Você está na página 1de 223

Conceitos Básicos de Primavera P6

1. INTRODUÇÃO - 4

A) VISÃO GERAL - 4
B) ESTRUTURA DO PRIMAVERA 9
C) TELA ABERTURA - 11
D) NAVEGAÇÃO 13
E) ABRINDO UM PROJETO EXISTENTE 23
F) UTILIZANDO AJUDA NO P6 - HELP, HINT HELP E WIZARD. 24
G) COPIANDO PROJETOS 26

2. ADMINISTRANDO O PRIMAVERA - 28

A) OBS - 29

INTRODUÇÃO -
B) EPS 30
C) PERFIL DE SEGURANÇA – SECURITY PROFILE 32
D) PREFERENCIAS DO USUÁRIO - USER PREFERENCES 33

3. ADMINISTRANDO RECURSOS 34

A) VISÃO GERAL 34
B) CADASTRO DE RECURSOS 34

4. CRIANDO O PROJETO 43

A) PREFERÊNCIA DO USUÁRIO – USER PREFERENCES 43


B) EAP – WBS 49
C) ATIVIDADE - ACTIVITIES 52
D) RELACIONAMENTOS 63
E) LAG 65
F) CÁLCULO DO PROJETO - SCHEDULE (F9) 69
G) FOLGA TOTAL E FOLGA LIVRE 72
H) NOTEBOOK 73

5. CARREGANDO RECURSOS 76

A) VISÃO GERAL 76
B) CARREGANDO RECURSOS 78
C) CARREGANDO MAIS RECURSOS 85

6. MELHORANDO O PROJETO 88

A) CALENDÁRIO 88
B) RESTRIÇÕES 99
C) CÓDIGO DE ATIVIDADES 106

Academia do Planejamento Pág. 1 / 222


D) PASSOS DAS ATIVIDADES (STEPS) 115

7. ANÁLISE DO PROJETO 118

A) AGRUPANDO ATIVIDADES 118


B) ORGANIZAR ATIVIDADES 121
C) FILTRAR ATIVIDADES 121
D) LIÇÃO ATIVIDADES CRÍTICAS 123

8. CRIANDO A BASE LINE 126

A) CRIANDO UM PLANO META (BASELINE) 126


B) ATRIBUINDO UMA BASELINE A UM PROJETO 127

9. MONITORANDO O PROJETO 130

INTRODUÇÃO -
A) TIPOS DE AVANÇO 130
B) PROGRESS SPOTHLIGHT 132
C) DATA DATE 133
D) AVANÇO DA ATIVIDADE MARCO DE INÍCIO. 134
E) AVANÇO PELO FÍSICO C/ STEPS 136
F) AVANÇO PELA DURAÇÃO 139
G) AVANÇO PELO FÍSICO S/ STEPS 143
H) AVANÇO PELO ESFORÇO 144
I) ANÁLISE DOS AVANÇOS 146
J) AUTO COMPUTE ACTUALS E APPLY ACTUALS 147
K) DIRIGENTE 150

10. MELHORANDO O MONITORAMENTO 151

A) ANÁLISE DAS VARIAÇÕES 151


B) ANALISE DA TENDÊNCIA 151
C) ANÁLISE DA CURVA S 152
D) PERFORMANCE 154
E) GRÁFICO DO VALOR AGREGADO 155

11. IMPRIMINDO RELATÓRIOS 156

A) ASSIGNMENTS 156
B) REPORTS 157
C) PRÉVIA DE IMPRESSÃO - PRINT PREVIEW 160
D) HISTOGRAMA DE MAO DE OBRA 161
E) HISTOGRAMA DE EQUIPAMENTOS. 164
F) GRÁFICO DO VALOR AGREGADO – EARNED VALUE CURVES 164
G) PREVISÃO FINANCEIRA 167
H) PROGRAMAÇÃO DE SERVIÇOS 167
I) KPI 173

Academia do Planejamento Pág. 2 / 222


J) EXPORTANDO GRÁFICO KPI PARA O EXCEL 174
K) PDF 175
L) CAMINHO CRÍTICO 176
M) CRONOGRAMA MESTRE 177

12. ADMINSTRANDO PROJETOS 178

A) CÓDIGO DE PROJETOS 178


B) CAMPOS DEFINIDOS PELO USUÁRIO - USER DEFINIED FIELDS (UDF) 180
C) PUBLICAÇÃO – PUBLISH PROJECT WEB SITE 180

13. DICAS IMPORTANTES 182

A) EXPORTANDO PROJETOS XER 182


B) IMPORTANDO PROJETOS XER 185
C) TRABALHANDO COM O EXCEL 189

INTRODUÇÃO -
D) SUMARIZAÇÃO DOS DADOS DO PROJETO 196
E) ADMINISTRANDO O PRIMAVERA COM MAIS DETALHES. 196
F) MOEDA 205
G) NIVELAMENTO DE RECURSOS – LEVEL RESOURCES 206
H) NIVELANDO RECURSOS ENTRE ATIVIDADES. 206
I) NIVELANDO RECURSOS ENTRE PROJETOS 210
J) COMO UTILIZAR O RECURSO – ROLE 213
K) AVANÇO PREVISTO EM % - SCHEDULE % COMPLETE 217
L) AVANÇO CONFORME PREVISTO - AUTO COMPUTE ACTUAIS. 218

14. ANEXOS ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO.

A) OBS ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO.


B) EPS ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO.
C) RECURSOS ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO.
D) ESCOPO DO PROJETO ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO.
E) RELACIONAMENTOS ENTRE AS ATIVIDADES ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO.
F) TABELA DE PRODUTIVIDADES ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO.
G) PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE EQUIPE ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO.

Academia do Planejamento Pág. 3 / 222


1. INTRODUÇÃO -

a) Visão Geral -

Objetivo
Objetivo dessa apostila é fornecer ao aluno um conhecimento básico da ferramenta Primavera Project
P6 Release 7.0.
Oracle Primavera fornece um conjunto de componentes integrados que atendem às necessidades de
diferentes áreas de uma organização de gerenciamento de projetos. Ele usa interfaces padrão do
Windows, tecnologia Web-enabled, multiusuário ou stand-alone, bases de dados (Oracle Database
Express Edition ou Microsoft SQL Server).

A Primavera Systems, Inc., mantém um estreito relacionamento com o Instituto de


Gerenciamento de Projetos (Project

INTRODUÇÃO -
Management Institute – P.M.I.®). Essa
referência é importante para destacar uma A história do Primavera até o
das principais características dos sistemas momento
Primavera®:
• 1983 – Primavera P3 pela
A sua aderência, em termos de sistema Primavera System, Inc.
computacional, às metodologias, e ao • 1999 – Primavera Enterprise P3e.
Estado-da-Arte em Gerenciamento de • 2005 – Primavera P6 Project
Projetos difundidas pelo PMI® e Management R.6 - (P6 PM)
explicitadas no Guia Project Management • 2009 – Primavera P6 Project
Body of Knowledge – (Guia PMBOK® ). Management R.7 – (P6 PM)
• 2012 – Primavera P6 Professional
Management R.8.3 pela Oracle –
O Primavera P6 é uma ferramenta de
(P6 PPM)
auxílio no gerenciamento de projetos. O
• 2012 – Primavera P6 Enterprise
Primavera P6 é capaz de gerenciar grandes
Project Portfolio Management –
projetos durante vários anos, bem como
(P6 EPPM)
lidar com um calendários complexos. Ajuda
a balancear o trabalho necessário para
projetos multinacionais e auxilia na
verificação dos riscos ao cronograma e ao
orçamento do projeto.

Um projeto bem configurado no Primavera permite o controle de vários recursos do projeto.


Tendo como o principal controle o cronograma da obra. Um projeto com um bom cronograma
poderá realizar um bom controle também dos custos, dos riscos ao projeto, da distribuição dos
recursos utilizados (material, mão de obra e equipamentos), dos documentos relacionados ao
cronograma como a liberação ambiental, liberação da prefeitura. Também será possível
controlar os serviços a serem executados, as despesas do projeto e também realizar o cálculo do
valor agregado ao projeto.

Academia do Planejamento Pág. 4 / 222


Primavera P6 Project Management (P6 PM)
O Primavera P6 consiste dos seguintes módulos de cliente:
Project Management Project Management (P6 PM) é um módulo que permite aos usuários planejar e
controlar um grande número de projetos. Os dados do projeto são armazenado em um banco de
dados com gerenciamento central. Tanto o Oracle como o Microsoft SQL Server podem ser utilizados
como um sistema de gerenciamento de banco de dados relacional em uma configuração de rede.

Methodology Management (P6 MM)


Methodology Management (Metodologia de Gestão) é um módulo para criação e Armazenamento de
metodologias, ou modelos de plano de projeto. Metodologia de Gestão permite que sua organização
para reunir suas "melhores práticas" e armazená-los em uma metodologia fundamental.

Progress Reporter
Progress Reporter é uma comunicação interprojetos e sistema de apropriação de horas. Os
membros da equipe usam Progress Reporter para inserir informações sobre as horas

INTRODUÇÃO -
trabalhadas em seus projetos.
O Progress Reporter não é instalado junto com o Primavera. É necessário uma instalação a
parte.

Família Oracle Primavera


A família de produtos Oracle Primavera é extensa, contendo soluções em software para diversos
aspectos do gerenciamento de projetos. O Quadro 1 apresenta os principais produtos
Primavera.

Academia do Planejamento Pág. 5 / 222


N° Software Utilização
1 Primavera P6 Project Management (EPPM) Gestão de projetos
2 Primavera Contract Management Gestão de contratos
3 Primavera P6 Analytics Análise de inteligência de negócios do P6
4 Primavera Risk Analysis Análise quantitativa de riscos
5 Primavera Portfolio Management (PPM) Gestão de portfolios
6 Primavera Earned Value Management Gestão de custos (planejado e realizado)
7 Primavera Business Inteligence Publisher Gerador de relatórios
8 Primavera Business Process Management Gerador de processos
9 Primavera Progress Report Controle de apontamento de horas

INTRODUÇÃO -

Academia do Planejamento Pág. 6 / 222


Meu Primeiro Cronograma no Primavera P6

INTRODUÇÃO -
Grupos de Processos
Segundo o PMBOK, existem cinco grupos de processos:
Outra importante observação é são os
grupos de processos. • Processos de Iniciação – autorização do
projeto ou fase.
No nosso modelo só estão presentes o
grupo de planejamento e monitoramento • Processos de Planejamento – são processos
iterativos de definição e refinamento de
e controle.
objetivos e seleção dos melhores caminhos
Planejamentos para atingir os objetivos.

É nesse momento que criamos e • Processos de Execução – execução dos planos


planejamos o projeto, definimos as do projeto: coordenação de pessoas e outros
recursos para executar o plano
entregas (WBS), entramos com as
atividades (ações), relacionamentos, • Processos de Monitoramento e Controle
durações, atribuímos e nivelamos os medição e monitoramento do desempenho do
recursos e calculamos o cronograma. projeto. Garantem que os objetivos do projeto
são alcançados através do monitoramento e
medição regular do progresso, de modo que
ações corretivas possam ser tomadas quando
necessário.
Antes de passar para a próxima etapa, é
• Processos de Encerramento – aceitação
muito importante a análise e conferência
formal do projeto (com verificação de escopo)
completa do cronograma, pois, após a f fi li ã
criação da base line (BL), toda a parte de
planejamento (budgeted) não deverá ser
mais alterada.

Academia do Planejamento Pág. 7 / 222


Monitoramento e Controle
É nesse momento entramos com os avanços do projeto, identificamos a data de início e término de
cada atividade, percentual realizado (% avanço físico) e dos recursos. Se necessário, podemos fazer
pequenos correções no saldo a realizar(remaining) do projeto.

Usuários do Primavera

INTRODUÇÃO -
Figura 1 – Alguns tipos comuns de usuários do Primavera P6

Administrador
Entre as várias funções do administrador, temos:
 É o responsável pela instalação, configuração e atualização do Primavera P6.
 Faz o planejamento para o crescimento e as mudanças necessárias, e estabelecer e manter
políticas e procedimentos de backup e recuperação.
 Criação dos perfis de seguranças, cadastrando usuários, fornecendo senhas, etc.
 Trabalhando junto com a gerencia na criação da estrutura principal do Primavera - OBS x
EPS.

Gerente de Recursos
 Tem uma visão geral dos recursos de todos os projetos.
 Responsável em cadastrar os recursos materiais, equipamentos e mão de obra do
empresa.
 Informar os valores por unidade (“Standard Rate” ou “Price/Unit”). Podemos considerar
esses valores como se fosse o preço unitário do recurso.
 Informar a quantidade limite de esforço por um período de tempo (“Max Units / Time”).
Esse limite é utilizado para nivelar os recursos.
 Realizar o nivelamento dos recursos dos projetos mas com uma visão geral, otimizando a
distribuição dos recursos entre os projetos.

Academia do Planejamento Pág. 8 / 222


Técnico de Planejamento
Tem uma visão objetiva somente dos projetos que controla.
 Atuar diretamente no cronograma.
 Trabalhar junto ao Gerente de Planejamento no desenvolvimento do cronograma informando
quais são as atividade, WBS (ou EAP), durações, relacionamentos e calendários.
 Carregar os recursos, calcula o cronograma, cria e atribui a base line (BL).
 Criar os códigos de projeto e de atividades,
 Criar UDF (campos definidos pelo usuário), filtros e layouts.
 Desenvolver e emite relatórios.
 Dár os avanços necessários em cada atividades.

Gerente de Planejamento
Tem uma visão objetiva somente dos projetos que controla mas não atua diretamente neles.

INTRODUÇÃO -
 Definir o plano de projeto.
 Definir como o trabalho será executado para realizar os objetivos do projeto;
 Definir como as mudanças serão monitoradas e controladas;
 Aprovar cronogramas e as base lines.
 Definir formas e tipos de avanços.
 Aprovar avanços.
 Definir os planos de ação (ou plano de recuperação).
b) Estrutura do Primavera

Estrutura básica
Inclui o estudo sobre a estrutura básica do Primavera e descreve como funciona essa estrutura.

Figura 2 – Estrutura básico do Primavera P6

Academia do Planejamento Pág. 9 / 222


Instalação do Primavera
Podemos instalar o Primavera de duas formas:

Instalação Stand Alone


Nessa instalação, o Primavera irá trabalhar isoladamente. Para isso, ele precisar instalar também o
servidor de banco de dados.

INTRODUÇÃO -
Figura 3 – Tela de opções de instalação do Primavera P6

Figura 4 – Janela de adicionar e remover programas do Windows com o


Primavera P6 e o Microsoft SQL Server instalados (stand-alone).

Caso precise transferir um projeto entre dois usuários que tem a instalação Stand Alone, será
necessário a exportação em XER desses dois projetos.

Academia do Planejamento Pág. 10 / 222


Figura 5 – Comunicação entre os projetos em uma instalação stand-alone.

Instalação Cliente / Servidor


Nessa instalação, a instalação do banco de dados será somente no computador servidor, os

INTRODUÇÃO -
demais, a isntalação será somente do Primavera.

c) Tela Abertura -

Iniciando o Primavera
Localize e dê dois cliques no ícone “Project
Management” para iniciar o Primavera.
Login no Primavera P6
 Login Name - admin
 Password - admin

Academia do Planejamento Pág. 11 / 222


As senhas são case-sensitive e dependem de seleções na caixa de diálogo Preferências de
Admin.

INTRODUÇÃO -
O seu nome de login pode ser de até 20 caracteres de comprimento.

Tela Welcome
O uso da caixa de diálogo “Welcome” é opcional para criar um novo projeto, abrir um projeto
existente, abra o último projeto aberto, ou abrir apenas dados globais (EPS, projetos, funções,
recursos, calendários, etc.)
Marque a caixa “Do not show this window again” se você não quiser que essa caixa de diálogo
apareça cada vez que você abrir o Primavera. Para ativar essa opção novamente escolha Editar,
Preferências do usuário e em seguida, clique na guia de aplicativos e marcar a mostrar a janela
de boas-vindas no checkbox de inicialização.

Academia do Planejamento Pág. 12 / 222


Selecionando um Idioma
Se desejar, você podera definir um novo idioma no Primavera P6.
Use a caixa de diálogo Definir Idioma para selecionar o idioma no qual exibir as informações na
interface do usuário, incluindo menus, caixas de diálogo e mensagens.

d) Navegação

Visão Geral

INTRODUÇÃO -
Quando você abre um projeto, o espaço de trabalho inicial exibe as principais funções
disponíveis no módulo. Por exemplo, clique em Activities para se concentrar em dados de
atividade e personalizar layouts. O espaço de trabalho para cada janela principal consiste em
uma barra de menu, barra de navegação, barra de diretório, barra de ferramentas e barra de
comando.

Esta opção não afeta os dados do seu


projeto. As informações continuam a
aparecer exatamente como foram
digitadas.
É necessário o reinício do módulo do
Primavera para aplicar a mudança de
idioma.

