre toda a terra e sobre cada coisa rastejante que
rasteja na terra " (Gênesis 1:26 NKJV, ênfase
adicionado).
Esta declaração documenta a declaração mais importante de todos
feito em relação à humanidade. Declara a motivação, natureza,
postura e mandato por trás da criação da humanidade. Como esta afirmação
deixa claro, o domínio é o propósito da criação e exis-
tence. A palavra "domínio" aqui traduz a palavra hebraica mamãe-
lakah , que também pode ser traduzido como "reino", "regra soberana", ou
"Poder real". Em essência, a humanidade foi criada para ter autoridade
sobre a terra.
A primeira coisa que o homem foi dado pelo Criador era um "reino".
Esta atribuição inicial e mandato de "reino" é o Criador
propósito primário e motivação para suas criaturas humanas.
Dominion estabelece a estrutura para todos os desejos, paixões e atividades.
da humanidade e é a chave para a sua realização e pessoal e
paz corporativa. É também a base e a fonte de sua necessidade de
controlar e governar seu ambiente e circunstâncias. É esse rei,
Dom mandato que valida o desejo do homem pelo poder. O poder é natural
para o espírito humano.
A PERDA DE PODER
O fracasso da humanidade por desobediência ao Criador resultou
na perda de seu domínio sobre a terra. Ele perdeu seu reino,
data, seu dom do poder divino. Em suma, o homem perdeu seu reino. Isto é
É importante notar aqui que, quando o homem caiu da graça, perdeu um rei -
dom, não uma religião. Ele perdeu domínio sobre a terra; ele não perdeu
Céu. Portanto, a busca da humanidade não é para uma religião ou para
Céu, mas para o seu reino.
É por isso que a religião nunca pode satisfazer a fome profunda na
coração do homem. A própria religião é a busca. Nenhuma religião pode substituir
Introdução
15

Página 16
para o reino ou preencher o vácuo na alma do homem. A fome do
O coração humano é para o reino perdido.
A MENSAGEM DA BÍBLIA
Um olhar cuidadoso e honesto sobre o roteiro bíblico revelará que
A mensagem fundamental deste livro bastante incompreendido é
sobre um rei e um reino. A Bíblia não é principalmente uma relação
gion ou rituais, mas sobre o estabelecimento de um governo do reino
neste planeta do reino celestial. Trata-se de um projeto divino de
governando a terra do céu através da humanidade. Em termos práticos,
A Bíblia é sobre uma família real mandatada para colonizar a Terra de
Céu.
Essa atribuição do reino é a prioridade de Deus, o Criador e
O objetivo da busca inerente da humanidade.
DESEJANDO JESUS
Eu acredito que ninguém que já tenha vivido tenha sido mal interpretado
mais do que o jovem professor que nasceu, não por pref-
mas com promessa, através da linha do Antigo Testamento
Patriarca hebraico Abraham-Jesus the Christ. Mal entendido
Jesus fez com que os muçulmanos o rejeitassem, hindus para suspeitar dele,
Budistas para ignorá-Lo, ateus para odiar, e agnósticos negar
Ele. Mas pode ser apenas aqueles que afirmam representá-Lo como
a maioria - cristãos - que, de fato, mal entendidos e, portanto,
distorceu-o mais.
Se a minha última declaração soasse estranha e longe da marca para
você, deixe-me encorajá-lo a ler o resto deste livro antes de fechar-
pensando nessa possibilidade. Na minha vida, eu tive que vir
para controlar meus próprios defeitos pessoais relacionados ao meu entendimento
de Jesus e de Sua mensagem. Este livro demonstrará sem duvida
que a mensagem, a tarefa, a paixão e o propósito de Jesus não eram para
estabelecer uma religião de rituais e regras, mas sim reintroduzir uma
Princípios do Reino
16

Página 17
reino . Tudo o que Jesus disse e fez - Suas orações, ensinamentos,
curas e milagres - estava focada em um reino, não em uma religião.
Jesus estava preocupado com o Reino; Era Sua principal prioridade, His
mandato celestial.
Aqueles a quem Ele veio primeiro, os judeus, mal interpretaram Jesus
e o vi como rebelde, desajustado e fanático. Em suas mentes ele
foi, na melhor das hipóteses, um professor rabínico mal orientado espalhando
heresias que
contaminou os ensinamentos e as leis de Moisés e do judaísmo. Dentro
verdade, eles reduziram a mensagem de Moisés a um sofisticado
religião onde a estrita observância das leis tornou-se mais importante
tanto quanto o propósito original para essas leis. E eles esperavam
Jesus faça o mesmo. A intenção original do mandato de Deus para Moisés
não era estabelecer uma religião, mas uma nação de pessoas que
ame, sirva e honre a Deus - um " sacerdócio real [e] um santo
nação "(ver 1 Pet. 2: 9).
O muçulmano o interpreta mal como simplesmente outro em uma linha de
profetas que eram um grande professor, um bom homem e um grande profeta,
mas que caiu e não conseguiu entregar o trabalho acabado de redenção -
para a humanidade.
O hindu não o compreende como um bom professor, um bom homem,
e apenas outra divindade para adicionar a sua lista de deuses para fornecer um serviço
gelo em sua necessidade de segurança espiritual.
O ateu, o agnóstico e o humanista o vêem como um mero homem, um
figura histórica, a quem um grupo de homens equivocados se transformou em
um deus e um objeto de adoração. Eles reconhecem que Jesus existe -
ed, mas negar qualquer dos seus milagres, bem como a sua reivindicação à divindade.
Os meios de comunicação, cientistas e secularistas o vêem como um jogo justo para
investigação e crítica. Eles o reconhecem como um interessante
sujeito a argumentos, teorias, discussões e debates, enquanto ignoram
suas reivindicações divinas e questionando sua validade, integridade e
às vezes, a própria existência dele.
Os cristãos o entenderam mal como o fundador de uma religião
e transformaram seus ensinamentos e seus métodos em costumes
Introdução
17

Page 18
e suas atividades em rituais. Muitos até reduziram a Sua mensagem
para nada além de um plano escapista para chegar ao céu e à sua
promete como uma mera apólice de seguro de incêndio para escapar das dores de
uma
atormentando o inferno.
E ainda um simples estudo e revisão de Sua mensagem e prioridade
revela que Jesus teve apenas uma mensagem, um mandato e um mis-
sion - o retorno do Reino dos Céus para a terra. Do mesmo
Começando, Jesus deixou claro que a principal necessidade do ser humano
raça e a única solução para o dilema da humanidade, foi o Reino
do céu. Suas primeiras declarações públicas revelam esta prioridade do Reino:
Desde então, Jesus começou a pregar: "Arrepende-se, pela
O reino dos céus está próximo " (Mateus 4:17).
Bem-aventurados os pobres em espírito, pois o deles é o reino de
céu (Mateus 5: 3).
O primeiro anúncio de Jesus foi a chegada do Reino de
Céu. Sua solução para o homem malnutrido e em falência
O espírito não era uma religião, mas o Reino dos Céus. Em outras palavras,
Se você é espiritualmente pobre, apenas o Reino irá satisfazer e cumprir
sua fome. O Reino é a prioridade de Deus e deve se tornar nosso
prioridade se quisermos superar a confusão das religiões e a
ameaça de autodestruição.
RELIGION VERSUS KINGDOM
O poder da religião reside na sua capacidade de servir como um substituto para
o Reino e, assim, impedir a humanidade de perseguir o genuíno
responda a seu dilema. Meu estudo da natureza da religião e como
Isso afeta o processo da busca do homem pelo Reino descoberto
várias verdades significativas:
A religião preocupa o homem até encontrar o Reino.
Princípios do Reino
18

Page 19
A religião é o que o homem faz até encontrar o Reino.
A religião prepara o homem para deixar a terra; o Empire do Reino -
o homem para dominar a terra.
A religião se concentra no Céu; O Reino se concentra na Terra.
A religião está chegando a Deus; o Reino está vindo de Deus
até o homem.
A religião quer escapar da terra; O Reino impacta, influenciou
Ences e muda a terra.
A religião procura levar a Terra ao céu; o Reino procura
traga o céu para a terra
Talvez seja por isso que Jesus se dirigiu aos líderes religiosos dele
dia tão forte quando Ele disse:
Ai de você, professores da lei e fariseus, você hip-
Ocrites! Você fechou o reino dos céus nos rostos dos homens.
Vocês não entrem, nem os deixam entrar
quem está tentando ... Ai de você, professores da lei e
Fariseus, você hipócritas! Você viaja sobre terra e mar para
Ganhe um único convertido, e quando ele se torna um, você faz
ele duas vezes mais um filho do inferno que você é (Mateus
23: 13,15).
Então, alguns fariseus e professores da lei vieram
Jesus de Jerusalém e perguntou: "Por que seus discípulos
quebrar a tradição dos anciãos? Eles não lavam seus
mãos antes de comerem! "Jesus respondeu:" E por que você
Quebrar o comando de Deus por causa da sua tradição? "
(Mateus 15: 1-3).
Assim, você anula a palavra de Deus por causa do seu tra-
dition (Mateus 15: 6b).
Introdução
19

Página 20
Pois eu lhe digo que, a menos que sua justiça supera isso
dos fariseus e dos professores da lei, você certificará
não entre no reino dos céus (Mateus 5:20).
Jesus disse-lhes: "Eu lhe digo a verdade, os cobradores de impostos
e as prostitutas estão entrando no reino de Deus
à sua frente " (Mateus 21: 31b).
Parece claro a partir dessas palavras que a religião é uma das grandes -
são obstáculos para o Reino. Talvez isso possa ser motivo para todos nós
Dê uma olhada no poder da religião sobre nossas vidas, cultura e
sociedade.
VOLTAR AO REINO
O cristianismo como religião é bem conhecido, bem estabelecido, bem-
estudado, bem pesquisado, bem gravado e bem distribuído; mas
Pouco ou nada é conhecido sobre o Reino. De fato,
a maioria dos formados em instituições oficiais para compreender o
Fé cristã e propaga a sua suposta mensagem de pós-graduação com
fora de um único curso em estudos do Reino. Muitas vezes, não é assim
O curso está disponível. O resultado é que poucos chamados ministros ordenados
Os sacerdotes e os sacerdotes têm alguma instrução formal em qualquer Reino
conceito. Sua prioridade é propagar a religião cristã
em vez da mensagem e conceitos do Reino de Deus.
Esta perpetuação da religião cristã e seus rituais, cus-
toms e ritos deixou um ótimo vácuo no mundo que deve e
pode ser preenchido apenas pela compreensão do Reino.
Neste livro, você aprenderá o que é um reino, o que consiste
de como funciona e todos os componentes que fazem um reino
único. Você também descobrirá a diferença entre um reino
e uma religião, e como ela se compara com todas as outras formas de governo
ment. Você será instruído em princípios de conceitos do Reino,
como eles se relacionam com sua vida diária e como você pode se apropriar
Princípios do Reino
20

Página 21
Reino cidadania aqui e agora. Este livro irá ajudá-lo a
que você não pode apropriar o que você não entende nem
experimente o que adia. Este é o seu guia prático para
entendendo a mensagem mais importante que a humanidade já
recebido; uma mensagem que o mundo inteiro precisa desesperadamente ouvir. este
O livro o equipará não só para receber essa mensagem, mas também para
compartilhe-o efetivamente com os outros.
Introdução
21

Página 22

Page 23
r
Capítulo um
A PRIORIDADE DO INGLÊS
Eu estava quente naquela manhã - acima de 90 graus - e
úmido. Eu tinha apenas cinco anos e estava excitado. o
O calor não me incomodou porque naquele dia eu fui cho-
sen para liderar a promessa da escola e o hino nacional. Aí todos nós
ficou mais de trezentos de nós, nos nossos uniformes - marrom curto
calças, meias de joelho longas, camisas brancas rígidas e engomadas, nosso pequeno
pescoço
Laços - segurando o Union Jack. Como prometemos honrar e enviar a
a Rainha de nosso reino, cantamos as duas músicas que foram as primeiras
aqueles que precisamos aprender desde o nascimento. Todos nós sabíamos
Cada palavra, e cantamos com entusiasmo e orgulho:
"Deus salve a nossa graciosa rainha, viva a nossa nobre rainha, Deus
Salve a rainha. Mande sua vitória, feliz e gloriosa, nascida para
governar-nos, Deus salve a rainha ".
Em seguida veio a ondulação da bandeira do Reino Unido de
Grã-Bretanha como nossas vozes preencheram o ar com a segunda música:
"Regra Britannia, Britannia governa as ondas, os britânicos nunca, nunca,
nunca serão escravos ".
Levou quase toda a vida a entender, apreciar e
De certa forma, supera o impacto dessas experiências de
na minha infância. Hoje eu entendo o que fomos
23

Página 24
Através daqueles dias escolares ilustra a natureza dos reinos. Nós
estavam em processo de colonização completa - ensinaram a se tornar realidade
assuntos de um reino e adoradores obedientes de soberania. Nós
eram parte de um reino global cuja cultura era diferente da nossa
herança. Todos os dias sentimos o impacto de um reino estrangeiro.
Ainda hoje, 50 anos depois, o impacto desse reino ainda é
visto, sentido, ouvido e experiente em todas as partes do nosso independente
nação das Bahamas. Eu ainda uso uma gravata em 90 graus de calor; Ainda bebo
chá todos os dias; e ainda dirijo no lado esquerdo da rua. Dentro
Algumas maneiras, suponho, ainda estou sob a influência desse reino
mentalmente. Quando o reino se tornou nossa prioridade, seu impacto
tornou-se uma realidade. Este livro é sobre outro Reino cuja bandeira nós
todos deveriam segurar e outro rei a quem devemos cantar louvores.
REDISCOVER A PRIORIDADE
O maior segredo para viver efetivamente na Terra é compreensível -
o princípio e o poder das prioridades. A vida na terra não contém
maior desafio que a demanda diária complicada de escolher
entre alternativas concorrentes para o nosso tempo limitado. Nossa vida é a
soma total de todas as decisões que tomamos todos os dias, e essas decisões
são determinados pelas nossas prioridades. Como usamos nosso tempo todos os dias
eventualmente define nossas vidas. A vida foi projetada para ser simples, não
complicado, e a chave para simplificar a vida é a priorização .
Identificar a prioridade correta e correta da vida é a chave para um sucesso
vida bem sucedida e cumprida. Então, qual é o princípio e o conceito?
de prioridade?
A prioridade é definida como:
O principal.
Colocando as primeiras coisas primeiro.
Estabelecendo o mais importante.
Foco primário.
Princípios do Reino
24

Página 25
Colocação em ordem de importância.
Colocando o maior valor e valor.
Primeiro entre todos os outros.
Se nossas prioridades determinam a qualidade de vida e ditarem todos os nossos
ações e comportamentos, é essencial que entendamos e
identifique nossas prioridades. A maior tragédia na vida não é a morte, mas
vida sem finalidade com as prioridades erradas. O melhor da vida
O desafio é saber o que fazer. O maior erro na vida é
estar ocupado, mas não eficaz. O maior fracasso da vida é ser bem sucedido em
a tarefa errada. O sucesso na vida é medido pelo efetivo
uso do tempo.
O tempo é a verdadeira medida da vida. Na verdade, o tempo é a moeda de
vida. Como você gasta seu tempo determina a qualidade de sua vida e
morte. Você se torna o que você compra com o seu tempo. Sempre seja
ciente de que tudo e todos os que estão ao seu redor estão vying por sua
Tempo. Seu tempo é importante porque seu tempo é sua vida. E a
A chave para o uso efetivo do seu tempo é estabelecer prioridades corretas.
Primeiras coisas primeiro!
Quando suas prioridades estão corretas, você preserva e protege seu
vida. Prioridade correta é o princípio do progresso, porque quando você
estabeleça sua prioridade de acordo com sua finalidade e metas, então
Seu progresso é garantido. A prioridade correta protege seu tempo.
Quando você define as prioridades certas, então você usa seu tempo para intensificar
fins internacionais; seu tempo não é abusado ou desperdiçado. Prioridade correta
protege sua energia. A prioridade correta protege seus talentos e
presentes. A prioridade correta protege suas decisões. Direito prioritário pro-
protege sua disciplina. A prioridade correta simplifica sua vida.
Falha em estabelecer a prioridade correta faz com que você desperdice seus dois
commodities mais importantes: seu tempo e sua energia. Quando
suas prioridades não são corretas, você se encontrará ocupado com a
coisas erradas, especializando-se no menor, fazendo o desnecessário, ou
ficando preocupado com o sem importância. Prioridades incorrectas em
A prioridade do Reino
25

Página 26
sua vida fará com que você investe no menos valioso, participe de inef-
atividade efetiva, e abuse de seus dons e talentos. Em última análise, será
faz com que você perca a finalidade, o que resulta em falha.
Por que esse princípio de prioridade é tão importante para a nossa discussão?
do Reino? Porque se a prioridade é a essência da vida, então nós
deveria querer saber qual seria a nossa prioridade na vida para que possamos
pode viver de forma eficaz. Pode surpreendê-lo saber que a maioria dos peo-
no mundo são conduzidas por prioridades incorretas que ocupam e
controlar suas vidas inteiras. Quais são essas prioridades que dominam mais
da raça humana?
A resposta é talvez encontrada no trabalho da ciência comportamental.
o autor e o psicólogo Abraham Maslow que, depois de estudar o
motivações do comportamento humano, concluiu que todo o comportamento humano
é conduzido pela mesma "hierarquia de necessidades" básica:
1. Água.
2. Alimentos.
3. Roupas.
4. Habitação.
5. Proteção.
6. Segurança.
7. Preservação.
8. Auto-atualização.
9. Significado.
É importante notar que Maslow listou estes motivacionais
necessidades por ordem de prioridade. Talvez se for sincero, concordamos
que a raça de ratos humanos realmente luta por todas essas coisas. Nós
vá trabalhar todos os dias, e alguns até mantêm dois ou mais empregos,
apenas para garantir água, comida, roupas, habitação e proteção. Que
Princípios do Reino
26

Página 27
tragédia, pensar que a prioridade básica da maioria dos seres humanos é que
de sobrevivência simples!
Será que você surpreenderá saber que a maioria das religiões são construídas
em torno da promessa de atender a essas mesmas necessidades como uma prioridade?
Conhecer as necessidades humanas é a premissa de todas as religiões. Um comum
denominador de todas as religiões é o esforço para agradar ou apaziguar alguns
deidade para garantir necessidades básicas, como uma boa colheita,
clima capaz, proteção contra inimigos, etc. Outro fator que todos
As religiões têm em comum é que o foco principal deles é o
necessidades do adorador. Prioridade nas orações religiosas e petições
é para necessidades pessoais. As necessidades humanas conduzir religião. Muito do
que
que chamamos de “fé” é nada mais do que esforçando-se para ver as coisas em
lista de Maslow.
A PRIORIDADE DE DEUS
Deus estabeleceu a Sua prioridade no início da criação e
deixou claro por Sua própria declaração para a humanidade. Jesus Cristo veio
à terra e restabeleceu prioridade número um de Deus. Deve sur-
prêmio-nos a descobrir que a prioridade de Deus para a humanidade é completamente
oposto às prioridades do homem? Vamos ler a prioridade de Deus para a humanidade
como afirmado pelo Senhor Jesus. Durante seu primeiro discurso introduzindo
Sua missão e mensagem principal, Jesus estabeleceu a prioridade de Deus
para toda a humanidade, com vários State- poderosa e direta
mentos:
Por isso vos digo, não se preocupe com a sua vida, o que
haveis de comer ou beber; ou sobre o seu corpo, o que você quiser
vestem. Não é a vida mais importante que a comida, eo corpo
mais importante que a roupa? (Matthew 06:25).
Observe que esta declaração desafia diretamente hierar- de Maslow
chy das necessidades e contradiz a sua ordem. A declaração de Jesus também expõe
prioridade defeito do homem e confirma a nossa preocupação com a
A prioridade do Reino
27

Página 28
menos importante. Sua admoestação para nós não se preocupar implica que estes
necessidades básicas de manutenção, não deve ser o principal motivador
para a ação humana. A palavra preocupação significa consumir no pensamento, a
estabelecer como nosso primeiro interesse, preocupação mental, con- prioridade
CERN, preocupando-se, o medo do desconhecido, e para ensaiar o futuro sobre
os quais não temos controle.
Continuando, Jesus diz:
Olhai para as aves do céu; eles não semeiam nem colhem nem
armazenam em celeiros; contudo, o Pai celestial as alimenta
eles. Você não é muito mais valioso que eles? quem de
vós, por ansioso, pode acrescentar uma hora para a sua vida?
(Matthew 6: 26-27).
Esta declaração implica que a nossa auto-estima é mais importante
de nossas necessidades básicas e nunca deve ser sacrificado em prol da
essas necessidades.
E por que você se preocupam com roupas? Veja como os lírios
o campo crescer. Eles não trabalham nem fiam. No entanto, eu vos digo que
nem Salomão, em toda a sua glória se vestiu como um
destes. Se é assim que Deus veste assim a erva do campo,
que hoje existe e amanhã é lançada ao fogo,
Será que ele não vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé?
(Matthew 6: 28-30).
O impulso destes versos é que a nossa confiança em nosso Criador de
obrigação e compromisso para sustentar Sua criação deve levar-nos a
transferir a nossa prioridade de nossas necessidades humanas básicas para a
prioridade de
cultivar e manter um relacionamento saudável com a Sua
Unido e consigo mesmo.
Portanto, não se preocupem, dizendo: “O que vamos comer?” Ou “O que
havemos de beber?”ou‘Que vamos vestir?’Pois os pagãos
Princípios Unido
28

Página 29
correr atrás de todas estas coisas, e vosso Pai celeste sabe
que você precisa deles (Mateus 6: 31-32).
A palavra “pagãos” aqui implica que a religião não deve ser
motivada pelas unidades básicas de necessidades humanas por alimentos, água, pano-
ing, abrigo, e similares.
Mas buscai primeiro o seu reino ea sua justiça, e tudo
estas coisas vos serão dadas a você assim (Mateus 6:33,
enfase adicionada).
Aqui Jesus afirma prioridade número um de Deus: Buscai primeiro o Seu
Reino.
Esta é a declaração mais importante feita pelo Senhor Jesus,
e estabelece o que deve ser a primeira prioridade em nossas vidas. Jesus
identifica o Reino como sendo mais importante do que a comida, água,
vestuário, abrigo, e todos os outros necessidade humana básica. De acordo com
Sua avaliação, então, qual deve ser a prioridade da humanidade e pri-
mary preocupação na vida? O Reino de Deus. número- de Deus
uma prioridade para a humanidade é que descobrimos, entender e entrar
o Reino dos Céus. É esta prioridade que me motivou a escrever
este livro. A prioridade de todos os seres humanos está escondido no
palavras “, buscai primeiro o reino de Deus ea sua justiça, e
tudo que você precisa para a vida serão acrescentadas. "
Esta declaração por Jesus também sugere que deve haver alguns-
coisa sobre o Reino que toda a humanidade perdeu e misun-
derstood. Se tudo que buscamos e se esforçam para viver e sobreviver
são encontrados no Reino, então, temos sido equivocada e per-
haps impuseram-nos desnecessário sofrimento, stress, e
frustração.
Portanto, não se preocupar com o amanhã, pois o amanhã
cuidará de si mesmo. Cada dia tem bastante problema do seus
próprio (Mateus 6.34).
A prioridade do Reino
29
Page 30
Atribuição de prioridades de Deus pela humanidade
Para os últimos 35 anos, este simples mandato estabelecido por Jesus
Cristo tem sido a missão da minha vida. E continua a regular minha
decisões vida hoje. Os benefícios que vêm de este compro-
mento foram além das minhas expectativas, o que é uma razão pela qual eu
estou plenamente empenhada em ajudá-lo na compreensão
esta maravilhosa realidade do Reino de estar. Abaixo eu coloquei o
processo prático de cumprir esse mandato para que você possa ver claro-
ly que esta é uma prioridade que deve reordenar.
Nossa primeira instrução de Jesus é buscar. Isto significa perseguir,
estudar, explorar, entender, aprender e considerar. Requerentes devem ter um
deseja saber, e possuem uma paixão para o objeto de sua busca.
Procurar meios para dar dedicação diligente para e a preocupar a própria
auto com o que se está procurando. O Reino deve ser perseguido,
estudada, compreendida e aprendida.
Em segundo lugar, Jesus nos diz para fazer o Reino primeiro . Em outras palavras,
o Reino deve ser a nossa prioridade, a coisa principal para colocar
antes de todos os outros como mais importante. Devemos colocar o valor mais alto
no Reino de Deus, colocando-a acima de tudo como a nossa principal
foco. O Reino deve ser colocado acima de tudo e
deve ter nenhuma competição. Deve ser a nossa maior prioridade.
Jesus, então, nos instrui a buscar primeiro o Reino . Este é o mais
aspecto importante do mandato e deve ser cuidadosamente considerada.
Primeiro, é importante entender que, porque um reino não é um
religião, a prioridade da humanidade não deve ser o de procurar uma religião ou
alguma forma de ritual. A palavra para “reino” neste versículo é basileia
(NT: 923), o equivalente grega do Hebrew mamlakah (OT:
4467), traduzido em Gênesis 1:26 como “domínio”. Ambas as palavras significam
domínio, governo soberano, reino, reino, ou poder real. Nisso
livro, vamos concentrar-nos sobre este conceito em detalhe porque ele deve ser nossa
prioridade e porque geralmente é um desconhecido ou mal compreendido
conceito na maioria das culturas modernas.
Princípios Unido
30

Page 31
Em termos práticos, um reino pode ser definida como “o soberano
governo de um rei sobre o território (domínio), impactando-lo com a sua vontade,
pur-
pose, e intenção.”Neste texto bíblico, a palavra‘reino’, como usado por
Jesus refere-se ao governo de Deus, o governo de Deus, o domínio de Deus
sobre a terra. O Reino de Deus significa a vontade de Deus executado,
jurisdição dos deuses, a influência do Céu, administração de Deus, e
impacto e influência de Deus.
Neste livro, vamos usar a seguinte definição:
Um reino é ...
A influência dirigente de um rei sobre seu terriroty,
impactando-lo com seu pessoal vontade, propósito e intenção,
produzindo uma cultura, valores, moral e estilo de vida que
refletir os desejos do rei e da natureza para seus cidadãos.
instrução final de Jesus para nós neste versículo é buscar também a direita
eousness do Reino. Este é um outro conceito de vital importância
que foi diluída em águas de religião e tem de ser recuperado
se quisermos entender o reino e experimentar a abundante
vida todos os seres humanos merecem. A palavra justiça é realmente a partir do
disciplina de direito, e não a religião, e implica o posicionamento correto. Ser estar
meios justos para estar em alinhamento com autoridade, para a direita
de pé, com autoridade, para ter um relacionamento correto com autoridade, a
estar em relacionamento correto com autoridade, para estar em alinha- legal ou
legítima
ment, e estar em posição correta com a lei ou regulamentos
(princípios) de e para cumprir as exigências da autoridade.
Em essência, a justiça descreve a manutenção da
corretamente alinhados relacionamento com a autoridade de governo, de modo a qua-
verificam para o direito de receber privilégios governamentais. É por isso que Jesus
enfatiza o Reino ea necessidade de ser justo para que você
pode receber “todas as coisas acrescentadas até você.” Esta promessa inclui todos
suas necessidades físicas, todas as suas necessidades sociais, todas as suas
necessidades emocionais,
todas as suas necessidades psicológicas, todas as suas necessidades financeiras, e
todo o seu
A prioridade do Reino
31
Página 32
necessidades de segurança, assim como sua necessidade de auto significado e um
senso
de auto-estima e propósito.
Portanto, como vimos acima, Deus estabeleceu apenas dois pri-
dades para a humanidade: o reino de Deus ea justiça de
Deus. Unido se refere à influência de governo do Céu na Terra
e refere-se a justiça alinhamento direito e posicionamento com
que a autoridade do governo. Nossas maiores prioridades e maior
desejos deve ser para entrar no Reino de Deus e sede de um direito
relacionamento com o governo celestial de Deus.
Mas buscai primeiro o reino de Deus ea sua justiça,
e todas estas coisas vos serão acrescentadas (Mateus 6:33
NVI, grifo do autor).
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça ,
para eles serão preenchidos (Matthew 5: 6, ênfase adicionada).
O CONCEITO DE UNIDO
O conceito de “reino” não foi inventado pela humanidade, mas era
a primeira forma de governo introduziu pelo Criador. Este con-
CEPT aparece pela primeira vez no livro de Gênesis na criação do homem.
atribuição original do homem de Deus era uma atribuição Unido:
“Deixe-os ter domínio sobre ... a terra.” O plano de Deus para o homem era
para estender Seu Reino celestial (governo) para a terra através
o princípio da colonização . Atribuição do homem foi estabelecer a
influência e cultura do céu na terra, representando a natureza,
valores e moral de Deus na terra. Desta forma, céu- de Deus
regra ly se manifestaria na terra através de Sua imagem estendida no
humanidade. Esta foi a primeira Unido: Senhor, o Rei, estendendo
Seu Reino celestial à terra através de sua prole, homem. Isto é
a maravilhosa história e mensagem da Bíblia não é uma religião, mas uma
família real.
Princípios Unido
32

Página 33
Desde a queda do homem, ele tentou imitar esse conceito de
reino; mas ao longo da história, o homem é todos os esforços para estabelecer um
reino celestial na terra falhou. Esta é governos porque religiosa
mentos sempre falham, sejam eles cristãos, muçulmanos, hindus, ou qualquer outra
Formato. É por esta razão que o próprio Deus teve que vir à terra para
trazer o Reino celestial de volta a este planeta. A terra não pode
dar origem ao Reino do Céu independentemente; o Reino de
céu deve emitir diante do céu. O homem perdeu um reino, e uma
reino é o que ele está procurando. Jesus veio para trazer o Reino
of Heaven de volta para a terra, não para estabelecer uma religião. E
a humanidade não busca uma religião, mas o Reino perdemos há muito tempo.
É por isso que a religião não pode satisfazer ou cumprir o espírito do homem. o
Reino dos Céus tem prioridade em virtude do seu papel na origi-
propósito inal da criação do homem. Como tal, o Reino foi o primeiro
forma de governo na Terra.
PERDA DE UM CONCEITO
O conceito reino como um todo foi perdido ao contemporâneo
cultura humana, especialmente no mundo ocidental. Em sua tentativa de
criar o Reino do Céu na terra, o homem optou por projetar seu
formas próprias de governo. Mas seus experimentos continuam a falhar: o mal
reinos, impérios, ditadores, comunismo, socialismo, democracias
cy ... ea lista continua. O desejo de queimaduras governo justo
no coração de cada ser humano. Todos nós estamos buscando o Reino mesmo
se todos nós não percebem isso.
Muitos reinos históricos do passado continha vários compo-
nentes que se assemelham o Reino de Deus e pode ser benéfico para nós
quando estudado. Eu nasci em 1954 sob um reino que, naquela época
dominava as Bahamas e colonizaram nossas vidas. Esta experiência tem
tornou mais fácil para mim entender a Bíblia porque ela é um livro
sobre um rei e um reino.
Meu objetivo no presente escrito é reintroduzir o conceito de
o Reino a um mundo que se perdeu. A maioria das pessoas vivas hoje têm
A prioridade do Reino
33

Page 34
nunca teve qualquer contato ou relações com um reino. Consequentemente,
ignorância do conceito reino torna difícil de entender
plenamente a mensagem da Bíblia. Nos capítulos que se seguem, eu vou
desvendar muitos dos conceitos únicos e componentes de um reino
que vai ajudar você a entender imediatamente as palavras, reclamações, prom-
ISES, e os métodos de Deus, bem como a vida ea mensagem de Jesus.
De acordo com Jesus, a prioridade mais importante e preoccupa-
ção de toda a humanidade deve ser a busca eo estudo do heav-
governo enly Unido e administração do Deus Criador
e Seu plano propôs e programa de impactar terra. Mas em um Prac
sentido tical, como se faz para procurar este Unido? Como é que
uma explorar o conceito, natureza, função, programa, componentes,
princípios e poder do Reino? Responder a estas perguntas
é o propósito e intenção deste livro. Para alcançar este propósito
nós devemos:
Entenda conceito reino.
Entender a filosofia reino.
Entenda governo reino.
Entenda lei reino.
Compreender a cultura reino.
Compreender a sociedade reino.
Entenda economia reino.
Compreender a cidadania reino.
Entenda provisão reino.
Compreender o culto reino.
Entenda protocolo reino.
Compreender a representação reino.
Princípios Unido
34

Page 35
O segredo para uma vida plena e realizada é descoberta, compreensão,
e aplicação do Reino do Céu na terra. pós-religião
Pones o Reino a uma experiência futura. Mas é preciso lembrar
que você não pode apropriar-se o que você adiar. O desejo de Deus para você
é que você entra na vida do Reino agora e experiência, explorar,
aplicar, prática e desfrutar a vida com os benefícios, promessas, e
privilégios do céu na terra. Deixe a aventura começar!
A prioridade do Reino
35
Page 36
PRINCÍPIOS
1. O maior segredo para viver de forma eficaz na terra é sub
estando o princípio e poder de prioridades.
2. A maior tragédia na vida não é a morte, mas a vida sem
a-propósito de vida com as prioridades erradas.
3. A nossa auto-estima é mais importante do que nossas necessidades básicas
e nunca devem ser sacrificados para o bem daqueles
necessidades.
4. prioridade número um de Deus para a humanidade é que dis-
cobrir, entender e entrar no Reino dos Céus.
5. Um reino é a influência dirigente de um rei sobre o seu
território, impactando-lo com a sua vontade pessoal, finalidade e
intenção, produzindo uma cultura, valores, morais, e estilo de vida
que refletem os desejos do rei e da natureza para seus cidadãos.
6. Deus estabeleceu apenas duas prioridades para a humanidade: o
Reino de Deus e da justiça de Deus .
7. O conceito de “reino” não foi inventado pela humanidade
mas foi a primeira forma de governo introduzido pelo
O Criador.
8. A ignorância do conceito reino torna difícil
compreender plenamente a mensagem da Bíblia.
Princípios Unido
36

Página 37
r
Capítulo dois
T HE K INGDOM DE G OD V ersus
O G ARGUMENTO: Os governos DE M AN
Não há nenhum negócio mais sério do que o governo.

N inety por cento de todo o nacional e internacional

problemas que enfrentam nosso mundo de hoje são o resultado tanto


do governo ou religião. Isto inclui a fome global,
epidemias, guerras, terrorismo, conflitos raciais e étnicas, segre-
gação, a tensão nuclear, e da incerteza econômica.
Ao longo da história, o maior desafio do homem tem sido a de aprender
como viver em paz consigo mesmo e com seus vizinhos. Quer seja
o continente africano, a Velha Europa, escandinavos da Inglaterra, o
Mongóis da Ásia, índios da América do Norte e América do Sul, ou o
Esquimós da Islândia, guerra tribal, racial e conflitos étnicos, e
guerra em grande escala tem sido a história humana. Em todos esses social e
expressões culturais da humanidade, a única coisa que tem sempre
evoluída era algum tipo de estrutura de autoridade, uma forma de liderança
ou mecanismo de governo para estabelecer e manter a ordem social.
Das paredes pintadas de cavernas nativos e os hieróglifos de
as tumbas do antigo Egito, para as estruturas piramidais históricos da
adoradores astecas, evidência abundante de desejo e necessidade do homem para
37

Página 38
alguma forma de estrutura governamental. A necessidade de um governo
ea ordem é inerente ao espírito humano e é uma manifestação de um
mandato divino dado à humanidade pelo Criador. O homem foi criado
para ser um governador e governador, e, portanto, é sua natureza para buscar
algum mecanismo autoridade que traria para o seu privado e
mundo social. Governo é necessário, desejável e essencial para
contexto social do homem, não importa o quão primitivo ou moderno. Isso é por que
o homem continua a procurar uma maneira eficaz de governar a si mesmo.
A necessidade do homem para alguma estrutura formal do governo é um out-
crescimento de sua necessidade de ordem social e de gestão de relacionamento.
Esta necessidade começa no menor protótipo da sociedade, a família, e
se estende por todo o caminho para a manifestação de expressões nacionais de
ordem constitucional. Nações precisam do governo.
O primeiro livro de Moisés, Gênesis, revela que o primeiro protótipo
do governo foi introduzido pelo próprio Criador, muito antes
os primeiros seres humanos existiram na terra. Na verdade, ele dá evidência de uma
estrutura de governo que preexistido terra ea uni- física
versículo em si. Esta expressão da estrutura do governo foi o resultado de
um desejo de trazer ordem ao caos e produtividade ao vazio.
Agora, a terra era sem forma [nenhuma ordem] e vazio [chaot-
ic vazio] , havia trevas sobre a face do abismo,
eo Espírito de Deus pairava sobre as águas. E
Deus disse: “Haja luz”, e houve luz (Gênesis
1: 2-3).
Aqui vemos que o impacto de uma divina, invisível, sobrenatural
governo era necessária por causa da desordem e caos. Assim, o
propósito para o governo é manter a ordem produtiva e man-
agência. Além disso, a criação do homem também foi um resultado de
desordem e a necessidade de gestão. Um pouco mais tarde, em Gênesis,
encontrar evidências de este como um dos motivos de Deus para criar o homem.
Quando o Senhor Deus fez a terra eo heavens-
e nenhuma planta do campo ainda tinha aparecido na terra
Princípios Unido
38

Page 39
e nenhuma planta do campo ainda não tinha surgido, para o Senhor
Deus não tinha feito chover sobre a terra, e não havia homem
para trabalhar [gerenciar ou administrar] no chão, mas
fluxos surgiu da terra e regada todo
superfície do solo (Génesis 2: 4b-6).
A partir destes versos, vemos que o Criador não permitia produtiva
crescimento ocorra na terra porque “não havia homem para
trabalhar o solo “. A palavra‘trabalho’aqui implica gestão,
administração, desenvolvimento ordenado, e fazendo frutífera. Portanto,
um dos principais motivos para a criação do homem era fornecer
um gerente, administrador e governante do planeta Terra. Isso é por que
Criador expressou nas seguintes palavras:
Então Deus disse: “Façamos o homem à nossa imagem, à nossa
semelhança, e deixá-los governar [ou ter domínio] sobre a
peixes do mar e as aves do ar, sobre o gado,
sobre toda a terra, e sobre todos os répteis que rastejam
ao longo da terra” (Gênesis 1:26).
O mandato do Criador para a humanidade foi regência e
domínio. Como vimos anteriormente, a palavra “domínio” aqui se traduz
a palavra hebraica, mamlakah , que significa “reino” ou “soberano
regra”ou governo. Portanto, o primeiro comando dado ao homem
pelo seu Criador era estabelecer um “governo” na terra para
destruir o caos e para manter a ordem. Governo é solu- de Deus
ção à desordem.
A conclusão lógica se pode derivar este cenário é, em primeiro lugar
de tudo, que o governo é ideia de Deus; segundo, que a ausência ou falta
do governo correto será sempre levar ao caos e desordem; e
terceiro, que onde quer que haja caos, desordem, ou falta de produtividade,
a resposta é governo correto.
A queda da humanidade como registrado no terceiro capítulo do Gênesis
foi o resultado do homem declarando a independência do governo
do céu, resultando em anarquia e caos social e espiritual. Sempre
O Reino de Deus Versus o Governo do Homem
39

Page 40
uma vez que a queda fatal de governar graça, o homem tem tentado
para estabelecer uma forma de auto-governo que iria aliviar o inter-
caos nal e externa continua a experimentar. Claro, isso
caos também se manifesta na criação física natural que ele era
mandatado para governar-terra. Esta é a realidade por trás da State-
mento do escritor bíblico do primeiro século, Paulo, quando escreveu:
A criação aguarda em grande expectativa, que os filhos de
Deus sejam revelados. Para a criação foi submetido a
frustração, não pela sua própria escolha, mas pela vontade do
daquele que a sujeitou, na esperança de que a própria criação será
ser libertada da escravidão da corrupção, para
a liberdade gloriosa dos filhos de Deus (Romanos
8: 19-21).
A declaração de Paulo revela o fato de que o governo não afeta
apenas os povos da terra, mas também a terra e ambiente físico
mento em si. Administração é um negócio sério. Quando o homem rejeitado heav-
O governo do en, tornou-se a fonte de seu próprio governo
programa. Os resultados desde então provaram que precisamos de ajuda. o
A intenção do Criador era para administrar governo terra do Céu
através da Sua imagem (natureza) no homem e, portanto, manifestar Sua natureza e
caracteres na terra. O governo de Deus é uma estrutura única que é
ainda mal compreendido. Eu neste momento descrevê-lo como pessoa jurídica
Governo do Reino Unido. Governo pela liderança corporativa! o
ordem teocrática de um rei sobre reis como parceiros no governo! este
é o que nós chamamos de “Reino dos Céus.” O reino gover-
conceito erno é a idéia de Deus.
No entanto, quando o homem rejeitou o governo de Deus, ele não tinha
escolha senão aceitar como uma alternativa a pletora decepcionante
tentativas humanas de governo. Quando os filhos de Israel deixaram o
terra do Egito, como registrado na história do Êxodo, Deus instruiu
Moses para aconselhá-los de que eles seriam regidas pelas leis do
céu e liderado pelo próprio Deus como seu Rei celestial na terra. este
foi o primeiro passo no plano de Deus para restabelecer o Reino dos Céus
Princípios Unido
40

Page 41
na terra, mais uma vez, usando uma pequena nação de escravos como seu protótipo.
Ele expressou seu desejo divino por meio de Moisés, dizendo:
“Agora, se você Me obedecer totalmente e manter o meu pacto, então para fora
de todas as nações você será meu tesouro mais precioso.
Apesar de toda a terra é minha, você será para mim uma
reino de sacerdotes e uma nação santa.”Estas são as palavras
você está a falar com os israelitas (Êxodo 19: 5-6).
Aqui vemos a intenção de Deus para a nação a ser governado por heav-
en do céu e ser uma expressão do Seu Reino na terra.
Israel rejeitou a teocracia, o governo de um rei bondoso e amoroso que
seria proteger e fornecer para eles. Em vez disso, eles substituíram um rei
para o rei. A decisão levou a conseqüências calamitosas.
A queda do homem não foi a perda dos céus, mas sim a perda de
O Governo do Reino do Céu na Terra. Qualquer ser humano honesto
tomar um olhar sério as condições de nosso planeta teria que
Conclui-se que a terra está na necessidade de um novo, ou neste caso, uma alternativa
forma de governo. O espiritual, social, econômica, física, am-
ronmental, e as condições culturais da nossa terra exigem uma governos
mento que é superior a qualquer que ainda inventaram. Talvez o
resposta à necessidade do homem para um governo eficaz e apenas é encontrado
nas primeiras palavras oficiais de Jesus Cristo há dois mil anos, como
Ele anunciou Sua missão primária e comentou sobre o humano
condição:
Daquele momento em diante Jesus começou a pregar: “Arrependam-se, para o
reino dos céus está próximo” (Mateus 4:17).
Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o reino dos
céu (Matthew 5: 3).
Aqui notamos que a avaliação do homem espiritual e social de Jesus
a fome ea pobreza da alma pode ser satisfeito apenas por receber o
Reino dos céus. O Reino é a única fonte da verdadeira alegria para
O Reino de Deus Versus o Governo do Homem
41

Page 42
o coração do homem. o anúncio de Jesus identificou Sua solução declarado
à condição terrena do homem: “ O reino dos céus está próximo [ou 'tem
chegou '].”
O conceito reino originou na mente de Deus e era
o sistema de governo original projetada para a terra. O reino ideal
conceito é original, distintivo, e prevê os maiores benefícios
aos seus cidadãos. O reino ideal é uma bela ideia que só
Deus poderia ter pensado nisso. E é o único sistema de governo
que pode trazer a paz, a igualdade, ea satisfação que a humanidade
anseia. Eu uso o termo conceito “reino ideal”, porque histórico-
Homem ly tentou imitar e duplicar o projeto celestial
do Reino com resultados decepcionantes. os esforços do homem para estabelecer
Governo do Reino Unido produziu defeituoso, opressiva, e
modelos destrutivos que não só têm ficado aquém do aspi- nobre
rações de homem, mas também causou repercussões negativas sobre o seu
parceiro. Em essência, a rejeição da humanidade do Reino do Céu
modelo levou à abolição da paz e a instalação de inferioridade
ou formas de governo. Alguns governos são melhores que outros,
mas todos são inferiores aos de Deus governo do Reino dos Céus.
O GOVERNO DO HOMEM VERSUS
O GOVERNO DE DEUS
A Bíblia é o livro mais incompreendido no planeta Terra, não
apenas por aqueles que não prescrevem a ele, mas também por muitos daqueles
que afirmam conhecer e abraçar a sua mensagem. Simplificando, o
Bíblia é sobre um rei, um reino e uma família real das crianças. o
Bíblia não é sobre religião e nunca foi destinado a ser um religioso
livro. Em vez disso, a sua história e mensagem são sobre o desejo de um Rei para
estender seu Reino a novos territórios através de sua família real.
A Bíblia, portanto, é sobre o governo e governar.
O que é o governo? Governo é sobre a ordem, influência,
administração, distribuição, protecção, manutenção, a responsabilização,
responsabilidade. e produtividade. Tecnicamente falando, o governo é
Princípios Unido
42

