Você está na página 1de 50

Unidade II

HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

Profa. Maria Teresa


Educação sociedade e cultura no Antigo Egito
Educação,

Egito: “berço” de todas as civilizações.


 Os primeiros registros que temos acerca do Egito datam
do ano 4.000 a.C., quando caçadores nômades fixaram-se
no vale do Nilo, nordeste da África.
 A civilização egípcia desenvolveu a agricultura de forma
extraordinária graças ao regime de cheias do rio Nilo.
 A especialização na agricultura provocou o desenvolvimento
de vastos conhecimentos como geometria, astronomia,
matemática e as ciências úteis e necessárias para
a realização
li ã ddas atividades
ti id d práticas
áti diárias.
diá i
Educação sociedade e cultura no Antigo Egito
Educação,

 A sociedade se desenvolveu em torno de atividades


econômicas agrícolas.
 Sociedade de classes, dividida em diferentes camadas
sociais: sacerdotes, nobres, funcionários, artesãos,
camponeses e escravos.
 Governo centralizador e teocrático: monarquia teocrática,
ou seja, considerada de origem divina.
 O poder político era fundamentado no poder religioso,
logo, a religião era indissociável da vida política e
cotidiana
tidi dos
d egípcios.
í i
Sociedade religião,
Sociedade, religião educação

 Na cultura egípcia, o fator religioso era decisivo.


 A educação, por sua vez, estava intimamente relacionada
com a religião e a cultura.
 A transmissão do conhecimento, tanto religioso como
técnico não era disponibilizada para todos; ao contrário
técnico, contrário,
era restrita a poucos.
Sociedade educação e trabalho
Sociedade,

 Mas a sociedade se torna mais complexa e a economia


vai se diversificando.
 O mundo do trabalho exige um trabalhador
mais especializado e qualificado.
 A educação precisa ser condizente com esse propósito
propósito.
 Desprezo pelo trabalho manual.
Sociedade educação e poder
Sociedade,

Formação de três tipos de escolas:


 Escolas “intelectuais” (estudos de matemática, de
geometria e de astronomia-educação para a vida política,
ou seja, para o exercício do poder).
 Escolas “práticas” (qualificação de artesãos e treinamento
de guerreiros).
 Escolas de ciências esotéricas e sagradas (formação de
sacerdotes): educação para a vida política, ou seja, para
o exercício do poder.
Sociedade educação e poder
Sociedade,

 A educação, destinada às classes dominantes, preparava


para a vida política, ou seja, para o exercício do poder.
 Esta educação era baseada em literatura sapiencial
e tinha como objetivo o ensinamento dos comportamentos
e da moral referentes ao exercício do poder.
Conteúdos e objetivos da educação

 O conteúdo específico: preceitos comportamentais


e conselhos de sabedoria prática.
 A característica principal destes ensinamentos é que
estão voltados para a formação do homem político.
 Objetivos máximos deste ensino: “educação para falar”
e “obediência”.
 Oratória: fundamental na arte política do comando.
 Obediência: comandar pressupõe obediência.
 Disciplina, castigo e rigor.
Educação no Antigo Egito: principais características

 Uso de livros e textos de literatura sapiencial; processo


sistemático (com começo, meio, fim e objetivos);
institucionalizada existência de um encarregado pela
institucionalizada,
educação (escriba ou sacerdote); calcada na obediência
e na disciplina.
 Educação de classes, portanto, com conteúdos adequados
aos diferentes objetivos: à classe dominante (formação
d homem
do h político,
líti de
d escribas
ib e altos
lt funcionários)
f i á i )e
conteúdos adequados ao povo (formação de artesãos e
formação
ç de g guerreiros).
)
Escriba: ascensão social

 O escriba do Antigo Egito era um perito na escrita


em um tempo e lugar em que bem poucos detinham
esse conhecimento
conhecimento.
 Além de funcionário da administração, ele era mestre dos
filhos das castas dominantes, dos filhos dos faraós.
 A profissão de escriba se apresentava aos jovens,
e à sociedade em geral, como extremamente promissora
e vantajosa.
Interatividade