Academia do Planejamento Pág. 13 / 222


Página Inicial (Home)

INTRODUÇÃO -

Atenção
Se não houver projeto nenhum
aberto, os ícones dos “Dados
do Projetos” estarão
desabilitados.

Academia do Planejamento Pág. 14 / 222


Visão de Projetos (Projects)

Janela Projects

INTRODUÇÃO -
Barra de Ferramentas - Activity Toolbar

Barra de Navegção - Navigation Bar


Utilize a barra de nevegação para passear entre as principais telas do Primavera.

Academia do Planejamento Pág. 15 / 222


Gráfico de Gantt – Gantt Chart
Fornece uma exibição gráfica do progresso atividade ao longo do projeto. Você pode personalizar as
barras de Gantt, cores, rótulos e símbolos. Você também pode classificar, filtrar e atividades em grupo
no Gráfico de Gantt. O Gráfico de Gantt é exibido nos layouts superior e inferior.

INTRODUÇÃO -
Rede de Atividades - Activity Network
Fornece uma exibição gráfica de atividades, incluindo relações lógicas. Você pode especificar
quais informações você deseja exibir, e você pode mudar as cores da Rede Atividade e fontes.
Você também pode atividades de grupo e filtro na rede de atividades. A Rede de Atividade é
exibido apenas no layout do topo.

Detalhes Atividade- Activities Details


Exibir informações detalhadas para uma atividade que você selecionar tanto na tabela de
atividade ou atividade de rede. Você também pode usar Detalhes da atividade para inserir e
editar informações de uma atividade, tais como datas, atribuições de recursos e predecessoras
e sucessoras relacionamentos. Detalhe da atividade é exibido apenas na parte de baixo.

Academia do Planejamento Pág. 16 / 222


Guia General

INTRODUÇÃO -
Nesta guia você pode alterar várias informações do projeto como: código de identificação,
nome, status, o gerente responsável, nível de risco e grau de prioridade.

Status
Informar a situação do projeto. É necessário que o projeto esteja aberto.

 Active – Utilize para os projetos ativos.


 Inactive – Utilize para projetos encerrados ou paralizados.
 Planned – Utilize para projetos ainda em desenvolvimento.
 What-if – Utilize para projeto em simulações

Nível de Risco – Risk Level


Você poderá informar o nível de risco do seu projeto. Você poderá utilizar organizar, filtrar e
preparar relatórios. Por exemplo, filtrar e analisar todos os projetos que têm nível de risco 1 –
Very Low.

Academia do Planejamento Pág. 17 / 222


Prioridade em Nivelamento dos Recursos - Project Leveling Priority
Utilize para criar prioridades para nivelamento dos recursos. As prioridade vão de 1 a 100, sendo a
prioridade 1 a prioridade máxima.

Check-out Status
Quando o projeto está em modo Check-out, ele estará “trancado”, sem poder fazer qualquer
alteração, nem mesmo para consulta somente leitura. Somente o usuário que fez o Check-out, poderá
fazer o Check-in.

Project Web Site URL


Se o projeto tiver alguma página na Internet ou Intranet, o endereço pode ser informado neste campo
e abrir a página a partir do Primavera clicando em Launch....

Guia Notebooks
A guia Notebook permite atribuir anotações e detalhes do seu projeto. Essa anotações são

INTRODUÇÃO -
agrupadas por tópicos. Esses tópicos podem ser alterados na guia Admin Categorias.
Você pode usar recursos de edição de HTML, incluindo a formatação de texto, inserir imagens,
cópia e colagem de informações de outros arquivos de documentos (mantendo a formatação), e
adicionar hiperlinks.

Guia Dates
O guia Datas permite que você edite as informações de cálculo para o projeto selecionado. Esta
informação inclui a data atual de dados, data de início planejada, e a data de término agendada.

Contém as principais datas do projeto.


 Planed Start – É a data inicial do projeto. Deverá ser informado pelo usuário.
 Data Date – É a data de referência para cálculo do projeto. Durante o planejamento do
projeto, essa data será igual a data de início do projeto - Planed Start.

Academia do Planejamento Pág. 18 / 222


 Must Finish By – É a data de término imposta pelo usuário. Evite digitar uma data aqui.

Atenção: Se o usuário digitar uma data aqui, não faz com que o Primavera “force” o projeto
terminar nesta data. Apenas causa uma restrição de término, ou seja, se o projeto tiver a
tendência de terminar antes, o projeto apresenta folga, se o projeto tiver a tendência de
terminar após, apresenta uma folga negativa.


 Finish – Calculada pelo Primavera. É a data de término do projeto (tendência).
 Actual Start – É a data que o projeto iniciou. Corresponde a primeira data de avanço que o usuário
informou na tela de atividades. Não é necessário digitar nada aqui.
 Actual Finish – É a data de término do Projeto. Corresponde a última data de avanço que
o usuário informou na tela de atividades. Não é necessário digitar nada aqui.
 Anticipated Dates – Correspondem as datas desejadas de início e fim. Não tem influencia
no cálculo do projeto. São meramentes informativas.

INTRODUÇÃO -
Guia Codes
A guia codes permite a criação de códigos para cada atividade. A codificação das atividade é
uma execelente ferramenta para ajudar a organizar, agrupar e melhorar os relatórios.

Guia Defaults
O guia Padrões permite que você especifique as configurações padrões para o projeto
selecionado, incluindo padrões para a conta de custo para as atribuições de recursos para as
atividades, numeração automática de atividade, o calendário de atividades, tipo de duração, e
por cento tipo completa.

Defaults for New Activities


Todas as configurações aqui escolhidas serão consideradas somente para as novas atividades.

Auto-numeração Atividade Ids – Auto-numbering Defaults


Quando uma nova atividade é criada, a ID de atividade é gerada automaticamente usando auto-
numeração. Atividade ID auto-numeração concatena o prefixo eo sufixo, com o sufixo
incrementado para fazer a identificação única. Por exemplo, "A" (prefixo), "1000" (sufixo), "10"
(incremento) produz IDs de "A1010", "A1020", "A1030", e assim por diante de atividade.

Academia do Planejamento Pág. 19 / 222


Guia Resources
A guia Recursos permite que você especifique permissões de recursos em nível de projeto para a
aplicação Progress Reporter. As permissões incluem permitindo que os recursos para atribuir-se a
atividades e relatar suas atividades e atribuições como concluída. Você também pode
especificar se os recursos inserir as unidades restantes ou porcentagens de conclusão de
atividades para suas atividades atribuídas e se deve permitir que as datas de novas atribuições
de recursos para ser independente da atividade ou para forçar um novo cálculo de datas de

INTRODUÇÃO -
atividades e duração.

Guia Settings
A guia Settings permite alterar dados de sumarização, fazer pequenos ajustes no projeto e
definir como o caminho crítico será calculado.

Guia Calculations
O guia Calculations permite que você defina o preço unitário padrão para atividade sem
recursos, permitir a utilização dos Steps para o avanço das atividades e as preferências de
atribuição de recursos / função para o projeto selecionado.

Academia do Planejamento Pág. 20 / 222


Default Price / Unit
Caso o projeto não tenha recursos ou funções, você poderá informar um valor padrão que será
considerado para o cálculo dos custos.

Activity percent complete based on activity steps


Quando marcado, permite utilizer os Steps para cálculo de avanço do projeto.

INTRODUÇÃO -
Barra de Diretório – Directory Bar
Use o diretório para exibir janelas rapidamente. Escolha Exibir, Barras de ferramentas,
Directory, para exibir ou ocultar a barra de diretório. Para exibir ou ocultar barra de diretório
botão de texto, escolha Exibir, Barras de ferramentas, Diretório Button Text.

Academia do Planejamento Pág. 21 / 222


Barra de Opções

Visão de Atividades (Activities)

INTRODUÇÃO -
Janela Atividades
Exibe informações de atividade em formato de planilha. Use este tipo de layout para atualizar
rapidamente um projeto. Use a função “Fill Down” para copiar e colar conteúdo de linhas na
tabela de atividade rapidamente. Você pode usar filtros e agrupar dados para ver apenas as
atividades que ocorrem em seu ciclo de status atual. Você pode personalizar as colunas tabela
de atividade. Você também pode classificar, as atividades de filtro, e de grupo na Tabela de
Atividade, bem como alterar a fonte das informações de atividade e a cor do fundo da tabela. A
Tabela de Atividade é exibido nos layouts superior e inferior.

Rastreador Lógico - Trace Logic


Fornece uma exibição gráfica de relações de dependência para uma atividade que você
selecionar tanto na tabela de atividade ou atividade de rede. Logic Trace é exibido apenas no
layout inferior.

Academia do Planejamento Pág. 22 / 222


e) Abrindo um Projeto Existente

INTRODUÇÃO -
Open Project .
Use a caixa de diálogo Open Project para abrir um projeto existente.
Existem três formas de abrir um projeto.

Modo Exclusivo - Mode exclusive.


 Um usuário com acesso exclusivo a um projeto poderá consultar, imprimir, alterar,
bloquear, desbloquear, exportar, sumarizar, publicar, calcular, nivelar recursos e excluir
projetos sem o risco de ter um ou mais usuários acessando o mesmo projeto ao mesmo
tempo. Uma vez que somente um usuário poderá acessar o projeto por vez um modo
exclusivo.

Modo Campartilhado - Mode Shared.


 Um usuário com acesso compartilhado poderá executar as mesmas acões do acesso
exclusivo, com a diferença que se houver um outro ou mais usuários acessando o mesmo
projeto ao mesmo tempo e houver algum tipo de alteração no projeto o sistema não será
capaz de distinguir qual a última alteração válida e neste caso, poderá haver perdas de
dados.

Modo Somente Leitura - Mode Read Only


 Um usuário com acesso somente leitura, não poderá fazer alterações e nem exclusões de
projetos.

Academia do Planejamento Pág. 23 / 222


INTRODUÇÃO -
Para abrir um projeto.
 Clicar em File, Open...
Ou
 Clicar com botão direito do mouse em Open Projet
 Ou
 CTRL + O.

f) Utilizando Ajuda no P6 - Help, Hint Help e Wizard.

Help (F1)
O Ajuda (Help) é o manual on line do P6.
Será aberta uma janela com os Tópicos da Ajuda do P6, que pode ser consultada de três formas:
pelo Conteúdo, pelo Índice ou Localizar a partir de palavras chaves digitadas pelo usuário,
similar a ajuda do Windows.
Além dos recursos mencionados pode-se obter ajuda pressionando-se a tecla F1 ou através do
botão Help que aparece em diversas caixas de diálogo.

Academia do Planejamento Pág. 24 / 222


INTRODUÇÃO -
Hint Help
O recurso de ajuda é uma janela explicativa, que se abre quando o mouse é posicionado sobre
uma coluna do Primavera. Funciona como um “dicionário” que explica o conceito do campo.
Para ativar o recurso Hint Help, na barra de menu pressione View, Hint Help.

Wizard
O Assistente de Execução guia os seus passos durante a criação de novas atividades ou novos
recursos.
Para ativar ou desativar o Assistente de Execução, pressione Edit, User, Preferences e
selecione a pasta Assistance.
Na seção Wizards mantenha marcados os itens Use New Resourc, Wizard e Use New
Activity Wizard.

Academia do Planejamento Pág. 25 / 222


Onde obter suporte
Se você tem uma pergunta sobre o uso de produtos Oracle Primavera que você ou seu administrador
de rede não pode resolver com informações contidas na documentação ou ajuda, envie uma
solicitação de serviço para suporte técnico em http://www.oracle.com/primavera/support.html.

Manual do Primavera em PDF

INTRODUÇÃO -
g) Copiando projetos

Copiar um nó EPS ou projeto


Você pode copiar um nó ou projeto para usar como modelo para um novo existente. Mudar o
nome do nó ou projeto depois de copiá-lo, em seguida, fazer as mudanças necessárias para isso.
 Clicar no projeto para selecionar.
 Copy (ou CTRL + C)
 Paste (ou CTRL + V)

Academia do Planejamento Pág. 26 / 222


Ao copiar um projeto, o Primavera fará alguns perguntas para sober o que poderá ou não incluir
na cópia do proojeto.

INTRODUÇÃO -

Academia do Planejamento Pág. 27 / 222


ADMINISTRANDO O PRIMAVERA -
Atenção:

Cada vez que se copia um projeto, este fará parte de um banco de dados único e que,
dependendo da configuração do computador, poderá haver uma diminuição da velocidade de
processamento do Primavera.

Fechando os Projetos
Para fechar um projeto, basta;
 Clicar no Projeto para selecionar.
 Clicar em File, Close All.

Abrindo dois projetos ao mesmo tempo.


É possível abrir dois ou mais projetos ao mesmo tempo, basta:
 Clicar em cada projeto abertando o Shift do teclado para selecionar os projetos.
 Clicar em File e Open Project.

2. ADMINISTRANDO O PRIMAVERA -

Academia do Planejamento Pág. 28 / 222


A administração do Primavera, somente poderá ser feita somente por usuários com privilégios para
isso. O ideal que essa administração seja feita somente pelo administrador do Primavera.
a) OBS -

Use uma estrutura de divisão organizacional (OBS) em conjunto com as EPS para assegurar que cada
projecto seja gerido de forma eficaz e que as medidas de segurança correspondentes estão no lugar.

Configurando a OBS

ADMINISTRANDO O PRIMAVERA -
Uma estrutura analítica organizacional (OBS) é um arranjo hierárquico de estrutura de gerenciamento
do projeto. O acesso do usuário e privilégios para os nós e para os projetos dentro da estrutura de
projeto da empresa (EPS) são implementadas através de gestores responsáveis, definidos em
uma hierarquia OBS.

Uma OBS não é o mesmo que um conjunto de recursos. Enquanto os recursos são atribuídos às
atividades, elementos da OBS estão associados com os nós e os projetos de EPS. O elemento
OBS correspondente a um nó de EPS é o gerente de projeto responsável por todos os trabalhos
incluídos nesse ramo da hierarquia. Desta forma, uma OBS apóia projetos maiores, que
envolvem vários gerentes de projetos com diferentes áreas de responsabilidade.

Academia do Planejamento Pág. 29 / 222


ADMINISTRANDO O PRIMAVERA -
Acessando o OBS.
Para acessar o OBS, basta:
 Clicar em Enterprise.
 Clicar em OBS.

b) EPS

Academia do Planejamento Pág. 30 / 222


Estrutura Analítica do Empreendimento (EPS): Estrutura de distribuição de projetos, formando
portfolios de acordo com a necessidade da empresa.
Para acesar a EPS, basta:
 Clicar em Enterprise
 Clicar em Enterprise Project Struture...

ADMINISTRANDO O PRIMAVERA -
Para incluir mais um nível a sua EPS, basta:
 Clicar no botão Add

Academia do Planejamento Pág. 31 / 222


ADMINISTRANDO O PRIMAVERA -
c) Perfil de Segurança – Security Profile

Visão Geral
Cada usuário do Primavera ao ser cadastrado pelo administrador deverá ser associado a um
perfil de segurança. É atraves desse perfil que serão concedidos ou não todos os privilégios de
acesso ao Primavera.
Podemos dividir o perfil de segurança em duas partes:

Perfil Global
São os acessos a dados como: Administração do Primavera, tabela de recursos, importação e
exportação dos projetos, reports.
Alguns perfis globais são nativos do Primavera, outros deverão ser criados pelo administrador
do Primavera.

Perfil de Projeto
São os acessos a dados como: Criação de projetos, nivelamento de recursos, cálculo do projeto,
criação de base line, e outros.
Alguns perfis de projeto são nativos do Primavera, outros deverão ser criados pelo
administrador do Primavera.

Academia do Planejamento Pág. 32 / 222


ADMINISTRANDO O PRIMAVERA -
d) Preferencias do Usuário - User Preferences

Os usuários podem alterar as configurações de unidades, formato de datas, moeda utilizada e


utilização dos assistentes (Wizard).
Para acessar as as preferências administrativas, basta:
 Clicar em Edit
 Clicar em User Preferences...

Academia do Planejamento Pág. 33 / 222


ADMINISTRANDO RECURSOS
3. ADMINISTRANDO RECURSOS

a) Visão Geral

Tela de Recurso
A tela de recurso permite o cadastro e controle dos recursos materiais, mão de obra e
equipamentos que podem ser utilizados pelos projetos.

b) Cadastro de Recursos

Os recursos incluem a mão de obra e os equipamentos que realizam o trabalho sobre as


atividades em todos os projetos. Recursos de mão de obra (label) e equipamentos (nonlabel),

Academia do Planejamento Pág. 34 / 222


estão sempre com base no tempo e, geralmente, são atribuídos a outras atividades e / ou projetos;
recursos materiais, tais como suprimentos e outros itens de consumo, são registradas em termos de
custo por unidade, em vez de horas.
Você pode criar uma hierarquia de recursos que reflete a estrutura de recursos de sua organização e
apoia a atribuição de recursos para as atividades. Você pode estabelecer códigos de recurso
hierárquico para agrupamento e cumulativos.
Além disso, você pode configurar as roles (funções) com conjuntos de habilidades específicas e usá-los
como as atribuições de recursos até que os recursos específicos podem ser atribuídos. Isto permite-lhe
programar e planejar os custos de roles (função) na fase de planejamento do projeto. Você também
pode atribuir calendários de recursos e definir informações de contato, e definir o preço ao longo do

ADMINISTRANDO RECURSOS
tempo para os recursos e funções.