Page 43
a pessoa, grupo ou organização que executa as funções de gover-
lando. Isso se manifesta no exercício da autoridade e jurisdição
sobre o território e cidadania. Governo foi estabelecido pela primeira vez pelo
comando e o mandato de Deus a Adão e incorpora a necessidade de
ordem, trabalho, supervisionar, guarda, e proteger.
As raízes do governo no mundo ocidental chegar de volta para o
mundo dos gregos. Em grego, do governo (kubernites) literalmente
significa para orientar, para piloto, ou agir como um leme. Sem lei e gover-
erno temos caos. Assim, o governo é o poder dado ou
derivada com a finalidade de fazer e fazer cumprir as leis de um determinado
território.
Administração incorpora os conceitos de poder e autori-
ity. Estes dois são distintos um do outro e devem ser totalmente sub
estava a fim de apreciar o contexto adequado do governo. Ambos
autoridade e poder devem estar em equilíbrio para o governo para ser su-
cessante. Autoridade tem a ver com responsabilidade enquanto a alimentação tem que
ver com a capacidade. Autoridade tem a ver com a capacitação; poder
concentra-se em exercício de autoridade. Autoridade dá poder a sua legalidade.
Poder sem autoridade legítima é ditadura e, inevitavelmente,
resulta no abuso, opressão, e destruição. Autoridade dá poder
seus direitos.
Autoridade é a chave para o governo bem sucedido. Se a decisão
poder não tem autoridade, não pode governar. A autoridade para
regem quer é dada por meio de uma votação popular ou derivado por meio de
autoridade inerente. governos terrestres derivam sua autoridade
as pessoas, quer através de um processo de escolha ou por usurpar autori-
dade por meio de força. Por exemplo, um presidente ou primeiro-ministro ou min-
nobre
Ister está imbuído de autoridade pelas pessoas que ele ou ela votaram
ao poder.
Em reinos, no entanto, a autoridade é inerente e um produto da
direitos de propriedade. Este conceito é crucial para a compreensão da
natureza de reinos. a autoridade de Deus como Rei é inerente. Ninguém
dá-lhe autoridade. Ele tem autoridade por causa de quem ele é e
O Reino de Deus Versus o Governo do Homem
43

Page 44
porque Ele criou a terra e tudo o que vive na terra.
É por isso que Jesus podia dizer que toda autoridade tinha sido dado a ele.
Seu pai tinha toda autoridade e, portanto, tinha o direito de dar a
O filho dele. O Pai tinha direitos criativas para todo o universo.
Os governos da terra obter a sua autoridade por meio de voto
ou violência. Não é a autoridade inerente. O único governo no
terra que representa a autoridade inerente é uma monarquia. Um rei tem
o poder e pode dar-lhe a quem ele escolhe. Todos os outros gover-
ernments são formados por um voto ou iniciando uma revolução.
Em última análise, todos os governos humanos são substituições para o
ideal, não importa quão bom esses governos poderiam ser. Tomemos
uma breve olhada em algumas das tentativas do homem no governo e estruturas
de governo. O mais importante, vamos discutir será o
forma de governar que chamamos de feudalismo.
FEUDALISMO
Feudalismo descreve um sistema de governo ou governante que era
estabelecida em virtude do poder de propriedade. De fato,
a autoridade neste sistema foi chamado de “senhor feudal”, o que significa um
latifundiário. Durante o início da Idade Média, o desenvolvimento económico e social
poder de sociedades foram relacionadas com a agricultura; portanto, a terra era
a principal fonte de energia. Ele que possuía a terra pertence o poder.
Quando a terra é poder, em seguida, quem detém a maioria dos controles terras
tudo e todos. Este é o lugar onde a idéia de “real estate” origi-
inated. Os proprietários de terras foram os que eram considerados de possuir
imobiliária. O proprietário era o “senhor” da terra. Assim, encontramos
a palavra proprietário usado para descrever aqueles que possuíam terras.
Portanto, a busca primária de todos os que desejavam poder era
terra. Os proprietários de terras eram conhecidos como senhores e eventualmente se
tornou
“governantes” de suas terras. O mais terras que possuíam maior a sua
senhorio, ou regência. Os indivíduos que possuíam parcelas significativas de
terra ficou conhecido como “reis”. Em outras palavras, o pré-requisito para
tornando-se um rei foi a propriedade da terra. Esta é também onde o
Princípios Unido
44

Page 45
idéia de reinos terrenos recebe o seu nascimento. “Kingdom” foi a palavra
usado para descrever o território sobre o qual um rei local, ou proprietário de terras,
governado ou exercido direito de propriedade e autoridade.
Também é importante notar que, porque toda a terra era pessoa-
aliado de propriedade do proprietário, em seguida, a propriedade privada não era
possível;
Assim, todas as pessoas que viviam em e trabalhavam a terra fez no
prazer e misericórdia do rei ou senhorio. Tudo na terra,
incluindo animais, recursos naturais, e todos os outros materiais, foram
considerada a propriedade pessoal do rei ou senhor.
Em muitos casos, quando o senhor ou rei era gentil e benevolente,
as pessoas que viviam, trabalhavam, e servido em sua terra gostei do
benefícios da sua bondade. E porque eles fizeram a sua terra produtiva
e acrescentou prosperidade para ele, ele forneceu, protegida e cuidada
eles. É por isso que um bom rei tendem a atrair muitos a sua king
dom. Feudalismo como um conceito de governar era um derivado do
original do governo estabelecida no Jardim do Éden, sob a
primeiro homem, Adão, que se foi feito o proprietário da terra.
O plano original de Deus era um sistema feudal, onde todos os homens serviu como
reis e senhores da terra, dominantes e não seres humanos, mas o animal,
plantas, pássaros, água e reinos.
No entanto, nos casos em que o proprietário ou rei não era gentil e
misericordioso, o resultado foi o abuso ea opressão do povo em virtude
do status de nobre. Quem possuía a terra controlada aqueles que viveram
na terra. Feudalismo é uma ilustração do perigo de colocar o
autoridade que pertence ao Rei do céu nas mãos de
ímpios e injustos reis e senhores humanos. Quando a cultura
migraram longe de agricultura para a indústria, os nobres senhores eventu-
aliado perderam seu poder.
DITADURA
Ditadura é a forma de governo derivado da con-
CEPT de “autoridade divina”, que é construído sobre a crença de que certas
O Reino de Deus Versus o Governo do Homem
45

Page 46
indivíduos são escolhidos pelos deuses ou pela providência para governar o
massas e exercer autoridade sobre os menos afortunados ou os chamados
povos “inferiores”. Esta é a forma de governar que encontramos no bib-
registros LICAL e outras fontes, como os faraós egípcios, que
acreditavam que eles eram produtos dos deuses e foram destinados para governar
pessoas em virtude de primogenitura.
Ditaduras surgiram em todas as gerações e continuam a
fazê-lo até hoje. Eles vêm em muitas formas e títulos, mas o prin-
cípio e resultados são os mesmos. A ditadura é o governo que
concentra seu poder e autoridade nas mãos de um indivíduo
que empunha autoridade absoluta sem restrições por leis, constituição, ou
qualquer outro fator social / política.
Ditadores são considerados déspotas e, geralmente, são movidos por per-
ambição sonal ou interesses privados. Eles se concentram em si mesmos e
seus objetivos. Auto-adoração também é comum nesta forma de governar.
Historicamente, as ditaduras nunca conseguiu por muito tempo, normalmente
terminando em tragédia e caos. Sem ditadura vai sobreviver para sempre. Em
algum momento, as pessoas vão se revoltar.
A ditadura é também uma tentativa torcido pelo homem para restabelecer
a forma original do governo estabelecida pelo Criador na
Jardim do Éden, quando Ele delegou regência total eo domínio
controle para o homem. Adam foi dado o poder absoluto, mas a distinção
ção era que seu poder e domínio nunca foram destinados para governar
sobre outros seres humanos, mas sobre o animal, aves, plantas e água
reinos. Sempre que é feita a tentativa de dominar a humanidade
através de qualquer forma de ditadura, o resultado natural é revolta e
resistência. Isto é natural e sempre será. ditadura sobre
a humanidade não é forma original de Deus de governo.
O COMUNISMO
Como uma forma de governo, o comunismo é uma combinação de
os dois primeiros tipos de governar. O comunismo é a tentativa do homem para
Princípios Unido
46

Page 47
terra de controle e as pessoas pelo exercício da ditadura. Isto é
por um Estado comunista repossesses toda a propriedade privada e
tenta forçar a produtividade através da opressão e coer-
cion. Destina-se a fazer isso, a tentativa de legislar amor
e partilha, uma abordagem que nunca consegue por causa humana
a natureza não pode ser obrigado a amar ou se importar. Estes comportamentos
resultam
da motivação natural e convicções internas. Nenhuma lei pode
conseguir isso.
É minha opinião que o comunismo é a tentativa do homem para restabelecer a
Reino dos céus na terra como dado ao primeiro homem, Adão, mas
sem o envolvimento da fonte de criação de Si mesmo. Dentro
Essencialmente, o comunismo é uma tentativa de estabelecer um reino sem
justiça. Pode-se encontrar nos escritos de Marx e Engels um
certa sinceridade enquanto procurou encontrar uma maneira de trazer energia para o
pessoas (proletariado) por arrancar o poder das mãos do
nobres (Bourgeois). Foi uma tentativa de tomar posse da terra
longe dos nobres e colocá-lo nas mãos do povo. Eles
acreditava em uma ditadura do povo. Boa ideia? Talvez. O único
problema é que o governo está nas mãos de pessoas. Sempre que
o homem está envolvido, o governo irá falhar. comunismo simplesmente
trocadas poder por arrancando-a das mãos dos czares e
colocando-o nas mãos de um novo conjunto de ditadores.
SOCIALISMO
Socialismo, um enteado do comunismo, é outro esforço para
trazer o estado mais perto das necessidades do povo. Ele substitui o
estado para o rei e tenta controlar a sociedade para o benefício de
sociedade. Como todos os outros, o socialismo é outra tentativa falhou por
homem para governar a si mesmo. O poder absoluto corrompe absolutamente, eo
Estado perde a sua preocupação para o indivíduo como se torna mais
obcecado com seu próprio poder.
Isso nos leva ao nosso último olhar para a tentativa do homem para governar a si
mesmo.
O Reino de Deus Versus o Governo do Homem
47

Página 48
DEMOCRACIA
A democracia tem suas raízes nos escritos dos gregos e é
visto por muitas pessoas (mesmo aquelas nas religiões ocidentais) como o
governo perfeito. Platão chamou-lhe a mais bela de constituições, mas
o fizeram com relutância, porque ele viu fraquezas dentro de democracias
cy que levaria à sua queda. A regra do povo, pelas pes-
ple, e para as pessoas é uma boa idéia. É a tentativa do homem para obter mais
longe de despotismo e tirania. A democracia como um princípio
A reação do homem a todas as outras formas de governo, como feu-
dalism, ditadura, comunismo e socialismo.
Um estudo minucioso das raízes da democracia ocidental irá revelar que
foi uma reação e rebelião contra uma escolha divina ou SYS-feudal
TEM de governar chamado um reino. Na realidade, a América foi construída sobre
rebelião contra um reino. Os fundadores e idealizadores da
conceito americano de governar defendido a causa de democracias
cy e aprovou as idéias gregas e refinou-los para acomodar
suas aspirações. América rejeitou um reino. O sonho de América e
princípios orientadores foram independência, autodeterminação, e indi-
viduality; mas enquanto estes princípios servem como o alicerce da Ocidental
democracia, eles permanecem contrária aos princípios do Reino.
Os americanos nunca entendi o poder potencial de um rei
e o seu reino, porque eles foram expostos a reis corruptos. Fora
desse medo, eles criaram um sistema de governo que limitaria o poder
de um único homem. O sistema de freios e contrapesos foi instalado para
guarda contra o poder e autoridade a ser consolidada na mão
de um indivíduo.
Este medo do totalitarismo e da ditadura é o motor que
aciona o motor da democracia ocidental, e instável assim. No
ausência do con- originais governo perfeito e ideal reino
CEPT, o conceito de democracia é a melhor forma de governo
inventado pela humanidade e serve para protegê-lo de sua própria defec-
natureza tiva e caráter. No entanto, apesar do fato de que a democracia
é a melhor forma Civil de governar em nosso mundo estressante de semideuses,
Princípios Unido
48

Page 49
a própria democracia está atormentado com defeitos que deixá-lo querendo. o
problema fundamental da democracia é a sua fundação, poder,
e autoridade por maioria de votos.
A democracia é a melhor forma de governo civil como a conhecemos
por causa de seus princípios básicos e por causa dos freios e contrapesos de
o sistema. Ele também é construído sobre a premissa e princípio da
“Regra da maioria” e a protecção dos direitos individuais. Democracia
tem servido nossas nações bem na medida em que deu voz ao povo
e oferece oportunidade para uma ampla participação na polit-
processo ical pelo povo de uma nação. Seus freios e contrapesos sis-
TEM protege ainda mais as massas de monopólio de energia por
um ou por poucos.
Apesar de suas vantagens e benefícios, no entanto, a democracia faz
vêm com alguns defeitos cruciais. Um tal defeito é a sua fundamentais
e grande princípio da “regra da maioria.” Este defeito é fundamental, porque
mesmo que dá poder para a maioria das pessoas, ao mesmo
tempo que coloca a moral, os valores e as normas de direito na
mercê do voto da maioria, legitimando, assim, os valores da maioria,
desejos, crenças, aspirações e preferências.
Se o poder da democracia está nas pessoas, então “nós, o povo”
tornar-se o soberano de nossas vidas e destino corporativo e, assim,
tornar o nosso próprio governante providencial e deus. Este é o ressurgimento
e manifestação da filosofia milenar de humanismo.
Humanismo é simplesmente o homem tornar-se sua própria medida para a
moralidade,
juízo e justiça que coloca o homem à mercê de si mesmo. Então não
importa quão educados homem pode tornar-se, ele pode levar-se apenas como
Até onde ele vai sozinho. O registro da história e do presente estado de
o mundo dá provas de que o homem entregue a si mesma torna um deus pobres.
Portanto, a democracia sem responsabilidade para um maior do que
o povo é um exercício de roleta moral. Simplificando, a democracia
sem Deus é a adoração do homem e elevação de si mesmo e sua própria
inteligência. Que tragédia!
O Reino de Deus Versus o Governo do Homem
49

Página 50
A democracia não pode ter êxito sem Deus mais do que com-
munism pode ter sucesso sem Deus. Deus não está sujeita à nossa políti-
tiques, nem pode ser, mas Ele criou seu próprio sistema político e
estrutura governamental que, como este livro irá demonstrar, está longe
superior a todas as formas de governo terrestre. De per- do Criador
spective, a vida é política, e Ele é a essência da vida. Nele não é
nenhuma distinção entre governo e espiritualidade. Eles são um
e o mesmo. A atribuição dada ao primeiro homem no Jardim
do Éden era uma atribuição política dada a um ser espiritual vivendo em um
carne corpo. Portanto, no contexto do mandato bíblico original,
o conceito da separação de igreja e estado ou religião e
governo é uma grande idéia que não tem raiz na lógica bíblica ou fato.
O mandato bíblico original não fornece nenhuma base para isso.
Todo mundo é religioso no sentido de que eles trazem à vida a sua
convicções morais não importa o que sua reivindicação religiosa. Nós todos somos
política e religiosa. Não pode haver separação. Você não pode leg-
iSlate uma dicotomia entre um homem e seu sistema de crenças. Legislação
em si é o resultado e manifestação de um sistema de crenças e moral
julgamento. Portanto, a democracia só pode ter êxito onde há uma
responsabilidade clara a um código moral aceite pela maioria como
sendo bom, civil, e à direita, e que serve como âncora e
base para a governação nacional.
No meu país, as Bahamas, que o código moral é reconhecido con-
constitucionalmente e nacionalmente como os princípios bíblicos do histórico
fé judaico-cristã eo Deus de essas Escrituras. Esta é stat-
ed no documento constitucional e fornece um autoritário
referência para governar dentro da nossa nação. Consequentemente, quando o
maioria de votos e os resultados estão em consonância com as leis naturais
e normas estabelecidos no texto bíblico, em seguida, o voto é con-
siderada legítimo. Por outro lado, quando a maioria de votos em
violação da lei natural e dos princípios estabelecidos pelo bib-
texto LICAL, que o voto ou legislação se torna ilegítimo.
Em essência, o problema com a democracia-governo do povo-se
que o voto de muitos pode ser o voto errado. Outro ponto fraco da
Princípios Unido
50

Página 51
democracia é que ela não é absoluta. Seus conceitos e leis podem explodir
como o vento. Ele pode ser facilmente influenciada pela cultura de mudança.
Porque os cidadãos pode ser tão facilmente manipulada por uma mudança no
cultura e pela vontade de pessoas no topo, eles podem ser induzidos a
abandonar os seus direitos e transferi-los para aqueles que dominam sobre eles.
Platão sabia que, eventualmente, o governo do povo iria deteriorar
taxa para o governo do estado. Eu prever com grande tristeza que mesmo
democracia, com todas as suas promessas e aspirações para um bom, civil,
e justa, não vai sobreviver como um governo humano. Quando
o seu melhor não é bom o suficiente, a única alternativa é olhar mais-
onde por algo melhor. Existe uma alternativa melhor ... e que é
o coração deste livro.
O RETORNO DO REI E SEU REINO
O que é esta alternativa? É para voltar ao governo originais
conceito de Deus, o Criador, que é o conceito reino. Do
Naturalmente, as pessoas que viveram no contexto de uma democracia ou uma
república todas as suas vidas normalmente encontrá-lo não só difícil, mas quase
impossível compreender ou aceitar facilmente este conceito de um reino.
Para agravar o problema é o processo educacional histórico que
pinta o conceito de reinos de forma negativa devido a experi-
cias com reis corruptos e reinos no passado.
Por uma questão de fato, para muitas pessoas, em sua entendimento limitado
ing, um reino é simplesmente uma ditadura nas mãos de uma família. E se
isso é verdade, então a mensagem de Jesus Cristo 2.000 anos atrás foi o
promoção e estabelecimento de uma ditadura com Ele como o
ditador. Ele chamou a Si mesmo um “Rei” e disse que veio para trazer de volta
à terra um “Reino”. De acordo com esta mensagem, que foi o único
que Ele pregou, a chave final para gover- terrena humana bem sucedida
erno é a restauração de um rei e um reino na terra, embora
um justo, benevolente e bom rei. Não é único que pode
se encaixam nesse papel. Ele é Aquele que nos criou e projetou cada um dos
O Reino de Deus Versus o Governo do Homem
51

Página 52
-nos com um propósito único. Devemos trazer de volta o rei. este Rei
cuida de seus cidadãos. Seu governo é um governo justo.
É este reino ideal, original que o coração de toda a humanidade
procura. Toda a humanidade ao longo da história, e ainda hoje, é Procurar-
ing desesperadamente encontrar aquele reino perfeito. O homem tem tentado cada
maneiras imagináveis para criar um governo impecável. O que ele falhou
para entender é que o Reino original, estabelecido pelo Rei,
é o que ele vem buscando o tempo todo. Os reinos deste
mundo deve aceitar o Reino do Senhor e do Seu Cristo. o
original e ideal Rei e Unido são superiores a todas as outras formas
do governo. Este livro vai provar esse ponto, enquanto continuamos a nossa
jornada para entender esse conceito majestoso.
Mesmo dentro da Igreja que argumentam sobre o governo, não sabe-
ing que há apenas um governo. Devemos chegar a compreender
a superioridade de um reino sobre todas as outras formas de governo.
O mundo precisa de um rei benevolente. Temos que o rei; Nós apenas
não reconheceram. Eu disse anteriormente que uma qualificação de uma legiti-
companheiro rei é propriedade da terra, o que automaticamente faz dele um
senhor. Deus, que se revelou em Jesus Cristo, é a última palavra
Senhor e dono de todas as coisas. Quem faz Deus para ser Rei e Senhor?
Ninguém! Ele é Rei e Senhor por direito de criação. direitos criativas dar
-Lhe os direitos de propriedade incontestáveis para a terra e do universo. Ele
criou todas as coisas e que automaticamente faz-Lo Senhor de todos. Nós
não dar a Deus a terra. Ele não precisa de nós para fazê-lo rei. Nós
só pode reconhecê-lo como rei. Seu propósito original e plano
foi estender seu Reino invisível do Céu à terra através de Seu
descendência à Sua imagem-humanidade e governar através do homem como um
agência celeste. Em essência, com o Reino de Deus na terra, Sua terri-
tory, através de toda a humanidade, estaríamos governantes sob a Régua.
Uma vez que estamos sob o domínio deste gracioso, misericordioso, benevo-
emprestado, amoroso, atencioso rei, ele assume a responsabilidade pessoal para nós,
não
como servos ou servos, mas como a família e as crianças reais. Esse cuidado do
cidadãos do Rei representa um conceito chamado de “bem-estar reino” e
Princípios Unido
52

Page 53
descreve o compromisso pessoal do rei para cuidar das necessidades
e desejos dos seus cidadãos dentro de sua terra. Portanto, a palavra wel-
fare é um conceito que só pode ser plenamente compreendido no contexto de
um reino. Sempre que submeter-se a um rei e seu reino, nós
sob seu bem-estar. Bem-estar não é uma palavra que pode ser usada em um
democracia.
Para muitos, a palavra muito bem estar pinta quadros negativos em sua
mentes, e eles acreditam que ele seja uma maldição da sociedade. No contexto de um
reino, no entanto, bem-estar é uma palavra bonita e descreve alguns-
coisa a ser altamente desejado. É uma palavra que é usada para expressar um rei de
compromisso com a sua cidadania. É por isso que em tudo verdade reinos do
conceito de prosperidade e serviços sociais nacionais é chamado de “comum
riqueza.”Mais uma vez, este conceito só pode ser compreendida dentro do con-
CEPT de um reino. Em qualquer uma das outras formas de governo, não
regime ou pessoa jamais foi bem sucedido em efetivamente cuidar de
“Todos” os cidadãos.
Por uma questão de fato, mesmo sob a melhor forma de governos humana
mento, a democracia, há a situação dos ricos contra os pobres, os
já está em comparação com os não têm de, a dis- extrema e desigual
buição de riqueza, a discriminação, o racismo, as divisões, classifica- sociais
ções, e segregação étnica. História falhar continuamente para nós um show
governo que manifesta a igualdade, harmonia, estabilidade e
comunidade que o homem tem desejado e procurado desde o dia da
a queda de Adão. Mesmo o nosso melhor está com defeito. Nenhum governo tem
sido
capaz de cuidar de seu povo de forma igual. Em um verdadeiro reino ideal, como-
nunca, bem-estar de todos os cidadãos é a responsabilidade pessoal do
rei. É por isso que o conceito de reino original, como no Reino
de Deus ensinada por Jesus Cristo, é superior a todos os outros governos.
Portanto, em um reino, o conceito de “comunidade” é também
muito importante, ea palavra descreve corretamente a natureza do
relação do rei tem com seus cidadãos e assuntos. A riqueza
em um reino é comum. Portanto, em um verdadeiro reino ideal existe
sem discriminação ou distinção entre os ricos e os pobres, para
de tal reino todos os cidadãos tenham acesso igual à riqueza reino
O Reino de Deus Versus o Governo do Homem
53

Page 54
e os recursos fornecidos pelo rei benevolente. Em essência, o
interesse do rei é o bem-estar do Reino e tudo na mesma.
Se nenhum dos sistemas humanos de governo são adequados, como
então não adotamos conceito reino original de Deus para o nosso mundo? isto
começa por compreender o conceito reino de colonização .
Princípios Unido
54

Página 55
PRINCÍPIOS
1. Noventa por cento de toda a pro- nacional e internacional
lems enfrentando nosso mundo de hoje são o resultado tanto de gover-
erno ou religião.
2. A necessidade de um governo ea ordem é inerente ao
espírito humano e é uma manifestação de um mandato divino
dado ao homem pelo criador.
need 3 do homem por alguma estrutura formal do governo é uma
conseqüência de sua necessidade de ordem social e de relacionamento
gestão.
4. O mandato do Criador para a humanidade foi regência
e domínio.
5. Alguns governos são melhores que outros, mas todos são
inferior ao de Deus governo do Reino dos Céus.
6. feudalismo como um conceito de governar era um derivado de
o governo original estabelecida no Jardim do
Eden sob o primeiro homem, Adão, que se foi feito
o proprietário da terra.
7. Feudalismo é uma ilustração do perigo de colocar o
autoridade que pertence ao Rei do Céu na
mãos de reis humanos ímpios e injustos e
senhores.
8. Um ditadura é um governo que concentra a sua
poder e autoridade nas mãos de um indivíduo que
exerce autoridade absoluta sem restrições por leis, constitucional
ção, ou qualquer outro fator social / política.
9. O comunismo é a tentativa do homem para controlar terra e as pessoas
pelo exercício da ditadura.
O Reino de Deus Versus o Governo do Homem
55

Page 56
10. O comunismo é uma tentativa de estabelecer um reino com-
a justiça.
11. Socialismo substitui o estado para o rei e tentativas
para controlar a sociedade para o benefício da sociedade.
12. A democracia é a melhor forma de governo civil como nós
sei que por causa de seus princípios básicos e por causa da
freios e contrapesos do sistema.
13. Um grande defeito da democracia é a sua prin- fundamentais
cípio de “governo da maioria”, que mesmo que dá poder
para a maioria das pessoas, coloca a moral, valores e
as normas para o direito à mercê da maioria, portanto,
legitimando os valores da maioria, desejos, crenças, aspirações
ções e preferências.
14. A nossa melhor alternativa é retornar ao governos originais
ing conceito de Deus, o Criador, que é o reino
conceito.
Princípios Unido
56

Página 57
r
Capítulo três
T HE O RIGINAL K INGDOM C ONCEITO :
C OLONIZATION DE E ARTH

F rom nossas discussões até agora, duas coisas, pelo menos

deve ser perfeitamente claro neste ponto. Primeiro, todos os


pessoa na terra, sem exceção, está buscando um
reino. Consciente ou inconscientemente, toda atividade humana e
esforço é dirigido de uma forma ou outra para essa busca.
E segundo, como acabamos de ver, o conceito reino dos governos
mento, o conceito governamental original e em primeiro lugar, é muito superior
a qualquer sistema governamental concebida pelo homem. A ressalva, é claro,
se que tal reino ser governado por um justo e benevolente
rei. Caso contrário, um reino irá revelar-se não melhor do que qualquer
outro sistema.
A superioridade inerente de um reino sobre outros sistemas de
governo é um conceito especialmente difícil para muitas pessoas no
oeste. Como afirmei anteriormente, poucos ocidentais já viveram sob uma king
dom e, portanto, pouco ou nada sabem de como se opera. Essa diferença
dificul- é ainda mais grave para os cidadãos dos Estados-Membros cuja
nação, afinal de contas, foi criada em rebelião contra um reino.
No entanto, um reino governado por um soberano, justo e
rei benevolente continua a ser o melhor sistema da humanidade governo
57

Página 58
jamais poderia esperar. A razão é simples: O conceito reino é de
celestial, não terrena, origem . Sua aparência na terra é devido a anoth-
conceito er que se originou no céu, o conceito de colonização .
Simplificando, a colonização é o sistema pelo Céu para terrena
influência.
Ver o quadro
Para entender isso, é importante olhar para a grande
cenário.
Nós, seres humanos, divididos como somos por religião, etnia, geografia,
identidade nacional, e diferentes sistemas governamentais e
economias, têm dificuldade em apreender o quadro geral que somos um
aldeia global. As diferenças religiosas e culturais e loy- territorial
alties muitas vezes nos impedem de ver o quanto nós realmente têm em com-
mon uns com os outros. No fundo, todos nós compartilhamos os mesmos medos,
esperanças,
sonhos e desejos. Nós todos compartilham um desejo comum para ser capaz de
controlar as circunstâncias de nossas vidas. Conscientemente ou não, todos nós
somos
à procura de um reino em que todos são iguais, apreciando o mesmo
direitos, benefícios, liberdade, segurança, saúde e abundância-vidas com
significado e propósito e potencial cumprida.
No meio de nossa busca míope de auto-promoção, deixamos
a reconhecer que tal reino está disponível para o ter. Mas nós
nunca vai vê-lo até que um passo atrás para tomar o retrato grande.
Quando eu estudei arte na faculdade, um dos conceitos fundamentais
Eu aprendi é sempre para ver o fim primeiro e depois trabalhar o meu caminho de
volta.
Em outras palavras, um bom artista vê o produto acabado em sua
mente antes de começar a pintar ou esculpir ou desenhar. Isso é o que
significa para obter o retrato grande-para ver o fim desde o início e
manter isso claramente em vista todo o processo criativo. Somente
então o artista garantir que o produto final está em conformidade com a sua
ou sua visão original ou design.
Princípios Unido
58

Page 59
Um observador casual de qualquer fase do processo muitas vezes não podem
faz qualquer sentido fora dele, porque ele ou ela não tem a grande figura da
o produto acabado que está na mente do artista. Uma escova de poucos
acidentes vasculares cerebrais em uma tela pode não significar nada para alguém
observando o
pintor, mas um bom artista vai saber exatamente o que está fazendo. Ele vai
sabe exatamente onde ele está indo e como chegar lá, porque ele
já vê o resultado final em sua mente. Ele vê o retrato grande. que
É por isso que você nunca deve julgar um artista, enquanto ele está trabalhando. É
apenas
no produto acabado, onde a sua visão completa e intenção pode ser visto.
Se você está pintando um quadro, esculpindo uma escultura, ou
construção de uma casa, é fundamental para manter a grande figura-a acabada
-produto claramente na vista. Caso contrário, seu sonho original ou visão
nunca será realizado, e você vai acabar com algo muito dife-
rentes do que você pretende.
O maior problema no mundo de hoje, incluindo o religioso
mundo, é que estamos tão preocupados com as fases que não podemos
ver o retrato grande. Estamos tão envolvidos com nossa própria pequena parcial
e com a luta e discutir com todo mundo sobre sua pouca
-Parte que perdemos de vista o nosso propósito. O mais importante
coisa na vida é o retrato grande. Mas todos nós temos são instantâneos.
Em algum lugar ao longo do caminho a humanidade perdeu a grande figura da nossa
pur-
pose, e todos nós ficamos com foram pequenos instantâneos que fornecem apenas
uma impressão estreito e muito enganador do todo. Há muito tempo nós
perdeu a final de nossa existência. Agora tudo o que temos para trabalhar com estão
dis-
meios-fúteis ligados perseguições sem significado.
Finalidade define o quadro geral. Em outras palavras, a imagem grande
é o fim original ou intenção do artista ou construtor-o desejado
resultado final. Qual foi o propósito de Deus como o artista que criou
humanidade? Qual foi o resultado final Ele desejado? Como Designer do
raça humana, o que era a intenção original de Deus? Esta é uma questão crítica
para nós, porque sem propósito, a vida humana não tem nenhum significado ou sig-
nificance. E isso é exatamente o que os filósofos do nosso tempo são
dizendo: A vida humana não tem nenhum propósito ou significado, de modo que cada
um de nós
deve criar ou extrair significado para nossas vidas onde podemos encontrá-lo.
O Reino conceito original
59

Page 60
Perdemos intenção original do grande imagem-Deus por mankind-
e sem que nossas vidas são nada mais do que fases desconexas que
não faz sentido.
Se a nossa vida é ter significado, devemos recuperar a imagem grande
da intenção original de Deus para nós. No princípio, Deus empreendeu uma
maravilhoso projeto de construção chamado a raça humana. Por quê? origi- de Deus
propósito inal na criação de humanidade, Sua grande figura-era estender
Seu governo invisível para o mundo visível. Ele queria estender Sua
pátria celestial para outro território. Seu desejo, então, foi esta-
uês na terra uma colônia do Céu .
BIG PICTURE DE DEUS
Colonização como um conceito não foi inventado pelo homem. Não é a
produtos de qualquer reino ou cultura humana. colonização originou
na mente de Deus. Foi ideia dele. O propósito original de Deus era
estabelecer uma manifestação do Seu Reino celestial na terra, sem
vinda à terra próprio.
Uma autoridade colonizadora, como um rei, não tem que ser pres-
ent fisicamente para a colonização de ocorrer. A mera presença do
influência dessa autoridade é suficiente. Enquanto Deus poderia estender
Sua autoridade real governar sobre a terra através de delegado
representantes, sua influência seria manter o domínio aqui sem a
necessidade de sua presença física.
a intenção original de Deus era para estender Seu governo celestial
sobre a terra, e Seu plano para realizar isto era estabelecer
uma colônia do céu sobre a terra. Este foi grande imagem de Deus. o
Rei do Céu tem uma agenda grande, maior do que o nacional ou interna-
assuntos cionais. Sua é uma inter-reino agenda. Deus lida com inter-
assuntos realm , a relação entre o domínio invisível do céu
eo reino visível da Terra. Seu plano era para ligar estes dois
através da colonização. No entanto, Deus não se contentava em apenas
Princípios Unido
60

Page 61
estabelecer sua influência sobre a terra; Ele queria levar algum cida-
dãos do céu e colocá-los na terra para estabelecer a colônia.
Como ele conseguir isso? Vamos examinar algumas declarações
da Bíblia, que é a Constituição do Reino dos Céus.
Como qualquer outra constituição, a Bíblia estabelece as leis, princípios,
e características que definem o Reino de Deus. Consideremos primeiro a
palavras de abertura desta constituição-its “preâmbulo”:
No princípio, Deus criou os céus ea terra
(Gn 1: 1).
Esta declaração de abertura estabelece reinado universal de Deus,
direito divino da criação com absoluta autoridade para fazer o que Ele
agrada. Um pouco mais abaixo, encontramos “charter colonial” da Terra:
Então Deus disse: “Façamos o homem à nossa imagem, à nossa
semelhança, e domine sobre os peixes do mar e da
as aves do céu, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra, e
sobre todas as criaturas que se movem rente ao chão.”Então Deus
criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus o
criou; masculino e feminino, criou-os. Deus
abençoou-os e disse-lhes: “Sejam férteis e multipliquem
em número; Encha a terra e subjuga-a. Dominai sobre os peixes
do mar e as aves do céu e sobre todos os seres vivos
criatura que se move sobre a terra” (Gênesis 1: 26-28).
Com estas palavras Deus, o Rei e Senhor do Céu, declarou
Sua intenção colonial. Esta carta colonial delineou o objectivo e
definidos os parâmetros da colónia. Ele também designou as pessoas
que recebeu a responsabilidade de realizar o desejo do rei.
Observe que esta declaração não diz nada sobre religião. este
Carta não é uma declaração religiosa; é um documento do governo
que define a intenção governamental e estabelece governamental
autoridade. Então o rei, em um presente declaração, declara Sua grande Pic-
ture-para criar alguns seres apenas como ele, colocá-los no
O Reino conceito original
61

Page 62
terra, e deixá-los governar por Ele como vice-regentes de Sua celestial
governo. Este foi Seu plano e Seu propósito para criar o homem.
Porque os propósitos de Deus são imutáveis, este ainda é o Seu pur-
representar e planejar hoje.
CROWN TERRA DO CÉU
Deus criou a Terra como um lugar sobre o qual para estender Sua influ-
ence, mas Ele pretendia fazê-lo através da humanidade, não a si mesmo. Ele
Homem projetado para ser um colonizador ajuste do mundo físico Ele queria
para colonizar. É por isso que nós, seres humanos são tão bem adaptados fisicamente
para
vida neste mundo. A Bíblia diz que Deus criou o homem “ do pó
da terra ”(ver Gênesis 2: 7). A evidência científica confirma isso. Nosso
corpos são feitos do mesmo material que a terra. Antes Deus criou
nós, Ele formou um mundo físico que seria um ambiente perfeito
mento para nós para cumprir o nosso propósito e destino. Então Ele formou o nosso
corpos físicos a partir do mesmo material. O homem é um trino ser apenas
como o seu Criador. Nós refletimos Sua imagem, mesmo em nossa
composição. Homem
é um ser espiritual após a natureza e essência de sua fonte, Pai
Deus; ele vive em um corpo, que é seu terno terra que lhe permite
referem-se ao ambiente físico; e ele possui uma alma, que é
seu intelecto, vontade e faculdades emocionais. Nós são adequados para o
terra tão perfeitamente como Deus é adequado para o céu.
Como discutimos anteriormente, a fundação e qualificação para
realeza é legítima propriedade da terra. Em um reino, a terra é o
propriedade pessoal do rei, e é esse direito de propriedade que des-
ignates como Senhor. Em um reino, quando se refere ao físico
terra, o território é chamado de “coroa terra”. Isto implica a terra é
propriedade de “a coroa”, referindo-se ao próprio rei. por criativo
direita, a terra é “terra de coroa.” do céu em um reino, toda a terra
dentro do reino pertence ao rei. Cada pé quadrado do terri-
tory é sua propriedade, seu pessoal “king-domínio.” Em um verdadeiro reino,
portanto, não há tal coisa como propriedade privada de propriedade da
cidadãos; o rei é dono de tudo.
Princípios Unido
62

Page 63
As Bahamas, onde eu moro, já foi parte da Organização das Nações
Reino do Império Britânico. Quando os britânicos aproveitaram a
Bahamas do espanhol, todas as ilhas mais de 700 tornou-se imediatamente
a propriedade pessoal do rei da Inglaterra. Eles não se tornaram
a propriedade do governo britânico; há uma diferença. Estes
ilhas tornou-se a propriedade pessoal do soberano britânico. Tudo de
nós que cresceram sob esse arranjo entendido que toda a terra
era conhecida como terra de coroa, o que significa que pertencia à pessoa que usava
a coroa. Por uma questão de fato, durante esses anos, não foi uncom-
mon para o rei ou a rainha da Inglaterra para dar uma ilha como um aniversário
presente para um filho ou filha ou sobrinha ou sobrinho. Desde as ilhas
eram terras da coroa, os monarcas, por sua própria prerrogativa, poderia
dá-los a qualquer momento para qualquer pessoa que quisessem presentes como
pessoais.
Por uma questão de fato, esta terra poderia ser dado a qualquer cidadão como um per-
dom sonal do governo na autoridade do rei, e muitos
pessoas em nossa colônia recebeu grandes parcelas de terra para uso pessoal.
O mesmo é verdade no Reino de Deus. Deus é o dono da terra e
tudo nele; a terra é sua terra coroa. Como um antigo poeta
escrevi:
A terra é do Senhor, e tudo nele, o mundo,
e todos os que nele habitam; pois Ele fundou sobre os mares e
firmou sobre as águas (Salmo 24: 1-2).
Porque Deus é dono da terra, Ele pode fazer com ele No entanto, ele
agrada. E aprouve a Ele para dar ao homem. Novamente, nas palavras de
o antigo poeta:
Os céus são os céus do Senhor, mas a terra Ele
deu ao homem (Salmo 115: 16).
Não cometa o erro de igualar isso com propriedade. Coroa
terra dada a alguém pelo rei continua a ser terra de coroa. A qualquer momento
o rei pode levá-lo de volta e dá-la a alguém. Essa é a
prerrogativa do rei. Assim, quando Deus “deu” a terra para o homem, Ele não o fez
O Reino conceito original
63

Página 64
abdicar da propriedade. Nós possuímos a terra como uma relação de confiança, como
mordomos,
como “reis”, sob o Alto Rei dos Céus. O rei deu-nos domin-
íon sobre a terra, não como proprietários, mas como vassalos-reis para estender sua
governo celestial para o reino terrestre. Ele nos deu regência, não
propriedade. Temos o privilégio de governar a terra, e com isso
privilégio também vem a responsabilidade de man- sábio e justo
agência. E somos responsáveis perante o rei para a forma como gerimos
nosso domínio.
É também nessa prerrogativa da realeza e senhorio que Deus
poderia, sem a permissão de seus habitantes atuais, prometo
Abraham a terra de Canaã como um direito de nascença.
Hoje, vemos esse entendimento de terra coroa aplicada no
nação de Israel. A antiga lei judaica transmitida através
Moisés estipulou que há venda de imóveis em Israel eram permanentes
porque a terra pertencia a Deus:
A terra não deve ser vendida definitivamente, porque a terra
é meu e você é, mas estrangeiros e meus inquilinos.
Em todo o país que detém como uma possessão,
você deve fornecer para a redenção da terra
(Lv 25: 23-24).
Israelitas eram livres para ocupar o seu próprio pedaço de terra, desenvolvê-lo,
cultivá-la, viver fora dela, e até mesmo passá-la para seus herdeiros. Eles eram
não vendê-lo, no entanto, especialmente a não-israelitas. Se cir- financeira
cunstâncias exigiu vender o imóvel a um colega israelita, o
lei feita provisão para a terra a ser devolvido. A cada 50 anos Israel
comemorou um ano do jubileu, período em que qualquer terra que tinha
mudou de mãos desde o ano jubilar anterior revert- automaticamente
ed para o possuidor originais.
Em Israel, hoje, um princípio semelhante está em vigor. Quando jovem
casais em Israel se casar, o governo israelense fornece ou auxilia
los com a sua primeira casa. Por quê? Porque não há nenhum próprio- privada
priedade de propriedade em Israel. Oficialmente, a terra pertence a Deus.
Princípios Unido
64

Page 65
O princípio aqui é que, em um reino, vivendo e utilizando o
terra é um privilégio, não um direito.
Essa prática reflete uma consciência reino que todos nós precisamos
cultivar. É fundamental para a nossa compreensão do Reino e
como funciona, que nós reconhecemos que toda a terra é o céu de
coroar terra e que são meramente “alienígenas” e mordomos de Deus
propriedade.
INTENÇÃO COLONIAL DE DEUS
Deus nunca faz nada sem propósito. Desde o iní-
ning, a intenção de Deus para a terra era que ser colonizado. Isaías, um
antigo escriba e porta-voz para o Rei, escreveu:
... Aquele que criou os céus, Ele é Deus; Aquele que fash-
ioned e fez a terra, que fundou; Ele não cria-
comeu-estar vazia, mas a formou para ser habitada ... (Isaías
45:18).
A nossa presença na Terra foi uma decisão colonial por nosso Rei. Ele
criou este planeta como um novo território, formado nos para fora do mesmo
material, plantada nós aqui, e emitiu a carta colonial dando-nos
domínio. Nós possuímos nada, mas tem acesso a tudo, desde que
operamos dentro dos parâmetros dos princípios que regem a
Rei estabeleceu para o Seu Reino. Isto é o que significa ser um
colônia do Céu.
O conceito de colonização é o componente mais importante
de um reino que devemos entender ou então será impossível
para compreender completamente a essência da mensagem da Bíblia, os profetas,
eo foco e prioridade de Jesus Cristo. É o mal-entendido
ing ou ignorância deste conceito reino de colonização que tem
produziu todas as religiões humanas e seitas. Cristianismo como religião
é por si só um produto deste mal-entendido. O objetivo principal,
O Reino conceito original
65

página 66
motivo, planejar e programa de Deus, o Criador era colonizar
Terra com o Céu.
Compreender o conceito de colonização é a chave porque uma vez
entendemos o que Deus pretendia, vamos entender o que é Deus
fazendo. Ele colocou as pessoas neste planeta com a finalidade de expandir
Sua influência e autoridade do reino sobrenatural para o NAT
reino ural. Uma colônia, por definição, é povoada por pessoas que origi-
inalmente veio de outro lugar. É um posto avançado habitada por cidadãos
de um país distante, cuja fidelidade permanece com a sua gover- casa
erno. Dito de outra forma, uma colônia é “um grupo de emigrantes ou
seus descendentes que se instalam em uma terra distante, mas permanecem sujeitas a
o país pai.”
1