As proposições abaixo se referem a educação, sociedade,


cultura e trabalho no Antigo Egito. Assinale a alternativa correta:
a) Em uma sociedade como a egípcia,
egípcia fortemente marcada pelas
desigualdades sociais e com pouca mobilidade social, o domínio
da escrita e do conhecimento eram formas de ascender socialmente.
b) A educação no Antigo Egito era bastante informal, flexível
e acessível a todos.
c) A educação era realizada pelos escribas anciões
anciões, que eram
severamente combatidos e não tinham prestígio.
d) O trabalho manual era muito importante e considerado. Portanto,
a educação
d ã ti
tinha
h como objetivo
bj ti preparar mãoã de
d obra
b qualificada.
lifi d
e) Como a de guardador de cavalos, a profissão de escriba, apesar de
p
muito importante (o
( cavalo era o único meio de transporte),
p ), era
desvalorizada e inferiorizada.
Educação sociedade e cultura na antiguidade grega
Educação,

 Nossa civilização é herdeira dos ideais greco-romanos


no que se refere ao conhecimento, à ciência e à cultura.
 Dos povos da Antiguidade, foram os gregos e os
romanos que tiveram maior influência na formação
da civilização ocidental.
 Criações gregas: conceitos de cidadania e democracia;
jogos olímpicos, filosofia, fundamentos da ciência
e do teatro; é considerada o berço da pedagogia.
História da educação grega

 Período Homérico (1.100-800 a.C.): corresponde à educação


heroica, cavalheiresca.
 Período Arcaico (800-500 a.C.): corresponde à educação cívica
(Atenas e Esparta).
 Período Clássico (500
(500-400
400 a
a.C.):
C ): apogeu da civilização grega
grega.
Corresponde à educação clássica, humanista.
 Período Helenístico (336-146
(336 146 a.C.): fase da decadência da
Grécia. Corresponde à educação helenística, enciclopédica.
O Período Homérico: educação
heroica ou cavalheiresca

 A educação heroica ou cavalheiresca do Período Homérico


tem sua origem e base em dois poemas épicos atribuídos
a Homero: Ilíada e Odisseia.
Odisseia
 Estes poemas dominaram o processo educativo na Grécia,
divulgando ideais que perpassaram a cultura grega, atingindo
o patrimônio romano.
 Sua leitura e o estudo eram obrigatórios na educação básica
da Grécia.
Os poemas

 Os poemas narram das venturas e desventuras de dois heróis


épicos: Aquiles e Ulisses.
 Esses heróis são modelos de virtude, honra, superioridade,
conquista dos objetivos, coragem, perseverança
e cumprimento do dever.
 Os feitos heroicos desses personagens são aprendidos de
memória pelas crianças e analisados pelos jovens.
O ideal de educação heroica

 Educação heroica ou cavalheiresca: alicerçada nos conceitos


de honra e valor, espírito de luta e sacrifício, capacidades
e feitos individuais
individuais.
 A educação tinha o objetivo de fazer com que o jovem
assimilasse os valores da sociedade, ou seja, o espírito
de superioridade, a habilidade de falar e de se expressar
e a valentia para agir.
O período arcaico e a educação cívica

 Período de grandes mudanças na vida política, social, cultural


e econômica dos gregos.
Mudanças fundamentais:
 desenvolvimento das cidades-estado, as polis;
 desenvolvimento da racionalidade e da reflexão
(filosofia) em detrimento do mito;
 a utilização da escrita;
 o uso da moeda;
 a elaboração de leis escritas por legisladores
legisladores.
O florescimento das cidades-estados: “a
a polis”
polis

A formação das cidades-estados são privilegiadas:


 deslocamento das leis do âmbito do sagrado para
a esfera do humano;
 crescente participação dos cidadãos na elaboração
das leis e no exercício do governo;
 valorização do pensamento discursivo e da racionalidade
como base das decisões políticas;
 neste período ocorre a educação cívica, ou seja, uma
educação para a cidadania, capaz de formar bons cidadãos
comprometidos com os interesses de suas sociedades.
Exemplo: Esparta e Atenas.
Organização social em Esparta