Assistente de Criação de Recursos (Wizard)


O usuário poderá marcar ou desmarcar o asssitente de criação de novos recursos e novas
atividades.

Criar um novo recurso


Para criar um novo recurso, basta:
 Clicar em Resources
 Clicar em Add

Atenção: Como exercício de digitação dos recursos, vamos utilizar o anexo Recursos disponível
na seção de anexos.

Academia do Planejamento Pág. 35 / 222


Tipo de Recurso - Resource Type ADMINISTRANDO RECURSOS
O Primavera trabalha com tres tipos de Primavera:
 Labor (mão de obra)
 Nonlabor (equipamentos)
 Material

Atenção: Utilize a seção “Dicas Importantes” para cadastro do Inits of Measure.

Academia do Planejamento Pág. 36 / 222


ADMINISTRANDO RECURSOS
Preço Unitário - Price / Unit
Utilize o Price / Unit como um preço unitário do recurso.

Atenção: O manual do Primavera recomenda para sempre utilizar um valor em Price / Unit,
nem que seja um valor simbólico de $ 1,00/unit.

Padrão Unidades / Tempo - Default Units / Time


Produtividade padrão do recurso. Utilize quando não for associar um recurso específico na
atividade, somente com o valor do esforço.

Unidades Máximas / Tempo - Max Units / time


Produtividade máxima do recurso. Utilize quando desejar que o Primavera informe, através de
gráficos, quando o recurso estiver sobrealocado, ou seja, quando estiver alocando recursos
acimo do desejado.

Academia do Planejamento Pág. 37 / 222


ADMINISTRANDO RECURSOS
Calendário de Recursos - Resource Calendar
Utilize para criar um novo ou associar um calendário existe.

Atenção: O calendário para recurso somente será válido para as atividade do tipo Resource
Dependent.

Academia do Planejamento Pág. 38 / 222


ADMINISTRANDO RECURSOS

Realizados Automaticamente - Auto-Compute Actuals


Utilize para os recursos que terão o avanço pelo Apply Actuals...
Esses recursos não terão o avanço manual pelo operador. O avanço será calculado
automaticamente pelo Primavera exatamente como o Previsto.

Academia do Planejamento Pág. 39 / 222


ADMINISTRANDO RECURSOS
Categorias Administrativas - Admin Categorias

Academia do Planejamento Pág. 40 / 222


ADMINISTRANDO RECURSOS
Alterando o Layout
Alterar o layout das telas do Primavera é uma facilidade que ajuda muito o usuário.
 Clicar em View
 Clicar em Columns...

Academia do Planejamento Pág. 41 / 222


Incluindo as unidade de medida – Unit of Measure

Atenção: Somente os recursos materiais podem receber unidades.

ADMINISTRANDO RECURSOS
Incluindo o preço unitário
Digite o Price / Unit de cada recurso.

Atenção: Caso necessite alterar um valor de Price / Unit de um recurso que já foi alocado para
um projeto, será necessário solicitar ao Primavera que faça o recálculo dos valores.

Recálculo dos valores – Recalculate Assignment Cost


 Faça a alteração do valor em Price / Unit
 Clique em Tools
 Recalculate Assignment Cost...

Academia do Planejamento Pág. 42 / 222


CRIANDO O PROJETO
Avanço conforme Previsto - Auto Compute Actuais.
Existem situações que você pode preferir que o Primavera dê o avanço da atividade exatamente
conforme foi previsto.
Para conseguir isso, você deve utilizar a ferramenta Auto Compute Actuais em combinação com
a outra ferramenta Apply Actuals.
Você poderá utilizar o Auto Compute Actuais em atividades sem recursos ou com recursos.

Figura 6 - Detalhe do recurso com a opção marcada de avanço automático

ATENÇÃO
PROCURE A SECESSÃO DE DICAS PARA MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O AUTO COMPUTE ACTUAIS.

4. CRIANDO O PROJETO

a) Preferência do Usuário – User Preferences

Você pode adaptar algumas opções para atender às suas necessidades específicas. Por exemplo,
indicar o formato para a exibição de unidades de tempo e datas, esforço (units), definir a
moeda, formato da data, a utilizar para a visualização de custos e definir preferências de
exibição de inicialização.

Academia do Planejamento Pág. 43 / 222


 Clicar em Edit, User Preference.

Time Units
Configurações de Time Units afetam a forma como os valores de esforço serão exibidos.

CRIANDO O PROJETO
Em Time Units, selecione a unidade de tempo usado para exibir os esforços de trabalho (Unit of
Time) e o número de casa decimais. Na seção Durations Format, selecione a unidade de tempo
usado para exibir valores de duração da atividade e as casas decimais.

Dates
Utilize para configurar as datas do projeto.
 Escolha Editar,
 User Preferences em seguida,
 Clique na guia Datas para especificar como exibir as datas.

Recomendamos utilizar o formato da data conforme abaixo que inclui as horas.

Academia do Planejamento Pág. 44 / 222


CRIANDO O PROJETO
Currency
Escolha Editar, Preferências do usuário, em seguida, clique na guia Currency para especificar a
moeda utilizada para visualizar os dados de custo, e se deseja mostrar ou ocultar o símbolo de
moeda e / ou valores decimais.

Academia do Planejamento Pág. 45 / 222


Atenção: As moedas disponíveis para visualização de unidades monetárias são definidas pelo
administrador em Admin, Currencies....

E-Mail
Escolha Editar, Preferências do usuário, em seguida, clique na guia E-Mail para configurar o módulo
para transferir informações por e-mail..

CRIANDO O PROJETO
Assistance
Escolha Editar, Preferências do usuário, em seguida, clique na guia Assistência para permitir o
uso de assistentes, quando a adição de recursos e atividades.

Academia do Planejamento Pág. 46 / 222


CRIANDO O PROJETO
Application
Escolha Editar, Preferências do usuário, em seguida, clique na guia Application para estabelecer
o padrão da janela da caixa de diálogo que aparece quando você inicia o módulo, e para gravar
as ações que você executa em um arquivo de log. Você também pode definir opções para o
agrupamento e classificação.

Academia do Planejamento Pág. 47 / 222


Password
Utilize essa caixa de seleção para alterar a senha do usuário.

Atenção: a quantidade de caracteres da senha é definida pelo administrador em Admin, Admin


Preferences, General, Password Policy.

Resource Analysis
A guia Resource Analysis permite que você especifique quais projetos serão incluídos no cálculo

CRIANDO O PROJETO
de valores remanescentes e quais datas e intervalos de tempo são usados para calcular a
informação de distribuição de tempo em Resource Usage Profile e no Resource Usage
Spreadsheet.

Calculations
Escolha Editar, Preferências do usuário, em seguida, clique na guia Cálculos para especificar
como os custos e as unidades serão alocados quando você adicionar ou excluir várias
atribuições de recursos. Você também pode escolher o comportamento padrão quando a
substituição de um recurso / função em uma atribuição a atividade existente com um recurso.

Academia do Planejamento Pág. 48 / 222


CRIANDO O PROJETO
Startup Filters
A guia Startup Filters permite que você escolha os filtros de dados que você deseja realizar
quando iniciar o Primavera. Estes filtros podem reduzir o tempo gasto para abrir seus projetos.

b) EAP – WBS

Uma técnica de planejamento que subdivide o escopo do projeto e as entregas do projeto em


componentes menores e mais facilmente gerenciáveis, até que o trabalho do projeto associado
à realização do escopo do projeto e ao fornecimento das entregas seja definido em detalhes
suficientes para dar suporte à execução, ao monitoramento e ao controle do trabalho.

Academia do Planejamento Pág. 49 / 222


CRIANDO O PROJETO
Organizar
uma Festa

Conseguir Contratar Preparar Preparar Preparar


Alugar salão
dinheiro músicos bebidas comidas Arroz

Fazer Banda de Comprar Lavar o


Churrasco
vaquinha Rock cerveja arroz

Vender uma Carne de Socar o alho


Sertaneja
rifa boi na panela

Cobrar Carne de
ingresso porco

Academia do Planejamento Pág. 50 / 222


CRIANDO O PROJETO

Academia do Planejamento Pág. 51 / 222


Atenção: Utilize a planilha “Escopo do Projeto” disponível na seção de anexos como exercício
de digitação do WBS.

CRIANDO O PROJETO
c) Atividade - Activities

Visão Geral
Atividades são os elementos de um projeto de trabalho fundamentais. Eles são o nível mais
baixo de uma estrutura de divisão de trabalho (WBS) e, como tal, são a menor subdivisão de um
projeto que diz respeito diretamente ao módulo. Se você dividir as atividades em etapas, o
recurso principal de uma atividade é tipicamente responsável pela gestão e acompanhamento
do progresso das etapas, enquanto o gerente de projeto é normalmente responsável pela
gestão e acompanhamento do progresso da atividade global.
Este capítulo descreve como adicionar atividades e modificar suas propriedades.

Atenção: Os termos "atividade" ou "tarefa" são utilizados neste contexto como sendo
sinônimos e representam uma porção de trabalho com prazo determinado.

Academia do Planejamento Pág. 52 / 222


Tela Atividades
Atividades representam o trabalho que deve ocorrer em um período de tempo determinado. Use a
tabela de atividade ou layouts da rede de atividade para adicionar atividades e construir seus projetos.

CRIANDO O PROJETO
Dica – Ocultar se vazio – Hide if empty.
O Primavera tem uma opção de ocultar WBS se ela estiver vazia. Para que você possa desativer
essa opção:
 Clique no ícone “Group and Sort”
 Desmarque a caixa “Hide if Empty” e <OK>
Dica – Agrupamento pela WBS.
Por padrão, o Primavera agrupa as atividades pela WBS, mas pode aconter de você estar
utilizando um layout sem o agrupamento pela WBS, ou com uma agrupamento diferente.
Para retornar:
 Clique no ícone “Group and Sort”
 Em Group By, selecione “WBS level 1” e <OK>.

Academia do Planejamento Pág. 53 / 222


CRIANDO O PROJETO
Desabilitando o “Hide if Empy”e agrupando pela “WBS level 1”.

Layout
Não é obrigatório, mas é recomendado sempre antes de iniciar um trabalho, escolher ou criar
um layout.
Antes de iniciar a digitação das atividades, vamos criar o nosso layout “Tipo de Atividade”.
Clicar em:
 View
 Columns...

Academia do Planejamento Pág. 54 / 222


CRIANDO O PROJETO
Salvar o Layout - Save Layout As
Utilize o Save Layout As para:
 All User - Disponibilizar o layout para todos os usuário.
 Another User - Enviar o layout para outro usuário da rede.
 Current User - Salvar o layout para o usuário corrente.
 Project - Salvar o layout somente para os usuário que tem acesso ao projeto

Adicionando atividades com assistente


 Clique em Add para iniciar o assistente “New Ativity”
 Em Activity ID digite o código ÚNICO para a atividade. Ex.: SP1000
 Em Activity Name digite o nome da atividade.

Academia do Planejamento Pág. 55 / 222


CRIANDO O PROJETO
OBS: A utilização do assistente “New Ativity” só é recomendado para a 1ª atividade. Marque a
caixa “Do not show this wizart again” para desativar o assistente.

Código da Atividade - Activity ID


Digite um código único para a atividade, sendo o limite máximo de 20 caracteres.

EAP do Projeto - WBS


Caso não esteja na WBS desejada, clique nos três pontinhos e selecione a WBS correta. Depois
clique em Next.

Tipos de Atividades - Activity Type


Escolha o tipo de atividade conforme seu projeto.

Academia do Planejamento Pág. 56 / 222


CRIANDO O PROJETO
Dependente de Atividades - Task Dependent
É utilizada na maioria dos casos. Indica que os recursos atribuídos a essa atividade utilizarão o
calendário da atividade.

Marcos de Início e Fim - Start Milistone e Finish Milistone


Um marco é um evento simples mais muito importante para o cronograma. Normalmente
marca o início ou o fim de um acontecimento como “entrega de materiais”, “assinatura de um
contrato”, “recebimento de uma licença”, “início da obra”, “final da mobilização de pessoal”,
“fim da obra”, etc.
Características principais dos marcos:
 Não tem duração
 Não tem recursos
 Não tem custos
 Se for Start Milistone, tem somente data inicial, não tem data final
 Se for Finish Milistone, tem somente data final, não tem data inicial.

Nível de Esforço - Level of Effort


 É uma atividade Nível de Esforço.
 Sua duração depende da predecessora e da sucessora.
 Não pode ter restrições.
 Não são incluídos quando nivelamos os recursos.

Academia do Planejamento Pág. 57 / 222


Dependente de Recurso - Resource Dependent
 Segue o calendário do recurso.

Atividade Sumária - WBS Summary


 Resume em uma atividade, um grupo de atividade.

Atribuindo Recursos - Assign Resources


As atividades poderão estar associadas aos recursos da tabela de recursos.
No momento não vamos atribuir os recursos.

CRIANDO O PROJETO
Tipos de Duração - Duration Type
Uma das lições mais importantes. É onde as pessoas tem maior dificuldade em entender, por
isso mesmo, vamos começar pelo mais simples.
No momento, vamos utilizar as durações fixas para todas as atividades.

Academia do Planejamento Pág. 58 / 222


Esforços e Duração - Activity Units e Duration
Units são as quantidades (esforços) que podem ser:
• Labor Units – Quantidade de horas de mão de obra.
• Nonlabor Units – Quantidade de horas de equipamentos.
• Duration são as durações de cada atividade (que podem ser em horas, dias, semanas ou
meses).

Todos esses valores serão calculados posteriormente, por isso, não mude nada e clique em Next.

CRIANDO O PROJETO
OBS: Observe que o Primavera colocou 5 dias para a duração, por enquanto, deixe assim
mesmo. Depois vamos calcular a duração correta e alterar esse número.

Atividades Dependentes - Dependent Activities


No momento não vamos relacionar as atividades.
Assunto para o próximo capítulo. Marque “No, continue” e <Next>.

Academia do Planejamento Pág. 59 / 222


CRIANDO O PROJETO
Mais Detalhes - More Detais
Project Expenses, Activity Codes e Work Productor and Documents – Despesas, códigos e
documentos do projeto não serão utilizados.

Academia do Planejamento Pág. 60 / 222


CRIANDO O PROJETO
Para agilizar mais a digitação das atividades, recomendo marcar Do not show this wizard again
para não utilizar mais o assistente. A digitação será diretamente na tela de atividades.

Adicionando atividades sem o assistente


Agora que já sabemos como incluir atividades com o uso do assistente, vamos concluir a
digitação das atividades sem o uso dele.

Caso você não tenha marcado a caixa “Do not show this wizard again” no assistente, você
poderá desativar o assistente clicando em Edit, User Preferences, Assistance e desmarque a
caixa “Use New Activity Wizard”.

Incluir as atividades marco de início e fim


Em nosso projeto, também vamos utilizar um marco de início e um marco de fim do projeto.

Academia do Planejamento Pág. 61 / 222


Layouts
Podemos modificar nossas telas de várias formas. Para cada tela que criarmos, podemos dar um nome
a ela.
 Clique no ícone “Columns” e selecione as colunas conforme abaixo.

CRIANDO O PROJETO

• Faça as correções necessárias. Observe atentamente as duas últimas colunas – Duration


Type e Activity Type. Se necessário utilize o comando “Fill Dow”.

Academia do Planejamento Pág. 62 / 222


CRIANDO O PROJETO
Salve a tela como Layout Duration Type e Activity Type e clique em <Save>.

d) Relacionamentos

Existem quatro tipos de relacionamentos possíveis no Primavera P6


 Relacionamento Finish to Start (FS)
 Relacionamento Start to Start (SS)
 Relacionamento Finish to Finish (FF)
 Relacionamento Start to Finish (SF)

Para descobrir qual relacionamento user, você deve analisar sempre qual é o impacto que a
precessora tem na sucessora.

Academia do Planejamento Pág. 63 / 222


Relacionamento Finish to Start (FS)
Se colocarmos duas atividade sendo uma a sucessora da outra, pela lógica, o atraso no FIM (conclusão)
da predecessora poderá impactar no INÍCIO da sucessora.

No exemplo acima, o atraso na conclusão da contratação da mão de obra, poderá impactar o

CRIANDO O PROJETO
atraso no início da limpezado terreno.