Colonização envolve cidadãos de um país que habitam estrangeira


território com o propósito de influenciar esse domínio com a cultura
e valores de seu país de origem e que o rege as leis do
seu governo casa. Por exemplo, a mensagem de Jesus como afirmado
em sua declaração de missão registrada em Mateus 4:17, “... o reino
do céu chegou”(paráfrase do autor), indicaria que o
primeira colônia do Céu tinha retornado à terra por meio dele. como cida-
dãos do céu, que habitam a terra com a finalidade de influenciar
-lo com a cultura e os valores do céu e trazê-lo sob a
governo do Rei do Céu.
Paulo de Tarso, um embaixador do primeiro século e colonizador para o
Rei do céu, descrito intenção colonial do Rei desta maneira:
... para deixar claro a todos a administração deste
mistério, que desde os séculos passados foi mantido oculto em Deus, que
criou todas as coisas. Sua intenção era que agora, mediante a
igreja, a multiforme sabedoria de Deus se tornasse
conhecida dos poderes e autoridades do celeste
reinos, segundo o seu propósito eterno que Ele
realizou em Cristo Jesus, nosso Senhor (Efésios 3: 9-11).
Princípios Unido
66

página 67
A intenção de Deus era plantar uma colônia de seus cidadãos na terra para
fazer Sua “multiforme sabedoria” -Sua coração, mente, vontade e desires-
conhecido por “os governantes e autoridades nas regiões celestiais.” Em
outras palavras, para o mundo espiritual. Seu propósito em colonizar a terra era
para mostrar os poderes espirituais das trevas como os seres criados à Sua
própria imagem poderia ser plantada na terra e trazer a governos
mento e da cultura do Céu para que, no final, a terra ficaria
Just Like Heaven.
Em suma:
1. Uma colónia é um grupo de cidadãos estabelecida num ter- externa
ritório para influenciar esse domínio para sua governos casa
ment.
2. Uma colônia é um território estrangeiro habitada por cidadãos
acusado de influenciar esse domínio com a cultura e
valores de seu governo.
3. Uma colónia é a presença de uma cidadania cultural distinta em
um território estrangeiro regido pelas leis e cultura de
seu governo casa.
Tal é o conceito de colonização reino.
Compreensão de conceitos UNIDO
Estudar o conceito de reinos é importante para um par de
razões. Primeiro, porque a maioria de nós hoje, especialmente no oeste,
nunca viveu em um reino, o conceito é completamente estranho para
nos. Nós simplesmente não sabemos o que é como viver sob um rei. este
pode não ser um problema se não fosse para a segunda razão para Study
ing do Reino: o governo de Deus, o governo do Céu, é um
reino, e Deus é o Rei . E porque o Seu Reino se estende
através de toda a criação, englobando tanto o sobrenatural eo
reinos naturais, que nos cobre, também, e é por isso que precisamos entender
isto. A terceira e fundamental razão para estudar e restaurar esse conceito de
O Reino conceito original
67

página 68
reino é porque a Bíblia não é sobre uma religião ou um orga-
ção, mas um Rei e Seu Reino. Portanto, a fim de corretamente
compreender, interpretar e aplicar as Escrituras, o conhecimento de king
doms é necessário.
O reino é a mais antiga de todas as formas de governo e do
único que é de origem divina. Deus “inventou” o con- reino
CEPT e estabeleceu pela primeira vez no céu. Simplificando, um reino é
simplesmente um domínio sobre o qual um rei tem regência. O céu era o
primeiro domínio que Deus criou. Embora invisível, é muito real
lugar, ainda mais real do que o que chamamos de realidade. O natural veio
do sobrenatural; portanto, o sobrenatural é sempre mais
real do que o natural. O céu é mais real do que a terra, embora
não podemos vê-lo com nossos olhos físicos. No princípio, Deus esta-
instituído um reino como o sistema de governo para governar o super-
reino natural do Céu.
Uma vez que seu reino foi estabelecido no céu, Deus desejava
estendê-lo para outro reino. Com este fim em mente (a grande imagem) Ele
criou um universo visível, físico com bilhões de estrelas, incluindo o
que chamamos Sol , o sol em torno do qual gira este planeta que chamamos
Terra. O rei escolheu este planeta especificamente como a localização de Sua
Unido colônia no reino natural. Ele o criou para o efeito.
Então ele colocou nele os seres humanos criados à Sua imagem para executar o
colônia para Ele. Desta forma, Deus também estabeleceu a primeira terrena
reino, que era apenas uma extensão do seu Reino no Céu.
Através de rebelião contra o rei, no entanto, o homem perdeu o ruler-
navio. Temos vindo a tentar recuperá-lo desde então. Mesmo que nós
perdemos o nosso reino terreno, que ainda conservam a ideia original Unido
que o Rei implantado em nosso espírito. Estamos procurando o
Unido o tempo todo, mas sem Deus que nunca pode encontrá-lo porque
é Dele.
Em nossa busca Unido através dos tempos, o homem tem desenvolvido
e experimentou com muitos sistemas diferentes de governo, como
vimos anteriormente neste capítulo. Cada um deles, incluindo aqueles que
Princípios Unido
68

página 69
reinos de chamadas, estão com defeito, porque a humanidade está com defeito. Mas
eles
todos são movidos por nosso desejo de recuperar e restaurar o original
Reino. Esta não é uma fantasia “utópico”. No princípio, Deus
utopia estabelecido no céu e, em seguida, estendeu-o para a terra. Nosso
sonhos utópicos são simplesmente expressões de nosso desejo de recuperar o
Unido nós tivemos uma vez, mas perdeu.
De acordo com a “carta colonial”, declarou em Gênesis 1:26 que
vimos anteriormente, o homem originalmente foi dado um reino terreno para
governar, que era perfeito. Adão e Eva eram senhores do
domínio físico, co-regentes que se foram governados somente por Deus,
seu Criador-rei. Eles eram o Seu povo, e Ele era o seu Deus;
não houve regência intermediário.
reinos humanos, que na melhor das hipóteses eram apenas reflec- fraca e falha
ções do Reino de Deus, teve cidadãos que também estavam sujeitos da
rei, o que significa que eles eram “assunto” para ambi- pessoal do rei
ções, metas, caprichos e desejos. Reino de Deus é diferente. No
Reino de Deus não existem assuntos, somente os cidadãos, mas cada Cit-
Izen é um rei (ou rainha) em seu próprio direito. É por isso que a Bíblia
refere-se a Deus como o “Rei dos reis.” Ele é o Sumo Rei do Céu
que governa sobre os reis humanos que Ele criou, por sua vez para governar o
domínio terrestre.
O Reino está aqui
A rebelião de Adão e Eva custar-lhes seu reino. Capítulo 3 do
Gênesis relata a triste história de como o casal humano foi vítima da
mentiras e enganos da serpente, que encarna o príncipe
escuridão, que anjo caído conhecido como satã ou Lúcifer. Com Adam e
abdicação de Eva, Lúcifer tomou o controle de seu domínio terrestre como um
pretendente de bronze, arrogante e ilegal para o trono.
Imediatamente o Rei do Céu colocar em marcha seu plano para
restaurar o que o homem havia perdido. E o que o homem perder? Um reino .
Adão e Eva não perdeu uma religião, porque nunca tinha tido uma
O Reino conceito original
69

página 70
religião; eles tinham um reino. Assim, quando Deus se propôs a restaurar o que
eles haviam perdido, ele partiu para restaurar o reino, não uma religião.
A religião é uma invenção do homem, nascido de seus esforços para encontrar Deus e
restaurar o reino por conta própria. Mas só Deus pode restaurar a king
dom homem perdido.
Após o desastre no Éden, o Rei confrontado Sua rebelde
corregentes e sua enganador e dirigida a cada um por sua vez. Do
maior interesse para nós neste contexto é o que o rei disse ao ser-
reprimida, porque tem implicações reino:
Porei inimizade entre ti ea mulher, e
entre a tua descendência ea dela; Ele te ferirá a cabeça,
e tu lhe ferirás o calcanhar (Gn 3:15).
Referindo-se a “descendência” da mulher pelo pronome singular
“Ele”, indica que o rei estava falando de um específico prole
aquele que seria um golpe fatal contra Lúcifer e seus esquemas de
“Esmagamento” de sua cabeça. Como o restante da Escritura torna claro,
esta descendência específica apareceu milhares de anos mais tarde como o
Homem Jesus Cristo de Nazaré, que foi o Filho de Deus encarnado em
carne humana.
Quando Jesus apareceu em cena em, a história do espaço-tempo real,
Ele trouxe uma mensagem não de uma religião, novo ou velho, mas do
Reino:
Daquele momento em diante Jesus começou a pregar: “Arrependam-se, para o
reino dos céus está próximo” (Mateus 4:17).
Estas são as primeiras palavras registradas de Jesus. A frase “que
tempo”refere-se à prisão de João Batista, um profeta cuja mis-
sion foi para anunciar a chegada do Rei. Agora, o próprio Rei
estava na cena, e Ele estava anunciando a chegada do Reino .
Esta foi a única mensagem que Jesus pregou. Pesquisar todos os quatro do Novo
Evangelhos Testamento de Mateus, Marcos, Lucas e João, e você vai
Princípios Unido
70

página 71
descobrir que Jesus sempre falou sobre o Reino. Tudo o que Ele disse
e se relacionado com o Reino e sua chegada na terra.
Jesus disse: “ Arrependei-vos ” (que significa mudar sua mente ou adotar
uma nova maneira de pensar), “ para o reino dos céus está próximo ” (que
significa, com efeito, que chegou). Em outras palavras, Jesus era dizer-
ing, “Mude sua maneira de pensar! O Reino do Céu é aqui!
Eu trouxe comigo!”Quando Jesus trouxe o Reino dos Céus
a terra, Ele também trouxe a promessa de restaurar a humanidade a
domínio sobre a terra que Adão e Eva tinham perdido no Éden. Ele
trouxe de volta o nosso governo.
Antes que pudéssemos ser totalmente restaurado ao nosso Unido, no entanto, o
questão de nossa rebelião contra Deus teve que ser tratadas. este rebel-
leão é o que a Bíblia chama de pecado, e é universal na natureza humana, um
legado de traição de Adão e Eva no Éden há tanto tempo. morte de Jesus na
a cruz pagou o preço por nossa rebelião, para que pudéssemos ser restaurados
a um pé direito com Deus, nosso Rei, e ser reinstalado em nossa origi-
lugar inal e de direito como governantes do domínio terrestre. O Evangelho"
mensagem-a “boa notícia” -é mais do que o Cross. A Cruz é o
porta que nos leva de volta para o Reino. A Cruz de Cristo,
portanto, é tudo sobre o Reino restauração. É sobre a restauração de
poder e autoridade. Trata-se de recuperar o governo, e não a religião.
Filhos que não SERVOS
Por que Deus esperou milhares de anos a partir da promessa em
Eden do Reino restauração à sua realização com a vinda de
Jesus? Ele teve que permitir que o curso da história humana a fluir até
o momento era certo. Para podermos entender o que perdemos
quando perdemos o Reino, muito menos entender reino princi-
ples, Deus precisou o protótipo direito como um exemplo. Através de
milênios, muitas civilizações humanas e reinos subia e descia
até que finalmente um reino parecia que tinha tudo o que Deus necessária
para mostrar como o Seu Reino era suposto para trabalhar. Quando o
Império Romano chegou ao poder, tinha um conceito de cidadania. isto
O Reino conceito original
71

página 72
tinha um conceito de senhorio (propriedade). Tinha um rei e um domínio.
É praticada colonização. Roma teve uma influência tal que wher-
já avançou, que parte do mundo tornou-se como Roma. Quando
Deus viu Roma, Ele disse: “Isso é exatamente o que eu quero.”
Quando o tempo estava certo, o Rei do Céu enviou Seu Filho para
restaurar o Seu Reino na terra. Paulo de Tarso afirmou que desta forma:
Mas quando o tempo tinha chegado plenamente, Deus enviou Seu Filho,
nascido de mulher, nascido sob a lei, para resgatar os sob
lei, para que recebêssemos a adoção de filhos
(Gl 4: 4-5).
A plenitude do tempo não tem nada a ver com relógios, mas every-
coisa a ver com as estações. Quando a temporada da história estava certo,
quando o Império Romano tinha subido para servir como um exemplo vivo,
quando tudo estava no lugar de acordo com o propósito divino, Deus enviou
Seu Filho ao mundo físico com a mensagem de que o Reino
do Céu tinha chegado. Qual era seu propósito em restaurar o
Reino? Não dar-nos uma religião, mas para restaurar a nós o nosso “completo
direitos”, como filhos e filhas do rei.
O Rei do Céu quer filhos e filhas, e não servos.
Religião produz servos. Ele deleita-se com o espírito de servidão. Por favor
Não me entenda mal. Um coração de servo é, como disse Jesus, a chave para
grandeza no Reino de Deus (ver Mateus 20: 26-27.). E ele disse
que Ele mesmo veio para servir e não para ser servido (ver Matt.
20:28). Mas este tipo de serviço deve sempre proceder a partir do lugar
de segurança em nosso conhecimento de que somos filhos e filhas do
Rei e simplesmente estão seguindo seu exemplo. Servidão na reli-
espírito gious, por outro lado, procede de uma sensação de falsa humil-
dade e auto-depreciação, onde se vê a si mesmo e não como um filho ou
filha, mas como um escravo. Filhos e filhas do serviço de ver o Rei
como um privilégio ; pessoas religiosas vêem isso como uma obrigação. e é aí que
reside a diferença. Filhos e filhas servem voluntariamente porque eles
são filhos e filhas. As pessoas religiosas servem a contragosto, porque
Princípios Unido
72

página 73
eles sentem que não têm escolha se eles esperam para ganhar a aprovação do
Rei. Nunca confunda Ser ving com ser um Ser vant .
Jesus veio para que “receber a adoção de filhos.” Este é
linguagem jurídica. Não há um pouco de religião com estas palavras. Eles
consulte legais direitos e benefícios com base na relação de nascimento.
Somos filhos e filhas de Deus. Filiação é nosso direito pela criação.
Cristo não morreu para melhorar a nós; Ele morreu para recuperar e confirmar nós.
O preço que pagou pelo seu sangue não era fazer-nos dignos, mas
para provar nosso valor. Ele não veio à terra para mobilizar um exército de
funcionários. Ele veio restaurar filhos e filhas do rei ao seu
legítimo posição-governo como herdeiros de Seu Reino.
Se somos herdeiros e estão destinados a governar no reino de nosso Pai,
depois, teve melhor aprender a entender o Seu Reino e como ela
opera. É melhor aprender os seus princípios e conceitos. Nós devemos
aprender a pensar, falar e viver como cidadãos do Reino. o
Unido é a mensagem mais importante da nossa idade e a resposta
para o dilema do homem antigo e moderno. De acordo com Jesus
Cristo, todo mundo está tentando todo o possível para encontrá-lo e forçando seu
caminho
pela vida prendê-lo:
Desde aquela época, a boa notícia do reino de Deus é
sendo pregado, e todo mundo está forçando seu caminho para ele
(Lucas 16: 16b).
Todos do mais de seis bilhões de pessoas na Terra estão à procura de
este Unido. Este livro é ajudar você e seu companheiro planeta
moradores de descobrir e entender. Com este fim em mente, o
restantes capítulos deste livro vai examinar os principais conceitos detalhe
do Reino dos Céus.
ENDNOTE
1. Dicionário da Bíblia Ilustrada de Nelson , (Nashville: Thomas
Nelson Publishers, 1986).
O Reino conceito original
73

página 74
PRINCÍPIOS
1. A colonização é sistema do Céu para a influência terrestre.
intenção original 2. de Deus era para estender Sua governos celeste
mento sobre a terra, e Seu plano para realizar esta
foi estabelecer uma colônia do Céu na terra.
3. Por direito criativo, a terra é “terra de coroa.” Do Céu
4. O rei deu ao homem domínio da terra, não a propriedade.
5. Uma colônia é “um grupo de emigrantes ou seus descendentes
que se contentar em uma terra distante, mas permanecem sujeitos à par-
país ent “.
6. Como cidadãos do Céu, que habitam a terra para o pur-
Pose de influenciá-lo com a cultura e os valores de heav-
en e trazê-lo sob o governo do rei de
Céu.
governo 7. de Deus, o governo do Céu, é um
Unido, e Deus é o Rei.
8. Um reino é simplesmente um domínio sobre o qual um rei tem
governança.
9. No Reino de Deus não há assuntos, única cida-
Zens, mas cada cidadão é um rei (ou rainha) em seu
direito próprio.
10. Quando Jesus trouxe o Reino do Céu à Terra, Ele
trouxe também a promessa de restaurar a humanidade a
domínio sobre a terra que Adão e Eva tinham perdido no Éden.
11. O Rei do Céu quer filhos e filhas, e não servos.
12. Jesus veio para que “receber a adoção de filhos.”
Princípios Unido
74
página 75
r
Capítulo quatro
K INGDOM C ONCEITO # 1
U NDERSTANDING O K INGDOM C ONCEITO DE K INGS

Eu n últimos tempos, tem sido uma noção popular para cel-

ebrate a oposição contra monarquias, e muitos


sugeriram mesmo a erradicação do conceito
das monarquias do nosso chamado mundo moderno ou pós-moderno.
levantes populares contra as monarquias remanescentes em nome de
a busca da democracia tornaram-se a mania de auto-pro- de hoje
combatentes da liberdade reivindicadas. Em alguns casos, pode ser
justificável; dentro
muitos dos casos citados, estes reinos estão cheios de contra-
dictions, abuso, opressão, extremos sociais, e admi- ditatorial
istrations. No entanto, também deve ser notado que muitos dos
democracias em nosso mundo de hoje também é atormentado com a mesma
defeitos e deficiências. Em essência, o problema não é o rei,
os reinos, ou até mesmo a forma de governo, mas os defeitos de
a natureza humana que funciona em qualquer um destes sistemas.
No entanto, o conceito reino é o único apresentado, pregou,
promovido, ensinou, e estabelecida por Jesus Cristo durante Sua
ministério. Sua proposta de solução para os problemas da humanidade na terra
é o estabelecimento do Reino do Céu na terra. Como um
De fato, a mensagem da Bíblia e, mais especificamente, a
foco de Jesus não era uma religião ou, para essa matéria, qualquer um dos muitos
75

página 76
assuntos que têm ampliado e muitos têm pregado como “o evangelho”
ou uma boa notícia para o mundo. Por exemplo, Jesus nunca pregou como um
assuntos de mensagens públicas prioritárias, como a fé, prosperidade, dando, deliv-
erance, ou mesmo a sua morte na cruz ou a ressurreição como “o
evangelho.”Mas Ele repetidamente promovido e declarou que“o Reino de
Deus e Céu”como Sua mensagem principal.
Estou bem ciente de que o que eu disse pode ser motivo de muito Rea-
ção, o conflito mental, e resistência religiosa; mas eu gostaria de encorajar
pesquisar e pesquisar os quatro Evangelhos para si mesmo e discov-
er esta realidade surpreendente. Jesus também indicou que esta mensagem do
“Kingdom” seria mensagem Seus discípulos ao seu mundo.
mensagem do Reino de Jesus foi prenunciado no Velho
séculos Testamento antes que Ele nasceu em Belém. Aqui estão dois
exemplos. O primeiro indica a motivação de Deus para entregar o
clãs escravos de Israel da opressão egípcia:
“Agora, se você Me obedecer totalmente e manter o meu pacto, então para fora
de todas as nações você será meu tesouro mais precioso.
Apesar de toda a terra é minha, você será para mim uma
reino de sacerdotes e uma nação santa.”Estas são as palavras
você está a falar com os israelitas (Êxodo 19: 5-6).
No segundo exemplo, vemos a Testamento messiânicas do Antigo
promessa declarado pelo profeta Isaías, indicando fortemente a gover-
aspectos vernamental do mandato Unido:
Para a um menino nos nasceu, um filho nos foi dado, eo gover-
erno está sobre os seus ombros. E Ele será chamado
Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai Eterno,
Príncipe da Paz. Do aumento do seu governo e
paz não haverá fim. Ele reinará no trono de Davi
e no seu reino, estabelecendo e mantendo-a com
juízo e justiça daquele momento em diante e para sempre.
O zelo do Senhor dos exércitos fará isso (Isaías
9: 6-7).
Princípios Unido
76

página 77
A mensagem de Jesus era claramente reino focado e não religiosamente
motivado:
Daquele momento em diante Jesus começou a pregar: “Arrependam-se, para o
reino dos céus está próximo” (Mateus 4:17).
Jesus foi por toda a Galiléia, ensinando nas suas syna-
gogues, pregando as boas novas do reino, e
curando todas as doenças e enfermidades entre o povo
(Matthew 04:23).
Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o reino dos
céu. Bem-aventurados os que choram, porque eles serão
confortado (Matthew 5: 3-4).
Pois eu lhes digo que se a vossa justiça não exceder a
dos fariseus e os doutores da lei, você vai cer-
tainly não entrareis no reino dos céus (Mt 5:20).
Nosso Pai nos céus, santificado seja o seu nome, seu king
dom vem, a tua vontade, assim na terra como no céu
(Matthew 6: 9-B-10).
Mas buscai primeiro o seu reino ea sua justiça, e tudo
estas coisas vos serão dadas a você assim (Mateus 6:33).
Jesus ia passando por todas as cidades e povoados, ensinando nas
sinagogas, pregando as boas novas do reino
e curando todas as doenças e enfermidades (Mateus 9:35).
Como você vai, pregar esta mensagem: “O reino dos céus
está próximo” (Mateus 10: 7).
Unido Conceito # 1
77

página 78
Mas se eu expulso os demônios pelo Espírito de Deus, então o
Reino de Deus já chegou até vós (Mateus 12:28).
Ele respondeu: “O conhecimento dos mistérios do reino
do céu tem sido dado a você, mas não para eles”
(Matthew 13:11).
Quando alguém ouve a mensagem do Reino e
não a entende, vem o Maligno e arrebata
o que foi semeado no seu coração (Mateus 13: 19a).
Jesus disse-lhes outra parábola: “O reino dos céus
É como um homem que semeou boa semente no seu campo” (Mateus
13:24).
Ele lhes contou outra parábola: “O reino dos céus é
como um grão de mostarda que um homem tomou e semeou no seu
campo” (Mateus 13:31).
Ele lhes disse ainda outra parábola: “O reino de heav-
en é semelhante ao fermento que uma mulher tomou e misturou em um grande
quantidade de farinha, até ficar tudo através da massa”
(Matthew 13:33).
O reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido num campo.
Quando um homem encontrou, ele escondeu-o de novo, e, em seguida, em sua
alegria
foi, vendeu tudo que tinha e comprou aquele campo (Mateus
13:44).
Novamente, o reino dos céus é semelhante a um negociante que procuram
pérolas preciosas. Quando encontrou uma pérola de grande valor, foi
distância e vendeu tudo o que tinha e comprou-o (Mateus
13: 45-46).
Princípios Unido
78

página 79
Mais uma vez, o reino dos céus é semelhante a uma rede que foi
deixou para baixo para dentro do lago e pegou todos os tipos de peixes
(Matthew 13:47).
Eu te darei as chaves do reino dos céus; whatev-
er o que ligares na terra será ligado no céu, e que-
sempre que desligares na terra será desligado no céu (Mateus
16:19).
Digo-lhes a verdade, alguns que estão aqui não vai
provarão a morte até que vejam vir o Filho do Homem no seu
reino (Mateus 16:28).
E Ele disse: “Eu vos digo a verdade, a menos que você mudar e
tornardes como crianças, não entrareis no king
dom do céu. Portanto, quem se humilha como
esta criança é o maior no reino dos céus”
(Mt 18: 3-4).
Portanto, o reino dos céus é semelhante a um rei que quer-
ed para acertar as contas com os seus servos (Mateus 18:23).
Porque o reino dos céus é semelhante a um proprietário que saiu
no início da manhã para contratar trabalhadores para a sua vine-
quintal (Matthew 20: 1).
Jesus disse-lhes: “Digo-lhes a verdade, os cobradores de impostos
e as prostitutas estão entrando no reino de Deus
à frente de você” (Mateus 21: 31b).
O reino dos céus é como um rei que preparou um wed-
ding banquete para seu filho. Ele enviou os seus servos a quem
Unido Conceito # 1
79

página 80
tinha sido convidado para o banquete para dizer-lhes para vir, mas
eles se recusaram a vir (Mateus 22: 2-3).
Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, de modo hyp-
ocrites! Você fecha o reino dos céus diante dos homens.
Vocês mesmos não entram, nem vai deixar que aqueles introduzir
que estão tentando (Mateus 23:13).
E este evangelho do reino será pregado no
mundo inteiro, em testemunho a todas as nações, e então o
fim virá (Matthew 24:14).
Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: “Vinde,
que são abençoados por meu Pai; levar a sua herança, a
reino que vos está preparado desde a criação do mundo”
(Matthew 25:34).
Depois disso, Jesus viajou cerca de uma cidade e vila
a outra, pregando as boas novas do reino de
Deus (Lucas 8: 1).
E os enviou a pregar o reino de Deus e
para curar o doente (Lucas 9: 2).
Em seguida, Ele os levou com Ele e eles se retiraram por eles-
eus para uma cidade chamada Betsaida, mas as multidões aprendeu
sobre isso e seguiram-no. Ele acolheu-os e falou
com eles sobre o reino de Deus e curou aqueles que
necessitavam de cura (Lucas 9: 10b-11).
Digo-lhes a verdade, alguns que estão aqui não vai
provarão a morte até que vejam o reino de Deus (Lucas
09:27).
Princípios Unido
80

página 81
Não tenha medo pequeno rebanho, porque vosso Pai tem sido
o prazer de dar-lhe o reino (Lucas 12:32).
E eu conferir-lhe um reino, como meu Pai con-
ferred uma sobre-me (Lucas 22:29).
Jesus disse: “Meu reino não é deste mundo. Se fosse, My
servos lutariam para impedir que a minha prisão pelos judeus. Mas
agora o meu reino não é daqui” (João 18:36).
“Você é um rei, então!”, Disse Pilatos. Jesus respondeu: “Tu
está certo em dizer que eu sou rei. Na verdade, por esse motivo I
nasci, e para isso vim ao mundo, para dar testemunho
a verdade. Todo mundo do lado da verdade ouve a Mim”
(João 18:37).
Meu propósito para o listando todas estas declarações é mostrar e
enfatizar a preocupação Jesus teve com o conceito reino
em vez de uma religião. Nota, em particular, a última afirmação acima,
onde Jesus declara-se um “rei” e não um presidente ou principal
ministro ou prefeito. É por isso que é necessário e essencial que
redescobrir e desejo de entender o Reino como um conceito e
a realidade. É a base do plano de Deus para a humanidade.
O conceito reino ideal original é diferente da terrena
versão, mesmo que ele contém muitos dos mesmos componentes e
conceitos de todos os reinos. Apesar dos muitos reinos falharam
ao longo da história, as questões ainda surgem: Por que Deus escolheu um
reino e não uma república? Por que Deus escolheu um reino e
não é uma democracia ou socialismo? Quais são os benefícios de estar em um
reino sobre uma república democrática ou de um regime comunista? Por quê
é um reino melhor do que uma democracia ou forma socialista de governos
mento? Por que Jesus é um Rei e não um presidente?
Unido Conceito # 1
81

página 82
O que exatamente é um reino? Muito simplesmente, um reino é o gover-
erno de um rei. Mais especificamente, um reino é o soberano
governo e governar influência de um rei sobre o seu território,
impactando-lo com a sua vontade, a sua intenção, e seu propósito, manifestando a
cultura e sociedade refletindo a natureza, valores e moral do rei.
Um reino é o impacto que governa a vontade de um rei sobre um território ou
domínio, a sua influência sobre um povo e um governo liderado por um rei.
Portanto, o coração de qualquer reino é o seu rei. esta defi-
ção descreve perfeitamente a relação de Deus com o celestial
reino. Céu existe por causa da atividade criadora de Deus.
Ao longo de toda sua extensão, que é infundida com a sua presença, char-
Acter, e autoridade. Não há canto do céu, onde é a Sua vontade
não realizado. Em todos os sentidos Deus é a incomparável e inigualável
Rei do céu.
O mesmo aconteceu no reino natural quando Deus estendeu Sua
autoridade Unido para a terra através do homem e da mulher Ele
criou à Sua imagem e liberado para governar em seu nome. eles se rebelaram
contra a autoridade do rei, no entanto, e perderam a sua regência.
Controle do reino terrestre, em seguida, passou temporariamente a um demoníaco
usurpador até o dia em plano soberano do Rei quando seria
restaurado ao seu legítimo governante.
Na plenitude dos tempos, Jesus veio à terra e restabeleceu
o Reino. Porque só um rei pode estabelecer um reino, este ato
por si só revela que Jesus Cristo é o Rei. A Bíblia, o constitucional
ção do Reino dos Céus, não deixa dúvidas quanto à realeza
de Jesus. Talvez a declaração mais clara de tudo é encontrado no dia 18
capítulo do Evangelho de João, onde Jesus, poucas horas antes de Sua
execução por crucificação, tem uma troca reveladora com Pôncio
Pilatos, o governador romano da província da Judéia. falsamente arrest-
ed, ilegalmente tentou, e injustamente condenado por “blasfêmia” pela
autoridades religiosas judaicas em Jerusalém, Jesus agora está diante
Pilatos para julgamento. Pilatos ouviu a acusação de que reivindicações de Jesus
para ser um rei. Então o governador pede ele diretamente:
Princípios Unido
82

página 83
“És tu o rei dos judeus?” ... Jesus disse: “Meu reino
não é deste mundo. Se fosse, os meus servos lutariam para
evitar que a minha prisão pelos judeus. Mas agora o meu reino é
de outro lugar.”‘Você é um rei, então!’, disse Pilatos.
Jesus respondeu: “Você está certo em dizer que eu sou rei. Dentro
verdade, por esta razão nasci e para isto vim ao
o mundo, para dar testemunho da verdade. Todo mundo no lado de
verdade ouve a mim.”‘Que é a verdade?’Pilatos perguntou (John
18: 33b, 36-38).
Jesus disse: “ O meu reino não é deste mundo ”, e “ Meu reino
de outro lugar ,”claramente o que implica que ele era um rei. Ele era
falando do Reino dos Céus. Note que Jesus disse que Sua
Unido não era de ou a partir deste mundo; Ele nunca disse que não era
no mundo. Seu reino na Terra se originou no céu.
Quando Pilatos pressionou ainda mais, Jesus disse claramente, “ eu sou rei .” Ele
em seguida, disse: “ Eu vim ao mundo para dar testemunho da verdade .” Que
verdade?
A verdade que ele era um rei com um Reino. O que poderia ser claro-
er do que isso? Testify é uma palavra usada frequentemente para descrever o que uma
testemunha
faz em um tribunal-testemunhar ou admitindo que o que ele viu ou
ouviu. A palavra original grego empregado aqui tem uma ainda mais profunda
significado. É uma palavra de experimentação do laboratório e
significa para verificar ou validar. Essencialmente, Jesus disse a Pilatos: “Vim
à terra, porque eu sou um rei, e vou prová-lo, colocando-o ao
teste. I dar testemunho da verdade que um rei está aqui, um reino está aqui, e
este Reino está disponível para quem quiser entrar.”
A última coisa que Jesus disse a Pilatos foi: “ Todo mundo no lado de
verdade ouve a Mim .”A tradução mais exata seria:“Todos
no lado da verdade ouve a Mim “. Este é um ponto muito importante
porque tem a ver com “conectar” a mensagem de Jesus.
Onde quer que vá ensinar a mensagem do Reino, acho que
ressoa com pessoas de todas as religiões e estilos de vida. Deus creat-
ed-nos para a realeza-de domínio e dentro de cada um de nós é um latente
consciência reino lutando por expressão. esta consciência
Unido Conceito # 1
83

página 84
revela-se de várias maneiras, como em nossa resistência natural a
sendo governada ou controlada por qualquer outra pessoa e nossa contínua
desejo de controlar as circunstâncias de nossas próprias vidas. Isto é o que
finalmente me ligado a Jesus, quando eu percebi que ele poderia ensinar
me como executar a vida, não deixe a vida correr-me. Eu aprendi que eu podia
controlar
minhas próprias circunstâncias.
A busca de poder é um impulso humano natural. Todos nós procuramos
poder sobre as coisas e sobre as circunstâncias, e que é o que a
Kingdom of Heaven promete. Jesus disse: “Eu vou dar testemunho da verdade
do Reino, e quando você me ouvir, você vai acreditar. Você irá
conectar com o que eu tenho a dizer, porque ele vai entrar em ressonância com o
consciência reino que já está em você.”Nós conectar com o
mensagem do Reino, pois ele aborda o longa mais profunda
ing do nosso coração o nosso desejo de ser reis.
Embora seja natural a desejar poder sobre as coisas e circunstâncias
posturas, desejando poder sobre as pessoas é outra questão. Procurando por
influenciar as pessoas, a opinião pública e políticas públicas por meio king
princípios dom sempre é apropriado, mas perseguindo poder despótico
sobre outras pessoas para ganho pessoal à custa deles é uma corrupção
de nossa busca natural para o poder. Desejando controlar nossa própria vida é
uma Coisa; desejando controlar a vida dos outros é outra.
O REI é central para SEU REINO
Se fomos criados para a realeza, e se Jesus veio à terra para
restaurar o reinado perdemos, e se queremos estar preparados para retomar
nosso lugar de direito como reis, então nós tinha melhor aprender o que significa
para ser um rei e como um rei relaciona-se com o seu reino. Isso é importante
tanto para nos ensinar como pensar, falar e comportar-se como governantes e
por nos ensinar como se relacionar adequadamente a Deus, nosso Rei Supremo. Um
verdadeiro
rei não é um ditador.
A primeira coisa que precisamos entender é que um rei é o cen-
componente tral do seu reino . Um rei encarna a essência da sua
Princípios Unido
84

página 85
reino; o reino é o rei. Sem o rei, não há
reino. A terra e as pessoas podem ainda estar lá, mas a menos
eles são governados por um rei, eles não estão em um reino. Esta é uma pri-
mary distinção entre um reino e um Estado democrático. Em um
a democracia, o líder do país, seja chamado de um presidente ou um
O primeiro-ministro ou o que quer, é não o centro do governo.
A constituição é. Presidentes e primeiros-ministros mudam a cada
alguns anos, mas a Constituição prevê a continuidade da lei e da gover-
erno. Em um reino, o rei é a constituição. Sua palavra é a
lei. Sua palavra é o governo.
Em segundo lugar, um rei é a melhor fonte e somente de autoridade na
o seu reino . No Reino dos Céus, a autoridade de Deus
King é exclusivo e absoluto. Sua palavra é lei e Sua vontade é car-
Ried fora até mesmo para os confins do seu reino. E o reino de Deus
é infinito.
A autoridade única e absoluta do Rei é o que distinguish-
es no Reino dos Céus da religião. As pessoas religiosas dar lábio
serviço para a realeza de Deus, mas, em seguida, virar e debate, pergunta,
e até mesmo alterar suas leis. Por exemplo, o Rei diz que homosex-
comportamento ual é abominável (ver Lev. 18:22), ainda um encontro de
bispos que supostamente honrar a lei do Rei instalar uma forma aberta e
padre ativamente homossexual como um arcebispo! No Reino, o
Palavra do rei é lei . Não é aberto ao debate, discussão, desafio, ou
alteração.
Embora isso possa parecer restritiva ou mesmo despótico a alguém
cresceu em um ambiente democrático, em muitos aspectos, na verdade
alivia muita pressão. Se você estiver sob o Rei e alguém
pede-lhe: “O que você pensa sobre assim e assim?”, você pode adiar para o
autoridade do Rei: “O que eu penso não importa. Sou obrigado a se-
baixo o meu Rei e meu Rei diz isso ...”ou“Eu concordo com o meu Rei, e
isto é o que Ele diz ...”
Em uma democracia, campanha de líderes políticos, negociar, compro-
mise, e consultar as comissões em um esforço para chegar a um consenso para
Unido Conceito # 1
85

página 86
estabelecer leis e políticas. Em um reino, o rei fala ... e
é isso aí; nenhum debate ou pergunta. A autoridade do rei é como o
slogan que começaram a circular anos atrás: “Deus disse isso, eu acredito, e
que resolve a questão “Ainda melhor é a variação:“. Deus disse que e que set-
TLE-lo, se eu acredito ou não.”
Jesus demonstrou essa autoridade real quando disse numer-
vezes ous, “ Você já ouviu falar ... mas eu te dizer ... ” (ver Mat. 5: 21-22,27-
28,33-34,38-39,43-44, ênfase adicionada). O relato bíblico deste
registros de ocasião:
Quando Jesus acabou de dizer estas coisas, as multidões
foram surpreendidos com o Seu ensinamento, porque Ele ensinou como um
quem tem autoridade e não como os mestres da lei
(Matthew 7: 28-29, ênfase adicionada).
Jesus falou e ensinou em sua própria autoridade. Ele não confiar
sobre os pensamentos, ideias, interpretações, nem por tradições dos outros.
Por quê? Porque ele era um rei cuja autoridade era independente
e soberano.
Isto leva a um terceiro ponto de entender sobre um rei: O sov-
ereignty de um rei é inerente a sua autoridade real . As pessoas não o fazem
fazer um soberano rei; ele nasce soberano. Jesus disse a Pilatos que Ele
foi nascido um rei; Ele não recebeu Sua realeza, ou Sua soberana
ty-da mão dos homens. Soberania significa liberdade de externalizar
controlo final. Como soberano, um rei é livre para fazer o que quiser sem
prestação de contas a ninguém no reino. Caso contrário, um rei tem
nenhuma autoridade verdadeira. Ninguém tem autoridade para dizer a Deus o que
fazer.
A soberania de Deus é absoluta. Ele é completamente auto-determinação.
QUATORZE CARACTERÍSTICAS DE UM REI
Um rei é distinto tanto de um líder eleito democraticamente,
como um presidente ou primeiro-ministro, bem como de um ditador em
Princípios Unido
86

página 87
um estado totalitário. A seguir, estão 14 características de um rei que
esclarecer essa distinção.
1. Um rei nunca é votado no poder. Seu poder é inerente
do nascimento. Os líderes democratas são eleitos ao poder;
ditadores totalitários tomar o poder; mas um rei é nascido em
poder.
2. Um rei é rei por direito de nascença. Sua realeza não é con-
conferidos pela homens. Os líderes eleitos governar pela vontade das pes-
pág. Ditadores governar através do medo, repressão e coerção.
Um rei governa porque é nascido para isso. Jesus Cristo foi
nasceu um rei. Não fazê-lo rei; tudo o que podemos fazer é
reconhecer que Ele é Rei.
3. Um rei não pode ser votado fora do poder. Porque a king
dom é sua por nascimento, um rei governa para a vida. A presidente é
votado fora do escritório ou à partida devido aos limites de prazo. A dic-
tator pode ser derrubado por um golpe de Estado ou popular
levante. Reinado, no entanto, é um escritório ao longo da vida. Um humano
rei pode ser destronado pela força ou revolução, mas ele pode
nunca será votado fora. O Rei do Céu reina por sover-
Estrangeiros direito de criação. Ele nunca vai ser votado fora do
poder. Nem ele nunca ser destronado. Lúcifer tentou e
falhou. impérios humanos tentaram e falharam e, em seguida,
caiu-se, como é o destino de todos os regimes que
desafiar sua soberania. Ele era o rei antes que este mundo
começou, e ele ainda será rei depois que ele faleceu.
Na verdade, a Escritura faz esta declaração ousada:
O reino do mundo tornou-se o reino de nosso
Senhor e do Seu Cristo, e Ele reinará para sempre e sempre
(Revelação 11: 15b).
Unido Conceito # 1
87

página 88
Sem atuar tanto do homem na terra ou dos poderes espirituais
da escuridão nunca irá remover o Rei do Céu de
Seu trono.
4. A autoridade de um rei é absoluta. É por isso que ele não é um
presidente ou um primeiro-ministro. Presidentes deve consultar
Congresso e primeiros-ministros, o Parlamento. Se o nobre
ministro das Bahamas toma uma decisão, o Senado pode
discuti-lo, o parlamento pode atacá-lo, a mídia pode
mutilá-lo, e ele pode mudar de idéia. Ditadores, sobre
Por outro lado, embora talvez exercer o poder absoluto
(por um tempo), não possuem legítima autoridade. Isso é por que
eles devem usar força e da repressão para permanecer no poder. Mas
quando um rei fala, ele fala com AUTORIDADE absoluta
autoridade que é inerente à sua soberania.
5. A palavra de um rei é lei. Porque a autoridade de um rei é
absoluto, sua palavra é lei. Ninguém pode contrariar a sua
ordens, negar seus pronunciamentos, deixou de lado sua
decretos, ou alterar os seus estatutos. David, um rei israelita
que amava o Rei do Céu com todo seu coração, tinha essa
a dizer sobre direito seu rei:
A lei do Senhor é perfeita, revivendo a alma. o
preceitos do Senhor são dignos de confiança, e tornam sábios o sim-
pág. Os preceitos do Senhor são retos, e alegram o
coração. Os mandamentos do Senhor são radiantes, dando luz
para os olhos. O temor do Senhor é puro, e permanece para sempre.
Os preceitos do Senhor são verdadeiros e inteiramente direita
EOU ... .Por eles o teu servo é advertido; em mantê-los
há grande recompensa (Salmo 19: 7-9,11).
A palavra do rei é lei. Grande recompensa segue obediência.
A desobediência traz penalidades severas.
Princípios Unido
88

página 89
6. Um rei pessoalmente é dono de tudo em seu domínio.
Presidentes e outros líderes eleitos não possuem seu
países; eles são cidadãos como todos os outros. ditadores
muitas vezes agem como se eles possuem tudo, mas o que quer
eles possuem adquirem por meio de fraude, roubo e corrupção.
Um rei, por outro lado, pessoalmente, é dono de tudo em
seu domínio. Na verdade, um reino é a única forma de gover-
erno, onde o governante é dono de tudo e de todos.
Nas palavras do Rei David, mais uma vez:
A terra é do Senhor, e tudo nele, o mundo,
e todos os que vivem nele (Salmo 24: 1).
O Rei do Céu mesmo declara:
Cada animal da floresta é meu, e o gado em um
milhares de montanhas (Salmo 50:10).
Um rei detém as pessoas, os animais, as plantas, a terra,
eo ar ao redor da terra. Ele possui o valor sob a
Terra-o ouro, a prata, a platina, os diamantes,
etc. Ele é dono do solo e as sementes no solo. Um rei
é dono de tudo em seu território. É por isso que ele é chamado
um senhor. Senhor significa proprietário. Vamos discutir mais sobre isso
conceito no próximo capítulo.
7. decreto do rei é imutável. Em um sistema democrático,
leis pode ser alterado, revisto ou revogado. ditadores
alterar e até mesmo reverter os seus próprios decretos sempre que
lhes convier. Eles renegar sua palavra o tempo todo. Mas um
palavra do rei é lei. Uma vez um rei emite um decreto, não pode
ser alterado.
Daniel, um fiel e temente a Deus judeu no exílio, foi um alto
oficial na corte de Dario, rei medo-persa.
Quando os inimigos de Daniel plotados para destruí-lo, eles
Unido Conceito # 1
89

página 90
persuadido Darius para emitir um decreto que por 30 dias sem
orações ou petições deveriam ser levantada a qualquer deus ou qualquer-
mais ninguém a não ser para o próprio rei. Violadores seria
jogado em uma cova dos leões. Esse decreto era uma “ lei do
Medos e persas, que não pode ser revogada ”(Dan.
6: 8b ARC).
Catching Daniel no ato de orar a Deus em violação
do decreto do rei (como eles sabiam que seria), Daniel de
inimigos levou-o ao rei. Darius estava preso. Até
ele não poderia revogar seu próprio decreto! O rei passou um
atormentado, noite sem dormir, enquanto o seu servo de confiança
Daniel refrigerado seus calcanhares na cova dos leões. O Senhor deliv-
Ered Daniel com segurança, e os seus inimigos acabaram com o
leões vez.
O ponto aqui é que decreto de um rei, uma vez emitida, pode-
não ser desfeita. Os decretos do Rei do Céu são
assim como permanente:
A erva seca e cai a flor, mas a palavra de nosso
Deus permanece para sempre (Isaías 40: 8).
Jesus, o Rei disse:
O céu ea terra passarão, mas as minhas palavras
Nunca passarão (Mateus 24:35).
8. Um rei escolhe quem vai ser um cidadão. Em uma democracia,
os cidadãos escolher seu líder enquanto um sis- totalitário
TEM trata seus “cidadãos” como pouco mais do que as ferramentas do
Estado. Um reino opera no oposto maneira-o
rei escolhe os cidadãos. Porque a sua autoridade é
absoluta, ele determina os padrões de cidadania em
o seu reino. As pessoas não votam para o rei, mas em
Essencialmente, ele vota para eles.
Princípios Unido
90