 Esparta vive um clima de constante estado de guerra,


o que impõe a necessidade de um Estado forte, que controle
e discipline totalmente os indivíduos.
indivíduos
 A forma de governo que se estabelece é próxima
ao que conhecemos como sendo um governo totalitário.
 Neste tipo de sociedade era necessário que a educação fosse
calcada na severidade e na disciplina.
Organização social em Esparta

 Governo: diarquia, isto é, tinha dois reis que se revezavam


no trono. Não cultivava a democracia nem a oratória.
 Não consideravam necessário um estudo muito profundo
das coisas, nem estimulavam-se os discursos retóricos.
 Hábitos e costumes militarizados (subordinação do
indivíduo ao Estado. A criança era propriedade do
Estado, o casamento era obrigatório, mas a vida
familiar era quase inexistente).
 A sociedade era estamental, ou seja, dividida em camadas
sociais
i i em que havia
h i pouca mobilidade.
bilid d
Educação em Esparta

 Educação essencialmente militar, mas com o incentivo


de esportes e música.
 É ensinado ao soldado um mínimo de leitura e escrita;
a música merece maior consideração, pois exalta o ânimo
e o acompanha ao combate.
 Escola autoritária inteiramente controlada pelo Estado.
 Extremamente rigorosa, severa e disciplinar, a educação
espartana tinha como objetivo principal formar soldados
fortes, valentes e capazes para a guerra.
Educação em Esparta

 Já na adolescência, entravam em contato com a utilização


de armas de guerra.
 Para os rapazes, a escola era obrigatória e obedecia
a um currículo militar que se destinava a formar
pessoas destemidas.
 As meninas espartanas também tinham uma educação
específica. A educação feminina tinha como objetivo
formar boas esposas e mães, porém fortes e guerreiras.
A sociedade ateniense

 Enquanto Esparta se preocupou com a formação do


patriota guerreiro, Atenas se preocupou com a formação
do homem livre.
livre
 Atenas é considerada o berço da democracia. Portanto,
tem anseios e necessidades muito diferentes daqueles
de uma sociedade fortemente militarista.
 A sociedade ateniense valorizava o desenvolvimento
artístico e cultural de seu povo, o que levou à formação
de uma civilização de forte tendência intelectual, artística
e cultural
cultural.
A educação em Atenas

 Objetivos da educação: formação de indivíduos completos


(físico, psicológico e cultural).
 Ideal de busca do equilíbrio entre mente e corpo,
corpo estimulando
saúde física e debate filosófico.
 Educação
ç com enfoque q mais social do que
q estatal.
 A educação ateniense compreendia três partes: as letras,
a música e a ginástica.
 Educação
Ed ã ddas meninas:
i as meninas
i de
d Atenas
At não
ã
frequentavam escolas.
Interatividade

As alternativas abaixo se referem aos diferentes modelos educacionais


presentes em Esparta e Atenas. Leia e assinale a alternativa correta:
a) Na sociedade espartana
espartana, a educação,
educação em conformidade aos ideais
sociais, era essencialmente militar, embora os esportes e a música
também fossem incentivados.
b) Muito diferente de Esparta é o modelo de educação que se estabelece
em Atenas. Esparta se preocupou com a formação do patriota
guerreiro, e Atenas com a formação do homem livre.
c) Atenas é considerada o berço da democracia e tinha outros anseios
e necessidades, além dos militaristas.
d) A sociedade ateniense se preocupa com o desenvolvimento artístico
e cultural de seu povo, o que leva á formação de uma civilização
de forte tendência intelectual, artística e cultural.
e) Todas as alternativas se referem adequadamente aos modelos
educacionais de Esparta e Atenas.
O período clássico: educação clássica
ou humanista (500-400 a.C.)

 Período de apogeu da civilização grega.