Relacionamento Start to Start (SS)


No relacionamento Start to Start (SS), temos duas atividades sendo uma a predecessora e a
outra a sucessora. Essa lógica diz o seguinte: O atraso no INICIO da atividade predecessora
poderá impactar atraso no início da atividade sucessora.

No exemplo acima, a limpeza do terreno só poderá iniciar após o início da contratação da mão
de obra.

Relacionamento Finish to Finish (FF)


A lógica do relacionamento Finish to Finish diz que a atividade sucessora só poderá concluir
após o término da atividade predecessora.

Academia do Planejamento Pág. 64 / 222


No exemplo acima, estamos planejando que a instalação hidráulica só poderá terminar após o fim da
instalação elétrica, ou seja, se a conclusão da instalação elétrica atrasar, poderá atrasar o fim da
instalação hidráulica.

CRIANDO O PROJETO
Relacionamento Start to Finish (SF)
Esse tipo de relacionamento, que raramente é utilizado, é exatamente o inverso do
relacionamento FS. A lógica aqui diz que a atividade precessora somente poderá concluir após o
início da sucessora. Se atrasar o início da sucessora, atraso o términa da precessora.

No exemplo acima, a atividade “Instalações elétricas” somente poderá terminar após o início da
atividade “Instalações hidráulicas”.

e) LAG

O LAG é uma atraso ou adiantamento que podemos colocar no relacionamento.

Academia do Planejamento Pág. 65 / 222


 Se o LAG for um número positivo, é um atraso.
 Se o LAG for um número negativo, é um adiantamento.

Normalmente informamos o LAG em dias úteis.

CRIANDO O PROJETO
LAG Positivo
No exemplo acima, introduzimos um LAG positivo de 5 dias no relacionamento SS, como isso
estamos afirmando que o início da atividade “Limpeza do Terreno” deverá acorrer 5 dias após o
início da atividade “Contratar a mão de obra”.

LAG Negativo
Se no mesmo caso introduzirmos um LAG negativo de -5 dias no relacionamento SS.
Estamos afirmando que o início da atividade sucessora deverá acorrer 5 dias antes da atividade
predecessora.

Academia do Planejamento Pág. 66 / 222


No exemplo anterior, a lógica diz que a atividade “Limpeza do Terreno” deverá começar 5 dias antes
da atividade “Contratar a mão de obra”. Neste
caso, é a sucessora que poderá impactar a
predecessora caso esta Driving não se inicie na data
programada.
Indica qual é a atividade dirigente. Um
atividade pode ter várias atividades
Cuidado para não predecessoras, mas é a atividade confundir LAG com
FOLGA. Um LAG é uma dirigente que está impactando a imposição de atraso ou
adiantamento entre atividade sucessora. Pode ter uma ou duas atividades. Não
importa se existe folga mais de uma. no projeto ou se o
projeto está atrasado.

Layout –

CRIANDO O PROJETO
Relacionamentos

Janela de Tabela das Atividades.

Janela de Detalhes das Atividades.

Janela de Detalhes dos Relacionamentos.

Academia do Planejamento Pág. 67 / 222


CRIANDO O PROJETO
Relacionamentos – Assign Successors
Relacionamento uma atividade por vez
 Clicar na atividade predecessora
 Clicar em Assign (lado sucessora) em Relationships
 Clicar na atividade sucessora

Relacionamento mais uma atividade por vez (mesma sucessora)

Academia do Planejamento Pág. 68 / 222


 Clicar nas atividades predecessoras
 Clicar em Successors
 Clicar na atividade sucessora

CRIANDO O PROJETO
Relacionamentos - Link Ativities

f) Cálculo do Projeto - Schedule (F9)

Para se obter as datas das atividades e de final do projeto é necessário efetuar o calculo do
projeto.

Para acionar a caixa de diálogo do Schedule, clique em Schedule, na barra de ferramentas (ou
F9).

Academia do Planejamento Pág. 69 / 222


CRIANDO O PROJETO
LOG to Schedule
O Relatório ‘Schedule Log’ armazena o resultado do cálculo do seu projeto. Isto inclui os dados
do cálculo e nivelamento, estatísticas, erros, etc.
Para visualizar, é necessário:
 Marcar a caixa “Log to file”
 Efetuar o cálculo clicando em “Schedule”
 Solicitar novamente o cálculo apertando a tecla F9 ( por exemplo)
 Clicar em “View Log”.

Academia do Planejamento Pág. 70 / 222


CRIANDO O PROJETO
Cálculo Progressivo e Regressivo

Cálculo Progressivo

Academia do Planejamento Pág. 71 / 222


Cálculo Regressivo

CRIANDO O PROJETO
g) Folga Total e folga livre

Layout – Total Float

Academia do Planejamento Pág. 72 / 222


CRIANDO O PROJETO
Total Float e Free Float

h) Notebook

É utilizada para registrar textos descritivos dos acontecimentos ocorridos durante o Projeto.
Para inserir anotações será necessário inserir tópicos. Os tópicos de anotações disponíveis são
cadastrados no menu Admin, Admin Categories na opção Notebook Topics. Podem ser
associados a uma EAE, Projeto, EAP e ou Atividade.

Você poderá utilizar o Notebook a nível de projeto, atividade ou WBS.

No nosso exercício usaramos o Notebook para registrar algumas informações importantes sobre
o nosso projeto.

Academia do Planejamento Pág. 73 / 222


Notebook do projeto.
 Clique na janela Projects e procure a aba Notebook na guia de detalhes.
 Clique em Add para adicionar um tópico sobre o assunto que deseja colocar.

CRIANDO O PROJETO
Notebook de WBS
Também é possível colocar anotações sobre um determinado nível de sua WBS.
 Clique na janela WBS e procure a aba Notebook na guia de detalhes.
 Clique em Add para adicionar um tópico sobre o assunto que deseja colocar.

Academia do Planejamento Pág. 74 / 222


CRIANDO O PROJETO
Notebook de Atividades
As anotações também poderá ser feitas a nível de atividades.
 Clique na janela Ativities e procure a aba Notebook na guia de detalhes.
 Clique em Add para adicionar um tópico sobre o assunto que deseja colocar.

Academia do Planejamento Pág. 75 / 222


5. CARREGANDO RECURSOS

a) Visão Geral

Carregar um recurso é associar um recurso a uma ou mais atividades.


É necessário que o recurso já esteja cadastrado anteriormente.
É atraves dos recursos que o esforço e o custo são calculados.

Layout da tabela de atividades – Carregando Recursos


Vamos preparar a tela para alocar os recursos.
 Clicar em Columns... e selecione as opções abaixo.

CARREGANDO RECURSOS
Layout da janela de detalhes
 Clicar em uma atividade qualquer (não funciona se não tiver uma atividade selecionada).
 Na guia de detalhes, clicar em na guia Resources.
 Clicar com botão direito do mouse

Academia do Planejamento Pág. 76 / 222


CARREGANDO RECURSOS
 Selecionar as colunas abaixo

Academia do Planejamento Pág. 77 / 222


CARREGANDO RECURSOS
b) Carregando Recursos

Como exercício de carregamento de recurso, vamos utilizar a planilha “Planilha de Composição


de Equipe” disponível na seção de anexos.
Vamos iniciar pelo recursos materiais.
 Clicar em Add Resource.

Academia do Planejamento Pág. 78 / 222


CARREGANDO RECURSOS
Budgeted Units  Digitar conforme projeto.
Budgetes Units / Time  Digitar conforme a produtividade da empresa.
Original Duration  Será calculado conforme explicado abaixo.

Academia do Planejamento Pág. 79 / 222


Cálculo da Duração
O PMBOK recomenda as seguintes técnicas de cálculo da duração da atividade.
“Opinião especializada
A opinião especializada, orientada pelas informações históricas, pode ser usada sempre que possível.
Os membros individuais da equipe do projeto podem também fornecer informações sobre estimativa
de duração ou sobre durações máximas recomendadas das atividades a partir de projetos anteriores
semelhantes.
Estimativa análoga
A estimativa análoga da duração significa usar a duração real de uma atividade anterior semelhante
do cronograma como base para a estimativa da duração de uma futura atividade do cronograma.

CARREGANDO RECURSOS
Estimativa paramétrica
A estimativa da base das durações das atividades pode ser determinada quantitativamente
multiplicando a quantidade de trabalho a ser realizado pelo valor da produtividade.
Estimativas de três pontos
A exatidão da estimativa de duração da atividade pode ser aumentada considerando o total de
risco da estimativa original. As estimativas de três pontos se baseiam na determinação de três
tipos de estimativas:
1. Mais provável. A duração da atividade do cronograma, quando fornecidos os recursos
com mais probabilidade de serem atribuídos, sua produtividade, as expectativas realistas
de disponibilidade para a atividade do cronograma, as dependências de outros
participantes e as interrupções.
2. Otimista. A duração da atividade se baseia em um cenário para o melhor caso do que
está descrito na estimativa mais provável.
3. Pessimista. A duração da atividade se baseia em um cenário para o pior caso do que está
descrito na estimativa mais provável.
Uma estimativa de duração da atividade pode ser construída usando uma média das três durações
estimadas. Muitas vezes essa média irá fornecer uma estimativa de duração da atividade mais
exata do que a estimativa mais provável de um único ponto.
Análise das reservas
As equipes de projetos podem optar por incorporar tempo adicional, chamado de reservas para
contingências, reservas de tempo ou buffers ao cronograma total do projeto como
reconhecimento do risco do cronograma. A reserva para contingências pode ser um percentual da
estimativa de duração da atividade, um número fixo de períodos de trabalho ou pode ser
desenvolvida pela análise quantitativa de riscos do cronograma (Seção 11.4.2.2.). A reserva para
contingências pode ser usada total ou parcialmente ou pode ser reduzida ou eliminada
posteriormente, conforme informações mais precisas sobre o projeto se tornam disponíveis. Essa
reserva para contingências é documentada juntamente com outros dados e premissas
relacionados”

Academia do Planejamento Pág. 80 / 222


Tipos de Duração

Duration Type
 Fixed Units
 Fixed Duration & Units
 Fixed Duration and Units/Time
 Fixed Units/Time

Variáveis
 Duration (duração da atividade)
 Units (total esforço do trabalho)

CARREGANDO RECURSOS
 Units / Time (produtividade)

Exemplos
 Recurso Labor (mão de obra) ........ Motorista de Caminhão 8 h/d x 10 dias = 80 hh
 Recurso Nonlabor (equipamento).. Caminhão 8h/d x 10 dias = 80 hh
 Recurso Material .................... Concreto = 10 m3/d x 10 dias = 100 m3

Equação do Planejamento

Academia do Planejamento Pág. 81 / 222


CARREGANDO RECURSOS

Academia do Planejamento Pág. 82 / 222


PLANILHA DE PREÇOS UNITÁRIO OU PLANILHA DE QUANTIDADES E PREÇOS UNITÁRIOS
FÍSICO FINANCEIRO
Resource Unit of At
ITEM DESCRIÇÃO Budgeted Remaining Remaining At Completion
type Measure Actual Unit Completion Price Unit Budgeted Cost Actual Cost
Unit Unit Cost Cost
Unit
1 Caminhão Tanque Nonlabor Horas 64 0 64 64 R$ - R$ - R$ - R$ - R$ -
2 Compactacao de Aterro Material m3 3000 0 3000 3000 R$ 4.24 R$ 12,720.00 R$ - R$ 12,720.00 R$ 12,720.00
3 Motorista do Caminhão Labor Horas 64 0 64 64 R$ - R$ - R$ - R$ - R$ -
4 Operador de Rompedor Labor Horas 32 0 32 32 R$ - R$ - R$ - R$ - R$ -
5 Rolo Vibratório Nonlabor Horas 32 0 32 32 R$ - R$ - R$ - R$ - R$ -

Total R$ 12,720.00 R$ - R$ 12,720.00 R$ 12,720.00

CARREGANDO RECURSOS
Fixar Unidades - Fixed Units
Fixar as unidade significa que qualquer alteração feita pelo usuário em qualquer valor na
equação do planejamento, o valor da unidade deverá permanecer fixo.
Para o nosso exercício, vamos carregar todos os recursos MATERIAIS primeiro utilizando o Fixed
Units.
Em Budgeted Units, coloque a quantidade prevista no escopo do projeto.

Em Budgeted Units / Time, coloque a produtividade prevista na tabela de produtividade.

Dessa forma, calculamos o novo valor da duração da atividade.

Fixar Duração e Unidades – Fixed Duration & Units


Fixar as durações e as unidades significa que qualquer alteração feita pelo usuário em qualquer
valor na equação do planejamento, o valor da duração e das unidades deverão permanecer
fixos.

Fixar Duração e Unidades / Tempo - Fixed Duration and Units/Time


Fixar as durações e as produtifidades significa que qualquer alteração feita pelo usuário em
qualquer valor na equação do planejamento, o valor da duração e das produtifidades deverão
permanecer fixos.

Academia do Planejamento Pág. 83 / 222


Fixar Unidades / Tempo - Fixed Units/Time
Fixar as produtividade significa que qualquer alteração feita pelo usuário em qualquer valor na
equação do planejamento, o valor das produtifidades duração permanecer fixos.

Atenção: Quando fixamos uma unidade não significa que o usuário não possa alterar essa
unidade manualmente. Ex.: Utilizar o Fixed Units e digitar um novo valor para Fixed Unit.

CARREGANDO RECURSOS
Cálculo da duração das atividades do tipo “Level of Effort”.
Essas atividades não tem duração fixa. Ela inicia após a precessora e o final poderá se extender
ou reduzir conforme a sucessora. O que não varia é o esforço diário da mão de obra e
equipamentos. Ou seja, a manutenção terá sempre 2 ajudantes e 1 encarregado.
Primeira, vamos alterar o Duration Type para “Fixed Unit / Time” para fixar a produtividade da
mão de obra e soltar a duração.
Feito isso, podemos entrar com os recursos.

Conforme o final do projeto atraso ou adianta, a duração altera, mas sempre com os mesmas
pessoas.

Academia do Planejamento Pág. 84 / 222


Dica: Tenha cuidado com as tarefas tipo ”level of effort” (definidas pelo esforço)
“Atividades do tipo Level of Effort não produzem qualquer produto por si só. Têm com função apenas
apoiar outras atividades para fazer o seu trabalho.
Ex.: Gerenciamento de projetos, fiscalização e contabilidade.
Essas atividades são chamadas de “level of effort” ou LOE para abreviar.
Alocar LOE’s em um projeto não é tão fácil como qualquer outra tarefa, além disto mal fazem qualquer
diferença no processos de monitoramento e controle. É por isso que alguns planejadores preferem não
inseri-las em suas programações.
Se você quiser ter um escopo completo em sua programação você tem que inlcuir as LOE’s, e é por isso
que o PMI não as proíbe, mas recomenda que tenha cautela, porque elas nunca devem estar no

CARREGANDO RECURSOS
caminho crítico.
LOE’s não têm qualquer duração específica e independente, seu início e fim são baseados em
outras atividades. Você nunca jamais atrasaria uma LOE enquanto esta estiver em curso, ela
“trabalha” todos os dias. É por isso que não é aceitável que estejam no caminho crítico. Além
disso, se as suas LOE’s se tornarem-se críticas, algumas outras atividades realmente críticas
viriam a ser não-críticas, e esse é o problema principal. Também é melhor para não ter LOE’s
como antecessores ou sucessores (se o seu software de planejamento o permite).
Se você usar o Primavera P6, você não teria que se preocupar com LOE’s porque P6 tem um tipo
LOE e lida com tudo. Usuários do Microsoft Project deve usar alguns truques para criar LOE’s.”
Fonte: http://br.linkedin.com/in/wladmiraraujo
c) Carregando mais Recursos

Após o cálculo do projeto com os recursos carregados e relacionamentos feitos já é possível ter
saber qual é a data prevista para o fim do projeto.

Caso deseje fazer um controle sobre a mão de obra e equipamentos do projeto, será necessário
informar em cada atividade a quantidade, em horas, da mão de obra e dos equipamentos
utilizados.

Para isso, será necessário desenvolver uma planilha de Composição da Equipe (vide planilha em
anexos).

Não esquecer:

O valor da Units das atividades foram informados pelo projeto e a duração das atividades já
foram calculadas no passo anterior.

Chegou a hora de fixarmos não somente a Units, mas também a duração. Para isso, vamos
alterar o Duration Type de todas as atividade para “Fixed Duration & Units”.

Academia do Planejamento Pág. 85 / 222


CARREGANDO RECURSOS
A primeira atividade com recursos de mão de obra é a “SP1020”.

Vamos entrar com o recurso “Ajudante”.

Academia do Planejamento Pág. 86 / 222


De acordo com a tabela de Composição da Equipe, serão necessários 30 ajudantes trabalhando 8 horas
por dia , com um total de 240 h/dia.

