Você está na página 1de 36

Teoria da Literatura

Aula 1
Sobre a Arte Literária
Prof.ª Amanda Crispim Ferreira
Graduada em Letras (UEL)
Mestre em Estudos Literários (UFMG)
Doutoranda em Letras (UEL)
Objetivos:

Discutir o conceito de Literatura;


Conhecer as especificidades da arte literária;
Identificar os tipos de Literaturas;
Sobre a ideia de arte...
A arte é expressão, é representação de intuição.”
(AMORA, Antônio Soares. Teoria da literatura. 9.
ed. São Paulo: Clássico-Científica, 1971, p.13)

A arte representa o que o artista intui sobre algo;


O homem pode utilizar-se de vários meios para se
expressar, tais como: a palavra, o som, os gestos, as
cores, etc.
Sobre a ideia de arte...

O pastor descuidado , William Holman Hunt (Inglaterra -1851)


Sobre a ideia de arte...

Pietà, Michelangelo ( Itália -1499)


Sobre a ideia de arte...

A fonte, Marcel Duchamp ( França – 1917)


Vídeo

Trecho do filme “O sorriso de Monalisa”


(O que é arte?)

Fonte:
www.youtube.com/watch?v=FCVbuWk7NwY
Atividade 1

O que você entende por Arte Literária?


Afinal, o que é literatura?
Assim como a arte, o conceito de literatura
transformou-se ao longo do tempo.
[...] Significava a arte de escrever e ler: a gramática, o
saber e a ciência. A partir do Séc. XVIII, passou a
significar uma forma de expressão e de comunicação
artística.[...]
(AGUIAR E SILVA, Vítor Manuel de. Teoria da Literatura.
8. ed. 16. reimp. Coimbra:
Almedina, 2007, p. 2,9)
Afinal, o que é literatura?

Séc XX : Tentativa de definir a literatura de forma


objetiva:
[...] chamaremos de objeto estético, no sentido
próprio da palavra, os objetos criados através de
procedimentos particulares, cujo objetivo é
assegurar para estes objetos uma percepção
estética. [...]
Afinal, o que é literatura?
[...] O objetivo da arte é dar a sensação do objeto como
visão e não como reconhecimento; o procedimento da arte
é o procedimento da singularização dos objetos e o
procedimento que consiste em obscurecer a forma,
aumentar a dificuldade e a duração da percepção. [...] Em
arte, a liberação do objeto do automatismo perceptivo se
estabeleceu por diferentes meios.
(CHKLOVSKI, VITOR. A arte como procedimento. In:
TOLEDO, D.O. Teoria da literatura:
formalistas russos. Porto Alegre:
Globo, 1971, p. 41,45)
Afinal, o que é literatura?
Séc XX: A crítica literária se institucionaliza:
[...] É a academia, com suas pesquisas, estudos e
publicações, além de discussões em sala de aula, e
trabalhos jornalísticos de críticos que passaram pelas
universidades, que acaba determinando, hoje em dia, o
que é literatura, o que é literatura boa ou ruim, e como
deve ser lida.
(WIELEWICKI,V.H.G;ZAPPONE,M.H.Y. Afinal, o que é
literatura? In: BONNICI, T.;ZOLIN,
L.O. (orgs.) Teoria literária:
abordagens históricas e tendências
contemporâneas. Maringá: Eduem,
2009, p.26)
Literatura é...

Conceito transitório..
Forma artística de representação da realidade;
Utilização da linguagem verbal como material
expressivo;
Linguagem valorizada por instituições
reconhecidas, como academias e círculos
intelectuais;
Literariedade

O termo ‘literariedade’ designa tudo aquilo que


faz de um determinado escrito uma obra
literária.”
(JAKOBSON, Roman. La nouvelle poésie russe.
In: Questions de poétique. Trad. Tzvetan
Todorov. Paris: Seuil, 1973. p. 15)
Linguagem literária

