Você está na página 1de 6

MARIA, A BENDITA

Pr. Gérson Rocha

Maria, A Bendita Lucas 1:28,42.

Este é um assunto que só pode ser tratado na Palavra de deus. Erra quem trata noutras
fontes.
Em primeiro lugar, é bom notar que o Anjo Gabriel e Izabel, prima de Maria, tiveram
o cuidado de, chamando-a bendita, dizerem: “entre as mulheres”. Notem bem: eles disseram:
“Bendita és tu acima das mulheres”. Porque, como veremos, Deus quer que todos os homens
e todas as mulheres sejam benditos.
Em segundo lugar é bom lembrar que Deus, o chamar Abraão para formar uma nação
dos judeus, disse, no capítulo 12 de Gênesis v. 3: “De ti farei uma grande nação e te
abençoarei e te engrandecerei o nome. Sê tu uma benção. Abençoarei os que te abençoarei os
que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem e em ti serão benditas todas as
famílias da terra.” Então Deus quer que todas as famílias da terra sejam benditas. Não só
Maria, mas todas as famílias da terra.
Vale notar, em terceiro lugar, que Maria foi chamada bendita por causa de Jesus, pois
Isabel disse: “Bendita és entre as mulheres e bendito o fruto do teu ventre.” Por causa de
Jesus, Maria foi chamada bendita. É por isto que Deus quer para todas as pessoas. Todas as
pessoas na mente de Deus e no coração de Deus devem e precisam ser benditas, em Jesus.
Notem bem: Não fora Jesus, Maria não seria bendita, e ninguém o seria também.
Em quarto lugar, a glória de trazer Jesus ao mundo não era para Maria, e ela nunca
reivindicou para si essa glória. A glória de trazer Jesus ao mundo pertencia a Deus. A glória
era de Deus. Maria conhecia a Bíblia, o V. Testamento, e ela sabia que era um pecado bem
grave roubar a glória de Deus. Em Isaias 48:11, nós lemos estas verdades. “Por amor de Mim
é que faço isto,, como seria profanado o meu nome! A minha glória não a dou a outrem”.
Jesus Cristo, entre outras coisas, é a glória de Deus entre os homens, e repito: A glória de
trazer Jesus ao mundo era para ser conduzida a Deus e não a Maria, porque a Palavra de
Deus- e Maria sabia disto- diz que ele não daria sua glória a outrem, mas, ele diz: “Como
seria profanado o meu nome?” Roubar a glória de Deus seria profanar o nome de Deus e
Maria sabia disto. Ela jamais recebeu para si a glória, que somente a Deus pertence. Jamais
faria isto. Em Romanos 1:25 a Palavra de Deus diz que os homens honraram e serviram mais
a criatura do que o Criador. Então, se Maria, lá no céu, soubesse que ela está sendo honrada e
amada mais, do que o Criador, ela viveria ali numa constante consternação, numa tristeza,
porque a glória de trazer Jesus ao mundo, ela sabia, pertence a Deus.
Em quinto lugar, o louvor de Maria revela exatamente isto. No seu cântico, no capítulo
1 versículo 46 a 48 de Lucas notem: ela louvor e glória a Deus. Então disse Maria: “A minha
alma engrandece ao Senhor e o meu espírito se alegrou em Deus meu Salvador.” Ouçam bem!
Ela não roubou, nem usurpou a glória de Deus. Ela sabia que isto era uma profanação. Ela
conhecia a Palavra de Deus e notem o v. 48: “porque contemplou na humildade da sua serva”.
Aquela mulher humilde servia para trazer ao mundo a glória de Deus, não para ela, mas para o
próprio Deus. A glória deveria ser dada pelo fato de ela ter trazido Jesus Cristo ao mundo, e
este Filho, dela não era para ela, era para todo o mundo: “Porque Deus amou de tal maneira
que Du o seu Filho Unigênito para que todo que nele crê não pereça, mas tenha vida eterna.”
Ela trouxe ao mundo o Jesus que existia antes dela e de tudo: “No principio era o Verbo e o
Verbo estava com Deus e Verbo era Deus”. O Verbo é Jesus. Ele existia antes de Maria. É
Eterno que se fez carne. Ela entendeu isto e Ele foi entregue pelos nossos pecados. Então o
louvor de Maria mostra que ela está glorificando a Deus, tanto que o canto dela é chamado
Magnificat, isto é: canto de magnificação, engrandecimento do nome de Deus. “Meu Deus eu
sou fraca e humilde, mas eu te dou a gloria a ti devida pelo fato de me teres escolhido para
trazer o teu Filho ao mundo.”