O valor total do esforço de ajudante nesta atividade ficou em 2400 h (10 x 240).

O mesmo para os recursos equipamentos.


É importante que todos tenham a mesma duração.

CARREGANDO RECURSOS
Seguir assim para todos os recursos restantes.

Observe o total de mão de obra (2400+160+80 = 2640h).


Esse total também poderá ser observado na aba “Status”.

Academia do Planejamento Pág. 87 / 222


6. MELHORANDO O PROJETO

a) Calendário

Você pode criar e atribuir calendários para cada recurso e cada atividade. Esses calendários podem
definir as horas de trabalho disponíveis em cada dia do calendário. Você também pode especificar
feriados nacionais, feriados da sua organização, específicos do projeto de trabalho e dias de férias dos
recursos de mão de obra.
 Os calendário são separados em três grupos: global, recursos e projeto.
 O calendário global contém calendários que se aplicam a todos os projetos.
 O calendário do projeto é um conjunto separado de calendários para cada projeto.

MELHORANDO O PROJETO
 O calendário do recurso pode ter um para cada recurso. Você pode atribuir o calendário a
qualquer recurso.

Você pode vincular recursos e calendários do projeto aos calendários globais. Então, se você
fizer alterações em um calendário global, as alterações aplicam-se a todos os recursos do
projeto e calendários que estão ligadas ao calendário padrão.

Layout – Calendário
Primeiro, vamos alterar o layout conforme a figura abaixo.

Academia do Planejamento Pág. 88 / 222


MELHORANDO O PROJETO
 Salvar o layout com o nome “Layout Calendário”.

Tipos de calendários.
Os calendários do Primavera funciona em duas áreas.

Calendário das atividades.


 Influenciam todas as atividades do tipo “Task Dependent”.
 Global – São os calendários disponíveis para todos os usuários.
 Project – São os calendários disponíveis somente para quem tem acesso ao projeto onde
o calendário foi criado.

Academia do Planejamento Pág. 89 / 222


Calendário dos Recursos


 Influenciam todas as atividades do tipo “Task Resource”.

Abrir um calendário
Para abrir o calendário, basta clicar em:
 Enterprise, Calendars...

MELHORANDO O PROJETO
Coluna Default
Quando as atividades são incluídas, elas utilizam o calendário que estiver marcado como
Default. Caso esse não seja o calendário desejado, basta alterar em cada atividade.

Criar um calendário novo de Projeto


 Clicar na caixa Project
 Clicar em Add.

Se desejar, poderá utilizar um calendário já existente para criar o novo.


 Clicar em Select

Academia do Planejamento Pág. 90 / 222


MELHORANDO O PROJETO
 Dê o nome de “Calendário 6 dias + feriados”.
 Clique em Modify...

Academia do Planejamento Pág. 91 / 222


MELHORANDO O PROJETO
Caixa de diálogo Calendário.
Use a caixa de diálogo Calendário para exibir e editar um calendário de projeto ou calendário de
recursos.
- <Anterior (timeperiod)>: Exibe ou o mês anterior ou no ano anterior, dependendo da sua
exibição atual.
- Mês / Ano: Apresenta o mês e o ano atualmente selecionado para o calendário. Clique
para visualizar outro mês do ano exibida.
- > (Next timeperiod): Exibe ou o próximo mês ou no próximo ano, dependendo da sua
exibição atual.
- Mês: Exibe o mês selecionado para o ano apresentado.
- Dia: Exibe o dia escolhido para o ano apresentado. Clique para selecionar a coluna inteira
(naquele dia e todas as semanas).
- Data: Exibe uma data numérica.
- Horas: O número de horas de trabalho e não trabalhadas para a data selecionada. Você
pode selecionar um novo trabalho e as horas não relacionadas ao trabalho, clicando em
um horário específico e em seguida, clicando work ou nonwork.
- “Inherit holidays and exceptions from global calendar” - Herdar feriados e exceções do
calendário global: O nome do calendário em que o calendário aberto se baseia. Você pode
selecionar um novo calendário.
- Work: Faz com que a data selecionada um dia de trabalho.
- Nonwork: Faz a data selecionada uma data não trabalhada.
- Standart: Torna a data selecionada um dia de trabalho normal com o número padrão de
horas de trabalho.
- Semana de trabalho: Abre a caixa de diálogo Calendar horas semanais e permite que você
altere o número padrão de horas de trabalho para um dia da semana no calendário aberto.

Academia do Planejamento Pág. 92 / 222


 Alterar para fevereiro de 2015.
 Clicar nos dias de feriado de carnaval.
 Clicar em Nonwork.

MELHORANDO O PROJETO

Após programar todos os dias não trabalhados.
 Clicar em OK

Se desejar, poderá passar o calendário de projeto para global.


 Clicar em To Global.

Atenção: O Primavera não aceita passar de Global para Projetos

Academia do Planejamento Pág. 93 / 222


Atribuindo o calendário ao seu projeto
Podemos atribuir o calendário as atividades de duas formas:

A - Uma a uma
 Clicar na atividade
 Clicar em Activity Calendar

MELHORANDO O PROJETO
B – Utilizando o comando “Fill Down”.
Altere o calendário da primeira atividade manualmente.
 Clique na primeira atividade.
 Clique no calendário da atividade.
 Ao abrir a janela, clique no calendário criado.
 Clique em selecionar.

Academia do Planejamento Pág. 94 / 222


MELHORANDO O PROJETO
Para utilizar o comando Fill Down
 Selecionar a primeira atividade.
 Selecionar a última atividade precionando Shift na coluna Calendar.
 Clicar com botão direito do mouse e
 Clicar em Fill Down.

Academia do Planejamento Pág. 95 / 222


MELHORANDO O PROJETO

Academia do Planejamento Pág. 96 / 222


Refresh Data (Atualizar a tela) – F5
Você vai observar que pode ficar algum resíduo de calendário no seu projeto.
Será necessário atualizar a tela em:
 Clicar em File e Refresh Data, ou
 Apertar a tecla F5

MELHORANDO O PROJETO

Academia do Planejamento Pág. 97 / 222


MELHORANDO O PROJETO

Academia do Planejamento Pág. 98 / 222


Será necessário calcular novamente o projeto.
 Apertar F9

b) Restrições

A lógica de relacionamento das atividades não pode refletir todas as situações de projeto. Às vezes, as
atividades devem ser realizadas de acordo com datas específicas e não em datas determinadas por
outras atividades no projeto. Para modelar a dependência em datas específicas, podemos atribuir
restrições primárias e secundárias para as atividades.
Existem dez tipos de restrições no Primavera

MELHORANDO O PROJETO
Vamos criar um pequeno projeto para ver todas as restrições e principalmente o efeito que
causa na folga total do projeto (total float).

Observe a folga de dez dias na atividade Compra de Materiais.

Restrições de inicio
 Start on (iniciar na data)

Academia do Planejamento Pág. 99 / 222



 Obriga a atividade iniciar exatamente na data, nem antes, nem depois.
 Essa restrição consumiu toda a folga existente.

 Start on or after

MELHORANDO O PROJETO

Academia do Planejamento Pág. 100 / 222



 Obriga a atividade a iniciar na data ou depois da data.
 Essa restrição consumiu a folga antes, mas não consumiu a folga depois.
 É a restrição mais utilizada.
 Start on or before

MELHORANDO O PROJETO
 Obriga a atividade a iniciar na data ou antes da data.
 Essa restrição consumiu parte da folga total mas não fez diferença na programação da
atividade, uma vez que, o Primavera, sempre programa as atividades para a data mais
cedo.

Restrições de fim
 Finish on

Academia do Planejamento Pág. 101 / 222



 Obriga a atividade a terminar na data, nem antes, nem depois.
 Essa restrição consumiu toda a folga existente.

 Finish on or after

MELHORANDO O PROJETO

Academia do Planejamento Pág. 102 / 222



 Obriga a atividade a terminar na data ou depois.
 Essa restrição não consumiu a folga existente e não fez diferença na programação da atividade,
uma vez que, o Primavera, sempre programa as atividades para a data mais cedo.

MELHORANDO O PROJETO
 Finish on or before

 Obriga a atividade a terminar na data ou antes.


 Essa restrição além de consumir a folga total do projeto, ficou devendo dois dias.
 Isso significa que a data programada de término dessa atividade não tem como atingir seu
objetivo utilizando a lógica atual. A lógica deverá ser revista para retirar a folga negativa.

Restrições mandatórias
As restrições mandatórias são muito parecidas com as restrições Start on e Finish on.
A diferença é que a restrição Start On, segue a lógica do projeto.
No exemplo abaixo, a restrição Start On para o dia 25-07-14 não prevelece sobre a lógica que
prevê o início da atividade somente dia 28-07-14.
Detalhe para a folga negativa -1 dia.

 Mandatory Start
 As restrições Mandatory Start, prevalecem sobre a lógica do projeto.

Academia do Planejamento Pág. 103 / 222


 No exemplo abaixo, o Primavera programou o início da atividade para o dia 25-07-14 conforme
a restrição Mandatoty Start determinou.

 Mandatory Finish

MELHORANDO O PROJETO
 O mesmo acorre com as restrições Mandatory Finish. A data de término da atividade

Restrição de atraso
 As late as possible
 O Primavera sempre calcula a data mais cedo das atividades. Caso precise identificar a
data mais tarde de cada atividade, basta colocar uma restrição As late as possible.

Academia do Planejamento Pág. 104 / 222



Restrição de término do projeto
 Must Finish By
 A última restrição é a que restringe o término do projeto, que pode ser antes ou depois da data
prevista.

MELHORANDO O PROJETO
 No exemplo abaixo, a restrição Must Finish By tem a data antes da data prevista em Finish

Como consequencia, nosso projeto ficou com folgas negativas em algumas atividades e
principalmente, na data final prevista do projeto.
Observe que Must Finish By não prevalece sobre a lógica.

Em nosso projeto, vamos supor que o projeto executivo vai iniciar somente após uma data
alguns dias depois da data prevista.
Observe que essa atividade não tem folga, ou seja, ela está no caminho crítico.
Observe a data prevista de término do projeto.

Academia do Planejamento Pág. 105 / 222


MELHORANDO O PROJETO
Com a restrição Start On para alguns dias depois em uma atividade crítica, o Projeto todo sofreu
um atraso na data final prevista.

c) Código de Atividades

A codificação das atividades permite um melhor controle sobre o seu projeto. Por exemplo, se
você criar um código para os serviços notáveis e atraves de filtros tirar relatórios.

Academia do Planejamento Pág. 106 / 222


No exemplo abaixo, vamos codificar as atividades com os principais materiais utilizados no projeto.

Criar novos códigos de atividade.


 Clicar em Enterprise
 Clicar em Activity Code...
 Clicar em Modify...

MELHORANDO O PROJETO
 Clicar em Add para adicionar os valores para a tabela nova.

Layout – Activity Code


Vamos prepara o layout para incluir o Ativity Code criado.

Academia do Planejamento Pág. 107 / 222


MELHORANDO O PROJETO
Atribuindo os códigos as atividades.
Podemos atribuir os valores do Activity Code clicando sobre a coluna nova.
Atenção: Caso não aparece os valores é porque o Primavera está filtrando. Você deve clicar em
Filter By e All Values.

Academia do Planejamento Pág. 108 / 222


MELHORANDO O PROJETO
O cronograma abaixo mostra um exemplo real de um projeto utilizando activity
codes para criar vários agrupamentos e filtros diferentes.

Academia do Planejamento Pág. 109 / 222


MELHORANDO O PROJETO

Academia do Planejamento Pág. 110 / 222


Figura 7 – Projeto real utilizando o activity code nas atividades.

MELHORANDO O PROJETO

Academia do Planejamento Pág. 111 / 222


MELHORANDO O PROJETO

Academia do Planejamento Pág. 112 / 222


Figura 8 – Projeto agrupado pelo activity code #Material.

MELHORANDO O PROJETO

Academia do Planejamento Pág. 113 / 222


MELHORANDO O PROJETO

Academia do Planejamento Pág. 114 / 222


Figura 9 – O mesmo projeto agora utilizando um filtro #Material e com uma curva de esforço físico.

d) Passos das atividades (Steps)

Existem situações em que não é possível controlar o avanço da atividade nem pela
duração (duration) e nem pelo esforço (units) dessa atividade. Restando somente o
avanço pelo físico (physico). Como sabemos, o avanço físico é totalmente subjetivo, ou
seja, não existe uma fórmula de cálculo para ele. Neste caso, o manual do Primavera
recomenta que pelo menos utilize os Steps em combinação com o avanço físico. Dessa
forma, será fácil justificar esse avanço.

Activity percent complete based on activity step

MELHORANDO O PROJETO
Antes, porém, será necessário alterar a configuração padrão do Primavera para permitir
que o Step considere os Steps no cálculo de avanço do projeto.

Figura 10 – Permitindo que o Step seja utilizado para o cálculo de avanço da atividade.

Exemplo
Um bom uso dos Steps é para a compra de materiais. Algumas empresas possuem
um procedimento detalhado para a compra de materiais, inclusive, fornecem o
peso de cada passo.
Vamos imaginar uma empresa que utiliza a seguinte sequência para a emissão da
ordem de compra:

Academia do Planejamento Pág. 115 / 222


PASSO PESO
1 - Emissão da RT 1
2 - Elaboração Documentação 1
3 - Emissão RC 1
4 - Aprovação RC 1
5 - Planej. e Envio da Coleta 1
6 - Esclarec. Técnicos 1
7 - Receb. das Propostas pelo Empreend. 1
8 - Emissão do PT 1
9 - Análise Comercial e Negociação 1
10 - Aprovação do Diretor 1
11 - Geração da O.C. 2

MELHORANDO O PROJETO
12 - Assinatura OS 2

 Clicar na guia Steps.


 Clicar com botão direito do mouse sobre as colunas dos Steps e alterar conforme a figura
abaixo.

Como fica no Primavera.


Step % Complete  Utilize para informar o avanço do passo em percentuais.
Step Weight  Peso do passo.
Step Weight Percent  Peso do passo em percentuais.
Completed  Utilize para informar o avanço completo do passo.

Figura 11 – Atividade com os passos necessários para emissão da OC.

Academia do Planejamento Pág. 116 / 222


MELHORANDO O PROJETO
Modelos de Passos – Template
Após a digitação, você poderá salvar os Steps como modelo e utilizar novamente em outras
atividades.
 Clicar com botão direito do mouse na área dos Steps.
 Clicar em Create Template...

Figura 12 – Criando um modelo dos passos selecionados.

 Dê um nome para o modelo.

Academia do Planejamento Pág. 117 / 222


Figura 13 – Salvando um modelo de Steps.

Para utilizar os modelos.


 Clicar na próxima atividade.
 Clicar em Add from Template.

ANÁLISE DO PROJETO
Figura 14 – Adicionamento um modelo de Steps em uma atividade.

7. ANÁLISE DO PROJETO

a) Agrupando Atividades

Caixa de diálogo Group and Sort


Essas é uma das melhores ferramentas do Primavera. Com ela, nós podemos agrupar e ordenar
as atividades de diversas formas.
O padrão é agrupamento pela WBS.
Para alterar, basta:
 Clicar em View
 Clicar em Group and Sort

Academia do Planejamento Pág. 118 / 222


ANÁLISE DO PROJETO
 Clicar em “Controle de Materiais”.

Academia do Planejamento Pág. 119 / 222


ANÁLISE DO PROJETO
Para ordenar, basta:
 Clicar em Sort....
 Clicar em uma lista grande de opções.
 Se precisar, poderá alterar a ordem de ascendente para descentende.

Academia do Planejamento Pág. 120 / 222


Layout – Controle de Materiais

ANÁLISE DO PROJETO
b) Organizar Atividades

Classificar pela coluna.


Uma outra forma mais simples de ordenar é clicar na coluna conforme mostrado na figura
abaixo.
Se clicar novamente, a ordem será invertida.
Para desfazer, basta clicar em outra coluna.

c) Filtrar Atividades

Caixa de diálogo Filter


Use a caixa de diálogo Filter para adicionar, editar, aplicar e remover filtros para a exibição
atual. Um filtro é um conjunto de instruções que determina quais atividades ou projetos serão
exibidos. Você pode aplicar um filtro a qualquer tempo para se concentrar em áreas específicas
de um projeto. Por exemplo, você pode querer ver apenas atividades críticas, atividades que
estão em andamento, ou atividades concluídas.

Criando um filtro “Programação Quinzenal”.


Como exemplo, vamos criar um filtro com a programação dos serviços para as próximas duas
semanas.

Academia do Planejamento Pág. 121 / 222


 Clicar em Filter.
 Clicar em New...

ANÁLISE DO PROJETO
 Digitar o nome do filtro.
 Será necessário utilizar a lógica para a criação do filtro.

Academia do Planejamento Pág. 122 / 222


ANÁLISE DO PROJETO
Para retirar o filtro, basta:
 Clicar em All Activities.

d) Lição Atividades Críticas

Para o Primavera, as atividades críticas são as atividades que possuem o Total Float igual a zero.

