Você está na página 1de 6

Terça-feira, 11 de Setembro de 2018

Entrar | Assine Já
PolíticaGeralMundoCidadesEconomiaEsporteFolha 2OpiniãoFolha MaisFolha
RuralEspecial Mais +

1. HOME
2. OPINIÃO
SET. 01, 2018
ENTREVISTA

Hormônios em pauta: riscos do


uso de esteroides
QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twitter
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois

Shutterstock
Comum, uso de anabolizantes para aumentar a massa
muscular pode representar risco à saúde

A busca desenfreada por um corpo escultural tem causado


sérios problemas de saúde que podem resultar até no
abreviamento da vida. Um alerta unânime entre os médicos é
em relação aos anabolizantes usados para aumentar a massa
muscular. Um estudo divulgado no início deste ano pela USP
(Universidade de São Paulo) aponta que quem ingere
anabolizantes tem uma tendência maior para a formação de
placas nas coronárias, que impedem o fluxo sanguíneo e o
suprimento de oxigênio. Essas complicações levam à
aterosclerose, doença que pode causar problemas como AVC
(acidente vascular cerebral) e ataque cardíaco.
PUBLICIDADE
Os esteroides androgênicos anabólicos, mais conhecidos
como anabolizantes, são produtos derivados principalmente
da testosterona, hormônio responsável por muitas
características que diferem homem e mulher. Eles atuam no
crescimento celular e em tecidos como o ósseo e o muscular.
Conforme informações da Sociedade Brasileira de
Endocrinologia e Metabologia, o uso de anabolizantes gera
efeitos colaterais, tanto em homens e mulheres. Alguns
exemplos são aumento de acnes, queda de cabelo, distúrbios
da função do fígado, tumores no fígado, explosões de ira ou
comportamento agressivo, paranoia, alucinações, psicoses,
coágulos de sangue, retenção de líquido no organismo,
aumento da pressão arterial e risco de adquirir doenças
transmissíveis, entre elas aids e hepatite.

De acordo com a entidade, os prejuízos não param por aí. No


caso das mulheres, o uso de anabolizantes pode gerar
características masculinas no corpo, como engrossamento da
voz e surgimento de pelos além do normal. Além disso,
aumento do tamanho do clitóris, irregularidade ou
interrupção das menstruações, diminuição dos seios e
aumento de apetite. Já nos homens, o excesso de
anabolizantes pode causar aparecimento de mamas, redução
dos testículos, diminuição da contagem dos espermatozoides
e calvície.

Em adolescentes, as consequências podem ser piores, como


comprometimento do crescimento, maturação óssea
acelerada, aumento da frequência e duração das ereções,
desenvolvimento sexual precoce, hipervirilização, crescimento
do falo (hipogonadismo ou megalofalia), aumento dos pelos
púbicos e do corpo, além do ligeiro crescimento de barba.

No Brasil, o uso de anabolizantes para fins estéticos ou para


aumentar o rendimento esportivo é proibido. No entanto, um
estudo de 2007, feito pela Sociedade Internacional de
Nutrição Esportiva, traçou o perfil do usuário de
anabolizantes no mundo. De acordo com os dados, o usuário
típico não é o adolescente ou o atleta, mas o homem de cerca
de 30 anos, bem educado e com renda alta. Foram
pesquisados 2.663 homens e mulheres de 81 países,
indicando que o motivo principal para o uso desses
compostos é o aumento da musculatura.

Membro da SBEM (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e


Metabologia), o médico Henrique Suplicy, de Curitiba, fala
sobre tratamentos hormonais em entrevista à FOLHA.

Em que situações os anabolizantes são indicados?


Anabolizantes podem ser indicados temporariamente em
pessoas muito debilitadas, por exemplo, idosos com grande
perda de massa magra. Ou pacientes que apresentam
hipogonadismo, que é a baixa produção de testosterona. Cada
quadro é um quadro. A pessoa vai precisar ter algum sintoma
pra justificar a ida ao médico, que poderá detectar o problema
por meio de exames clínicos e laboratoriais.

Qual especialidade médica trata esse tipo de caso?


É o endocrinologista, que tem formação endocrinológica para
tratar da parte glandular. O paciente tem que tomar cuidado
porque se vai a um médico que não é endocrinologista, pode
acabar sendo indicado o uso de reposição hormonal sem
necessidade. Já vi vários casos assim. Para evitar isso é
recomendado procurar um profissional que seja titulado pela
Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

Quais riscos efetivos o uso indiscriminado de


anabolizantes traz?
O coração é um músculo. Então, se você usar anabolizante
para aumentar a massa muscular também pode causar a
hipertrofia do coração e provocar sérios riscos à saúde. O
testículo dos homens que tomam anabolizante praticamente
some, porque para de produzir espermatozoide naturalmente.
Essa substância também pode causar masculinização na
mulher, alterações no fígado, pele etc. Além de questões
físicas, o uso de anabolizantes também costuma deixar as
pessoas mais agressivas.

A política de controle de compra e venda de


anabolizantes no Brasil é eficaz?
Tem que tomar cuidado porque não só no Brasil, mas no
mundo todo, a venda está sendo feita de uma maneira
abusiva. Está se receitando muita testosterona sem grande
necessidade. Existe uma política brasileira contra a venda
indiscriminada dessas substâncias que infelizmente não é
seguida. O que precisa ser feito é um controle rigoroso e
punição aos infratores.

Além da testosterona presente nos anabolizantes, a


reposição de outros hormônios também pode ser
prejudicial à saúde?
Existem 30 hormônios diferentes, se tiver falta ou excesso, a
pessoa vai enfrentar problemas diferentes. Depende do tipo
de hormônio. Por exemplo, se o hormônio de crescimento for
produzido em quantidade exagerada, o indivíduo pode ter
gigantismo. Se tiver deficit, ele vai ter o ananismo, vai ser
uma pessoa baixinha. No caso da tireoide, se tiver um excesso
vai ter hipertiroidismo, então a pessoa vai perder peso, vai ter
tremor, agitação, insônia e taquicardia. Se o problema for o
deficit hormonal, o hipotiroidismo, a pessoa fica cansada,
lenta e sonolenta.

O deficit hormonal costuma aumentar com o avanço


da idade?
A idade tem a ver com o hormônio sexual. Por exemplo, os
homens na andropausa podem necessitar de reposição de
testosterona devido à diminuição da força muscular, perda de
pelos, diminuição da libido e da potência sexual. O mesmo
pode ocorrer com as mulheres na fase da menopausa. Mas
outras glândulas que produzem hormônios, como a tireoide,
não têm a ver com a idade. Isso pode acontecer em qualquer
idade.
Existem novidades em relação à reposição hormonal
para homens e mulheres?
Não, basicamente não. Tem nomes comerciais diferentes que
surgem aqui e ali, mas a reposição hormonal se faz com
hormônios já prontos na farmácia. Lembrando que o
indivíduo que tem taxas hormonais normais não precisa fazer
reposição.

Os uso de hormônios em frangos para que os animais


cresçam mais rapidamente é um mito? Isso poderia
afetar os consumidores?
Houve uma época em que se usou hormônio não só em
frangos, mas até em gado. Atualmente isso não existe mais. O
frango que a gente vê hoje, mais peitudo, não é mais por
questões hormonais, é devido a uma raça foi desenvolvida.
Hoje a utilização de hormônio na avicultura não acontece
mais.
Marcos Roman
Reportagem Local