Você está na página 1de 1

O Natal que chega e sua mística

É a noite mais importante do ano, o nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo, em 24 de


Dezembro, que anuncia também um evento cósmico e místico. Descrito na Bíblia no segundo
capítulo de Evangelho de Lucas, bem como no primeiro capítulo do Evangelho segundo São Mateus,
este nasceu da Virgem Maria, bem como tendo por pai de criação a José. Jesus foi anunciado pelo
anjo Gabriel e então Maria se tornou a Mãe de Deus, pois Jesus é Deus, uma das três pessoas da
Trindade. Fala-se da data também mostrar o nascimento de mestres de outras religiões ou mesmo
deuses, como Hórus no Egito, Krishna e Buda na Índia, Dionísio na Grécia, Baco em Roma, Zoroastro
no Irã, dentre outros. Mas nenhum se igualava a Jesus Cristo, que venceu a morte e superou as
religiões de raça. O messias anunciado se aproxima. Recebamos a luz do Cristo com alegria e seu
nascimento em nosso coração.

Não apenas o nascimento do homem e maior iniciado chamado Jesus que se revela nessa
comemoração, mas um evento cósmico e do Sol, que o mostra o Cristo nascendo e assim sendo
sacrificado no céu. Cristo depois se sacrificaria por nós na Páscoa, mas é no Natal que ele dá a
esperança cósmica que a vida vai se manter, quando supera o materialismo de Sagitário e no
oriente do céu está o signo de Virgem, representando a Virgem eterna. As estrelas anunciam o
Salvador, assim como os anjos também o envolvem na manjedoura, local de nascimento, ou
naquela caverna de essênios, sendo bem tratado pelos seus pais, terapeutas como outros essênios.
Também a estrela crística brilhava forte no céu, o Sol da meia noite, ainda guiando os três magos,
que pela astrologia, e, mesmo depois visualmente chegaram até o menino Jesus. Os magos
representavam as três raças que mostrariam a fraternidade cristã, unindo pessoas diferentes sob
uma mesma espiritualidade, não mais sendo uma religião de raça exclusiva. O espírito da paz e do
amor nos se faz presente, de modo que ele, o Cristo, é nosso salvador, nos libertando do impagável
carma de um pecado original, ocorrido lá no jardim do paraíso Éden. Cristo é o Novo Adão que nos
liberta, que nos guia através do caminho. Ele é o caminho, a verdade e a vida. O seu jugo é leve.
Estamos no verão, e assim nos mostra o festival de fadas, como toda a vitalidade dessa época. Já no
hemisfério norte há o inverno, onde a vida quase se perde. Assim o Cristo Cósmico restaura a vida
em cada ano, garantindo que esta se mantenha. Também cada um que busca esse desenvolvimento
espiritual se vê presente com o Cristo Interno, pois é dentro de cada um que este deve nascer.

Para tanto, a noite mais santa do ano se aproxima, mais do que de presentes trocados, ou
consumismo, é a comemoração do nascimento de Cristo Jesus. Ele nasceu em meio à luz, e é nesta
luz que devemos permanecer, a fim de nos mantermos na verdade e no amor. Cristo esteja
presente entre nós, e nos faça superar o príncipe desse mundo. Possamos, que nem os três magos,
o encontrar após uma longa jornada, mas uma jornada de certeza e de descoberta. Que Cristo
nasça em nós em perdão e espírito de fraternidade.

Mariano Soltys, advogado e filósofo