Layout – Total Float


Para visualizar, vamos incluir a coluna Total Float no layout.

Academia do Planejamento Pág. 123 / 222


ANÁLISE DO PROJETO
Filtro – Critical
Já existe uma lógica pronta na janela de filtro chamada Critical que filtra o caminho crítico do
projeto. Para que possamos analiza-la, será necessário fazer uma cópia dela.
 Clicar no filtro Critical
 Clicar em Copy

Analizando o filtro Critical


 Clicar em Paste.
 Clicar em Modify...

Academia do Planejamento Pág. 124 / 222


ANÁLISE DO PROJETO
 Digitar o nome do filtro.
 Observe a lógica utilizada.
 Utilize a técnica acima para estudar outros filtros nativos do Primavera.

Academia do Planejamento Pág. 125 / 222


CRIANDO A BASE LINE

8. CRIANDO A BASE LINE

a) Criando um Plano Meta (Baseline)

A baseline é uma cópia do programa corrente que contém toda a programação prevista. Esta
cópia será utilizada como referência para comparação entre o previsto e o realizado.
Há duas etapas para definição do plano meta:

Criar uma baseline:


 Copiando do projeto corrente;

Academia do Planejamento Pág. 126 / 222


 Transformando outro projeto em plano meta;

Associar a baseline ao seu projeto:


Pode-se transformar outro projeto em plano meta, mas, também pode-se transformar um plano meta
em projeto. Isto possibilita um leque de operações interessantes, como por exemplo, fazer uma cópia
do planejamento, transformar em projeto, simular um novo cenário, retornar o cronograma para
plano meta e fazer comparação entre os planos corrente, meta e simulados.
 Clicar em Project, Maintain Baseline

CRIANDO A BASE LINE


b) Atribuindo uma Baseline a um Projeto

 No menu Project, selecione Assign Baselines;


 No campo Project; selecione o projeto ao qual você quer atribuir a Baseline que você criou
no passo anterior;
 No campo Project Baseline, selecione a Baseline a ser utilizada.

Academia do Planejamento Pág. 127 / 222


CRIANDO A BASE LINE
NOTA: Pode-se comparar até 4 Baselines simultaneamente por projeto, selecione as Baselines
que serão comparadas em User Baselines.

Project Baseline
É a primeira BL. E por ser a primeira, é, normalmente, contratual.
 Primary: Selecione a Baseline preliminar da lista de Baseline disponíveis. Não selecionando
a primary, será adotada a Baseline do Project Baseline.
 Secondary: Selecione a segunda Baseline da lista de Baseline disponíveis, não é necessário
selecionar.
 Tertiary: Selecione a terceira Baseline da lista de Baseline disponíveis, não é necessário
selecionar.
No diretório Projects, selecione a guia Settings, clique em Project baseline para a opção Baseline
to earned value calculations. Essa configuração servirá para o cálculo de Earned Value.

Atenção: Se não houver BL associada, o Primavera utilizará o projeto corrente como se fosse a
base line. Isso pode levar o usuário a fazer uma interpretação errada do projeto se não for
percebido por ele.

Layout – Base Line


Na área do gráfico de Gantt, vamos alterar a visualização das barras.

 Clicar em View, Bars

Academia do Planejamento Pág. 128 / 222


Corrigindo a barra da Base Line

CRIANDO A BASE LINE

Academia do Planejamento Pág. 129 / 222


Gráfico de Gantt com Base Line

MONITORANDO O PROJETO
9. MONITORANDO O PROJETO

Para dar avanço nas atividades, a primeira coisa a fazer é dizer que tipo de avanço a atividade
vai ter.
O Primavera disponibiliza três tipos de avanços que o usuário poderá utilizar para cada
atividade.
a) Avanço pela duração. Deverá informar quantos dias falta para concluir a atividade.
b) Avanço pelo esforço. Deverá informar a quantidade realizada do recurso.
c) Avanço pelo físico. Deverá informar o avanço da atividade em %.
a) Tipos de Avanço

Academia do Planejamento Pág. 130 / 222


MONITORANDO O PROJETO
Layout - % Complete Type
Vamos alterar o layout conforme a figura abaixo.

Altere o Percent Complete Type de cada atividade conforme abaixo.

Percent Complete Type - Duração

Academia do Planejamento Pág. 131 / 222


Percent Complete Type - Units

MONITORANDO O PROJETO
Percent Complete Type – Physical

b) Progress Spothlight

O Spothlight é um marcador de atividades que o usuário poderá utilizar para selecionar as


atividades que estão no período de avanço.
 Clicar no Spothlight.
 Clicar e arrastar o mouse para a direita até o período desejado.

Academia do Planejamento Pág. 132 / 222


MONITORANDO O PROJETO
c) Data Date

Utilize o Data Date como data de referência de cálculo do projeto.


 Clicar na janela Project.
 Clicar em Dates.
 Digitar a data em Data Date.

Academia do Planejamento Pág. 133 / 222


Observe que a linha azul mudou para a nova data escolhida sem calcular o projeto.

MONITORANDO O PROJETO
d) Avanço da atividade marco de início.

Os avanços em atividades do tipo Start Milestones ou Finish Milestones são os mais simples. Isto
porque como esses marcos não possuem recursos e nem duração, não é necessário escolher o
tipo de avanço, nem o percentual de avanço, basta informar a data realizada (actual date).

Layout – Avanço das Atividades


Vamos agora alterar o layout conforme abaixo.

Layout da janela de detalhes


 Clicar em uma atividade qualquer (não funciona se não tiver uma atividade selecionada).
 Na guia de detalhes, clicar em na guia Resources.

Academia do Planejamento Pág. 134 / 222


 Clicar com botão direito do mouse
 Clicar em Customize Resource Columns...

MONITORANDO O PROJETO

Academia do Planejamento Pág. 135 / 222


MONITORANDO O PROJETO
 Clicar em Started.
 Digitar a data realizada do evento.

e) Avanço pelo físico c/ Steps

Sequencia de avanço pelo físico com steps.

Academia do Planejamento Pág. 136 / 222


MONITORANDO O PROJETO
1 – Tipo de avanço Físico (% Complete Type = Physical)
Para que seja possível o avanço pelo Steps, será necessário que o tipo de avanço seja físico.
 Clicar na guia General da janela Activities.
 Selecionar o tipo Physical em % Complete Type.

2 – Alterar o Data Date sem calcular o projeto.


Para alterar o data date, basta:
 Clicar em Projects.
 Digitar a data em Data Date.

3 - Ativando o avanço pelo step no projeto.


É necessário que o usuário ative a caixa que permite o Primavera utilizar o valor do Step como
avanço da atividade.

Obs 1: Por padrão, a caixa não está ativada.

Obs 2: Só é necessário ativar uma vez.

Academia do Planejamento Pág. 137 / 222


MONITORANDO O PROJETO
4 – Marcando a data de início em started e a data com a hora.
 Clicar em Started.
 Digitar a data realizada.

5 – Step % Complete.
 Digitar o avanço do passo em Step % Complete ou
 Clicar na caixa Completed para os passos com avanço de 100%.

6 – Physical %(avanço da atividade).


O percentual de avanço será calculado automaticamente pelo Primavera.
Baseado no peso do passo (Step Weight Percent)
Physical % = 10% do Projeto Básico + 20% da Aprovação do Projeto Básico.

7 – Remaining Duration.
Duração restante da atividade.
Será calculado automaticamente pelo Primavera.
Remaining Units
Remaining Duration =
Remaining Units / Time
Sendo, Remaining Units / Time = Budgeted Units / Time.

Academia do Planejamento Pág. 138 / 222


8 – Unit Percent Complete.
O valor deve ser o mesmo calculado em Physical %.

9 – Actual Units.
Esforço realizado.
Será calculado automaticamente pelo Primavera.

MONITORANDO O PROJETO
Actual Units = Budgeted Unit x Units % Complete

10 – Remaining Units.
Esforço restante.
Será calculado automaticamente pelo Primavera.
Remaining Units = Budgeted Unit – Actual Units

11 – At Completion Units.
Esforço total ao completar
Será calculado automaticamente pelo Primavera.
Corresponde a soma entre esforço realizado e o esforço restante.
At Completion Units = Actual Units + Remaing Units

Para facilitar o nosso exemplo, vamos analizar o resultado do avanço efetuando o cálculo do
projeto.
 Concluir o processo clicando em Schedule ou apertando (F9)

f) Avanço pela Duração

Academia do Planejamento Pág. 139 / 222


MONITORANDO O PROJETO
Utilizar a seguinte configuração em calculation:

Academia do Planejamento Pág. 140 / 222


MONITORANDO O PROJETO
1 – Tipo de avanço duração (% Complete Type = Duration)
Para que seja possível o avanço pela duração, será necessário que o tipo de avanço seja por
Duration.
 Clicar na guia General da janela Activities.
 Selecionar o tipo Duration em % Complete Type.

2 – Alterar o Data Date sem calcular o projeto.


Para alterar o data date, basta:
 Clicar em Projects.
 Digitar a data em Data Date.

3 – Marcando a data de início em Started e a data com a hora.


 Clicar em Started.
 Digitar a data realizada.

4 – Remaining Duration.
 Digitar a quantidade de dias úteis que faltam para concluir a atividade ou
 Digitar a data prevista de término em Finished.

5 – Duration % (avanço da atividade)


Percentual de avanço da duração da atividade.
Será calculado pelo Primavera.

Academia do Planejamento Pág. 141 / 222


(𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂 𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝑜𝑜𝑛𝑛 − 𝑅𝑅𝑅𝑅𝑅𝑅𝑅𝑅𝑅𝑅𝑅𝑅𝑅𝑅𝑅𝑅𝑅𝑅 𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷)
𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷 % =
𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂𝑂 𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷𝐷 𝑥𝑥 100

6 – Unit % Complete
Percentual de esforço completado.
Será calculado pelo Primavera.
Unit % Complete = Duration %

MONITORANDO O PROJETO
7 – Actual Units
Esforço realizado.
Será calculado automaticamente pelo Primavera.
Actual Units = Budgeted Unit x Units % Complete

8 – Actual Units
Esforço realizado.
Será calculado automaticamente pelo Primavera.
Actual Units = Budgeted Unit x Units % Complete

9 – Remaining Units
Esforço restante.
Será calculado automaticamente pelo Primavera.
Remaining Units = Budgeted Unit – Actual Units

10 – At Completion Units
Esforço total ao completar
Será calculado automaticamente pelo Primavera.
Corresponde a soma entre esforço realizado e o esforço restante.
At Completion Units = Actual Units + Remaing Units

Concluir o processo com o cálculo do projeto – Schedule (F9)

Academia do Planejamento Pág. 142 / 222


g) Avanço pelo físico s/ Steps

MONITORANDO O PROJETO
1 – Tipo de avanço físico (% Complete Type = Physical)

2 – Alterar o Data Date sem calcular o projeto.

3 – Marcando a data de início em Started e a data com a hora.

4 – Physical %(avanço da atividade)


O % do esforço realizado é informado manualmente pelo operador. Não é calculado pelo
Primavera.

5 – Remaining Duration
Duração restante da atividade.
Será calculado automaticamente pelo Primavera.
Remaining Units
Remaining Duration =
Remaining Units / Time
Sendo, Remaining Units / Time = Budgeted Units / Time.

Atenção: Para que o valor de Remaining Units / Time não altere, é necessário que o valor de
Duration Type esteja com Fixed Units / Time.

6 - Unit % Complete
Percentual de esforço completado.
Deverá ser digitado conforme o esforço físico digitado.

Academia do Planejamento Pág. 143 / 222


Unit % Complete = Physical %

7 – Actual Units
Esforço realizado.
Será calculado automaticamente pelo Primavera.
Actual Units = Budgeted Unit x Units % Complete

8 – Remaining Units
Esforço restante.

MONITORANDO O PROJETO
Será calculado automaticamente pelo Primavera.
Remaining Units = Budgeted Unit – Actual Units

9 – At Completion Units
Esforço total ao completar
Será calculado automaticamente pelo Primavera.
Corresponde a soma entre esforço realizado e o esforço restante.
At Completion Units = Actual Units + Remaing Units

Concluir o processo com o cálculo do projeto – Schedule (F9)

h) Avanço pelo esforço

Academia do Planejamento Pág. 144 / 222


MONITORANDO O PROJETO
1 – Tipo de avanço esforço (% Complete Type = Units).
Para que seja possível o avanço pelo Steps, será necessário que o tipo de avanço seja Units.
 Clicar na guia General da janela Activities.
 Selecionar o tipo Units em % Complete Type.

2 – Alterar o Data Date sem calcular o projeto.


Para alterar o data date, basta:
 Clicar em Projects.
 Digitar a data em Data Date.

3 – Marcando a data de início em Started e a data com a hora.


 Clicar em Started.
 Digitar a data realizada.

4 – Actual Units
Esforço realizado.
Deverá ser informado pelo operador.
 Digitar a quantidade de esforço realizado.

5 – Remaining Units
Esforço restante.
Deverá ser informado pelo operador.

Academia do Planejamento Pág. 145 / 222


 Digitar o esforço restante a ser realizado.

6 – Units % (avanço da atividade)


Será calculado automaticamente pelo Primavera.

Units % Complete = Budgeted Units / Actual Units.

7 – Unit % Complete
Será calculado automaticamente pelo Primavera.

MONITORANDO O PROJETO
Unit % Complete = Units % (avanço da atividade).

8 – At Completion Units
Esforço total ao completar
Será calculado automaticamente pelo Primavera.
Corresponde a soma entre esforço realizado e o esforço restante.
At Completion Units = Actual Units + Remaing Units

9 – Remaining Duration
Duração restante.
Será calculado automaticamente pelo Primavera.
Remaining Units
Remaining Duration =
Remaining Units / Time

Atenção: Para que o valor de Remaining Units / Time não altere, é necessário que o valor de
Duration Type esteja com Fixed Units / Time.

Concluir o processo com o cálculo do projeto – Schedule (F9)

i) Análise dos avanços

Agora vamos ver como o Primavera informa os avanços conforme cada tipo de avanço
realizado.

Layout de Avanço
Vamos alterar o layout conforme abaixo.

Academia do Planejamento Pág. 146 / 222


MONITORANDO O PROJETO

j) Auto Compute Actuals e Apply Actuals

Auto Compute Actual considera que o foi planejado será executado, ou seja, o avanço será
conforme previsto.
Você pode aplicar o Auto Compute Actual a três níveis.
 Atividade

Academia do Planejamento Pág. 147 / 222


 Recurso
 Despesa

Auto Compute Actual a nível de atividade.

MONITORANDO O PROJETO
Auto Compute Actual a nível de recursos.

Auto Compute Actual a nível de despesas.

Academia do Planejamento Pág. 148 / 222


MONITORANDO O PROJETO
Apply Actual
Serve para aplicar os valores realizados.

No nosso projeto, vamos aplicar valores realizados (Apply Actual) sobre a atividade marcada
com “Auto Computer Actual” – “Executar a manutenção do canteiro”.

Academia do Planejamento Pág. 149 / 222


MONITORANDO O PROJETO
Dessa forma, a atividade terá seu avanço conforme previsto.

k) Dirigente

Layout - Dirigente

Serve para informar qual é a atividade que está impactando a relação.


No exemplo abaixo, a atividade predecessora que está impactando é a marcada com Yes.

Academia do Planejamento Pág. 150 / 222


10. MELHORANDO O MONITORAMENTO

a) Análise das Variações

Layout - Variações

MELHORANDO O MONITORAMENTO
Variance – BL Project Duration - Variação da duração entre o projeto BL e o corrente.
Variance – BL Project Finish Date - Variação da data final entre o projeto BL e o corrente.

b) Analise da Tendência

Academia do Planejamento Pág. 151 / 222


Layout – Analise da Tendência.

MELHORANDO O MONITORAMENTO

c) Análise da Curva S

Academia do Planejamento Pág. 152 / 222


MELHORANDO O MONITORAMENTO
Curva S Física

Academia do Planejamento Pág. 153 / 222


MELHORANDO O MONITORAMENTO
Layout – Curva S

d) Performance

Layout - Performance

Schedule % Complete – Avanço previsto do projeto


Porformance % Complete – Avanço realizado do projeto

Academia do Planejamento Pág. 154 / 222


MELHORANDO O MONITORAMENTO
e) Gráfico do Valor Agregado

Academia do Planejamento Pág. 155 / 222


IMPRIMINDO RELATÓRIOS
Layout – Valor Agregado
Vamos salvar como Valor Agregado.

11. IMPRIMINDO RELATÓRIOS

a) Assignments

A tela de atribuição faz uma mistura da tabela de recursos atribuidos com a tabela de
atividades.