página 91
Jesus demonstrou isso régia prerrogativa bem quando disse:
aos Seus seguidores mais próximos:
Você não me escolheram, mas eu vos escolhi e vos designei
para ir e dar fruto-fruto que permaneça. Então o Pai
vai lhe dar tudo o que pedirdes em meu nome. Este é meu
comando: Amem-se uns aos outros. Se o mundo vos odeia, mantenha
em mente que ele me odiou primeiro. Se você pertencia ao
mundo, amaria o que era o seu próprio. Como é, você não
pertencem ao mundo, mas eu vos escolhi do
mundo. É por isso que o mundo vos odeia (João 15: 16-19).
Jesus escolheu-los para fora da cidadania no mundo e
os fez cidadãos de seu reino com todos os benefícios de
cidadania. Eles já não pertencia ao reino de
o mundo. Agora, como Jesus, seu reino era de
outro lugar. Jesus faz a mesma coisa hoje para every-
aquele que crê naquele-todo mundo que aceita Sua men-
sábio do Reino.
9. Um rei encarna o governo do seu reino.
Isto significa que sempre que um rei é, toda a sua governos
mento está presente. Sempre que um rei fala, toda a sua gover-
erno está falando. Sempre que um rei se move, o
governo se move com ele, porque ele encarna o
governo; o rei é o governo.
Quando o presidente Bush viaja para o exterior, a autoridade do
Governo dos Estados Unidos viaja com ele porque ele
representa o governo e as pessoas. o governos
mento em si, no entanto, não viajar com ele. Resta
implementado e em funcionamento em Washington. o governos
mento de um rei, por outro lado, é onde o rei
é. Um rei e seu governo são inseparáveis. Isto é
como podemos saber que o Reino dos Céus está em
Unido Conceito # 1
91

página 92
terra; o Reino está aqui, porque o Rei está aqui.
Jesus disse:
... se dois de vós concordarem na terra sobre qualquer coisa que você pedir,
isso será feito por meu Pai no céu. Para onde
dois ou três reunidos em meu nome, ali estou eu no meio
los (Mt 18: 19-20).
e:
... todo o poder no céu e na terra foi dada a
Eu. Portanto ide, fazei discípulos de todas as
nações ... ensinando-os a obedecer a tudo o que tenho com-
manded você. E eis que estou convosco todos os dias, até o
fim da idade (Matthew 28: 18-20).
O Reino do Céu é aqui, porque o Rei de
o céu é aqui nos corações e vidas de seus cidadãos que
preencher sua colônia aqui.
10. presença do rei é a presença de sua autoridade.
Quando um rei mostra-se, a sua plena autoridade está presente. Dele
A autoridade não residir em um lugar ou em um documento; isto
reside em ele pessoalmente. É por isso que os cidadãos de Deus
Unido colônia na Terra pode agir com autoridade real.
Porque o Rei está presente, a Sua autoridade está presente também.
Foi presente autoridade que Jesus tinha em mente quando
Ele disse:
Digo-lhes a verdade, tudo o que ligares na terra será
ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será
desligado no céu (Mateus 18:18).
e:
Princípios Unido
92

página 93
Vou fazer tudo o que pedirdes em meu nome, de modo que o Filho
pode trazer glória ao Pai. Você pode perguntar-me para qualquer-
coisa em meu nome, e eu vou fazê-lo (João 14: 13-14).
cidadãos Unido pode sempre exercer autoridade real
porque o Rei está sempre presente com eles.
11. A riqueza de um rei é medido por sua propriedade. o larg-
er e mais rico em recursos de um reino é, quanto mais rico o
rei, porque o rei é dono de tudo em seu reino.
Ditadores se tornar rico roubando as pessoas.
Democraticamente líderes eleitos podem ou não ser per-
sonally rico, mas eles definitivamente não a sua própria
país. Esta é uma das principais distinções entre um
rei e outros líderes do governo. Reis possuir every-
coisa em seu domínio por direito de nascimento e realeza. Como um
De fato, a propriedade é tão amarrado com identi- de um rei
ty que sem ele um rei não é um rei. Vamos discutir isso
mais profundamente no Capítulo Seis.
Por que é riqueza tão importante em um reino? Então o rei
pode cuidar de seus cidadãos. Um justo e benevolente
O rei não acumular riqueza para si, mas para o wel-
fare de seus cidadãos. É por isso que é apenas em um reino
onde nós realmente encontrar commonwealth ; ou seja, a riqueza é
comum a todas as pessoas.
No reino é maior ou mais rico do que o Reino de
Céu porque abrange tudo o que existe. E não
rei é mais rico do que o Rei do Céu, pois Ele
é dono de tudo em todos os lugares, tanto o natural eo
reinos sobrenaturais. Consequentemente, não cidadãos de qualquer
governo são mais prósperos ou ter maior bem-estar
do que os cidadãos do Reino do Céu, porque todos
a riqueza infinita de que o Reino é a sua comum
riqueza.
Unido Conceito # 1
93

página 94
A prosperidade de 12. Um rei é medido pelo status de sua
cidadãos. Se os cidadãos são pobres, o rei é visto como um
pobre rei. Se os cidadãos são prósperos, no entanto, o
rei é visto como um rei rico. cidadãos ricos fazer uma
orgulhoso rei. É por isso que é importante para um rei para fazer
Certifique-se seu povo prosperar. Jesus nunca pregou prosperidade.
Por que não? Porque a prosperidade é uma questão de Kingdom
o negócio. Qualquer pessoa que se torna um cidadão do Reino
do Céu prospera automaticamente porque o Rei de
o céu é um King-os ricos mais ricos de todos. E ele
é também um rei justo e benevolente que está compro-
ted para o bem-estar máximo e maior de seu povo.
13. nome do rei é a essência de sua autoridade. Um rei
pode delegar autoridade a quem lhe agrada a agir de
seu nome ou por sua conta. Isso geralmente é feito através da emissão
uma “carta do rei”, um édito real assinada pelo rei e
tendo o seu selo oficial que autoriza o portador
agir em sua autoridade. Qualquer pessoa a quem a carta do rei
é apresentado deve tratar o portador como se ele fosse o rei
ele mesmo.
Neemias, outro judeu exilado que foi contemporâneo
de Daniel, foi copeiro do rei persa Artaxerxes.
Ao ouvir que Jerusalém tinha sido destruída, Neemias
desejava ir lá e reconstruir a cidade. Quando o rei
soube do desejo de Neemias, ele concedeu-lhe permissão
ir. Ele também emitiu cartas instruindo o guardião do
floresta do rei para dar Neemias todo o material que ele
necessário e para os governadores de várias províncias
a conceder-lhe uma passagem segura. Neemias levou o rei
nomear e, portanto, sua autoridade (ver Neemias. capítulos
1-2).
Cidadãos do reino dos céus têm a mesma privi-
lege. Jesus, o Rei emitiu cartas do rei a todos os seus
Princípios Unido
94

página 95
pessoas, delegar Sua autoridade a eles. É por isso que o
Novo Testamento diz que os cidadãos Unido estão a orar em
o nome de Jesus. É por isso que Ele prometeu fazer alguma coisa
que pediu em seu nome. Não há nada de religioso
ou misterioso sobre isso. É simplesmente um reino princi-
ple no trabalho. O nome do Rei carrega a mesma autoridade
como o próprio Rei, e todos os que carregam seu nome lata
operar em Sua autoridade.
14. cidadãos de um rei representa a sua glória. qualquer conscien-
cioso rei quer que seus cidadãos para ser feliz, próspero,
e conteúdo porque o seu estatuto e qualidade de vida refletem
nele. Quanto maior a sua prosperidade e bem-estar, o
maior a glória e honra que descansar sobre o rei que
prevê-los tão bem. Cidadãos do Reino de Deus são
suposto mostrar o seu rei é como pela forma como eles
viver, agir, vestir, andar e falar. cidadãos Unido devem
refletir a natureza eo caráter de seu Rei, que está
justo, assim, benevolente, compassivo e cheio de
glória. É por isso que não há pobreza no Reino de
Céu, nenhuma crise econômica, e há escassez. Perguntando
David observou:
O Senhor sustém os justos ... eu era jovem e agora eu
estou velho, mas nunca vi o justo desamparado, nem
sua descendência a mendigar o pão (Salmo 37: 17b, 25).
O Rei do Céu cuida de seus cidadãos.
Apropriar-se das riquezas do Reino dos Céus
significa antes de tudo entendimento de que o rei detém
tudo e nós próprios nada; e, segundo, que ele pode
dar tudo o que Ele quer para quem Ele quer sempre
Ele quer. Este é o conceito reino de senhorio e é
o assunto do próximo capítulo.
Unido Conceito # 1
95

página 96
PRINCÍPIOS
1. Um reino é o governo soberano e governar
influência de um rei sobre o seu território, impactando-lo com
sua vontade, sua intenção, e seu propósito.
2. Na plenitude dos tempos, Jesus veio à terra e
restabelecido o Reino. Porque só um rei pode
estabelecer um reino, este ato por si só revela que Jesus
Cristo é o Rei.
3. Jesus disse que Seu Reino não era do mundo; Ele
nunca disse que não era no mundo.
4. Dentro de cada um de nós é uma consciência reino latente striv-
ing para expressão.
5. Todos nós procuramos poder sobre as coisas e sobre as circunstâncias,
e é isso que o Reino dos Céus promete.
6. Um rei é o componente central do seu reino.
7. Um rei é a melhor fonte e somente de autoridade em sua
reino.
8. A soberania de um rei é inerente à sua real
autoridade.
soberania 9. de Deus é absoluta. Ele é completamente auto
determinando.
Princípios Unido
96

página 97
r
Capítulo Cinco
K INGDOM C ONCEITO # 2
U NDERSTANDING O K INGDOM C ONCEITO DE L ORD

O ne das palavras mais comuns utilizados em escritura é a


palavra senhor . Esta palavra não existe nas democracias,
sociedades socialistas, ou repúblicas, exceto na palavra terrestres
Senhor , em referência a alguém que possui terras. Proprietário é o único com-
mon resto de reinos nos governos modernos e Ocidental
sociedades. No entanto, este conceito de senhor é um dos princi- fundamentais
ples de um reino.
Todo o reino deve ter um rei, mas também é verdade que cada
rei é automaticamente um “senhor”. É essa qualidade de senhorio que distin-
guishes um rei de um presidente, um primeiro-ministro, um prefeito e um
governador. Por uma questão de fato, senhorio de um rei o torna diferente
de qualquer outro tipo de líder humano. Senhorio torna um rei único.
No último capítulo, falamos sobre um rei soberania-how uma
rei é livre de controle externo e ele pode fazer o que pleas-
es com a prestação de contas a ninguém, exceto a si mesmo. soberana de um rei
ty é absoluta. Ele não é nem votado no nem votado fora do poder;
soberania é seu por direito de nascimento. O mesmo é verdade para Senhor- de um rei
navio. Todos os reis são automaticamente senhores.
97

página 98
Então, qual é a diferença entre um rei e um senhor? senhorio é
apenas um aspecto da identidade global de um rei e status, mas é um dos
os mais importantes. Uma maneira de colocá-lo é dizer que o rei diz respeito
ao domínio , enquanto senhor refere-se a domínio . A palavra domínio refere
a autoridade de seu poder de um rei; a palavra domínio refere-se ao ter-
ritório, a propriedade, a área geográfica sobre a qual a sua autoridade
estende. Uma autoridade de rei exercícios (domínio) ao longo de um geo-específica
área gráfica (domínio) e dentro dessa área a sua autoridade é
absoluto.
Sem um domínio não há rei. Um rei é um rei apenas na medida em
ele tem algo para governar. Que bom que ele faz para ter autori-
dade, se você não têm para onde exercê-lo? Nesse caso, você realmente não fazer
ter autoridade. O máximo que você tem é o potencial autoridade. Até você
ter um domínio físico sobre o qual a governar, o seu assim chamado “autori-
tyӎ pouco mais do que a teoria.
Se a palavra senhor se relaciona com o domínio de um rei, então o senhorio de um
rei é amarrado em seu território. Dito de outra forma, se realeza tem
a ver com autoridade, então o senhorio tem a ver com a posse . Deixe-me
explicar. Se um rei deve ter um domínio, a fim de ser um rei, então tudo
verdadeiros reis deve ter e próprio território . Isto é o que chamamos de
princípio senhorio reino. Você não pode ser um rei a não ser que você possui
propriedade. Não é o mesmo simplesmente para exercer poder e autoridade
sobre uma região geográfica. Presidentes fazer isso. primeiros-ministros fazer
aquele. Governadores fazer isso. Mas presidentes, primeiros-ministros e gover-
nors não possuir o território sobre o qual eles governam e mentiras nele
A diferença. Reis possuir pessoalmente o domínio físico sobre
que reinar, e é isso que os torna não apenas reis, mas
Também senhores. Assim o rei e propriedade andam juntos. E a palavra senhor
define a identidade do rei como “dono” de seu domínio.
Como senhor, um rei possui literalmente e legalmente tudo em seu
domínio: as florestas e os prados, as montanhas eo val-
Leys, os rios e os riachos, as colheitas eo gado, mesmo
as pessoas e as casas em que vivem. Tudo em um rei de
domínio pertence a ele . Devido a isso, um rei tem absoluta e
Princípios Unido
98

página 99
controle inquestionável sobre seu domínio. Isso remonta a um
autoridade soberana do rei. Um rei é soberano por direito de nascimento,
mas ele também é soberano por direito de propriedade.
O fato da propriedade exclusiva de um rei de seu domínio carrega uma cou-
ple de implicações significativas que são facilmente perdidos por pessoas que têm
crescido em uma democracia. Em primeiro lugar, e bastante óbvio, é que, se o rei
é dono de tudo, então ninguém no reino possui nada. Em um
verdadeiro reino, não existe tal coisa como propriedade privada.
Cidadãos Unido são mordomos, não proprietários . Eles podem ocupar o
terra; cultivá-la; minar as suas Minerais, minérios e pedras preciosas; construir hous-
es e locais de negócios sobre ele; e leve em todos os outros normais
atividades de comunidades humanas; mas eles fazer tudo isso apenas pela
rei da permissão e boa vontade. Em última análise, tudo pertence
para ele.
Em segundo lugar, se o rei é dono de tudo, ele pode dar qualquer coisa para qualquer-
um a qualquer momento de acordo com sua própria escolha soberana. Em uma demo-
atrevido, se o primeiro-ministro ou o presidente lhe dá propriedade como um
favor pessoal, ele é chamado de corrupção. Mas se um rei lhe dá proprieda-
ty, é chamado de favor real. E ninguém pode questioná-lo ou protestar
porque como proprietário, é sua prerrogativa para fazer o que quiser. Não somente
se um rei que possui a autoridade para distribuir os seus bens a qualquer hora,
em qualquer lugar, a qualquer pessoa, tanto quanto ele deseja, mas ele também pode
alternar
sua propriedade de uma pessoa para outra. Ele pode tomar algo
de uma pessoa e dá-la a você, ou ele pode tomar alguma coisa de
você e dá-lo a outra pessoa.
Porque o domínio de um rei é tão intimamente ligada ao território, a sua
riqueza é medida pelo tamanho e pela riqueza de seu domínio. Isso é
por reis sempre querem expandir seu reino; eles procuram
aumentar a sua riqueza. Pense sobre os britânicos, francês e espanhol
reinos dos últimos cem anos. Os reis daqueles
reinos despachados navios e colônias estabelecidas em todo o mundo.
Por quê? Porque eles queriam para ampliar as fronteiras e encher os cofres
de seus reinos. A maior e mais rico seu domínio, o maior
sua reputação e glória.
Unido Conceito # 2
99

página 100
Rei e Senhor
Embora eu tenha falado sobre senhorio a partir do contexto
de reinos terrenos, tudo o que eu disse até agora aplica-se ainda
maior validade para o Reino dos Céus e seu rei. Nós temos
já vimos que Deus é o Rei dos céus e da terra por direito divino
da criação; Ele é o Rei de todos, porque Ele criou tudo. E porque
cada rei é automaticamente um senhor, o rei de tudo é também o Senhor da
todos; Ele é dono de tudo, porque Ele fez tudo.
A Bíblia, a constituição do Reino dos Céus, claramente
identifica Deus como Rei e Senhor de tudo. Uma das mais comuns
Palavras hebraicas usadas para se referir a Deus no Antigo Testamento é Adonai ,
que significa literalmente proprietário ou proprietário. É normalmente traduzido
“Senhor”. O nome pessoal para Deus, o Senhor, embora difícil de
traduzir com precisão absoluta, carrega a mesma idéia de mestre,
proprietário, ou senhor.
Esta imagem bíblica de Deus como Senhor é reforçada pela
fato de que na maioria das versões da Bíblia, o nome pessoal Yahweh, wherev-
er isso ocorre, é substituído com a palavra “Senhor”. Isto está de acordo com
uma antiga tradição judaica, onde devotos judeus tão respeitado e
honrado o nome de Deus que eles nem sequer falar-lo ou lê-lo
em voz alta para garantir que eles não inadvertidamente violar o Terceiro
Mandamento por abusar seu nome. Em vez disso, eles substituído o
palavra Adonai , ou “Senhor”.
E mais uma vez a verdade é o lar martelado: Deus é o
Senhor ... Deus é o Senhor ... Deus é o Senhor. Esta verdade é reiterada
mesmo na confissão de fé mais simples para um judeu, recitado cada
manhã:
Ouve, ó Israel: O Senhor nosso Deus, o Senhor é um. Ame
o Senhor teu Deus com todo o teu coração e com toda a sua
alma e com toda a sua força (Deuteronômio 6: 4-5).
Princípios Unido
100

página 101
Assim, deste modo os judeus foram lembrados todos os dias que o seu Deus
era proprietário de todos. Isto incluiu o céu ea terra. Um ancestral
poeta hebreu expressa desta forma:
Que vocês sejam abençoados pelo Senhor, o Criador do céu
ea terra . Os mais altos céus pertencem ao Senhor , mas
a terra Ele deu ao homem (Salmo 115: 15-16, enfatiza
sis adicionado).
Como Criador e Proprietário do céu e da terra, Deus poderia dar qualquer
parte dele para quem Ele escolheu. E Ele escolheu para dar a terra para
homem, não o homem esteja proprietário, mas governante / gerente ou
administrador. Aqui
são algumas referências adicionais verificando direitos de Deus para Senhorio
sobre a propriedade da terra;
A terra é do Senhor, e tudo nele, o mundo,
e todos os que nele habitam; pois Ele fundou sobre os mares e
firmou sobre as águas (Salmo 24: 1-2).
Pois Deus é o Rei de toda a terra; Cantai-lhe um salmo
de louvor. Deus reina sobre as nações; Deus está sentado
Seu santo trono. Os nobres das nações montar como o
povo do Deus de Abraão, para os reis da terra
pertencem a Deus; Ele está muito elevado (Salmo 47: 7-9).
E os egípcios saberão que eu sou o Senhor, quando eu
estendo a minha mão contra o Egito e trazer os israelitas
fora dele (Êxodo 7: 5).
Ó Senhor, Senhor nosso, quão admirável é o teu nome em toda a
terra! (Salmo 8: 1a).
Eu disse ao Senhor: “Tu és o meu Senhor; além de você I
não tenho nenhuma coisa boa (Salmo 16: 2).
Unido Conceito # 2
101

página 102
Os pobres comerão e ficará satisfeito; eles que buscam o Senhor
O louvarei-vosso coração viver para sempre! Todos
confins da terra se lembrarão e se converterão ao Senhor, e
todas as famílias das nações se prostrarão diante dele,
para o domínio pertence ao Senhor e Ele governa sobre o
nações (Salmo 22: 26-28).
O Senhor é meu pastor, nada me faltará (Sl
23: 1).
Levantai as vossas cabeças, ó portas; seja levantado, você antiga
portas, que o Rei da glória. Quem é este
Rei da Glória? O Senhor forte e poderoso, o Senhor
poderoso na batalha. Levantai as vossas cabeças, ó portas; levantá-los
-vos, antigos portas, que o Rei da glória possam entrar.
Quem é Ele, o Rei da Glória? O Senhor Todo-Poderoso-Ele é
o Rei da glória (Salmo 24: 7-10).
“Minha é a prata eo ouro são meus”, declara o
Senhor Todo-Poderoso (Ageu 2: 8).
Da mesma forma como o Velho Testamento revela Deus como Rei e
Senhor e Dono de tudo, o Novo Testamento revela Jesus Cristo como
Senhor e Dono de tudo. Em primeiro lugar, como já vimos, Jesus
veio anunciar a chegada e restabelecimento do Reino
do céu na terra, algo que só o próprio Rei poderia fazer.
E porque um rei é automaticamente um senhor, isso significa que Jesus é
Senhor também.
Além disso, a palavra grega mais comum para “Senhor”, kurios , é
aplicado a Jesus repetidamente no Novo Testamento. kurios significa
tendo um poder de. Significa, também, aquele que possui a autoridade final;
mestre. Tudo o que o Antigo Testamento diz a respeito de Deus como Senhor, o
Novo Testamento diz a respeito de Jesus.
Princípios Unido
102

página 103
O Senhorio de Jesus também está por direitos de criação e era natural
resultado de seu papel na criação de todas as coisas visíveis e invisíveis.
Em essência, nós não “fazer” Jesus Senhor; Ele é o Senhor por criativo
direito, quer reconhecê-lo ou não. Em Sua preexistência
antes que Ele veio à terra, Jesus foi identificado como “a Palavra”. Foi
nesta dimensão que Ele era a fonte da criação. Vamos ler o
registro de Sua atividade criadora Isso lhe dá direitos Senhoria:
No princípio, Deus criou os céus ea terra
(Gn 1: 1).
E disse Deus: “Haja luz”, e houve luz
(Gn 1: 3).
No princípio era o Verbo, eo Verbo estava com
Deus, eo Verbo era Deus. Ele estava com Deus no
começando. Por meio dele todas as coisas foram feitas; sem
Ele nada foi feito que tem sido feito (João 1: 1-3).
A Palavra se fez carne e habitou entre nós.
Nós vimos a sua glória, a glória do One and Only,
que veio do Pai, cheio de graça e de verdade (João
01:14).
Mas nestes últimos dias Ele nos falou pelo Filho,
a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, e por quem
Ele fez o universo. O Filho é o resplendor de Deus
glória ea expressão exata do seu ser, sustentabilidade
ing todas as coisas por sua palavra poderosa (Hebreus 1: 2-3a).
Aqui é ampla evidência de que Jesus como o Verbo eterno foi
responsável pela criação do universo e para sustentá-lo.
Unido Conceito # 2
103

página 104
Uma história familiar sobre Jesus impulsiona este ponto em casa. Apenas um
semana antes de sua morte, Jesus estava se preparando para entrar em Jerusalém, mas
Ele pretendia fazê-lo de uma maneira muito específica.
Quando se aproximaram de Jerusalém e chegaram a Betfagé
e de Betânia, no Monte das Oliveiras, Jesus enviou dois dos seus
discípulos, dizendo-lhes: “Ide à aldeia antes de você,
e assim como você entra, você vai encontrar um jumentinho preso lá,
qual ninguém jamais montou. Desatá-lo e trazê-lo aqui.
Se alguém vos perguntar: 'Por que você está fazendo isso?' diga à ele,
'O Senhor precisa dele e enviá-lo de volta aqui em breve.”
Eles foram e acharam o jumentinho fora na rua, amarrada em um
porta. Como eles desamarrou-lo, algumas pessoas de pé ali
perguntou: “O que você está fazendo, desamarrando o jumentinho?” Eles
respondeu como Jesus lhes disse para, e as pessoas deixam
-los ir (Marcos 11: 1-6).
Nesta história, Jesus agiu em Sua autoridade como Senhor. Não há
indicação de que ele tinha previamente combinado com o proprietário do potro
ou que Ele pediu permissão de ninguém. Como Senhor de tudo, Ele possuía o
colt qualquer maneira. Jesus apenas disse aos discípulos: “Traga-me o jumentinho.”
Quando
desafiado, todos os discípulos tinha a dizer foi: “O Senhor precisa dele.” Isso
foi o suficiente; os proprietários lançado o jumentinho.
Naqueles dias, os animais, como o jumentinho foram comoditização valiosa
laços como bestas de carga e como transporte. Eles eram como um carro
é para nós hoje. Então desamarrando o jumentinho era pouca coisa. O moderno
dia equivalente seria como se Jesus tivesse dito: “Vá até a esquina,
onde você vai encontrar um cupê esporte Mercedes prata nova. o
chaves já estão nele. Trazê-lo aqui para mim.”No final, uma palavra de
o proprietário do potro era tudo o que era necessário. O gerente / stew-
ard do potro deixá-lo ir.
Outra passagem do Novo Testamento também apresenta Jesus claramente como
Senhor de todos. É encontrado em uma carta escrita por Paul, o Reino de
Princípios Unido
104

página 105
O embaixador do Céu para os gentios, para cidadãos do Reino na cidade
de Filipos:
Sua atitude deve ser a mesma que a de Cristo Jesus:
que, sendo em forma de Deus, não considerou a igualdade
com Deus algo que deve ser aproveitada, mas a si mesmo
nada, tomando a forma de servo, fazendo-se
se semelhante aos homens. E, sendo encontrado na aparência como um
homem, humilhou-se e tornou-se obediente a
morte, e morte de cruz! Por isso Deus O exaltou
ao lugar mais alto e lhe deu o nome que está acima
de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho
curvar, no céu e na terra e debaixo da terra, e
toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor , para o
glória de Deus Pai (Filipenses 2: 5-11).
Jesus Cristo é Rei e Senhor de tudo.
Vivendo sob um senhor
É o aspecto senhorio de um reino que faz viver em uma king
dom melhor do que uma república ou qualquer outra forma de adminis- tração
nacional
ção ou governo. Senhorio em um reino protege a cidadania
da concorrência com os seus concidadãos por recursos nacionais. isto
destrói tais elementos como o ciúme, medo, engano e açambarcamento. Em um
verdadeiro reino, o senhor é dono de todos os recursos e distribui o mesmo
como ele determina. Sempre que ele dá recursos para um cidadão, é
nunca por propriedade, mas para mordomia. Submissão a um rei como
senhor posiciona o cidadão a receber do rei.
Do ponto de vista reino, então, a confes- mais importante
Sion qualquer um de nós poderia fazer é declarar, “Jesus Cristo é o Senhor.”
Embaixador Paul declarou isso explicitamente em sua carta aos crentes em
Roma quando escreveu:
Unido Conceito # 2
105

página 106
Se você confessar com a sua boca, “Jesus é o Senhor”, e acredita
em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos,
será salvo (Romanos 10: 9).
Por “salvo”, Paul significa redimido, comprou de volta, salvou,
restaurado a partir da alienação de nossa rebelião contra Deus
Rei em um relacionamento correto com Ele. A afirmação fundamental no que
processo é o nosso reconhecimento de que Jesus é o Senhor de tudo,
incluindo nossas vidas e nosso destino.
Mas se dissermos: “Jesus é o Senhor”, o que isso significa na prática
termos? O que significa viver sob um “senhor”? A única expe-
ence maioria dos ocidentais têm com um senhor de qualquer tipo é com um senhorio.
Se você agora vivem ou já viveram na propriedade alugado, você sabe que
o proprietário é o dono da terra (ou representação direta do latifundiário
tiva que exerce a autoridade do proprietário, o que equivale ao
mesma coisa), a pessoa que você paga aluguel para e para quem você é
responsável pela maneira como você trata sua propriedade. Por quê? Porque você
não possuir a propriedade; a terra senhor faz.
Lidar com um senhorio fornece uma pequena amostra do que seria
ser como viver toda a sua vida sob um senhor. Se você disser: “Jesus é o Senhor”
você está reconhecendo a Sua autoridade sobre você, assim como o seu
responsabilidade de obedecer-Lhe. Não existe tal coisa como senhorio com-
a obediência. Se Ele é o Senhor, você não pode dizer: “Senhor ... mas,” ou
“Senhor ... exceto,” ou “Senhor ... esperar.” Se Ele é o Senhor, a única coisa que você
pode
dizer é: “Senhor ... sim.”
O próprio Jesus reiterou esta verdade em todo o Seu ministério público:
Se alguém quer vir após mim, renuncie a si mesmo e
tomar a sua cruz e segue-Me (Lucas 9: 23b).
Quem ama seu pai ou sua mãe mais que a mim, é
não digno de Me; quem ama seu filho ou filha
mais do que a mim não é digno de Me; e quem faz
Princípios Unido
106

página 107
não toma a sua cruz e siga-me, não é digno de mim
(Mt 10: 37-38).
Outro discípulo lhe disse: “Senhor, primeiro deixe-me ir e
enterrar meu pai.”Mas Jesus lhe disse:“Siga-me, e deixe
os mortos enterrem seus próprios mortos” (Mateus 8: 21-22).
Se Jesus é o Senhor, Ele deve receber a primeira prioridade em sua vida. Ele é
acima de qualquer outro amor e todos os outros lealdade. Ele está acima de todo
objetivo, sonho e ambição. Você não pode ser um discípulo e dizer: “Senhor,
primeiro deixe-me ...”Ele deve ser o primeiro ... em tudo . Caso contrário, ele não é
verdadeiramente o Senhor de sua vida, independentemente do que você diz. Jesus
disse:
Por que você me chama de “Senhor, Senhor”, e não fazer o que eu
dizer? (Lucas 6:46).
Você não pode chamá-lo Senhor e, em seguida, começar a fazer desculpas para não
obedecê-lo. Você não pode alegar que Ele é dono de você e, em seguida, vá em frente
e fazer o que quiser. No Reino do Céu não existe
tal coisa como um “cidadão fim de semana.” Você não segui-lo uma vez
e não outra, dependendo de sua preferência. Se Jesus é o Senhor, você
não pode viver para Ele no domingo e para si mesmo o resto da semana.
Jesus é ou Senhor de todos, ou Ele não é o Senhor de todos. O Senhorio de
Cristo é uma proposta 24/7. Não há nenhuma outra agenda.
Vivendo sob um Senhor também significa desistir de todos os conceitos de pessoa-
propriedade al. Isso não significa que você tem que vender a sua casa ou vender
seu carro ou doar todos os seus pertences pessoais. Isso significa
aprender a não ter uma visão exclusiva para essas coisas. o
Rei do Céu é um Senhor justo e benevolente que graciosamente
nos permite usar e totalmente apropriado Suas riquezas e recursos e
todas as coisas boas. Esse é um dos nossos direitos como cidadãos do Reino. Nós
pode desfrutar de todas estas coisas sem medida, enquanto nós lem-
ber a quem pertencem. O momento em que começamos a pensar que eles pertencem
para nós, no entanto, nós nos propusemos para o problema. Se pensarmos
proprietário-
navio é nossa, nós nos fazemos um senhor. Isto leva-nos para fora do alinhamento
Unido Conceito # 2
107

página 108
com a vontade e caráter do Rei, porque no Seu Reino
só pode haver um só Senhor.
O que acontece quando pensamos em nós mesmos como proprietários? Na nossa
cultura cão come cão significa que nós sentimos que temos que lutar por aquilo que
obter, acumular o que temos, e guardá-lo com ansiedade do medo que às
um vai tirá-lo. E os nossos vizinhos fazer a mesma coisa. Vivemos
com medo de crises econômicas, inflação, redução do tamanho, e nunca
Tendo suficiente. Isto é não Kingdom pensando!
No Reino dos Céus, não há crise econômica e há
há escassez. Com um rei que é dono de tudo, como poderia
haver? Quando abandonamos o nosso senso de propriedade e reco-
borda Deus como o proprietário e nós mesmos como mordomos, que nos alivia de
a pressão de ter que se preocupar sobre como estamos indo para torná-lo
porque agora estamos dependendo dele para o nosso bem-estar. E Ele é um
benevolente e generoso Senhor dos infinitos recursos.
Renunciando a propriedade, em seguida, também nos coloca na posição de
pleno acesso a esses recursos. À medida que aprender a dar e receber e
transferência na sua vontade, ele compartilha conosco livremente e em
abundância. Mas um
hoarding senso de propriedade pessoal que grita: “Meu!” nos cortes
off a partir desses mesmos recursos. Qual posição seria você , em vez
estar em?
Deixando de propriedade pessoal também nutre e libera uma
espírito generoso dentro de nós. Se nós somos apenas mordomos e não proprietários,
nós podemos dar livremente como o Senhor tem dado livremente para nós, sabendo
que
Ele, que não tem limitações, pode substituir o que nós damos aos outros. Dele
reputação como Rei e Senhor cavalga sobre o quão bem ele tem cuidado de Sua Cit-
izens e Ele lhe dará um cuidado especial para os cidadãos que refletem Sua
caráter, dando como Ele dá.
Por uma questão de fato, o melhor momento para dar é quando as coisas estão
apertadas
pessoalmente, porque é quando você reconhece que Ele é dono mesmo
o que você não tem. O maior sinal de que você realmente acredito que
Jesus é o Senhor é por quanto você está disposto a se livrar. Você tem
Aprendi a viver sob um Senhor quando você pode dar livremente sem
Princípios Unido
108
página 109
hesitação, se arrepender, ou medo e dizer ao Senhor de tudo com um alegre e
espírito voluntário “É toda sua! É todo seu!"
Sete pontos em resumo
Em resumo, aqui estão sete princípios fundamentais do senhorio.
1. Um rei pessoalmente é dono de tudo em seu domínio. Lá
não é propriedade privada em um reino. Tudo
pertence ao rei.
2. O uso de qualquer coisa em um reino é um privilégio. Se o rei
é dono de tudo, então qualquer coisa naquele reino que
uso não é por direito mas por um privilégio concedido pelo rei.
3. Um rei pode dar ou distribuir qualquer coisa a qualquer um em sua
reino. Por quê? Porque ele possui. Ele pode mudar as coisas
em torno de qualquer maneira que ele agrada. É por isso que precisamos manter
em “nossas” posses de ânimo leve. Eles realmente não são nossos.
Às vezes, o Rei irá testar-nos, dizendo-nos a desistir
algo que Ele nos deu. Nossa resposta de obediência ou
desobediência-revelará ou não realmente
creio que Ele é o Senhor. Se obedecermos, mostramos que acreditamos
Ele é dono de tudo e que ele não só pode substituir
o que damos, mas mesmo multiplicá-lo.
4. Apresentação de domínio de um rei significa que não temos
direito de nós mesmos. É por isso que a maior nós confissão
nunca pode fazer é a confissão, “Jesus Cristo é o Senhor.”
No momento em que disse essas palavras, estamos reconhecendo
que não temos mais direito à nossa própria vida; Isso agora
pertence a Cristo. Temos de colocar-nos de bom grado sob
Seu controle e direção e estão à sua disposição. Ele
pode ajudar a si mesmo para as nossas vidas a qualquer hora que quiser.
Unido Conceito # 2
109

página 110
5. A obediência é o reconhecimento do senhorio. Quando nós
obedecer ao Rei, estamos simplesmente dizendo-lhe: “Você está
Senhor e minha vida é sua. Seu desejo é uma ordem."
6. Ação de Graças é um reconhecimento do Rei do
Senhoria. gratidão diária de comida, água, roupas,
abrigo e outras necessidades diárias revela que acreditamos que
o rei detém todos e é a fonte de tudo o que temos.
7. A palavra “Senhor” nunca pode ser usado com a palavra “mas”.
Essas duas palavras são impossíveis juntos. Não podemos dizer,
“Eu te amo, Senhor, mas ...” ou então Ele não é o Senhor. Nós podemos-
não reivindica como Senhor e, em seguida, fazer desculpas para não
obedecê-lo. A única palavra apropriada para ir com
“Senhor” é “Sim!” Ou Ele é o Senhor de todos, ou Ele não é o Senhor
em todos.
Princípios Unido
110

página 111
PRINCÍPIOS
1. Todos os reis são automaticamente senhores.
2. realeza tem a ver com autoridade; senhorio tem a ver
com a posse.
3. Todos os verdadeiros reis deve ter e próprio território.
4. Como senhor, um rei, literalmente, e legalmente é dono de tudo em sua
domínio.
5. Se o rei é dono de tudo, então ninguém no reino
possui nada.
6. Se o rei é dono de tudo, ele pode dar qualquer coisa para qualquer-
um a qualquer momento de acordo com sua própria escolha soberana.
riqueza 7. do rei é medida pelo tamanho e riqueza de
seu domínio.
8. Deus, o Rei do Céu, é Rei e Senhor de tudo.
9. Jesus Cristo é Rei e Senhor de tudo.
10. A confissão mais importante que qualquer um de nós poderia sempre
fazer é declarar, “Jesus Cristo é o Senhor.”
11. Não existe tal coisa como senhorio sem obediência.
12. Se Jesus é o Senhor, Ele deve receber a primeira prioridade em sua vida.
13. Jesus é ou Senhor de todos, ou Ele não é o Senhor de todos.
14. Vivendo sob um Senhor também significa abrir mão de todos os conceitos de
propriedade pessoal.
15. No Reino dos Céus, não há crise econômica
e não há escassez.
Unido Conceito # 2
111

página 112
16. posse abrir mão nos coloca na posição de completo
acesso a todos os recursos do Céu.
17. Deixando de propriedade pessoal também nutre e
libera um espírito generoso dentro de nós.
Princípios Unido
112

página 113
r
Capítulo seis
K INGDOM C ONCEITO # 3
U NDERSTANDING O K INGDOM C ONCEITO DE T ERRITORY