Em sexto lugar, vale a pena pensar no seguinte: Não só Maria deveria ser bendita,
porque se Maria fosse bendita acima de todas as mulheres, só ela seria bendita. Produzir no
mundo apenas uma pessoa bendita seria um fracasso para Deus. Depois de tanto sacrifício,
tanto sofrimento, de tanta agonia porque passou Jesus, sobre tudo no Calvário, deveria haver
apenas uma pessoa bendita? Repito: seria um fracasso de Deus, mas o Senhor Jesus Cristo diz
que os seus seguidores são benditos também, são bem-aventurados. Os crentes conhecem de
cor, Mateus cinco de um a dez: “Vendo Jesus as multidões subiu ao monte e, como se
assentasse, aproximaram-se seus discípulos. Ele agora está falando aos discípulos, a respeito
das qualidades, das qualificações, dos característicos, das marcas do mesmos: “Passou a
ensiná-los dizendo:Bem-aventurados os humildes de espírito porque deles é o reino dos
céus...” Notem: “Bem-aventurados”. “Bem-aventurados os que choram porque serão
consolados. Bem-aventurados os mansos ... Bem-aventurados... Bem-aventurados...” Notem
estas bem aventuranças aplicadas aos seguidores de Jesus Cristo. e é importante saber que esta
palavra bem-aventurados – é mais importante o que bendito. Porque bendito em Grego, é
“Eulogueme” que é particípio passado do verbo Euloguéo. Euloguemene quer dizer, bem
falada, bendita, alguém de quem se fala bem, alguém de quem se diz o que é bom, é louvável,
abençoada. É isto que o anjo disse; “Tu serás bem falada, bendita, abençoada, entre os
homens.” Também flou a mesma coisa. Mas quando Jesus disse: “Bem-aventurados”, ele usa
uma palavra bem importante, é a palavra “Makárioi”, que é o plural de “Makarios”, que quer
dizer: “Felicidade com odor celestial”. Então Jesus disse: “bem-aventurados.” Isto é melhor
de que “Bendito”, porque “bendito” os homens dizem: “Tu és uma pessoa bendita,” e Deus
quer que as pessoas sejam benditas. Mas, “Bem-aventurados”, é mais importante porque
envolve as Beatitudes Celestiais, as riquezas insondáveis da graça de Deus. O homem bem-
aventurado trás em si o aroma do Senhor Jesus Cristo, e sabe que vai para um lugar de bem-
aventurança eterna, por causa de Jesus. Então Maria tanto foi bendita como bem-aventurada.
Em sétimo lugar, valeria a pena também dizer, que Jesus iguala Maria aqueles que
obedecem á Palavra de Deus. Por esta razão o anjo e Izabel não disseram “Bendita és tu acima
das mulheres”, mas entre as mulheres, porque, como disse, Deus quer que outras pessoas
sejam benditas e bem-aventuradas. E Jesus chama de “bem-aventurados” tanto os que amam a
Palavra de Deus como os que, à semelhança de Maria, lhe obedecem. Isto eu vou lhes mostrar
na Bíblia. Vejamos Lucas 11 versos 27 e 28: “Ora, aconteceu que, ao dizer Jesus estas
palavras, uma mulher que estava entre a multidão”, exclamou e disse-lhe: “Bem-aventurada,
(aqui ela está usando a palavra Makaria) aquela te concebeu e os seios que te amamentaram.”
Diz ela que Maria é bem-aventurada, porque trouxe ao mundo e o amamentou. Mas, vendo
Jesus que isto resultaria na adoração de sua mãe adotiva, respondeu: “Antes bem-aventurados
são os que ouvem a Palavra de Deus e a guardam.” Então podemos dizer: Maria, antes de ter
Jesus, já era bendita. Por que? Porque ela ouvia a Palavra de Deus e guardava-a no seu
coração. Ela conhecia a Palavra de Deus e lhe obedecia. De modo que, quando ela ouviu:
“Bendita és tu entre as mulheres”, não era isto novidade para ela, porque ela já conhecia a
Palavra de Deus que diz serem benditos aqueles que ouvem a Palavra de Deus lhe obedecem.