Resource
Activity

Relation
ships

Assignments
Assign
ments

Academia do Planejamento Pág. 156 / 222


Essa tela nos permite relizar uma série de relatórios combinando suas tabelas utilizando os comando
Group and Sort, Filter, Activity Codes e UDF.

IMPRIMINDO RELATÓRIOS
Figura 15 – Alterando o agrupamento da tela Assignments.

b) Reports

Essa tela nos permite montar diversos relatório e salvar cada um deles para uso posterior.

Figura 16 – Janela do Reports

Podemos montar o relatório com o uso de assistentes.


No exercício abaixo, vamos criar um relatório das atividades com os recursos atribuidos.
 Clicar em Add.

Academia do Planejamento Pág. 157 / 222


IMPRIMINDO RELATÓRIOS
Figura 17 – Selecionando a tabela de dados.

 Clicar em Columns para escolher a coluna a ser impressa.

Figura 18 – Selecionando as colunas.

 Clicar em Group and Sort para alterar o agrupamento e ordem dos dados.

Figura 19 – Escolhendo o agrupamento.

Academia do Planejamento Pág. 158 / 222


IMPRIMINDO RELATÓRIOS
Figura 20 – Escolhendo a ordem (classificação) a ser impressa.

 Dê um nome ao relatório e salve ele.

O mesmo relatório poderá ser urilizado em vários outros projetos.

Figura 21 – Salvando o relatório.

Após a criação, podemos agora imprimir, basta:


 Clicar no relatório para selecionar.
 Clicar em Run Report...

Academia do Planejamento Pág. 159 / 222


IMPRIMINDO RELATÓRIOS
Figura 22 – Imprimindo um relatório criando.

Figura 23 – Relatório criado pelo Report.

c) Prévia de Impressão - Print Preview

Academia do Planejamento Pág. 160 / 222


Também é possível imprimir um relatório pelo Print Preview.
 Clicar em File
 Print Preview

IMPRIMINDO RELATÓRIOS
Figura 24 – Opções de impressão do Print Preview

 Clicar em Options para escolher os dados de empressão.


Você poderá alterar os valores de Timescale Start e Timescale Finish para um melhor
enquadramento do dado na tela.
Como sugestão, poderá utilizar as variáveis PS e PF como o início e fim do projeto, dessa forma,
caso o projeto se prolongue ou antecipe, não será necessário qualquer alteração no Timescale.

Figura 25 – Opções de Timescale e de dados a serem impressos.

d) Histograma de Mao de Obra

Academia do Planejamento Pág. 161 / 222


Histograma de mão de obra corresponde a identificar qual é o esforço de mão de obra do projeto
distribuido no tempo.
O Primavera não informa a quantidade de pessoas e sim, o esforço necessário.
Ex.: Se considerarmos que uma pessoa trabalha 8h/d e identificarmos a necessidade de 16h/d,
podemos deduzir que se trata de esforço de 2 pessoas.
 Clique na janela Assignments.
 Com botão direito do mouse, clicar em Group and Sort, Customize...
 Em Group By, clicar em Resource ID Name level 1

IMPRIMINDO RELATÓRIOS
Figura 26 – Agrupando pelo ID Name do recurso.

 Clicar novamente com botão direito do mouse e selecionar o Filter...


 Criar o filtro Resource Type = Labor

Figura 27 – Criando um filtro para a mão de obra.

 Salve o layout como “Layout – Histograma de Mão de Obra.

Academia do Planejamento Pág. 162 / 222


IMPRIMINDO RELATÓRIOS
Figura 28 - Histograma de Mão de Obra.

Academia do Planejamento Pág. 163 / 222


e) Histograma de Equipamentos.

Segue o mesmo raciocício da mão de obra, com a diferença no filtro.


 Criar o filtro Resource Type = nonlabor para Equipamentos.

IMPRIMINDO RELATÓRIOS
Figura 29 – Filtro de equipamentos

Figura 30 – Histograma de Equipamentos

f) Gráfico do Valor Agregado – Earned Value Curves

O gráfico do valor agregado poderá ser


 Clicar na janela Activity.
 Clicar no botão Activity Usage Profile
 Clicar com o botão direito do mouse na área do gráfico
 Escolher a opção “Activity Usage Profile Options”.

Utilize o Planned Value para gerar a cursa com a previsão do valor agregado.
Utilize o Earned Value para gerar a curva com o valor agregado
Utilize o Estimate At Completion para gerar a curva com o valor a completar.

Academia do Planejamento Pág. 164 / 222


IMPRIMINDO RELATÓRIOS
Figura 31 – Escolhendo Activity Usage Profile da janela Activity.

Figura 32 – Opções do Activity Usage Profile para gerar o gráfico do valor agregado.

Figura 33 – Gráfico com o valor agregado.

Academia do Planejamento Pág. 165 / 222


IMPRIMINDO RELATÓRIOS

Academia do Planejamento Pág. 166 / 222


g) Previsão Financeira

IMPRIMINDO RELATÓRIOS
h) Programação de Serviços

Programação Quinzenal na tela.

Academia do Planejamento Pág. 167 / 222


IMPRIMINDO RELATÓRIOS

Academia do Planejamento Pág. 168 / 222


IMPRIMINDO RELATÓRIOS
Progração Quinzenal pelo Reports

Academia do Planejamento Pág. 169 / 222


IMPRIMINDO RELATÓRIOS

Academia do Planejamento Pág. 170 / 222


IMPRIMINDO RELATÓRIOS

Academia do Planejamento Pág. 171 / 222


IMPRIMINDO RELATÓRIOS

Academia do Planejamento Pág. 172 / 222


i) KPI

Um Indicador-chave de desempenho (em inglês Key Performance Indicator KPI, ou até mesmo como
"Key Success Indicator" KSI), são ferramentas de gestão para se realizar a medição e o consequente
nível de desempenho e sucesso de uma organização.

KPI - Concreto

IMPRIMINDO RELATÓRIOS

Academia do Planejamento Pág. 173 / 222


j) Exportando gráfico KPI para o Excel

IMPRIMINDO RELATÓRIOS
Selecionando tudo
 CTRL + A

Copiando para a área de transferencia.


 CTRL + C

Colando no Excel
 Abrir o Excel
 CTRL + V

Academia do Planejamento Pág. 174 / 222


k) PDF

IMPRIMINDO RELATÓRIOS

Academia do Planejamento Pág. 175 / 222


l) Caminho Crítico

IMPRIMINDO RELATÓRIOS

Academia do Planejamento Pág. 176 / 222


IMPRIMINDO RELATÓRIOS
m) Cronograma Mestre

Academia do Planejamento Pág. 177 / 222


ADMINSTRANDO PROJETOS
12. ADMINSTRANDO PROJETOS

a) Código de Projetos

 Clicar em Enterprise
 Project Code

Academia do Planejamento Pág. 178 / 222


ADMINSTRANDO PROJETOS
Agrupando pelo Project Code

Academia do Planejamento Pág. 179 / 222


ADMINSTRANDO PROJETOS
b) Campos Definidos pelo Usuário - User Definied Fields (UDF)

Utilize para criar campos que podem ser utilizados para diversas finalizades como: criar
fórmulas, datas, indicadores e textos.

c) Publicação – Publish Project Web Site

Academia do Planejamento Pág. 180 / 222


Utilize a publicação para a criação de páginas de Internet. Essa publicação será uma cópia congelada
do projeto e poderá ser analisada utilizando um navegador sem a necessidade de abrir o Primavera.
Para criar uma publicação, basta:
 Clicar em Tools
 Publish
 Project Website

ADMINSTRANDO PROJETOS

Após a criação do site, utilize o seu navegador preferido para abrir o seu projeto.

Academia do Planejamento Pág. 181 / 222


DICAS IMPORTANTES

13. DICAS IMPORTANTES

a) Exportando Projetos XER

A exportação e importação entre projetos do Primavera é realizado por arquivos XER.

Academia do Planejamento Pág. 182 / 222


OBS:

1 - Somente projetos abertos podem ser exportados.

2 – somente projetos correntes são exportados. Para a exportação de projetos Base Line é
necessário transforma-los em projetos correntes.

Clicar em:
 File
 Export

DICAS IMPORTANTES
O Primavera permite as seguintes exportações.

Primavera PM / MM – (XER)
Exportação de projetos na versão 7.0, 6.2, 6.1, 6.0 e 5.0.

Primavera Contractor – (XER)


Exportação de projetos do Oracle Primavera Contractor.

Primavera PM – (XML)
Exportação de projetos em formato XML.

Spreadsheet – (XLS)
Exportação do projeto em planilha do Excel 2003.

Primavera Project Planner – (P3)


Exportação de projetos na versão P3.

Microsoft Project
Exportação de projetos para Microsoft Project 2002.

 Clicar em Primavera PM / MM – (XER).

Academia do Planejamento Pág. 183 / 222


DICAS IMPORTANTES
Project
O Primavera permite a exportação de projetos completos (exporta também recursos ou funções
associados, se existirem).

Resource Only
Exporta a tabela completa de recursos.

Role Only
Exporta a tabela completa de funções.

 Clicar em Project.

 Marcar o projeto a ser exportado.


Academia do Planejamento Pág. 184 / 222


DICAS IMPORTANTES
 Localize o arquivo a ser importado clicando em Select Import File.

b) Importando Projetos XER

O Primavera permite as seguintes importações:

Primavera PM / MM – (XER)
 Importação de Project Management e Methodology Management

Primavera PM – (XML)
 Importação de Project Management Databases

Spreadsheet – (XLS)
 Importação de planilhas do Excel 2003 e anteriores.

Academia do Planejamento Pág. 185 / 222


Primavera Project Planners – (P3)
 Importação do Primavera P3 (uma versão mais antiga)

Microsoft Project (XML / MPX)


 Importação de Projetos do Microsoft Project 2002 e anteriores.

DICAS IMPORTANTES
 Clicar em Primavera PM / MM – (XER)
Existem tres tipos de projetos PM / MM que podem ser importados.

Project
Importa projetos completos (se existirem recursos e funções associadas, estas serão importadas
também).

Resource Only
Importa a tabela completa de recursos.

Role Only
Importa a tabela completa de funções.

 Clicar em Project.

Academia do Planejamento Pág. 186 / 222


DICAS IMPORTANTES
 Localize o arquivo XER utilizando a caixa Select Import File.

 Clicar em Select EPS para informar onde o projeto será importado.

Academia do Planejamento Pág. 187 / 222


O Primavera permite um controle sobre os dados que está sendo importado.
Por exemplo, poderíamos escolher entre manter, atualizar e criar um novo dados de cada um dos item
previstos na janela Modify Import Configuration.
 Vamos utilizar as configurações Default.

DICAS IMPORTANTES

Academia do Planejamento Pág. 188 / 222


c) Trabalhando com o Excel

DICAS IMPORTANTES
O Primavera permite a exportação e importação de projetos via Excel até a versão 2003.
Entre as várias utilidades em trabalhar com o Excel, destacamos a possibilidade de acelelar o
processo de digitação de dados.

Academia do Planejamento Pág. 189 / 222


Primavera

1 - Exportação
5 - importar XLS
XLS

2 - Planilha de
4 - Planilha de
dados
importação
exportados

3 - Colar os
dados de outra
planilha.

DICAS IMPORTANTES
Primavera

1 - Exportação
5 - importar XLS
XLS

2 - Planilha de
4 - Planilha de
dados
importação
exportados

3 - Colar os
dados de outra
planilha.

Figura 34 – Ciclo de exportação e importação de planilhas do Excel.

Figura 35 – Acelerando o processo de digitação de dados via Excel.

O processo começa com a exportação do projeto em XLS.


Esse processo é necessário para a criação de uma planilha de importação.
Atenção: É necessário que o projeto esteja aberto.

 Clicar em File, Export...


 Selecionar Spreadsheet – (XLS).

Academia do Planejamento Pág. 190 / 222


Figura 36 – Tela de exportação.

DICAS IMPORTANTES
Atenção: O Primavera aceita somente até a versão 2003 do Excel. Ele não aceita XLSX.

Escolha a tabela a ser exportada.

Figura 37 – Selecionando qual tabela de dados será exportada.

Academia do Planejamento Pág. 191 / 222


Figura 38 – Selecionando qual projeto aberto será exportado.

DICAS IMPORTANTES
Figura 39 – Selecionando o que será exportado.

Clique em Modify... para escolher os dados a serem exportados.

Figura 40 – Escolhendo os dados a serem exportados.

Academia do Planejamento Pág. 192 / 222


Figura 41 – Escolhendo o nome do arquivo e o local a ser exportado.

DICAS IMPORTANTES
2 - Planilha de dados exportada.
Com a planilha exportada, fazer as alterações necessárias que podem incluir dados de uma
outra planilha.
Atenção:
Se pretende fazer uma importação dos dados alterados, algumas recomendações são necessárias:

 Não faça alterações nos títulos das colunas.


 Faça as alterações sem perder as propriedades originais das células.
 Não mexa na aba USERDATA.

Figura 42 - Planilha exportada.

3 – Alterações de dados que podem incluir dados de outra planilha.


 Salve a planilha com outro nome e feche.

Academia do Planejamento Pág. 193 / 222


Figura 43 – Alterada a planilha com dados de outra planilha.

4 - Importamos novamente a planilha atualizada.


 Volte para o Primavera e clique em File, Import....
 Selecione Spreadsheet – (XLS).

DICAS IMPORTANTES
Figura 44 – Processo de importação do Excel.

5 – Executar a importação de dados.

Academia do Planejamento Pág. 194 / 222


Figura 45 - Selecione o arquivo a ser importado.

DICAS IMPORTANTES
Figura 46 – Marque o tipo de dados a ser importado.

Figura 47 – Marque o projeto a ser atualizado com os dados da planilha.

Academia do Planejamento Pág. 195 / 222


Figura 48 – Projeto com as atividade importadas.

DICAS IMPORTANTES
d) Sumarização dos Dados do Projeto

Sumarizar o Projeto ou Summarize significa carregar as tabelas resumo do Primavera, que


contém as informações compiladas ao nível do Projeto para permitir sua consulta nos módulos
Gerenciais (Projects e Tracking).
A sumarização de um projeto permite que os dados principais do projeto sejam calculados,
gravados como informações sumarizadas, e desta forma, possam ser extraídas do banco.

Como sumarizar
Para sumarizar o projeto, no menu Tools, clique em Summarize e em seguida em Open Projects.
Ou, clique no diretório Projects, selecione um projeto ou EAE, clique o botão da direita do
mouse e selecione Summarize Project.

Sumarização via Job Service


Job Service é um componente do Primavera que roda com um serviço do Windows que
periodicamente executa cálculos e verifica a consistência da informação de sumarização,
baseado naquilo em que foi informado. Um ilimitado número de serviços, cada qual com um
escopo de execução, pode ser criado.

e) Administrando o Primavera com mais detalhes.

Admin, Admin Preferences


Estas preferências determinam formas de visualização para os projetos em vários aspectos,
inclusive no apontamento de horas e timesheets do Primavera.
Você poderá configurar cada uma das guias que estão na janela Admin Preferences. Utilize esta
caixa de diálogo para especificar configurações padrões estabelecidas pelo Administrador do
Primavera.

Academia do Planejamento Pág. 196 / 222


General
A guia General permite que você especifique opções gerais, como o dia da semana no qual o
calendário deverá começar. Você pode também especificar o caracter de separação de códigos para
indicar níveis hierárquicos, o dia de início da semana e o padrão de duração para novas atividades.

DICAS IMPORTANTES
Timeshets
Em Timesheets, você configurará as preferências para apontamento de horas.

Aqui você indica se haverá níveis para aprovação do Timesheet. Estão diponiveis:
 Aprovação Automática

Academia do Planejamento Pág. 197 / 222


 Auto Aprovação
 Um nível de aprovação
 Dois níveis de aprovação
Se você previamente definir a aprovação em dois níveis (o gerente de projeto e do recurso), é possível
definir se o gerente de projeto deve fazer a aprovação antes do gerente do recurso. Além disso, o
status para todos os timesheets atuais que receberam um nível de aprovação será alterado para
“Aprovado”.
Escolha quem será o gerente aprovador padrão.

Data Limits
A guia Data Limits permite que você especifique o número máximo de níveis para uma estrutura
hierárquica (OBS, EPS, EAP, etc). Você pode também especificar número máximo de linhas de

DICAS IMPORTANTES
base e códigos de atividades que um projeto deverá ter.

ID Lengths
Permite que você especifique o número máximo de caracteres dos identificadores (IDs) de
projetos, EAP, recursos, atividades, centro de custo e função. O valor pode variar de 1 a 20.

Academia do Planejamento Pág. 198 / 222


DICAS IMPORTANTES
Time Periods
O administrador poderá alterar o cálculo de referência que o Primavera utiliza para a conversão
das unidades.

Ex.: Se digitar 16h como duração em um padrão de dias. O valor será automáticamente
convertido para dias utilizando a tabela acima.