Preocupa-se mais com o aspecto estético e


expressivo.;
Diferente da usada no dia-a-dia;
Explora, de maneira criativa, vários aspectos da
língua: a sonoridade, a sintaxe, a semântica, as
múltiplas significações das palavras, etc.
Concepção intuitiva e subjetiva da realidade;
Caráter artístico;
Pessoal;
Linguagem literária
É a relação que as palavras estabelecem com o contexto,
com a situação de produção da leitura que instaura a
natureza literária de um texto [...]. A linguagem parece
tornar-se literária quando seu uso instaura um universo, um
espaço de interação de subjetividade (autor e leitor) que
escapa ao imediatismo, à predictibilidade e ao estereótipo
das situações e usos da linguagem que configuram a vida
cotidiana.
(LAJOLO, , Marisa. O que é literatura.
São Paulo: Brasiliense, 1981, p.38).
Notícia de jornal
Tentou contra a existência
Num humilde barracão
Joana de tal
Por causa de um tal João

Depois de medicada
Retirou-se pro seu lar
Aí a notícia
Carece de exatidão.

O lar não mais existe


Ninguém volta ao que acabou
Joana é mais uma mulata triste
Que errou
Notícia de jornal
Errou na dose
Errou no amor
Joana errou de João
Ninguém notou

Ninguém morou
Na dor que era o seu mal
A dor da gente
Não sai no jornal

(REIS, Luís; BARBOSA, Haroldo.


“Notícia de Jornal”. In: CAMPEDELLI,
Samira Youssef. Literatura, História
e texto 1. 8.ed. São Paulo: Editora
Saraiva, 1999, p.35)
Texto de jornal
Dois tiros e D. Maria quase perde a vida
Maria não queria viver sozinha no barraco acanhado. Abandonada pelo
companheiro, dois filhos para criar, a faxineira desempregada
conseguiu um revolver e partiu para a tentativa de suicídio. A história,
segundo a polícia, é que o companheiro de Maria, homem branco,
motorista, já era casado. E Maria, mulher negra, no momento sem
emprego, vivia amasiada há cinco anos. No último fim de semana, o
casal se desentendeu e o homem resolveu voltar para a esposa
legítima. Maria não tolerou o abandono. Agora, está hospitalizada, em
estado grave. Os filhos estão com os parentes.
(CAMPEDELLI, Samira Youssef. Literatura,
História e texto 1. 8.ed. São Paulo: Editora
Saraiva, 1999, p.35)
Atividade 2

Observe o poema a seguir e responda: É um texto literário? Se sim,


aponte as marcas de linguagem literária presentes no texto.
Poema tirado de uma notícia de jornal
João Gostoso era carregador de feira-livre e morava no morro da
Babilônia num barracão sem número
Uma noite ele chegou no bar Vinte de Novembro
Bebeu
Cantou
Dançou
Depois se atirou na Lagoa Rodrigo de Freitas
e morreu afogado.
(BANDEIRA, Manuel. Libertinagem. Rio de
Janeiro: José Olympio, 1966. )
Sobre a escrita literária...
Com base no que verificamos até o momento,
podemos dizer que a literatura exige do escritor ou
poeta:
Técnicas;
Conhecimentos;
Sensibilidade;
Paciência para um trabalho criativo.
A obra literária
CONTEÚDO:
Suprarrealidade concebida pelo artista;
elemento imaterial.
+
FORMA:
O veículo do conteúdo (a linguagem)
fixa o conteúdo e permite sua transmissão.

A estrutura é que define os gêneros:


poema, romance, drama
Características da obra literária

1) Ficcionalidade (ficção):
Imaginação, produto da invenção criativa do
artista. Não pode ser submetida à verificação
extratextual;
O texto literário, no entanto, mantém relação
com o mundo real: as estruturas linguísticas,
sociais e ideológicas.
Características da obra literária

2) Verossimilhança
Vero (verdade) + similhança (semelhança) =
semelhante ao verdadeiro, parecido com o real;
Dois tipos de verossimilhança: interna e externa;
O inverossímil.
Prova de amor
“Meu bem, deixa crescer a barba para me agradar”, pediu ele.
E ela, num supremo esforço de amor, começou a fiar dentro
de si aqueles novos pêlos, que na pele fechada feriam
caminho.
Mas quando, afinal, doce barba cobriu-lhe o rosto, e com
orgulho expectante entregou sua estranheza àquele homem:
“Você não é mais a mesma”, disse ele.
E se foi.
(COLASANTI, Marina. Contos de amor rasgados. Rio de
Janeiro, Rocco, 1986. p.165)
Características da obra literária
3) Conotação e plurissignificação:
A conotação é uma nova significação dada ao objeto
nomeado. Depende da percepção do leitor.