T ele essência de um reino é propriedade. Terra ou prop-

erty é a validação de um rei. Terra ou a propriedade


define um rei ou rainha e dá-lhe direito a
afirmam reinado. Lembre-se que a primeira coisa que Deus criou na
criação narrativa era propriedade ... a terra. Terra foi criada antes
a humanidade foi formada porque era necessário para o homem
ser um governante legítimo. O homem foi criado para dominar, e é impos-
sível a dominar nada.
Assim, o mandato de Deus a Adão era para ser rei sobre um prop-
erty. Todo o reino deve ter território. A palavra reino deriva
da frase “domínio rei.” Domínio refere-se à propriedade, o
território sobre o qual um rei exerce o seu domínio. A “reino”
então, é um “território do rei.” Sem território, um rei não é um rei
porque ele não tem nada para governar. Você não pode ser “rei” mais
nada.
Deixe-me dar um exemplo da história. A “descoberta” do
novo mundo por Cristóvão Colombo em 1492 desencadeou uma onda de West-
expansão ala ao longo dos próximos séculos. A grande marítima
impérios da Europa como Inglaterra, França, Holanda, Espanha e
113
página 114
Portugal todos competiram para um novo território no hemisfério ocidental.
Foi, de fato, os monarcas portugueses Fernando e Isabel, que
patrocinado e financiado viagem épica de Colombo.
Portugal focou a maior parte de sua atenção na América do Sul e
finalmente reivindicou a área que hoje compreende a nação do Brasil.
Por muitos anos o Brasil era uma colônia e uma posse de Portugal.
É por isso que até hoje os brasileiros falam Português. É um legado de
seus anos sob influência e controle Português.
A história diz que o filho do rei de Portugal disse ao seu
pai, “eu quero ser rei.”
“Bem”, o rei respondeu: “você não pode ser.”
"Por que não?"
“Eu sou o rei de Portugal, e estamos em Portugal. Você não pode ser
rei, porque eu ainda estou vivo. Quando eu morrer, então você vai ser rei.”
“Mas eu quero ser rei agora”, disse o príncipe. “Eu não quero esperar
tanto tempo.”
Então o rei de Portugal enviado seu filho para a América do Sul e
fizeram rei sobre o território do Brasil. O filho era soberano na
Brasil, mas governou como regente com seu pai, o rei do
império português, que incluiu o Brasil. Sempre que o pai vis
ited seu filho no Brasil, o filho tornou-se o príncipe novamente até sua
pai deixou. Então o príncipe foi novamente rei. Sempre que o filho visitar-
ed seu pai, em Portugal, ele voltou a ser o príncipe até que ele
voltou ao seu próprio domínio. Se o filho queria governar como rei, que era
melhor para ele ficar longe de seu pai.
Isso é como reinos trabalhar. Todos os reinos tem território, mas
só pode haver um soberano para dominá-lo. Mais do que se faz
não significa regra dividido; isso significa revolta.
Esta imagem também ilustra a relação entre Deus, o
Rei do Céu, eo homem, seu regente na terra. Porque Deus é um
King, e porque um reino é um país governado por um rei e deve
portanto, território, podemos tirar a conclusão de que o Céu é
Princípios Unido
114
página 115
um lugar . Não é uma ideia nebulosa, mística da mente do homem.
O céu é um verdadeiro Unido com um governo real. O fato de que a sua
reino primária abrange a dimensão espiritual da criação faz
não a torna menos real.
Mas o reino do Reino dos Céus também leva na natu-
mundo ral. Deus concebido dessa forma quando Ele criou a terra e
então o homem formado à sua imagem para governar por ele. o
seqüência de eventos aqui é muito importante. Deus imaginou homem
ser um rei em seu próprio direito, mas um rei não é um rei a menos que tenha ter-
ritório sobre o qual a governar. Então, Deus preparou o território primeira-o
-terra e em seguida trazido homem. Deus colocou o homem na terra
e lhe disse: “Eu estou dando-lhe domínio sobre este domínio físico.
Você tem autoridade sobre cada acre de terra e mar e sobre todos os
criatura que habita a terra. Governá-lo livremente como Minha represen- legal
sentante.”
Deus não quer vir aqui onde estamos, pessoalmente, de modo
que podemos manter a nossa autoridade como reis terrestres. É também por isso
Jesus não está ansiosa para nós para ir para o país invisível do Céu
porque quando o fazemos, estamos reduzidos a príncipes e princesas. Ele
orou para que nós não seria retirado do mundo, mas ser mantido nele
mas longe do mal. A terra é a chave do homem ao poder e domínio
seu único território legal para governar.
Uma revisão cuidadosa do modelo de oração de nosso Senhor Jesus revela
que identifica especificamente o local do Pai e Rei de
Céu: “ Pai nosso que está no céu .... ”Sua localização é a chave para
nosso poder e autoridade na terra. Se Ele vem à terra, perdemos nossa
posição privilegiada. A humanidade foi concebido para servir como pessoa jurídica
regência de reis representando seu pai, o Rei do Céu, em
a colônia chamada terra.
Como o príncipe Português na história acima, o homem era sover-
Estrangeiros no âmbito do seu próprio domínio, mas reconheceu
soberania definitiva de Deus sobre toda por direito de criação e proprietário-
navio. Esse arranjo ideal foi quebrado, no entanto, quando o homem
Unido Conceito # 3
115
página 116
se rebelou contra Deus, abdicou sua regência, e passou o controle da
o seu reino para um usurpador demoníaca, um anjo caído que não tinha nenhum
direito ou
autoridade para tomá-lo.
O propósito de Deus é imutável. Ele criou o homem para governar, e
-lo imediatamente colocado em movimento Seu plano para restituir ao homem a
Unido que havia perdido. A Bíblia estabelece um registro detalhado da his-
-histórica desenrolar do plano de Deus. Na plenitude dos tempos, quando every-
coisa estava no lugar, Jesus Cristo, o Filho de Deus, nasceu em
carne humana e apareceu aos homens, dizendo: “ Arrependei-vos [mudar a sua
mente], pois o Reino dos céus está próximo [ou chegou]”(Matt.
4: 17b). O Filho de Deus veio para obter o Reino de volta para o homem. Ele
veio como um ser humano porque a terra é dada por Deus de domínio do homem, e
apenas uma humano tem a autoridade legal para governá-lo diretamente.
SETE UNIDO PRINCÍPIOS DO TERRITÓRIO
Território é vital para um reino porque sem território não
reino pode existir. É por isso que um rei está sempre interessado em Expansível
ing seu território. Por que é um território tão importante? Por que não
ser um reino sem ele? Aqui estão sete razões.
1. Nenhum rei pode governar nada. Um rei é um governante, que por def-
Inition requer um domínio para governar. Nenhum domínio, nenhuma
régua; nenhum governante, nenhum rei. É por isso que Deus fez a terra
antes que Ele fez o homem; o homem não poderia ser um rei até que ele
tinha um domínio. Quando Deus se propôs a estabelecer o Seu
Reino, Ele começou criando território: “ No iní-
ning Deus criou os céus ea terra ”(Gênesis 1: 1).
Primeiro, ele criou o Céu, Seu território, e então Ele cria-
ated terra, território do homem. Aquele homem maneira poderia ser um rei
como o seu Criador.
2. Não há reino sem um domínio. Porque é que o terri-
tory de um rei chamou seu domínio? Porque ele domina
Princípios Unido
116

página 117
isto. Um território dominado por um rei é chamado de seu “rei
domínio “, que é onde nós temos a palavra‘reino’.
3. A essência de um reino é o direito, o poder, ea
autoridade do rei de exercer soberania total sobre
um domínio. Em outras palavras, um verdadeiro reino é aquele em que
o rei tem o direito de governar. Direitos são muito importantes
porque eles são a base para a autoridade. Deus tem o
direito de governar o universo. Por quê? Porque Ele o criou.
Dentro de seu Reino de Deus pode fazer o que quiser
porque seus direitos como rei dar-lhe poder absoluto e
Power Authority-infinita e autoridade porque a Sua
Unido é infinito.
4. O coração do conceito reino é de domínio rei. o
domínio do rei é a chave para o seu reino, porque a
ser um rei, ele tem que ter algum domínio para governar.
5. Um rei não é um rei sem um domínio. Eu já disse
isso, mas vale a pena repetir porque muitas pessoas que
não têm noção reino tem dificuldade para entender
a conexão entre um rei e seu domínio. Quando
o Xá do Irão foi deposto por fundamentalista islâmico
revolucionários em 1979, ele fugiu para outro país.
Embora ele ainda era chamado o xá (a palavra iraniana
para o rei), foi principalmente uma cortesia. Na realidade, ele não era
mais um rei, porque ele já não tinha um domínio. Ele era
um rei no exílio . Você não pode ser um rei sem território.
É por isso que Cristo teve que vir à Terra para obter nossa terra
ly reino de volta. Estamos suposto ser governantes, mas com-
a nossa território não podemos cumprir nosso destino.
6. A riqueza de domínio de um rei define seu valor. Nós
toquei neste no último capítulo. Território é importante
a um rei, porque quanto mais território que ele tem, mais rico ele
é. Um rei é tão rico como o seu domínio. E como vamos
Unido Conceito # 3
117

página 118
mais tarde, território-imobiliário-é importante porque
é a única forma de riqueza terrena que nunca perde o seu
valor.
7. A perda de um domínio é a perda de um reino. Novamente, o
Xá do Irã é um bom exemplo. Assim que ele perdeu sua
domínio ele já não era um rei exceto no nome. Outro
nobre exemplo é Adam. Quando Adão, o rei do
terra, se rebelou contra Deus, o Grande Rei do Céu, ele
perdeu seu reino e, com ela, o seu lugar como rei.
A Bíblia diz que Jesus Cristo é o “segundo Adão”
que veio para restaurar o que o primeiro Adão perdeu. Porque
Jesus restaurou o Reino, todos os que são cidadãos do
Reino dos céus pode agora ser reis e rainhas do
reino terrestre novamente. O que isso significa na prática
termos? Isto significa que podemos controlar nossas circunstâncias e
nosso domínio em vez de eles nos controlar. O bom
novas do Reino”que Jesus pregou não é apenas isso
podemos ter nossos pecados perdoados e tornar-se alinhado com o botão direito
ly com Deus, embora estes são absolutamente essenciais; a
boa notícia é também o fato de que podemos ter o nosso Unido
costas!
Cinco princípios de TERRESTRE autoridade do homem
O nosso destino como seres humanos é embrulhado em terra. Deus creat-
ed-nos a ser reis sobre o reino terrestre, e Ele não vai descansar até que
estamos totalmente restaurado ao nosso lugar de direito. Quero compartilhar com
você
cinco princípios que ajudam a explicar a base da nossa autoridade na terra
como Deus pretendia que fosse.
1. A primeira coisa que Deus deu ao homem era território. Ele não fez
dar ao homem uma religião ou regras a seguir. Ele lhe deu uma terra.
Antes que o homem pudesse ser o rei Deus o criou para ser, ele
tinha que ter um domínio rei para governar.
Princípios Unido
118

página 119
2. A Terra foi criada para dar ao homem reinado legitimidade.
Deus nos deu a terra para que o nosso reinado seria
legal. Ele fez Adão um rei e ele fez Eve uma rainha
igual a Adão em todos os sentidos. A regência da terra
pertence a homens e mulheres. Minha esposa é meu parceiro
na regência. Ela não me servem. Nós dominamos o
Terra juntos em nome do nosso governo do Céu.
3. O domínio da terra é um direito legal, poder da humanidade, e
autoridade do governo. Quando Deus disse: “Deixe -os ter
domínio,”Ele transferiu os direitos legais à terra para
nos. Ele não disse: “Deixe -nos ter domínio”, incluindo
Si mesmo, porque ele já tinha o seu domínio em heav-
en. Ele disse: “Deixe-os ter domínio sobre esse território
chamado Terra. Vou governar o céu; Os meus filhos estão indo
para governar a terra. Eu vou ser o Rei do céu; eles estão
vai ser o rei da terra. Eu vou ser Soberano
do céu; eles estão indo para ser soberano da terra.”O
domínio da terra é o nosso direito legal. Nós temos o direito de ser
aqui e Deus nos deu esse direito. Tantos crentes olhar
encaminhar para ir para o céu, mas estou ansioso para vir
volta para governar a “nova terra” que Deus moda quando
esta terra passa longe! (Ver Rev. 21: 1). O céu é bom,
e será um lugar glorioso, mas em última análise não é
onde nós pertencemos. No céu não temos autoridade legal para
regra; é o domínio de Deus. Fomos feitos para a terra, e
que é onde o nosso lugar de domínio será na vida
venha.
4. “Que eles” são as palavras-chave na transferência de autoridade
de Deus ao homem. Deus delegado autoridade para nós, porque
Ele quer que experimentemos regência. Ele quer que
sabe o que é gostar de estar no comando.
5. reinado do homem é pelo privilégio, não por direito criativo. Deus
controla o domínio porque Ele o criou. Ele governa por
Unido Conceito # 3
119

página 120
direitos criativos. Nós governamos por causa do privilégio. Nós estamos
reis por delegação, não pela criação. Deus nos deu ruler-
navio, mas não a propriedade. Mas o nosso governo “charter”
inclui um senso de propriedade, porque Ele nos deu sover-
eignty dentro de nosso domínio terrestre.
Ligar e desligar
Esta transferência de autoridade governa a terra de Deus ao homem
tem implicações importantes para todos nós em relação à nossa circunstâncias diária
posturas e nossa relação com a nossa sociedade e cultura. Portanto, ele
É importante que o entendemos. Deus nos deu autoridade sobre
a Terra. Isso significa que estamos no comando . Tudo o que dissermos vai. este
nos dá muita liberdade para fazer o que quisermos dentro do nosso domínio.
Mas isso também significa que não podemos culpar a Deus por tudo o que acontece
errado, mas isso é exatamente o que fazemos. “Por que Deus permite tanta
sofrimento no mundo? Por que Deus não acabar com o mal? Por quê
que Ele permite doença, a continuar? Será que ele não se importa? Por que não
Deus fazer alguma coisa?”
Por que Deus não intervém? Porque este não é o seu domínio. Ele
não vai intervir nos assuntos deste domínio terrestre sem a
permissão daqueles que possuem autoridade domínio aqui. E quem
detém autoridade domínio? Todo ser humano na Terra que é um Cit-
Izen do Reino dos Céus. Deus não é o culpado por maldade humana
e sofrimento. Trouxemos estas coisas sobre nós mesmos por nossa própria auto
ishness e espírito rebelde. Deus quer ajudar, mas não vai intervir
a não ser convidado a fazê-lo por cidadãos do Reino que conhecem seu domin-
autoridade ion. Através da oração, convidamos Deus para agir em nosso domínio.
Isto é o que Jesus quis dizer quando disse:
Digo-lhes a verdade, tudo o que ligares na terra será
ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será
desligado no céu (Mateus 18:18).
Princípios Unido
120

página 121
Muitos crentes foram ensinados que este versículo lida com bind-
ing e perder espíritos demoníacos. Não tem nada a ver com demônios.
Jesus está usando uma linguagem Unido. Para “ligar” significa para trancar ou pro-
HiBit; a “solta” significa para desbloquear ou autorização. Na terra nós temos
autoridade domínio. Jesus está dizendo que o que proíbe na terra,
o céu vai proibir, e o que permitir na terra, o céu vai per-
mit. Considere as implicações disto. Tudo o que permitirá em socieda- des
ty, o Céu não vai parar, e tudo o que não permitir na sociedade,
Céu vai se certificar de que isso não aconteça.
Você entende o quão sério é isso? A gestão da
Terra é totalmente até nós. Nós somos responsáveis para o mal, os males, e sufi-
Fering em nosso mundo. Essas coisas são reflexos da natureza e
qualidade da nossa gestão. É por isso que Deus precisa de nós para orar. Ele
não pode interferir na terra, a menos que soltá-lo a fazê-lo porque Ele
nos deu a soberania aqui. Quando o fizermos, Céu invade nossa ter-
ritório em nosso nome.
O Rei do Céu nos deu autoridade domínio aqui na
terra, e Ele não violá-la sem a nossa permissão.
Esta verdade contém uma chave fundamental para como devemos viver como Unido
cidadãos na terra. Tendo sido criado em uma ou outra das variá-
sistemas humanos ous de governo, todos nós temos sido “programada”
pensar na vida e na sociedade em termos das “têm de” eo “têm
Não é “, de perturbações econômicas periódicas e recessão, crônica
a escassez de matérias-primas, a corrupção, o despotismo, ea forte
predando os fracos. Nós olhamos para estas coisas, suspiro, e então dizer: “Oh
bem, isso é vida.”
Não no Reino dos Céus!
Como eu disse antes, no reino dos céus, não há econom-
crise ic e não há escassez porque os recursos do Céu são
infinito. E porque todos os cidadãos Unido são iguais, não existam
“Têm de” e “não é”; todo mundo é um “tem.” Não há corrupção
ou despotismo porque o nosso rei é um governante justo e benevolente.
A forte não presa no fraco porque não há são fracos.
Unido Conceito # 3
121

página 122
Todo mundo é forte na força e presença e influência da
Rei e no conhecimento seguro de seu lugar e privilégio como
cidadãos iguais do reino.
Ver a vida a partir dessa perspectiva exigirá uma grande mudança de
mentalidade da maioria das pessoas. Nós temos que aprender, temos que treinar, nós
têm de ser ensinados a pensar desta forma. A mudança de mentalidade é o que a
Bíblia chama de “arrependimento”. Então, agora as palavras de Jesus se tornam
muito
mais clara quando diz: “ Arrependam-se, pois o Reino dos céus está próximo ”
(Mat. 04:17). Ele está dizendo: “Mude sua mente! Pare de pensar como o
mundo com suas insuficiências e desigualdades, e começar a pensar como um
Unido cidadão! Parar de funcionar a partir de uma mundana mind-set de “nunca mais
suficiente”e começar a operar a partir de um Unido mentalidade de“mais
do que suficiente”! O Reino do Céu está aqui e tudo tem
mudou!”
Dez princípios do PODER DA TERRA
Espero que agora está se tornando claro território quão importante
é o conceito reino. Com isto em mente, quero concluir esta
capítulo com uma breve discussão sobre dez princípios do poder de terra.
Neste contexto, terra , território e domínio significam a mesma coisa.
1. A primeira coisa que Deus deu ao homem era terra. Nós já temos
discutimos isso. Deus criou a terra e, em seguida, criado
homem para governá-lo. Especificamente, Deus colocou Adão em um exuberante,
belo jardim e deu-lhe a responsabilidade de car-
ing para ele e todos os seus habitantes. O Rei do Céu deu
o rei da terra um domínio de terras-over física que
exercer domínio.
2. O primeiro homem coisa perdida era terra. Quando Adão e Eva
rebelou contra o rei, ele os expulsou do gar-
den. Eles perderam a propriedade Deus lhes havia dado. Tendo
perdeu seu domínio, eles descobriram que o terreno
ambiente era agora hostil a eles.
Princípios Unido
122

página 123
3. A primeira coisa que Deus prometeu a Abraão era terra, não
céu. A primeira coisa que Deus prometeu a Moisés era terra, não
céu. Nosso grande sonho é ir para o céu, enquanto Deus
grande sonho é para nós a possuir a terra, porque Ele nos criou
para ser reis, e todos os reis própria propriedade.
4. riqueza real está na terra. É por isso que ele é chamado de reais
Estado. Todas as outras propriedades não são “reais”. Assim, muitas pessoas
gastar todos os seus recursos aquisição de “riqueza”, que nunca
dura-commodities que dissipam através do consumo
ou são eliminados pela depressão econômica ou dis- naturais
áster. Terra nunca perde o seu valor independentemente do que o
economia faz. Na verdade, a terra quase sempre cresce em valor
mesmo durante tempos difíceis. Se você quiser ajudar a garantir
prosperidade para si mesmo, bem como as futuras gerações,
se concentrar em adquirir imóveis. Há poder na terra,
o que nos leva ao próximo princípio.
5. Aquele que possui a terra controla a riqueza. Uma vez, eu estava em
Omaha, Nebraska, montando a partir do aeroporto, e
comentou com meu motorista sobre a beleza ea impressionante-
ness de um arranha-céu particular, que dominou o-céu
linha. “O que é isso?”, Perguntei. Ele riu e disse:
“Essa é a desgraça da cidade.” “Por quê?” Eu perguntei, sur-
valorizada. Ele respondeu: “Isso é o edifício mais alto da cidade,
e é possuído pelos japoneses.”pessoas- inteligentes
Unido-minded pessoas-ir atrás terra. Por quê?
6. A verdadeira riqueza está na terra. Ele nunca perde o seu valor e, em
verdade, quase sempre aumenta de valor a longo você possui
isto. uma vez que adquiriu um pequeno pedaço de terra por US $ 35.000.
Várias pessoas fizeram ofertas para comprar a terra, mas eu realizada em
para isso. Alguns anos mais tarde, um rico empresário construiu uma
$ 3.000.000 estate em uma peça adjacente de propriedade. o que
que você acha que fez para o valor da minha terra? Verdade
riqueza está no mercado imobiliário.
Unido Conceito # 3
123

página 124
7. Os mansos herdarão a terra. E Jesus disse que é um
bênção: “ Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a
terra ”(Mat. 5: 5). “Meek” significa “suave”, mas também
significa “disciplinada”. A palavra grega refere-se à
comportamento de um cavalo que foi quebrado para a equitação. UMA
cavalo é um animal muito forte. Depois que ele é quebrado ainda é
forte, mas que a força está agora sob o controle. É sob
disciplina. Este tipo de pessoas-manso-Jesus diz:
são os que herdarão o Terra não céu.
8. A terra é a única propriedade que é real. O mercado imobiliário é a única
bens de valor verdadeiramente duradoura que podemos passar para o nosso
crianças. Tudo o resto desaparece com muita facilidade. A Bíblia
diz: “ O homem de bem deixa uma herança para seus filhos de
crianças ”(Prov. 13: 22a).
9. Deus considera a perda de terras uma maldição. Isto é muito impor-
tant na Bíblia. Toda vez que Deus amaldiçoou os israelitas por
sua rebelião e desobediência, Ele tomou terras dos
eles. Quando eles se arrependeram, Ele abençoou por restor-
ing suas terras. Deus usa a terra para medir bênção ou
maldição. Assim sendo…
10. A restauração da terra é uma bênção. A terra é importante.
Terra tem poder porque sem terra não há nenhum domínio
e sem domínio não há rei.
REIS DE UMA NOVA TERRA
Muitos cidadãos do Reino foram ensinados tão completamente a
antecipar e estamos ansiosos para o Céu como a “recompensa” final para
a vida futura que falar de uma herança terrena torna
desconfortável. Mas isso é o que a Bíblia diz. Isaías, uma antiga e
O porta-voz cedo para o Reino dos Céus, registrou:
Princípios Unido
124

página 125
Para isso é o que o Senhor diz-Aquele que criou o heav-
ens, Ele é Deus; Aquele que formou e fez a terra, Ele
fundou; Ele não a criou para estar vazia, mas a formou
para ser habitada-Ele diz: “Eu sou o Senhor, e não há
outro” (Isaías 45:18).
Deus criou a terra para as pessoas viverem nele. Ele é tão compro-
ted a este planeta que, mesmo quando ele passa longe Ele vai voltar a criá-lo:
Então vi um novo céu e uma nova terra, pois o primeiro
céu ea primeira terra passaram ... E eu
ouviu uma voz alta do trono, dizendo: “Agora, a
morada de Deus com os homens, e Ele habitará com eles.
Eles serão o seu povo, e Deus mesmo estará com
eles e será o seu Deus ... pois a antiga ordem de coisas tem
faleceu.”Aquele que estava sentado no trono disse:“Eu sou
fazer tudo de novo!” (Apocalipse 21: 1,3,4b-5a).
o programa de Deus nunca muda. Ele está empenhado em Seu plano para
terra, e para os moradores da terra, razão pela qual não podemos ficar no céu.
A Bíblia promete uma ressurreição completo em que todos os cidadãos Unido
terá um novo corpo, um corpo físico de algum tipo, e reinarão em
a terra para sempre, assim como Deus planejou desde o início. No
Enquanto isso, Ele nos quer praticar-de aprender a assumir ruler-
navio e exercer domínio sábio sobre este território chamado Terra que
Ele nos deu. O Reino do Céu está aqui agora. Estamos a sua Cit-
izens, representantes de seu governo colonial, e possuímos a
autoridade agora para agir em nome do nosso Rei e trazer o
influência de Sua vontade e desejos sobre este domínio terrestre.
Unido Conceito # 3
125

página 126
PRINCÍPIOS
1. Todo o reino tem território.
2. O céu é um verdadeiro Unido com um governo real.
3. Um rei não é um rei a menos que tenha território sobre o qual
governar.
4. O Filho de Deus veio para obter o Reino de volta para o homem.
5. Sem território nenhum reino pode existir.
6. Um rei é tão rico como o seu domínio.
7. O nosso destino como seres humanos é embrulhado em terra.
8. Nós fomos feitos para a terra, e é aí que o nosso lugar
do domínio será na vida por vir.
9. Somos reis por delegação, não por criação.
10. Deus não intervir nos assuntos deste domínio terrestre
sem a permissão dos que detêm o domínio
autoridade aqui.
11. Através da oração, convidamos Deus para agir em nosso domínio.
12. No Reino dos Céus não há “de ter” e
“Não é”; todo mundo é um “ter”.
13. Os mansos herdarão a terra, e não o céu.
Princípios Unido
126

página 127
r
Capítulo sete
K INGDOM C ONCEITO # 4
U NDERSTANDING O K INGDOM C ONCEITO DE C ONSTITUIÇÃO

A epois da invasão do Iraque pelas forças militares

dos Estados Unidos e outra aliança


nações, o primeiro objetivo depois de derrubar Saddam
Hussein era criar uma nova nação. É interessante notar que o
primeira ordem de negócio era construir uma constituição, e levou
meses para que o exercício para ser concluída. O processo de nação
edifício não pode prosseguir até que esse documento chamado constitucional
ção foi concluída e aceita por todos os principais envolvidos.
O coração de todas as nações, impérios e reinos é o constitucional
ção. Não há nenhuma nação ou reino sem uma Constituição. Em um
república, a constituição é a aliança as pessoas fazem com
si mesmos e que eles contratam por voto, um órgão para manter
esse pacto para eles e com eles. Em um reino, o constitucional
ção é a aliança do rei com seus cidadãos e seu reino. No
caso do primeiro, a constituição é produzido pelas aspirações de
as pessoas, enquanto no segundo caso, a constituição é iniciada pelo
rei e contém as aspirações e desejos do rei para o seu Cit-
izens e seu reino. Esta é a principal diferença entre um
reino e uma república democrática. Por exemplo, a Constituição
dos Estados Unidos começa com as palavras: “Nós, o povo ...”.
127

página 128
No entanto, ao ler a constituição do Reino de Deus como
documentada nas Escrituras, ele sempre diz: “Eu, o Senhor, digamos ...”
Como qualquer outro sistema governamental, todo reino tem uma
constituição. A constituição de qualquer nação tem a ver com o homem-
ner em que o governo dessa nação é organizado, particular-
ly no que respeita à forma soberana poder é exercido. ele encarna
as leis e os princípios básicos que norteiam que o governo e estabelece
os poderes e os deveres concretos de que o governo em relação
tanto para as pessoas e para outras nações e governos. A cons-
tuição também delineia, garantias, e protege os direitos específicos dos
as pessoas que vivem sob sua jurisdição.
Independentemente do tipo de governo, uma constituição é esta-
instituído por quem exerce o poder. Em um estado totalitário ou um dicta-
torship, o líder supremo, juntamente com uma elite dominante de comparsas
nomeado por ele, determinar as leis e condições em que
as pessoas vivem-leis geralmente projetados para seu próprio benefício e
enriquecimento às custas do povo.
Em uma república ou democracia, por outro lado, o poder encontra-se com
as pessoas. Eles eleger líderes para representá-los e, em seguida, pedir
os líderes de promulgar leis e políticas que irão beneficiar o elec-
ção. Em uma democracia os líderes são responsáveis perante o povo.
Aqueles que não conseguem realizar de forma adequada ou que violam as pessoas de
confiança pode ser votado fora e substituído. Através de seus líderes eleitos,
as pessoas estabelecer a sua própria constituição.
Como observado anteriormente, um reino é diferente. Em um reino todo o poder
reside no rei. Ele é o rei, portanto, que estabelece a con-
stituição para o seu reino. A constituição de um reino é o doc-
vontade umented, propósitos e intenções do rei. Ela expressa a
desejos pessoais do rei para o seu reino e estabelece os princípios
em que o reino vai operar, bem como institui a
forma e condições de como o rei vai se relacionar com o seu povo e
eles para ele. A constituição reino é carimbada com a essência da
a natureza, caráter e personalidade do rei. É por isso que é
Princípios Unido
128

page 129
sempre bom ter um rei que é justo, benevolente, e com-
apaixonado, com uma preocupação genuína com o bem-estar dos seus cidadãos.
UM CONTRATO ROYAL
Em um reino, a constituição é um contrato real que o rei
tem com seus súditos-seus cidadãos. É não o contrato que o Cit-
izens ter com o rei, e esta é uma distinção muito importante. Dentro
o primeiro, o contrato tem origem com o rei e, no segundo,
com as pessoas. Um contrato gerado pelas pessoas é uma democracia ,
o oposto completo de um reino. Um contrato real, por outro
lado, origina completamente e exclusivamente no coração, mente e
vontade do rei. Seus cidadãos não têm entrada relativa aos termos ou
condições do contrato.
Esta é a abordagem o Rei do Céu sempre tomou com
humanidade. Quando Deus começou a estabelecer uma colônia Reino na terra,
Ele definir todas as condições e parâmetros de antemão. Tudo
já estava em vigor no momento em que Adam entrou em cena. Todos
Adam tinha que fazer era seguir os termos e condições que Deus tinha
já estabelecida:
Então Deus disse: “Façamos o homem à nossa imagem, à nossa
semelhança, e domine sobre os peixes do mar e da
as aves do céu, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra, e
sobre todas as criaturas que se movem rente ao chão.”Então Deus
criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus o
criou; masculino e feminino, criou-os. Deus
abençoou-os e disse-lhes: “Sejam férteis e multipliquem
em número; Encha a terra e subjuga-a. Dominai sobre os peixes
do mar e as aves do céu e sobre todos os seres vivos
criatura que se move sobre a terra” (Gênesis 1: 26-28).
Agora o Senhor Deus tinha plantado um jardim no leste, em
Éden, e pôs ali o homem que tinha formado ... O
Unido Conceito # 4
129

página 130
Senhor Deus tomou o homem e colocou-o no Jardim do
Éden para o cultivar e cuidar dela. E o Senhor Deus
ordenou ao homem: “Você é livre para comer de qualquer árvore
no Jardim; mas você não deve comer da árvore do
conhecimento do bem e do mal, porque quando você come do que você vai
certamente morrer (Génesis 2: 8,15-17).
Como você pode ver, todo este processo contratual foi completamente
unilateral da parte de Deus. Adam não tinha entrada em tudo; Na verdade, quando o
contrato foi elaborado, ele não estava por perto mas mesmo! Depois que ele foi cria-
ated, Adam simplesmente recebeu o contrato concluído a partir do lado
do Rei.
O mesmo é verdade em relação a contrato de Deus com Abraão. Primeiro,
Deus determinou que Ele ia fazer e então apresentado
Abraham com o contrato concluído:
O Senhor disse a Abrão: “Saia da sua terra, o seu
pessoas e casa de teu pai e vai para a terra que eu
irá mostrar-lhe. Farei de ti uma grande nação e eu
te abençoará; Vou fazer o seu nome, e você
ser uma bênção. Abençoarei aqueles que te e whoev- abençoe
er amaldiçoa os que o amaldiçoarem; e todos os povos da terra serão
abençoados através de ti” (Gênesis 12: 1-3).
Depois disso, a palavra do Senhor veio a Abrão numa visão:
“Não tenha medo, Abrão. Eu sou o teu escudo, a sua própria
grande recompensa.”... Ele o levou para fora e disse:“Olhe para
os céus e conta as estrelas-se de fato você pode contar
-los.”Então ele disse-lhe:‘Assim será a tua descendência’
(Genesis 15: 1,5).
Tal unilateralismo por parte de Deus é uma expressão de Sua sover-
eignty. Para tanto Adão e Abraão (Abrão) Deus estava dizendo: “Este
é Meu governo; este é o acordo que eu estou fazendo com você . Você
não ditam os termos ou Me diga o que você quer. I dizer o que eu
Princípios Unido
130

page 131
quer para você eo que eu vou fazer por você.”A constituição reino é
iniciada pelo rei, a partir do rei, e para o prazer do rei.
A constituição reino, então, é o documento que constitui
desejo do rei para os seus cidadãos. Em uma república, a constituição é a
contrato das pessoas com eles mesmos, enquanto que em um reino que é o rei da
contrato para o povo. Em uma democracia, as pessoas planejar e decidir
o que quer que aconteça a eles. Mas em um reino, as pessoas
não têm voz. Em vez disso, o rei diz-lhe o que ele quer que aconteça para
você.
É por isso que Deus iria fazer uma declaração como:
Para eu sei os planos que tenho para vocês ... pensamentos de paz
e não de mal, para vos dar esperança e um futuro.
Então você vai me invocará e vir e orar a mim,
e eu vos ouvirei. Você vai me procurar e me encontrar Me
quando Me buscarem de todo o coração. I será encontrado por
você ... (Jeremias 29: 11-14).
Assim, a constituição Unido afirma desejos do rei para o seu Cit-
izens. E porque Ele é um rei justo e benevolente, Sua
desejos são sempre para o nosso bem maior e benefício. O rei de
Céu quer nos abençoar; Ele quer bênçãos para nos ultrapassar. Nós estamos
sempre tentando dizer a Deus o que fazer, especialmente hoje: “Aqui está o que eu
quer, aqui está o que eu quero, aqui está o que eu quero ... “. Mas Deus
diz:“No presente
Unido, I fazer os contratos.”
DO vontade e testamento KING
Além de ser um contrato real, a constituição de uma king
dom constitui a vontade expressa do rei. É a vontade do rei
expresso na forma tangível, por escrito. Isto significa que a constituição
não se limita a um contrato oral. Colocar a constituição por escrito
forma define-se como um padrão que pode ser medido facilmente, bem como
fazendo seus termos e condições claras para todos. É por isso que na
Unido Conceito # 4
131

página 132
Reino dos Céus, temos um livro chamado a Bíblia. A Bíblia é a
expressa vontade do rei em forma escrita. É a constituição de
Seu Reino.
Como já vimos, as palavras do rei tornar-se a lei
da terra. Suas palavras não produzem o contrato; suas palavras são o
contrato. E fora deste contrato de esta constituição-vem a
lei. A constituição não é a lei; a constituição produz o
lei. O que quero dizer é que a constituição estabelece os termos, con-
ções e os direitos da vida no reino. Isto leva a leis destinadas
com o propósito expresso de assegurar que todos esses termos, condi-
ções e os direitos são preservados, protegidos e realizado.
A Constituição é a vontade e o testamento do rei para o seu
cidadãos. Will e testamento são duas palavras diferentes, mas relacionadas que
são ambos importantes. A vontade é o que está na mente de uma pessoa-a ou
seu desejo e intenção. A prova é a documentação física de
a vontade de uma pessoa, que codifica o seu desejo e intenção na forma de
um documento legal. A vontade, então, está na sua cabeça; um testemunho é quando
você anote o que está na sua cabeça. É por isso que os advogados sempre perguntar:
“Você tem uma vontade e testamento?” Os esclarece testamento escrito
a todas as partes o seu desejo e intenção e torna-los verificável em um
tribunal.
É por isso que eu chamo a Bíblia a Constituição do Reino de
céu. É ainda dividido em duas seções chamado o Antigo Testamento
eo Novo Testamento . A Bíblia, então, compreende de Deus docu-
mentadas pensamentos sobre seus cidadãos-Sua expressa vontade,
desejo e intenção para a raça humana que Ele criou à Sua própria imagem.
Um será mantido em sua cabeça nunca pode ser defendido em tribunal. É por esta
razão pela qual Deus ordenou a Moisés e todos os outros profetas
a Bíblia para escrever . Ele queria uma prova que poderia ser testado ou con-
testado no tribunal do universo. Então, tomamos a Bíblia e trazemos
-lo perante o tribunal do universo e dizer: “Este é o meu Rei
me garantido.”Então, o rei diz:“De acordo com minha palavra, seja ela
feito a ti “.
Princípios Unido
132

página 133
Um testamento fornece proteção contra o abuso de direito. ele pro-
tects os direitos dos beneficiários da vontade. Se tudo que você tem uma vontade,
como alguém pode saber o que você quer para seus beneficiários? Você
sabe o que quer, mas o que se você morrer de repente? Como será o seu
beneficiários ser protegido e receber os benefícios que você deseja para
-los a menos que sua vontade é escrito e documentado legalmente? que
é o objetivo de um testamento. Um testamento pode ser contestada em um
tribunal. Não há dúvida quanto ao que você quis dizer.
A Palavra de Deus, escrita e impressa no livro que chamamos
a Bíblia, é o documento mais poderosa que temos. É o constitucional
ção do Reino dos Céus, o testamento da vontade do Rei
para Seus cidadãos.
SETE PRINCÍPIOS DA
UNIDO CONSTITUIÇÃO
1. A fonte da constituição é o rei, e não os cidadãos.
Considerando que a Constituição dos Estados Unidos começa
com as palavras, “Nós, o povo ...” a constituição de
Reino de Deus diz: “Eu, o Senhor ...” Nós, que vivemos na demons-
estados ocratic pode sempre alterar a nossa Constituição
porque nós, o povo, o criou. Mas não podemos mudar
constituição de Deus porque não escrevê-lo.
É por isso que eu acredito que o maior conflito nos próximos anos será
estar entre o Reino e religião. As pessoas religiosas continuar tentando
para ajustar constituição de Deus. Eles debatê-lo e discuti-lo e
tornar-se envergonhado ou irritado com as peças que eles não gostam. As vezes
eles até alterá-lo ou diluí-lo para torná-lo mais palatável para
modernos gostos espirituais. Isso é loucura absoluta. O rei de
Céu estabeleceu a Constituição para o Seu Reino e só Ele
pode mudá-lo. Mas ele não vai. Ele é eternamente imutável, e assim é
Sua Palavra, porque o Rei e Sua Palavra são o mesmo. É o que diz
direito na Constituição:
Unido Conceito # 4
133

página 134
O Senhor é Rei sempre e eternamente; as nações perecerá
de Sua terra (Salmo 10:16).
Mas os planos do Senhor permanecem para sempre, os propósitos
do seu coração por todas as gerações (Salmo 33:11).
O teu trono, ó Deus, vai durar para sempre e sempre; um cetro
da justiça será o cetro do seu reino (Salmo 45: 6).
Mas tu, Senhor, sente-se entronizado para sempre; sua fama
perdura por todas as gerações (Salmo 102: 12).
A tua palavra, Senhor, é eterno; ele se mantém firme na heav-
ens (Salmo 119: 89).
Há muito tempo eu aprendi com seus estatutos que determinam que Você
cido-los para durar para sempre (Salmo 119: 152).
A palavra do rei é imutável e inalterável. Ainda
Dificilmente passa um dia sem algum líder religioso em algum lugar vai
em algum talk show ou em um canal de notícias por cabo e expor sua
ou sua “opinião” sobre questões do dia que os endereços da Bíblia
claramente. Quando perguntado sobre os direitos dos homossexuais ou casamento
gay ou aborto ou
similares, eles falam como se estes e outros assuntos estão abertos ao debate.
Na religião, talvez, eles são. Mas não no Reino dos Céus.
Em minhas viagens em todo o mundo, me perguntam com frequência para responder
a esses tipos de perguntas. Eu sempre enquadrar a minha resposta a partir de um
perspectiva Unido. Um intercâmbio típico poderia ir algo
como isso:
"Dr. Munroe, o que você acha sobre a homossexualidade? O que são
seus pensamentos sobre o aborto?”
“Eu não tenho pensamentos sobre essas coisas.”
Princípios Unido
134

página 135
“Mas ... você é suposto ser um homem de Deus.”
“Eu não tenho pensamentos sobre essas coisas porque um embaixador
Nunca dá a sua opinião pessoal; É ilegal. Minha opinião pessoal é
fora dos limites. Outros que representam uma religião poderão expressar o seu
opiniões. Mas eu não representam uma religião, nem mesmo o cristianismo. Eu
representam um governo no Reino dos Céus. Eu sou um ambas-
Sador, e embaixadores não dar a sua opinião. No entanto, minha gover-
A posição de erno é ...”e, em seguida, eu cito a partir da constituição-o
Bíblia.
No Reino dos Céus, não temos o privilégio de tam-
Pering com a constituição. Não é o nosso documento; ele é o Rei da.
E cidadãos do Reino obedecer a lei do Rei.
2. A Constituição contém os benefícios e privilégios de
os cidadãos. Expõe as vantagens que vêm com
ser um cidadão Unido, bem como tudo o cida-
Zens pode esperar do Rei. Na Bíblia, estes muitas vezes
assumir a forma de promessas. Aqui estão apenas alguns:
Não se preocupem, dizendo: “O que vamos comer?” Ou “O que deve
vamos beber?”ou‘Que vamos vestir?’Pois os pagãos executar
depois de todas estas coisas, e vosso Pai celeste sabe
que você precisar deles. Mas buscai primeiro o seu reino ea sua
justiça, e todas estas coisas vos serão dadas a você como
bem (Matthew 6: 31-33).
Pedi, e dar-se-á dado; Procura e acharás;
batam, ea porta lhes será aberta para você. Para todos
que pede, recebe; o que busca encontra; e àquele que
bate, a porta será aberta (Mateus 7: 7-8).
Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu Seu único
Filho, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas
tenha a vida eterna (João 3:16).
Unido Conceito # 4
135

página 136
Digo-lhes a verdade, quem ouve a minha palavra e crê
Naquele que me enviou tem a vida eterna e não será con-
demned; mas já passou da morte para a vida (João
05:24).
Não deixe seu coração ser incomodado. Acredite em Deus; Confiar em
também em me. Na casa de meu Pai há muitas moradas; Se isso
assim não fosse, eu vos teria dito. Estou indo lá para pré-
pare um lugar para você. E se eu for e preparar um lugar para
você, eu vou voltar e levá-lo para estarem comigo que você
também pode estar onde estou (João 14: 1-3).
Mais uma vez, eu lhe digo que se dois de vós concordarem na terra acerca
qualquer coisa que pedirem, isso será feito por meu Pai
no paraíso. Pois onde dois ou três estiverem reunidos em Meu
nome, aí estou eu no meio deles (Mt 18: 19-20).
Não tenha medo pequeno rebanho, porque vosso Pai tem sido
o prazer de dar-lhe o reino (Lucas 12:32).
Cada um desses benefícios, ou promessas, foi falada por Jesus, o Filho
de Deus que veio à terra em carne humana para anunciar o retorno
e restauração do Reino do Céu na terra.
3. O rei obriga-se aos princípios da Constituição.
Um rei e sua palavra são as mesmas, e quando ele fala,
sua palavra se torna a constituição. Assim, quando um rei
palavra é falada (ou escrita), o rei é obrigado a
realizá-lo. É por isso que a Bíblia diz que o que quer
Deus diz: Ele vai fazer e tudo o que Ele promete, Ele o fará
fazer acontecer. Uma vez que o Rei do Céu fala, é como
bom como foi feito. Deus não pode deixar de cumprir a Sua Palavra, pois se
Ele, Ele deixaria de ser Deus.
Princípios Unido
136

página 137
4. A constituição contém os direitos estabelecidos pelo rei
para os cidadãos. Além dos benefícios e privilégios
resultem para cidadãos do Reino, a Constituição também
delineia e estabelece os seus direitos. Direitos em um cons-
tituição são importantes porque são os motivos para
tornando lei, que é a próxima fase. Se eu dissesse a você “, eu
dar-lhe o meu carro, minha casa, e meu barco,”Eu tenho apenas
expressei minha vontade. Se eu, em seguida, documentá-la no papel,
torna-se um testemunho e sua constituição. Agora eu tenho
para se certificar de que existem leis para proteger o que eu te dei.
Nesse ponto, eu chamaria de um advogado para elaborar um for-
documento mal porque um advogado sabe a lei do
ambiente para proteger o pedaço de papel que declara a minha
vontade para você. O advogado lê-lo e garante que ele está em um
certa forma onde se torna integrado no sis-
TEM da sociedade com os direitos para protegê-lo.
Então, se alguém contesta-lo, você pode ir a tribunal. O tribunal é
a lei, e o tribunal diz: “Este é um documento legal. Tudo
escrito aqui ele tem o direito de receber.”Assim, a Constituição contém
os seus direitos e as leis protegê-los. Portanto, a Constituição
é a fonte de direito; não é a própria lei.
Se Deus diz: “Eu te abençoarei, vou prosperar, vou fazer o seu
nomear grande ...”que é Constituição. Se Ele então diz: “... se você obedecer-Me
e guardará a minha palavra, e andam na retidão “, que Ele lhe deu leis que
definir as condições para que os benefícios e privilégios para aplicar. o gover-
erno diz que você é livre para fazê-commerce, a locação, para comprar proprieda-
ty, etc., desde que você paga impostos, não quebrar a lei, obedece social
ordem, e respeitar a propriedade das pessoas. Eles dão-lhe todas estas cons-
titucional direitos, mas eles são contingentes em cima de seu honrar o
leis. O Reino do Céu não é diferente.
5. A constituição não pode ser alterado pelos cidadãos somente
pelo rei. Este princípio deve ser perfeitamente claro por
agora e não precisa de mais elaboração.
Unido Conceito # 4
137

página 138
6. A constituição é a referência para a vida no reino.
Como são cidadãos do Reino deveria viver? O que são
os valores, a ética, a moral e os padrões de
comportamento para os cidadãos do Reino, e onde podem
ser encontrado? Na constituição. padrões de Deus para a vida em
Seu Reino são encontrados em toda a Bíblia. tal Standards
dards como estes:
Não terás outros deuses diante de mim. Você não deve
fazer por si mesmo um idol.You Não tomarás o nome do
o Senhor teu Deus ... .Remember o dia de sábado por man-
ing-lo santo ... .Honor teu pai e tua mãe ... .Você
Não matarás. Não cometerás adultério. Você
Não furtarás. Não dirás falso testemunho contra
seu vizinho. Não cobiçarás ... (Êxodo 20: 3-17).
E:
Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o reino dos
céu. Bem-aventurados os que choram, porque eles serão
consolados. Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a
terra. Bem-aventurados os que têm fome e sede de direita
eousness, porque eles serão fartos. Bem-aventurados os misericordiosos,
para eles serão mostrados mercê. Bem-aventurados os puros de
coração, porque eles verão a Deus. Bem-aventurados os pacificadores,
porque serão chamados filhos de Deus. Abençoados são aqueles que
são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o
reino dos céus (Mateus 5: 3-10).
7. A Constituição contém os estatutos do reino.
Estatutos são fixos, padrões previsíveis. “Ensina-me a sua
estatutos,”Rei David de Israel diz. Normalmente, onde o
palavra “estatutos” mostra-se, você vai encontrar “leis” na mesma
frase. Estatutos dar a imagem física da lei. Isso é
por isso que chamamos uma escultura em pedra de uma estátua. Ou podemos chamá-
lo de
Princípios Unido
138

página 139
imagem. Imagem é a mesma estátua. Uma estátua é per-
nente. Uma estátua significa simplesmente, uma imagem fixa ou previsível
padrão. Pense em uma estátua em sua cidade. Quando
chuvas que a estátua mudar? O que se neva? E se
a temperatura no máximo de 100 graus? Se você cuspir nele, maldição
-lo, odiá-lo, faz a mudança estátua? Claro que não. isto
continua a ser o mesmo, não importa o quê.
Um estatuto é da mesma forma. É por isso que as leis são chamados estatutos. UMA
O estatuto não ajustar-se aos tempos. A lei não acom-
modate o meio ambiente. Ele permanece consistente dentro da mudança
meio Ambiente. Um estatuto não é afetada pelas condições em torno dele.
Algumas pessoas pensam que a constituição do Reino dos Céus precisa
de ser alterado ou “reinterpretou” para acomodar os tempos modernos,
valores, e os costumes. Pelo contrário, a constituição Unido é um
padrão imutável contra o qual todos os valores modernos, mores,
crenças e idéias devem ser medidos. Sem algum confiável,
justos, padrão imutável, a sociedade entrará em colapso. Nós podemos ver
sinais de que todos ao nosso redor.
A Constituição contém os estatutos do Reino. Um tempo
Jesus disse estas palavras: “ O céu ea terra passarão diante de meu
estatutos mudar. Vou mover céus e da terra antes de mover
Meus estatutos ”(ver Lucas 16:17; 21:33). Quem somos nós para ousar pensar
que temos o direito ou a autoridade para alterar ou anular o
estatutos que o Rei do Céu estabeleceu no lugar? Pessoas religiosas
pode fazer isso a qualquer momento que eles querem, porque eles não estão
realmente no
Reino. cidadãos do Reino, no entanto, não pode. nossa constituição
diz: “ A palavra do Senhor permanece para sempre ” (1 Pe 1: 25a).
Unido Conceito # 4
139

página 140
PRINCÍPIOS
1. Todo o reino tem uma constituição.
2. A constituição de um reino é a vontade documentada,
propósitos e intenções do rei.
3. Em um reino, a constituição é um contrato real que o
rei tem com seus súditos-seus cidadãos.
4. A constituição reino é o documento que constitui
desejo do rei para os seus cidadãos.
5. A constituição de um reino constitui o expresso
vontade do rei.
6. A Bíblia é a vontade expressa do Rei na escrita
Formato. É a constituição de Seu Reino.
7. As palavras do rei tornou a lei da terra.
8. A Constituição é a vontade eo testamento do rei
para seus cidadãos.
9. A Bíblia compreende de Deus documentados pensamentos con-
RELATIVAS À Seus cidadãos-Sua vontade expressa, desejo e
intenção para a raça humana que Ele criou à Sua própria imagem.
Princípios Unido
140

página 141
r
Capítulo oito
K INGDOM C ONCEITO # 5
U NDERSTANDING O K INGDOM C ONCEITO DE L AW