Relembremos ser isto que Deus quer que todas as pessoas do mundo sejam. Imaginem um
mundo em que todos fossem benditos de Deus! O mundo seria outro, não haveria maldição,
nem pecado e nem terror! Não haveria este quadro horrível que se descortina diante de nós.
Agora vejam ainda em Lucas, 1:45 uma palavra de Isabel sobre Maria que corrobora com esta
verdade:
“Bem-aventurada a que creu, porque serão cumpridas as palavras que lhe foram ditas
da parte do Senhor.”. “Bem-aventurada a que creu”! Quando Tomé creu porque viu os sinais
dos cravos nas mãos e nos pés de Jesus, e a marca da lancetada do soldado em seu lado,
disse: “Senhor meu e Deus meu!” ele aí creu em Jesus. “Jesus, entretanto disse: Bem-
aventurados aqueles que não viram e creram,” pois Jesus tinha dito a ele: “Por que me viste,
Tomé, creste? Bem-aventurados aqueles que não viram e eram.” Agora Isabel diz de Maria:
“Bem-aventurada a que creu.” Então Maria é tão bem-aventurada como Tomé. Num sentido
prático, um tanto mais bem-aventurada do que Tomé, porque Tomé creu depois que viu, e
Maria, creu em Jesus pelo Velho Testamento. Mas, ambos, são benditos porque creram.
“Bem-aventurados os que não viram e creram,” disse Jesus. Então Tomé creu, embora um
pouco tarde: creu e se tornou bendito. E os que não viram e creem também são benditos.
Repita-se: A Palavra de Deus diz: “Bem-aventurada a que creu.” Então Maria foi bem-
aventurada porque creu. Eu sou bem-aventurado porque ri.! E vocês, crentes em Jesus, são
benditos porque creram. Vejam esta verdade ainda melhor em Gálatas 3:9. Notem o que diz a
Palavra de Deus: “De modo que os da fé são benditos como o crente Abraão.” Maria creu. É
bendita como o crente Abraão. Milhões creram. São benditos como o crente Abraão. Os da fé
evangélica e bíblica são benditos. Não estava no plano de Deus que só maia fossem todos
aqueles que cressem em Jesus. Maria creu em Jesus como salvador: tornou-se, pois bendita.
Ela creu, nele, antes de Ele vir ao mundo, pois ela conhecia a Palavra de Deus. Sabia que o
messias do capítulo 53 de Isaias, era Jesus. Todos aqueles que creram em Jesus, antese Ele vir,
se tornaram benditos. E os que creram NELE, durante a sua vivência neste mundo, se
tornaram benditos. E os que vêm crendo n’Ele desde sua ascensão para o céu, até hoje, são
benditos. É o que lemos: “os da fé são benditos como o crente Abraão”. Graças a Deus por
isto. Se houvesse apenas uma pessoa bendita, neste mundo, como é que os céus se encheriam?
Ou se é bendito ou maldito. Quanto a mim eu preferi ser bendito, crendo como Maria creu, no
Senhor Jesus Cristo.
Em oitavo lugar, A Bíblia fala da família de Jesus em Mateus 13:53-55 “Tendo Jesus
proferido estas parábolas, retirou-se dali. E, chegando á sua terra, ensinava-os na sinagoga, de
tal sorte que se maravilhavam, e diziam: Donde lhe vem esta sabedoria e poderes
miraculosos? Não é este o filho do carpinteiro?Não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos
Tiago , José, Simão e Judas? Mas sabem qual é a verdadeira família de Jesus? Está em Mateus
12:46-50. Você gostaria de pertencer a família de Jesus? V. 46: “Falava ainda Jesus ao povo,e
eis que sua mãe e seus irmãos estavam ao lado de fora procurando falar-lhe. E alguém lhe
disse: Tua mãe e teus irmãos estão lá fora e querem falar-te. Porém Ele respondeu ao que lhe
trouxe o aviso: Quem é minha mãe? E quem seus meus irmãos?” Será que Jesus estava
desprezando Maria e desprezando seus irmãos? Não! É que Jesus estava pensando no que iam
fazer neste mundo de sua mãe: colocá-la no mesmo pé de igualdade do próprio Deus. Então
ele, percebendo isto, como fizera (capítulo 11 de Lucas), quando aquela mulher elogiou Maria
pelo fato de ter amamentado Jesus depois de tê-lo trazido ao mundo, prevendo assim o culto à
criatura disse: “Quem é minha mãe, quem são meus irmãos? E, estendo a mão os discípulos,
disse: Eis minha mãe e meus irmãos. Porque “qualquer que fizer a vontade do Meu Pai
Celeste, este é meu irmão, irmã e mãe.” Então estavam ali, mãe carnal e irmãos carnais. Mas
Jesus disse: “Minha família são aqueles que fazem a vontade de meu Pai Celeste. Esses são
realmente, meu irmão, minha mãe.”