Era isso nosso amor; [...]


Uma concha estranha que nossa alma
Tentava decifrar a todo instante.”
(Carlos Drummond de Andrade)
Características da obra literária
4) Novidade
A conotação cotidiana é diferente da linguagem literária.
Quando o sentido conotativo é conhecido por todos,
perde seu valor de novidade sugestiva.
Exemplos:
Ela é uma cobra, não tem amigos.
Pedro tem um coração de pedra.
Atividade 3

Leia o fragmento e responda a questão a seguir:


Quando a menina Ayoluwa, a alegria do nosso povo, nasceu, foi em
boa hora para todos. Há muito que em nossa vida tudo pitimbava. Os
nossos dias passavam como um café sambango, ralo, frio, sem gosto.
Cada dia sem quê nem porquê. E nós ali amolecidos, sem sustância
alguma para nos deixar de pé. Repito: tudo era uma pitimba só[...]
(EVARISTO, Conceição “Ayoluwa, alegria do nosso povo”. In: Vários
autores. Cadernos Negros, vol.28, São Paulo,
Quilombhoje-Literatura, 2003).
O que seria pitimbava/pitimba?
Literatura ou literaturas?

Devido às diversas possibilidades que a palavra


“literatura” abrange, os estudiosos das Letras têm
distinguido a literatura stricto sensu (culta) de
outros domínios da produção literária cuja
particularização, seja na forma de expressão, seja
na forma do conteúdo ou no meio de comunicação,
exigem uma designação apropriada e diferente.
Literatura erudita
Literatura de massa
Literatura popular
Vídeo

Trecho do filme “Sociedade dos poetas mortos” (Para


que serve a Literatura?)

Fonte:
www.youtube.com/watch?v=hJmDzA0Jv-c
Referências
AGUIAR E SILVA, Vítor Manuel de. Teoria da Literatura. 8. ed. 16.
reimp. Coimbra: Almedina, 2007.
AMORA, A. S. Teoria da literatura. 9. ed. São Paulo: Clássico-Científica,
1971.
BANDEIRA, Manuel. Libertinagem. Rio de Janeiro: José Olympio, 1966.
CHKLOVSKI, V. A arte como procedimento. In: TOLEDO, D.O. Teoria da
literatura: formalistas russos. Porto Alegre: Globo, 1971.
COLASANTI, Marina. Contos de amor rasgados. Rio de Janeiro, Rocco,
1986.
EVARISTO, Conceição “Ayoluwa, alegria do
nosso povo”. In: Vários autores. Cadernos
Negros, vol.28, São Paulo, Quilombhoje-
Literatura, 2003.
LAJOLO, , Marisa. O que é literatura.
São Paulo: Brasiliense, 1981.
Referências
REIS, Luís; BARBOSA, Haroldo. “Notícia de Jornal”. In: CAMPEDELLI,
Samira Youssef. Literatura, História e texto 1. 8.ed. São Paulo: Editora
Saraiva, 1999.
JAKOBSON, Roman. La nouvelle poésie russe. In: Questions de
poétique. Trad. Tzvetan Todorov. Paris: Seuil, 1973.
WIELEWICKI,V.H.G;ZAPPONE,M.H.Y. Afinal, o que é literatura? In:
BONNICI, T.;ZOLIN, L.O. (orgs.) Teoria literária: abordagens históricas e
tendências contemporâneas. Maringá: Eduem, 2009.

Interesses relacionados