Eu n qualquer sociedade civil, o “Estado de Direito” é o alicerce da

ordem e justiça social. Como foi observado no precedente


capítulo, uma constituição é as aspirações documentados,
desejos e esperanças do povo para si (no caso de um
República Democrática), e em um reino, aspirações do rei e
desejos de seus cidadãos. Lei é produzido para proteger a constituição
e de garantir os direitos dos cidadãos ao que a constituição
promete e garante-lhes.
Nenhuma sociedade humana pode sobreviver por muito tempo sem leis. Isto é tão
verdade para um reino que para qualquer outro sistema de governo. Humano
natureza sendo o que é, as leis são necessárias para manter baser do homem
instintos e impulsos sob controle, proteger a segurança pública ea decência, e
preservar a ordem moral. Todo o reino é governado por leis. Leis
cumprir e proteger os padrões pelos quais o reino opera.
Como vimos no capítulo anterior, as normas de funcionamento para
qualquer governo, um reino incluídos, são codificadas em um documento
chamado a Constituição. Este contrato explicita o que a governos
ment espera das pessoas eo que as pessoas podem esperar de
o governo. Ele também delineia os direitos do povo. Estes
141

página 142
direitos e expectativas precisam ser protegidos, e esse é o propósito
de leis. As leis de um país sempre refletem sua constituição, porque eles
são derivados dos seus princípios. Eles não só proteger os padrões e
garantir o seu cumprimento, mas também prever sanções para qualquer um que vio-
final dos padrões.
A fim de desenvolver uma melhor compreensão do king geral
dom conceito, é importante ter conhecimento da origem,
natureza e função das leis em um reino. E como eu tenho Ao longo de toda
este livro, vou continuar a usar o Reino dos Céus como o
modelo primário. A Bíblia, o Reino de constituição do Céu,
estabelece as normas para a vida no Reino. Ao contrário de outros con-
tituições, no entanto, também estabelece as penalidades para o descumprimento.
Além de ser uma constituição, então, a Bíblia também é a lei
livro do Reino dos Céus.
Muitas vezes pensamos em leis como exigências desagradáveis e inconvenientes
que restringem nossa liberdade e limitar as nossas opções. Na realidade, as leis são
projetados para nos libertar para perseguir opções ilimitadas, fornecendo um cofre
ambiente onde possamos viver em paz, segurança e confiança.
A verdadeira liberdade é sempre circunscrita por limites e leis
definir os limites. Dentro desses limites, somos livres para
prosperar, prosperar e alcançar o nosso pleno potencial.
Por exemplo, olhando de novo para uma passagem que examinamos em um dife-
contexto ent no Capítulo Três, considerar alguns dos benefícios positivos
que derivam das leis do Rei:
A lei do Senhor é perfeita, revivendo a alma. o
preceitos do Senhor são dignos de confiança, e tornam sábios o sim-
pág. Os preceitos do Senhor são retos, e alegram o
coração. Os mandamentos do Senhor são radiantes, dando luz
para os olhos. O temor do Senhor é puro, e permanece para sempre.
Os preceitos do Senhor são verdadeiros e inteiramente direita
EOU. Eles são mais preciosos do que o ouro, do que muito puro
ouro; são mais doces do que o mel, do que o mel do
Princípios Unido
142

página 143
pente. Por eles o teu servo é advertido; em mantê-los
há grande recompensa (Salmo 19: 7-11).
O que a “lei do Senhor” fazer por nós? Ele revive o nosso espírito,
dá-nos a sabedoria, e nos enche de alegria. Ela ilumina as nossas mentes e
nos encoraja com confiança por causa de sua permanência e
retidão. Ele enriquece-nos com a riqueza muito maior do que terrena
Riquezas e deixa um gosto doce na nossa boca. Ele nos adverte contra
perigo e loucura que poderia destruir nossas vidas e coloca-nos no
o caminho para a “grande recompensa.”
Se permitirmos que isso, a “lei do Senhor” vai nutrir-nos completamente
corpo, alma e espírito. Jesus disse:
Está escrito: “O homem não vive só de pão, mas em
toda palavra que procede da boca de Deus” (Mateus
4: 4).
Isto significa que há mais vida do que comida. Precisamos sólida,
confiáveis, padrões imutáveis para viver; normas fundada em
verdade. Muitas pessoas questionam hoje ou out-and-out rejeitam a idéia de
verdade absoluta. Bem, independentemente do que eles pensam, a Bíblia é
absolutamente verdadeiro, e tudo o que ele vai trabalhar para o nosso bem se nós
obedecê-la. Não há nenhuma lei na Bíblia que não é bom para a humanidade de
bem-estar geral. Na verdade, a Bíblia é o melhor regulador de socieda- des cívica
ty, mas a maioria da sociedade global rejeita a sua sabedoria e insiste em choos-
ing seu próprio caminho. Que vai um longo caminho para explicar a confusão nossa
mundo é hoje. Precisamos dar uma olhada no reino con-
CEPT de direito.
SETE PRINCÍPIOS DO DIREITO
1. Toda a criação foi projetado para funcionar por princi- inerente
ples. Inerentes significa “built-in”; existentes desde o iní-
ning. Em outras palavras, as leis do Rei do Céu são
construída na própria estrutura da criação e determinar
Unido Conceito # 5
143

página 144
precisamente como todas as funções de criação. Os cientistas falam
das leis da natureza, as leis da física, as leis da
gravitação, as leis da termodinâmica, e muitos
outras leis para explicar como a natureza funciona. Neste sentido,
leis são observáveis, mensuráveis e repetíveis, porque
eles nunca mudam. Tudo o que Deus criou era
concebida para funcionar por meio de certos embutido ou inerente prin-
cípios.
2 . Estes princípios são chamados de “lei natural”. A lei natural tem
a ver com as leis a respeito da natureza de uma coisa. Para
exemplo, as aves não têm que ser ensinados a voar; que abili-
ty é inerente a eles como uma lei natural. Do mesmo jeito,
peixes não são ensinados a nadar; eles possuem nadar abil-
dade como um direito inerente. O mesmo princípio aplica-se a
plantas quando elas produzem sementes que reproduzem nova
plantas que são exatamente como o original.
3. A lei natural é o padrão para a função efetiva de fora tudo
coisa que Deus criou. Se os pássaros seguir a lei de
natureza, eles vivem e se reproduzem. Se as plantas seguem as leis
da natureza, elas crescem e produzem frutos. Deus construiu estes
leis na natureza, e enquanto as plantas e os animais seguem
essas leis, eles prosperar e florescer. Violação de natu-
lei ral, por outro lado, leva à disfunção. Dê uma
peixe fora d'água e ele vai funcionar mal. Ele vai morrer
porque um peixe é projetado para viver e respirar na água,
não fora dele. Assim, a lei natural é muito importante; é o
padrão para a determinação da função eficaz.
4. As leis são a chave da existência bem sucedida e uma garantia
de cumprimento do propósito. Obediência às leis promove
prosperidade e garante o sucesso. Tudo o que um pássaro tem que fazer para
cumprir sua finalidade é voar e reproduzir; ambos estes
funções são reguladas por leis naturais. Toda planta e
criatura sobre a terra será bem sucedido e cumprir sua finalidade
Princípios Unido
144

página 145
simplesmente pela obediência à lei natural inerente
eles. Não é diferente com a gente. Enquanto nós reco-
afiar as leis de Deus e nos submetemos voluntariamente para
vivendo por e obedecendo a eles, nós também vai ter sucesso e
cumprir nosso propósito no plano de Deus. Vamos realizar o nosso
potencial total.
5. Leis proteger propósito. Quando obedecemos as leis, protegemos
a finalidade para a qual nascemos. Contanto que um peixe
estadias em água, ele vai ser capaz de sobreviver e prosperar. Como
desde que uma semente permanece no solo, ela irá germinar, crescer e
prosperar. Enquanto um pássaro fica no ar e não há
espaço para voar, ele vai cumprir sua finalidade e prosperar. Quanto tempo
como obedecer às leis de Deus, nós também vai viver e crescer e
prosperar.
Por favor, entenda que quando eu falo sobre a obediência às leis de Deus em
para viver e prosperar, não estou sugerindo que podemos “ganhar”
pé direito com Deus, fazendo boas obras ou estritamente obser-
ing um código de regras ou estatutos. A única maneira de ser correctamente alinhada
com Deus é alterando a nossa mente e nos desviamos de nossa rebel-
leão contra Ele (o que a Bíblia chama de “arrependimento”), colocando a nossa
confiança na morte de Jesus para remover a culpa de nossa rebelião (desistir
nossa auto-suficiência), e reconhecendo-O como Senhor (Proprietário) do nosso
vidas. Por obedecer as leis de Deus, quero dizer viver em submissão disposto a
Ele como Rei e Senhor e honrar a Sua Palavra como o imutável
padrão de referência para nossas vidas.
Então, o que as leis de Deus somos nós para obedecer? Todos eles, é claro,
e há muitos. Mas aqui estão as duas mais importantes:
Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração e com toda
tua alma e com toda a sua força (Deuteronômio 6: 5).
Ame o seu próximo como a si mesmo (Levítico 19: 18b).
Unido Conceito # 5
145

página 146
O próprio Jesus identificou-os como os dois com- mais importante
mandments na lei de Deus. Reino embaixador Paul, em con-
texto com uma discussão sobre a responsabilidade dos cidadãos Unido
em relação à autoridade terrena cívica, comentou a segunda verso,
dizendo:
O amor não faz mal ao seu vizinho. Portanto, o amor é o
cumprimento da lei (Romanos 13.10).
Obedecer à lei e protege você. Desobedecer a lei e corre o risco
sacrificar o seu propósito.
6 . A finalidade para a lei é para proteger o constitucional
pacto. existem leis para se certificar de que as disposições do
a constituição são realizadas de forma consistente, de forma equitativa,
e sem prejuízo para todos os cidadãos. Por exemplo, o
Constituição garante a todo cidadão o direito de não ser
condenado por um crime até prova em contrário. Julgamento por júri é um
lei destinada a proteger esse direito constitucional para
cada cidadão. No Reino dos Céus, as leis de Deus
são projetados para proteger e assegurar o cumprimento de todas
termos da aliança que Deus tem com a sua criação.
Normalmente, o corte de um pacto envolvido a posse de um
juramento de fidelidade entre as partes entrando no
pacto. Por causa da aliança de Deus com o homem é unilater-
al (o que significa que entrar livremente em um pacto Ele tem
já estabelecida), só Ele pode jurar fidelidade.
E a Bíblia diz que este, de fato, é o que Ele fez:
Quando Deus fez a promessa a Abraão, visto que não
havia ninguém maior por Ele para jurar, Ele jurou por
-Se, dizendo: “Eu certamente irá abençoá-lo e dar-lhe muitos
descendentes.”E assim, depois de esperar pacientemente, Abraão
recebeu o que foi prometido ... .Porque Deus quis
fazer a natureza imutável de Seu propósito muito claro para
Princípios Unido
146

página 147
os herdeiros do que foi prometido, ele confirmou com um
jura (Hb 6: 13-15,17).
O pacto constitucional do Reino dos Céus é apoiado
-se pelas leis de Deus, que são as expressões de Sua inabalável
e imutável Palavra.
7. As leis são as condições do pacto. Eles são os termos
em que, se for seguido, a aliança vai operar.
Praticamente tudo o que compramos estes dias vem com um
pacto de leis e condições chamado de “Garantia”.
fabricante garante que, se o produto for utilizado em
acordo com os termos e condições de especificados
operação ou função, ele irá executar como projetado. E se
esses termos e condições são violadas, a garantia
“Aliança” é anulada, e se o produto, em seguida, mau funcionamento
ções, o fabricante é livre de responsabilidade.
Não é diferente no Reino dos Céus. aliança do Rei
com a gente especifica bênçãos e benefícios para o cumprimento, bem como
conseqüências e penalidades para o descumprimento. Enquanto nós
observar as condições do pacto, todas as bênçãos e benefícios
do pacto estão operacionais em nossas vidas. Se violar o pacto,
“cláusula de bênçãos” desliga e a “cláusula de conseqüências”
entra em ação.
As palavras do rei da LEI
Como eu disse antes, as leis são construídas no próprio tecido da criação.
Tudo no reino natural opera de acordo com prin- inerente
cípios. O mesmo é verdade para o mundo espiritual. O Reino de
Céus é semelhante a qualquer outro governo no sentido de que ele tem leis para
protegê-lo e garantir que ele opera de acordo com a intenção de Deus. Leis
estabelecer o Reino de Deus. E essas leis foram postas em prática longa
antes do primeiro ser humano chegou. E ainda assim, muitas vezes, temos a
Unido Conceito # 5
147

página 148
arrogância e presunção de questionar Deus ou desafiá-lo
sobre suas leis ea maneira como ele é executado coisas.
O Job personagem bíblico tentei isso, e ganhou-lhe um severo
repreenda do Rei. Afligidos por furúnculos, em luto pela prematura
mortes de todos os seus filhos, e criticado impiedosamente por seu melhor
“Amigos”, que lhe pediu para confessar seus pecados a Deus, Jó estendeu,
exigindo para colocar seu caso perante o próprio Deus. Jó sabia que ele era
inocente de qualquer delito e não conseguia entender por que ele estava
sofrimento. Em sua dor e indignação, Job acabou tentando dizer
Deus algumas coisas. Ou seja, quando Deus falou e ajustada de Jó
pensando:
Então o Senhor respondeu a Jó do meio da tempestade. Ele disse:
“Quem é este que escurece o Meu conselho sem conhecimento?
Prepare-se como um homem; Eu te perguntarei, e você
deve responder Me. Onde você estava quando eu lançava da Terra
Fundação? Diga-me, se você entender. Quem marcou off
suas dimensões? Certamente você sabe! ... Você conhece as leis
dos céus? você pode configurar o domínio de Deus sobre o
terra? (Jó 38: 1-5a, 33).
Em outras palavras, Deus estava dizendo: “Jó, como se atreve a pedir-Me
sobre as minhas leis? Você não estava mesmo em torno de quando eu fiz-los! Quem
é você para me desafiar?”Não é bom para um produto para desafiar
o fabricante: “Por que você fez as coisas assim e assim?” Isso é
prerrogativa do fabricante. Quando você compra um carro com um interno
motor de combustão, você tem que aceitar a “lei” que requer
gasolina para operar. Foi a decisão do fabricante, não seu.
Não importa o quão duro você pode tentar ou quanto você gostaria que outro-
sábio, que o carro não será executado em qualquer outro tipo de combustível. É por
isso que é
tolo para desafiar Deus e inútil tentar mudar suas leis. de Deus
leis foram aqui muito antes de nós eram, e eles ainda vão estar aqui muito tempo
depois que se foram.
Princípios Unido
148

página 149
Leis são construídos em criação. E as leis sempre levar conse-
quências para a violação. Se você tentar desafiar a lei da gravidade pisando
fora de uma janela do segundo andar, você está em um choque doloroso se você
sobreviver à queda! Quando violamos a lei, recebemos o devido penalizações
ty. Deus não tem para nos julgar; a lei carrega seu próprio built-in
"julgamento."
Lembre-se, a palavra do rei é lei em seu reino. Quando é
escrito para baixo, ele é chamado de um testamento, e quando repetido verbalmente,
constitui um mandamento:
Quando Moisés foi e contou ao povo todas as palavras do Senhor
e as leis, eles responderam a uma só voz: “Tudo o que a
Senhor tem falado faremos.”Moisés escreveu every-
coisa que o Senhor tinha dito (Êxodo 24: 3-4).
As “palavras e leis” Moisés falou ao povo foram o Ten
Mandamentos e leis relacionadas que são registrados no anterior
capítulos de Êxodo. Como todas as leis de Deus, os Dez Mandamentos
não são ditames religiosos. Eles são leis estabelecidas pelo Rei de
criação para determinar como todo o reino natural deve funcionar e
como os seres humanos devem se relacionar com Deus e uns com os outros.
O SIGNIFICADO DA LEI
O que exatamente é “lei”? A palavra hebraica mais básico de “lei” é
torah , o que também significa, além de “lei”, direção e instrutivo
ção. Com o tempo, a palavra Torah foi usado para se referir a todo o corpo de
lei que Moisés recebeu de Deus no Monte Sinai e passada ao longo de
os israelitas. Neste uso, torah significa “a lei”, “direção”,
e até mesmo “a Lei do Senhor.” No Novo Testamento, encontramos dois
1

palavras gregas básicos usados para “lei”. A primeira delas é nomos , que
significa “dividir para fora, distribuir” e também “o que é atribuído.” É
gradualmente passou a significar “uso” e “personalizado” e, finalmente, “lei
Unido Conceito # 5
149

página 150
como prescrito pelo costume ou por lei.” Esta é a palavra da qual
2
temos a nossa palavra Inglês norma .
Qualquer que seja torna-se aceito como uma norma em nossa sociedade acabaria
finalmente por surgir
ly torna-se uma lei de nossa sociedade. Se estamos expostos a uma certa inacei-
ideia customed ou comportamento a longo o suficiente, nós, eventualmente, tornar-se
tão
acostumados a ele que nós começamos a aceitá-lo. Uma vez que aceitá-lo,
começamos a
pense nisso como “normal”, ou como uma “norma”. E uma vez que vê-lo como uma
norma,
começamos a esperar dele. Uma vez que chegamos a esperar, ele se torna em Prac
termos Tical não é diferente de uma lei, mesmo que nunca seja formalmente esta-
instituído como um estatuto legal.
Dependendo da natureza da idéia ou comportamento, esse processo
poderia ser muito perigoso, porque nós, como sociedade pode acabar
endossando e normalizando o mal ou imoralidade. Este é precisamente o que
que aconteceu e está acontecendo na cultura ocidental em relação a
questões como direitos dos homossexuais, casamento homossexual, aborto
direitos, suicídio assistido, pesquisa com células-tronco embrionárias, e similares.
As leis de Deus são projetados para impedir-nos de aceitar e nor-
malizing mal e atribuindo-lhe força de lei em nossa sociedade. Isto é
a natureza de proteção das leis. Eles impedem ideias e comportamentos que
são contrárias à constituição e pelo bem do Estado e do
pessoas de se tornar uma influência dominante. Em outras palavras, Deus
leis foram criadas para proteger toda a comunidade.
É por isso que o pecado e violação da lei nunca afetam apenas o per-
filho ou pessoas directamente envolvidas, mas muitos outros também. É como um
efeito cascata. Nossas ações, boas ou más, afetam as pessoas em torno de nós
formas que podem nunca se sabe. Quando os israelitas estavam atacando a
cidade de Ai durante sua conquista da terra de Canaã, o pecado de um
homem , Achan, levou à derrota de toda a comunidade. Só depois
a comunidade de Israel lidou com o pecado de Achan eles foram capazes de
alcançar a vitória (ver Josué capítulos 7-8). As leis de Deus têm pessoal
aplicação com nacionais ramificações.
Outro significado do nomos é que de uma lei decretada estabelecida
por um estado. Esta definição aplica-se perfeitamente ao Reino de
Princípios Unido
150

página 151
Céu, porque esse Reino é um estado; é um país. para os cidadãos
do Reino do Céu, a Bíblia é o nomos , a decretou
lei estabelecida do Reino que estamos prometeu e obrigado
obedecer. É um erro pensar que a Bíblia como um livro religioso. isto
não é. A Bíblia é um livro legal, um livro de leis que Deus tem esta-
cido e estabelecidos por escrito para definir e proteger Sua
Unido, bem como para proteger, preservar e entregar a toda
comunidade da humanidade.
A segunda palavra grega para “lei” no Novo Testamento é ethos ,
que significa “custom”. Sempre que falamos de algo como sendo
“Habitual”, estamos falando de ethos . As leis de Deus é suposto ser
habitual para nós. É suposto ser habitual para nós não mentir ou
roubar ou cobiçar. É suposto ser habitual para nos perdoar e
amar os nossos inimigos, bem como uns aos outros. Ethos é menos formal do que
nomos . Na verdade, enquanto nomos passou a significar decretada, estabelecida
lei, ethos foi usado para descrever não escrita lei. O mais poderoso
legislação de todos são as leis não escritas. Em qualquer cultura, costumes
geralmente
transportar a força social de direito, mesmo sem estabelecimento legal formal.
E costumes, muitas vezes têm uma maior influência no compor- das pessoas
ior do que quaisquer leis formais que estão nos livros.
Deus nunca teve a intenção de escrever qualquer uma das suas leis para nós. Ele fez
não querem que a gente tem que ler a fim de viver. Não havia nenhuma lei escrita
no jardim do Éden, nenhuma lei escrita para Abraham, nenhuma lei escrita
em tudo para o povo pactuado de Deus até os dias de Moisés. O rei de
A intenção de céu era escrever Suas leis em nossos corações e em nossa
mentes de modo que ninguém teria a nos ensinar. Foi humanidade de
rebelião e separação de Deus que fez necessária lei escrita.
Precisávamos de algo para conter a nossa natureza baser e instintos e
nos impede de destruir a nós mesmos pelo egoísmo descontrolado,
paixão e violência.
O objetivo do rei nunca mudou. Apesar rebelião da humanidade,
Seu propósito original ainda permanece:
Unido Conceito # 5
151

página 152
“Esta é a aliança que farei com a casa de Israel
após esse tempo “, diz o Senhor. Porei a minha lei no
suas mentes e escrevê-lo em seus corações. Eu serei o seu
Deus e eles serão o meu povo” (Jeremias 31:33).
Este propósito imutável do Rei foi cumprida na nova
pacto por meio de Jesus Cristo.
LEI NATURAL VERSUS lei escrita
Deus pretendia lei a ser natural. Para entender o Reino de
Céu, é importante também para compreender a distinção entre
lei natural e lei escrita.
Primeiro de tudo, a lei escrita é necessária apenas quando a lei natural é
ausente. Se nós, os seres humanos eram todos cumpridores da lei, por natureza, não
haveria necessidade de lei escrita. Mas, como vimos acima, nossa rebelião
contra Deus destruiu o Estado de direito natural em nossas vidas e fez
lei escrita (assim como o governo humano) necessárias para proteger
sociedade e restringir o mal.
Em segundo lugar, a finalidade para a lei escrita é restaurar a lei natural
a consciência. Por causa de nossa rebelião contra Deus, perdemos o nosso
conhecimento instintivo e compreensão da lei natural. nosso con-
ciências tornou-se corrupto e nossa semelhança com o nosso Criador tornou-se tar-
acabado e distorcida. Coisas que eram naturais no início agora
tornou-se “não natural”. Por exemplo, consideramos generosidade para ser um
virtude, uma qualidade positiva que admiramos nos outros e aspirar no nosso-
mesmo. Por quê? Porque é não um “natural” traço humano, pelo menos não
não mais. Deus nunca ordenou a Adão para ser generoso e dando.
Por que não? Porque dar veio naturalmente para Adam. A spir- generoso
que era inerente a ele, porque ele foi feito à imagem de Deus, a sua
Criador e Deus é generoso por natureza. Mas, depois da rebelião,
a humanidade tornou-se ganancioso, detestável, abusivo, média, mesquinho, e
açambarcamento. Precisávamos de uma lei para restaurar a nossa consciência do
conceito
de dar.
Princípios Unido
152
página 153
Terceira Lei, natural é muitas vezes referida como o “espírito do
lei.”Isto reflete o desejo de Deus para as suas leis, as normas de Sua
Unido, a tornar-se as normas da nossa sociedade. Lembre-se, a terra é um
colônia do Céu, e as leis do Rei do céu deve aplicar
aqui tanto quanto eles fazem lá. Leis produzem a sociedade, porque eles
determinar as relações sociais.
Há uma diferença entre a lei e o espírito da lei.
O espírito da lei refere-se ao original de intenção o propósito que foi
na mente do legislador no início. Portanto, o espírito
da lei é a essência inerente ao propósito original e intenção
da mesma lei. Como tal, o espírito da lei é sempre maior e broad-
er do que a letra da lei. Por esta razão, a maior forma de lei
é lei não escrita. lei não escrita é um produto do espírito da lei.
Quando a lei tem de ser escrito, é porque as pessoas são desobedientes.
lei escrita é um sinal de que as pessoas perderam de vista o espírito de
a lei-a intenção original. Então, onde o espírito da lei, aí
há necessidade de lei escrita.
Qualquer nação é apenas tão bom quanto as leis que adopta. leis produzir
sociedade, para qualquer tipo de sociedade que queremos é determinada pela
leis que fazemos. A pior das leis, o pior da nação. Contudo,
más leis não causam declínio social, moral e espiritual de uma nação.
Eles apenas refletem um declínio que já está em andamento. espelho leis
o estado da nação.
É por isso que é tão importante para nós que somos cidadãos do Reino
para recuperar a nossa compreensão do “espírito da lei” lei -abrasivos naturais.
A lei natural é o princípio operacional fundamental do Reino
do céu.
As leis do Rei proteger e preservar não só o Seu Reino
mas também os benefícios e privilégios do Reino que são reservados
para os cidadãos do Reino. Mas aprender a se apropriar deles envolve
mais do que apenas saber o que são. Devemos aprender também as chaves
do Reino que desbloquear os nossos benefícios e privilégios e fazer
-los ativos em nossas vidas.
Unido Conceito # 5
153
página 154
NOTAS FINAIS
1. WE Vine, Merrill F. Unger e William White, Jr., Vine de
Conclua Dicionário Expositivo de velho e novo
Palavras Testamento (Nashville, TN: Thomas Nelson
Publishers, 1996), seção Antigo Testamento, 133-34.
2. Vine, Unger e branco, Vine complete Expositivo
Dicionário , seção Novo Testamento, 354.
Princípios Unido
154

página 155
PRINCÍPIOS
1. Todo o reino é governado por leis.
2. A Bíblia é o livro da lei do Reino dos Céus.
3. O Reino do Céu tem leis para protegê-la e garantir
que opera de acordo com a intenção de Deus.
4. Leis são construídos em criação.
5. Qualquer que seja torna-se aceito como uma norma em nossa sociedade
eventualmente torna-se uma lei de nossa sociedade.
6. As leis de Deus são projetados para impedir-nos de aceitar
e normalizando o mal e atribuindo-lhe força de lei em
nossa sociedade.
7. As leis de Deus têm pessoal aplicação com nacional
ramificações.
8. lei escrita é necessária apenas quando a lei natural está ausente.
9. A finalidade para a lei escrita é restaurar a lei natural
a consciência.
10. A lei natural é muitas vezes referida como o “espírito de
a lei."
11. Leis produzem a sociedade porque determinam sociais
relacionamentos.
12. O espírito da lei é a essência inerente do origi-
propósito nal e intenção dessa lei.
13. Qualquer nação é apenas tão bom quanto as leis que adopta.
14. A lei natural é o princípio operacional fundamental do
Reino dos céus.
Unido Conceito # 5
155

página 156

página 157
r
Capítulo Nove
K INGDOM C ONCEITO # 6
U NDERSTANDING O K INGDOM C ONCEITO DE K EYS

E muito nação e funções da sociedade civil sociais sobre as leis

e os costumes que fazem que o trabalho da sociedade. estas fun-


ções dependem da Constituição e uma lei corpo que cria-
comeu um contexto e referência para o comportamento social e relativo à
governo e outros membros da sociedade. O resultado é uma cul-
tura de leis e princípios que servem como regulamentos, valores, morais,
e normas que regem a relação do cidadão com o Autor
estrutura dade e a sua disposição no que se refere às expectativas dentro
o quadro constitucional. Em essência, todas as nações e reinos
contêm princípios e leis inerentes que devem ser respeitados por
cada cidadão, para que o cidadão se beneficiar de sua cidadania
privilégios e direitos. Essas leis e princípios são chamados por Jesus,
“Chaves do Reino”.
Você já encontrou algumas chaves velhas em torno de sua casa e
não conseguia lembrar o que eram? Possuindo uma chave que você não pode
identificar ou correspondência para um bloqueio em particular é tão ruim quanto não
ter uma chave na
todos. Que bom são as chaves que você não pode usar? Eles são como se inútil como
fechaduras
você não pode abrir.
157

página 158
Este é exatamente o problema com muitos crentes hoje. Nós temos
um grande grupo de “chaves” chamados “Escrituras” que a maioria de nós não sabe
Como usar. Temos as chaves, mas nós não sabemos que desbloqueia-chave
que fechadura. É como ter todas essas informações, mas não saber
como usá-lo, ter todo esse poder disponível para nós, mas não sabe-
ing como aplicá-la.
Conhecimento da Palavra de Deus é importante, mas insuficiente
-se para uma vida eficaz como um crente. Isso ocorre porque a maioria dos crentes
carecem de uma adequada Unido mind-set. A vida no Reino é realmente sobre
retornando para a autoridade de governo de Deus na terra e aprendi-
ing como viver e função em que autoridade. Parte da compreensão
o Reino é aprender a usar as chaves do Reino.
O Reino do Céu é o desejo e propósito para nós de Deus.
Jesus disse:
Não tenha medo pequeno rebanho, porque vosso Pai tem sido
o prazer de dar-lhe o reino (Lucas 12:32).
Nosso Pai, o Rei do céu, nos deu o Reino. Isto é
nosso. Na verdade, o próprio Jesus trouxe o Reino para nós. Era dele
principal objetivo em vir à Terra em carne humana. Recebemos o
Unido através da Sua morte. No momento em que nos voltamos do nosso rebel-
leão contra Deus e colocar nossa confiança em Cristo para nos salvar do
consequências dessa rebelião, nos tornamos cidadãos naturalizados de
o Reino dos céus, com todos os direitos, benefícios e privilégios
que vêm com ele. Mas como podemos apropriar nossos direitos? Como nós
entrar no pleno gozo dos nossos benefícios e privilégios? o que
são as chaves para uma vida eficaz no Reino?
CHAVES DO REINO
Um dia Jesus perguntou aos discípulos, o seu círculo interno de 12 mais
seguidores íntimos, a questão mais importante que ele nunca iria pedir
eles.
Princípios Unido
158

página 159
Quando Jesus chegou à região de Cesaréia de Filipe,
perguntou aos discípulos: “Quem dizem os homens que o Filho do Homem
é “Eles responderam:“Alguns dizem João Batista; outros dizem
Elias; e ainda outros, Jeremias ou um dos profetas.”
“Mas o que acontece com você?” Ele perguntou. “Quem vocês dizem que eu sou?”
Simão Pedro respondeu: “Tu és o Cristo, o Filho do
Deus vivo.”Jesus respondeu:“Bem-aventurado és tu, Simão, filho de
Jonas, por isso não lhe foi revelado pelo homem, mas pelo meu
Pai no céu. E eu te digo que tu és Pedro, e sobre
esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do Hades
não prevalecerão contra ela. Vou dar-lhe as chaves do king
dom do céu; tudo o que ligares na terra será ligado
no céu, e tudo o que desligares na terra será desligado
no céu” (Mateus 16: 13-19).
Na fé judaica daquele dia, os títulos “Cristo” e “Filho do
Deus vivo”foram reservados exclusivamente para o Messias, o libertador
de Israel e esperança do mundo que havia sido profetizado por cen-
Turies. Então Simão Pedro aqui foi confessar sua crença de que Jesus era
o Messias. Jesus diz a Pedro que ele não chegar a esse conhecimento
através de seu próprio entendimento; foi dado a ele através de super-
revelação natural.
Então Jesus diz que após a “rocha” da confissão de Pedro
fé, Ele irá construir sua “igreja”. A palavra grega para “igreja” é
ecclesia , uma palavra que é amplamente mal compreendida. Porque é translat-
ed aqui como “igreja”, a maioria das pessoas acreditam que ecclesia é um religioso
palavra. Não é. Ecclesia é um termo governamental. Significa literalmente
“Os chamados para fora” e foi usado pelos gregos para se referir ao senado
ou outros grupos políticos que foram escolhidos pelo “democrata”, ou gover-
erno. Os gregos inventaram o conceito de democracia, mas nunca
realmente aplicá-lo. Mas quando os romanos invadiram o império grego,
eles adotaram muito do pensamento e filosofia grega, incluindo
democracia, e desenvolveu-los. Isto é como Caesar desenvolveu tais
um governo poderoso.
Unido Conceito # 6
159

página 160
No Império Romano, o senado-a ecclesia -foi como o
gabinete em uma democracia moderna. O Senado foi a força motriz.
Estes indivíduos foram escolhidos a dedo pelo imperador para receber sua
pensamentos, seus desejos, sua paixão, e sua intenção. Seu trabalho era
levar a mente do rei e transformá-lo em uma legislação que poderia ser
implementado no reino. Em outras palavras, eles foram conhecer a sua
mente e ver que tudo o que ele desejava foi realizado. Isso significava
que eles tinham que ficar em contato próximo com ele. Eles tinham de falar com
ele, e ele teve que dar-lhes informações sobre o que queria em
o Reino.
O fato de que Jesus usou ecclesia para descrever o corpo de acompanhamento
ers que Ele estava estabelecendo nos diz duas coisas. Primeiro, a palavra
igreja em si é um político em vez de um termo religioso. E em segundo lugar,
Toda essa discussão sobre chaves e sobre ligar e desligar é
não um religioso, mas uma discussão política.
Com efeito, Jesus estava dizendo: “Da mesma maneira que César é senhor
de seu governo, e criou seu senado, a ecclesia , seu cabi-
net, eu também vai construir meu gabinete no fato de que eu sou o Cristo, o
o Senhor dos senhores e o Filho do Deus vivo “rei ungido”.”Ele disse
a Pedro: “Sobre o 'rock' de sua confissão de quem eu sou, eu construirei
Meu governo . Edificarei a minha senado, meu gabinete, meu adminis-
tores que irá realizar meus desejos e minha vontade.”Então Jesus estabeleceu
não uma religião, mas uma força política.
A ecclesia , portanto, é um grupo secreto encarregado de segredo
informação crítica para a operação do Reino. Esse grupo
será tão poderoso que até mesmo as “portas do inferno não prevalecerão contra
-lo.”Outra maneira de traduzir essa frase é,“as portas do Hades
não prova mais forte do que ele.”Mesmo o próprio inferno não será tão forte quanto o
ecclesia que Jesus está estabelecendo.
O que é este “informações secretas” que Jesus dá seu gabinete? Ele
diz: “Eu te darei as chaves do reino dos céus; tanto faz
o que ligares na terra será ligado no céu, e tudo o que desligares
na terra será desligado no céu.”Ele dá-nos-the-lhes-dá
Princípios Unido
160

página 161
chaves do Reino, não as chaves para o Reino. Como Unido Cit-
izens, já estamos no Reino; nós não precisamos das chaves para ele.
O que precisamos e o que Jesus nos deu-são as chaves do
Reino-chaves que irão desbloquear o poder do Reino e
fazê-lo funcionar em nossas vidas. Cidadãos Unido e única Unido cida-
Zens tem essas chaves. Cidadania no Reino é um pré-requisito
para fazê-los.
O que isto significa é que nós, que somos cidadãos do Reino são SUP-
posou para estar operando em um nível que sopra mente de outras pessoas. Nós
devem ter acesso a um poder que mistifica aqueles que ainda não estão
no Reino. Devemos estar vivendo a vida em um determinado nível
onde estamos batendo em recursos que outros não podem explicar.
CONHECIMENTO DOS SEGREDOS
A chave para as chaves não é ter chaves. A chave para as chaves é o conhecimento ,
saber o que as chaves são e como usá-los. Em outro
ocasião Jesus disse aos seus “gabinete”:
O conhecimento dos mistérios do Reino de Deus tem
sido dado a você (Lucas 8: 10a).
O Reino do céu não é uma sociedade secreta, mas suas teclas têm
a ser aprendida. Um segredo é qualquer coisa que você não sabe, especialmente se
alguém faz. Milagres se enquadram nesta categoria. Um milagre é
algo que os seres humanos não podem explicar, um evento ou ocorrência que
parece desafiar as leis da natureza. Estes homens tinham visto Jesus andar sobre
água, curar os enfermos, ressuscitar os mortos, murchar uma árvore por falar com ele,
acalmar uma tempestade, pão multiplicam, e muitas outras coisas “milagrosos”
que estavam além do alcance da experiência humana.
Mas, para Jesus, nenhum destes eram milagres. Ele disse: “Estes não são
milagres; Estou apenas usando chaves. Eu sei como colocá-los nas fechaduras,
e eles estão desvendando prosperidade, desbloqueando cura, desbloqueando
paz, autoridade desbloquear. Olhe-me e você vai ver o Reino
Unido Conceito # 6
161

página 162
no trabalho, e também como ele deve funcionar para você. Meu Pai tem dado
-lhe o conhecimento dos segredos do Reino. eu vou te ensinar
como usar as teclas “.
Jesus não deixou dúvidas de que o Reino era suposto para trabalhar para
Sua ecclesia assim como ele trabalhou para ele, para na noite antes de sua
morte, Ele lhes disse:
Digo-lhes a verdade, qualquer pessoa que tenha fé em mim fará
o que eu tenho feito. Ele vai fazer coisas ainda maiores
que estas, porque eu vou para o Pai. E eu farei
tudo quanto pedirdes em meu nome, de modo que o Filho pode trazer
glória ao Pai. Você pode perguntar-me alguma coisa em meu
nome, e eu vou fazê-lo (João 14: 12-14).
ecclesia de Jesus (que nos inclui) ia fazer o mesmo
coisas que ele estava fazendo, e muito mais, porque o Espírito Santo, que
quer vir após Ele tinha ido embora iria ensinar-lhes as chaves do
Unido e como usá-los. Uma chave importante é incorporado em
esta passagem: a chave para abrir o “armazém” do Céu. A chave
que abre esse bloqueio é oração -asking em nome de Jesus -e o que quer
e qualquer coisa que pedimos será feito. Essa é uma promessa muito aberto, mas
não é uma maneira de satisfazer nosso próprio egoísta quer e deseja. Nós devemos
use a tecla direita. Devemos pedir em nome de Jesus-segundo a Sua vontade
e em linha com o Seu propósito. Isso é o que vai abrir enchentes do Céu
portões.
Os doze discípulos de Jesus já tinha visto esta tecla activada
de forma inesquecível o dia em que Jesus alimentou cinco mil pessoas com
fives pães e dois peixes. A multidão tinha estado com Jesus tudo
dia a ouvir seus ensinamentos. Agora era no final do dia, e eles
nós estamos com fome. Os discípulos de Jesus sugeriu que ele enviá-los para dentro
da
aldeias para obter comida, mas Jesus tem outra ideia. Ele estava se preparando para
ensiná-los a usar uma chave:
Jesus respondeu: “Eles não precisam ir embora. Você dá-lhes
algo para comer.”“Não temos aqui senão cinco pães
Princípios Unido
162

página 163
e dois peixes “, responderam eles. “Traga-os aqui para mim”, ele
disse. E Ele dirigiu as pessoas a sentar-se na grama.
Tomando os cinco pães e os dois peixes e olhando para cima para
céu, deu graças e partiu os pães. Depois ele
deu-os aos discípulos, e os discípulos deu-lhes a
as pessoas. Todos comeram e ficaram saciados, e a disci-
ples recolheram doze cestos cheios de pedaços que estavam
sobrando. O número daqueles que comeram foram cerca de cinco
mil homens, além de mulheres e crianças (Mateus
14: 16-21 ênfase adicionada).
Jesus usou essa situação para testar seus discípulos para ver se eles escolheram
-se sobre os segredos. Ele disse: “Você alimentá-los.” Esse foi o teste. Eles
deveria ter perguntado, “que tecla usamos?” Em vez disso, eles disseram: “Todos
temos é ....”Eles foram limitados por aquilo que eles poderiam ver . Mas no
Reino dos Céus não caminham pela vista, mas pela fé. A lição
Jesus queria que eles (e nós) para aprender é que, quando você sabe as chaves
aos segredos Unido, você nunca mais vai dizer: “Tudo o que tenho é ....”
Olhe para a progressão: Jesus olhou para o céu e
deu graças. Ele colocou na chave de oração e desbloqueado o entreposto
casa. Então Ele partiu o pão, deu-o aos seus discípulos, e eles
distribuiu entre as pessoas. Ele deve funcionar para nós da mesma maneira.
Através da oração em nome de Jesus (a chave), nós desbloquear entreposto do Céu
casa. O próprio rei chama diante de sua abundância e dá
-lo para nós, e, em seguida, dá-la a outros.
Mas temos de saber a chave que abre o armazém. que
conhecimento é a promessa de Cristo para nós: “ O conhecimento dos segredos de
o reino de Deus foi dado a você .”
SETE PRINCÍPIOS DE CHAVES
O conhecimento leva à compreensão. Uma vez que sabemos o princi-
ples trás chaves, podemos entender como eles funcionam no Reino.
Há vários princípios que definem as propriedades de chaves.
Unido Conceito # 6
163

página 164
1. Chaves representam autoridade. Se você possui uma chave para um lugar,
isso significa que você tem autoridade naquele lugar. Suponha que o seu
patrão confia-lhe uma chave para a loja ou escritório. De
Fazendo isso, ele não só mostra que ele confia em você, mas também
que ele delegou uma certa quantidade de autoridade para
você. A chave para a sua casa significa que você tem autoridade
há. A chave para o seu carro lhe dá autoridade para conduzir
sempre que quiser. Cristo diz: “Eu estou dando-lhe a
chaves do reino dos céus. Eu estou dando-lhe autori-
dade no céu, a mesma autoridade que eu tenho.”O que um awe-
algum dom! Poucos de nós têm feito mais do que apenas arranhar a
superfície em aprender o que isso significa.
2. Chaves representam acesso. A chave dá-lhe acesso instantâneo a
tudo o que chave abre. O segredo está em saber o que
a chave abre. As chaves do Reino dos Céus dar
-nos acesso imediato a todos os recursos do céu. Mas
temos que saber como usá-los. Então, muitas vezes limitar nosso-
eus por confiar ou acreditar apenas no que podemos ver
com nossos olhos ou raciocinar com nossas mentes. Um Unido
Mentalidade muda completamente nossa perspectiva.
Quando um rei pagão enviou seu exército para capturar o profeta hebreu
Eliseu, o servo do profeta estava aterrorizada uma manhã para encontrar o
exército em torno da cidade.
“Oh, meu senhor, o que devemos fazer?”, Perguntou o servo.
“Não tenha medo”, o profeta respondeu. "Aqueles que são
conosco são mais do que aqueles que estão com eles.”E
Eliseu orou: “Ó Senhor, abra os olhos para que veja.”
Então o Senhor abriu os olhos do moço, e ele olhou
e viu as colinas cheias de cavalos e carros de fogo,
em torno de Eliseu. Como o inimigo desceu em direção a ele,
Eliseu orou ao Senhor, “Strike essas pessoas com
cegueira.”Então ele feriu de cegueira, como Eliseu
pediu (2 Reis 6: 15-B-18).
Princípios Unido
164

página 165
Servo de Eliseu ficou assustada com o que ele viu em torno dele, mas
ele não tem uma chave. Eliseu tinha um céu chave, desbloqueado, e trouxe
-se um exército de anjos para protegê-los. O Profeta aproveitado para uma
princípio que o levou a um sistema que fez que o exército pagão olhar
como soldados de brinquedo por comparação. Quando você tem as chaves do
Unido, você não tem nenhuma falta e nenhuma crise porque o rei é maior
que todos eles. Jesus disse que Ele nos ensine a caminhar nesse tipo de
autoridade, acesso e confiança.
3. Chaves representam a propriedade. Posse de uma chave dá-lhe
propriedade facto de de tudo o que essa chave abre.
Portanto, quando você possuir as chaves do Reino dos
céu, você tem a posse do céu na terra. Jesus
disse: “ Tudo o que ligares na terra será ligado no heav-
en, e tudo o que desligares na terra será desligado nos
céu .”Em outras palavras, você possui na terra tudo o que é
acontecendo no céu. Isto significa que você nunca deve
julgar como sua vida está indo simplesmente pelo seu circunstâncias
posturas.
Suponha que você se despedido de seu trabalho. Seria fácil de obter
assustado e estressado porque você tem uma família e contas a pagar
e nenhum dinheiro. Isso é suas circunstâncias. Como cidadão Unido
com as chaves do Reino, no entanto, você tem a propriedade de heav-
en na terra. Você pode estar confiante e até mesmo alegre com a perspectiva
de um futuro brilhante, porque você tem uma fonte de fornecimento e prestação
que aqueles que estão fora do Reino não pode sequer conceber. Então vá ter um
partido prosperidade! O Rei está se preparando para abençoar e prosperar
a partir de uma direção completamente inesperada. Quando você “próprio” do
recursos do Rei, você nunca são destituídos.
4. Chaves representam controle. Se você possui a chave para alguns-
coisa, você controlá-lo. Você controla quando ele abre, quando se
fecha, e quem tem acesso a ele. A chave ajuda a controlar
Tempo. Em outras palavras, você decide se para abri-lo na
08:00 ou 10:00 ou 06:00 ou sempre. Isso lhe dá controle
Unido Conceito # 6
165