Academia do Planejamento Pág. 199 / 222


Earned Value
A guia Earned Value (Valor Agregado) permite que você especifique padrões para calcular o valor agregado.

DICAS IMPORTANTES
Técnica para cálculo do “Percentual de Performance completado”
Technique for computing performance percent complete
 Activity % Complete: Escolha para calcular o valor agregado de acordo com o percentual
de conclusão das atividades correntes.
 Use WBS Milestones: Escolha para calcular o valor agregado definindo marcos no nível da
WBS/EAP e atribuir um nível de significação ou peso para cada um deles. Na medida em
que o progresso ocorrer e você marcar cada marco completado, o percentual de
performance dos elementos da WBS concluída será calculado baseado nos pesos dos
marcos.
 0/100 % Complete: Escolha para calcular o valor agregado como 100% somente depois
das atividades finalizadas.
 50/50 % Complete: Escolha para calcular o valor agregado como 50% depois que a
atividade iniciou até a atividade finalizar. Depois de finalizada a atividade, o valor
agregado da atividade será de 100%.

Academia do Planejamento Pág. 200 / 222


 Custom % Complete: Escolha para calcular o valor agregado com um percentual que você
especificar. Este percentual aplica após o início da atividade até o final. Após a finalização da
atividade, o valor agregado da atividade será de 100%.

Técnica para cálculo da “Estimativa para Completar”.


Technique for computing Estimate to Complete (ETC)
O ETC (EPC) é o custo estimado para completar uma atividade. Pode ser calculado como o custo
remanescente total para a atividade (Remaninig Cost for Activity) ou como o Fator de Performance
multiplicado pela diferenca entre o Orçado ao Completar e o Custo do Valor Agregado.
O Budget at Completion (Orçado a Completar) é o custo total planejado através da atividade
completada. É o Custo Planejado dos Recursos + Custo de Material + Custo Planejado das
Despesas. Isto vale também para a Linha de base total dos custos. Resumindo é o somatório dos

DICAS IMPORTANTES
custos planejados dos recursos (pessoa, equipamento e materiais) e das despesas.
Seguem as opções no Primavera:
 ETC = remaining cost for activity: Escolha para calcular valores da Estimativa para
Completar (EPC), como o custo remanescente para completar uma atividade.
 ETC = PF * (Budget at Completion – Earned Value Cost), onde:
 PF = 1: Escolha para calcular o valor do ETC como Fator de Performance de 1 multiplicado
pelo Orçado ao Completar menos o Custo do Valor Agregado.
 PF = 1/Cost Performance Index: Escolha para calcular os valores do ETC com um fator de
Performance de 1 dividido pelo Índice de Performance do Custo (Cost Performance Index -
CPI).
Índice de Performance do Custo (IPC) = Custo do Valor Ganho / Custo Real.
 PF = 1/(Cost Performance Index*Schedule Performance Index): Escolha para calcular o
valor do ETC utilizando um valor de Fator de Performance igual a 1 dividido pelo produto
do IPC e do Indice de Performance do Tempo (Schedule Performance Index- SPI).
Índice de Performance do Tempo (IPT) = Custo do Valor Ganho/ Custo do Valor
Planejado.
 PF = Valor Personalizado: Escolha para calcular o ETC utilizando um Fator de Performance
Personalizado. Se você escolher esta opção, digite o fator no campo PF.
Cálculo do Valor Agregado Earned value calculation: Ao calcular o valor agregado a partir da
baseline, você deve escolher entre os Valores Planejados com as datas reais, os Valores
Planejados com as datas planejadas ou os Valores ao Completar com as datas reais.

Reports
A guia Reports permite que você defina três padrões para cabeçalho, rodapé ou um campo de texto que
podem ser utilizados nos relatórios.

Academia do Planejamento Pág. 201 / 222


DICAS IMPORTANTES
Options
Especificar o intervalo para sumarizar e armazenar a distribuição de recursos
 WBS Level: Define qual o intervalo de tempo as informações das atividades serão
sumarizados.
 Resource/Role Assignment Level: Define qual o intervalo de tempo as informações dos
recursos serão sumarizados.
Project Architect – Arquiteto de Projeto
 Permite que você habilite a utilização do Project Architect. Ao contrário dos assistentes de
criação de atividades e de recursos, que são preferências de utilização dos usuários, o
Arquiteto de Projeto é um assistente de escolha pelo Administrador. Marcando esta opção,
permite que os usuários importem metodologias.
Web Access Server URL – URL do Servidor Primavera Web
 A URL requerida é o endereço onde está alocado o servidor Primavera Web. Permite que
os usuários encontrem documentos em colaboração.
Workflow Administrator – Administrador de workflow
 Clique para selecionar o usuário responsável por tarefas Administrativas relacionadas aos
modelos de workflow no Primavera Web, os quais são usados para projetos e processos
solicitados. Por exemplo, o Administrador é responsável por solicitações avançadas que
não possuem pelo menos um revisor de atribuição válido. Isto pode ocorrer durante o
workflow de solicitação do projeto se todos os revisores atribuídos a um template de
solicitação forem removidos como usuários do Primavera. O Administrador deve então
precisar avançar a solicitação e então revisar o processo.
Contract Management URL – Link para o Contract Manager

Academia do Planejamento Pág. 202 / 222


 Clique para configurar o acesso ao Contract Manager e, em seguida, escolha a versão a ser
utilizada. Quando essa opção está marcada é possível ligar seu projeto presente no Project
Management ao seu projeto do Contract Manager, permitindo assim importar e visualizar
informações contidas no projeto do Contract Manager.

DICAS IMPORTANTES
Rate Types
Permite que você personalize o título de cada um dos cinco campos de Preço/Unidade
(Price/Unit) disponíveis. O título deve descrever o que o Tipo de Taxa representa, por exemplo,
Taxa Governamental.

 Default Title: Lista os cinco títulos de Preço/Unidades disponíveis no Primavera.


 Title User-defined: O usuário pode editar o título para cada campo de Preço/Unidade que
deseja utilizar. Por exemplo, o campo Price/Unit 2 pode ser renomeado para Taxa
Comercial.

Academia do Planejamento Pág. 203 / 222


DICAS IMPORTANTES
Admin, Admin Categories...

Units of Measure
O administrador deverá cadastrar todos as unidades necessárias para todos os projetos.

Notebook
O administrador poderá crial, alterar ou excluir os tópicos dos Notebook.

Academia do Planejamento Pág. 204 / 222


DICAS IMPORTANTES
f) Moeda

Admin, Currencies...
O Primavera poderá trabalhar com várias moedas, mas somente uma de cada vez.
Para isso, é necessário que o administrador cadastre as moedas.

Edit, User preferences.


O usuário poderá escolhar qual moeda cadastrada poderá utilizar.

Academia do Planejamento Pág. 205 / 222


g) Nivelamento de Recursos – Level Resources

DICAS IMPORTANTES
O nivelamento de recursos é uma importante funcionalidade no processo de gestão de projeto
durante a fase de planeamento, mas é uma das opções mais raramente utilizada em Primavera.
O nivelamento de recursos ajuda a garantir que a procura de recursos não excede a respectiva
oferta.
Podemos nivelar os recursos entre projetos e entre atividades.

Entre Projetos
Nivelar entre projetos significa escolher quais projetos terão prioridades pelo recurso quando o
esforço desse recurso exceder o limite definido.

Entre Atividades
Nivelar entre atividades significa escolher quais atividades terão prioridades pelo recurso
quando o esforço desse recurso exceder o limite definido.

h) Nivelando Recursos entre Atividades.

Vamos supor um recurso de nossa tabela de recursos com as seguintes características.


 Resource ID: MO-10
 Resource Name: Montador de Andaimes.
 Resource Type: Labor
 Max Unit / Time: 16.00/d  Esse é o esforço máximo permitido. Equivale ao esforço de 2
montadores trabalhando 8 horas por dia.

Academia do Planejamento Pág. 206 / 222


Figura 1 – Cadastro do recurso com esforço máximo definido.

Agora vamos supor duas atividades com as seguintes características:


 Budgeted Units / Time: 16.00/d  Esforço por dia previsto para essa atividade.

DICAS IMPORTANTES
 Activity Name: Execução de Serviços de Montagem de Andaimes.

Atenção: Nesse nosso exemplo as atividades não estão relacionadas.

Figura 2 – Duas atividades disputando o mesmo recurso.

Quando clicamos em Resource Usage Profile, observamos uma sobrealocação de esforço no


recurso Montador de Andaimes.

Academia do Planejamento Pág. 207 / 222


DICAS IMPORTANTES
Figura 3 – Sobrealocação de esforço no recurso selecionado.

Agora vamos nivelar esse recurso com ajuda do Level Resource.


 Clicar em Level Resource (ou Shift F9).
 Utilizando sua configuração padrão, clicar em Level.
Observe que o grau de prioridade em Leveling priorites está por Activity Leveling Priority.

Figura 4 – Tela Level Resource em sua configuração padrão.

Academia do Planejamento Pág. 208 / 222


Como resultado, o Primavera distribuiu as atividades conforme o limite permitido em Max Units/Time.

DICAS IMPORTANTES
Figura 5 – Recurso nivelado pelo Activity Leveling Priority.

Alterando o grau de prioridade da atividade - Activity Leveling Priority.


Se necessário, podemos alterar a prioridade entre as atividades, alterando o valor de Activity
Leveling Priority.
O Activity Leveling Priority permite a definição dos seguintes níveis de
prioridade:
1 – Top
2 – Hight
3 – Normal
4 – Low
5 - Lowest

Academia do Planejamento Pág. 209 / 222


DICAS IMPORTANTES
Figura 6 – Alterando a prioridade da atividade alterando o valor de Activity Leveling Priority para 1 – Top.

i) Nivelando Recursos entre Projetos

Vamos supor que temos dois projetos iguais abertos ao mesmo tempo.

Figura 7 – Dois projetos abertos disputando o mesmo recurso.

Ao nivelarmos os recursos em sua configuração padrão, o Primavera dá prioridade as atividades


conforme:
 O Activity Leveling Priority (mas se forem todos iguais)
 O Activity ID das atividade de cada projeto.

Academia do Planejamento Pág. 210 / 222


DICAS IMPORTANTES
Figura 8 – Nivelamento dos recursos pelo Activity Leveling Priority e Activity ID.

Alterando o grau de Prioridade entre Projetos - Project Level Priority


Sempre que criamos um projeto novo, o Project Level Priority é definido como 10 para todos os
projetos.
Podemos a qualquer momento alterar esse valor que vai de 1 até 100, sendo o valor 1 o mais
alto possível.

Figura 9 – Projeto B com o valor de Project Level Priority alterado para 9.

Será necessário alterar a configuração padrão do Level Resources em Leveling priorites para
Project Leveling Priority.

Academia do Planejamento Pág. 211 / 222


DICAS IMPORTANTES
Figura 10 – Prioridade alterada para Project Leveling Priority.

Como resultado, todos os recursos do projeto B tiveram prioridades sobre o projeto A.

Figura 11 – Os recursos do projeto B tiveram prioridades sobre o projeto A.

Configuração para o nivelamento de recursos.


O Exercício acima foi realizado utilizando a seguinte configuração:
Em User Preferences

Academia do Planejamento Pág. 212 / 222


DICAS IMPORTANTES
Figura 12 – Configuração utilizada para o nivelamento dos recursos.

Se clicar com o botão direito do mouse na area do gráfico, podemos alterar os configurações do
Resource Usage Profile Options.

Figura 13 – Configuração nas opções do perfil dos recursos.

j) Como utilizar o recurso – Role

Role – É uma função específica de uma equipe de projeto que uma ou mais pessoas podem
preencher. Uma Role pode ser composto por várias pessoas.
Podemos utilizar uma role em um projeto quando, por um motivo qualquer, não queremos ou
podemos utilizar um recurso da tabela de recurso.

Academia do Planejamento Pág. 213 / 222


Cadastro de uma Role.
 Clicar em Enterprise e Roles...

DICAS IMPORTANTES
Figura 49 - Cadastro de Roles

Carregando uma Role


 Clicar em Add Role

Figura 50 – Carregando uma Role na atividade.

Para poder ver a role, utilize a coluna Role Name.

Academia do Planejamento Pág. 214 / 222


Figura 51 – Role carregada.

Substituindo uma role por um recurso.


Se desejar, poderá substituir uma role por um recurso.

DICAS IMPORTANTES
 Clicar na janela Resources.
 Clicar na guia Role.
 Clicar em Assign para atribuir a role ao recurso.

Figura 52 – Atribuindo uma role ao recurso.

 Volte para a janela Activities.


 Clique em Assign by Role.

Academia do Planejamento Pág. 215 / 222


DICAS IMPORTANTES

Academia do Planejamento Pág. 216 / 222


Figura 53 – Substituindo uma role por um recurso.

Figura 54 – Atividade com uma role que foi substituída por um recurso.

DICAS IMPORTANTES
k) Avanço Previsto em % - Schedule % Complete

Como é calculado o valor de avanço previsto de um projeto em % ?


O Schedule % Complete é utilizado para saber a previsão de avanço de um projeto em
percentuais, ou seja, para saber qual foi o progresso planejamento até a data do data date.
Para isso, vamos criar um pequeno projeto com apenas quatro atividades, sendo:
Budget At Completion (BAC)  É o valor total previsto do projeto.
O BAC é a soma de todos os valores previstos em seu projeto, incluindo as despesas previstas.
BAC = Custo + Despesas, sendo:
Custo. Está associado ao recurso
Despesa. Está associado a atividade.
Planned Value Cost (PV)  É o valor total previsto até o momento.
O PV é o mesmo valor de BAC distribuido no tempo.
Schedule % Complete  É o valor de avanço previsto até o momento.
PV
Schedule _ % _ Complete =
BAC

Academia do Planejamento Pág. 217 / 222


DICAS IMPORTANTES
Figura 55 – Exemplo de um projeto para demostrar o cálculo do Schedule.

Avanço Realizado em % - Performance % Complete.


Como é calculado o avanço realizado em um projeto até o momento em % ?
O Performance % Complete é utilizado para saber o quanto o projeto avançou em percentuais e
depois poderá comparar com o previsto em Schedule % Complete.
Para o exemplo abaixo, foi necessário a criação de uma base line.
Earned Value Cost (EV)  Valor agregado até o momento.
EV
Performance_ %_ Complete =
BAC

Figura 56 – Cálculo do avanço realizado do projeto.

l) Avanço conforme Previsto - Auto Compute Actuais.

Existem situações que você pode preferir que o Primavera dê o avanço da atividade exatamente
conforme foi previsto.
Para conseguir isso, você deve utilizar a ferramenta Auto Compute Actuais em combinação com
a outra ferramenta Apply Actuals.
Você poderá utilizar o Auto Compute Actuais em atividades sem recursos ou com recursos.
Sem recursos

Academia do Planejamento Pág. 218 / 222


 Marque o Auto Compute Actuais da atividade.

Figura 57 – Auto Compute Actuals antes do cálculo.

 Altere o Data Date sem calcular.

DICAS IMPORTANTES
Figura 58 – Data Date informado sem o cálculo.

 Clicar em Tools, Apply Actuals...para calcular o avanço .

Figura 59 – Atividade com avanço conforme previsto.

Com Recurso
Para atividades que tem recursos, você precisar antes acionar também o Auto Compute Actuals
da tabela de recurso.
Após a marcação do check-on, seguir o mesmo processo para atividades sem recursos descrito
acima.

Figura 60 – Detalhe do recurso com a opção marcada de avanço automático.

Academia do Planejamento Pág. 219 / 222


Calcula o custo pelo esforço - Calculate costs from units.

Figura 61 – Detalhe do Recurso com a opção marcada de Calculate costs from units.

DICAS IMPORTANTES
Check-on - O Primavera calcula o valor do esforço da atividade através de uma simples
multiplicação da quantidade de esforço vezes valor do esforço.

𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵 𝐶𝐶𝐶𝐶𝐶𝐶𝐶𝐶 = 𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵𝐵 𝑈𝑈𝑈𝑈𝑈𝑈𝑈𝑈 𝑥𝑥 𝑃𝑃𝑃𝑃𝑃𝑃𝑃𝑃𝑃𝑃/𝑈𝑈𝑈𝑈𝑈𝑈𝑈𝑈

Figura 62 – Ao adicionar o recurso na atividade o Budgeted é calculado automaticamente.

Figura 63 – O Primavera fará mais o cálculo automático dos custos.

Check-off - O Primavera não calcula o valor do esforço da atividade para as novas atividades.

Academia do Planejamento Pág. 220 / 222


Figura 64 – Ao adicionar um novo recurso com o cálculo automática desativado o Primavera não calculou o valor do custo.

DICAS IMPORTANTES

Academia do Planejamento Pág. 221 / 222


Sergio Magalhaes
sergio@academiadoplanejamento.com.br

DICAS IMPORTANTES

Academia do Planejamento Pág. 222 / 222