 Fortalecimento da cidade de Atenas como centro da vida
social, econômica política e cultural da Grécia.
 Fortalecimento do conceito de democracia.
 Necessidade pedagógica: habilidade na política, habilidade
em retórica ou oratória, domínio de técnicas para ajudar
os homens a defenderem suas opiniões.
Aparecimento dos sofistas e dos filósofos:
Sócrates, Platão, Aristóteles.
Os sofistas

 Os sofistas foram os primeiros “educadores pagos”


da Grécia e cobravam altas taxas pelos ensinamentos
que ministravam.
ministravam
 Mas o que ensinavam os sofistas? Não eram filósofos, mas
ensinavam tudo que fosse necessário: retórica, política,
gramática, história, física e matemática.
 Sofisma: argumento ou raciocínio falso com aparência
de verdade. Sofismar: dar uma interpretação falsa; raciocinar
por sofisma; enganar; iludir.
Os sofistas

A crítica dos filósofos:


 por cobrarem por seus ensinamentos;
 por se considerarem sábios;
 por não se preocuparem com as ideias morais.
Enquanto que para os filósofos a moral, a virtude e a ética
deveriam ser o cerne da educação e da vida.
A importância dos sofistas:
 eles foram os primeiros a fazer do magistério
uma profissão;
 contribuíram para a sistematização da educação
e para a difusão da filosofia para um grande número
de pessoas das polis.
Os filósofos: Sócrates

 Considerado o grande educador espiritual da Grécia.


 As ideias socráticas foram extremamente inovadoras
na educação.
 Razão e racionalidade adquirem nova importância: para
o ensino ser eficiente,
eficiente é necessário ensinar a pensar
pensar.
 O método de Sócrates é basicamente o diálogo em dois
momentos: 1) ironia; e 2) maiêutica.
Método socrático: ironia e maiêutica

Ironia:
 levar o indivíduo à convicção do erro;
 levar o indivíduo a perceber a própria ignorância;
 mostrar a seus interlocutores o quanto estavam errados
em seus “pré-conceitos” e “pré-juízos”;
 em seus diálogos, o reconhecimento da própria ignorância
era parte essencial para se chegar à apreensão da ideia
e à construção dos conceitos.
Método socrático

Maiêutica:
 em medicina, maiêutica significa a arte de dar à luz;
 figuradamente, maiêutica, em filosofia, significa a arte
de dar à luz as ideias;
 Sócrates queria exatamente isto: que com sua ajuda,
a alma de seus discípulos parisse as ideias;
 o método socrático,
socrático portanto
portanto, consiste em interrogar,
interrogar
em ajudar cada um a tomar consciência dos seus
próprios pensamentos.
Características da educação para Sócrates

 Educação de caráter espiritual e moral.


 A educação deveria promover o ensinar a pensar.
 O uso do diálogo por meio da ironia e da maiêutica
para conduzir à descoberta da verdade.
 Domínio da razão e da racionalidade na condução
do pensamento.
 O saber e a verdade deveriam ser os condutores
da ação pedagógica.
Os filósofos: Platão,
Platão discípulo de Sócrates

 Destacou-se mais pela reflexão pedagógica do que pela


atividade educativa.
 Enquanto Sócrates foi o primeiro educador da Grécia,
é possível que Platão tenha sido o fundador da teoria
da educação, ou seja, da pedagogia.
Os filósofos: Platão

 O objetivo da educação é desenvolver o equilíbrio


do corpo e do espírito.
 A ginástica deveria se iniciar na infância e se estender
por toda a vida como uma maneira de complementar
a formação do caráter e da personalidade.
 Para Platão, a cidade justa deve ser governada e
administrada pelos filósofos e pelos homens da ciência.
 Assim como para Sócrates, a finalidade da educação,
para Platão, era a formação do homem moral, e o meio
era a educação
d ã ddo Estado.
E t d Para
P tanto,
t t o Estado
E t d deveria
d i
encarnar a ideia de justiça.
A Academia de Platão

 Platão fundou, por volta de 387 a.C., uma escola conhecida


como “Academia”, também chamada de Academia Platônica,
Academia de Atenas ou Academia Antiga
Antiga.
 Esta escola localizava-se num subúrbio de Atenas,
em jardim consagrado à deusa Atena.
 É considerada a primeira escola de filosofia,
e nela estudou Aristóteles.
 A escola de Platão primava pelo ensinamento dialético,
em que o saber é produzido e não simplesmente ensinado.
Interatividade