página 166
sobre quando algo vem. Se você precisar de algo
agora, você opera uma chave.
Um dia, o profeta hebreu Elias se encontrou com um encontro pobre viúva
varas no portão da cidade. Isso foi durante uma seca severa. Ele perguntou
-la para um copo de água e um pedaço de pão.
“Tão certo como o Senhor teu Deus vive”, ela respondeu: “Eu não
ter qualquer pão somente um punhado de farinha em uma jarra e um
pouco de azeite numa botija. Estou reunindo algumas bananas para levar para casa
e fazer uma refeição para mim e para meu filho, para que o comamos
it-e morrer.”, disse Elias a ela:“Não tenha medo. Ir para casa
e fazer o que você disse. Mas, primeiro, fazer um pequeno bolo de
pão para mim do que você tem e trazê-lo para mim, e
em seguida, fazer algo para si mesmo e seu filho. Por esta
é o que o Senhor, o Deus de Israel diz: 'O pote de farinha
não será usado para cima e a jarra de azeite não secará
até o dia em que o Senhor dá a chuva sobre a terra. '”Ela foi
distância e fez como Elias tinha dito a ela. Portanto, não havia comida
todos os dias para Elias e para a mulher e sua família.
Para o pote de farinha não foi utilizado e o jarro de óleo fez
não funcionar a seco, de acordo com a palavra do Senhor falado
por Elias (1 Rs 17: 12-16).
A verdade das circunstâncias da viúva era que ela e seu filho
estavam prestes a morrer de fome. Elias se aproxima e faz um corajoso, alguns
pode até dizer egoísta, pedido: “Eu sei que você não tem muito, mas
alimente-me primeiro e depois a si mesmo e seu filho. Confie no Senhor; Ele
vai cuidar de você.”Isso não era egoísmo. Elias estava oferecendo
a mulher uma chave. Uma vez que ela tomou-a, ela tinha o controle. Pela fé e
obediência que ela destrancou despensa do céu e trazido para baixo para ela-
auto e sua família provisão sobrenatural que os sustentava até
a seca terminou. toda a sua vida e mentalidade mudou do cir-
cunstâncias de carência e privação para uma perspectiva Reino de
abundância ilimitada.
Princípios Unido
166

página 167
5. Chaves representam autorização. Isto é semelhante ao número
1. A autorização significa ser dada a autoridade para agir
no nome ou no lugar de quem lhe deu a
autoridade. “O chefe me autorizou a fazer isso ...”.
A posse de chaves significa que você está autorizado a agir
em nome e autoridade de quem detém as chaves.
Ao nos dar as chaves do Reino do Céu, Jesus
nos dá a autoridade para influenciar o céu. Ele tem
autorizou-nos a agir em seu nome e por sua autoridade para
pedido o que quer que nós desejamos que esteja de acordo com a Sua
vontade e propósito.
6. Chaves representam o poder. Quem lhe dá as chaves lhe dá
poder, ao mesmo tempo. Isto é semelhante ao controlo. Você
tem controle-poder-sobre tudo o que você possui a
chaves para. Se você sabe como usar as teclas, sejam elas
desbloqueio está à sua disposição. As chaves para o seu dar casa
-lhe o poder de ir e vir e para permitir ou não
outros para entrar. Quando Jesus nos deu as chaves para a king
dom, Ele nos deu o poder no Céu. Tudo o que ligares na
Terra afeta o Céu; tudo o que desligares na terra afeta
Céu; o que quer que fechar na terra, o céu se fecha.
Será que realmente tem tanto poder como cidadãos do Reino? Sim.
O Rei não quer que vivamos como vítimas do sistema da terra, assim
Ele nos deu a capacidade de tocar em um reino que é invisível, mas
absolutamente real e podem literalmente afetar a Terra física. Isso é por que
Cristo foi capaz de viver uma vida abundante em tempos de crise. Ele tinha
poder do Céu. E Ele deu esse poder para nós.
7. Chaves representam a liberdade. Quando você tem as chaves, você está
livre para entrar e sair. Você é livre para bloquear e desbloquear,
para abrir e fechar. As chaves do Reino nos dar
liberdade do medo e todas as outras emoções limitantes
de um sistema terrestre. Eu costumava perguntar por que Jesus era tão
despreocupado, tão calmo, e assim no controle não importa o que era
Unido Conceito # 6
167

página 168
acontecendo ao seu redor. Foi porque ele tinha a chave
da liberdade.
Um dia Jesus estava dormindo na parte de trás de um barco enquanto seu gabinete
(Alguns dos quais eram pescadores) navegou através do Mar da Galiléia.
Como acontece com frequência em que o corpo de água, uma forte tempestade
explodiu
De repente. A tempestade foi tão forte que até mesmo os marinheiros experientes
a bordo temiam que o barco ia afundar. Como poderia Jesus sono
através de uma tal crise? Suas vidas estavam em perigo, e Ele era snooz-
ing na popa!
Os discípulos foram acordá-lo, dizendo: “Senhor, salva-nos!
Nós vamos morrer!”Ele respondeu:“Homem de pouca fé, por que
você tem tanto medo?”Então Ele se levantou e repreendeu os ventos
e as ondas, e foi completamente calmo. Os homens eram
espantado e perguntou: “Que tipo de homem é esse? Mesmo o
ventos e as ondas lhe obedecem!” (Mateus 8: 25-27).
Jesus disse: “Homem de pouca fé, por que você tem tanto medo?” Em essência
Ele estava dizendo: “Qual é o problema? Onde estão suas chaves?”Então Ele
tirou uma chave, trancado a tempestade, e ele parou. Com espanto,
os discípulos perguntaram: “Que tipo de homem é esse?” Apenas um homem com as
chaves.
As chaves do Reino são as chaves para a verdade última, a
conhecimento de que traz a verdadeira liberdade. Jesus disse:
Se permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos.
Então você saberá a verdade, ea verdade vos tornará
livre (João 8: 31b-32).
Por “ensinamento”, Jesus não está se referindo tanto para versículos bíblicos
tanto quanto os princípios, leis e preceitos contidos naqueles
versos. A liberdade vem em saber a verdade. Só a verdade não é
o que define você livre. O que te liberta é a verdade que você sabe. o
chaves do Reino podem trazê-lo para o conhecimento da verdade.
Princípios Unido
168

página 169
SETE CARACTERÍSTICAS DAS CHAVES
1. As chaves são leis. Eles são fixos, padrões confiáveis que
nunca mude. Quando usado corretamente, eles sempre funciona.
2. Chaves são princípios. Quando Jesus falou de “as chaves do
Unido,”Ele não estava falando sobre teclas físicas literal para
abrir fechaduras físicas. As chaves do Reino são princi-
ples, os sistemas que operam sob leis fixas. Quando ele
-nos as chaves dá, Ele nos dá os princípios pelos quais a
Kingdom of Heaven opera. Nós ter acesso ao sis-
tems que fazem o trabalho Reino dos Céus. E uma vez
aprendemos as leis, o sistema e os princípios, todos
céu estará disponível para nós.
3. As chaves são sistemas. Todo governo é executado em sistemas: o
sistema social, o sistema econômico, o sistema político,
o sistema educacional, do sistema de telecomunicações,
etc. O conhecimento dos sistemas e como eles funcionam é um
chave para o poder e influência. Controlar os sistemas e você
controlar o governo. Perturbar os sistemas e você
perturbar o governo. Destruir os sistemas e você
destruir a nação. Isso é o quão poderoso sistemas são.
Ainda mais, é assim que conhecimento poderoso pode ser.
Os sistemas do Reino dos Céus estão fora do alcance de
aqueles que estão fora do reino e não estão em perigo de ser interrompido
ou destruído. cidadãos do Reino, por outro lado, têm acesso aos
os sistemas e pode trazer a influência de sistemas Unido para
ter em situações terrenas. É por isso que os cidadãos Unido pode descansar
confiante na vitória e sucesso, não importa que circunstâncias pode
sugerir. Então, a coisa mais importante que qualquer um de nós poderia fazer é fazer
Certifique-se de que somos cidadãos do Reino dos Céus.
4. Chaves ativar a função. Um carro funciona com gasolina. o
“Chave” da gasolina ativa a função do carro.
Sem gasolina, o carro não vai sem correr importa quão
Unido Conceito # 6
169

página 170
muitas outras chaves que você tem. Da mesma forma, um rádio sem
receptor não pode cumprir a sua função de rádio convertendo
ondas em ondas sonoras audíveis para você ouvir. o
“Chave” de um receptor está faltando, e sem ele, o rádio é
uma única, a caixa vazia silenciosa. A caixa pode ser bonito, o
vidro limpo e brilhante, mas não pode cumprir sua finalidade
porque a chave para ativar sua função não está lá. Para
mim, religião é como que o rádio atraente ou que elegante
mas o carro gás-less que não funciona. Como eles, a religião
pode olhar bonito e impressionante no exterior com
toda a sua regalia e tradições, mas não tem as chaves e lá-
fore não tem a capacidade eo poder para ativar Unido
função.
As chaves do Reino ativar Céu para que possamos totalmente
desfrutar de nossos direitos e privilégios como cidadãos do Reino. Isso é muito mais
Certifique-se e seguro do que dependendo dos sistemas do mundo para o nosso
apreciação. Sobre este ponto, Reino embaixador Paulo aconselha:
Ordene aos que são ricos no presente mundo não
sejam arrogantes, nem ponham a sua esperança na riqueza, que
é tão incerto, mas para colocar a sua esperança em Deus, que rich-
ly fornece-nos com tudo para a nossa satisfação
(1 Timóteo 6:17).
As chaves do Reino nos permitem desfrutar de toda a rica e boa
coisas de Deus sem medida.
5. Chaves iniciar a ação. Assim como a chave para um iniciados carro
ação por ligar o motor, as chaves do Reino,
quando sabemos como usá-los, iniciar a ação em
Céu.
6. As chaves são os princípios pelos quais o Reino de Deus
opera. Não são apenas os princípios chaves, mas especificamente,
chaves para a operação do Reino. Eles nos dão
acesso às plantas, o esquema, os fluxogramas assim
Princípios Unido
170

página 171
que possamos compreender e apropriar-se do Work- interior
Seres do reino dos céus.
7. As chaves não podem ser substituídos por sentimentos, emoções, wishful
pensando, ou manipulação. Se você está trancado fora de seu
Casa sem uma chave, nenhuma quantidade de implorar ou suplicar
ou desejando que vai fazer essa porta aberta. Se o seu carro está fora de
gás, você pode sentar-se ao volante e sonho e vontade tudo
você quer que ele se mova, mas ele vai ficar onde está.
Religião é construído sobre sentimentos, emoções, pensamento positivo,
e manipulação. É diferente com o Reino. o
Kingdom of Heaven opera em chaves. Você pode desejar e
sentir e mendigar e implorar tudo o que quiser, mas sem a
chaves certas, você ainda vai ser trancado para fora de todas as coisas
Deus prometeu-lhe porque os sentimentos que portas não abertas.
Chaves fazer.
No sistema do mundo, você chegar à frente, matando, roubando, prejudicando,
manipular, subindo nas pessoas, usando as pessoas, roubar, gam-
bling-qualquer maneira que puder. Mas no Reino dos Céus, tudo
é invertida. Para chegar à frente, você deve fazer o oposto do que você faz
no mundo. Em vez de começar, você dá; em vez de entesouramento, você
lançamento; em vez de agarrar, você desiste; Em vez de odiar, que você ama;
em vez de cada-homem-para-si mesmo, você mostrar primeira relação aos outros.
Sim, isso é absurdo, mas esse é o caminho do Reino de Deus
trabalho.
A NATUREZA contraditório DE CHAVES
É esta qualidade muito contra-intuitivo do Reino dos céus
que o torna tão difícil para o mundo entender. O Reino de
Céu e os reinos deste mundo operam por completamente oposta
princípios do site. Pessoas criadas no sistema do mundo não pode compre-
Hend por conta própria a verdadeira natureza de outro mundo do Reino de Deus.
Unido Conceito # 6
171

página 172
É por isso que Simão Pedro não poderia reconhecer Jesus como o Messias
exceto pela revelação divina.
Este choque de sistemas é vivamente ilustrado por um Jesus encontro
teve um dia com um jovem rico que estava interessado na obtenção de
para o Reino.
Como Jesus começou o seu caminho, um homem correu até ele e caiu
de joelhos diante dele. “Bom Mestre”, ele perguntou: “o que
devo fazer para herdar a vida eterna?”“Por que me chamais
bom?”, respondeu Jesus. “Ninguém é bom senão Deus
sozinho. Sabes os mandamentos: 'Não matarás, fazer
Não adulterarás, não furtarás, não darás falso testi-
Mony, não fraudar, honra teu pai e mãe. '”
“Mestre”, declarou ele, “tudo isso tenho guardado desde que eu era um
garoto.”Jesus olhou para ele e o amava. “Uma coisa que você
falta “, disse Ele. “Vai, vende tudo o que tens e dá-o
pobres, e terás um tesouro no céu. Então venha,
siga-me.”Neste rosto do homem caiu. Ele retirou-se triste,
porque ele tinha uma grande riqueza. Jesus olhou em volta e
disse aos seus discípulos: “Como é difícil para os ricos entrarem
o reino de Deus “! (Marcos 10: 17-23).
Assim que entrar no Reino e começar a funcionar correctamente,
que inevitavelmente se tornará próspero. Prosperidade é um produto natural de
Unido vivendo. Mas devemos viver de acordo com as normas do Reino
para prosperar no Reino.
Este jovem rico teve problemas com as condições de Jesus
porque ia contra tudo o que ele nunca tinha ouvido falar e
Acredita sobre o sucesso e prosperidade. Ele simplesmente não estava preparado
para o comando intuitivo de Jesus à parte com tudo
que ele pensou que o fez “alguém”. É por isso que Jesus disse que ele
é difícil para um rico entrar no Reino de Deus. As chaves, o
princípios, os sistemas do Reino são opostas às do
mundo, de onde eles adquiriram sua riqueza.
Princípios Unido
172

página 173
Em outras palavras, a natureza oposta de chaves Unido torna dife-
cil para muitas pessoas a entender o Reino. Este jovem
havia crescido em um mundo onde você começa tomando. Ele não podia
compreender o princípio de um Reino onde você começa por dar .
Além disso, é o poder da ignorância de chaves Unido que
pode nos destruir. Escritura diz:
“O meu povo está sendo destruído por falta de conhecimento” (Oséias
6a): 4.
Por causa da ignorância de chaves Unido, este jovem rico fez
não saber como se tornar mais rico, então ele escolheu para agarrar riqueza
que, literalmente, era matá-lo ao invés de entrar em riqueza que podia
dar-lhe vida. Vindo para o Reino de Deus não faz você
pobres nem requer que você se torne pobre. Mas você tem que saber o
chaves.
Este homem rico achava que ele era rico, mas foi muito pobre, porque
ele não entendeu a natureza da verdadeira riqueza. Então ele foi embora
triste. Um princípio fundamental do Reino dos Céus, por outro lado,
é isto:
A bênção do Senhor enriquece, e ele não lhe acrescenta
problemas a ele (Provérbios 10:22).
Depois de conseguir as chaves do Reino e aprender como eles funcionam,
a bênção de Deus vai lhe trazer riqueza sem tristeza. E ele
pode fazê-lo em um instante se Ele é tão inclinado.
Outro fator para a dificuldade das pessoas tem na compreensão
o Reino é o perigo da natureza caída do raciocínio humano .
rebelião do homem contra Deus resultou em uma mente corrompida e con-
Ciência. A forma como a maioria de nós neste mundo perseguem o sucesso e
riqueza e tentar chegar à frente é totalmente contrária aos princípios
e leis que Deus projetou para criação. Mas estamos muito cego
por nossas mentes corruptas para vê-lo. Como o jovem rico, assumimos
Unido Conceito # 6
173

página 174
que você deve fazer certas coisas para ter sucesso-escalar o corporativo
escada, caminhando sobre as cabeças das pessoas e pisando em suas mãos,
prejudicá-los, usá-los egoisticamente, esquema contra eles, traí-los,
mentira, enganar, roubar-o que for preciso para ser um milionário antes da idade
de 40.
Em seguida, Jesus vem e diz: “Se você quiser verdadeira riqueza e
verdadeiro sucesso, se livrar de tudo isso. Dar-lhe de volta para as pessoas que você
tem
-lo de e siga-me.”A atitude de vontade de parte com tudo
é tão importante, e talvez mais, do que o ato em si.
Lembre-se, no Reino dos Céus somos mordomos, não proprietários.
Por causa de nossa natureza caída do raciocínio humano, os princípios
e chaves do Reino de Deus são completamente estranho para o caminho
fomos treinados para pensar. É por isso que a primeira palavra Jesus disse
quando Ele veio para anunciar o Reino era: “Arrependei-vos.” Alterar o
maneira que você pensa.
Princípios trabalhar, mas nem sempre são compreendidos. O jovem rico
homem simplesmente não podia ver como seguir as instruções de Jesus faria
conseguir o que ele queria. Ele não podia compreender o princípio. As chaves
do trabalho do Reino, mas, por vezes, mesmo depois de aprender a usar
-los, nós não entender como eles funcionam. Eles apenas fazem.
Princípios são estabelecidos pelo fabricante. nosso Criador
conhece Sua criação. Deus sabe o que é melhor para nós. Mas por causa de
nossa natureza decaída, somos criaturas disfuncionais que acreditam tanto
que não há nada de errado conosco ou que tudo o que é errado,
pode corrigir a nós mesmos. sabedoria intuitiva nos leva a compreender
que as chaves do Reino, os princípios em que o
Unido opera, também são as chaves para trazer a vida, direito e
cultura do Céu à Terra, mesmo quando a lógica ou raciocínio humano
diz o contrário.
Princípios Unido
174

página 175
PRINCÍPIOS
1. A vida no reino é realmente sobre voltar para o gover-
lando autoridade de Deus na terra e aprender a
viver e funcionar essa autoridade.
2. O Reino do Céu não é uma sociedade secreta, mas a sua
chaves têm de ser aprendidas.
3. Quando você sabe as chaves para os segredos Unido, você
nunca mais vai dizer: “Tudo o que tenho é ....”
4. Chaves representam autoridade.
5. Chaves representam acesso.
6. Chaves representam a propriedade.
7. Chaves representam controle.
8. As teclas representam autorização.
9. chaves representam potência.
10. Chaves representam a liberdade.
11. As chaves do Reino são as chaves para a verdade última,
o conhecimento de que traz a verdadeira liberdade.
Unido Conceito # 6
175

página 176

página 177
r
Capítulo dez
K INGDOM C ONCEITO # 7
U NDERSTANDING O K INGDOM C ONCEITO DE C ITIZENSHIP
T ele poder mais impressionante e posição dos priv- nacional

ilege é cidadania. Cidadania é o mais valioso


activo de uma nação e não é facilmente determinada por causa de sua
poder e impacto. Todos os governos defender o direito da cidadania
com o mesmo fervor por causa de suas implicações. A cidadania não é
associação. Religiões funcionar na sociedade, enquanto as nações e
reinos funcionar sobre a cidadania.
Nos últimos meses, a imigração se tornou um tema quente em algum
partes do mundo. Por exemplo, há crescente preocupação entre muitos
Os europeus ocidentais que o contínuo influxo de imi- muçulmana
bolsas do Oriente Médio em breve transformar todo o religioso,
tez social e cultural da Europa. distúrbios sectários recentes em
França sobre o desemprego e em muitos outros países europeus
sobre a publicação de charges “blasfemas” de Muhammad tem
revelou que pouco assimilação cultural entre os imigrantes
ocorreu.
Ainda mais preocupante, porém, é o espetáculo que tem sido
acontecendo nos Estados Unidos sobre a imigração. Durante meses, os debates
devastaram sobre o status de milhões de estrangeiros ilegais, principalmente de
177

página 178
México, que vivem e trabalham nos EUA comícios em apoio destes ille-
galões têm atraído milhares para as ruas. alguns legisladores
propuseram a concessão de todos os estrangeiros ilegais atualmente no país
estatuto jurídico imediato e colocá-los em uma pista curta para
cidadania americana. Outros insistem que o governo dos Estados Unidos deter
e deportar tantos imigrantes ilegais como eles podem encontrar e aumentar
patrulhas na fronteira EUA-México para evitar mais would-be
migrantes de crossing over. Há mesmo alguns que têm encarem
ously propôs a construção de uma cerca ao longo de todo o comprimento de 700
milhas de
a fronteira.
Parece que as massas de pessoas do sul da fronteira são
clamando para entrar nos Estados Unidos. Por quê? O que chama-los para
vida risco, captura, prisão, ou a deportação apenas para atravessar essa
fronteira? Poderia ser muitas coisas: melhores empregos, salários mais elevados,
melhor
cuidados de saúde, maiores oportunidades e uma qualidade totalmente melhor
de vida do que eles sentem que podem entrar em seu país de origem. Para muitos,
é a atração de mesmo a possibilidade de cidadania na maioria prosper-
nação ous no mundo.
Eu não estou tentando fazer um caso a favor ou contra as vantagens
ou benefícios de ser um cidadão americano. Meu ponto aqui é que cida-
dania é um empate poderoso. As pessoas são atraídas para uma nação que
parece prometer uma vida melhor do que o que eles estão vivendo, onde
eles são. Algumas pessoas ainda ficam desesperados o suficiente para fazer qualquer-
coisa que eles têm que fazer para se tornar uma parte dessa nação.
Assim, o conceito de cidadania é fundamental para a compreensão da
natureza do Reino dos céus. Como eu disse antes, todos governos
mentos e reinos operar em governar as leis e princípios.
A cidadania é necessária para a validade e legitimidade de qualquer nação.
Não só isso, mas a cidadania é o privilégio mais sagrado de uma nação .
Princípios Unido
178

página 179
O poder e privilégio de CIDADANIA
Cidadania tem grande poder, bem como grandes privilégios. Isso é
por que as pessoas estão dispostas a arriscar suas vidas e atravessam fronteiras até
mesmo para
ponto de morte para o exercício da esperança da cidadania. A cidadania é
não só sagrado, mas santificado-separado. Um cidadão é parte de um
elite, grupo privilegiado. Pessoas que viveram como “sujeitos” de uma for-
Estrangeiros do governo, em vez dos cidadãos a compreender esta distinção
muito melhor do que as pessoas que nasceram cidadãos. O mesmo é verdade
para as pessoas que têm trabalhado muito duro para ganhar o privilégio de
tornar-se um cidadão naturalizado do seu país escolhido.
Como um privilégio sagrado, a cidadania é o dom mais precioso que
qualquer nação pode dar. É por isso que existem leis para proteger as pessoas de
-lo e protegê-lo das pessoas. Além de cidadãos nativos, cida-
dania é nem concedido levemente nem obtido facilmente. E isso
não deve ser. Cidadania é demasiado precioso tesouro para distribuir
indiscriminadamente como folhetos.
Quando se trata de questões de cidadania, o Reino de Deus é
não é diferente de qualquer outro país. Lembre-se, o Reino de
Deus não é uma religião. É um governo com um país. O céu é
naquele país, e Jesus Cristo é o seu rei. Referindo-se a Cristo, o
antigo profeta hebreu Isaías escreveu:
Para a nós uma criança nasce, para nós um filho é dado, eo gover-
erno está sobre os seus ombros ... .do aumento de Sua
governo e da paz não haverá fim. Ele vai reinar
no trono de Davi e sobre o seu reino , estabelecendo
e sustentando-lo com justiça e retidão de que
agora e para sempre ... (Isaías 9: 6-7, ênfase adicionada).
Como qualquer outro país, o Reino de Deus tem o princípio da
cidadania. E, como o exemplo da América acima, uma vez que as pessoas
saber sobre o Reino, e uma vez que eles entendem o que é e
o que tem para oferecer, eles clamam para entrar. Isto é o que Jesus era
referindo quando Ele disse:
Unido Conceito # 7
179

página 180
A Lei e os Profetas foram proclamados até John.
Desde aquela época, a boa notícia do reino de Deus é
sendo pregado, e todo mundo está forçando seu caminho para ele
(Lucas 16:16).
“Todo mundo está forçando seu caminho para ele.” Uma vez que as pessoas
aprendem sobre o
Reino de Deus, eles não podem esperar para entrar! Imagem em sua mente tudo
esses pretensos imigrantes clamando desesperadamente para atravessar o mandrila-
der, e então você vai ver o que Jesus queria dizer.
Por que, então, alguém pode perguntar, não vemos as pessoas clamando
para entrar nas igrejas? Por que a Igreja como um todo parecem
tem tão pouco impacto sobre nossa cultura? A razão é simples e triste.
A maioria dos pastores não entendem o Reino, para que eles não pregam
ou ensiná-lo. Consequentemente, a maioria das pessoas nas igrejas não
entender o Reino quer, então eles não modelam Unido liv-
ing. Minha experiência tem sido que, quando as pessoas sabem sobre o
Unido e vê-lo modelados, eles querem isso!
Tal é o poder da atração de cidadania no Reino de
Céu.
TORNAR-SE UM CIDADÃO UNIDO
Todas as nações, incluindo reinos, têm cidadãos. E todas as nações
requerer o estatuto de imigração. O Reino de Deus não é diferente.
Cada cidadão Unido hoje é um cidadão naturalizado. Nós emigrou
de um país de um estrangeiro “ poder das trevas ” (ver Col. 1:13) -
onde nós como uma raça tinha sido “exilado” desde a rebelião de Adão
o Jardim do Eden. Naquele tempo, a raça humana perdeu a cidadania em
céu. Perdemos nossa cidadania porque perdemos nosso Unido, e
perdemos o nosso Unido porque perdemos nossa propriedade-nosso território.
Não se esqueça que, sem território, não há reino; e sem
um reino, não pode haver cidadania reino.
Quando Jesus Cristo começou Seu ministério público, Ele anunciou
que o Reino do Céu tinha chegado. Essa foi a única mensagem
Princípios Unido
180

página 181
Ele pregou. Ele trouxe de volta à Terra o Reino perdemos no Eden
e nos deu acesso a ela novamente. Nós entrar no Reino do Céu
através do processo que Jesus chamou “nascer de novo” (ver João
3: 3) mudando ao nosso espírito e se transformando de nossa rebelião contra
Deus, colocando nossa confiança em Jesus para o perdão da nossa rebelião,
e reconhecendo-O como Senhor (Proprietário) de nossas vidas. Este novo
nascimento”nos leva para o Reino dos Céus.
Muitos crentes chamam isso de “ser salvo”, mas eu acho que é mais ajuda-
ful aqui para pensar do novo nascimento como o processo de “naturalização” por
qual nos tornamos cidadãos do Reino. O novo nascimento nos faz natu-
cidadãos ralized do reino. Ele também “naturaliza”-nos no sentido
que nos leva de volta ao nosso originais estado “natural” de autoridade e
domínio sobre a terra como Deus planejou desde o início. Quando nós
tornar-se cidadãos do Reino de Deus, isso significa que nós voluntariamente
alinhar-nos com um novo governo e um novo país, embrac-
ing sua linguagem, seus ideais e os seus valores.
A constituição Unido é explícito sobre a nossa cidadania:
Conseqüentemente, você não sois estrangeiros e peregrinos, mas
concidadãos com o povo de Deus e membros de Deus
agregado (Ef 2:19, ênfase adicionada).
Mas nossa cidadania está nos céus. E nós aguardamos um
Salvador a partir daí, o Senhor Jesus Cristo, que, pelo
poder que lhe permite trazer tudo sob o Seu
controle, vai transformar nossos corpos humilhados, para que eles vão
ser como seu corpo glorioso (Filipenses 3:20, ênfase
adicionado).
Dando graças ao Pai, que se qualificou você
parte na herança dos santos no reino de
luz. Pois ele nos resgatou do domínio das escuros
ness e nos transportou para o reino do Filho Ele
amores (Cl 1: 12-13, ênfase adicionada).
Unido Conceito # 7
181

página 182
Não só o novo nascimento nos tornar cidadãos do Céu, mas a nossa
cidadania começa imediatamente . Somos cidadãos Unido agora .
A nossa cidadania é uma realidade presente . Nós “ são ... concidadãos
Povo de Deus ‘” A nossa cidadania está nos céus.’Deus“ tem nos trouxe
para o reino do Filho “.
Por que isso é tão importante? Eis o porquê: Religião adia cidadania
navio para o futuro . Os líderes religiosos dizer seu povo: “Você vai ser um
cidadão ... um dia . Você vai estar no Reino ... você vai ter alegria
mais tarde ... você vai ser um cidadão pleno. Mas não hoje. Ainda não. O Reino
ainda não chegou.”
Eles estão errados. O Reino tem chegado. cidadania Unido
nunca é adiada. O Reino de Deus está presente e funcional
sobre a terra agora . Se você foi “nascido de novo”, então você tem
naturalizados e é um cidadão Unido agora . E essa
significa que todos os direitos, benefícios e privilégios do Reino cida-
dania são suas agora . Você pode desfrutar da sua cidadania direita
agora . Você não tem que esperar até que algum tempo indefinido no futuro.
Você nunca pode apropriar do que você adiar . Isso é o que você
chamam de “trancar o Reino de Deus” para aqueles que querem entrar.
É por esta razão que estou convencido de que o maior inimigo do
Unido é a religião. Religião continua empurrando o Reino afastado
de pessoas: “Você não pode entrar agora; você não pode experimentá-lo agora; você
não pode beneficiar-se dele agora; esperar até mais tarde.”E assim as pessoas sofrem.
É por isso que tantas pessoas religiosas vivem derrotado, desamparado, e
vidas frustrado. Eles acreditam que têm que esperar pela sua “recompensa”.
DUPLA CIDADANIA
governos Unido jurisdição sobre seus cidadãos
não importa onde eles estão. Uma das principais finalidades que as nações
manter embaixadas em outros países é prestar assistência aos
seus cidadãos que vivem ou viajam longe de casa. Uma vez, em
África, eu tive um problema e teve que voar para Londres, Inglaterra. o
Princípios Unido
182

página 183
Embaixada das Bahamas enviou um carro com motorista para me pegar no ar
porta e me colocou em uma casa.
Um amigo americano querido da mina, que foi missionário na
Moçambique anos passou a maior parte de um ano de prisão depois
os comunistas tomaram o país. Após a sua libertação, o
embaixada americana pagou por sua casa bilhete de avião, lhe deu US $ 300
dinheiro, e disse: “Sua esposa vai estar esperando por você.”
Se você fosse para visitar as Bahamas e passou a perder todo o seu
dinheiro ou enfrentar alguma outra crise, tudo que você tem a fazer é ligar para
embaixada do seu país e que iria ajudá-lo. Isso é o que eles
estão lá para. Uma das responsabilidades de qualquer governo é levar
cuidar dos seus cidadãos, seja em casa ou no exterior.
Em um sentido muito real, que é o que a igreja é (ou o que é SUP-
posou para ser): uma embaixada ! A igreja não é um lugar religiosa. Quando
Jesus estabeleceu Sua ecclesia , Ele não tem uma instituição religiosa
em mente. Seu propósito era estabelecer uma embaixada do Seu Reino-a
lugar onde Unido cidadãos (novos e antigos) poderiam receber os auxílios, seja
treinado nos caminhos, leis, linguagem e costumes do Reino,
e ser equipado com os recursos Unido que necessitam para o eficaz
vida na colônia Reino na terra.
Todos os cidadãos do Reino carregam dupla cidadania. A maioria dos governos
na terra permitem dupla cidadania, onde os cidadãos de um país pode
têm cidadania simultaneamente legal em outro. Se você é um
cidadão americano ou canadense ou alemão, por exemplo, você poderia
se tornar um cidadão oficial, legal das Bahamas sem ser
obrigado a desistir de sua cidadania antes. Crianças nascidas de cidadãos
de um país que está vivendo em outro país geralmente tornam-se
cidadãos de ambos os países.
Não é diferente com o Reino dos Céus. Tudo Unido Cit-
izens são simultaneamente cidadãos do Reino do Céu, bem
como cidadãos da nação terrena de seu nascimento ou da sua naturaliza-
ção. Nós não damos a nossa cidadania terrena quando nos tornamos Cit-
izens do reino. E da mesma forma, não tem que estar em
Unido Conceito # 7
183

página 184
Céu para beneficiar de jurisdição celeste. A nossa cidadania é
constante, eo governo do Reino exerce jurisdição sobre
-nos onde quer que estejamos.
A constituição Unido diz que estamos no mundo, mas não
do mundo. Mesmo que estamos em um estrangeira território-na verdade, o nosso
colony-nosso registro do governo não está aqui. Quando se diz que o nosso
pátria está nos céus, isso significa que o nosso registro, nosso oficial
documentação, não é na terra. Quando nascemos de novo, nossos nomes
são escritos em “registro oficial” confirmação como válida do Céu que
estamos agora cidadãos do Céu, mesmo que ainda vivem na
colônia. Assim, apesar de estarmos fisicamente longe do Reino
“País”, ainda somos cidadãos do Reino.
Quando Jesus estava diante de Pilatos, o governador romano da Judéia,
Pilatos perguntou-Lhe: “ És tu o rei dos judeus? ”(João 18: 33b), a
que Jesus respondeu:
O meu reino não é deste mundo. Se fosse, os meus servos
lutariam para impedir que a minha prisão pelos judeus. Mas agora meu
reino é de outro lugar (João 18:36).
É importante notar aqui tanto o que Jesus disse, bem como o
Ele não disse. Ele disse: “ Meu reino não é de este mundo ”; Ele não fez
dizer: “Meu reino não é no mundo.” Ele disse: “ Meu reino é de
outro lugar “; Ele não disse: “Meu reino não é deste lugar.” Como
o representante oficial do imperador, Pilatos possuía real
autoridade na Judéia. Falando como um rei para outro, Jesus reco-
gumes Sua realeza. Na verdade, Ele afirmou claramente a Pilatos:
Você está certo em dizer que eu sou rei. Na verdade, por esta razão
Eu nasci, e para isso vim ao mundo, para dar testemunho
a verdade” (Jo 18: 37b).
E o que foi que a verdade? A verdade que o Reino dos Céus
tinha chegado, a única mensagem que Jesus pregou. Assim, o Reino de Cristo
Princípios Unido
184

página 185
foi no mundo, mas não do mundo. Foi a partir de outro lugar, mas
Também residente aqui na terra. Foi aqui agora, mas não foi a partir daqui.
Assim, todos os cidadãos do Reino possuem dupla cidadania céu-in e
na terra. Este estatuto continuará até o dia em que o presente
o céu ea terra passem eo rei recria os dois.
Então não haverá mais separação porque o tempo terá
vir quando:
... a morada de Deus com os homens, e Ele vai viver com
eles. Eles serão o seu povo, e Deus mesmo estará
com eles e será o seu Deus (Apocalipse 21: 3).
Naquele dia, o governo do Céu irá exercer domin- completo
íon sobre a nova terra sob a co-regência de todos os cidadãos do reino.
CIDADANIA INVISÍVEL
Alguém pode perguntar: “Se o Reino dos céus está aqui agora, por que
Não podemos vê-lo? Por que não há mais provas de tudo ao nosso redor?”
A resposta é muito simples: Nós não podemos ver o Reino dos Céus
porque é invisível. E assim são os seus cidadãos. Na verdade, todos gover- colonial
ernments e cidadãos são invisíveis.
Eu cresci e passei a maior parte da minha vida, nas Bahamas. eu sou um
cidadão das Bahamas que nasceu enquanto as Bahamas ainda fazia parte da
Comunidade Britânica. Enquanto eu estava crescendo, eu nunca visitou
Inglaterra. Eu nunca visitou o Parlamento ou viu a rainha. Mas, como o
resto dos meus compatriotas, eu sabia que eles estavam lá. Afinal de contas, nós
cantamos
suas canções, usava suas roupas, observa suas leis, aprenderam a
história; mas nunca viu-los. Assim, o governo foi
invisível ... mas era real. Basta olhar para nós hoje: Nós falamos Inglês, nós
dirigir no lado esquerdo da rua, e leve em muitos costumes e
tradições que são o legado de nossos anos como parte dos britânicos
Império. Nas Bahamas, o governo britânico era invisível, mas
Também influente.
Unido Conceito # 7
185

página 186
Da mesma forma, o fato de que o Reino dos Céus é invisi-
não ble não significa que ele não tem impacto. Jesus ensinou essa verdade
sobre o Reino mais de uma vez. Em uma ocasião Ele ilustrou
-lo desta maneira:
Que hei de comparar o reino de Deus? É como
fermento que uma mulher tomou e misturou em um grande
quantidade de farinha, até ficar tudo através da massa de pão
(Lucas 13: 20-21).
É assim que funciona-lenta mas inexoravelmente fermento até que todo o
massa sente sua influência. Uma vez misturado com a massa, a levedura é
invisível, mas se você acha que significa que não há impacto, apenas tentar
panificação
pão sem ele!
As pessoas têm vindo a debater a natureza eo calendário das próximas
do Reino dos céus por séculos. Não foi diferente em Jesus'
dia. Um dia, Ele falou da invisibilidade do Reino em resposta
a uma pergunta de alguns dos líderes religiosos:
Uma vez, tendo sido interrogado pelos fariseus sobre quando o
Reino de Deus viria, Jesus respondeu: “O reino
de Deus não vem com sua observação cuidadosa, nem
as pessoas vão dizer, 'Aqui está ele', ou 'Lá está ele,' porque o
Reino de Deus está dentro de vós” (Lucas 17: 20-21).
O Reino de Deus é invisível. Nós não podemos detectá-lo simplesmente por
observação. E se o Reino de Deus reside dentro de seus cidadãos,
isto significa que todos os cidadãos Unido são invisíveis também. Nós não têm
qualquer
sinais físicos ou externos que transmitem para o mundo: “Eu sou um
Unido cidadão!”A nossa cidadania deve tornar-se conhecido em outra
maneiras.
Um dia, em Ohio eu compartilhei um elevador com uma senhora que perguntou
educadamente, “Como você está?”
“Tudo bem”, eu respondi, e começamos a conversar.
Princípios Unido
186

página 187
“De onde você é?”, Ela perguntou.
“Por que você pergunta?” Eu respondi.
“Porque você tem um sotaque.”
Ela não sabia nada sobre mim até que eu falava . Não havia nenhuma maneira para
ela para dizer só de olhar para mim que eu era das Bahamas. minha cidadania
era invisível. Foi o meu discurso que clued-la para o fato de que eu estava
não de seu “pescoço do bosque.” Cidadania é invisível. O único
maneira que você pode realmente conhecer alguém é de um lugar particular é de
ouvindo-os e observando o seu comportamento ao longo do tempo.
O mesmo acontece com nós, como cidadãos do Reino. Não tem jeito
para as pessoas a dizer, olhando para nós que somos cidadãos do
Reino. A nossa linguagem e nosso comportamento deve fazer essa conhecidos
para eles. Em outras palavras, eles devem reconhecer-nos pela nossa distinta
cultura .
A cultura é um produto da linguagem, os ideais e valores de uma pes-
ple ou uma nação. Mesmo que as pessoas não conseguem reconhecer-nos como
Unido
cidadãos por nossa aparência externa, a nossa língua distinta, ideais,
e os valores deve dar-nos. Nossa cultura deve refletir e
revelar a nossa cidadania como sendo aqui , mas não a partir de aqui, como no
mundo, mas não do mundo.
Unido Conceito # 7
187

página 188
PRINCÍPIOS
1. A cidadania é o privilégio mais sagrado de uma nação.
2. A cidadania é o dom mais precioso que qualquer nação pode
dar.
3. Como qualquer outro país, o Reino de Deus tem o
princípio da cidadania.
4. Cada Unido cidadão hoje é um cidadão naturalizado.
cidadãos 5. O novo nascimento nos faz naturalizados do
Reino.
6. Não só o novo nascimento nos tornar cidadãos do céu,
mas nossa cidadania começa imediatamente. Estamos Unido
cidadãos no momento. A nossa cidadania é uma realidade presente.
7. Religião adia cidadania para o futuro.
8. Você nunca pode apropriar do que você adiar.
9. Qualquer cidadão Unido carregam dupla cidadania.
10. governos Todos coloniais e os cidadãos são invisíveis.
11. O Reino de Deus é invisível.
12. Todos os Unido cidadãos são invisíveis também.
13. Nossa cultura deve refletir e revelar nossa cidadania como
estar aqui, mas não a partir daqui, como estar no mundo, mas
não do mundo.
Princípios Unido
188

página 189
r
Capítulo Onze
K INGDOM C ONCEITO # 8
U NDERSTANDING O K INGDOM C ONCEITO DE C ULTURA

C ultura engloba muitas coisas. Uma vez que você sub-

se a cultura de um povo, é entender as pessoas.