Em nono lugar, Jesus não permitiu que Maria se tornasse medianeira entre os homens
e Ele. Vejamos isto bem claro em João 2:3-5. Diz assim: “Tendo acabado o vinho, a mãe de
Jesus lhe disse: Eles não têm mais vinho.” (trata-se de suco de uva, o vinho que Deus aprova.
É ensino bíblico meridiano). Então a mãe de Jesus, Maria, se colocou entre Jesus e os homens
para fazer um pedido. Jesus percebendo que, nos séculos vindouros, iam colocar a sua mãe
entre Deus e os homens, Jesus lhe disse: “Mulher que tenho eu contigo, ainda não é chegada a
minha hora.” “Que tenho eu contigo?” Alguém porventura se autorizou a si mesmo ou se
arrogou o direito de colocar-te entre mim e os homens? Que tenho eu contigo? Maria
evidentemente entendeu e deu sua única e bendita ordem. A única ordem a que, se todos os
religiosos do mundo obedecessem, a maior parte das pessoas do mundo estaria salva. Veja a
ordem que Maria deu. Ao Jesus dizer isto “que tenho eu contigo”? Falou aos servente: “Fazei
tudo o que Ele vos disser.” Maria se comportou à altura de quem conhece as escrituras bem
como o seu próprio lugar e o lugar de Jesus no plano salvífico de Deus: Ela –instrumento de
Deus para fazer Jesus ao mundo; Jesus o Bendito Salvador dos homens arrependidos dos seus
pecados e crentes no seu precioso Nome. Fica Jesus como único Mediador entre Deus e os
homens: “Portanto há um só Deus e um só mediador entre deus e os homens: Cristo Jesus,
homem” (I Timóteo 2:15). Maria não está intercedendo por nós. Ela está no céu, gozando as
eternas beatitudes celestiais. Ela não é oniciente, mas santa no mesmo pé de igualdade dos
muitos milhões que lavados pelo sangue de Cristo, encontram-se nas mansões celestiais. As
pessoas que intercedem por nós – o povo salvo – são Jesus e Espírito Santo: “também o
Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como
convém, mas o Espírito intercede por nós sobremaneira com gemidos inexprimíveis” (ROM.
8:16). E sobre todo-suficiente intercessão de Jesus, lemos: “... por isso mesmo Jesus se tem
tornado fiador e superior aliança... por isso também pode salvar totalmente os que POR ELE
se chegam a Deus, vivendo sempre para INTERCEDER por eles” (Hebreus 7:22-25). Maria, a
bendita mãe de Jesus, repitamos juntamente com outros milhões de BENDITOS, está gozando
para todo o sempre as delícias inefáveis do paraíso de Deus. Quando Jesus voltar, outros
benditos de Deus se juntarão a eles: “Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde
Benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do
mundo” (Mat. 25:34). Estarão lá, porque: “E não há salvação em NENHUM OUTRO; porque
abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que
sejamos salvos” (Atos 4:12). Estão lá e outros lá estarão por causa de “... Jesus Cristo...
Aquele que nos ama, e pelo seu sangue nos libertou dos nossos pecados” (Apoc. 1:5).
Um dia chegarei no céu! Verei o Deus bendito, seu Bendito Filho e os inumeráveis
milhões de benditos que Jesus comprou com o seu precioso sangue (Ap. 5:9-14).

(Mensagem pregada na Primeira Igreja Batista Bíblica de Vitória da Conquista, 19 de


Setembro de 1984)