Quais as necessidades pedagógicas da Grécia no período clássico


e o que os sofistas ensinavam? Assinale a alternativa correta:
a) A necessidade pedagógica era a habilidade na escrita
escrita,
e os sofistas ensinavam caligrafia.
b)) A necessidade p pedagógica
g g era a habilidade na leitura,
e os sofistas ensinavam a arte de ler em público.
c) A necessidade pedagógica era a habilidade na política,
e os sofistas ensinavam retórica,
retórica a arte de falar em público
público,
e a arte da persuasão.
d) A necessidade pedagógica era o desenvolvimento de alguma
habilidade voltada para o trabalho, e os sofistas ensinavam
técnicas de escultura em mármore.
e) A necessidade pedagógica era o desenvolvimento de alguma
habilidade voltada para a música, e os sofistas ensinavam
o uso da flauta.
Os filósofos: Aristóteles,
Aristóteles aluno e discípulo de Platão

 Foi um grande filósofo, educador e pedagogo. Esteve aos


seus encargos a educação de Alexandre Magno, filho de
Filipe Rei da Macedônia.
Filipe, Macedônia
 A educação deveria ser responsabilidade do Estado
e ter como objetivo a virtude.
 Preocupação com a formação do homem político, ou seja,
do “político ideal” para governar.
 A finalidade da educação é obter a virtude. Cabe à educação
a formação do caráter.
O Liceu de Aristóteles

 Liceu foi uma escola de ciência política fundada por


Aristóteles em 335 a.C.
 A escola localizava-se no bosque consagrado a Apolo
Lício e, provavelmente, esta é a origem do nome “Liceu”.
 Atualmente
Atualmente, várias escolas secundárias
secundárias, estabelecimentos
educacionais e culturais recebem esta designação.
Período Helenístico: educação
helenística / enciclopédica (336-146 a.C.)

 No Período Helenístico ocorre a decadência


das Cidades-Estado.
 Foi neste período que Alexandre Magno, Rei da Macedônia,
conquistou a Grécia, colocando-a sob o seu domínio.
 Contudo
Contudo, este também é um momento em que a cultura
grega se amplia, e se espalha para todo o mundo.
Helenismo – fusão cultural: o contato da cultura grega com as
diferentes culturas do mundo, especialmente com o mundo
oriental (Pérsia e Egito), gerou uma fusão cultural que passou
a caracterizar
t i o helenismo.
h l i
A educação no helenismo

 Diminuição da importância da educação física e dos aspectos


estéticos e valorização dos aspectos intelectuais.
 Nesse período eleva-se o papel do pedagogo com a criação
do ensino privado e o desenvolvimento da escrita, leitura
e o cálculo.
 O conteúdo abrangente das disciplinas humanistas
(gramática, retórica e dialética) e científicas (aritmética,
música, geometria e astronomia).
Roma Antiga: origens

 Origem lendária: Rômulo e Remo.


 Origem histórica: entre 753 a.C. e 509 a.C. três povos
fixaram-se na Península Itálica: gregos, etruscos e italiotas.
 A civilização romana passou de uma monarquia para uma
república oligárquica,
oligárquica até se transformar em um império
império.
 Esta sociedade foi sendo formada por: patrícios – nobres
proprietários de terras; e plebeus – comerciantes, artesãos
e pequenos proprietários.
 Legados: desenvolvimento do direito, governo, guerra, arte,
literatura, arquitetura, tecnologia, religião e da linguagem
no mundo ocidental, e sua história continua a ter uma
grande influência sobre o mundo de hoje.hoje
Roma Antiga: avanços do Império Romano

 De 205 a.C. a 146 a.C. ocorre o avanço dos romanos,


que dominam a Macedônia.
 A democracia grega é abolida e substituída por uma
oligarquia de Estado sob o comando de Roma.
 O Império Romano converteu a Grécia em província romana;
Atenas e Esparta mantiveram sua condição de cidades livres.
 Apesar de econômica e politicamente enfraquecida, do ponto
de vista cultural a Grécia mantinha poder e influência.
Palavras de Horácio: “A Grécia conquistada conquistou
por sua vez seu selvagem vencedor e trouxe a civilização
ao rude Lácio”.
Educação romana