Tudo o que faz uma nação uma nação e um povo um
pessoas é embrulhado em sua cultura.
Como já vimos, por exemplo, cada país tem terra -
território. Sem terra não há nenhum país. Historicamente, a terra em
pessoas habita influencia a cultura que eles desenvolvem significativamente.
habitantes do deserto, por exemplo, não são susceptíveis de desenvolver uma cul-
marítima
tura, a menos que vivem ao longo da costa. Sua cultura irá refletir a
ambiente árido em que vivem.
Um segundo componente-chave de cada país é linguagem . A Con-
tentativa não é um país a menos que tenha uma língua grande. muitas nações
do mundo têm inúmeras sublinguagens e dialetos. mas cada
nação sempre decide sobre uma língua importante porque a linguagem
identifica como um país. A língua é a chave da unidade. É também um é
fator-chave na cultura de uma nação.
Mais uma vez, como vimos anteriormente, todos os países têm leis . cada nação
elabora um conjunto de leis que todos devem obedecer para garantir a paz,
ordem e segurança para os cidadãos. Sem lei não há nenhum país
189

página 190
porque a ausência de lei leva ao caos, e você não pode executar um Con-
tente ou manter um governo estável no caos. As leis de uma nação
refletem a cultura daquela nação e vice-versa. Cultura e direito de cada
afetar o outro.
Cada nação também utiliza específicas e únicas símbolos para represen-
enviou e para ajudar a inspirar unidade, patriotismo, lealdade, orgulho da nação,
e um forte senso de identidade nacional. O símbolo mais familiar
de qualquer nação é, naturalmente, a sua bandeira. bandeira de uma nação simboliza
a sua
história, os sacrifícios, sofrimentos e triunfos de seu povo, e
o que as pessoas têm se constituído para ser. Todos esses
as coisas se relacionam também com a cultura. Alguns símbolos nacionais são mais
pow-
erful do que a bandeira.
Outro elemento que todas as nações têm em comum é um constitucional
ção . Como vimos no Capítulo Seis, uma Constituição é um contrato entre
o povo e seu governo. De muitas maneiras, uma Constituição é um
documento cultural, pois contém em forma codificada as disposições legislativas,
ideais e valores das pessoas (ou do rei, dependendo de quem
escreveu).
Além disso, todas as nações têm um código moral . Um de moral nação
Código incorpora os padrões morais em que as pessoas têm
concordou em viver e por que eles escolheram para governar a si mesmos.
Na maioria dos casos, um código moral consiste de escrita e não escrita
padrões. As normas escritas são expressos por meio de leis e
estatutos, enquanto as normas não escritas são transmitidos principalmente
através de tradições, costumes e cultura. Respeitar as outras pessoas da
propriedade; não dirás falso testemunho no tribunal; não roube; não
assassinato; Não adulterarás-todos estes são parte da moral
código em praticamente todas as nações e de governo na Terra.
A sétima característica comum de todos os países é compartilhada val-
ues. A fim de ter um país que é executado de forma eficaz, as pessoas devem
compartilham os mesmos valores em comum. As pessoas como um todo deve
concordar
que todos eles valorizam a mesma coisa, como a vida ou a paz ou liberdade.
Princípios Unido
190

página 191
Cada nação também desenvolve seus próprios costumes . costumes derivam
a partir de valores compartilhados de uma nação. Um costume é um habitual maneira
de fazer
algo, um padrão de comportamento que não só é comummente aceite
mas também esperado. No geral, costumes geralmente são consistentes
ao longo de uma nação, embora haja muitas variações regionais.
Muitas vezes os costumes de uma nação são tão distintas que eles se tornem um
ponto de identificação para que nação, tais como determinado tradicional
maneiras de se vestir ou tipos de alimentos.
Finalmente, existem normas sociais . Estes são semelhantes aos costumes, mas
têm maior força e autoridade dentro da sociedade. As normas sociais são
padrões de linguagem, pensamento e comportamento que são aceites pela
ampla maioria do povo como certo e apropriado. Violar um costume
e você pode ser pensado excêntrico; violar uma norma social e corre o risco
ostracismo.
Todos estes juntos da terra, língua, leis, símbolos, constitucional
ção, o código moral, os valores partilhados, costumes e normas sociais-com-
prêmio que chamamos de cultura .
O QUE É CULTURA?
Então, o que é cultura, especificamente? Primeiro de tudo, a cultura é o ato de
desenvolvimento das faculdades intelectuais e morais por educação, especialista
cuidado e treinamento . Em outras palavras, a cultura é o desenvolvimento de uma
pes-
capacidades intelectuais e consciência moral através de uma combina- do ple
ção de instrução formal e modelagem informal. pais e
sociedade ensinar às crianças os elementos da cultura, e como a crian-
dren aprender e internalizar esses elementos culturais, eles começam a viver
eles.
Em segundo lugar, a cultura é a iluminação e excelência de gosto
adquirida pela formação intelectual e estética . Simplificando, todos nós
chegou a pensar como o ambiente em que crescem. A nossa intelectual
interação com o meio ambiente, literalmente, produz uma forma de pen-
ing em nós que se torna o nosso modo de vida, e assim nos tornamos treinados em
Unido Conceito # 8
191

página 192
nossa cultura. Nenhum de nós nascemos com uma cultura. Nascemos em um
cultura, mas não nascemos com uma cultura.
Cultura também pode ser definido como o padrão integrado de humano
conhecimento, crença e comportamento que depende da capacidade do homem
para aprender e transmitir conhecimento para as gerações vindouras.
A partir de uma perspectiva sociológica, a cultura é as crenças habituais,
formas sociais e traços de materiais de um racial, religiosa ou social,
grupo. No mundo dos negócios, a cultura define o conjunto de ati- compartilhada
Tudes, valores, metas e práticas que caracterizam uma sociedade ou
corporação.
Quanto a uma definição científica, a cultura significa crescer em um preparado
médio . Essa é uma imagem poderosa. Cada um de nós chegou na terra em um
preparado médio do país e da cultura do nosso nascimento.
Imediatamente começamos a crescer neste meio, em forma e influ-
ciada pelos costumes, valores, código moral e as normas sociais do nosso
pais, comunidade e sociedade. Nós aprendemos a língua ea
leis. Este meio de crescimento é também onde nós aprendemos nossos preconceitos
e os nossos ódios, nosso ciúme e nossa ganância e nosso orgulho.
Então, um dia descobrimos o Reino dos Céus. fomos
nascidos de novo e se tornaram cidadãos do Reino de Deus. E é aí que
o desafio realmente começou. Depois de passar 20, 30 ou 40 anos em um cer-
médio Tain que nos treinados para pensar de uma determinada maneira, de repente
encontrar
-nos em um todo nova cultura, um novo crescimento médio com um
monte de coisas novas para aprender e um monte de coisas velhas para
desaprender. E é aí que reside o problema: Como é que se livrar do velho
cultura em nossos corações e mentes para viver no novo? Esse é o
desafio universal para cada crente dupla cidadania.
Para você ver, a cultura é também o que está no centro da
grande conflito cósmico entre o Reino de Deus ea king
dom da escuridão. Ea terra é o campo de batalha. A batalha pela
Terra é a batalha pela cultura. E a cultura é a manifestação de
o pensamento coletivo de um povo. Em outras palavras, qualquer que seja o
pessoas como um todo pensar coletivamente suas crenças, valores, ideais,
Princípios Unido
192

página 193
etc.-se a sua cultura. Então, quem controla as mentes dos
pessoas controla a cultura. Na verdade, quem controla as mentes
criar a cultura.
A Bíblia diz que como um homem pensa em seu coração, assim ele é (ver
Prov. 23: 7). Isto significa que a maneira como pensamos determina quem
Nos Tornamos. Neste contexto, o coração é a mente . Eo Reino
de Deus é um reino do coração. Portanto, o Rei do Céu é
lutando para as mentes das criaturas que Ele criou à Sua própria imagem.
MANIFESTAÇÕES DA CULTURA
Cultura se manifesta de várias maneiras.
1. Valores. Valores comuns são uma característica de definição de um
cultura e uma nação. O que nós valorizamos revela quem somos.
Nossos valores refletem o nosso caráter. Basicamente, um valor é um
crença ou convicção de que é considerado digno e de
-se por uma pessoa ou grupo . É um padrão ou ideal que
regula conduta ou política. Os valores também se relacionam com a própria
filosofia pessoal. Nossos valores definem as nossas atitudes,
comportamento e visão do mundo. Se quisermos aprender
a viver na cultura do Reino, temos de aprender a
valores do Reino. Jesus, o Rei articulou sua
sistema de valor, mesmo no início de Seu min- pública
tério:
Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o reino dos
céu. Bem-aventurados os que choram, porque eles serão
consolados. Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a
terra. Bem-aventurados os que têm fome e sede de direita
eousness, porque eles serão fartos. Bem-aventurados os misericordiosos,
para eles serão mostrados mercê. Bem-aventurados os puros de
coração, porque eles verão a Deus. Bem-aventurados os pacificadores,
porque serão chamados filhos de Deus. Abençoados são aqueles que
Unido Conceito # 8
193

página 194
são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o
reino dos céus (Mateus 5: 3-10).
Esta parte particular de ensino de Jesus é comumente conhecido como
as “Beatitudes”, ou “ditos abençoado”, da palavra latina beatus
(abençoado). Poderíamos até mesmo chamá-los de “be-atitudes”, porque eles
descrever a forma como os cidadãos Unido deve “ser” em caráter, ati-
tude e comportamento.
Os valores são extremamente poderoso e formam a base para
comportamento. Eles guiam o povo de uma nação em identificar o que
comportamento é aceitável ou inaceitável. Se explicitamente ou
não ditas ainda reconhecidos, valores formam a base das nações e
modelam profundamente as vidas e experiências diárias dos seus cidadãos.
Sociedade depende de certos valores, a fim de função, tal como
cooperação e honestidade. As empresas também dependem para a sua função
em valores como integridade, honra, justiça e bondade.
2. Prioridades. Cultura se manifesta nas coisas que
consideram mais importante. Em outras palavras, tudo o que
priorizar na vida revela a nossa cultura. Se priorizamos a
santidade do casamento, nossa cultura vai refletir isso com as leis,
costumes e normas sociais que fortemente desencorajar e
mesmo penalizar divórcio, adultério e outro casamento”
busters “. Priorizando a santidade da vida humana vai pro-
duzir uma cultura que protege os idosos e os não-nascidos
e se recusa a punir a colheita de humano
embriões para a pesquisa com células-tronco.
Jesus foi direto ao coração de prioridades quando disse:
Portanto, não se preocupem, dizendo: “O que vamos comer?” Ou “O que
havemos de beber?”ou‘Que vamos vestir?’Pois os pagãos
correr atrás de todas estas coisas, e vosso Pai celeste sabe
que você precisar deles. Mas buscai primeiro o seu reino ea sua
justiça, e todas estas coisas vos serão dadas a você como
bem (Matthew 6: 31-33).
Princípios Unido
194

página 195
3. comportamentos. A maneira como nos comportamos revela nossa cultura; Está
que simples.
4. Padrões. Os padrões que se aplicam na vida cotidiana
revelar se nós temos uma cultura que se entrega e
incentiva a mediocridade ou uma cultura que inspira exce-
lence. Não temos orgulho na aparência de nossas casas
e igrejas e empresas e cidades e ruas? Faz
Damos um grande prémio na qualidade em todas as coisas? Ou são
nós satisfeitos com apenas o suficiente para sobreviver? De qualquer forma, o nosso
padrões refletem nossa cultura. Na verdade, nossa cultura vai
Nunca subir mais alto do que os nossos padrões.
5. Celebração. Nossa cultura é revelado nas coisas que
celebrar, bem como da maneira que nós celebramos. Estamos
feriados e outras oportunidades de celebrações para se divertir
e risos e união como famílias, ou desculpas para
embriaguez e outros tipos de excesso?
Como cidadãos do Reino, precisamos levar a nossa sugestão de nosso Rei
porque suas atitudes e respostas revelam a cultura do Céu.
O que faz Jesus com raiva deve fazer-nos com raiva e tudo
faz feliz deve fazer-nos felizes. Seja qual for o enche de
alegria deve fazer-nos também alegre e tudo o que Lhe traz tristeza
deve lamentar nossos espíritos também.
6. A moralidade. O nível de nossa consciência moral e con-
pura experiência revela o nível da nossa cultura. Será que encolhem
nossos ombros em adultério e outras formas de infidelidade?
Será que fecham os olhos à pedofilia e outros tipos de
abuso sexual? Estamos dispostos a “normalizar” perversão
na nossa sociedade? Ou será que estamos empenhados em pé por, SUP-
portar, e promover os mais altos padrões de moral
pureza em cada área?
7. Relacionamentos. Quem é que vamos relacionar? Como nos relacionamos
para eles? Como tratamos as pessoas? Como lidamos com o
Unido Conceito # 8
195

página 196
destituídos, aqueles que estão sofrendo, e aqueles que são
abusado? Qual é a nossa atitude para com os pobres? Há um
cultura no céu que é revelada quando a pobreza é
por aí. Quando as pessoas estão com fome, a cultura do Céu
alimenta-los. Quando estão com sede, a cultura do Céu
diz: “Eu tenho algo para você beber.” Nossa cultura é
revelou na forma como cuidamos um do outro.
8. ética. É a honestidade Politica melhor, ou é a honestidade nossa única
política? Se alguém nos overpays, mantemos o dinheiro ou
vamos levá-lo de volta? Unido a ética é sempre pró-ativa.
Jesus disse: “ Faça aos outros o que gostaria que fizessem a
você ”(Lucas 6:31). Esta “regra” aplica-se a todas as áreas da vida.
Então Pedro veio a Jesus e perguntou: “Senhor, quantas
vezes devo perdoar o meu irmão quando ele pecar contra mim?
Até sete vezes?”Jesus respondeu:“Eu lhe digo, não sete
vezes, mas até setenta vezes sete” (Mateus 18: 21-22).
Em resposta à pergunta de Pedro, Jesus tirou uma série de Sua
chapéu para fazer esse ponto. “Setenta e sete vezes” não é uma figura literal;
é sete vezes prolongadas indefinidamente. Em outras palavras, no Reino
cultura, o perdão está em curso. Nós perdoamos tantas vezes quanto necessário,
apenas
como seria de esperar para ser perdoado tantas vezes quanto necessário. Novamente,
nós
levar a nossa sugestão de nosso Rei, como Ele nos perdoou, e continua
perdoando-nos, de modo que devemos fazer com os outros.
9. As normas sociais. Tudo o que é considerado normal em nossa
sociedade revela nossa cultura. É shacking “normal”? Estamos
out-of-matrimônio gravidezes e partos “normal”? É
traindo impostos “normal”? É a corrupção no governo
"normal"? São a honestidade, integridade e fidelidade tanto no
casa e no local de trabalho “normal”? É a pureza sexual
"normal"?
Quais são as “normas” do Reino dos Céus? Aqui estão alguns
que o Reino Embaixador Paul chamado de “o fruto do Espírito”:
Princípios Unido
196

página 197
... amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, faithful-
Ness, suavidade e auto-controle. Contra estas coisas não
há lei (Gálatas 5: 22-23).
10. Vestido. A cultura também se manifesta na forma como as pessoas
vestir. Como nos vestimos diz muito sobre os nossos valores
e ideais, bem como a forma como pensamos sobre nós mesmos. Tudo de
estes referem-se a cultura.
Claro, desde que Unido cidadania e reino cidadãos são
invisível, não existe tal coisa como um “uniforme” ou pré Unido
crito forma de vestido. Mas não há tal coisa como um certo
comportamento que os cidadãos Unido estão a realizar-se com que
identifica-los como filhos do Rei. instruções de Simão Pedro para
cidadãs do Reino aplica-se igualmente, em princípio, a cada
cidadão:
Sua beleza não deve estar nos enfeites exteriores,
tais como tranças e o uso de jóias de ouro e
roupas legais. Em vez disso, ele deve ser a de seu eu interior,
a beleza imperecível de um espírito manso e tranquilo, que é
de grande valor aos olhos de Deus (1 Pedro 3: 3-4).
11. Foods. Alimentos tem sido uma característica cultural.
Alguns pratos, certos ingredientes, e certa-season
Ings estão associados com certas regiões do mundo ou
determinadas regiões dentro das nações. Curry é um distintivo de
culinária indiana. Feijão e arroz são grampos no México.
cachorros-quentes são inegavelmente americano. Nas Bahamas, é
ervilhas e arroz, sopa de peixe, e goiaba Duff.
Como Unido cidadãos na terra nós precisamos de comida para fortalecer e
nutrir nossos corpos, mas também precisamos de comida celestial para alimentar a
nossa
espíritos. Jesus disse:
Unido Conceito # 8
197

página 198
O homem não vive só de pão, mas de toda palavra que
sai da boca de Deus (Mateus 4: 4b).
Em outra ocasião, ele disse a seu círculo de seguidores:
Minha comida ... é fazer a vontade daquele que me enviou e FIN
ish Sua obra (João 4:34).
12. permita. Nós revelamos a nossa cultura por aquilo que permitam.
Lembre-se, o que ligares na terra é ligado no céu,
e o que desligares na terra é desligado no céu. Se nós
lascívia e imoralidade “frouxo”, essas coisas vão char-
acterize nossa cultura. Se a corrupção “frouxo” e dis-
honestidade, teremos uma cultura corrupto e desonesto.
Por outro lado, se “solta” amor, alegria, paz,
paciência, amabilidade, e assim por diante, nossa cultura vai refletir
essas características. Como cidadãos do Reino, temos a autoridade
para ligar e desligar para o bem social, moral e espiritual
de nossos semelhantes. É por isso que é importante para nós estar
envolvido e para envolver a cultura popular e desa-
Lenge-lo com a cultura do Céu.
13. Aceitação. Nossa cultura é definida também por aquilo que
aceitar. Mais e mais pessoas que se dizem crentes
e até mesmo cidadãos Unido estão comprando popular
cultura, a tal ponto que, por sua língua e
estilo de vida, é impossível dizer qual Unido que
pertencem-ao reino do mundo ou o Reino de
céu. Quanto mais vezes ouvimos falar de novo cultural,
social ou idéias morais, o mais aceitação nos tornamos
até que finalmente não é novo para nós mais. Nós temos
aceitou, e agora tornou-se uma norma cultural.
É por isso que precisamos estar sempre alertas e sempre o cuidado de
avaliar todas as novas idéias e filosofias que vêm
abaixo da linha. Alguns deles podem estar bem. Mas muitos, per-
haps a maioria, será contrário à cultura e valores e
Princípios Unido
198

página 199
ideais do reino dos céus. Quando este for o caso,
como cidadãos do Reino temos o dever ea responsabilidade
de se recusar a aceitá-los.
14. rejeições. Por outro lado, a nossa cultura se manifesta
Também no que rejeitamos. cultura popular moderna tem
alcançou o ponto onde ele rejeita quase nada. A
atitude de “vale tudo” prevalece em muitos círculos.
A correção política governa o dia com a sua calculada e
determinação deliberada de ser bom para todo mundo, evite
ferir os sentimentos de ninguém, e recusando-se a tomar uma posição pela
julgar qualquer coisa como o mal, imoral ou impróprio. hoje
cultura rejeita a própria idéia de padrões absolutos; cada-
coisa é relativa. cultura Unido, por outro lado,
rejeita o relativismo em favor do padrão absoluto do
Imutável Palavra de Deus. Se algumas coisas estão certos, então
outras coisas estão erradas e deve ser rejeitada. Jesus disse que
deste jeito:
Quem não é comigo é contra mim, e aquele que não faz
reunir com Me dispersa (Matthew 00:30).
Não podemos ter as duas coisas. Não podemos jogar ambas as extremidades contra o
meio. Não é certo e não há errado, e cidadãos do Reino
deve rejeitar o errado e abraçar a direita.
15. distinções. Cultura manifesta também nas nossas distinções.
O que nos distingue de outras culturas? O que faz o
a cultura Unido distintivo da cultura do
mundo? Eu não estou falando de coisas exteriores como roupas
ou penteado tanto quanto qualidades interiores de caráter, val-
ues e normas. Paul disse:
Para outrora éreis trevas, mas agora sois luz no
Senhor. Andai como filhos da luz (Efésios 5: 8).
Unido Conceito # 8
199

página 200
16. padrões de qualidade. E, finalmente, a cultura se manifesta em nosso
padrões de qualidade. Deus nunca faz nada pela metade,
e nem deve Seus filhos. Em tudo o que fazemos,
cidadãos do Reino deve estar sempre na vanguarda
de excelência, abrindo o caminho para todos os outros, em vez
de seguir na esteira do mundo. Na Unido nós vida
não tem que ser perfeito no que fazemos porque somos
pessoas imperfeitas, mas isso não é desculpa para aceitar gasto
trabalho, projetos inacabados, ou um recém-suficiente-to-get-by
atitude. Nosso Rei exige o nosso melhor. E Ele merece
nada menos. Por esta razão, deve ser a nossa alegria
dar o nosso melhor para o Rei ... e dar-lhe livremente e
de bom grado.
Princípios Unido
200

página 201
PRINCÍPIOS
1. Depois de entender a cultura de um povo, você sub-
estar do povo.
2. A cultura é o ato de desenvolver o intelectual e
faculdades morais por educação, cuidados de especialistas e treinamento.
3. A cultura é o esclarecimento e excelência de gosto
adquirida pela formação intelectual e estético.
4. A cultura é o padrão integrada do conhecimento humano,
crença e comportamento que depende da capacidade do homem
para aprender e transmitir conhecimento para o sucesso
gerações.
5. A cultura é as crenças habituais, formas sociais e mate-
traços rial de um grupo racial, religioso ou social.
6. Cultura é o conjunto de compartilhados atitudes, valores, metas e
práticas que caracterizam uma empresa ou corporação.
7. Cultura significa crescer em um meio preparado.
8. A batalha para terra é a batalha para cultura.
Unido Conceito # 8
201

página 202

página 203
r
Capítulo Doze
K INGDOM C ONCEITO # 9
U NDERSTANDING O K INGDOM C ONCEITO DE
G Iving AO K ING
A Bíblia é sobre um rei, um Reino, e Seus filhos.

A s temos visto ao longo deste livro, Deus é o

Rei de um reino sobrenatural chamado Céu que é


invisível, mas muito real. Na verdade, o Céu é mais real
que o reino natural em que os humanos vivem, respiram, e têm
nosso ser, porque existia antes do reino natural e é o
fonte da qual toda a natureza originou.
Deus criou a terra, trazendo forma de ausência de forma e
ordem a partir do caos, para não deixá-la vazia, mas para ser habitada
(Ver Is. 45:18). Seu propósito original e plano era estender sua
Reino celestial na terra-de trazer Sua invisível sobrenatural
governar para o domínio natural visível. Foi por esta razão que Ele
criou a humanidade, macho e sua própria imagem feminina-in e os vestiu
-los em corpos físicos de carne e osso e osso feitas a partir do
mesmo material que a própria terra, para que pudessem exercer domínio sobre
a terra assim como fez no Céu. Eles eram para ser seu vice-regentes,
governando em seu nome e sob a sua autoridade.
203

página 204
Rei e reino são conceitos que são de celestial, não terrena
origem. Deus escolheu esses conceitos para descrever Seu plano e programa
para a humanidade ea Terra. Assim, a fim de compreender Deus,
deve entender o conceito de realeza e reino. Isso tem
sido o propósito e intenção deste livro.
Adão foi criado como rei e governante da terra. Isso é apenas
natural. Deus criou o homem à sua imagem e semelhança, e
porque Deus era um rei, o homem era para ser um rei também. Como rei do
terra, o homem possuía certas qualidades e características únicas
que o distinguem como distinta de todas as outras criaturas sobre a terra.
Uma destas qualidades era auto-determinação. Homem possuía o
capacidade de raciocinar-para enquadrar seus próprios pensamentos e idéias e para
fazer
suas próprias decisões. Nisso, ele era como seu Criador. Ele foi dotado
também com a capacidade de face-a-face, uma-a-uma companheiros de íntima
navio com Deus, um privilégio que nenhuma outra criatura sobre a terra apreciado.
O Criador deu a Adão a terra como seu domínio, porque um rei
não é um rei a menos que tenha território sobre o qual a governar. Através
uso inadequado de seu poder de autodeterminação, Adam se rebelou
contra Deus e perdeu seu reino terreno. domínio do homem sobre a terra
foi usurpado por um “querubim desempregados”, um rebelde e caído
anjo que não tinha nenhum direito ou autoridade para tomá-lo. Homem tornou-se um
escravo
em seu próprio domínio.
Mas os dons ea vocação de Deus são irrevogáveis (cf. Rom. 11:29).
plano e propósito original de Deus ainda estavam no lugar. O destino do homem
era para governar a terra, então ele teve que começar seu reino de volta. Quando o
momento certo na história, o Rei do Céu enviou Seu Filho à terra
para restabelecer a regra do Céu aqui. Ele enviou Seu Filho para restaurar o homem a
o Reino terreno. Jesus Cristo entrou no olho do público proclaim-
ing uma mensagem simples, mas profunda: “ Arrependam-se, pois o Reino dos heav-
en está próximo ”(Mt 4:. 17b). Como um ser humano, bem como o Filho de Deus,
Jesus
tinha a autoridade tanto para restaurar o Reino e para governar-lo como rei.
Reinado foi seu direito de primogenitura.
Princípios Unido
204

página 205
Realeza é sempre uma questão de direito de nascença ou genealogia. Você irá
lembre-se que quando Jesus estava diante de Pilatos na manhã Ele era
crucificado, e Pilatos perguntou se ele era o rei dos judeus, Jesus
respondeu: “ Você está certo em dizer que eu sou rei. Na verdade, por esta razão
Eu nasci ... ”(Jo 18: 37b).
Jesus não era o único a reconhecer a Sua realeza. assim como
já em seu nascimento, havia aqueles que sabia quem ele era e por que
Ele tinha vindo:
Depois que Jesus nasceu em Belém da Judéia, durante o
tempo do rei Herodes, magos vieram do oriente a Jerusalém
e perguntou: “Onde está aquele que é nascido rei dos
os judeus? Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos
adorá-Lo” (Mateus 2: 1-2).
A vinda de Jesus Cristo como Rei demonstra outra
característica importante de Deus: Ele é um doador . Primeiro, Ele deu ao homem a
Terra para governar. Então, depois de o homem perdeu seu Reino, Deus deu Seu
Filho
para que pudesse obter o Reino de homem de volta. Jesus deu a si mesmo,
ao ponto de morte, para salvar o homem dos efeitos e conse-
quências da sua rebelião contra Deus. Na vinda de Jesus, e
em toda a Bíblia, vemos mais e mais que dar é uma funda-
princípio mental do Reino dos Céus.
Deus é um doador . Na verdade, sua honra como Rei do Céu exige uma
presente. Como Deus, Ele dá porque é Sua natureza. Como cidadãos do Reino,
damos porque nós somos como Ele, criados à Sua imagem e semelhança,
e porque dar é uma boa maneira de honrar um rei.
OS SEIS Royal Kingdom princípios de dar
1. O poder dos reis é exibido em sua riqueza. o
mais ricos do rei, o maior seu poder (ou pelo menos a
percepção do seu poder aos olhos dos outros). Isto é
por isso que os reis estão sempre procurando aumentar a sua riqueza e
Unido Conceito # 9
205

página 206
expandir seu território. A maneira mais óbvia de que a riqueza
mostra o poder de um rei está em sua capacidade de dar generous-
ly, ricamente, e até mesmo de forma imprudente de sua riqueza à sua cida-
dãos, bem como para os estrangeiros que visitam o seu reino.
Reis que governam sobre as terras que são escassas em recursos e cujas
os cidadãos são pobres são considerados reis pobres, com falta de poder e
influência e, portanto, descartada como sem importância. Eles podem até
ser percebidos como incapazes ou não querem tomar o cuidado adequado de sua cida-
zens e sujeitos. reis pobres, portanto, desenvolver uma má reputação,
o que nos leva ao segundo princípio.
2. O objectivo para a riqueza de um rei é para garantir a sua reputa-
ção-a sua glória. Cada rei consciente quer ser
conhecido como bom, benevolente, generoso e justo. Ele
está constantemente preocupado com o bem-estar completo de sua
pessoas. Ele quer ser capaz de mostrar ao mundo que ele
pode fornecer seus cidadãos com tudo e qualquer coisa
eles precisam. Quer em um reino é uma vergonha para o rei.
Assim, a reputação de um rei está ligada à sua capacidade de cuidar de sua Cit-
izens, e que a capacidade está diretamente relacionada à sua riqueza. Um rei cujas
as pessoas estão seguras em sua disposição benevolente será amado por seu
pessoas, respeitado por outros reis e governantes, e gozará de um estábulo
e reinado seguro. Sua reputação está firmemente estabelecida, ea sua glória
brilha para todos os lados.
3. A glória de um rei é o seu poder para fora dar outro rei.
Esta é outra razão pela qual a riqueza é importante para um rei.
Reis estão profundamente e continuamente preocupado com o seu
reputações, e nenhum rei gosta da idéia de que outra
rei poderia ser mais rico, mais benevolente, ou mais doações
do que ele. Consequentemente, reis dará livremente em resposta
para um presente dado a eles, ou de beneficência pura, muitas vezes
descontroladamente fora de proporção com o valor do dom recebido
ou o mérito do destinatário.
Princípios Unido
206

página 207
Esta é definitivamente uma característica do Rei do Céu. Como
dono de literalmente tudo, Deus é o rei mais rico que foi, é, ou
nunca vai ser. Ninguém pode out-dar a Deus. E Ele dá ricamente com-
fora relação ao nosso mérito ou a nossa capacidade de pagar. Não se esqueça que
Jesus
garantiu-nos que era prazer de Seu Pai para nos dar o Reino.
E Ele não exigir que fazemos a nós mesmos “digno” em primeiro lugar.
4. Dar lugares uma demanda sobre a riqueza do rei. riqueza que
não é usado para qualquer coisa não serve para nada. Justo
e os reis benevolentes não procuram riquezas simplesmente por sua
próprio enriquecimento e prazer. Eles não adquirir riqueza
só assim eles podem sentar-se no topo da pilha e dizer: “Olhe para mim! Vejo
quão rico eu sou!”Bons reis usar sua riqueza para trazer
prosperidade para o seu povo e melhorar a qualidade de
a vida deles. Desta forma, as riquezas do rei não estagnar ou
apodrecer. De acordo com um princípio fundamental da
De construção de riqueza, bons reis sabe como fazer o seu
trabalho riqueza para eles, eles dão-lo afastado, a fim de
receber mais. É um princípio de reciprocidade
gera dando.
O princípio da reciprocidade funciona nos dois sentidos. Dar a um rei
coloca uma demanda sobre sua riqueza, porque um rei não pode permitir-se
estar fora dado. Tudo o que ele recebe como um presente que ele deve retornar em
forma multiplicada. Isso nos leva ao quinto princípio de dar.
5. Dar requer uma resposta do rei. Quando você dá
a um rei, ele é obrigado não só para responder a seu presente
mas também para ultrapassá-lo. Quando a rainha de Sabá visitou
Rei Salomão de Israel, seus dons para ele de especiarias, grande
quantidades de ouro e pedras preciosas, foi proto-montagem
col. No entanto, ela não estava preparada para a magnitude do
riqueza que encontrou na corte de Salomão:
Quando a rainha de Sabá viu toda a sabedoria de Salomão
e o palácio que ele havia construído, a comida sobre a mesa, o
Unido Conceito # 9
207

página 208
estar de seus funcionários, os funcionários presentes em sua
robes, seus copeiros, e os holocaustos que ele fez em
o templo do Senhor, ela estava sobrecarregado. Ela disse para
o rei, “O que ouvi no meu país sobre
suas realizações e sua sabedoria é verdade. Mas eu não fiz
acreditam que essas coisas até que eu vim e vi com meus próprios
olhos. Na verdade, nem mesmo metade foi me disse; em sabedoria e
riqueza que ultrapassou em muito o que ouvi. ... E
ela deu ao rei 120 talentos de ouro, grandes quantidades de
especiarias, e pedras preciosas. Nunca mais foram tantos
especiarias trazidas como aqueles a rainha de Sabá deu ao rei
Solomon. ... Rei Salomão deu à rainha de Sabá tudo o que ela
desejado e pediu, além do que ele lhe dera fora
da sua munificência real (1 Reis 10: 4-7,10,13a, a ênfase
adicionado).
Como pródiga como presentes da rainha para Salomão eram, seus dons a ela em
voltar a dela superou a ele.
O Rei do Céu é a mesma maneira. Quando damos a Ele, Ele
responde em espécie, mas em muito maior medida. Jesus disse:
Dê, e será dado a você. Uma boa medida, recalcada
para baixo, sacudida e correndo ao longo, irá ser vertida
em seu colo. Pois, com a medida que usarem, também será
medido para você (Lucas 6:38).
Nós nunca pode out-dar a Deus. Dai, e Ele vos dará abundantemente
e transbordando em troca. É um princípio de Seu Reino. além disso,
Sua reputação e glória estão em jogo.
6. Dar a um rei atrai Sua riqueza para o doador. Dando
gera dando. Este princípio funciona nos dois sentidos. reis dar
riqueza para longe, a fim de ganhar mais riqueza. Mas quando nós
dar ao rei, ele gera dando de volta para nós, porque a nossa
generosidade atrai riqueza do rei para nós.
Princípios Unido
208

página 209
Isso está diretamente relacionado com o conceito de administração contra
propriedade. Contanto que nós sentimos que nós possuímos o que temos, temos a
tendência a se apegar
-lo e prendê-lo perto do nosso peito. Nesse postura, é impossível
receber mais. Nós não podemos receber nada com os punhos fechados e
dedos cerrados. Por outro lado, quando nos aproximamos do Rei
mão aberta com as nossas coisas, não só podemos colocá-los a seus pés
como um presente, mas também estamos em uma postura de receber. Dando ao rei
atrai Sua riqueza, porque Ele é um doador e é atraído para aqueles
que compartilham um espírito semelhante.
Sete razões para dar a um REI
1. protocolo real exige que um presente deve ser apresentado
ao visitar um rei. É por isso que a rainha de Sabá
trouxe esses presentes caros ao rei Salomão embora
ele era mais rico do que ela era. Foi protocolo real. Ele
teria feito o mesmo se tivesse a visitou.
Este protocolo de apresentar um presente ao rei reflete um princípio
do céu. Quando Deus deu a Moisés a Lei para a nação de Israel,
Ele deixou claro que sempre que o povo veio diante do Senhor,
eles eram para trazer uma oferta ou um sacrifício de algum tipo, dependendo
na ocasião. Eles nunca foram aproximar-se dEle com nada.
Deus ordenou a Moisés:
E ninguém apareça perante mim de mãos vazias (Êxodo
34: 21b ARA).
O princípio ainda se aplica. Devemos sempre aproximar do Rei
com um presente de algum tipo para oferecer: um dízimo ou 10 por cento de nossa
renda,
louvor, agradecimento, adoração; apenas não de mãos vazias. O melhor presente
podemos dar-Lhe o nosso coração e vida, livre e completamente.
2. O presente deve ser apropriado para o rei. Pior que
aproximando-se um rei com nenhum presente é para trazer um presente unwor-
tua dele. Um presente quantidades inadequadas ou insuficientes
Unido Conceito # 9
209

página 210
a um insulto ao rei. Isso mostra que o doador não
respeitar corretamente o rei ou a sua autoridade. É por isso que a
leis de sacrifício dos judeus (que prefiguram o sacrifício
de Cristo, o Cordeiro perfeito de Deus que tirou o
pecado do mundo [ver João 1:29]). estipulou que só
impecável, sem mácula, animais unflawed poderia ser
oferecido em sacrifício. As pessoas estavam dando um presente para a
King, e seu dom tinha que ser digno dEle.
Quando o rei David de Israel começou a construir um altar ao Senhor,
ele tentou comprar um eira de propriedade de um homem chamado Araúna
como o site. Araúna graciosamente oferecido para dar a eira para
David para seus propósitos:
Mas o rei respondeu a Araúna: “Não, eu insisto em pagar
-lo por isso. Eu não vou sacrificar ao Senhor meu Deus queimado
ofertas que me custou nada “. Então David comprou o
eira e os bois e pagou cinqüenta siclos de sil-
ver para eles” (2 Samuel 24:24).
David estava tentando parar uma praga na terra causado por sua própria
desobediência a Deus. Depois que ele construiu o altar e fez sacrifícios,
Deus respondeu às suas orações e parou a praga.
Dê um presente para o rei que é digno dEle. Não ofereça alguns-
coisa que não lhe custa nada.
3. O presente revela o nosso valor ou “vale-ship” do rei. o
qualidade do que oferecemos o Rei ea atitude com
que oferecemos que revelam muito mais do que as nossas palavras faça de
o valor ou merecimento damos a Ele. does- qualidade
não significa caro ou fantasia necessariamente, mas isso não significa
oferecendo nosso melhor. E o nosso presente não significa necessariamente
tem que ser de valor monetário. De muito maior valor para
o Rei é o dom de um coração que busca em primeiro lugar o Reino
e Sua justiça. O profeta hebreu Isaías
Princípios Unido
210

página 211
registra queixa do Senhor contra o seu povo, que
desvalorizar sua “pena-ship”:
O Senhor diz: “Esse povo se aproxima de mim com os
boca e me honra com os lábios, mas o seu coração está
longe de mim. Sua adoração of Me é feita só de regras
ensinada por homens (Isaías 29:13).
Nossos presentes para o Rei deve ser sempre oferecido a partir de um sincero
coração e um humilde reconhecimento de Sua grandeza e incrível
majestade.
4. A adoração exige um presente e dar é adoração. "Que vale a pena-
navio”é onde nós temos‘adoração’. Para adorar o Rei
significa a pena atribuir ou merecimento a Ele. E como
já vimos, que envolve sempre trazê-lo
um presente. Não há adoração genuína sem dar presentes.
Mas dar é em si um ato de adoração, e adoração é
sempre digna do Rei. Os magos que vimos a sua estrela no
leste entendeu isso, e é por isso que eles trouxeram presentes
quando eles vieram para encontrá-lo:
Ao entrarem na casa, viram o menino com a Sua
mãe Maria, e inclinaram-se e adoraram.
Então abriram os seus tesouros e lhe presenteou com
presentes de ouro, incenso e mirra de (Mateus 02:11).
Adoração exige um presente, mas pode ser um presente de louvor, um dom de
agradecimento, um presente da confissão, um presente de rendição, um dom de
forgive-
ness, ou um presente de um coração terno e obediente, bem como um monetária
presente.
5. Dar a um rei atrai seu favor. Reis são atraídos
pessoas que dão com um espírito voluntário e grato. Gostar
qualquer outra pessoa, um rei gosta de saber que ele é amado e apre c
. O Rei do Céu é a mesma maneira. O Doador é
Unido Conceito # 9
211

página 212
atraídos para o doador e estende seu favor. presentes abertos
portas para bênçãos, oportunidades e prosperidade:
Um presente abre o caminho para o doador e inaugura-lo para o
presença do grande (Pv 18:16).
Aqueles que conhecem o protocolo de acesso ganho dando ao trono
quarto, enquanto que aqueles que não o fazem, permanecem do lado de fora do
portão.
Dando de um coração generoso com nenhum pensamento ou expectativa de
retorno particularmente atrai favor do rei porque essa é a ati-
tude mais próximo a sua própria. E Ele recompensa esse tipo de espírito:
Quem recebe um profeta, porque ele é profeta
receberá a recompensa de profeta, e quem recebe
um homem justo, porque ele é um justo
receberá a recompensa de justo. E se alguém dá
até mesmo um copo de água fria a um destes pequeninos, porque
ele é meu discípulo, eu lhes digo a verdade, ele não vai, certamente,
perderá a sua recompensa (Mateus 10: 41-42).
“Receber” um profeta ou um homem justo significa para cuidar e
fornecer essa pessoa sem expectativa de reembolso. dar com
nenhum motivo oculto e sem amarras, isto é o tipo de
doação que atrai o favor do rei.
6. Dar a um rei reconhece sua propriedade de fora tudo
coisa. Lembre-se, os reis são também senhores; eles próprios every-
coisa em seu domínio. Dando assim a um rei é simplesmente
devolvendo-lhe o que já é seu. É por isso que na
Kingdom of Heaven estamos sempre mordomos e nunca
os Proprietários.
Esta verdade é incorporada na Bíblia nos princípios do primeiro-
frutas e o dízimo. Cada colher os judeus eram obrigados a trazer
as “primícias” da colheita e oferecê-los ao Senhor. O mesmo
era para ser feito com todos os primogênitos dos animais: ovelhas, cabras,
Princípios Unido
212

página 213
gado. Além disso, um dízimo de 10 por cento-de aumento de um, um de
renda e produtos, devia ser dada ao Senhor. Tudo isso era para
a finalidade de reconhecer a posse-Sua Senhoria-of de Deus
tudo e Sua benevolência e amor em permitindo-lhes utilizar
e prosperar a partir de seus recursos.
Estes mesmos princípios se aplicam hoje, pelo menos no espírito de
reconhecendo a posse de Deus. cidadãos Unido ainda deve dar
o dízimo regularmente como um ato de fé e de culto em reconhecer
não só a posse de Deus, mas também o seu fornecimento diário de nossas
necessidades
bem como bênçãos abundantes.
7. Dar a um rei é ação de graças. Uma das melhores maneiras de
expressar gratidão é com um presente. Gratidão expressa é em
-se um presente. Olhe para a palavra “ação de graças.” Turn it
ao redor e você tem “dando graças” ou “dando grati-
tude.”Todo mundo gosta de saber que eles são apreciados.
Às vezes o melhor presente que podemos dar a uma pessoa é simplesmente
expressar sinceros agradecimentos por um presente dado ou uma gentileza
recebido. Deus é o mesmo caminho. Expressando nossos agradecimentos a
Deus de um coração sincero por suas bênçãos, bondade e
favor para conosco é oferecer-lhe um presente que Ele recebe
com prazer.
CINCO RAZÕES PARA DAR
Dar é natural para reis. Como cidadãos e crianças de Kingdom
o Rei, nós também somos reis. Sendo esse o caso, vários princípios
Segue:
1. Se todos nós somos reis, então devemos dar um ao outro.
Lembre-se, você nunca se aproximar de um rei sem um presente.
2. Quando damos ao corpo, que damos a Cristo Rei.
Porque Cristo vive em nós através do Espírito Santo, cada
tempo que damos uns aos outros, nós estamos dando a Ele.
Unido Conceito # 9
213

página 214
3. Cada vez que nos encontramos uns aos outros, dando deve ser auto-
matic. Se queremos ser como nosso Rei, que nos criou à Sua
imagem e semelhança, um espírito doação deve ser o segundo
natureza para nós.
4. Os sábios sabia que havia um rei maior na terra.
É por isso que o levaram presentes e adoraram.
Ele ainda está na terra-nos corações e nas vidas de seus cida-
Zens. Assim, sempre que damos, fazê-lo como se dando a Ele.
5. Quando você dá a um rei, você faz uma demanda sobre o que ele
possui. Dar gera dando. Quando damos ao
Rei do Céu, nós obrigá-lo a dar em troca. este
não é uma afirmação presunçosa, mas a expressão de uma
princípio Ele estabeleceu. Quando damos, Ele dá; quando
retemos, ele retém.
O PRESENTE DEFINITIVO
O presente final e maior o Rei quer de nós é resumida
-se com estas palavras:
Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração e com toda
tua alma e com toda a sua força (Deuteronômio 6: 5).
Dar ativa obrigação real.
Dê-lhe a sua vida e receber a Sua vida.
... lembrando as palavras do próprio Senhor Jesus disse: “ É
mais abençoado dar do que receber ”(Atos 20:35).
Princípios Unido
214

página 215
PRINCÍPIOS
1. Dar é um princípio fundamental do Reino de
Céu.
2. Deus é um doador.
3. O poder dos reis é exibido em sua riqueza.
4. O objectivo para a riqueza de um rei é para garantir a sua reputa-
ção-a sua glória.
5. A glória de um rei é o seu poder para fora dar outro rei.
6. Dar lugares uma demanda sobre a riqueza do rei.
7. Dar requer uma resposta do rei.
8. Dar a um rei atrai sua riqueza para o doador.
9. protocolo real exige que um presente deve ser apresentado
ao visitar um rei.
10. O presente deve ser apropriado para o rei.
11. O presente revela o nosso valor ou “vale-ship” do rei.
12. A adoração exige um presente e dar é adoração.
13. Dar a um rei atrai seu favor.
14. Dar a um rei reconhece sua propriedade de fora tudo
coisa.
15. Dar a um rei é ação de graças.
16. Dar gera dando.
17. Dar ativa obrigação real.
18. Dê-lhe sua vida e receber a Sua vida.
Unido Conceito # 9
215

página 216

página 217
Títulos mais emocionante
pelo Dr. Myles Munroe
COMPREENSÃO
SEU POTENCIAL
Este é um olhar motivador, provocador
o potencial incrível preso dentro
você, esperando para serem realizados. Este livro
fará com que você se sentir desconfortáveis com
seu atual estado de realização
e insatisfeitos com descansando em seu
sucesso do passado.
ISBN 1-56043-046-X
LIBERAÇÃO
SEU POTENCIAL
Aqui é um completo, integrado, princi-
abordagem pios-centrada para libertar o
potencial incrível preso dentro de você.
Se você está frustrado por seus sonhos,
idéias e visões, este livro vai mostrar
você um caminho passo-a-passo para liberar
seus potenciais e inflamar as rodas de
propósito e produtividade.
ISBN 1-56043-072-9
Disponível em sua livraria cristã local.
Para mais informações e amostras de capítulos,
visite www.destinyimage.com

página 218

página 219
Maximizando seu potencial
Você está entediado com o seu mais recente sucesso? Talvez você está frustrado com
o
perspectiva de aposentadoria. Este livro vai refire sua paixão para a vida!
Aprenda a maximizar o potencial dado por Deus adormecidos dentro de você
através das práticas, e penetrantes conceitos integrados compartilhados neste
livro. Ir para o max-morrer vazio!
ISBN 1-56043-105-9
Disponível em sua livraria cristã local.
Para mais informações e amostras de capítulos,
visite www.destinyimage.com

página 220

página 221
Redescobrindo a UNIDO
Quando os governos colapso, filosofias humanas falham e sua vida é
desabando ao seu redor, Redescobrindo o Reino se tornará
o seu guia através das tempestades traiçoeiras do século 21. Todos os
ideologias passadas falharam-humanismo, comunismo, totalitarismo,
fascismo, o socialismo e até mesmo a democracia. Esta é uma filosofia, uma ideolo-
Gy que não falhará, pois era furo no coração do próprio Deus.
ISBN 0-7684-2217-5
Disponível em sua livraria cristã local.
Para mais informações e amostras de capítulos,
visite www.destinyimage.com

página 222

página 223
O propósito e poder
De louvor e adoração
O maior desejo de Deus e do homem maior
necessidade é de um Espírito a relação espírito.
Deus criou um ambiente de Sua
Presença no qual o homem é habitar e
experimentar a plenitude deste rela-
navio. Neste livro, Dr. Munroe vai ajudar
você descobrir esta experiência em sua
vida cotidiana. Você está prestes a descobrir a
propósito incrível e poder do louvor
e adoração.
ISBN 1-56043-103-2
SOLTEIRO CASADO,
SEPARADOS &
Vida após o divórcio
Escrito por autor best-seller Myles
Munroe, este é um dos mais impor-
livros tant que você nunca vai ler. isto
responde a perguntas difíceis com compassivo
sion, verdade bíblica, e até mesmo um toque de
humor. É, também, está rapidamente se tornando um
mais vendidos.
ISBN 1-56043-094-X
Disponível em sua livraria cristã local.
Para mais informações e amostras de capítulos,
visite www.destinyimage.com

página 224
Cópias adicionais deste livro e outros
títulos de livros de D ESTINY I MAGE são
disponíveis em sua livraria local.
Esta ligação é gratuita: 1-800-722-6774.
Enviar um pedido de um catálogo para:
Destino Imagem ® Publishers, Inc.
PO Box 310
Shippensburg, PA 17257-0310
“Falando com os propósitos de Deus para este
Geração e para as gerações vindouras.”
Para obter uma lista completa de nossos títulos,
visite-nos em www.destinyimage.com
®