 Segundo Franco Cambi, a educação na Roma arcaica tinha


caráter prático, familiar e civil, destinada a formar o civis
romanus superior aos outros povos pela consciência do
romanus,
direito como fundamento da própria “romanidade”.
 Finalidade da educação: proporcionar saber para o exercício
da profissão (soldado/proprietário rural); Lei das Doze
Tábuas – texto-base da educação romana.
 O civis romanus era, porém, formado antes de tudo em família
pelo papel central do pai e da mãe.
 A mulher
lh (mãe)
( ã ) em R
Roma era valorizada
l i d como mater
t familias,
f ili
e controlava a educação dos filhos.
 Papel do pai: autoridade máxima e central da vida familiar
familiar.
Educação romana: a influência grega

Roma sempre teve influencias gregas;


 mas, a partir do século II a.C., com o avanço do Império
Romano e anexação da Grécia e da Macedônia, esta
influência foi cada vez mais notável e crescente;
 educadores gregos eram escolhidos para cuidar
da educação dos jovens romanos;
 o Helenismo influencia todos os aspectos culturais
de Roma – arquitetura, escultura, religião e,
principalmente, a educação.
As diferenças entre o ensino em
Roma e o modelo educativo Grego

 O ensino de música, canto e dança e atletismo, fundamentais


na educação grega, são rejeitados por setores tradicionais
de Roma
Roma.
 A educação romana privilegia uma aprendizagem literária
e pragmática, em detrimento da ciência, da educação
musical e do atletismo.
O nascimento das escolas latinas

 Os romanos criaram o primeiro sistema de ensino conhecido:


um organismo centralizado que coordena uma série de
instituições escolares espalhadas por todas as províncias
do Império.
 Aos poucos este sistema é organizado em três graus distintos
e sucessivos – a instrução primária, a secundária e o ensino
superior –, aos quais correspondem três tipos de escolas,
confiadas
fi d a três
t ê tipos
ti de
d Mestres
M t especializados.
i li d
Principais nomes da educação
romana: Cícero e Sêneca

 Marco Túlio Cícero (106 a.C. – 43 a.C.): representante


do ensino humanista, ou seja, educação de caráter universal,
humanística supranacional.
humanística, supranacional Seu ideal educativo teria
um sentido cosmopolita e universal.
 Lúcio Annaeus Sêneca (4 a.C. – 65 d.C.): foi preceptor
de Nero e, mais tarde, foi seu conselheiro. Foi advogado,
escritor, intelectual e filósofo estoico.
Principais nomes da educação romana: Quintiliano

 Marco Fábio Quintiliano (35 d.C. – 95 d.C.): advogado


e o primeiro professor de Eloquência, pago pelo Estado,
no Império de Vespasiano.
Vespasiano Teve alunos famosos como
o Imperador Adriano. Obra: De institutione oratoria,
(tratado de educação intelectual e moral).
 Quintiliano afirma que o Mestre deve ser um homem
de caráter e de ciência, pois suas atitudes e conduta
i fl
influenciarão
i ã de
d forma
f determinante
d t i t o desenvolvimento
d l i t
do aluno.
Interatividade

Em relação às características da educação grega no Período


Helenístico, assinale a alternativa correta:
a)) Di
Diminuição
i i ã dad importância
i tâ i dod pedagogo
d com a criação
i ã do
d
ensino privado e a desarticulação das universidades.
b) Diminuição da importância dos aspectos intelectuais e
valorização da educação física e dos aspectos estéticos.
c) A educação passa a ser especializada, exigindo conhecimento
profundo em um único assunto.
d) Eleva-se a importância do papel do pedagogo com a criação
do ensino privado e o desenvolvimento da escrita
escrita, da leitura
e do cálculo.
e) O interesse acontece apenas em relação ao conteúdo das
disciplinas humanistas (gramática, retórica e dialética).
ATÉ A PRÓXIMA!